SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
Encontro de Escolas TEIP
                Micro-Redes




                      Évora, 4.2.2013
Estratégias que promovem a aprendizagem               Cultura de escola


 A importância do trabalho partilhado – reflexão entre
pares:                                                                 Alunos

          O perfil do professor;                                   Professores

          A continuidade pedagógica - apropriação de um
         projeto de escola e de dinâmicas de trabalho          Assistentes operacionais
         colaborativo;

                                                                       Família
 O envolvimento/ implicação de todos os parceiros em prol
da melhoria: direção, professores, alunos, pais, comunidade,
autarquias;                                                         Comunidade



                                                                      Évora, 4.2.2013
 A motivação da equipa e o reconhecimento do trabalho          Cultura de escola
realizado;

 É fundamental gerir, eficazmente, os recursos que a escola
possui – princípio do máximo efeito.                                    Alunos

                                                                    Professores
         Trabalhar em assessoria pode fomentar a reflexão/
        partilha e melhoria de práticas;
                                                               Assistentes operacionais
        Nas assessorias, o par pedagógico pode ser
        determinante nas dinâmicas de trabalho em sala de
        aula – a afinidade e a complementaridade entre os
                                                                        Família
        docentes;

         A aprendizagem/ formação entre pares em contexto
        de trabalho;                                               Comunidade

         Os técnicos de intervenção social

                                                                 Évora, 4.2.2013
Cultura de escola
 Separação dos alunos por grupos de homogeneidade
relativa a português e matemática – atender aos
diferentes ritmos de trabalho – pedagogia diferenciada
e mais individualizada;                                            Alunos

                                                               Professores
 Tutorias.
Um exemplo: tutorias feitas por alunos mais velhos – de
forma voluntária apadrinham um colega mais novo,          Assistentes operacionais
ajudando-o no percurso escolar;

                                                                   Família
 Uma melhoria sustentada implica uma intervenção
precoce , ao nível do 1º ciclo – é um investimento, são
os alicerces;                                                   Comunidade



                                                            Évora, 4.2.2013
Cultura de escola
• As lideranças intermédias;

• O sentido de escuta e o diálogo;
                                                                    Alunos
• A articulação vertical e horizontal;
                                                                Professores
• A avaliação – aferir e reforçar os melhores processos;

                                                           Assistentes operacionais
É fundamental avaliar/monitorizar os processos.
A autorregulação na procura de outras linhas de ação.
                                                                    Família

 A escola tem se de apropriar do projeto que está no
terreno – há um caminho a percorrer.                             Comunidade



                                                             Évora, 4.2.2013
Cultura de escola
- “Há sempre alguns alunos que não aprendem como
os outros... São alunos que precisam de percursos
diferenciados”
                                                                             Alunos
...contudo....
                                                                          Professores
- “Aprendem! É preciso é que tenham condições para
aprenderem...”
                                                                     Assistentes operacionais


Mas com apoio direcionado, indo ao encontro das dificuldades
de cada aluno é possível levar TODOS a aprender MAIS.                        Família

“…agarrar o aluno, logo,...fazer-lhe crer que é capaz...pois,desta
forma, os alunos e os pais investem, desenvolvem expectativas
                                                                          Comunidade
positivas – há outras oportunidades de aprendizagem.”



                                                                            Évora, 4.2.2013
Cultura de escola
José Verdasca, Professor da Universidade de Évora,
salienta que é fundamental que a escola tenha a
capacidade de comprometer todos os atores, fazer o
diagnóstico de aptidões e consiga atingir a qualidade e            Alunos
a universalidade – Como?
                                                               Professores
I. Diferenciação curricular;
II.Flexibilidade plurianual - a lógica de ciclo;
III.
   Diversidade pedagógica;                                Assistentes operacionais
IV.O investimento educativo nos primeiros anos é
   determinante para a aprendizagem;
V. Negociar, compromentar e envolver.                              Família



                                                                Comunidade
          PROGRESSÃO SUSTENTADA


                                                            Évora, 4.2.2013
Professor Verdasca referiu ainda que:
                                                                       Cultura de escola
• O centro do processo é o aluno;

• Há estudos que apontam que a repetência tem um efeito
pedagógico nulo ;                                                              Alunos

• Os ritmos de aprendizagem dos alunos são diferentes: não
                                                                           Professores
aprendemos todos da mesma maneira nem no mesmo tempo;

• É necessário a elaboração de percursos diferentes, ajustados à
realidade das turmas e dos alunos;                                    Assistentes operacionais

• Criação de compromisso e da responsabilidade partilhada;
                                                                               Família
• É necessário um olhar preventivo logo no arranque do percurso
escolar;

                                                                            Comunidade
                                                 Professor Verdasca




                                                                        Évora, 4.2.2013
O professor faz a diferença! – Vitor Alaiz, Professor da UCP
                                                                Cultura de escola
Esclareceu que é importante fomentar a informalidade
nas dinâmicas de trabalho versus a colegialidade forçada;
                                                                          Alunos

 É necessário criar mecanismos eficazes e menos                       Professores
burocráticos;
                                                                Assistentes operacionais
 Os professores têm de assumir a sua responsabilidade
na aprendizagem dos alunos – ver as metas como fator de                  Família
melhoria;
                                                                     Comunidade
 É essencial que se encontre uma colegialidade autêntica
– uma mentalidade coletiva e de grupo que se
comprometa com a aprendizagem dos alunos.
                                                  Vitor Alaiz




                                                                 Évora, 4.2.2013
Cultura de escola

O Professor Vitor Alaiz também ressaltou que:

A avaliação - uma forma de repensar a escola;                     Alunos

 Dar conhecimento à comunidade dos resultados da              Professores
avaliação faz com que os professores assumam a sua
parte de responsabilidade;
                                                          Assistentes operacionais



                                                                   Família
Responsabilidade partilhada ao nível dos conselhos de
turma e de departamento que contribuem para a
melhoria da prática docente.                                    Comunidade

                                            Vitor Alaiz


                                                            Évora, 4.2.2013
Alexandre Martins, Professor da ESE de Portalegre,                  Cultura de escola
reforça que o Programa TEIP é um desafio
fundamental, assim como, a capacidade de cooperação
entre docentes, onde salienta o trabalho em parceria
de sala de aula                                                             Alunos

                                                                        Professores
Avaliação e monitorização partilhada – os atores
devem ser capazes de aferir os processos “menos
conseguidos” e encetar estratégias promotoras do                   Assistentes operacionais
sucesso dos alunos.

                                                                            Família
Torna-se ainda relevante convocar os recursos da
comunidade para o cumprimento das metas.
                                                                         Comunidade
                                     Professor Alexandre Martins




                                                                     Évora, 4.2.2013
Cultura de escola
 Professor Fernando Reis, Diretor-Geral da Educação, focou os
seguintes aspetos:

I.    Intervir nos primeiros anos de escolaridade é crucial;
                                                                                    Alunos
II.   Encontrar as estratégias mais adequadas para colmatar as
      dificuldades logo que sejam detetadas;                                    Professores
III. “A escola aberta” – mudança de paradigma que fomenta o
     trabalho colaborativo e a melhoria.                                   Assistentes operacionais

IV. Destacou que há muitas situações em que a escola tem de
    encontrar a melhor solução. Frisou que a escola possui
    alguma margem de manobra (autonomia) para agir e deve                           Família
    utilizá-la – tem de gerir os recursos e fazer as opções que se
    constituam nas melhores oportunidades de aprendizagem
    para os seus alunos – identificar as necessidades, redefinir                 Comunidade
    opções e encontrar caminhos promotores do sucesso;

                                                 Professor Fernando Reis


                                                                             Évora, 4.2.2013
Site institucional
http://www.dgidc.min-edu.pt/teip/



Blog - Rede Escolas TEIP
http://programateip.blogspot.pt/



Facebook – Programa TEIP Escolas




                                    Évora, 4.2.2013

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Formação continuada de professores na rede municipal
Formação continuada de professores na rede municipalFormação continuada de professores na rede municipal
Formação continuada de professores na rede municipalCristina Assis
 
Adequações curriculares-individualizadas
Adequações curriculares-individualizadasAdequações curriculares-individualizadas
Adequações curriculares-individualizadasgenarui
 
A importância do uso de novas metodologias para aprender e ensinar geografia
A importância do uso de novas metodologias para aprender e ensinar geografiaA importância do uso de novas metodologias para aprender e ensinar geografia
A importância do uso de novas metodologias para aprender e ensinar geografiaCadernizando
 
Alunoprotagonista 160815010912
Alunoprotagonista 160815010912Alunoprotagonista 160815010912
Alunoprotagonista 160815010912DanieleBonfim3
 
EstáGio Supervisionado Ponta Grossa
EstáGio Supervisionado Ponta GrossaEstáGio Supervisionado Ponta Grossa
EstáGio Supervisionado Ponta Grossarosangelamenta
 
A contribuição do pibid na formação do profissional docente
A contribuição do pibid na formação do profissional docenteA contribuição do pibid na formação do profissional docente
A contribuição do pibid na formação do profissional docentePIBID Geografia UNEAL CAMPUS I
 
Estagio curricular obrigatorio na gestao escolar observacoes participacoes e ...
Estagio curricular obrigatorio na gestao escolar observacoes participacoes e ...Estagio curricular obrigatorio na gestao escolar observacoes participacoes e ...
Estagio curricular obrigatorio na gestao escolar observacoes participacoes e ...Nelma Quinto
 
Adaptacoes curriculares de_pequeno_porte
Adaptacoes curriculares de_pequeno_porteAdaptacoes curriculares de_pequeno_porte
Adaptacoes curriculares de_pequeno_porte*Ü*PEDAGOARTE *Ü*
 
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)Maria André
 
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...Portal QEdu
 
Observação da sala de aula - Roteiro de obervação
Observação da sala de aula - Roteiro de obervaçãoObservação da sala de aula - Roteiro de obervação
Observação da sala de aula - Roteiro de obervaçãositedcoeste
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervençãomoniquests
 
ADEQUAÇÕES CURRICULARES: RESPOSTAS À DIVERSIDADE
ADEQUAÇÕES CURRICULARES: RESPOSTAS À DIVERSIDADEADEQUAÇÕES CURRICULARES: RESPOSTAS À DIVERSIDADE
ADEQUAÇÕES CURRICULARES: RESPOSTAS À DIVERSIDADEJoaquim Colôa
 
Currículo funcional no contexto da educação inclusiva
Currículo funcional no contexto da educação inclusivaCurrículo funcional no contexto da educação inclusiva
Currículo funcional no contexto da educação inclusivasararaimundo6
 

Mais procurados (20)

Formação continuada de professores na rede municipal
Formação continuada de professores na rede municipalFormação continuada de professores na rede municipal
Formação continuada de professores na rede municipal
 
Adequações curriculares-individualizadas
Adequações curriculares-individualizadasAdequações curriculares-individualizadas
Adequações curriculares-individualizadas
 
Caderno5
Caderno5Caderno5
Caderno5
 
A importância do uso de novas metodologias para aprender e ensinar geografia
A importância do uso de novas metodologias para aprender e ensinar geografiaA importância do uso de novas metodologias para aprender e ensinar geografia
A importância do uso de novas metodologias para aprender e ensinar geografia
 
Eh sem tecnologia
Eh sem tecnologiaEh sem tecnologia
Eh sem tecnologia
 
Alunoprotagonista 160815010912
Alunoprotagonista 160815010912Alunoprotagonista 160815010912
Alunoprotagonista 160815010912
 
EstáGio Supervisionado Ponta Grossa
EstáGio Supervisionado Ponta GrossaEstáGio Supervisionado Ponta Grossa
EstáGio Supervisionado Ponta Grossa
 
A contribuição do pibid na formação do profissional docente
A contribuição do pibid na formação do profissional docenteA contribuição do pibid na formação do profissional docente
A contribuição do pibid na formação do profissional docente
 
Projeto de formação continuada
Projeto de formação continuadaProjeto de formação continuada
Projeto de formação continuada
 
Estagio curricular obrigatorio na gestao escolar observacoes participacoes e ...
Estagio curricular obrigatorio na gestao escolar observacoes participacoes e ...Estagio curricular obrigatorio na gestao escolar observacoes participacoes e ...
Estagio curricular obrigatorio na gestao escolar observacoes participacoes e ...
 
Adaptacoes curriculares de_pequeno_porte
Adaptacoes curriculares de_pequeno_porteAdaptacoes curriculares de_pequeno_porte
Adaptacoes curriculares de_pequeno_porte
 
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
Fichas Registo Observacao Coordenador (Documento de Trabalho)
 
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
O papel do Coordenador Pedagógico na formação continuada dos professores em s...
 
Observação da sala de aula - Roteiro de obervação
Observação da sala de aula - Roteiro de obervaçãoObservação da sala de aula - Roteiro de obervação
Observação da sala de aula - Roteiro de obervação
 
Articulador Pedagógico
Articulador PedagógicoArticulador Pedagógico
Articulador Pedagógico
 
Relatório de Estágio IV período
Relatório de Estágio IV períodoRelatório de Estágio IV período
Relatório de Estágio IV período
 
Aval Ed Especial
Aval Ed EspecialAval Ed Especial
Aval Ed Especial
 
Projeto de Intervenção
Projeto de IntervençãoProjeto de Intervenção
Projeto de Intervenção
 
ADEQUAÇÕES CURRICULARES: RESPOSTAS À DIVERSIDADE
ADEQUAÇÕES CURRICULARES: RESPOSTAS À DIVERSIDADEADEQUAÇÕES CURRICULARES: RESPOSTAS À DIVERSIDADE
ADEQUAÇÕES CURRICULARES: RESPOSTAS À DIVERSIDADE
 
Currículo funcional no contexto da educação inclusiva
Currículo funcional no contexto da educação inclusivaCurrículo funcional no contexto da educação inclusiva
Currículo funcional no contexto da educação inclusiva
 

Semelhante a Encontro de Escolas TEIP discute estratégias para promover aprendizagem

PPP 2012 EC 29
PPP 2012 EC 29PPP 2012 EC 29
PPP 2012 EC 29Ana Silva
 
PPP 2011 EC 29 de Taguatinga
PPP 2011 EC 29 de TaguatingaPPP 2011 EC 29 de Taguatinga
PPP 2011 EC 29 de Taguatingaanapedro44
 
A avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade da
A avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade daA avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade da
A avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade daEliana Zati
 
Capacitação de Ciências - 2ª parte
Capacitação de Ciências - 2ª parteCapacitação de Ciências - 2ª parte
Capacitação de Ciências - 2ª parteanjalylopes
 
Diferenciao Currcular 1.ppt
Diferenciao Currcular 1.pptDiferenciao Currcular 1.ppt
Diferenciao Currcular 1.pptMarinaMartinho1
 
A inclusão e a multideficiência
A inclusão e a multideficiência A inclusão e a multideficiência
A inclusão e a multideficiência Andreia Branco
 
83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacaoEduardo Lopes
 
FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA
FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA
FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA UFES
 
Apresentação mem
Apresentação memApresentação mem
Apresentação memJoão Soeiro
 
Jornadas pedagogicas.pdf
Jornadas pedagogicas.pdfJornadas pedagogicas.pdf
Jornadas pedagogicas.pdfFtimaCortes4
 
2 Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx
2  Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx2  Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx
2 Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptxLucieneVianaLuciene
 
Slides sala de recursos 2012
Slides   sala de recursos 2012Slides   sala de recursos 2012
Slides sala de recursos 2012margaretreis
 
Tecendo sobre a Inclusão Escolar
Tecendo sobre a Inclusão EscolarTecendo sobre a Inclusão Escolar
Tecendo sobre a Inclusão EscolarDanielle Souza
 
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficienteFAMETRO/SEDUC
 
Inclusão escolar fundamentos
Inclusão escolar fundamentosInclusão escolar fundamentos
Inclusão escolar fundamentosThiago Tavares
 

Semelhante a Encontro de Escolas TEIP discute estratégias para promover aprendizagem (20)

PPP 2012 EC 29
PPP 2012 EC 29PPP 2012 EC 29
PPP 2012 EC 29
 
PPP 2011 EC 29 de Taguatinga
PPP 2011 EC 29 de TaguatingaPPP 2011 EC 29 de Taguatinga
PPP 2011 EC 29 de Taguatinga
 
A avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade da
A avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade daA avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade da
A avaliação da aprendizagem e o princípio da continuidade da
 
Capacitação de Ciências - 2ª parte
Capacitação de Ciências - 2ª parteCapacitação de Ciências - 2ª parte
Capacitação de Ciências - 2ª parte
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Aula1
Aula1Aula1
Aula1
 
Diferenciao Currcular 1.ppt
Diferenciao Currcular 1.pptDiferenciao Currcular 1.ppt
Diferenciao Currcular 1.ppt
 
A inclusão e a multideficiência
A inclusão e a multideficiência A inclusão e a multideficiência
A inclusão e a multideficiência
 
83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao83539926 proposta-coordenacao
83539926 proposta-coordenacao
 
FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA
FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA
FORMAÇÃO-AÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSIVA
 
Apresentação mem
Apresentação memApresentação mem
Apresentação mem
 
A avaliação da aprendizagem
A avaliação da aprendizagemA avaliação da aprendizagem
A avaliação da aprendizagem
 
Jornadas pedagogicas.pdf
Jornadas pedagogicas.pdfJornadas pedagogicas.pdf
Jornadas pedagogicas.pdf
 
2 Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx
2  Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx2  Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx
2 Reconhecer os desafios no campo de intervenção.pptx
 
Includ ed
Includ edInclud ed
Includ ed
 
CARTILHA TUTORIA.pdf
CARTILHA TUTORIA.pdfCARTILHA TUTORIA.pdf
CARTILHA TUTORIA.pdf
 
Slides sala de recursos 2012
Slides   sala de recursos 2012Slides   sala de recursos 2012
Slides sala de recursos 2012
 
Tecendo sobre a Inclusão Escolar
Tecendo sobre a Inclusão EscolarTecendo sobre a Inclusão Escolar
Tecendo sobre a Inclusão Escolar
 
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente1 aula   escola, ensino-aprendizagem do deficiente
1 aula escola, ensino-aprendizagem do deficiente
 
Inclusão escolar fundamentos
Inclusão escolar fundamentosInclusão escolar fundamentos
Inclusão escolar fundamentos
 

Mais de ProgramaEscolasTEIP

Mais de ProgramaEscolasTEIP (20)

Indisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolarIndisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolar
 
Indisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolarIndisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolar
 
Cadernos desafios 4_verfinal (6)
Cadernos desafios 4_verfinal (6)Cadernos desafios 4_verfinal (6)
Cadernos desafios 4_verfinal (6)
 
Apelação
ApelaçãoApelação
Apelação
 
Agrupamento de Escolas de Apelação
Agrupamento de Escolas de ApelaçãoAgrupamento de Escolas de Apelação
Agrupamento de Escolas de Apelação
 
Teip conclusoes tema5-v4
Teip conclusoes tema5-v4Teip conclusoes tema5-v4
Teip conclusoes tema5-v4
 
Teip conclusoes tema4-v4
Teip conclusoes tema4-v4Teip conclusoes tema4-v4
Teip conclusoes tema4-v4
 
Teip conclusoes tema5-v4
Teip conclusoes tema5-v4Teip conclusoes tema5-v4
Teip conclusoes tema5-v4
 
Teip conclusoes tema4-v4
Teip conclusoes tema4-v4Teip conclusoes tema4-v4
Teip conclusoes tema4-v4
 
Teip conclusoes tema3-v3
Teip conclusoes tema3-v3Teip conclusoes tema3-v3
Teip conclusoes tema3-v3
 
Teip conclusoes tema2-v6
Teip conclusoes tema2-v6Teip conclusoes tema2-v6
Teip conclusoes tema2-v6
 
Teip conclusoes tema1-v3
Teip conclusoes tema1-v3Teip conclusoes tema1-v3
Teip conclusoes tema1-v3
 
Registosde atividades
Registosde atividadesRegistosde atividades
Registosde atividades
 
Texto evento à conversa sobre boas práticas em equipas multidisciplinares ...
Texto evento à conversa sobre    boas práticas em equipas multidisciplinares ...Texto evento à conversa sobre    boas práticas em equipas multidisciplinares ...
Texto evento à conversa sobre boas práticas em equipas multidisciplinares ...
 
Brochura modelo frei2013 4 julho[1]
Brochura modelo frei2013 4 julho[1]Brochura modelo frei2013 4 julho[1]
Brochura modelo frei2013 4 julho[1]
 
Stp newsletter 2
Stp newsletter 2Stp newsletter 2
Stp newsletter 2
 
Atividades sec s_pedro_da_cova
Atividades sec s_pedro_da_covaAtividades sec s_pedro_da_cova
Atividades sec s_pedro_da_cova
 
Pef final2
Pef final2Pef final2
Pef final2
 
Boas praticas teip
Boas praticas teipBoas praticas teip
Boas praticas teip
 
Programa seminário
Programa seminário Programa seminário
Programa seminário
 

Encontro de Escolas TEIP discute estratégias para promover aprendizagem

  • 1. Encontro de Escolas TEIP Micro-Redes Évora, 4.2.2013
  • 2. Estratégias que promovem a aprendizagem Cultura de escola  A importância do trabalho partilhado – reflexão entre pares: Alunos  O perfil do professor; Professores  A continuidade pedagógica - apropriação de um projeto de escola e de dinâmicas de trabalho Assistentes operacionais colaborativo; Família  O envolvimento/ implicação de todos os parceiros em prol da melhoria: direção, professores, alunos, pais, comunidade, autarquias; Comunidade Évora, 4.2.2013
  • 3.  A motivação da equipa e o reconhecimento do trabalho Cultura de escola realizado;  É fundamental gerir, eficazmente, os recursos que a escola possui – princípio do máximo efeito. Alunos Professores  Trabalhar em assessoria pode fomentar a reflexão/ partilha e melhoria de práticas; Assistentes operacionais Nas assessorias, o par pedagógico pode ser determinante nas dinâmicas de trabalho em sala de aula – a afinidade e a complementaridade entre os Família docentes;  A aprendizagem/ formação entre pares em contexto de trabalho; Comunidade  Os técnicos de intervenção social Évora, 4.2.2013
  • 4. Cultura de escola  Separação dos alunos por grupos de homogeneidade relativa a português e matemática – atender aos diferentes ritmos de trabalho – pedagogia diferenciada e mais individualizada; Alunos Professores  Tutorias. Um exemplo: tutorias feitas por alunos mais velhos – de forma voluntária apadrinham um colega mais novo, Assistentes operacionais ajudando-o no percurso escolar; Família  Uma melhoria sustentada implica uma intervenção precoce , ao nível do 1º ciclo – é um investimento, são os alicerces; Comunidade Évora, 4.2.2013
  • 5. Cultura de escola • As lideranças intermédias; • O sentido de escuta e o diálogo; Alunos • A articulação vertical e horizontal; Professores • A avaliação – aferir e reforçar os melhores processos; Assistentes operacionais É fundamental avaliar/monitorizar os processos. A autorregulação na procura de outras linhas de ação. Família A escola tem se de apropriar do projeto que está no terreno – há um caminho a percorrer. Comunidade Évora, 4.2.2013
  • 6. Cultura de escola - “Há sempre alguns alunos que não aprendem como os outros... São alunos que precisam de percursos diferenciados” Alunos ...contudo.... Professores - “Aprendem! É preciso é que tenham condições para aprenderem...” Assistentes operacionais Mas com apoio direcionado, indo ao encontro das dificuldades de cada aluno é possível levar TODOS a aprender MAIS. Família “…agarrar o aluno, logo,...fazer-lhe crer que é capaz...pois,desta forma, os alunos e os pais investem, desenvolvem expectativas Comunidade positivas – há outras oportunidades de aprendizagem.” Évora, 4.2.2013
  • 7. Cultura de escola José Verdasca, Professor da Universidade de Évora, salienta que é fundamental que a escola tenha a capacidade de comprometer todos os atores, fazer o diagnóstico de aptidões e consiga atingir a qualidade e Alunos a universalidade – Como? Professores I. Diferenciação curricular; II.Flexibilidade plurianual - a lógica de ciclo; III. Diversidade pedagógica; Assistentes operacionais IV.O investimento educativo nos primeiros anos é determinante para a aprendizagem; V. Negociar, compromentar e envolver. Família Comunidade PROGRESSÃO SUSTENTADA Évora, 4.2.2013
  • 8. Professor Verdasca referiu ainda que: Cultura de escola • O centro do processo é o aluno; • Há estudos que apontam que a repetência tem um efeito pedagógico nulo ; Alunos • Os ritmos de aprendizagem dos alunos são diferentes: não Professores aprendemos todos da mesma maneira nem no mesmo tempo; • É necessário a elaboração de percursos diferentes, ajustados à realidade das turmas e dos alunos; Assistentes operacionais • Criação de compromisso e da responsabilidade partilhada; Família • É necessário um olhar preventivo logo no arranque do percurso escolar; Comunidade Professor Verdasca Évora, 4.2.2013
  • 9. O professor faz a diferença! – Vitor Alaiz, Professor da UCP Cultura de escola Esclareceu que é importante fomentar a informalidade nas dinâmicas de trabalho versus a colegialidade forçada; Alunos  É necessário criar mecanismos eficazes e menos Professores burocráticos; Assistentes operacionais  Os professores têm de assumir a sua responsabilidade na aprendizagem dos alunos – ver as metas como fator de Família melhoria; Comunidade  É essencial que se encontre uma colegialidade autêntica – uma mentalidade coletiva e de grupo que se comprometa com a aprendizagem dos alunos. Vitor Alaiz Évora, 4.2.2013
  • 10. Cultura de escola O Professor Vitor Alaiz também ressaltou que: A avaliação - uma forma de repensar a escola; Alunos  Dar conhecimento à comunidade dos resultados da Professores avaliação faz com que os professores assumam a sua parte de responsabilidade; Assistentes operacionais Família Responsabilidade partilhada ao nível dos conselhos de turma e de departamento que contribuem para a melhoria da prática docente. Comunidade Vitor Alaiz Évora, 4.2.2013
  • 11. Alexandre Martins, Professor da ESE de Portalegre, Cultura de escola reforça que o Programa TEIP é um desafio fundamental, assim como, a capacidade de cooperação entre docentes, onde salienta o trabalho em parceria de sala de aula Alunos Professores Avaliação e monitorização partilhada – os atores devem ser capazes de aferir os processos “menos conseguidos” e encetar estratégias promotoras do Assistentes operacionais sucesso dos alunos. Família Torna-se ainda relevante convocar os recursos da comunidade para o cumprimento das metas. Comunidade Professor Alexandre Martins Évora, 4.2.2013
  • 12. Cultura de escola Professor Fernando Reis, Diretor-Geral da Educação, focou os seguintes aspetos: I. Intervir nos primeiros anos de escolaridade é crucial; Alunos II. Encontrar as estratégias mais adequadas para colmatar as dificuldades logo que sejam detetadas; Professores III. “A escola aberta” – mudança de paradigma que fomenta o trabalho colaborativo e a melhoria. Assistentes operacionais IV. Destacou que há muitas situações em que a escola tem de encontrar a melhor solução. Frisou que a escola possui alguma margem de manobra (autonomia) para agir e deve Família utilizá-la – tem de gerir os recursos e fazer as opções que se constituam nas melhores oportunidades de aprendizagem para os seus alunos – identificar as necessidades, redefinir Comunidade opções e encontrar caminhos promotores do sucesso; Professor Fernando Reis Évora, 4.2.2013
  • 13. Site institucional http://www.dgidc.min-edu.pt/teip/ Blog - Rede Escolas TEIP http://programateip.blogspot.pt/ Facebook – Programa TEIP Escolas Évora, 4.2.2013