TGA Aula 01

629 visualizações

Publicada em

TGA

Publicada em: Negócios
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
629
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TGA Aula 01

  1. 1. UVA - UNIVERSIDADE VALE DO ACARAÚ IDECC – INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO, EDUCAÇÃO E CULTURA DO CEARÁ GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA: GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS
  2. 2.  Início: 17/02/14  término: 19/03 /14 (entrega dos resultados)  Prova 01: 27/02/14  Prova 02: XX/XX/14  Prova 03: participação (05 atividades de 2,0 pontos cada uma).
  3. 3.  A palavra administração vem do latim ad (direção para, tendência) e minister (subordinação ou obediência), isto é , aquele que presta um serviço a outro.  Em poucas palavras, Administração é o processo de planejar, organizar, liderar e controlar o uso de recursos a fim de alcançar objetivos. 3
  4. 4.  A TGA estuda a Administração das organizações e empresas do ponto de vista da interação e interdependência entre as cinco variáveis principais: tarefa, estrutura, pessoas, tecnologia e ambiente. Cada um influencia e é influenciado pelo outro. 4
  5. 5. 5
  6. 6. 6  As cinco variáveis, até hoje constituem os principais componentes no estudo da Administração de Empresas. O comportamento desses componentes é sistêmico e complexo, cada qual influencia e é influenciado pelos outros componentes. Modificações em um provocam modificações em maior ou menor grau nos demais.  Na realidade a adequação destas cinco variáveis (tarefa, estrutura, pessoas, tecnologia e ambiente) constitui o principal desafio da administração.
  7. 7.  Influência da Organização Militar: - Império babilônico; medo-persa; grego; romano (antiguidade)  Influência da Organização da Igreja Católica. (idade média)  Influência dos Filósofos. (os gregos na antiguidade e os iluministas na idade moderna) 7
  8. 8.  Com a invenção da máquina a vapor por James Watt (1736-1819) e a sua aplicação à produção, surgiu uma nova concepção de trabalho que modificou completamente a estrutura social e comercial da época, provocando profundas e rápidas mudanças de ordem econômica, política e social.  Num lapso de um século, às mudanças ocorridas foram maiores que em todo o milênio anterior. É a chamada Revolução Industrial, que passou por duas épocas distintas: 8
  9. 9. 1780 a 1860: 1a Revolução Industrial ou revolução do carvão e do ferro  Mecanização da indústria e da agricultura: aparecimento da máquina de fiar, do tear hidráulico, do tear mecânico e do descaroçador de algodão;  Aplicação da força motriz à indústria. As máquinas a vapor transformam as antigas oficinas em fábricas;  Desenvolvimento do sistema fabril;  Espetacular crescimento dos transportes e das comunicações. 9
  10. 10. 1860 a 1914: 2a Revolução Industrial ou revolução do aço e da eletricidade  Substituição do ferro pelo aço como material industrial básico;  Substituição do vapor pela eletricidade e derivados do petróleo como fontes de energia;  Desenvolvimento da maquinaria automática e da especialização do trabalhador;  Crescente domínio da indústria pela ciência;  Transformação radical nos transporte e comunicações. 10
  11. 11. 11
  12. 12. 12  No início do século XX dois engenheiros desenvolveram os primeiros trabalhos a respeito da Administração. Um era americano Wilson Taylor e desenvolveu a Escola da Administração Científica. ( aumento da eficiência da indústria através da racionalização do trabalho do operário.  O outro era europeu, Henri Fayol, e desenvolveu a chamada Teoria Clássica, preocupada em aumentar a eficiência através da estruturação e disposição dos órgãos componentes das organizações e suas inter- relações.  Estas duas orientações juntas formam então o que chamamos de Abordagem Clássica ou Tradicional da Administração.
  13. 13. 13  Antes de Taylor › Sistema de Iniciativa e Incentivo › Baixa produtividade › Baixos salários  Importância de Taylor: › Pioneirismo: análise sistemática de organizações › Ciência, em lugar de empirismo › Harmonia de interesses entre patrão e empregado (?) › Alta produtividade › Altos salários
  14. 14. 14 Abordagem Clássica da Administração Administração Científica Teoria Clássica Taylor Fayol Ênfase nas Tarefas Ênfase na Estrutura
  15. 15. 15 A preocupação em criar uma Ciência da Administração começou com a experiência concreta e imediata do trabalho de operários e com ênfase nas tarefas.  No primeiro período de sua obra Taylor voltou-se exclusivamente para a racionalização do trabalho dos operários.  No segundo período a definição de Princípios Administrativos aplicáveis a todas as situações da empresa.
  16. 16. 16 A Organização racional do trabalho se fundamenta nas seguintes análises do trabalho operário:  Estudo dos tempos e movimentos  Fragmentação das tarefas  especialização do trabalhador Buscava-se a eliminação do desperdício, da ociosidade operária e a redução dos custos de produção Nesta fase a única forma de se obter a colaboração do operário era através de incentivos salariais e prêmios de produção. O salário era a única fonte de motivação
  17. 17. 17  Primeiro Período de Taylor Shop Management (1903) › Boa Adm: métodos científicos : < salários + produção= > custo unitário › Princípios e processos padronizados  Adequação dos materiais e condições de trabalho dos empregados, que devem ser cientificamente distribuídos por seus postos de trabalho de acordo com as suas funções.  Adestramento do trabalhador  Boas relações entre adm e trabalhadores
  18. 18. 18  Elementos de ORT (Organização Racional do Trabalho) › tempos e movimentos › estudo da fadiga › divisão e especialização do trabalho › desenho de cargos e tarefas › incentivos salariais › conceito de “homo economicus” › condições de trabalho › padronização de métodos e máqs. › supervisão funcional  Fluxograma ORT: Adm. Científica
  19. 19. 19  Tempos e Movimentos › Análise do Trabalho  Decomposição de tarefas  Eliminação de movimentos inúteis  Simplificação de movimentos úteis › Cálculo do tempo médio, tempos mortos e elementares = t. padrão › Seleção de pessoal qualificado › Treinamento adequado › Uniformização do trabalho (nem excesso, nem ociosidade) › Salários eqüitativos  Therbligs de Gilbreth  Ênfase na eficiência (E = P / R)
  20. 20. 20  Estudo da Fadiga › Fadiga causa:   produtividade,  qualidade   rotatividade, doenças e acidentes   capacidade de esforço  Divisão+Especialização do Trab.  Desenho de Cargos e Tarefas › Simplificação de cargos acarreta:  baixos custos de treinamento  redução de erros  facilidade de supervisão  Incentivos Salariais e Prêmios › Estabelecida a eficiência padrão (100%), seriam dados maiores salários aos trabalhadores mais produtivos (> 100%)
  21. 21. 21  Homo Economicus › O homem não gosta de trabalhar; o faz exclusivamente por necessidades financeiras  Condições de Trabalho  Padronização de Máqs. e Equips.  Supervisão por Funções › > especialização, < variedade de funções
  22. 22. 22  Segundo Período de Taylor: Princípios de Adm. Científica (1911) › Sub-utilização do trabalho  crença dos trabalhadores de que um maior rendimento homem / máquina resulta em desemprego  sistema de produção por peças, em que o trabalho mais produtivo diminui o salário  empirismo amador dos métodos de produção. › desconhecimento da gerência do potencial de ganho por tempos e movimentos › Falta de uniformidade dos métodos de trabalho › Adm. Científica: 75% de análise, 25% de bom senso  Visão de Homem: irresponsável, vadio e negligente
  23. 23. 23
  24. 24. 24 O desenho de Cargos e Tarefas enfatizava o trabalho simples e repetitivo, as padronizações e condições de trabalho que assegurassem a Eficiência. Verificou-se que somente os operários trabalhando de forma organizada e científica não garantiam o sucesso da empresa se os chefes, gerentes e diretores continuassem a trabalhar da mesma forma que antes. Surgiria assim os primeiros Princípios de Administração capazes de balizar o comportamento dos chefes e gerentes.
  25. 25. 25  Princípios de Taylor › Princípio do Planejamento: separar quem pensa e quem faz › Princípio do Preparo: selecionar os melhores e treiná-los de acordo com o melhor método de execução › Princípio do Controle: aderência ao planejamento de tarefas através de rigorosa supervisão › Princípio da Execução: não cabe somente aos operários a boa execução das tarefas - os diretores são co-responsáveis. › Princípio da Exceção: os adms. devem concentrar-se apenas nos desvios dos processos.
  26. 26. 26  Críticas ao Taylorismo › Mecanicismo › Visão Atomizada do Homem › Superespecialização › Empiricismo › Abordagem parcial da organização › Abordagem prescritiva › Empresa como sistema fechado
  27. 27. 27 As principais críticas a esta administração científica são:  Super especialização que robotizam o operário  Visão microscópica do homem, como sendo apenas um apêndice isolado da maquina industrial  Abordagem envolvendo apenas a organização formal “Contudo, estas limitações não apagam o fato de que este foi o primeiro passo na busca de uma Teoria Administrativa”
  28. 28. 28 Henri Fayol - 1916 - Caracteriza-se pela ênfase na estrutura que a organização deve possuir para ser eficiente. Divisão da empresa em seis grupos  Funções Técnicas - produção  Funções Comerciais - compra e venda  Funções Financeiras - procura e gerência de capitais  Funções de segurança - preservação dos bens e pessoas  Funções contábeis - balanços,inventários, registros e custos  Funções Administrativas - coordenam e sincronizam as demais funções
  29. 29. 29 Fayol define o ato de administrar como sendo : Prever, Organizar, comandar, coordenar e controlar Estes elementos constituem o chamado Processo Administrativo, e são pertinentes a todas as áreas e níveis da administração da empresa. Ou seja todo chefe, gerente ou diretor, desempenham atividades ligadas a estes elementos. Não devemos confundir Funções Administrativas com Direção da empresa.
  30. 30. 30 Funções Universais da Administração:  Previsão - avaliação do futuro e aprovisionamento em função dele. Unidade, continuidade e flexibilidade são os aspectos de um bom plano de ação.  Organização - Proporciona todas as coisas úteis ao funcionamento da empresa e pode ser dividida em Material e Social.  Comando - Leva a organização a funcionar. Seu objetivo é alcançar o máximo retorno de todos os empregados no interesse dos aspectos globais.
  31. 31. 31  Coordenação - Harmoniza todas as atividades do negócio, facilitando seu trabalho e sucesso. Sincroniza todas as ações em suas proporções certas e adapta os meios aos fins.  Controle - Consiste na verificação para certificar se todas as coisas ocorrem em conformidade com o plano adotado, as instruções e os princípios estabelecidos. O objetivo é localizar as fraquezas e erros no sentido de retificá-los e prevenir a recorrência.
  32. 32. 32 Para Fayol existe uma proporcionalidade da função administrativa, ou seja, ela não é exclusividade da alta direção, mas é distribuída proporcionalmente entre todos os níveis hierárquicos. Administração ≠ Organização Administração tem um conceito mais amplo que abrange aspectos como previsão , comando e controle, que a Organização por si só não envolveria.
  33. 33. 33 Para Fayol então a palavra organização pode ter dois significados:  Organização como uma unidade ou entidade social, na qual as pessoas se integram entre sí para atingir objetivos comuns. Formal - Organização oficial Informal - Relações impostas pela organização formal para o desempenho dos cargos.  Organização como função administrativa e parte do processo.
  34. 34. 34 Como toda ciência deve ser baseada em leis ou princípios, Fayol tentou definir o que ele chamou de “ Princípios gerais” da administração.  Divisão do trabalho  Autoridade e responsabilidade  Disciplina  Unidade de comando  Unidade de direção  Subordinação dos interesses individuais aos Globais  Remuneração pessoal
  35. 35. 35 Princípios universais de Fayol (cont.)  Centralização  Cadeia Escalar  Ordem  Eqüidade  Estabilidade e duração do pessoal  Iniciativa  Espírito de equipe
  36. 36. 36 Todos os autores da teoria Clássica descrevem a organização apenas em termos lógicos, formais, rígidos e abstratos. Apesar de considerar o seu conteúdo psicológico e social , nenhum deles deu a sua devida importância. O racionalismo da Teoria Clássica visa a eficiência do ponto de vista técnico e econômico, ou seja , a organização é um meio de atingir a eficiência máxima sob o aspecto técnico e econômico. Por este fato alguns autores chamam a Teoria Clássica de Teoria das máquinas
  37. 37. 37 Princípios gerais de Administração Divisão do Trabalho Especialização Unidade de comando Amplitude de controle Organização Formal Máxima Eficiência Abordagem prescritiva e normativa da Teoria Clássica
  38. 38. 38  Na segunda década deste século, surge uma doutrina administrativa que passou a ser conhecida como Teoria Clássica de Administração.  Surgiu na França e, rapidamente, propagou-se pela Europa.  Seu maior expoente foi o engenheiro de minas Henri Fayol.
  39. 39. 39  Ampliação do campo de estudo da administração: › ênfase na estrutura. › visão no todo organizacional. › atenção para a complexidade do trabalho do gestor.  Fayol: Dados Interessantes  construiu sua carreira como executivo.  ganhou reputação de administrador eficiente.  em1888, assumiu o comando de uma grande empresa às portas da falência.  Quando se afastou da empresa, ela era uma das mais prósperas da França.
  40. 40. 40  Prever: › importância do planejamento. › “prever é já agir”.  Organizar: › “é constituir o duplo organismo, material e social, da empresa”. › “é muni-la (a empresa) de tudo o que é necessário ao seu funcionamento”. › “é definir e estabelecer a estrutura geral da empresa..”.  organização do corpo material.  organização do corpo social.
  41. 41. 41  Comandar: › “dirigir o pessoal”. › constituído o corpo social, é preciso fazê-lo funcionar. › a finalidade do comando é obter o maior aporveitamento possível dos agentes que trabalham sob suas ordens.  Coordenar: › harmonizar esforços e ações para a perfeita realização do todo. › compensação da divisão do trabalho.  Controlar: › verificar se os trabalhos acontecem como previstos. › comparação com os padrões.
  42. 42. 42  Princípios gerais:  divisão do trabalho.  autoridade e responsabilidade.  direito de dar e ser obedecido.  disciplina.  observação de preceitos e normas.  unidade de comando.  unidade de direção.  um líder e um plano para cada grupo.  interesses gerais acima dos interesses individuais.  remuneração justa para o pessoal.
  43. 43. 43  Princípios gerais:  centralização.  cadeia escalar.  ordem.  cada coisa em seu lugar.  estabilidade do pessoal.  a rotativiadde prejudica a eficiência da empresa.  iniciativa.  espírito de equipe

×