SlideShare uma empresa Scribd logo
TRABALHO DE
LITERATURA
VIDAS SECAS
GRUPO:
MARDEN RODRIGUES
WENDEL SCHELHAN
GABRIEL MARTINS
LUIZ GABRIEL
JOÃO VITOR
ALEXANDRE FERNANDES
LUCCAS CALVET
O AUTOR E A HISTÓRIA DO LIVRO
• Graciliano Ramos
• História do Livro
• Personagens
• Problemas (Fome, Seca…)
• Resoluções/Sonhos/Sentimentos
• Busca por uma vida melhor
ANALISANDO O TEXTO
NARRADOR ONISCIENTE
Falando sobre Fabiano:
“Deixara a rua. Levantou a cabeça, viu uma estrela, depois muitas estrêlas. As
figuras dos inimigos esmoreceram. Pensou na mulher, nos filhos e na
cachorra morta. Pobre de Baleia. Era como se êle tivesse matado alguém da
família.”
Como se estivesse na mente de Baleia…:
“Baleia queria dormir. Acordaria feliz, num mundo cheio de preás. E lamberia
as mãos de Fabiano, um Fabiano enorme. As crianças se espojariam com
ela, rodariam com ela num pátio enorme, num chiqueiro enorme. O mundo
ficaria todo cheio de preás, gordos, enormes.”
Sobre a mentalidade da família em conjunto:
“Pouco a pouco uma vida nova, ainda confusa, se foi esboçando. Acomodar-
se-iam num sítio pequeno, o que parecia difícil a Fabiano, criado sôlto no
mato. Cultivariam um pedaço de terra. Mudar-se-iam depois para uma cidade,
e os meninos frequentariam escolas, seriam diferente dêles. Sinha Vitória
esquentava-se. Fabiano ria, tinha desejo de esfregar as mãos agarradas à
boca do saco e à coronha da espingarda de pederneira.”
ANALISANDO O TEXTO
PENSAMENTOS
NARRADOR X PERSONAGEM
Pensamentos entre as narrações. Difícil distinção entre a narração
observadora e a do próprio personagem:
“Agora olhavam as lojas, as toldas, a mesa do leilão. E conferenciavam
pasmados. Tinham percebido que havia muitas pessoas no mundo. Ocupavam-se
em descobrir uma enorme quantidade de objetos. Comunicaram baixinho um ao
outro as surpresas que os enchiam. Impossível imaginar tantas maravilhas juntas.
O menino mais novo teve uma dúvida e apresentou-a timidamente ao irmão. Seria
que aquilo tinha sido feito por gente? O menino mais velho hesitou, espiou as
lojas, as toldas iluminadas, as moças bem vestidas. Encolheu os ombros. Talvez
aquilo tivesse sido feito por gente. Nova dificuldade chegou-lhe ao espírito
soprou-a no ouvido do irmão. Provavelmente aquelas coisas tinham nomes. O
menino mais novo interrogou-o com os olhos. Sim, com certeza as
preciosidades que se exibiam nos altares da igreja e nas prateleiras das
lojas tinham nomes. Puseram-se a discutir a questão intrincada. Como podiam
os homens guardar tantas palavras?”
ANALISANDO O TEXTO
PENSAMENTOS, LINGUAGEM CORRIDA,
DESCRIÇÃO DO AMBIENTE
“- Você é um bicho, Fabiano. Isto para ele era motivo de orgulho. Sim senhor,
um bicho, capaz de vencer as dificuldades . Chegara naquela situação medonha
- e ali estava, forte, até gordo, fumando o seu cigarro de palha.” (Como dois
amigos que se apoiam no pensamento)
“Dentro em pouco o despotismo de água ia acabar, mas Fabiano não pensava
no futuro. Por enquanto a inundação crescia, matava bichos, ocupava grotas e
várzeas. Tudo muito bem. E Fabiano esfregava as mãos." (O que é dizer do
narrador e o que é de Fabiano?)
“Não havia o perigo da seca imediata, que aterrorizara a família durante meses.
A catinga amarelecera, avermelhara-se, o gado principiara a emagrecer e
horríveis visões de pesadelo tinham agitado o sono das pessoas. De repente um
traço ligeiro rasgara o céu para os lados da cabeceira do rio, outros surgiram
mais claros, o trovão roncara perto, na escuridão da meia-noite rolaram nuvens
cor de sangue. A ventania arrancara sucupiras e imburanas, houvera
relâmpagos em demasia – e Sinha Vitória se escondera na camarinha com os
filhos, tapando as orelhas, enrolando-se nas cobertas.” (Linguagem corrida,
descrição do ambiente, sensação de ler pouco em muito)
ANALISANDO O TEXTO
O leitor sente como um só a narração e a ação do personagem, suas
atitudes e pensamentos se misturam o tempo todo, principalmente
nesse trecho, em que todo o sentimento ruim de Fabiano se traduz nos
seus dizeres:
“_Miseráveis.
As bichas excomungadas eram a causa da seca. Se pudesse matá-las, a seca
se extinguiria. Mexeu-se violência, carregou a espingarda furiosamente. A mão
grossa, cabeluda, cheia de manchas e descascada, tremia sacudindo a vareta.
_Pestes.
Impossível dar cabo daquela praga. Estirou os olhos pelacampina, achou-se
isolado. Sozinho num mundo coberto de penas, de aves que iam comê-lo.
Pensou na mulher e suspirou.”
CONTEXTO HISTÓRICO E
VEROSSIMILHANÇA
Contexto Histórico
• O nordeste brasileiro, sempre marcado por secas, estava em declínio devido a
centralização do poder por parte da economia cafeeira (São Paulo - Minas), que
desde o início do século XX acabou com a aproveitamento financeiro por parte do
açúcar, que em estados como o Alagoas, era bastante próspero;
• Com a crise de 29 e o golpe de Getúlio em 1930, a situação que já era difícil nos
sertões fica pior, e o êxodo rural aumenta em demasia, os nordestinos fugindo da
seca e procurando melhores condições nas cidades;
• O governo populista de Getúlio atende as grandes capitais com industrialização e
empregos e leis de trabalho, e “esquece” o nordeste, já que não tinha um proveito
capitalista.
Verossimilhança
• Comparando a família de Fabiano famílias da realidade atual.
FILME VIDAS SECAS - 1963
SENHORA DO
DESTINO?
“Aguinaldo Silva, novelista, ao criar
uma família nordestina para
protagonizar Senhora do Destino, o
autor homenageou Graciliano
Ramos e nomeou a cachorra de
estimação de Maria do Carmo e dos
filhos dela de Baleia. E lá estava a
Baleia, na novela das oito! Mais
popular que isso quem poderá ser?”
FIM!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O romance de 1930
O romance de 1930O romance de 1930
O romance de 1930
alinesantana1422
 
Machado de Assis
Machado de AssisMachado de Assis
Machado de Assis
7 de Setembro
 
Proposta de trabalho com o livro iracema.lei11645.08
Proposta de trabalho com o livro iracema.lei11645.08Proposta de trabalho com o livro iracema.lei11645.08
Proposta de trabalho com o livro iracema.lei11645.08
santosmcc
 
Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
Cláudia Heloísa
 
Inferência
InferênciaInferência
Inferência
Marilia Teddy
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
Carolina Loçasso Pereira
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
Rebeca Kaus
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
Ana Batista
 
Terceira geração modernista
Terceira geração modernista Terceira geração modernista
Terceira geração modernista
Claudio Soares
 
Conto
ContoConto
Resumo do Livro Vidas Secas
Resumo do Livro Vidas Secas Resumo do Livro Vidas Secas
Resumo do Livro Vidas Secas
Gabriel Siqueira
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
Francis Paula
 
Folclore 9º ano
Folclore 9º anoFolclore 9º ano
Folclore 9º ano
Escola Municipal
 
Prova de Português com gabarito sobre Caramuru
Prova de Português com gabarito sobre CaramuruProva de Português com gabarito sobre Caramuru
Prova de Português com gabarito sobre Caramuru
Val Valença
 
Projeto de Leitura - " Vidas Secas"
Projeto de Leitura - " Vidas Secas"Projeto de Leitura - " Vidas Secas"
Projeto de Leitura - " Vidas Secas"
Cirlei Santos
 
Interpretação de texto vidas secas
Interpretação de texto   vidas secasInterpretação de texto   vidas secas
Interpretação de texto vidas secas
dpport
 
Segunda geração modernista
Segunda geração modernistaSegunda geração modernista
Segunda geração modernista
Andrieli Muhl
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
Marilia Teddy
 
Ficha de leitura sobre o livro "Dom Casmurro"
Ficha de leitura sobre o livro "Dom Casmurro" Ficha de leitura sobre o livro "Dom Casmurro"
Ficha de leitura sobre o livro "Dom Casmurro"
Geovana Pimentel Boalento
 
Iracema - José de Alencar
Iracema - José de AlencarIracema - José de Alencar
Iracema - José de Alencar
Cláudia Heloísa
 

Mais procurados (20)

O romance de 1930
O romance de 1930O romance de 1930
O romance de 1930
 
Machado de Assis
Machado de AssisMachado de Assis
Machado de Assis
 
Proposta de trabalho com o livro iracema.lei11645.08
Proposta de trabalho com o livro iracema.lei11645.08Proposta de trabalho com o livro iracema.lei11645.08
Proposta de trabalho com o livro iracema.lei11645.08
 
Modernismo
Modernismo Modernismo
Modernismo
 
Inferência
InferênciaInferência
Inferência
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Concordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominalConcordancia verbal e nominal
Concordancia verbal e nominal
 
O pré modernismo
O pré modernismoO pré modernismo
O pré modernismo
 
Terceira geração modernista
Terceira geração modernista Terceira geração modernista
Terceira geração modernista
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Resumo do Livro Vidas Secas
Resumo do Livro Vidas Secas Resumo do Livro Vidas Secas
Resumo do Livro Vidas Secas
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Folclore 9º ano
Folclore 9º anoFolclore 9º ano
Folclore 9º ano
 
Prova de Português com gabarito sobre Caramuru
Prova de Português com gabarito sobre CaramuruProva de Português com gabarito sobre Caramuru
Prova de Português com gabarito sobre Caramuru
 
Projeto de Leitura - " Vidas Secas"
Projeto de Leitura - " Vidas Secas"Projeto de Leitura - " Vidas Secas"
Projeto de Leitura - " Vidas Secas"
 
Interpretação de texto vidas secas
Interpretação de texto   vidas secasInterpretação de texto   vidas secas
Interpretação de texto vidas secas
 
Segunda geração modernista
Segunda geração modernistaSegunda geração modernista
Segunda geração modernista
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Ficha de leitura sobre o livro "Dom Casmurro"
Ficha de leitura sobre o livro "Dom Casmurro" Ficha de leitura sobre o livro "Dom Casmurro"
Ficha de leitura sobre o livro "Dom Casmurro"
 
Iracema - José de Alencar
Iracema - José de AlencarIracema - José de Alencar
Iracema - José de Alencar
 

Destaque

Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
Gabriela Pupo
 
Sobre vidas secas -Graciliano Ramos
Sobre vidas secas -Graciliano RamosSobre vidas secas -Graciliano Ramos
Sobre vidas secas -Graciliano Ramos
julykathy
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
José Ricardo Lima
 
Vidas Secas - Contexto Histório
Vidas Secas - Contexto HistórioVidas Secas - Contexto Histório
Vidas Secas - Contexto Histório
Gabriella Bueno
 
Análise da obra vidas secas
Análise da obra vidas secasAnálise da obra vidas secas
Análise da obra vidas secas
CamileBMoura
 
Projeto Consciência Negra 2013 - Parte 1 - E.E. Prof Messias Freire
Projeto  Consciência Negra 2013 - Parte 1 - E.E. Prof Messias FreireProjeto  Consciência Negra 2013 - Parte 1 - E.E. Prof Messias Freire
Projeto Consciência Negra 2013 - Parte 1 - E.E. Prof Messias Freire
Cirlei Santos
 
Apresentação vidas secas
Apresentação vidas secasApresentação vidas secas
Apresentação vidas secas
elaine8697
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
DalaDelane
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
Tim Bagatelas
 
Obra Vidas Secas
Obra Vidas SecasObra Vidas Secas
Obra Vidas Secas
Cesarguto
 
Vidas secas de graciliano ramos
Vidas secas de graciliano ramosVidas secas de graciliano ramos
Vidas secas de graciliano ramos
Alef Santana
 
[2º fase nodernismo] s.a. vidas secas
[2º fase nodernismo] s.a. vidas secas[2º fase nodernismo] s.a. vidas secas
[2º fase nodernismo] s.a. vidas secas
Elis Lima Escapacherri
 

Destaque (12)

Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
 
Sobre vidas secas -Graciliano Ramos
Sobre vidas secas -Graciliano RamosSobre vidas secas -Graciliano Ramos
Sobre vidas secas -Graciliano Ramos
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
 
Vidas Secas - Contexto Histório
Vidas Secas - Contexto HistórioVidas Secas - Contexto Histório
Vidas Secas - Contexto Histório
 
Análise da obra vidas secas
Análise da obra vidas secasAnálise da obra vidas secas
Análise da obra vidas secas
 
Projeto Consciência Negra 2013 - Parte 1 - E.E. Prof Messias Freire
Projeto  Consciência Negra 2013 - Parte 1 - E.E. Prof Messias FreireProjeto  Consciência Negra 2013 - Parte 1 - E.E. Prof Messias Freire
Projeto Consciência Negra 2013 - Parte 1 - E.E. Prof Messias Freire
 
Apresentação vidas secas
Apresentação vidas secasApresentação vidas secas
Apresentação vidas secas
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
 
Obra Vidas Secas
Obra Vidas SecasObra Vidas Secas
Obra Vidas Secas
 
Vidas secas de graciliano ramos
Vidas secas de graciliano ramosVidas secas de graciliano ramos
Vidas secas de graciliano ramos
 
[2º fase nodernismo] s.a. vidas secas
[2º fase nodernismo] s.a. vidas secas[2º fase nodernismo] s.a. vidas secas
[2º fase nodernismo] s.a. vidas secas
 

Semelhante a Vidas Secas - Graciliano Ramos

Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
Edenilson Morais
 
Segundo momento modernista prosa
Segundo momento modernista  prosaSegundo momento modernista  prosa
Segundo momento modernista prosa
Ana Batista
 
David Machado
David MachadoDavid Machado
David Machado
Mariana Oliveira
 
Vidas secas final
Vidas secas   finalVidas secas   final
Vidas secas final
Octávio Da Matta
 
vidas-secas-graciliano-ramos (1).livro educação
vidas-secas-graciliano-ramos (1).livro educaçãovidas-secas-graciliano-ramos (1).livro educação
vidas-secas-graciliano-ramos (1).livro educação
ssuser281c07
 
vidas-secas-graciliano-ramos.pdf
vidas-secas-graciliano-ramos.pdfvidas-secas-graciliano-ramos.pdf
vidas-secas-graciliano-ramos.pdf
NarclyaDaSilvaDeArau
 
vidas-secas-graciliano-ramos.pdf
vidas-secas-graciliano-ramos.pdfvidas-secas-graciliano-ramos.pdf
vidas-secas-graciliano-ramos.pdf
nbobanco
 
Vidas Secas
Vidas SecasVidas Secas
Vidas Secas
rafaeldimoraes
 
vidas-secas-16438 (1).ppt
vidas-secas-16438 (1).pptvidas-secas-16438 (1).ppt
vidas-secas-16438 (1).ppt
RildeniceSantos
 
vidas-secas-16438 (1).ppt
vidas-secas-16438 (1).pptvidas-secas-16438 (1).ppt
vidas-secas-16438 (1).ppt
RildeniceSantos
 
Resumo vidas secas
Resumo   vidas secasResumo   vidas secas
Resumo vidas secas
Deia1975
 
José Jorge Letria - biografia
José Jorge Letria - biografiaJosé Jorge Letria - biografia
José Jorge Letria - biografia
Lurdes Augusto
 
Destaques ! Rede Municipal de Bibliotecas de Palmela
Destaques ! Rede Municipal de Bibliotecas de Palmela Destaques ! Rede Municipal de Bibliotecas de Palmela
Destaques ! Rede Municipal de Bibliotecas de Palmela
SoproLeve
 
18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]
18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]
18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]
Tatiane Pechiori
 
José vaz (1)
José vaz (1)José vaz (1)
Graciliano ramos vidas secas
Graciliano ramos   vidas secasGraciliano ramos   vidas secas
Graciliano ramos vidas secas
Cícero Almeida
 
Sugestões PNL
Sugestões PNLSugestões PNL
Sugestões PNL
Teresa Pombo
 
Sugestões PNL
Sugestões PNLSugestões PNL
Sugestões PNL
Teresa Pombo
 
Fazenda Modelo - Chico Buarque - Considerações.pptx
Fazenda Modelo  - Chico Buarque  - Considerações.pptxFazenda Modelo  - Chico Buarque  - Considerações.pptx
Fazenda Modelo - Chico Buarque - Considerações.pptx
CrisBiagio
 
Reinações de narizinho
Reinações de narizinhoReinações de narizinho
Reinações de narizinho
Helena Miccichelli
 

Semelhante a Vidas Secas - Graciliano Ramos (20)

Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
 
Segundo momento modernista prosa
Segundo momento modernista  prosaSegundo momento modernista  prosa
Segundo momento modernista prosa
 
David Machado
David MachadoDavid Machado
David Machado
 
Vidas secas final
Vidas secas   finalVidas secas   final
Vidas secas final
 
vidas-secas-graciliano-ramos (1).livro educação
vidas-secas-graciliano-ramos (1).livro educaçãovidas-secas-graciliano-ramos (1).livro educação
vidas-secas-graciliano-ramos (1).livro educação
 
vidas-secas-graciliano-ramos.pdf
vidas-secas-graciliano-ramos.pdfvidas-secas-graciliano-ramos.pdf
vidas-secas-graciliano-ramos.pdf
 
vidas-secas-graciliano-ramos.pdf
vidas-secas-graciliano-ramos.pdfvidas-secas-graciliano-ramos.pdf
vidas-secas-graciliano-ramos.pdf
 
Vidas Secas
Vidas SecasVidas Secas
Vidas Secas
 
vidas-secas-16438 (1).ppt
vidas-secas-16438 (1).pptvidas-secas-16438 (1).ppt
vidas-secas-16438 (1).ppt
 
vidas-secas-16438 (1).ppt
vidas-secas-16438 (1).pptvidas-secas-16438 (1).ppt
vidas-secas-16438 (1).ppt
 
Resumo vidas secas
Resumo   vidas secasResumo   vidas secas
Resumo vidas secas
 
José Jorge Letria - biografia
José Jorge Letria - biografiaJosé Jorge Letria - biografia
José Jorge Letria - biografia
 
Destaques ! Rede Municipal de Bibliotecas de Palmela
Destaques ! Rede Municipal de Bibliotecas de Palmela Destaques ! Rede Municipal de Bibliotecas de Palmela
Destaques ! Rede Municipal de Bibliotecas de Palmela
 
18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]
18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]
18012180 negrinha-resumo-dos-contos[1]
 
José vaz (1)
José vaz (1)José vaz (1)
José vaz (1)
 
Graciliano ramos vidas secas
Graciliano ramos   vidas secasGraciliano ramos   vidas secas
Graciliano ramos vidas secas
 
Sugestões PNL
Sugestões PNLSugestões PNL
Sugestões PNL
 
Sugestões PNL
Sugestões PNLSugestões PNL
Sugestões PNL
 
Fazenda Modelo - Chico Buarque - Considerações.pptx
Fazenda Modelo  - Chico Buarque  - Considerações.pptxFazenda Modelo  - Chico Buarque  - Considerações.pptx
Fazenda Modelo - Chico Buarque - Considerações.pptx
 
Reinações de narizinho
Reinações de narizinhoReinações de narizinho
Reinações de narizinho
 

Mais de Marden Rodrigues

Estudo de Caso - Fusão Sadia e Perdigão
Estudo de Caso - Fusão Sadia e PerdigãoEstudo de Caso - Fusão Sadia e Perdigão
Estudo de Caso - Fusão Sadia e Perdigão
Marden Rodrigues
 
Educação Financeira para Jovens
Educação Financeira para JovensEducação Financeira para Jovens
Educação Financeira para Jovens
Marden Rodrigues
 
Estatística Descritiva
Estatística DescritivaEstatística Descritiva
Estatística Descritiva
Marden Rodrigues
 
Planejamento e Controle
Planejamento e ControlePlanejamento e Controle
Planejamento e Controle
Marden Rodrigues
 
Maioridade Penal
Maioridade PenalMaioridade Penal
Maioridade Penal
Marden Rodrigues
 
ECONOMIA: presidência brasileira 1995-2002
ECONOMIA: presidência brasileira 1995-2002ECONOMIA: presidência brasileira 1995-2002
ECONOMIA: presidência brasileira 1995-2002
Marden Rodrigues
 
Fluxograma & Layout
Fluxograma & LayoutFluxograma & Layout
Fluxograma & Layout
Marden Rodrigues
 

Mais de Marden Rodrigues (7)

Estudo de Caso - Fusão Sadia e Perdigão
Estudo de Caso - Fusão Sadia e PerdigãoEstudo de Caso - Fusão Sadia e Perdigão
Estudo de Caso - Fusão Sadia e Perdigão
 
Educação Financeira para Jovens
Educação Financeira para JovensEducação Financeira para Jovens
Educação Financeira para Jovens
 
Estatística Descritiva
Estatística DescritivaEstatística Descritiva
Estatística Descritiva
 
Planejamento e Controle
Planejamento e ControlePlanejamento e Controle
Planejamento e Controle
 
Maioridade Penal
Maioridade PenalMaioridade Penal
Maioridade Penal
 
ECONOMIA: presidência brasileira 1995-2002
ECONOMIA: presidência brasileira 1995-2002ECONOMIA: presidência brasileira 1995-2002
ECONOMIA: presidência brasileira 1995-2002
 
Fluxograma & Layout
Fluxograma & LayoutFluxograma & Layout
Fluxograma & Layout
 

Vidas Secas - Graciliano Ramos

  • 1. TRABALHO DE LITERATURA VIDAS SECAS GRUPO: MARDEN RODRIGUES WENDEL SCHELHAN GABRIEL MARTINS LUIZ GABRIEL JOÃO VITOR ALEXANDRE FERNANDES LUCCAS CALVET
  • 2. O AUTOR E A HISTÓRIA DO LIVRO • Graciliano Ramos • História do Livro • Personagens • Problemas (Fome, Seca…) • Resoluções/Sonhos/Sentimentos • Busca por uma vida melhor
  • 3. ANALISANDO O TEXTO NARRADOR ONISCIENTE Falando sobre Fabiano: “Deixara a rua. Levantou a cabeça, viu uma estrela, depois muitas estrêlas. As figuras dos inimigos esmoreceram. Pensou na mulher, nos filhos e na cachorra morta. Pobre de Baleia. Era como se êle tivesse matado alguém da família.” Como se estivesse na mente de Baleia…: “Baleia queria dormir. Acordaria feliz, num mundo cheio de preás. E lamberia as mãos de Fabiano, um Fabiano enorme. As crianças se espojariam com ela, rodariam com ela num pátio enorme, num chiqueiro enorme. O mundo ficaria todo cheio de preás, gordos, enormes.” Sobre a mentalidade da família em conjunto: “Pouco a pouco uma vida nova, ainda confusa, se foi esboçando. Acomodar- se-iam num sítio pequeno, o que parecia difícil a Fabiano, criado sôlto no mato. Cultivariam um pedaço de terra. Mudar-se-iam depois para uma cidade, e os meninos frequentariam escolas, seriam diferente dêles. Sinha Vitória esquentava-se. Fabiano ria, tinha desejo de esfregar as mãos agarradas à boca do saco e à coronha da espingarda de pederneira.”
  • 4. ANALISANDO O TEXTO PENSAMENTOS NARRADOR X PERSONAGEM Pensamentos entre as narrações. Difícil distinção entre a narração observadora e a do próprio personagem: “Agora olhavam as lojas, as toldas, a mesa do leilão. E conferenciavam pasmados. Tinham percebido que havia muitas pessoas no mundo. Ocupavam-se em descobrir uma enorme quantidade de objetos. Comunicaram baixinho um ao outro as surpresas que os enchiam. Impossível imaginar tantas maravilhas juntas. O menino mais novo teve uma dúvida e apresentou-a timidamente ao irmão. Seria que aquilo tinha sido feito por gente? O menino mais velho hesitou, espiou as lojas, as toldas iluminadas, as moças bem vestidas. Encolheu os ombros. Talvez aquilo tivesse sido feito por gente. Nova dificuldade chegou-lhe ao espírito soprou-a no ouvido do irmão. Provavelmente aquelas coisas tinham nomes. O menino mais novo interrogou-o com os olhos. Sim, com certeza as preciosidades que se exibiam nos altares da igreja e nas prateleiras das lojas tinham nomes. Puseram-se a discutir a questão intrincada. Como podiam os homens guardar tantas palavras?”
  • 5. ANALISANDO O TEXTO PENSAMENTOS, LINGUAGEM CORRIDA, DESCRIÇÃO DO AMBIENTE “- Você é um bicho, Fabiano. Isto para ele era motivo de orgulho. Sim senhor, um bicho, capaz de vencer as dificuldades . Chegara naquela situação medonha - e ali estava, forte, até gordo, fumando o seu cigarro de palha.” (Como dois amigos que se apoiam no pensamento) “Dentro em pouco o despotismo de água ia acabar, mas Fabiano não pensava no futuro. Por enquanto a inundação crescia, matava bichos, ocupava grotas e várzeas. Tudo muito bem. E Fabiano esfregava as mãos." (O que é dizer do narrador e o que é de Fabiano?) “Não havia o perigo da seca imediata, que aterrorizara a família durante meses. A catinga amarelecera, avermelhara-se, o gado principiara a emagrecer e horríveis visões de pesadelo tinham agitado o sono das pessoas. De repente um traço ligeiro rasgara o céu para os lados da cabeceira do rio, outros surgiram mais claros, o trovão roncara perto, na escuridão da meia-noite rolaram nuvens cor de sangue. A ventania arrancara sucupiras e imburanas, houvera relâmpagos em demasia – e Sinha Vitória se escondera na camarinha com os filhos, tapando as orelhas, enrolando-se nas cobertas.” (Linguagem corrida, descrição do ambiente, sensação de ler pouco em muito)
  • 6. ANALISANDO O TEXTO O leitor sente como um só a narração e a ação do personagem, suas atitudes e pensamentos se misturam o tempo todo, principalmente nesse trecho, em que todo o sentimento ruim de Fabiano se traduz nos seus dizeres: “_Miseráveis. As bichas excomungadas eram a causa da seca. Se pudesse matá-las, a seca se extinguiria. Mexeu-se violência, carregou a espingarda furiosamente. A mão grossa, cabeluda, cheia de manchas e descascada, tremia sacudindo a vareta. _Pestes. Impossível dar cabo daquela praga. Estirou os olhos pelacampina, achou-se isolado. Sozinho num mundo coberto de penas, de aves que iam comê-lo. Pensou na mulher e suspirou.”
  • 7. CONTEXTO HISTÓRICO E VEROSSIMILHANÇA Contexto Histórico • O nordeste brasileiro, sempre marcado por secas, estava em declínio devido a centralização do poder por parte da economia cafeeira (São Paulo - Minas), que desde o início do século XX acabou com a aproveitamento financeiro por parte do açúcar, que em estados como o Alagoas, era bastante próspero; • Com a crise de 29 e o golpe de Getúlio em 1930, a situação que já era difícil nos sertões fica pior, e o êxodo rural aumenta em demasia, os nordestinos fugindo da seca e procurando melhores condições nas cidades; • O governo populista de Getúlio atende as grandes capitais com industrialização e empregos e leis de trabalho, e “esquece” o nordeste, já que não tinha um proveito capitalista. Verossimilhança • Comparando a família de Fabiano famílias da realidade atual.
  • 9. SENHORA DO DESTINO? “Aguinaldo Silva, novelista, ao criar uma família nordestina para protagonizar Senhora do Destino, o autor homenageou Graciliano Ramos e nomeou a cachorra de estimação de Maria do Carmo e dos filhos dela de Baleia. E lá estava a Baleia, na novela das oito! Mais popular que isso quem poderá ser?”
  • 10. FIM!