SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Doisnovemeia<br />Palestra “Texto”<br />Fernanda Guedes<br />Texto de apoio<br />Título e imagem são responsáveis por atrair a atenção do leitor para a peça e o texto é responsável por informar, criando convicção sobre o produto ou serviço.<br />A utilização de textos em anúncios é definida pelo problema de comunicação e pelo tipo de produto ou serviço anunciado. Produtos novos, em lançamento, em fase de reposicionamento, na maioria das vezes, requerem informações que complementem o título.<br />A informação principal (o benefício) do produto ou serviço, numa peça impressa, se encontra no título, que também pode ser referido como a promessa principal. Todo o resto que precisa ser dito a respeito do produto ou serviço (preço, forma de uso/entrega/pagamento, garantia e outras características), será abordado no texto de apoio. Essas informações se tratam da promessa secundária.<br />Contextualização é o encadeamento de informações que situam o leitor quanto a todos os aspectos do texto.<br />Referências são as informações necessárias para que o leitor compreenda o texto.<br />Estrutura é o que vai organizar as idéias e traçar um caminho de leitura para o receptor.<br />Aspectos estéticos irão definir a aparência do texto (tipografia, alinhamento, espaçamento, etc.).<br />Tipos de texto<br />Narração<br />Na narração sempre há o envolvimento emocional do leitor. Ela conta uma sequência de fatos ou acontecimentos, reais ou fictícios, com começo meio e fim (não necessariamente nesta ordem). É preciso definir personagens, ambientação, tempo e espaço, através de um narrador em 1ª ou 3ª pessoa. <br />Descrição<br />Aborda os aspectos característicos do produto ou serviço, buscando formar uma imagem mental na cabeça do leitor. É preciso definir o objetivo da descrição (sensibilizar, informar, convencer, etc), e assim, organizar o percurso da caracterização do objeto. Deve-se evitar o uso de adjetivos que podem gerar ambigüidade, pois empobrecem o texto. <br />Além de formar uma imagem, é enriquecedor e gera uma experiência do consumidor com o produto ou serviço, quando o texto o faz ativar outros sentidos (paladar, olfato, tato, audição).<br />Dissertação<br />Expõe idéias e opiniões, sempre acompanhadas de argumentos que as comprovem. Para dissertar é preciso ter imaginação, criatividade e muito conhecimento para saber argumentar de forma a convencer o leitor à ação desejada.<br />Na publicidade, é difícil encontrar textos com apenas um dos tipos de texto. O comum é fazermos associações entre eles para melhor nos comunicarmos.<br />Características<br />O texto na mensagem publicitária precisa ser conciso, persuasivo e informativo de uma só vez. É geralmente coloquial e utiliza frases curtas (suj., ação, complemento – inverter é raro, pois pode gerar ruído). A não ser que seja o propósito, são dispensadas palavras que dificultam a leitura e não deixam a frase fluir.<br />Assim como o título, deve-se cortar os excessos. Se você pode cortar e a frase continua fazendo sentido, corte!<br />O texto de apoio é dividido em três partes:<br />1ª – (Primeira frase) Amplia o título, explica o que ele havia deixado por dizer.<br />2ª – (Exposição) Fala das características do produto.<br />3ª – (Fechamento) Fecha o texto, voltando-se para a idéia inicial.<br />Texto curto ou texto longo?<br />Texto Curto<br />É objetivo, normalmente tem muita força e funciona muito bem para meios que o consumidor tem pouco tempo para ler. Ele é o exemplo máximo de síntese que pregamos diariamente na Publicidade.<br />Texto Longo<br />Prede a atenção do leitor, através de um texto envolvente, apresentando argumentos e benefícios do produto. Esse texto oferece uma experiência ao leitor e o expõe por mais tempo ao serviço ou produto.<br />Copy<br />O copy, diferente do texto de apoio, não se trata de uma promessa secundária. Ele se garante por ele mesmo, havendo título ou não.<br />É um texto publicitário para peças impressas, de rádio ou de televisão, que visam captar o interesse de um possível comprador do serviço ou produto. Para isso, ele precisa ter um ritmo impecável, muitos parágrafos, brilho intelectual marcante, mas cordial, uma boa retórica com encadeamento de argumentos e sugestões. Ele deve ser escrito de forma que sua idéia ou produto seja adquirido pelo público alvo.<br />Storytelling<br />story = história / telling = narração<br />Storytelling é a arte de elaborar uma história atraente. Na publicidade, ela é uma nova ferramenta do marketing que busca cativar e conquistar o consumidor por meio da história atrelada à marca ou produto.<br />Transmídia Storytelling  <br />“Crossmedia (também conhecida como Cross media ou Cross-media) é a distribuição de serviços, produtos e experiências por meio das diversas mídias e plataformas de comunicação existentes no mundo digital e offline. Conceito dos anos 90, envolvendo publicidade em múltiplos meios. Ou seja, um conceito simplista sobre publicidade e canais de veiculação.”<br />“Uma historia transmedia se desdobra através de múltiplas plataformas de mídia, casa qual com um novo texto, fazendo uma contribuição distinta e valiosa para o todo”. Henry Jenkins<br />O que está em pauta não é a audiência das mídias possíveis e sim o quanto a história cabe e se desdobra nelas. <br />Não há supremacia do off sobre on.<br />Não adianta simplesmente colocar o seriado em streaming no site oficial, precisa ter uma outra história partindo dali.<br />E ela precisa ser sedutora e rica o suficiente para o espectador daquele momento continuar acessando.<br />Exemplo: A seção Heroes Evolutions é aonde o usuário/espectador encontra diversas histórias paralelas e desdobramentos de enredo que enriquecem o seriado, mas não inviabilizam o entendimento de quem só assiste na TV. Interatividade: Hana Gliterman é uma personagem que tem o poder de se transportar por ondas de rádio e redes de dados e se comunicar e comandar qualquer aparelho de comunicação. Codinome wireless, ela foi desenvolvida para ser a anfitriã do seriado na internet e celular. “Depois de um determinado episódio, Hana apareceu no site e começou a convocar pessoas para sabotarem a manipulação da eleição que o vilão estava montando. A resposta foi inacreditável pois milhares de pessoas montaram verdadeiras comunidades para clicar até o último segundo do episódio e tentar vencer o mal. Acabamos colocando a personagem em alguns episódios da TV em função dessa resposta positiva”, disse Jesse Alexander.<br />Nós criamos os produtos transmedia envolvendo todos os roteiristas da série para a TV e temos pessoas que depois     focam em aprofundar e aplicar o que foi decidido para a internet e celular. E a gente faz isso simplesmente por que aumenta a audiência da série dentro e fora da TV, agrada as marcas que querem inovar e viabiliza os episódios que  custam 5 milhões de dólares em média.<br />
Texto - Fernanda Guedes
Texto - Fernanda Guedes

Mais conteúdo relacionado

Destaque (6)

Apostila sobre Gestalt
Apostila sobre GestaltApostila sobre Gestalt
Apostila sobre Gestalt
 
Texto
TextoTexto
Texto
 
Fotografia
FotografiaFotografia
Fotografia
 
Mala direta
Mala diretaMala direta
Mala direta
 
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília dfAgencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
 
Almanaquedecriaçãopromoçao
AlmanaquedecriaçãopromoçaoAlmanaquedecriaçãopromoçao
Almanaquedecriaçãopromoçao
 

Semelhante a Texto - Fernanda Guedes

Design Estratégico e Comunicação
Design Estratégico e ComunicaçãoDesign Estratégico e Comunicação
Design Estratégico e ComunicaçãoGustavo Fischer
 
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2Diego Moreau
 
Propaganda direta & marketing direto
Propaganda direta & marketing diretoPropaganda direta & marketing direto
Propaganda direta & marketing diretoJosué Brazil
 
Gênero textual, preparação para exame celpe-bras
Gênero textual, preparação para exame celpe-brasGênero textual, preparação para exame celpe-bras
Gênero textual, preparação para exame celpe-brasThaisRibeiro971223
 
Anúncio publicitário 4o. bimestre
Anúncio publicitário 4o. bimestreAnúncio publicitário 4o. bimestre
Anúncio publicitário 4o. bimestreMarcia Facelli
 
O texto publicitario2
O texto publicitario2O texto publicitario2
O texto publicitario2André Bomfim
 
Educação em Mídias - Anúncios Publicitários
Educação em Mídias - Anúncios Publicitários Educação em Mídias - Anúncios Publicitários
Educação em Mídias - Anúncios Publicitários Estelimar Teixeira
 
Transmedia storytelling > Defesa Tese
Transmedia storytelling  > Defesa TeseTransmedia storytelling  > Defesa Tese
Transmedia storytelling > Defesa TeseGonçalo Fonseca
 
Desvende o Segredo das Apresentações Cativantes_ Estratégias de Storytelling ...
Desvende o Segredo das Apresentações Cativantes_ Estratégias de Storytelling ...Desvende o Segredo das Apresentações Cativantes_ Estratégias de Storytelling ...
Desvende o Segredo das Apresentações Cativantes_ Estratégias de Storytelling ...abreuadriano1
 
Aula Design Novas Tecnologias e Inovação - Buzz, viral, boca-a-boca
Aula Design Novas Tecnologias e Inovação - Buzz, viral, boca-a-bocaAula Design Novas Tecnologias e Inovação - Buzz, viral, boca-a-boca
Aula Design Novas Tecnologias e Inovação - Buzz, viral, boca-a-bocaGustavo Fischer
 
Canais de comunicação de valor para o cliente
Canais de comunicação de valor para o clienteCanais de comunicação de valor para o cliente
Canais de comunicação de valor para o clienteMARCOS GONÇALVES FERREIRA
 
O Poder das Histórias: Como Usar Narrativas para Conectar e Influenciar seu P...
O Poder das Histórias: Como Usar Narrativas para Conectar e Influenciar seu P...O Poder das Histórias: Como Usar Narrativas para Conectar e Influenciar seu P...
O Poder das Histórias: Como Usar Narrativas para Conectar e Influenciar seu P...naldowidestock
 

Semelhante a Texto - Fernanda Guedes (20)

Design Estratégico e Comunicação
Design Estratégico e ComunicaçãoDesign Estratégico e Comunicação
Design Estratégico e Comunicação
 
O que é storytelling?
O que é storytelling?O que é storytelling?
O que é storytelling?
 
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
Cca0331 redacaomidiasgraficasav2
 
Propaganda direta & marketing direto
Propaganda direta & marketing diretoPropaganda direta & marketing direto
Propaganda direta & marketing direto
 
Gênero textual, preparação para exame celpe-bras
Gênero textual, preparação para exame celpe-brasGênero textual, preparação para exame celpe-bras
Gênero textual, preparação para exame celpe-bras
 
Anúncio publicitário 4o. bimestre
Anúncio publicitário 4o. bimestreAnúncio publicitário 4o. bimestre
Anúncio publicitário 4o. bimestre
 
Aula Buzz1pa4
Aula Buzz1pa4Aula Buzz1pa4
Aula Buzz1pa4
 
O texto publicitario2
O texto publicitario2O texto publicitario2
O texto publicitario2
 
Cross media
Cross mediaCross media
Cross media
 
Cross media
Cross mediaCross media
Cross media
 
Anúncio publicitário (exercícios)
Anúncio publicitário (exercícios)Anúncio publicitário (exercícios)
Anúncio publicitário (exercícios)
 
Educação em Mídias - Anúncios Publicitários
Educação em Mídias - Anúncios Publicitários Educação em Mídias - Anúncios Publicitários
Educação em Mídias - Anúncios Publicitários
 
Cross media
Cross mediaCross media
Cross media
 
Branded content cases
Branded content casesBranded content cases
Branded content cases
 
Transmedia storytelling > Defesa Tese
Transmedia storytelling  > Defesa TeseTransmedia storytelling  > Defesa Tese
Transmedia storytelling > Defesa Tese
 
Desvende o Segredo das Apresentações Cativantes_ Estratégias de Storytelling ...
Desvende o Segredo das Apresentações Cativantes_ Estratégias de Storytelling ...Desvende o Segredo das Apresentações Cativantes_ Estratégias de Storytelling ...
Desvende o Segredo das Apresentações Cativantes_ Estratégias de Storytelling ...
 
ANÚNCIO PUBLICITÁRIO.pptx
ANÚNCIO PUBLICITÁRIO.pptxANÚNCIO PUBLICITÁRIO.pptx
ANÚNCIO PUBLICITÁRIO.pptx
 
Aula Design Novas Tecnologias e Inovação - Buzz, viral, boca-a-boca
Aula Design Novas Tecnologias e Inovação - Buzz, viral, boca-a-bocaAula Design Novas Tecnologias e Inovação - Buzz, viral, boca-a-boca
Aula Design Novas Tecnologias e Inovação - Buzz, viral, boca-a-boca
 
Canais de comunicação de valor para o cliente
Canais de comunicação de valor para o clienteCanais de comunicação de valor para o cliente
Canais de comunicação de valor para o cliente
 
O Poder das Histórias: Como Usar Narrativas para Conectar e Influenciar seu P...
O Poder das Histórias: Como Usar Narrativas para Conectar e Influenciar seu P...O Poder das Histórias: Como Usar Narrativas para Conectar e Influenciar seu P...
O Poder das Histórias: Como Usar Narrativas para Conectar e Influenciar seu P...
 

Mais de Doisnovemeia Publicidade (20)

7º Almanaque de Criação
7º Almanaque de Criação7º Almanaque de Criação
7º Almanaque de Criação
 
Referências
ReferênciasReferências
Referências
 
Conceito, Linha Criativa e Execução
Conceito, Linha Criativa e ExecuçãoConceito, Linha Criativa e Execução
Conceito, Linha Criativa e Execução
 
Apresentação da Criação
Apresentação da CriaçãoApresentação da Criação
Apresentação da Criação
 
Título e Slogan
Título e SloganTítulo e Slogan
Título e Slogan
 
VI Almanaque de Criação
VI Almanaque de CriaçãoVI Almanaque de Criação
VI Almanaque de Criação
 
Palestra Identidade visual
Palestra Identidade visualPalestra Identidade visual
Palestra Identidade visual
 
ARG e Advergame
ARG e AdvergameARG e Advergame
ARG e Advergame
 
Palestra Redação WEB
Palestra Redação WEBPalestra Redação WEB
Palestra Redação WEB
 
Palestra de Cor - Lucas Marques
Palestra de Cor - Lucas MarquesPalestra de Cor - Lucas Marques
Palestra de Cor - Lucas Marques
 
Mercado e Concorrência
Mercado e ConcorrênciaMercado e Concorrência
Mercado e Concorrência
 
Mídias tradicionais
Mídias tradicionaisMídias tradicionais
Mídias tradicionais
 
Público Alvo
Público AlvoPúblico Alvo
Público Alvo
 
Palestra endomarketing
Palestra endomarketingPalestra endomarketing
Palestra endomarketing
 
Palestramktmix
PalestramktmixPalestramktmix
Palestramktmix
 
Palestra de materiais
Palestra de materiaisPalestra de materiais
Palestra de materiais
 
Palestra de materiais
Palestra de materiaisPalestra de materiais
Palestra de materiais
 
Palestra Marketing de Conteúdo
Palestra Marketing de ConteúdoPalestra Marketing de Conteúdo
Palestra Marketing de Conteúdo
 
Papéis, impressão e acabamento
Papéis, impressão e acabamentoPapéis, impressão e acabamento
Papéis, impressão e acabamento
 
Marketing Viral
Marketing ViralMarketing Viral
Marketing Viral
 

Texto - Fernanda Guedes

  • 1. Doisnovemeia<br />Palestra “Texto”<br />Fernanda Guedes<br />Texto de apoio<br />Título e imagem são responsáveis por atrair a atenção do leitor para a peça e o texto é responsável por informar, criando convicção sobre o produto ou serviço.<br />A utilização de textos em anúncios é definida pelo problema de comunicação e pelo tipo de produto ou serviço anunciado. Produtos novos, em lançamento, em fase de reposicionamento, na maioria das vezes, requerem informações que complementem o título.<br />A informação principal (o benefício) do produto ou serviço, numa peça impressa, se encontra no título, que também pode ser referido como a promessa principal. Todo o resto que precisa ser dito a respeito do produto ou serviço (preço, forma de uso/entrega/pagamento, garantia e outras características), será abordado no texto de apoio. Essas informações se tratam da promessa secundária.<br />Contextualização é o encadeamento de informações que situam o leitor quanto a todos os aspectos do texto.<br />Referências são as informações necessárias para que o leitor compreenda o texto.<br />Estrutura é o que vai organizar as idéias e traçar um caminho de leitura para o receptor.<br />Aspectos estéticos irão definir a aparência do texto (tipografia, alinhamento, espaçamento, etc.).<br />Tipos de texto<br />Narração<br />Na narração sempre há o envolvimento emocional do leitor. Ela conta uma sequência de fatos ou acontecimentos, reais ou fictícios, com começo meio e fim (não necessariamente nesta ordem). É preciso definir personagens, ambientação, tempo e espaço, através de um narrador em 1ª ou 3ª pessoa. <br />Descrição<br />Aborda os aspectos característicos do produto ou serviço, buscando formar uma imagem mental na cabeça do leitor. É preciso definir o objetivo da descrição (sensibilizar, informar, convencer, etc), e assim, organizar o percurso da caracterização do objeto. Deve-se evitar o uso de adjetivos que podem gerar ambigüidade, pois empobrecem o texto. <br />Além de formar uma imagem, é enriquecedor e gera uma experiência do consumidor com o produto ou serviço, quando o texto o faz ativar outros sentidos (paladar, olfato, tato, audição).<br />Dissertação<br />Expõe idéias e opiniões, sempre acompanhadas de argumentos que as comprovem. Para dissertar é preciso ter imaginação, criatividade e muito conhecimento para saber argumentar de forma a convencer o leitor à ação desejada.<br />Na publicidade, é difícil encontrar textos com apenas um dos tipos de texto. O comum é fazermos associações entre eles para melhor nos comunicarmos.<br />Características<br />O texto na mensagem publicitária precisa ser conciso, persuasivo e informativo de uma só vez. É geralmente coloquial e utiliza frases curtas (suj., ação, complemento – inverter é raro, pois pode gerar ruído). A não ser que seja o propósito, são dispensadas palavras que dificultam a leitura e não deixam a frase fluir.<br />Assim como o título, deve-se cortar os excessos. Se você pode cortar e a frase continua fazendo sentido, corte!<br />O texto de apoio é dividido em três partes:<br />1ª – (Primeira frase) Amplia o título, explica o que ele havia deixado por dizer.<br />2ª – (Exposição) Fala das características do produto.<br />3ª – (Fechamento) Fecha o texto, voltando-se para a idéia inicial.<br />Texto curto ou texto longo?<br />Texto Curto<br />É objetivo, normalmente tem muita força e funciona muito bem para meios que o consumidor tem pouco tempo para ler. Ele é o exemplo máximo de síntese que pregamos diariamente na Publicidade.<br />Texto Longo<br />Prede a atenção do leitor, através de um texto envolvente, apresentando argumentos e benefícios do produto. Esse texto oferece uma experiência ao leitor e o expõe por mais tempo ao serviço ou produto.<br />Copy<br />O copy, diferente do texto de apoio, não se trata de uma promessa secundária. Ele se garante por ele mesmo, havendo título ou não.<br />É um texto publicitário para peças impressas, de rádio ou de televisão, que visam captar o interesse de um possível comprador do serviço ou produto. Para isso, ele precisa ter um ritmo impecável, muitos parágrafos, brilho intelectual marcante, mas cordial, uma boa retórica com encadeamento de argumentos e sugestões. Ele deve ser escrito de forma que sua idéia ou produto seja adquirido pelo público alvo.<br />Storytelling<br />story = história / telling = narração<br />Storytelling é a arte de elaborar uma história atraente. Na publicidade, ela é uma nova ferramenta do marketing que busca cativar e conquistar o consumidor por meio da história atrelada à marca ou produto.<br />Transmídia Storytelling <br />“Crossmedia (também conhecida como Cross media ou Cross-media) é a distribuição de serviços, produtos e experiências por meio das diversas mídias e plataformas de comunicação existentes no mundo digital e offline. Conceito dos anos 90, envolvendo publicidade em múltiplos meios. Ou seja, um conceito simplista sobre publicidade e canais de veiculação.”<br />“Uma historia transmedia se desdobra através de múltiplas plataformas de mídia, casa qual com um novo texto, fazendo uma contribuição distinta e valiosa para o todo”. Henry Jenkins<br />O que está em pauta não é a audiência das mídias possíveis e sim o quanto a história cabe e se desdobra nelas. <br />Não há supremacia do off sobre on.<br />Não adianta simplesmente colocar o seriado em streaming no site oficial, precisa ter uma outra história partindo dali.<br />E ela precisa ser sedutora e rica o suficiente para o espectador daquele momento continuar acessando.<br />Exemplo: A seção Heroes Evolutions é aonde o usuário/espectador encontra diversas histórias paralelas e desdobramentos de enredo que enriquecem o seriado, mas não inviabilizam o entendimento de quem só assiste na TV. Interatividade: Hana Gliterman é uma personagem que tem o poder de se transportar por ondas de rádio e redes de dados e se comunicar e comandar qualquer aparelho de comunicação. Codinome wireless, ela foi desenvolvida para ser a anfitriã do seriado na internet e celular. “Depois de um determinado episódio, Hana apareceu no site e começou a convocar pessoas para sabotarem a manipulação da eleição que o vilão estava montando. A resposta foi inacreditável pois milhares de pessoas montaram verdadeiras comunidades para clicar até o último segundo do episódio e tentar vencer o mal. Acabamos colocando a personagem em alguns episódios da TV em função dessa resposta positiva”, disse Jesse Alexander.<br />Nós criamos os produtos transmedia envolvendo todos os roteiristas da série para a TV e temos pessoas que depois focam em aprofundar e aplicar o que foi decidido para a internet e celular. E a gente faz isso simplesmente por que aumenta a audiência da série dentro e fora da TV, agrada as marcas que querem inovar e viabiliza os episódios que custam 5 milhões de dólares em média.<br />