O BARROCO
BARROCO: ORIGENS O Barroco foi um período estilístico e filosófico daHistória da sociedade ocidental, ocorrido durante oss...
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS• Embora tenha o Barroco assumido diversas  características ao longo de sua história, seu  surgi...
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS• De certa maneira, assistimos a uma retomada do  espírito religioso e místico da Idade Média, n...
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS• Arte de Fusão (da arquitectura, escultura, da  pintura e da ornamentação) visível em igrejas e...
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS• Gosto do excesso/horror ao vazio;• Teatralidade/Dramatismo;• Contraste com o Renascimento (dec...
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS                                   Velázquez, Vénus ao Espelho Velázquez, Anão sentado no Chão
ARQUITECTURA  BARROCA
ARQUITECTURA BARROCAA    arquitectura   barroca    italiana, de estilo triunfal e dinâmico,    caracteriza-se basicamente ...
ARQUITECTURA BARROCA•   2º) Um uso dinâmico e exagerado de formas clássicas (os muros    são trabalhados como esculturas) ...
ARQUITECTURA BARROCA• 3º) Efeitos ópticos deslumbrantes e enganadores no  interior dos edifícios, especialmente em cúpulas...
ARQUITECTURA BARROCA:   ILUSÕES ÓPTICAS Pietro Cortona, Glorificação do Pontificado de Urbano VIII
ARQUITECTURA BARROCA• 4º) uso de elementos novos como colunas torsas  (helicoidais ou salomónicas) e de esculturas sobre a...
BALDAQUINO DE S. PEDRO•   Realizado em bronze dourado,    mármore e madeira; mede 29 m    de altura. É um dossel para cobr...
URBANISMO BARROCO                                  •    A grande obra arquitectónica                                      ...
CONCLUINDO...• Cria grandes fachadas e cúpulas altas, de  formas dinâmicas e onduladas, onde o jogo de  luz-sombra é acent...
A ESCULTURA  BARROCA
A ESCULTURA BARROCA•   Intenso dramatismo;•   Exuberância das formas;•   Expressões      teatrais   e    movimento;•   Na ...
A ESCULTURA BARROCA                         •   Realismo;                         •   Destacam-se as expressões           ...
Outros Exemplos...•   Este trabalho, feito em bronze,    foi a primeira estátua equestre    realizada em Portugal;•   O re...
CONCLUINDO...• A escultura religiosa católica serviu os propósitos  contrarreformistas e, nesse sentido, desenvolveu  prog...
A PINTURABARROCA
CARACTERÍSTICAS       DA PINTURA BARROCA• A pintura barroca em Itália, tal como a escultura,  seguiu os condicionalismos r...
A PINTURA BARROCA• Utilização de cores intensas;• Jogo de luz e sombras para dar a noção de  profundidade;• Movimento;• Fo...
CARACTERÍSTICAS GERAIS DA        PINTURA BARROCA•   Se      revela    num       estilo    grandioso,         monumental,  ...
CARACTERÍSTICAS GERAIS DA    PINTURA BARROCA             •   Escolha de cenas no seu                 momento de maior inte...
...ainda Caravaggio...•   Caravaggio tomava emprestada    a imagem de pessoas comuns    das ruas de Roma para retratar    ...
...ainda Caravaggio...                                 •   A      outra      característica                               ...
Rubens• Dramatismo;• Contraste claro/escuro;• Cores quentes;• Movimento                            Rubens, A Descida da Cruz
Diego Velázquez                        • Gosto pelo comum;                        • Realismo;                        • Con...
RembrandtRembrandt, A Ronda da Noite
Rembrandt• Titulo Original: “Esboço da Pintura da Grande Sala of  Cleveniers Doelen, no qual o jovem Heer van  Purmerlandt...
RembrandtRembrandt, Lição de Anatomia   Rembrandt, A cegueira de Sansão
Rembrandt•   Realismo;•   Representação fiel dos objectos;•   Expressão do movimento e do patético;•   Grande preocupação ...
VERMEER                     • Pintura de Interiores                       (Característica   própria   da   pintura        ...
NATUREZAS-MORTAS• Os compradores de Arte  holandeses         preferiam  paisagens, naturezas-mortas  e cenas do dia-a-dia....
NICOLAS POUSSIN - FRANÇA                          • Mostra       influências                            renascentistas    ...
Finalmente, e por conclusão:• Caravaggio retomou uma linha realista de  produção, dando atenção aos pormenores  naturais e...
O BARROCO    EMPORTUGAL
O BARROCO EM PORTUGAL• Uso     de     Talha  Dourada;• Azulejaria que cobre  grandes espaços;• Principais arquitectos:  Lu...
O BARROCO EM PORTUGAL Ludovice, Palácio de Mafra   Nasoni, Solar S. Mateus
O BARROCO EM PORTUGALBiblioteca da Universidade de Coimbra                                        Nasoni, Torre dos       ...
O BARROCO EM PORTUGALTalha Dourada, Igreja de Sta. Clara,   Talha Dourada, Igreja de Sta. Clara              Porto
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O barroco

18.532 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
9 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.532
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
692
Comentários
1
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O barroco

  1. 1. O BARROCO
  2. 2. BARROCO: ORIGENS O Barroco foi um período estilístico e filosófico daHistória da sociedade ocidental, ocorrido durante osséculos XVI e XVII (Europa), inspirado no fervorreligioso da Contra Reforma, por isso mesmo nasceem Roma. O termo Barroco advém da palavraportuguesa homónima que significa "pérolaimperfeita”.
  3. 3. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS• Embora tenha o Barroco assumido diversas características ao longo de sua história, seu surgimento está intimamente ligado à Contra- Reforma. A arte barroca procura comover intensamente o espectador. Nesse sentido, a Igreja converte-se numa espécie de espaço cénico, num teatro onde são encenados os dramas.• Contrariamente à arte do Renascimento, que pregava o predomínio da razão sobre os sentimentos, no Barroco há uma exaltação dos sentimentos, a religiosidade é expressa de forma dramática, intensa, procurando envolver emocionalmente as pessoas.
  4. 4. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS• De certa maneira, assistimos a uma retomada do espírito religioso e místico da Idade Média, numa espécie de ressurgimento da visão teocêntrica do mundo. E não é por acaso que a arte barroca nasce em Roma, a capital do catolicismo.• O ênfase que a arte Barroca deu à grandiosidade é vista como um reflexo do absolutismo.
  5. 5. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS• Arte de Fusão (da arquitectura, escultura, da pintura e da ornamentação) visível em igrejas e palácios e na organização de festividades enriquecidas com músicas e dança;• Desejo de solenidade (absolutismo);• Dinamismo (movimento);• Gosto pelo contraste, antíteses;• Novos temas: a apoteose, o retrato de estado; a paisagem; pintura de género, naturezas mortas e caricaturas;
  6. 6. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS• Gosto do excesso/horror ao vazio;• Teatralidade/Dramatismo;• Contraste com o Renascimento (decoro, geometria, idealismo);• Gosto pelo cómico e pelo ridículo;• Bozzeto (pequena pintura executada à maneira de esboço como esquema preparatório);• Gosto pelas Ilusões (trompe l`oeil);• Realismo posto na exploração, do trivial e do quotidiano.
  7. 7. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Velázquez, Vénus ao Espelho Velázquez, Anão sentado no Chão
  8. 8. ARQUITECTURA BARROCA
  9. 9. ARQUITECTURA BARROCAA arquitectura barroca italiana, de estilo triunfal e dinâmico, caracteriza-se basicamente por:• 1º) Planta centralizada: circular, octogonal, etc., a planta centralizada permite boa acústica e excelente visualização do altar- mor; Igreja do Santo André ao Quirinal
  10. 10. ARQUITECTURA BARROCA• 2º) Um uso dinâmico e exagerado de formas clássicas (os muros são trabalhados como esculturas) e uso de curva e contracurva nas fachadas dos edifícios (movimento); Guarino, Guarini, Palácio Carignano F. Borromini, cúpula de S. Carlo alle Quattro Fontane
  11. 11. ARQUITECTURA BARROCA• 3º) Efeitos ópticos deslumbrantes e enganadores no interior dos edifícios, especialmente em cúpulas. F. Borromini, cúpula de S. Carlo alle Quattro Fontane
  12. 12. ARQUITECTURA BARROCA: ILUSÕES ÓPTICAS Pietro Cortona, Glorificação do Pontificado de Urbano VIII
  13. 13. ARQUITECTURA BARROCA• 4º) uso de elementos novos como colunas torsas (helicoidais ou salomónicas) e de esculturas sobre arcos e tímpanos; Baldaquino, elaborado por Bernini
  14. 14. BALDAQUINO DE S. PEDRO• Realizado em bronze dourado, mármore e madeira; mede 29 m de altura. É um dossel para cobrir o altar maior;• Um templo dentro do templo, trata-se da primeira encomenda do papado a Bernini;• A genialidade desta obra de Bernini está no seu carácter gigantesco e espectacular que busca o contraste (cor escura face ao branco das colunas, o movimento elíptico face à linearidade das colunas, no entanto, integra-se no conjunto: convida a valorizar a obra de Miguel Ângelo (a cúpula do espaço central). Bernini, Baldaquino, Roma
  15. 15. URBANISMO BARROCO • A grande obra arquitectónica de Bernini é a colunata da Praça de S. Pedro do Vaticano. A monumental basílica necessita de um padrão adequado para a recepção das peregrinações. Bernini concebe duas colunatas gigantescas que avançam para os fiéis, abraçando-os e conduzindo-os para o templo. A altura variável das colunas realça aColunata elaborada por Bernini. perspectiva da cúpula de Miguel Ângelo e confere ao conjunto uma formosa ordem teatral.
  16. 16. CONCLUINDO...• Cria grandes fachadas e cúpulas altas, de formas dinâmicas e onduladas, onde o jogo de luz-sombra é acentuado;• É povoada por colunas de ordem colossal, algumas vezes torsas, que anulam os efeitos de harmonia implantados no renascimento;• Convive graciosamente com as esculturas, que abundam em arcos, frontões e tímpanos;• Enfim, a arquitectura barroca possui um alto valor cenográfico.
  17. 17. A ESCULTURA BARROCA
  18. 18. A ESCULTURA BARROCA• Intenso dramatismo;• Exuberância das formas;• Expressões teatrais e movimento;• Na Itália, destacou-se o trabalho de Bernini;• A escultura barroca teve um importante papel no complemento da arquitectura, tanto na decoração interior como exterior;• A estatuária habitual era composta por anjos, santos, virtudes cristãs, alegorias mitológicas; Bernini, Êxtase de Santa Teresa
  19. 19. A ESCULTURA BARROCA • Realismo; • Destacam-se as expressões faciais e as características individuais, cabelos, músculos, panejamentos, etc; • As estátuas equestres, típicas neste período, relacionam-se com a imagem triunfal do herói, geralmente o monarca absolutista; • Os materiais utilizados eram muito diversos. Sendo os mais habituais o bronze dourado, o mármore e a madeira policromada.Apolo e Dafne, Bernini
  20. 20. Outros Exemplos...• Este trabalho, feito em bronze, foi a primeira estátua equestre realizada em Portugal;• O rei, vestindo uma capa e um elmo de plumas, monta um magnífico cavalo que pisa as serpentes da ignorância. Esta é talvez a alegoria mais pungente deste conjunto equestre;• Modelo copiado: a estátua equestre de Luís XIV em Versailles. Estátua de S. José. Autoria de Joaquim Machado de Castro
  21. 21. CONCLUINDO...• A escultura religiosa católica serviu os propósitos contrarreformistas e, nesse sentido, desenvolveu programas iconográficos que glorificavam os santos mártires e as virtudes cristãs;• Outra linha de produção destacava a imagem heróica dos grandes, em estátuas funerárias ou equestres, na tradição clássica recuperada pelo Renascimento;• As alegorias são típicas das composições deste período: personificações de valores e de ideias (como a Justiça, a Morte ou o Tempo);• A escultura assume um valor teatral e cenográfico, com efeitos dramáticos e exuberantes, com linhas movimentadas e expressões sentimentais.
  22. 22. A PINTURABARROCA
  23. 23. CARACTERÍSTICAS DA PINTURA BARROCA• A pintura barroca em Itália, tal como a escultura, seguiu os condicionalismos religiosos e obedeceu a um objectivo ideológico contrarreformista. Este tipo de pintura foi divulgado em parte noutros países católicos como a França, a Espanha e Portugal.• Assim, os temas iconográficos principais são: anjos, santos, martírios, a Virgem Maria e Cristo na Cruz, a Morte e o Pai Tempo (Vanitas).• Estes temas sugerem piedade, devoção, emoção e êxtase.
  24. 24. A PINTURA BARROCA• Utilização de cores intensas;• Jogo de luz e sombras para dar a noção de profundidade;• Movimento;• Forte expressão de sentimentos/dramatismo;• Composições assimétricas na diagonal;• Naturezas–mortas.
  25. 25. CARACTERÍSTICAS GERAIS DA PINTURA BARROCA• Se revela num estilo grandioso, monumental, retorcido, substituindo a unidade geométrica e o equilíbrio do renascimento;• Acentuado contraste de claro- escuro, expressando os sentimentos - era um recurso que visava intensificar a sensação de profundidade;• Realista, abrangendo todas as camadas sociais; Caravaggio, S. João Baptista
  26. 26. CARACTERÍSTICAS GERAIS DA PINTURA BARROCA • Escolha de cenas no seu momento de maior intensidade dramática; • A luz não aparece por um meio natural, mas sim projectada para guiar o olhar do observador até o acontecimento principal da obra, como acontece na obra ao lado, S.Mateus e o Anjo (c.1602) de Caravaggio; • Podemos citar como exemplos de artistas barrocos: Caravaggio, Rubens, Rembrandt, Velázquez, Vermeer e El Grego.
  27. 27. ...ainda Caravaggio...• Caravaggio tomava emprestada a imagem de pessoas comuns das ruas de Roma para retratar Virgem Maria e os Apóstolos.• Caravaggio levou este princípio estético às últimas consequências, a ponto de ter sido acusado de usar o corpo de uma prostituta colhida morta do rio Tibre para pintar a Morte da Virgem. Esta foi uma das duas mais importantes características das suas pinturas: retratar o aspecto mundano dos eventos bíblicos usando o povo comum das ruas de Roma. A Morte da Virgem, (1601-06) Museu do Louvre, Paris
  28. 28. ...ainda Caravaggio... • A outra característica marcante foi a dimensão e impacto realista que deu aos seus quadros ao usar um fundo sempre raso, obscuro, muitas vezes totalmente negro e agrupar a cena em primeiro plano com focos intensos de luz sobre os detalhes, geralmente os rostos. Este uso de sombras e luz é um dos aspectos mais marcantes nos seus quadros. Os efeitos de iluminação que Caravaggio criou receberam um nomeCrucificação de S. Pedro específico: tenebrismo.(1600-01), igreja de Stª Mariadel Popolo, Roma
  29. 29. Rubens• Dramatismo;• Contraste claro/escuro;• Cores quentes;• Movimento Rubens, A Descida da Cruz
  30. 30. Diego Velázquez • Gosto pelo comum; • Realismo; • Contraste de cor e luz; • Cores quentes; • Gosto pelas tabernas, adegas.O vendedor de Água de Sevilha
  31. 31. RembrandtRembrandt, A Ronda da Noite
  32. 32. Rembrandt• Titulo Original: “Esboço da Pintura da Grande Sala of Cleveniers Doelen, no qual o jovem Heer van Purmerlandt, como capitão, ordena ao seu tenente, Heer van Vlanderdingen, que leve a companhia para fora;• Retrato de grupo;• O quadro é construído a partir de retratos «tipos» individuais;• Rembrandt mostra o seu virtuosismo através do uso do contraste de cor;• Sentido de celebração;
  33. 33. RembrandtRembrandt, Lição de Anatomia Rembrandt, A cegueira de Sansão
  34. 34. Rembrandt• Realismo;• Representação fiel dos objectos;• Expressão do movimento e do patético;• Grande preocupação com o tratamento da luz e cor.
  35. 35. VERMEER • Pintura de Interiores (Característica própria da pintura holandesa); • Cenas Íntimas; • Soberba técnica de desenho (realismo); • Perspectiva; • Soberbo domínio de luz; • Harmonia Cromática.Vermeer, A Cozinha
  36. 36. NATUREZAS-MORTAS• Os compradores de Arte holandeses preferiam paisagens, naturezas-mortas e cenas do dia-a-dia.• Preocupação com a luz sobre os objectos;• Representação da beleza dos objectos, captados num dado momento. Willem Kalf, Natureza-morta
  37. 37. NICOLAS POUSSIN - FRANÇA • Mostra influências renascentistas (paisagem e coluna dórica); • Sínte se música celestial e terrena; • Grande trabalho de cor e luz. Poussin, Santa Cecília
  38. 38. Finalmente, e por conclusão:• Caravaggio retomou uma linha realista de produção, dando atenção aos pormenores naturais e a modelos populares;• Desenvolveu um jogo de luz e sombra muito intenso, que o caracterizou e que criou a escola tenebrista na pintura;• Essa técnica permitiu-lhe um valor espiritual acrescentado nos temas religiosos que trabalhou;• O dramatismo das suas obras serviu magnificamente os propósitos da Igreja Católica.
  39. 39. O BARROCO EMPORTUGAL
  40. 40. O BARROCO EM PORTUGAL• Uso de Talha Dourada;• Azulejaria que cobre grandes espaços;• Principais arquitectos: Ludovice e Nasoni
  41. 41. O BARROCO EM PORTUGAL Ludovice, Palácio de Mafra Nasoni, Solar S. Mateus
  42. 42. O BARROCO EM PORTUGALBiblioteca da Universidade de Coimbra Nasoni, Torre dos Clérigos
  43. 43. O BARROCO EM PORTUGALTalha Dourada, Igreja de Sta. Clara, Talha Dourada, Igreja de Sta. Clara Porto

×