SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 67
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
ORIENTAÇÕES
O Slide aqui apresentado, tem como objetivo apresentar um
RESUMO do Livro estudo na Disciplina. Dessa forma:
1. Realize a leitura com total cuidado e oração.
2. Utilize a Bíblia, Dicionários e outras fontes teológicas para
acompanhamento das passagens mencionadas.
3. As imagens são meramente ilustrativas.
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
A teologia pastoral também é conhecida como
“pastoralia” o seu nome técnico deriva do
latim. Trata-se de um dos ramos da educação
teológica que se preocupa com os labores
pastorais teóricos e práticos.
1
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
A prioridade é dada a vida espiritual e pessoal
do individuo que está sendo treinado, ao seu
treinamento nas Escrituras Sagradas; ao
desenvolvimento da sua sensibilidade às
necessidades das pessoas;
2
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
... às habilidades com as quais poderá servir ao
próximo; ao lado prático do ministério para
com os enfermos e outros, em cooperação em
atividades sociais e legais; à Ministração de
cultos normais e especiais, como também as
ordenanças, casamentos, funerais, cerimônias
cívicas e etc. acima de tudo isso pregar e
ensinar que é um dos aspectos mais
importantes desse treinamento.
4
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Com o objetivo de proporcionar maior
compreensão da responsabilidade e missão do
ministério pastoral é que este slide foi
elaborado.
5
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
1º) O INDIVIDUO CHAMADO PARA O
MINISTERIO:
Deus chama homens para as mais diversas
atividades no seu reino, e como Ele é soberano
na maneira de fazer as suas coisas não tem um
método único para efetuar a chamada, porem,
tem um método para cada chamada.
6
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
A- A CHAMADA:
a definição da chamada pode ser vista como a
implantação da intenção divina dentro do
coração da pessoa.
B - MÉTODO DIRETO E INDIRETO:
Houve pessoas que foram chamadas
diretamente pelo Senhor são os casos
de:
7
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
1- NOÉ, Gn 6.13 Deus o chamou para construir
uma arca.
2- ABRAÃO, Gn 12.1 Deus o chamou para
peregrinar.
3- MOISÉS, Êx 3.10 Deus o chamou para
libertar e guiar seu povo.
4- SAMUEL, 1Sm 3.10, Deus o chamou para
julgar a Israel.
8
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Houve pessoas que foram chamadas
indiretamente, ou por um método
indireto, o que pode envolver pessoas como
também circunstâncias:
9
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
1- JOSÉ, Gn 37. Deus o chamou para enfrentar
as covas da vida até chegar ao
lugar que deveria ocupar.
2- JOSUÉ, Nu 27. 18-20, o maior exemplo de
discipulado do Antigo Testamento,
chamado para auxiliar Moisés, e depois
substituí-lo.
10
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
C - O MOTIVO E A NECESSIDADE DA CHAMADA:
1- O MINISTÉRIO NÃO É PROFISSÃO:
Na antiga aliança o sacerdócio era privativo dos
filhos de Aarão e os profetas eram chamados
pelo Senhor diretamente. No Novo Testamento
o ministério é um dom, Ele mesmo dá Ef 4:11.
11
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
2 - A CERTEZA DA CHAMADA: a certeza da
chamada de Deus faz o servo do
senhor superar obstáculos considerados
impossíveis.
Veja as lutas de Moisés como o povo no
deserto, Nu 12. 1-16; 14.1-19; 16. 1-
19.
12
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
D - A CHAMADA TEM CARACTERISTICAS
ESPECIFICAS: o Novo Testamento apresenta as
seguintes características:
1- DIVINA: não é uma incumbência dada por
uma convenção ou Igreja. Deus chama, a Igreja
reconhece a presença do dom e o ministério
ordena. Se não houver uma ação divina não
haverá dom e não haverá ministério.
13
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
4 - DEFINITIVA: a chamada para o ministério é
definitiva, aquele que é chamado não pode
impor condições. Pelo contrario, deve
agradecer a Deus o privilegio de ser chamado,
Lc 9:57-62; 1Tm 1:12,13.
14
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
2º) O MINISTÉRIO CONFORME O NOVO
TESTAMENTO: O N.T. dá ênfase ao ministério
em virtude de sua importância na expansão,
edificação e aperfeiçoamento da Igreja de
Cristo, Ef 4:15,16; Rm 12:4,5.
15
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
A- O CONTEÚDO DO MINISTÉRIO: neste
conteúdo esta aquilo que é de competência
divina e o que é de responsabilidade do
ministro chamado.
1 - VOCAÇÃO: o ministério não é uma profissão
e os ministros não são profissionais
empregados, fruto de uma decisão humana,
nem são como os sacerdotes separados por
herança familiar.
16
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
2 - CAPACITAÇÃO: essa capacidade não é
aquela que vem como resultado da dedicação,
da aplicação, que falaremos mais adiante.
3 - COMISSÃO: todos os cristãos recebem a
responsabilidade de pregar o evangelho, mas o
ministro recebe uma missão especifica, ele tem
um trabalho a fazer.
17
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
1 - A PREGAÇÃO: A pregação tem o dever de
anunciar a palavra de Deus na pessoa de Cristo
como o único salvador, que para a salvação dos
homens há um preço que só Ele poderia ter
pagado.
2 - O ENSINO: O ensino é diferente da
pregação, ele visa alcançar a mente da pessoa
fazendo-a raciocinar.
18
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
C - TIPOS DE MINISTÉRIOS: Os dons estão
revelados em três dimensões nas Escrituras,
com o objetivo de atender todas as
necessidades da Igreja e envolver todos os
membros do corpo de Cristo.
19
Introdução
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
O Dom espiritual edifica, exorta e consola o
Dom ministerial, faz tudo isso e ainda ensina. O
Dom espiritual depende do Dom ministerial, o
ministro ensina o portador do Dom espiritual
como proceder. É o caso de Paulo ensinando
aos Coríntios
20
Dom Espiritual e Profético
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
O Dom espiritual recebe a mensagem de Deus
e transmite à igreja, o Dom ministerial
interpreta a palavra escrita como também os
mistérios espirituais.
21
Dom Espiritual e Profético
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
O Dom ministerial trabalha com uma
mensagem que Deus já falou (a palavra escrita)
além de receber mensagens e revelações da
parte de Deus.
22
Dom Espiritual e Profético
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
O termo evangelista se encontra três vezes na
Bíblia: Filipe o Evangelista (AT 21:8).
Ele deu uns para Evangelista (EF 4:11). Faze a
obra de Um Evangelista (II TM 4:5). Obs. Um
homem, um Dom, um trabalho de Evangelista.
23
Dom Evangelista
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Filipe não foi ordenado ao ministério como se
faz hoje. Sua promoção foi resultado da
perseguição (AT 8:1-5), a isso se acrescentou o
fervente amor que tinha pelas almas, o que
levou a pregar em Samaria, logo ao Etíope e
depois em Azoto (AT 8:30, 40).
24
Dom Evangelista
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Com Filipe aprendemos duas coisas:
A. Evangelista é movido pelo Espírito Santo. A
vocação Divina o inspira (I CO 9:16);
25
Dom Evangelista
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Evangelista ainda que seja usado por Deus para
abrir trabalhos (novas igrejas), não tem por isto
direito de se julgar independente do ministério.
Os apóstolos foram comunicado do trabalho
em Samaria (AT 8:14), foram enviados para a
cidade de Samaria os Apóstolos Pedro e João
para orar pelos irmãos e doutrinar a nova Igreja
em Samaria.
26
Dom Evangelista
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
O texto de II TM 4:5 não diz que ele (Timóteo),
era um Evangelista, porém sim: “Faz a obra de
um Evangelista”; é claro que Paulo reconhecia
que havia esse dom em Timóteo, essa é a razão
das seguintes recomendações:
27
Dom Evangelista
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
A. Deve se exercitar (I TM 4:14). O exercício
ministerial desenvolve a habilidade para fazê-lo
melhor. Esta é a regra (I TM 4:14-18);
28
Dom Evangelista
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
B. Deve evitar a negligência (I TM 4:14) um
homem negligente não pode ser um bom
ministro de Cristo. Se negligenciar a palavra
não pode pregar a palavra de Deus, se
negligenciar a oração não pode orar pelos
enfermos, se negligenciar o amor, não pode
ganhar almas para Cristo;
29
Dom Evangelista
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Somente o título não é suficiente, é necessário
o Dom espiritual e que seja evidenciado na
prática por um ministério de êxito e uma
conduta disciplinada (I TM 5:1-2) por causa da
complexidade desta função.
30
Dom de Pastor
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Em João 21:15-17, na conversação que Jesus
teve com Pedro ele utilizou os termos para a
dupla função de Pastor que são:
A. Apascentar (vs. 15,17). O vocábulo significa
“alimentar, dar comida”. A linguagem – é
figurada e traduz o dever de doutrinar,
ministrar conhecimento, dirigir ao bom
caminho.
31
Dom de Pastor
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
B - Pastorear (v.16). Pastorear exige todas as
qualidades para apascentar e ainda mias,
buscar, alimentar, proteger dos tempos maus e
animais ferozes (Amós 3:12; II SM 17:34-35), e
ainda busca as débeis ovelhas (EZ 34:8; LC
15:1-7).
32
Dom de Pastor
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
AS QUALIDADES DO PASTOR:
Como parte da função o Pastor tem os
seguintes encargos:
•Doutrinar os crentes (I TM 3:2);
•Apascentar o rebanho de Deus (I PE 5:1-3);
•Exercer vigilância com amor (AT 20:28);
•Admoestar com amor (AT 20:31; II TM 4:2);
33
Dom de Pastor
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
AS QUALIDADES DO PASTOR:
Cuidar dos necessitados (GL 2:9-10);
•Visitar os enfermos (TG 5:14-15);
•Cumprir o papel de despenseiro (I CO 4:1-2).
34
Dom de Pastor
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Jesus foi o protótipo de uma série de mestres
cristãos levantados por ele na igreja. Em 1
Coríntios 12:28 e Efésios 4:11, o apóstolo Paulo
se refere ao ministério especial dos mestres,
cuja finalidade era de instruir a verdade cristã
aos crentes.
35
Mestres
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
A comparação dos textos de Atos 13:1 com
Romanos 12:7, 2 TM 1:11 e Tiago 3:1
mostramos que os mestres cristãos que
exerciam seu Dom ministerial juntamente com
os apóstolos, os profetas, os evangelistas e
pastores (na verdade, os mestres eram sempre
pastores, embora nem todos os pastores
fossem sempre mestres).
36
Mestres
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Em virtude da amplitude do ministério e sua
importância no Novo Testamento, muitas
designações são dadas aos ministros. Essas
designações também nos proporcionam
conhecer a extensão da atividade ministerial.
37
Ministros
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
A - ANJO DA IGREJA: Ap 1.20; 2.1, o pastor da
igreja é chamada de anjo da igreja.
Considerando que a palavra anjo no grego
significa mensageiro, entende-se que o pastor
da igreja é o mensageiro de Deus pelo Espírito
Santo para transmitir a mensagem de Deus que
edifica conforta e dirige a igreja.
38
Ministros
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
B - DEFENSOR DA FÉ: FL 1.7,16, 17, o ministro
não é um mercenário ou explorador da fé nem
tampouco um covarde, mas um defensor do
evangelho. Pregando, e ensinando com o seu
viver exemplar, do púlpito ele defende o
evangelho dos ataques dos inimigos de Deus e
da sã doutrina.
39
Ministros
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
E - ESTRELA: Ap 1.20, estrelas na mão do
Senhor, e as igrejas são consideradas castiçais,
enquanto o pastor bilhar na igreja por estar na
mão do Senhor, a igreja será sem duvida um
castiçal, a luz do mundo.
40
Ministros
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
F - COOPERADOR: 1. Co 3.9, cooperador é
aquele que trabalha ao lado do operador. Deus
é o operador, ele opera a salvação, os milagres,
o crescimento, Jo 1:3-5, 12,13; 3.5; At 3:16; 1Co
3:7. e sem ele se faz. O ministro é chamado e
colocado ao lado do Senhor para ser o
instrumento que ele usa no devido tempo.
41
Ministros
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
H - MINISTRO: 1Co 4.1, “DIAKONOS” Este
termo representa todo o tipo de serviço secular
e religioso, (LC. 12.37; 17.8; JO 12.2) estes
textos se referem à atividade de
servir as mesas.
42
Ministros
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
1- FIDELIDADE: lealdade, firmeza, exatidão, (1ª
CO 4:1,2; HB 3:5; NU 12.7; MT 24:45-47). Fiel,
que cumpre aquilo a que se obriga.
43
Qualificações de um Ministro
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
2- OBEDIÊNCIA: ( 1 SM 15.22; HB 5.8; 11.8 ).
Vale mais do que sacrifício. Obediência é
corresponder exatamente com a vontade do
Senhor naquilo que se deve fazer, quando
ordenado pelo Senhor através de um ministro
superior.
44
Qualificações de um Ministro
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
3 - PRUDÊNCIA: virtude que leva o homem a
conhecer e a praticar o que lhe convém, tino,
moderação, ( JS 1.7-9; PV 14.15; OS 14.9; EF
5.15). Qualidade de quem age com cautela,
com sensatez.
45
Qualificações de um Ministro
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
4 - EFICIÊNCIA: ação, força, virtude de produzir
um efeito, eficaz, que produz efeitos, (RM
12.11; AT 20.18-21, 26,27). Capacidade de
produzir efeitos positivos, tanto na obra de
Deus, como na vida das pessoas.
46
Qualificações de um Ministro
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
5 - DILIGÊNCIA: ( PV 10:4; 12:24,27; 22:29; LC
15:8 ). Cuidado intenso, presteza, providência.
Uma pessoa diligente, não será apanhada de
surpresa quando for solicitada para executar
alguma coisa.
47
Qualificações de um Ministro
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
6 - VIGILÂNCIA: vigiar, estar atento, observar
atentamente, ( MC 13:33-37: LC 12.37; 1 PD
5:8). Estar atento, cuidadoso, precavido, ficar
de sentinela. Essa virtude se relaciona com a
atividade de não se permitir ser surpreendido
pelo maligno, pois estamos numa batalha
espiritual.
48
Qualificações de um Ministro
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
7 – INTEGRIDADE: íntegro, completo, perfeito,
reto, ( 1 TS 2:10,11; 1 TM 3:2; TT 1:7). Honesto,
inteiro em seu caráter. Estas qualidades para a
vida de um ministro são indispensáveis, por
que seu ministério se baseia na sua qualidade
moral. A base da atividade pública de um
homem é a sua moral.
49
Qualificações de um Ministro
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
10 – GOVERNO: (1 TM 3.4,5, 7). Capacidade de
condução, tanto de si próprio, de sua casa,
como também da Igreja de Deus. Governo é
um Dom espiritual, (1ª CO 12:28) esse é o Dom
que os lideres tem que Ter, (RM 12:8) para
presidir a obra de Deus.
50
Qualificações de um Ministro
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
11 – CAPACIDADE: ( 1 TM 3.2; 4.15,16). Apto
para ensinar. Aptidão, capacidade nata ou
adquirida, capacidade, habilidade, idoneidade.
51
Qualificações de um Ministro
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
O serviço pastoral compreende vários aspectos
do ponto de vista pratico, pois ao pastor como
anjo da igreja cabe a responsabilidade de
liderar e orientar o rebanho de Deus.
52
Ocupações do Pastor
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
1 - A PREGAÇAO E O ENSINO: pregar e ensinar
constitui a base do serviço pastoral,
considerando que o ministério de Jesus e da
igreja primitiva se fundamentou nessa
premissa, cabe a nós seguirmos o exemplo.
53
Ocupações do Pastor
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
2 - VISITAÇÃO: O pastor não desenvolve seu
ministério somente no púlpito, mas também
nas casas, visto que alem dos problemas que
surgem nas famílias, há os enfermos que
precisam do ministro para orar por eles, Tg
5.13-20. Ainda que haja uma boa equipe de
visitas há casos que é necessário a presença do
pastor.
54
Ocupações do Pastor
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
3 - ACONSELHAMENTO: Malaquias 2:7 diz que
do sacerdote se busca a lei. O aconselhamento
é uma atividade indispensável no ministério, é
uma ocupação que alcança desde a criança ao
ancião. E não poucas vezes o ministro é
chamado para aconselhar pessoas de fora da
igreja.
55
Ocupações do Pastor
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
5 - A ADMINISTRAÇÃO: A administração
espiritual e material da igreja que lhe confiou.
56
Ocupações do Pastor
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
A - A ADMINISTRAÇÃO ESPIRITUAL: Essa parte
diz respeito as atividades espirituais da igreja
abrangendo cultos, ordenanças, festas ,estudos
bíblicos, louvor, etc. é claro que o pastor não
faz tudo isso sozinho, porém ele organiza,
supervisiona, designa pessoas para fazer o
trabalho, de maneira que nenhum trabalho se
faz sem o seu conhecimento.
57
Ocupações do Pastor
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Na antiga aliança Deus determinou que os sacerdotes e os levitas
fossem sustentados para o exercício do ministério, Nu 18:1-7; Dt
18:5. Na nova aliança segue-se a mesma idéia de quem serve no
altar como do altar. O pastor é sustentado financeiramente para
ter tempo integral para a obra de Deus, são muitas as atividades e
se ele se embaraça com negócios desta vida não conseguira
cumprir sua missão.
58
Sustento pastoral
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Para cada culto é necessário haver planejamento, o culto tem
horário para começar e terminar, exceto se o Espírito Santo quiser
fazer algo diferente. Num culto público, que normalmente é o de
domingo a noite, a organização dos cânticos, que em tudo deve
obedecer ao critério do louvor.
59
O Pastor e as Reuniões na Igreja
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Não é a apresentação de um conjunto ou de um cantor
simplesmente, é louvor ao Senhor, pelo menos deve ser. A
seleção da qualidade das músicas, hinos; a leitura da palavra, o
comportamento dos obreiros no púlpito durante a reunião, tudo
isso tem que fazer parte da solenidade do culto.
60
O Pastor e as Reuniões na Igreja
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
A igreja é um ambiente de reverencia e o exemplo tem que vir do
púlpito. A oferta no culto, os obreiros devem ter o cuidado de
participar desse serviço, contribuindo é lógico. Os cultos de
oração e ensino, quando a igreja chegar tem que ver seu pastor
ali orando, e ter o cuidado para não permitir que coisa alguma
desvie sua atenção.
61
O Pastor e as Reuniões na Igreja
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
O texto em apreço diz: “que esses visam o “aperfeiçoamento dos
santos”, para o desempenho do seu serviço, para a edificação do
corpo de Cristo”.
•Aperfeiçoamento, “katartiso”, quer dizer, completar o caráter de
alguém, sarar, tornar a juntar, equipar. Esse termo envolve
preparar, treinar, equipar.
62
Dons de Liderança ou Ministeriais
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
A palavra é um termo técnico para “consertar um osso
quebrado”; também se refere ao ato dinâmico pelo qual pessoas
ou coisas são condicionadas adequadamente.
Como resultado do exercício dos dons ministeriais, os crentes são
“equipados” ou preparados para administrar os seus dons
conforme a palavra de Deus, (1 Pd 4:10,11).
63
Dons de Liderança ou Ministeriais
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
Todas as decisões em relação à igreja deverão ser tomadas com
base na palavra de Deus. Somente através da palavra de Deus
será possível manter a igreja no curso que a levará ao porto
seguro, o céu.
A ele cabe tomar as decisões. A capacidade de tomar decisões é
uma função importante na vida de quem administra.
64
Dom de Administração
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL
O ministério cristão é uma função, que para ser exercida,
necessitará de uma vocação celestial tal como a abordado neste
testo. Seja qual for a atividade que Deus tenha colocado você, se
para exercer um Dom ministerial, ou se para trabalhar numa das
mais humildes funções existentes na obra de Deus. Você
dependerá destes elementos fundamentais:
65
Conclusão
Disciplina de Teologia Pastoral

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Curso de formação de diáconos
Curso de formação de diáconosCurso de formação de diáconos
Curso de formação de diáconosCleiton Azevedo
 
CETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo Testamento
CETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo TestamentoCETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo Testamento
CETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo TestamentoEdnilson do Valle
 
hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.RODRIGO FERREIRA
 
A Vida do Apóstolo Paulo
A Vida do Apóstolo PauloA Vida do Apóstolo Paulo
A Vida do Apóstolo PauloIBC Fortaleza
 
Aula de missiologia basico em theologia
Aula de missiologia basico em theologiaAula de missiologia basico em theologia
Aula de missiologia basico em theologiacasa
 
Carta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossensesCarta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossensesUEPB
 
Soteriologia: Primeiro Estudo
Soteriologia: Primeiro EstudoSoteriologia: Primeiro Estudo
Soteriologia: Primeiro EstudoDilean Melo
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosmgno42
 
Panorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - GálatasPanorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - GálatasRespirando Deus
 
Panorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2CoríntiosPanorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2CoríntiosRespirando Deus
 
Evangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de Jesus
Evangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de JesusEvangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de Jesus
Evangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de Jesusjonasfreitasdejesus
 
Revisão do discipulado
Revisão do discipuladoRevisão do discipulado
Revisão do discipuladoValdinar Viana
 
Bibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblicoBibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblicoRODRIGO FERREIRA
 

Mais procurados (20)

Curso de formação de diáconos
Curso de formação de diáconosCurso de formação de diáconos
Curso de formação de diáconos
 
CETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo Testamento
CETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo TestamentoCETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo Testamento
CETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo Testamento
 
Treinamento para diáconos
Treinamento para diáconosTreinamento para diáconos
Treinamento para diáconos
 
hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.hamartiologia - Doutrina do pecado.
hamartiologia - Doutrina do pecado.
 
A Vida do Apóstolo Paulo
A Vida do Apóstolo PauloA Vida do Apóstolo Paulo
A Vida do Apóstolo Paulo
 
07
0707
07
 
Aula de missiologia basico em theologia
Aula de missiologia basico em theologiaAula de missiologia basico em theologia
Aula de missiologia basico em theologia
 
2. introdução ao novo testamento
2.  introdução ao novo testamento2.  introdução ao novo testamento
2. introdução ao novo testamento
 
Carta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossensesCarta de paulo aos colossenses
Carta de paulo aos colossenses
 
Soteriologia: Primeiro Estudo
Soteriologia: Primeiro EstudoSoteriologia: Primeiro Estudo
Soteriologia: Primeiro Estudo
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
 
Panorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - GálatasPanorama do NT - Gálatas
Panorama do NT - Gálatas
 
Panorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2CoríntiosPanorama do NT - 2Coríntios
Panorama do NT - 2Coríntios
 
Panorama do NT - 3João
Panorama do NT - 3JoãoPanorama do NT - 3João
Panorama do NT - 3João
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
 
Evangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de Jesus
Evangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de JesusEvangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de Jesus
Evangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de Jesus
 
Introdução ao Novo testamento
Introdução ao Novo testamentoIntrodução ao Novo testamento
Introdução ao Novo testamento
 
Revisão do discipulado
Revisão do discipuladoRevisão do discipulado
Revisão do discipulado
 
Bibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblicoBibliologia - Cânon biblico
Bibliologia - Cânon biblico
 

Destaque (20)

02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
 
Disciplina Administração Eclesiástica
Disciplina Administração EclesiásticaDisciplina Administração Eclesiástica
Disciplina Administração Eclesiástica
 
Disciplina de Liderança
Disciplina de LiderançaDisciplina de Liderança
Disciplina de Liderança
 
Disciplina de Bibliologia
Disciplina de BibliologiaDisciplina de Bibliologia
Disciplina de Bibliologia
 
Disciplina de Missiologia
Disciplina de MissiologiaDisciplina de Missiologia
Disciplina de Missiologia
 
Disciplina História do Cristianismo
Disciplina História do CristianismoDisciplina História do Cristianismo
Disciplina História do Cristianismo
 
Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo TestamentoDisciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
 
26
2626
26
 
03 exege bíblica
03 exege bíblica03 exege bíblica
03 exege bíblica
 
16 como ministrar cerimônias religiosas
16 como ministrar cerimônias religiosas16 como ministrar cerimônias religiosas
16 como ministrar cerimônias religiosas
 
17
1717
17
 
06 psicologia pastoral
06 psicologia pastoral06 psicologia pastoral
06 psicologia pastoral
 
Disciplina de Homilética I
Disciplina de Homilética IDisciplina de Homilética I
Disciplina de Homilética I
 
Disciplina de Arqueologia Bíblica
Disciplina de Arqueologia BíblicaDisciplina de Arqueologia Bíblica
Disciplina de Arqueologia Bíblica
 
Disciplina de Oratória - Como Falar em Público
Disciplina de Oratória - Como Falar em PúblicoDisciplina de Oratória - Como Falar em Público
Disciplina de Oratória - Como Falar em Público
 
Disciplina O Culto Bíblico
Disciplina O Culto BíblicoDisciplina O Culto Bíblico
Disciplina O Culto Bíblico
 
Disciplina de Escatologia
Disciplina de EscatologiaDisciplina de Escatologia
Disciplina de Escatologia
 
24
2424
24
 
23
2323
23
 
20
2020
20
 

Semelhante a Disciplina de Teologia Pastoral

Disciplina - O Pregador e o Sermão
Disciplina - O Pregador e o SermãoDisciplina - O Pregador e o Sermão
Disciplina - O Pregador e o Sermãofaculdadeteologica
 
04opregadoreosermo 140513160132-phpapp02
04opregadoreosermo 140513160132-phpapp0204opregadoreosermo 140513160132-phpapp02
04opregadoreosermo 140513160132-phpapp02Convenção Cimadeba
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosWelkencharlois
 
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxLição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxCelso Napoleon
 
Lição 04 - Pastores e diáconos
Lição 04 - Pastores e diáconosLição 04 - Pastores e diáconos
Lição 04 - Pastores e diáconosRegio Davis
 
Cursoparaobreiros
Cursoparaobreiros Cursoparaobreiros
Cursoparaobreiros Sara Ribeiro
 
Texto 1 carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazier
Texto 1   carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazierTexto 1   carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazier
Texto 1 carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazierPaulo Dias Nogueira
 
58723691 curso-de-diacono-doc
58723691 curso-de-diacono-doc58723691 curso-de-diacono-doc
58723691 curso-de-diacono-docAnapaula Ribeiro
 
O presbítero, bispo ou ancião
O presbítero, bispo  ou anciãoO presbítero, bispo  ou ancião
O presbítero, bispo ou anciãoAdenísio dos Reis
 
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua OrganizaçãoLição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua OrganizaçãoÉder Tomé
 
2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORNatalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORLIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORIsmael Isidio
 
Apostila maf obreiros
Apostila maf obreirosApostila maf obreiros
Apostila maf obreirosmaftaguatinga
 
Lição 4 pastores e diáconos 3º trimestre de 2015
Lição 4   pastores e diáconos  3º trimestre de 2015Lição 4   pastores e diáconos  3º trimestre de 2015
Lição 4 pastores e diáconos 3º trimestre de 2015Andrew Guimarães
 
TEOLOGIA PASTORAL - EBO TIRADENTE.pptx
TEOLOGIA PASTORAL - EBO TIRADENTE.pptxTEOLOGIA PASTORAL - EBO TIRADENTE.pptx
TEOLOGIA PASTORAL - EBO TIRADENTE.pptxNivaldo R. Santos
 
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptxLição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptxCelso Napoleon
 

Semelhante a Disciplina de Teologia Pastoral (20)

Disciplina - O Pregador e o Sermão
Disciplina - O Pregador e o SermãoDisciplina - O Pregador e o Sermão
Disciplina - O Pregador e o Sermão
 
04 o pregador e o sermão
04 o pregador e o sermão04 o pregador e o sermão
04 o pregador e o sermão
 
04opregadoreosermo 140513160132-phpapp02
04opregadoreosermo 140513160132-phpapp0204opregadoreosermo 140513160132-phpapp02
04opregadoreosermo 140513160132-phpapp02
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
 
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxLição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
 
Lição 04 - Pastores e diáconos
Lição 04 - Pastores e diáconosLição 04 - Pastores e diáconos
Lição 04 - Pastores e diáconos
 
Cursoparaobreiros
Cursoparaobreiros Cursoparaobreiros
Cursoparaobreiros
 
Texto 1 carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazier
Texto 1   carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazierTexto 1   carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazier
Texto 1 carisma do ministério pastoral - bispo josué adam lazier
 
58723691 curso-de-diacono-doc
58723691 curso-de-diacono-doc58723691 curso-de-diacono-doc
58723691 curso-de-diacono-doc
 
O presbítero, bispo ou ancião
O presbítero, bispo  ou anciãoO presbítero, bispo  ou ancião
O presbítero, bispo ou ancião
 
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua OrganizaçãoLição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
 
2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
2014 2 TRI LIÇÃO 10 - O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
 
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTORLIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
LIÇÃO 10 – O MINISTÉRIO DE MESTRE OU DOUTOR
 
O dom apostólico carlos carvalho
O dom apostólico    carlos carvalhoO dom apostólico    carlos carvalho
O dom apostólico carlos carvalho
 
E deu dons aos homens
E deu dons aos homensE deu dons aos homens
E deu dons aos homens
 
Apostila maf obreiros
Apostila maf obreirosApostila maf obreiros
Apostila maf obreiros
 
Lição 4 pastores e diáconos 3º trimestre de 2015
Lição 4   pastores e diáconos  3º trimestre de 2015Lição 4   pastores e diáconos  3º trimestre de 2015
Lição 4 pastores e diáconos 3º trimestre de 2015
 
TEOLOGIA PASTORAL - EBO TIRADENTE.pptx
TEOLOGIA PASTORAL - EBO TIRADENTE.pptxTEOLOGIA PASTORAL - EBO TIRADENTE.pptx
TEOLOGIA PASTORAL - EBO TIRADENTE.pptx
 
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptxLição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
 

Mais de faculdadeteologica

10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iiifaculdadeteologica
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse iifaculdadeteologica
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse ifaculdadeteologica
 
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos iifaculdadeteologica
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse ifaculdadeteologica
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse iifaculdadeteologica
 
10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iiifaculdadeteologica
 
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos ifaculdadeteologica
 
2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia iifaculdadeteologica
 
1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia ifaculdadeteologica
 
8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologiafaculdadeteologica
 
5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejasfaculdadeteologica
 

Mais de faculdadeteologica (20)

10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
 
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
 
5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos
 
6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías
 
7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
 
10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
 
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
 
2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii
 
1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i
 
8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia
 
10 mobilização missionária
10 mobilização missionária10 mobilização missionária
10 mobilização missionária
 
9 missão urbana
9 missão urbana9 missão urbana
9 missão urbana
 
7 teologia da missão
7 teologia da missão7 teologia da missão
7 teologia da missão
 
6 a missão da igreja
6 a missão da igreja6 a missão da igreja
6 a missão da igreja
 
5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas
 
4 antropologia missionária
4 antropologia missionária4 antropologia missionária
4 antropologia missionária
 

Último

Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxCelso Napoleon
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfRoteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfLehonanSouza
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaFranklinOliveira30
 

Último (8)

Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfRoteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarística
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 

Disciplina de Teologia Pastoral

  • 1.
  • 2. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL ORIENTAÇÕES O Slide aqui apresentado, tem como objetivo apresentar um RESUMO do Livro estudo na Disciplina. Dessa forma: 1. Realize a leitura com total cuidado e oração. 2. Utilize a Bíblia, Dicionários e outras fontes teológicas para acompanhamento das passagens mencionadas. 3. As imagens são meramente ilustrativas.
  • 3. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL A teologia pastoral também é conhecida como “pastoralia” o seu nome técnico deriva do latim. Trata-se de um dos ramos da educação teológica que se preocupa com os labores pastorais teóricos e práticos. 1 Introdução
  • 4. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL A prioridade é dada a vida espiritual e pessoal do individuo que está sendo treinado, ao seu treinamento nas Escrituras Sagradas; ao desenvolvimento da sua sensibilidade às necessidades das pessoas; 2 Introdução
  • 5. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL ... às habilidades com as quais poderá servir ao próximo; ao lado prático do ministério para com os enfermos e outros, em cooperação em atividades sociais e legais; à Ministração de cultos normais e especiais, como também as ordenanças, casamentos, funerais, cerimônias cívicas e etc. acima de tudo isso pregar e ensinar que é um dos aspectos mais importantes desse treinamento. 4 Introdução
  • 6. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Com o objetivo de proporcionar maior compreensão da responsabilidade e missão do ministério pastoral é que este slide foi elaborado. 5 Introdução
  • 7. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 1º) O INDIVIDUO CHAMADO PARA O MINISTERIO: Deus chama homens para as mais diversas atividades no seu reino, e como Ele é soberano na maneira de fazer as suas coisas não tem um método único para efetuar a chamada, porem, tem um método para cada chamada. 6 Introdução
  • 8. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL A- A CHAMADA: a definição da chamada pode ser vista como a implantação da intenção divina dentro do coração da pessoa. B - MÉTODO DIRETO E INDIRETO: Houve pessoas que foram chamadas diretamente pelo Senhor são os casos de: 7 Introdução
  • 9. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 1- NOÉ, Gn 6.13 Deus o chamou para construir uma arca. 2- ABRAÃO, Gn 12.1 Deus o chamou para peregrinar. 3- MOISÉS, Êx 3.10 Deus o chamou para libertar e guiar seu povo. 4- SAMUEL, 1Sm 3.10, Deus o chamou para julgar a Israel. 8 Introdução
  • 10. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Houve pessoas que foram chamadas indiretamente, ou por um método indireto, o que pode envolver pessoas como também circunstâncias: 9 Introdução
  • 11. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 1- JOSÉ, Gn 37. Deus o chamou para enfrentar as covas da vida até chegar ao lugar que deveria ocupar. 2- JOSUÉ, Nu 27. 18-20, o maior exemplo de discipulado do Antigo Testamento, chamado para auxiliar Moisés, e depois substituí-lo. 10 Introdução
  • 12. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL C - O MOTIVO E A NECESSIDADE DA CHAMADA: 1- O MINISTÉRIO NÃO É PROFISSÃO: Na antiga aliança o sacerdócio era privativo dos filhos de Aarão e os profetas eram chamados pelo Senhor diretamente. No Novo Testamento o ministério é um dom, Ele mesmo dá Ef 4:11. 11 Introdução
  • 13. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 2 - A CERTEZA DA CHAMADA: a certeza da chamada de Deus faz o servo do senhor superar obstáculos considerados impossíveis. Veja as lutas de Moisés como o povo no deserto, Nu 12. 1-16; 14.1-19; 16. 1- 19. 12 Introdução
  • 14. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL D - A CHAMADA TEM CARACTERISTICAS ESPECIFICAS: o Novo Testamento apresenta as seguintes características: 1- DIVINA: não é uma incumbência dada por uma convenção ou Igreja. Deus chama, a Igreja reconhece a presença do dom e o ministério ordena. Se não houver uma ação divina não haverá dom e não haverá ministério. 13 Introdução
  • 15. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 4 - DEFINITIVA: a chamada para o ministério é definitiva, aquele que é chamado não pode impor condições. Pelo contrario, deve agradecer a Deus o privilegio de ser chamado, Lc 9:57-62; 1Tm 1:12,13. 14 Introdução
  • 16. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 2º) O MINISTÉRIO CONFORME O NOVO TESTAMENTO: O N.T. dá ênfase ao ministério em virtude de sua importância na expansão, edificação e aperfeiçoamento da Igreja de Cristo, Ef 4:15,16; Rm 12:4,5. 15 Introdução
  • 17. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL A- O CONTEÚDO DO MINISTÉRIO: neste conteúdo esta aquilo que é de competência divina e o que é de responsabilidade do ministro chamado. 1 - VOCAÇÃO: o ministério não é uma profissão e os ministros não são profissionais empregados, fruto de uma decisão humana, nem são como os sacerdotes separados por herança familiar. 16 Introdução
  • 18. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 2 - CAPACITAÇÃO: essa capacidade não é aquela que vem como resultado da dedicação, da aplicação, que falaremos mais adiante. 3 - COMISSÃO: todos os cristãos recebem a responsabilidade de pregar o evangelho, mas o ministro recebe uma missão especifica, ele tem um trabalho a fazer. 17 Introdução
  • 19. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 1 - A PREGAÇÃO: A pregação tem o dever de anunciar a palavra de Deus na pessoa de Cristo como o único salvador, que para a salvação dos homens há um preço que só Ele poderia ter pagado. 2 - O ENSINO: O ensino é diferente da pregação, ele visa alcançar a mente da pessoa fazendo-a raciocinar. 18 Introdução
  • 20. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL C - TIPOS DE MINISTÉRIOS: Os dons estão revelados em três dimensões nas Escrituras, com o objetivo de atender todas as necessidades da Igreja e envolver todos os membros do corpo de Cristo. 19 Introdução
  • 21. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL O Dom espiritual edifica, exorta e consola o Dom ministerial, faz tudo isso e ainda ensina. O Dom espiritual depende do Dom ministerial, o ministro ensina o portador do Dom espiritual como proceder. É o caso de Paulo ensinando aos Coríntios 20 Dom Espiritual e Profético
  • 22. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL O Dom espiritual recebe a mensagem de Deus e transmite à igreja, o Dom ministerial interpreta a palavra escrita como também os mistérios espirituais. 21 Dom Espiritual e Profético
  • 23. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL O Dom ministerial trabalha com uma mensagem que Deus já falou (a palavra escrita) além de receber mensagens e revelações da parte de Deus. 22 Dom Espiritual e Profético
  • 24. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL O termo evangelista se encontra três vezes na Bíblia: Filipe o Evangelista (AT 21:8). Ele deu uns para Evangelista (EF 4:11). Faze a obra de Um Evangelista (II TM 4:5). Obs. Um homem, um Dom, um trabalho de Evangelista. 23 Dom Evangelista
  • 25. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Filipe não foi ordenado ao ministério como se faz hoje. Sua promoção foi resultado da perseguição (AT 8:1-5), a isso se acrescentou o fervente amor que tinha pelas almas, o que levou a pregar em Samaria, logo ao Etíope e depois em Azoto (AT 8:30, 40). 24 Dom Evangelista
  • 26. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Com Filipe aprendemos duas coisas: A. Evangelista é movido pelo Espírito Santo. A vocação Divina o inspira (I CO 9:16); 25 Dom Evangelista
  • 27. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Evangelista ainda que seja usado por Deus para abrir trabalhos (novas igrejas), não tem por isto direito de se julgar independente do ministério. Os apóstolos foram comunicado do trabalho em Samaria (AT 8:14), foram enviados para a cidade de Samaria os Apóstolos Pedro e João para orar pelos irmãos e doutrinar a nova Igreja em Samaria. 26 Dom Evangelista
  • 28. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL O texto de II TM 4:5 não diz que ele (Timóteo), era um Evangelista, porém sim: “Faz a obra de um Evangelista”; é claro que Paulo reconhecia que havia esse dom em Timóteo, essa é a razão das seguintes recomendações: 27 Dom Evangelista
  • 29. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL A. Deve se exercitar (I TM 4:14). O exercício ministerial desenvolve a habilidade para fazê-lo melhor. Esta é a regra (I TM 4:14-18); 28 Dom Evangelista
  • 30. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL B. Deve evitar a negligência (I TM 4:14) um homem negligente não pode ser um bom ministro de Cristo. Se negligenciar a palavra não pode pregar a palavra de Deus, se negligenciar a oração não pode orar pelos enfermos, se negligenciar o amor, não pode ganhar almas para Cristo; 29 Dom Evangelista
  • 31. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Somente o título não é suficiente, é necessário o Dom espiritual e que seja evidenciado na prática por um ministério de êxito e uma conduta disciplinada (I TM 5:1-2) por causa da complexidade desta função. 30 Dom de Pastor
  • 32. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Em João 21:15-17, na conversação que Jesus teve com Pedro ele utilizou os termos para a dupla função de Pastor que são: A. Apascentar (vs. 15,17). O vocábulo significa “alimentar, dar comida”. A linguagem – é figurada e traduz o dever de doutrinar, ministrar conhecimento, dirigir ao bom caminho. 31 Dom de Pastor
  • 33. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL B - Pastorear (v.16). Pastorear exige todas as qualidades para apascentar e ainda mias, buscar, alimentar, proteger dos tempos maus e animais ferozes (Amós 3:12; II SM 17:34-35), e ainda busca as débeis ovelhas (EZ 34:8; LC 15:1-7). 32 Dom de Pastor
  • 34. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL AS QUALIDADES DO PASTOR: Como parte da função o Pastor tem os seguintes encargos: •Doutrinar os crentes (I TM 3:2); •Apascentar o rebanho de Deus (I PE 5:1-3); •Exercer vigilância com amor (AT 20:28); •Admoestar com amor (AT 20:31; II TM 4:2); 33 Dom de Pastor
  • 35. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL AS QUALIDADES DO PASTOR: Cuidar dos necessitados (GL 2:9-10); •Visitar os enfermos (TG 5:14-15); •Cumprir o papel de despenseiro (I CO 4:1-2). 34 Dom de Pastor
  • 36. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Jesus foi o protótipo de uma série de mestres cristãos levantados por ele na igreja. Em 1 Coríntios 12:28 e Efésios 4:11, o apóstolo Paulo se refere ao ministério especial dos mestres, cuja finalidade era de instruir a verdade cristã aos crentes. 35 Mestres
  • 37. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL A comparação dos textos de Atos 13:1 com Romanos 12:7, 2 TM 1:11 e Tiago 3:1 mostramos que os mestres cristãos que exerciam seu Dom ministerial juntamente com os apóstolos, os profetas, os evangelistas e pastores (na verdade, os mestres eram sempre pastores, embora nem todos os pastores fossem sempre mestres). 36 Mestres
  • 38. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Em virtude da amplitude do ministério e sua importância no Novo Testamento, muitas designações são dadas aos ministros. Essas designações também nos proporcionam conhecer a extensão da atividade ministerial. 37 Ministros
  • 39. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL A - ANJO DA IGREJA: Ap 1.20; 2.1, o pastor da igreja é chamada de anjo da igreja. Considerando que a palavra anjo no grego significa mensageiro, entende-se que o pastor da igreja é o mensageiro de Deus pelo Espírito Santo para transmitir a mensagem de Deus que edifica conforta e dirige a igreja. 38 Ministros
  • 40. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL B - DEFENSOR DA FÉ: FL 1.7,16, 17, o ministro não é um mercenário ou explorador da fé nem tampouco um covarde, mas um defensor do evangelho. Pregando, e ensinando com o seu viver exemplar, do púlpito ele defende o evangelho dos ataques dos inimigos de Deus e da sã doutrina. 39 Ministros
  • 41. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL E - ESTRELA: Ap 1.20, estrelas na mão do Senhor, e as igrejas são consideradas castiçais, enquanto o pastor bilhar na igreja por estar na mão do Senhor, a igreja será sem duvida um castiçal, a luz do mundo. 40 Ministros
  • 42. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL F - COOPERADOR: 1. Co 3.9, cooperador é aquele que trabalha ao lado do operador. Deus é o operador, ele opera a salvação, os milagres, o crescimento, Jo 1:3-5, 12,13; 3.5; At 3:16; 1Co 3:7. e sem ele se faz. O ministro é chamado e colocado ao lado do Senhor para ser o instrumento que ele usa no devido tempo. 41 Ministros
  • 43. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL H - MINISTRO: 1Co 4.1, “DIAKONOS” Este termo representa todo o tipo de serviço secular e religioso, (LC. 12.37; 17.8; JO 12.2) estes textos se referem à atividade de servir as mesas. 42 Ministros
  • 44. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 1- FIDELIDADE: lealdade, firmeza, exatidão, (1ª CO 4:1,2; HB 3:5; NU 12.7; MT 24:45-47). Fiel, que cumpre aquilo a que se obriga. 43 Qualificações de um Ministro
  • 45. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 2- OBEDIÊNCIA: ( 1 SM 15.22; HB 5.8; 11.8 ). Vale mais do que sacrifício. Obediência é corresponder exatamente com a vontade do Senhor naquilo que se deve fazer, quando ordenado pelo Senhor através de um ministro superior. 44 Qualificações de um Ministro
  • 46. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 3 - PRUDÊNCIA: virtude que leva o homem a conhecer e a praticar o que lhe convém, tino, moderação, ( JS 1.7-9; PV 14.15; OS 14.9; EF 5.15). Qualidade de quem age com cautela, com sensatez. 45 Qualificações de um Ministro
  • 47. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 4 - EFICIÊNCIA: ação, força, virtude de produzir um efeito, eficaz, que produz efeitos, (RM 12.11; AT 20.18-21, 26,27). Capacidade de produzir efeitos positivos, tanto na obra de Deus, como na vida das pessoas. 46 Qualificações de um Ministro
  • 48. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 5 - DILIGÊNCIA: ( PV 10:4; 12:24,27; 22:29; LC 15:8 ). Cuidado intenso, presteza, providência. Uma pessoa diligente, não será apanhada de surpresa quando for solicitada para executar alguma coisa. 47 Qualificações de um Ministro
  • 49. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 6 - VIGILÂNCIA: vigiar, estar atento, observar atentamente, ( MC 13:33-37: LC 12.37; 1 PD 5:8). Estar atento, cuidadoso, precavido, ficar de sentinela. Essa virtude se relaciona com a atividade de não se permitir ser surpreendido pelo maligno, pois estamos numa batalha espiritual. 48 Qualificações de um Ministro
  • 50. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 7 – INTEGRIDADE: íntegro, completo, perfeito, reto, ( 1 TS 2:10,11; 1 TM 3:2; TT 1:7). Honesto, inteiro em seu caráter. Estas qualidades para a vida de um ministro são indispensáveis, por que seu ministério se baseia na sua qualidade moral. A base da atividade pública de um homem é a sua moral. 49 Qualificações de um Ministro
  • 51. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 10 – GOVERNO: (1 TM 3.4,5, 7). Capacidade de condução, tanto de si próprio, de sua casa, como também da Igreja de Deus. Governo é um Dom espiritual, (1ª CO 12:28) esse é o Dom que os lideres tem que Ter, (RM 12:8) para presidir a obra de Deus. 50 Qualificações de um Ministro
  • 52. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 11 – CAPACIDADE: ( 1 TM 3.2; 4.15,16). Apto para ensinar. Aptidão, capacidade nata ou adquirida, capacidade, habilidade, idoneidade. 51 Qualificações de um Ministro
  • 53. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL O serviço pastoral compreende vários aspectos do ponto de vista pratico, pois ao pastor como anjo da igreja cabe a responsabilidade de liderar e orientar o rebanho de Deus. 52 Ocupações do Pastor
  • 54. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 1 - A PREGAÇAO E O ENSINO: pregar e ensinar constitui a base do serviço pastoral, considerando que o ministério de Jesus e da igreja primitiva se fundamentou nessa premissa, cabe a nós seguirmos o exemplo. 53 Ocupações do Pastor
  • 55. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 2 - VISITAÇÃO: O pastor não desenvolve seu ministério somente no púlpito, mas também nas casas, visto que alem dos problemas que surgem nas famílias, há os enfermos que precisam do ministro para orar por eles, Tg 5.13-20. Ainda que haja uma boa equipe de visitas há casos que é necessário a presença do pastor. 54 Ocupações do Pastor
  • 56. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 3 - ACONSELHAMENTO: Malaquias 2:7 diz que do sacerdote se busca a lei. O aconselhamento é uma atividade indispensável no ministério, é uma ocupação que alcança desde a criança ao ancião. E não poucas vezes o ministro é chamado para aconselhar pessoas de fora da igreja. 55 Ocupações do Pastor
  • 57. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL 5 - A ADMINISTRAÇÃO: A administração espiritual e material da igreja que lhe confiou. 56 Ocupações do Pastor
  • 58. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL A - A ADMINISTRAÇÃO ESPIRITUAL: Essa parte diz respeito as atividades espirituais da igreja abrangendo cultos, ordenanças, festas ,estudos bíblicos, louvor, etc. é claro que o pastor não faz tudo isso sozinho, porém ele organiza, supervisiona, designa pessoas para fazer o trabalho, de maneira que nenhum trabalho se faz sem o seu conhecimento. 57 Ocupações do Pastor
  • 59. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Na antiga aliança Deus determinou que os sacerdotes e os levitas fossem sustentados para o exercício do ministério, Nu 18:1-7; Dt 18:5. Na nova aliança segue-se a mesma idéia de quem serve no altar como do altar. O pastor é sustentado financeiramente para ter tempo integral para a obra de Deus, são muitas as atividades e se ele se embaraça com negócios desta vida não conseguira cumprir sua missão. 58 Sustento pastoral
  • 60. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Para cada culto é necessário haver planejamento, o culto tem horário para começar e terminar, exceto se o Espírito Santo quiser fazer algo diferente. Num culto público, que normalmente é o de domingo a noite, a organização dos cânticos, que em tudo deve obedecer ao critério do louvor. 59 O Pastor e as Reuniões na Igreja
  • 61. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Não é a apresentação de um conjunto ou de um cantor simplesmente, é louvor ao Senhor, pelo menos deve ser. A seleção da qualidade das músicas, hinos; a leitura da palavra, o comportamento dos obreiros no púlpito durante a reunião, tudo isso tem que fazer parte da solenidade do culto. 60 O Pastor e as Reuniões na Igreja
  • 62. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL A igreja é um ambiente de reverencia e o exemplo tem que vir do púlpito. A oferta no culto, os obreiros devem ter o cuidado de participar desse serviço, contribuindo é lógico. Os cultos de oração e ensino, quando a igreja chegar tem que ver seu pastor ali orando, e ter o cuidado para não permitir que coisa alguma desvie sua atenção. 61 O Pastor e as Reuniões na Igreja
  • 63. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL O texto em apreço diz: “que esses visam o “aperfeiçoamento dos santos”, para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo”. •Aperfeiçoamento, “katartiso”, quer dizer, completar o caráter de alguém, sarar, tornar a juntar, equipar. Esse termo envolve preparar, treinar, equipar. 62 Dons de Liderança ou Ministeriais
  • 64. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL A palavra é um termo técnico para “consertar um osso quebrado”; também se refere ao ato dinâmico pelo qual pessoas ou coisas são condicionadas adequadamente. Como resultado do exercício dos dons ministeriais, os crentes são “equipados” ou preparados para administrar os seus dons conforme a palavra de Deus, (1 Pd 4:10,11). 63 Dons de Liderança ou Ministeriais
  • 65. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL Todas as decisões em relação à igreja deverão ser tomadas com base na palavra de Deus. Somente através da palavra de Deus será possível manter a igreja no curso que a levará ao porto seguro, o céu. A ele cabe tomar as decisões. A capacidade de tomar decisões é uma função importante na vida de quem administra. 64 Dom de Administração
  • 66. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: TEOLOGIA PASTORAL O ministério cristão é uma função, que para ser exercida, necessitará de uma vocação celestial tal como a abordado neste testo. Seja qual for a atividade que Deus tenha colocado você, se para exercer um Dom ministerial, ou se para trabalhar numa das mais humildes funções existentes na obra de Deus. Você dependerá destes elementos fundamentais: 65 Conclusão