SlideShare uma empresa Scribd logo
Slides sextas inclusivas needi  tea
•Ivanise G. S. Bittencourt
•Marily O. Barbosa
•Thiago H. Lima
APRESENTAÇÃO
Pessoa comTranstorno do Espectro Autista (TEA)
Problematizando o diagnóstico
Legislação brasileira e os direitos da pessoa comTEA
Inclusão escolar
oAcesso, permanência e aprendizagem escolar
oConstrução do PEI
oFlexibilização curricular
Narrativas das pessoas comTEA
AUTISMO – Transtorno do Espectro Autista
Nossas dúvidas DEVEM nos impulsionar a conhecer
a pessoa comTEA, as respostas DEVEM nos
auxiliar em nossas intervenções (LIMA, 2016)!
TRÍADE X DÍADE (DSMV – 2013)
COMUNICAÇÃO
INTERAÇÃO
SOCIAL
INTERESSES
RESTRITOS
As manifestações
desse transtorno
variam imensamente
a depender do nível
de desenvolvimento
e idade.
(BELISÁRIO FILHO, 2010, p.15).
CONCEITUANDO...
A pessoa com TEA, é aquela que possui deficiência persistente
e clinicamente significativa da comunicação e da interação
social, manifestada por deficiência marcada de comunicação
verbal e não verbal usada para interação social; ausência de
reciprocidade social; possuindo também padrões restritivos e
repetitivos de comportamentos, interesses e atividades,
manifestados por comportamentos motores ou verbais
estereotipados (ecolalias) ou por comportamentos sensoriais
incomuns; excessiva aderência a rotinas e padrões de
comportamento ritualizados (BRASIL, 2012).
CONCEITUANDO...
TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA
(TEA)
TRANST.
DESINT.
DA
INFÂNCIA
AUTISMO
SINDROME
DE
ASPERGER
DSM -V (2013)
No Brasil há certa prevalência da sociedade ter uma crença absoluta no
diagnóstico emitido. Por essa causa construiu-se uma imagem exacerbada sobre
os comportamentos das crianças com autismo e, desta maneira, crê-se que
crianças com autismo são agressivas, sem condições de aprender, submersas em
seu mundo particular e até mesmo uma ameaça para outras crianças e que por
isso devem frequentar ambientes terapêuticos segregados. Essas crenças são
equivocadas e revelam desinformação, preconceito e, consequentemente,
estigma para junto à criança com autismo (ORRÚ, 2013, p.7 ).
ATENÇÃO !
AÇÕES MULTIDISCIPLINARES
• Cada pessoa com TEA exige um tipo de acompanhamento específico e
individualizado que exige a participação dos pais, dos familiares e de uma
equipe multidisciplinar visando à reabilitação global do sujeito. O uso de
medicamentos é indicado quando surgem complicações e comorbidades.
TO
FONO
PEDAG PSICO
ED.
FISICA
NUTRI
ÇÃO
LESGILAÇÃO
LEI DO AUTISMO: 12.764 (2012);
Art. 1º, § 2o A pessoa com transtorno do espectro autista é considerada pessoa com
deficiência, para todos os efeitos legais.
DECRETO 8.368 (2014): Regulamenta a Lei 12.764;
Art. 4o É dever do Estado, da família, da comunidade escolar e da sociedade assegurar o
direito da pessoa com transtorno do espectro autista à educação, em sistema
educacional inclusivo, garantida a transversalidade da educação especial desde a
educação infantil até a educação superior.
LEI DA INCLUSÃO: 13.146 (2015).
Art. 1o É instituída a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da
Pessoa com Deficiência), destinada a assegurar e a promover, em condições de
igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com
deficiência, visando à sua inclusão social e cidadania.
O estudante com TEA é capaz de realizar diversos progressos dentro do
ambiente escolar:
Representando avanços no processo de inclusão destes alunos (BRIDI;
FORTES; BRIDI FILHO, 2006; BARBOSA; 2014; GOMES; MENDES,
2010;BARBOSA; FUMES,2015).
»ampliação de suas interações sociais;
»melhora nas condições cognitivas;
»interpretação de conteúdos mediados pela
linguagem e pelo contexto social;
Inclusão escolar de estudantes comTEA
APRENDIZADO
PERMANÊNCIA
ACESSO
Inclusão escolar de estudantes comTEA
LEIS (BRASIL,
1988;2001;2012;2015)
LEIS (BRASIL,
2008;2012;2015)
ORIENTAÇÕES(BRASIL, 2004;
2008;2010)
Escolarização e estudantes comTEA
ENTRADA RECENTE DE ESTUDANTES COMTEA
Comunidade
escolar
Desafios
Mudanças
Angústias
BARBOSA; FUMES (2016)
Acesso de estudantes comTEA
PRESCRIÇÕES EM LEI E AUMENTO NO NÚMERO DAS MATRICULAS
EMPODERAMENTO DA ESCOLA E FAMÍLIA
DIREITOASSEGURADO POR LEI
CONSCIENTIZAÇÃO DE TODA COMUNIDADE ESCOLAR
A escola que recebe os
estudantes comTEA tem o
direito a receberem os
profissionais de educação e
a dupla matricula.
Penalidades aos gestores
que recusarem matricula
Permanência de estudantes comTEA
Profissionais para auxiliar o estudante comTEA
Professor de sala de
aula
Professor do
AEE
Profissional de
apoio escolar
DEFINIÇÃO DE PAPÉIS
BARBOSA (2016)
Aprendizagem de conteúdos escolares para
estudantes comTEA
Aprendizagem de conteúdos escolares para
estudantes comTEA
Escola
regular
SALA DE
AULA
AEE
PROFISSIONAL DE
APOIO ESCOLAR
FAMÍLIA
Parceria
efetiva
O Atendimento Educacional Especializado - AEE
Para o estudante com TEA, o AEE deve ser complementar e tem a função
de:
I - prover condições de acesso, participação e aprendizagem no ensino
regular e garantir serviços de apoio especializados de acordo com as
necessidades individuais dos estudantes;
[...]
III - fomentar o desenvolvimento de recursos didáticos e pedagógicos
que eliminem as barreiras no processo de ensino e aprendizagem;
(BRASIL, 2011).
A SALA DE AULA
Exposição de conteúdo oral;
Utilização de livros didáticos;
Escrita nos cadernos do estudante;
Aplicação de atividades a serem
realizadas em casa;
Rotina escolar;
Flexibilização curricular;
Atividades voltadas para o nível do
estudante.
Profissional de apoio escolar - Auxiliar de Sala da
Modalidade Educação Especial
“Pessoa que exerce atividades de alimentação, higiene e locomoção do
estudante com deficiência e atua em todas as atividades escolares”
I - Participar de reuniões pedagógicas, conselhos de classe, planejamentos e
de grupos de estudo na unidade educativa;
II - Seguir a orientação dos professores da Sala de Recursos Multifuncionais
– SRM e de outros profissionais que acompanham este(s) aluno(s);
III - Aplicar e utilizar os materiais e recursos de Comunicação Aumentativa
Alternativa eTecnologia Assistiva [...]
BRASIL (2012;2015); SEMED- MACEIÓ (2016)
PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO
É um recurso pedagógico centrado nas necessidades do estudante,
possibilita a individualização do ensino para estudantes que não conseguem
acompanhar o desenvolvimento da turma, sendo norteador do processo de
ensino aprendizagem, possibilitando através de sua construção e execução o
sucesso das ações docentes (PEREIRA, 2014).
Elaborado pelos profissionais da escola e família
Diminui a sensação de despreparo que muitos
professores sentem ao lecionar estudantes
comTEA
PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO
 Habilidades acadêmicas, tais como, linguagem oral, escrita e
matemática;
 Habilidades de vida diária- Atividade de alimentação como o lanche, ida
ao banheiro;
 Inteligências do sujeito relacionadas as habilidades que o aluno
apresenta para compreender o conteúdo ministrado;
 Metas/objetivos –conhecimentos priorizados para o estudante, dentro de
um grupo de objetivos pré-estabelecidos para a série a qual o estudante
frequenta, considerando o nível de conhecimento atual do indivíduo com
TEA e a apropriação de conteúdos/conceitos básicos condizentes com a
sua faixa etária;
(PEREIRA, 2014)
PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO
 Metodologia/Recursos didáticos – Trata-se de um conjunto de
dispositivos tais como recursos naturais, pedagógicos, tecnológicos e
culturais que favorecem a aprendizagem do aluno. Contempla ainda
estratégias de ensino que respeitem as especificidades do aluno comTEA;
 Avaliação - Registro de situações significativas que o professor considerar
durante a realização das atividades acadêmicas e funcionais propostas
(PEREIRA, 2014)
Intervenções comumente utilizadas
Integração Sensorial
TEACCH
Equoterapia
ESCOLA
REGULAR
Avaliar e utilizar
as que se
adequam ao
estudante e a
rotina escolar
ABA
PECS
Os objetivos estabelecidos para estudantes comTEA devem:
Identificar as necessidades e peculiaridades,
considerar e respeitar as características, estimular as
aprendizagens e potencialidades individuais presentes
em cada criança flexibilizando as atividades propostas.
Desenvolver o ensino a partir dos interesses da
criança.
Estudantes comTEA e escolarização
Schmidt (2014); PEREIRA et al, (2015)
Estudantes comTEA e escolarização
•É necessário considerar a:
MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA
Signos;
Instrumentos;
Pelo outro que nos constitui.
se caracteriza pela intencionalidade
e sistematicidade e necessita de
planejamento das ações,
diferenciando-se das mediações
cotidianas que são imediatas e nem
sempre intencionais.
VIGOTSKI, 1984/2010; CHIOTE, 2013
Sala de aula e estudantes comTEA
O ensino deve ser baseado em recursos visuais e concretos;
Apresentar atividades curtas e uma por vez e aumentá-las
gradualmente;
Não permitir que o estudante não realize atividade alguma: professor
pode solucionar isso por meio de reestruturação das atividades, da rotina,
do número de atividades.
Desenhos (quadro, cartolina...);
Contação de história com objetos (chapéu, miniaturas e/ou objetos);
Materiais concretos, entre outras...
A atenção dividida dificulta o acesso ao conteúdo;
Aprendizagens com diversos materiais (letras)
Aprendizagens com diversos materiais (nomeando)
Aprendizagens com diversos materiais (números)
APRENDIZAGEMVIRTUAL E INTERATIVA
http://revistacaleidoscopio.com.br/tecnologia-inclusiva-aplicativo-alagoano-auxilia-na-alfabetizacao-de-autistas/
O QUE DIZEM AS PESSOAS
COMTEA SOBRE AS SUAS
EXPERIÊNCIAS ESCOLARES?
Fonte: http://www.diaconia.org.br/novosite/img/uploads/120725143053_comunica.jpg
Fonte: http://www.todaletra.com.br/wp-
content/uploads/2012/10/duvidas-300x3001.jpg
POR QUE AS PESSOAS COM TEA NÃO
SÃO OUVIDAS EM ASSUNTOS QUE LHES
DIZEM RESPEITO?
HÁ ESCASSEZ DE
PESQUISAS
(BITTENCOURT; FUMES, 2015)
NARRATIVAS DAS EXPERIÊNCIAS ESCOLARES?
POTENCIALIDADES E FRAGILIDADES DO ESPAÇO ESCOLAR?
O QUE É/FOI SIGNIFICATIVO?
Fonte: http://virusdaarte.net/wp-
content/uploads/2014/12/na12345678.png
ORALIZADOS
NÃO ORALIZADOS
Fonte: https://mecursi.files.wordpress.com/2014/04/20140409_1500351.jpg
GULEC-ASLAN;
OZBEY;
YASSIBAS
“I Have Lived an Autism Experience.
Autism is an Interesting Disease”:The
Life Story of aYoung Man with Autism
International
Education Studies
2013
Fonte:
http://ludovica.opopular.com.br/polopoly_fs/1.1075015.1461599901!/image/image.jpg_gen/derivatives/landscape_
940/image.jpg
IMPORTÂNCIA DO
APOIO DO PROFESSOR ISOLAMENTO
Fonte:
http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/upload/conteudo_legenda/497b238
282a9452338f33b79af9677a3.jpg
EXPERIÊNCIAS ESCOLARES
EXPERIÊNCIAS
NEGATIVAS
Fonte: http://www.eftbrasil.com.br/wp-
content/uploads/2014/06/11.06.2016-S%C3%A1bado-1200-X-628.png Fonte: http://s5.static.brasilescola.uol.com.br/img/2014/10/dia-
da-amizade.jpg
OS PROFESSORES
PREPARAÇÃO
PROFESSOR
Fonte: http://files.a-psico-da-educacao2011-
2012.webnode.pt/200000056-
f266af2dcf/educa%C3%A7%C3%A3o%20inclusiva.jpg
O SIGNIFICADO DA ESCOLA
Fonte:http://www.telessaude.uerj.br/resource/escola/img/ilustra_home.png
Fonte: http://www2.uol.com.br/todateen/imagens/arquivo/materias-
1481.gif
O SIGNIFICADO DA ESCOLA
Fonte: http://www.falamamae.com/wp-
content/uploads/escola_post-depois-da-escola2.jpg
AMIZADE
SOCIALIZAÇÃO
DESENVOLVIMENTO
OTEA
Fonte:
http://static.wixstatic.com/media/201bdc_430bcc2ae7e3449598b79ca75d020313.jpg/v1/fill/w
_637,h_425,al_c,q_80/201bdc_430bcc2ae7e3449598b79ca75d020313.jpg
ESPAÇO ESCOLAR
Dificuldades impostas para a matrícula (argumentos para a desistência dos
pais);
Exigência de taxa extra;
Regressão dos autistas;
Professores que não sabiam como lidar e prender a atenção;
Parceria mães e professores;
Preparação dos colegas para a inclusão (Bullying)- adolescência.
Fonte:http://www.coaliza.org.br/wp-content/uploads/2014/05/53998-Sem-Fronteiras1.jpg
ESCOLARIDADE
INTERRUPÇÃO PROSSEGUIMENTO
Fonte:
https://yoemprendedora.files.wordpress.com/201
1/11/1197499_68722064.jpg
Fonte: http://img.elo7.com.br/product/original/EBA680/pegadas-
dos-detetives-do-predio-azul-decorativo.jpg
ARTICULAÇÃO
DIFERENTES PROFISSIONAIS
OBRIGADA!!!
http://neediufal.blogspot.com.br/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slide Autismo
Slide   AutismoSlide   Autismo
Slide Autismo
UNIME
 
Slide educação especial
Slide educação especialSlide educação especial
Slide educação especial
Andreia Gomes
 
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiploSlides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
Compede
 
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
AnaRocha812480
 
Autismo
AutismoAutismo
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
Ulisses Vakirtzis
 
Deficiências
DeficiênciasDeficiências
Deficiências
Adaptar e Incluir
 
Autismo: o que os profissionais precisam saber?
Autismo: o que os profissionais precisam saber?Autismo: o que os profissionais precisam saber?
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇASA EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
Pedagogo Santos
 
Palestra Autismo
Palestra AutismoPalestra Autismo
Palestra Autismo
Carlos Junior
 
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
Autismo  os educadores são a chave para inclusão!Autismo  os educadores são a chave para inclusão!
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
Raline Guimaraes
 
Formação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores EducacionalFormação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores Educacional
Rosana Santos
 
A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...
A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...
A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...
Amanda Barbosa
 
Ensino Especial
Ensino EspecialEnsino Especial
Ensino Especial
Margarete Macedo
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
Zélia Cordeiro
 
O Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptx
O Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptxO Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptx
O Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptx
paInformatica
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
Edilene Sampaio
 
Psicopedagogia
PsicopedagogiaPsicopedagogia
Psicopedagogia
Ericka Vanessa Andrade
 
Pedagogia - Autismo
Pedagogia - AutismoPedagogia - Autismo
Pedagogia - Autismo
Aurivan
 
Modelo de-relatorio-neuropsicopedagogico (1)
Modelo de-relatorio-neuropsicopedagogico (1)Modelo de-relatorio-neuropsicopedagogico (1)
Modelo de-relatorio-neuropsicopedagogico (1)
lucianacarvalho
 

Mais procurados (20)

Slide Autismo
Slide   AutismoSlide   Autismo
Slide Autismo
 
Slide educação especial
Slide educação especialSlide educação especial
Slide educação especial
 
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiploSlides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
Slides Semana do Deficiênte intelectual e múltiplo
 
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
inclusão escolar
inclusão escolarinclusão escolar
inclusão escolar
 
Deficiências
DeficiênciasDeficiências
Deficiências
 
Autismo: o que os profissionais precisam saber?
Autismo: o que os profissionais precisam saber?Autismo: o que os profissionais precisam saber?
Autismo: o que os profissionais precisam saber?
 
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇASA EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
 
Palestra Autismo
Palestra AutismoPalestra Autismo
Palestra Autismo
 
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
Autismo  os educadores são a chave para inclusão!Autismo  os educadores são a chave para inclusão!
Autismo os educadores são a chave para inclusão!
 
Formação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores EducacionalFormação para Cuidadores Educacional
Formação para Cuidadores Educacional
 
A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...
A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...
A inclusão da criança com autismo em uma escola de ensino regular: Um estudo ...
 
Ensino Especial
Ensino EspecialEnsino Especial
Ensino Especial
 
A INCLUSÃO ESCOLAR
A  INCLUSÃO ESCOLAR A  INCLUSÃO ESCOLAR
A INCLUSÃO ESCOLAR
 
O Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptx
O Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptxO Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptx
O Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptx
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
 
Psicopedagogia
PsicopedagogiaPsicopedagogia
Psicopedagogia
 
Pedagogia - Autismo
Pedagogia - AutismoPedagogia - Autismo
Pedagogia - Autismo
 
Modelo de-relatorio-neuropsicopedagogico (1)
Modelo de-relatorio-neuropsicopedagogico (1)Modelo de-relatorio-neuropsicopedagogico (1)
Modelo de-relatorio-neuropsicopedagogico (1)
 

Destaque

Comprendiendo el autismo
Comprendiendo el autismoComprendiendo el autismo
Comprendiendo el autismo
Almudena Vergara
 
Libroaceptaciondelautismo 120912054455-phpapp02
Libroaceptaciondelautismo 120912054455-phpapp02Libroaceptaciondelautismo 120912054455-phpapp02
Libroaceptaciondelautismo 120912054455-phpapp02
Marta Aguilar Camacho
 
Autismo
AutismoAutismo
Día internacional del autismo. ceip gadir
Día internacional del autismo. ceip gadirDía internacional del autismo. ceip gadir
Día internacional del autismo. ceip gadir
Teresa Sábcgez
 
Cuaderno4 centrosinterpretacion br
Cuaderno4 centrosinterpretacion brCuaderno4 centrosinterpretacion br
Cuaderno4 centrosinterpretacion br
Martin Cerri
 
Cristiane Silvestre de Paula - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
Cristiane Silvestre de Paula - 30mai14 1º Congresso A&R SUSCristiane Silvestre de Paula - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
Cristiane Silvestre de Paula - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
Autismo & Realidade
 
Tratamiento tea trastornos espectro autista farmacologico y conductual teacch 1
Tratamiento tea trastornos espectro autista farmacologico y conductual teacch 1Tratamiento tea trastornos espectro autista farmacologico y conductual teacch 1
Tratamiento tea trastornos espectro autista farmacologico y conductual teacch 1
Juan David Palacio O
 
Tgd
TgdTgd
Manual de señalizacion turistica. Gobierno de Aragon ( España)
Manual de señalizacion turistica. Gobierno de Aragon ( España) Manual de señalizacion turistica. Gobierno de Aragon ( España)
Manual de señalizacion turistica. Gobierno de Aragon ( España)
David Vicent
 
Anticipacion vuelta al_cole_general
Anticipacion vuelta al_cole_generalAnticipacion vuelta al_cole_general
Anticipacion vuelta al_cole_general
aulacaminantes
 
ANTICIPADOR PERIODO ADAPTACIÓN
ANTICIPADOR PERIODO ADAPTACIÓNANTICIPADOR PERIODO ADAPTACIÓN
ANTICIPADOR PERIODO ADAPTACIÓN
aulacaminantes
 
Icono Pictograma Flecha
Icono  Pictograma  FlechaIcono  Pictograma  Flecha
Icono Pictograma Flecha
Balmasch
 
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Anaí Peña
 
Manual de señalización turística (parte 1)
Manual de señalización turística (parte 1)Manual de señalización turística (parte 1)
Manual de señalización turística (parte 1)
tonygamerotelo
 
Tecnica de la tortuga
Tecnica de la tortugaTecnica de la tortuga
Tecnica de la tortuga
Patrii235
 
Construimos un tren, Juego diseñado por Juanma cano
Construimos un tren, Juego diseñado por Juanma canoConstruimos un tren, Juego diseñado por Juanma cano
Construimos un tren, Juego diseñado por Juanma cano
Elizabeth Déniz Suárez
 
Juego de montaje de elementos
Juego de montaje de elementos Juego de montaje de elementos
Juego de montaje de elementos
Juanma Cano
 
Fotos del cine
Fotos del cineFotos del cine
Fotos del cine
Anabel Cornago
 
El cine i
El cine iEl cine i
El cine i
Anabel Cornago
 
Cartilla autismo
Cartilla autismoCartilla autismo
Cartilla autismo
Marta Montoro
 

Destaque (20)

Comprendiendo el autismo
Comprendiendo el autismoComprendiendo el autismo
Comprendiendo el autismo
 
Libroaceptaciondelautismo 120912054455-phpapp02
Libroaceptaciondelautismo 120912054455-phpapp02Libroaceptaciondelautismo 120912054455-phpapp02
Libroaceptaciondelautismo 120912054455-phpapp02
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Día internacional del autismo. ceip gadir
Día internacional del autismo. ceip gadirDía internacional del autismo. ceip gadir
Día internacional del autismo. ceip gadir
 
Cuaderno4 centrosinterpretacion br
Cuaderno4 centrosinterpretacion brCuaderno4 centrosinterpretacion br
Cuaderno4 centrosinterpretacion br
 
Cristiane Silvestre de Paula - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
Cristiane Silvestre de Paula - 30mai14 1º Congresso A&R SUSCristiane Silvestre de Paula - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
Cristiane Silvestre de Paula - 30mai14 1º Congresso A&R SUS
 
Tratamiento tea trastornos espectro autista farmacologico y conductual teacch 1
Tratamiento tea trastornos espectro autista farmacologico y conductual teacch 1Tratamiento tea trastornos espectro autista farmacologico y conductual teacch 1
Tratamiento tea trastornos espectro autista farmacologico y conductual teacch 1
 
Tgd
TgdTgd
Tgd
 
Manual de señalizacion turistica. Gobierno de Aragon ( España)
Manual de señalizacion turistica. Gobierno de Aragon ( España) Manual de señalizacion turistica. Gobierno de Aragon ( España)
Manual de señalizacion turistica. Gobierno de Aragon ( España)
 
Anticipacion vuelta al_cole_general
Anticipacion vuelta al_cole_generalAnticipacion vuelta al_cole_general
Anticipacion vuelta al_cole_general
 
ANTICIPADOR PERIODO ADAPTACIÓN
ANTICIPADOR PERIODO ADAPTACIÓNANTICIPADOR PERIODO ADAPTACIÓN
ANTICIPADOR PERIODO ADAPTACIÓN
 
Icono Pictograma Flecha
Icono  Pictograma  FlechaIcono  Pictograma  Flecha
Icono Pictograma Flecha
 
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
Estudo Coletivo sobre Transtornos do Espectro Autista - Abordagem Pedagógica ...
 
Manual de señalización turística (parte 1)
Manual de señalización turística (parte 1)Manual de señalización turística (parte 1)
Manual de señalización turística (parte 1)
 
Tecnica de la tortuga
Tecnica de la tortugaTecnica de la tortuga
Tecnica de la tortuga
 
Construimos un tren, Juego diseñado por Juanma cano
Construimos un tren, Juego diseñado por Juanma canoConstruimos un tren, Juego diseñado por Juanma cano
Construimos un tren, Juego diseñado por Juanma cano
 
Juego de montaje de elementos
Juego de montaje de elementos Juego de montaje de elementos
Juego de montaje de elementos
 
Fotos del cine
Fotos del cineFotos del cine
Fotos del cine
 
El cine i
El cine iEl cine i
El cine i
 
Cartilla autismo
Cartilla autismoCartilla autismo
Cartilla autismo
 

Semelhante a Slides sextas inclusivas needi tea

TEA e Amparo Legal (novo) apresentação de ppt
TEA e Amparo Legal (novo) apresentação de pptTEA e Amparo Legal (novo) apresentação de ppt
TEA e Amparo Legal (novo) apresentação de ppt
LucianaLu48
 
PIBIDIANOS_DA_UTFPR_MEDIANTE_A_EDUCAÇÃO_INCLUSIVA_COM_NEURODIVERGENTES,_DEFIC...
PIBIDIANOS_DA_UTFPR_MEDIANTE_A_EDUCAÇÃO_INCLUSIVA_COM_NEURODIVERGENTES,_DEFIC...PIBIDIANOS_DA_UTFPR_MEDIANTE_A_EDUCAÇÃO_INCLUSIVA_COM_NEURODIVERGENTES,_DEFIC...
PIBIDIANOS_DA_UTFPR_MEDIANTE_A_EDUCAÇÃO_INCLUSIVA_COM_NEURODIVERGENTES,_DEFIC...
GiulianeStauski
 
PalestraXXXXXXXXXXX-TEA_SE S. Carlos.pdf
PalestraXXXXXXXXXXX-TEA_SE S. Carlos.pdfPalestraXXXXXXXXXXX-TEA_SE S. Carlos.pdf
PalestraXXXXXXXXXXX-TEA_SE S. Carlos.pdf
Ailton Barcelos
 
Formação TIC nivel1
Formação TIC nivel1Formação TIC nivel1
Formação TIC nivel1
Acilina Pereira
 
Políticas públicas IHA Capacitação 2011
Políticas públicas IHA Capacitação 2011Políticas públicas IHA Capacitação 2011
Políticas públicas IHA Capacitação 2011
Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
Cbee autismo meu
Cbee autismo meuCbee autismo meu
Cbee autismo meu
Marily Oliveira
 
Apresentação Bel
Apresentação BelApresentação Bel
Apresentação Bel
Cristiane Marcelino
 
Apresentação Bel
Apresentação BelApresentação Bel
Apresentação Bel
Cristiane Marcelino
 
Tecnologia assistiva
Tecnologia assistivaTecnologia assistiva
Tecnologia assistiva
Tania Gonçalves
 
TRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdf
TRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdfTRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdf
TRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdf
MauroAndr4
 
Educação Inclusiva Janaína Maynard
Educação Inclusiva Janaína Maynard Educação Inclusiva Janaína Maynard
Educação Inclusiva Janaína Maynard
Crefono6
 
Atendimento educacional especializado.ppt2 libera limes-4-7-11congresso 2011
Atendimento educacional especializado.ppt2   libera limes-4-7-11congresso 2011Atendimento educacional especializado.ppt2   libera limes-4-7-11congresso 2011
Atendimento educacional especializado.ppt2 libera limes-4-7-11congresso 2011
Wildete Silva
 
Ferramentas de intervenções pedagogias no ensino-aprendizagem de crianças aut...
Ferramentas de intervenções pedagogias no ensino-aprendizagem de crianças aut...Ferramentas de intervenções pedagogias no ensino-aprendizagem de crianças aut...
Ferramentas de intervenções pedagogias no ensino-aprendizagem de crianças aut...
Adrio Acacio
 
Nota tecnica mec
Nota tecnica mecNota tecnica mec
Nota tecnica mec
SA Asperger
 
2016 artigo ped_unioeste_wivianebenini
2016 artigo ped_unioeste_wivianebenini2016 artigo ped_unioeste_wivianebenini
2016 artigo ped_unioeste_wivianebenini
Rose Locatelli
 
Autismo na educação infantil
Autismo na educação infantilAutismo na educação infantil
Autismo na educação infantil
SimoneHelenDrumond
 
Desafio inclusão
Desafio inclusão Desafio inclusão
Desafio inclusão
Rodolfo Duarte
 
EDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMO
EDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMOEDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMO
EDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMO
Jose Eduardo
 
Apostila altas habilidades e superdotação 2
Apostila  altas habilidades e superdotação 2Apostila  altas habilidades e superdotação 2
Apostila altas habilidades e superdotação 2
Rayanethaynarasantos2
 
Atendimento
AtendimentoAtendimento
Atendimento
Edson_Marinho
 

Semelhante a Slides sextas inclusivas needi tea (20)

TEA e Amparo Legal (novo) apresentação de ppt
TEA e Amparo Legal (novo) apresentação de pptTEA e Amparo Legal (novo) apresentação de ppt
TEA e Amparo Legal (novo) apresentação de ppt
 
PIBIDIANOS_DA_UTFPR_MEDIANTE_A_EDUCAÇÃO_INCLUSIVA_COM_NEURODIVERGENTES,_DEFIC...
PIBIDIANOS_DA_UTFPR_MEDIANTE_A_EDUCAÇÃO_INCLUSIVA_COM_NEURODIVERGENTES,_DEFIC...PIBIDIANOS_DA_UTFPR_MEDIANTE_A_EDUCAÇÃO_INCLUSIVA_COM_NEURODIVERGENTES,_DEFIC...
PIBIDIANOS_DA_UTFPR_MEDIANTE_A_EDUCAÇÃO_INCLUSIVA_COM_NEURODIVERGENTES,_DEFIC...
 
PalestraXXXXXXXXXXX-TEA_SE S. Carlos.pdf
PalestraXXXXXXXXXXX-TEA_SE S. Carlos.pdfPalestraXXXXXXXXXXX-TEA_SE S. Carlos.pdf
PalestraXXXXXXXXXXX-TEA_SE S. Carlos.pdf
 
Formação TIC nivel1
Formação TIC nivel1Formação TIC nivel1
Formação TIC nivel1
 
Políticas públicas IHA Capacitação 2011
Políticas públicas IHA Capacitação 2011Políticas públicas IHA Capacitação 2011
Políticas públicas IHA Capacitação 2011
 
Cbee autismo meu
Cbee autismo meuCbee autismo meu
Cbee autismo meu
 
Apresentação Bel
Apresentação BelApresentação Bel
Apresentação Bel
 
Apresentação Bel
Apresentação BelApresentação Bel
Apresentação Bel
 
Tecnologia assistiva
Tecnologia assistivaTecnologia assistiva
Tecnologia assistiva
 
TRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdf
TRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdfTRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdf
TRABALHO_EV127_MD1_SA10_ID11528_03102019093149.pdf
 
Educação Inclusiva Janaína Maynard
Educação Inclusiva Janaína Maynard Educação Inclusiva Janaína Maynard
Educação Inclusiva Janaína Maynard
 
Atendimento educacional especializado.ppt2 libera limes-4-7-11congresso 2011
Atendimento educacional especializado.ppt2   libera limes-4-7-11congresso 2011Atendimento educacional especializado.ppt2   libera limes-4-7-11congresso 2011
Atendimento educacional especializado.ppt2 libera limes-4-7-11congresso 2011
 
Ferramentas de intervenções pedagogias no ensino-aprendizagem de crianças aut...
Ferramentas de intervenções pedagogias no ensino-aprendizagem de crianças aut...Ferramentas de intervenções pedagogias no ensino-aprendizagem de crianças aut...
Ferramentas de intervenções pedagogias no ensino-aprendizagem de crianças aut...
 
Nota tecnica mec
Nota tecnica mecNota tecnica mec
Nota tecnica mec
 
2016 artigo ped_unioeste_wivianebenini
2016 artigo ped_unioeste_wivianebenini2016 artigo ped_unioeste_wivianebenini
2016 artigo ped_unioeste_wivianebenini
 
Autismo na educação infantil
Autismo na educação infantilAutismo na educação infantil
Autismo na educação infantil
 
Desafio inclusão
Desafio inclusão Desafio inclusão
Desafio inclusão
 
EDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMO
EDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMOEDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMO
EDUCAÇÃO INCLUSIVA RESUMO
 
Apostila altas habilidades e superdotação 2
Apostila  altas habilidades e superdotação 2Apostila  altas habilidades e superdotação 2
Apostila altas habilidades e superdotação 2
 
Atendimento
AtendimentoAtendimento
Atendimento
 

Mais de Marily Oliveira

Slides Sextas inclusivas- Def. Física e Tecnologia Assistiva
Slides Sextas inclusivas- Def. Física e Tecnologia AssistivaSlides Sextas inclusivas- Def. Física e Tecnologia Assistiva
Slides Sextas inclusivas- Def. Física e Tecnologia Assistiva
Marily Oliveira
 
Projeto de extensão Sextas Inclusivas UFAL ano 2016 mês de fevereiro - AVALIA...
Projeto de extensão Sextas Inclusivas UFAL ano 2016 mês de fevereiro - AVALIA...Projeto de extensão Sextas Inclusivas UFAL ano 2016 mês de fevereiro - AVALIA...
Projeto de extensão Sextas Inclusivas UFAL ano 2016 mês de fevereiro - AVALIA...
Marily Oliveira
 
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicasSlides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Marily Oliveira
 
1 nota tecnica n 024 - orientacao aos sistemas de ensino para a implement...
1   nota tecnica n 024 - orientacao aos sistemas de ensino para a implement...1   nota tecnica n 024 - orientacao aos sistemas de ensino para a implement...
1 nota tecnica n 024 - orientacao aos sistemas de ensino para a implement...
Marily Oliveira
 
Tecnologia e educação
Tecnologia e educaçãoTecnologia e educação
Tecnologia e educação
Marily Oliveira
 
Estranhamento e deficiencia
Estranhamento e deficienciaEstranhamento e deficiencia
Estranhamento e deficiencia
Marily Oliveira
 
Webgincana projetos integradores prof. patricia
Webgincana projetos integradores prof. patriciaWebgincana projetos integradores prof. patricia
Webgincana projetos integradores prof. patricia
Marily Oliveira
 
Slide4
 Slide4  Slide4
Slide4
Marily Oliveira
 
Webgincana autismo
Webgincana autismoWebgincana autismo
Webgincana autismo
Marily Oliveira
 

Mais de Marily Oliveira (9)

Slides Sextas inclusivas- Def. Física e Tecnologia Assistiva
Slides Sextas inclusivas- Def. Física e Tecnologia AssistivaSlides Sextas inclusivas- Def. Física e Tecnologia Assistiva
Slides Sextas inclusivas- Def. Física e Tecnologia Assistiva
 
Projeto de extensão Sextas Inclusivas UFAL ano 2016 mês de fevereiro - AVALIA...
Projeto de extensão Sextas Inclusivas UFAL ano 2016 mês de fevereiro - AVALIA...Projeto de extensão Sextas Inclusivas UFAL ano 2016 mês de fevereiro - AVALIA...
Projeto de extensão Sextas Inclusivas UFAL ano 2016 mês de fevereiro - AVALIA...
 
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicasSlides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
Slides Sextas inclusivas- práticas pedagógicas
 
1 nota tecnica n 024 - orientacao aos sistemas de ensino para a implement...
1   nota tecnica n 024 - orientacao aos sistemas de ensino para a implement...1   nota tecnica n 024 - orientacao aos sistemas de ensino para a implement...
1 nota tecnica n 024 - orientacao aos sistemas de ensino para a implement...
 
Tecnologia e educação
Tecnologia e educaçãoTecnologia e educação
Tecnologia e educação
 
Estranhamento e deficiencia
Estranhamento e deficienciaEstranhamento e deficiencia
Estranhamento e deficiencia
 
Webgincana projetos integradores prof. patricia
Webgincana projetos integradores prof. patriciaWebgincana projetos integradores prof. patricia
Webgincana projetos integradores prof. patricia
 
Slide4
 Slide4  Slide4
Slide4
 
Webgincana autismo
Webgincana autismoWebgincana autismo
Webgincana autismo
 

Último

apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 

Último (20)

apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 

Slides sextas inclusivas needi tea

  • 2. •Ivanise G. S. Bittencourt •Marily O. Barbosa •Thiago H. Lima
  • 3. APRESENTAÇÃO Pessoa comTranstorno do Espectro Autista (TEA) Problematizando o diagnóstico Legislação brasileira e os direitos da pessoa comTEA Inclusão escolar oAcesso, permanência e aprendizagem escolar oConstrução do PEI oFlexibilização curricular Narrativas das pessoas comTEA
  • 4. AUTISMO – Transtorno do Espectro Autista
  • 5. Nossas dúvidas DEVEM nos impulsionar a conhecer a pessoa comTEA, as respostas DEVEM nos auxiliar em nossas intervenções (LIMA, 2016)!
  • 6. TRÍADE X DÍADE (DSMV – 2013) COMUNICAÇÃO INTERAÇÃO SOCIAL INTERESSES RESTRITOS As manifestações desse transtorno variam imensamente a depender do nível de desenvolvimento e idade. (BELISÁRIO FILHO, 2010, p.15).
  • 7. CONCEITUANDO... A pessoa com TEA, é aquela que possui deficiência persistente e clinicamente significativa da comunicação e da interação social, manifestada por deficiência marcada de comunicação verbal e não verbal usada para interação social; ausência de reciprocidade social; possuindo também padrões restritivos e repetitivos de comportamentos, interesses e atividades, manifestados por comportamentos motores ou verbais estereotipados (ecolalias) ou por comportamentos sensoriais incomuns; excessiva aderência a rotinas e padrões de comportamento ritualizados (BRASIL, 2012).
  • 8. CONCEITUANDO... TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA) TRANST. DESINT. DA INFÂNCIA AUTISMO SINDROME DE ASPERGER DSM -V (2013)
  • 9. No Brasil há certa prevalência da sociedade ter uma crença absoluta no diagnóstico emitido. Por essa causa construiu-se uma imagem exacerbada sobre os comportamentos das crianças com autismo e, desta maneira, crê-se que crianças com autismo são agressivas, sem condições de aprender, submersas em seu mundo particular e até mesmo uma ameaça para outras crianças e que por isso devem frequentar ambientes terapêuticos segregados. Essas crenças são equivocadas e revelam desinformação, preconceito e, consequentemente, estigma para junto à criança com autismo (ORRÚ, 2013, p.7 ). ATENÇÃO !
  • 10. AÇÕES MULTIDISCIPLINARES • Cada pessoa com TEA exige um tipo de acompanhamento específico e individualizado que exige a participação dos pais, dos familiares e de uma equipe multidisciplinar visando à reabilitação global do sujeito. O uso de medicamentos é indicado quando surgem complicações e comorbidades. TO FONO PEDAG PSICO ED. FISICA NUTRI ÇÃO
  • 11. LESGILAÇÃO LEI DO AUTISMO: 12.764 (2012); Art. 1º, § 2o A pessoa com transtorno do espectro autista é considerada pessoa com deficiência, para todos os efeitos legais. DECRETO 8.368 (2014): Regulamenta a Lei 12.764; Art. 4o É dever do Estado, da família, da comunidade escolar e da sociedade assegurar o direito da pessoa com transtorno do espectro autista à educação, em sistema educacional inclusivo, garantida a transversalidade da educação especial desde a educação infantil até a educação superior. LEI DA INCLUSÃO: 13.146 (2015). Art. 1o É instituída a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência), destinada a assegurar e a promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com deficiência, visando à sua inclusão social e cidadania.
  • 12. O estudante com TEA é capaz de realizar diversos progressos dentro do ambiente escolar: Representando avanços no processo de inclusão destes alunos (BRIDI; FORTES; BRIDI FILHO, 2006; BARBOSA; 2014; GOMES; MENDES, 2010;BARBOSA; FUMES,2015). »ampliação de suas interações sociais; »melhora nas condições cognitivas; »interpretação de conteúdos mediados pela linguagem e pelo contexto social; Inclusão escolar de estudantes comTEA
  • 13. APRENDIZADO PERMANÊNCIA ACESSO Inclusão escolar de estudantes comTEA LEIS (BRASIL, 1988;2001;2012;2015) LEIS (BRASIL, 2008;2012;2015) ORIENTAÇÕES(BRASIL, 2004; 2008;2010)
  • 14. Escolarização e estudantes comTEA ENTRADA RECENTE DE ESTUDANTES COMTEA Comunidade escolar Desafios Mudanças Angústias BARBOSA; FUMES (2016)
  • 15. Acesso de estudantes comTEA PRESCRIÇÕES EM LEI E AUMENTO NO NÚMERO DAS MATRICULAS EMPODERAMENTO DA ESCOLA E FAMÍLIA DIREITOASSEGURADO POR LEI CONSCIENTIZAÇÃO DE TODA COMUNIDADE ESCOLAR A escola que recebe os estudantes comTEA tem o direito a receberem os profissionais de educação e a dupla matricula. Penalidades aos gestores que recusarem matricula
  • 16. Permanência de estudantes comTEA Profissionais para auxiliar o estudante comTEA Professor de sala de aula Professor do AEE Profissional de apoio escolar DEFINIÇÃO DE PAPÉIS BARBOSA (2016)
  • 17. Aprendizagem de conteúdos escolares para estudantes comTEA
  • 18. Aprendizagem de conteúdos escolares para estudantes comTEA Escola regular SALA DE AULA AEE PROFISSIONAL DE APOIO ESCOLAR FAMÍLIA Parceria efetiva
  • 19. O Atendimento Educacional Especializado - AEE Para o estudante com TEA, o AEE deve ser complementar e tem a função de: I - prover condições de acesso, participação e aprendizagem no ensino regular e garantir serviços de apoio especializados de acordo com as necessidades individuais dos estudantes; [...] III - fomentar o desenvolvimento de recursos didáticos e pedagógicos que eliminem as barreiras no processo de ensino e aprendizagem; (BRASIL, 2011).
  • 20. A SALA DE AULA Exposição de conteúdo oral; Utilização de livros didáticos; Escrita nos cadernos do estudante; Aplicação de atividades a serem realizadas em casa; Rotina escolar; Flexibilização curricular; Atividades voltadas para o nível do estudante.
  • 21. Profissional de apoio escolar - Auxiliar de Sala da Modalidade Educação Especial “Pessoa que exerce atividades de alimentação, higiene e locomoção do estudante com deficiência e atua em todas as atividades escolares” I - Participar de reuniões pedagógicas, conselhos de classe, planejamentos e de grupos de estudo na unidade educativa; II - Seguir a orientação dos professores da Sala de Recursos Multifuncionais – SRM e de outros profissionais que acompanham este(s) aluno(s); III - Aplicar e utilizar os materiais e recursos de Comunicação Aumentativa Alternativa eTecnologia Assistiva [...] BRASIL (2012;2015); SEMED- MACEIÓ (2016)
  • 22. PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO É um recurso pedagógico centrado nas necessidades do estudante, possibilita a individualização do ensino para estudantes que não conseguem acompanhar o desenvolvimento da turma, sendo norteador do processo de ensino aprendizagem, possibilitando através de sua construção e execução o sucesso das ações docentes (PEREIRA, 2014). Elaborado pelos profissionais da escola e família Diminui a sensação de despreparo que muitos professores sentem ao lecionar estudantes comTEA
  • 23. PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO  Habilidades acadêmicas, tais como, linguagem oral, escrita e matemática;  Habilidades de vida diária- Atividade de alimentação como o lanche, ida ao banheiro;  Inteligências do sujeito relacionadas as habilidades que o aluno apresenta para compreender o conteúdo ministrado;  Metas/objetivos –conhecimentos priorizados para o estudante, dentro de um grupo de objetivos pré-estabelecidos para a série a qual o estudante frequenta, considerando o nível de conhecimento atual do indivíduo com TEA e a apropriação de conteúdos/conceitos básicos condizentes com a sua faixa etária; (PEREIRA, 2014)
  • 24. PLANO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO  Metodologia/Recursos didáticos – Trata-se de um conjunto de dispositivos tais como recursos naturais, pedagógicos, tecnológicos e culturais que favorecem a aprendizagem do aluno. Contempla ainda estratégias de ensino que respeitem as especificidades do aluno comTEA;  Avaliação - Registro de situações significativas que o professor considerar durante a realização das atividades acadêmicas e funcionais propostas (PEREIRA, 2014)
  • 25. Intervenções comumente utilizadas Integração Sensorial TEACCH Equoterapia ESCOLA REGULAR Avaliar e utilizar as que se adequam ao estudante e a rotina escolar ABA PECS
  • 26. Os objetivos estabelecidos para estudantes comTEA devem: Identificar as necessidades e peculiaridades, considerar e respeitar as características, estimular as aprendizagens e potencialidades individuais presentes em cada criança flexibilizando as atividades propostas. Desenvolver o ensino a partir dos interesses da criança. Estudantes comTEA e escolarização Schmidt (2014); PEREIRA et al, (2015)
  • 27. Estudantes comTEA e escolarização •É necessário considerar a: MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA Signos; Instrumentos; Pelo outro que nos constitui. se caracteriza pela intencionalidade e sistematicidade e necessita de planejamento das ações, diferenciando-se das mediações cotidianas que são imediatas e nem sempre intencionais. VIGOTSKI, 1984/2010; CHIOTE, 2013
  • 28. Sala de aula e estudantes comTEA O ensino deve ser baseado em recursos visuais e concretos; Apresentar atividades curtas e uma por vez e aumentá-las gradualmente; Não permitir que o estudante não realize atividade alguma: professor pode solucionar isso por meio de reestruturação das atividades, da rotina, do número de atividades. Desenhos (quadro, cartolina...); Contação de história com objetos (chapéu, miniaturas e/ou objetos); Materiais concretos, entre outras... A atenção dividida dificulta o acesso ao conteúdo;
  • 29. Aprendizagens com diversos materiais (letras)
  • 30. Aprendizagens com diversos materiais (nomeando)
  • 31. Aprendizagens com diversos materiais (números)
  • 33. O QUE DIZEM AS PESSOAS COMTEA SOBRE AS SUAS EXPERIÊNCIAS ESCOLARES? Fonte: http://www.diaconia.org.br/novosite/img/uploads/120725143053_comunica.jpg
  • 34. Fonte: http://www.todaletra.com.br/wp- content/uploads/2012/10/duvidas-300x3001.jpg POR QUE AS PESSOAS COM TEA NÃO SÃO OUVIDAS EM ASSUNTOS QUE LHES DIZEM RESPEITO? HÁ ESCASSEZ DE PESQUISAS (BITTENCOURT; FUMES, 2015) NARRATIVAS DAS EXPERIÊNCIAS ESCOLARES? POTENCIALIDADES E FRAGILIDADES DO ESPAÇO ESCOLAR? O QUE É/FOI SIGNIFICATIVO?
  • 36. GULEC-ASLAN; OZBEY; YASSIBAS “I Have Lived an Autism Experience. Autism is an Interesting Disease”:The Life Story of aYoung Man with Autism International Education Studies 2013
  • 37. Fonte: http://ludovica.opopular.com.br/polopoly_fs/1.1075015.1461599901!/image/image.jpg_gen/derivatives/landscape_ 940/image.jpg IMPORTÂNCIA DO APOIO DO PROFESSOR ISOLAMENTO Fonte: http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/upload/conteudo_legenda/497b238 282a9452338f33b79af9677a3.jpg
  • 40. O SIGNIFICADO DA ESCOLA Fonte:http://www.telessaude.uerj.br/resource/escola/img/ilustra_home.png Fonte: http://www2.uol.com.br/todateen/imagens/arquivo/materias- 1481.gif
  • 41. O SIGNIFICADO DA ESCOLA Fonte: http://www.falamamae.com/wp- content/uploads/escola_post-depois-da-escola2.jpg AMIZADE SOCIALIZAÇÃO DESENVOLVIMENTO
  • 43. ESPAÇO ESCOLAR Dificuldades impostas para a matrícula (argumentos para a desistência dos pais); Exigência de taxa extra; Regressão dos autistas; Professores que não sabiam como lidar e prender a atenção; Parceria mães e professores; Preparação dos colegas para a inclusão (Bullying)- adolescência. Fonte:http://www.coaliza.org.br/wp-content/uploads/2014/05/53998-Sem-Fronteiras1.jpg