SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Baixar para ler offline
T E X T O D O D I A
"Eu plantei, Apolo regou; mas
Deus deu o crescimento."
(1 Co 3.6)
SÍNTESE
Nós podemos plantar a melhor
semente, adubar, limpar e podar,
mas somente Deus é que dá o
crescimento à plantação.
1 Coríntios 3.6-9
6 Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento.
7 Pelo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que
rega, mas Deus, que dá o crescimento.
8 Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um
receberá o seu galardão, segundo o seu trabalho.
9 Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura
de Deus e edifício de Deus.
Leitura bíblica
INTRODUÇÃO
• Paulo usa uma ilustração a respeito de uma plantação
para falar das suas contribuições e as de Apolo para
com a igreja em Corinto.
• Afirma que foi ele que plantou a semente das Boas
Novas nos corações dos coríntios; ele foi o pioneiro.
• Apolo, seu sucessor, regou a plantação e ajudou os
coríntios e se tornarem mais fortes na fé.
• No entanto, ele deixa claro que o crescimento é somente
Deus que pode dar.
INTRODUÇÃO
TÓPICO I
PAULO PLANTOU A SEMENTE DAS
BOAS NOVAS EM CORINTO
1. Paulo foi o pioneiro na igreja de Corinto;
2. Paulo não parou de plantar mesmo na ausência; e
3. Paulo deu graças pelo crescimento solidário dos
coríntios.
I - PAULO PLANTOU A SEMENTE DAS BOAS NOVAS EM
CORINTO
• Na alegoria da plantação, apóstolo afirma que
ele foi responsável por plantar o Evangelho.
• Provavelmente, enquanto escrevia, ele recordava
de sua segunda viagem missionária (Galácia,
Filipos, Tessalônica e Corinto - At 15.36-18.22).
• Paulo anunciou o Evangelho por um ano e meio
na cidade de Corinto (At 18.1-17).
1. Paulo foi o pioneiro na igreja de Corinto
• Mesmo sofrendo oposições dos judeus,
manteve sua pregação na sinagoga.
• A recompensa veio com algumas conversões: a
família de Estéfanas (1 Co 1.16), Crispo, o chefe
da sinagoga, e Gaio (1 Co 1.14; Rm 16.23).
• Depois a semente das Boas Novas foi plantada
na casa de um certo Justo e demais casas.
1. Paulo foi o pioneiro na igreja de Corinto
• Na sua 3ª viagem missionária, mesmo enquanto
estava em Éfeso, o apóstolo acompanhava a igreja
de Corinto.
• Ele enviara Timóteo para Corinto com o objetivo de
reorganizar a igreja que estava dividida pelos
conflitos (1 Co 16.10,11).
• Timóteo retornou com notícias da igreja - "outro
Evangelho" (2 Co 3.1; 10.12-14).
2. Paulo não parou de plantar mesmo na ausência
• Paulo escreveu uma nova carta e a enviou por meio
de Tito para rebater os falsos mestres e proteger a
igreja.
• Paulo estava ausente, mas continuava plantando a
Palavra no coração dos irmãos coríntios.
2. Paulo não parou de plantar mesmo na ausência
• Ainda estava na sua 3ª viagem missionária, se
reencontrou com Tito, que retornava de Corinto.
• Ele estava preocupado com a reação que os
coríntios tiveram com a última carta.
• Boas notícias: a) mensagem recebida com
respeito; b) coleta para ajudar os irmãos de
Jerusalém (2 Co 7.6-7,13-16).
3. Paulo deu graças pelo
crescimento solidário dos coríntios.
• Paulo se alegra com o amadurecimento dos
crentes coríntios.
• A ação dos coríntios é contagiante e a igreja da
Macedônia (Filipos e Tessalônica) também se
mobiliza com ofertas p/ Jerusalém (2 Co 8.1-4).
• O Espírito Santo estava atuando na semeadura
de Paulo, agora unidos pela solidariedade.
3. Paulo deu graças pelo
crescimento solidário dos coríntios.
PENSE
Paulo, mesmo sofrendo oposição
continuou pregando a Palavra de
Deus.
IMPORTANTE
As circunstâncias ruins não
podem nos fazer desistir de nosso
chamado.
TÓPICO II
APOLO REGOU
A SEMENTE PLANTADA POR
PAULO
1. Apolo, um homem cheio de sabedoria;
2. Apolo sucede a Paulo em Corinto; e
3. Apolo ajudou os cristãos de Corinto a se fortalecerem
na fé.
II - APOLO REGOU A SEMENTE PLANTADA POR PAULO
• Apolo, forma abreviada de Apolônio, era um
judeu da diáspora (origem judaica, porém de
cultura grega), natural de Alexandria.
• Ele se destacava pela sua eloquência na
oratória e pelo conhecimento hábil das
escrituras judaicas.
• Suas mensagens eram profundas e muito
eloquentes, mas não conhecia o batismo com
Espírito Santo.
1. Apolo, um homem cheio de sabedoria
• Enquanto Paulo dava continuidade a sua 2ª
viagem missionária, Apolo chega a Éfeso.
• O seu conhecimento das Escrituras e
eloquência chamam atenção de Priscila e
Áquila.
• Todavia, eles percebem lhe faltava a experiência
do Evangelho.
• Apolo se coloca aos pés do casal para
aprender do Evangelho de Cristo.
2. Apolo sucede a Paulo em Corinto
• Os irmãos de Éfeso enviam Apolo para Corinto
com carta de recomendação aos presbíteros da
igreja.
• O conhecimento, a eloquência e a excelente
oratória ao rebater vigorasamente os judeus em
público conquistam os coríntios.
2. Apolo sucede a Paulo em Corinto
• Paulo dá um destaque especial ao trabalho de Apolo (1
Co 3.4-9).
• Paulo o apresenta como seu sucessor no ministério da
Palavra em Corinto, mesmo que não tenha sido
preparado nem enviado por ele.
• O apóstolo reconhece o ministério e a chamada de Apolo
ao afirmar que ele havia regado onde Paulo plantou.
3. Apolo ajudou os cristãos de Corinto
a se fortalecerem na fé
PENSE
Paulo não via Apolo como seu
opositor, mas como um ajudador.
IMPORTANTE
Quem tem convicção do seu
chamado divino não tem medo
de opositores.
TÓPICO III
A OBRA DE DEUS ENVOLVE
MUITOS COOPERADORES
1. A obra de Deus é feita por cooperadores;
2. Os cooperadores plantam e regam, mas
somente Deus dá o crescimento; e
3. Os cooperadores precisam ter disposição
para servir
III - A OBRA DE DEUS ENVOLVE MUITOS COOPERADORES
• Os coríntios estavam brigando por seus líderes
preferidos - imaturidade espiritual e carnalidade.
• A pessoa não pode ser valorizada mais que a
própria instituição ou que Cristo.
• Paulo sempre apontava para a cruz de Cristo e
ensinava os irmãos a buscarem o crescimento
em Jesus.
1. A obra de Deus é feita por cooperadores
• O apóstolo se coloca na mesma posição de
Apolo, cooperador de Deus. ‘
• Ele e Apolo não tinham nenhum partido ou
compactuavam com a divisão.
• O apóstolo defende que tanto ele quanto Apolo
são apenas instrumentos de Deus na vida dos
membros da igreja, assim como os demais
cooperadores voluntários.
1. A obra de Deus é feita por cooperadores
• Paulo e Apolo reconheciam que sem o Senhor
não poderia haver crescimento.
• O lavrador pode preparar a terra, lançar a melhor
semente, adubar e limpar, mas somente Deus
pode fazer chover e germinar a semente.
• Por isso, Paulo adverte aos coríntios que os
méritos devem ser atribuídos a Deus.
2. Os cooperadores plantam e regam,
mas somente Deus dá o crescimento
• Deus deu o crescimento e a igreja de Corinto se
expandiu por toda a província da Ásia,
tornando-se um núcleo do cristianismo na
região.
2. Os cooperadores plantam e regam,
mas somente Deus dá o crescimento
• Paulo e Apolo estavam seguindo o exemplo de
Cristo, que afirmou que veio ao mundo para
servir e não para ser servido (Mt 20.28).
• Durante a sua última refeição com seus
discípulos, Jesus lavou-lhes os pés para ensiná-
los como deveriam viver entre eles e as demais
pessoas.
3. Os cooperadores precisam ter disposição para servir
• Assim, Paulo reconhecia seu lugar de
coadjuvante e servo de Deus.
• Essa disposição para servir deu-lhe confiança
ao se deparar com a morte (2 Tm 4.6-8).
• Infelizmente, na atualidade, muitos não
compreendem o exemplo de Jesus e das
primeiras igrejas cristãs; e no lugar de servirem,
eles procuram ser servidos.
3. Os cooperadores precisam ter disposição para servir
PENSE
Como você tem cooperado para o
crescimento do Reino de Deus?
IMPORTANTE
Deus deseja cooperadores
voluntários comprometidos com
a sua obra.
CONSIDERAÇÕES
FINAIS
1. Paulo usou sabiamente a metáfora da plantação
para demonstrar que todos somos
cooperadores na obra de Deus.
2. Podemos ter habilidade para "arar", "plantar",
"regar", "podar", entre outras atividades na
lavoura de Deus, mas somente Ele é que dá o
crescimento necessário.
3. Por isso, o Todo-Poderoso deve ser louvado e
adorado em todas as esferas de nossa vida e
jamais o ser humano.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS
CONTATOS
Pr. Natalino das Neves
natalinoteologo@gmail.com
(41) 98409 8094
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Natalino das neves; natalino das neves II; e
Pastor Natalino das Neves (página)
@Natalinoneves
natalinodasneves

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Paulo e a igreja em filipos lição 1
Paulo e a igreja em filipos   lição 1Paulo e a igreja em filipos   lição 1
Paulo e a igreja em filipos lição 1yosseph2013
 
Alegrai vos no senhor uma exposição de filipenses - russell p. shedd
Alegrai vos no senhor   uma exposição de filipenses - russell p. sheddAlegrai vos no senhor   uma exposição de filipenses - russell p. shedd
Alegrai vos no senhor uma exposição de filipenses - russell p. sheddDeusdete Soares
 
35 filipenses
35 filipenses35 filipenses
35 filipensesPIB Penha
 
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-clEstudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-clJUERP
 
ESTUDO Livro filipenses versiculo por versiculo
ESTUDO Livro filipenses versiculo por versiculoESTUDO Livro filipenses versiculo por versiculo
ESTUDO Livro filipenses versiculo por versiculoPAULO RICARDO FERREIRA
 
Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.
Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.
Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.Abdias Barreto
 
Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesUEPB
 
2 corintios separação e purificação (2co 1 – 7)
2 corintios separação e purificação (2co 1 – 7)2 corintios separação e purificação (2co 1 – 7)
2 corintios separação e purificação (2co 1 – 7)Ilton Goncalves
 
Filipenses (Estudo 3)
Filipenses (Estudo 3)Filipenses (Estudo 3)
Filipenses (Estudo 3)Daniel Junior
 
Filipenses e colossenses
Filipenses e colossensesFilipenses e colossenses
Filipenses e colossensesEloi Lago
 
Carta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossensesCarta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossensesUEPB
 
Panorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - FilipensesPanorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - FilipensesRespirando Deus
 
I Corintios Inicio
 I Corintios Inicio I Corintios Inicio
I Corintios InicioUEPB
 
Panorama do NT - 1Coríntios
Panorama do NT - 1CoríntiosPanorama do NT - 1Coríntios
Panorama do NT - 1CoríntiosRespirando Deus
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPastor Natalino Das Neves
 
Filipenses (Estudo 1)
Filipenses (Estudo 1)Filipenses (Estudo 1)
Filipenses (Estudo 1)Daniel Junior
 
O Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
O Discipulado Cristão na Carta aos FilipensesO Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
O Discipulado Cristão na Carta aos FilipensesJUERP
 

Mais procurados (20)

Paulo e a igreja em filipos lição 1
Paulo e a igreja em filipos   lição 1Paulo e a igreja em filipos   lição 1
Paulo e a igreja em filipos lição 1
 
Alegrai vos no senhor uma exposição de filipenses - russell p. shedd
Alegrai vos no senhor   uma exposição de filipenses - russell p. sheddAlegrai vos no senhor   uma exposição de filipenses - russell p. shedd
Alegrai vos no senhor uma exposição de filipenses - russell p. shedd
 
35 filipenses
35 filipenses35 filipenses
35 filipenses
 
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-clEstudo 12   as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
Estudo 12 as cartas de paulo III - gl-ef-fp-cl
 
ESTUDO Livro filipenses versiculo por versiculo
ESTUDO Livro filipenses versiculo por versiculoESTUDO Livro filipenses versiculo por versiculo
ESTUDO Livro filipenses versiculo por versiculo
 
Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.
Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.
Comentário Filipenses - moody. (Auxilio para as Aulas EBD. 3º Trimestre-2013.
 
Carta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos FilipensesCarta de Paulo aos Filipenses
Carta de Paulo aos Filipenses
 
9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios
 
2 corintios separação e purificação (2co 1 – 7)
2 corintios separação e purificação (2co 1 – 7)2 corintios separação e purificação (2co 1 – 7)
2 corintios separação e purificação (2co 1 – 7)
 
Filipenses (Estudo 3)
Filipenses (Estudo 3)Filipenses (Estudo 3)
Filipenses (Estudo 3)
 
Filipenses e colossenses
Filipenses e colossensesFilipenses e colossenses
Filipenses e colossenses
 
Carta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossensesCarta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossenses
 
Panorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - FilipensesPanorama do NT - Filipenses
Panorama do NT - Filipenses
 
Aula 2 1 Coríntios
Aula 2   1 CoríntiosAula 2   1 Coríntios
Aula 2 1 Coríntios
 
I Corintios Inicio
 I Corintios Inicio I Corintios Inicio
I Corintios Inicio
 
Panorama do NT - 1Coríntios
Panorama do NT - 1CoríntiosPanorama do NT - 1Coríntios
Panorama do NT - 1Coríntios
 
Lição 01: Paulo e a Igreja em Filipos
Lição 01:  Paulo e a Igreja em FiliposLição 01:  Paulo e a Igreja em Filipos
Lição 01: Paulo e a Igreja em Filipos
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
Filipenses (Estudo 1)
Filipenses (Estudo 1)Filipenses (Estudo 1)
Filipenses (Estudo 1)
 
O Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
O Discipulado Cristão na Carta aos FilipensesO Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
O Discipulado Cristão na Carta aos Filipenses
 

Semelhante a PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO

2021 2º trimestre jovem - lição 07
2021   2º trimestre jovem - lição 072021   2º trimestre jovem - lição 07
2021 2º trimestre jovem - lição 07Joel Silva
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPastor Natalino Das Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 
Preleção_JOVENS_Lição 2 - Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_JOVENS_Lição 2 - Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_JOVENS_Lição 2 - Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_JOVENS_Lição 2 - Ação de Graças pela Igreja de CorintoPastor Natalino Das Neves
 
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1Andre Nascimento
 
Lição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Lição 17- A Unidade no Trabalho na IgrejaLição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Lição 17- A Unidade no Trabalho na IgrejaMárcio Pereira
 
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos JovensO fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos JovensFrancelia Carvalho Oliveira
 
3º trimestre 2015 lição 11 adultos
3º trimestre 2015 lição 11 adultos3º trimestre 2015 lição 11 adultos
3º trimestre 2015 lição 11 adultosJoel Silva
 
3º trimestre 2015 lição 11 adultos
3º trimestre 2015 lição 11 adultos3º trimestre 2015 lição 11 adultos
3º trimestre 2015 lição 11 adultosJoel Silva
 
2015 3º trimestre adultos lição 11.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 11.pptx2015 3º trimestre adultos lição 11.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 11.pptxJoel Silva
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintiosJoel Silva
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintiosJoel Silva
 

Semelhante a PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO (20)

2021 2º trimestre jovem - lição 07
2021   2º trimestre jovem - lição 072021   2º trimestre jovem - lição 07
2021 2º trimestre jovem - lição 07
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
Estudo da 1ª carta de paulo a corintios
Estudo da 1ª carta de paulo a corintiosEstudo da 1ª carta de paulo a corintios
Estudo da 1ª carta de paulo a corintios
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
Preleção_JOVENS_Lição 2 - Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_JOVENS_Lição 2 - Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_JOVENS_Lição 2 - Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_JOVENS_Lição 2 - Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
EBD Revista Palavra e Vida (CB Fluminense) - Aula 1
 
I corintios
I corintiosI corintios
I corintios
 
Lição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Lição 17- A Unidade no Trabalho na IgrejaLição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
Lição 17- A Unidade no Trabalho na Igreja
 
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos JovensO fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens
 
3º trimestre 2015 lição 11 adultos
3º trimestre 2015 lição 11 adultos3º trimestre 2015 lição 11 adultos
3º trimestre 2015 lição 11 adultos
 
3º trimestre 2015 lição 11 adultos
3º trimestre 2015 lição 11 adultos3º trimestre 2015 lição 11 adultos
3º trimestre 2015 lição 11 adultos
 
2015 3º trimestre adultos lição 11.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 11.pptx2015 3º trimestre adultos lição 11.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 11.pptx
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
 
Doutrina i corintios
Doutrina  i corintiosDoutrina  i corintios
Doutrina i corintios
 
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno LageO que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
 
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUSLBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
 
Boletim ippi 22.03.2015
Boletim ippi 22.03.2015Boletim ippi 22.03.2015
Boletim ippi 22.03.2015
 
Novo testamento 2 2016.1 tarde e noite
Novo testamento 2   2016.1 tarde e noiteNovo testamento 2   2016.1 tarde e noite
Novo testamento 2 2016.1 tarde e noite
 

Mais de Natalino das Neves Neves

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTONatalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_projecao
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 1 - A PRIMEIRA CARTA DE PAULO À IGREJA DE CORINTO
 

Último

Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxManoel Candido Pires Junior
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Nilson Almeida
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaRicardo Azevedo
 
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
pregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptxpregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptx
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptxFabianoHaider1
 

Último (7)

Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
pregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptxpregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptx
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
 

PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO

  • 1.
  • 2.
  • 3. T E X T O D O D I A "Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento." (1 Co 3.6)
  • 4. SÍNTESE Nós podemos plantar a melhor semente, adubar, limpar e podar, mas somente Deus é que dá o crescimento à plantação.
  • 5. 1 Coríntios 3.6-9 6 Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. 7 Pelo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. 8 Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão, segundo o seu trabalho. 9 Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus. Leitura bíblica
  • 7. • Paulo usa uma ilustração a respeito de uma plantação para falar das suas contribuições e as de Apolo para com a igreja em Corinto. • Afirma que foi ele que plantou a semente das Boas Novas nos corações dos coríntios; ele foi o pioneiro. • Apolo, seu sucessor, regou a plantação e ajudou os coríntios e se tornarem mais fortes na fé. • No entanto, ele deixa claro que o crescimento é somente Deus que pode dar. INTRODUÇÃO
  • 8. TÓPICO I PAULO PLANTOU A SEMENTE DAS BOAS NOVAS EM CORINTO
  • 9. 1. Paulo foi o pioneiro na igreja de Corinto; 2. Paulo não parou de plantar mesmo na ausência; e 3. Paulo deu graças pelo crescimento solidário dos coríntios. I - PAULO PLANTOU A SEMENTE DAS BOAS NOVAS EM CORINTO
  • 10. • Na alegoria da plantação, apóstolo afirma que ele foi responsável por plantar o Evangelho. • Provavelmente, enquanto escrevia, ele recordava de sua segunda viagem missionária (Galácia, Filipos, Tessalônica e Corinto - At 15.36-18.22). • Paulo anunciou o Evangelho por um ano e meio na cidade de Corinto (At 18.1-17). 1. Paulo foi o pioneiro na igreja de Corinto
  • 11. • Mesmo sofrendo oposições dos judeus, manteve sua pregação na sinagoga. • A recompensa veio com algumas conversões: a família de Estéfanas (1 Co 1.16), Crispo, o chefe da sinagoga, e Gaio (1 Co 1.14; Rm 16.23). • Depois a semente das Boas Novas foi plantada na casa de um certo Justo e demais casas. 1. Paulo foi o pioneiro na igreja de Corinto
  • 12. • Na sua 3ª viagem missionária, mesmo enquanto estava em Éfeso, o apóstolo acompanhava a igreja de Corinto. • Ele enviara Timóteo para Corinto com o objetivo de reorganizar a igreja que estava dividida pelos conflitos (1 Co 16.10,11). • Timóteo retornou com notícias da igreja - "outro Evangelho" (2 Co 3.1; 10.12-14). 2. Paulo não parou de plantar mesmo na ausência
  • 13. • Paulo escreveu uma nova carta e a enviou por meio de Tito para rebater os falsos mestres e proteger a igreja. • Paulo estava ausente, mas continuava plantando a Palavra no coração dos irmãos coríntios. 2. Paulo não parou de plantar mesmo na ausência
  • 14. • Ainda estava na sua 3ª viagem missionária, se reencontrou com Tito, que retornava de Corinto. • Ele estava preocupado com a reação que os coríntios tiveram com a última carta. • Boas notícias: a) mensagem recebida com respeito; b) coleta para ajudar os irmãos de Jerusalém (2 Co 7.6-7,13-16). 3. Paulo deu graças pelo crescimento solidário dos coríntios.
  • 15. • Paulo se alegra com o amadurecimento dos crentes coríntios. • A ação dos coríntios é contagiante e a igreja da Macedônia (Filipos e Tessalônica) também se mobiliza com ofertas p/ Jerusalém (2 Co 8.1-4). • O Espírito Santo estava atuando na semeadura de Paulo, agora unidos pela solidariedade. 3. Paulo deu graças pelo crescimento solidário dos coríntios.
  • 16. PENSE Paulo, mesmo sofrendo oposição continuou pregando a Palavra de Deus.
  • 17. IMPORTANTE As circunstâncias ruins não podem nos fazer desistir de nosso chamado.
  • 18. TÓPICO II APOLO REGOU A SEMENTE PLANTADA POR PAULO
  • 19. 1. Apolo, um homem cheio de sabedoria; 2. Apolo sucede a Paulo em Corinto; e 3. Apolo ajudou os cristãos de Corinto a se fortalecerem na fé. II - APOLO REGOU A SEMENTE PLANTADA POR PAULO
  • 20. • Apolo, forma abreviada de Apolônio, era um judeu da diáspora (origem judaica, porém de cultura grega), natural de Alexandria. • Ele se destacava pela sua eloquência na oratória e pelo conhecimento hábil das escrituras judaicas. • Suas mensagens eram profundas e muito eloquentes, mas não conhecia o batismo com Espírito Santo. 1. Apolo, um homem cheio de sabedoria
  • 21. • Enquanto Paulo dava continuidade a sua 2ª viagem missionária, Apolo chega a Éfeso. • O seu conhecimento das Escrituras e eloquência chamam atenção de Priscila e Áquila. • Todavia, eles percebem lhe faltava a experiência do Evangelho. • Apolo se coloca aos pés do casal para aprender do Evangelho de Cristo. 2. Apolo sucede a Paulo em Corinto
  • 22. • Os irmãos de Éfeso enviam Apolo para Corinto com carta de recomendação aos presbíteros da igreja. • O conhecimento, a eloquência e a excelente oratória ao rebater vigorasamente os judeus em público conquistam os coríntios. 2. Apolo sucede a Paulo em Corinto
  • 23. • Paulo dá um destaque especial ao trabalho de Apolo (1 Co 3.4-9). • Paulo o apresenta como seu sucessor no ministério da Palavra em Corinto, mesmo que não tenha sido preparado nem enviado por ele. • O apóstolo reconhece o ministério e a chamada de Apolo ao afirmar que ele havia regado onde Paulo plantou. 3. Apolo ajudou os cristãos de Corinto a se fortalecerem na fé
  • 24. PENSE Paulo não via Apolo como seu opositor, mas como um ajudador.
  • 25. IMPORTANTE Quem tem convicção do seu chamado divino não tem medo de opositores.
  • 26. TÓPICO III A OBRA DE DEUS ENVOLVE MUITOS COOPERADORES
  • 27. 1. A obra de Deus é feita por cooperadores; 2. Os cooperadores plantam e regam, mas somente Deus dá o crescimento; e 3. Os cooperadores precisam ter disposição para servir III - A OBRA DE DEUS ENVOLVE MUITOS COOPERADORES
  • 28. • Os coríntios estavam brigando por seus líderes preferidos - imaturidade espiritual e carnalidade. • A pessoa não pode ser valorizada mais que a própria instituição ou que Cristo. • Paulo sempre apontava para a cruz de Cristo e ensinava os irmãos a buscarem o crescimento em Jesus. 1. A obra de Deus é feita por cooperadores
  • 29. • O apóstolo se coloca na mesma posição de Apolo, cooperador de Deus. ‘ • Ele e Apolo não tinham nenhum partido ou compactuavam com a divisão. • O apóstolo defende que tanto ele quanto Apolo são apenas instrumentos de Deus na vida dos membros da igreja, assim como os demais cooperadores voluntários. 1. A obra de Deus é feita por cooperadores
  • 30. • Paulo e Apolo reconheciam que sem o Senhor não poderia haver crescimento. • O lavrador pode preparar a terra, lançar a melhor semente, adubar e limpar, mas somente Deus pode fazer chover e germinar a semente. • Por isso, Paulo adverte aos coríntios que os méritos devem ser atribuídos a Deus. 2. Os cooperadores plantam e regam, mas somente Deus dá o crescimento
  • 31. • Deus deu o crescimento e a igreja de Corinto se expandiu por toda a província da Ásia, tornando-se um núcleo do cristianismo na região. 2. Os cooperadores plantam e regam, mas somente Deus dá o crescimento
  • 32. • Paulo e Apolo estavam seguindo o exemplo de Cristo, que afirmou que veio ao mundo para servir e não para ser servido (Mt 20.28). • Durante a sua última refeição com seus discípulos, Jesus lavou-lhes os pés para ensiná- los como deveriam viver entre eles e as demais pessoas. 3. Os cooperadores precisam ter disposição para servir
  • 33. • Assim, Paulo reconhecia seu lugar de coadjuvante e servo de Deus. • Essa disposição para servir deu-lhe confiança ao se deparar com a morte (2 Tm 4.6-8). • Infelizmente, na atualidade, muitos não compreendem o exemplo de Jesus e das primeiras igrejas cristãs; e no lugar de servirem, eles procuram ser servidos. 3. Os cooperadores precisam ter disposição para servir
  • 34. PENSE Como você tem cooperado para o crescimento do Reino de Deus?
  • 35. IMPORTANTE Deus deseja cooperadores voluntários comprometidos com a sua obra.
  • 37. 1. Paulo usou sabiamente a metáfora da plantação para demonstrar que todos somos cooperadores na obra de Deus. 2. Podemos ter habilidade para "arar", "plantar", "regar", "podar", entre outras atividades na lavoura de Deus, mas somente Ele é que dá o crescimento necessário. 3. Por isso, o Todo-Poderoso deve ser louvado e adorado em todas as esferas de nossa vida e jamais o ser humano. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • 39. CONTATOS Pr. Natalino das Neves natalinoteologo@gmail.com (41) 98409 8094 www.natalinodasneves.blogspot.com.br Natalino das neves; natalino das neves II; e Pastor Natalino das Neves (página) @Natalinoneves natalinodasneves