Novos olhares e a mudança      de paradigmas.  Conversando com      colegas!Kelley Cristine Gasque                        ...
Agenda•   1ª PARTE•   Educação•   O caso da Finlândia•   Letramento Informacional•   Pesquisa X Letramento•   Desafios par...
Page 3
Cidadania para …?                    Page 4
Cidadania para todos!    Como?               Page 5
Códigos da Modernidade1.   Domínio da leitura e da escrita.2. Capacidade de fazer cálculos e de resolver problemas.3. Capa...
Educação no Brasil                                           Baixo                                     desempenho nas     ...
O caso da Finlândia   • 5,3 milhões de habitantes   • Há 100 anos era um país periférico, agrário e     subdesenvolvido. H...
Fatores que contribuem para a qualidade da           educação finlandesa • Foco no aprendizado e bem-estar individuais, • ...
O que e como se ensina nas escolas               finlandesas• Os princípios pedagógicos baseam-se nas teorias  de Célestin...
• O ensino durante os últimos três anos do  fundamental é efetuado por professores de  matérias• Disciplinas: língua e lit...
• O alto nível educacional dos professores  permite-lhes planejar e selecionar as  metodologias de trabalho de forma  inde...
Page 13
Aprender              a aprender              LETRAMENTO    Planejar e  Saberpesquisar   INFORMACIONAL    resolver        ...
“O significado do saber mudou.  Atualmente, mais do que lembrar e  repetir informação, as pessoas  devem ser capazes de en...
•  "O excesso de informação  provoca amnésia"• “A internet é perigosa para o  ignorante e útil para o sábio  porque ela nã...
Conceitos básicos• Ações de localizar, selecionar, acessar,  organizar, usar informação e gerar  conhecimento, visando à t...
Concepções• Concepções de Information literacy:• ênfase na tecnologia da informação  (concepção da informação),• ênfase no...
Literacia, Letramento oualfabetização Informacional?• Tradução do conceito em língua portuguesa:  ‘literacia’ (usado em al...
LETRAMENTO• Uso relativamente recente no campo da  pedagogia e da educação.• Emergiu no início da década de 80, com  os es...
• ‘Letramento’: refere-se ao estado ou à  condição de quem não apenas sabe ler e  escrever, mas cultiva e exerce as prátic...
Alfabetização X letramento• Alfabetização: processo de aquisição  de um código e das habilidades de  utilizá-lo para ler e...
No universo informacional• Information Literacy transcende a  simples soma dos conceitos  informação e letramento, sendo u...
Analogia entre letramento e  alfabetização no contexto da informação• Alfabetização informacional: envolve o  conhecimento...
• letramento informacional:  capacidade de buscar e usar a  informação eficazmente.• Ex: identificando palavras sinônimas ...
• A essência do letramento  informacional consiste, grosso  modo, no engajamento do sujeito  nesse processo de aprendizage...
competência• O termo polissêmico: soma de  conhecimentos ou de habilidades,  autoridade de um indivíduo em  determinado ra...
• “competências são as modalidades  estruturais da inteligência, ou melhor,  ações e operações que utilizamos  para estabe...
• Competência designa a capacidade  de mobilizar diversos recursos  cognitivos para enfrentar  situações.(Perrenoud)• O tr...
• No processo de aprendizagem,  muitas vezes, o desenvolvimento  de competências pode extrapolar o  que foi planejado dida...
• ‘Competência’ é freqüentemente  empregado como sinônimo de  letramento informacional.• Propõe-se que competência seja  u...
ARCABOUÇO CONCEITUAL             DE L.I                           habilidades           Alfabetização                     ...
• O letramento informacional é um  processo de aprendizagem,  compreendido como ação contínua e  prolongada, que ocorre ao...
• PADRÃO 1:• DETERMINAR A NATUREZA E EXTENSÃO DA  NECESSIDADE DE INFORMAÇÃO• INDICADORES DE PERFORMANCE Define e articula...
• PADRÃO 2:• ACESSAR AS INFORMAÇÕES EFETIVA E  EFICIENTEMENTE.• INDICADORES DE PERFORMANCE Seleciona os métodos mais apro...
• PADRÃO 3:• AVALIAR CRITICAMENTE A INFORMAÇÃO E SUAS   FONTES E INCORPORAR A INFORMAÇÃO   SELECIONADA EM SUA BASE DE CONH...
• PADRÃO 4:• USAR, INDIVIDUALMENTE OU EM  GRUPO, A INFORMAÇÃO  EFETIVAMENTE PARA ACOMPANHAR  OBJETIVOS ESPECÍFICOS.• INDIC...
• PADRÃO 5:• COMPREENDER OS ASPECTOS ECONÔMICO,   LEGAL E SOCIAL DAS QUESTÕES RELACIONADAS   AO ACESSO E USO DA INFORMAÇÃO...
Letramento informacional                           Page 39
Trocando em miúdos…• Aprender a pesquisar• Aprender conteúdos de pesquisa: buscar informação,avaliar a informação,organiza...
Como ensinar esses conteúdos?• Contextualização• Projetos de pesquisa/resolução de problemas• Pesquisa: tema + conteúdos  ...
Desafios• (1) mudar a cultura pedagógica:• (2) Formação professores:  Professor-pesquisador – coerência  entre a formação ...
• (4) a organização do currículo:  Currículo flexível: a problematização, a  interação,    os trabalhos por projetos e o p...
Reflexão final• O que é possível fazer?• Como será a monitoração do processo?                            Page 44
Possibilidades• Oficinas formação para  professores.• Projeto por área e por semestre.                                    ...
Para saber mais:• GASQUE, Kelley Cristine G. D. Arcabouço   Conceitual do Letramento Informacional. Ciência   da Informaçã...
Temas relacionados• GASQUE, Kelley Cristine G. D. O papel da experiência na  aprendizagem: perspectivas na busca e no uso ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação maristinha 2012

1.088 visualizações

Publicada em

Material utilizado para palestra com assessores no Colégio Marista de Brasilia - maristinha - em janeiro de 2012 com a professora Kelley Cristine Gasque

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.088
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação maristinha 2012

  1. 1. Novos olhares e a mudança de paradigmas. Conversando com colegas!Kelley Cristine Gasque Page 1
  2. 2. Agenda• 1ª PARTE• Educação• O caso da Finlândia• Letramento Informacional• Pesquisa X Letramento• Desafios para implementar o letramento informacional• INTERVALO• 2ª PARTE• Possibilidades de trabalho do CRA• 3ª PARTE• Reflexão final• O que é possível fazer?• Monitoração do processo Page 2
  3. 3. Page 3
  4. 4. Cidadania para …? Page 4
  5. 5. Cidadania para todos! Como? Page 5
  6. 6. Códigos da Modernidade1. Domínio da leitura e da escrita.2. Capacidade de fazer cálculos e de resolver problemas.3. Capacidade de analisar, sintetizar e interpretar dados, fatos e situações.4. Capacidade de compreender e atuar em seu entorno social.5. Receber criticamente os meios de comunicação.6. Capacidade para localizar, acessar e usar melhor a informação acumulada.7. Capacidade de planejar, trabalhar e decidir em grupo.RESGATES DOS VALORES E CAPACIDADES SOCIAIS Page 6
  7. 7. Educação no Brasil Baixo desempenho nas Funcionamento do avaliações: saeb, sistema: baixa ENEM, PISA qualidade, repetência, ineficiência e iniqüidade Problemas organizacionais: a burocracia, questões administrativas e estruturais. Qualidade de ensino: Dificuldades de calcular, de resolver problemas, problemas na compreensao e prdução textual … Page 7
  8. 8. O caso da Finlândia • 5,3 milhões de habitantes • Há 100 anos era um país periférico, agrário e subdesenvolvido. Hoje é uma das sociedades de conhecimento mais avançadas do mundo. • O ensino na Finlândia. Inclui material escolar para o ensino fundamental, refeição quente diária, assistência à saúde e serviços odontológicos e transporte gratuito. Page 8http://www.finlandia.org.br/public/default.aspx?contentid=168419&contentlan=17&culture=pt-BR
  9. 9. Fatores que contribuem para a qualidade da educação finlandesa • Foco no aprendizado e bem-estar individuais, • currículo base nacional com aplicação de acordo com a realidade local, • ampla rede de bibliotecas públicas • cultura que ressalta a atitude positiva em relação à escola e educação, • cooperação interdisciplinar, • alto nível educacional dos corpo docente (no mínimo mestrado), • a valorização dos profissionais com reconhecimento público, • remuneração competitiva. Page 9
  10. 10. O que e como se ensina nas escolas finlandesas• Os princípios pedagógicos baseam-se nas teorias de Célestin Freinet: aprender fazendo!• As crianças vão à escola em grupos de no máximo 24 alunos por faixa etária.• Nos seis primeiros anos da escola, as crianças são ensinadas por um professor da classe, que ministra praticamente todas as matérias. Page 10
  11. 11. • O ensino durante os últimos três anos do fundamental é efetuado por professores de matérias• Disciplinas: língua e literatura finlandesas, estudo ambiental, educação cívica, religião ou ética, história, estudos sociais, matemática, física, química, biologia, geografia, educação física, música, artes, trabalhos manuais e economia doméstica específicas.• As metas de ensino e o currículo básico são os mesmos no país inteiro, mas as autoridades e escolas locais elaboram o seu próprio currículo local com base nestas matérias. Page 11
  12. 12. • O alto nível educacional dos professores permite-lhes planejar e selecionar as metodologias de trabalho de forma independente. O sistema escolar finlandês baseia-se numa cultura de confiança, não de controle, e os professores desempenham papel ativo no desenvolvimento das suas atividades laborais. Com o seu próprio trabalho, estabelecem um exemplo de aprendizagem permanente. Page 12
  13. 13. Page 13
  14. 14. Aprender a aprender LETRAMENTO Planejar e Saberpesquisar INFORMACIONAL resolver problemas Desenvolver pensamento reflexivo Page 14
  15. 15. “O significado do saber mudou. Atualmente, mais do que lembrar e repetir informação, as pessoas devem ser capazes de encontrá- las e usá-las” (Herbert Simon)“Tentamos fazer com que ele busque as informações sozinho, em vez de aprender nos livros didáticos. Realmente, aprendemos buscando informações.”(Kirsti Santaholma, Escola Geral Itäskeskus, Helsinque)/(Artigo: BORDEWICH, Fergus M. Nota 10. Seleções Reader’s Digest, março 2006) Page 15
  16. 16. • "O excesso de informação provoca amnésia"• “A internet é perigosa para o ignorante e útil para o sábio porque ela não filtra o conhecimento e congestiona a memória do usuário”.• “Seria preciso criar uma teoria da filtragem. Uma disciplina prática, baseada na experimentação cotidiana com a internet. Fica aí uma sugestão para as universidades: elaborar uma teoria e uma ferramenta de filtragem que funcionem para o bem do conhecimento. Conhecer é filtrar”. Umberto Eco Page 16
  17. 17. Conceitos básicos• Ações de localizar, selecionar, acessar, organizar, usar informação e gerar conhecimento, visando à tomada de decisão e à resolução de problemas.• Information Literacy: surge nos EUA na década de 70.• Termos/expressões utilizados: ALFIN, ‘Literacia da Informação’, ‘Information Literacy’, ‘letramento informacional’, ‘alfabetização informacional’, ‘habilidade informacional’ e ‘competência informacional’ Page 17
  18. 18. Concepções• Concepções de Information literacy:• ênfase na tecnologia da informação (concepção da informação),• ênfase nos processos cognitivos (concepção cognitiva) e• ênfase no aprendizado (concepção da inteligência) Page 18
  19. 19. Literacia, Letramento oualfabetização Informacional?• Tradução do conceito em língua portuguesa: ‘literacia’ (usado em alguns trabalhos lusitanos).• Literacia não consta nos principais dicionários de língua portuguesa do Brasil.• O termo ‘Information Literacy’ foi utilizado no original.• Conceito, no Brasil, mais próximo da derivação do inglês literacy : letramento‘.• No Brasil, autores como Gasque (2006, 2008), Neves (2008) e, em seu livro mais recente, Campello (2009), optaram por esse termo. Page 19
  20. 20. LETRAMENTO• Uso relativamente recente no campo da pedagogia e da educação.• Emergiu no início da década de 80, com os estudos acerca da psicogênese da língua escrita.• Autores: Kleiman (1995), Soares (1995, 1998) e Tfouni (1995). Page 20
  21. 21. • ‘Letramento’: refere-se ao estado ou à condição de quem não apenas sabe ler e escrever, mas cultiva e exerce as práticas sociais que usam a escrita (SOARES, 1998).• Uso competente e efetivo da escrita para compreender, produzir textos e viver na sociedade letrada.• Funcionalidade.• Aproximação semântica entre ‘letramento’ e ‘alfabetização’: concepção equivocada de que os dois fenômenos se confundem, e até se fundem” (SOARES, 2004). Page 21
  22. 22. Alfabetização X letramento• Alfabetização: processo de aquisição de um código e das habilidades de utilizá-lo para ler e escrever, ou seja: o domínio da tecnologia – do conjunto de técnicas – para exercer a arte e ciência da escrita.• Letramento: exercício efetivo e competente da tecnologia da escrita denomina Page 22
  23. 23. No universo informacional• Information Literacy transcende a simples soma dos conceitos informação e letramento, sendo um conceito essencialmente complexo e abrangente. O letramento informacional tem como finalidade a adaptação e a socialização dos indivíduos na sociedade da aprendizagem. Page 23
  24. 24. Analogia entre letramento e alfabetização no contexto da informação• Alfabetização informacional: envolve o conhecimento básico dos suportes de informação — noção da organização de dicionários e enciclopédias —, compreensão de conceitos relacionados às práticas de busca e uso de informação, tais como números de chamada, classificação, índice, sumário, autoria, banco de dados, bem como o domínio das funções básicas do computador — uso do teclado, habilidade motora para usar o mouse, dentre outros. Page 24
  25. 25. • letramento informacional: capacidade de buscar e usar a informação eficazmente.• Ex: identificando palavras sinônimas em um dicionário, produzindo um artigo para submissão em congresso, comprando algo a partir da interpretação e sistematização de ideias ou ainda obtendo informações atualizadas e apropriadas sobre determinada doença. Page 25
  26. 26. • A essência do letramento informacional consiste, grosso modo, no engajamento do sujeito nesse processo de aprendizagem a fim de desenvolver competências e habilidades necessárias para buscar e usar a informação de modo eficiente e eficaz. Page 26
  27. 27. competência• O termo polissêmico: soma de conhecimentos ou de habilidades, autoridade de um indivíduo em determinado ramo do saber ou do fazer.• Capacidade dos indivíduos de resolver problemas e realizar tarefas específicas e circunscritas. Page 27
  28. 28. • “competências são as modalidades estruturais da inteligência, ou melhor, ações e operações que utilizamos para estabelecer relações com e entre objetos, situações, fenômenos e pessoas que desejamos conhecer” (MEC)• As habilidades decorrem das competências adquiridas e referem- se ao plano imediato do “saber fazer”. Page 28
  29. 29. • Competência designa a capacidade de mobilizar diversos recursos cognitivos para enfrentar situações.(Perrenoud)• O trabalho por competências pode chegar ao condutivismo/behaviorismo, se as competências forem reduzidas aos desempenhos observáveis e à natureza do conhecimento ao desempenho que ele pode desencadear (RAMOS, 2002) Page 29
  30. 30. • No processo de aprendizagem, muitas vezes, o desenvolvimento de competências pode extrapolar o que foi planejado didaticamente e mobilizar competências, habilidades e atitudes que não foram mapeadas anteriormente ao processo. Page 30
  31. 31. • ‘Competência’ é freqüentemente empregado como sinônimo de letramento informacional.• Propõe-se que competência seja utilizada como expressão do ‘saber- fazer’, derivada das relações entre o conhecimento que o sujeito detém, a experiência adquirida pela prática e a reflexão sobre a ação (GASQUE, 2003). Por sua vez, habilidade é a realização de cada ação específica e necessária para se alcançar Page 31
  32. 32. ARCABOUÇO CONCEITUAL DE L.I habilidades Alfabetização Letramento informacional (Longlife)Infancia Educação básica Universidade Vida profissional e pessoal Page 32
  33. 33. • O letramento informacional é um processo de aprendizagem, compreendido como ação contínua e prolongada, que ocorre ao longo da vida.• O processo de aprendizagem pode ocorrer de maneira informal ou formal.• No Brasil, o letramento informacional não tem sido foco da educação, em especial da educação básica. Na graduação, com a exigência dos TCC’s, os alunos têm a possibilidade de desenvolver atitudes cientificas, adquirindo, assim, as competências mínimas para produzir conhecimento científico. Page 33
  34. 34. • PADRÃO 1:• DETERMINAR A NATUREZA E EXTENSÃO DA NECESSIDADE DE INFORMAÇÃO• INDICADORES DE PERFORMANCE Define e articula as necessidades de informação Identifica tipos e formatos de fontes potenciais de informação. Considera os custos e os benefícios de adquirir a informação necessária. Reavalia a natureza e a extensão da necessidade de informação. Page 34
  35. 35. • PADRÃO 2:• ACESSAR AS INFORMAÇÕES EFETIVA E EFICIENTEMENTE.• INDICADORES DE PERFORMANCE Seleciona os métodos mais apropriados de investigação e os sistemas de recuperação de informação para acessar a informação necessária. Constrói e implementa projetos de estratégias de busca de informação. Recupera informações on-line ou pessoalmente usando vários métodos. Refina a estratégia de busca quando necessário. Extrai, registra e gerencia as fontes de informação Page 35
  36. 36. • PADRÃO 3:• AVALIAR CRITICAMENTE A INFORMAÇÃO E SUAS FONTES E INCORPORAR A INFORMAÇÃO SELECIONADA EM SUA BASE DE CONHECIMENTO E SISTEMA DE VALORES.• INDICADORES DE PERFORMANCE Resume as principais idéias a serem extraídas da informação encontrada. Articula e aplica os critérios iniciais para avaliar a informação e as fontes de informação. Sintetiza as idéias principais para construir novos conceitos. Compara o novo conhecimento com o conhecimento inicial para determinar o valor agregado, contradições ou outras características únicas da informação. Determina se o novo conhecimento tem impacto em seu sistema de valores e tenta reconciliar as diferenças. Valida a sua compreensão e interpretação da informação por meio de conversas com outros indivíduos e peritos da área. Determina se a questão inicial deve ser revisada. Page 36
  37. 37. • PADRÃO 4:• USAR, INDIVIDUALMENTE OU EM GRUPO, A INFORMAÇÃO EFETIVAMENTE PARA ACOMPANHAR OBJETIVOS ESPECÍFICOS.• INDICADORES DE PERFORMANCE Aplica o novo conhecimento para planejamento e criação de produtos ou resultados. Revisa o processo de desenvolvimento do produto ou resultados. Comunica o produto ou realizações Page 37 efetivas para outros.
  38. 38. • PADRÃO 5:• COMPREENDER OS ASPECTOS ECONÔMICO, LEGAL E SOCIAL DAS QUESTÕES RELACIONADAS AO ACESSO E USO DA INFORMAÇÃO E USAR A INFORMAÇÃO DE FORMA ÉTICA E LEGAL.• INDICADORES DE PERFORMANCE Compreende muito dos aspectos ético, legal e socioeconômico das questões relacionadas à informação e à tecnologia da informação. Segue as leis, regulações, políticas institucionais e normas relacionadas ao acesso e uso dos recursos informacionais. Reconhece o uso de fontes de informação na comunicação de produtos e resultados. Page 38
  39. 39. Letramento informacional Page 39
  40. 40. Trocando em miúdos…• Aprender a pesquisar• Aprender conteúdos de pesquisa: buscar informação,avaliar a informação,organizar a informação (ler, interpretar, fazer esquemas, resumos, textos científicos)Compreender o que é plágio, valor da informação, questões éticas, produção da informação científica/tecnológica.Apresentar o conhecimento (seminários, formas de se comunicar…) Page 40
  41. 41. Como ensinar esses conteúdos?• Contextualização• Projetos de pesquisa/resolução de problemas• Pesquisa: tema + conteúdos de pesquisa. Page 41
  42. 42. Desafios• (1) mudar a cultura pedagógica:• (2) Formação professores: Professor-pesquisador – coerência entre a formação e forma como o professor deve ensinar em sala de aula. (3) Repensar a concepção de ensino/aprendizagem: aluno ativo, responsável pela própria aprendizagem.• Partir da experiência; Metacognição, Perspectiva reflexiva e crítica. Page 42
  43. 43. • (4) a organização do currículo: Currículo flexível: a problematização, a interação, os trabalhos por projetos e o processo de construção do pensamento reflexivo.• (5) Saber usar a Infraestrutura de informação: Uso quase exclusivo do livro didático Bibliotecas como Centro de Recursos de Aprendizagem (OEA) Page 43
  44. 44. Reflexão final• O que é possível fazer?• Como será a monitoração do processo? Page 44
  45. 45. Possibilidades• Oficinas formação para professores.• Projeto por área e por semestre. Page 45
  46. 46. Para saber mais:• GASQUE, Kelley Cristine G. D. Arcabouço Conceitual do Letramento Informacional. Ciência da Informação, Brasília, v.39, n.3, 2010.http://revista.ibict.br/ciinf/index.php/ciinf/article/view/1 819• GASQUE, Kelley Cristine G. D. ; TESCAROLO, Ricardo. Desafios Educacionais para implementação do letramento informacional. Educação em Revista, Belo Horizonte v.26, n.1 Apr. 2010. <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102- 46982010000100003&script=sci_arttext>. Page 46
  47. 47. Temas relacionados• GASQUE, Kelley Cristine G. D. O papel da experiência na aprendizagem: perspectivas na busca e no uso da informação. Transinformação, v. 20, p. 149-158, 2008. Disponível em: http://revistas.puc- campinas.edu.br/transinfo/viewarticle.php?id=232. Acesso em: 22 jun. 2011• GASQUE, Kelley Cristine G. D. ; TESCAROLO, Ricardo . Sociedade da aprendizagem: informação, reflexão e ética. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, p. 35-40, 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ci/v33n3/a05v33n3.pdf>. Acesso em: 01 fev.2010.• GASQUE, Kelley Cristine G. D; CUNHA, Marcus Vinícius da. A epistemologia de John Dewey e o letramento informacional. TransInformação, Campinas, v. 22, n. 2, p.139-146, maio/ago., 2010. Disponível em: http://www.brapci.ufpr.br/documento.php?dd0=0000009762&dd1=5 4a6f. Acesso em: 22 jun. 2011. Page 47

×