ECG antes, durante edepois da anestesia.   Bruno Abreu de Oliveira
Definição• O Eletrocardiograma  (ECG) é o registro  gráfico da voltagem  produzida pelas  células do miocárdio  durante su...
A Condução elétrica e o  Eletrocardiograma
Técnica
Principais Funções do ECG• Avalia a função elétrica do coração.  – Arritmias Cardíacas.  – Distúrbios de condução.  – Aume...
Quando utilizar o ECG no exame pré operatório?
Avaliação Pré-AnestésicaClassificação           Descrição                              Exemplos    ASA      I         Apar...
Sugestão de Solicitação de          Exames pré anestésicos                                                 IdadeEstado Fís...
Incidência de alteraçõeseletrocardiográficas pré anestésicas. • Rabelo (2004)              65% apresentaram alterações    ...
Risco Anestésico• Miller (1989)  – 41% dos óbitos em pacientes ASA I e ASA II• Fantoni et al (1997)  n= 1196 procedimentos...
Incidência de alterações    eletrocardiográficas pré anestésicas. Alterações eletrocardiográficas           %    Supradesn...
Alteração eletrocardiográfica pré          anestésica:         O que fazer??  Corrigir os fatores arritmogênicos          ...
Fatores predisponentes de    Arritmias perioperatórias• Distúrbios eletrolíticos.• Flutuações da Pressão arterial e  tempe...
Eletrocardiograma Trans-operatório
Interação de Drogas Anestésicas e Pré         Anestésicas no SCV            Droga                                      Efe...
Alterações eletrocardiográficas mais comuns durante procedimento anestésico.• Taquicardia Sinusal:  – Superficialização do...
Alterações eletrocardiográficas maiscomuns durante procedimento anestésico.  Taquicardia Sinusal      PersistenteHipóxia  ...
Alterações eletrocardiográficas mais comuns durante procedimento anestésico.• Bradicardia Sinusal  – Fármacos que    aumen...
Alterações eletrocardiográficas mais comuns durante procedimento anestésico.• Hipóxia do miocárdioTaquicardia Ventricular ...
Alterações eletrocardiográficas mais comuns durante procedimento anestésico.• Ritmo nodal ou  juncional.  – Menos frequent...
ECG no Pós operatório          Imediato• Acompanhar arritmias intermitentes e  alterações no traçado que não ocorreram  no...
Obrigado
Ecg antes, durante e depois da anestesia
Ecg antes, durante e depois da anestesia
Ecg antes, durante e depois da anestesia
Ecg antes, durante e depois da anestesia
Ecg antes, durante e depois da anestesia
Ecg antes, durante e depois da anestesia
Ecg antes, durante e depois da anestesia
Ecg antes, durante e depois da anestesia
Ecg antes, durante e depois da anestesia
Ecg antes, durante e depois da anestesia
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ecg antes, durante e depois da anestesia

2.259 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre a utilização da eletrocardiografia antes, durante e após o procedimento anestésico em pequenos animais.

Publicada em: Estilo de vida
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.259
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ecg antes, durante e depois da anestesia

  1. 1. ECG antes, durante edepois da anestesia. Bruno Abreu de Oliveira
  2. 2. Definição• O Eletrocardiograma (ECG) é o registro gráfico da voltagem produzida pelas células do miocárdio durante sua despolarização- repolarização.
  3. 3. A Condução elétrica e o Eletrocardiograma
  4. 4. Técnica
  5. 5. Principais Funções do ECG• Avalia a função elétrica do coração. – Arritmias Cardíacas. – Distúrbios de condução. – Aumento de volume de câmaras (60% de sensibilidade). – Síndromes isquêmicas. – Auxiliar no diagnóstico de doenças do pericárdio. – Desequilíbrios eletrolíticos.
  6. 6. Quando utilizar o ECG no exame pré operatório?
  7. 7. Avaliação Pré-AnestésicaClassificação Descrição Exemplos ASA I Aparentemente hígido Procedimentos eletivos (OSH, orquiectomia). II Doença Sistêmica Leve Neonatos e geriátricos (≤ 8 semanas ou ≥ 10 anos); gestantes, obesos, cardiopatas compensados, infecções localizadas. III Doença Sistêmica Moderada Desidratação moderada e hipovolemia, anorexia, caquexia, anemias, fraturas complicadas, hérnia diafragmática, pneumotórax. IV Doença Sistêmica Grave Choque, uremia, toxemia, desidratação grave, hipovolemia, anemia grave, síndrome torção- dilatação gástrica, doenças cardíacas e renais descompensadas. V Moribundos sem expectativa Doença de múltiplos órgãos, choques, traumas cranianos. de sobrevivência, com ou sem cirurgia nas 24 horas. E Emergências (Acrescentada ao estado físico ASA I a V)
  8. 8. Sugestão de Solicitação de Exames pré anestésicos IdadeEstado Físico - ASA Até 6 meses 6 meses a 6 anos Acima de 6 anosI e II Hematócrito, prioteína e Hematócrito, proteína e Hematócrito, proteína, glicemia função renal função renal e urinálise.III Hemograma, proteína, Hemograma, ECG, Hemograma, ECG, gliucemia, função renal, pH, glicemia, função renal, glicemia, função renal, gasometria e urinálise função hepática, função hepática, eletrólitos gasometria e urináluise. (Na, K, Ca), gasometria e urinálise.IV e V Hemograma, ECG, glicemia, Hemograma, ECG, Hemograma, ECG, função renal, função hepática, glicemia, função renal, glicemia, função renal, eletrólitos (NA,K,Ca), função hepática, eletrólitos função hepática, eletrólitos gasometria e urinálise. (NA,K,Ca), gasometria e (NA,K,Ca), gasometria e urinálise. urinálise. Fonte: HOVET – FMVZ - USP
  9. 9. Incidência de alteraçõeseletrocardiográficas pré anestésicas. • Rabelo (2004) 65% apresentaram alterações eletrocardiográficas. • Carvalho et al (2009) n=474 cães 46% apresentaram alterações eletrocardiográficas.
  10. 10. Risco Anestésico• Miller (1989) – 41% dos óbitos em pacientes ASA I e ASA II• Fantoni et al (1997) n= 1196 procedimentos • Óbitos: 22,2% ASA II 22,2% ASA III 22,2% ASA IV 33,3% ASA V
  11. 11. Incidência de alterações eletrocardiográficas pré anestésicas. Alterações eletrocardiográficas % Supradesnivelamento ST 1,0Aumento na duração do QRS Taquicardia Ventricular 1,0 24,3Aumento Na amplitude da onda T Taquicardia Atrial 1,0 20,5QRS de baixa voltagem CAP 1,0 8,6Desvio de eixo para esquerda Aumento da amplitude da onda P 0,7 8,6Desvio de eixo para a direirta Bradicardia Sinusal 0,7 6,5Aumento da duração da onda P Fibrilação Atrial 0,3 6,2Pausa sinusal Ritmo Idioventricular 0,3 5,1Bloqueio de ramo direito ou sobrecarga Prolongamento QT 0,3VD 4,1 Complexo de Escape Ventricular 0,3Infradesnivelamento ST 2,74 Complexo de Escape Juncional 0,3BAV 1 grau 2,0 Complexo Juncional Prematuro 0,3CVP 2,0 BAV de 2 grau 0,3Taquicardia Sinusal 1,0 Fonte: Carvalho et al
  12. 12. Alteração eletrocardiográfica pré anestésica: O que fazer?? Corrigir os fatores arritmogênicos quando possível. Escolher os fármacos e métodosanestésicos mais convenientes para a situação.
  13. 13. Fatores predisponentes de Arritmias perioperatórias• Distúrbios eletrolíticos.• Flutuações da Pressão arterial e temperatura corpórea.• Hipóxia.• Altos níveis de catecolaminas endógenas.• Hipercapnia.• Reações adversas à agentes anestésicos.
  14. 14. Eletrocardiograma Trans-operatório
  15. 15. Interação de Drogas Anestésicas e Pré Anestésicas no SCV Droga Efeito SCVFenotiazínicos Hipotensão Arterial, Taquicardia reflexaButirofenonas Hipotensão arterial leveBenzodiazepinicos Hipotensão arterial leveXilazina FC, BAV 1,2 e 3 graus, DC, Hipotensão ArterialBarbituricos (Tiopental e Bloqueio vagal, pouca alteração CV (Efeito acumulativo).pentobarbital)Propofol Hipotensão arterial leveEtomidato Puco efeito CVCetamina FC, DC, PA , PAP, PVC, Inotrópico Positivo,.Halotano Hipotensão Arterial, Reduz automatismo nodo sinusal, sensibiliza miocárdio à ação da adrenalinaIsofluorano Hipotensão Arterial, FCFentanil Tônus vagal , FC
  16. 16. Alterações eletrocardiográficas mais comuns durante procedimento anestésico.• Taquicardia Sinusal: – Superficialização do plano anestésico. – Compensatória à hipotensão grave. – Fármacos vagolíticos. – Uso de catecolaminas
  17. 17. Alterações eletrocardiográficas maiscomuns durante procedimento anestésico. Taquicardia Sinusal PersistenteHipóxia CVPMiocárdio
  18. 18. Alterações eletrocardiográficas mais comuns durante procedimento anestésico.• Bradicardia Sinusal – Fármacos que aumentam o Tônus Vagal – Hipotermia BAV
  19. 19. Alterações eletrocardiográficas mais comuns durante procedimento anestésico.• Hipóxia do miocárdioTaquicardia Ventricular Sustentada Fibrilação ventricular
  20. 20. Alterações eletrocardiográficas mais comuns durante procedimento anestésico.• Ritmo nodal ou juncional. – Menos frequente – Principalmente cetamina e halotano.
  21. 21. ECG no Pós operatório Imediato• Acompanhar arritmias intermitentes e alterações no traçado que não ocorreram no trâmite cirúrgico: • Descargas endógenas de catecolaminas (Dor). • (Halotano). - Efeito residual associado à catecolaminas Síndrome torção – dilatação gástrica Até 72 horas após cirurgia
  22. 22. Obrigado

×