SlideShare uma empresa Scribd logo
      Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e Doença    Doença é a perda da homeostasia corporal, total ou parcial, estado este que pode cursar devido a infecções, inflamações, isquémias, modificações genéticas, sequelas de trauma, hemorragias, neoplasias ou disfunções orgânicas.
         Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaHomeostase (ou Homeostasia) é a propriedade de um sistema aberto, seres vivos especialmente, de regular o seu ambiente interno de modo a manter uma condição estável, mediante múltiplos ajustes de equilíbrio dinâmico controlados por mecanismos de regulação interrelacionados.
          Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaA institucionalização da antropologia da saúde no Brasil começou na década de 1970, com uma proveitosa interlocução com a biomedicina e a saúde pública. Para compreender onde se entrelaçam e como se diferenciam o biológico, o social e o cultural, a antropologia tomou como objeto de estudo o corpo, a saúde e a doença.
         Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaOs temas mais estudados na área são: as representações de saúde, doença e corpo em diferentes grupos populacionais; os significados de doenças específicas como aids, hanseníase, tuberculose, deficiências físicas e mentais, tanto para grupos de pacientes como para aqueles que conviveme tratam os doentes. Muitos estudos das áreas  biológica e médica passaram a se apropriar de conceitos,  metodologias e técnicas utilizadas pelos antropólogos.
       Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaUm estudo realizado na periferia de Porto Alegre pelo núcleo, num bairro com alta incidência de portadores de HIV, demonstra essa diferença de percepção da doença. A aids surgiu com a característica de ser uma “doença do outro”, fora do círculo geográfico da pessoa.Essa imagem pode ter sido criada a partir da origem do próprio vírus, em países africanos; em seguida, como uma síndrome que de grupos considerados de “risco” ecom relações “promíscuas”
        Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaA vida agitada nos grandes centros urbanos, a falta de exercícios físicos, o estresse, a poluição, a alimentação rápida e rica em gordura e açúcar e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e tabaco estão causando diversas doenças nos brasileiros. Advindos destes problemas, são mais comuns, nos grandes centros urbanos, doenças como o câncer, o diabetes e doenças do coração. Enquanto isso, na zona rural e nas periferias das grandes cidades, aumentam os casos de doenças infecciosas e parasitárias, em função das péssimas condições de higiene. A falta de água tratada e o deficiente sistema de esgoto nas regiões norte e nordeste do Brasil tem sido a causa de várias doenças, como, por exemplo: cólera, malária, diarréia e hanseníase
         Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaCom a expansão da aids no Brasil para indiscriminadas camadas sociais, esse “outro” tornou- se alguém próximo: um parente, um amigo, um vizinho.Ao deixar de ser uma “doença do outro”, ao contrário do esperado, não significou maior “conscientização” e adoção de cuidados de prevenção .Em contrapartida, acrescentavam à lista de práticas para evitaro contágio, o contato físico superficial como um abraço e uso comum de pratos e talheres, que são cientificamentedescartadas.
         Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaO processo saúde-doença é uma expressão usada para fazer referência a todas as variáveis que envolvem a saúde e a doença de um indivíduo ou população e considera que ambas estão interligadas e são consequência dos mesmos fatores. De acordo com esse conceito, a determinação do estado de saúde de uma pessoa é um processo complexo que envolve diversos fatores.
        Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e Doença  Diferentemente da teoria da unicausalidade, muito aceita no início do século XX, que considera como fator único de surgimento de doenças um agente etiológico - vírus, bactérias, protozoários -, o conceito de saúde-doença estuda os fatores biológicos, econômicos, sociais e culturais e, com eles, pretende obter possíveis motivações para o surgimento de alguma enfermidade.[O conceito de multicausalidade não exclui a presença de agentes etiológicos numa pessoa como fator de aparecimento de doenças
         Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaEle vai além e leva em consideração o psicológico do paciente, seus conflitos familiares, seus recursos financeiros, nível de instrução, entre outros. Esses fatores, inclusive, não são estáveis; podem variar com o passar dos anos, de uma região para outra, de uma etnia para outra.Preliminarmente há que se definir claramente sobre o que estamos falando e os objetivos que pretendemos atingir, ou seja, discutir um sistema de saúde que tem como objeto de trabalho o processo saúde-doença, em sua complexidade e abrangência, e seus determinantes das condições de saúde da população.
        Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaA saúde deve ser entendida em sentido mais amplo, como componente da qualidade de vida. Assim, não é um “bem de troca”, mas um “bem comum”, um bem e um direito social, em que cada um e todos possam ter asseguradosO exercício e a prática do direito à saúde, a partir da aplicação e utilização de toda a riqueza disponível, conhecimentos e tecnologia desenvolvidos pela sociedade nesse campo, adequados às suas necessidades, abrangendo promoção e proteção da saúde, prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação de doenças.
           Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaEm outras palavras, considerar esse bem e esse direito como componente e exercício da cidadania, que é um referencial e um valor básico a ser assimilado pelo poder público para o balizamento e orientação de sua conduta, decisões, estratégias e ações.A partir daí, deve-se perguntar: afinal, o que significa esse processo saúde doença e quais suas relações com a saúde e com o sistema de serviços de saúde?
          Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaRepresenta o conjunto de relações e variáveis que produz e condiciona o estado de saúde e doença de uma população, que se modifica nos diversos  momentos históricos e do desenvolvimento científico da humanidade.Até que, com os estudos de Louis Pasteur na França, entre outros, vem a prevalecer  a “teoria da unicausalidade”, com a descoberta dos  micróbios (vírus e bactérias) e, portanto, do agente etiológico, ou seja, aquele que causa a doença
         Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaO fato é que se passa a considerar saúde e doença como estados de um mesmo processo, composto por fatores biológicos, econômicos, culturais e sociais.Alguns autores questionam esse modelo, ressaltando, por exemplo, que o “estilo de vida” implicaria uma  opção e conduta pessoal voluntária, o que pode não ser verdadeiro, pois pode estar condicionado a fatores sociais, culturais, entre outros.Em última instância, como diz Breilh, “o processo saúde-doença constitui uma expressão particular do processo geral da vida social”.
         Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaDesse modo, há que se compreender outra dimensão, que é aquela que coloca o processo de intervenção, por meio de um sistema de cuidados para a saúde para atender as necessidades, demandas, aspirações individuais e coletivas, como um processo técnico, científico e político.
         Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaÉ político no sentido de que se refere a valores, interesses, aspirações e relações sociais e envolve a capacidade de identificar e privilegiar as necessidadesde saúde individuais e coletivas resultantes daquele complexo processo de determinação e acumular força e poder para nele intervir, incluindo a alocação e garantia de utilização dos recursos necessários para essa intervenção.
        Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e Doença   E aquela dimensão política inerente a esse processo social remete para a necessidade de satisfazer um outro requerimento, próprio dos processos políticos democráticos, que é a participação social, ou seja, a participação ativa da população na formulação, desenvolvimento e acompanhamento das políticas e dos sistemas de saúde, que hoje, no SUS, está minimamente estabelecida nos conselhos de saúde (nacional, estadual e municipal) e conferências de saúde.
         Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaEstabelecidas essas preliminares conceituais e diretivas em relação à saúde e doença, ao seu processo de determinação e ao sistema e serviços de saúde e seu objeto de ação, ou seja, as bases conceituais de referência, passaremos à discussão e análise do modelo de atenção SILOS/Distritos Sanitários.
         Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaÉ técnico e científico no sentido de que esse saber e esse fazer em relação à saúde-doença da população não devem ser empíricos, mas podem e devem serinstrumentalizados pelo conhecimento científico e desenvolvimento tecnológico, pelo avanço e progresso da ciência.Portanto, o saber e o fazer em relação à saúde da população mediante um sistema de saúde é uma tarefa que implica a concorrência de várias disciplinas do conhecimento humano e a ação das diversas profissões da área de saúde, bem como ação articulada entre os diversos setores, que é requerimento para a produção de saúde.
          Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaPrincipais doenças no Brasil  Doenças do aparelho circulatórioDoenças que fazem parte do grupo que mais mata em nosso país. Podemos citar como exemplos:  derrame, hipertensão e infarto. São doenças que se desenvolvem no corpo humano em função de componentes genéticos associados ao estilo de vida e hábitos de alimentação. O fumo, a bebida alcoólica, o estilo de vida sedentário e estressante estão como causas principais destes tipos de doenças. A alimentação com excesso de gorduras animais, carboidratos e sal também prejudicam o sistema circulatório e o coração, podendo provocar tais doenças.
          Saúde Ambiental e Vigilância     Sanitária – Saúde e DoençaCâncer De acordo com os últimos dados, verificou-se que o câncer é a segunda doença que mais mata no Brasil. O câncer é causado por uma multiplicação excessiva de células em determinadas regiões do corpo. Se não tratados a tempo, podem se espalhar pelo corpo (metástase) e acometer vários órgãos, provocando a morte do paciente. Os tipos de câncer mais comuns são : câncer de pele, câncer de mama, câncer de pulmão, câncer de próstata entre outros. Há um fator genético no desenvolvimento do câncer, porém a alimentação e os hábitos de vida também estão relacionados ao desenvolvimento de câncer. Fumantes, por exemplo, possuem uma maior probabilidade de desenvolverem o câncer de pulmão. O diagnóstico rápido e tratamentos com quimioterapia ainda são os recursos disponíveis mais usados no combate ao câncer.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

EPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIAEPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIA
Ana Carolina Costa
 
Promoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idosoPromoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idoso
Joice Lins
 
Aula 01 - Saúde, Cultura e Sociedade
Aula 01 - Saúde, Cultura e SociedadeAula 01 - Saúde, Cultura e Sociedade
Aula 01 - Saúde, Cultura e Sociedade
Ghiordanno Bruno
 
SAÚDE COLETIVA
SAÚDE COLETIVASAÚDE COLETIVA
SAÚDE COLETIVA
Cláudia Hellena Ribeiro
 
PACTO PELA SAÚDE
PACTO PELA SAÚDEPACTO PELA SAÚDE
PACTO PELA SAÚDE
Fernanda Marinho
 
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e PsiquiatriaO papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
Aliny Lima
 
Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
Jesiele Spindler
 
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhosDesenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Jessica Monteiro
 
Aula 1 politicas de saude no brasil
Aula 1   politicas de saude no brasilAula 1   politicas de saude no brasil
Aula 1 politicas de saude no brasil
kellyschorro18
 
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE  POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
Valdirene1977
 
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveisAula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Mario Gandra
 
Cuidados paliativos
Cuidados paliativosCuidados paliativos
Cuidados paliativos
Eliane Santos
 
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Karla Toledo
 
Enfermagem atencao saude idoso
Enfermagem atencao saude idosoEnfermagem atencao saude idoso
Enfermagem atencao saude idoso
Cíntia Monique
 
SLIDE - CUIDADOR DE IDOSO -[4892].pptx
SLIDE - CUIDADOR DE IDOSO -[4892].pptxSLIDE - CUIDADOR DE IDOSO -[4892].pptx
SLIDE - CUIDADOR DE IDOSO -[4892].pptx
RosaneBastos4
 
1.1 determinantes sociais-da-saude
1.1 determinantes sociais-da-saude1.1 determinantes sociais-da-saude
1.1 determinantes sociais-da-saude
Tereza Cristina
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Ghiordanno Bruno
 
Saude da familia
Saude da familiaSaude da familia
Saude da familia
karensuelen
 
Equipe multiprofissional de saúde
Equipe multiprofissional de saúdeEquipe multiprofissional de saúde
Equipe multiprofissional de saúde
naiellyrodrigues
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Karynne Alves do Nascimento
 

Mais procurados (20)

EPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIAEPIDEMIOLOGIA
EPIDEMIOLOGIA
 
Promoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idosoPromoção a-saúde-do-idoso
Promoção a-saúde-do-idoso
 
Aula 01 - Saúde, Cultura e Sociedade
Aula 01 - Saúde, Cultura e SociedadeAula 01 - Saúde, Cultura e Sociedade
Aula 01 - Saúde, Cultura e Sociedade
 
SAÚDE COLETIVA
SAÚDE COLETIVASAÚDE COLETIVA
SAÚDE COLETIVA
 
PACTO PELA SAÚDE
PACTO PELA SAÚDEPACTO PELA SAÚDE
PACTO PELA SAÚDE
 
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e PsiquiatriaO papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
 
Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
 
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhosDesenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
Desenvolvimento do ciclo de vida - Idosos: perdas de ganhos
 
Aula 1 politicas de saude no brasil
Aula 1   politicas de saude no brasilAula 1   politicas de saude no brasil
Aula 1 politicas de saude no brasil
 
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE  POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
 
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveisAula 8   epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
Aula 8 epidemiologia das doenças e agravos não transmissíveis
 
Cuidados paliativos
Cuidados paliativosCuidados paliativos
Cuidados paliativos
 
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópiaAula 1 saúde coletiva i   slides aula - cópia
Aula 1 saúde coletiva i slides aula - cópia
 
Enfermagem atencao saude idoso
Enfermagem atencao saude idosoEnfermagem atencao saude idoso
Enfermagem atencao saude idoso
 
SLIDE - CUIDADOR DE IDOSO -[4892].pptx
SLIDE - CUIDADOR DE IDOSO -[4892].pptxSLIDE - CUIDADOR DE IDOSO -[4892].pptx
SLIDE - CUIDADOR DE IDOSO -[4892].pptx
 
1.1 determinantes sociais-da-saude
1.1 determinantes sociais-da-saude1.1 determinantes sociais-da-saude
1.1 determinantes sociais-da-saude
 
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e DoençaAula 01 - O Processo Saúde e Doença
Aula 01 - O Processo Saúde e Doença
 
Saude da familia
Saude da familiaSaude da familia
Saude da familia
 
Equipe multiprofissional de saúde
Equipe multiprofissional de saúdeEquipe multiprofissional de saúde
Equipe multiprofissional de saúde
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
 

Destaque

Seminário saúde ambiental epidemiologia i
Seminário saúde ambiental epidemiologia iSeminário saúde ambiental epidemiologia i
Seminário saúde ambiental epidemiologia i
Cláudia Hellena Ribeiro
 
Saúde e Ambiente - Vigilância Ambiental
Saúde e Ambiente - Vigilância AmbientalSaúde e Ambiente - Vigilância Ambiental
Saúde e Ambiente - Vigilância Ambiental
SAGA - Comunicação e Design
 
Saúde ambiental, salubridade e saneamento do ambiente
Saúde ambiental, salubridade e saneamento do ambienteSaúde ambiental, salubridade e saneamento do ambiente
Saúde ambiental, salubridade e saneamento do ambiente
Maria Ludes Maria
 
Saúde e meio ambiente
Saúde e meio ambienteSaúde e meio ambiente
Saúde e meio ambiente
MovSaúde Divinópolis
 
VIGILÂNCIA AMBIENTAL NA UFRJ : Raquel Galdino - 17/06/2015
VIGILÂNCIA AMBIENTAL NA UFRJ : Raquel Galdino - 17/06/2015 VIGILÂNCIA AMBIENTAL NA UFRJ : Raquel Galdino - 17/06/2015
VIGILÂNCIA AMBIENTAL NA UFRJ : Raquel Galdino - 17/06/2015
Gláucia Castro
 
Engenharia sanitária e ambiental
Engenharia sanitária e ambientalEngenharia sanitária e ambiental
Engenharia sanitária e ambiental
Maria Fenicia Ugulino
 
Níveis de biossegurança recomendados para agentes virais arbovírus
Níveis de biossegurança recomendados para agentes virais arbovírusNíveis de biossegurança recomendados para agentes virais arbovírus
Níveis de biossegurança recomendados para agentes virais arbovírus
Diana Costa
 
Estatuto da ONG AR Saúde Ambiental
Estatuto da ONG AR Saúde AmbientalEstatuto da ONG AR Saúde Ambiental
Estatuto da ONG AR Saúde Ambiental
AR Saúde Ambiental
 
Engenharia Naval - Alessandro
Engenharia Naval - AlessandroEngenharia Naval - Alessandro
Engenharia Naval - Alessandro
Jucemar Souza da Luz
 
Vigilância ambiental em saúde
Vigilância ambiental em saúdeVigilância ambiental em saúde
Vigilância ambiental em saúde
Giselle Rocha
 
Prevenção do dengue e dengue hemorrágico
Prevenção do dengue e dengue hemorrágicoPrevenção do dengue e dengue hemorrágico
Prevenção do dengue e dengue hemorrágico
adrianomedico
 
A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
Larah Oliveira
 
Saúde Ambiental
Saúde AmbientalSaúde Ambiental
Saúde Ambiental
Walquiria Dutra
 
Gestão de projetos e ativos no centro da operação da indústria naval
Gestão de projetos e ativos no centro da operação da indústria navalGestão de projetos e ativos no centro da operação da indústria naval
Gestão de projetos e ativos no centro da operação da indústria naval
Andre Santos
 
Trabalho sobre a dengue marcos A
Trabalho sobre a dengue marcos ATrabalho sobre a dengue marcos A
Trabalho sobre a dengue marcos A
teresakashino
 
Vigilância Sanitária
Vigilância SanitáriaVigilância Sanitária
Vigilância Sanitária
Ghiordanno Bruno
 
Treinamento para manipuladores de alimentos
Treinamento para manipuladores de alimentosTreinamento para manipuladores de alimentos
Treinamento para manipuladores de alimentos
Maria Fernanda Tenório Campana
 
Saúde ambiental
Saúde ambientalSaúde ambiental
Saúde ambiental
Rodrigo Bruno
 
3. prática educativa e sociedade
3. prática educativa e sociedade3. prática educativa e sociedade
3. prática educativa e sociedade
joaovitorinopolacimatos
 
Dengue (trabalho Digitado)
Dengue (trabalho Digitado)Dengue (trabalho Digitado)
Dengue (trabalho Digitado)
Nathy Oliveira
 

Destaque (20)

Seminário saúde ambiental epidemiologia i
Seminário saúde ambiental epidemiologia iSeminário saúde ambiental epidemiologia i
Seminário saúde ambiental epidemiologia i
 
Saúde e Ambiente - Vigilância Ambiental
Saúde e Ambiente - Vigilância AmbientalSaúde e Ambiente - Vigilância Ambiental
Saúde e Ambiente - Vigilância Ambiental
 
Saúde ambiental, salubridade e saneamento do ambiente
Saúde ambiental, salubridade e saneamento do ambienteSaúde ambiental, salubridade e saneamento do ambiente
Saúde ambiental, salubridade e saneamento do ambiente
 
Saúde e meio ambiente
Saúde e meio ambienteSaúde e meio ambiente
Saúde e meio ambiente
 
VIGILÂNCIA AMBIENTAL NA UFRJ : Raquel Galdino - 17/06/2015
VIGILÂNCIA AMBIENTAL NA UFRJ : Raquel Galdino - 17/06/2015 VIGILÂNCIA AMBIENTAL NA UFRJ : Raquel Galdino - 17/06/2015
VIGILÂNCIA AMBIENTAL NA UFRJ : Raquel Galdino - 17/06/2015
 
Engenharia sanitária e ambiental
Engenharia sanitária e ambientalEngenharia sanitária e ambiental
Engenharia sanitária e ambiental
 
Níveis de biossegurança recomendados para agentes virais arbovírus
Níveis de biossegurança recomendados para agentes virais arbovírusNíveis de biossegurança recomendados para agentes virais arbovírus
Níveis de biossegurança recomendados para agentes virais arbovírus
 
Estatuto da ONG AR Saúde Ambiental
Estatuto da ONG AR Saúde AmbientalEstatuto da ONG AR Saúde Ambiental
Estatuto da ONG AR Saúde Ambiental
 
Engenharia Naval - Alessandro
Engenharia Naval - AlessandroEngenharia Naval - Alessandro
Engenharia Naval - Alessandro
 
Vigilância ambiental em saúde
Vigilância ambiental em saúdeVigilância ambiental em saúde
Vigilância ambiental em saúde
 
Prevenção do dengue e dengue hemorrágico
Prevenção do dengue e dengue hemorrágicoPrevenção do dengue e dengue hemorrágico
Prevenção do dengue e dengue hemorrágico
 
A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
A ATUAÇÃO DO BIOMÉDICO NA VIGILÂNCIA SANITÁRIA
 
Saúde Ambiental
Saúde AmbientalSaúde Ambiental
Saúde Ambiental
 
Gestão de projetos e ativos no centro da operação da indústria naval
Gestão de projetos e ativos no centro da operação da indústria navalGestão de projetos e ativos no centro da operação da indústria naval
Gestão de projetos e ativos no centro da operação da indústria naval
 
Trabalho sobre a dengue marcos A
Trabalho sobre a dengue marcos ATrabalho sobre a dengue marcos A
Trabalho sobre a dengue marcos A
 
Vigilância Sanitária
Vigilância SanitáriaVigilância Sanitária
Vigilância Sanitária
 
Treinamento para manipuladores de alimentos
Treinamento para manipuladores de alimentosTreinamento para manipuladores de alimentos
Treinamento para manipuladores de alimentos
 
Saúde ambiental
Saúde ambientalSaúde ambiental
Saúde ambiental
 
3. prática educativa e sociedade
3. prática educativa e sociedade3. prática educativa e sociedade
3. prática educativa e sociedade
 
Dengue (trabalho Digitado)
Dengue (trabalho Digitado)Dengue (trabalho Digitado)
Dengue (trabalho Digitado)
 

Semelhante a SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe[1]

Aula_1_-_Visão_Holística_da_Saúde.pptx
Aula_1_-_Visão_Holística_da_Saúde.pptxAula_1_-_Visão_Holística_da_Saúde.pptx
Aula_1_-_Visão_Holística_da_Saúde.pptx
Wellyson Rocha
 
O process
O processO process
O process
Eliana da Silva
 
Qualidade de vida.ppt
Qualidade de vida.pptQualidade de vida.ppt
Qualidade de vida.ppt
elmerribeiro
 
Unidade 6
Unidade 6Unidade 6
Unidade 6
Manuelle Alvees
 
Saúde Coletiva.pptx
Saúde Coletiva.pptxSaúde Coletiva.pptx
Saúde Coletiva.pptx
irisneth duarte
 
BIOÉTICA E O SER HUMANO NO PROCESSO SAÚDE 1.pptx
BIOÉTICA E O SER HUMANO NO PROCESSO SAÚDE 1.pptxBIOÉTICA E O SER HUMANO NO PROCESSO SAÚDE 1.pptx
BIOÉTICA E O SER HUMANO NO PROCESSO SAÚDE 1.pptx
JessiellyGuimares
 
aula1-politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01.pptx
aula1-politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01.pptxaula1-politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01.pptx
aula1-politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01.pptx
ElsonPantoja
 
Processo saúde doença
Processo saúde doençaProcesso saúde doença
Processo saúde doença
ilanaseixasladeia
 
Definição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no Brasil
Definição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no BrasilDefinição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no Brasil
Definição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no Brasil
KaahHSantos
 
Saúde Pública 2.0
Saúde Pública 2.0Saúde Pública 2.0
Saúde Pública 2.0
KaahHSantos
 
Saúde Pública
Saúde PúblicaSaúde Pública
Saúde Pública
KaahHSantos
 
Saude publica ..
Saude  publica ..Saude  publica ..
Saude publica ..
KaahHSantos
 
Saude Publica
Saude  PublicaSaude  Publica
Saude Publica
KaahHSantos
 
1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx
1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx
1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx
klenio2
 
Saude coletiva aula 1
Saude coletiva aula 1Saude coletiva aula 1
Saude coletiva aula 1
Bernadete Aragao
 
Introducao a-saude-publica-1
Introducao a-saude-publica-1Introducao a-saude-publica-1
Introducao a-saude-publica-1
José Luis Müller
 
AULA 1- INTRODUCAO A SAUDE DA COMUNIDADE.pptx
AULA 1- INTRODUCAO A SAUDE DA COMUNIDADE.pptxAULA 1- INTRODUCAO A SAUDE DA COMUNIDADE.pptx
AULA 1- INTRODUCAO A SAUDE DA COMUNIDADE.pptx
GeraldoRaimundo3
 
Apresentação1.pptx
Apresentação1.pptxApresentação1.pptx
Apresentação1.pptx
paoladealmeida23
 
Parametros curriculares temas transversais - saúde
Parametros curriculares   temas transversais - saúdeParametros curriculares   temas transversais - saúde
Parametros curriculares temas transversais - saúde
Cre Educação
 
Pcn 10.4 Tt SaúDe
Pcn   10.4   Tt SaúDePcn   10.4   Tt SaúDe
Pcn 10.4 Tt SaúDe
literatoliberato
 

Semelhante a SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe[1] (20)

Aula_1_-_Visão_Holística_da_Saúde.pptx
Aula_1_-_Visão_Holística_da_Saúde.pptxAula_1_-_Visão_Holística_da_Saúde.pptx
Aula_1_-_Visão_Holística_da_Saúde.pptx
 
O process
O processO process
O process
 
Qualidade de vida.ppt
Qualidade de vida.pptQualidade de vida.ppt
Qualidade de vida.ppt
 
Unidade 6
Unidade 6Unidade 6
Unidade 6
 
Saúde Coletiva.pptx
Saúde Coletiva.pptxSaúde Coletiva.pptx
Saúde Coletiva.pptx
 
BIOÉTICA E O SER HUMANO NO PROCESSO SAÚDE 1.pptx
BIOÉTICA E O SER HUMANO NO PROCESSO SAÚDE 1.pptxBIOÉTICA E O SER HUMANO NO PROCESSO SAÚDE 1.pptx
BIOÉTICA E O SER HUMANO NO PROCESSO SAÚDE 1.pptx
 
aula1-politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01.pptx
aula1-politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01.pptxaula1-politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01.pptx
aula1-politicasdesaudenobrasil-120402212322-phpapp01.pptx
 
Processo saúde doença
Processo saúde doençaProcesso saúde doença
Processo saúde doença
 
Definição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no Brasil
Definição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no BrasilDefinição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no Brasil
Definição de Saúde Pública - A Saúde P[ublica no Brasil
 
Saúde Pública 2.0
Saúde Pública 2.0Saúde Pública 2.0
Saúde Pública 2.0
 
Saúde Pública
Saúde PúblicaSaúde Pública
Saúde Pública
 
Saude publica ..
Saude  publica ..Saude  publica ..
Saude publica ..
 
Saude Publica
Saude  PublicaSaude  Publica
Saude Publica
 
1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx
1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx
1 Noções de saúde coletiva - Copia.pptx
 
Saude coletiva aula 1
Saude coletiva aula 1Saude coletiva aula 1
Saude coletiva aula 1
 
Introducao a-saude-publica-1
Introducao a-saude-publica-1Introducao a-saude-publica-1
Introducao a-saude-publica-1
 
AULA 1- INTRODUCAO A SAUDE DA COMUNIDADE.pptx
AULA 1- INTRODUCAO A SAUDE DA COMUNIDADE.pptxAULA 1- INTRODUCAO A SAUDE DA COMUNIDADE.pptx
AULA 1- INTRODUCAO A SAUDE DA COMUNIDADE.pptx
 
Apresentação1.pptx
Apresentação1.pptxApresentação1.pptx
Apresentação1.pptx
 
Parametros curriculares temas transversais - saúde
Parametros curriculares   temas transversais - saúdeParametros curriculares   temas transversais - saúde
Parametros curriculares temas transversais - saúde
 
Pcn 10.4 Tt SaúDe
Pcn   10.4   Tt SaúDePcn   10.4   Tt SaúDe
Pcn 10.4 Tt SaúDe
 

Mais de jhony

SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe
SaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDeSaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDe
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe
jhony
 
Metodo De Pesquisa Ensinando 2010
Metodo De Pesquisa Ensinando 2010Metodo De Pesquisa Ensinando 2010
Metodo De Pesquisa Ensinando 2010
jhony
 
Quantitativa Ensinando 2010
Quantitativa   Ensinando   2010Quantitativa   Ensinando   2010
Quantitativa Ensinando 2010
jhony
 
Instrumento De AvaliaçãO Oral 2010 Ma Vs
Instrumento De AvaliaçãO Oral 2010 Ma VsInstrumento De AvaliaçãO Oral 2010 Ma Vs
Instrumento De AvaliaçãO Oral 2010 Ma Vs
jhony
 
Etica Politicas E Ambiental 2010
Etica Politicas  E Ambiental 2010Etica Politicas  E Ambiental 2010
Etica Politicas E Ambiental 2010
jhony
 
EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010
EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010
EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010
jhony
 
Cronograma2010
Cronograma2010Cronograma2010
Cronograma2010
jhony
 

Mais de jhony (7)

SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe
SaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDeSaúDe Ambiental E VigilâNcia     SanitáRia – SaúDe
SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe
 
Metodo De Pesquisa Ensinando 2010
Metodo De Pesquisa Ensinando 2010Metodo De Pesquisa Ensinando 2010
Metodo De Pesquisa Ensinando 2010
 
Quantitativa Ensinando 2010
Quantitativa   Ensinando   2010Quantitativa   Ensinando   2010
Quantitativa Ensinando 2010
 
Instrumento De AvaliaçãO Oral 2010 Ma Vs
Instrumento De AvaliaçãO Oral 2010 Ma VsInstrumento De AvaliaçãO Oral 2010 Ma Vs
Instrumento De AvaliaçãO Oral 2010 Ma Vs
 
Etica Politicas E Ambiental 2010
Etica Politicas  E Ambiental 2010Etica Politicas  E Ambiental 2010
Etica Politicas E Ambiental 2010
 
EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010
EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010
EducaçãO E PromoçãO Em SaúDe 05 03 2010
 
Cronograma2010
Cronograma2010Cronograma2010
Cronograma2010
 

SaúDe Ambiental E VigilâNcia SanitáRia – SaúDe[1]

  • 1. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e Doença Doença é a perda da homeostasia corporal, total ou parcial, estado este que pode cursar devido a infecções, inflamações, isquémias, modificações genéticas, sequelas de trauma, hemorragias, neoplasias ou disfunções orgânicas.
  • 2. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaHomeostase (ou Homeostasia) é a propriedade de um sistema aberto, seres vivos especialmente, de regular o seu ambiente interno de modo a manter uma condição estável, mediante múltiplos ajustes de equilíbrio dinâmico controlados por mecanismos de regulação interrelacionados.
  • 3. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaA institucionalização da antropologia da saúde no Brasil começou na década de 1970, com uma proveitosa interlocução com a biomedicina e a saúde pública. Para compreender onde se entrelaçam e como se diferenciam o biológico, o social e o cultural, a antropologia tomou como objeto de estudo o corpo, a saúde e a doença.
  • 4. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaOs temas mais estudados na área são: as representações de saúde, doença e corpo em diferentes grupos populacionais; os significados de doenças específicas como aids, hanseníase, tuberculose, deficiências físicas e mentais, tanto para grupos de pacientes como para aqueles que conviveme tratam os doentes. Muitos estudos das áreas biológica e médica passaram a se apropriar de conceitos, metodologias e técnicas utilizadas pelos antropólogos.
  • 5. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaUm estudo realizado na periferia de Porto Alegre pelo núcleo, num bairro com alta incidência de portadores de HIV, demonstra essa diferença de percepção da doença. A aids surgiu com a característica de ser uma “doença do outro”, fora do círculo geográfico da pessoa.Essa imagem pode ter sido criada a partir da origem do próprio vírus, em países africanos; em seguida, como uma síndrome que de grupos considerados de “risco” ecom relações “promíscuas”
  • 6. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaA vida agitada nos grandes centros urbanos, a falta de exercícios físicos, o estresse, a poluição, a alimentação rápida e rica em gordura e açúcar e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e tabaco estão causando diversas doenças nos brasileiros. Advindos destes problemas, são mais comuns, nos grandes centros urbanos, doenças como o câncer, o diabetes e doenças do coração. Enquanto isso, na zona rural e nas periferias das grandes cidades, aumentam os casos de doenças infecciosas e parasitárias, em função das péssimas condições de higiene. A falta de água tratada e o deficiente sistema de esgoto nas regiões norte e nordeste do Brasil tem sido a causa de várias doenças, como, por exemplo: cólera, malária, diarréia e hanseníase
  • 7. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaCom a expansão da aids no Brasil para indiscriminadas camadas sociais, esse “outro” tornou- se alguém próximo: um parente, um amigo, um vizinho.Ao deixar de ser uma “doença do outro”, ao contrário do esperado, não significou maior “conscientização” e adoção de cuidados de prevenção .Em contrapartida, acrescentavam à lista de práticas para evitaro contágio, o contato físico superficial como um abraço e uso comum de pratos e talheres, que são cientificamentedescartadas.
  • 8. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaO processo saúde-doença é uma expressão usada para fazer referência a todas as variáveis que envolvem a saúde e a doença de um indivíduo ou população e considera que ambas estão interligadas e são consequência dos mesmos fatores. De acordo com esse conceito, a determinação do estado de saúde de uma pessoa é um processo complexo que envolve diversos fatores.
  • 9. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e Doença Diferentemente da teoria da unicausalidade, muito aceita no início do século XX, que considera como fator único de surgimento de doenças um agente etiológico - vírus, bactérias, protozoários -, o conceito de saúde-doença estuda os fatores biológicos, econômicos, sociais e culturais e, com eles, pretende obter possíveis motivações para o surgimento de alguma enfermidade.[O conceito de multicausalidade não exclui a presença de agentes etiológicos numa pessoa como fator de aparecimento de doenças
  • 10. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaEle vai além e leva em consideração o psicológico do paciente, seus conflitos familiares, seus recursos financeiros, nível de instrução, entre outros. Esses fatores, inclusive, não são estáveis; podem variar com o passar dos anos, de uma região para outra, de uma etnia para outra.Preliminarmente há que se definir claramente sobre o que estamos falando e os objetivos que pretendemos atingir, ou seja, discutir um sistema de saúde que tem como objeto de trabalho o processo saúde-doença, em sua complexidade e abrangência, e seus determinantes das condições de saúde da população.
  • 11. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaA saúde deve ser entendida em sentido mais amplo, como componente da qualidade de vida. Assim, não é um “bem de troca”, mas um “bem comum”, um bem e um direito social, em que cada um e todos possam ter asseguradosO exercício e a prática do direito à saúde, a partir da aplicação e utilização de toda a riqueza disponível, conhecimentos e tecnologia desenvolvidos pela sociedade nesse campo, adequados às suas necessidades, abrangendo promoção e proteção da saúde, prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação de doenças.
  • 12. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaEm outras palavras, considerar esse bem e esse direito como componente e exercício da cidadania, que é um referencial e um valor básico a ser assimilado pelo poder público para o balizamento e orientação de sua conduta, decisões, estratégias e ações.A partir daí, deve-se perguntar: afinal, o que significa esse processo saúde doença e quais suas relações com a saúde e com o sistema de serviços de saúde?
  • 13. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaRepresenta o conjunto de relações e variáveis que produz e condiciona o estado de saúde e doença de uma população, que se modifica nos diversos momentos históricos e do desenvolvimento científico da humanidade.Até que, com os estudos de Louis Pasteur na França, entre outros, vem a prevalecer a “teoria da unicausalidade”, com a descoberta dos micróbios (vírus e bactérias) e, portanto, do agente etiológico, ou seja, aquele que causa a doença
  • 14. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaO fato é que se passa a considerar saúde e doença como estados de um mesmo processo, composto por fatores biológicos, econômicos, culturais e sociais.Alguns autores questionam esse modelo, ressaltando, por exemplo, que o “estilo de vida” implicaria uma opção e conduta pessoal voluntária, o que pode não ser verdadeiro, pois pode estar condicionado a fatores sociais, culturais, entre outros.Em última instância, como diz Breilh, “o processo saúde-doença constitui uma expressão particular do processo geral da vida social”.
  • 15. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaDesse modo, há que se compreender outra dimensão, que é aquela que coloca o processo de intervenção, por meio de um sistema de cuidados para a saúde para atender as necessidades, demandas, aspirações individuais e coletivas, como um processo técnico, científico e político.
  • 16. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaÉ político no sentido de que se refere a valores, interesses, aspirações e relações sociais e envolve a capacidade de identificar e privilegiar as necessidadesde saúde individuais e coletivas resultantes daquele complexo processo de determinação e acumular força e poder para nele intervir, incluindo a alocação e garantia de utilização dos recursos necessários para essa intervenção.
  • 17. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e Doença E aquela dimensão política inerente a esse processo social remete para a necessidade de satisfazer um outro requerimento, próprio dos processos políticos democráticos, que é a participação social, ou seja, a participação ativa da população na formulação, desenvolvimento e acompanhamento das políticas e dos sistemas de saúde, que hoje, no SUS, está minimamente estabelecida nos conselhos de saúde (nacional, estadual e municipal) e conferências de saúde.
  • 18. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaEstabelecidas essas preliminares conceituais e diretivas em relação à saúde e doença, ao seu processo de determinação e ao sistema e serviços de saúde e seu objeto de ação, ou seja, as bases conceituais de referência, passaremos à discussão e análise do modelo de atenção SILOS/Distritos Sanitários.
  • 19. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaÉ técnico e científico no sentido de que esse saber e esse fazer em relação à saúde-doença da população não devem ser empíricos, mas podem e devem serinstrumentalizados pelo conhecimento científico e desenvolvimento tecnológico, pelo avanço e progresso da ciência.Portanto, o saber e o fazer em relação à saúde da população mediante um sistema de saúde é uma tarefa que implica a concorrência de várias disciplinas do conhecimento humano e a ação das diversas profissões da área de saúde, bem como ação articulada entre os diversos setores, que é requerimento para a produção de saúde.
  • 20. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaPrincipais doenças no Brasil Doenças do aparelho circulatórioDoenças que fazem parte do grupo que mais mata em nosso país. Podemos citar como exemplos:  derrame, hipertensão e infarto. São doenças que se desenvolvem no corpo humano em função de componentes genéticos associados ao estilo de vida e hábitos de alimentação. O fumo, a bebida alcoólica, o estilo de vida sedentário e estressante estão como causas principais destes tipos de doenças. A alimentação com excesso de gorduras animais, carboidratos e sal também prejudicam o sistema circulatório e o coração, podendo provocar tais doenças.
  • 21. Saúde Ambiental e Vigilância Sanitária – Saúde e DoençaCâncer De acordo com os últimos dados, verificou-se que o câncer é a segunda doença que mais mata no Brasil. O câncer é causado por uma multiplicação excessiva de células em determinadas regiões do corpo. Se não tratados a tempo, podem se espalhar pelo corpo (metástase) e acometer vários órgãos, provocando a morte do paciente. Os tipos de câncer mais comuns são : câncer de pele, câncer de mama, câncer de pulmão, câncer de próstata entre outros. Há um fator genético no desenvolvimento do câncer, porém a alimentação e os hábitos de vida também estão relacionados ao desenvolvimento de câncer. Fumantes, por exemplo, possuem uma maior probabilidade de desenvolverem o câncer de pulmão. O diagnóstico rápido e tratamentos com quimioterapia ainda são os recursos disponíveis mais usados no combate ao câncer.