SlideShare uma empresa Scribd logo
Plano do
Encontro
 CIESP Sul e o GRAI;
 Cenários e Tendências;
 Referencial Teórico;
 Bate-Bola – Perguntas e Respostas.
ORÇAMENTO POSITIVO
Resultado Esperado:
“Responder as indagações”
 Como aumentar as margens do seu negócio?
 Como integrar a liderança na busca de resultados financeiros consistentes;
 Como melhorar a eficiência operacional?
 Como obter resultados com a metodologia OBZ?
Workshop
Empresarial
1998/2004
FCO / FDG /
INDG /Falconi
2004/2005
BMI
2005/2007
TotvsBMI
2007/2008
Totvs Consulting
2008 - ILGC
O Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva - ILGC é um integrador de talentos e habilidades, cujas ações são
convergentes para a melhoria permanente da competitividade das pessoas e seus negócios.
Objetivamente, apoiamos as organizações e pessoas a serem competitivas e geradoras de riquezas através do tempo.
Negócio: Construir Valor em Processos Empresariais.
 Consultoria Empresarial:
 Processos e Indicadores, Produtos e Tecnologia, Modelo de Negócio, Planejamento Estratégico e Revitalização de
Negócios;
 Educação Continuada:
 Encontros Presenciais e Virtuais, Ações para Formação e Capacitação, Mentoring Colaborativo.
Negócios Estratégicos:
 BPO, Interim Management, Alianças Estratégicas.
Quem Somos e o que
Fazemos
Cenários e
Tendências
 Cenário Econômico
 China Desacelerando;
 Europa sem diretriz definida.. Altos Riscos;
 USA recuperando... Tx de Juros
 Emergentes.... Dependências do G8;
 Mercado interno restritivo;
 Alta competitividade interna;
 Incorporação de novos “players” no mercado.
 Seletividade nos Gastos;
 Demandas por maior produtividade;
 Necessidade de redução das “perdas”
visíveis e invisíveis.
 Obsessão por controle e redução de custos;
 Aumentar “quantitativo e qualitativo”
as receitas;
 Construir alianças e relacionamentos
sustentáveis;
 Otimizar e ampliar as relações com os clientes
Atuais.
Cenários para a Economia Mundial e do Brasil
No que
acreditamos
• Simplicidade e Austeridade.....Colaboração.....Tecnologia.....Redes Sociais..... ATITUDE
MERCADO
O MERCADO exige sempre maiores níveis de
resultados, conforme suas necessidades (ex.
redução de custos e preços, melhores prazos,
melhor receita e retorno sobre o capital
investido)
MATERIAIS
Processos
Produtos e Serviços
Resultados
EQUIPAMENTOS
PESSOAS
MÉTODO
Sistemas de
Informação
Competitividade = Resultados continuamente melhorados
Clientes Preço, Qualidade, Prazo
Acionistas Capital, ROI, Lucros
Colaboradores Custo, Segurança, Moral
Sociedade Tributos, Segurança
NECESSIDADES
Gente como diferencial
competitivo
 Sonhar Acordado;
 Ter atitudes...construtivas...
 Ter capacidade de análise crítica...
 Ser confiável...
 Trabalhar de forma racional e estruturada, supera obstáculos e grandes desafios.
No que
acreditamos
 Tenha clareza de posicionamento.. conheça seu mercado atual e futuro;
 Se necessário, ajuste as “velas” do negócio se a tempestade lhe afetar;
 Conheça cada um dos seus clientes, seus desejos , necessidades presentes e futuras. Reserve um tempo
para “pensar em novos serviços aos clientes atuais
 Tenha indicadores de qualidade, custo e entrega.. monitore-os sistematicamente;
 Acompanhe as tendências e benchmarks.. Exemplo 250 empresas.. Dinamismo dos mercados;
 Nunca perca de vista a visão de futuro. tenha um –driver- que lhe mostre os caminhos;
 Modernize os processos, simplifique as tarefas. Gente competente garante o sucesso do negócio no
presente e futuro;
 Construa “alianças” com todos os envolvidos ....indistintamente;
Agenda
Positiva
EBITDA (%)
(-) Depreciação/Amortização
Lucro Operacional (EBIT)
(-) Despesas Financeiras/Juros
(-) Resultado não Operacional
(-) Imposto de Renda
(-) Despesas
(-) Despesas Operacionais
(-) Despesas Comerciais
(-) Despesas Gerais e Administrativas
(-) Despesas Distribuição
(-) CPV
Lucro Bruto
Margem Bruta (%)
Receita Bruta
(-) Impostos
(-) Devoluções
Receita Líquida
Lucro Líquido
Capacidade de
Análise Critica
“Não se confia em alguém apenas porque se gosta ou se quer”
 Uma das bases da confiança é a certeza da boa-fé, de que ela merece o respeito
de todos e de que não faz trapaças nem às claras nem por detrás.
 Mas a confiança também é fruto:
 Da coerência entre o discurso e a ação,
 Da competência profissional,
 da entrega consistente dos resultados prometidos.
Pressuposto para
ser Confiável
Trabalho
Estruturado
Pé no Freio Pé no Acelerador
 Desperdícios;
 Ineficiência;
 Perda de Tempo;
 Gastos Desnecessários
 ........
 Disposição para o trabalho;
 Cliente é o nosso patrão.. ele é a razão da
nossa existência;
 Venda qualitativa é aquela em que o
cliente volta a comprar;
 Capacidade de resiliência. Não desistir
nunca;
 Entender que todos somos vendedores;
 Capacidade de construir alianças;
 ..........
Trabalho
Estruturado
Estágio 1
O excesso de
confiança
proveniente do
sucesso
Estágio 2
A busca
indisciplinada por
mais
Estágio 3
A negação de
riscos e perigos
Estágio 4
A luta
desesperada
pela salvação
Estágio 5
A entrega à
irrelevância ou à
morte
Recuperação e
Inovação
Os 5 Estágios do
Declínio
No que
Acreditamos
Brasil Atrasado
 Patrimonialismo;
 Burocracia;
 Clientelismo;
 Mito de povo cordial;
 Salvacionismo;
 Ditaduras Regionais.
Brasil Modernidade
 Democracia;
 Ser parte de um mundo em expansão;
 Gente com atitudes construtivas;
 Estimulo a iniciativa privada;
 Educação empresarial de qualidade;
 Ações competitivas nos negócios.
O Mundo dos
Desperdícios
 CONCEITOS LEAN: DESPERDÍCIO
 O que é desperdício? Todos temos uma ideia geral sobre o significado de desperdício. Mas na verdade, desperdício é a
execução de qualquer ação ou atividade que consome recursos (materiais ou humanos) e que não acrescenta valor, ou seja,
que o cliente não está disposto a pagar. Parece simples…mas talvez não seja assim tão simples como parece, principalmente
quando é necessário identificar, quantificar e eliminar ou reduzir os desperdícios.
 Taiichi Ohno (1988, Toyota Production System: Beyond Large-Scale Production, Productivity Press), engenheiro chefe da
Toyota, dividiu os desperdícios em 7 categorias, que se referem a recursos normalmente desperdiçados:
 Transporte (Transport) – Movimentação desnecessária de materiais entre processos.
 Stock (Inventory) – Armazenar itens (materiais e/ou matéria-prima) desnecessários que não suportam as entregas
programadas.
O Mundo dos
Desperdícios
 Movimentações (Movement) – Movimentações desnecessárias de pessoas que não acrescentam valor ao produto ou
serviço.
 Espera (Waiting) – Impossibilidade de avançar para a próxima etapa do processo. Tempo de espera de pessoas e tempos de
espera de produtos.
 Excesso de Produção (Overproduction) – Produzir mais do que o necessário: produzir antes da encomenda; produzir a um
ritmo superior ao necessário.
 Processamento Desnecessário (Overprocessing) – Esforço que não acrescenta valor a um produto ou serviço. Demasiadas
etapas para conseguir completar o trabalho.
 Defeitos (Defects) – Necessidade de proceder á reparação de um produto ou serviço para conseguir cumprir os requisitos do
cliente.
 Grande parte das Empresas que aplicam as metodologias Lean, consideram um 8º desperdício: Acidentes de Trabalho
(Injuries). Duas das maiores causas para as faltas ao trabalho estão relacionadas com questões de ergonomia e de segurança
no trabalho.
 Existem Empresas que começam já a considerar mais 2 desperdícios adicionais: Desperdício de Talentos – Refere-se á não
utilização total das pessoas (staff) e/ou aproveitamento do seu conhecimento e experiência para conseguir com que os
processos fluam melhor do principio ao fim; Redefinição de prioridades – Alteração de pedidos de trabalho e a constante
correria para “apagar fogos”. Estes desperdícios adicionais têm sido considerados principalmente nas áreas dos serviços de
saúde e escritórios. É no entanto fundamental conseguir medir todos os desperdícios que ocorrem em nossas atividades
Maior Problema da Saúde
está no Desperdício de
Recursos
O maior problema da saúde não está apenas na escassez de recursos financeiros, mas no desperdício,
que corrói valores exorbitantes dos cofres do sistema
De acordo com o relatório "O Financiamento da Cobertura Universal", da Organização Mundial da Saúde
(OMS), entre 20% e 40% de todos os gastos em saúde são desperdiçados
por ineficiência. Ainda segundo a OMS, apenas nos países desenvolvidos, a fraude e outras formas
de desperdícios podem representar um custo estimado de US$ 12 bilhões a US$ 23 bilhões de dólares por
ano para os governos.
Já dados da Rede Europeia para a Fraude e Corrupção na Saúde demonstram que dos US$ 5,3 trilhões
das despesas globais em saúde, aproximadamente US$ 300 bilhões são perdidos para os erros e para a
corrupção.
 Estabelecemos perspectiva de ganho econômico
financeiro para o período de 12 meses;
 Avaliamos estruturas contábeis, plano de contas – centro
de custo e estratificamos por grupamentos semelhantes;
 Elegemos um líder/dono para cada grupamento;
 Desdobraremos as metas para cada grupamento de
contas;
 Analisamos preço de venda e de aquisição e
produtividade de cada processo;
 Negociamos as metas em termos relativos (%) entre as
partes envolvidas;
 Elaboramos a matriz orçamentária e capacitamos as
pessoas envolvidas;
 Apoiamos no monitoramento sistemático das metas e
dos resultados.
 Despesas aplicadas de forma qualitativa;
 Custos fixos e variáveis reduzidos;
 Liderança comprometida com os desafios e
resultados;
 Margens do negócio ampliadas;
 Processos modernizados;
 Resultados sustentáveis;
 Book do projeto com plano de conta
comentado.
Como Fazemos... Entregáveis
Relevante
Tempo médio de implementação 180-360 dias;
ROI superior a R$ 2.5/R$1.00;
Na média os resultados começam a surgir a
partir do 75° dia após o início.
Proposta de Valor: Alcançar ganho econômico superior a 5% na Execução da Peça
Orçamentária
Orçamento
Positivo
Resumo do Planejamento
DC
A PMeta
Estratégica
Gestores de Pacote
identificam as
Oportunidades
Metas Desafiadores
de redução por CC
Normas e Padrões
para alcançar
as metas
S N V enc to V alor anual
O bjetivo
red. %
E s tratégia R es pons ável D ata
% R eduç ão
N egoc iada
Novo
Valor
P apel V C P x 12-jan 72.000 10%
C artucho de
tinta
K alunga x 9-m ai 50.000 5% 30/abr
Tonner X erox X 5.000 30%
P asta/fichário
P apelaria New
Office
x 4.000 20%
Notas fiscais JC F orm ulários x 15-jul 120.000 10%
251.000 10% % M édia de redução dos contratos TOTA L 0
303.150 83% % Identificada das contas
F ORNE C E D OR
Suporte Administrativo
Material de escritório
Inês
Total identificado na conta
Total
N e g o cia çã o
PACOTE
CONTA
GESTOR
ANÁLISE DE CONTRATOS
A n a lise d o co n tra to
ITE M
C o n t. fo rm a l ?
Análise de Contrato
NOVO CUSTO
PREÇO REDUÇÃO DO PREÇO
REDUÇÃO
DO
CONSUMO
CONSUMO
+ Gastos
Valor
Contábil
Parâmetros
G estor es
E ntid ad es
R ealizado
Acum ulado
(R$)
M eta
Acum ulada
(R $)
Diferença
(R$)
Realizado
Acum ulado
(R $)
M eta
A cumulada
(R$)
Diferença
(R $)
Realizado
A cumulado
(R$)
M eta
Acum ulada
(R$)
D iferença
(R$)
Realizado
Acum ulado
(R$)
M eta
A cum ulada
(R$)
Paco tes de
Pro d uto s
G estor es
Bebida
E nergética
Creme UHT
Doce de Leite
Iogurte
L.Ester.S abor
Leite C
Leite C - Vit
Leite
Condensado
Leite em Pó
Leite Longa
V ida
M anteiga
Q .Petit Suiss
Q ueijo
Requeijão
Soro em pó
Sucos
T o tal d as En tidad es
R egião Centro-O este/Sudeste Região Norte/Nordeste R egião São Paulo/Sul T otal
Do no : D r. Jacq ues G on tijo
Matrizes
Orçamentárias
Negociação
Geral das
metas
Análise
R$/F

IndicadoresMetas
Preliminares
2. Elaboração do
Orçamento
2.1 Análises iniciais e
preparação para
definição de metas
Escopo do trabalho
Produtos
2.2 Definição de metas
preliminares
Conceitos
Ferramentas
2.3 Negociação e
consolidação
Negociação
Consolidação
Resumo do planejamento
Orçamento Positivo -
Gastos - Despesas
Metas de um pacote
entre as áreas
Meta das áreas entre
os pacotes
Fechamento das metas nas
áreas e pacotes da matriz
Orçamento
Positivo
Análise de Gastos
Gastos =
(Custo Total de
Gasolina)
X
L. Gasolina
Dia
R$
Litro
Análise
Histórica
1 2
Ação sobre os
parâmetros
Renegociação de
contratos
Preço por litro
Litros
Gasolina
Novo Custo
Custo
Original
2. Elaboração do
Orçamento
2.1 Análises iniciais e
preparação para
definição de metas
Escopo do trabalho
Produtos
2.2 Definição de metas
preliminares
Conceitos
Ferramentas
2.3 Negociação e
consolidação
Negociação
Consolidação
Resumo do planejamento
Orçamento Positivo -
Gastos
Ação sobre os parâmetros
Gasto = Consumo x Preço
R$ = Litros x R$
Dia Dia Litros
2. Elaboração do
Orçamento
2.1 Análises iniciais e
preparação para
definição de metas
Escopo do trabalho
Produtos
2.2 Definição de metas
preliminares
Conceitos
Ferramentas
2.3 Negociação e
consolidação
Negociação
Consolidação
Resumo do planejamento
Km Rodados X Litro
Dia Km Rodados
Otimização da Rota Rendimento do Veículo
Orçamento Positivo -
Gastos
Exemplo de Áreas
Presidência
Diretoria A Diretoria B Diretoria C
Gerência B1 Gerência B2 Gerência B3
Supervisão B21 Supervisão B22 Supervisão B23
Empresa
Diretoria
Gerência / Filiais
Coordenação /
Supervisão
2. Elaboração do
Orçamento
2.1 Análises iniciais e
preparação para
definição de metas
Escopo do trabalho
Produtos
2.2 Definição de metas
preliminares
Conceitos
Ferramentas
2.3 Negociação e
consolidação
Negociação
Consolidação
Resumo do planejamento
Orçamento Positivo -
Gastos
 Questione-nos
-Produtividade não é tudo. Mas no longo prazo é quase tudo. A habilidade de um país e suas
empresas melhorarem o padrão de vida ao longo do tempo depende das suas habilidades de
aumentar a produtividade de cada pessoa.
Paul Krugman...Economista...
Agenda
Positiva
Se não existisse o impossível, até onde
você conseguiria ir?
Que venha
o futuro
Se não existisse o impossível, até onde
você conseguiria ir?
Que venha
o futuro
 Quem somente observa o vento nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca colherá;
 Semeia de manhã a tua semente e à tarde não repouses a mão, porque não sabes qual
prosperará;
Se esta, se aquela ou se ambas igualmente serão boas.
Ec: 11: 4 e 6
Quem nós
Apoiamos?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Hands On Solutions Consultoria Em Gestao Empresarial
Hands On Solutions    Consultoria Em Gestao EmpresarialHands On Solutions    Consultoria Em Gestao Empresarial
Hands On Solutions Consultoria Em Gestao Empresarial
HSCE Ltda.
 
Fabio costa - Palestra: Estratégia de RH em tempo de crise
Fabio costa - Palestra: Estratégia de RH em tempo de criseFabio costa - Palestra: Estratégia de RH em tempo de crise
Fabio costa - Palestra: Estratégia de RH em tempo de crise
Landoaldo Lima
 
Dimensionamento e produtividade de recursos humanos
Dimensionamento e produtividade de recursos humanosDimensionamento e produtividade de recursos humanos
Dimensionamento e produtividade de recursos humanos
EloGroup
 
Hands-on Solutions Consultoria Empresarial - Folder
Hands-on Solutions Consultoria Empresarial - FolderHands-on Solutions Consultoria Empresarial - Folder
Hands-on Solutions Consultoria Empresarial - Folder
HSCE Ltda.
 
Aula 9 ucam 2014.1 - adm rh - gestao de pessoas
Aula 9   ucam 2014.1 - adm rh - gestao de pessoasAula 9   ucam 2014.1 - adm rh - gestao de pessoas
Aula 9 ucam 2014.1 - adm rh - gestao de pessoas
Angelo Peres
 
Como obter melhores resultados com os recursos atuais - fazer mais com menos
Como obter melhores resultados com os recursos atuais - fazer mais com menosComo obter melhores resultados com os recursos atuais - fazer mais com menos
Como obter melhores resultados com os recursos atuais - fazer mais com menos
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
Roberto Augusto Queiroz da Silva
 
Tendências_das_organizações_globalização_competitividade_produtividade_e_qual...
Tendências_das_organizações_globalização_competitividade_produtividade_e_qual...Tendências_das_organizações_globalização_competitividade_produtividade_e_qual...
Tendências_das_organizações_globalização_competitividade_produtividade_e_qual...
Jordanio Silva Santos
 
Estruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPM
Estruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPMEstruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPM
Estruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPM
Celebroni BPM
 
GPME - O planejamento estratégico
GPME - O planejamento estratégicoGPME - O planejamento estratégico
GPME - O planejamento estratégico
Ricardo Barboza da Silva
 
A administraçao do futuro (1)
A administraçao do futuro (1)A administraçao do futuro (1)
A administraçao do futuro (1)
Gii Paulo
 
Diagnóstico Empresarial Como Diagnosticar a Performance de seu “Negócio”
  Diagnóstico Empresarial Como Diagnosticar a Performance de seu “Negócio”  Diagnóstico Empresarial Como Diagnosticar a Performance de seu “Negócio”
Diagnóstico Empresarial Como Diagnosticar a Performance de seu “Negócio”
Maria Betania Alves
 
Palestra fatec tatui_20101021
Palestra fatec tatui_20101021Palestra fatec tatui_20101021
Palestra fatec tatui_20101021
Rafael Marega
 
Jornada Financeira - Cap 6: Gestao e Governanca
Jornada Financeira - Cap 6: Gestao e GovernancaJornada Financeira - Cap 6: Gestao e Governanca
Jornada Financeira - Cap 6: Gestao e Governanca
Val Rea
 
Gestão de Conhecimento e Gestão da Qualidade
Gestão de Conhecimento e Gestão da QualidadeGestão de Conhecimento e Gestão da Qualidade
Gestão de Conhecimento e Gestão da Qualidade
Claudia Ferrari
 
Trabalho de Sobre Os Processos de RH
Trabalho de Sobre Os Processos de RHTrabalho de Sobre Os Processos de RH
Trabalho de Sobre Os Processos de RH
Orlando Tandala
 
V2R faz Consultoria de Estrategia e Performance
V2R faz Consultoria de Estrategia e Performance V2R faz Consultoria de Estrategia e Performance
V2R faz Consultoria de Estrategia e Performance
Marcos Rittner
 
Artur Lopes & Associados
Artur Lopes & AssociadosArtur Lopes & Associados
Artur Lopes & Associados
arturlopesassociados
 
Redução de custo através da revisão e otimização de processos de suprimentos
Redução de custo através da revisão e otimização de processos de suprimentosRedução de custo através da revisão e otimização de processos de suprimentos
Redução de custo através da revisão e otimização de processos de suprimentos
EloGroup
 
Jorge Abel Peres Brazil - Top líderes
Jorge Abel Peres Brazil - Top líderesJorge Abel Peres Brazil - Top líderes
Jorge Abel Peres Brazil - Top líderes
paulooficinadotexto
 

Mais procurados (20)

Hands On Solutions Consultoria Em Gestao Empresarial
Hands On Solutions    Consultoria Em Gestao EmpresarialHands On Solutions    Consultoria Em Gestao Empresarial
Hands On Solutions Consultoria Em Gestao Empresarial
 
Fabio costa - Palestra: Estratégia de RH em tempo de crise
Fabio costa - Palestra: Estratégia de RH em tempo de criseFabio costa - Palestra: Estratégia de RH em tempo de crise
Fabio costa - Palestra: Estratégia de RH em tempo de crise
 
Dimensionamento e produtividade de recursos humanos
Dimensionamento e produtividade de recursos humanosDimensionamento e produtividade de recursos humanos
Dimensionamento e produtividade de recursos humanos
 
Hands-on Solutions Consultoria Empresarial - Folder
Hands-on Solutions Consultoria Empresarial - FolderHands-on Solutions Consultoria Empresarial - Folder
Hands-on Solutions Consultoria Empresarial - Folder
 
Aula 9 ucam 2014.1 - adm rh - gestao de pessoas
Aula 9   ucam 2014.1 - adm rh - gestao de pessoasAula 9   ucam 2014.1 - adm rh - gestao de pessoas
Aula 9 ucam 2014.1 - adm rh - gestao de pessoas
 
Como obter melhores resultados com os recursos atuais - fazer mais com menos
Como obter melhores resultados com os recursos atuais - fazer mais com menosComo obter melhores resultados com os recursos atuais - fazer mais com menos
Como obter melhores resultados com os recursos atuais - fazer mais com menos
 
Planejamento Estratégico
Planejamento EstratégicoPlanejamento Estratégico
Planejamento Estratégico
 
Tendências_das_organizações_globalização_competitividade_produtividade_e_qual...
Tendências_das_organizações_globalização_competitividade_produtividade_e_qual...Tendências_das_organizações_globalização_competitividade_produtividade_e_qual...
Tendências_das_organizações_globalização_competitividade_produtividade_e_qual...
 
Estruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPM
Estruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPMEstruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPM
Estruturação dos processos de Recursos Humanos através das práticas de BPM
 
GPME - O planejamento estratégico
GPME - O planejamento estratégicoGPME - O planejamento estratégico
GPME - O planejamento estratégico
 
A administraçao do futuro (1)
A administraçao do futuro (1)A administraçao do futuro (1)
A administraçao do futuro (1)
 
Diagnóstico Empresarial Como Diagnosticar a Performance de seu “Negócio”
  Diagnóstico Empresarial Como Diagnosticar a Performance de seu “Negócio”  Diagnóstico Empresarial Como Diagnosticar a Performance de seu “Negócio”
Diagnóstico Empresarial Como Diagnosticar a Performance de seu “Negócio”
 
Palestra fatec tatui_20101021
Palestra fatec tatui_20101021Palestra fatec tatui_20101021
Palestra fatec tatui_20101021
 
Jornada Financeira - Cap 6: Gestao e Governanca
Jornada Financeira - Cap 6: Gestao e GovernancaJornada Financeira - Cap 6: Gestao e Governanca
Jornada Financeira - Cap 6: Gestao e Governanca
 
Gestão de Conhecimento e Gestão da Qualidade
Gestão de Conhecimento e Gestão da QualidadeGestão de Conhecimento e Gestão da Qualidade
Gestão de Conhecimento e Gestão da Qualidade
 
Trabalho de Sobre Os Processos de RH
Trabalho de Sobre Os Processos de RHTrabalho de Sobre Os Processos de RH
Trabalho de Sobre Os Processos de RH
 
V2R faz Consultoria de Estrategia e Performance
V2R faz Consultoria de Estrategia e Performance V2R faz Consultoria de Estrategia e Performance
V2R faz Consultoria de Estrategia e Performance
 
Artur Lopes & Associados
Artur Lopes & AssociadosArtur Lopes & Associados
Artur Lopes & Associados
 
Redução de custo através da revisão e otimização de processos de suprimentos
Redução de custo através da revisão e otimização de processos de suprimentosRedução de custo através da revisão e otimização de processos de suprimentos
Redução de custo através da revisão e otimização de processos de suprimentos
 
Jorge Abel Peres Brazil - Top líderes
Jorge Abel Peres Brazil - Top líderesJorge Abel Peres Brazil - Top líderes
Jorge Abel Peres Brazil - Top líderes
 

Destaque

I phone toll free number
I phone toll free numberI phone toll free number
I phone toll free number
kingroc
 
P&G
P&GP&G
áLbum de fotografías
áLbum de fotografíasáLbum de fotografías
áLbum de fotografías
jose
 
Exposure index
Exposure indexExposure index
Exposure index
fili75
 
Cartilhafinalizada bpf
Cartilhafinalizada bpfCartilhafinalizada bpf
Cartilhafinalizada bpf
Eli Lima
 
Philips - case study , sameer mathur sir.pptx
Philips  - case study , sameer mathur sir.pptxPhilips  - case study , sameer mathur sir.pptx
Philips - case study , sameer mathur sir.pptx
Ronak Pani
 
Design your kids room with this amazing tips
Design your kids room with this amazing tipsDesign your kids room with this amazing tips
Design your kids room with this amazing tips
ethanjordan
 
Pollution and it's Effects on Human Health
Pollution and it's Effects on Human HealthPollution and it's Effects on Human Health
Pollution and it's Effects on Human Health
Babatunde Olowookere
 
Toiagul pastoriei - de Ion Druta
Toiagul pastoriei - de Ion DrutaToiagul pastoriei - de Ion Druta
Toiagul pastoriei - de Ion Druta
Andrei O.
 
Mc donald's,minicase study ,kotler
Mc donald's,minicase study ,kotlerMc donald's,minicase study ,kotler
Mc donald's,minicase study ,kotler
Nishant srivastava
 
ACUPUNTURA: UNA TÉCNICA USADA EN MEDICINA NATURAL
ACUPUNTURA: UNA TÉCNICA USADA EN MEDICINA NATURALACUPUNTURA: UNA TÉCNICA USADA EN MEDICINA NATURAL
ACUPUNTURA: UNA TÉCNICA USADA EN MEDICINA NATURAL
Ariana Espinosa
 
Autumn s resume 2016
Autumn s resume 2016Autumn s resume 2016
Autumn s resume 2016
Autumn Luckey
 

Destaque (13)

I phone toll free number
I phone toll free numberI phone toll free number
I phone toll free number
 
Slideshow
SlideshowSlideshow
Slideshow
 
P&G
P&GP&G
P&G
 
áLbum de fotografías
áLbum de fotografíasáLbum de fotografías
áLbum de fotografías
 
Exposure index
Exposure indexExposure index
Exposure index
 
Cartilhafinalizada bpf
Cartilhafinalizada bpfCartilhafinalizada bpf
Cartilhafinalizada bpf
 
Philips - case study , sameer mathur sir.pptx
Philips  - case study , sameer mathur sir.pptxPhilips  - case study , sameer mathur sir.pptx
Philips - case study , sameer mathur sir.pptx
 
Design your kids room with this amazing tips
Design your kids room with this amazing tipsDesign your kids room with this amazing tips
Design your kids room with this amazing tips
 
Pollution and it's Effects on Human Health
Pollution and it's Effects on Human HealthPollution and it's Effects on Human Health
Pollution and it's Effects on Human Health
 
Toiagul pastoriei - de Ion Druta
Toiagul pastoriei - de Ion DrutaToiagul pastoriei - de Ion Druta
Toiagul pastoriei - de Ion Druta
 
Mc donald's,minicase study ,kotler
Mc donald's,minicase study ,kotlerMc donald's,minicase study ,kotler
Mc donald's,minicase study ,kotler
 
ACUPUNTURA: UNA TÉCNICA USADA EN MEDICINA NATURAL
ACUPUNTURA: UNA TÉCNICA USADA EN MEDICINA NATURALACUPUNTURA: UNA TÉCNICA USADA EN MEDICINA NATURAL
ACUPUNTURA: UNA TÉCNICA USADA EN MEDICINA NATURAL
 
Autumn s resume 2016
Autumn s resume 2016Autumn s resume 2016
Autumn s resume 2016
 

Semelhante a Workshop Orçamento Positivo - 04/11/2015

Apresentação Webinar Especial - Orçamento Positivo
Apresentação Webinar Especial - Orçamento PositivoApresentação Webinar Especial - Orçamento Positivo
Apresentação Webinar Especial - Orçamento Positivo
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...
Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...
Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
Plano estratégico.
Plano estratégico.Plano estratégico.
Plano estratégico.
Carlos Rocha
 
Estratégias, Riscos e Modelagem Empresarial
Estratégias, Riscos e Modelagem EmpresarialEstratégias, Riscos e Modelagem Empresarial
Estratégias, Riscos e Modelagem Empresarial
Qualytool Consulting Group
 
WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...
Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...
Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...
Lara Selem
 
Liderança impulsionadora de Agilidade e Diversidade
Liderança impulsionadora de Agilidade e DiversidadeLiderança impulsionadora de Agilidade e Diversidade
Liderança impulsionadora de Agilidade e Diversidade
Mariana Zaparolli Martins
 
PETI - Planejamento Estratégico de TI
PETI - Planejamento Estratégico de TI PETI - Planejamento Estratégico de TI
PETI - Planejamento Estratégico de TI
CompanyWeb
 
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de NegóciosInstituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
Fabio Lima
 
Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP - Por que muitas startups falham? Dicas ...
Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP  -  Por que muitas startups falham? Dicas ...Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP  -  Por que muitas startups falham? Dicas ...
Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP - Por que muitas startups falham? Dicas ...
Nei Grando
 
Newsletter ILGC 2015
Newsletter ILGC  2015Newsletter ILGC  2015
Semana do administrador ufsc 2011
Semana do administrador ufsc 2011Semana do administrador ufsc 2011
Semana do administrador ufsc 2011
Paulo Bastos
 
20100202 Diretor De Fabrica V.1.0
20100202 Diretor De Fabrica V.1.020100202 Diretor De Fabrica V.1.0
20100202 Diretor De Fabrica V.1.0
Sindico de Aluguel
 
Plano_Estrategico_MKT_PM
Plano_Estrategico_MKT_PMPlano_Estrategico_MKT_PM
Plano_Estrategico_MKT_PM
Paulo Mansoldo
 
Seminário Planejamento Estratégico Dígitro
Seminário Planejamento Estratégico DígitroSeminário Planejamento Estratégico Dígitro
Seminário Planejamento Estratégico Dígitro
Andrei Cavalheiro
 
Ferramentas e Aplicativos da Adm
Ferramentas e Aplicativos da AdmFerramentas e Aplicativos da Adm
Ferramentas e Aplicativos da Adm
Marcos Alves
 
Jornada ExpoGestão 2019 - Palestrante Luis Lobão
Jornada ExpoGestão 2019 - Palestrante Luis LobãoJornada ExpoGestão 2019 - Palestrante Luis Lobão
Jornada ExpoGestão 2019 - Palestrante Luis Lobão
ExpoGestão
 
Webinar Enora Leaders - A Experiência do Cliente como Ferramenta de Inovação ...
Webinar Enora Leaders - A Experiência do Cliente como Ferramenta de Inovação ...Webinar Enora Leaders - A Experiência do Cliente como Ferramenta de Inovação ...
Webinar Enora Leaders - A Experiência do Cliente como Ferramenta de Inovação ...
Renato Fontana Capalbo
 
Áreas_funcionais_das_organizacões
Áreas_funcionais_das_organizacõesÁreas_funcionais_das_organizacões
Áreas_funcionais_das_organizacões
Jordanio Silva Santos
 
Top líderes
Top líderesTop líderes

Semelhante a Workshop Orçamento Positivo - 04/11/2015 (20)

Apresentação Webinar Especial - Orçamento Positivo
Apresentação Webinar Especial - Orçamento PositivoApresentação Webinar Especial - Orçamento Positivo
Apresentação Webinar Especial - Orçamento Positivo
 
Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...
Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...
Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...
 
Plano estratégico.
Plano estratégico.Plano estratégico.
Plano estratégico.
 
Estratégias, Riscos e Modelagem Empresarial
Estratégias, Riscos e Modelagem EmpresarialEstratégias, Riscos e Modelagem Empresarial
Estratégias, Riscos e Modelagem Empresarial
 
WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
 
Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...
Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...
Palestra sobre Planejamento Estratégico, proferida por Lara Selem na Fenalaw ...
 
Liderança impulsionadora de Agilidade e Diversidade
Liderança impulsionadora de Agilidade e DiversidadeLiderança impulsionadora de Agilidade e Diversidade
Liderança impulsionadora de Agilidade e Diversidade
 
PETI - Planejamento Estratégico de TI
PETI - Planejamento Estratégico de TI PETI - Planejamento Estratégico de TI
PETI - Planejamento Estratégico de TI
 
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de NegóciosInstituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
Instituto IZI - Empreendedorismo e Planejamento de Negócios
 
Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP - Por que muitas startups falham? Dicas ...
Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP  -  Por que muitas startups falham? Dicas ...Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP  -  Por que muitas startups falham? Dicas ...
Papo de Mentor ABMEN em Taubaté-SP - Por que muitas startups falham? Dicas ...
 
Newsletter ILGC 2015
Newsletter ILGC  2015Newsletter ILGC  2015
Newsletter ILGC 2015
 
Semana do administrador ufsc 2011
Semana do administrador ufsc 2011Semana do administrador ufsc 2011
Semana do administrador ufsc 2011
 
20100202 Diretor De Fabrica V.1.0
20100202 Diretor De Fabrica V.1.020100202 Diretor De Fabrica V.1.0
20100202 Diretor De Fabrica V.1.0
 
Plano_Estrategico_MKT_PM
Plano_Estrategico_MKT_PMPlano_Estrategico_MKT_PM
Plano_Estrategico_MKT_PM
 
Seminário Planejamento Estratégico Dígitro
Seminário Planejamento Estratégico DígitroSeminário Planejamento Estratégico Dígitro
Seminário Planejamento Estratégico Dígitro
 
Ferramentas e Aplicativos da Adm
Ferramentas e Aplicativos da AdmFerramentas e Aplicativos da Adm
Ferramentas e Aplicativos da Adm
 
Jornada ExpoGestão 2019 - Palestrante Luis Lobão
Jornada ExpoGestão 2019 - Palestrante Luis LobãoJornada ExpoGestão 2019 - Palestrante Luis Lobão
Jornada ExpoGestão 2019 - Palestrante Luis Lobão
 
Webinar Enora Leaders - A Experiência do Cliente como Ferramenta de Inovação ...
Webinar Enora Leaders - A Experiência do Cliente como Ferramenta de Inovação ...Webinar Enora Leaders - A Experiência do Cliente como Ferramenta de Inovação ...
Webinar Enora Leaders - A Experiência do Cliente como Ferramenta de Inovação ...
 
Áreas_funcionais_das_organizacões
Áreas_funcionais_das_organizacõesÁreas_funcionais_das_organizacões
Áreas_funcionais_das_organizacões
 
Top líderes
Top líderesTop líderes
Top líderes
 

Mais de ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva

Apresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticio
Apresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticioApresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticio
Apresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticio
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
Ser Competitivo - Agosto 2016
Ser Competitivo - Agosto 2016Ser Competitivo - Agosto 2016
Ser Competitivo - Junho 2016
Ser Competitivo - Junho 2016Ser Competitivo - Junho 2016
Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.
Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.
Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
Ser Competitivo Maio 2016
Ser Competitivo Maio 2016Ser Competitivo Maio 2016
Ser competitivo Abril 2016
Ser competitivo Abril 2016Ser competitivo Abril 2016
Webinar - Como preparar sua empresa para Exportação
Webinar - Como preparar sua empresa para ExportaçãoWebinar - Como preparar sua empresa para Exportação
Webinar - Como preparar sua empresa para Exportação
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
Ser Competitivo Março 2016
Ser Competitivo Março 2016Ser Competitivo Março 2016
Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016
Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016
Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
Oficina de Trabalho - Vendas de Alto Impacto
Oficina de Trabalho - Vendas de Alto ImpactoOficina de Trabalho - Vendas de Alto Impacto
Oficina de Trabalho - Vendas de Alto Impacto
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015
NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015 NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015
WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
NEWSLETTER ILGC - julho 2015
NEWSLETTER ILGC - julho 2015 NEWSLETTER ILGC - julho 2015
WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...
WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...
WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
NEWSLETTER ILGC - junho 2015
NEWSLETTER ILGC - junho 2015NEWSLETTER ILGC - junho 2015
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)
WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Raimundo Sousa)
WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Raimundo Sousa)WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Raimundo Sousa)
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Raimundo Sousa)
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
WEBINAR - JOGOS DE NEGÓCIOS - Como Desenvolver Talentos Através de Experiênci...
WEBINAR - JOGOS DE NEGÓCIOS - Como Desenvolver Talentos Através de Experiênci...WEBINAR - JOGOS DE NEGÓCIOS - Como Desenvolver Talentos Através de Experiênci...
WEBINAR - JOGOS DE NEGÓCIOS - Como Desenvolver Talentos Através de Experiênci...
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
Gerenciamento de custos na saúde 23 03
Gerenciamento de custos na saúde 23 03Gerenciamento de custos na saúde 23 03
Gerenciamento de custos na saúde 23 03
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 
Webinar Material 02 Adriano Gama Resumo da Apresentação
Webinar Material 02  Adriano Gama Resumo da ApresentaçãoWebinar Material 02  Adriano Gama Resumo da Apresentação
Webinar Material 02 Adriano Gama Resumo da Apresentação
ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva
 

Mais de ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva (20)

Apresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticio
Apresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticioApresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticio
Apresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticio
 
Ser Competitivo - Agosto 2016
Ser Competitivo - Agosto 2016Ser Competitivo - Agosto 2016
Ser Competitivo - Agosto 2016
 
Ser Competitivo - Junho 2016
Ser Competitivo - Junho 2016Ser Competitivo - Junho 2016
Ser Competitivo - Junho 2016
 
Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.
Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.
Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.
 
Ser Competitivo Maio 2016
Ser Competitivo Maio 2016Ser Competitivo Maio 2016
Ser Competitivo Maio 2016
 
Ser competitivo Abril 2016
Ser competitivo Abril 2016Ser competitivo Abril 2016
Ser competitivo Abril 2016
 
Webinar - Como preparar sua empresa para Exportação
Webinar - Como preparar sua empresa para ExportaçãoWebinar - Como preparar sua empresa para Exportação
Webinar - Como preparar sua empresa para Exportação
 
Ser Competitivo Março 2016
Ser Competitivo Março 2016Ser Competitivo Março 2016
Ser Competitivo Março 2016
 
Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016
Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016
Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016
 
Oficina de Trabalho - Vendas de Alto Impacto
Oficina de Trabalho - Vendas de Alto ImpactoOficina de Trabalho - Vendas de Alto Impacto
Oficina de Trabalho - Vendas de Alto Impacto
 
NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015
NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015 NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015
NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015
 
WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
 
NEWSLETTER ILGC - julho 2015
NEWSLETTER ILGC - julho 2015 NEWSLETTER ILGC - julho 2015
NEWSLETTER ILGC - julho 2015
 
WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...
WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...
WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...
 
NEWSLETTER ILGC - junho 2015
NEWSLETTER ILGC - junho 2015NEWSLETTER ILGC - junho 2015
NEWSLETTER ILGC - junho 2015
 
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)
WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)
 
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Raimundo Sousa)
WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Raimundo Sousa)WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Raimundo Sousa)
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Raimundo Sousa)
 
WEBINAR - JOGOS DE NEGÓCIOS - Como Desenvolver Talentos Através de Experiênci...
WEBINAR - JOGOS DE NEGÓCIOS - Como Desenvolver Talentos Através de Experiênci...WEBINAR - JOGOS DE NEGÓCIOS - Como Desenvolver Talentos Através de Experiênci...
WEBINAR - JOGOS DE NEGÓCIOS - Como Desenvolver Talentos Através de Experiênci...
 
Gerenciamento de custos na saúde 23 03
Gerenciamento de custos na saúde 23 03Gerenciamento de custos na saúde 23 03
Gerenciamento de custos na saúde 23 03
 
Webinar Material 02 Adriano Gama Resumo da Apresentação
Webinar Material 02  Adriano Gama Resumo da ApresentaçãoWebinar Material 02  Adriano Gama Resumo da Apresentação
Webinar Material 02 Adriano Gama Resumo da Apresentação
 

Workshop Orçamento Positivo - 04/11/2015

  • 1. Plano do Encontro  CIESP Sul e o GRAI;  Cenários e Tendências;  Referencial Teórico;  Bate-Bola – Perguntas e Respostas.
  • 2. ORÇAMENTO POSITIVO Resultado Esperado: “Responder as indagações”  Como aumentar as margens do seu negócio?  Como integrar a liderança na busca de resultados financeiros consistentes;  Como melhorar a eficiência operacional?  Como obter resultados com a metodologia OBZ? Workshop Empresarial
  • 3. 1998/2004 FCO / FDG / INDG /Falconi 2004/2005 BMI 2005/2007 TotvsBMI 2007/2008 Totvs Consulting 2008 - ILGC O Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva - ILGC é um integrador de talentos e habilidades, cujas ações são convergentes para a melhoria permanente da competitividade das pessoas e seus negócios. Objetivamente, apoiamos as organizações e pessoas a serem competitivas e geradoras de riquezas através do tempo. Negócio: Construir Valor em Processos Empresariais.  Consultoria Empresarial:  Processos e Indicadores, Produtos e Tecnologia, Modelo de Negócio, Planejamento Estratégico e Revitalização de Negócios;  Educação Continuada:  Encontros Presenciais e Virtuais, Ações para Formação e Capacitação, Mentoring Colaborativo. Negócios Estratégicos:  BPO, Interim Management, Alianças Estratégicas. Quem Somos e o que Fazemos
  • 4. Cenários e Tendências  Cenário Econômico  China Desacelerando;  Europa sem diretriz definida.. Altos Riscos;  USA recuperando... Tx de Juros  Emergentes.... Dependências do G8;  Mercado interno restritivo;  Alta competitividade interna;  Incorporação de novos “players” no mercado.  Seletividade nos Gastos;  Demandas por maior produtividade;  Necessidade de redução das “perdas” visíveis e invisíveis.  Obsessão por controle e redução de custos;  Aumentar “quantitativo e qualitativo” as receitas;  Construir alianças e relacionamentos sustentáveis;  Otimizar e ampliar as relações com os clientes Atuais. Cenários para a Economia Mundial e do Brasil
  • 5. No que acreditamos • Simplicidade e Austeridade.....Colaboração.....Tecnologia.....Redes Sociais..... ATITUDE
  • 6. MERCADO O MERCADO exige sempre maiores níveis de resultados, conforme suas necessidades (ex. redução de custos e preços, melhores prazos, melhor receita e retorno sobre o capital investido) MATERIAIS Processos Produtos e Serviços Resultados EQUIPAMENTOS PESSOAS MÉTODO Sistemas de Informação Competitividade = Resultados continuamente melhorados Clientes Preço, Qualidade, Prazo Acionistas Capital, ROI, Lucros Colaboradores Custo, Segurança, Moral Sociedade Tributos, Segurança NECESSIDADES Gente como diferencial competitivo
  • 7.  Sonhar Acordado;  Ter atitudes...construtivas...  Ter capacidade de análise crítica...  Ser confiável...  Trabalhar de forma racional e estruturada, supera obstáculos e grandes desafios. No que acreditamos
  • 8.  Tenha clareza de posicionamento.. conheça seu mercado atual e futuro;  Se necessário, ajuste as “velas” do negócio se a tempestade lhe afetar;  Conheça cada um dos seus clientes, seus desejos , necessidades presentes e futuras. Reserve um tempo para “pensar em novos serviços aos clientes atuais  Tenha indicadores de qualidade, custo e entrega.. monitore-os sistematicamente;  Acompanhe as tendências e benchmarks.. Exemplo 250 empresas.. Dinamismo dos mercados;  Nunca perca de vista a visão de futuro. tenha um –driver- que lhe mostre os caminhos;  Modernize os processos, simplifique as tarefas. Gente competente garante o sucesso do negócio no presente e futuro;  Construa “alianças” com todos os envolvidos ....indistintamente; Agenda Positiva
  • 9. EBITDA (%) (-) Depreciação/Amortização Lucro Operacional (EBIT) (-) Despesas Financeiras/Juros (-) Resultado não Operacional (-) Imposto de Renda (-) Despesas (-) Despesas Operacionais (-) Despesas Comerciais (-) Despesas Gerais e Administrativas (-) Despesas Distribuição (-) CPV Lucro Bruto Margem Bruta (%) Receita Bruta (-) Impostos (-) Devoluções Receita Líquida Lucro Líquido Capacidade de Análise Critica
  • 10. “Não se confia em alguém apenas porque se gosta ou se quer”  Uma das bases da confiança é a certeza da boa-fé, de que ela merece o respeito de todos e de que não faz trapaças nem às claras nem por detrás.  Mas a confiança também é fruto:  Da coerência entre o discurso e a ação,  Da competência profissional,  da entrega consistente dos resultados prometidos. Pressuposto para ser Confiável
  • 12. Pé no Freio Pé no Acelerador  Desperdícios;  Ineficiência;  Perda de Tempo;  Gastos Desnecessários  ........  Disposição para o trabalho;  Cliente é o nosso patrão.. ele é a razão da nossa existência;  Venda qualitativa é aquela em que o cliente volta a comprar;  Capacidade de resiliência. Não desistir nunca;  Entender que todos somos vendedores;  Capacidade de construir alianças;  .......... Trabalho Estruturado
  • 13. Estágio 1 O excesso de confiança proveniente do sucesso Estágio 2 A busca indisciplinada por mais Estágio 3 A negação de riscos e perigos Estágio 4 A luta desesperada pela salvação Estágio 5 A entrega à irrelevância ou à morte Recuperação e Inovação Os 5 Estágios do Declínio
  • 14. No que Acreditamos Brasil Atrasado  Patrimonialismo;  Burocracia;  Clientelismo;  Mito de povo cordial;  Salvacionismo;  Ditaduras Regionais. Brasil Modernidade  Democracia;  Ser parte de um mundo em expansão;  Gente com atitudes construtivas;  Estimulo a iniciativa privada;  Educação empresarial de qualidade;  Ações competitivas nos negócios.
  • 15. O Mundo dos Desperdícios  CONCEITOS LEAN: DESPERDÍCIO  O que é desperdício? Todos temos uma ideia geral sobre o significado de desperdício. Mas na verdade, desperdício é a execução de qualquer ação ou atividade que consome recursos (materiais ou humanos) e que não acrescenta valor, ou seja, que o cliente não está disposto a pagar. Parece simples…mas talvez não seja assim tão simples como parece, principalmente quando é necessário identificar, quantificar e eliminar ou reduzir os desperdícios.  Taiichi Ohno (1988, Toyota Production System: Beyond Large-Scale Production, Productivity Press), engenheiro chefe da Toyota, dividiu os desperdícios em 7 categorias, que se referem a recursos normalmente desperdiçados:  Transporte (Transport) – Movimentação desnecessária de materiais entre processos.  Stock (Inventory) – Armazenar itens (materiais e/ou matéria-prima) desnecessários que não suportam as entregas programadas.
  • 16. O Mundo dos Desperdícios  Movimentações (Movement) – Movimentações desnecessárias de pessoas que não acrescentam valor ao produto ou serviço.  Espera (Waiting) – Impossibilidade de avançar para a próxima etapa do processo. Tempo de espera de pessoas e tempos de espera de produtos.  Excesso de Produção (Overproduction) – Produzir mais do que o necessário: produzir antes da encomenda; produzir a um ritmo superior ao necessário.  Processamento Desnecessário (Overprocessing) – Esforço que não acrescenta valor a um produto ou serviço. Demasiadas etapas para conseguir completar o trabalho.  Defeitos (Defects) – Necessidade de proceder á reparação de um produto ou serviço para conseguir cumprir os requisitos do cliente.  Grande parte das Empresas que aplicam as metodologias Lean, consideram um 8º desperdício: Acidentes de Trabalho (Injuries). Duas das maiores causas para as faltas ao trabalho estão relacionadas com questões de ergonomia e de segurança no trabalho.  Existem Empresas que começam já a considerar mais 2 desperdícios adicionais: Desperdício de Talentos – Refere-se á não utilização total das pessoas (staff) e/ou aproveitamento do seu conhecimento e experiência para conseguir com que os processos fluam melhor do principio ao fim; Redefinição de prioridades – Alteração de pedidos de trabalho e a constante correria para “apagar fogos”. Estes desperdícios adicionais têm sido considerados principalmente nas áreas dos serviços de saúde e escritórios. É no entanto fundamental conseguir medir todos os desperdícios que ocorrem em nossas atividades
  • 17. Maior Problema da Saúde está no Desperdício de Recursos O maior problema da saúde não está apenas na escassez de recursos financeiros, mas no desperdício, que corrói valores exorbitantes dos cofres do sistema De acordo com o relatório "O Financiamento da Cobertura Universal", da Organização Mundial da Saúde (OMS), entre 20% e 40% de todos os gastos em saúde são desperdiçados por ineficiência. Ainda segundo a OMS, apenas nos países desenvolvidos, a fraude e outras formas de desperdícios podem representar um custo estimado de US$ 12 bilhões a US$ 23 bilhões de dólares por ano para os governos. Já dados da Rede Europeia para a Fraude e Corrupção na Saúde demonstram que dos US$ 5,3 trilhões das despesas globais em saúde, aproximadamente US$ 300 bilhões são perdidos para os erros e para a corrupção.
  • 18.  Estabelecemos perspectiva de ganho econômico financeiro para o período de 12 meses;  Avaliamos estruturas contábeis, plano de contas – centro de custo e estratificamos por grupamentos semelhantes;  Elegemos um líder/dono para cada grupamento;  Desdobraremos as metas para cada grupamento de contas;  Analisamos preço de venda e de aquisição e produtividade de cada processo;  Negociamos as metas em termos relativos (%) entre as partes envolvidas;  Elaboramos a matriz orçamentária e capacitamos as pessoas envolvidas;  Apoiamos no monitoramento sistemático das metas e dos resultados.  Despesas aplicadas de forma qualitativa;  Custos fixos e variáveis reduzidos;  Liderança comprometida com os desafios e resultados;  Margens do negócio ampliadas;  Processos modernizados;  Resultados sustentáveis;  Book do projeto com plano de conta comentado. Como Fazemos... Entregáveis Relevante Tempo médio de implementação 180-360 dias; ROI superior a R$ 2.5/R$1.00; Na média os resultados começam a surgir a partir do 75° dia após o início. Proposta de Valor: Alcançar ganho econômico superior a 5% na Execução da Peça Orçamentária Orçamento Positivo
  • 19. Resumo do Planejamento DC A PMeta Estratégica Gestores de Pacote identificam as Oportunidades Metas Desafiadores de redução por CC Normas e Padrões para alcançar as metas S N V enc to V alor anual O bjetivo red. % E s tratégia R es pons ável D ata % R eduç ão N egoc iada Novo Valor P apel V C P x 12-jan 72.000 10% C artucho de tinta K alunga x 9-m ai 50.000 5% 30/abr Tonner X erox X 5.000 30% P asta/fichário P apelaria New Office x 4.000 20% Notas fiscais JC F orm ulários x 15-jul 120.000 10% 251.000 10% % M édia de redução dos contratos TOTA L 0 303.150 83% % Identificada das contas F ORNE C E D OR Suporte Administrativo Material de escritório Inês Total identificado na conta Total N e g o cia çã o PACOTE CONTA GESTOR ANÁLISE DE CONTRATOS A n a lise d o co n tra to ITE M C o n t. fo rm a l ? Análise de Contrato NOVO CUSTO PREÇO REDUÇÃO DO PREÇO REDUÇÃO DO CONSUMO CONSUMO + Gastos Valor Contábil Parâmetros G estor es E ntid ad es R ealizado Acum ulado (R$) M eta Acum ulada (R $) Diferença (R$) Realizado Acum ulado (R $) M eta A cumulada (R$) Diferença (R $) Realizado A cumulado (R$) M eta Acum ulada (R$) D iferença (R$) Realizado Acum ulado (R$) M eta A cum ulada (R$) Paco tes de Pro d uto s G estor es Bebida E nergética Creme UHT Doce de Leite Iogurte L.Ester.S abor Leite C Leite C - Vit Leite Condensado Leite em Pó Leite Longa V ida M anteiga Q .Petit Suiss Q ueijo Requeijão Soro em pó Sucos T o tal d as En tidad es R egião Centro-O este/Sudeste Região Norte/Nordeste R egião São Paulo/Sul T otal Do no : D r. Jacq ues G on tijo Matrizes Orçamentárias Negociação Geral das metas Análise R$/F  IndicadoresMetas Preliminares 2. Elaboração do Orçamento 2.1 Análises iniciais e preparação para definição de metas Escopo do trabalho Produtos 2.2 Definição de metas preliminares Conceitos Ferramentas 2.3 Negociação e consolidação Negociação Consolidação Resumo do planejamento Orçamento Positivo - Gastos - Despesas
  • 20. Metas de um pacote entre as áreas Meta das áreas entre os pacotes Fechamento das metas nas áreas e pacotes da matriz Orçamento Positivo
  • 21. Análise de Gastos Gastos = (Custo Total de Gasolina) X L. Gasolina Dia R$ Litro Análise Histórica 1 2 Ação sobre os parâmetros Renegociação de contratos Preço por litro Litros Gasolina Novo Custo Custo Original 2. Elaboração do Orçamento 2.1 Análises iniciais e preparação para definição de metas Escopo do trabalho Produtos 2.2 Definição de metas preliminares Conceitos Ferramentas 2.3 Negociação e consolidação Negociação Consolidação Resumo do planejamento Orçamento Positivo - Gastos
  • 22. Ação sobre os parâmetros Gasto = Consumo x Preço R$ = Litros x R$ Dia Dia Litros 2. Elaboração do Orçamento 2.1 Análises iniciais e preparação para definição de metas Escopo do trabalho Produtos 2.2 Definição de metas preliminares Conceitos Ferramentas 2.3 Negociação e consolidação Negociação Consolidação Resumo do planejamento Km Rodados X Litro Dia Km Rodados Otimização da Rota Rendimento do Veículo Orçamento Positivo - Gastos
  • 23. Exemplo de Áreas Presidência Diretoria A Diretoria B Diretoria C Gerência B1 Gerência B2 Gerência B3 Supervisão B21 Supervisão B22 Supervisão B23 Empresa Diretoria Gerência / Filiais Coordenação / Supervisão 2. Elaboração do Orçamento 2.1 Análises iniciais e preparação para definição de metas Escopo do trabalho Produtos 2.2 Definição de metas preliminares Conceitos Ferramentas 2.3 Negociação e consolidação Negociação Consolidação Resumo do planejamento Orçamento Positivo - Gastos
  • 24.  Questione-nos -Produtividade não é tudo. Mas no longo prazo é quase tudo. A habilidade de um país e suas empresas melhorarem o padrão de vida ao longo do tempo depende das suas habilidades de aumentar a produtividade de cada pessoa. Paul Krugman...Economista... Agenda Positiva
  • 25. Se não existisse o impossível, até onde você conseguiria ir? Que venha o futuro
  • 26. Se não existisse o impossível, até onde você conseguiria ir? Que venha o futuro  Quem somente observa o vento nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca colherá;  Semeia de manhã a tua semente e à tarde não repouses a mão, porque não sabes qual prosperará; Se esta, se aquela ou se ambas igualmente serão boas. Ec: 11: 4 e 6