SlideShare uma empresa Scribd logo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
ORIENTAÇÕES
O Slide aqui apresentado, tem como objetivo apresentar um
RESUMO do Livro estudo na Disciplina. Dessa forma:
1. Realize a leitura com total cuidado e oração.
2. Utilize a Bíblia, Dicionários e outras fontes teológicas para
acompanhamento das passagens mencionadas.
3. As imagens são meramente ilustrativas.
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Prezado Aluno (a),
Vamos começar nosso Estudo sobre a
Liderança. Procure aprender com atenção os
conceitos e práticas que podem ser aplicados
em uma Liderança eficaz. Bons Estudos!
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O estudo da liderança é de suma importância,
principalmente, na época em que estamos
vivendo, a fim de ajudar o homem escolhido
por Deus a ter sucesso em sua missão.
1
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O desconhecimento deste magno assunto leva
o líder cristão a incorrer em erros e problemas
que poderiam ser evitados, caso fossem
tratados de acordo com as técnicas de
liderança conhecidas nos livros que versam
sobre o assunto.
2
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
A liderança cristã pode ser definida como
“uma vocação em que há uma perfeita
mistura de qualidades humanas e divinas, ou
um trabalho harmonioso entre o homem e
Deus destinado ao ministério e bênçãos das
demais pessoas”.
3
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Você, muitas vezes, deve ter-se perguntado:
“Afinal de contas, eu assumo uma posição de
autoridade, mas sou um chefe, um líder ou
um gerente?”.
4
Chefia e Liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Você pode até pensar: "Se o chefe chefia,
chefio, se o gerente gerencia, eu gerencio e
se o líder lidera, é claro que eu lidero...”
5
Chefia e Liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
A grande verdade é que não existe uma
terminologia exata, diferenciada, uma
semântica particular para cada linha de
palavra quando se trata de assuntos tidos
como "não científicos" como é o caso da
Administração.
6
Chefia e Liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Não vamos nos perder em conceituações, mas
apenas expor algumas relações que achamos
fundamentais no processo de “dirigir
pessoas”.
7
Chefia e Liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O Líder é aquele que aparece no grupo, o que
muitas vezes vai à frente, é o que tem poder
do prestígio e não da posição. É claro, em se
tratando de uma liderança democrática.
8
Chefia e Liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O Líder é aquele que exerce uma influência,
obtendo das pessoas maior cooperação e
menor oposição ou nenhuma oposição.
9
Chefia e Liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O líder é aquele que conquista, que cativa,
que doutrina, que desenvolve a
automotivação. O chefe nem sempre cativa,
impõe; nem sempre conquista, domina.
O líder influencia nas idéias e, através delas,
move os atos.
10
A liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O chefe move os atos e, através deles,
influencia as ideias.
E a grande pergunta é esta. O que você
gostaria de ser, fazer, agir?
Influenciar as idéias e através delas mover os
atos (e motivação vem de movere, o que
move os homens)?
11
A liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Mover os atos e através deles influenciar as
idéias?
O líder, o gerente e o chefe têm uma coisa em
comum: direito de mandar e poder de fazer-
se obedecido, comunhão com o poder, com a
autoridade.
12
A liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O líder tem o poder do prestígio, o chefe que
não é líder tem o poder da autoridade “seca”,
apenas autoridade, autoridade de posição, de
mando, e não de comando.
O poder do chefe não-líder é o poder da
cadeira, o poder do líder é o poder da
comunhão grupal, da representação dos
sentimentos, razões e ação do grupo.
13
A liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
A autoridade do líder democrático é
consentida, a autoridade do chefe é a da
imposição.
Não existe “impor pelo prestígio”, se o líder
tem prestígio às pessoas seguem, não há
coação nem dominação. Há ação humana
individual. E ação grupal. Em busca de um
objetivo comum.
14
A liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
A pessoa eficiente está preocupada apenas
em trabalhar, cumprir seu cargo, a pessoa
eficaz está preocupada em resultados.
Ela sabe que só conta ponto o resultado final,
independente de esforço, atividade e tempo.
15
Liderança: ser eficiente ou ser eficaz?
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Já a pessoa voltada para a eficiência se
concentra no esforço, na atividade de ação.
Ela raciocina que o esforço MAIS atividades
VEZES o tempo de concentração contam
muitos pontos.
16
Liderança: ser eficiente ou ser eficaz?
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Uma pessoa eficiente se preocupa apenas em
resolver problemas, sem se preocupar com a
exploração máxima de suas potencialidades e
limitações a partir da criatividade.
17
Liderança: ser eficiente ou ser eficaz?
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O eficaz, mais do que tudo faz as COISAS
CERTAS, enquanto que o eficiente faz BEM AS
COISAS. E sabemos que, na chefia, a pior coisa
é fazer “bem feitinho” o que não precisa ser
feito.
18
Liderança: ser eficiente ou ser eficaz?
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Uma pessoa eficiente é tecnocrata e
burocrata, isto é, está voltada para a técnica e
não para a estratégia, voltada para o sistema
repetitivo, para a burocracia que muitas vezes
estraga ou engarrafa a realização dos
objetivos da empresa.
19
Liderança: ser eficiente ou ser eficaz?
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Já o eficaz é ideocrata, preocupa-se com as
ideias certas e não com AS IDEIAS BOAS e é
mercadocrata, isto é, está voltado para o
mercado como uma empresa centrada para
fora (mercado), que escuta a voz de seu
negócio e não a voz de sua burocracia interna.
20
Liderança: ser eficiente ou ser eficaz?
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Muitos ainda pensam que basta ter o título de Diretor, de
Chefe, ou de Mestre para que isto dê um prestígio tal, que
todo o grupo vai obedecer, automaticamente, à pessoa que
dirige, simplesmente por ter sido investida de “autoridade”.
21
Liderança para dirigir pessoas
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Para se ter realmente autoridade, é necessário, para a pessoa
que dirige, não ter somente uma série de qualidades, mas
ainda ter aprendido o ofício da direção. É fato observável por
todos que qualquer grupo social precisa ser dirigido por pessoa
que o guie para atingir os objetivos comuns ou satisfazer os
interesses dos seus membros.
22
Liderança para dirigir pessoas
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
A procura de maior autonomia, de maior liberdade, é a
motivação profunda do homem e da sociedade. A sua
dependência às autoridades chamadas também de Alienação
ou Heteronomia é o que constitui a maior doença social dos
nossos tempos.
23
Liderança para dirigir pessoas
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Pergunte-se: Qual será minha tarefa primordial?
Fazer evoluir o homem, para fazê-lo passar de autômato a
homem consciente de suas responsabilidades e da sua posição
no mundo, é tarefa primordial do dirigente.
24
Liderança para dirigir pessoas
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Dentro de qualquer grupo social, o líder é a peça mestra,
catalisadora das energias individuais. Deve-se, por conseguinte,
dar atenção toda especial aos dirigentes, quando se quer criar,
modificar ou aperfeiçoar uma coletividade, seja nação,
empresa, associação ou turma de alunos.
25
Liderança para dirigir pessoas
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
OBSERVE:
Qualquer indivíduo só poderá ser considerado como líder se
pela sua personalidade:
1. dirige um grupo social;
2. tem a participação espontânea do grupo.
26
Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Muitas vezes, um indivíduo torna-se líder porque tem a
personalidade necessária para uma situação particular de
liderança; é o homem da situação muito freqüente na política.
Além da “situação”, são as características do grupo e o meio
ambiente que determinam o tipo de líder desejado.
27
Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O líder pode ser estímulo, para o grupo ou pode ser “reação”
ao grupo, e, na maioria dos casos, os dois.
Os estudos de psicologia da aprendizagem mostram que os
indivíduos rendem muito mais quando interessados.
28
Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
E o líder sabe fazer interessar os membros do seu grupo. A
produtividade de um grupo nessas condições é sempre maior
que a de um grupo dirigido por um chefe ou diretor, mas não
líder.
29
Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
VEJAMOS:
Todo o mundo sabe que há várias maneiras
de dirigir, sendo que se podem distinguir três
tipos principais de direção, que são os
seguintes:
30
Tipos de Liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
A direção autocrática ou ditatorial;
A direção laissez-faire ou deixa como está
para ver como é que fica;
A direção-liderada ou liderança.
31
Tipos de Liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O ditador não se importa em saber o que seus
subordinados pensam. Ele os trata como
simples lacaios, dando ordens que devem ser
cumpridas sem discussão; faça isto, faça
aquilo; é o lema do diretor. É em geral uma
pessoa irritável, brutal, colérica, egoísta e
incapaz de compreender os outros. Não tem,
aliás, nenhum interesse para isto.
33
A direção autocrática
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O dirigente autocrático provoca, em geral,
revolta nas pessoas que ele dirige, ou, então,
uma passividade completa que resumi-se em:
“É melhor fazer o que ele quer, mesmo se eu
achar que ele vai levar o empreendimento ao
fracasso; não adianta discutir; a culpa será
dele e não minha; também não vou fazer um
pingo a mais do que ele me ordenar”.
34
A direção autocrática
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Laissez-faire em português quer dizer deixar
fazer. O lema deste grupo de dirigentes é:
“deixar como está para ver como é que fica”.
Em geral o dirigente desse tipo é uma pessoa
muito insegura, que tem receio de assumir
responsabilidades.
35
A direção laissez-faire
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Ao contrário do outro que dava ordens, este
não dá instrução nenhuma, cada um de seus
auxiliares faz o que quer e como bem
entende. Na divisão do trabalho, na repartição
das responsabilidades, a confusão é completa.
A sua direção gera atritos e desorganização
entre seus funcionários.
36
A direção laissez-faire
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
A liderança é a direção na qual se procura
concentrar toda a atenção sobre as atitudes e
interesses dos subordinados que não são
tratados como simples auxiliares, mas, sim,
como colaboradores. O líder é a pessoa que
procura dirigir com a cooperação, a
participação espontânea e a boa vontade das
pessoas que ele dirige.
37
A direção liderada ou liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Toda a sua atenção está concentrada sobre o
que o pessoal pensa; ele sabe obter o máximo
de produtividade através do máximo de boa
vontade. O líder consegue, graças a dois
fatores principais, que são: a sua
personalidade e a sua técnica de liderar.
38
A direção liderada ou liderança
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Enquanto o ditador provoca medo, revolta ou
passividade, o líder consegue comunicar aos
seus colaboradores equilíbrio, alegria em
trabalhar e em cooperar, enfim, produtividade
máxima. Grande parte disto provém de suas
qualidades pessoais, as quais descrevemos da
seguinte forma:
39
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
1. Autocontrole
O líder é uma pessoa que controla as suas
reações, que vira a língua dez vezes na boca
antes de emitir uma opinião de grande
responsabilidade. Ele não se deixa levar pelos
seus impulsos; quando alguém fica malcriado
com ele, procura, antes de tudo, compreender
porque a pessoa se mostra irritada.
40
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
2. Empatia ou compreensão de outrem
O líder procura estar sempre a par dos
problemas de cada um. Enfim, o líder procura
antes de tudo compreender o ser humano,
aproveitando as suas qualidades em benefício
próprio e em beneficio da coletividade.
41
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
3. Procura da unanimidade
Além disto, o líder procura sempre obter o
acordo de todos, evitando apoiar-se só na
maioria, pois sabe que às vezes a minoria tem
razão. Ele deixa a minoria ter sua
oportunidade para conquistar a maioria.
42
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
4. Dar o exemplo
Entre as características pessoais do líder
convém, ainda, lembrar que ele deve ter
qualidades superiores à média do seu grupo, a
fim de ser um exemplo. Isto é necessário
inclusive para poder transmitir novos
conhecimentos aos colaboradores; neste
sentido o líder é também educador.
43
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
5. Atitude de respeito humano
O líder respeita profundamente o ser
humano. Trata-o com cortesia e delicadeza. É
interessante notar que a atitude do líder tem
uma importância fundamental no ambiente
de trabalho e uma influência muito maior do
que se pensa.
44
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
6. Enfrentar as tensões e conflitos
Cada vez que uma pessoa ou um grupo tem
objetivos para alcançar, nasce, com este
objetivo, uma tensão. Liderar pessoas consiste
ao mesmo tempo em liderar tensões.
45
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Quando surge um conflito entre pessoas, o
líder costuma reunir estas pessoas para
analisar as causas do conflito, e resolvê-lo,
com a participação de todos os interessados;
criou para isto um clima de franqueza e de
compreensão mútua.
46
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
7. Como obter a cooperação dos dirigidos
Já vimos que o líder procura, antes de tudo,
compreender as pessoas. Para isto ele tem de
sentir dois pontos essenciais que os
empregados costumam esperar de seus
chefes. São pontos que descreveremos a
seguir:
47
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
a. Recompensa do esforço
Ora, a pedagogia e a psicologia modernas
ensinam que se castigo dá, “às vezes”,
resultado, o prêmio, a recompensa do
esforço de cada um dá muito mais ainda.
Não custa nada chamar um operário e
dizer-lhe “estou satisfeito com o seu
trabalho!”
48
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Isto terá um grande significado para o
trabalhador, que passa a perceber que seu
esforço está sendo reconhecido. Com isto ele
cooperará melhor.
49
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
b. Salário justo
Oferecer ao trabalhador um salário adequado
ao mercado e a atividade desenvolvida.
Tornando justo o salário pago. O trabalhador
se sente valorizado.
50
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
b. Compreensão
O trabalhador quer ser tratado com paciência
quando está por algum motivo impossibilitado
de render como de costume. Ele quer que seu
chefe compreenda que ele também é um ser
humano que tem as suas preocupações, as
suas dificuldades e as suas doenças.
51
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
c. Tratamento cortês
Qualquer pessoa quer ser tratada com
cortesia e corresponde muito mais ao que se
espera dela se o seu dirigente observar as
normas elementares de boas maneiras e de
delicadeza, as quais, aliás, serão imitadas por
todos.
52
Qualidade de um Líder
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Respeitar o ser humano e crer nas suas
possibilidades, que são imensas.
53
Os 10 mandamentos do líder
1
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Confiar no grupo, mais que em si
mesmo.
54
Os 10 mandamentos do líder
2
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Evitar críticas a qualquer pessoa em
público, procurando sempre elogiar,
diante do grupo, os aspectos positivos
de cada um.
53
Os 10 mandamentos do líder
3
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Estar sempre dando o exemplo, em vez
de ficar criticando todo o tempo.
54
Os 10 mandamentos do líder
4
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Evitar dar ordens, procurando a
cooperação de cada um.
55
Os 10 mandamentos do líder
5
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Dar a cada um o seu lugar, levando em
consideração os seus gostos, interesses
e aptidões pessoais.
56
Os 10 mandamentos do líder
6
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Evitar tomar, mesmo de maneira
provisória, a iniciativa de uma
responsabilidade que pertença a
outrem, mesmo pensando que faria
melhor; no caso de chefes que lhe são
subordinados, evitar “passar por cima”
deles.
57
Os 10 mandamentos do líder
7
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Consultar os membros do grupo, antes
de tomar uma resolução importante,
que envolva interesses comuns.
58
Os 10 mandamentos do líder
8
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Antes de agir, explicar aos membros do
grupo o que vai fazer e o porquê.
59
Os 10 mandamentos do líder
9
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Evitar tomar parte nas discussões,
quando presidir uma reunião; guardar
neutralidade absoluta, fazendo
registrar, imparcialmente, as decisões
do grupo.
60
Os 10 mandamentos do líder
10
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Observamos na primeira parte deste estudo
que, a maioria dos estudiosos do assunto,
concordam que o atributo básico da liderança
é a capacidade de influenciar seus liderandos.
61
Liderança no Cristianismo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Na liderança cristã é preciso definir qual é o
objetivo e o método a ser seguido pelos
líderes cristãos, e este padrão se encontra na
própria Bíblia.
62
Liderança no Cristianismo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Em Ef 4.11-16, o apóstolo Paulo falando
acerca de Jesus afirma que: “Ele mesmo
concedeu uns para apóstolos, profetas,
evangelistas, pastores e mestres, com vistas
ao aperfeiçoamento dos santos... para a
edificação... até que cheguemos à unidade da
fé e do pleno conhecimento do Filho de
Deus... à medida da plenitude de Cristo”.
63
Liderança no Cristianismo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Ou seja, afirma que o ministério cristão foi
concedido para que a igreja tivesse gradual
crescimento espiritual até que se alcançasse a
imagem de Cristo que uma vez foi implantada
em nós por ocasião do novo nascimento.
64
Liderança no Cristianismo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Uma das finalidades desse crescimento é “...
para que não sejamos mais como meninos
agitados de um lado para outro e levados por
todo vento de doutrina, pela artimanha dos
homens e pela astúcia com quem induzem ao
erro”, e o resultado disso é que “... todo corpo
bem ajustado e consolidado... efetua o seu
próprio aumento para edificação de si mesmo
em amor”.
65
Liderança no Cristianismo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O modelo cristão é o tipo de líder que se
espelha em Cristo e em seus ministros
procurando um padrão de conduta para
exercer o ministério.
66
Liderança no Cristianismo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
É o líder que procura ganhar a confiança de
seus liderandos atendendo aos requisitos
bíblicos sem desmerecer sua
responsabilidade, sabendo aproveitar a
capacidade dos outros e acima de tudo se
entrega com amor ao seu ministério.
67
Liderança no Cristianismo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
São humildes, mas não enfraquecidos;
dependentes de Deus, mas não sem
iniciativa; ousados, mas em moderação;
confiantes, sem perder a perspectiva; se
precaver de seus liderados, mas sem perder a
confiança neles; enfim, não se baseia em suas
experiências de liderança, mas tem a direção
do Senhor.
68
Liderança no Cristianismo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Qualificações sociais
 Modesto;
 Hospitaleiro;
 Ter bom testemunho.
69
Liderança no Cristianismo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Qualificações morais
 Ser irrepreensível;
Esposo de uma só mulher e mulher de um
só marido;
 Temperante;
 Não dado ao vinho.
70
Liderança no Cristianismo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Qualificações pessoais
 Hospitaleiro;
 Não cobiçoso;
 Apto a ensinar;
 Não violento;
 Cordial;
 Não avarento;
 Não arrogante;
71
Liderança no Cristianismo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Qualificações de maturidade
 Bom pai e marido;
 Não pode ser novo convertido;
 Sóbrio apto a ensinar e a exortar;
72
Liderança no Cristianismo
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Estudar sempre
Conforme 2Tm 2.15 o obreiro tem que
“...manejar bem a palavra da verdade”. O
próprio Paulo em final de carreira solicitou a
Timóteo que levasse “... a capa... os livros, e
especialmente os pergaminhos”.
73
Hábitos dos líderes
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Orar
É através da oração que conhecemos a
vontade de Deus, os seus propósitos e as
coisas que são ocultas aos olhos humanos.
74
Hábitos dos líderes
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Atualizar
O obreiro deve estar por dentro das notícias
mais importantes sobre a situação
econômica e política do seu país, além de
conhecer questões sobre direito, psicologia,
filosofia, sociologia etc.
75
Hábitos dos líderes
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Aproveitar as oportunidades
O bom obreiro sabe tirar proveito das
diversas oportunidades que aparecem. É
otimista. Tem visão. Consegue ver a bênção
onde ninguém mais vê. Sabe aproveitar o
tempo e consegue produzir mais, com
menos esforço.
76
Hábitos dos líderes
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Veste-se bem
Ou seja, está sempre de acordo com a
situação. Não gasta mais do que deve, mas
esta sempre ajustado ao ambiente em que
se encontra.
77
Hábitos dos líderes
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
O papel de líder surge em dois planos. Um é
o que, naturalmente, foi designado ao líder
ou obreiro. O outro é o que surge,
espontaneamente, entre os membros do
grupo.
78
Hábitos dos líderes
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Neste caso, a liderança adquire cores muito
diferenciadas, desde os líderes construtivos
que exercem o importante papel de
integradores e que ajudam na unidade do
grupo, até os líderes negativos, nos quais
prevalece uma excessiva necessidade de
mandar e controlar as pessoas.
79
Hábitos dos líderes
FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL
DISCIPLINA: LIDERANÇA
Agora és sua vez querido (a) aluno (a)!
Exerça com sabedoria divina todos os
conceitos e práticas aqui abordados e
encontrará o caminho para uma Liderança
de sucesso!!
80
Hábitos dos líderes
Disciplina de Liderança

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
shalonahr
 
Série Igreja A igreja que queremos ser
Série Igreja   A igreja que queremos serSérie Igreja   A igreja que queremos ser
Série Igreja A igreja que queremos ser
Eid Marques
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
Ismael Isidio
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
Adenísio dos Reis
 
Culto e Liturgia
Culto e LiturgiaCulto e Liturgia
Disciplina Administração Eclesiástica
Disciplina Administração EclesiásticaDisciplina Administração Eclesiástica
Disciplina Administração Eclesiástica
faculdadeteologica
 
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
Felicio Araujo
 
Teologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - CristologiaTeologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - Cristologia
Gcom digital factory
 
Aperfeiçoamento de liderança cristã
Aperfeiçoamento de liderança cristãAperfeiçoamento de liderança cristã
Aperfeiçoamento de liderança cristã
Pastor Juscelino Freitas
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
Alípio Vallim
 
APOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUS
APOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUSAPOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUS
APOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUS
PASTOR CARLOS SILVA
 
Lição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da SalvaçãoLição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da Salvação
Éder Tomé
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
Moisés Sampaio
 
Teologia de Deus aula 2
Teologia de Deus aula 2Teologia de Deus aula 2
Teologia de Deus aula 2
Moisés Sampaio
 
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
faculdadeteologica
 
FORMAÇÃO SOBRE A BÍBLIA
FORMAÇÃO SOBRE A BÍBLIAFORMAÇÃO SOBRE A BÍBLIA
FORMAÇÃO SOBRE A BÍBLIA
WebExecutivo1
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
Ednilson do Valle
 
Discipulado na Prática
Discipulado na PráticaDiscipulado na Prática
Discipulado na Prática
Narlea Walkyse
 
Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03
Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03
Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03
Joary Jossué Carlesso
 
Como preparar uma pregação
Como preparar uma pregaçãoComo preparar uma pregação
Como preparar uma pregação
Alípio Vallim
 

Mais procurados (20)

Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
 
Série Igreja A igreja que queremos ser
Série Igreja   A igreja que queremos serSérie Igreja   A igreja que queremos ser
Série Igreja A igreja que queremos ser
 
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATOLIÇÃO 12 – O DIACONATO
LIÇÃO 12 – O DIACONATO
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
 
Culto e Liturgia
Culto e LiturgiaCulto e Liturgia
Culto e Liturgia
 
Disciplina Administração Eclesiástica
Disciplina Administração EclesiásticaDisciplina Administração Eclesiástica
Disciplina Administração Eclesiástica
 
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
 
Teologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - CristologiaTeologia sistematica - Cristologia
Teologia sistematica - Cristologia
 
Aperfeiçoamento de liderança cristã
Aperfeiçoamento de liderança cristãAperfeiçoamento de liderança cristã
Aperfeiçoamento de liderança cristã
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
 
APOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUS
APOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUSAPOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUS
APOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUS
 
Lição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da SalvaçãoLição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da Salvação
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
 
Teologia de Deus aula 2
Teologia de Deus aula 2Teologia de Deus aula 2
Teologia de Deus aula 2
 
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo TestamentoDisciplina de Teologia do Novo Testamento
Disciplina de Teologia do Novo Testamento
 
FORMAÇÃO SOBRE A BÍBLIA
FORMAÇÃO SOBRE A BÍBLIAFORMAÇÃO SOBRE A BÍBLIA
FORMAÇÃO SOBRE A BÍBLIA
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
 
Discipulado na Prática
Discipulado na PráticaDiscipulado na Prática
Discipulado na Prática
 
Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03
Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03
Discipulado - EBO Bauru/SP - Palestra 03
 
Como preparar uma pregação
Como preparar uma pregaçãoComo preparar uma pregação
Como preparar uma pregação
 

Destaque

Disciplina de Bibliologia
Disciplina de BibliologiaDisciplina de Bibliologia
Disciplina de Bibliologia
faculdadeteologica
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
faculdadeteologica
 
07
0707
Disciplina de Teologia Pastoral
Disciplina de Teologia PastoralDisciplina de Teologia Pastoral
Disciplina de Teologia Pastoral
faculdadeteologica
 
Disciplina de Arqueologia Bíblica
Disciplina de Arqueologia BíblicaDisciplina de Arqueologia Bíblica
Disciplina de Arqueologia Bíblica
faculdadeteologica
 
Disciplina O Culto Bíblico
Disciplina O Culto BíblicoDisciplina O Culto Bíblico
Disciplina O Culto Bíblico
faculdadeteologica
 
Disciplina de Oratória - Como Falar em Público
Disciplina de Oratória - Como Falar em PúblicoDisciplina de Oratória - Como Falar em Público
Disciplina de Oratória - Como Falar em Público
faculdadeteologica
 
Disciplina de Homilética I
Disciplina de Homilética IDisciplina de Homilética I
Disciplina de Homilética I
faculdadeteologica
 
Disciplina de Escatologia
Disciplina de EscatologiaDisciplina de Escatologia
Disciplina de Escatologia
faculdadeteologica
 
26
2626
Disciplina História do Cristianismo
Disciplina História do CristianismoDisciplina História do Cristianismo
Disciplina História do Cristianismo
faculdadeteologica
 
Disciplina de Missiologia
Disciplina de MissiologiaDisciplina de Missiologia
Disciplina de Missiologia
faculdadeteologica
 
Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo TestamentoDisciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
faculdadeteologica
 
06 psicologia pastoral
06 psicologia pastoral06 psicologia pastoral
06 psicologia pastoral
CursosTeologicos
 
03 exege bíblica
03 exege bíblica03 exege bíblica
03 exege bíblica
CursosTeologicos
 
16 como ministrar cerimônias religiosas
16 como ministrar cerimônias religiosas16 como ministrar cerimônias religiosas
16 como ministrar cerimônias religiosas
CursosTeologicos
 
17
1717
23
2323
22
2222
20
2020

Destaque (20)

Disciplina de Bibliologia
Disciplina de BibliologiaDisciplina de Bibliologia
Disciplina de Bibliologia
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
 
07
0707
07
 
Disciplina de Teologia Pastoral
Disciplina de Teologia PastoralDisciplina de Teologia Pastoral
Disciplina de Teologia Pastoral
 
Disciplina de Arqueologia Bíblica
Disciplina de Arqueologia BíblicaDisciplina de Arqueologia Bíblica
Disciplina de Arqueologia Bíblica
 
Disciplina O Culto Bíblico
Disciplina O Culto BíblicoDisciplina O Culto Bíblico
Disciplina O Culto Bíblico
 
Disciplina de Oratória - Como Falar em Público
Disciplina de Oratória - Como Falar em PúblicoDisciplina de Oratória - Como Falar em Público
Disciplina de Oratória - Como Falar em Público
 
Disciplina de Homilética I
Disciplina de Homilética IDisciplina de Homilética I
Disciplina de Homilética I
 
Disciplina de Escatologia
Disciplina de EscatologiaDisciplina de Escatologia
Disciplina de Escatologia
 
26
2626
26
 
Disciplina História do Cristianismo
Disciplina História do CristianismoDisciplina História do Cristianismo
Disciplina História do Cristianismo
 
Disciplina de Missiologia
Disciplina de MissiologiaDisciplina de Missiologia
Disciplina de Missiologia
 
Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo TestamentoDisciplina de Teologia do Antigo Testamento
Disciplina de Teologia do Antigo Testamento
 
06 psicologia pastoral
06 psicologia pastoral06 psicologia pastoral
06 psicologia pastoral
 
03 exege bíblica
03 exege bíblica03 exege bíblica
03 exege bíblica
 
16 como ministrar cerimônias religiosas
16 como ministrar cerimônias religiosas16 como ministrar cerimônias religiosas
16 como ministrar cerimônias religiosas
 
17
1717
17
 
23
2323
23
 
22
2222
22
 
20
2020
20
 

Semelhante a Disciplina de Liderança

A liderança
A liderançaA liderança
A liderança
Filipe Simão Kembo
 
A liderança
A liderançaA liderança
A liderança
Filipe Simão Kembo
 
Apostila 04 -_2011
Apostila 04 -_2011Apostila 04 -_2011
Apostila 04 -_2011
Fernanda Germano
 
PrincíPios De LiderançA
PrincíPios De LiderançAPrincíPios De LiderançA
PrincíPios De LiderançA
Messias Matusse
 
Aula 3 lgc
Aula 3 lgcAula 3 lgc
Aula 3 lgc
Tuane Paixão
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
mauricio souza
 
Servir e liderar módulo 1
Servir e liderar módulo 1Servir e liderar módulo 1
Servir e liderar módulo 1
AndreiaMedeiros
 
Aula 20 desenvolvendo a arte de administrar
Aula 20   desenvolvendo a arte de administrarAula 20   desenvolvendo a arte de administrar
Aula 20 desenvolvendo a arte de administrar
Luiz Siles
 
Liderança cristã o Líder e seus conflitos
Liderança cristã   o Líder e seus conflitosLiderança cristã   o Líder e seus conflitos
Liderança cristã o Líder e seus conflitos
Abdias Barreto
 
Liderança | chefias
Liderança | chefiasLiderança | chefias
A essência da liderança.pptx
A essência da liderança.pptxA essência da liderança.pptx
A essência da liderança.pptx
VanildaCapinam
 
Liderança cristã o lider e seus conflitos - Prof Abdias Barreto
Liderança cristã   o lider e seus conflitos - Prof Abdias BarretoLiderança cristã   o lider e seus conflitos - Prof Abdias Barreto
Liderança cristã o lider e seus conflitos - Prof Abdias Barreto
Abdias Barreto
 
Lider
LiderLider
Chefia e Liderança.pdf
Chefia e Liderança.pdfChefia e Liderança.pdf
Chefia e Liderança.pdf
Thiago Thome
 
Liderança para equipes de projetos
Liderança para equipes de projetosLiderança para equipes de projetos
Liderança para equipes de projetos
Dimitri Campana, PMP
 
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
HOME
 
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
HOME
 
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
HOME
 
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
HOME
 
Liderança em educação pdf
Liderança em educação pdfLiderança em educação pdf
Liderança em educação pdf
Rosângela Gonçalves
 

Semelhante a Disciplina de Liderança (20)

A liderança
A liderançaA liderança
A liderança
 
A liderança
A liderançaA liderança
A liderança
 
Apostila 04 -_2011
Apostila 04 -_2011Apostila 04 -_2011
Apostila 04 -_2011
 
PrincíPios De LiderançA
PrincíPios De LiderançAPrincíPios De LiderançA
PrincíPios De LiderançA
 
Aula 3 lgc
Aula 3 lgcAula 3 lgc
Aula 3 lgc
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Servir e liderar módulo 1
Servir e liderar módulo 1Servir e liderar módulo 1
Servir e liderar módulo 1
 
Aula 20 desenvolvendo a arte de administrar
Aula 20   desenvolvendo a arte de administrarAula 20   desenvolvendo a arte de administrar
Aula 20 desenvolvendo a arte de administrar
 
Liderança cristã o Líder e seus conflitos
Liderança cristã   o Líder e seus conflitosLiderança cristã   o Líder e seus conflitos
Liderança cristã o Líder e seus conflitos
 
Liderança | chefias
Liderança | chefiasLiderança | chefias
Liderança | chefias
 
A essência da liderança.pptx
A essência da liderança.pptxA essência da liderança.pptx
A essência da liderança.pptx
 
Liderança cristã o lider e seus conflitos - Prof Abdias Barreto
Liderança cristã   o lider e seus conflitos - Prof Abdias BarretoLiderança cristã   o lider e seus conflitos - Prof Abdias Barreto
Liderança cristã o lider e seus conflitos - Prof Abdias Barreto
 
Lider
LiderLider
Lider
 
Chefia e Liderança.pdf
Chefia e Liderança.pdfChefia e Liderança.pdf
Chefia e Liderança.pdf
 
Liderança para equipes de projetos
Liderança para equipes de projetosLiderança para equipes de projetos
Liderança para equipes de projetos
 
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
 
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
 
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
 
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
1572544318 e book--_aprenda_a_pensar_e_agir_como_um_grande_lder_-_dale_carnegie
 
Liderança em educação pdf
Liderança em educação pdfLiderança em educação pdf
Liderança em educação pdf
 

Mais de faculdadeteologica

10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
faculdadeteologica
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
faculdadeteologica
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
faculdadeteologica
 
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
faculdadeteologica
 
5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos
faculdadeteologica
 
6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías
faculdadeteologica
 
7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel
faculdadeteologica
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
faculdadeteologica
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
faculdadeteologica
 
10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
faculdadeteologica
 
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
faculdadeteologica
 
2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii
faculdadeteologica
 
1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i
faculdadeteologica
 
8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia
faculdadeteologica
 
10 mobilização missionária
10 mobilização missionária10 mobilização missionária
10 mobilização missionária
faculdadeteologica
 
9 missão urbana
9 missão urbana9 missão urbana
9 missão urbana
faculdadeteologica
 
7 teologia da missão
7 teologia da missão7 teologia da missão
7 teologia da missão
faculdadeteologica
 
6 a missão da igreja
6 a missão da igreja6 a missão da igreja
6 a missão da igreja
faculdadeteologica
 
5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas
faculdadeteologica
 
4 antropologia missionária
4 antropologia missionária4 antropologia missionária
4 antropologia missionária
faculdadeteologica
 

Mais de faculdadeteologica (20)

10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
 
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
 
5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos
 
6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías
 
7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
 
10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
 
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
 
2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii
 
1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i
 
8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia
 
10 mobilização missionária
10 mobilização missionária10 mobilização missionária
10 mobilização missionária
 
9 missão urbana
9 missão urbana9 missão urbana
9 missão urbana
 
7 teologia da missão
7 teologia da missão7 teologia da missão
7 teologia da missão
 
6 a missão da igreja
6 a missão da igreja6 a missão da igreja
6 a missão da igreja
 
5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas
 
4 antropologia missionária
4 antropologia missionária4 antropologia missionária
4 antropologia missionária
 

Último

DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
ESCRIBA DE CRISTO
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
ElijainaVelozoGonalv
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
SrgioLinsPessoa
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
André Ricardo Marcondes
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 

Último (18)

DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]PEDRO NUNCA FOI PAPA   [COM COMENTÁRIOS]
PEDRO NUNCA FOI PAPA [COM COMENTÁRIOS]
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docxPONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
PONTOS PRINCIPAIS DA VIDA DE ZAQUEU O SERMÃO.docx
 
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdfAula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
Aula02_Métodos de Interpretacao Bíblica_Prof. Gerson Willy.pdf
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino FinalTornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
Tornar se Como Deus - A Cabala E Nosso Destino Final
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 

Disciplina de Liderança

  • 1.
  • 2. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA ORIENTAÇÕES O Slide aqui apresentado, tem como objetivo apresentar um RESUMO do Livro estudo na Disciplina. Dessa forma: 1. Realize a leitura com total cuidado e oração. 2. Utilize a Bíblia, Dicionários e outras fontes teológicas para acompanhamento das passagens mencionadas. 3. As imagens são meramente ilustrativas.
  • 3. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Prezado Aluno (a), Vamos começar nosso Estudo sobre a Liderança. Procure aprender com atenção os conceitos e práticas que podem ser aplicados em uma Liderança eficaz. Bons Estudos!
  • 4. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O estudo da liderança é de suma importância, principalmente, na época em que estamos vivendo, a fim de ajudar o homem escolhido por Deus a ter sucesso em sua missão. 1
  • 5. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O desconhecimento deste magno assunto leva o líder cristão a incorrer em erros e problemas que poderiam ser evitados, caso fossem tratados de acordo com as técnicas de liderança conhecidas nos livros que versam sobre o assunto. 2
  • 6. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA A liderança cristã pode ser definida como “uma vocação em que há uma perfeita mistura de qualidades humanas e divinas, ou um trabalho harmonioso entre o homem e Deus destinado ao ministério e bênçãos das demais pessoas”. 3
  • 7. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Você, muitas vezes, deve ter-se perguntado: “Afinal de contas, eu assumo uma posição de autoridade, mas sou um chefe, um líder ou um gerente?”. 4 Chefia e Liderança
  • 8. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Você pode até pensar: "Se o chefe chefia, chefio, se o gerente gerencia, eu gerencio e se o líder lidera, é claro que eu lidero...” 5 Chefia e Liderança
  • 9. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA A grande verdade é que não existe uma terminologia exata, diferenciada, uma semântica particular para cada linha de palavra quando se trata de assuntos tidos como "não científicos" como é o caso da Administração. 6 Chefia e Liderança
  • 10. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Não vamos nos perder em conceituações, mas apenas expor algumas relações que achamos fundamentais no processo de “dirigir pessoas”. 7 Chefia e Liderança
  • 11. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O Líder é aquele que aparece no grupo, o que muitas vezes vai à frente, é o que tem poder do prestígio e não da posição. É claro, em se tratando de uma liderança democrática. 8 Chefia e Liderança
  • 12. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O Líder é aquele que exerce uma influência, obtendo das pessoas maior cooperação e menor oposição ou nenhuma oposição. 9 Chefia e Liderança
  • 13. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O líder é aquele que conquista, que cativa, que doutrina, que desenvolve a automotivação. O chefe nem sempre cativa, impõe; nem sempre conquista, domina. O líder influencia nas idéias e, através delas, move os atos. 10 A liderança
  • 14. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O chefe move os atos e, através deles, influencia as ideias. E a grande pergunta é esta. O que você gostaria de ser, fazer, agir? Influenciar as idéias e através delas mover os atos (e motivação vem de movere, o que move os homens)? 11 A liderança
  • 15. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Mover os atos e através deles influenciar as idéias? O líder, o gerente e o chefe têm uma coisa em comum: direito de mandar e poder de fazer- se obedecido, comunhão com o poder, com a autoridade. 12 A liderança
  • 16. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O líder tem o poder do prestígio, o chefe que não é líder tem o poder da autoridade “seca”, apenas autoridade, autoridade de posição, de mando, e não de comando. O poder do chefe não-líder é o poder da cadeira, o poder do líder é o poder da comunhão grupal, da representação dos sentimentos, razões e ação do grupo. 13 A liderança
  • 17. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA A autoridade do líder democrático é consentida, a autoridade do chefe é a da imposição. Não existe “impor pelo prestígio”, se o líder tem prestígio às pessoas seguem, não há coação nem dominação. Há ação humana individual. E ação grupal. Em busca de um objetivo comum. 14 A liderança
  • 18. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA A pessoa eficiente está preocupada apenas em trabalhar, cumprir seu cargo, a pessoa eficaz está preocupada em resultados. Ela sabe que só conta ponto o resultado final, independente de esforço, atividade e tempo. 15 Liderança: ser eficiente ou ser eficaz?
  • 19. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Já a pessoa voltada para a eficiência se concentra no esforço, na atividade de ação. Ela raciocina que o esforço MAIS atividades VEZES o tempo de concentração contam muitos pontos. 16 Liderança: ser eficiente ou ser eficaz?
  • 20. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Uma pessoa eficiente se preocupa apenas em resolver problemas, sem se preocupar com a exploração máxima de suas potencialidades e limitações a partir da criatividade. 17 Liderança: ser eficiente ou ser eficaz?
  • 21. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O eficaz, mais do que tudo faz as COISAS CERTAS, enquanto que o eficiente faz BEM AS COISAS. E sabemos que, na chefia, a pior coisa é fazer “bem feitinho” o que não precisa ser feito. 18 Liderança: ser eficiente ou ser eficaz?
  • 22. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Uma pessoa eficiente é tecnocrata e burocrata, isto é, está voltada para a técnica e não para a estratégia, voltada para o sistema repetitivo, para a burocracia que muitas vezes estraga ou engarrafa a realização dos objetivos da empresa. 19 Liderança: ser eficiente ou ser eficaz?
  • 23. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Já o eficaz é ideocrata, preocupa-se com as ideias certas e não com AS IDEIAS BOAS e é mercadocrata, isto é, está voltado para o mercado como uma empresa centrada para fora (mercado), que escuta a voz de seu negócio e não a voz de sua burocracia interna. 20 Liderança: ser eficiente ou ser eficaz?
  • 24. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Muitos ainda pensam que basta ter o título de Diretor, de Chefe, ou de Mestre para que isto dê um prestígio tal, que todo o grupo vai obedecer, automaticamente, à pessoa que dirige, simplesmente por ter sido investida de “autoridade”. 21 Liderança para dirigir pessoas
  • 25. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Para se ter realmente autoridade, é necessário, para a pessoa que dirige, não ter somente uma série de qualidades, mas ainda ter aprendido o ofício da direção. É fato observável por todos que qualquer grupo social precisa ser dirigido por pessoa que o guie para atingir os objetivos comuns ou satisfazer os interesses dos seus membros. 22 Liderança para dirigir pessoas
  • 26. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA A procura de maior autonomia, de maior liberdade, é a motivação profunda do homem e da sociedade. A sua dependência às autoridades chamadas também de Alienação ou Heteronomia é o que constitui a maior doença social dos nossos tempos. 23 Liderança para dirigir pessoas
  • 27. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Pergunte-se: Qual será minha tarefa primordial? Fazer evoluir o homem, para fazê-lo passar de autômato a homem consciente de suas responsabilidades e da sua posição no mundo, é tarefa primordial do dirigente. 24 Liderança para dirigir pessoas
  • 28. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Dentro de qualquer grupo social, o líder é a peça mestra, catalisadora das energias individuais. Deve-se, por conseguinte, dar atenção toda especial aos dirigentes, quando se quer criar, modificar ou aperfeiçoar uma coletividade, seja nação, empresa, associação ou turma de alunos. 25 Liderança para dirigir pessoas
  • 29. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA OBSERVE: Qualquer indivíduo só poderá ser considerado como líder se pela sua personalidade: 1. dirige um grupo social; 2. tem a participação espontânea do grupo. 26 Líder
  • 30. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Muitas vezes, um indivíduo torna-se líder porque tem a personalidade necessária para uma situação particular de liderança; é o homem da situação muito freqüente na política. Além da “situação”, são as características do grupo e o meio ambiente que determinam o tipo de líder desejado. 27 Líder
  • 31. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O líder pode ser estímulo, para o grupo ou pode ser “reação” ao grupo, e, na maioria dos casos, os dois. Os estudos de psicologia da aprendizagem mostram que os indivíduos rendem muito mais quando interessados. 28 Líder
  • 32. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA E o líder sabe fazer interessar os membros do seu grupo. A produtividade de um grupo nessas condições é sempre maior que a de um grupo dirigido por um chefe ou diretor, mas não líder. 29 Líder
  • 33. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA VEJAMOS: Todo o mundo sabe que há várias maneiras de dirigir, sendo que se podem distinguir três tipos principais de direção, que são os seguintes: 30 Tipos de Liderança
  • 34. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA A direção autocrática ou ditatorial; A direção laissez-faire ou deixa como está para ver como é que fica; A direção-liderada ou liderança. 31 Tipos de Liderança
  • 35. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O ditador não se importa em saber o que seus subordinados pensam. Ele os trata como simples lacaios, dando ordens que devem ser cumpridas sem discussão; faça isto, faça aquilo; é o lema do diretor. É em geral uma pessoa irritável, brutal, colérica, egoísta e incapaz de compreender os outros. Não tem, aliás, nenhum interesse para isto. 33 A direção autocrática
  • 36. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O dirigente autocrático provoca, em geral, revolta nas pessoas que ele dirige, ou, então, uma passividade completa que resumi-se em: “É melhor fazer o que ele quer, mesmo se eu achar que ele vai levar o empreendimento ao fracasso; não adianta discutir; a culpa será dele e não minha; também não vou fazer um pingo a mais do que ele me ordenar”. 34 A direção autocrática
  • 37. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Laissez-faire em português quer dizer deixar fazer. O lema deste grupo de dirigentes é: “deixar como está para ver como é que fica”. Em geral o dirigente desse tipo é uma pessoa muito insegura, que tem receio de assumir responsabilidades. 35 A direção laissez-faire
  • 38. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Ao contrário do outro que dava ordens, este não dá instrução nenhuma, cada um de seus auxiliares faz o que quer e como bem entende. Na divisão do trabalho, na repartição das responsabilidades, a confusão é completa. A sua direção gera atritos e desorganização entre seus funcionários. 36 A direção laissez-faire
  • 39. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA A liderança é a direção na qual se procura concentrar toda a atenção sobre as atitudes e interesses dos subordinados que não são tratados como simples auxiliares, mas, sim, como colaboradores. O líder é a pessoa que procura dirigir com a cooperação, a participação espontânea e a boa vontade das pessoas que ele dirige. 37 A direção liderada ou liderança
  • 40. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Toda a sua atenção está concentrada sobre o que o pessoal pensa; ele sabe obter o máximo de produtividade através do máximo de boa vontade. O líder consegue, graças a dois fatores principais, que são: a sua personalidade e a sua técnica de liderar. 38 A direção liderada ou liderança
  • 41. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Enquanto o ditador provoca medo, revolta ou passividade, o líder consegue comunicar aos seus colaboradores equilíbrio, alegria em trabalhar e em cooperar, enfim, produtividade máxima. Grande parte disto provém de suas qualidades pessoais, as quais descrevemos da seguinte forma: 39 Qualidade de um Líder
  • 42. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA 1. Autocontrole O líder é uma pessoa que controla as suas reações, que vira a língua dez vezes na boca antes de emitir uma opinião de grande responsabilidade. Ele não se deixa levar pelos seus impulsos; quando alguém fica malcriado com ele, procura, antes de tudo, compreender porque a pessoa se mostra irritada. 40 Qualidade de um Líder
  • 43. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA 2. Empatia ou compreensão de outrem O líder procura estar sempre a par dos problemas de cada um. Enfim, o líder procura antes de tudo compreender o ser humano, aproveitando as suas qualidades em benefício próprio e em beneficio da coletividade. 41 Qualidade de um Líder
  • 44. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA 3. Procura da unanimidade Além disto, o líder procura sempre obter o acordo de todos, evitando apoiar-se só na maioria, pois sabe que às vezes a minoria tem razão. Ele deixa a minoria ter sua oportunidade para conquistar a maioria. 42 Qualidade de um Líder
  • 45. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA 4. Dar o exemplo Entre as características pessoais do líder convém, ainda, lembrar que ele deve ter qualidades superiores à média do seu grupo, a fim de ser um exemplo. Isto é necessário inclusive para poder transmitir novos conhecimentos aos colaboradores; neste sentido o líder é também educador. 43 Qualidade de um Líder
  • 46. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA 5. Atitude de respeito humano O líder respeita profundamente o ser humano. Trata-o com cortesia e delicadeza. É interessante notar que a atitude do líder tem uma importância fundamental no ambiente de trabalho e uma influência muito maior do que se pensa. 44 Qualidade de um Líder
  • 47. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA 6. Enfrentar as tensões e conflitos Cada vez que uma pessoa ou um grupo tem objetivos para alcançar, nasce, com este objetivo, uma tensão. Liderar pessoas consiste ao mesmo tempo em liderar tensões. 45 Qualidade de um Líder
  • 48. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Quando surge um conflito entre pessoas, o líder costuma reunir estas pessoas para analisar as causas do conflito, e resolvê-lo, com a participação de todos os interessados; criou para isto um clima de franqueza e de compreensão mútua. 46 Qualidade de um Líder
  • 49. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA 7. Como obter a cooperação dos dirigidos Já vimos que o líder procura, antes de tudo, compreender as pessoas. Para isto ele tem de sentir dois pontos essenciais que os empregados costumam esperar de seus chefes. São pontos que descreveremos a seguir: 47 Qualidade de um Líder
  • 50. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA a. Recompensa do esforço Ora, a pedagogia e a psicologia modernas ensinam que se castigo dá, “às vezes”, resultado, o prêmio, a recompensa do esforço de cada um dá muito mais ainda. Não custa nada chamar um operário e dizer-lhe “estou satisfeito com o seu trabalho!” 48 Qualidade de um Líder
  • 51. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Isto terá um grande significado para o trabalhador, que passa a perceber que seu esforço está sendo reconhecido. Com isto ele cooperará melhor. 49 Qualidade de um Líder
  • 52. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA b. Salário justo Oferecer ao trabalhador um salário adequado ao mercado e a atividade desenvolvida. Tornando justo o salário pago. O trabalhador se sente valorizado. 50 Qualidade de um Líder
  • 53. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA b. Compreensão O trabalhador quer ser tratado com paciência quando está por algum motivo impossibilitado de render como de costume. Ele quer que seu chefe compreenda que ele também é um ser humano que tem as suas preocupações, as suas dificuldades e as suas doenças. 51 Qualidade de um Líder
  • 54. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA c. Tratamento cortês Qualquer pessoa quer ser tratada com cortesia e corresponde muito mais ao que se espera dela se o seu dirigente observar as normas elementares de boas maneiras e de delicadeza, as quais, aliás, serão imitadas por todos. 52 Qualidade de um Líder
  • 55. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Respeitar o ser humano e crer nas suas possibilidades, que são imensas. 53 Os 10 mandamentos do líder 1
  • 56. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Confiar no grupo, mais que em si mesmo. 54 Os 10 mandamentos do líder 2
  • 57. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Evitar críticas a qualquer pessoa em público, procurando sempre elogiar, diante do grupo, os aspectos positivos de cada um. 53 Os 10 mandamentos do líder 3
  • 58. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Estar sempre dando o exemplo, em vez de ficar criticando todo o tempo. 54 Os 10 mandamentos do líder 4
  • 59. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Evitar dar ordens, procurando a cooperação de cada um. 55 Os 10 mandamentos do líder 5
  • 60. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Dar a cada um o seu lugar, levando em consideração os seus gostos, interesses e aptidões pessoais. 56 Os 10 mandamentos do líder 6
  • 61. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Evitar tomar, mesmo de maneira provisória, a iniciativa de uma responsabilidade que pertença a outrem, mesmo pensando que faria melhor; no caso de chefes que lhe são subordinados, evitar “passar por cima” deles. 57 Os 10 mandamentos do líder 7
  • 62. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Consultar os membros do grupo, antes de tomar uma resolução importante, que envolva interesses comuns. 58 Os 10 mandamentos do líder 8
  • 63. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Antes de agir, explicar aos membros do grupo o que vai fazer e o porquê. 59 Os 10 mandamentos do líder 9
  • 64. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Evitar tomar parte nas discussões, quando presidir uma reunião; guardar neutralidade absoluta, fazendo registrar, imparcialmente, as decisões do grupo. 60 Os 10 mandamentos do líder 10
  • 65. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Observamos na primeira parte deste estudo que, a maioria dos estudiosos do assunto, concordam que o atributo básico da liderança é a capacidade de influenciar seus liderandos. 61 Liderança no Cristianismo
  • 66. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Na liderança cristã é preciso definir qual é o objetivo e o método a ser seguido pelos líderes cristãos, e este padrão se encontra na própria Bíblia. 62 Liderança no Cristianismo
  • 67. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Em Ef 4.11-16, o apóstolo Paulo falando acerca de Jesus afirma que: “Ele mesmo concedeu uns para apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos... para a edificação... até que cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus... à medida da plenitude de Cristo”. 63 Liderança no Cristianismo
  • 68. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Ou seja, afirma que o ministério cristão foi concedido para que a igreja tivesse gradual crescimento espiritual até que se alcançasse a imagem de Cristo que uma vez foi implantada em nós por ocasião do novo nascimento. 64 Liderança no Cristianismo
  • 69. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Uma das finalidades desse crescimento é “... para que não sejamos mais como meninos agitados de um lado para outro e levados por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens e pela astúcia com quem induzem ao erro”, e o resultado disso é que “... todo corpo bem ajustado e consolidado... efetua o seu próprio aumento para edificação de si mesmo em amor”. 65 Liderança no Cristianismo
  • 70. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O modelo cristão é o tipo de líder que se espelha em Cristo e em seus ministros procurando um padrão de conduta para exercer o ministério. 66 Liderança no Cristianismo
  • 71. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA É o líder que procura ganhar a confiança de seus liderandos atendendo aos requisitos bíblicos sem desmerecer sua responsabilidade, sabendo aproveitar a capacidade dos outros e acima de tudo se entrega com amor ao seu ministério. 67 Liderança no Cristianismo
  • 72. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA São humildes, mas não enfraquecidos; dependentes de Deus, mas não sem iniciativa; ousados, mas em moderação; confiantes, sem perder a perspectiva; se precaver de seus liderados, mas sem perder a confiança neles; enfim, não se baseia em suas experiências de liderança, mas tem a direção do Senhor. 68 Liderança no Cristianismo
  • 73. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Qualificações sociais  Modesto;  Hospitaleiro;  Ter bom testemunho. 69 Liderança no Cristianismo
  • 74. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Qualificações morais  Ser irrepreensível; Esposo de uma só mulher e mulher de um só marido;  Temperante;  Não dado ao vinho. 70 Liderança no Cristianismo
  • 75. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Qualificações pessoais  Hospitaleiro;  Não cobiçoso;  Apto a ensinar;  Não violento;  Cordial;  Não avarento;  Não arrogante; 71 Liderança no Cristianismo
  • 76. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Qualificações de maturidade  Bom pai e marido;  Não pode ser novo convertido;  Sóbrio apto a ensinar e a exortar; 72 Liderança no Cristianismo
  • 77. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Estudar sempre Conforme 2Tm 2.15 o obreiro tem que “...manejar bem a palavra da verdade”. O próprio Paulo em final de carreira solicitou a Timóteo que levasse “... a capa... os livros, e especialmente os pergaminhos”. 73 Hábitos dos líderes
  • 78. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Orar É através da oração que conhecemos a vontade de Deus, os seus propósitos e as coisas que são ocultas aos olhos humanos. 74 Hábitos dos líderes
  • 79. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Atualizar O obreiro deve estar por dentro das notícias mais importantes sobre a situação econômica e política do seu país, além de conhecer questões sobre direito, psicologia, filosofia, sociologia etc. 75 Hábitos dos líderes
  • 80. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Aproveitar as oportunidades O bom obreiro sabe tirar proveito das diversas oportunidades que aparecem. É otimista. Tem visão. Consegue ver a bênção onde ninguém mais vê. Sabe aproveitar o tempo e consegue produzir mais, com menos esforço. 76 Hábitos dos líderes
  • 81. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Veste-se bem Ou seja, está sempre de acordo com a situação. Não gasta mais do que deve, mas esta sempre ajustado ao ambiente em que se encontra. 77 Hábitos dos líderes
  • 82. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA O papel de líder surge em dois planos. Um é o que, naturalmente, foi designado ao líder ou obreiro. O outro é o que surge, espontaneamente, entre os membros do grupo. 78 Hábitos dos líderes
  • 83. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Neste caso, a liderança adquire cores muito diferenciadas, desde os líderes construtivos que exercem o importante papel de integradores e que ajudam na unidade do grupo, até os líderes negativos, nos quais prevalece uma excessiva necessidade de mandar e controlar as pessoas. 79 Hábitos dos líderes
  • 84. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: LIDERANÇA Agora és sua vez querido (a) aluno (a)! Exerça com sabedoria divina todos os conceitos e práticas aqui abordados e encontrará o caminho para uma Liderança de sucesso!! 80 Hábitos dos líderes