Como se faz uma tese

2.271 visualizações

Publicada em

Pode se usar a ocasião da tese (mesmo se o resto do curso universitário foi decepcionante ou frustrante) para recuperar o sentido positivo e progressivo do estudo, entendido não como coleta de noções, mas como elaboração crítica de uma experiência, aquisição de uma capacidade (útil para o futuro) de identificar os problemas, encará-los com método e expô-los segundo certas técnicas de comunicação. (Eco, 1997, p. XIV).

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.271
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
63
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como se faz uma tese

  1. 1. Umberto Eco
  2. 2. A todos (os tipos de alunos) gostaria de sugerir ao menos duas coisas: - Pode-se preparar um tese digna mesmo que se esteja numa situação difícil, que se ressente de discriminações remotas ou recentes - Pode se usar a ocasião da tese (mesmo se o resto do curso universitário foi decepcionante ou frustrante) para recuperar o sentido positivo e progressivo do estudo, entendido não como coleta de noções, mas como elaboração crítica de uma experiência, aquisição de uma capacidade (útil para o futuro) de identificar os problemas, encará-los com método e expô- los segundo certas técnicas de comunicação. (Eco, 1997, p. XIV).
  3. 3.  É um trabalho original de pesquisa, com o qual o candidato deve demonstrar ser um estudioso capaz de fazer avançar a disciplina a que se dedica.  Não é sempre que a tese se converte numa grande descoberta, há méritos nas revisões e em novas maneiras de ler e entender textos já clássicos.  A primeira distinção é entre o trabalho de compilação e o de pesquisa.
  4. 4. Uma tese de pesquisa é sempre mais longa, fatigante e absorvente; também uma tese de compilação pode ser longa e cansativa, mas em geral exigem menor tempo Não quer isto dizer que quem faz uma tese de compilação feche o caminho para a pesquisa; a compilação pode constituir um ato de seriedade da parte do jovem pesquisador que, antes de propriamente iniciar a pesquisa, deseja esclarecer algumas idéias, documentando-se bem. (Eco, 1997, p. 03).
  5. 5.  A opção pela tese de compilação ou de pesquisa deve levar em consideração a capacidade de dedicar-se a trabalho de conclusão.  A idéia central é o discente produzir um trabalho de conclusão , que lhe dê certa satisfação intelectual e que lhes sirva futuramente, como cartão de apresentação para um programa de mestrado, desde que para isso, o estudante possa dedicar diariamente algumas horas de estudo.  Segundo Eco, pode-se executar seriamente até uma coleção de figurinhas: basta fixar o tema, os critérios de catalogação, os limites históricos da coleção
  6. 6.  Há duas maneiras de se fazer com que uma tese se torne útil: o A primeira: é fazer dela o início de uma pesquisa mais ampla, que vai se desdobrar no mestrado e doutorado. o A segunda: é aquela que pode ter uma aplicabilidade imediata, junto a empresa, município ou Estado.
  7. 7.  Elaborar uma tese significa: 1. Identificar um tema preciso; 2. Recolher documentação sobre ele; 3. Pôr em ordem esses documentos; 4. Reexaminar em primeira mão o tema à luz da documentação recolhida; 5. Dar forma orgânica a todas as reflexões precedentes; 6. Empenhar-se para que o leitor compreenda o que se quis dizer e possa, se for o caso, recorrer à mesma documentação a fim de retomar o tema por conta próprio.
  8. 8.  Sobre a escolha da temática: o Ainda que seja melhor fazer uma tese sobre um tema que lhe seja caro, ele é secundário com respeito ao método de trabalho e as experiência advinda desse trabalho. o A tese de Marx não foi sobre economia política, mas sobre dois filósofos gregos. E isso não foi um acidente de trabalho. Marx foi talvez capaz de analisar os problemas da história e da economia , exatamente porque aprendeu a pensar sobre seus filósofos gregos.
  9. 9.  As regras para a escolha do tema são quatro: 1. Que o tema responda aos interesses do candidato (ligando tanto ao tipo de exame quanto às suas leituras, sua atitude política, cultural ou religiosa). 2. Que as fontes de consulta sejam acessíveis, isto é, estejam ao alcance material do candidato. 3. Que as fontes de consulta sejam manejáveis, ou seja, estejam ao alcance cultural do candidato. 4. Que o quadro metodológico da pesquisa esteja ao alcance da experiência do candidato.
  10. 10.  Tese Monográfica ou Tese Panorâmica. o A Primeira tentação do estudante é fazer uma tese que fale de muitas coisas. o A omissão do estudioso e a omissão do estudante. o A probabilidade de sofrer ‘raios e trovoadas’ numa tese panorâmica e a ‘esperteza’ de se trabalhar com um tema circunscrito, monográfico. o Ler p. 09 – exemplo de tese.
  11. 11.  Mas deve-se ter em mente que fazer uma tese rigorosamente monográfica não significa perder de vista o panorama.  Só explicamos e entendemos um autor quando o inserimos num panorama. Mas uma coisa é usar um panorama como pano de fundo, e outra elaborar um quadro panorâmico.  Quanto mais se restringe o campo, melhor e com mais segurança se trabalha.  Uma tese monográfica é preferível a uma tese panorâmica.
  12. 12.  Tese Histórica ou Tese Teórica o Uma tese teórica é aquela que se propõe atacar um problema abstrato, que pode já ter sido ou não objeto de outras reflexões, como: natureza da vontade humana, o conceito de liberdade, a noção de papel social etc. o No caso de um estudante com experiência científica limitada, tais temas podem dar origem a duas soluções: 1) Fazer a tese definida como panorâmica, e tratar o conceito em questão em diversos autores. 2) A segunda o autor acredita poder resolver o debate proposto em poucas páginas, acabam por fazer teses brevíssimas, destituídas de apreciável organização interna, mais próximas de um poema lírico de que um estudo científico. o Ler p. 11 e 12.
  13. 13.  Ainda que o estudante tenha um bom arcabouço teórico, é necessário ele ‘amparar-se’ nos clássicos, como uma forma de validar seu trabalho.  Ainda que tenha idéias originais, essas aparecerão no confronto de idéia do autor trabalhado.  Mesmo para o gênio, e sobretudo para ele, nada há de humilhante em partir de outro autor, pois isso não significa fetichizá-lo, adorá-lo, ou reproduzir sem criticas suas afirmações.  Deve ser partir do princípio que , se você é um anão inteligente, é melhor subir aos ombros de um gigante qualquer, mesmo se for de altura modesta, ou mesmo de outro anão. Haverá sempre ocasião de caminhar pro si só.
  14. 14.  Temas Antigos ou Temas Contemporâneos? o Digamos desde já que o autor contemporâneo é sempre mais difícil. A bibliografia é mais reduzida e os textos de difícil acesso. No autor moderno as opiniões ainda são vagas e contraditórias, e a nossa capacidade critica é falseada pela falta de perspectiva e tudo se torna extremamente difícil. o Sobre os autores antigos existem pelo menos esquemas interpretativos seguros aos quais nós podemos nos referir.
  15. 15.  Quanto Tempo é Requerido Para se Fazer uma Tese? o Não mais que três anos e não menos de seis meses. Se demorar mais de três anos um desses fatores devem ter acontecido: 1. Escolhemos a tese errada, superior às nossas forças. 2. Somos do tipo incontrolável, que deseja dizer tudo, ao passo que um estudioso hábil deve ser capaz de ater-se a certos limites, embora modestos, e dentro deles produzir algo definitivo. 3. Fomos vítimas da ‘neurose da tese’.
  16. 16. o Não menos de seis meses porque, ainda que se queira apresentar o equivalente a um bom ensaio de revista com não mais de sessenta laudas, entre o plano de trabalho, a pesquisa bibliográfica, a coleta de documentos e a execução do texto passam facilmente seis meses. o Uma tese serve sobretudo para ensinar a coordenar idéias, independentemente do tema tratado. o Uma boa tese deve ser discutida passo a passo como orientador, nos limites do possível. Escrever uma tese é como escrever um livro, é um exercício de comunicação que presume a existência de um público: e o orientador é a única amostra de público competente à disposição do aluno no curso de seu trabalho.
  17. 17. o Todavia, há casos que precisam ser solucionados em seis meses. É então que se deve procurar um tema capaz de ser abordado de maneira séria e digna em tão reduzido lapso de tempo. Não resta dúvida que é possível ter uma boa tese de seis meses. Mas para isso alguns requisitos devem ser observados: 1. O tema deve ser circunscrito; 2. O tema deve ser, se possível, atual, não exigindo uma bibliografia que remonte aos gregos, ou um tema marginal, sobre o qual exista pouco coisa escrita. 3. Todos os documentos devem estar disponíveis num lugar determinado, onde a consulta seja fácil.
  18. 18.  Tese Científica ou Tese Política  O que é cientificidade? Um estudo é científico quando responde aos seguintes requisitos: 1. O estudo debruça-se sobre um objeto reconhecível e definido de tal maneira que seja reconhecível igualmente pelos outros. 2. O estudo deve dizer do objeto algo que ainda não foi dito ou rever sob uma óptica diferente o que já se disse. 3. O estudo deve ser útil aos demais. 4. O estudo deve fornecer elementos para a verificação e a contestação das hipóteses apresentadas e, portanto, para uma continuidade pública.
  19. 19.  Temas histórico-teóricos ou experiências ‘Quentes’? o Será mais útil fazer uma tese de erudição ou uma tese ligada a experiências práticas, a empenhos sociais diretos? o É mais útil fazer um tese que fale de autores célebres ou de textos antigos, ou uma tese que imponha uma intervenção direta na atualidade.
  20. 20.  Como transformar um assunto de atualidade em tema científico? o A conversão do cotidiano no científico. o O meu estudo de caso. o Como se dar tratamentos aos assuntos atuais e convertê-los em ciência?

×