SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
ANA CAROLINA SILVA CABRAL
COLHEITA E ARMAZENAMENTO DO
MILHO
2
• Planejamento;
• Época de colheita;
• Umidade;
• Maquinário;
• Pós-colheita e perdas;
• Qualidade dos grãos;
• Tipos de armazenagem;
• Pragas de armazenagem.
SUMÁRIO
Fonte: John Deere, 2021.
3
PLANEJAMENTO DE COLHEITA
O Planejamento de colheita tem como objetivo
maximizar a utilização dos recursos disponíveis,
assegurando altos níveis de produtividade e
eficiência.
4
ÉPOCA DE COLHEITA
Estádio Ideal para colheita: R6 - Maturidade Fisiológica
• Umidade parte de 34-33%;
• Camada preta na inserção entre grão e espiga;
• Aspectos visuais secos;
• Matéria seca máxima;
Fonte: Maissoja. 2022.
Período de colheita
5
UMIDADE
Umidade Estágio
12-14%
15-18%
Até 27%
30-38%
Tabela 1 – Percentual de umidade e estágio do milho. Elaborado por: Ana Carolina Cabral, 2023.
Ideal
Tolerado
Secagem Artificial
Silagem
6
AFERIDORES DE UMIDADE
- Análise de laboratório;
- Equipamentos portáteis aferidores de
umidade;
- Testes práticos no grão da espiga.
Fonte: Alfa Mare, 2015. Fonte: Aegro, 2019.
Fonte: Semadesc, 2016.
7
MÉTODOS PRÁTICOS PARA DETERMINAR UMIDADE
Teste de resistência do grão à pressão
do dente
Teste de resistência da espiga à torção
=
18% a 20%
Teste de resistência do grão ao risco
=
Acima de 20%
8
MAQUINÁRIO
Funcionamento básico da colhedora
Fonte: Forza Jmalucelli, 2018.
9
FUNCIONAMENTO DA PLATAFORMA
4
1 – Separadores;
2 - Rolos espigadores;
3 – Correntes;
4 - Rosca sem fim;
5 - Canal alimentador.
Fonte: Unesp, 2016.
10
FUNCIONAMENTO DA PLATAFORMA
Fonte:
CLAAS,
2017.
11
TRILHA
Sistema Radial x Sistema Axial
1 – Cilindro;
2 – Côncavo;
3 – Cilindro batedor;
4 – Saca-palhas.
Fonte:
Mecaniza.org,
2018.
12
TRILHA
Sistema Híbrido
Fonte:
Mecaniza.org,
2018.
13
SEPARAÇÃO E LIMPEZA
Fonte:
Mecaniza.org,
2018.
Ventilador Defletor de ar
Fluxo de ar
Peneira superior
Peneira inferior
Sem fim do elevador de grãos limpos
Sem fim do
elevador de
retrilha
14
MAQUINÁRIO - REGULAGENS
Regulagem padrão
• Ventilador;
• Rosca sem fim – Barra de corte;
• Rotação do cilindro;
• Cilindro – côncavo.
Velocidade da colhedora
• Axial e Radial: 4 – 6 km/h;
• Híbrido: pode chegar até 8 km/h.
15
Perdas
Cerca de 80% das perdas na colheita ocorrem no maquinário
e estão relacionadas a:
Fonte: Conab, 2017
Fonte: Jan Implementos Agícolas, 2019. Fonte: John Deere, 2021.
16
CÁLCULO DE PERDAS
Largura (plataforma): 4 metros - 2,0 m² (0,5 x 4)
Colete os grãos encontrados na área
Pese a amostra e repita o processo 3 vezes
Exemplo: 11g + 12g + 13g = 36/3 = 12g
2,0 m² 12g
10,000 m² x
60000g = 60kg
Fonte:
PortalAgro,
2021.
Obs: Perdas toleráveis vão depender da produtividade
17
SECAGEM
A secagem é o processo de redução do teor de água no grão do milho
• Evita a proliferação de doenças e fungos na armazenagem
• Período maior em armazenamento
Natural
Campo
Artificial
Alta
temperatura
Baixa
temperatura
18
TIPOS DE SECADORES
SECADOR DE
FLUXOS CRUZADOS
SECADOR DE
CAMADA FIXA
SECADOR CASCATA
Fonte: Agricultura.rs, 2019. Fonte: Agricultura.rs, 2019.
Fonte: Agricultura.rs, 2019.
19
QUALIDADE DOS GRÃOS
Fonte:
Conab,
2021.
Fonte:
ESAQL,
2015.
Enquadramento Grãos avariados
Ardidos
Grãos quebrados Impurezas e matérias
estranhas
Carunchados
Tipo 1 1,00 3,00 1,00 2,00
Tipo 2 2,00 4,00 1,50 3,00
Tipo 3 3,00 5,00 2,00 4,00
Fora do tipo 5,00 Maior que 5.00 Maior que 2,00 8,00
Limites máximos de tolerância de defeitos em milho, expressos em percentuais (%)
Tabela 1 – Limites de tolerância em defeitos. Elaborado por: Ana Carolina Cabral, 2023.
20
ARMAZENAGEM
Desafios de armazenagem
Estruturas de armazenagem
Silos bolsa
Silos metálicos
21
SILO BOLSA
Alternativa econômica
Vulnerabilidade a danos;
Controle de temperatura;
Reutilização.
Melhorias consideráveis
Fonte: Lonas Negreira, 2021.
• 60 m de comprimento -> 200 t – 3.333
sacos de 60 kg;
• 75 m de comprimento -> 254 t – 4.233
sacos de 60 kg;
• 100 m de comprimento -> 345 t – 5.750
sacos de 60 Kg.
Silos de 9 pés
22
SILOS METÁLICOS
Fundo plano e cônico (V);
Chapa galvanizada – Zn;
Estrutura e vantagens:
Atende demandas gerais;
Fonte: KeplerWeber, 2019.
Desvantagens:
Dificuldade de realocação;
Limitações de tamanho e capacidade.
Até 35.000 toneladas.
23
ESTRUTURAS DE ARMAZENAGEM
E IDENTIFIÇÃO
FORNALHA
BALANÇA E MOEGA LIMPEZA
SILO
PULMÃO
SECADOR
SILOS ARMAZENADORES
EXPEDIÇÃO
Fonte:
Unesp,
2016.
24
DESAFIOS NA ARMAZENAGEM
Fonte: G1, 2022. Fonte: G1, 2023.
25
PRAGAS DE ARMAZENAGEM
Principais inseto-pragas:
Gorgulho-do-milho
(Sitophilus zeamais)
Traça-dos-cereais
(Sitotroga cerealella)
Fonte: Agrolink. 2020.
26
PRAGAS DE ARMAZENAGEM
Identificação do Gorgulho-do-
milho (Sitophilus zeamais)
- 2,0 a 3,5 mm de comprimento;
- Coloração castanho-escuro;
- 4 manchas avermelhadas nas asas anteriores.
Ciclo de vida | Como danifica o grão?
- Ciclo de 34 dias;
- Praga primária e de infestação cruzada;
- O dano ocorre na cavidade peduncular e entre os pontos de contato dos
grãos. Perfuram a casca e criam buracos.
Fonte: CABI Digital Library. 2021
27
Pragas de armazenagem
Identificação da Traça-dos-cereais
(Sitotroga cerealella)
- 6 a 8 mm de comprimento;
- Coloração castanho-escuro;
- Pode estar presente ainda na lavoura.
Fonte: CABI Digital Library. 2021
Ciclo de vida | Como danifica o grão?
- Ciclo de 35 dias. Praga primária;
- Ataca os grãos desde a fase larval até a adulta;
- Limita sua ação a superfície do grão;
- Seu inseto adulto vive apenas 5 dias.
28
CONTROLE QUÍMICO
Fonte: Agrowap. 2022.
GASTOXIN B57
Inseticida fumigante
Aplicado em
pastilhas (3g),
comprimidos (0,6g)
ou sachês (24g)
R$249,90 – 90g em Pastilhas
Eficácia contra Sitophilus
zeamais e Sitotroga
cerealella
Dosagem: 2 Pastilhas de 3 g/m³
29
CONTROLE PREVENTIVO E FÍSICO
- Limpeza do armazém e dos grãos;
- Secagem;
- Controle da temperatura e umidade do ar;
- Vedação adequada;
- Fumigação.
Entre em contato conosco:
geagraufg.wordpress.com
geagracontato@gmail.com
GEAGRA UFG
@geagraufg
UNINDO CONHECIMENTO EM PROL DA AGRICULTURA!
COLHEITA E ARMAZENAMENTO DO MILHO
ana.cabral@discente.ufg.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reguladores de crescimento, desfolhantes e maturadores
Reguladores de crescimento, desfolhantes e maturadoresReguladores de crescimento, desfolhantes e maturadores
Reguladores de crescimento, desfolhantes e maturadoresGeagra UFG
 
Posicionamento de cultivares de feijão
Posicionamento de cultivares de feijãoPosicionamento de cultivares de feijão
Posicionamento de cultivares de feijãoGeagra UFG
 
NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DO ALGODOEIRO
NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DO ALGODOEIRONUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DO ALGODOEIRO
NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DO ALGODOEIROGeagra UFG
 
MORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJA
MORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJAMORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJA
MORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJAGeagra UFG
 
Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto
Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto
Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto Geagra UFG
 
Colheita e armazenamento da soja
Colheita e armazenamento da sojaColheita e armazenamento da soja
Colheita e armazenamento da sojaGeagra UFG
 
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJAINTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJAGeagra UFG
 
Fenologia e fisiologia da cultura da soja
Fenologia e fisiologia da cultura da soja Fenologia e fisiologia da cultura da soja
Fenologia e fisiologia da cultura da soja Geagra UFG
 
Nutrição mineral da soja
Nutrição mineral da sojaNutrição mineral da soja
Nutrição mineral da sojaGeagra UFG
 
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIROMORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIROGeagra UFG
 
Manejo de pragas no feijoeiro
Manejo de pragas no feijoeiro Manejo de pragas no feijoeiro
Manejo de pragas no feijoeiro Geagra UFG
 
Morfologia e Ecofisiologia da Soja
Morfologia e Ecofisiologia da SojaMorfologia e Ecofisiologia da Soja
Morfologia e Ecofisiologia da SojaGeagra UFG
 
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORESREGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORESGeagra UFG
 
Manejo do solo e plantio do feijoeiro
Manejo do solo e plantio do feijoeiroManejo do solo e plantio do feijoeiro
Manejo do solo e plantio do feijoeiroGeagra UFG
 
Manejo pós-colheita e beneficiamento do algodão
Manejo pós-colheita e beneficiamento do algodãoManejo pós-colheita e beneficiamento do algodão
Manejo pós-colheita e beneficiamento do algodãoGeagra UFG
 
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...Geagra UFG
 
Tratos culturais: Sorgo
Tratos culturais: SorgoTratos culturais: Sorgo
Tratos culturais: SorgoGeagra UFG
 
Manejo de plantio do algodão.
Manejo de plantio do algodão.Manejo de plantio do algodão.
Manejo de plantio do algodão.Geagra UFG
 
Manejo de mancha branca, cercosporiose, bipolares e diplodia no milho.
Manejo de mancha branca, cercosporiose, bipolares e diplodia no milho.Manejo de mancha branca, cercosporiose, bipolares e diplodia no milho.
Manejo de mancha branca, cercosporiose, bipolares e diplodia no milho.Geagra UFG
 
MANCOZEBE, MULTISSÍTIO E RESISTÊNCIA
MANCOZEBE, MULTISSÍTIO E RESISTÊNCIAMANCOZEBE, MULTISSÍTIO E RESISTÊNCIA
MANCOZEBE, MULTISSÍTIO E RESISTÊNCIAGeagra UFG
 

Mais procurados (20)

Reguladores de crescimento, desfolhantes e maturadores
Reguladores de crescimento, desfolhantes e maturadoresReguladores de crescimento, desfolhantes e maturadores
Reguladores de crescimento, desfolhantes e maturadores
 
Posicionamento de cultivares de feijão
Posicionamento de cultivares de feijãoPosicionamento de cultivares de feijão
Posicionamento de cultivares de feijão
 
NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DO ALGODOEIRO
NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DO ALGODOEIRONUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DO ALGODOEIRO
NUTRIÇÃO E ADUBAÇÃO DO ALGODOEIRO
 
MORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJA
MORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJAMORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJA
MORFOLOGIA E FENOLOGIA DA CULTURA DA SOJA
 
Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto
Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto
Fenologia e Fisiologia do sorgo e milheto
 
Colheita e armazenamento da soja
Colheita e armazenamento da sojaColheita e armazenamento da soja
Colheita e armazenamento da soja
 
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJAINTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
INTRODUÇÃO À CULTURA DA SOJA
 
Fenologia e fisiologia da cultura da soja
Fenologia e fisiologia da cultura da soja Fenologia e fisiologia da cultura da soja
Fenologia e fisiologia da cultura da soja
 
Nutrição mineral da soja
Nutrição mineral da sojaNutrição mineral da soja
Nutrição mineral da soja
 
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIROMORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO ALGODOEIRO
 
Manejo de pragas no feijoeiro
Manejo de pragas no feijoeiro Manejo de pragas no feijoeiro
Manejo de pragas no feijoeiro
 
Morfologia e Ecofisiologia da Soja
Morfologia e Ecofisiologia da SojaMorfologia e Ecofisiologia da Soja
Morfologia e Ecofisiologia da Soja
 
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORESREGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES
 
Manejo do solo e plantio do feijoeiro
Manejo do solo e plantio do feijoeiroManejo do solo e plantio do feijoeiro
Manejo do solo e plantio do feijoeiro
 
Manejo pós-colheita e beneficiamento do algodão
Manejo pós-colheita e beneficiamento do algodãoManejo pós-colheita e beneficiamento do algodão
Manejo pós-colheita e beneficiamento do algodão
 
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
Manejo de herbicidas: posicionamento de herbicidas com foco em Armagoso, Buva...
 
Tratos culturais: Sorgo
Tratos culturais: SorgoTratos culturais: Sorgo
Tratos culturais: Sorgo
 
Manejo de plantio do algodão.
Manejo de plantio do algodão.Manejo de plantio do algodão.
Manejo de plantio do algodão.
 
Manejo de mancha branca, cercosporiose, bipolares e diplodia no milho.
Manejo de mancha branca, cercosporiose, bipolares e diplodia no milho.Manejo de mancha branca, cercosporiose, bipolares e diplodia no milho.
Manejo de mancha branca, cercosporiose, bipolares e diplodia no milho.
 
MANCOZEBE, MULTISSÍTIO E RESISTÊNCIA
MANCOZEBE, MULTISSÍTIO E RESISTÊNCIAMANCOZEBE, MULTISSÍTIO E RESISTÊNCIA
MANCOZEBE, MULTISSÍTIO E RESISTÊNCIA
 

Semelhante a Colheita e armazenamento do milho

Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........Geagra UFG
 
Colheita e Armazenamento: Milho
Colheita e Armazenamento: MilhoColheita e Armazenamento: Milho
Colheita e Armazenamento: MilhoGeagra UFG
 
Colheita e Comercialização de Sorgo e Milheto
Colheita e Comercialização de Sorgo e MilhetoColheita e Comercialização de Sorgo e Milheto
Colheita e Comercialização de Sorgo e MilhetoGeagra UFG
 
COLHEITA E PÓS-COLHEITA DE SOJA
COLHEITA E PÓS-COLHEITA DE SOJACOLHEITA E PÓS-COLHEITA DE SOJA
COLHEITA E PÓS-COLHEITA DE SOJAGeagra UFG
 
Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil.
Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil. Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil.
Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil. Geagra UFG
 
BENEFICIAMENTO DO ALGODÃO
BENEFICIAMENTO DO ALGODÃOBENEFICIAMENTO DO ALGODÃO
BENEFICIAMENTO DO ALGODÃOGeagra UFG
 
CANA DE AÇÚCAR Plantio à Colheita
CANA DE AÇÚCAR Plantio à ColheitaCANA DE AÇÚCAR Plantio à Colheita
CANA DE AÇÚCAR Plantio à ColheitaGETA - UFG
 
8reunio multiplicaesdeviveiros-danielnunesmododecompatibilidade-130930104402-...
8reunio multiplicaesdeviveiros-danielnunesmododecompatibilidade-130930104402-...8reunio multiplicaesdeviveiros-danielnunesmododecompatibilidade-130930104402-...
8reunio multiplicaesdeviveiros-danielnunesmododecompatibilidade-130930104402-...Jose Urias Leite
 
Colheita - Milho
Colheita - MilhoColheita - Milho
Colheita - MilhoGeagra UFG
 
Pós-colheita e armazenamento de grãos
Pós-colheita e armazenamento de grãosPós-colheita e armazenamento de grãos
Pós-colheita e armazenamento de grãosGETA - UFG
 
Planejamento e plantio de sorgo e milheto
Planejamento e plantio de sorgo e milheto Planejamento e plantio de sorgo e milheto
Planejamento e plantio de sorgo e milheto Geagra UFG
 
Colheita e Comercialização do Girassol
Colheita e Comercialização do GirassolColheita e Comercialização do Girassol
Colheita e Comercialização do GirassolGeagra UFG
 
Sorgo: Comercialização e Logística
Sorgo:  Comercialização e LogísticaSorgo:  Comercialização e Logística
Sorgo: Comercialização e LogísticaGeagra UFG
 
Relatório de estágio curricular - Bruna Regensburger
Relatório de estágio curricular - Bruna RegensburgerRelatório de estágio curricular - Bruna Regensburger
Relatório de estágio curricular - Bruna RegensburgerBruna Regensburger
 
Melhoramento Genético e Biotecnologias do Milho.
Melhoramento Genético e Biotecnologias do Milho.Melhoramento Genético e Biotecnologias do Milho.
Melhoramento Genético e Biotecnologias do Milho.Geagra UFG
 

Semelhante a Colheita e armazenamento do milho (20)

Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........
 
Colheita e Armazenamento: Milho
Colheita e Armazenamento: MilhoColheita e Armazenamento: Milho
Colheita e Armazenamento: Milho
 
Colheita e Comercialização de Sorgo e Milheto
Colheita e Comercialização de Sorgo e MilhetoColheita e Comercialização de Sorgo e Milheto
Colheita e Comercialização de Sorgo e Milheto
 
COLHEITA E PÓS-COLHEITA DE SOJA
COLHEITA E PÓS-COLHEITA DE SOJACOLHEITA E PÓS-COLHEITA DE SOJA
COLHEITA E PÓS-COLHEITA DE SOJA
 
Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil.
Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil. Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil.
Produção de milho-doce, milho-pipoca e milho-verde no Brasil.
 
BENEFICIAMENTO DO ALGODÃO
BENEFICIAMENTO DO ALGODÃOBENEFICIAMENTO DO ALGODÃO
BENEFICIAMENTO DO ALGODÃO
 
CANA DE AÇÚCAR Plantio à Colheita
CANA DE AÇÚCAR Plantio à ColheitaCANA DE AÇÚCAR Plantio à Colheita
CANA DE AÇÚCAR Plantio à Colheita
 
8reunio multiplicaesdeviveiros-danielnunesmododecompatibilidade-130930104402-...
8reunio multiplicaesdeviveiros-danielnunesmododecompatibilidade-130930104402-...8reunio multiplicaesdeviveiros-danielnunesmododecompatibilidade-130930104402-...
8reunio multiplicaesdeviveiros-danielnunesmododecompatibilidade-130930104402-...
 
Colheita - Milho
Colheita - MilhoColheita - Milho
Colheita - Milho
 
Pós-colheita e armazenamento de grãos
Pós-colheita e armazenamento de grãosPós-colheita e armazenamento de grãos
Pós-colheita e armazenamento de grãos
 
Planejamento e plantio de sorgo e milheto
Planejamento e plantio de sorgo e milheto Planejamento e plantio de sorgo e milheto
Planejamento e plantio de sorgo e milheto
 
Colheita e Comercialização do Girassol
Colheita e Comercialização do GirassolColheita e Comercialização do Girassol
Colheita e Comercialização do Girassol
 
Sorgo: Comercialização e Logística
Sorgo:  Comercialização e LogísticaSorgo:  Comercialização e Logística
Sorgo: Comercialização e Logística
 
Relatório de estágio curricular - Bruna Regensburger
Relatório de estágio curricular - Bruna RegensburgerRelatório de estágio curricular - Bruna Regensburger
Relatório de estágio curricular - Bruna Regensburger
 
Rafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - FenaçãoRafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - Fenação
 
PROCESSO DE FENAÇÃO
PROCESSO DE FENAÇÃOPROCESSO DE FENAÇÃO
PROCESSO DE FENAÇÃO
 
Anexo 4
Anexo 4Anexo 4
Anexo 4
 
Planejamento Agronômico.pptx
Planejamento Agronômico.pptxPlanejamento Agronômico.pptx
Planejamento Agronômico.pptx
 
Melhoramento Genético e Biotecnologias do Milho.
Melhoramento Genético e Biotecnologias do Milho.Melhoramento Genético e Biotecnologias do Milho.
Melhoramento Genético e Biotecnologias do Milho.
 
Qualidade de grãos de milho armazenados em silos bolsa
Qualidade de grãos de milho armazenados em silos bolsaQualidade de grãos de milho armazenados em silos bolsa
Qualidade de grãos de milho armazenados em silos bolsa
 

Mais de Geagra UFG

MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline CastroGeagra UFG
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline CastroGeagra UFG
 
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARESBIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARESGeagra UFG
 
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptxMACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptxGeagra UFG
 
Biotecnologias e manejos de cultivares .
Biotecnologias e manejos de cultivares .Biotecnologias e manejos de cultivares .
Biotecnologias e manejos de cultivares .Geagra UFG
 
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.Geagra UFG
 
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxINTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxGeagra UFG
 
Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............Geagra UFG
 
Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........Geagra UFG
 
Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........Geagra UFG
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptxGeagra UFG
 
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdfCópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdfGeagra UFG
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptxGeagra UFG
 
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptxMANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptxGeagra UFG
 
Manejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaManejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaGeagra UFG
 
Tecnologia de aplicação
Tecnologia de aplicaçãoTecnologia de aplicação
Tecnologia de aplicaçãoGeagra UFG
 
Manejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaManejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaGeagra UFG
 
inoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptx
inoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptxinoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptx
inoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptxGeagra UFG
 
Correção do solo e adubação na soja
Correção do solo e adubação na sojaCorreção do solo e adubação na soja
Correção do solo e adubação na sojaGeagra UFG
 
SLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptx
SLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptxSLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptx
SLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptxGeagra UFG
 

Mais de Geagra UFG (20)

MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
 
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARESBIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
 
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptxMACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
 
Biotecnologias e manejos de cultivares .
Biotecnologias e manejos de cultivares .Biotecnologias e manejos de cultivares .
Biotecnologias e manejos de cultivares .
 
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
 
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxINTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
 
Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............
 
Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........
 
Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
 
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdfCópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
 
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptxMANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
 
Manejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaManejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de soja
 
Tecnologia de aplicação
Tecnologia de aplicaçãoTecnologia de aplicação
Tecnologia de aplicação
 
Manejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaManejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de soja
 
inoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptx
inoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptxinoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptx
inoculantes_coinoculantes_e_adubaASSAPSo_foliar.pptx
 
Correção do solo e adubação na soja
Correção do solo e adubação na sojaCorreção do solo e adubação na soja
Correção do solo e adubação na soja
 
SLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptx
SLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptxSLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptx
SLIDE DINÂMICA DOS NUTRIENTES OF.pptx
 

Último

poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024LorenaRocha85
 
avaliação pratica .pdf
avaliação pratica                      .pdfavaliação pratica                      .pdf
avaliação pratica .pdfHELLEN CRISTINA
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPReservadaBiosferadaM
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ReservadaBiosferadaM
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfHELLEN CRISTINA
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAReservadaBiosferadaM
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfrisene8298
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptxReservadaBiosferadaM
 
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdfReservadaBiosferadaM
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfReservadaBiosferadaM
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxReservadaBiosferadaM
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfReservadaBiosferadaM
 
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...atendimento93
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxReservadaBiosferadaM
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfHELLEN CRISTINA
 

Último (15)

poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024
 
avaliação pratica .pdf
avaliação pratica                      .pdfavaliação pratica                      .pdf
avaliação pratica .pdf
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
 
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
 
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
A maravilhosa fauna registrada nos empreendimentos da Enel Green Power no Bra...
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
 
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina- Projeto Integrado I – GESTÃO.pdf
 

Colheita e armazenamento do milho

  • 1. ANA CAROLINA SILVA CABRAL COLHEITA E ARMAZENAMENTO DO MILHO
  • 2. 2 • Planejamento; • Época de colheita; • Umidade; • Maquinário; • Pós-colheita e perdas; • Qualidade dos grãos; • Tipos de armazenagem; • Pragas de armazenagem. SUMÁRIO Fonte: John Deere, 2021.
  • 3. 3 PLANEJAMENTO DE COLHEITA O Planejamento de colheita tem como objetivo maximizar a utilização dos recursos disponíveis, assegurando altos níveis de produtividade e eficiência.
  • 4. 4 ÉPOCA DE COLHEITA Estádio Ideal para colheita: R6 - Maturidade Fisiológica • Umidade parte de 34-33%; • Camada preta na inserção entre grão e espiga; • Aspectos visuais secos; • Matéria seca máxima; Fonte: Maissoja. 2022. Período de colheita
  • 5. 5 UMIDADE Umidade Estágio 12-14% 15-18% Até 27% 30-38% Tabela 1 – Percentual de umidade e estágio do milho. Elaborado por: Ana Carolina Cabral, 2023. Ideal Tolerado Secagem Artificial Silagem
  • 6. 6 AFERIDORES DE UMIDADE - Análise de laboratório; - Equipamentos portáteis aferidores de umidade; - Testes práticos no grão da espiga. Fonte: Alfa Mare, 2015. Fonte: Aegro, 2019. Fonte: Semadesc, 2016.
  • 7. 7 MÉTODOS PRÁTICOS PARA DETERMINAR UMIDADE Teste de resistência do grão à pressão do dente Teste de resistência da espiga à torção = 18% a 20% Teste de resistência do grão ao risco = Acima de 20%
  • 8. 8 MAQUINÁRIO Funcionamento básico da colhedora Fonte: Forza Jmalucelli, 2018.
  • 9. 9 FUNCIONAMENTO DA PLATAFORMA 4 1 – Separadores; 2 - Rolos espigadores; 3 – Correntes; 4 - Rosca sem fim; 5 - Canal alimentador. Fonte: Unesp, 2016.
  • 11. 11 TRILHA Sistema Radial x Sistema Axial 1 – Cilindro; 2 – Côncavo; 3 – Cilindro batedor; 4 – Saca-palhas. Fonte: Mecaniza.org, 2018.
  • 13. 13 SEPARAÇÃO E LIMPEZA Fonte: Mecaniza.org, 2018. Ventilador Defletor de ar Fluxo de ar Peneira superior Peneira inferior Sem fim do elevador de grãos limpos Sem fim do elevador de retrilha
  • 14. 14 MAQUINÁRIO - REGULAGENS Regulagem padrão • Ventilador; • Rosca sem fim – Barra de corte; • Rotação do cilindro; • Cilindro – côncavo. Velocidade da colhedora • Axial e Radial: 4 – 6 km/h; • Híbrido: pode chegar até 8 km/h.
  • 15. 15 Perdas Cerca de 80% das perdas na colheita ocorrem no maquinário e estão relacionadas a: Fonte: Conab, 2017 Fonte: Jan Implementos Agícolas, 2019. Fonte: John Deere, 2021.
  • 16. 16 CÁLCULO DE PERDAS Largura (plataforma): 4 metros - 2,0 m² (0,5 x 4) Colete os grãos encontrados na área Pese a amostra e repita o processo 3 vezes Exemplo: 11g + 12g + 13g = 36/3 = 12g 2,0 m² 12g 10,000 m² x 60000g = 60kg Fonte: PortalAgro, 2021. Obs: Perdas toleráveis vão depender da produtividade
  • 17. 17 SECAGEM A secagem é o processo de redução do teor de água no grão do milho • Evita a proliferação de doenças e fungos na armazenagem • Período maior em armazenamento Natural Campo Artificial Alta temperatura Baixa temperatura
  • 18. 18 TIPOS DE SECADORES SECADOR DE FLUXOS CRUZADOS SECADOR DE CAMADA FIXA SECADOR CASCATA Fonte: Agricultura.rs, 2019. Fonte: Agricultura.rs, 2019. Fonte: Agricultura.rs, 2019.
  • 19. 19 QUALIDADE DOS GRÃOS Fonte: Conab, 2021. Fonte: ESAQL, 2015. Enquadramento Grãos avariados Ardidos Grãos quebrados Impurezas e matérias estranhas Carunchados Tipo 1 1,00 3,00 1,00 2,00 Tipo 2 2,00 4,00 1,50 3,00 Tipo 3 3,00 5,00 2,00 4,00 Fora do tipo 5,00 Maior que 5.00 Maior que 2,00 8,00 Limites máximos de tolerância de defeitos em milho, expressos em percentuais (%) Tabela 1 – Limites de tolerância em defeitos. Elaborado por: Ana Carolina Cabral, 2023.
  • 20. 20 ARMAZENAGEM Desafios de armazenagem Estruturas de armazenagem Silos bolsa Silos metálicos
  • 21. 21 SILO BOLSA Alternativa econômica Vulnerabilidade a danos; Controle de temperatura; Reutilização. Melhorias consideráveis Fonte: Lonas Negreira, 2021. • 60 m de comprimento -> 200 t – 3.333 sacos de 60 kg; • 75 m de comprimento -> 254 t – 4.233 sacos de 60 kg; • 100 m de comprimento -> 345 t – 5.750 sacos de 60 Kg. Silos de 9 pés
  • 22. 22 SILOS METÁLICOS Fundo plano e cônico (V); Chapa galvanizada – Zn; Estrutura e vantagens: Atende demandas gerais; Fonte: KeplerWeber, 2019. Desvantagens: Dificuldade de realocação; Limitações de tamanho e capacidade. Até 35.000 toneladas.
  • 23. 23 ESTRUTURAS DE ARMAZENAGEM E IDENTIFIÇÃO FORNALHA BALANÇA E MOEGA LIMPEZA SILO PULMÃO SECADOR SILOS ARMAZENADORES EXPEDIÇÃO Fonte: Unesp, 2016.
  • 24. 24 DESAFIOS NA ARMAZENAGEM Fonte: G1, 2022. Fonte: G1, 2023.
  • 25. 25 PRAGAS DE ARMAZENAGEM Principais inseto-pragas: Gorgulho-do-milho (Sitophilus zeamais) Traça-dos-cereais (Sitotroga cerealella) Fonte: Agrolink. 2020.
  • 26. 26 PRAGAS DE ARMAZENAGEM Identificação do Gorgulho-do- milho (Sitophilus zeamais) - 2,0 a 3,5 mm de comprimento; - Coloração castanho-escuro; - 4 manchas avermelhadas nas asas anteriores. Ciclo de vida | Como danifica o grão? - Ciclo de 34 dias; - Praga primária e de infestação cruzada; - O dano ocorre na cavidade peduncular e entre os pontos de contato dos grãos. Perfuram a casca e criam buracos. Fonte: CABI Digital Library. 2021
  • 27. 27 Pragas de armazenagem Identificação da Traça-dos-cereais (Sitotroga cerealella) - 6 a 8 mm de comprimento; - Coloração castanho-escuro; - Pode estar presente ainda na lavoura. Fonte: CABI Digital Library. 2021 Ciclo de vida | Como danifica o grão? - Ciclo de 35 dias. Praga primária; - Ataca os grãos desde a fase larval até a adulta; - Limita sua ação a superfície do grão; - Seu inseto adulto vive apenas 5 dias.
  • 28. 28 CONTROLE QUÍMICO Fonte: Agrowap. 2022. GASTOXIN B57 Inseticida fumigante Aplicado em pastilhas (3g), comprimidos (0,6g) ou sachês (24g) R$249,90 – 90g em Pastilhas Eficácia contra Sitophilus zeamais e Sitotroga cerealella Dosagem: 2 Pastilhas de 3 g/m³
  • 29. 29 CONTROLE PREVENTIVO E FÍSICO - Limpeza do armazém e dos grãos; - Secagem; - Controle da temperatura e umidade do ar; - Vedação adequada; - Fumigação.
  • 30. Entre em contato conosco: geagraufg.wordpress.com geagracontato@gmail.com GEAGRA UFG @geagraufg UNINDO CONHECIMENTO EM PROL DA AGRICULTURA! COLHEITA E ARMAZENAMENTO DO MILHO ana.cabral@discente.ufg.br