Reunião 4 Qual o perfil da sua empresa

303 visualizações

Publicada em

Vimos nas aulas anteriores, que a empresa é como um organismo vivo, com cada parte desempenhando sua função. Como todo organismo vivo, ela também tem uma personalidade que irá traçar seu futuro. Como identificar? Como ela é gerada? O que o empresário colabora ou não para ela? Entenda sua empresa e como ela se relaciona com seus empregados e com seus clientes.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
303
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • A linha de comando formal, como no Exército, preconizada por Fayol, é a realidade estrutural da maioria absoluta das empresas no Brasil e no mundo. Isso explica problemas de criatividade e inovação que são crônicos nas organizações.
  • “Proteger a nossa empresa para proteger a vida” (lembra-se de ter visto algo assim em algum lugar?)

    COOPTAÇÃO: Atrair (alguém) para seus objetivos. Escolher ou unir-se a (alguém), como companheiro, parceiro ou cúmplice, para um empreendimento ou ação conjunta.

    CCQ: Círculo de controle de qualidade é um pequeno grupo de funcionários que voluntariamente se une para conduzir atividades de controles de qualidade dentro da mesma área de trabalho. A motivação básica do CCQ é a participação
  • Reunião 4 Qual o perfil da sua empresa

    1. 1. Organizações Empresariais • Empresas • Cooperativas • Sindicatos • Associações Organizações Governamentais • Governos municipal, estadual, federal • Partidos políticos Organizações Sociais • Igrejas • Clubes • Associação de Bairro • Organizações Criminosas (Máfia, PCC) TIPOS DE EMPRESAS
    2. 2. O Perfil das empresas tem muito do perfil de seus fundadores. Veja estes dois filmes e explique porque estas pessoas tomaram decisões tão Diferentes: O primeiro videogame O primeiro trem elétrico AS PESSOAS SÃO IMPORTANTES TESTE de PERFIL
    3. 3. Carl Gustav Jung é um dos primeiros a notar que as pessoas são diferentes Em seu estudo “Tipos Psicológicos”, ele constata que as pessoas: • Enxergam o mudo de maneira diversa • Valorizam coisas diferentes • Fazem bem o que gostam • Fazem mal o que detestam PERFIL PESSOAL
    4. 4. Os tipos psicológicos de Jung dividem-se em: • Introvertido • Extrovertido Ichak Adizes traduziu os conceitos de Jung para o mundo corporativo e propôs 4 perfis: Integrador Administrador Produtor Empreendedor PERFIL PROFISSIONAL
    5. 5. • Facilitador • Preocupa-se com as pessoas • Valoriza a ética • Conselheiro • Busca o consenso • Formador de equipes • (Dificuldade para aceitar mudanças drásticas) • (Dificuldade para sacrificar as amizades) INTEGRADOR
    6. 6. • Sistematizador • Organizador • Segue normas e regulamentos • Aprecia controles • Implanta decisões • Executa planos • (Desconfia das mudanças porque comprometem normas e processos) • (Coloca as normas acima de tudo) ADMINISTRADOR
    7. 7. • Foco em resultados • Comprometido com o trabalho • Intensa necessidade de realizar • (Foco intensivo no trabalho o leva a se desligar do cotidiano) PRODUTOR Põe o sistema no ar agora e vamos pedir aos usuários que nos ajudem a melhorar o que for necessário!
    8. 8. • Desafiador • Aprecia novos desafios • Gera seu próprio plano de ação • Assume riscos • Auto-propulsor • Modifica processos e metas • Geralmente inicia negócios • (Egocêntrico) • (Vaidoso) • (Teimoso) EMPREENDEDOR Sai da Frente
    9. 9. Cada ser humano reúne elementos de todos os perfis, O que muda é o grau em que somos uma ou outra coisa. O perfil dominante vai determinar o modo como vemos o mundo, as coisas que valorizamos, as relações que construímos, com quem nos identificamos NÃO HÁ UM PERFIL MELHOR QUE O OUTRO! IMPORTÂNCIA DO PERFIL O que importa é o resultado da equipe • Há atividades que são melhor executadas por determinados perfis • Adizes assinala que a empresa ideal encontrará meios de executar suas tarefas reunindo todos os perfis
    10. 10. Veja este filme e avalie o perfil do fundador da Nike, Bill Bowerman NASCIMENTO DA NIKE
    11. 11. • Ao longo dos anos, a humanidade desenvolveu técnicas de administração de empresas que se tornaram “escolas” • Estas “escolas” orientam as visões de mundo sobre como “organizar as coisas nas empresas” • Formam profissionais que levam estas visões para as empresas ESCOLAS DE PENSAMENTO
    12. 12. Pouca coisa mudou quando o assunto é “modelo de administração” Apesar de “modismos” como reengenharia, vivenciamos modelos de administração há muitos pensados e profundamente arraigados na cultura da humanidade Empresas brasileiras adotam modelos relacionados à cultura do país, que é uma cultura autoritária Taylor Fayol Weber Fordismo Toyotismo
    13. 13. Frederick Taylor (1856-1915), engenheiro mecânico, propõe a Administração Científica e recomenda em 1911 um sistema baseado em • Análise do trabalho • Simplificação das operações • Busca do “best way” • Treinamento do mais apto • Incentivo salarial por maior produção • Foco em tarefas TAYLOR: ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA Mentalmente perturbado, Taylor contava passos de sua casa ao trabalho, tentando fazer o percurso cada vez em menos tempo. Dormia em pé, amparado em caixas, achando que isso o livraria dos constantes pesadelos que o acometiam. Era um caso típico para internação psiquiátrica, mas criou uma “técnica de administração” que é usada ainda hoje em montadoras, hospitais, McDonalds e hotéis. A “administração científica” de Taylor é lesiva ao ser humano,que o trata uma peça de máquina.
    14. 14. Exemplo: • O nascimento do QWERTY
    15. 15. Em 1916, Henri Fayol, francês, Engenheiro de Minas, lança o clássico “Administração Industrial e Geral” Tem a mesma visão de Taylor no que diz respeito à administração de tarefas, mas pensa a administração de empresas de modo mais “abrangente” Para ele, a administração implicava em: • Planejamento • Organização • Comando • Coordenação de atividades • Controle de performance FAYOL: ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL Os 14 “princípios de administração” que Fayol defende mal disfarçam sua vocação de controle de seres humanos no espaço de trabalho
    16. 16. 1. Especialização do trabalho: Encoraja melhorias contínuas 2. Autoridade 3. Disciplina 4. Unidade de comando: Funcionário tem 1 e apenas 1 chefe 5. Unidade de direção: Planos simples podem ser compreendidos por todos 6. Subordinação de interesses individuais aos interesses da empresa 7. Remuneração justa: Não significa aquela que a empresa quer pagar 8. Centralização: Consolidação das funções de gestão 14 PRINCÍPIOS 9. Linha de comando formal: Como no Exército 10.Ordem: Pessoas e material tem lugar certo e definido e devem permanecer ali (pessoas e máquinas como iguais) 11.Equidade: Tratamento igual, mas não necessariamente idêntico 12.Manutenção do emprego para bons trabalhadores 13.Iniciativa: Entendida como a habilidade de estabelecer um plano e segui-lo 14.Espírito de corpo: A empresa acima de tudo (você reconhece este lema?)
    17. 17. Max Weber, sociólogo alemão, com grande contribuição em pesquisa social, cria uma teoria das estruturas de autoridade. Seus trabalhos, traduzidos nos EUA por Talcott Parson, dão origem à Teoria da Burocracia nos anos 40. WEBER: TEORIA DA BUROCRACIA Conhecido por seu “estruturalismo”, Weber antecipa a visão germânica da gestão empresarial, defendendo aspectos como burocratização e a formação de uma “elite burocrática” RACIONALIDADE A Teoria da Burocracia prega a racionalização do trabalho com foco em eficiência através de: • Divisão do trabalho • Hierarquia (autoridade) • Normas (para uniformizar e controlar as ações dos empregados) • Impessoalidade nas relações • Competência profissional é a base da ascensão na carreira
    18. 18. O Fordismo, que se origina com as linhas de produção de Ford Mas não se limita a isso Preconiza: • Produção em massa • Para mercado de massa • Gerando riqueza social • Surgimento dos sindicatos • Direitos trabalhistas • Classes médias consumidoras • Fordismo & Taylorismo Feitos um para o outro FORDISMO Mais do que reduzir o custo dos produtos, o Fordismo atua no sentido de criar mercado de massa, inclusive dobrando o salário dos trabalhadores numa tentativa de manter uma equipe.
    19. 19. Conheça aqui a persoanlidade de Henry Ford, o criar do fordismo e do modelo T • Antipático, antisemita e arrogante, tem a teimosia típica dos empreendedores, daquelas que levam uma empresa à ruína E ele quase conseguiu O nascimento da Ford HENRY FORD
    20. 20. O Toyotismo foi originado na fábrica têxtil da família Toyoda, que mais tarde fundaria a Toyota Motor Company. Foi idealizado por Taiichi Ohno, funcionário da família Toyoda por várias década. TOYOTISMO “Proteger a nossa empresa para proteger a vida” PREGA: • Cooptação do trabalhador para a melhoria do processo produtivo • CCQ (Circulo de Controle da Qualidade) • Sindicato-Empresa • Divisão do trabalho na menor parte possível
    21. 21. Fordismo: as fábricas produzem a baixo custo, estocam os produtos e fazem promoções e propaganda para vendê-los. (“empurrada”) Toyotismo: a fábrica vai produzir o que o cliente já demandou ou comprou, daí porque a produção tem que ser rápida para atender uma demanda que já existe. (“puxada”) FORDISMO X TOYOTISMO
    22. 22. EUA X JAPÃO Modelo gerencial norte-americano - Emprego de curto prazo - Estrutura de decisão individualizada - Responsabilidade individual - Avaliação e promoção rápidas - Controle explícito e formal - Valoriza especialistas Modelo gerencial japonês - Empregos “vitalícios” (para 20% ou 30% dos trabalhadores) - Estrutura de decisão consensuada - Responsabilidade coletiva - Avaliação e promoção lentas - Controle implícito e informal - Prefere generalistas
    23. 23. Como você vê seus empregados? Walter Ludwig – programa sem censura O QUE MUDOU NO MUNDO DE HOJE?
    24. 24. • Os fundadores de uma empresa adotam modelos de administração que têm a ver com seu perfil, com sua visão de mundo, com suas crenças • Os modelos de administração lançam as bases para a definição da estrutura organizacional • A estrutura organizacional pode mudar de acordo com as pressões de mercado e a visão de mundo de novos funcionários • Mas a “escola de administração” seguida pela empresa tende a permanecer imutável CONCLUSÃO COMO É/SERÁ A SUA EMPRESA?
    25. 25. Outros tópicos de Estrutura Organizacional: • Os Tipos de poderes nas organizações • Almas e características das organizações • O papel do fundador da empresa no planejamento estratégico • Ciclo de vida das organizações OUTROS TEMAS DO CONTEÚDO Agradeço ao professor Armando Levy, pelo conhecimento compartilhado. Grande parte do conteúdo foi retirado da aula do prof. Armando Levy: armando@epress.com.br

    ×