SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI
JOSÉ EDILSON VIEIRA JÚNIOR
ANÁLISE DE NEGÓCIOS: UMA ABORDAGEM GERAL
São Paulo
2017
JOSÉ EDILSON VIEIRA JÚNIOR
ANÁLISE DE NEGÓCIOS: UMA ABORDAGEM GERAL
Artigo elaborado como parte da avaliação de
aprendizado da disciplina de Análise de Negócios do
Curso de Pós-Graduação em Engenharia de
Software da Universidade Anhembi Morumbi.
São Paulo
2017
ANÁLISE DE NEGÓCIOS: UMA ABORDAGEM GERAL
JOSÉ EDILSON VIEIRA JÚNIOR 1
RESUMO
Este artigo busca explicar o conceito geral da Análise de Negócios, os processos e
técnicas necessários para a implantação de suas boas práticas, a função do profissional
responsável por garantir o sucesso desta implantação bem como os resultados obtidos através
do uso correto dos conceitos, modelos e frameworks disponíveis.
Palavras-chave: Análise de Negócios. Gestão. Analista de negócios.
ABSTRACT
This article aims to explain a general concept of business analysis, processes and
techniques necessary for the implementation of its good practices, the role of the professional
responsible for ensuring the success of this deployment as well as the results obtained through
the correct use of the concepts, models and frameworks available.
Key-words: Business analysis. Management. Business analyst.
1
Aluno do Curso de Pós-Graduação em Engenharia de Software pela Universidade Anhembi Morumbi.
Email: edilsonv12@gmail.com
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO 1
1 O CONCEITO DE ANÁLISE DE NEGÓCIOS 2
1.1 Desenvolvimento de Competências para a Análise de Negócios 2
1.2 O Analista de Negócios 3
2 ORGANIZAÇÃO DO BABOK® 4
3 AGREGANDO VALOR COM A ANÁLISE DE NEGÓCIOS 5
3.1 Evitar o desperdício e garantir o retorno dos investimentos 5
4 APLICANDO OS CONHECIMENTOS 5
CONCLUSÃO 7
REFERÊNCIAS 8
1
INTRODUÇÃO
Com o surgimento de novos negócios, produtos, soluções e com o rápido crescimento
do aumento da concorrência no setor empresarial, é de extrema importância que as empresas
busquem novas alternativas para resolver problemas internos e novas maneiras para entregar
projetos em que o produto final agregue cada vez mais valor ao usuário final.
Para que o produto final atenda às expectativas do usuário é necessário que todos os
requisitos sejam atendidos de maneira correta, ou seja, estejam bem definidos. Isto exige
cumplicidade aos processos e técnicas que são responsáveis por auxiliar os profissionais da
área de negócios para que estes cumpram o papel de elaborar e manter a análise no fluxo
contínuo de desenvolvimento.
Muitas vezes, o comprometimento em obedecer a risca as técnicas necessárias para
que ocorra o sucesso de um projeto é difícil, o que torna relevante toda a forma de
conhecimento e a relação entre todas as partes interessadas. A implantação de um processo
bem definido faz com que as empresas possam expandir as expectativas de suas competências
de Análise de Negócios e, por consequência, possam gerar resultados orientados a valor, fruto
do conjunto das habilidades e competências nas áreas de conhecimento da Análise de
Negócios.
2
1 O CONCEITO DE ANÁLISE DE NEGÓCIOS
O conceito básico de Análise de Negócios é bastante simples e pode ser definido
como a prática de identificar e esclarecer um problema ou uma falha dentro de uma empresa.
No entanto, a prática da Análise de Negócios pode ser bastante complexa e demorada, pelo
fato do envolvimento de diversas pessoas (stakeholders) para definição e implementação de
uma solução aceitável para o problema encontrado.
A Análise de Negócios visa também compreender a estrutura organizacional da
empresa e os processos de negócios, a fim de estruturar produtos, soluções e serviços fazendo
com que a empresa atinja suas metas e objetivos. Além disso, pode ser considerada, ainda,
como um conjunto de conceitos e técnicas que podem alinhar a estratégia aos projetos e
garantir a assertividade dos investimentos. Este alinhamento é dado através de três frentes
principais:
● Entendimento da real necessidade do negócio;
● Análise de viabilidade e proposta da solução que mais agrega valor;
● Garantia de que a solução especificada e desenvolvida atenda a necessidade para qual
foi criada.
Estes conceitos e técnicas foram compilados em um Guia chamado BABOK®
(Business Analysis Body of Knowledge®). O Guia BABOK® foi criado pelo IIBA
(International Institute of Business Analysis), uma organização sem fins lucrativos que
trabalha para desenvolver e padronizar a prática da Análise de Negócios e promover a
certificação de profissionais.
1.1 Desenvolvimento de Competências para a Análise de Negócios
O termo Desenvolvimento de Competências para a Análise de Negócios é uma
tradução da sigla BACD (Business Analysis Competency Development), um framework
utilizado para a identificação das competências exigidas de um analista de negócios.
No entanto, somente um framework não é suficiente para definir o que é o analista de
negócios e qual a chave principal para que este seja um profissional excelente. Por isso, é
utilizado também o Modelo dos Conceitos Essenciais da Análise de Negócios (do inglês,
BACCM - Business Analysis Core Concepts Model), que apresenta os conceitos essenciais
das atividades dos analistas de negócio.
São seis os conceitos embasados pelo BACCM, presentes no Guia BABOK® e que
podem ser resumidos de forma sucinta:
3
● Mudança: mudança no trabalho para melhorar o desempenho de uma empresa;
● Necessidade: problema ou oportunidade a ser abordado. As necessidades causam
mudanças;
● Solução: modo específico de satisfazer uma ou mais necessidades em um contexto;
● Stakeholder: grupo ou indivíduo que se relaciona com a mudança, a necessidade ou a
solução;
● Valor: pode ser visto como o retorno, ganho ou melhoria, potencial ou realizado. É a
importância ou utilidade de algo para os stakeholders dentro de um contexto;
● Contexto: circunstâncias que influenciam ou são influenciadas pela mudança e
proporcionam a compreensão da mesma.
1.2 O Analista de Negócios
O analista de negócios é o responsável por desvendar as verdadeiras necessidades das
partes interessadas. Para isto, ele deve conhecer o contexto de negócio onde a necessidade
surgiu e também precisa coletar um grande número de informações das partes interessadas,
tais como: prioridades e regras, requisitos dos profissionais de TI (Tecnologia da Informação)
e de outras áreas envolvidas, bem como as necessidades e problemas dos seus usuários e
clientes.
Espera-se que o analista de negócios seja, principalmente, a ponte entre a área de
negócios e as demais outras áreas da empresa como, por exemplo, a área de TI. O analista
precisa cuidar do alinhamento da estratégia organizacional de negócios, sincronizando as
áreas das partes interessadas e fazendo com que estejam caminhando na mesma direção. O
analista de negócios precisa entender as necessidades e os problemas da área de negócios e
traduzir essas necessidades para a área de projetos, por exemplo, para que esta área consiga
produzir produtos (soluções) que atendam as necessidades e problemas do negócio. Além
disso, atua na fase de pré-iniciação do projeto, ou seja, quando tudo ainda é uma ideia, uma
iniciativa, apenas uma proposta da área de negócios. Principais atividades:
● Verificar qual a necessidade do negócio;
● Formatar as necessidades levantadas em um Business Case;
● Identificar o escopo da solução em alto nível.
Após a execução destas atividades, o levantamento das necessidades pode ser
justificado pelo negócio e declarado como um projeto. Após o início do projeto, o analista
atua também na elicitação dos requisitos (planejamento) que vão embasar todo o
desenvolvimento. Além disso, atua durante a execução do projeto, avaliando os resultados que
4
foram produzidos pela equipe de desenvolvimento. Por fim, depois do projeto entregue, o
analista pode atuar avaliando a solução em produção para ver se ela atendeu de fato as
necessidades do negócio. Vale ressaltar que todas as atividades são bem definidas.
2 ORGANIZAÇÃO DO BABOK®
O objetivo principal do Guia BABOK® é definir a Análise de Negócios como um
todo e fornecer um conjunto de práticas comumente aceitas. Isso ajuda os profissionais a
discutir e definir as habilidades necessárias para realizar efetivamente o trabalho de Análise
de Negócios. O Guia BABOK® também ajuda as pessoas que trabalham e empregam
analistas de negócios para entender as habilidades e os conhecimentos que devem ser
esperados de um especialista qualificado.
O Guia BABOK® descreve as tarefas de Análise de Negócios que são realizadas para
analisar adequadamente uma mudança ou avaliar a necessidade de uma mudança, além de
definir muito bem todas as suas áreas de conhecimento.
As áreas de conhecimento interagem entre si. Não é um fluxo contínuo, o qual deve-se
seguir uma determinada ordem, mas pode-se estar trabalhando em uma área de conhecimento
e utilizar tarefas de outra área e assim por diante (seguindo sempre o roteiro estabelecido pelo
planejamento da Análise de Negócios). A utilização das áreas de conhecimento pode ser feita
de forma simultânea. São seis as áreas de conhecimento do Guia BABOK®:
1. Planejamento e Monitoramento da Análise de Negócios: ensina o que o analista de
negócios precisa fazer, ou seja, como estruturar o planejamento das atividades do
analista de negócios dentro da organização;
2. Elicitação e Colaboração: ensina a compreender o que as partes interessadas
precisam, ou seja, elicitar requisitos, descobrir, investigar com as partes interessadas;
3. Gerenciamento do Ciclo de Vida dos Requisitos: ajuda a verificar se todas as partes
entendem e concordam com o que está sendo feito, em termos de requisitos e
condução da iniciativa proposta;
4. Análise Estratégica: ensina a compreender o contexto do negócio para saber de onde
as necessidades e problemas surgiram;
5. Análise de Requisitos e Definição do Projeto: ajuda a definir o que a solução deve ser
capaz de fazer, nos seus detalhes e nos seus comportamentos;
6. Avaliação da Solução: ajuda a compreender o que a solução deve fazer, ou seja, se
certificar que a solução está fazendo o que deveria fazer.
5
Para aplicação das áreas de conhecimento do Guia BABOK®, o analista de negócios
precisa saber quais competências fundamentais precisam ser desenvolvidas para que o mesmo
seja um profissional mais flexível e habilidoso no desempenho desta profissão.
3 AGREGANDO VALOR COM A ANÁLISE DE NEGÓCIOS
Nas áreas de conhecimento Análise Estratégica, Avaliação da Solução e Análise de
Requisitos e Definição do Projeto é que obtem-se a maior entrega e a maior agregação de
valor para o negócio. É com a Análise Estratégica que é possível identificar e justificar a
necessidade de negócio. É a Análise de Requisitos e Definição do Projeto que permite a
especificação e a determinação da solução para atender plenamente as necessidades de
negócio. É com a Avaliação da Solução que certifica-se que a solução atendeu, de fato, a
necessidade do negócio.
3.1 Evitar o desperdício e garantir o retorno dos investimentos
Para transformar estratégias em resultados, os executivos definem metas para as áreas
táticas e operacionais, que irão gerar requisitos para a área de projetos. Por exemplo, para
reduzir custos, um processo manual pode ser automatizado por um novo software. O sucesso
dos projetos depende de uma comunicação clara e sem equívocos. Se o cliente solicita, por
exemplo, um sistema rápido, isso pode ser entendido de diversas maneiras pelo
desenvolvedor. Muitas vezes, o resultado só é visível após meses de trabalho e investimento.
Só então fica claro que os requisitos não foram bem entendidos. A correção vai gerar
retrabalho e custar mais dinheiro. Para resolver este problema, utiliza-se a Análise de
Negócios.
4 APLICANDO OS CONHECIMENTOS
Para que ocorra a implantação da Análise de Negócios em uma organização é preciso
que, primeiramente, haja um problema a ser resolvido. A partir do problema, ocorrem
mudanças e só assim pode haver a implantação da Análise de Negócios.
A mudança começa com o executivo responsável tomando consciência do que é a
Análise de Negócios e de como ela pode ajudar sua organização (elicitação de requisitos,
comunicação com as partes interessadas, alinhamento do projeto, ajuste na economia, retorno
dos investimentos, avaliação da solução, etc.). Para implantar a Análise de Negócios em uma
organização, deve-se:
6
● Capacitar áreas clientes em Análise de Negócios, para que possam detalhar melhor
seus requisitos;
● Capacitar áreas de projetos em Análise de Negócios, para que consigam entender
melhor os problemas antes de desenvolver uma solução;
● Criar área especialista em Análise de Negócios, que facilite a comunicação entre as
diversas partes interessadas.
A implantação termina com equipes de projetos mais motivadas, áreas clientes mais
satisfeitas, maior retorno dos investimentos e menos conflitos entre todas as áreas.
7
CONCLUSÃO
As empresas e os líderes de organizações estão cientes que, atualmente, são forçados
de uma maneira positiva a entender e a lidar com um ambiente de negócios mais exigente. A
comunidade de Análise de Negócios tem um trabalho a ser feito para ganhar a confiança da
liderança das organizações para que os processos e técnicas sejam cada vez mais utilizados
pelas empresas, ou seja, para que o alcance seja expandido em um futuro próximo.
Os profissionais precisam se desenvolver tecnicamente para que possam elevar os
níveis de habilidades suficientemente para garantir que a Análise de Negócios seja empregada
da maneira correta e tenha o maior percentual de sucesso possível, ou seja, para que as partes
interessadas e envolvidas em um projeto de mudança no contexto do ambiente empresarial
entendam o porque estão utilizando este recurso.
Para atingir o sucesso, as empresas precisam utilizar o tempo gasto com projetos
falhos, que pecam na fase pré-projeto, quando da organização, desenvolvimento e relação do
produto com o real valor do negócio, na capacitação de pessoas que possam atuar como
verdadeiros analistas de negócios, utilizando todo o conhecimento adquirido na inovação dos
processos e no atendimento aos requisitos cruciais para o desenvolvimento de uma solução
que atenda às necessidades do contexto em que a mudança é incluída.
8
REFERÊNCIAS
INTERNATIONAL INSTITUTE OF BUSINESS ANALYSIS. A Guide to the Business Analysis
Body of Knowledge® (BABOK® Guide). Toronto: International Institute of Business Analysis,
2015.
LOCOSELLI, Carlos José. BACD? O que é isso? Disponível em:
<http://www.iiba.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=80:bacd-o-que-e-
isso&catid=6:artigos&Itemid=15>. Acesso em: 24 de maio de 2017.
KERBER, Claudio Brancher. Resumo do BABOK 2.0. Disponível em:
<http://www.kerber.com.br/analise-de-negocios-BABOK-resumo.php>. Acesso em: 24 de maio de
2017.
INTERNATIONAL INSTITUTE OF BUSINESS ANALYSIS. Análises de negócios -
posicionamento para o sucesso. Disponível em: <http://www.iiba.org/Learning-Development/L-
D/kpmg-study-portuguese.aspx>. Acesso em: 27 de maio de 2017.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A estrategia-segundo-o-balanced-scorecard-um-estudo-focado-na-perspectiva-dos...
A estrategia-segundo-o-balanced-scorecard-um-estudo-focado-na-perspectiva-dos...A estrategia-segundo-o-balanced-scorecard-um-estudo-focado-na-perspectiva-dos...
A estrategia-segundo-o-balanced-scorecard-um-estudo-focado-na-perspectiva-dos...
ronaldo de silva
 
Trabalho Sobre Bsc
Trabalho Sobre BscTrabalho Sobre Bsc
Trabalho Sobre Bsc
avtrindade
 
Slide padrão mini curso
Slide padrão   mini cursoSlide padrão   mini curso
Slide padrão mini curso
rogsantos
 
T@rget Trust - Formação: Análise de Negócios
T@rget Trust - Formação: Análise de NegóciosT@rget Trust - Formação: Análise de Negócios
T@rget Trust - Formação: Análise de Negócios
Targettrust
 

Mais procurados (20)

Tcc pedro quintanilha - consultoria empresarial para micro e pequenas empresas
Tcc   pedro quintanilha - consultoria empresarial para micro e pequenas empresasTcc   pedro quintanilha - consultoria empresarial para micro e pequenas empresas
Tcc pedro quintanilha - consultoria empresarial para micro e pequenas empresas
 
A estrategia-segundo-o-balanced-scorecard-um-estudo-focado-na-perspectiva-dos...
A estrategia-segundo-o-balanced-scorecard-um-estudo-focado-na-perspectiva-dos...A estrategia-segundo-o-balanced-scorecard-um-estudo-focado-na-perspectiva-dos...
A estrategia-segundo-o-balanced-scorecard-um-estudo-focado-na-perspectiva-dos...
 
Balanced Scorecard
Balanced ScorecardBalanced Scorecard
Balanced Scorecard
 
Planejamento Estrategico com BSC
Planejamento Estrategico com BSCPlanejamento Estrategico com BSC
Planejamento Estrategico com BSC
 
Pensar Consultoria - Apresentação dos nossos serviços
Pensar Consultoria - Apresentação dos nossos serviçosPensar Consultoria - Apresentação dos nossos serviços
Pensar Consultoria - Apresentação dos nossos serviços
 
Trabalho Sobre Bsc
Trabalho Sobre BscTrabalho Sobre Bsc
Trabalho Sobre Bsc
 
Trabalho de admnistraçao estrategica bsc
Trabalho de admnistraçao estrategica bscTrabalho de admnistraçao estrategica bsc
Trabalho de admnistraçao estrategica bsc
 
Slide padrão mini curso
Slide padrão   mini cursoSlide padrão   mini curso
Slide padrão mini curso
 
Balanced Scorecard
Balanced ScorecardBalanced Scorecard
Balanced Scorecard
 
Ferramentas de Gestão
Ferramentas de GestãoFerramentas de Gestão
Ferramentas de Gestão
 
SUL CONSULTING - Consultoria empresarial
SUL CONSULTING - Consultoria empresarialSUL CONSULTING - Consultoria empresarial
SUL CONSULTING - Consultoria empresarial
 
Benchmarking e resultados
Benchmarking e resultadosBenchmarking e resultados
Benchmarking e resultados
 
T@rget Trust - Formação: Análise de Negócios
T@rget Trust - Formação: Análise de NegóciosT@rget Trust - Formação: Análise de Negócios
T@rget Trust - Formação: Análise de Negócios
 
Balanced scorecard
Balanced scorecardBalanced scorecard
Balanced scorecard
 
8 bsc
8 bsc8 bsc
8 bsc
 
Apresentação sul consulting consultoria & marketing
Apresentação sul consulting consultoria & marketingApresentação sul consulting consultoria & marketing
Apresentação sul consulting consultoria & marketing
 
As Melhores Práticas em Gestão de Pessoas - Balanced Scorecard
As Melhores Práticas em Gestão de Pessoas -  Balanced Scorecard As Melhores Práticas em Gestão de Pessoas -  Balanced Scorecard
As Melhores Práticas em Gestão de Pessoas - Balanced Scorecard
 
Gestão Ágil de Projetos
Gestão Ágil de ProjetosGestão Ágil de Projetos
Gestão Ágil de Projetos
 
Bsc e mapas estratégicos
Bsc e mapas estratégicosBsc e mapas estratégicos
Bsc e mapas estratégicos
 
BSC- Modelo Gestão
BSC- Modelo GestãoBSC- Modelo Gestão
BSC- Modelo Gestão
 

Semelhante a Uma abordagem geral da Análise de Negócios

Manual gfin pim iv 2012
Manual gfin pim iv 2012Manual gfin pim iv 2012
Manual gfin pim iv 2012
Jose Rudy
 

Semelhante a Uma abordagem geral da Análise de Negócios (20)

A Análise de Negócios
A Análise de NegóciosA Análise de Negócios
A Análise de Negócios
 
Resumo do Guia BABOK® 3
Resumo do Guia BABOK®  3 Resumo do Guia BABOK®  3
Resumo do Guia BABOK® 3
 
Um guia para definir o corpo de conhecimento para análise de negócios – BABOK...
Um guia para definir o corpo de conhecimento para análise de negócios – BABOK...Um guia para definir o corpo de conhecimento para análise de negócios – BABOK...
Um guia para definir o corpo de conhecimento para análise de negócios – BABOK...
 
Como o Analista de Negócio entrega valor para empresas de software?
Como o Analista de Negócio entrega valor para empresas de software?Como o Analista de Negócio entrega valor para empresas de software?
Como o Analista de Negócio entrega valor para empresas de software?
 
BABOK - Visão Geral
BABOK - Visão GeralBABOK - Visão Geral
BABOK - Visão Geral
 
Modelo de Plano de Negocios
Modelo de Plano de NegociosModelo de Plano de Negocios
Modelo de Plano de Negocios
 
Fundamentos de gestão empresarial cap4
Fundamentos de gestão empresarial cap4Fundamentos de gestão empresarial cap4
Fundamentos de gestão empresarial cap4
 
Os desafios do empreendedor
Os desafios do empreendedorOs desafios do empreendedor
Os desafios do empreendedor
 
Bsc notas de aula
Bsc notas de aulaBsc notas de aula
Bsc notas de aula
 
Tb Escopo Mario e Claudio
Tb Escopo Mario e ClaudioTb Escopo Mario e Claudio
Tb Escopo Mario e Claudio
 
Guia Babok
Guia BabokGuia Babok
Guia Babok
 
Business Design Thinking
Business Design ThinkingBusiness Design Thinking
Business Design Thinking
 
Artigo excelência operacional
Artigo excelência operacionalArtigo excelência operacional
Artigo excelência operacional
 
Aula 05 - Gestão de equipes de manutenção.pptx
Aula 05 - Gestão de equipes de manutenção.pptxAula 05 - Gestão de equipes de manutenção.pptx
Aula 05 - Gestão de equipes de manutenção.pptx
 
Guia BABOK v3 Principais mudanças
Guia BABOK v3 Principais mudançasGuia BABOK v3 Principais mudanças
Guia BABOK v3 Principais mudanças
 
BALANCED SCORECARD
BALANCED SCORECARDBALANCED SCORECARD
BALANCED SCORECARD
 
TDC2017 | São Paulo - Trilha Análise de Negócios How we figured out we had a ...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Análise de Negócios How we figured out we had a ...TDC2017 | São Paulo - Trilha Análise de Negócios How we figured out we had a ...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Análise de Negócios How we figured out we had a ...
 
Modelagem das motivações e estratégias do negócio
Modelagem das motivações e estratégias do negócioModelagem das motivações e estratégias do negócio
Modelagem das motivações e estratégias do negócio
 
Manual gfin pim iv 2012
Manual gfin pim iv 2012Manual gfin pim iv 2012
Manual gfin pim iv 2012
 
Plano de negócios abnt
Plano de negócios abntPlano de negócios abnt
Plano de negócios abnt
 

Último

b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdfb2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
Renandantas16
 

Último (6)

b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdfb2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
b2ee375d-671f-406c-8c60-df328a75e662.pdf
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
 
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptxDROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
DROGASIL EQUIPE LOGISTICA MERCADOLOGICA.pptx
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
 
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
 
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos AcontecerPesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
Pesquisa de satisfação - Encontro Fazemos Acontecer
 

Uma abordagem geral da Análise de Negócios

  • 1. UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI JOSÉ EDILSON VIEIRA JÚNIOR ANÁLISE DE NEGÓCIOS: UMA ABORDAGEM GERAL São Paulo 2017
  • 2. JOSÉ EDILSON VIEIRA JÚNIOR ANÁLISE DE NEGÓCIOS: UMA ABORDAGEM GERAL Artigo elaborado como parte da avaliação de aprendizado da disciplina de Análise de Negócios do Curso de Pós-Graduação em Engenharia de Software da Universidade Anhembi Morumbi. São Paulo 2017
  • 3. ANÁLISE DE NEGÓCIOS: UMA ABORDAGEM GERAL JOSÉ EDILSON VIEIRA JÚNIOR 1 RESUMO Este artigo busca explicar o conceito geral da Análise de Negócios, os processos e técnicas necessários para a implantação de suas boas práticas, a função do profissional responsável por garantir o sucesso desta implantação bem como os resultados obtidos através do uso correto dos conceitos, modelos e frameworks disponíveis. Palavras-chave: Análise de Negócios. Gestão. Analista de negócios. ABSTRACT This article aims to explain a general concept of business analysis, processes and techniques necessary for the implementation of its good practices, the role of the professional responsible for ensuring the success of this deployment as well as the results obtained through the correct use of the concepts, models and frameworks available. Key-words: Business analysis. Management. Business analyst. 1 Aluno do Curso de Pós-Graduação em Engenharia de Software pela Universidade Anhembi Morumbi. Email: edilsonv12@gmail.com
  • 4. SUMÁRIO INTRODUÇÃO 1 1 O CONCEITO DE ANÁLISE DE NEGÓCIOS 2 1.1 Desenvolvimento de Competências para a Análise de Negócios 2 1.2 O Analista de Negócios 3 2 ORGANIZAÇÃO DO BABOK® 4 3 AGREGANDO VALOR COM A ANÁLISE DE NEGÓCIOS 5 3.1 Evitar o desperdício e garantir o retorno dos investimentos 5 4 APLICANDO OS CONHECIMENTOS 5 CONCLUSÃO 7 REFERÊNCIAS 8
  • 5. 1 INTRODUÇÃO Com o surgimento de novos negócios, produtos, soluções e com o rápido crescimento do aumento da concorrência no setor empresarial, é de extrema importância que as empresas busquem novas alternativas para resolver problemas internos e novas maneiras para entregar projetos em que o produto final agregue cada vez mais valor ao usuário final. Para que o produto final atenda às expectativas do usuário é necessário que todos os requisitos sejam atendidos de maneira correta, ou seja, estejam bem definidos. Isto exige cumplicidade aos processos e técnicas que são responsáveis por auxiliar os profissionais da área de negócios para que estes cumpram o papel de elaborar e manter a análise no fluxo contínuo de desenvolvimento. Muitas vezes, o comprometimento em obedecer a risca as técnicas necessárias para que ocorra o sucesso de um projeto é difícil, o que torna relevante toda a forma de conhecimento e a relação entre todas as partes interessadas. A implantação de um processo bem definido faz com que as empresas possam expandir as expectativas de suas competências de Análise de Negócios e, por consequência, possam gerar resultados orientados a valor, fruto do conjunto das habilidades e competências nas áreas de conhecimento da Análise de Negócios.
  • 6. 2 1 O CONCEITO DE ANÁLISE DE NEGÓCIOS O conceito básico de Análise de Negócios é bastante simples e pode ser definido como a prática de identificar e esclarecer um problema ou uma falha dentro de uma empresa. No entanto, a prática da Análise de Negócios pode ser bastante complexa e demorada, pelo fato do envolvimento de diversas pessoas (stakeholders) para definição e implementação de uma solução aceitável para o problema encontrado. A Análise de Negócios visa também compreender a estrutura organizacional da empresa e os processos de negócios, a fim de estruturar produtos, soluções e serviços fazendo com que a empresa atinja suas metas e objetivos. Além disso, pode ser considerada, ainda, como um conjunto de conceitos e técnicas que podem alinhar a estratégia aos projetos e garantir a assertividade dos investimentos. Este alinhamento é dado através de três frentes principais: ● Entendimento da real necessidade do negócio; ● Análise de viabilidade e proposta da solução que mais agrega valor; ● Garantia de que a solução especificada e desenvolvida atenda a necessidade para qual foi criada. Estes conceitos e técnicas foram compilados em um Guia chamado BABOK® (Business Analysis Body of Knowledge®). O Guia BABOK® foi criado pelo IIBA (International Institute of Business Analysis), uma organização sem fins lucrativos que trabalha para desenvolver e padronizar a prática da Análise de Negócios e promover a certificação de profissionais. 1.1 Desenvolvimento de Competências para a Análise de Negócios O termo Desenvolvimento de Competências para a Análise de Negócios é uma tradução da sigla BACD (Business Analysis Competency Development), um framework utilizado para a identificação das competências exigidas de um analista de negócios. No entanto, somente um framework não é suficiente para definir o que é o analista de negócios e qual a chave principal para que este seja um profissional excelente. Por isso, é utilizado também o Modelo dos Conceitos Essenciais da Análise de Negócios (do inglês, BACCM - Business Analysis Core Concepts Model), que apresenta os conceitos essenciais das atividades dos analistas de negócio. São seis os conceitos embasados pelo BACCM, presentes no Guia BABOK® e que podem ser resumidos de forma sucinta:
  • 7. 3 ● Mudança: mudança no trabalho para melhorar o desempenho de uma empresa; ● Necessidade: problema ou oportunidade a ser abordado. As necessidades causam mudanças; ● Solução: modo específico de satisfazer uma ou mais necessidades em um contexto; ● Stakeholder: grupo ou indivíduo que se relaciona com a mudança, a necessidade ou a solução; ● Valor: pode ser visto como o retorno, ganho ou melhoria, potencial ou realizado. É a importância ou utilidade de algo para os stakeholders dentro de um contexto; ● Contexto: circunstâncias que influenciam ou são influenciadas pela mudança e proporcionam a compreensão da mesma. 1.2 O Analista de Negócios O analista de negócios é o responsável por desvendar as verdadeiras necessidades das partes interessadas. Para isto, ele deve conhecer o contexto de negócio onde a necessidade surgiu e também precisa coletar um grande número de informações das partes interessadas, tais como: prioridades e regras, requisitos dos profissionais de TI (Tecnologia da Informação) e de outras áreas envolvidas, bem como as necessidades e problemas dos seus usuários e clientes. Espera-se que o analista de negócios seja, principalmente, a ponte entre a área de negócios e as demais outras áreas da empresa como, por exemplo, a área de TI. O analista precisa cuidar do alinhamento da estratégia organizacional de negócios, sincronizando as áreas das partes interessadas e fazendo com que estejam caminhando na mesma direção. O analista de negócios precisa entender as necessidades e os problemas da área de negócios e traduzir essas necessidades para a área de projetos, por exemplo, para que esta área consiga produzir produtos (soluções) que atendam as necessidades e problemas do negócio. Além disso, atua na fase de pré-iniciação do projeto, ou seja, quando tudo ainda é uma ideia, uma iniciativa, apenas uma proposta da área de negócios. Principais atividades: ● Verificar qual a necessidade do negócio; ● Formatar as necessidades levantadas em um Business Case; ● Identificar o escopo da solução em alto nível. Após a execução destas atividades, o levantamento das necessidades pode ser justificado pelo negócio e declarado como um projeto. Após o início do projeto, o analista atua também na elicitação dos requisitos (planejamento) que vão embasar todo o desenvolvimento. Além disso, atua durante a execução do projeto, avaliando os resultados que
  • 8. 4 foram produzidos pela equipe de desenvolvimento. Por fim, depois do projeto entregue, o analista pode atuar avaliando a solução em produção para ver se ela atendeu de fato as necessidades do negócio. Vale ressaltar que todas as atividades são bem definidas. 2 ORGANIZAÇÃO DO BABOK® O objetivo principal do Guia BABOK® é definir a Análise de Negócios como um todo e fornecer um conjunto de práticas comumente aceitas. Isso ajuda os profissionais a discutir e definir as habilidades necessárias para realizar efetivamente o trabalho de Análise de Negócios. O Guia BABOK® também ajuda as pessoas que trabalham e empregam analistas de negócios para entender as habilidades e os conhecimentos que devem ser esperados de um especialista qualificado. O Guia BABOK® descreve as tarefas de Análise de Negócios que são realizadas para analisar adequadamente uma mudança ou avaliar a necessidade de uma mudança, além de definir muito bem todas as suas áreas de conhecimento. As áreas de conhecimento interagem entre si. Não é um fluxo contínuo, o qual deve-se seguir uma determinada ordem, mas pode-se estar trabalhando em uma área de conhecimento e utilizar tarefas de outra área e assim por diante (seguindo sempre o roteiro estabelecido pelo planejamento da Análise de Negócios). A utilização das áreas de conhecimento pode ser feita de forma simultânea. São seis as áreas de conhecimento do Guia BABOK®: 1. Planejamento e Monitoramento da Análise de Negócios: ensina o que o analista de negócios precisa fazer, ou seja, como estruturar o planejamento das atividades do analista de negócios dentro da organização; 2. Elicitação e Colaboração: ensina a compreender o que as partes interessadas precisam, ou seja, elicitar requisitos, descobrir, investigar com as partes interessadas; 3. Gerenciamento do Ciclo de Vida dos Requisitos: ajuda a verificar se todas as partes entendem e concordam com o que está sendo feito, em termos de requisitos e condução da iniciativa proposta; 4. Análise Estratégica: ensina a compreender o contexto do negócio para saber de onde as necessidades e problemas surgiram; 5. Análise de Requisitos e Definição do Projeto: ajuda a definir o que a solução deve ser capaz de fazer, nos seus detalhes e nos seus comportamentos; 6. Avaliação da Solução: ajuda a compreender o que a solução deve fazer, ou seja, se certificar que a solução está fazendo o que deveria fazer.
  • 9. 5 Para aplicação das áreas de conhecimento do Guia BABOK®, o analista de negócios precisa saber quais competências fundamentais precisam ser desenvolvidas para que o mesmo seja um profissional mais flexível e habilidoso no desempenho desta profissão. 3 AGREGANDO VALOR COM A ANÁLISE DE NEGÓCIOS Nas áreas de conhecimento Análise Estratégica, Avaliação da Solução e Análise de Requisitos e Definição do Projeto é que obtem-se a maior entrega e a maior agregação de valor para o negócio. É com a Análise Estratégica que é possível identificar e justificar a necessidade de negócio. É a Análise de Requisitos e Definição do Projeto que permite a especificação e a determinação da solução para atender plenamente as necessidades de negócio. É com a Avaliação da Solução que certifica-se que a solução atendeu, de fato, a necessidade do negócio. 3.1 Evitar o desperdício e garantir o retorno dos investimentos Para transformar estratégias em resultados, os executivos definem metas para as áreas táticas e operacionais, que irão gerar requisitos para a área de projetos. Por exemplo, para reduzir custos, um processo manual pode ser automatizado por um novo software. O sucesso dos projetos depende de uma comunicação clara e sem equívocos. Se o cliente solicita, por exemplo, um sistema rápido, isso pode ser entendido de diversas maneiras pelo desenvolvedor. Muitas vezes, o resultado só é visível após meses de trabalho e investimento. Só então fica claro que os requisitos não foram bem entendidos. A correção vai gerar retrabalho e custar mais dinheiro. Para resolver este problema, utiliza-se a Análise de Negócios. 4 APLICANDO OS CONHECIMENTOS Para que ocorra a implantação da Análise de Negócios em uma organização é preciso que, primeiramente, haja um problema a ser resolvido. A partir do problema, ocorrem mudanças e só assim pode haver a implantação da Análise de Negócios. A mudança começa com o executivo responsável tomando consciência do que é a Análise de Negócios e de como ela pode ajudar sua organização (elicitação de requisitos, comunicação com as partes interessadas, alinhamento do projeto, ajuste na economia, retorno dos investimentos, avaliação da solução, etc.). Para implantar a Análise de Negócios em uma organização, deve-se:
  • 10. 6 ● Capacitar áreas clientes em Análise de Negócios, para que possam detalhar melhor seus requisitos; ● Capacitar áreas de projetos em Análise de Negócios, para que consigam entender melhor os problemas antes de desenvolver uma solução; ● Criar área especialista em Análise de Negócios, que facilite a comunicação entre as diversas partes interessadas. A implantação termina com equipes de projetos mais motivadas, áreas clientes mais satisfeitas, maior retorno dos investimentos e menos conflitos entre todas as áreas.
  • 11. 7 CONCLUSÃO As empresas e os líderes de organizações estão cientes que, atualmente, são forçados de uma maneira positiva a entender e a lidar com um ambiente de negócios mais exigente. A comunidade de Análise de Negócios tem um trabalho a ser feito para ganhar a confiança da liderança das organizações para que os processos e técnicas sejam cada vez mais utilizados pelas empresas, ou seja, para que o alcance seja expandido em um futuro próximo. Os profissionais precisam se desenvolver tecnicamente para que possam elevar os níveis de habilidades suficientemente para garantir que a Análise de Negócios seja empregada da maneira correta e tenha o maior percentual de sucesso possível, ou seja, para que as partes interessadas e envolvidas em um projeto de mudança no contexto do ambiente empresarial entendam o porque estão utilizando este recurso. Para atingir o sucesso, as empresas precisam utilizar o tempo gasto com projetos falhos, que pecam na fase pré-projeto, quando da organização, desenvolvimento e relação do produto com o real valor do negócio, na capacitação de pessoas que possam atuar como verdadeiros analistas de negócios, utilizando todo o conhecimento adquirido na inovação dos processos e no atendimento aos requisitos cruciais para o desenvolvimento de uma solução que atenda às necessidades do contexto em que a mudança é incluída.
  • 12. 8 REFERÊNCIAS INTERNATIONAL INSTITUTE OF BUSINESS ANALYSIS. A Guide to the Business Analysis Body of Knowledge® (BABOK® Guide). Toronto: International Institute of Business Analysis, 2015. LOCOSELLI, Carlos José. BACD? O que é isso? Disponível em: <http://www.iiba.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=80:bacd-o-que-e- isso&catid=6:artigos&Itemid=15>. Acesso em: 24 de maio de 2017. KERBER, Claudio Brancher. Resumo do BABOK 2.0. Disponível em: <http://www.kerber.com.br/analise-de-negocios-BABOK-resumo.php>. Acesso em: 24 de maio de 2017. INTERNATIONAL INSTITUTE OF BUSINESS ANALYSIS. Análises de negócios - posicionamento para o sucesso. Disponível em: <http://www.iiba.org/Learning-Development/L- D/kpmg-study-portuguese.aspx>. Acesso em: 27 de maio de 2017.