SlideShare uma empresa Scribd logo
Educação Inclusiva: o papel de cada sujeito
Coordenação da Educação Especial: Núria Evangelista
Coordenação dos Anos Iniciais: Maria Alaíde
Mediadoras: Elvanir Oliveira e Idalice Ramos
PAUTA:
Acolhida – Dinâmica: A
escola dos bichos
Vídeo: Somos todos
diferentes
O papel dos Sujeitos
envolvidos da Educação
Especial
Momento da Escuta
O que houver...
Música: Nada impede que
eu seja feliz - Leci Brandão
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O QUE É?
CUIDAR
VERBO TRANSITIVO
1. tratar de alguém, garantindo o seu bem-estar,
segurança, etc.; tomar conta de
2. garantir a preservação de algo
3. ocupar-se de; responsabilizar-se por
4. dedicar esforço e tempo (a algo) com
determinado objetivo
O QUE É?
MEDIAR
VERBO TRANSITIVO
1. agir como mediador de; intervir acerca de
2. situar-se entre (duas coisas ou dois extremos)
3. decorrer entre (dois pontos ou duas épocas)
4. [pouco usado] dividir ao meio; repartir
O objetivo maior do mediador escolar é promover o desenvolvimento da criança, que
precisa de um suporte adicional no ambiente natural de aprendizagem.
OBJETIVO
RELAÇÃO MEDIADOR-PROFESSOR-
ESCOLA
 O PROFESSOR da classe é o responsável por organizar as ações de todos os seus
alunos;
 O MEDIADOR atua em parceria com a escola com o objetivo de compartilhar
conhecimento. Quanto mais os profissionais os que assistem a criança estiverem
preparados, maior será o desenvolvimento dele;
 A ESCOLA, dentre outros objetivos, precisa facilitar a aprendizagem e a aquisição
do conteúdo pedagógico.
IMPORTANTE
IMPORTANTE
DIREITOS
Toda pessoa aprende
O convívio no ambiente escolar
comum beneficia todos
A educação inclusiva diz respeito a todos
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O QUE É INCLUSÃO?
A inclusão vai muito além
de estar em uma sala de aula, é
preciso que o aluno faça parte da
turma, interaja com os
professores e as demais crianças,
compreenda as questões
pedagógicas e se desenvolva de
acordo com as suas
particularidades e o seu ritmo de
aprendizado.
O MEDIADOR ESCOLAR
É um profissional
capacitado para auxiliar o sujeito
na comunicação verbal e não-
verbal, competências e
habilidades, aspectos
pedagógicos, ludicidade e na
interação social com os seus
pares.
QUAL O PAPEL DO MEDIADOR ESCOLAR?
COMUNICAÇÃO PRÁTICA
Atuar no ambiente escolar, dentro da sala e demais dependências da
escola, e também nos passeios extras (fora da escola) que ocorrerem
dentro do horário da mediação;
Ser assíduo e pontual, respeitando os horários, as regras e normas
da instituição escolar onde faz a mediação;
Ser discreto e profissional evitando envolver-se em assuntos que não
dizem respeito ao trabalho de mediação;
Lembrar sempre que o que ocorre no ambiente escolar deve ser
compartilhado e discutido apenas com os profissionais envolvidos,
equipe pedagógica e terapeutas responsáveis pela orientação.
 Solicitar apoio e supervisão da equipe responsável sempre que sentir necessidade,
evitando passar problemas e dificuldades pertinentes à mediação aos
responsáveis;
 Avisar com antecedência, sempre que possível, caso precise faltar para que a
equipe ESCOLAR possa decidir junto à escola e aos responsáveis qual o
procedimento indicado (Atestado);
 Vestir-se adequadamente, utilizando sempre roupas que possibilitem uma fácil
movimentação; evitar usar saias, shorts, blusas decotadas, sandálias, sapatos com
salto, relógio, anéis, brincos grandes, colares, pulseiras e unhas grandes que
possam vir a machucar a criança;
 Estabelecer um contato diário com o responsável (família), caso necessário utilizar
uma agenda ou um caderno “leva e traz”;
 Entregar os registros mensais pontualmente,
participando das supervisões, grupos de estudo
e treinamentos com as terapeutas responsáveis
e com o professor;
 Criar uma comunicação ATIVA com o professor
para saber o objeto do conhecimento que vai ser
trabalhado em sala de aula;
 Manter sempre a atenção da criança voltada
para as ordens e informações dadas pelo
professor;
Orientar o grupo de colegas da sala a não
valorizar ou mesmo ignorar as estereotipias
e outros comportamentos inadequados.
 Atuar no momento da entrada ou saída escolar, direcionando a criança ao grupo e
ensinando-a como se comportar naquele momento, estimulando o cumprimento
da rotina e das ordens dadas pela professora;
 Durante o recreio mediar à relação da criança com os seus colegas nas brincadeiras
e situações sociais;
 Dirigir-se com a criança ao banheiro, caso haja necessidade, auxiliando-a em seus
hábitos de higiene promovendo assim maior independência e autonomia. Caso
exista na escola um profissional específico para auxiliar os alunos nesse momento,
o mediador estará apenas por perto, intervindo caso ocorra algum conflito ou
dificuldade entre eles;
 Manter-se sempre junto ao grupo e ao professor de sala, cumprindo, dentro do
possível, toda a rotina e as atividades pedagógicas;
 Atuar em parceria com o professor dentro de sala de aula.
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
COMO POSSO
CONTRIBUIR PARA
QUE A EDUCAÇÃO
INCLUSIVA SEJA
REALIDADE?
Para que os PROFESSORES possam
trabalhar na EDUCAÇÃO
INCLUSIVA é necessário que
ocorram mudanças estruturais e
pedagógicas, que vão desde
POLÍTICAS PÚBLICAS até mudanças
na PRÁXIS PEDAGÓGICA,
quebrando barreiras e abrindo
portas para os alunos com diversos
tipos e graus de dificuldades e
habilidades.
É NECESSÁRIO aplicar metodologias e pedagogias focadas
nos alunos em questão, preparando-o para desenvolver
habilidades e utilizar instrumentos de apoio que facilitem o
aprendizado nas aulas regulares.
HORA DA ESCUTA
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
LEMBRANDO...
Cada criança é única e
possuem seus
conhecimentos,
particularidades e
dificuldades.
A educação inclusiva é
um “estudo de caso”, o
que significa dizer que
cada caso é único.
Conclui-se que é primordial
o estabelecimento de uma
relação de confiança entre
os principais profissionais
que acompanham o aluno.
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Dirce Cristiane Camilotti
 
Autismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regular
Autismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regularAutismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regular
Autismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regular
Janderly Reis
 
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇASA EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
Pedagogo Santos
 
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitosEducação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Thiago de Almeida
 
Gestão da Sala de Aula
Gestão da Sala de Aula Gestão da Sala de Aula
Gestão da Sala de Aula
Grasiela Dourado
 
Atendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional EspecializadoAtendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional Especializado
ceciliaconserva
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Inclusão
Thaisduarte
 
Palestra emanoele inclusão ou integração
Palestra emanoele   inclusão ou integraçãoPalestra emanoele   inclusão ou integração
Palestra emanoele inclusão ou integração
Emanoele freitas
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
Heilane Santos
 
Aee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncionalAee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncional
Marcélia Amorim Cardoso
 
Ensino Especial
Ensino EspecialEnsino Especial
Ensino Especial
Margarete Macedo
 
A relação família-escola
A relação família-escolaA relação família-escola
A relação família-escola
Thiago de Almeida
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Instituto Consciência GO
 
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Juliana Madna
 
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação EspecialOrientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Grupo Educação, Mídias e Comunidade Surda
 
PEI
PEIPEI
Inclusão
InclusãoInclusão
Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva
Política nacional  de educação especial  na perspectiva da educação inclusivaPolítica nacional  de educação especial  na perspectiva da educação inclusiva
Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva
ceciliaconserva
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
mtolentino1507
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
Danielle Lobato
 

Mais procurados (20)

Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especialSlides educacao inclusiva-e_educacao_especial
Slides educacao inclusiva-e_educacao_especial
 
Autismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regular
Autismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regularAutismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regular
Autismo: desafios da inclusão da criança autista na escola regular
 
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇASA EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
A EDUCAÇÃO EM UMA PRÁTICA INCLUSIVA, ACOLHENDO AS DIFERENÇAS
 
Educação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitosEducação inclusiva: feitos e efeitos
Educação inclusiva: feitos e efeitos
 
Gestão da Sala de Aula
Gestão da Sala de Aula Gestão da Sala de Aula
Gestão da Sala de Aula
 
Atendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional EspecializadoAtendimento Educacional Especializado
Atendimento Educacional Especializado
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Inclusão
 
Palestra emanoele inclusão ou integração
Palestra emanoele   inclusão ou integraçãoPalestra emanoele   inclusão ou integração
Palestra emanoele inclusão ou integração
 
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva Educação Inclusiva
Educação Inclusiva
 
Aee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncionalAee. sala multifuncional
Aee. sala multifuncional
 
Ensino Especial
Ensino EspecialEnsino Especial
Ensino Especial
 
A relação família-escola
A relação família-escolaA relação família-escola
A relação família-escola
 
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
Educação Especial na Perspectiva Inclusiva.
 
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
Educação, Família, Comunidade: A inclusão Escolar.
 
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação EspecialOrientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
Orientações sobre avaliação do aluno da Educação Especial
 
PEI
PEIPEI
PEI
 
Inclusão
InclusãoInclusão
Inclusão
 
Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva
Política nacional  de educação especial  na perspectiva da educação inclusivaPolítica nacional  de educação especial  na perspectiva da educação inclusiva
Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
 
Estudo de caso
Estudo de casoEstudo de caso
Estudo de caso
 

Semelhante a O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx

formação.pptx
formação.pptxformação.pptx
formação.pptx
ciannisscosta
 
Síndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAHSíndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAH
ceciliaconserva
 
Volta às aulas
Volta às aulasVolta às aulas
Volta às aulas
SimoneHelenDrumond
 
Aula1
Aula1Aula1
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
Gleisser
 
Reuniao sme-fevereiro-aee
Reuniao sme-fevereiro-aeeReuniao sme-fevereiro-aee
Reuniao sme-fevereiro-aee
Rosemary Batista
 
322 volta às aulas 1
322 volta às aulas 1322 volta às aulas 1
322 volta às aulas 1
SimoneHelenDrumond
 
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUALAPRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
LetciaFerreira409889
 
1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx
1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx
1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx
DenildaPereira1
 
Por Que Planejar...
Por Que Planejar...Por Que Planejar...
Por Que Planejar...
2009lourdes
 
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades DiferentesEducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
2009lourdes
 
Educação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
Educação De Pessoas Com Capacidades DiferentesEducação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
Educação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
2009lourdes
 
AUTISMO NA ESCOLA
AUTISMO NA ESCOLAAUTISMO NA ESCOLA
Educação para a vida :os formadores e a estrutura educativa
Educação para a vida :os formadores e a estrutura educativaEducação para a vida :os formadores e a estrutura educativa
Educação para a vida :os formadores e a estrutura educativa
wilkerfilipel
 
Berçário simone helen drumond
Berçário simone helen  drumondBerçário simone helen  drumond
Berçário simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Avaliação na Educação Infantil
Avaliação na Educação InfantilAvaliação na Educação Infantil
Avaliação na Educação Infantil
Ana Pierangeli
 
Aspectos psicomotores das dificuldades de aprendizagem
Aspectos psicomotores das dificuldades de aprendizagemAspectos psicomotores das dificuldades de aprendizagem
Aspectos psicomotores das dificuldades de aprendizagem
Claudenice Conceição da Silva
 
Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1
Priscilla Binotto
 
Indisciplina escolar
Indisciplina escolarIndisciplina escolar
Indisciplina escolar
Carla Choffe
 
Transtorno de deficit de atencao
Transtorno de deficit de atencaoTranstorno de deficit de atencao
Transtorno de deficit de atencao
68bomfim
 

Semelhante a O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx (20)

formação.pptx
formação.pptxformação.pptx
formação.pptx
 
Síndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAHSíndrome de Down e TDAH
Síndrome de Down e TDAH
 
Volta às aulas
Volta às aulasVolta às aulas
Volta às aulas
 
Aula1
Aula1Aula1
Aula1
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Reuniao sme-fevereiro-aee
Reuniao sme-fevereiro-aeeReuniao sme-fevereiro-aee
Reuniao sme-fevereiro-aee
 
322 volta às aulas 1
322 volta às aulas 1322 volta às aulas 1
322 volta às aulas 1
 
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUALAPRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
 
1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx
1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx
1 Reunião de Pais 2019 sala de recursos.docx
 
Por Que Planejar...
Por Que Planejar...Por Que Planejar...
Por Que Planejar...
 
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades DiferentesEducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
EducaçãO De Pessoas Com Capacidades Diferentes
 
Educação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
Educação De Pessoas Com Capacidades DiferentesEducação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
Educação De Pessoas Com Capacidades Diferentes
 
AUTISMO NA ESCOLA
AUTISMO NA ESCOLAAUTISMO NA ESCOLA
AUTISMO NA ESCOLA
 
Educação para a vida :os formadores e a estrutura educativa
Educação para a vida :os formadores e a estrutura educativaEducação para a vida :os formadores e a estrutura educativa
Educação para a vida :os formadores e a estrutura educativa
 
Berçário simone helen drumond
Berçário simone helen  drumondBerçário simone helen  drumond
Berçário simone helen drumond
 
Avaliação na Educação Infantil
Avaliação na Educação InfantilAvaliação na Educação Infantil
Avaliação na Educação Infantil
 
Aspectos psicomotores das dificuldades de aprendizagem
Aspectos psicomotores das dificuldades de aprendizagemAspectos psicomotores das dificuldades de aprendizagem
Aspectos psicomotores das dificuldades de aprendizagem
 
Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1Didática professores trânsito fácil1
Didática professores trânsito fácil1
 
Indisciplina escolar
Indisciplina escolarIndisciplina escolar
Indisciplina escolar
 
Transtorno de deficit de atencao
Transtorno de deficit de atencaoTranstorno de deficit de atencao
Transtorno de deficit de atencao
 

Último

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
marcos oliveira
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2020 CENSIPAM.pdf
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 

O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx

  • 1. Educação Inclusiva: o papel de cada sujeito Coordenação da Educação Especial: Núria Evangelista Coordenação dos Anos Iniciais: Maria Alaíde Mediadoras: Elvanir Oliveira e Idalice Ramos
  • 2. PAUTA: Acolhida – Dinâmica: A escola dos bichos Vídeo: Somos todos diferentes O papel dos Sujeitos envolvidos da Educação Especial Momento da Escuta O que houver... Música: Nada impede que eu seja feliz - Leci Brandão
  • 4. O QUE É? CUIDAR VERBO TRANSITIVO 1. tratar de alguém, garantindo o seu bem-estar, segurança, etc.; tomar conta de 2. garantir a preservação de algo 3. ocupar-se de; responsabilizar-se por 4. dedicar esforço e tempo (a algo) com determinado objetivo
  • 5. O QUE É? MEDIAR VERBO TRANSITIVO 1. agir como mediador de; intervir acerca de 2. situar-se entre (duas coisas ou dois extremos) 3. decorrer entre (dois pontos ou duas épocas) 4. [pouco usado] dividir ao meio; repartir
  • 6. O objetivo maior do mediador escolar é promover o desenvolvimento da criança, que precisa de um suporte adicional no ambiente natural de aprendizagem. OBJETIVO
  • 7. RELAÇÃO MEDIADOR-PROFESSOR- ESCOLA  O PROFESSOR da classe é o responsável por organizar as ações de todos os seus alunos;  O MEDIADOR atua em parceria com a escola com o objetivo de compartilhar conhecimento. Quanto mais os profissionais os que assistem a criança estiverem preparados, maior será o desenvolvimento dele;  A ESCOLA, dentre outros objetivos, precisa facilitar a aprendizagem e a aquisição do conteúdo pedagógico.
  • 9. IMPORTANTE DIREITOS Toda pessoa aprende O convívio no ambiente escolar comum beneficia todos A educação inclusiva diz respeito a todos
  • 11. O QUE É INCLUSÃO? A inclusão vai muito além de estar em uma sala de aula, é preciso que o aluno faça parte da turma, interaja com os professores e as demais crianças, compreenda as questões pedagógicas e se desenvolva de acordo com as suas particularidades e o seu ritmo de aprendizado.
  • 12. O MEDIADOR ESCOLAR É um profissional capacitado para auxiliar o sujeito na comunicação verbal e não- verbal, competências e habilidades, aspectos pedagógicos, ludicidade e na interação social com os seus pares.
  • 13. QUAL O PAPEL DO MEDIADOR ESCOLAR? COMUNICAÇÃO PRÁTICA
  • 14. Atuar no ambiente escolar, dentro da sala e demais dependências da escola, e também nos passeios extras (fora da escola) que ocorrerem dentro do horário da mediação; Ser assíduo e pontual, respeitando os horários, as regras e normas da instituição escolar onde faz a mediação; Ser discreto e profissional evitando envolver-se em assuntos que não dizem respeito ao trabalho de mediação; Lembrar sempre que o que ocorre no ambiente escolar deve ser compartilhado e discutido apenas com os profissionais envolvidos, equipe pedagógica e terapeutas responsáveis pela orientação.
  • 15.  Solicitar apoio e supervisão da equipe responsável sempre que sentir necessidade, evitando passar problemas e dificuldades pertinentes à mediação aos responsáveis;  Avisar com antecedência, sempre que possível, caso precise faltar para que a equipe ESCOLAR possa decidir junto à escola e aos responsáveis qual o procedimento indicado (Atestado);  Vestir-se adequadamente, utilizando sempre roupas que possibilitem uma fácil movimentação; evitar usar saias, shorts, blusas decotadas, sandálias, sapatos com salto, relógio, anéis, brincos grandes, colares, pulseiras e unhas grandes que possam vir a machucar a criança;  Estabelecer um contato diário com o responsável (família), caso necessário utilizar uma agenda ou um caderno “leva e traz”;
  • 16.  Entregar os registros mensais pontualmente, participando das supervisões, grupos de estudo e treinamentos com as terapeutas responsáveis e com o professor;  Criar uma comunicação ATIVA com o professor para saber o objeto do conhecimento que vai ser trabalhado em sala de aula;  Manter sempre a atenção da criança voltada para as ordens e informações dadas pelo professor; Orientar o grupo de colegas da sala a não valorizar ou mesmo ignorar as estereotipias e outros comportamentos inadequados.
  • 17.  Atuar no momento da entrada ou saída escolar, direcionando a criança ao grupo e ensinando-a como se comportar naquele momento, estimulando o cumprimento da rotina e das ordens dadas pela professora;  Durante o recreio mediar à relação da criança com os seus colegas nas brincadeiras e situações sociais;  Dirigir-se com a criança ao banheiro, caso haja necessidade, auxiliando-a em seus hábitos de higiene promovendo assim maior independência e autonomia. Caso exista na escola um profissional específico para auxiliar os alunos nesse momento, o mediador estará apenas por perto, intervindo caso ocorra algum conflito ou dificuldade entre eles;  Manter-se sempre junto ao grupo e ao professor de sala, cumprindo, dentro do possível, toda a rotina e as atividades pedagógicas;  Atuar em parceria com o professor dentro de sala de aula.
  • 19. COMO POSSO CONTRIBUIR PARA QUE A EDUCAÇÃO INCLUSIVA SEJA REALIDADE?
  • 20. Para que os PROFESSORES possam trabalhar na EDUCAÇÃO INCLUSIVA é necessário que ocorram mudanças estruturais e pedagógicas, que vão desde POLÍTICAS PÚBLICAS até mudanças na PRÁXIS PEDAGÓGICA, quebrando barreiras e abrindo portas para os alunos com diversos tipos e graus de dificuldades e habilidades.
  • 21. É NECESSÁRIO aplicar metodologias e pedagogias focadas nos alunos em questão, preparando-o para desenvolver habilidades e utilizar instrumentos de apoio que facilitem o aprendizado nas aulas regulares.
  • 24. LEMBRANDO... Cada criança é única e possuem seus conhecimentos, particularidades e dificuldades. A educação inclusiva é um “estudo de caso”, o que significa dizer que cada caso é único. Conclui-se que é primordial o estabelecimento de uma relação de confiança entre os principais profissionais que acompanham o aluno.