O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Obstruções do Tracto de Saida de Ventriculo Esquerdo FMRP USP J A Granzotti

3.481 visualizações

Publicada em

Diagnóstico e Tratamento das obstruções do trato de saída de ventrículo esquerdo; .....

  • Seja o primeiro a comentar

Obstruções do Tracto de Saida de Ventriculo Esquerdo FMRP USP J A Granzotti

  1. 1. Classificação Estenose Aórtica • VALVAR : Unicúspide(raridade), bicúspide e tricúspide • SUPRAVALVAR • SUBVALVAR MEMBRANA ANEL fibroso TÚNEL
  2. 2. Estenose Aórtica • 3 - 5% das Cardiopatias Congênitas • Valva Bicúspide 95% das estenoses aórtica(prevalência 0,9 -2 %) • Calcificação após segunda década de vida
  3. 3. Distribuição de 38 casos de estenose aórtica congênita na infância, segundo o tipo de estenose e faixa etária Faixa etariaTipo Valvar Subvalvar Supravalvar Hipertrófi ca Total 0 – 5 8 (21,1%) 3(7,9%) 1(2,6%) 0(0%) 12(31,6%) 5 – 10 5(15,2%) 5(13,2%) 0 1(2,6%) 11(28%) > 10 anos 11(28,9%) 2(5,3%) 0 2(5,3%) 15(39,5%) Total 24(63,2%) 10(26,3%) 01(2,6%) 3(7,9%) 38(100%)
  4. 4. Estenose Aórtica Valvar critica • Recém – nascidos com elevado gradiente de pressão transvalvar • Tratamento: Dilatação com balão ou cirurgia
  5. 5. Estenose Aórtica na Criança AUSCULTA • SS ejetivo 4+/6 : FA; FAA; fúrcula e carótidas, frêmito palpável na fúrcula e foco aórtico e click na ponta. • Em recém nascidos :é comum a ausência de sopros • Ocorre shunt interatrial da direita para esquerda devido ao aumento de pressão intra atrial esquerdo e a presença de PCA favorece mais o desvio DE
  6. 6. Diagnóstico diferencial • Entre os tipos de estenose aórtica • Associação com outros defeitos • Estenose subaórtica e´comum estar associada a outros defeitos
  7. 7. Estenose Aórtica - Quadro Clínico • Podem ser assintomáticos ou ter poucos sintomas. Fadiga , sincope ou precordialgia. Os casos mais graves estão relacionados com morte súbita • Redução da amplitude dos pulsos • Estreitamento da diferencial de pressão sistólica e diastólica • Os casos mais graves em recém nascidos: IC esquerda.
  8. 8. Estenose aórtica no neonato Indicações de cirurgia RN SINTOMÁTICO (IC) QUALQUER IDADE: G>70 mm/Hg
  9. 9. Estenose Aórtica Valvar
  10. 10. Estenose Aórtica Valvar e Dilatação Pós-estenótica
  11. 11. Estenose Aórtica • Eletrocardiografia: Hipertrofia de ventrículo esquerdo;( Ondas S profundas em V1 e V2 e R amplas em V5 e V6) QRS desviado para a esquerda) • Teste ergométrico: pode ocorrer depressão do segmento “ST” e inversão da onda “T” • Radiologia: Aumento de VE, e dilatação da raiz aórtica • Estimativa do gradiente de pressão transvalvar pela equação 4V²
  12. 12. ECG e Radiologia • Em casos de estenose aórtica, achados normais na eletrocardiografia e radiologia não indicam necessariamente estenose aórtica leve • Por outro lado ECG com hipertrofia ventricular esquerda e alterações do segmento “ST” e onda “T” indicam gravidade.
  13. 13. Graus de estenose Aórtica • < 30 mmHg. (leve) • 30 -70 mmhg (moderada) • > 70 mmhg (grave)
  14. 14. Avaliação da gravidade pelo cateterismo cardíaco • Avaliação do gradiente de pressão transvalvar atualmente feito pela ecocardiografia • Angiocardiografia: Avaliação do tracto de saída de ventrículo esquerdo assim como da raiz aórtica
  15. 15. Cateterismo diagnóstico e terapêutico • Substituído na maioria dos casos pela avaliação ecodopllerecocardiográfica • Dilatação da valva aórtica e implante de protese (Melody)
  16. 16. Cirurgia da Estenose Aórtica Valvar • Valvotomia aórtica • Troca por válvula artificial (BIOLÓGICA ou METÁLICA) (Cirurgia de Ross ) Enxerto homologo,na posição pulmonar(AUTOTRANSPLANTE DA VALVA PULMONAR P/ POSIÇÃO AÓRTICA) • Cirurgia de Ross - Konno
  17. 17. Indicações de cirurgia • Somente para os o pacientes sintomáticos • Gradiente de Pressão > 70 mmhg • Valvotomia é paliativa: A valva continua suscetível de calcificação e não afasta o risco de endocardite ; É comum ocorrer insuficiência aórtica
  18. 18. Estenose Sub-Aórtica
  19. 19. Estenose Sub-aórtica Hipertrófica
  20. 20. Estenose subaórtica hipertrófica • Ausculta : SS melhor audível no ápice • Ausência do estalido de ejeção • Insuficiência mitral pode estar associada • Radiologia: Aumento de VE • ECG: SVE • Angiocardiografia: VE com paredes espessas e é comum a presença de insuficiência mitral
  21. 21. Indicação cirúrgica • As técnicas propostas estão em desenvolvimento • Ressecção da massa septal hipertrofiada. (diferentes vias de acesso)
  22. 22. Estenose subaórtica • O quadro clínico e os achados radiológicos e eletrocardiográficos são semelhantes aos da estenose aórtica valvar. • Radiografia do coração apresenta-se normal ou com leve aumento do ventrículo esquerdo. Pode ocorrer uma dilatação pós-estenótica da raiz da aorta.
  23. 23. Estenose Aórtica Supravalvar • Ocorre na Síndrome de Williams • Estenose pulmonar periférica (30% dos casos) • QI baixo • Fácies Característica • Obstrução coronariana (30%)
  24. 24. Estenose supravalvar aórtica
  25. 25. Estenose aórtica supravalvar • Os achados ECG e radiológicos são similares aos da estenose aórtica valvar • Diagnóstico pode ser confirmado pela aortografia e arteriografia pulmonar
  26. 26. Indicações para cirurgia • Estenose subaórtica e supra aórtica são sempre de indicação cirúrgica, especialmente para os pacientes sintomáticos
  27. 27. Atresia aórtica • A valva aórtica é completamente atresica ou gravemente estenótica • Aorta ascendente é muito hipoplásica, retrogadamente recebe sangue para suprir as artérias coronárias • VE muito pequeno ou ausente, com diminuta valva mitral . Presença de CIA que desvia o sangue do átrio esquerdo para o direito
  28. 28. Síndrome Hipoplásica do Ventrículo Esquerdo
  29. 29. Achados Clínicos • Sobrecarga atrial e ventricular direita • Cardiomegalia com sinais de congestão pulmonar • Evolução para IC intratável clinicamente (proposta : cirurgia de Norwood)
  30. 30. Thank You

×