SlideShare uma empresa Scribd logo
IAGO ASSIS LOBO DE FARIA
POSICIONAMENTO DE CULTIVARES DE
FEIJÃO
2
• Vazio sanitário;
• Melhoramento genético;
• OGMs;
• Biotecnologias;
• Biofortificação;
• Escolha de cultivares;
• Época de plantio;
• Cultivares de destaque;
• Custos.
SUMÁRIO
3
• Tem como objetivo reduzir os prejuízos causados
pela mosca-branca ( Bemisia tabaci );
• Grupo 1:
- Do dia 5 de setembro à 5 de outubro;
- Cidade de Rio Verde;
• Grupo 2:
- Do dia 20 de setembro à 20 de outubro;
- Cidade de Goiânia.
Vazio sanitário
Fonte : Researchgate, 2018.
4
• O que é ?
Melhoramento Genético
Ciência utilizada em plantas
e animais para obtenção
de indivíduos ou
populações com
características específicas.
• Gene:
- Sequência específica do DNA;
• Genoma:
- Conjunto de genes de todo o ser vivo.
Fonte : Depositphotos, 2017.
5
• OGMs :
- Foram manipulados geneticamente sem fecundação, usando biotecnologias
no seu genoma alterando seu DNA ou RNA;
• Transgênicos :
- Funcionam igualmente os OGMs, porém têm de ser obrigatoriamente genes
inseridos de uma outra espécie.
Podemos afirmar que todas plantas transgênicas são OGMs ?
(OGMs = Organismos geneticamente modificados).
6
Por qual motivo cultivar OGMs ?
Melhor
adequação à
condições
climáticas
Aumento
produtivo
Resistência à
pragas e
doenças
Tolerância à
herbicidas
Redução no
uso de
agroquímicos
7
• Quais os entraves para o produtor optar por uma cultivar com
biotecnologia?
Existem biotecnologias no feijoeiro?
Sim
Possíveis
implicações
para a saúde
humana
Poderá
prejudicar a
agricultura
familiar
Cobrança de
royalties
8
• Tecnologia da Empresa : EMBRAPA;
• Resistência ao Mosaico Dourado:
- Transmitido pela mosca branca;
• Período de 15 anos em desenvolvimento.
Biotecnologia RMD
9
• Mosaico Dourado :
BRS estilo BRS FC401 RMD
Convencional X Biotecnologia RMD
Fonte : EMBRAPA , 2022.
10
• Respeito ao vazio sanitário;
• Eliminação de plantas hospedeiras;
• Época de plantio :
- Não plantar após soja;
- Não realizar plantio sequencial;
• Uso de áreas de refúgio;
• Controle químico.
Manejo efetivo da biotecnologia
11
• É uma técnica utilizada para produção de alimentos mais nutritivos:
- Maiores teores de vitamina A, zinco, ferro, entre outros micronutrientes
• É realizada por melhoramento genético ou por manejo de adubação;
• Aproximadamente de seis a oito anos para o desenvolvimento;
• Usado para combate a vulnerabilidade alimentar na África e na Ásia.
Biofortificação no feijoeiro
12
Biofortificação no feijoeiro
Fonte : Biofort da Embrapa, 2022.
13
• A precipitação ideal é
de 300mm a 400mm de chuvas;
• Profundidade de 5 a 6 cm em solos arenosos;
• Profundidade de 3 a 4 cm em solos argilosos;
• A média recomendada é de 10 a 15 sementes por metro;
• População variando de 250 mil a 300 mil plantas/hectare;
• Podem ser feitas 3 safras de feijão.
Plantio do feijão
Fonte : Lavoura10, 2022.
14
Época de plantio
Fonte: adaptado de Proedu, 2022.
15
• Feijão preto:
Grupos Comerciais
Fonte: EMBRAPA, 2022.
16
• Feijão escuro:
Grupos Comerciais
Fonte: EMBRAPA, 2022.
17
• Feijão mulatinho:
Grupos Comerciais
Fonte: EMBRAPA, 2022.
18
• Feijão rajado:
Grupos Comerciais
Fonte: EMBRAPA, 2022.
19
• Feijão carioca:
Grupos Comerciais
Fonte: EMBRAPA, 2022.
20
• Feijão rosinha:
Grupos Comerciais
Fonte: EMBRAPA, 2022.
21
Grupos Comerciais
• Feijão Caupi :
Fonte: EMBRAPA, 2022.
22
• Tipo 1:
- Período vegetativo com 23 dias;
- Colheita com 77dias;
• Tipo 2:
- Período vegetativo com 27 dias;
- Colheita com 83 dias.
Variação do ciclo do feijoeiro em diferentes cultivares
Fonte: CIAT, 1985.
23
• Tipo 3:
- Período vegetativo com 30 dias;
- Colheita com 91dias;
• Tipo 4:
- Período vegetativo com 35 dias;
- Colheita com 98 dias.
Variação do ciclo do feijoeiro em diferentes cultivares
Fonte: CIAT, 1985.
24
• Grãos pretos;
• Alto potencial produtivo;
• Ciclo normal, 85 a 90 dias;
• Arquitetura ereta;
• Em média 35 sacas/ha;
• Lançada em 2008.
Posicionamento de cultivares
BRS ESPLENDOR
Fonte: Emprapa, 2021-2.
25
• BRS ESTEIO :
• Grãos pretos;
• Alto potencial produtivo;
• Ciclo normal, 85 a 90 dias;
• Resistente à antracnose;
• Resistente à ferrugem;
• Arquitetura ereta;
• Em média 45 sacas/ha;
• Lançada em 2012.
Posicionamento de cultivares
BRS ESTEIO
Fonte: Emprapa, 2022.
26
Posicionamento de cultivares
Fonte: Emprapa, 2022.
• Empresa : Agranda;
• Custos:
- R$14,90 o kg;
- R$596,00 o saco de 40kg;
• Incluso o frete.
BRS ESTEIO
27
Fonte: Emprapa, 2021-2.
28
• Feijão carioca;
• Ciclo precoce de 65 a 70 dias;
• Alta produtividade;
• Tipo 1, porte semiereto;
• Indicado para diversas altitudes;
• Ótimo enchimento de grãos.
Posicionamento de cultivares
Fonte: Seprotecsementes, 2022.
29
Posicionamento de cultivares
Fonte: Seprotecsementes, 2022.
• Empresa : Exata Agrícola;
• Custos:
- R$12,00 o kg;
- R$480,00 o saco de 40kg.
30
• Feijão carioca;
• Tradicional no mercado;
• Ciclo de 85 a 90 dias;
• Tipo porte 3 de semiprostado;
• Alto teto produtivo;
• Tolerante a chuva na colheita.
Posicionamento de cultivares
Fonte: Seprotecsementes, 2022.
31
• Crescimento indeterminado do tipo 2;
• Produtividade de 4.500 kg/ha;
• Ciclo normal de 85 a 90 dias;
• Floração média de 37 dias;
• Planta semiereta;
• Massa de 100 grãos com 25,5 g.
Posicionamento de cultivares
Fonte: Emprapa, 2022.
32
• Empresa : Agranda;
• Custos:
- R$15,50 o kg;
- R$620,00 o saco de 40kg;
• Incluso o frete.
Posicionamento de cultivares
Fonte: Emprapa, 2021-2.
33
Posicionamento de cultivares
• Produtividade de 4.000 kg/ha;
• Ciclo normal de 85 a 90 dias;
• Peso de 100 grãos com 25,7 g;
• Crescimento indeterminado e tipo 3;
• Não é recomendada para a safra da
seca.
34
Posicionamento de cultivares
Fonte: Emprapa, 2021-2.
• Floração média de 43 dias;
• Cor da flor: branca.
35
Fonte: Emprapa, 2021-2.
Entre em contato conosco:
geagraufg.wordpress.com
geagracontato@gmail.com
GEAGRA UFG
@geagraufg
UNINDO CONHECIMENTO EM PROL DA AGRICULTURA!
POSICIONAMENTO DE CULTIVARES DE FEIJÃO
Iagofaria14@hotmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja
Geagra UFG
 
Morfologia e Ecofisiologia da Soja
Morfologia e Ecofisiologia da SojaMorfologia e Ecofisiologia da Soja
Morfologia e Ecofisiologia da Soja
Geagra UFG
 
Mip- mandioca
Mip- mandiocaMip- mandioca
Mip- mandioca
Paula Borges
 
Regulação hormonal do algodoeiro
Regulação hormonal do algodoeiro Regulação hormonal do algodoeiro
Regulação hormonal do algodoeiro
Geagra UFG
 
Inseticidas
InseticidasInseticidas
Inseticidas
Geagra UFG
 
Fenologia e Fisiologia da soja
Fenologia e Fisiologia da sojaFenologia e Fisiologia da soja
Fenologia e Fisiologia da soja
Geagra UFG
 
A cultura do Milho
A cultura do MilhoA cultura do Milho
A cultura do Milho
Killer Max
 
Grupo de Maturação e Posicionamento de Cultivares
Grupo de Maturação e Posicionamento de CultivaresGrupo de Maturação e Posicionamento de Cultivares
Grupo de Maturação e Posicionamento de Cultivares
Geagra UFG
 
MECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS.pptx
MECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS.pptxMECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS.pptx
MECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS.pptx
Geagra UFG
 
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do MilhoCultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Ítalo Arrais
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
CETEP, FTC, FASA..
 
Nutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milhoNutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milho
Geagra UFG
 
Fenologia e Fisiologia do Sorgo e Milheto
Fenologia e Fisiologia do Sorgo e MilhetoFenologia e Fisiologia do Sorgo e Milheto
Fenologia e Fisiologia do Sorgo e Milheto
Geagra UFG
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
Geagra UFG
 
Colheita e Armazenamento: Milho
Colheita e Armazenamento: MilhoColheita e Armazenamento: Milho
Colheita e Armazenamento: Milho
Geagra UFG
 
Origem e importância econômica e classificação botânica do Feijão
Origem e importância econômica e classificação botânica do FeijãoOrigem e importância econômica e classificação botânica do Feijão
Origem e importância econômica e classificação botânica do Feijão
Killer Max
 
Produção de Mandioca
Produção de MandiocaProdução de Mandioca
Produção de Mandioca
Ítalo Arrais
 
Cana-de-açúcar - Doenças e Pragas
Cana-de-açúcar - Doenças e PragasCana-de-açúcar - Doenças e Pragas
Cana-de-açúcar - Doenças e Pragas
Sávio Sardinha
 
Cultura da Mandioca.pptx
Cultura da Mandioca.pptxCultura da Mandioca.pptx
Cultura da Mandioca.pptx
ValderlandiaOliveira1
 
Preparação do Solo e Aplicação
Preparação do Solo e AplicaçãoPreparação do Solo e Aplicação
Preparação do Solo e Aplicação
Geagra UFG
 

Mais procurados (20)

Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja Manejo de doenças na soja
Manejo de doenças na soja
 
Morfologia e Ecofisiologia da Soja
Morfologia e Ecofisiologia da SojaMorfologia e Ecofisiologia da Soja
Morfologia e Ecofisiologia da Soja
 
Mip- mandioca
Mip- mandiocaMip- mandioca
Mip- mandioca
 
Regulação hormonal do algodoeiro
Regulação hormonal do algodoeiro Regulação hormonal do algodoeiro
Regulação hormonal do algodoeiro
 
Inseticidas
InseticidasInseticidas
Inseticidas
 
Fenologia e Fisiologia da soja
Fenologia e Fisiologia da sojaFenologia e Fisiologia da soja
Fenologia e Fisiologia da soja
 
A cultura do Milho
A cultura do MilhoA cultura do Milho
A cultura do Milho
 
Grupo de Maturação e Posicionamento de Cultivares
Grupo de Maturação e Posicionamento de CultivaresGrupo de Maturação e Posicionamento de Cultivares
Grupo de Maturação e Posicionamento de Cultivares
 
MECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS.pptx
MECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS.pptxMECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS.pptx
MECANISMOS DE AÇÃO DE INSETICIDAS.pptx
 
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do MilhoCultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
Cultura do Feijão Caupi e Cultura do Milho
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 
Nutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milhoNutrição e adubação do milho
Nutrição e adubação do milho
 
Fenologia e Fisiologia do Sorgo e Milheto
Fenologia e Fisiologia do Sorgo e MilhetoFenologia e Fisiologia do Sorgo e Milheto
Fenologia e Fisiologia do Sorgo e Milheto
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS NO FEIJÃO
 
Colheita e Armazenamento: Milho
Colheita e Armazenamento: MilhoColheita e Armazenamento: Milho
Colheita e Armazenamento: Milho
 
Origem e importância econômica e classificação botânica do Feijão
Origem e importância econômica e classificação botânica do FeijãoOrigem e importância econômica e classificação botânica do Feijão
Origem e importância econômica e classificação botânica do Feijão
 
Produção de Mandioca
Produção de MandiocaProdução de Mandioca
Produção de Mandioca
 
Cana-de-açúcar - Doenças e Pragas
Cana-de-açúcar - Doenças e PragasCana-de-açúcar - Doenças e Pragas
Cana-de-açúcar - Doenças e Pragas
 
Cultura da Mandioca.pptx
Cultura da Mandioca.pptxCultura da Mandioca.pptx
Cultura da Mandioca.pptx
 
Preparação do Solo e Aplicação
Preparação do Solo e AplicaçãoPreparação do Solo e Aplicação
Preparação do Solo e Aplicação
 

Semelhante a Posicionamento de cultivares de feijão

Plantas de cobertura
Plantas de coberturaPlantas de cobertura
Plantas de cobertura
Geagra UFG
 
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuáriaLeguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Daniel Staciarini Corrêa
 
Pastagens " O que esperar delas"
Pastagens " O que esperar delas"Pastagens " O que esperar delas"
Pastagens " O que esperar delas"
Exagro
 
Planejamento Agronômico.pptx
Planejamento Agronômico.pptxPlanejamento Agronômico.pptx
Planejamento Agronômico.pptx
HailtonBarbosadosSan
 
Sorgo: Comercialização e Logística
Sorgo:  Comercialização e LogísticaSorgo:  Comercialização e Logística
Sorgo: Comercialização e Logística
Geagra UFG
 
Soja
SojaSoja
Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........
Geagra UFG
 
Colheita e armazenamento da soja
Colheita e armazenamento da sojaColheita e armazenamento da soja
Colheita e armazenamento da soja
Geagra UFG
 
Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja
Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja
Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja
Geagra UFG
 
Biotecnologia do algodoeiro.
Biotecnologia do algodoeiro.Biotecnologia do algodoeiro.
Biotecnologia do algodoeiro.
Geagra UFG
 
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
ApiculturaeAgricultura
 
Arroz Dourado
Arroz DouradoArroz Dourado
Arroz Dourado
Vanessa Alonso
 
Ogm arroz dourado apresentação final
Ogm   arroz dourado apresentação finalOgm   arroz dourado apresentação final
Ogm arroz dourado apresentação final
Bioworld12
 
Rafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - FenaçãoRafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique Reis
 
APRESENTAÇÃO Feijão.pptx feijão de vagem e corredor
APRESENTAÇÃO Feijão.pptx feijão de vagem e corredorAPRESENTAÇÃO Feijão.pptx feijão de vagem e corredor
APRESENTAÇÃO Feijão.pptx feijão de vagem e corredor
RayaneReis14
 
Manejo de pastagem 1
Manejo de pastagem 1Manejo de pastagem 1
Manejo de pastagem 1
GETA - UFG
 
4
44
Tecnologia e Produção de Sementes Forrageiras no Brasil
Tecnologia e Produção de Sementes Forrageiras no BrasilTecnologia e Produção de Sementes Forrageiras no Brasil
Tecnologia e Produção de Sementes Forrageiras no Brasil
Alice Melo Candido
 
Mesa 2 conservação renato jundiaí2012
Mesa 2   conservação renato jundiaí2012Mesa 2   conservação renato jundiaí2012
Mesa 2 conservação renato jundiaí2012
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Mesa 2 conservação renato jundiaí2012
Mesa 2   conservação renato jundiaí2012Mesa 2   conservação renato jundiaí2012
Mesa 2 conservação renato jundiaí2012
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 

Semelhante a Posicionamento de cultivares de feijão (20)

Plantas de cobertura
Plantas de coberturaPlantas de cobertura
Plantas de cobertura
 
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuáriaLeguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
 
Pastagens " O que esperar delas"
Pastagens " O que esperar delas"Pastagens " O que esperar delas"
Pastagens " O que esperar delas"
 
Planejamento Agronômico.pptx
Planejamento Agronômico.pptxPlanejamento Agronômico.pptx
Planejamento Agronômico.pptx
 
Sorgo: Comercialização e Logística
Sorgo:  Comercialização e LogísticaSorgo:  Comercialização e Logística
Sorgo: Comercialização e Logística
 
Soja
SojaSoja
Soja
 
Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........Colheita e armazenamento da soja........
Colheita e armazenamento da soja........
 
Colheita e armazenamento da soja
Colheita e armazenamento da sojaColheita e armazenamento da soja
Colheita e armazenamento da soja
 
Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja
Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja
Biotecnologias e posicionamento de cultivares de soja
 
Biotecnologia do algodoeiro.
Biotecnologia do algodoeiro.Biotecnologia do algodoeiro.
Biotecnologia do algodoeiro.
 
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
Celito E. Breda - M.I.P. BAHIA – foco em C.B.
 
Arroz Dourado
Arroz DouradoArroz Dourado
Arroz Dourado
 
Ogm arroz dourado apresentação final
Ogm   arroz dourado apresentação finalOgm   arroz dourado apresentação final
Ogm arroz dourado apresentação final
 
Rafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - FenaçãoRafael Henrique - Fenação
Rafael Henrique - Fenação
 
APRESENTAÇÃO Feijão.pptx feijão de vagem e corredor
APRESENTAÇÃO Feijão.pptx feijão de vagem e corredorAPRESENTAÇÃO Feijão.pptx feijão de vagem e corredor
APRESENTAÇÃO Feijão.pptx feijão de vagem e corredor
 
Manejo de pastagem 1
Manejo de pastagem 1Manejo de pastagem 1
Manejo de pastagem 1
 
4
44
4
 
Tecnologia e Produção de Sementes Forrageiras no Brasil
Tecnologia e Produção de Sementes Forrageiras no BrasilTecnologia e Produção de Sementes Forrageiras no Brasil
Tecnologia e Produção de Sementes Forrageiras no Brasil
 
Mesa 2 conservação renato jundiaí2012
Mesa 2   conservação renato jundiaí2012Mesa 2   conservação renato jundiaí2012
Mesa 2 conservação renato jundiaí2012
 
Mesa 2 conservação renato jundiaí2012
Mesa 2   conservação renato jundiaí2012Mesa 2   conservação renato jundiaí2012
Mesa 2 conservação renato jundiaí2012
 

Mais de Geagra UFG

Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison TeixeiraMecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Geagra UFG
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
Geagra UFG
 
Mecanismo de ação dos herbicidas slide.pptx
Mecanismo de ação dos herbicidas slide.pptxMecanismo de ação dos herbicidas slide.pptx
Mecanismo de ação dos herbicidas slide.pptx
Geagra UFG
 
APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptx
APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptxAPRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptx
APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptx
Geagra UFG
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Geagra UFG
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
Geagra UFG
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
Geagra UFG
 
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARESBIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
Geagra UFG
 
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptxMACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
Geagra UFG
 
Biotecnologias e manejos de cultivares .
Biotecnologias e manejos de cultivares .Biotecnologias e manejos de cultivares .
Biotecnologias e manejos de cultivares .
Geagra UFG
 
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
Geagra UFG
 
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxINTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
Geagra UFG
 
Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............
Geagra UFG
 
Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........
Geagra UFG
 
Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........
Geagra UFG
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
Geagra UFG
 
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdfCópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Geagra UFG
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
Geagra UFG
 
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptxMANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
Geagra UFG
 
Manejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaManejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de soja
Geagra UFG
 

Mais de Geagra UFG (20)

Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison TeixeiraMecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
Mecanismos de ação dos inseticidas. Marlison Teixeira
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 
Mecanismo de ação dos herbicidas slide.pptx
Mecanismo de ação dos herbicidas slide.pptxMecanismo de ação dos herbicidas slide.pptx
Mecanismo de ação dos herbicidas slide.pptx
 
APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptx
APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptxAPRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptx
APRESENTAÇÃO TECNOLOGIA DE APLICAÇÃO.pptx
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Aline Castro
 
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline CastroMICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
MICRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA Palestrante: Aline Castro
 
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARESBIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
BIOTECNOLOGIA E POSICIONAMENTO DE CULTIVARES
 
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptxMACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
MACRONUTRIENTES NO SOLO E NA PLANTA.pptx
 
Biotecnologias e manejos de cultivares .
Biotecnologias e manejos de cultivares .Biotecnologias e manejos de cultivares .
Biotecnologias e manejos de cultivares .
 
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
REGULADORES DE CRESCIMENTO, DESFOLHANTES E MATURADORES.
 
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxINTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
 
Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............Manejo de doenças da soja...............
Manejo de doenças da soja...............
 
Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........Mecanismo de ação de fungicidas.........
Mecanismo de ação de fungicidas.........
 
Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........Mecanismo de ação de inseticidas........
Mecanismo de ação de inseticidas........
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pptx
 
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdfCópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
Cópia de SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1).pdf
 
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptxSLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
SLIDE OFICIAL GEAGRA 2023.2 (2).pptx (1) (1).pptx
 
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptxMANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DA SOJA. .pptx
 
Manejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de sojaManejo do solo e plantio de soja
Manejo do solo e plantio de soja
 

Posicionamento de cultivares de feijão

  • 1. IAGO ASSIS LOBO DE FARIA POSICIONAMENTO DE CULTIVARES DE FEIJÃO
  • 2. 2 • Vazio sanitário; • Melhoramento genético; • OGMs; • Biotecnologias; • Biofortificação; • Escolha de cultivares; • Época de plantio; • Cultivares de destaque; • Custos. SUMÁRIO
  • 3. 3 • Tem como objetivo reduzir os prejuízos causados pela mosca-branca ( Bemisia tabaci ); • Grupo 1: - Do dia 5 de setembro à 5 de outubro; - Cidade de Rio Verde; • Grupo 2: - Do dia 20 de setembro à 20 de outubro; - Cidade de Goiânia. Vazio sanitário Fonte : Researchgate, 2018.
  • 4. 4 • O que é ? Melhoramento Genético Ciência utilizada em plantas e animais para obtenção de indivíduos ou populações com características específicas. • Gene: - Sequência específica do DNA; • Genoma: - Conjunto de genes de todo o ser vivo. Fonte : Depositphotos, 2017.
  • 5. 5 • OGMs : - Foram manipulados geneticamente sem fecundação, usando biotecnologias no seu genoma alterando seu DNA ou RNA; • Transgênicos : - Funcionam igualmente os OGMs, porém têm de ser obrigatoriamente genes inseridos de uma outra espécie. Podemos afirmar que todas plantas transgênicas são OGMs ? (OGMs = Organismos geneticamente modificados).
  • 6. 6 Por qual motivo cultivar OGMs ? Melhor adequação à condições climáticas Aumento produtivo Resistência à pragas e doenças Tolerância à herbicidas Redução no uso de agroquímicos
  • 7. 7 • Quais os entraves para o produtor optar por uma cultivar com biotecnologia? Existem biotecnologias no feijoeiro? Sim Possíveis implicações para a saúde humana Poderá prejudicar a agricultura familiar Cobrança de royalties
  • 8. 8 • Tecnologia da Empresa : EMBRAPA; • Resistência ao Mosaico Dourado: - Transmitido pela mosca branca; • Período de 15 anos em desenvolvimento. Biotecnologia RMD
  • 9. 9 • Mosaico Dourado : BRS estilo BRS FC401 RMD Convencional X Biotecnologia RMD Fonte : EMBRAPA , 2022.
  • 10. 10 • Respeito ao vazio sanitário; • Eliminação de plantas hospedeiras; • Época de plantio : - Não plantar após soja; - Não realizar plantio sequencial; • Uso de áreas de refúgio; • Controle químico. Manejo efetivo da biotecnologia
  • 11. 11 • É uma técnica utilizada para produção de alimentos mais nutritivos: - Maiores teores de vitamina A, zinco, ferro, entre outros micronutrientes • É realizada por melhoramento genético ou por manejo de adubação; • Aproximadamente de seis a oito anos para o desenvolvimento; • Usado para combate a vulnerabilidade alimentar na África e na Ásia. Biofortificação no feijoeiro
  • 12. 12 Biofortificação no feijoeiro Fonte : Biofort da Embrapa, 2022.
  • 13. 13 • A precipitação ideal é de 300mm a 400mm de chuvas; • Profundidade de 5 a 6 cm em solos arenosos; • Profundidade de 3 a 4 cm em solos argilosos; • A média recomendada é de 10 a 15 sementes por metro; • População variando de 250 mil a 300 mil plantas/hectare; • Podem ser feitas 3 safras de feijão. Plantio do feijão Fonte : Lavoura10, 2022.
  • 14. 14 Época de plantio Fonte: adaptado de Proedu, 2022.
  • 15. 15 • Feijão preto: Grupos Comerciais Fonte: EMBRAPA, 2022.
  • 16. 16 • Feijão escuro: Grupos Comerciais Fonte: EMBRAPA, 2022.
  • 17. 17 • Feijão mulatinho: Grupos Comerciais Fonte: EMBRAPA, 2022.
  • 18. 18 • Feijão rajado: Grupos Comerciais Fonte: EMBRAPA, 2022.
  • 19. 19 • Feijão carioca: Grupos Comerciais Fonte: EMBRAPA, 2022.
  • 20. 20 • Feijão rosinha: Grupos Comerciais Fonte: EMBRAPA, 2022.
  • 21. 21 Grupos Comerciais • Feijão Caupi : Fonte: EMBRAPA, 2022.
  • 22. 22 • Tipo 1: - Período vegetativo com 23 dias; - Colheita com 77dias; • Tipo 2: - Período vegetativo com 27 dias; - Colheita com 83 dias. Variação do ciclo do feijoeiro em diferentes cultivares Fonte: CIAT, 1985.
  • 23. 23 • Tipo 3: - Período vegetativo com 30 dias; - Colheita com 91dias; • Tipo 4: - Período vegetativo com 35 dias; - Colheita com 98 dias. Variação do ciclo do feijoeiro em diferentes cultivares Fonte: CIAT, 1985.
  • 24. 24 • Grãos pretos; • Alto potencial produtivo; • Ciclo normal, 85 a 90 dias; • Arquitetura ereta; • Em média 35 sacas/ha; • Lançada em 2008. Posicionamento de cultivares BRS ESPLENDOR Fonte: Emprapa, 2021-2.
  • 25. 25 • BRS ESTEIO : • Grãos pretos; • Alto potencial produtivo; • Ciclo normal, 85 a 90 dias; • Resistente à antracnose; • Resistente à ferrugem; • Arquitetura ereta; • Em média 45 sacas/ha; • Lançada em 2012. Posicionamento de cultivares BRS ESTEIO Fonte: Emprapa, 2022.
  • 26. 26 Posicionamento de cultivares Fonte: Emprapa, 2022. • Empresa : Agranda; • Custos: - R$14,90 o kg; - R$596,00 o saco de 40kg; • Incluso o frete. BRS ESTEIO
  • 28. 28 • Feijão carioca; • Ciclo precoce de 65 a 70 dias; • Alta produtividade; • Tipo 1, porte semiereto; • Indicado para diversas altitudes; • Ótimo enchimento de grãos. Posicionamento de cultivares Fonte: Seprotecsementes, 2022.
  • 29. 29 Posicionamento de cultivares Fonte: Seprotecsementes, 2022. • Empresa : Exata Agrícola; • Custos: - R$12,00 o kg; - R$480,00 o saco de 40kg.
  • 30. 30 • Feijão carioca; • Tradicional no mercado; • Ciclo de 85 a 90 dias; • Tipo porte 3 de semiprostado; • Alto teto produtivo; • Tolerante a chuva na colheita. Posicionamento de cultivares Fonte: Seprotecsementes, 2022.
  • 31. 31 • Crescimento indeterminado do tipo 2; • Produtividade de 4.500 kg/ha; • Ciclo normal de 85 a 90 dias; • Floração média de 37 dias; • Planta semiereta; • Massa de 100 grãos com 25,5 g. Posicionamento de cultivares Fonte: Emprapa, 2022.
  • 32. 32 • Empresa : Agranda; • Custos: - R$15,50 o kg; - R$620,00 o saco de 40kg; • Incluso o frete. Posicionamento de cultivares Fonte: Emprapa, 2021-2.
  • 33. 33 Posicionamento de cultivares • Produtividade de 4.000 kg/ha; • Ciclo normal de 85 a 90 dias; • Peso de 100 grãos com 25,7 g; • Crescimento indeterminado e tipo 3; • Não é recomendada para a safra da seca.
  • 34. 34 Posicionamento de cultivares Fonte: Emprapa, 2021-2. • Floração média de 43 dias; • Cor da flor: branca.
  • 36. Entre em contato conosco: geagraufg.wordpress.com geagracontato@gmail.com GEAGRA UFG @geagraufg UNINDO CONHECIMENTO EM PROL DA AGRICULTURA! POSICIONAMENTO DE CULTIVARES DE FEIJÃO Iagofaria14@hotmail.com