COLÉGIO EST. GOVERNADOR LOURIVAL BAPTISTAAluno (a):_____________________________________Prof.: Gliciane S. Aragão Oliveira...
a emoção. Tudo é avassalador, as pinturas começam a ficar cheias de coisa, carregadasde dramaticidade e tudo muito teatral...
O Barroco nos trouxe grandes artistas, cada um com suas peculiaridades ecaracterísticas, na Itália Caravaggio, dentre outr...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Resumo renascimento-rococó

1.942 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.942
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumo renascimento-rococó

  1. 1. COLÉGIO EST. GOVERNADOR LOURIVAL BAPTISTAAluno (a):_____________________________________Prof.: Gliciane S. Aragão Oliveira Disciplina: Artes Data:__/__/__ Breve histórico do Renascimento ao Rococó; Anos de 1400 – 1500, começa a surgir na Europa uma espécie de “necessidade”de renovação de ideais, os pensadores, os homens comuns, começam a se desprender daditadura que a Igreja católica liderou nos séculos anteriores, no período denominadopelo poeta historiador Petrarca de “Idade das Trevas”, onde o homem era “destinado”apenas á subserviência e ignorância. Essa revolução de pensamento começa a serexprimida e a dominar o mundo, primeiro através da Arte. É o início do Renascimento,onde, como que por um protesto e uma negação á antiga repressão surge um novopensamento, o “Homem” passa a ser valorizado e não execrado como antes, ele passa aser encarado como o ponto de partida para tudo, inspirador pela frase de Sócrates: Ohomem é a medida de todas as coisas. Ideais mais humanizados começam a prevalecer, idealizando o homem comocriatura também perfeita, pois que criada por Deus. Esse ideal de perfeição e beleza,herança dos gregos e dos romanos, começa a prevalecer também nas Artes. NaArquitetura passam a buscar também os conhecimentos e ideais Greco-romanos, e éonde as revoluções começam a acontecer, em 1420 com a descoberta da perspectivaentão, aí é que choca com tudo que já havia sido representado antes. O nu éredescoberto e cada vez mais essa busca pela reprodução perfeita faz com que sejamdescobertas variadas técnicas, a perspectiva, efeitos de luz e sombra para dar volume,dentro outros. Na Alta Renascença, com Leonardo da Vinci, Michelangelo, Rafael, os ideais daantiga Roma, só que refeitos e ditos melhorados, já dominavam a Europa. A escola Veneziana, também com o experimentalismo renascentista, temos maiscores, temos pinturas mesmo e não desenhos pintados, é diferente. Temos Giorgione,Ticiano, Tintoretto. O Renascimento do Norte com Van Eyck, Bosch, Bruegel, muito detalhismo esimbolismo. O Maneirismo, ou renascimento tardio, do período entre a morte de Rafael(1520) e 1600, toda a razão e cálculos proporcionais do renascimento perde espaço para
  2. 2. a emoção. Tudo é avassalador, as pinturas começam a ficar cheias de coisa, carregadasde dramaticidade e tudo muito teatral. Historicamente a Europa passa pela ReformaProtestante e os conceitos novamente começam a ser mudados. Os aprendizes dos gênios, também em sua genialidade, começam com anecessidade de relativamente superar seus antecessores, com releituras magistrais. Jánão existe mais a busca pelo equilíbrio e perfeição, somente a emoção tomando conta detudo. El Greco, maneirista, exprime bem isso. Então a Igreja começa a reagir e com a Europa passando pelaContra Reforma temos o surgimento do Barroco. Pomposidade e decoração ao estremo, esse é o Barroco inicialmente. Naarquitetura todo o esplendor possível, a igreja quer chocar e impressionar os Fiéis, eentão quanto mais, melhor! Os ambientes ficam cada vez mais cheios, abarrotados dedetalhes e formas decorativas, sempre brincando com a ilusão de ótica e sempre tudomuito exagerado. Em contraste com os excessos na Arquitetura, a pintura barroca é muito maislimpa. É como se os pintores tivessem todos os conhecimentos renascentistas, toda aeloquência do maneirismo, pegaram tudo e filtraram. Resultou uma pintura limpa, comfortes contrastes de claro-escuro, fundos infinitos, e com muita dramaticidade só queperdendo todo o aspecto “teatral” de antes. A busca constante pelo realismo, pela reprodução naturalista, já não existia maiso ideal de beleza e nem a pose de antes, o importante era que fosse realístico. Osretratos pintados expressam bem isso, principalmente os dos artistas holandeses, paísprotestante, onde a suntuosidade da Igreja não influenciava. Na Holanda, com certadesvalorização da arte, os artistas, que agora tinham que ir atrás dos compradores nasfeiras e mercados, foram aos poucos (devido à concorrência) se especializando, quemera bom em retratos, fazia retratos, quem era bom em reproduzir bosques, fazia bosques,o que os fez buscarem cada vez mais a reprodução fiel, produzindo em série eocasionando uma popularização da arte. Dentre os grandes artistas holandeses temos Rembrandt, considerado um dosmelhores pintores de todos os tempos. Mas houveram outros grandes também, como oFranz Hals, Ruísdael e Vermeer que através de suas pinturas chamaram a atenção domundo para a “verdadeira beleza”, a beleza das pessoas comuns fazendo coisas comunse a beleza pitoresca das paisagens singelas.
  3. 3. O Barroco nos trouxe grandes artistas, cada um com suas peculiaridades ecaracterísticas, na Itália Caravaggio, dentre outros, na Espanha Velásques, na FrançaPoussin, Claude Lorrain e uma grande obra arquitetônica que é o palácio de Versalhes,de Luís XIV, conhecido como “O rei sol”. Rubens do barroco Flamengo, todosmaravilhosos. Então no início do século XVIII temos o Rococó, muito parecido com o Barrocona arquitetura, só que ao invés da suntuosidade e do exagero, temos uma decoraçãomais equilibrada, mais sutil, tudo com muita delicadeza, as cores são o branco, ouro eprata. Às formas redondas, é anexado um “reaproveitamento” das antigas igrejasmedievais cruciformes, com cúpulas. Na pintura há a proposta de reproduzir nas telas as “maravilhas” da vida, avoluptuosidade, a delicadeza, como que uma tentativa de reproduzir o paraísoidealizado com influência dos “pintoresco” do séc. XIX. No mundo o filósofo Descartesparece provar que o mundo real não é aquilo que você vê, mas sim o ideal que você fazdele.

×