SlideShare uma empresa Scribd logo
Sala de Leitura E. E. Prof. Messias Freire
O Bicho
(Manoel Bandeira)
Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.

O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem.
Manoel Bandeira
Projeto Vidas Secas
Professora de Língua Portuguesa: Martinha
Professora de Educação Artística: Lucimara
Professora de História: Rosana

Apoio: Sala de Leitura
Professoras Judite, Conceição e Cirlei
Público Alvo: 8ª/9º ano

Cronograma de execução
Datas Previstas
17/09/2013
17/092013

24/09/2013
25/11/2013

Atividades Proposta
Primeira fase- Sensibilização
Segunda fase – Divulgação do projeto
Terceira fase e quarta fase – Ciranda da e
leitura e Analise da tela e fotografias
Quinta fase – Culminância
1.

Justificativa

A elaboração deste projeto visa à análise e questionamento como algo
importantíssimo no processo de leitura, oferecendo aos alunos oportunidades a fim de
que se transformem em leitores assíduos, uma vez que o papel da escola é despertar o
prazer pela leitura e formar o senso crítico sobre o tema em estudo e sanar alguns
déficits de leitura. Além de colocar o aluno frente à realidade descrita no livro “Vidas
Secas” que retrata fielmente a realidade brasileira não só da época em que o livro foi
escrito, mas como nos dias de hoje tais como injustiça social, miséria, fome,
desigualdade, seca,
2. Fundamentação Teórica
Os abalos sofridos pelo povo brasileiro em torno dos acontecimentos de
1930, a crise econômica provocada pela quebra da bolsa de valores de Nova
Iorque, a crise cafeeira, a Revolução de 1930, o acelerado declínio do
nordeste condicionou um novo estilo ficcional, notadamente mais adulto,
mais amadurecido, mais moderno que se marcaria pela rudeza, por uma
linguagem mais brasileira, por um enfoque direto dos fatos, por uma
retomada do naturalismo, principalmente no plano da narrativa documental,
temos também o romance nordestino, liberdade temática e rigor estilístico.
Os romancistas de 30 caracterizavam-se por adotarem visão crítica
das relações sociais, regionalismo ressaltando o homem hostilizado pelo
ambiente, pela terra, cidade, o homem devorado pelos problemas que o meio
lhe impõe.
Dentro desse contexto será trabalhado o Romance “Vidas Secas” de
Graciliano Ramos
Simultaneamente será privilegiada a aprendizagem mais importante que
é aquela que vai além da simples aquisição de informações. Dessa forma,
surge este trabalho para desenvolver o hábito prazeroso da leitura e
consequentemente elevar os resultados das avaliações.
Segundo Maria Antonieta Antunes Cunha, para cada um, a leitura representa "a
possibilidade de ver os dados do mundo com mais verdade, mais argúcia, com mais
nuanças. Por tudo isto, com mais encantamento."
Acrescenta, ainda, que o entusiasmo, o encantamento da criança, ao se descobrir
"leitora", vem do fato de se perceber capaz de penetrar num mundo novo, cheio de
mistérios a desvendar.
Para Cunha, o lugar da leitura, na escola, não pode ser o lugar da irrelevância,
nem do desprazer. A emoção e o prazer da descoberta não podem ser diminuídos, ou
até acabar, se a escola trabalha inadequadamente a experiência do ler. A leitura não
pode conviver com o medo, a cobrança descabida, a punição; não cabem também
nem o descaso, nem a repetição mecânica.
Partindo da concepção de leitura abordada por Ângela Kleiman, é possível
refletir sobre o verdadeiro significado do trabalho com leituras no espaço escolar, bem
como evidenciar a função da escola frente ao contexto social da atualidade,
vislumbrado por diversas formas de ler e interpretar uma complexidade de situações
comunicativas. Assim, ao adotar uma prática pedagógica pautada no diálogo e
interação Escola/Sociedade, é preciso que os profissionais de educação percebam
essa dialética como sendo uma necessidade vital e que, somente através da dinâmica
da leitura, discussão e análise das ideias embutidas nessas leituras é que a escola,
enquanto espaço de construção, pode contribuir para que os alunos sejam capazes de
inferir opiniões e ideias acerca do ambiente em que vive.
A escola, principalmente nas séries iniciais, deve atentar para um trabalho
que objetive o gosto pela leitura, permitir que o aluno viva as obras literárias
livremente, percebendo-as da maneira que melhor lhe aprouver. “Entre os meios
de comunicação mais valiosos, um dos mais capazes de preparar as novas
gerações para viverem nessa sociedade em mutação é o livro” (Odette de Barros
Mott)
Para isso, é necessário que sejam oferecidos aos leitores em formação livros
próximos de sua realidade e que levantem questões significativas. A familiaridade
do leitor com o texto gera predisposição para a leitura, pois o interesse pela
leitura é, portanto, uma atitude favorável em relação ao texto, oriunda de uma
necessidade, que pode ser informativa ou recreativa.
[...] se ensina ao aluno a perceber esse objeto que é o texto em toda a sua
beleza e complexidade, isto é, como ele está estruturado, como ele produz
sentidos, quantos significados podem ser aí sucessivamente revelados, ou seja,
somente quando são mostrados ao aluno modos de se envolver com esse objeto,
mobilizando os seus saberes, memórias, sentimentos para assim compreendê-los
[...]. O papel da escola é o de fornecer um conjunto de instrumentos e estratégias
para o aluno realizar esse trabalho de forma progressiva e autônoma.
(KLEIMAN,2002,p.28).
3. Objetivos
Explorar os temas transversais na perspectiva interdisciplinar envolvendo
competências curriculares diversos da escola, partindo do assunto em estudo,
realizar um estudo a cerca da de Graciliano Ramos, promover a leitura e redigir
uma reflexão sobre todo o trabalho de leitura, análise e comparação da temática e
da interação com outras linguagens artísticas: filme, tela e música .
4. Objetivos Específicos
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•

Prover acesso ao livro;
Promover a formação de alunos leitores;
Promover à escrita;
Reconhecer a leitura como uma atividade prazerosa;
Conhecer obras da literatura brasileira;
Motivar a pesquisa;
Despertar a criatividade do aluno em relação às causas e consequências do
movimento dos retirantes;
Refletir sobre o meio ambiente devastado e suas consequências para o homem;
Contextualizar a história do livro a fatos da vida real, nosso cotidiano;
Identificar aspectos característicos da geração de 1930, focalizando a vida das
personagens na indústria da seca.
Estabelecer relação entre a temática do livro Vidas Secas e outras manifestações
artísticas como a pintura, a fotografia, a música, a gravura, o cinema, o teatro, etc.
Relacionar o romance com o contexto brasileiro atual.
5. Língua Portuguesa
• Leitura em grupo (rodas de leitura);
• Leitura dramatizada dos capítulos;
• Produção de cartas para os autores ou para um amigo incentivando a leitura;
• Produção de murais para divulgação do livro lido pelos alunos (Propaganda da leitura);
• Promover a propaganda da Leitura (atividade oral para o aluno expor sobre a obra que
leu e recomendar sua leitura aos colegas);
• Leitura compartilhada (feita pela professora e pelo aluno);
• Monitoramento da leitura em casa;
• Entrevista filmada ou escrita com retirantes moradores nas redondezas da escola.
6. Educação Artística
• Analise do quadro “Os Retirantes”de Cândido Portinari;
• Descrever e analisar as relações entre texto e imagem;
• Leitura de fotos de família e ou pessoais trazidas pelos alunos, quadros, imagens
(descrição detalhada), considerando características físicas e psicológicas,
sentimentos, simbologia das cores, contexto social com o uso de palavras.
Construção de quadros, sugerindo uma releitura da obra de “Vidas Secas”.
7. História
•

A “história brasileira do século XX, para delinear o contexto no
qual a obra se produziu”, buscando explicar os motivos da
migração nordestina á época da escritura do livros e em tempos
mais atuais. O “comportamento da família sertaneja nordestina, as
raízes de sua angústia e suas expectativas de futuro”.
8. Recursos
Os recursos utilizados contemplarão diferentes suportes como: Livro “Vidas
Secas” textos digitados de diversos tipos e gêneros, revistas, charges, cartum,
audiovisuais. Cartolinas, data-show, fotografias, lousa, piloto, laboratório de
informática, câmera fotográfica digital, programas e aplicativo: apresentação de
vídeo youtube.

9. Avaliação
Entendendo a avaliação como sendo parte integrante do projeto, esta
acontecerá a todo o momento, desde o planejamento das atividades, execução
das ações e retroalimentação do mesmo, observando a participação, o interesse
e a mudança de hábitos ocorridos mediante a realização das atividades
planejadas. Em rodas de autoavaliação e avaliação do projeto em si, os alunos e
professores replanejarão as atividades de acordo com o consenso de opiniões
sempre buscando afinar com o gosto dos envolvidos e os objetivos do projeto.
10. Considerações finais
As contribuições para o desenvolvimento do conhecimento nas ações
planejadas é a promoção de espaços de leituras que permitam mudanças de
hábitos dentro da escola com relação ao gosto pela leitura, à dinamização da
biblioteca. As expectativas de continuidade da aprendizagem após a finalização
do projeto é de que este projeto não seja apenas pontual, mas que a equipe
envolvida (professores, alunos e pais) possa atualizá-lo a cada ano letivo, além
de ser semente que pode gerar novos projetos como o de autor de gêneros
textuais.
Para o sucesso do trabalho com leitura, é fundamental reconhecer porque
razão se vai ler. Estas podem ser muito diferentes, em cada caso e em cada
situação: Leitura para se informar, para se distrair, para refletir, para entender
melhor acontecimentos muito especiais da vida. É preciso estar atento para
perceber que cada razão pede uma forma de tratamento diferente.
Ao fazer isto adequadamente, o professor contribuirá para o aluno
descobrir (ou redescobrir) a leitura e levá-la para sua vida, como forma
essencial de estar no mundo.

Obs.:

Projeto elaborado através de pesquisas em páginas de internet .
“Admirava

as palavras compridas e difíceis da gente da cidade,
tentava reproduzir, em vão, mas sabia que elas eram inúteis e talvez
perigosas.”

(Graciliano Ramos)
Projeto de Leitura - " Vidas Secas"

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Texto literário e não literário
Texto literário e não literárioTexto literário e não literário
Texto literário e não literário
Fábio Guimarães
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
marlospg
 
Cruzadinha generos[1]
Cruzadinha generos[1]Cruzadinha generos[1]
Cruzadinha generos[1]
Ana De Paula
 
Fábulas 1
Fábulas 1Fábulas 1
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
Ana Claudia André
 
Contos para o ensino médio
Contos para o ensino médioContos para o ensino médio
Contos para o ensino médio
Ewerton Gindri
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
Carolina Loçasso Pereira
 
Projeto jornal escolar
Projeto jornal escolarProjeto jornal escolar
Projeto jornal escolar
Aridiane Santos
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Josilene Borges
 
6º ano E. F. II - Variação Linguística
6º ano E. F. II - Variação Linguística6º ano E. F. II - Variação Linguística
6º ano E. F. II - Variação Linguística
Angélica Manenti
 
Vidas secas
Vidas secas Vidas secas
Vidas secas
milton junior
 
Oficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoOficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º ano
ClaudiaAdrianaSouzaS
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevista
Renally Arruda
 
SLIDES – PARÓDIA.
SLIDES – PARÓDIA.SLIDES – PARÓDIA.
SLIDES – PARÓDIA.
Tissiane Gomes
 
Projeto "vidas secas"
Projeto "vidas secas"Projeto "vidas secas"
Projeto "vidas secas"
fgomes42 Lima
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
Faell Vasconcelos
 
Gênero poesia
Gênero poesiaGênero poesia
Gênero poesia
Edson Alves
 
Prova de língua portuguesa coesão referencial e sequencial
Prova de língua portuguesa   coesão referencial e sequencialProva de língua portuguesa   coesão referencial e sequencial
Prova de língua portuguesa coesão referencial e sequencial
Miriam599424
 
FIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEM FIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEM
Paula Meyer Piagentini
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
Marcelo Cordeiro Souza
 

Mais procurados (20)

Texto literário e não literário
Texto literário e não literárioTexto literário e não literário
Texto literário e não literário
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
 
Cruzadinha generos[1]
Cruzadinha generos[1]Cruzadinha generos[1]
Cruzadinha generos[1]
 
Fábulas 1
Fábulas 1Fábulas 1
Fábulas 1
 
Tipologia textual
Tipologia textualTipologia textual
Tipologia textual
 
Contos para o ensino médio
Contos para o ensino médioContos para o ensino médio
Contos para o ensino médio
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Projeto jornal escolar
Projeto jornal escolarProjeto jornal escolar
Projeto jornal escolar
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
 
6º ano E. F. II - Variação Linguística
6º ano E. F. II - Variação Linguística6º ano E. F. II - Variação Linguística
6º ano E. F. II - Variação Linguística
 
Vidas secas
Vidas secas Vidas secas
Vidas secas
 
Oficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º anoOficina de descritores português 9º ano
Oficina de descritores português 9º ano
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevista
 
SLIDES – PARÓDIA.
SLIDES – PARÓDIA.SLIDES – PARÓDIA.
SLIDES – PARÓDIA.
 
Projeto "vidas secas"
Projeto "vidas secas"Projeto "vidas secas"
Projeto "vidas secas"
 
O que é Literatura?
O que é Literatura?O que é Literatura?
O que é Literatura?
 
Gênero poesia
Gênero poesiaGênero poesia
Gênero poesia
 
Prova de língua portuguesa coesão referencial e sequencial
Prova de língua portuguesa   coesão referencial e sequencialProva de língua portuguesa   coesão referencial e sequencial
Prova de língua portuguesa coesão referencial e sequencial
 
FIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEM FIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEM
 
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTOAULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação  - PRONTO
AULA 03 - Introdução - Diversas formas de iniciar uma redação - PRONTO
 

Semelhante a Projeto de Leitura - " Vidas Secas"

Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º anoProjeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
jose ebner
 
Bruna e vanessa
Bruna e vanessaBruna e vanessa
Bruna e vanessa
Fernando Pissuto
 
O ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagem
O ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagemO ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagem
O ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagem
Rogério Almeida
 
Viagens por entre linhas: reflexões sobre um caminho sempre a-fazer
Viagens por entre linhas: reflexões sobre um caminho sempre a-fazerViagens por entre linhas: reflexões sobre um caminho sempre a-fazer
Viagens por entre linhas: reflexões sobre um caminho sempre a-fazer
Sofia Pinto
 
PROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docxPROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docx
EscolaMunicipalMaria16
 
PROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docxPROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docx
EscolaMunicipalMaria16
 
Celoi fabbrin
Celoi fabbrin Celoi fabbrin
Celoi fabbrin
equipetics
 
São josé do rio preto
São josé do rio pretoSão josé do rio preto
São josé do rio preto
linguagensemidias2013
 
Literatura e ti cs
Literatura e ti csLiteratura e ti cs
Literatura e ti cs
Vanusia Santana
 
Projeto literário: Entre Monstros e Fadas
Projeto literário: Entre Monstros e FadasProjeto literário: Entre Monstros e Fadas
Projeto literário: Entre Monstros e Fadas
Adilson P Motta Motta
 
A arvore generosa
A arvore generosaA arvore generosa
A arvore generosa
Cristini Lins
 
Apresentação vidas secas
Apresentação vidas secasApresentação vidas secas
Apresentação vidas secas
elaine8697
 
Artigo christiane jarosky
Artigo christiane jaroskyArtigo christiane jarosky
Artigo christiane jarosky
Pedro da Silva
 
PROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docxPROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docx
EscolaMunicipalMaria16
 
PROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docxPROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docx
EscolaMunicipalMaria16
 
2003 Contribuicao Hist Quadrinhos
2003 Contribuicao Hist Quadrinhos2003 Contribuicao Hist Quadrinhos
2003 Contribuicao Hist Quadrinhos
zilahcar
 
Alto Rio Possmozer
Alto Rio PossmozerAlto Rio Possmozer
Alto Rio Possmozer
Marilia Frizzera Dias
 
Pequenos leitores
Pequenos leitoresPequenos leitores
Pequenos leitores
leidianelopes1
 
Projeto
ProjetoProjeto
Projeto
valvg2007
 
Tcc cleide
Tcc cleideTcc cleide
Tcc cleide
Cleide Araujo
 

Semelhante a Projeto de Leitura - " Vidas Secas" (20)

Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º anoProjeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
 
Bruna e vanessa
Bruna e vanessaBruna e vanessa
Bruna e vanessa
 
O ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagem
O ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagemO ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagem
O ensino da literatura como meio lúdico de aprendizagem
 
Viagens por entre linhas: reflexões sobre um caminho sempre a-fazer
Viagens por entre linhas: reflexões sobre um caminho sempre a-fazerViagens por entre linhas: reflexões sobre um caminho sempre a-fazer
Viagens por entre linhas: reflexões sobre um caminho sempre a-fazer
 
PROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docxPROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docx
 
PROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docxPROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund I 2023 Ler é Bom Experimente.docx
 
Celoi fabbrin
Celoi fabbrin Celoi fabbrin
Celoi fabbrin
 
São josé do rio preto
São josé do rio pretoSão josé do rio preto
São josé do rio preto
 
Literatura e ti cs
Literatura e ti csLiteratura e ti cs
Literatura e ti cs
 
Projeto literário: Entre Monstros e Fadas
Projeto literário: Entre Monstros e FadasProjeto literário: Entre Monstros e Fadas
Projeto literário: Entre Monstros e Fadas
 
A arvore generosa
A arvore generosaA arvore generosa
A arvore generosa
 
Apresentação vidas secas
Apresentação vidas secasApresentação vidas secas
Apresentação vidas secas
 
Artigo christiane jarosky
Artigo christiane jaroskyArtigo christiane jarosky
Artigo christiane jarosky
 
PROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docxPROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docx
 
PROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docxPROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docx
PROJETO Ens Fund II 2023 Ler é Bom Experimente.docx
 
2003 Contribuicao Hist Quadrinhos
2003 Contribuicao Hist Quadrinhos2003 Contribuicao Hist Quadrinhos
2003 Contribuicao Hist Quadrinhos
 
Alto Rio Possmozer
Alto Rio PossmozerAlto Rio Possmozer
Alto Rio Possmozer
 
Pequenos leitores
Pequenos leitoresPequenos leitores
Pequenos leitores
 
Projeto
ProjetoProjeto
Projeto
 
Tcc cleide
Tcc cleideTcc cleide
Tcc cleide
 

Mais de Cirlei Santos

Coletiva 14.07.2021 - Bolsa Do Povo Educação
Coletiva 14.07.2021 -  Bolsa Do Povo Educação Coletiva 14.07.2021 -  Bolsa Do Povo Educação
Coletiva 14.07.2021 - Bolsa Do Povo Educação
Cirlei Santos
 
Vernissage - Messias de Cara Nova
Vernissage  - Messias de Cara NovaVernissage  - Messias de Cara Nova
Vernissage - Messias de Cara Nova
Cirlei Santos
 
Homenagem a Aposentadoria de Colega de Trabalho
Homenagem a Aposentadoria de Colega de TrabalhoHomenagem a Aposentadoria de Colega de Trabalho
Homenagem a Aposentadoria de Colega de Trabalho
Cirlei Santos
 
Projeto de Conservação do Patrimônio Escolar
Projeto de Conservação do Patrimônio EscolarProjeto de Conservação do Patrimônio Escolar
Projeto de Conservação do Patrimônio Escolar
Cirlei Santos
 
GRÊMIO ESTUDANTIL - E. E. PROF. MESSIAS FREIRE
GRÊMIO ESTUDANTIL - E. E. PROF. MESSIAS FREIREGRÊMIO ESTUDANTIL - E. E. PROF. MESSIAS FREIRE
GRÊMIO ESTUDANTIL - E. E. PROF. MESSIAS FREIRE
Cirlei Santos
 
Bullying - Combata o Bullying Com Amor
Bullying - Combata o Bullying Com AmorBullying - Combata o Bullying Com Amor
Bullying - Combata o Bullying Com Amor
Cirlei Santos
 
Mitologia - Mito em Busca de Resposta
Mitologia - Mito em Busca de RespostaMitologia - Mito em Busca de Resposta
Mitologia - Mito em Busca de Resposta
Cirlei Santos
 
Projetos sala de leitura E. E. Professor Messias Freire 2017
Projetos sala de leitura E. E. Professor Messias Freire 2017Projetos sala de leitura E. E. Professor Messias Freire 2017
Projetos sala de leitura E. E. Professor Messias Freire 2017
Cirlei Santos
 
Estágio - Cirlei Santos
Estágio - Cirlei SantosEstágio - Cirlei Santos
Estágio - Cirlei Santos
Cirlei Santos
 
Tcc - Escola e Família - Parceria Necessária
Tcc - Escola e Família -  Parceria NecessáriaTcc - Escola e Família -  Parceria Necessária
Tcc - Escola e Família - Parceria Necessária
Cirlei Santos
 
Projeto Páscoa - Sala de Litura E.E. Professor Messias Freire
Projeto Páscoa - Sala de Litura E.E. Professor Messias FreireProjeto Páscoa - Sala de Litura E.E. Professor Messias Freire
Projeto Páscoa - Sala de Litura E.E. Professor Messias Freire
Cirlei Santos
 
Pecha Kucha - Superação Jovem - E. E. Professor Messias Freire
Pecha Kucha - Superação Jovem - E. E. Professor Messias FreirePecha Kucha - Superação Jovem - E. E. Professor Messias Freire
Pecha Kucha - Superação Jovem - E. E. Professor Messias Freire
Cirlei Santos
 
Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire
Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire
Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire
Cirlei Santos
 
Projeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a LeituraProjeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a Leitura
Cirlei Santos
 
Teatro na escola - A Pílula Falante - Monteiro Lobato
 Teatro na escola - A Pílula Falante - Monteiro Lobato Teatro na escola - A Pílula Falante - Monteiro Lobato
Teatro na escola - A Pílula Falante - Monteiro Lobato
Cirlei Santos
 
Fulecos copa do mundo
Fulecos copa do mundoFulecos copa do mundo
Fulecos copa do mundoCirlei Santos
 
Jornal - E. E. Messias Freire
Jornal - E. E. Messias FreireJornal - E. E. Messias Freire
Jornal - E. E. Messias Freire
Cirlei Santos
 
Projeto dia das mães - E. E. Prof Messias Freire
Projeto dia das mães - E. E. Prof Messias FreireProjeto dia das mães - E. E. Prof Messias Freire
Projeto dia das mães - E. E. Prof Messias Freire
Cirlei Santos
 
Projeto Consciência Negra 2013 - Parte 3 - E.E. Prof. Messias Freire
Projeto  Consciência Negra 2013 - Parte 3 - E.E. Prof. Messias FreireProjeto  Consciência Negra 2013 - Parte 3 - E.E. Prof. Messias Freire
Projeto Consciência Negra 2013 - Parte 3 - E.E. Prof. Messias Freire
Cirlei Santos
 
Projeto Consciência Negra 2013 - Parte 2 - E.E. Prof. Messias Freire
Projeto  Consciência Negra 2013 - Parte 2 - E.E. Prof. Messias FreireProjeto  Consciência Negra 2013 - Parte 2 - E.E. Prof. Messias Freire
Projeto Consciência Negra 2013 - Parte 2 - E.E. Prof. Messias Freire
Cirlei Santos
 

Mais de Cirlei Santos (20)

Coletiva 14.07.2021 - Bolsa Do Povo Educação
Coletiva 14.07.2021 -  Bolsa Do Povo Educação Coletiva 14.07.2021 -  Bolsa Do Povo Educação
Coletiva 14.07.2021 - Bolsa Do Povo Educação
 
Vernissage - Messias de Cara Nova
Vernissage  - Messias de Cara NovaVernissage  - Messias de Cara Nova
Vernissage - Messias de Cara Nova
 
Homenagem a Aposentadoria de Colega de Trabalho
Homenagem a Aposentadoria de Colega de TrabalhoHomenagem a Aposentadoria de Colega de Trabalho
Homenagem a Aposentadoria de Colega de Trabalho
 
Projeto de Conservação do Patrimônio Escolar
Projeto de Conservação do Patrimônio EscolarProjeto de Conservação do Patrimônio Escolar
Projeto de Conservação do Patrimônio Escolar
 
GRÊMIO ESTUDANTIL - E. E. PROF. MESSIAS FREIRE
GRÊMIO ESTUDANTIL - E. E. PROF. MESSIAS FREIREGRÊMIO ESTUDANTIL - E. E. PROF. MESSIAS FREIRE
GRÊMIO ESTUDANTIL - E. E. PROF. MESSIAS FREIRE
 
Bullying - Combata o Bullying Com Amor
Bullying - Combata o Bullying Com AmorBullying - Combata o Bullying Com Amor
Bullying - Combata o Bullying Com Amor
 
Mitologia - Mito em Busca de Resposta
Mitologia - Mito em Busca de RespostaMitologia - Mito em Busca de Resposta
Mitologia - Mito em Busca de Resposta
 
Projetos sala de leitura E. E. Professor Messias Freire 2017
Projetos sala de leitura E. E. Professor Messias Freire 2017Projetos sala de leitura E. E. Professor Messias Freire 2017
Projetos sala de leitura E. E. Professor Messias Freire 2017
 
Estágio - Cirlei Santos
Estágio - Cirlei SantosEstágio - Cirlei Santos
Estágio - Cirlei Santos
 
Tcc - Escola e Família - Parceria Necessária
Tcc - Escola e Família -  Parceria NecessáriaTcc - Escola e Família -  Parceria Necessária
Tcc - Escola e Família - Parceria Necessária
 
Projeto Páscoa - Sala de Litura E.E. Professor Messias Freire
Projeto Páscoa - Sala de Litura E.E. Professor Messias FreireProjeto Páscoa - Sala de Litura E.E. Professor Messias Freire
Projeto Páscoa - Sala de Litura E.E. Professor Messias Freire
 
Pecha Kucha - Superação Jovem - E. E. Professor Messias Freire
Pecha Kucha - Superação Jovem - E. E. Professor Messias FreirePecha Kucha - Superação Jovem - E. E. Professor Messias Freire
Pecha Kucha - Superação Jovem - E. E. Professor Messias Freire
 
Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire
Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire
Jornal da Sala de Leitura Prof. messias freire
 
Projeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a LeituraProjeto de Incentivo a Leitura
Projeto de Incentivo a Leitura
 
Teatro na escola - A Pílula Falante - Monteiro Lobato
 Teatro na escola - A Pílula Falante - Monteiro Lobato Teatro na escola - A Pílula Falante - Monteiro Lobato
Teatro na escola - A Pílula Falante - Monteiro Lobato
 
Fulecos copa do mundo
Fulecos copa do mundoFulecos copa do mundo
Fulecos copa do mundo
 
Jornal - E. E. Messias Freire
Jornal - E. E. Messias FreireJornal - E. E. Messias Freire
Jornal - E. E. Messias Freire
 
Projeto dia das mães - E. E. Prof Messias Freire
Projeto dia das mães - E. E. Prof Messias FreireProjeto dia das mães - E. E. Prof Messias Freire
Projeto dia das mães - E. E. Prof Messias Freire
 
Projeto Consciência Negra 2013 - Parte 3 - E.E. Prof. Messias Freire
Projeto  Consciência Negra 2013 - Parte 3 - E.E. Prof. Messias FreireProjeto  Consciência Negra 2013 - Parte 3 - E.E. Prof. Messias Freire
Projeto Consciência Negra 2013 - Parte 3 - E.E. Prof. Messias Freire
 
Projeto Consciência Negra 2013 - Parte 2 - E.E. Prof. Messias Freire
Projeto  Consciência Negra 2013 - Parte 2 - E.E. Prof. Messias FreireProjeto  Consciência Negra 2013 - Parte 2 - E.E. Prof. Messias Freire
Projeto Consciência Negra 2013 - Parte 2 - E.E. Prof. Messias Freire
 

Projeto de Leitura - " Vidas Secas"

  • 1. Sala de Leitura E. E. Prof. Messias Freire
  • 2. O Bicho (Manoel Bandeira) Vi ontem um bicho Na imundície do pátio Catando comida entre os detritos. Quando achava alguma coisa, Não examinava nem cheirava: Engolia com voracidade. O bicho não era um cão, Não era um gato, Não era um rato. O bicho, meu Deus, era um homem. Manoel Bandeira
  • 3. Projeto Vidas Secas Professora de Língua Portuguesa: Martinha Professora de Educação Artística: Lucimara Professora de História: Rosana Apoio: Sala de Leitura Professoras Judite, Conceição e Cirlei Público Alvo: 8ª/9º ano Cronograma de execução Datas Previstas 17/09/2013 17/092013 24/09/2013 25/11/2013 Atividades Proposta Primeira fase- Sensibilização Segunda fase – Divulgação do projeto Terceira fase e quarta fase – Ciranda da e leitura e Analise da tela e fotografias Quinta fase – Culminância
  • 4. 1. Justificativa A elaboração deste projeto visa à análise e questionamento como algo importantíssimo no processo de leitura, oferecendo aos alunos oportunidades a fim de que se transformem em leitores assíduos, uma vez que o papel da escola é despertar o prazer pela leitura e formar o senso crítico sobre o tema em estudo e sanar alguns déficits de leitura. Além de colocar o aluno frente à realidade descrita no livro “Vidas Secas” que retrata fielmente a realidade brasileira não só da época em que o livro foi escrito, mas como nos dias de hoje tais como injustiça social, miséria, fome, desigualdade, seca,
  • 5. 2. Fundamentação Teórica Os abalos sofridos pelo povo brasileiro em torno dos acontecimentos de 1930, a crise econômica provocada pela quebra da bolsa de valores de Nova Iorque, a crise cafeeira, a Revolução de 1930, o acelerado declínio do nordeste condicionou um novo estilo ficcional, notadamente mais adulto, mais amadurecido, mais moderno que se marcaria pela rudeza, por uma linguagem mais brasileira, por um enfoque direto dos fatos, por uma retomada do naturalismo, principalmente no plano da narrativa documental, temos também o romance nordestino, liberdade temática e rigor estilístico. Os romancistas de 30 caracterizavam-se por adotarem visão crítica das relações sociais, regionalismo ressaltando o homem hostilizado pelo ambiente, pela terra, cidade, o homem devorado pelos problemas que o meio lhe impõe. Dentro desse contexto será trabalhado o Romance “Vidas Secas” de Graciliano Ramos Simultaneamente será privilegiada a aprendizagem mais importante que é aquela que vai além da simples aquisição de informações. Dessa forma, surge este trabalho para desenvolver o hábito prazeroso da leitura e consequentemente elevar os resultados das avaliações.
  • 6. Segundo Maria Antonieta Antunes Cunha, para cada um, a leitura representa "a possibilidade de ver os dados do mundo com mais verdade, mais argúcia, com mais nuanças. Por tudo isto, com mais encantamento." Acrescenta, ainda, que o entusiasmo, o encantamento da criança, ao se descobrir "leitora", vem do fato de se perceber capaz de penetrar num mundo novo, cheio de mistérios a desvendar. Para Cunha, o lugar da leitura, na escola, não pode ser o lugar da irrelevância, nem do desprazer. A emoção e o prazer da descoberta não podem ser diminuídos, ou até acabar, se a escola trabalha inadequadamente a experiência do ler. A leitura não pode conviver com o medo, a cobrança descabida, a punição; não cabem também nem o descaso, nem a repetição mecânica. Partindo da concepção de leitura abordada por Ângela Kleiman, é possível refletir sobre o verdadeiro significado do trabalho com leituras no espaço escolar, bem como evidenciar a função da escola frente ao contexto social da atualidade, vislumbrado por diversas formas de ler e interpretar uma complexidade de situações comunicativas. Assim, ao adotar uma prática pedagógica pautada no diálogo e interação Escola/Sociedade, é preciso que os profissionais de educação percebam essa dialética como sendo uma necessidade vital e que, somente através da dinâmica da leitura, discussão e análise das ideias embutidas nessas leituras é que a escola, enquanto espaço de construção, pode contribuir para que os alunos sejam capazes de inferir opiniões e ideias acerca do ambiente em que vive.
  • 7. A escola, principalmente nas séries iniciais, deve atentar para um trabalho que objetive o gosto pela leitura, permitir que o aluno viva as obras literárias livremente, percebendo-as da maneira que melhor lhe aprouver. “Entre os meios de comunicação mais valiosos, um dos mais capazes de preparar as novas gerações para viverem nessa sociedade em mutação é o livro” (Odette de Barros Mott) Para isso, é necessário que sejam oferecidos aos leitores em formação livros próximos de sua realidade e que levantem questões significativas. A familiaridade do leitor com o texto gera predisposição para a leitura, pois o interesse pela leitura é, portanto, uma atitude favorável em relação ao texto, oriunda de uma necessidade, que pode ser informativa ou recreativa. [...] se ensina ao aluno a perceber esse objeto que é o texto em toda a sua beleza e complexidade, isto é, como ele está estruturado, como ele produz sentidos, quantos significados podem ser aí sucessivamente revelados, ou seja, somente quando são mostrados ao aluno modos de se envolver com esse objeto, mobilizando os seus saberes, memórias, sentimentos para assim compreendê-los [...]. O papel da escola é o de fornecer um conjunto de instrumentos e estratégias para o aluno realizar esse trabalho de forma progressiva e autônoma. (KLEIMAN,2002,p.28).
  • 8. 3. Objetivos Explorar os temas transversais na perspectiva interdisciplinar envolvendo competências curriculares diversos da escola, partindo do assunto em estudo, realizar um estudo a cerca da de Graciliano Ramos, promover a leitura e redigir uma reflexão sobre todo o trabalho de leitura, análise e comparação da temática e da interação com outras linguagens artísticas: filme, tela e música .
  • 9. 4. Objetivos Específicos • • • • • • • • • • • • Prover acesso ao livro; Promover a formação de alunos leitores; Promover à escrita; Reconhecer a leitura como uma atividade prazerosa; Conhecer obras da literatura brasileira; Motivar a pesquisa; Despertar a criatividade do aluno em relação às causas e consequências do movimento dos retirantes; Refletir sobre o meio ambiente devastado e suas consequências para o homem; Contextualizar a história do livro a fatos da vida real, nosso cotidiano; Identificar aspectos característicos da geração de 1930, focalizando a vida das personagens na indústria da seca. Estabelecer relação entre a temática do livro Vidas Secas e outras manifestações artísticas como a pintura, a fotografia, a música, a gravura, o cinema, o teatro, etc. Relacionar o romance com o contexto brasileiro atual.
  • 10. 5. Língua Portuguesa • Leitura em grupo (rodas de leitura); • Leitura dramatizada dos capítulos; • Produção de cartas para os autores ou para um amigo incentivando a leitura; • Produção de murais para divulgação do livro lido pelos alunos (Propaganda da leitura); • Promover a propaganda da Leitura (atividade oral para o aluno expor sobre a obra que leu e recomendar sua leitura aos colegas); • Leitura compartilhada (feita pela professora e pelo aluno); • Monitoramento da leitura em casa; • Entrevista filmada ou escrita com retirantes moradores nas redondezas da escola.
  • 11. 6. Educação Artística • Analise do quadro “Os Retirantes”de Cândido Portinari; • Descrever e analisar as relações entre texto e imagem; • Leitura de fotos de família e ou pessoais trazidas pelos alunos, quadros, imagens (descrição detalhada), considerando características físicas e psicológicas, sentimentos, simbologia das cores, contexto social com o uso de palavras. Construção de quadros, sugerindo uma releitura da obra de “Vidas Secas”.
  • 12. 7. História • A “história brasileira do século XX, para delinear o contexto no qual a obra se produziu”, buscando explicar os motivos da migração nordestina á época da escritura do livros e em tempos mais atuais. O “comportamento da família sertaneja nordestina, as raízes de sua angústia e suas expectativas de futuro”.
  • 13. 8. Recursos Os recursos utilizados contemplarão diferentes suportes como: Livro “Vidas Secas” textos digitados de diversos tipos e gêneros, revistas, charges, cartum, audiovisuais. Cartolinas, data-show, fotografias, lousa, piloto, laboratório de informática, câmera fotográfica digital, programas e aplicativo: apresentação de vídeo youtube. 9. Avaliação Entendendo a avaliação como sendo parte integrante do projeto, esta acontecerá a todo o momento, desde o planejamento das atividades, execução das ações e retroalimentação do mesmo, observando a participação, o interesse e a mudança de hábitos ocorridos mediante a realização das atividades planejadas. Em rodas de autoavaliação e avaliação do projeto em si, os alunos e professores replanejarão as atividades de acordo com o consenso de opiniões sempre buscando afinar com o gosto dos envolvidos e os objetivos do projeto.
  • 14. 10. Considerações finais As contribuições para o desenvolvimento do conhecimento nas ações planejadas é a promoção de espaços de leituras que permitam mudanças de hábitos dentro da escola com relação ao gosto pela leitura, à dinamização da biblioteca. As expectativas de continuidade da aprendizagem após a finalização do projeto é de que este projeto não seja apenas pontual, mas que a equipe envolvida (professores, alunos e pais) possa atualizá-lo a cada ano letivo, além de ser semente que pode gerar novos projetos como o de autor de gêneros textuais. Para o sucesso do trabalho com leitura, é fundamental reconhecer porque razão se vai ler. Estas podem ser muito diferentes, em cada caso e em cada situação: Leitura para se informar, para se distrair, para refletir, para entender melhor acontecimentos muito especiais da vida. É preciso estar atento para perceber que cada razão pede uma forma de tratamento diferente. Ao fazer isto adequadamente, o professor contribuirá para o aluno descobrir (ou redescobrir) a leitura e levá-la para sua vida, como forma essencial de estar no mundo. Obs.: Projeto elaborado através de pesquisas em páginas de internet .
  • 15. “Admirava as palavras compridas e difíceis da gente da cidade, tentava reproduzir, em vão, mas sabia que elas eram inúteis e talvez perigosas.” (Graciliano Ramos)