Disciplina de Arqueologia Bíblica

36.410 visualizações

Publicada em

Disciplina de Arqueologia Bíblica

Publicada em: Espiritual
0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
36.410
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
29.936
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
324
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Disciplina de Arqueologia Bíblica

  1. 1. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA ORIENTAÇÕES O Slide aqui apresentado, tem como objetivo apresentar um RESUMO do Livro estudo na Disciplina. Dessa forma: 1. Realize a leitura com total cuidado e oração. 2. Utilize a Bíblia, Dicionários e outras fontes teológicas para acompanhamento das passagens mencionadas. 3. As imagens são meramente ilustrativas.
  2. 2. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Prezado Aluno (a), Vamos começar nosso Estudo sobre a Arqueologia Bíblica. Para melhor compreensão do assunto estudado, mantenha sua Bíblia próxima à você, e utilize recursos de busca na Internet! Bons Estudos!
  3. 3. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Do mundo civilizado no antigo Oriente, exceto a Bíblia, não ficou conservado nenhum monumento literário. A queda dos antigos impérios da Babilônia, Assíria, Egito e Pérsia, levaram ao desaparecimento dos velhos povos orientais, excluindo os judeus. 1 Introdução
  4. 4. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Durante quase dois mil anos, eram os livros bíblicos e as obras dos escritores greco- romanos, a única fonte de informação sobre o lendário mundo oriental antigo. 2 Introdução
  5. 5. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Somente as pesquisas arqueológicas dos últimos cem anos chegaram a escavar as soterradas ruínas das antigas regiões civilizadas perto do Eufrates, Tigre e Nilo, e a despertar para a vida as silhuetas de uma época culta de aproximadamente quatro mil anos. 3 Introdução
  6. 6. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA A pá dos investigadores descobriu para nós não só cidades e palácios antigos, como também a vida espiritual daqueles povos, onde ficava o berço da nossa cultura contemporânea; as suas criações literárias e artísticas e a sua concepção religiosa do mundo. 4 Introdução
  7. 7. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA As relações econômicas, políticas e espirituais entre Israel e os povos circunvizinhos já se percebem muitas vezes na literatura bíblica, onde encontramos freqüentemente os nomes da Babilônia, Assíria, Pérsia e outros. 5 Introdução
  8. 8. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA É preciso, no entanto, ter em mente que o nosso material está longe ainda de ser completo, e que apenas dispomos de fragmentos do patrimônio cultural relativamente rico do mundo antigo. 6 Introdução
  9. 9. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Isto, aliás, também se aplica a Israel, onde a Bíblia freqüentemente só fornece notícias isoladas e por vezes apenas alusões sobre acontecimentos e fenômenos de real importância na vida judaica. 7 Introdução
  10. 10. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA De um modo geral podemos, entretanto, afirmar, baseados nos materiais existentes, que: no que diz respeito à civilização material, eram os israelitas, na sua maior parte, discípulos dos seus mais velhos e adiantados vizinhos; na vida espiritual, porém, revelaram excepcional independência e uma originalidade criadora. 8 Introdução
  11. 11. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Você, aluno, encontrará nesta página alguns dos estudos arqueológicos, os quais provam a autenticidade histórica dos livros da Bíblia. 9 Evidências Concretas das Escrituras
  12. 12. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA As inscrições cuneiformes encontradas em Mari, no médio Eufrates, continham nomes bíblicos que situaram subitamente num período histórico as narrativas sobre os patriarcas, até então tomadas por simples “histórias piedosas”. 10 Evidências Concretas das Escrituras
  13. 13. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Em Ugarit, na costa do Mediterrâneo, foram descobertos pela primeira vez os testemunhos do culto cananeu de Baal. O acaso quis ainda que no mesmo ano se encontrasse numa caverna, próximo ao mar Morto, um rolo do livro do profeta Isaías (Manuscritos do Mar Morto), considerado de data anterior a Cristo. 11 Evidências Concretas das Escrituras
  14. 14. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA A porta para o mundo histórico do Antigo Testamento foi aberta já em 1843 pelo francês Paul-Émile Botta. 12 Evidências Concretas das Escrituras
  15. 15. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Em escavações efetuadas em Khursabad, na Mesopotâmia, ele se encontrou inesperadamente diante das imagens em relevo de Sargão II, o rei assírio que despovoou Israel e conduziu seu povo em longas colunas. 13 Evidências Concretas das Escrituras
  16. 16. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Os relatos das campanhas desse soberano relaciona-se com a conquista de Samaria, igualmente descrita na Bíblia. 14 Evidências Concretas das Escrituras
  17. 17. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Na Palestina, são descobertos lugares e cidades muitas vezes mencionados na Bíblia. Apresentam-se exatamente como a Bíblia os descreve e no lugar exato em que ela os situa. 15 Evidências Concretas das Escrituras
  18. 18. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Em inscrições e monumentos arquitetônicos primitivos, os pesquisadores encontram cada vez mais personagens do Velho Testamento e do Novo Testamento. Relevos contemporâneos mostram imagens de povos de que só tínhamos conhecimento de nome. 16 Evidências Concretas das Escrituras
  19. 19. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Seus traços fisionômicos, seus trajes, suas armas adquirem forma para a posteridade. Esculturas e imagens gigantescas mostram os hititas de grosso nariz, os altos e esbeltos filisteus, os elegantes príncipes cananeus, com seus “carros de ferro”, tão temidos por Israel, os pacíficos e sorridentes reis de Mari - contemporâneos de Abraão. 17 Evidências Concretas das Escrituras
  20. 20. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Como fizeram com Nínive e Nemrod - a antiga Cale - , como fizeram com Assur e Tebas, que os profetas chamavam No-Amon, os pesquisadores despertaram do sono do passado a famosa Babel da Bíblia, com sua torre fabulosa. 18 Evidências Concretas das Escrituras
  21. 21. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Os arqueólogos encontraram no delta do Nilo as cidades de Pitom e Ramsés, onde Israel sofreu odiosa escravidão, descobriram as camadas de fogo e destruição que acompanharam a marcha dos filhos de Israel na conquista de Canaã, e em Gabaon a fortaleza de Saul, sobre cujos muros o jovem Davi cantou para ele ao som da harpa. 19 Evidências Concretas das Escrituras
  22. 22. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Do mundo do Novo Testamento ressurgiam as magníficas construções do Rei Herodes; no coração da antiga Jerusalém foi descoberta a plataforma (litostrotos), citada por João, o Evangelista, onde Jesus esteve diante de Pilatos; os assiriólogos decifraram em tábuas astronômicas da Babilônia os precisos dados de observação da estrela de Belém. 20 Evidências Concretas das Escrituras
  23. 23. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Assombrosos e incalculáveis por sua profusão, esses dados e descobertas modificaram a maneira de considerar a Bíblia. Episódios que até agora muitos consideravam simples “histórias piedosas” adquirem de repente estatura histórica. 21 Evidências Concretas das Escrituras
  24. 24. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Nenhum livro da história da humanidade jamais produziu um efeito tão revolucionário, exerceu uma influência tão decisiva no desenvolvimento de todo o mundo ocidental e teve uma difusão tão universal como o “Livro dos Livros”, a Bíblia. 22 Evidências Concretas das Escrituras
  25. 25. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Ela está hoje traduzida em mil cento e vinte línguas e dialetos e, após dois mil anos, ainda não dá qualquer sinal de que haja terminado a sua triunfal carreira. 23 Evidências Concretas das Escrituras
  26. 26. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA “Depois disse o Senhor a Noé: Entra na arca, tu e toda a tua casa, porque tenho visto que és justo diante de mim nesta geração (Gn 7.1). Porque, passados ainda sete dias, farei chover sobre a terra quarenta dias e quarenta noites, e exterminarei da face da terra todas as criaturas que fiz (Gn 7.4). 24 O Dilúvio
  27. 27. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA “Noé entrou na arca com seus filhos, sua mulher e as mulheres de seus filhos, por causa das águas do dilúvio (Gn 7.7) ”. 25 O Dilúvio
  28. 28. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Quando ouvimos a palavra “dilúvio”, pensamos quase imediatamente na Bíblia e na história da arca de Noé. Essa história maravilhosa do Velho Testamento viajou com o cristianismo através do mundo. 26 O Dilúvio
  29. 29. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Nos povos de todas as raças existem diferentes tradições de uma inundação imensa e catastrófica. Os gregos contavam a lenda do dilúvio de Deucalião; já muito antes de Colombo, corriam entre os primitivos habitantes do continente americano numerosas histórias a respeito de uma grande inundação. 27 O Dilúvio
  30. 30. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Na Austrália, na Índia, na Polinésia, no Tibete, em Caxemira, na Lituânia, há histórias de uma grande inundação que vem sendo transmitidas de geração a geração até nossos dias. Serão todas mitos, lendas, produtos da imaginação? 28 O Dilúvio
  31. 31. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Serão todas mitos, lendas, produtos da imaginação? 29 O Dilúvio
  32. 32. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Com a chegada do verão de 1929, aproximava-se do fim a sexta campanha de escavação no Tell al Muqayyar. Woolley pôs mais uma vez seus auxiliares nativos a trabalhar no monte dos “túmulos reais”. 30 O Dilúvio
  33. 33. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Tempos depois, um telégrafo da Mesopotâmia transmitia para o mundo a mais extraordinária notícia que ouvidos humanos já ouviram: “Descobrimos o dilúvio!” A tremenda descoberta realizada em Ur ocupou as manchetes da imprensa dos Estados Unidos e da Inglaterra. 31 O Dilúvio
  34. 34. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Ao pé da velha torre escalonada dos sumérios, em Ur, no baixo Eufrates, podia-se descer por uma escada ao fundo de um estreito poço e ver e apalpar os restos de uma imensa inundação, uma camada de limo de quase três metros de espessura. 32 O Dilúvio
  35. 35. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA E, pela idade das camadas que indicavam estabelecimentos humanos e nas quais se podia ler o tempo como num calendário, podia-se também determinar quando ocorrera essa inundação. Ocorreu por volta de 4000 a.C. 33 O Dilúvio
  36. 36. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Para melhor compreensão e detalhes destas escavações leia o tópico 2.2 Escavações Arqueológicas do Dilúvio. 34 O Dilúvio
  37. 37. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA “Então disse Deus a Noé: O fim de toda carne é chegado perante mim; porque a terra está cheia da violência dos homens; eis que os destruirei juntamente com a terra. Faze para ti uma arca de madeira de gôfer: farás compartimentos na arca, e a revestirás de betume por dentro e por fora. (Gn 6.13-14). 35 O Dilúvio
  38. 38. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Assim fez Noé; segundo tudo o que Deus lhe mandou, assim o fez (Gn 6.22). e a arca repousou, no sétimo mês, no dia dezessete do mês, sobre os montes de Ararat”. 36 O Dilúvio
  39. 39. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA O monte Ararat está situado na parte oriental da Turquia, próximo a fronteira soviético-iraniana. Seu cume, coberto de neves perpétuas, eleva-se cinco mil cento e cinqüenta e seis metros acima do nível do mar. 37 O Dilúvio
  40. 40. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA As primeiras expedições ao monte Ararat aconteceram já no século passado, muitos anos antes que os arqueólogos começassem a escavar no solo da Mesopotâmia. O impulso que levou a essas expedições foi dado pela história de um pastor. 38 O Dilúvio
  41. 41. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Nas faldas do Ararat, existe uma aldeiazinha armênia chamada Bayzit, cujos habitantes contam há várias gerações a aventura extraordinária de um pastor das montanhas que um dia, no monte Ararat, teria visto um grande navio de madeira. 39 O Dilúvio
  42. 42. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA A narrativa de uma expedição turca do ano de 1833 parecia confirmar a história do pastor. Essa narrativa fala expressamente da proa de um navio de madeira que no verão seria posta a descoberta na geleira do sul. Depois teria sido vista pelo Dr. Nouri, arcediago de Jerusalém e Babilônia. 40 O Dilúvio
  43. 43. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Esse irrequieto dignitário eclesiástico empreendeu, em 1892, uma viagem de exploração as cabeceiras do Eufrates. Ao voltar, falou dos restos de um navio que vira no gelo perpétuo: “O interior estava cheio de neve; a parede exterior apresentava um tom vermelho escuro”. 41 O Dilúvio
  44. 44. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Durante a Primeira Guerra Mundial, um oficial de aviação russo chamado Roskovitzki informou ter avistado de seu avião, na encosta sul do Ararat, “os restos de um estranho navio”. 42 O Dilúvio
  45. 45. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Em plena guerra, o Czar Nicolau II expediu imediatamente um grupo para investigar. Esse grupo não só teria visto o navio, mas até tirado fotografias dele. Parece, entretanto, que todas as provas desapareceram durante a Revolução de Outubro. 43 O Dilúvio
  46. 46. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Durante a Segunda Guerra Mundial, várias pessoas informaram terem visto a arca do ar, um piloto russo e quatro aviadores americanos. As últimas notícias fizeram entrar em campo o historiador e missionário americano, Dr. Aaron Smith, de Greensborough, perito em dilúvio. 44 O Dilúvio
  47. 47. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Após longos anos de trabalho, conseguiu compilar uma história literária sobre a arca de Noé. Existem oitenta mil obras, em setenta e duas línguas, sobre o dilúvio, sete mil das quais mencionam o lendário casco do Ararat. 45 O Dilúvio
  48. 48. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Em 1951, com quarenta companheiros, o Dr. Smith percorreu em vão a calota de gelo do Ararat durante doze dias. “Embora não tenhamos encontrado vestígio algum da arca de Noé”, declarou mais tarde, “minha confiança na descrição bíblica do dilúvio reforçou-se ainda mais. Voltaremos lá”. 46 O Dilúvio
  49. 49. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA “Então o Senhor, da sua parte, fez chover do céu enxofre e fogo sobre Sodoma e Gomorra. E Abraão levantou-se de madrugada, e foi ao lugar onde estivera em pé diante do Senhor; e, contemplando Sodoma e Gomorra e toda a terra da planície, viu que subia da terra fumaça como a de uma fornalha (Gn 19.24, 27-28)”. 47 Sodoma e Gomorra
  50. 50. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Sugerimos para este tópico, à título de curiosidade e leitura o Link abaixo: http://www.pt.amazinghope.net/sodoma-e-gomorra-uma-unica- camada-de-cinzas-e-enxofre/ * Ressaltamos que é apenas um link de leitura sugestivo. 48 Sodoma e Gomorra
  51. 51. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Após sua volta do Egito, Abraão e Ló separaram-se. “E a terra não tinha capacidade para poderem habitar juntos”, conta a Bíblia, “porque seus bens eram muito grandes. 49 Sodoma e Gomorra
  52. 52. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Disse, pois, Abraão a Ló: Peço-te que não haja contendas entre mim e ti, nem entre os meus pastores e os teus pastores, porque somos irmãos. Eis diante de ti todo o país; rogo-te que te apartes de mim; se fores para a esquerda, eu tomarei a direita; se escolheres a direita, eu irei para a esquerda” (Gn 13.6-9). 50 Sodoma e Gomorra
  53. 53. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Abraão deixou que Ló escolhesse. Despreocupado, como geralmente são os jovens, Ló optou pela melhor parte, a região do Jordão. Ela era “... toda regada de água” e abençoada por uma exuberante vegetação tropical, “como o paraíso do Senhor e como o Egito até Segor” (Gn 13.10). 51 Sodoma e Gomorra
  54. 54. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Das cadeias de montanhas cobertas de bosques, no coração da Palestina, Ló desceu para leste, entrou com sua gente e seus rebanhos no vale do Jordão ao sul e, finalmente, levantou suas tendas em Sodoma. Ao sul do mar Morto havia uma planície fertilíssima, o “Vale de Sidim, onde agora é o mar salgado” (Gn 14.3) 52 Sodoma e Gomorra
  55. 55. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA A Bíblia enumera cinco cidades nesse vale: Sodoma, Gomorra, Adama, Seboim e Segor (Gn 14.2). 53 Sodoma e Gomorra
  56. 56. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Disse, pois, o Senhor: O clamor de Sodoma e Gomorra aumentou, e o seu pecado agravou-se extraordinariamente. Fez, pois, o Senhor da parte do Senhor chover sobre Sodoma e Gomorra enxofre e fogo do céu; e destruiu essas cidades, e todo o país em roda, todos os habitantes da cidade, e toda a verdura da terra. 54 Sodoma e Gomorra
  57. 57. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA E a mulher de Ló, tendo olhado para trás, ficou convertida numa estátua de sal. E viu que se elevavam da terra cinzas inflamadas, como o fumo de uma fornalha (Gn 18.20; 19.24, 26, 28). 55 Sodoma e Gomorra
  58. 58. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA A sinistra força dessa narrativa bíblica tem impressionado profundamente os ânimos dos homens em todos os tempos. Sodoma e Gomorra tornaram-se símbolos de vício e iniquidade e sinônimos de aniquilação completa. 56 Sodoma e Gomorra
  59. 59. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA A sinistra força dessa narrativa bíblica tem impressionado profundamente os ânimos dos homens em todos os tempos. Sodoma e Gomorra tornaram-se símbolos de vício e iniquidade e sinônimos de aniquilação completa. 57 Sodoma e Gomorra
  60. 60. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Só no começo deste século, com as escavações realizadas no resto da Palestina, foi despertado também o interesse por Sodoma e Gomorra. Os exploradores dedicaram-se a procura das cidades desaparecidas que nos tempos bíblicos estariam situados no vale de Sidim. 58 Sodoma e Gomorra
  61. 61. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Na extremidade a sudeste do mar Morto, encontram-se os restos de uma grande povoação. Esse sítio ainda hoje é chamado Segor. Os pesquisadores se regozijaram, pois Segor era uma das cinco cidades ricas do vale de Sidim que se recusaram a pagar tributo aos quatro reis estrangeiros (citados na história de Sodoma e Gomorra). 59 Sodoma e Gomorra
  62. 62. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Os geólogos tiraram dessas descobertas e observações outra interpretação, que poderia explicar a causa e fundamento da narrativa bíblica da aniquilação de Sodoma e Gomorra. 60 Sodoma e Gomorra
  63. 63. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA A expedição americana dirigida por Lynch foi a primeira que, em 1848, deu a notícia da grande descida do Jordão em seu breve curso pela Palestina. O fato de, em sua queda, o leito do rio descer muito abaixo do nível do mar é, como só pesquisas posteriores comprovaram, um fenômeno geológico singular. 61 Sodoma e Gomorra
  64. 64. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA “É possível que haja em algum outro planeta coisa semelhante ao que ocorre no vale do Jordão; no nosso não existe”, escreve o geólogo George Adam Smith em sua obra “A geografia histórica da Terra Santa”. “Nenhuma outra parte não submersa da nossa Terra fica mais de cem metros abaixo do nível do mar”. 62 Sodoma e Gomorra
  65. 65. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Será que Sodoma e Gomorra afundaram quando (acompanhado por terremotos e erupções vulcânicas) um pedaço do chão do vale ruiu um pouco mais? E o mar Morto se alongou naquela época em direção ao sul? 63 Sodoma e Gomorra
  66. 66. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA A ruptura da terra liberou as forças vulcânicas contidas há muito tempo nas profundezas da greta. Na parte superior do vale do Jordão, junto a Basan, erguem-se ainda hoje as crateras de vulcões extintos, e sobre o terreno calcário há grandes campos de lava e enormes camadas de basalto. 64 Sodoma e Gomorra
  67. 67. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Como para confirmar a teoria geológica do desaparecimento de Sodoma e Gomorra, escreve textualmente o sacerdote fenício Sanchuniathon em sua História antiga redescoberta: “O vale de Sidim” afundou e se transformou em mar, sempre fumegante e sem peixe, exemplo de vingança e morte para os ímpios”. 65 Sodoma e Gomorra
  68. 68. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA O termo “Manuscritos do Mar Morto” é usado atualmente em dois sentidos, um genérico e outro específico. No sentido genérico, “Manuscritos do Mar Morto” refere-se a textos, encontrados não no Mar Morto, mas descobertos em grutas ao longo da margem noroeste desse mar entre os anos de 1947 e 1956. 66 Manuscritos do mar Morto
  69. 69. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Esses “manuscritos” às vezes são completos, mas a grande maioria deles é fragmentos de textos ou de documentos de diversos tipos que datam mais ou menos do final do século III a.C. ao século VII-VIII d.C. Nem todos são relacionados entre si, mas foram encontrados em grutas ou cavidades em sete diferentes locais na margem noroeste do Mar Morto. 67 Manuscritos do mar Morto
  70. 70. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Esses “manuscritos” às vezes são completos, mas a grande maioria deles é fragmentos de textos ou de documentos de diversos tipos que datam mais ou menos do final do século III a.C. ao século VII-VIII d.C. Nem todos são relacionados entre si, mas foram encontrados em grutas ou cavidades em sete diferentes locais na margem noroeste do Mar Morto. 68 Manuscritos do mar Morto
  71. 71. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Nesse sentido genérico, o termo inclui até mesmo alguns textos descobertos no final do século passado num genizah (“esconderijo” usado para abrigar pergaminhos e livros judaicos velhos ou gastos) da Sinagoga de Esdras na parte antiga do Cairo. 69 Manuscritos do mar Morto
  72. 72. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Os sítios ao longo do Mar Morto compreendem Qumran, Masada, Wadi Murabba'at, Nahal Hever, Nahal Se'elim, Nahal Mishmar e Khirbet Mird. Algumas pessoas as vezes incluem nesse sentido genérico também os textos encontrados em Wadi ed-Daliyeh, um sítio na Transjordânia a nordeste do Mar Morto. 70 Manuscritos do mar Morto
  73. 73. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA No sentido específico, usa-se “Manuscritos do Mar Morto” para designar os rolos e fragmentos encontrados em 11 grutas na área de Qumran. Usa-se MMM, portanto, para se falar dos manuscritos de Qumran por causa do grande número de textos provenientes dessas grutas e da natureza e importância dos documentos que ali se acharam. 71 Manuscritos do mar Morto
  74. 74. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Os sete grandes manuscritos da Gruta 1 são os seguintes: (a) Cópia “a” do livro de Isaías: Este texto, datado paleograficamente em 125-100 a.C. e agora pelo radio carbono em 202-107 a.C., contém todos os 66 capítulos do livro de Isaías, exceto por algumas palavras cortadas na base de algumas colunas. 72 Manuscritos do mar Morto
  75. 75. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Esse manuscrito dá um testemunho singular da fidelidade com que o livro de Isaías foi copiado ao longo dos séculos pelos escribas judeus, já que o mais antigo texto hebraico de Isaías que se conhecia antes da descoberta dos MQ era o códice do Cairo dos Profetas maiores e menores datados em 895 d.C. (em seu cólofon). 73 Manuscritos do mar Morto
  76. 76. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Ao concluirmos este tratado estamos cientes de que não esgotamos o assunto, mesmo porque, muitas outras novidades no campo arqueológico já foram descobertas, mas ainda não notificadas pela ciência. 74 Manuscritos do mar Morto
  77. 77. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Uma coisa podemos afirmar, que quanto mais a ciência busca desaprovar os escritos sagradas, mas ela se compromete com a Bíblia, como vimos atrás, a ciência negou por muitos anos o dilúvio, e ela própria acabou provando sua existência. 75 Manuscritos do mar Morto
  78. 78. FACULDADE E SEMINÁRIOS TEOLÓGICO NACIONAL DISCIPLINA: ARQUEOLOGIA BÍBLICA Esperamos que o aluno interessado em conhecer os fatos bíblicos não fique somente com este simples tratado arqueológico, mas vá as fontes e pesquise para conhecer a riqueza da qual a Bíblia trata – e, sobretudo, para ter argumentos bíblicos e teológicos. 76 Manuscritos do mar Morto

×