SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 45
Lição 4 e 5
O PREPARO DO OBREIRO
"Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à
servidão, para que, pregando aos outros, eu
mesmo não venha de alguma maneira a ficar
reprovado.” (1 Co 9.27)
3
1) PREPARO ESPIRITUAL
O obreiro deve ter a consciência que nenhum aplauso ou sucesso se sobrepõe a
aprovação de Deus em seu ministério. Quantos são os obreiros que tem aprovação
dos homens (aplausos, mídia, convites, grandes "ofertas"), mas diante de Deus seu
ministério é reprovado.
Paulo tinha temor que tendo trabalhado tanto,
ao final não fosse ele próprio reprovado,
confirmando que não e o trabalho que aprova
o obreiro.
O PREPARO DO OBREIRO
4
1) PREPARO ESPIRITUAL
Paulo argumentou que não ministrava com as armas humanas, mas com a utilização
do poder de Deus (1 Co 1.18; 1 Co 4.20).
“Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar,
administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por
Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo sempre amém.” (1 Pe 4.11).
O PREPARO DO OBREIRO
1) PREPARO ESPIRITUAL
Frequentemente o obreiro se depara com o questionamento de sua própria
chamada. O grande engano é imaginar que o ingresso no ministério pode significar a
possibilidade de se ajudar outras pessoas, e não em resposta a uma chamada
pessoal e especifica.
"Não despreze o dom que há em ti“ (1 Tm 4.11).
"Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos sábios segundo a carne,
nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados“ (1 Co 1.26)
"Cada um fique na vocação em que foi chamado“ (1 Co 7.20)
"Há um só corpo e um só espírito, como também fostes chamados em uma só
esperança da vossa vocação." (Ef 4.4)
5
O PREPARO DO OBREIRO
2) PREPARO FAMILIAR
A Bíblia contém várias orientações sobre a condução
familiar. No que concerne aos obreiros temos as
seguintes orientações bíblicas:
A) Ter seus filhos em obediência (1 Tm 3.4; 1 Tm 3. 12)
B) Marido de uma só mulher (1 Tm 3.2,12)
6
3) PREPARO ÉTICO – HOMBRIDADE “SE HOMEM...”
- Não significa expressar características de virilidade, nem grosseria, muito menos
que haja alguma exclusividade para pessoas do sexo masculino;
- Significa o caráter ético que um homem deve ter, principalmente o obreiro.
- A nobreza de caráter e a dignidade tem sido substituídos pelo desrespeito e
imoralidade, por isso essa hombridade é um desafio para o obreiro.
“Eu vou pelo caminho de toda a terra; esforça-te, pois, e sê homem.
E guarda a ordenança do Senhor teu Deus, para andares nos seus caminhos, e para
guardares os seus estatutos, e os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seus
testemunhos, como está escrito na lei de Moisés; para que prosperes em tudo
quanto fizeres, e para onde quer que fores. “ 1 Reis 2:2,3
QUALIDADES
DO CARÁTER
DO MINISTRO
(1 Tm 3.1-7; Tt 1.5-8)
O PREPARO DO OBREIRO
QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO
“Aspira” – do grego “Orego” = esticar-se, estender a
mão; desejar com intensidade;
8
"Excelente” - do grego é "Kalos", que significa "Bom", "Excelente", "Nobre“ , "Livre
de defeitos", "Precioso". A lição que aprendemos é que o episcopado deve ser
procurado e desejado pelos os homens mais espirituais, porque uma igreja
administrada por homens com desejos gananciosos é fadada a ruína e a perdição.
“Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado,
excelente obra deseja.” 1 Timóteo 3:1
“Episcopado” -– do grego “Eoiskope” = vista; posição de
liderança (pessoa de visão que saiba administrar as
coisas eclesiásticas);
"Almeja”, do grego "Epithumeo", que significa "desejar com intensidade", "anelar
por". Esta palavra pode ser usada tanto no sentido de um desejo bom ou como um
desejo mal. O aprendizado é que o bispo deve ter firme convicção do que ele quer e
o que é requerido dele como um oficial importante da igreja.
O PREPARO DO OBREIRO
QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO
IRREPREENSÍVEL – que não admite censura; que não pode ser repreendido; contra
o qual não se possa fazer críticas; sem desvio de caráter ou conduta
9
MARIDO DE UMA SÓ MULHER – não pode ser polígamo; deve ser fiel a uma só
mulher
VIGILANTE – ou temperante, moderado, não pode ter vícios.
Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher,
vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; (1 Tm 3:2)
SÓBRIO – ter uma mente sã, ser discreto, casto e ter domínio sobre os desejos
sexuais. Uma das maiores vitórias de um pastor é a conquista de si próprio.
HONESTO – Deve agir com honestidade tanto com os domésticos da fé quanto com
os de fora.
HOSPITALEIRO – que mantém um coração aberto e uma casa aberta. O Bispo é
amigo dos forasteiros e compartilha das necessidades deles.
APTO PARA ENSINAR – Não são apenas os mestres e pastores que possuem
incumbência de ensinar - todo obreiro deve estar bem familiarizado com a Bíblia.
O PREPARO DO OBREIRO
QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO
NÃO DADO AO VINHO – O Apóstolo Paulo exorta em favor da moderação. Mas a
total abstinência é a conduta ideal para o ministro do evangelho, pois isto evitará
críticas, tentações e suspeitas.
10
O OBREIRO DEVE SER CORDATO - "gentil", 'bondoso", "pronto a ceder", "dotado de
espírito tolerante". Deve ter como padrão comportamental a vida de Jesus Cristo.
Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe
ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento; (1 Tm 3:3)
NÃO ESPANCADOR – não pode ser briguento, nem violento. Deve ser um modelo de
pai e de esposo, não agredindo nunca fisicamente sua esposa e filhos.
NÃO CONDIZENTE COM GANÂNCIAS DESONESTAS – deve possuir um trabalho
honesto, pelo qual obtenha uma justa remuneração. Devem abominar o lucro ilícito.
MODERADO – ou cordato, deve ser uma pessoa gentil, amável, tolerante (com as
pessoas, não com o pecado), longânimo, a exemplo do próprio Jesus.
AMÁVEL– não contencioso, deve ser inimigo de contendas, pacífico.
NÃO AVARENTO – não deve amar o dinheiro e riquezas.
O PREPARO DO OBREIRO
QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO
QUE GOVERNE BEM A SUA PRÓPRIA CASA – deve cuidar da
Igreja como se estivesse cuidando da sua própria família. Se
o obreiro não possui capacidade de cuidar da própria família,
igualmente não tem capacidade de administrar a Igreja.
11
Que governe bem a sua própria casa, tendo
seus filhos em sujeição, com toda a modéstia
(1 Tm 3:4)
NÃO SEJA NEÓFITO – alguém que não seja convertido a pouco tempo. Existe um
perigo para o novo convertido em ver de maneira errada o objetivo de seu
ministério. A seriedade do perigo é tratada comparando-se ao pecado de Lúcifer.
Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação
do diabo. (1 Tm 3:6)
O PREPARO DO OBREIRO
QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO
QUE TENHA BOM TESTEMUNHO DOS QUE ESTÃO DE
FORA – 0 testemunho dos que não são crentes também
conta - e não apenas da Igreja.
12
Convém também que tenha bom
testemunho dos que estão de fora, para
que não caia em afronta, e no laço do
diabo. (1 Tm 3:7)
QUE TENHA FILHOS FIÉIS – deve esforçar-se para que todos os seus filhos sejam
crentes, mas nunca obrigá-los.
QUE NÃO POSSAM SER ACUSADOS DE DISSOLUÇÃO – não podem viver
dissolutamente. O que é dissolução? É cometer atos sem preocupar-se com as
consequências, o que lhe importa é o aqui e o agora.
NÃO DESOBEDIENTES – não podem ser insubmissos ou insubordinados.
...que tenha filhos fiéis, que não possam ser acusados de dissolução
nem são desobedientes. (Tito 1:6)
O PREPARO DO OBREIRO
QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO
AMIGO DO BEM, JUSTO, SANTO E TEMPERANTE – deve zelar por tudo o que é bom
e o que representa o bem; deve ser justo em todas as suas atitudes e decisões; deve
viver uma vida de santidade; e deve saber controlar-se a si mesmo.
13
... amigo do bem, moderado, justo, santo, temperante; (Tito 1.8)
NÃO SOBRERBO – não pode ser orgulhoso.
NÃO IRACUNDO – não pode ter ira no coração; "não irritável", "não encolerizável".
O obreiro não pode ser inclinado à ira, de temperamento explosivo.
IRREPREENSÍVEL COMO DESPENSEIRO DA CASA
DE DEUS – ter responsabilidade com o trabalho
de Deus, somos mordomos das coisas de Deus.
Porque convém que o bispo seja
irrepreensível, como despenseiro
da casa de Deus, não soberbo, nem
iracundo... (Tito 1.7)
O PREPARO DO OBREIRO
QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO
RETER FIRME A FIEL PALAVRA – preocupar-se em pregar somente aquilo que está
de acordo com a Palavra, evitando ensinar o que não convém, não se
comprometendo com mandamentos humanos em conflito com a Palavra de Deus.
14
Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina...(Tito 1.8)
NÃO PODE SER ESCOLHIDO PRECIPITADAMENTE
NÃO DESPREZES O DOM QUE HÁ EM TI
BOA REPUTAÇÃO
CHEIOS DO ESPÍRITO SANTO
CHEIOS DE SABEDORIA
NÃO DE LINGUA DOBRE – de uma só palavra com todos.
GUARDAR O MINISTÉRIO DA FÉ – se apegar à verdade revelada da fé.
PURA CONSCIÊNCIA– não ter a consciência atormentada por nenhuma culpa.
PASSAR POR PERÍODO DE EXPERIÊNCIA – provados = “provar como a metais”
TER BOM TESTEMUNHO – ser exemplo aos fiéis; ter uma vida digna de ser imitada.
OUTRAS
QUALIDADES
DO CARÁTER
DO MINISTRO
O PREPARO DO OBREIRO
OUTRAS QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO
16
SANTIDADE
 Fazer aquilo que Deus gosta;
 Ser piedoso, separado para Deus;
 É um atributo de Deus, em seu
sentido mais elevado;
 Para conhecer a santidade de Deus,
é necessário arrependimento;
 Não significa ser perfeito, mas estar caminhando numa estrada de
transformação;
 A motivação, os objetivos, a paixão, o desejo, os anseios, as aspirações,
as metas e a direção de uma pessoa santa é agradar a Deus.
O PREPARO DO OBREIRO
OUTRAS QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO
17
MODESTIA
 Jesus sempre foi modesto, deu-nos exemplo de humildade, mesmo
sendo Deus, Rei dos reis e Senhor dos senhores. Poderia ter nascido em
berço de ouro, uma vez ser Ele o dono do ouro e da prata, mas nasceu
numa manjedoura.
 Seja também discreto, humilde e modesto. Mas o que é modéstia?
Moderação; ausência de vaidade; simplicidade; sobriedade; compostura.
O PREPARO DO OBREIRO
OUTRAS QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO
18
COMPROMISSO
 Compromisso inalienável com a verdade;
 Servo de “uma só palavra”;
 Não dado à mentira;
 Cumpridor do que promete ao empenhar
sua palavra, mesmo que isto lhe venha a
causar prejuízos.
“A ninguém devais coisa
alguma, a não ser o amor com
que vos ameis uns aos outros;
porque quem ama aos outros
cumpriu a lei.” (Rm 13:8)
 Muitos rejeitam o Evangelho por terem feito
trato com obreiros que não os cumpriram;
O PREPARO DO OBREIRO
OUTRAS QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO
19
 HUMILDADE (Mt 5.3)
 CONTRIÇÃO (Mt 5.4)
 MANSIDÃO (Mt 5.5)
 JUSTIÇA (Mt 5.6)
 MISERICÓRDIA (Mt 5.7)
 PUREZA DE CORAÇÃO (Mt 5.8)
 PAZ (Mt 5.9)
 ALEGRIA NO SOFRIMENTO
INJUSTO (Mt 10.12)
 SERVIÇO (Mt 20.26-28)
 LABOROSIDADE (Pv 6.6-11)
 DILIGÊNCIA (Pv 10.4)
 CONSTÂNCIA (2 Tm 3.14)
 AUTODISCIPLINA (1 Co 9.25-27)
 RESPONSABILIDADE (1 Tm 3.4)
 ESTABILIDADE (Ef 6.11)
 FIRMEZA (Ef 6.11)
 VALENTIA (Jo 1.6-9)
 SINCERIDADE (Hb 10.22)
 HONRADEZ (1 Ts 4.6)
 INTEGRIDADE (Sl 15.2)
 IMPARCIALIDADE (1 Tm 5.21)
 RESPEITADOR (1 Pe 2.17)
EXEMPLO DE
PAULO, O
MINISTRO
“E nós, cooperando também com ele, vos exortamos a que não
recebais a graça de Deus em vão (porque diz: Ouvi-te em tempo
aceitável e socorri-te no dia da salvação; eis aqui agora o tempo
aceitável, eis aqui agora o dia da salvação). Não dando nós
escândalo em coisa alguma, para que o nosso ministério não seja
censurado. Antes, como ministros de Deus, tornando-nos
recomendáveis em tudo; na muita paciência, nas aflições, nas
necessidades, nas angústias, nos açoites, nas prisões, nos tumultos,
nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns, na pureza, na ciência, na
longanimidade, na benignidade, no Espírito Santo, no amor não
fingido, na palavra da verdade, no poder de Deus, pelas armas da
justiça, à direita e à esquerda, por honra e por desonra, por infâmia e
por boa fama; como enganadores, e sendo verdadeiros.” (2 Co 6.1-8)
O PREPARO DO OBREIRO
EXEMPLO DE PAULO, O MINISTRO
21
O PREPARO DO OBREIRO
4) PREPARO CULTURAL: PAULO PERANTE OS ATENIENSES
 O obreiro deve estar preparado culturalmente, e hoje já não se permitem as
desculpas do passado quanto à falta de oportunidade e recursos.
22
 Com certeza o exemplo de um obreiro preparado culturalmente é Paulo. Em
várias passagens bíblicas observamos o apóstolo conectado com o seu tempo.
Ele buscava conhecer as pessoas e sua cultura. (1 Co 9.22).
 Quando chegou a Atenas, na Grécia, a terra da Filosofia, Paulo não começou a
pregar por Moisés, mas pregou no nível cultural dos atenienses, a Filosofia.
O obreiro deve estar preparado
culturalmente em dois aspectos:
 CULTURA BÍBLICA
 CULTURA GERAL
O PREPARO DO OBREIRO
5) PREPARO SOCIAL: O PEDIDO DE SALOMÃO: SAIR E ENTRAR
 A obediência às expectativas de Deus a nosso respeito tem como
resultado a atração da presença divina sobre nossas vidas.
23
 Quando estamos empenhados em concretizar os
sonhos de Deus para cada um de nós, Ele mesmo
vê o nosso esforço e nos exaltar, se há sinceridade
de propósito no nosso coração.
Dá-me, pois, agora, sabedoria e conhecimento, para
que possa sair e entrar perante este povo; pois quem
poderia julgar a este tão grande povo? (2 Crônicas 1:10)
E deu Deus a Salomão sabedoria, e muitíssimo
entendimento, e largueza de coração, como a areia
que está na praia do mar. (1 Reis 4:29)
O PREPARO DO OBREIRO
5.A) PREPARO SOCIAL: NA IGREJA
 Todo obreiro, mais cedo ou mais tarde
será criticado.
24
 Paulo sofreu ataques de alguns
membros da igreja de Corinto.
 Arão e Miriã criticaram a Moisés por
seu casamento com a mulher etíope.
 Outra dificuldade enfrentada é quando
algumas pessoas consideram o obreiro
como um “superstar”, “super-espiritual”
ou ainda, um “semideus”, detentor da
solução para todos os problemas.
 O pastor deve aprender que sua principal ocupação é cuidar do
rebanho de Deus e procurar ganhar almas para Cristo.
O PREPARO DO OBREIRO
5.B) PREPARO SOCIAL: NA SOCIEDADE
Na ação pastoral, o Ministro precisa ser: santo e
disciplinado, pastor do seu próprio lar, líder carismático
e, homem de Deus com testemunho social.
25
a) PASTOR DE SEU LAR
Como pai e marido, o pastor precisa equilibrar as funções, porquanto qualquer
inclinação exagerada poderá causar estragos que só serão vistos com o passar
dos anos.
b) LÍDER CARISMÁTICO NA IGREJA
As condutas do pastor são reconhecidas dentre o povo na qualidade de pai,
árbitro, conselheiro, irmão maduro, mestre, administrador, planejador,
empreendedor, mas, sobretudo na função que lhe é peculiar: Profeta de Deus.
c) HOMEM DE DEUS NA SOCIEDADE
Com a proliferação dos "vendedores de bênçãos", o pastor deixou de ser olhado
respeitosamente, o que faz com que busque maior respeitabilidade perante a
sociedade.
O PREPARO
PSICOLÓGICO
O PREPARO DO OBREIRO
6) PREPARO PSICOLÓGICO
 Pastores e dirigentes evangélicos são
vistos por psicoterapeutas e
psicólogos como um segmento
avesso à busca de ajuda psicológica
por receio de se expor perante os
colegas e os liderados.
27
 Geralmente deixam os problemas se acumularem por anos e quase
sempre dizem não confiar em ninguém – daí o motivo de não
buscarem ajuda entre colegas, amigos ou familiares.
 Para aqueles que necessitam e resistem à ajuda psicológica e
psiquiátrica, admitir a necessidade é assumir uma derrota
inadmissível, é quase uma negação de fé. Vítimas de uma cultura de
medo de julgamento por parte dos outros, sentem-se cerceados em
sua liberdade de ser gente como qualquer outra pessoa.
O PREPARO
FINANCEIRO
O PREPARO DO OBREIRO
7) PREPARO FINANCEIRO
 Há obreiros que não conseguem
administrar o que ganham, e causam
escândalos para a igreja. Tem obreiro
que não tem sequer crédito no
comércio.
29
 Os níveis de endividamento subiram durante várias décadas e é mais
que provável que estejam a aumentar também na igreja.
 Muitos ministérios estão arruinados porque os pastores estão tão
sobrecarregados com as dívidas que abandonam o ministério para
arranjarem um trabalho mais remunerado.
 A maioria dos pastores não fazem ideia do nível de endividamento
existente nos membros de suas igrejas e eles próprios estão sendo
afetados por elas.
O PREPARO DO OBREIRO
7) PREPARO FINANCEIRO: COMO LIVRAR-SE DAS DÍVIDAS
30
Este é o passo mais difícil e o mais importante de todos. As dívidas
não desaparecem naturalmente. É preciso vontade e começa com
um compromisso. Não é fácil! Exige disciplina e perseverança.
Oferte ao Senhor e guarde parte como poupança. Muitas pessoas
com dívidas recusam-se a fazer isto porque não compreendem que
ofertar a Deus e poupar é uma ajuda.
Você tem de manter bons registros. É o princípio da contabilidade.
Necessita de saber para onde tem ido o seu dinheiro, para onde
está a ir, e de onde está a vir.
"Com a sabedoria se edifica a casa, e com a inteligência ela se firma”
(Pv 24.3)
O PREPARO DO OBREIRO
7) PREPARO FINANCEIRO: COMO LIVRAR-SE DAS DÍVIDAS
31
Converta algo em dinheiro, a venda pode ser uma boa opção!
Reduza as parcelas da casa ou carro, seja radical!
Nunca se verá livre da dívida acidentalmente. Consegue-se de
forma intencional. Terá de realizar um plano. Procure ajuda e
conselho!
Corte com o vício ou dependência do endividamento. Acabe com
os seus cartões de crédito. Não contraia mais empréstimos.
Aprenda a viver com o que ganha e ficar contente com o que
tem.
O PREPARO DO OBREIRO
7) PREPARO FINANCEIRO: COMO LIVRAR-SE DAS DÍVIDAS
32
Dê a conhecer às pessoas a quem deve que as coisas estão a mudar. Faça uma lista
daqueles a quem deve. Telefone a cada um deles e diga-lhes, "Não quero ficar em
dívida. Não é bom para ti. Não é bom para mim. Não posso lhe pagar 300 Reais por
mês, porque simplesmente não o tenho. Mas posso pagar-lhe 50 reais por mês.
Quero liquidar as minhas dívidas. Pode ajudar-me nisto?".
Se for tentado a desistir, terá de prosseguir e se firmar no
plano. Necessitará também do encorajamento dos irmãos na
fé. Deus está interessado em todos os detalhes da sua vida -
incluindo a sua vida financeira. Ele quer que liquide as suas
dívidas, e ajudá-lo-á a consegui-lo.
O PREPARO PARA
VIVER O PRESENTE
O PREPARO DO OBREIRO
8) PREPARO PARA VIVER O PRESENTE
34
No dia-a-dia o obreiro precisa viver o que escreveu Paulo a Timóteo "ter cuidado de
si mesmo e da doutrina, por que assim fazendo, salvará a si mesmo quanto aos que
o ouvem" (1 Tm 4.16).
 O obreiro deve ser irrepreensível, vigilante, sóbrio, honesto,
hospitaleiro, apto para ensinar, não cobiçoso, de torpe
ganância, não avarento, obediente, humilde e sábio.
 O bom governo de sua casa no cotidiano é imprescindível.
 Na sociedade é importante que tenha bom testemunho
dos que estão de fora.
 Precisa conhecer as fraquezas de suas ovelhas e ter uma
grande capacidade de perdoar.
 Dirigir sabiamente a igreja do Senhor é outra capacidade que deve ser exercida
no presente, com equilíbrio, graça e sabedoria.
 Não dê lugar à intimidade, saiba guardar distâncias, nem todas as liberdades que
se tomam devem ser dadas.
O PREPARO DO OBREIRO
8) PREPARO PARA VIVER O PRESENTE
35
 O obreiro não deve contar "piadas" inconvenientes. É fácil reconhecer-se um
homem por sua linguagem. Dificilmente se apagam da memória as lembranças
de uma estória obscena, que se ouviu.
 Tome cuidado em não mentir. É doloroso
observar que há pastores mentirosos.
 Nunca subestime seu auditório. Nos bancos
de sua igreja há muita gente de bom senso e
que sabe mais do que você pensa.
 Não utilize do ministério para entrar em
competição com o mundo por carreira política.
O lugar do obreiro é junto a seu rebanho.
 O obreiro tem de ser, necessariamente, o melhor homem do seu lugar, o mais
correto, o mais compreensivo, o mais atento para as coisas altas e puras, o mais
limpo de coração, apresentando, aos olhos de todos, uma vida exemplar.
O PREPARO PARA
VIVER NO FUTURO
O PREPARO DO OBREIRO
9) PREPARO PARA VIVER NO FUTURO
37
O pastor precisa planejar seu futuro: Jubilação. Previdência Social e Previdência da
Convenção. Poupança. Reservas, etc.
 Durante alguns anos, o ministro de confissão religiosa foi equiparado ao
autônomo; mesmo naquela situação, não era considerado autônomo. Na prática,
ele não tem vínculo empregatício, logo, não tem os direitos trabalhistas, não é
autônomo; se fosse autônomo, teria um contrato de prestação de serviços, como
não é, sobre ele não há lei que lhe assegure qualquer direito.
 Muitos pastores que terminam seus ministérios sem
aposentadoria. De quem seria a responsabilidade?
Do pastor que não planejou o seu futuro ou da igreja
que não cuidou do seu líder?
 A responsabilidade é do pastor, pois o ministro de confissão religiosa é um
segurado obrigatório da Previdência Social. Esta providência deve ser tomada
pelo pastor, assim como também é de sua responsabilidade declarar sobre que
valor deve contribuir para a Previdência.
O PREPARO FÍSICO
O PREPARO DO OBREIRO
10) PREPARO FÍSICO
39
O cristão deve se exercitar? O que a Bíblia
diz sobre a saúde?
"Pois o exercício físico para pouco é proveitoso,
mas a piedade para tudo é proveitosa, porque
tem a promessa da vida que agora é e da que há
de ser” (1 Tm 4.8)
 Note que este versículo não diz que o exercício não tem valor! Ele diz que o
exercício tem algum valor, mas mantém as prioridades corretamente ao dizer
que a piedade é de maior valor.
 Não há nada de errado no fato de um cristão se exercitar. Na verdade, a Bíblia é
clara ao dizer que nós devemos cuidar bem dos nossos corpos (I Co 6.19-20).
 O que a Bíblia diz sobre a saúde? Seja saudável! Como alcançamos este objetivo?
Ao fazermos exercícios não muito pesados e comendo moderadamente. Este é o
padrão Bíblico para a saúde e para o exercício físico.
O PREPARO
ORGANIZACIONAL
O PREPARO DO OBREIRO
11) PREPARO ORGANIZACIONAL
41
O obreiro precisa manejar
os recursos tecnológicos em
favor da obra de Deus.
O cristão pode utilizar-se dar inovações da atualidade para pregar a
Palavra de Deus, desde que saiba que tais inovações são apenas
meios secundários, e que a verdadeira arma de nossa milícia é
espiritual.
 Conhecimento básico de
informática;
 Conhecimento de mídia
eletrônica: data-show, etc;
 Novas tecnologias
O PREPARO DO OBREIRO
11) PREPARO ORGANIZACIONAL
42
 A Administração do tempo é um gerador
de crises na vida e família pastoral.
 Dentro das atividades que precisamos
realizar, é preciso diferenciar as que são
IMPORTANTES e as que são URGENTES.
 Administrar o tempo é ganhar autonomia sobre a sua vida, não é ficar
escravo do relógio. É uma batalha constante do nosso dia a dia. Em última
instância, é planejar estrategicamente a nossa vida. Para isso, precisamos,
em primeiro lugar, saber aonde queremos chegar (definição de objetivos).
Onde quero estar, o que quero ser, daqui a 5, 10, 25, 50 anos?
 Quando o nosso tempo termina, acaba a nossa vida. Não há maneira de
obter mais. Por isso, tempo é vida. Quem administra o tempo ganha vida,
mesmo vivendo o mesmo tempo.
O PREPARO DO OBREIRO
11) PREPARO ORGANIZACIONAL
43
Deus nos escolheu para o mais importante de
todos os trabalhos: Anunciar o evangelho ao
mundo. Para realizarmos bem esse trabalho,
precisamos utilizar as ferramentas da
ADMINISTRAÇÃO.
 ADMINISTRAÇÃO é o conjunto de normas destinadas a ordenar e controlar
a produtividade e eficiência, tendo em vista um determinado resultado.
 Nisto grande parte da igreja evangélica tem errado: Na administração
daquilo que o Senhor nos tem dado. Erro este, que advém do também
errôneo conceito de que "todo mundo é administrador". Na realidade,
grande parte da igreja evangélica mundial (principalmente a brasileira) não
sabe o que isso significa.
O PREPARO DO OBREIRO
11) PREPARO ORGANIZACIONAL
44
7 atitudes que demonstram a
direção de Deus na
administração eclesiástica, com
base no texto de Atos 6.1-7.
 1. ORGANIZAÇÃO
 2. TRABALHO EM EQUIPE
 3. DIVISÃO DE TRABALHO
 4. REQUISITOS
 5. MOTIVAÇÃO
 6. PROPÓSITO E VISÃO
 7. AÇÕES RÁPIDAS
“Ora, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos,
houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus,
porque as suas viúvas eram desprezadas no ministério
cotidiano. E os doze, convocando a multidão dos discípulos,
disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de
Deus e sirvamos às mesas. Escolhei, pois, irmãos, dentre
vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo
e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante
negócio. Mas nós perseveraremos na oração e no ministério
da palavra. E este parecer contentou a toda a multidão, e
elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, e
Filipe, e Prócoro, e Nicanor, e Timão, e Parmenas e Nicolau,
prosélito de Antioquia; e os apresentaram ante os apóstolos,
e estes, orando, lhes impuseram as mãos. E crescia a palavra
de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos
discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé.”
CONCLUSÃO
Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus
2 Timóteo 2.1
O pastor deve aprender que sua principal ocupação é cuidar
do rebanho de Deus e ganhar almas para Cristo, nenhum
evento é mais importante e urgente que este. Pense nisto.
Busque ganhar para Jesus aqueles que estão morrendo sem
ter esperança de ver Deus.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoErberson Pinheiro
 
Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoJosue Lima
 
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,Felicio Araujo
 
Lição 5 - É necessário nascer de novo
Lição 5 - É necessário nascer de novoLição 5 - É necessário nascer de novo
Lição 5 - É necessário nascer de novoÉder Tomé
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Maduraguestc5d870
 
Evangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de Jesus
Evangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de JesusEvangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de Jesus
Evangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de Jesusjonasfreitasdejesus
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiroWander Sousa
 
Uma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaUma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaMoisés Sampaio
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisMoisés Sampaio
 
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristãLição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristãJoanilson França Garcia
 
As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.Márcio Martins
 
Lição 02 - Pecado: uma realidade humana
Lição 02 - Pecado: uma realidade humanaLição 02 - Pecado: uma realidade humana
Lição 02 - Pecado: uma realidade humanaÉder Tomé
 
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento EspiritualLição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento EspiritualÉder Tomé
 

Mais procurados (20)

Evangelismo pessoal
Evangelismo pessoalEvangelismo pessoal
Evangelismo pessoal
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
 
Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvação
 
O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
 
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,O desafio de ser um cristão contemporâneo,
O desafio de ser um cristão contemporâneo,
 
O poder do chamado de deus
O poder do chamado de deus O poder do chamado de deus
O poder do chamado de deus
 
Lição 5 - É necessário nascer de novo
Lição 5 - É necessário nascer de novoLição 5 - É necessário nascer de novo
Lição 5 - É necessário nascer de novo
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
 
Evangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de Jesus
Evangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de JesusEvangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de Jesus
Evangelismo e Discipulado - Pr. Jonas Freitas de Jesus
 
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
Lição 2   A disciplina na vida do obreiroLição 2   A disciplina na vida do obreiro
Lição 2 A disciplina na vida do obreiro
 
Uma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaUma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibrada
 
Treinamento para diáconos
Treinamento para diáconosTreinamento para diáconos
Treinamento para diáconos
 
O propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituaisO propósito dos dons espirituais
O propósito dos dons espirituais
 
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristãLição 6 – frutos da maturidade cristã
Lição 6 – frutos da maturidade cristã
 
As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.
 
Lição 02 - Pecado: uma realidade humana
Lição 02 - Pecado: uma realidade humanaLição 02 - Pecado: uma realidade humana
Lição 02 - Pecado: uma realidade humana
 
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento EspiritualLição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
Lição 9 - É preciso buscar Crescimento Espiritual
 
A vida do novo convertido
A vida do novo convertidoA vida do novo convertido
A vida do novo convertido
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
 

Destaque

Lição 1 - O ministro e sua vida sexual. - Livro Teologia Pastoral II
Lição 1 - O ministro e sua vida sexual. - Livro Teologia Pastoral IILição 1 - O ministro e sua vida sexual. - Livro Teologia Pastoral II
Lição 1 - O ministro e sua vida sexual. - Livro Teologia Pastoral IIEdnilson do Valle
 
CETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministério
CETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministérioCETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministério
CETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministérioEdnilson do Valle
 
Youblisher.com 96282-odilon cpo
Youblisher.com 96282-odilon cpoYoublisher.com 96282-odilon cpo
Youblisher.com 96282-odilon cpoFlavia Marques
 
CETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo Testamento
CETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo TestamentoCETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo Testamento
CETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo TestamentoEdnilson do Valle
 
CETADEB Lição 3 - O Desenvolvimento Humano. Livro Psicologia Pastoral
CETADEB  Lição 3 - O Desenvolvimento Humano. Livro Psicologia PastoralCETADEB  Lição 3 - O Desenvolvimento Humano. Livro Psicologia Pastoral
CETADEB Lição 3 - O Desenvolvimento Humano. Livro Psicologia PastoralEdnilson do Valle
 
CETADEB, Lição 1 - Livro Teologia Pastoral I
CETADEB, Lição 1 - Livro Teologia Pastoral ICETADEB, Lição 1 - Livro Teologia Pastoral I
CETADEB, Lição 1 - Livro Teologia Pastoral IEdnilson do Valle
 
A fidelidade dos obreiros do Senhor
A fidelidade dos obreiros do SenhorA fidelidade dos obreiros do Senhor
A fidelidade dos obreiros do SenhorMoisés Sampaio
 
Curso para obreiros
Curso para obreirosCurso para obreiros
Curso para obreirosCELSO SOARES
 
CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...
CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...
CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...Ednilson do Valle
 
CETADEB - Lição 3 - O Ministro: seu sustento e vida de estudos
CETADEB - Lição 3 - O Ministro: seu sustento e vida de estudosCETADEB - Lição 3 - O Ministro: seu sustento e vida de estudos
CETADEB - Lição 3 - O Ministro: seu sustento e vida de estudosEdnilson do Valle
 
CETADEB. Lição 5 - O Ministro e sua Família
CETADEB.  Lição 5 -  O Ministro e sua FamíliaCETADEB.  Lição 5 -  O Ministro e sua Família
CETADEB. Lição 5 - O Ministro e sua FamíliaEdnilson do Valle
 
Ministério do obreiro
Ministério do obreiroMinistério do obreiro
Ministério do obreiroandrepaidafe
 
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...Ednilson do Valle
 
Características do obreiro coluna
Características do obreiro colunaCaracterísticas do obreiro coluna
Características do obreiro colunaEvandro Cruz
 
CETADEB Lição 2 - A Psicologia e as nossas emoções. Livro Psicologia Pastoral
CETADEB Lição 2 - A Psicologia e as nossas emoções. Livro Psicologia PastoralCETADEB Lição 2 - A Psicologia e as nossas emoções. Livro Psicologia Pastoral
CETADEB Lição 2 - A Psicologia e as nossas emoções. Livro Psicologia PastoralEdnilson do Valle
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovadoshalonahr
 
Lição 12 novos céus e nova terra
Lição 12  novos céus e nova terraLição 12  novos céus e nova terra
Lição 12 novos céus e nova terraEdnilson do Valle
 
Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Dalila Melo
 

Destaque (20)

Lição 1 - O ministro e sua vida sexual. - Livro Teologia Pastoral II
Lição 1 - O ministro e sua vida sexual. - Livro Teologia Pastoral IILição 1 - O ministro e sua vida sexual. - Livro Teologia Pastoral II
Lição 1 - O ministro e sua vida sexual. - Livro Teologia Pastoral II
 
CETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministério
CETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministérioCETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministério
CETADEB - Lição 1 - O preparo do obreiro para o ministério
 
Youblisher.com 96282-odilon cpo
Youblisher.com 96282-odilon cpoYoublisher.com 96282-odilon cpo
Youblisher.com 96282-odilon cpo
 
CETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo Testamento
CETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo TestamentoCETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo Testamento
CETADEB - Lição 2 - O Ministério no Antigo e no Novo Testamento
 
CETADEB Lição 3 - O Desenvolvimento Humano. Livro Psicologia Pastoral
CETADEB  Lição 3 - O Desenvolvimento Humano. Livro Psicologia PastoralCETADEB  Lição 3 - O Desenvolvimento Humano. Livro Psicologia Pastoral
CETADEB Lição 3 - O Desenvolvimento Humano. Livro Psicologia Pastoral
 
CETADEB, Lição 1 - Livro Teologia Pastoral I
CETADEB, Lição 1 - Livro Teologia Pastoral ICETADEB, Lição 1 - Livro Teologia Pastoral I
CETADEB, Lição 1 - Livro Teologia Pastoral I
 
A fidelidade dos obreiros do Senhor
A fidelidade dos obreiros do SenhorA fidelidade dos obreiros do Senhor
A fidelidade dos obreiros do Senhor
 
Curso para obreiros
Curso para obreirosCurso para obreiros
Curso para obreiros
 
ética cristã - teologia do obreiro
 ética cristã - teologia do obreiro ética cristã - teologia do obreiro
ética cristã - teologia do obreiro
 
CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...
CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...
CETADEB - Lição 3 - Os desafios dos Apóstolos, Bispos/Presbíteros frente a ge...
 
CETADEB - Lição 3 - O Ministro: seu sustento e vida de estudos
CETADEB - Lição 3 - O Ministro: seu sustento e vida de estudosCETADEB - Lição 3 - O Ministro: seu sustento e vida de estudos
CETADEB - Lição 3 - O Ministro: seu sustento e vida de estudos
 
CETADEB. Lição 5 - O Ministro e sua Família
CETADEB.  Lição 5 -  O Ministro e sua FamíliaCETADEB.  Lição 5 -  O Ministro e sua Família
CETADEB. Lição 5 - O Ministro e sua Família
 
Ministério do obreiro
Ministério do obreiroMinistério do obreiro
Ministério do obreiro
 
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
CETADEB - Lição 4 - Paulo, o padrão. Barnabé o exemplo, Livro Teologia Pastor...
 
Características do obreiro coluna
Características do obreiro colunaCaracterísticas do obreiro coluna
Características do obreiro coluna
 
CETADEB Lição 2 - A Psicologia e as nossas emoções. Livro Psicologia Pastoral
CETADEB Lição 2 - A Psicologia e as nossas emoções. Livro Psicologia PastoralCETADEB Lição 2 - A Psicologia e as nossas emoções. Livro Psicologia Pastoral
CETADEB Lição 2 - A Psicologia e as nossas emoções. Livro Psicologia Pastoral
 
Obreiro aprovado
Obreiro aprovadoObreiro aprovado
Obreiro aprovado
 
Lição 12 novos céus e nova terra
Lição 12  novos céus e nova terraLição 12  novos céus e nova terra
Lição 12 novos céus e nova terra
 
Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!Obreiros do senhor!
Obreiros do senhor!
 
Lição 1 O perfil bíblico de um líder
Lição 1 O perfil bíblico de um líderLição 1 O perfil bíblico de um líder
Lição 1 O perfil bíblico de um líder
 

Semelhante a CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro

Aulas 1 e 2 presbiteros editada
Aulas 1 e 2 presbiteros editadaAulas 1 e 2 presbiteros editada
Aulas 1 e 2 presbiteros editadaKeiler Vasconcelos
 
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015Pr. Andre Luiz
 
Apostasia, fidelidade e diligência no ministério lição 05 final irmão jin
Apostasia, fidelidade e diligência no ministério   lição 05 final irmão jinApostasia, fidelidade e diligência no ministério   lição 05 final irmão jin
Apostasia, fidelidade e diligência no ministério lição 05 final irmão jinJeronimo Nunes
 
Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015
Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015
Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015Pr. Andre Luiz
 
Lição 10 - Mansidão torna o crente apto para evitar pelejas
Lição 10 - Mansidão torna o crente apto para evitar pelejasLição 10 - Mansidão torna o crente apto para evitar pelejas
Lição 10 - Mansidão torna o crente apto para evitar pelejasErberson Pinheiro
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13Joel de Oliveira
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13Joel Silva
 
Lição 12 exortações gerais 3º trimestre de 2015
Lição 12   exortações gerais   3º trimestre de 2015Lição 12   exortações gerais   3º trimestre de 2015
Lição 12 exortações gerais 3º trimestre de 2015Andrew Guimarães
 
LBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejas
LBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejasLBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejas
LBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejasNatalino das Neves Neves
 
PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04
PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04
PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04Samarone Melo
 
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013Gerson G. Ramos
 
Lição 8 3º Trim. 2015
Lição 8  3º Trim. 2015Lição 8  3º Trim. 2015
Lição 8 3º Trim. 2015Rogerio Rieling
 
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015Andrew Guimarães
 
LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAIS
LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAISLIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAIS
LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAISLourinaldo Serafim
 
A Organização de uma Igreja Local
A Organização de uma Igreja LocalA Organização de uma Igreja Local
A Organização de uma Igreja LocalAntonio Fernandes
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre 2015 aula 11 A organização de uma igreja...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre 2015 aula 11 A organização de uma igreja...EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre 2015 aula 11 A organização de uma igreja...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre 2015 aula 11 A organização de uma igreja...GIDEONE Moura Santos Ferreira
 

Semelhante a CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro (20)

Aulas 1 e 2 presbiteros editada
Aulas 1 e 2 presbiteros editadaAulas 1 e 2 presbiteros editada
Aulas 1 e 2 presbiteros editada
 
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015
 
Apostasia, fidelidade e diligência no ministério lição 05 final irmão jin
Apostasia, fidelidade e diligência no ministério   lição 05 final irmão jinApostasia, fidelidade e diligência no ministério   lição 05 final irmão jin
Apostasia, fidelidade e diligência no ministério lição 05 final irmão jin
 
Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015
Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015
Pastores e Diáconos - Lição 04 - 3º Trimestre de 2015
 
Lição 10 - Mansidão torna o crente apto para evitar pelejas
Lição 10 - Mansidão torna o crente apto para evitar pelejasLição 10 - Mansidão torna o crente apto para evitar pelejas
Lição 10 - Mansidão torna o crente apto para evitar pelejas
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
 
Lição 12 exortações gerais 3º trimestre de 2015
Lição 12   exortações gerais   3º trimestre de 2015Lição 12   exortações gerais   3º trimestre de 2015
Lição 12 exortações gerais 3º trimestre de 2015
 
ÉTica cristã aula 02
ÉTica cristã aula 02ÉTica cristã aula 02
ÉTica cristã aula 02
 
LBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejas
LBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejasLBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejas
LBA Lição 10 - Mansidão, torna o crente apto para evitar pelejas
 
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇAINSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
INSTRUÇOES A IGREJA LOCAL E A LIDERANÇA
 
O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)O ministério do diácono (isa)
O ministério do diácono (isa)
 
PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04
PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04
PASTORES E DIÁCONOS - LIÇÃO 04
 
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
 
Lição 8 3º Trim. 2015
Lição 8  3º Trim. 2015Lição 8  3º Trim. 2015
Lição 8 3º Trim. 2015
 
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
Lição 5 apostasia, fidelidade e diligência no ministério 3º trimestre de 2015
 
Exortações Gerais
Exortações GeraisExortações Gerais
Exortações Gerais
 
LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAIS
LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAISLIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAIS
LIÇÃO 12 - EXORTAÇÕES GERAIS
 
A Organização de uma Igreja Local
A Organização de uma Igreja LocalA Organização de uma Igreja Local
A Organização de uma Igreja Local
 
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre 2015 aula 11 A organização de uma igreja...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre 2015 aula 11 A organização de uma igreja...EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre 2015 aula 11 A organização de uma igreja...
EBD CPAD Lições bíblicas 3°trimestre 2015 aula 11 A organização de uma igreja...
 

Último

637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamentalgeone480617
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 

Último (20)

637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 

CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro

  • 2.
  • 3. O PREPARO DO OBREIRO "Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.” (1 Co 9.27) 3 1) PREPARO ESPIRITUAL O obreiro deve ter a consciência que nenhum aplauso ou sucesso se sobrepõe a aprovação de Deus em seu ministério. Quantos são os obreiros que tem aprovação dos homens (aplausos, mídia, convites, grandes "ofertas"), mas diante de Deus seu ministério é reprovado. Paulo tinha temor que tendo trabalhado tanto, ao final não fosse ele próprio reprovado, confirmando que não e o trabalho que aprova o obreiro.
  • 4. O PREPARO DO OBREIRO 4 1) PREPARO ESPIRITUAL Paulo argumentou que não ministrava com as armas humanas, mas com a utilização do poder de Deus (1 Co 1.18; 1 Co 4.20). “Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo sempre amém.” (1 Pe 4.11).
  • 5. O PREPARO DO OBREIRO 1) PREPARO ESPIRITUAL Frequentemente o obreiro se depara com o questionamento de sua própria chamada. O grande engano é imaginar que o ingresso no ministério pode significar a possibilidade de se ajudar outras pessoas, e não em resposta a uma chamada pessoal e especifica. "Não despreze o dom que há em ti“ (1 Tm 4.11). "Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados“ (1 Co 1.26) "Cada um fique na vocação em que foi chamado“ (1 Co 7.20) "Há um só corpo e um só espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação." (Ef 4.4) 5
  • 6. O PREPARO DO OBREIRO 2) PREPARO FAMILIAR A Bíblia contém várias orientações sobre a condução familiar. No que concerne aos obreiros temos as seguintes orientações bíblicas: A) Ter seus filhos em obediência (1 Tm 3.4; 1 Tm 3. 12) B) Marido de uma só mulher (1 Tm 3.2,12) 6 3) PREPARO ÉTICO – HOMBRIDADE “SE HOMEM...” - Não significa expressar características de virilidade, nem grosseria, muito menos que haja alguma exclusividade para pessoas do sexo masculino; - Significa o caráter ético que um homem deve ter, principalmente o obreiro. - A nobreza de caráter e a dignidade tem sido substituídos pelo desrespeito e imoralidade, por isso essa hombridade é um desafio para o obreiro. “Eu vou pelo caminho de toda a terra; esforça-te, pois, e sê homem. E guarda a ordenança do Senhor teu Deus, para andares nos seus caminhos, e para guardares os seus estatutos, e os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seus testemunhos, como está escrito na lei de Moisés; para que prosperes em tudo quanto fizeres, e para onde quer que fores. “ 1 Reis 2:2,3
  • 8. O PREPARO DO OBREIRO QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO “Aspira” – do grego “Orego” = esticar-se, estender a mão; desejar com intensidade; 8 "Excelente” - do grego é "Kalos", que significa "Bom", "Excelente", "Nobre“ , "Livre de defeitos", "Precioso". A lição que aprendemos é que o episcopado deve ser procurado e desejado pelos os homens mais espirituais, porque uma igreja administrada por homens com desejos gananciosos é fadada a ruína e a perdição. “Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja.” 1 Timóteo 3:1 “Episcopado” -– do grego “Eoiskope” = vista; posição de liderança (pessoa de visão que saiba administrar as coisas eclesiásticas); "Almeja”, do grego "Epithumeo", que significa "desejar com intensidade", "anelar por". Esta palavra pode ser usada tanto no sentido de um desejo bom ou como um desejo mal. O aprendizado é que o bispo deve ter firme convicção do que ele quer e o que é requerido dele como um oficial importante da igreja.
  • 9. O PREPARO DO OBREIRO QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO IRREPREENSÍVEL – que não admite censura; que não pode ser repreendido; contra o qual não se possa fazer críticas; sem desvio de caráter ou conduta 9 MARIDO DE UMA SÓ MULHER – não pode ser polígamo; deve ser fiel a uma só mulher VIGILANTE – ou temperante, moderado, não pode ter vícios. Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; (1 Tm 3:2) SÓBRIO – ter uma mente sã, ser discreto, casto e ter domínio sobre os desejos sexuais. Uma das maiores vitórias de um pastor é a conquista de si próprio. HONESTO – Deve agir com honestidade tanto com os domésticos da fé quanto com os de fora. HOSPITALEIRO – que mantém um coração aberto e uma casa aberta. O Bispo é amigo dos forasteiros e compartilha das necessidades deles. APTO PARA ENSINAR – Não são apenas os mestres e pastores que possuem incumbência de ensinar - todo obreiro deve estar bem familiarizado com a Bíblia.
  • 10. O PREPARO DO OBREIRO QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO NÃO DADO AO VINHO – O Apóstolo Paulo exorta em favor da moderação. Mas a total abstinência é a conduta ideal para o ministro do evangelho, pois isto evitará críticas, tentações e suspeitas. 10 O OBREIRO DEVE SER CORDATO - "gentil", 'bondoso", "pronto a ceder", "dotado de espírito tolerante". Deve ter como padrão comportamental a vida de Jesus Cristo. Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento; (1 Tm 3:3) NÃO ESPANCADOR – não pode ser briguento, nem violento. Deve ser um modelo de pai e de esposo, não agredindo nunca fisicamente sua esposa e filhos. NÃO CONDIZENTE COM GANÂNCIAS DESONESTAS – deve possuir um trabalho honesto, pelo qual obtenha uma justa remuneração. Devem abominar o lucro ilícito. MODERADO – ou cordato, deve ser uma pessoa gentil, amável, tolerante (com as pessoas, não com o pecado), longânimo, a exemplo do próprio Jesus. AMÁVEL– não contencioso, deve ser inimigo de contendas, pacífico. NÃO AVARENTO – não deve amar o dinheiro e riquezas.
  • 11. O PREPARO DO OBREIRO QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO QUE GOVERNE BEM A SUA PRÓPRIA CASA – deve cuidar da Igreja como se estivesse cuidando da sua própria família. Se o obreiro não possui capacidade de cuidar da própria família, igualmente não tem capacidade de administrar a Igreja. 11 Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia (1 Tm 3:4) NÃO SEJA NEÓFITO – alguém que não seja convertido a pouco tempo. Existe um perigo para o novo convertido em ver de maneira errada o objetivo de seu ministério. A seriedade do perigo é tratada comparando-se ao pecado de Lúcifer. Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo. (1 Tm 3:6)
  • 12. O PREPARO DO OBREIRO QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO QUE TENHA BOM TESTEMUNHO DOS QUE ESTÃO DE FORA – 0 testemunho dos que não são crentes também conta - e não apenas da Igreja. 12 Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta, e no laço do diabo. (1 Tm 3:7) QUE TENHA FILHOS FIÉIS – deve esforçar-se para que todos os seus filhos sejam crentes, mas nunca obrigá-los. QUE NÃO POSSAM SER ACUSADOS DE DISSOLUÇÃO – não podem viver dissolutamente. O que é dissolução? É cometer atos sem preocupar-se com as consequências, o que lhe importa é o aqui e o agora. NÃO DESOBEDIENTES – não podem ser insubmissos ou insubordinados. ...que tenha filhos fiéis, que não possam ser acusados de dissolução nem são desobedientes. (Tito 1:6)
  • 13. O PREPARO DO OBREIRO QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO AMIGO DO BEM, JUSTO, SANTO E TEMPERANTE – deve zelar por tudo o que é bom e o que representa o bem; deve ser justo em todas as suas atitudes e decisões; deve viver uma vida de santidade; e deve saber controlar-se a si mesmo. 13 ... amigo do bem, moderado, justo, santo, temperante; (Tito 1.8) NÃO SOBRERBO – não pode ser orgulhoso. NÃO IRACUNDO – não pode ter ira no coração; "não irritável", "não encolerizável". O obreiro não pode ser inclinado à ira, de temperamento explosivo. IRREPREENSÍVEL COMO DESPENSEIRO DA CASA DE DEUS – ter responsabilidade com o trabalho de Deus, somos mordomos das coisas de Deus. Porque convém que o bispo seja irrepreensível, como despenseiro da casa de Deus, não soberbo, nem iracundo... (Tito 1.7)
  • 14. O PREPARO DO OBREIRO QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO RETER FIRME A FIEL PALAVRA – preocupar-se em pregar somente aquilo que está de acordo com a Palavra, evitando ensinar o que não convém, não se comprometendo com mandamentos humanos em conflito com a Palavra de Deus. 14 Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina...(Tito 1.8) NÃO PODE SER ESCOLHIDO PRECIPITADAMENTE NÃO DESPREZES O DOM QUE HÁ EM TI BOA REPUTAÇÃO CHEIOS DO ESPÍRITO SANTO CHEIOS DE SABEDORIA NÃO DE LINGUA DOBRE – de uma só palavra com todos. GUARDAR O MINISTÉRIO DA FÉ – se apegar à verdade revelada da fé. PURA CONSCIÊNCIA– não ter a consciência atormentada por nenhuma culpa. PASSAR POR PERÍODO DE EXPERIÊNCIA – provados = “provar como a metais” TER BOM TESTEMUNHO – ser exemplo aos fiéis; ter uma vida digna de ser imitada.
  • 16. O PREPARO DO OBREIRO OUTRAS QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO 16 SANTIDADE  Fazer aquilo que Deus gosta;  Ser piedoso, separado para Deus;  É um atributo de Deus, em seu sentido mais elevado;  Para conhecer a santidade de Deus, é necessário arrependimento;  Não significa ser perfeito, mas estar caminhando numa estrada de transformação;  A motivação, os objetivos, a paixão, o desejo, os anseios, as aspirações, as metas e a direção de uma pessoa santa é agradar a Deus.
  • 17. O PREPARO DO OBREIRO OUTRAS QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO 17 MODESTIA  Jesus sempre foi modesto, deu-nos exemplo de humildade, mesmo sendo Deus, Rei dos reis e Senhor dos senhores. Poderia ter nascido em berço de ouro, uma vez ser Ele o dono do ouro e da prata, mas nasceu numa manjedoura.  Seja também discreto, humilde e modesto. Mas o que é modéstia? Moderação; ausência de vaidade; simplicidade; sobriedade; compostura.
  • 18. O PREPARO DO OBREIRO OUTRAS QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO 18 COMPROMISSO  Compromisso inalienável com a verdade;  Servo de “uma só palavra”;  Não dado à mentira;  Cumpridor do que promete ao empenhar sua palavra, mesmo que isto lhe venha a causar prejuízos. “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.” (Rm 13:8)  Muitos rejeitam o Evangelho por terem feito trato com obreiros que não os cumpriram;
  • 19. O PREPARO DO OBREIRO OUTRAS QUALIDADES DO CARÁTER DO MINISTRO 19  HUMILDADE (Mt 5.3)  CONTRIÇÃO (Mt 5.4)  MANSIDÃO (Mt 5.5)  JUSTIÇA (Mt 5.6)  MISERICÓRDIA (Mt 5.7)  PUREZA DE CORAÇÃO (Mt 5.8)  PAZ (Mt 5.9)  ALEGRIA NO SOFRIMENTO INJUSTO (Mt 10.12)  SERVIÇO (Mt 20.26-28)  LABOROSIDADE (Pv 6.6-11)  DILIGÊNCIA (Pv 10.4)  CONSTÂNCIA (2 Tm 3.14)  AUTODISCIPLINA (1 Co 9.25-27)  RESPONSABILIDADE (1 Tm 3.4)  ESTABILIDADE (Ef 6.11)  FIRMEZA (Ef 6.11)  VALENTIA (Jo 1.6-9)  SINCERIDADE (Hb 10.22)  HONRADEZ (1 Ts 4.6)  INTEGRIDADE (Sl 15.2)  IMPARCIALIDADE (1 Tm 5.21)  RESPEITADOR (1 Pe 2.17)
  • 21. “E nós, cooperando também com ele, vos exortamos a que não recebais a graça de Deus em vão (porque diz: Ouvi-te em tempo aceitável e socorri-te no dia da salvação; eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação). Não dando nós escândalo em coisa alguma, para que o nosso ministério não seja censurado. Antes, como ministros de Deus, tornando-nos recomendáveis em tudo; na muita paciência, nas aflições, nas necessidades, nas angústias, nos açoites, nas prisões, nos tumultos, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns, na pureza, na ciência, na longanimidade, na benignidade, no Espírito Santo, no amor não fingido, na palavra da verdade, no poder de Deus, pelas armas da justiça, à direita e à esquerda, por honra e por desonra, por infâmia e por boa fama; como enganadores, e sendo verdadeiros.” (2 Co 6.1-8) O PREPARO DO OBREIRO EXEMPLO DE PAULO, O MINISTRO 21
  • 22. O PREPARO DO OBREIRO 4) PREPARO CULTURAL: PAULO PERANTE OS ATENIENSES  O obreiro deve estar preparado culturalmente, e hoje já não se permitem as desculpas do passado quanto à falta de oportunidade e recursos. 22  Com certeza o exemplo de um obreiro preparado culturalmente é Paulo. Em várias passagens bíblicas observamos o apóstolo conectado com o seu tempo. Ele buscava conhecer as pessoas e sua cultura. (1 Co 9.22).  Quando chegou a Atenas, na Grécia, a terra da Filosofia, Paulo não começou a pregar por Moisés, mas pregou no nível cultural dos atenienses, a Filosofia. O obreiro deve estar preparado culturalmente em dois aspectos:  CULTURA BÍBLICA  CULTURA GERAL
  • 23. O PREPARO DO OBREIRO 5) PREPARO SOCIAL: O PEDIDO DE SALOMÃO: SAIR E ENTRAR  A obediência às expectativas de Deus a nosso respeito tem como resultado a atração da presença divina sobre nossas vidas. 23  Quando estamos empenhados em concretizar os sonhos de Deus para cada um de nós, Ele mesmo vê o nosso esforço e nos exaltar, se há sinceridade de propósito no nosso coração. Dá-me, pois, agora, sabedoria e conhecimento, para que possa sair e entrar perante este povo; pois quem poderia julgar a este tão grande povo? (2 Crônicas 1:10) E deu Deus a Salomão sabedoria, e muitíssimo entendimento, e largueza de coração, como a areia que está na praia do mar. (1 Reis 4:29)
  • 24. O PREPARO DO OBREIRO 5.A) PREPARO SOCIAL: NA IGREJA  Todo obreiro, mais cedo ou mais tarde será criticado. 24  Paulo sofreu ataques de alguns membros da igreja de Corinto.  Arão e Miriã criticaram a Moisés por seu casamento com a mulher etíope.  Outra dificuldade enfrentada é quando algumas pessoas consideram o obreiro como um “superstar”, “super-espiritual” ou ainda, um “semideus”, detentor da solução para todos os problemas.  O pastor deve aprender que sua principal ocupação é cuidar do rebanho de Deus e procurar ganhar almas para Cristo.
  • 25. O PREPARO DO OBREIRO 5.B) PREPARO SOCIAL: NA SOCIEDADE Na ação pastoral, o Ministro precisa ser: santo e disciplinado, pastor do seu próprio lar, líder carismático e, homem de Deus com testemunho social. 25 a) PASTOR DE SEU LAR Como pai e marido, o pastor precisa equilibrar as funções, porquanto qualquer inclinação exagerada poderá causar estragos que só serão vistos com o passar dos anos. b) LÍDER CARISMÁTICO NA IGREJA As condutas do pastor são reconhecidas dentre o povo na qualidade de pai, árbitro, conselheiro, irmão maduro, mestre, administrador, planejador, empreendedor, mas, sobretudo na função que lhe é peculiar: Profeta de Deus. c) HOMEM DE DEUS NA SOCIEDADE Com a proliferação dos "vendedores de bênçãos", o pastor deixou de ser olhado respeitosamente, o que faz com que busque maior respeitabilidade perante a sociedade.
  • 27. O PREPARO DO OBREIRO 6) PREPARO PSICOLÓGICO  Pastores e dirigentes evangélicos são vistos por psicoterapeutas e psicólogos como um segmento avesso à busca de ajuda psicológica por receio de se expor perante os colegas e os liderados. 27  Geralmente deixam os problemas se acumularem por anos e quase sempre dizem não confiar em ninguém – daí o motivo de não buscarem ajuda entre colegas, amigos ou familiares.  Para aqueles que necessitam e resistem à ajuda psicológica e psiquiátrica, admitir a necessidade é assumir uma derrota inadmissível, é quase uma negação de fé. Vítimas de uma cultura de medo de julgamento por parte dos outros, sentem-se cerceados em sua liberdade de ser gente como qualquer outra pessoa.
  • 29. O PREPARO DO OBREIRO 7) PREPARO FINANCEIRO  Há obreiros que não conseguem administrar o que ganham, e causam escândalos para a igreja. Tem obreiro que não tem sequer crédito no comércio. 29  Os níveis de endividamento subiram durante várias décadas e é mais que provável que estejam a aumentar também na igreja.  Muitos ministérios estão arruinados porque os pastores estão tão sobrecarregados com as dívidas que abandonam o ministério para arranjarem um trabalho mais remunerado.  A maioria dos pastores não fazem ideia do nível de endividamento existente nos membros de suas igrejas e eles próprios estão sendo afetados por elas.
  • 30. O PREPARO DO OBREIRO 7) PREPARO FINANCEIRO: COMO LIVRAR-SE DAS DÍVIDAS 30 Este é o passo mais difícil e o mais importante de todos. As dívidas não desaparecem naturalmente. É preciso vontade e começa com um compromisso. Não é fácil! Exige disciplina e perseverança. Oferte ao Senhor e guarde parte como poupança. Muitas pessoas com dívidas recusam-se a fazer isto porque não compreendem que ofertar a Deus e poupar é uma ajuda. Você tem de manter bons registros. É o princípio da contabilidade. Necessita de saber para onde tem ido o seu dinheiro, para onde está a ir, e de onde está a vir. "Com a sabedoria se edifica a casa, e com a inteligência ela se firma” (Pv 24.3)
  • 31. O PREPARO DO OBREIRO 7) PREPARO FINANCEIRO: COMO LIVRAR-SE DAS DÍVIDAS 31 Converta algo em dinheiro, a venda pode ser uma boa opção! Reduza as parcelas da casa ou carro, seja radical! Nunca se verá livre da dívida acidentalmente. Consegue-se de forma intencional. Terá de realizar um plano. Procure ajuda e conselho! Corte com o vício ou dependência do endividamento. Acabe com os seus cartões de crédito. Não contraia mais empréstimos. Aprenda a viver com o que ganha e ficar contente com o que tem.
  • 32. O PREPARO DO OBREIRO 7) PREPARO FINANCEIRO: COMO LIVRAR-SE DAS DÍVIDAS 32 Dê a conhecer às pessoas a quem deve que as coisas estão a mudar. Faça uma lista daqueles a quem deve. Telefone a cada um deles e diga-lhes, "Não quero ficar em dívida. Não é bom para ti. Não é bom para mim. Não posso lhe pagar 300 Reais por mês, porque simplesmente não o tenho. Mas posso pagar-lhe 50 reais por mês. Quero liquidar as minhas dívidas. Pode ajudar-me nisto?". Se for tentado a desistir, terá de prosseguir e se firmar no plano. Necessitará também do encorajamento dos irmãos na fé. Deus está interessado em todos os detalhes da sua vida - incluindo a sua vida financeira. Ele quer que liquide as suas dívidas, e ajudá-lo-á a consegui-lo.
  • 33. O PREPARO PARA VIVER O PRESENTE
  • 34. O PREPARO DO OBREIRO 8) PREPARO PARA VIVER O PRESENTE 34 No dia-a-dia o obreiro precisa viver o que escreveu Paulo a Timóteo "ter cuidado de si mesmo e da doutrina, por que assim fazendo, salvará a si mesmo quanto aos que o ouvem" (1 Tm 4.16).  O obreiro deve ser irrepreensível, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar, não cobiçoso, de torpe ganância, não avarento, obediente, humilde e sábio.  O bom governo de sua casa no cotidiano é imprescindível.  Na sociedade é importante que tenha bom testemunho dos que estão de fora.  Precisa conhecer as fraquezas de suas ovelhas e ter uma grande capacidade de perdoar.  Dirigir sabiamente a igreja do Senhor é outra capacidade que deve ser exercida no presente, com equilíbrio, graça e sabedoria.  Não dê lugar à intimidade, saiba guardar distâncias, nem todas as liberdades que se tomam devem ser dadas.
  • 35. O PREPARO DO OBREIRO 8) PREPARO PARA VIVER O PRESENTE 35  O obreiro não deve contar "piadas" inconvenientes. É fácil reconhecer-se um homem por sua linguagem. Dificilmente se apagam da memória as lembranças de uma estória obscena, que se ouviu.  Tome cuidado em não mentir. É doloroso observar que há pastores mentirosos.  Nunca subestime seu auditório. Nos bancos de sua igreja há muita gente de bom senso e que sabe mais do que você pensa.  Não utilize do ministério para entrar em competição com o mundo por carreira política. O lugar do obreiro é junto a seu rebanho.  O obreiro tem de ser, necessariamente, o melhor homem do seu lugar, o mais correto, o mais compreensivo, o mais atento para as coisas altas e puras, o mais limpo de coração, apresentando, aos olhos de todos, uma vida exemplar.
  • 36. O PREPARO PARA VIVER NO FUTURO
  • 37. O PREPARO DO OBREIRO 9) PREPARO PARA VIVER NO FUTURO 37 O pastor precisa planejar seu futuro: Jubilação. Previdência Social e Previdência da Convenção. Poupança. Reservas, etc.  Durante alguns anos, o ministro de confissão religiosa foi equiparado ao autônomo; mesmo naquela situação, não era considerado autônomo. Na prática, ele não tem vínculo empregatício, logo, não tem os direitos trabalhistas, não é autônomo; se fosse autônomo, teria um contrato de prestação de serviços, como não é, sobre ele não há lei que lhe assegure qualquer direito.  Muitos pastores que terminam seus ministérios sem aposentadoria. De quem seria a responsabilidade? Do pastor que não planejou o seu futuro ou da igreja que não cuidou do seu líder?  A responsabilidade é do pastor, pois o ministro de confissão religiosa é um segurado obrigatório da Previdência Social. Esta providência deve ser tomada pelo pastor, assim como também é de sua responsabilidade declarar sobre que valor deve contribuir para a Previdência.
  • 39. O PREPARO DO OBREIRO 10) PREPARO FÍSICO 39 O cristão deve se exercitar? O que a Bíblia diz sobre a saúde? "Pois o exercício físico para pouco é proveitoso, mas a piedade para tudo é proveitosa, porque tem a promessa da vida que agora é e da que há de ser” (1 Tm 4.8)  Note que este versículo não diz que o exercício não tem valor! Ele diz que o exercício tem algum valor, mas mantém as prioridades corretamente ao dizer que a piedade é de maior valor.  Não há nada de errado no fato de um cristão se exercitar. Na verdade, a Bíblia é clara ao dizer que nós devemos cuidar bem dos nossos corpos (I Co 6.19-20).  O que a Bíblia diz sobre a saúde? Seja saudável! Como alcançamos este objetivo? Ao fazermos exercícios não muito pesados e comendo moderadamente. Este é o padrão Bíblico para a saúde e para o exercício físico.
  • 41. O PREPARO DO OBREIRO 11) PREPARO ORGANIZACIONAL 41 O obreiro precisa manejar os recursos tecnológicos em favor da obra de Deus. O cristão pode utilizar-se dar inovações da atualidade para pregar a Palavra de Deus, desde que saiba que tais inovações são apenas meios secundários, e que a verdadeira arma de nossa milícia é espiritual.  Conhecimento básico de informática;  Conhecimento de mídia eletrônica: data-show, etc;  Novas tecnologias
  • 42. O PREPARO DO OBREIRO 11) PREPARO ORGANIZACIONAL 42  A Administração do tempo é um gerador de crises na vida e família pastoral.  Dentro das atividades que precisamos realizar, é preciso diferenciar as que são IMPORTANTES e as que são URGENTES.  Administrar o tempo é ganhar autonomia sobre a sua vida, não é ficar escravo do relógio. É uma batalha constante do nosso dia a dia. Em última instância, é planejar estrategicamente a nossa vida. Para isso, precisamos, em primeiro lugar, saber aonde queremos chegar (definição de objetivos). Onde quero estar, o que quero ser, daqui a 5, 10, 25, 50 anos?  Quando o nosso tempo termina, acaba a nossa vida. Não há maneira de obter mais. Por isso, tempo é vida. Quem administra o tempo ganha vida, mesmo vivendo o mesmo tempo.
  • 43. O PREPARO DO OBREIRO 11) PREPARO ORGANIZACIONAL 43 Deus nos escolheu para o mais importante de todos os trabalhos: Anunciar o evangelho ao mundo. Para realizarmos bem esse trabalho, precisamos utilizar as ferramentas da ADMINISTRAÇÃO.  ADMINISTRAÇÃO é o conjunto de normas destinadas a ordenar e controlar a produtividade e eficiência, tendo em vista um determinado resultado.  Nisto grande parte da igreja evangélica tem errado: Na administração daquilo que o Senhor nos tem dado. Erro este, que advém do também errôneo conceito de que "todo mundo é administrador". Na realidade, grande parte da igreja evangélica mundial (principalmente a brasileira) não sabe o que isso significa.
  • 44. O PREPARO DO OBREIRO 11) PREPARO ORGANIZACIONAL 44 7 atitudes que demonstram a direção de Deus na administração eclesiástica, com base no texto de Atos 6.1-7.  1. ORGANIZAÇÃO  2. TRABALHO EM EQUIPE  3. DIVISÃO DE TRABALHO  4. REQUISITOS  5. MOTIVAÇÃO  6. PROPÓSITO E VISÃO  7. AÇÕES RÁPIDAS “Ora, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos, houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus, porque as suas viúvas eram desprezadas no ministério cotidiano. E os doze, convocando a multidão dos discípulos, disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de Deus e sirvamos às mesas. Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio. Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra. E este parecer contentou a toda a multidão, e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, e Filipe, e Prócoro, e Nicanor, e Timão, e Parmenas e Nicolau, prosélito de Antioquia; e os apresentaram ante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos. E crescia a palavra de Deus, e em Jerusalém se multiplicava muito o número dos discípulos, e grande parte dos sacerdotes obedecia à fé.”
  • 45. CONCLUSÃO Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus 2 Timóteo 2.1 O pastor deve aprender que sua principal ocupação é cuidar do rebanho de Deus e ganhar almas para Cristo, nenhum evento é mais importante e urgente que este. Pense nisto. Busque ganhar para Jesus aqueles que estão morrendo sem ter esperança de ver Deus.