SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN
     Faculdade de Ciências Econômicas - FACEM
          Docente: Andrea Araújo de Jesus
                   Curso: Turismo


         Teoria Geral do Turismo II

                                   Camila Paula de Almeida
                               Leonardo Marcos de Menezes
                                    Lucas de Oliveira Nunes
                               Maria Valdirene Santos Sousa
                             Samuel Matheus do Nascimento

                 Mossoró
                  2012
SISTUR – SISTEMA DE TURISMO
Conjunto das Relações Ambientais:
Subsistemas Econômico e Cultural
“Conjunto de procedimentos, doutrinas, idéias ou princípios
logicamente ordenados e coesos com intenção de descrever,
explicar ou dirigir o funcionamento de um todo.” (Beni, 2001,
p. 23)
Modelo Referencial - Mário Carlos Beni
Turismo: Economia e Cultura
 Como bem sabemos o turismo está diretamente
 ligado a essas duas diretrizes, pois ele é uma área
 da economia que pode vir a explorar a identidade
 cultural de determinado destino, podendo esta se
 tornar o próprio atrativo. No SISTUR, essas duas
 áreas estão dentro das relações ambientais , ou
 seja, elas se realizam em determinados ambientes.
Conjunto das Relações Ambientais
         Subsistema econômico

 Visto como atividade econômica, o turismo
compreende uma série de serviços que são
oferecidos ao viajante. O conjunto de serviços
efetivamente colocados no mercado constitui a
cadeia de sua produção, distribuição, consumo e
valor. Em seguida, veremos os quatro principais
segmentos que estão no subsistema econômico.
A economia do turismo analisa:
 As alternativas de utilização dos recursos
 A distribuição e circulação de renda gerada pela
  atividade
 A lógica do comportamento econômico dos
  viajantes ( a decisão de viajar, o deslocamento, a
  hospedagem, a realização dos motivos da viagem, a
  permanência no local e os gastos).
 O comportamento dos agentes, empresas, e agentes
  públicos que operam nas localidades emissoras e
  receptoras.
Considerações sobre a economia do turismo
A     conjuntura     econômica    é  condicionante
  permanente de sua evolução, tanto na ordem
  micro, quanto na ordem macro.
 O turismo é uma contínua atividade produtiva
  geradora de renda, que se acha submetida a todas
  as leis econômicas que atuam nos demais ramos e
  setores industriais ou de produção.
 Provoca indiretamente acentuadas repercussões
  econômicas em outras atividades produtivas através
  do efeito multiplicador.
 Os efeitos econômicos causados são importantes
  para o padrão de vida da população.
 O turismo provoca o desenvolvimento intersetorial
  (ação realizada conjuntamente por setores afins de
  uma mesma organização), em função do efeito
  multiplicador, do investimento e dos fortes
  crescimentos da demanda.
Alguns aspectos econômicos inerentes ao
                setor:
 Rentabilidade dos investimentos como fator
  estimulador da capacidade empreendedora.
 A especificidade da mão-de-obra demandada,
  como propulsora do nível social de emprego.
 Disponibilidade de recursos no âmbito do
  sistema financeiro para financiar a demanda dos
 serviços (novos equipamentos).
O turismo é um fenômeno que se
        manifesta ao lado da demanda
 Consumo privado:             Consumo público:
  corresponde aos gastos        corresponde as despesas
  por parte dos turistas na     do governo no SISTUR.
  aquisição de bens e
  serviços do SISTUR.
 Exportações:    consideram-se no SISTUR os gastos
  em viagens ou compras de bens e serviços dos
  turistas estrangeiros dentro do país de destino.
 Importações: consideram-se no SISTUR os gastos
  dos residentes em viagens no exterior com
  compras de bens de serviços.
Conjunto das Relações Ambientais

               Subsistema Cultural

   A cultura é considerada a matéria-prima do
turismo, corresponde ao conjunto de crenças, valores
e técnicas para lidar com o meio ambiente,
compartilhado    entre    os   contemporâneos      e
transmitido de geração em geração. Em seguida,
veremos os três principais segmentos que estão no
subsistema cultural.
Os bens culturais colocados à disposição do
            consumo turístico
 O acervo dos monumentos históricos e o registro
  dos legados que expressam os valores da
  sociedade;
 Os museus e as galerias de arte, que reúnem as
  várias modalidades de expressão artística;
 As manifestações populares de caráter religioso e
  profano;
 O folclore, que retrata, numa reconstituição cênica
  de ambiência histórica, as etnias formadoras de
  populações;
 A cultura popular, que mais efetivamente evidencia
  o presente de cada área, tornando-se, por vezes,
  geradora de fluxos turísticos específicos e
  caracterizadora de regiões dentro de um único
  país.
Meios de animação do turismo cultural
  É o conjunto de ações e técnicas dirigidas a
motivar, promover e facilitar a maior e mais ativa
participação do turista no desfrute e aproveitamento
de seu tempo turístico, em todos os níveis e direções
que este implica.
Tipos de culturas
 Cultura popular
 Cultura Erudita ou de Elite
 Cultura de Massa
Dúvidas
REFERÊNCIAS
 BENI, Mário Carlos. Análise Estrutural do Turismo. São Paulo:
  Senac, 2007.
 MARQUES, Anita. Espaço de Turismo. Blogspot, 2012. Disponível
  em:    http://espacodeturismo.blogspot.com.br/2012/07/sistema-de-
  turismo-sistur.html. Acesso em: 07/09/2012, 21:52:47.
 NASCIMENTO, Cláudia Regina Tavares do. Teoria Geral do
  Turismo I. Mossoró, 2011.
Obrigado Pela Atenção!



  “Se a vida fosse resumida por momentos,
   o Turismo daria vida a cada um deles.”
               (Rinaldo Pedro)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

desenvolvimento sustentavel do turismo
 desenvolvimento sustentavel do turismo  desenvolvimento sustentavel do turismo
desenvolvimento sustentavel do turismo
Karlla Costa
 
A cultura e a sociedade
A cultura e a sociedadeA cultura e a sociedade
A cultura e a sociedade
Danusy Déia
 
Mapa conceitual - trabalho
Mapa conceitual  - trabalhoMapa conceitual  - trabalho
Mapa conceitual - trabalho
Gilberto Cotrim
 
1. AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Aula Economia Rural.pptx
1. AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Aula Economia Rural.pptx1. AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Aula Economia Rural.pptx
1. AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Aula Economia Rural.pptx
CARLOSAUGUSTOROCHADE
 
Exercícios juv
Exercícios juvExercícios juv
Exercícios juv
roberto mosca junior
 
Literatura Infantil de Autoria Indígena
Literatura Infantil de Autoria IndígenaLiteratura Infantil de Autoria Indígena
Literatura Infantil de Autoria Indígena
Instituto Uka
 
éTica e sociedade
éTica e sociedadeéTica e sociedade
éTica e sociedade
leojusto
 
Identidade, diferença e cultura
Identidade, diferença e culturaIdentidade, diferença e cultura
Identidade, diferença e cultura
Comunidados
 
Alta cultura, cultura popular, cultura de massa
Alta cultura, cultura popular, cultura de massaAlta cultura, cultura popular, cultura de massa
Alta cultura, cultura popular, cultura de massa
Aline Corso
 
Arquitetura mesopotâmica
Arquitetura mesopotâmicaArquitetura mesopotâmica
Arquitetura mesopotâmica
Doug Caesar
 
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologiaAtividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
Atividades Diversas Cláudia
 
AULA SOBRE INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção - Colégio Estadual Roselân...
AULA SOBRE INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção - Colégio Estadual Roselân...AULA SOBRE INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção - Colégio Estadual Roselân...
AULA SOBRE INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção - Colégio Estadual Roselân...
Prof. Noe Assunção
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
roberto mosca junior
 
Cultura erudita e cultura popular reformulado
Cultura erudita e cultura popular reformuladoCultura erudita e cultura popular reformulado
Cultura erudita e cultura popular reformulado
Celso Firmino Sociologia/Filosofia
 
Comércio Internacional
Comércio InternacionalComércio Internacional
Comércio Internacional
Diego Lopes
 
Desenvolvimento cultural
Desenvolvimento culturalDesenvolvimento cultural
Desenvolvimento cultural
Agata Cristhie Ferreira
 
Turismo sustentável slides (2)
Turismo sustentável slides (2)Turismo sustentável slides (2)
Turismo sustentável slides (2)
rosaband
 
PIB
PIBPIB
Indústria cultural
Indústria culturalIndústria cultural
Indústria cultural
Edenilson Morais
 
Aula 1 - Refugiados e Guerra
Aula 1 - Refugiados e GuerraAula 1 - Refugiados e Guerra
Aula 1 - Refugiados e Guerra
Isabela Espíndola
 

Mais procurados (20)

desenvolvimento sustentavel do turismo
 desenvolvimento sustentavel do turismo  desenvolvimento sustentavel do turismo
desenvolvimento sustentavel do turismo
 
A cultura e a sociedade
A cultura e a sociedadeA cultura e a sociedade
A cultura e a sociedade
 
Mapa conceitual - trabalho
Mapa conceitual  - trabalhoMapa conceitual  - trabalho
Mapa conceitual - trabalho
 
1. AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Aula Economia Rural.pptx
1. AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Aula Economia Rural.pptx1. AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Aula Economia Rural.pptx
1. AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Aula Economia Rural.pptx
 
Exercícios juv
Exercícios juvExercícios juv
Exercícios juv
 
Literatura Infantil de Autoria Indígena
Literatura Infantil de Autoria IndígenaLiteratura Infantil de Autoria Indígena
Literatura Infantil de Autoria Indígena
 
éTica e sociedade
éTica e sociedadeéTica e sociedade
éTica e sociedade
 
Identidade, diferença e cultura
Identidade, diferença e culturaIdentidade, diferença e cultura
Identidade, diferença e cultura
 
Alta cultura, cultura popular, cultura de massa
Alta cultura, cultura popular, cultura de massaAlta cultura, cultura popular, cultura de massa
Alta cultura, cultura popular, cultura de massa
 
Arquitetura mesopotâmica
Arquitetura mesopotâmicaArquitetura mesopotâmica
Arquitetura mesopotâmica
 
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologiaAtividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
 
AULA SOBRE INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção - Colégio Estadual Roselân...
AULA SOBRE INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção - Colégio Estadual Roselân...AULA SOBRE INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção - Colégio Estadual Roselân...
AULA SOBRE INDÚSTRIA CULTURAL - Prof. Noe Assunção - Colégio Estadual Roselân...
 
Industria cultural
Industria culturalIndustria cultural
Industria cultural
 
Cultura erudita e cultura popular reformulado
Cultura erudita e cultura popular reformuladoCultura erudita e cultura popular reformulado
Cultura erudita e cultura popular reformulado
 
Comércio Internacional
Comércio InternacionalComércio Internacional
Comércio Internacional
 
Desenvolvimento cultural
Desenvolvimento culturalDesenvolvimento cultural
Desenvolvimento cultural
 
Turismo sustentável slides (2)
Turismo sustentável slides (2)Turismo sustentável slides (2)
Turismo sustentável slides (2)
 
PIB
PIBPIB
PIB
 
Indústria cultural
Indústria culturalIndústria cultural
Indústria cultural
 
Aula 1 - Refugiados e Guerra
Aula 1 - Refugiados e GuerraAula 1 - Refugiados e Guerra
Aula 1 - Refugiados e Guerra
 

Destaque

Teoria do turismo - mário beni
Teoria do turismo -  mário beniTeoria do turismo -  mário beni
Teoria do turismo - mário beni
Marcelo Diedrich
 
TEORIA GERAL DO TURISMO I - TERMOS UTILIZADOS EM TURISMO.
TEORIA GERAL DO TURISMO I - TERMOS UTILIZADOS EM TURISMO.TEORIA GERAL DO TURISMO I - TERMOS UTILIZADOS EM TURISMO.
TEORIA GERAL DO TURISMO I - TERMOS UTILIZADOS EM TURISMO.
Caah Kowalczyk
 
Conceitos e definições do turismo
Conceitos e definições do turismoConceitos e definições do turismo
Conceitos e definições do turismo
Day Sanalves
 
Di nâmica do sistur
Di nâmica do sisturDi nâmica do sistur
Di nâmica do sistur
Mismaquele Silva
 
Turismo de base comunitária: Cubatão (SP)
Turismo de base comunitária: Cubatão (SP)Turismo de base comunitária: Cubatão (SP)
Turismo de base comunitária: Cubatão (SP)
Aristides Faria
 
Sistema de Leiper - por Maísa Fernandes e Daniela Botelho
Sistema de Leiper - por Maísa Fernandes e Daniela BotelhoSistema de Leiper - por Maísa Fernandes e Daniela Botelho
Sistema de Leiper - por Maísa Fernandes e Daniela Botelho
Maísa Fernandes
 
Como publicar/alterar sua foto no perfil do ambiente e-ProInfo
Como publicar/alterar sua foto no perfil do ambiente e-ProInfoComo publicar/alterar sua foto no perfil do ambiente e-ProInfo
Como publicar/alterar sua foto no perfil do ambiente e-ProInfo
richard_romancini
 
Turismo de base comunitária, mtur.
Turismo de base comunitária, mtur.Turismo de base comunitária, mtur.
Turismo de base comunitária, mtur.
EcoHospedagem
 
Mudando a senha e inserindo foto no seu perfil
Mudando a senha e inserindo foto no seu perfilMudando a senha e inserindo foto no seu perfil
Mudando a senha e inserindo foto no seu perfil
Zélia Cordeiro
 
Sistema turístico
Sistema turísticoSistema turístico
Sistema turístico
Independiente.
 
Agentes produtores do espaço urbano geografia urbana
Agentes produtores do espaço urbano   geografia urbanaAgentes produtores do espaço urbano   geografia urbana
Agentes produtores do espaço urbano geografia urbana
Rodrigo Sousa
 
Exemplo paper 2012
Exemplo paper 2012Exemplo paper 2012
Exemplo paper 2012
Gabriel de Oliveira
 
Modelo do paper uniasselvi
Modelo do paper uniasselviModelo do paper uniasselvi
Modelo do paper uniasselvi
Elisabete Oliveira
 
Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)
Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)
Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)
Cleidilene Lima
 
Historia do Turismo
Historia do TurismoHistoria do Turismo
Historia do Turismo
Alexandre Fernandes
 
How to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & TricksHow to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
SlideShare
 
Getting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShareGetting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShare
SlideShare
 

Destaque (17)

Teoria do turismo - mário beni
Teoria do turismo -  mário beniTeoria do turismo -  mário beni
Teoria do turismo - mário beni
 
TEORIA GERAL DO TURISMO I - TERMOS UTILIZADOS EM TURISMO.
TEORIA GERAL DO TURISMO I - TERMOS UTILIZADOS EM TURISMO.TEORIA GERAL DO TURISMO I - TERMOS UTILIZADOS EM TURISMO.
TEORIA GERAL DO TURISMO I - TERMOS UTILIZADOS EM TURISMO.
 
Conceitos e definições do turismo
Conceitos e definições do turismoConceitos e definições do turismo
Conceitos e definições do turismo
 
Di nâmica do sistur
Di nâmica do sisturDi nâmica do sistur
Di nâmica do sistur
 
Turismo de base comunitária: Cubatão (SP)
Turismo de base comunitária: Cubatão (SP)Turismo de base comunitária: Cubatão (SP)
Turismo de base comunitária: Cubatão (SP)
 
Sistema de Leiper - por Maísa Fernandes e Daniela Botelho
Sistema de Leiper - por Maísa Fernandes e Daniela BotelhoSistema de Leiper - por Maísa Fernandes e Daniela Botelho
Sistema de Leiper - por Maísa Fernandes e Daniela Botelho
 
Como publicar/alterar sua foto no perfil do ambiente e-ProInfo
Como publicar/alterar sua foto no perfil do ambiente e-ProInfoComo publicar/alterar sua foto no perfil do ambiente e-ProInfo
Como publicar/alterar sua foto no perfil do ambiente e-ProInfo
 
Turismo de base comunitária, mtur.
Turismo de base comunitária, mtur.Turismo de base comunitária, mtur.
Turismo de base comunitária, mtur.
 
Mudando a senha e inserindo foto no seu perfil
Mudando a senha e inserindo foto no seu perfilMudando a senha e inserindo foto no seu perfil
Mudando a senha e inserindo foto no seu perfil
 
Sistema turístico
Sistema turísticoSistema turístico
Sistema turístico
 
Agentes produtores do espaço urbano geografia urbana
Agentes produtores do espaço urbano   geografia urbanaAgentes produtores do espaço urbano   geografia urbana
Agentes produtores do espaço urbano geografia urbana
 
Exemplo paper 2012
Exemplo paper 2012Exemplo paper 2012
Exemplo paper 2012
 
Modelo do paper uniasselvi
Modelo do paper uniasselviModelo do paper uniasselvi
Modelo do paper uniasselvi
 
Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)
Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)
Exemplo de um artigo cientifico ( modelo paper)
 
Historia do Turismo
Historia do TurismoHistoria do Turismo
Historia do Turismo
 
How to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & TricksHow to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
 
Getting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShareGetting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShare
 

Semelhante a SISTUR - CONJUNTO DE RELAÇÕES AMBIENTAIS

1834
18341834
1834
Pelo Siro
 
FUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptx
FUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptxFUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptx
FUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptx
ProfessorTiagoNunes
 
FUNESO - Marketing turistico - 15.08.14 - Apresentação
FUNESO - Marketing turistico  - 15.08.14 - ApresentaçãoFUNESO - Marketing turistico  - 15.08.14 - Apresentação
FUNESO - Marketing turistico - 15.08.14 - Apresentação
Elton Rodrigues
 
"Turismo e Cultura"
"Turismo e Cultura""Turismo e Cultura"
"Turismo e Cultura"
anassoares
 
"Turismo e Cultura"
"Turismo e Cultura""Turismo e Cultura"
"Turismo e Cultura"
Ana Patricia Baltazar
 
"Turismo e Cultura"
"Turismo e Cultura""Turismo e Cultura"
"Turismo e Cultura"
Ana Patricia Baltazar
 
15
1515
Turismo evolução
Turismo evoluçãoTurismo evolução
Turismo evolução
Karlla Costa
 
Licenciatura Em Turismo
Licenciatura Em TurismoLicenciatura Em Turismo
Licenciatura Em Turismo
Turismologo 2011
 
FUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aula
FUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aulaFUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aula
FUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aula
Elton Rodrigues
 
Sistema Turístico.docx
Sistema Turístico.docxSistema Turístico.docx
Sistema Turístico.docx
MariaFernandaGuedes3
 
Slide conceitos
Slide conceitosSlide conceitos
Slide conceitos
Karlla Costa
 
TBC - Novos protagonistas na produção turística
TBC - Novos protagonistas na produção turísticaTBC - Novos protagonistas na produção turística
TBC - Novos protagonistas na produção turística
Carolina Matos
 
Artigo Elói Senhoras e Jordana Cavalcante
Artigo Elói Senhoras e Jordana CavalcanteArtigo Elói Senhoras e Jordana Cavalcante
Artigo Elói Senhoras e Jordana Cavalcante
Jordana Cavalcante
 
Hallack estado da arte do turismo de base comunitária
Hallack   estado da arte do turismo de base comunitáriaHallack   estado da arte do turismo de base comunitária
Hallack estado da arte do turismo de base comunitária
Diogo Cardoso
 
208635245-Geografia-Do-Turismo.pdf
208635245-Geografia-Do-Turismo.pdf208635245-Geografia-Do-Turismo.pdf
208635245-Geografia-Do-Turismo.pdf
Escola Profissional Dr. Francisco Fernandas
 
Regionalização gestor
Regionalização gestorRegionalização gestor
Regionalização gestor
Karlla Costa
 
noções conceituais de turismo
 noções conceituais de turismo noções conceituais de turismo
noções conceituais de turismo
Karlla Costa
 
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 05
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 05Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 05
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 05
Aristides Faria
 
Impactos cultural sobre o turismo
Impactos cultural sobre o turismoImpactos cultural sobre o turismo
Impactos cultural sobre o turismo
Amisse Braga
 

Semelhante a SISTUR - CONJUNTO DE RELAÇÕES AMBIENTAIS (20)

1834
18341834
1834
 
FUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptx
FUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptxFUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptx
FUNDAMENTOS DO TURISMO E DA HOSPITALIDADE.pptx
 
FUNESO - Marketing turistico - 15.08.14 - Apresentação
FUNESO - Marketing turistico  - 15.08.14 - ApresentaçãoFUNESO - Marketing turistico  - 15.08.14 - Apresentação
FUNESO - Marketing turistico - 15.08.14 - Apresentação
 
"Turismo e Cultura"
"Turismo e Cultura""Turismo e Cultura"
"Turismo e Cultura"
 
"Turismo e Cultura"
"Turismo e Cultura""Turismo e Cultura"
"Turismo e Cultura"
 
"Turismo e Cultura"
"Turismo e Cultura""Turismo e Cultura"
"Turismo e Cultura"
 
15
1515
15
 
Turismo evolução
Turismo evoluçãoTurismo evolução
Turismo evolução
 
Licenciatura Em Turismo
Licenciatura Em TurismoLicenciatura Em Turismo
Licenciatura Em Turismo
 
FUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aula
FUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aulaFUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aula
FUNESO - Marketing turístico - 15.08 - Planejamento de aula
 
Sistema Turístico.docx
Sistema Turístico.docxSistema Turístico.docx
Sistema Turístico.docx
 
Slide conceitos
Slide conceitosSlide conceitos
Slide conceitos
 
TBC - Novos protagonistas na produção turística
TBC - Novos protagonistas na produção turísticaTBC - Novos protagonistas na produção turística
TBC - Novos protagonistas na produção turística
 
Artigo Elói Senhoras e Jordana Cavalcante
Artigo Elói Senhoras e Jordana CavalcanteArtigo Elói Senhoras e Jordana Cavalcante
Artigo Elói Senhoras e Jordana Cavalcante
 
Hallack estado da arte do turismo de base comunitária
Hallack   estado da arte do turismo de base comunitáriaHallack   estado da arte do turismo de base comunitária
Hallack estado da arte do turismo de base comunitária
 
208635245-Geografia-Do-Turismo.pdf
208635245-Geografia-Do-Turismo.pdf208635245-Geografia-Do-Turismo.pdf
208635245-Geografia-Do-Turismo.pdf
 
Regionalização gestor
Regionalização gestorRegionalização gestor
Regionalização gestor
 
noções conceituais de turismo
 noções conceituais de turismo noções conceituais de turismo
noções conceituais de turismo
 
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 05
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 05Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 05
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 05
 
Impactos cultural sobre o turismo
Impactos cultural sobre o turismoImpactos cultural sobre o turismo
Impactos cultural sobre o turismo
 

Mais de Caah Kowalczyk

Interesses Turísticos
Interesses TurísticosInteresses Turísticos
Interesses Turísticos
Caah Kowalczyk
 
Plano de Turismo Sustentável - Barra de Camaratuba/PB
Plano de Turismo Sustentável - Barra de Camaratuba/PBPlano de Turismo Sustentável - Barra de Camaratuba/PB
Plano de Turismo Sustentável - Barra de Camaratuba/PB
Caah Kowalczyk
 
Bebidas alcóolicas
Bebidas alcóolicasBebidas alcóolicas
Bebidas alcóolicas
Caah Kowalczyk
 
Plano Estratégico de Marketing
Plano Estratégico de MarketingPlano Estratégico de Marketing
Plano Estratégico de Marketing
Caah Kowalczyk
 
PROSPOSTA DE INTERVENÇÃO - CASARÃO HISTÓRICO DE CARAÚBAS/RN
PROSPOSTA DE INTERVENÇÃO - CASARÃO HISTÓRICO DE CARAÚBAS/RNPROSPOSTA DE INTERVENÇÃO - CASARÃO HISTÓRICO DE CARAÚBAS/RN
PROSPOSTA DE INTERVENÇÃO - CASARÃO HISTÓRICO DE CARAÚBAS/RN
Caah Kowalczyk
 
ALAGOAS: UM ESTUDO DE CASO.
ALAGOAS: UM ESTUDO DE CASO.ALAGOAS: UM ESTUDO DE CASO.
ALAGOAS: UM ESTUDO DE CASO.
Caah Kowalczyk
 
MOSSORÓ MIX: TURISMO DE EVENTOS.
MOSSORÓ MIX: TURISMO DE EVENTOS.MOSSORÓ MIX: TURISMO DE EVENTOS.
MOSSORÓ MIX: TURISMO DE EVENTOS.
Caah Kowalczyk
 
CICLO DE VIDA DO DESTINO TURÍSTICO, TIPOS DE TURISTAS E RESIDENTES.
CICLO DE VIDA DO DESTINO TURÍSTICO, TIPOS DE TURISTAS E RESIDENTES.CICLO DE VIDA DO DESTINO TURÍSTICO, TIPOS DE TURISTAS E RESIDENTES.
CICLO DE VIDA DO DESTINO TURÍSTICO, TIPOS DE TURISTAS E RESIDENTES.
Caah Kowalczyk
 
O TURISMO E O FOLCLORE BRASILEIRO
O TURISMO E O FOLCLORE BRASILEIROO TURISMO E O FOLCLORE BRASILEIRO
O TURISMO E O FOLCLORE BRASILEIRO
Caah Kowalczyk
 
EVENTOS COMO VITRINES EMPRESARIAIS
EVENTOS COMO VITRINES EMPRESARIAISEVENTOS COMO VITRINES EMPRESARIAIS
EVENTOS COMO VITRINES EMPRESARIAIS
Caah Kowalczyk
 
CULTURA CIENTÍFICA.
CULTURA CIENTÍFICA.CULTURA CIENTÍFICA.
CULTURA CIENTÍFICA.
Caah Kowalczyk
 

Mais de Caah Kowalczyk (11)

Interesses Turísticos
Interesses TurísticosInteresses Turísticos
Interesses Turísticos
 
Plano de Turismo Sustentável - Barra de Camaratuba/PB
Plano de Turismo Sustentável - Barra de Camaratuba/PBPlano de Turismo Sustentável - Barra de Camaratuba/PB
Plano de Turismo Sustentável - Barra de Camaratuba/PB
 
Bebidas alcóolicas
Bebidas alcóolicasBebidas alcóolicas
Bebidas alcóolicas
 
Plano Estratégico de Marketing
Plano Estratégico de MarketingPlano Estratégico de Marketing
Plano Estratégico de Marketing
 
PROSPOSTA DE INTERVENÇÃO - CASARÃO HISTÓRICO DE CARAÚBAS/RN
PROSPOSTA DE INTERVENÇÃO - CASARÃO HISTÓRICO DE CARAÚBAS/RNPROSPOSTA DE INTERVENÇÃO - CASARÃO HISTÓRICO DE CARAÚBAS/RN
PROSPOSTA DE INTERVENÇÃO - CASARÃO HISTÓRICO DE CARAÚBAS/RN
 
ALAGOAS: UM ESTUDO DE CASO.
ALAGOAS: UM ESTUDO DE CASO.ALAGOAS: UM ESTUDO DE CASO.
ALAGOAS: UM ESTUDO DE CASO.
 
MOSSORÓ MIX: TURISMO DE EVENTOS.
MOSSORÓ MIX: TURISMO DE EVENTOS.MOSSORÓ MIX: TURISMO DE EVENTOS.
MOSSORÓ MIX: TURISMO DE EVENTOS.
 
CICLO DE VIDA DO DESTINO TURÍSTICO, TIPOS DE TURISTAS E RESIDENTES.
CICLO DE VIDA DO DESTINO TURÍSTICO, TIPOS DE TURISTAS E RESIDENTES.CICLO DE VIDA DO DESTINO TURÍSTICO, TIPOS DE TURISTAS E RESIDENTES.
CICLO DE VIDA DO DESTINO TURÍSTICO, TIPOS DE TURISTAS E RESIDENTES.
 
O TURISMO E O FOLCLORE BRASILEIRO
O TURISMO E O FOLCLORE BRASILEIROO TURISMO E O FOLCLORE BRASILEIRO
O TURISMO E O FOLCLORE BRASILEIRO
 
EVENTOS COMO VITRINES EMPRESARIAIS
EVENTOS COMO VITRINES EMPRESARIAISEVENTOS COMO VITRINES EMPRESARIAIS
EVENTOS COMO VITRINES EMPRESARIAIS
 
CULTURA CIENTÍFICA.
CULTURA CIENTÍFICA.CULTURA CIENTÍFICA.
CULTURA CIENTÍFICA.
 

Último

História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Renato Henriques
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 

Último (20)

História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 

SISTUR - CONJUNTO DE RELAÇÕES AMBIENTAIS

  • 1. Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN Faculdade de Ciências Econômicas - FACEM Docente: Andrea Araújo de Jesus Curso: Turismo Teoria Geral do Turismo II Camila Paula de Almeida Leonardo Marcos de Menezes Lucas de Oliveira Nunes Maria Valdirene Santos Sousa Samuel Matheus do Nascimento Mossoró 2012
  • 2. SISTUR – SISTEMA DE TURISMO Conjunto das Relações Ambientais: Subsistemas Econômico e Cultural
  • 3. “Conjunto de procedimentos, doutrinas, idéias ou princípios logicamente ordenados e coesos com intenção de descrever, explicar ou dirigir o funcionamento de um todo.” (Beni, 2001, p. 23)
  • 4. Modelo Referencial - Mário Carlos Beni
  • 5. Turismo: Economia e Cultura  Como bem sabemos o turismo está diretamente ligado a essas duas diretrizes, pois ele é uma área da economia que pode vir a explorar a identidade cultural de determinado destino, podendo esta se tornar o próprio atrativo. No SISTUR, essas duas áreas estão dentro das relações ambientais , ou seja, elas se realizam em determinados ambientes.
  • 6. Conjunto das Relações Ambientais Subsistema econômico Visto como atividade econômica, o turismo compreende uma série de serviços que são oferecidos ao viajante. O conjunto de serviços efetivamente colocados no mercado constitui a cadeia de sua produção, distribuição, consumo e valor. Em seguida, veremos os quatro principais segmentos que estão no subsistema econômico.
  • 7. A economia do turismo analisa:  As alternativas de utilização dos recursos  A distribuição e circulação de renda gerada pela atividade  A lógica do comportamento econômico dos viajantes ( a decisão de viajar, o deslocamento, a hospedagem, a realização dos motivos da viagem, a permanência no local e os gastos).  O comportamento dos agentes, empresas, e agentes públicos que operam nas localidades emissoras e receptoras.
  • 8. Considerações sobre a economia do turismo A conjuntura econômica é condicionante permanente de sua evolução, tanto na ordem micro, quanto na ordem macro.  O turismo é uma contínua atividade produtiva geradora de renda, que se acha submetida a todas as leis econômicas que atuam nos demais ramos e setores industriais ou de produção.  Provoca indiretamente acentuadas repercussões econômicas em outras atividades produtivas através do efeito multiplicador.
  • 9.  Os efeitos econômicos causados são importantes para o padrão de vida da população.  O turismo provoca o desenvolvimento intersetorial (ação realizada conjuntamente por setores afins de uma mesma organização), em função do efeito multiplicador, do investimento e dos fortes crescimentos da demanda.
  • 10. Alguns aspectos econômicos inerentes ao setor:  Rentabilidade dos investimentos como fator estimulador da capacidade empreendedora.  A especificidade da mão-de-obra demandada, como propulsora do nível social de emprego.  Disponibilidade de recursos no âmbito do sistema financeiro para financiar a demanda dos serviços (novos equipamentos).
  • 11. O turismo é um fenômeno que se manifesta ao lado da demanda  Consumo privado:  Consumo público: corresponde aos gastos corresponde as despesas por parte dos turistas na do governo no SISTUR. aquisição de bens e serviços do SISTUR.
  • 12.  Exportações: consideram-se no SISTUR os gastos em viagens ou compras de bens e serviços dos turistas estrangeiros dentro do país de destino.  Importações: consideram-se no SISTUR os gastos dos residentes em viagens no exterior com compras de bens de serviços.
  • 13. Conjunto das Relações Ambientais Subsistema Cultural A cultura é considerada a matéria-prima do turismo, corresponde ao conjunto de crenças, valores e técnicas para lidar com o meio ambiente, compartilhado entre os contemporâneos e transmitido de geração em geração. Em seguida, veremos os três principais segmentos que estão no subsistema cultural.
  • 14. Os bens culturais colocados à disposição do consumo turístico  O acervo dos monumentos históricos e o registro dos legados que expressam os valores da sociedade;  Os museus e as galerias de arte, que reúnem as várias modalidades de expressão artística;  As manifestações populares de caráter religioso e profano;  O folclore, que retrata, numa reconstituição cênica de ambiência histórica, as etnias formadoras de populações;
  • 15.  A cultura popular, que mais efetivamente evidencia o presente de cada área, tornando-se, por vezes, geradora de fluxos turísticos específicos e caracterizadora de regiões dentro de um único país.
  • 16. Meios de animação do turismo cultural É o conjunto de ações e técnicas dirigidas a motivar, promover e facilitar a maior e mais ativa participação do turista no desfrute e aproveitamento de seu tempo turístico, em todos os níveis e direções que este implica.
  • 17. Tipos de culturas  Cultura popular
  • 18.  Cultura Erudita ou de Elite
  • 19.  Cultura de Massa
  • 21. REFERÊNCIAS  BENI, Mário Carlos. Análise Estrutural do Turismo. São Paulo: Senac, 2007.  MARQUES, Anita. Espaço de Turismo. Blogspot, 2012. Disponível em: http://espacodeturismo.blogspot.com.br/2012/07/sistema-de- turismo-sistur.html. Acesso em: 07/09/2012, 21:52:47.  NASCIMENTO, Cláudia Regina Tavares do. Teoria Geral do Turismo I. Mossoró, 2011.
  • 22. Obrigado Pela Atenção! “Se a vida fosse resumida por momentos, o Turismo daria vida a cada um deles.” (Rinaldo Pedro)