TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO - AULA 3 Depois de vermos os conceitos gerais, a partir desta aula vamos de fato conhecer os...
5. Evolução Histórica da Administração – Parte II 5.1 – Taylor – Abordagem Clássica No início do sec. XX surge Frederick W...
Entendendo o gerenciamento como uma função administrativa, cabe ao Administrador  planejar de forma antecipada que ativida...
Esta iniciativa de Taylor de substituir métodos empíricos e rudimentares por métodos científicos ficou conhecida como  Org...
MODELO DE SUPERVISÃO FUNCIONAL Fonte: Adaptado de Vieira (2008)
Fonte: Adaptado de Motta, 2002 Resumo do Pensamento de Taylor, a partir do conceito do  “homo econômicus ” Estudo dos temp...
Mas é claro que para que as idéias dessem certo era necessário comprometer a  alta administração . Taylor então passou a s...
Maximiano (2000) nos explica que a Administração passou por  três grandes fases: <ul><li>Primeira Fase </li></ul><ul><li>A...
Apesar de hoje sabermos que os princípios de Taylor foram responsáveis por trazer alguma ordem à administração, suas teori...
Taylor deu início ao estudo dos tempos e movimentos que posteriormente seria aprimorado pelo casal  Frank e Lilian Gilbret...
Preocupados também em minimizar a fadiga, propuseram o  redesenho do ambiente de trabalho , a  redução das horas diárias d...
<ul><li>O estudo dos movimentos humanos tem   três finalidades : </li></ul><ul><li>Evitar movimentos inúteis na execução d...
<ul><li>PRÓXIMA AULA: </li></ul><ul><li>Os movimentos elementares (therbligs) de Gilbreth </li></ul><ul><li>Henry Gantt e ...
CHIAVENATO , Idalberto.  Introdução à Teoria Geral da Administração . 6ª Ed. São Paulo: Campus, 2000. MAXIMIANO , A. C. A....
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula3

2.405 visualizações

Publicada em

Teoria Geral da Administração

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.405
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula3

  1. 1. TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO - AULA 3 Depois de vermos os conceitos gerais, a partir desta aula vamos de fato conhecer os principais pensadores e suas contribuições para a Ciência da Administração. Iremos contextualizar a época em que surgiram e falar brevemente sobre a vida de cada um. Como dissemos na aula anterior, tal abordagem ajuda a entender o momento histórico em que as teorias surgiram e a formação de cada pensador. Vamos analisar como teorias tão antigas ainda são válidas para nossa realidade e de que forma são aplicadas. Para estas e as próximas aulas referenciamos e reverenciamos os autores Eunice Lacava KWASNICKA , Antonio César Amaru MAXIMIANO , James A. F. STONER e R. Edward FREEMAN entre outros que vocês encontrarão nas referências bibliográficas .
  2. 2. 5. Evolução Histórica da Administração – Parte II 5.1 – Taylor – Abordagem Clássica No início do sec. XX surge Frederick W. Taylor, filho de advogado estudou Direito em Harvard. Seu espírito empreendedor fez com que fosse trabalhar como aprendiz em uma fábrica. E, assim como o presidente Lula, inicia sua carreira de torneiro mecânico . Mas, felizmente para a Administração , ao invés de ingressar na política decide estudar engenharia. Formou-se e fez carreira, tornando-se engenheiro-chefe. Durante sua trajetória, observou as relações de trabalho e estudou formas de ADMINISTRAR MELHOR PARA AUMENTAR A EFICIÊNCIA DA PRODUÇÃO. Seus estudos visavam a racionalização do trabalho e assim ele concluiu a necessidade de um sistema organizacional com aplicação de métodos científicos à Administração , desenvolvendo assim a chamada “Gerência Científica ”. GERÊNCIA CIENTÍFICA: Ao trabalhador cabe apenas executar o que a gerência definir. Clique na foto em modo de apresentação e conheça mais sobre a vida de Taylor.
  3. 3. Entendendo o gerenciamento como uma função administrativa, cabe ao Administrador planejar de forma antecipada que atividades e em quais equipamentos deverão ser executadas as tarefas . Ao administrador cabe também determinar os tempos e métodos para cada tarefa visando um resultado com a máxima produtividade e custos mínimos = EFICIÊNCIA . Taylor, para conseguir o engajamento dos funcionários, utilizou-se de planos de incentivo salarial . Ele acreditava que somente o salário era motivador , este conceito ficou conhecido como “ homo econômicus ” ou “Homem Econômico”, aquele que só produz em troca de uma recompensa materiais e salariais. O salário tinha como base o tempo-padrão de execução das tarefas . Um trabalho simples e repetitivo, enfatizado pelo desenho dos cargos e salários, pela padronização e determinação de uma rotina nas tarefas e condições de trabalho. PAUSA PARA PENSAR! Você acha que Taylor estava certo? A questão econômica é a única ou a principal forma de motivar alguém? Um plano de incentivo salarial é suficiente para se obter o máximo de eficiência? Opine e justifique. Clique na imagem e veja um interessante filme sobre Taylor e a Administração Científica.
  4. 4. Esta iniciativa de Taylor de substituir métodos empíricos e rudimentares por métodos científicos ficou conhecida como Organização Racional do Trabalho – ORT , que tem os seguintes fundamentos: <ul><li>Análise do trabalho e do estudo dos tempos e movimentos; </li></ul><ul><li>Estudo da fadiga humana; (iniciada com Lilian Gilbreth, vamos ver mais adiante) </li></ul><ul><li>Divisão do trabalho e especialização do operário; </li></ul><ul><li>Desenho de cargos e tarefas; </li></ul><ul><li>Incentivos salariais e prêmios de produção; </li></ul><ul><li>Conceito de homo econômicus; </li></ul><ul><li>Condições ambientais de trabalho, como iluminação, conforto, etc.; </li></ul><ul><li>Padronização de métodos e máquinas; </li></ul><ul><li>Supervisão funcional – “a característica mais importante da administração funcional consiste no fato de que cada operário, em lugar de pôr-se em contato direto com a administração em um único ponto, isto é, por intermédio de seu chefe de turma, recebe orientação e ordens diárias de oito encarregados diferentes, cada um dos quais desempenhando sua própria função particular.” </li></ul>Lembre-se que Taylor definiu estes princípios há mais de 100 anos! Não parece familiar se olharmos para as empresas que conhecemos?
  5. 5. MODELO DE SUPERVISÃO FUNCIONAL Fonte: Adaptado de Vieira (2008)
  6. 6. Fonte: Adaptado de Motta, 2002 Resumo do Pensamento de Taylor, a partir do conceito do “homo econômicus ” Estudo dos tempos e movimentos Determinação da única maneira certa Incentivos monetários Seleção científica do trabalhador Criação dos padrões de produção Estudo da fadiga Forte supervisão Aumento da produtividade Maiores lucros e maiores salários
  7. 7. Mas é claro que para que as idéias dessem certo era necessário comprometer a alta administração . Taylor então passou a se preocupar com princípios que fossem capazes de orientar o comportamento de chefes e gerentes. Conheça-os: <ul><li>Seleção científica do trabalhador : trabalhador com habilidades compatíveis com a tarefa que irá executar; </li></ul><ul><li>Tempo padrão : cada trabalhador deve produzir o mínimo padrão determinado pela gerência; </li></ul><ul><li>Plano de Incentivo Salarial : remuneração proporcional à produção individual; </li></ul><ul><li>Trabalho em conjunto : conciliação dos interesses organizacionais e individuais; </li></ul><ul><li>Gerentes PLANEJAM, operários EXECUTAM </li></ul><ul><li>Divisão do trabalho : maior divisão possível. Quanto mais simples, maior habilidade para executá-lo; </li></ul><ul><li>Supervisão : deve ser funcional, especializada por áreas; </li></ul><ul><li>Ênfase na eficiência : fazer da melhor forma. Existe uma única forma correta de executar a tarefa ( one best way ). Para descobri-la, utiliza-se o estudo de tempos e movimentos . </li></ul>
  8. 8. Maximiano (2000) nos explica que a Administração passou por três grandes fases: <ul><li>Primeira Fase </li></ul><ul><li>Ataque aos problemas dos salários; </li></ul><ul><li>Estudo sistemático do tempo; </li></ul><ul><li>Definição de tempos-padrão; </li></ul><ul><li>Sistema de administração de tarefas </li></ul><ul><li>Segunda Fase </li></ul><ul><li>Ampliação de escopo, da tarefa para a administração; </li></ul><ul><li>Definição de princípios de administração do trabalho </li></ul><ul><li>Terceira Fase </li></ul><ul><li>Consolidação dos princípios; </li></ul><ul><li>Proposição de divisão de autoridade e responsabilidade dentro da empresa </li></ul>
  9. 9. Apesar de hoje sabermos que os princípios de Taylor foram responsáveis por trazer alguma ordem à administração, suas teorias sofreram resistências e críticas que são válidas até hoje, pois a Administração é uma ciência viva e em constante mutação. Vamos analisar as críticas feitas às teorias de Taylor por outros pensadores da época ( CHIAVENATO , 2000) : Visão mecanicista: Tem uma abordagem mecânica, lógica e determinística da organização. Afirmando que todo trabalho pode ser reduzido a um conjunto simples, repetitivo e mecânico de atividades que até mesmo o trabalhador mais estúpido, conforme a visão de Taylor , seria capaz de executar. Além disto, a proposta de determinar a única maneira certa de realizar um trabalho foi criticada, pois causa a desumanização do homem, não aumentando a produtividade em longo prazo. Abordagem de sistema fechado: Trata a organização como sendo composta por algumas poucas variáveis perfeitamente conhecidas e previsíveis, as quais podem ser manipuladas através de princípios e normas. Abordagem simplificada da organização formal , pois somente se preocupou com a organização formal, dando ênfase na estrutura e concebe a organização apenas em termos lógicos e formais sem considerar seu aspecto psicológico e social. Atividade: Avalie as críticas feitas às idéias de Taylor e dê seu parecer. Apresente argumentos defendendo Taylor. Dos princípios da Administração Científica o que funciona e o que não funciona nas empresas atuais?
  10. 10. Taylor deu início ao estudo dos tempos e movimentos que posteriormente seria aprimorado pelo casal Frank e Lilian Gilbreth que já vinham traçando suas próprias teorias Frank Gilbreth começou a fazer observações sobre movimentos por volta de 1895, quando trabalhava como superintendente em uma empresa de construção. Inventou dispositivos como andaimes móveis, misturadores de concreto, correias transportadoras, barras de reforço, tudo com o objetivo de evitar o desperdício de movimento. Em 1904 casou com Lillian Molle . Superando os preconceitos contra as mulheres, sua mulher Lilian obteve os títulos de Bacharel e Mestre. Dedicou-se à psicologia, ajudando seu marido nos estudos sobre fadiga . Em 1912, o casal Gilbreth enfatiza o estudo dos movimentos , em detrimento do estudo de tempos, que era a ênfase de Taylor. Desenvolveram técnicas para evitar o desperdício de tempo e movimento. Criou-se padrões, racionalizando as tarefas de produção e aumentando a produtividade.
  11. 11. Preocupados também em minimizar a fadiga, propuseram o redesenho do ambiente de trabalho , a redução das horas diárias de trabalho e a implantação ou aumento de dias de descanso remunerado . O objetivo do estudo dos movimentos é a determinação do melhor método para execução de um trabalho, mediante a análise dos movimentos feitos pelo operador durante a operação. Procura-se eliminar todos os movimentos que não concorrem realmente para o desenvolvimento e progresso do trabalho. Em 1909 publicou o livro “ Sistema de Construção ” onde inclui as primeiras observações sobre o estudo dos movimentos . Para Gilbreth o estudo “ cortará custos e aumentará a eficiência e o salário dos trabalhadores. Para ter sucesso, três aspectos deveriam ser observados: a) O trabalhador precisa conhecer seu ofício ; b) Deve ser rápido e c) Deve fazer o mínimo de movimentos para alcançar o resultado desejado. (Maximiano, 2000)
  12. 12. <ul><li>O estudo dos movimentos humanos tem três finalidades : </li></ul><ul><li>Evitar movimentos inúteis na execução de uma tarefa; </li></ul><ul><li>Execução econômica dos movimentos úteis do ponto de vista fisiológico; </li></ul><ul><li>Seriação apropriada aos movimentos (princípio da economia de movimentos). </li></ul>Para minimizar a fadiga , Gilbreth propôs princípios de economia de movimentos , classificados em três grupos: <ul><li>Relativos ao uso do corpo humano; </li></ul><ul><li>Relativos ao arranjo material do local de trabalho; </li></ul><ul><li>Relativo ao desempenho das ferramentas e do equipamento. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>PRÓXIMA AULA: </li></ul><ul><li>Os movimentos elementares (therbligs) de Gilbreth </li></ul><ul><li>Henry Gantt e seu controle gráfico de produção. </li></ul><ul><li>Henry Ford e a linha de montagem e a produção em massa </li></ul>Lembre-se: todas as atividades propostas devem ser apresentadas ao professor, através do portal UNISEP, até o dia anterior da próxima aula.
  14. 14. CHIAVENATO , Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração . 6ª Ed. São Paulo: Campus, 2000. MAXIMIANO , A. C. A. Teoria Geral da Administração . 2ª Ed. São Paulo: Atlas, 2000. MOTTA , Fernando C.P. Teoria Geral da Administração . São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2002. VIEIRA, Welington P. Dr. Estudo da Administração com Ênfase nas Tarefas [ on line, http://professor.ucg.br/siteDocente/admin/arquivosUpload/3374/material, disponíbilzado em 22 de fevereiro de 2008, capturado em 06 de janeiro de 2009 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

×