Manual do TCC 2011 - 1

11.797 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.797
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
85
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual do TCC 2011 - 1

  1. 1. MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO COMUNICAÇÃO SOCIAL – JORNALISMO São Paulo 2011-01
  2. 2. 21. APRESENTAÇÃO Escrever uma monografia é contribuir, a partir de material diverso efundamentado, com os rumos que os estudos e a prática na área decomunicação tomarão. Essa é uma responsabilidade que ultrapassa ocompromisso individual de término do curso superior. O Trabalho de Conclusãode Curso (TCC) é a contribuição e a marca intelectual que o aluno deixa para aárea profissional em que está adentrando. Mais do que uma obrigação curricular, o TCC pode ser uma realizaçãopessoal e é por isso que o tema a ser investigado deve ser particularmenterelevante para o aluno. Uma boa pesquisa suscita, em cada descoberta, umprazer que se traduz em novos contornos e mais possibilidades acerca doassunto. E assim, escrever é apenas parte desse processo. Consultar asreferências bibliográficas de referência, entender o que já foi escrito eobservado sobre o tema escolhido, procurar novas opções, olhar esse objetosob outros ângulos, descobrir aspectos ainda não contemplados são resultadosnaturais e esperados desse processo. A maior satisfação, certamente, serácontribuir para os estudos e para a implementação permanente do Jornalismoético e responsável.1.1. O QUE É UMA MONOGRAFIA? O termo monografia designa um trabalho acerca de um único assunto.Segundo o novo Dicionário Aurélio, monografia significa “Dissertação ou estudominucioso que se propõe esgotar determinado tema relativamente restrito”. Adissertação pressupõe certo distanciamento do assunto, excluindo a opiniãopessoal do autor sobre o objeto de estudo. Muitas vezes, o pesquisador ou oestudioso tem uma hipótese formulada para tal trabalho, mas é preciso tercautela e paciência para observar se tal hipótese se confirmará ou não aolongo do estudo.
  3. 3. 3 Para essa abordagem, é imprescindível que autores expressivos sejameleitos como referências bibliográficas. Dependendo da abordagem a ser dadaao assunto, pode-se encontrar, inclusive, pontos de vista diferenciados quetendem a dar uma tônica interessante à apresentação e à discussão sobre oobjeto de estudo. Algumas obras podem ter apenas alguns capítulosconsultados, mas esse procedimento não é o ideal. O aluno deve procurarfazer a leitura completa do maior número possível de livros e trabalhospublicados sobre o assunto. Essa delimitação deve ser discutida com oprofessor-professor-orientador. Após o conhecimento sobre o assunto a ser exposto, será precisoverificar se há outros elementos que sustentarão a monografia científica. Essasinformações podem vir de dados estatísticos, obtidos a partir de pesquisasqualitativas e/ou quantitativas como entrevistas, repercussões populares,aplicações em determinados campos sociais, experiências, enfim, meios nosquais o objeto tenha relevância para ser apresentado e observado. Quando a maior parte dos materiais for coletada, está na hora decomeçar a escrever. A redação da monografia não é a mesma da matériajornalística, no entanto, o treino e o domínio da arte de escrever fazem comque a fluência, a clareza na exposição das idéias e a checagem dasinformações sejam aliadas na produção da monografia. Organizar o materialobtido é um bom começo. Separar o assunto, previamente, em grupos, seja elede discussão, com a demonstração de aspectos contrários ou comuns, grupossociais, apresentação, desenvolvimento e conclusão, ajuda bastante. Isso seriaum esquema prévio da organização dos capítulos da monografia. Não há umnúmero certo de capítulos a serem apresentados, o importante é que o temaesteja bem explorado dentro da perspectiva pretendida. No entanto, amonografia deve conter, no mínimo, 3 (três) capítulos.2. ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A ELABORAÇÃO Segundo Antônio Joaquim Severino, “não se pode conceber, a não serdepois de amadurecido raciocínio, a elaboração de um trabalho científico ao
  4. 4. 4sabor da inspiração intuitiva e espontânea, sem obediência a um plano eaplicação de um método”. Ou seja, é preciso que haja um esquema deplanejamento para a construção do trabalho. Geraldo Inácio Filho sugere queesse esquema seja dividido da seguinte forma:1. Determinação do tema-problema do trabalho (dúvida, questão, problema)2. Levantamento da bibliografia referente a esse tema (fontes);3. Leitura e documentação dessa bibliografia;4. Reflexão crítica;5. Construção lógica do trabalho;6. Redação do texto. Após a elaboração do roteiro de trabalho, é possível organizar ocronograma que prevê prazos para cumprir as tarefas propostas. Esseplanejamento permite que o aluno disponibilize um tempo adequado paraatingir suas metas e concluir com tranquilidade a monografia. Outra etapaimportante é organizar o material obtido no “resumo dos capítulos”. O trabalhodeve ter uma introdução, seguida pelo desenvolvimento do estudo e,finalmente, a conclusão. Na introdução, o aluno deve expor a origem da idéiadesse trabalho, apresentar o objeto de estudo com amplitude, mostrar ashipóteses formuladas e explicar como será desenvolvida a problemática. Oscapítulos referentes ao desenvolvimento podem ser divididos de acordo com omaterial disponível. Por exemplo: um grupo de autores que trata sobredeterminado aspecto do objeto; pesquisas na área; pontos contraditórios,situações comparativas e correlativas; avanços teóricos e perspectivas futuras.A conclusão deve ser a resposta final à hipótese inicial formulada. Opensamento crítico desenvolvido pelo aluno pode estar presente nessa etapa,mas sempre deve estar amparado pelo material analisado e pelas teoriasescolhidas para a fundamentação teórica do trabalho. Veja o exemplo a seguir:
  5. 5. 5Tema: A objetividade e o testemunho no JornalismoProblema: O editorial conta com a objetividade jornalística?Hipótese: O editorial é um gênero jornalístico que utiliza a objetividade comoprocedimento argumentativo para induzir o leitor a aceitar como verdadetestemunhal a opinião do veículo de comunicação.Desenvolvimento: Foi considerado o pensamento de duas pesquisadoras:1) Segundo Liriam Sponholz1: O primeiro passo para que um jornalista se aproxime da realidade é observá-la, buscá-la. As palavras-chaves para a objetividade jornalística são pesquisar, investigar, levantar informações, procurar derrubar as teses tidas até o momento como certas através de novos enfoques, de fontes que ainda não foram ouvidas e perspectivas que ainda não foram consideradas. Estas são as condições básicas para que se possa produzir um texto jornalístico objetivo. Nenhum formato de texto, nem mesmo o do lide, pode resultar numa aproximação da realidade se não houver a observação desta.2) Segundo Mayra Rodrigues Gomes2: se em jornalismo é vetado o falar em primeira pessoa, este fato se dá não tanto em nome da objetividade, largamente comprometida se seguirmos a lógica do signo até seu limite, mas porque esse poder que se funda na língua-mãe, e organiza o campo do social em nome de todos, não pode falar nem ser reiterado ou lembrado como individuação, uma vez que é a reafirmação/rememoração da palavra consignada por todos. É pela mesma razão que se notará a presença constante de sujeitos coletivos no jornalismo.Conclusão: O editorial mostra-se como configuração discursiva que busca levaro leitor a um fazer-crer por meio de procedimentos argumentativos amparados1 SPONHOLZ, Liriam. Objetividade em Jornalismo: uma perspectiva da teoria doconhecimento. in Objetividade e a teoria do conhecimento, edição nº. 21, revista Famecos –mídia, cultura e tecnologia, do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social da PUC-RS, Rio Grande do Sul, agosto 2003, p. 110-120.2 GOMES, Mayra Rodrigues. Jornalismo e Ciências da Liguagem. São Paulo: Hacker/Edusp,2000, p. 20.
  6. 6. 6no senso de objetividade. Para tanto, apresenta informações, apontapesquisas, destaca investigações de forma a constituir a presença doobservador, condição apontada por Liriam Sponholz como essencial àexistência da objetividade jornalística. No entanto, essa objetividade ficacomprometida, pois, ao emitir opiniões sem usar a primeira pessoa, o editorialprocura apenas inserir-se nos interesses da coletividade, como mostra MayraGomes. Para ela, isso não se dá pela busca da objetividade e, sim, para que seorganize o campo social em nome de todos. Desta forma, o direcionamentoacerca do assunto seria validado pela conjunção entre fatos e interessescoletivos, o que contribui para que o leitor aceite como certos os valoresdisseminados pelo editorial.2.1. O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO A realização da monografia compreende um período prévio de escolhado tema. Para tanto, inicialmente, o aluno desenvolverá o Projeto de Pesquisa,que deverá ser aprovado pelo professor-orientador para, na sequência, darinício à pesquisa e à redação da monografia. As etapas estão distribuídas nasdisciplinas Trabalho de Conclusão de Curso I e Trabalho de Conclusão deCurso II.2.2. PROJETO DE PESQUISA O projeto de pesquisa, etapa inicial do trabalho, deverá apresentar comclareza o estudo que o aluno pretende desenvolver. Por isso, precisará conteros seguintes tópicos:1. Tema2. Justificativa
  7. 7. 73. Problema4. Hipótese5. Objetivos 5.1. Geral 5.2. Específicos6. Procedimentos Metodológicos7. Referências bibliográficas2.3. RESUMO DOS CAPÍTULOS Com o objetivo de facilitar o desenvolvimento da pesquisa científica, logoapós a conclusão do Projeto de Pesquisa, o aluno deverá elaborar o “resumodos capítulos”. A partir do sumário, o aluno junto com o professor-orientadordefinirá os assuntos a serem abordados em cada um dos capítulos, o propósitode cada capítulo na composição do Projeto e os títulos de livros e autores queserão consultados para a elaboração dos textos. Esse esboço, redigido emtexto breve e objetivo, deverá ser entregue ao professor-orientador no prazoestabelecido e fará parte da avaliação do aluno.2.4. MONOGRAFIA O aluno deverá entregar cada capítulo pronto, para avaliação edirecionamento do professor-orientador, nos prazos estipulados. O primeirocapítulo deverá ser entregue até o final da disciplina Trabalho de Conclusão deCurso I, enquanto o trabalho completo deverá ser entregue até o final dadisciplina Trabalho de Conclusão de Curso II. Ao final da disciplina Trabalho deConclusão de Curso II, o aluno deverá entregar a monografia completa emduas cópias: uma em mídia digital (arquivo PDF) e outra impressa eencadernada em espiral, além da autorização para publicação na biblioteca
  8. 8. 8digital da universidade, preenchida e assinada, ao professor-orientador paraobtenção da aprovação.3. PROCEDIMENTOS DE ORIENTAÇÃO O aluno contará com o apoio do professor-orientador para odesenvolvimento do Projeto de Pesquisa, do resumo dos capítulos e damonografia completa. Esse processo deverá ser realizado presencialmente.Orientações por e-mail, telefone ou outros meios de comunicação sãoconsiderados auxiliares do processo de orientação, não eximem o aluno decomparecer aos encontros com o professor-orientador. A utilização dessesmeios auxiliares fica a critério do professor-orientador, não são obrigatórios. Ouseja, o professor-orientador não está obrigado a orientador o aluno por e-mail,telefone ou outros meios de comunicação, visto haver horário específico dentroda grade curricular do curso de Jornalismo para o processo de orientação. O professor-orientador considerará o desempenho do aluno durante todoo processo de orientação do TCC para a avaliação final e a atribuição de nota:assiduidade, utilização das normas ABNT, respeito aos prazos estipulados,postura acadêmica e comportamento ético. A cada encontro ou consulta aoprofessor-orientador, o aluno deverá apresentar pauta com dúvidas, oprogresso do seu trabalho, o progresso das leituras e a redação dos textossolicitados. Obtidas as orientações necessárias, o aluno deve aplicá-las.3.1. AVALIAÇÃO A avaliação do TCC será realizada de maneira diferente das demaisdisciplinas. As notas só serão lançadas uma vez, nota única, no fim dosemestre letivo. Tanto para a disciplina Trabalho de Conclusão de Curso Iquanto para a disciplina Trabalho de Conclusão de Curso II. A nota única
  9. 9. 9vai de 0 (zero) a 10 (dez), tendo como nota mínima para aprovação o valorde 6 (seis). Para ser aprovado, o aluno deverá desenvolver a monografia, atendendoàs determinações expostas neste manual e apresentadas pelos professores-orientadores em sintonia com a Coordenação de Jornalismo. Para asavaliações, alguns critérios foram estabelecidos de forma que seja possívelverificar o cumprimento dos objetivos propostos pela instituição para amonografia. Em todas as etapas, o comparecimento às orientaçõesmarcadas ao longo do semestre é um dos critérios decisivos para cumpriro objetivo do trabalho. O aluno que não comparecer às orientações eapenas apresentar o Trabalho de Conclusão de Curso pronto aoprofessor-orientador, a critério do mesmo, poderá ser enviado à Banca deDefesa para comprovar a sua autoria.3.1.1. AVALIAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA Os itens abaixo serão considerados componentes indispensáveis nestaetapa do trabalho:1. Respeito ao prazo de entrega;2. Cumprimento das normas ABNT;3. Referências bibliográficas;4. Pertinência, coerência, contribuição, inovação em relação ao tema pesquisado.3.1.2. AVALIAÇÃO DO RESUMO DOS CAPÍTULOS Serão considerados os seguintes tópicos:1. Breve descrição dos capítulos;
  10. 10. 102. Cumprimento do prazo de entrega;3. Referências bibliográficas;4. Coerência com o desenvolvimento do projeto.3.1.3. AVALIAÇÃO DA MONOGRAFIA – Parcial e Completa Serão observados os seguintes aspectos:1. Respeito aos prazos de entrega;2. Cumprimento das normas ABNT;3. Referências bibliográficas;4. Pertinência, coerência, contribuição e inovação para o tema trabalhado.3.2. DIREITOS AUTORAIS O aluno deverá respeitar rigorosamente os direitos autorais. Asobras apontadas na elaboração da monografia deverão estar referenciadas nofinal do trabalho e as citações devem seguir os padrões metodológicosdeterminados pela ABNT, disponíveis também nos livros indicados sobreMetodologia do Trabalho Científico. Portanto, serão punidos, academicamente,o plágio, a cópia e a apresentação de trabalhos que não tenham sido,comprovadamente, feitos pelos aluno. A Internet é um recurso que possibilita ampla pesquisa sobre muitosassuntos e o aluno deve saber utilizar esta ferramenta em benefício de seutrabalho. É expressamente proibida a cópia de trechos ou capítulosdiretamente da Internet, sem a devida citação da fonte, conforme ABNT.Caso isso ocorra, ficará caracterizada a falta de propriedade intelectual, ouseja, o plágio. O aluno que plagiar será reprovado na disciplina e punidoconforme o Regimento.
  11. 11. 11 Em qualquer etapa, o aluno poderá ser convocado pelo professor-professor-orientador e pelos coordenadores de curso a justificar ou defender asabordagens de seu trabalho.3.3. APRESENTAÇÃO GRÁFICA GERAL DO TRABALHO1. Capa (Item obrigatório)2. Página de rosto (Item obrigatório)3. Resumo (máximo de 500 palavras) e Palavras-Chave (máximo três palavras-chave) (Itens obrigatórios)4. Dedicatória (Item opcional)5. Agradecimentos (Item opcional)6. Sumário (Item obrigatório)7. Introdução (Item obrigatório)8. (*) Capítulos (Item obrigatório)9. Considerações Finais (Item obrigatório)10. Referências Bibliográficas (Item obrigatório)11. Apêndices e anexos (Itens opcionais)3.4. O TRABALHO SERÁ ENTREGUE EM DUAS CÓPIAS1. Uma cópia do TCC deverá ser entregue em mídia digital (CD): arquivo gravado em PDF, com o texto completo do trabalho e, quando utilizado, o banco de imagens (não será necessário digitalizar os anexos de textos).2. Uma cópia impressa em papel e encadernada em espiral.3. Também será entregue, juntamente com as duas cópias do trabalho, a autorização para publicação na biblioteca digital da universidade, preenchida e assinada pelo aluno.
  12. 12. 124. OBSERVAÇÕES FINAIS1. O aluno não pode escolher o professor-orientador livremente. O professor-orientador será indicado pela Coordenação do curso;2. Será possível a troca de professor-orientador apenas mediante permuta com outro orientando conforme prazo estipulado para permutas;3. Não será permitida a troca de professor-orientador após vencido o prazo estipulado para permutas. Antes de vencido esse prazo, ainda assim, a troca estará sujeita à aceitação do professor- orientador atual, do professor-orientador futuro e dos orientandos permutados por escrito. Que fique bem claro: não existe troca de professor-orientador sem o aceite do professor-orientador atual e do professor-orientador futuro por escrito, assim como dos orientandos permutados;4. O aluno pode recorrer a professores-coorientadores ao longo do projeto, desde que os mesmos aceitem a incumbência. Mas não poderá dispensar as orientações do professor-orientador oficial, responsável pelo direcionamento e pelo desenvolvimento gerais do TCC, pelo recorte do objeto de pesquisa, pela linha teórica a ser adotada e pela palavra final em casos conflitantes;5. Cabe somente ao professor-orientador avaliar se há necessidade de enviar o aluno à Banca de Defesa para a avaliação do TCC ou não.6. Casos de plágio ou cópia serão encaminhados à Coordenação do curso que se encarregará de definir o destino do aluno.5. CRONOGRAMA• Fevereiro e março – orientações gerais sobre TCC• Primeira semana de abril – entrega do Projeto de Pesquisa
  13. 13. 13• Primeira semana de maio – entrega do resumo dos capítulos• Primeira semana de junho – entrega do primeiro capítulo pronto da monografia• Primeira semana de setembro – entrega do segundo capítulo pronto da monografia• Primeira semana de outubro – entrega do terceiro capítulo pronto da monografia• Primeira semana de novembro – entrega da monografia concluída• Demais semanas de novembro e dezembro – realização das bancas para avaliação de monografias (a critério dos professores- orientadores)7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS METODOLÓGICAS PARA A PRODUÇÃO DA MONOGRAFIAECO, Umberto. Como se faz uma tese. São Paulo:Perspectiva, 2003.INÁCIO, Geraldo Filho. A monografia na Universidade. Campinas, SP:Papirus, 2001.SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. SãoPaulo: Cortez, 2004.

×