UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB
DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO DO CAMPUS I
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO E
CONTEM...
apresentação pele professor, pela pesquisa do próprio aluno”. Os pressupostos
do estudo dirigido estão calcados inicialmen...
ter muitas turmas para a correção (daí evitar) ou simplesmente não querer sair
do feijão com arroz pedagógico.
Muitas são ...
ensino pelos professores.
c) Conhecimento das
combinações das
dimensões das atividades
de ensino e dos critérios
de organi...
VEIGA, Ilma Passos Alencastro. (Org) Técnicas de ensinos: por que não? 12
ed. Campinas, SP: Papirus, 1996.
Apêndice
1.0 Es...
3. ORIENTAÇÕES PARA ESTUDO DIRIGIDO
1ª Parte: Tempo – 6 aulas; Trabalho individual
Para que este estudo seja eficaz, siga ...
1. Entrega dos Estudos dirigidos (parte manuscrita individual e a seqüência
didática do grupo por email);
2. Apresentaçãex...
b) Procedimentais  Leitura e interpretação da técnica: Construção de quadro
comparativo (painel) em grupo:
1. Pesquisa bi...
7. Socialização das pesquisas dos grupos – cada grupo deverá passar para
os outros grupos sua parte do quadro comparativo....
OBS: Não busquem respostas em livros. Façam as reflexões e
avaliem o trabalho realizado, certo? Quem está no grupo e soube...
etapas que são respectivamente problematização, teorização, aplicação,
fixação, transferência e generalização. Cada uma de...
revistas e folhetos, diagnóstico de situações.
5. Em que dimensões as atividades podem combinar-se ?
Apresentar o contexto...
vídeos, as características dos vírus, a estrutura, as doenças causadas por eles
e identificar os diferentes tipos de repro...
Identificar os diferentes tipos de vírus, quanto a sua classificação,
características clínicas, patogênese e epidemiologia...
4ª Fase: Quantidade de aulas: 02
Abordar as principais doenças causadas por vírus, dando ênfase as medidas
profiláticas, m...
Referências Bibliográficas
LOPES, Sônia. Biologia – Volume único. 1ª ed. Saraiva. São Paulo, 2005.
LINHARES, Sérgio.;GEWAN...
Tundra Taiga
Floresta Temp. Decídua Floresta Tropical
Savanas Pradarias
Desertos
2ª semana (2 aulas): Principais características bióticas e abióticas de:Cerrado,
Caatinga e Flo...
Manguezais.Fazer a localização geográfica dos ecossistemas ( com o uso de
mapas), apresentar as principais características...
Erosão Queimadas
Poluição Desmatamentos
Atividade: Discussão sobre as apresentações das equipes. Produção textual
(em grup...
Referências
AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R. Biologia. V.3. 2. ed.São Paulo: Moderna,
2004.
http://images.google.com.br
UNIVER...
Atividades: Exposição oral do assunto. Solicitar a construção de um glossário
com o significado dos termos apresentados na...
Atividades: Aula expositiva. Dividir a sala em duas equipes, para
apresentação de seminário, subordinadas ao tema: Florest...
Atividades: Após a apresentação dos alunos, realizar um debate entre as
equipes sobre o tema abordado pelos mesmos.
4ª sem...
UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA
CURSO SUPERIOR DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOL...
bactéria). Será feito um revezamento onde cada aluno poderá observar,
desenhar e identificar em seu caderno as diferentes ...
realizada na próxima aula. Aula expositiva das doenças que não foram
sorteadas.
4ª Semana - Quantidade de aulas: 02
Aprese...
Universidade do Estado da Bahia
Campus II de Alagoinhas
Departamento de Ciências Exatas e da Terra
Componente curricular: ...
para confecção de painel sobre a divisão do tecido conjuntivo e sua localização
corporal. O professor oferece aos alunos r...
Atividade: A princípio, a aula terá inicio com aula expositiva dialógica aliada a
utilização de recursos multimídia pra de...
UNEB - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA
DCET-CAMPUS II, ALAGOINHAS
PRÁTICA PEDAGÓGICA E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I
DOCENTE - ...
2ª Fase: Quantidade de aulas: 02
Verificar os níveis de organização e os diferentes enfoques em biologia: A vida
sob diver...
Analisar a importância das proteínas, suas unidades de construção
(aminoácidos) e os ácidos nucléicos e sua importância na...
Objetivo: O aluno deverá compreender a evolução que ocorreu ao longo do
tempo nos seres humanos, tal como as carcteristica...
Atividade: Aula expositiva sobre o assunto, com o auxílio de imagens que
auxiliaram para contextualização.
3ª Semana (2 au...
Inseto preservado em âmbar Fóssil de trilobita.
Atividade: Explanar o tema em sala de aula. Demostração de um pequeno
film...
UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA – DCET
Curso de Licenciatura em Ciências...
3ª Semana (2 aulas)
Conteúdo: A biosfera- plânctons, néctons e bentos, regiões fitogeográficas do
Brasil, Sistema de relaç...
REFERÊNCIAS
SILVA JÚNIOR, César da & SASSON, Sezar. Biologia. 1 ed. Saraiva: São
Paulo,1995.
SOARES, José Luís. Biologia: ...
como, suas cadeias tróficas e relações ecológicas principais , através da
análise de textos, seguida de discussões e aulas...
Atividade: construir uma cadeia trófica a partir de gravuras escolhidas durante
a consulta bibliográfica realizada na aula...
Atividade: palestra com um ecólogo sobre o tema supracitado. Em seguida,
discussão com questionamentos ao palestrante.
CRI...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estudo dirigido

1.055 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.055
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo dirigido

  1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO DO CAMPUS I PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE Disciplina: TEE057 - Docência Universitária na Contemporaneidade: Pressupostos epistemológicos, políticos e metodológicos Professora: Sandra Regina Aluna: Cláudia Regina Teixeira de Souza Atividade: Planificação e desenvolvimento de estratégias de ensino aprendizagem Estratégia escolhida: Estudo Dirigido Texto Planejamento Segundo Carvalho e Nérici apud Veiga (1996), ao focar o aluno no processo de aprendizagem (no final da 1ª Guerra Mundial) e por causa do estudo dos alunos no lar, foi gerado um momento que propiciou a criação de cursos especializados em técnicas de ensino para atender a situação. Então surge o estudo dirigido no horário escolar (e depois fora dele). O estudo dirigido é uma técnica ou estratégia de ensino em que o professor parte de um planejamento depois de observação (de preferência) dos objetivos e ensejos de sua (s) turma (s). Por que em função da turma? Porque o professor, ao elaborar o estudo dirigido, tem que estar atento para prender a atenção do alunado. Este vai trabalhar através de instruções em cima de texto previamente escolhido. Segundo Veiga (1996) “...quando se faz indagações a respeito do emprego ou não de uma determinada técnica de ensino, é conveniente considerar a situação dos alunos (...) bem como as condições da escola...”. Na leitura a interpretação de textos didáticos é cada vez mais difícil uma postura crítica, criativa e autônoma. É importante que nós, professores, façamos com que os alunos não relutem em ter esses textos como fonte de informação. Outro fator importante de ser citado é que, ao resolver um estudo dirigido, o aluno rompe com a dependência que ele tem do professor, e amadurece. Nota-se que ao longo dos tempos, e ainda hoje, costuma-se utilizar os exercícios de final de capítulo de livro didático ou outros exercícios, e nomeá-los equivocadamente de estudo dirigido. Esses exercícios só favorecem a memorização (que aliás é necessária para que possa haver extrapolação), mas não é suficiente. Convém ressaltar que alguns professores utilizam essa técnica de forma simplória e empobrecida, até mesmo desvinculada dos pressupostos que a embasam. Segundo Colletto (1982) apud Veiga estudo dirigido é a “substituição da
  2. 2. apresentação pele professor, pela pesquisa do próprio aluno”. Os pressupostos do estudo dirigido estão calcados inicialmente na proposta escolanovista. No Brasil o estudo dirigido foi disseminado pelos cursos de formação de professores, serviços de orientação educacional; e sofrendo influência tecnicista, verte a aspectos de ensino que se preocupam com as modificações comportamentais e com aquisição de habilidades de estudar. A partir de 1974, com a pedagogia crítica, o estudo dirigido assume seu papel nesta perspectiva: diretividade por parte do professor, fundamentando-se na atividade do aluno em situação socioindividualizada. Quanto à qualidade do estudo dirigido, depende de sua preparação e de como o professor percebe/ vivencia o planejamento do mesmo. Os objetivos dessa técnica são inúmeros. Resumindo, devem provocar nos alunos a reflexão, a criticidade e a criatividade através da leitura/ interpretação/ extrapolação de textos e seus respectivos contextos. Quanto ao planejamento desse instrumento/ estratégia de ensino, deve-se levar em consideração três etapas, segundo Bordenave e Pereira ( ): síncrese (visão global), análise e síntese. Quanto à estrutura, deve-se evidenciar os objetivos do mesmo, introduzir o assunto (conversar com o aluno sempre) e dar instruções (que devem ser claras). De preferência, devem ser evidenciadas questões individuais e em grupo, sempre começando com o conteúdo conceitual e factual, partindo após para os conteúdos procedimentais e atitudinais (extrapolação). Deve-se evidenciar o tempo de cada atividade. As vantagens de se trabalhar essa técnica são inúmeras: não coloca o professor num patamar mais elevado, ao contrário, faz do professor e do aluno, parceiros interativos na construção desse saber (pois se o professor, ao preparar o material, e se faz claro, o aluno, ao responder, demonstra que houve entendimento, e com isso possível produção de saberes). Para o professor se fazer claro, deve levar em consideração alguns princípios como: a complexidade (dificuldade do assunto, conhecimento prévio do aluno e forma de organização do texto), a adequação à clientela e atualização. Outras vantagens do estudo dirigido são: ajudar a vencer os conteúdos em uma unidade didática, motivar o aluno balizando capacidade analítica, a integração de idéias, a formação de alunos auto-didatas e também promove a socialização, quando solicitadas atividades em grupo. Em relação às desvantagens, considera-se que se tomadas todas as precauções ao se planejar a técnica, nos escapa (como em outros instrumentos/ estratégias de avaliação escrita) a garantia de que foi o aluno que fez, deu sua contribuição, ou se somente delegou a outros suas tarefas. Pode-se achar que tudo se resolve na hora da socialização, mas existe alunos com poder enorme de argumentação que, com a audição de poucos minutos de discussão, argumenta como se tudo soubesse. Outra desvantagem para nós, professores, é que fora a socialização de partes do estudo dirigido, há as correções escritas, que são cansativas e tomam muito tempo [grifo meu]. O que vem a limitar a um professor utilizar o estudo dirigido? Acredito que não saber planejar a técnica, não ter visão crítica (por não saber extrapolar o texto),
  3. 3. ter muitas turmas para a correção (daí evitar) ou simplesmente não querer sair do feijão com arroz pedagógico. Muitas são as possibilidades de aplicação da técnica. Esta pode ser realizada em situações socioindividualizadas, substituindo a exposição do professor, reforçando a fixação e integração dos conteúdos de aprendizagem. As atividades podem ser realizadas dentro e fora de sala de aula, em grupo ou individual. O professor deve assumir o papel de parceiro para que o aluno assuma seu papel de sujeito ativo/ interativo, parceiro do professor, de seus colegas, um leitor responsável/ crítico/ autônomo e com seus conhecimentos prévios prontos para serem confrontados com o novo (ou não). Sem querer esgotar a discussão aqui apresentada, vejo o estudo dirigido como um material/ instrumento/ técnica/ estratégia pedagógica capaz de gerir a autonomia, a criatividade e a criticidade, através da leitura e formação de leitores. O professor, enquanto parceiro tem que gerenciar, planejar, discutir e balizar o conhecimento; e o aluno, enquanto „autodidata‟, será o agente que constrói o seu aprendizado, fazendo a conexão entre o texto e o contexto do texto e a veiculação destes, com o seu contexto „vivencial‟ (Freire, 1988 apud Veiga). Plano de Aula Atividade: Estudo Dirigido Texto: Como organizar e escolher as atividades de ensino. Objetivos: 1- Conhecer os fatores que afetam a escolha das atividades de ensino; 2- Discutir criticamente no grupo sobre as estratégias de ensino, bem como a tipologia das atividades segundo a capacidade a ser desenvolvida; 3- Aplicar essas atividades de ensino em sala de aula (estágio e/ou docência); 4- Conhecer e analisar os fatores que afetam a escolha das atividades de ensino; 5- Conhecer e utilizar as combinações das dimensões das atividades de ensino; 6- Escolher os critérios de organização na organização destas atividades; Grade de Conteúdos Conceituais Procedimentais Atitudinais a) Conhecimento, identificação e análise das técnicas de ensino apresentadas. b) Conhecimento e análise dos fatores que afetam a escolha das atividades de 1- Leitura e análise do texto; 2- Resolução do estudo dirigido (anexo); 3- Elaboração de seqüência didática Validação da necessidade de se planejar envolvendo as várias atividades / estratégias de ensino.
  4. 4. ensino pelos professores. c) Conhecimento das combinações das dimensões das atividades de ensino e dos critérios de organização dessas atividades. d) Identificação da tipologia das atividades de ensino conforme a capacidade a ser explorada no aluno. para quatro semanas, atendendo ao texto estudado; 4- Discussão intra grupo e socialização / aplicação de seqüências didáticas (posteriormente). Procedimentos Metodológicos 1- Estudo Dirigido 2- Trabalho em grupo Seqüência Didática da aula 1- Solicitação da atividade em aula; 2- Divisão dos grupos para seqüência didática (duplas ou trios); 3- Entrega dos estudos dirigidos e textos,via e-mail e/ou xerox para reprodução; 4- Leitura e compreensão / análise do texto; 5- Resolução das questões conceituais; 6- Extrapolação: Planejamento da seqüência didática para oito aulas; 7- Socialização das seqüências no e-mail do grupo e / ou sala de aula; 8- Posterior aplicação em estágios; 9- Avaliação do trabalho via e-mail do grupo. Recursos 1- Texto 2- Material xerocado 3- Computador 4- Internet 5- Papel, caneta, etc Avaliação Será avaliado no processo o acompanhamento e a entrega das atividades pedidas, bem como sua aplicação com alunos do Ensino Médio e a socialização da mesma. Referências BORDENAVE, Juan Díaz; PEREIRA, Adair Martins. Estratégias de ensino – aprendizagem. 25 ed. Petrópolis: Vozes, 2004.
  5. 5. VEIGA, Ilma Passos Alencastro. (Org) Técnicas de ensinos: por que não? 12 ed. Campinas, SP: Papirus, 1996. Apêndice 1.0 Estudo Dirigido 2.0 Atividade Extra em outras aulas / Uma outra extrapolação 3.0 Entrevista/ reflexão com alunos UNEB – UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA Campus II - Alagoinhas COMPONENTE CURRICULAR: PPES2 Educadora: CLÁUDIA SOUZA ATIVIDADE: ESTUDO DIRIGIDO VALOR: TEMA: ATIVIDADES DE ENSINO (TÉCNICAS) Educandos: 1. INTRODUÇÃO Este Estudo Dirigido para 16 aulas (11/02/2009 e 18/02/2009) objetiva introduzir o tema: Técnica/ atividades de ensino, sem, contudo, fazer delas elementos únicos da aprendizagem. Associadas à outras variáveis pedagógicas, são de vital importância, pois um professor precisa ter à sua disposição um leque de atividades para, ao escolhe-las, facilitem o ensino – aprendizagem. 2. OBJETIVOS 1- Conhecer os fatores que afetam a escolha das atividades de ensino; 2- Discutir criticamente no grupo sobre as estratégias de ensino, bem como a tipologia das atividades segundo a capacidade a ser desenvolvida; 3- Aplicar essas atividades de ensino em sala de aula (estágio e/ou docência); 4- Conhecer e analisar os fatores que afetam a escolha das atividades de ensino; 5- Conhecer e utilizar as combinações das dimensões das atividades de ensino; 6- Escolher os critérios de organização na organização destas atividades;
  6. 6. 3. ORIENTAÇÕES PARA ESTUDO DIRIGIDO 1ª Parte: Tempo – 6 aulas; Trabalho individual Para que este estudo seja eficaz, siga as instruções abaixo: 1-Leia o texto “Como escolher e organizar as atividades de ensino” (Cap. VI, pág. 121 a 132) do livro Estratégias de Ensino – Aprendizagem (Juan Díaz Bordenave e Adair Martins Pereira – ed. Vozes) individualmente, e retire do mesmo, palavras ou termos que acharem necessário e procure o significado. (2 aulas). 2- Para melhor fixação, ainda individualmente, faça citações comentadas do texto ou resuma-o. (2 aulas). 3- Ainda individualmente, responda as questões para fixação dos conteúdos conceituais estudados. (6 aulas). 4-Questões norteadoras para aprendizagem dos conteúdos conceituais: a) – Quais os pontos-chave apontados pelos autores para se escolher as atividades de ensino? b) – Que fatores afetam a escolha das atividades de ensino/aprendizagem? Resuma cada um desses fatores, explicitando-os. c) – Já que não se pode fornecer receitas prontas, podemos procurar uma maneira de combinar critérios para escolher as atividades de ensino. Que capacidades podem ser observadas segundo os autores, para que o aprendizado se dê de forma satisfatória? Descreva-as. d) – As capacidades elencadas pelo autor se repetem às atividades de ensino. Cite pelo menos três atividades comuns a todas as capacidades. e) – Em que dimensões as atividades podem combinar-se? Explique e dê outro exemplo, que não do livro, para cada uma. f) – Mesmo sem saber, ao escolher uma Atividade de ensino, existem critérios de organização, selecionados por nós, professores. Cite-os. 2ª Parte: Tempo – 6 aulas; Trabalho em Grupo. 1. Discutam as questões conceituais do Estudo Dirigido e elaborem argumentos para defender ou refutar a aplicação destas atividades em sala de aula e a necessidade do conhecimento das mesmas. 2. Em duplas e/ou trios, elaborem procedimentos metodológicos com uma seqüência didática para 4 semanas (2 aulas semanais de Biologia), com o mesmo tema (livre), diversificando ao máximo, as Atividades de Ensino. Obs: Combinem as duas dimensões das atividades e digam os critérios de organização utilizados. (6 aulas). 3ª Parte: Tempo – 3 aulas -Socialização.
  7. 7. 1. Entrega dos Estudos dirigidos (parte manuscrita individual e a seqüência didática do grupo por email); 2. Apresentaçãexplicação pelo grupo das seqüências didáticas de Biologia em data show. 4ª Parte: Tempo – 1 aula; Avaliação/ auto avaliação da atividade por e-mail. Solicitada depois (entrevista em anexo). Referências: BORDENAVE, Juan Díaz; PEREIRA, Adair Martins. Estratégias de ensino – aprendizagem. 25 ed. Petrópolis: Vozes, 2004. VEIGA, Ilma Passos Alencastro. (Org) Técnicas de ensinos: por que não? 12 ed. Campinas, SP: Papirus, 1991. ATIVIDADE EXTRA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA Disciplina: PPES II Professora: Cláudia Souza PLANO DE AULA TEMA: Técnicas de Ensino Sub-temas: 1. Aula expositiva dialógica; 2. Estudo do texto; 3. Estudo dirigido; 4. Discussão e debate; 5. Seminário; 6. Estudo do meio; 7. Demonstração didática; Objetivos:  Conhecer as técnicas de ensino, como eram aplicadas anteriormente e como utiliza-las em sala de aula;  Construir um quadro comparativo com as mesmas, buscando critérios para compreendê-las melhor;  Aplicar cada técnica pesquisada em sala de aula com um mesmo tema (seu conteúdo conceitual);  Elaborar um plano de aula com a técnica aplicada. Conteúdos: a) Conceituais  Identificação e análise das técnicas de ensino relacionadas nos sub-temas.
  8. 8. b) Procedimentais  Leitura e interpretação da técnica: Construção de quadro comparativo (painel) em grupo: 1. Pesquisa bibliográfica; 2. Elaboração do plano de aula com a técnica trabalhada; 3. Aplicação da técnica em sala de aula. (aqui) em ____/____/____ c) Atitudinais  Aplicação no futuro das técnicas estudadas no Estágio (sala de aula)  Socialização da técnica com outros colegas. Procedimento(s) Metodológico(s):  Trabalho em grupo;  Discussão em grupo, socialização;  Construção de quadro comparativo no painel. Seqüência didática: 1. Apresentação da pauta do dia; 2. Leitura da apresentação do livro a ser trabalhado pela turma; Técnicas de ensino; por que não? Ilma Passos (org); páginas 7, 8 e 9. 3. Divisão da turma em sete grupos homogêneos 4. Entrega do texto com a técnica (depois de sorteado) para que retirem os pontos de construção do quadro comparativo. 5. Pesquisa bibliográfica e construção de parte do quadro comparativo (por técnica – cada grupo); 4/h/aula. 6. Passar cada item pesquisado para uma folha de papel ofício (inteira) com piloto e colocar na parede (de modo que fique um quadro único) ou digitado. Ex.: 1 2 3 4 5 6 7 Técnicas /Itens Aula expositiva Estudo De texto Estudo dirigido Discussão e debate Seminário Estudo do meio Demonstração didática Histórico Antes... Hoje deve ser. Limites. Vantagem Objetivos Passos ou Etapas Autor do artigo
  9. 9. 7. Socialização das pesquisas dos grupos – cada grupo deverá passar para os outros grupos sua parte do quadro comparativo. 8. Elaborar um plano de aula com a técnica do grupo sobre qualquer tema para apresentar (simular) no dia da apresentação. Caprichem! Meus amores,como vão de recesso? Estou cursando uma disciplina: Docência Universitária, como aluna especial no Mestrado de Educação na Uneb e tenho uma tarefa. Lembram do Estudo Dirigido? Escolhi este trabalho já realizado com vocês para mostrar os resultados e saber como vocês perceberam essa técnica de ensino. Para isso, preciso que vocês respondam a entrevista abaixo e retornem para mim. É possível? Se puderem, ficarei grata! Esta entrevista servirá para que eu possa fundamentar minhas reflexões/ avaliação desta atividade. Conto com vocês! Uma semana é pouco tempo? Digam que não, por favor!! rs! Sejam sinceros como sempre e obrigada mesmo!!!! Bjão! Cláudia 1-Como você classifica/ viu o texto estudado (Bordenave)? 2-Foram claras as questões/ tarefas do estudo dirigido? Se não como faria? 3-O que acrescentou de novo o texto na sua atuação de futuro profissional? 4-Você teria outras sugestões de texto para trabalhar o tema? 5- A atividade de aplicação do que foi estudada (elaborar seqüência com as atividades de ensino) teve significado para você? Justifique. 6-Você lembra do contexto da aplicação da técnica (saí para Concurso/ banca). Enquanto futuro profissional ou mesmo enquanto aluno acha válida esta técnica? Por quê? Diga vantagens e desvantagens. 7-Este Estudo Dirigido teve alguma diferença em relação a outros aplicados em outras disciplinas? Em caso afirmativo, quais diferenças?
  10. 10. OBS: Não busquem respostas em livros. Façam as reflexões e avaliem o trabalho realizado, certo? Quem está no grupo e souber quais os colegas que não estão me faça o favor de encaminhar esse email. Valeu! ANEXOS 1 Resposta de uma aluna da parte individual do estudo dirigido; 2 Sequências Didáticas feitas pelos trios ou duplas (individual para quem faltou aula) RESPOSTA: Universidade do Estado da Bahia – UNEB Departamento de Ciências Exatas e da Terra Componente Curricular: Prática Pedagógica Alunas: Ana Paula Araújo da Cruz Professora: Claudia Regina Resumo A escolha das atividades de ensino é uma etapa bastante relevante no processo de ensino aprendizagem por isso ela esta precisa se adequar aos objetivos educacionais, aos conteúdos e aos alunos. Alguns fatores podem comprometer a elaboração dessas atividades como: a carência de critérios que orientam a escolha, a falta de conhecimento do professor em relação limitações e possibilidades de diversas atividades, a carência de técnicas no repertório didático do professor e o tempo devido e a sobrecarga dos currículos. Existem alguns pontos-chave, como próprio nome sugere são bastante significativo nessa escolha como a participação ativa do aluno o processo, a formulação de critérios de escolha, o potencial didático da atividade. As atividades de ensino são veículos utilizados pelo professor para abordar os conteúdos, possibilitando aos alunos viverem experiências para uma aprendizagem significativa. Estas são determinadas pela estrutura do assunto a ser ensinado e pela etapa do processo de ensino. O esquema arco indica uma série de
  11. 11. etapas que são respectivamente problematização, teorização, aplicação, fixação, transferência e generalização. Cada uma dessas etapas demanda tipos diferentes de atividades de ensino. Algumas capacidades são desejáveis no aluno para que essas etapas sejam realizadas capacidade de observar, analisar, teorizar, sintetizar, aplicar e transferir. Palavras-chave: ensino-aprendizagem. Objetivos educacionais. Técnicas de ensino. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA – DCET Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas Disciplina: Prática Pedagógica e Estágio Supervisionado II Docente: Claudia Regina T. Souza Discentes: Ana Paula Estudo Dirigido 1. Quais os pontos chaves apontados pelos autores para se escolher as atividades de ensino? A necessidade de que o aluno tenha participação ativa no processo, formulação de critérios de escolha, potencial didático e limitações específicas das atividades, não existem receitas prontas, pois cada situação apresenta um contexto diferente. 2. Que fatores afetam a escolha das atividades de ensino-aprendizagem? Os objetivos educacionais, a estrutura do assunto a ser ensinado, as características próprias das atividades, a etapa de ensino, o tempo e as facilidades físicas disponíveis. 3. Já que não se podem fornecer receitas prontas, podemos procurar uma maneira de combinar critérios para escolher as atividades de ensino. Que capacidade podem ser observadas segundo os autores? Capacidade de observar, de analisar, de teorizar, de sintetizar e de aplicar e transferir o aprendido. 4. As capacidades elencadas pelo autor se repetem às atividades de ensino. Cite pelo menos três atividades comuns a todas as capacidades. Seminários simpósios e painéis, Consultas bibliográficas incluindo
  12. 12. revistas e folhetos, diagnóstico de situações. 5. Em que dimensões as atividades podem combinar-se ? Apresentar o contexto social e ecológico das abelhas do Gênero Apis. 1. Apresenta um vídeo com esse contexto. 2. Explana e discute do tema. 3. Ida a campo para a observação de colméias. 6. Mesmo sem saber, ao escolher uma atividade de ensino, existem critérios de organização, selecionados pelo professor. A teoria da aprendizagem que o professor adotou determina princípios que serão aplicados na organização das atividades: partir da observação do problema à sua teorização e a aplicação, ir do mais simples ao mais complexo, ir do mais concreto ao mais abstrato, ir do passado ao presente e ao futuro, passar dos princípios gerais às aplicações particulares, escolher processos importantes e analisar todos os seus aspectos de forma interdisciplinar. Seqüências Didáticas Produzidas UNIVERSIDADE ESTADUAL DA BAHIA – UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA DISCIPLINA: PRÁTICA PEDAGÓGICA E ESTÁGIO SUPERVISIONADO II DOCENTE: CLÁUDIA REGINA DISCENTES: JULIANA LIMA e MILENA COSTA ok! Organização de Atividade de Ensino para Elaboração de 08 aulas distribuídas em 04 semanas TEMA GERAL: Vírus OBJETIVOS: Compreender e discutir através de textos, aulas expositivas e [P1] Comentário: Isso não respondeu a pergunta; aqui é exemplo... [P2] Comentário: Muito bom! [P3] Comentário: Evitar esse verbo, a menos que indique através de que você vai verificar essa compreensão.
  13. 13. vídeos, as características dos vírus, a estrutura, as doenças causadas por eles e identificar os diferentes tipos de reprodução, abordando o processo infeccioso. 1ª SEMANA: Quantidade de aulas: 02 Descrever as principais características, sua organização, estrutura morfológica e o que diferencia dos outros organismos. Atividades: Inicialmente será solicitada uma consulta bibliográfica referenciado ao tema de estudo, seguida de aula expositiva sobre características gerais, morfologia e composição viral, com divisão da turma em equipes para aplicação de um jogo de perguntas e respostas para melhor compreensão do conteúdo abordado. 2ª Fase: Quantidade de aulas: 02
  14. 14. Identificar os diferentes tipos de vírus, quanto a sua classificação, características clínicas, patogênese e epidemiologia. Atividades: Iniciar com aula expositiva (utilizando data-show) fazendo uma amostragem dos tipos virais, seguido da divisão da turma em grupos para elaboração de um seminário abordando as patologias causadas por estes vírus. 3ª Fase: Quantidade de aulas: 02 Verificar os tipos de ciclos reprodutivos, com seus respectivos mecanismos infecciosos. Atividades: Explanação inicial dos ciclos lítico e lisogênico, demonstrando suas diferenças durante esse processo. Posteriormente uma discussão sobre a leitura do texto: Defesas contra o vírus. Finalizando a aula com apresentação de vídeo de como ocorre todo o processo infeccioso.
  15. 15. 4ª Fase: Quantidade de aulas: 02 Abordar as principais doenças causadas por vírus, dando ênfase as medidas profiláticas, modo de transmissão, características da infecção e tratamentos. Atividades: Aplicação de uma atividade com um quadro comparativo a respeito das viroses. CRITÉRIOS Na organização das atividades foi adotado o critério onde se inicia as aulas com apresentação expositiva, seguida de várias atividades didáticas. Partindo do mais simples para o mais complexo, contribuindo desta forma para o processo de ensino-aprendizagem.
  16. 16. Referências Bibliográficas LOPES, Sônia. Biologia – Volume único. 1ª ed. Saraiva. São Paulo, 2005. LINHARES, Sérgio.;GEWANDSZNAJDER, Fernando. Biologia – Volume único. 1ª ed.Ática. São Paulo, 2005. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA – DCET CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DOCENTE:CLAÚDIA REGINA SEMESTRE: 2008.2 DISCENTE:EDILMA NUNES DISCIPLINA: PPES II Procedimentos metodológicos para seqüência didática de 4 semanas Tema: Principais biomas brasileiros Série: 3º Ano ( Ensino Médio) Objetivo: Caracterizar e diferenciar os principais biomas brasileiros, percebendo a dimensão da ação antrópica sobre os mesmos. 1ª semana (2 aulas): Revisar os biomas estudados anteriormente (Tundra, Taiga, Floresta Temperada Decídua, Floresta Tropical, Savana, Pradaria e Deserto)e caracterizar comparativamente os principais ecossistemas do Brasil. Atividade: Revisão oral sobre os principais biomas do mundo (jogo de perguntas e respostas), aula expositiva sobre quais são os principais biomas brasileiros (com o uso de data-show). Após a aula expositiva, dividir a turma em 6 grupos, sortear um ecossistema para cada grupo, que por sua vez ficará responsável em pesquisar :A interferência humana em cada um dos ecossistemas.Cada grupo pesquisará sobre um bioma diferente, que deverão ser: Cerrado, Caatinga, Floresta Amazônica, Mata Atlântica, Pantanal e Manguezal).As informações pesquisadas deverão ser atuais, tendo como principal fonte bibliográfica a Internet. [P4] Comentário: Muito bem elaborado! Parabéns!!
  17. 17. Tundra Taiga Floresta Temp. Decídua Floresta Tropical
  18. 18. Savanas Pradarias Desertos 2ª semana (2 aulas): Principais características bióticas e abióticas de:Cerrado, Caatinga e Floresta Amazônica.Serão abordados as seguintes características: - Localização geográfica; -Clima; - Regime de chuvas; - Solo (relevo); - Vegetação; - Fauna. Cerrado Caatinga Floresta Amazônica Atividade: Iniciar a aula indicando no mapa do Brasil (juntamente com os alunos) a localização geográfica de cada um dos ecossistemas. Após aula expositiva (com data show), solicitar que os alunos construam um gráfico de barras, sobre o índice pluviométrico de cada bioma, relacionando os resultados com o tipo de fauna e flora encontrados. 3ª semana (2 aulas): Aula expositiva sobre: Mata Atlântica, Pantanal e
  19. 19. Manguezais.Fazer a localização geográfica dos ecossistemas ( com o uso de mapas), apresentar as principais características bióticas e abióticas (clima, solo, fauna, etc.) dos biomas citados. Mata Atlântica Pantanal Manguezal Atividade: Produção de um quadro comparativo das principais características dos biomas, apresentadas na aula. 4ª semana (2 aulas): Apresentação oral de cada grupo (10 minutos para cada) sobre o tema pesquisado anteriormente: A interferência humana em cada um dos ecossistemas estudados.  Abaixo, estão relacionados exemplos de principais impactos provocados pelo homem que poderão ser pesquisados pelos alunos. [P5] Comentário: Tem que estar em ‘anexo ‘ no plano.
  20. 20. Erosão Queimadas Poluição Desmatamentos Atividade: Discussão sobre as apresentações das equipes. Produção textual (em grupo) com o tema: Alternativas de proteção e conservação para os ecossistemas brasileiros. Considerações  A revisão do tema anterior foi escolhida como forma de familiarizar os estudantes com o tema a ser abordado (Biomas Brasileiros);  Para o Jogo de perguntas e respostas, o professor deverá dividir a turma em grupos e sortear questões (em fichas), para que os mesmos respondam. Terá maior pontuação a equipe que obter mais acertos;  Todas as atividades realizadas durante as aulas serão posteriormente corrigidas pelo professor como parte das avaliações da unidade. [P6] Comentário: Não explicitou os critérios adotados.
  21. 21. Referências AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R. Biologia. V.3. 2. ed.São Paulo: Moderna, 2004. http://images.google.com.br UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB. DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA – DCET II. COMPONENTE CURRICULAR: PPES2. PROFESSORA: CLAÚDIA REGINA. ALUNOS: EULA PAULA, GISELE RIOS E FILOMENO NETO. Procedimento metodológico com seqüência didática para 4 semanas Tema: Ecossistemas e populações Objetivo: Analisar alguns dos principais ecossistemas aquáticos e terrestres, detalhar sua biodiversidade e compreender a dinâmica das populações em um ecossistema. Critérios de organização: Expor o conteúdo ao aluno através de uma explanação oral, transmitindo as informações necessárias para que ele possa ter participação ativa?? no processo de aprendizagem através de aplicações particulares. 1ª semana (2 aulas): Conceito de ecossistema, análise e compreensão dos ecossistemas aquáticos, com detalhamento de sua biodiversidade. [P7] Comentário: Evitar esse verbo, a menos que indique através de que você vai verificar essa compreensão. [P8] Comentário: Seria melhor dizer:construindo,discutindo...
  22. 22. Atividades: Exposição oral do assunto. Solicitar a construção de um glossário com o significado dos termos apresentados na explanação. Trabalho de pesquisa sobre os problemas ambientais causados pela ação antrópica nos ecossistemas aquáticos e suas respectivas conseqüências. 2ª semana (2 aulas): Os ecossistemas terrestres, sua biodiversidade, regiões predominantes e suas características edafoclimáticas.
  23. 23. Atividades: Aula expositiva. Dividir a sala em duas equipes, para apresentação de seminário, subordinadas ao tema: Floresta Amazônica, maior ecossistema terrestre. Sendo que a primeira equipe ficará responsável por apresentar sua biodiversidade com conseqüente importância ecológica e a segunda equipe apresentará sobre os problemas ambientais decorrentes da ação antrópica e suas principais conseqüências para a humanidade. Todas as duas equipes deverão utilizar cartazes com gravuras e dados estatísticos. 3ª semana (2 aulas): Apresentação do seminário pelas equipes. [P9] Comentário: Vcs ainda priorizam muito a aula expositiva... [P10] Comentário: Seria construção,elaboração...antes de apresentar.
  24. 24. Atividades: Após a apresentação dos alunos, realizar um debate entre as equipes sobre o tema abordado pelos mesmos. 4ª semana (2 aulas): Exposição oral sobre as principais características de uma população (densidade, estrutura etária e potencial biótico). Atividades: Explanação oral e aplicação de estudo dirigido sobre o assunto. Referência bibliográfica:  LAURENCE, J. Biologia: ensino médio. Volume único. 1. ed. São Paulo: Nova Geração, 2005. [P11] Comentário: De novo... [P12] Comentário: Quando vai socializar?Tem que registrar!Anexar esse estudo dirigido. [P13] Comentário: E os critérios???
  25. 25. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CURSO SUPERIOR DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DOCENTE: Cláudia Regina DISCENTES: Andréa Araújo e Rogéria Moreno COMPONENTE CURRICULAR: PPES II Organização de Atividade de Ensino para Elaboração de 08 aulas para Ensino Médio distribuídas em 04 semanas TEMA GERAL: A DIVERSIDADE E AS CARACTERÍSTICAS DAS BACTÉRIAS OBJETIVO GERAL: Identificar e compreender a diversidade morfológica, reprodução e a relação das bactérias com a saúde humana. 1ª Semana - Quantidade de aulas: 02 Identificar e diferenciar as principais estruturas das bactérias, evidenciando sua diversidade morfológica. Atividades: Explanação inicial na forma de aula expositiva sobre as características, formas e estruturas das bactérias. Em seguida a turma será dividida 03 grupos para observação e análise ao microscópio óptico de bactérias em lâminas (em cada microscópio haverá uma forma diferente de [P14] Comentário: Muito bom! Gostei de ver! [P15] Comentário: Evitar esse verbo ,a menos que indique através de que você vai verificar essa compreensão.
  26. 26. bactéria). Será feito um revezamento onde cada aluno poderá observar, desenhar e identificar em seu caderno as diferentes formas das bactérias analisadas. 2ª Semana - Quantidade de aulas: 02 Distinguir os mecanismos de reprodução utilizados pelas bactérias. Atividades: Solicitar aos alunos que abram seus livros didáticos nas páginas referentes à reprodução bacteriana para uma leitura silenciosa e a posterior confecção de um quadro comparativo abordando os diferentes mecanismos da reprodução das bactérias. A seguir será desenvolvida uma aula expositiva sobre o assunto e a correção da atividade, visando elucidar possíveis dúvidas dos alunos. 3ª Semana - Quantidade de aulas: 02 Realizar pesquisas bibliográficas sobre as doenças transmitidas por bactérias e sua relação com a saúde humana para apresentação na próxima aula. Atividades: Divisão da turma em equipes para sorteio do tema “doenças transmitidas por bactérias e sua relação com a saúde humana” (cada equipe ficará com uma doença diferente) para a apresentação de seminário a ser [P16] Comentário: Depende de tempo um seminário.
  27. 27. realizada na próxima aula. Aula expositiva das doenças que não foram sorteadas. 4ª Semana - Quantidade de aulas: 02 Apresentar sob forma de seminário as doenças transmitidas por bactérias e sua relação com a saúde humana. Atividades: Com base na pesquisa solicitada na aula passada haverá apresentação dos temas propostos, com discussão da turma ao final de cada apresentação. CRITÉRIOS Na organização das atividades foram adotados dois critérios: 1) Ir do mais simples ao mais complexo, pois os assuntos foram abordados de forma crescente. 2) Passar dos princípios gerais para aplicações particulares, pois as aulas são iniciadas com métodos expositivos a fim de que o aluno possa ter um primeiro contato com o conteúdo para o entendimento e elaboração das tarefas. REFERÊNCIAS - LINHARES, Sérgio & GEWANDSZNADJER, Fernando. Biologia: Série Brasil, Volume único, 1ª ed., editora Ática. - LOPES, Sônia & ROSSO, Sergio. Biologia. Volume único, 1ª ed., editora Saraiva. [P17] Comentário: Bom !
  28. 28. Universidade do Estado da Bahia Campus II de Alagoinhas Departamento de Ciências Exatas e da Terra Componente curricular: Prática Pedagógica e Estagio Supervisionado II Discente: Nayane dos Santos Cerqueira Docente: Claudia Regina T. Souza Organização de atividades de ensino Elaboração de 8 aulas distribuídas em 4 semanas no Ensino Médio Tema: Histologia animal Subtítulo: O estudo dos tecidos Objetivo: Conhecer a classificação morfológica dos tecidos animais, suas estruturas e funcionamento. 1º semana (2 aulas): Conhecer a classificação geral dos tecidos animais, dando enfoque inicialmente aos tecidos epiteliais. Atividade: Consulta bibliográfica prévia dos alunos; aula expositiva aliada à exposição de imagens utilizando material multimídia, onde serão demonstradas as imagens básicas da classificação tecidual animal dando enfoque ao tecido epitelial. Em seguida será aplicado um exercício para fixação do assunto. 2º semana (2 aulas): Perceber a classificação dos tecidos animal quanto conjuntivo, aliando ao conhecimento prévio dos alunos em sua própria constituição corporal. Atividade: Divisão da sala em 5 grupos. Divisão do conteúdo pelas equipes [P18] Comentário: Faltaram os critérios utilizados. [P19] Comentário: Evitar esse verbo ,a menos que indique através de que você vai verificar essa percepção.
  29. 29. para confecção de painel sobre a divisão do tecido conjuntivo e sua localização corporal. O professor oferece aos alunos revistas com material para colagem no mural bem como referencias bibliográficas para a identificação dos componentes teciduais. Ao término da confecção o grupos apresenta a sala rapidamente o tema exposto no painel. 3º semana (2 aulas): Consulta bibliográfica prévia dos alunos. Explanação do tema tecidos musculares: sua origem, divisões, função e localização corporal. Atividade: Para verificar a aprendizagem dos alunos a sala será dividida em 2 equipes e organizada em duas filas. Será realizado um jogo de passa ou repassa, com perguntas feitas pelo educador. A equipe vencedora recebe um brinde (a ser estipulado posteriormente pelo professor). O erro em responder as perguntas resulta na equipe oposta a escolher uma “prenda” para ser executada pela outra equipe. Os alunos respondem seguindo a ordem da fila. 4º semana (2 aulas): Explanação do conceito de tecido nervoso.
  30. 30. Atividade: A princípio, a aula terá inicio com aula expositiva dialógica aliada a utilização de recursos multimídia pra demonstração de células que compõem o tecido. Demonstração de mini-video sobre impulso nervoso e aplicação de atividade de fixação sobre o tema descrito na aula e vídeo. [P20] Comentário: Faltaram as referências bibliográficas.
  31. 31. UNEB - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA DCET-CAMPUS II, ALAGOINHAS PRÁTICA PEDAGÓGICA E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I DOCENTE - CLÁUDIA REGINA T. SOUZA DISCENTE - ÊNIO ESTEVAM DE SANTANA Organização de Atividade de Ensino para Elaboração de 08 aulas em 04 semanas TEMA GERAL: AS CARACTERÍSTICAS DA VIDA E A QUÍMICA DA CÉLULA OBJETIVOS: Analisar e discutir através de textos, filmes, aulas expositivas e visitas de campo as principais características dos seres vivos, suas semelhanças e diferenças, os níveis de organização diante dos diferentes enfoques em biologia e compreender a importância dos elementos químicos para a manutenção das diversificadas formas de vida. 1ª Fase: Quantidade de aulas: 02 Compreender as principais características dos seres vivos, sua organização celular, semelhanças e diferenças. Atividades: Inicialmente uma rápida visita no pátio da escola, onde os estudantes identificam as diferentes formas de vidae problematizam sobre o que vêem. Posteriormente aplicação de aula expositiva sobre as características dos seres vivos (organização celular, crescimento, desenvolvimento, respostas a estímulos e reprodução) comparando com os identificados por eles no campo e solicitar deles um relatório sobre a atividade. [P21] Comentário: Parabéns! A atividade esta muito bem feita! [P22] Comentário: Evitar esse verbo a menos que indique como fará isso... [P23] Comentário: Evitar esse verbo ,a menos que indique através de que você vai verificar essa compreensão.
  32. 32. 2ª Fase: Quantidade de aulas: 02 Verificar os níveis de organização e os diferentes enfoques em biologia: A vida sob diversos pontos de vista. Atividades: Explanação inicial (utilizando data-show) sobre átomos e moléculas, organelas e células, tecidos, órgãos, sistemas e organismo. Posteriormente ida ao campo, onde haverá uma aula onde os estudantes observarão in locu as populações e comunidades de animais e relacionar com todo o ecossistema e a biosfera. Atividade de casa: Distribuir textos sobre o equilíbrio da natureza (homeostase) e dividir a turma em equipes para a elaboração de relatório comparando o texto com as visualizações em campo. 3ª Fase: Quantidade de aulas: 02 Verificar a composição química das células e a importância desses elementos para a manutenção da vida. Atividades: Pesquisa solicitada antecipadamente sobre a composição química de animais e vegetais, trazendo a porcentagem desses elementos químicos, servindo como base para aula expositiva sobre água, sais minerais, açúcares e gorduras. Apresentação de vídeo sobre a importância da água no planeta e seus impactos ambientais, para posterior debate. 4ª Fase: Quantidade de aulas: 02
  33. 33. Analisar a importância das proteínas, suas unidades de construção (aminoácidos) e os ácidos nucléicos e sua importância na hereditariedade. Atividades: Aula expositiva utilizando data-show sobre as proteínas e as suas atribuições na manutenção da vida , os aminoácidos, enzimas, anticorpos e vacinas, os ácidos nucléicos (DNA e RNA), duplicação e caracteres hereditários. Leitura dinâmica e discussão sobre o texto: A descoberta que o DNA é o gene- A história de uma investigação. CRITÉRIOS Na organização das atividades foram adotados dois critérios:1)Partir da observação do problema à sua teorização e aplicação, onde os estudantes primeiro fazem observação em campo para depois haver a discussão em sala de aula sob aula expositiva.2) Passar dos princípios gerais para aplicações particulares quando as aulas são iniciadas por aulas expositivas para posterior discussão da problemática em sala de aula. Referências Bibliográficas AMABIS, J. M. Biologia, ed. Moderna, 1978, São Paulo. CÉSAR & SEZAR Biologia- vol.1, ed. Saraiva S.A., 2005, São Paulo. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA COMPONENTE CURRICULAR: PRÁTICA PEDAGÓGICA E ESTÁGIO SUPERVISIONADO II PROFESSORA: CLÁUDIA REGINA TEIXEIRA ALUNAS: LUDMILLA ALMEIDA, RAILANE MORAES E TAIANA RIELA. Roteiro de aula (8 aulas) Tema: Evolução [P24] Comentário: Muito bom! [P25] Comentário: Creio que 8 aulas não daria para tudo que foi planejado.Mas ,fora isso está bem legal!
  34. 34. Objetivo: O aluno deverá compreender a evolução que ocorreu ao longo do tempo nos seres humanos, tal como as carcteristicas e comparações de cada espécie. Critério de Organização: o critério de organização utilizado nas atividades foi o de passar dos princípios gerais às aplicações particulares. 1ª semana (2 aulas): Diferenciar cada teoria evolutiva, demostrando as diferenças positivas e negativas de cada uma. Teoria de Darwin Teoria de Lamarck Atividade: Definições das teorias evolutivas. Debate sobre estas teorias relacionando com demonstrações (evidencias) atuais. 2ª Semana (2 aulas): Irradiação adaptativa e convergência. [P26] Comentário: Evitar esse verbo ,a menos que diga como vai fazer para verificar essa compreensão.
  35. 35. Atividade: Aula expositiva sobre o assunto, com o auxílio de imagens que auxiliaram para contextualização. 3ª Semana (2 aulas): Evidências da evolução.
  36. 36. Inseto preservado em âmbar Fóssil de trilobita. Atividade: Explanar o tema em sala de aula. Demostração de um pequeno filme A Guerra do Fogo, mostrando as evidencias evolutivas ao longo do tempo. 4ª Semana (2 aulas): Divisões do tempo geológico. Atividade: Elaboração de um quadro comparativo, relacionando e diferenciando eras, períodos e épocas. Referência Bibliográfica:  SOARES, José Luís. Biologia: volume único. Editora Scipione. 9ª edição.
  37. 37. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA – DCET Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas Disciplina: Prática Pedagógica e Estágio Supervisionado II Docente: Cláudia Regina T. Souza Discentes: Ana Paula ‘ Seqüência Didática TEMA: Ecologia Objetivo: Compreender as relações dos seres vivos entre si e com o meio ambiente. 1ª Semana (2 aulas)- Conteúdos - Os ecossistemas, seus componentes, cadeia e teia alimentar, habitat e nicho ecológico. Atividades – Explanação inicial com auxílio de data show, bastante ilustrado, dos conceitos de ecologia, ecossistemas, cadeia e teia alimentar, habitat e nicho ecológico. Construção de um álbum seriado contendo grupos de animais organizados de acordo ao seu habitat, níveis tróficos, solicitado para casa. 2ª Semana: (2 aulas) Conteúdos: Populações e comunidades – conceitos gerais, dinâmica das populações, medidas de uma população e pirâmides ecológicas, organização das comunidades – sucessão ecológica e biomas da Terra. Atividades: Explanação inicial com auxílio de transparências e quadro. Em seguida a turma será dividida em 5 grupos os quais sortearão seus respectivos temas para a apresentação de seminário sobre os biomas da terra e do Brasil, as equipes receberão materiais e também ficarão responsáveis por providenciá-los. Cada equipe deverá montar um power point e gravá-lo em CD para o dia da apresentação. [P27] Comentário: Acho 8 aulas poucas para tanta atividade planejada! Porém está bem feito! [P28] Comentário: Evitar esse verbo ,a menos que indique através de que você vai verificar essa compreensão.
  38. 38. 3ª Semana (2 aulas) Conteúdo: A biosfera- plânctons, néctons e bentos, regiões fitogeográficas do Brasil, Sistema de relações dos seres vivos- adaptações morfológicas e fisiológicas. Atividades: Explanação inicial com auxílio de data show, contendo imagens que orientarão a explicação e discussão do conteúdo. Para casa será solicitado estudo dirigido, que poderá ser respondido em dupla. As questões do tipo discursivas tratarão dos assuntos abordados nas 6 últimas aulas. 4ª Semana Conteúdo: Os biomas da Terra e do Brasil ATIVIDADE: apresentação de seminários – os biomas da terra. [P29] Comentário: Colocar também o recebimento e socoalização do álbum seriado e estudo dirigido pedido.
  39. 39. REFERÊNCIAS SILVA JÚNIOR, César da & SASSON, Sezar. Biologia. 1 ed. Saraiva: São Paulo,1995. SOARES, José Luís. Biologia: seres vivos, evolução e ecologia. 6 ed. Scpione: 1988. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB DEPARTAMENTO DE CIENCIAS EXATAS E DA TERRA CAMPUS II - ALAGOINHAS PRATICA PEDAGOGICA E ESTAGIO SUPERVISIONADO II DOCENTE: CLAUDIA REGINA T. SOUZA DISCENTES: Jamerson Souza, Olívia Nascimento e Vinícius Nobre Organização de atividades de ensino médio para a elaboração de 08 aulas distribuídas em 04 semanas TEMA: ECOLOGIA E SUAS APLICAÇOES OBJETIVO Compreender os componentes essenciais de um ecossistema, bem [P30] Comentário: Faltou dizer que critérios adotou. [P31] Comentário: Parabéns! Muito bem elaborado!!
  40. 40. como, suas cadeias tróficas e relações ecológicas principais , através da análise de textos, seguida de discussões e aulas expositivas. 1º Semana - (02 aulas) Conceituar ecossistema diferenciando os componentes bióticos e abióticos, evidenciando a interpelação de um sistema integrado. Atividade: consulta bibliográfica em sala de aula com livros e revistas trazidos pelo professor, fazendo os devidos apontamentos. 2º Semana - (02 aulas) Conhecer as cadeias alimentares e os fluxos de energia no ecossistema.
  41. 41. Atividade: construir uma cadeia trófica a partir de gravuras escolhidas durante a consulta bibliográfica realizada na aula anterior, especificando cada um dos seus elos e a interdependência entre eles. Confecção, ao final, de um painel para exposição dos trabalhos. 3° Semana - (02 aulas) Classificar e distinguir os tipos de relações ecológicas. Atividade: construir um quadro comparativo entre os tipos de interações ecológicas. Posteriormente, a turma será divida em grupos, com quatro componentes cada, os quais deverão expor, de maneira lúdica, cada uma das interações ecológicas (OBS.: cada grupo apresentará um tipo de interação). 4° Semana - (02 aulas) Apresentar conceitos de sucessão ecológica, bem como as características das fases e diferenças primárias e secundárias.
  42. 42. Atividade: palestra com um ecólogo sobre o tema supracitado. Em seguida, discussão com questionamentos ao palestrante. CRITÉRIOS  Ir do mais simples ao mais complexo;  Passar dos princípios gerais às aplicações particulares;  Escolher processos importantes e analisar todos seus aspectos de forma interdisciplinar ou integrada. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PAULINO, W. R. Biologia: Genética, Evolução e Ecologia. Vol. 3. São Paulo: Ática, 2005.

×