SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
NOEMIA BENTO DE OLIVEIRA
RELATÓRIO DO
ESTÁGIO
ENSINO FUNDAMENTAL
CENTRO UNIVERSITÁRIO ANHANGUERA
PEDAGOGIA
São Paulo
2020
São Paulo
2020
RELATÓRIO DO
ESTÁGIO ENSINO FUNDAMENTAL
Relatório apresentado à Centro Universitário
Anhanguera, como requisito parcial para o
aproveitamento da disciplina de Estágio dos
anos finais do Ensino Fundamental de
Pedagogia.
NOEMIA BENTO DE OLIVEIRA
SUMÁRIO
1 LEITURAS OBRIGATÓRIAS ..........................................................................................4
2 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP) ..............................................................6
3 ABORDAGEM DOS TEMAS TRANSVERSAIS CONTEMPORÂNEOS DA
BNCC..................................................................................................................................8
4 ATUAÇÃO DO PROFESSOR E SUA INTER-RELAÇÃO COM A EQUIPE
ADMINISTRATIVA E PEDAGÓGICA ......................................................................... 10
5 CONHECER METODOLOGIAS ATIVAS COM USO DE TECNOLOGIAS
DIGITAIS ......................................................................................................................... 12
6 PLANOS DE AULA........................................................................................................ 13
CONSIDERAÇÕES FINAIS ................................................................................................ 17
REFERÊNCIAS ..................................................................................................................... 18
3
INTRODUÇÃO
Neste item, você deve apresentar, de forma clara, o objetivo do material, ou
seja, a apresentação dos resultados do estágio realizado no semestre, conforme
Plano de Trabalho. Neste espaço, deve constar uma apresentação detalhada dos
resultados obtidos pelo acadêmico.
O presente relatório tem como objetivo sistematizar a experiência feita por intermédio
do Plano de Trabalho, constando sete (7) etapas de trabalho e elaboração textual, tendo
como base vídeos e textos fornecidos pelo documento anteriormente citado.
A experiência de estágio em meio a uma pandemia tornou-se rica, por constituir-se
por meio do trabalho intelectual e reflexivo, buscando visualizar e compreender as
dinâmicas existentes no espaço escolar e as condições inovadoras para construir praticas
pedagógicas condizentes com o tempo presente.
Portanto, por meio desse relatório busca-se expressar o desempenho e o
desenvolvimento produzido por meio do trabalho, e as percepções geradas por meio das
leituras e debates, constituindo um documento que não apenas servirá para atender as
necessidades formativas da faculdade, mas também como documento de consulta para os
próximos anos em que poderia exercer minha profissão.
4
1 LEITURAS OBRIGATÓRIAS
Incluir o texto elaborado com base nas leituras obrigatórias, conforme
estipulado Plano de Trabalho.
A História da Educação demonstra que ao longo de seu percurso, foram produzidas
uma diversidade de rupturas epistemológicas, teóricas e metodológicas, que produziram
uma imensidade de novos campos a serem explorados, praticados e discutidos pelos
especialistas e professores das áreas que concernem a educação. No caso, Thiesen (2008),
em seu texto “A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo de
aprendizagem”, explora justamente uma dessas rupturas, que assim como o mesmo autor
expõe, é produto dos debates construtivistas que fizeram a crítica aos formatos positivistas
que germinaram a ciência moderna.
A formação da ciência na modernidade foi sendo construída dentro de lutas em torno
da legitimidade do discurso da verdade, constituindo correntes que forjaram hegemonia
durante um período, que posteriormente foram derrotadas por suas predecessoras, tal como
o próprio positivismo pelo materialismo histórico. Porém, mesmo que exista tal derrota e
uma outra hegemonia seja posta, a base que forjou a nova ciência ainda pertence a antiga,
cabendo aos cientistas participantes do tempo presente fazerem a crítica necessária para
manter a ciência em movimento, rompendo com suas raízes limitantes e mantendo as bases
que possibilitam a transformação e o surgimento de novas leituras de mundo.
Essa leitura sobre a ciência se tornou possível apenas por meio de uma dessas
correntes hegemônicas, que em nosso tempo presente disputa a legitimidade com outras
anteriores e novas que passam a surgir: o construtivismo.
A perspectiva epistemológica que permite compreender a realidade como um
produto das relações sociais, logo, como uma expressão das lutas sociais que construíram
essa leitura de mundo – portanto, não é um produto da natureza -, afeta diretamente as
práticas docentes e a leitura da práxis educativa, por conta dessa forma de análise, toda a
relação no espaço social é produto social, assim como todos presentes na sala de aula.
Essa leitura de mundo constrói uma profunda de necessidade de refletir sobre os
conteúdos que são objeto de aprendizagem e a relação de todos os agentes envolvidos com
esse objeto, pois todas as expressões e leituras sobre o mesmo também são produto das
ideias dominantes que conquistaram o pódio em meio as lutas sociais.
Dentro disso, a concepção de transdisciplinaridade avança no sentido de romper
com as noções positivistas que perduram na prática escolar e quebrar as paredes que
separam os conhecimentos dentro das disciplinas, indo além da interdisciplinaridade. O
5
documento dos TCT’s explicita justamente uma das iniciativas que caminham nesse sentido,
constituindo outras leituras sobre os problemas sociais que conjuram uma diversidade de
olhares disciplinares da ciência contemporânea, algo que na realidade acontece dentro de
campos acadêmicos, como é o caso da própria Pedagogia que relaciona as Humanidades e
Biológicas para trabalhar com o Ensino de Ciências, ou mesmo no que tange a discussão da
Educação Infantil, que dialoga entre a Psicologia, Sociologia e História para compreender a
infância e seus padrões sociais.
Portanto, podemos compreender a partir de Thiensen (2008), que a práxis
pedagógica alimentada por uma noção transdisciplinar, tem amplas condições de elaborar
novas práticas pedagógicas por meio de construção de plataformas pedagógicas que
expandem a percepção dos educadores, assim como propõe o documento dos TCT’s.
6
2 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP)
Incluir as perguntas e respostas com base no Projeto Político Pedagógico
(PPP), conforme estipulado no Plano de Trabalho.
1. O que é o PPP e qual a importância desse documento para o ambiente escolar?
O Projeto Político Pedagógico é um documento que orienta as ações pedagógicas na escola
por um viés cidadão e político, definindo os princípios basilares dos projetos e práticas
pedagógicas no espaço escolar, por conta de se tratar de uma ação democrática, o PPP
deve ser construído coletivamente, tendo papel ativo de toda a comunidade escolar
interessada e influenciada por suas ações. Por meio dele, toda a comunidade escolar pode
participar ativamente da construção e elaboração de projetos, fazer contínuas avaliações do
percurso elaborado no documento e exigir o cumprimento dos princípios e objetivos,
servindo também como um documento de defesa de um projeto de escola democrática.
2. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento normativo que define
as aprendizagens essenciais que todos os alunos devem se apropriar na educação
básica. Sendo assim, todas as escolas devem organizar seu currículo a partir desse
documento. Com base na leitura que você realizou, como as competências gerais da
Educação Básica se inter-relacionam com o PPP?
Conforme o PPP1, as competências gerais ofertadas pela BNCC constituem as condições
para a formulação e direcionamento do PPP e seus projetos específicos, tanto as práticas
pedagógicas tradicionais de sala de aula, quanto às práticas pedagógicas complementares,
que orientam ao trabalho de campo e pesquisas no setor de informática. Portanto, a relação
entre os documentos é umbilical, onde ambos se retroalimentam na construção de uma
escola plural e democrática.
3. A avaliação da aprendizagem é um elemento crucial no processo de ensino e de
aprendizagem, visto que oportuniza indícios dos avanços escolares e dos pontos que
precisam ser aperfeiçoados. Com base na leitura que você realizou do PPP, de que
modo a escola apresenta o processo de avaliação?
No âmbito do PPP1, a diretriz dos processos avaliativos escolares são diferentes, de acordo
com o período de aprendizagem. Na Educação Infantil ao 1° do Ensino Fundamental, os
critérios avaliativos são qualitativos, sendo baseados principalmente na observação e
7
acompanhamento do processo de aprendizado de cada aluno. No período que cobre do 2°
ano do Ensino Fundamental ao Ensino Médio, são utilizados mecanismos qualitativos e
quantitativos, como a observação e instrumentos avaliativos utilizados com os estudantes.
No PPP é estipulado um programa de pontuação dividida em três semestres (1°-30,0; 2°-
35,0; 3°-35). A distribuição das avaliações no Plano explicitam uma objetivação do processo
avaliativo com uma base mínima comum, colocando a porcentagem máxima do total dos
pontos que cada avaliação deve ter, para que dessa forma, os estudantes possam ter o
máximo de oportunidades possíveis adquirir os pontos necessários, demonstrando também
claramente uma ampla variabilidade de tipos de avaliação.
Além disso, o PPP explicita a existência de uma diversidade de dispositivos de segurança
na relação professor-estudante, que objetivam basilar por meio de normatizações do
processo avaliativo e de suas variáveis, como é o caso da Avaliação Individual Especial e
Avaliação Individual de Recuperação.
8
3 ABORDAGEM DOS TEMAS TRANSVERSAIS CONTEMPORÂNEOS DA BNCC
Incluir as perguntas e respostas com base na análise do Guia Prático dos
Temas Contemporâneos Transversais - TCTs, conforme estipulado no Plano de
Trabalho.
1. Como podemos entender o termo Transversalidade?
O termo é definido como um conceito que orienta um trabalho pedagógico multisetorial,
rompendo com as barreiras disciplinares, elaborando uma leitura diversificada da realidade,
que ao ser direcionada para uma ampla diversidade de questões sociais, possibilita uma
formação integral do estudante enquanto ser humano.
2. Qual a importância de se trabalhar com os TCTs na escola?
Os TCT’s possibilitam uma aprendizagem que direcione os conhecimentos fragmentados
em disciplinas específicas para uma leitura ampla de problemas sociais, tais como os
exemplificados no Modelo 1, que abrangem questões da área de ciências, geográfia e
ciências sociais, aplicando uma discussão ampla sobre os efeitos das catastrofes climáticas
sobre as populações das regiões afetadas, produzindo migrações em massa.
Essa forma de análise é fundamental para a formação de uma intelectualidade capaz de
capturar os problemas reais, que diferentemente de como é retratado no aprendizado
setorizado, tem por necessidade fazer uso de uma mutiplicidade de raciocínios para
apreender a complexidade social.
3. Dos TCTs listados, quais podem ser trabalhados de forma transversal no seu curso
de graduação?
O Projeto Pedagógico de Diversidade Cultural poderia ser muito importante para a formação
no curso de Pedagogia, principalmente por abordar questões viscerais no ambito do
processo de aprendizagem relacional, que aborda a existência social e suas nuances
culturais, tanto quanto étnicas, religiosas, políticas e etc. Esse TCT poderia abranger uma
prática pedagógica que dialogue e incentiva a valorização da diferença cultural, constituindo
condições para trabalhar com o respeito e apreciação da cultura do outro.
4. O Guia apresenta uma metodologia de trabalho para o desenvolvimento dos TCTs,
baseado em quatro pilares. Quais são estes pilares? Comente sua perspectiva sobre
essa metodologia.
De acordo com o Guia, a metodologia de trabalho se fundamenta nos quatro pilares:
1) Problematização da realidade; 2) Superação da concepção fragmentada do
9
conhecimento por uma visão sistêmica; 3) Integração da habilidade e competências
curriculares à resolução de problemas; 4) Promoção de um processo educativo continuado
de conhecimento como uma construção coletiva.
Essa metodologia se aproxima de uma prática científica de trabalho, que se organiza por
dentro das disciplinas, rompe com suas barreiras e constrói novas pontes, produzindo novos
conhecimentos, novas metodologias e teorias de análise sobre a realidade. Portanto, essa
proposta tem condições de constituir uma cultura de trabalho acadêmico, potencializando e
impulsionando uma intensa inovação da formação e do trabalho científico pós-formação.
10
4 ATUAÇÃO DO PROFESSOR E SUA INTER-RELAÇÃO COM A EQUIPE
ADMINISTRATIVA E PEDAGÓGICA
Incluir as perguntas e respostas com base nos vídeos, conforme estipulado
no Plano de Trabalho.
1a). Por que a BNCC não pode ser o único documento orientador do planejamento
docente?
A BNCC foi construída para ser uma base geral, que construísse um fio condutor
comum para todo o país, possibilitando que cada estado e cidade pudesse toma-lo como
base para construir seus próprios currículos e projetos. Dessa forma, a BNCC é a base
fundamental do currículo nacional que não determina o processo de aprendizagem, mas
inspira e fundamenta os outros documentos que organizam a educação dentro de cada
território e regionalidade, produzindo uma educação plural, porém, organizada
nacionalmente.
1b). Quais outros documentos deverão ser considerados?
De acordo com o vídeo de Keila Boni, podemos considerar o currículo do estado e
da cidade, o PPP, a LDB e a Constituição Federal, como documentos que orientam o
trabalho pedagógico, por serem documentos que trabalham as competências sociais e
culturais, acabam por verificar e afirmar as possibilidades e os direitos pedagógicos do
trabalho docente, ampliando seu horizonte de trabalho com base no Estado Democrático de
Direito.
No caso, cada documento tem sua especificidade e funcionalidade, como é o caso
do PPP, que possibilita ter uma percepção maior sobre o território e a comunidade em que a
escola está inserida, e também nos permite tomar conhecimento sobre o funcionamento da
escola, seu histórico e sua comunidade, ao mesmo tempo em que pode construir projetos
pautados nos princípios deliberados no projeto. E do outro lado, podemos verificar a LDB e
a Constituição, que podem ser considerados documentos legais, que regulamentam uma
diversidade de práticas, e que por isso mesmo, servem também para regulamentar,
controlar e legitimar uma diversidade de práticas e posturas pedagógicas por parte do
educador, do estudante, da família e da equipe pedagógica.
Portanto, essa relação dialógica dos documentos legais do campo pedagógico
possibilita uma prática coesa e legitimada perante todos os participantes, resguardando
todos os envolvidos por meio de todas as determinações jurídicas e culturais.
2) Exemplifique de que maneira a equipe pedagógica poderá orientar o professor
tendo como referência a utilização do Projeto Político Pedagógico e da Proposta
Curricular.
11
A equipe pedagógica tem a função de analisar a comunidade escolar;
compreendendo as especificidades dos estudantes, como suas trajetórias e dinamicas
familiares; compreendendo a formação dos professores e suas concepções pedagógicas,
para que possam dialogar com uma leitura pedagógica em comum, e para isso, torna-se
necessário utilizar como base o PPP e a Proposta Curricular vigente na instituição de
ensino.
Portanto, a análise da realidade empírica em dialogo com a base teórica da
formação pedagógica, constrói uma relação triangular com os documentos orientadores da
escola e pavimenta um caminho para ser trilhado pela comunidade escolar em meio as
diversas contradições sociais e culturais emergentes, que são típicas de uma instituição tão
plural quanto a escola.
3) No que se refere às atribuições da equipe administrativa, descreva a importância da
relação da direção com a equipe pedagógica para a qualidade dos processos
educativos no contexto escolar.
De acordo com Okçana Batini, para que a equipe administrativa tenha condições
concretas de transformação da realidade escolar, deve construir um plano de ação
organizado por meio do trabalho de rede com todas os órgãos colegiados e agrupamentos
organizativos de setores da comunidade escolar, construindo um trabalho baseado por meio
do princípio democrático. E por meio desse trabalho de rede, torna-se possível compreender
as diversas percepções existentes em torno do mesmo ponto, não apenas entre setores,
mas também dentro dos próprios setores e suas divergências. Portanto, a construção de um
plano de ação elaborado por meio de um trabalho em rede, possibilita as condições da
mediação de conflitos e da elaboração de projetos escolares construídos entre toda a
comunidade, podendo também aplicar a verba escolar nos planos coletivos.
12
5 CONHECER METODOLOGIAS ATIVAS COM USO DE TECNOLOGIAS
DIGITAIS
Incluir o texto com a solução da situação-problema com base em
metodologias ativas e uso de tecnologias digitais, conforme estipulado no Plano de
Trabalho.
Para resolver o problema apresentado no texto, a metodologia da Sequência
Didática oferece os mecanismos mais interessantes, por possibilitar um trabalho de
elaboração e organização diante de uma problemática a ser refletida e solucionada.
Conforme as informações expostas no texto, a escola sofre de um processo de
abandono escolar e um excessivo uso de celular por parte dos alunos: dentro da proposta
de trabalho, o primeiro torna-se o problema de investigação e o segundo a ferramenta de
produção de conteúdo.
A sequência didática colocar no cerne discussão as questões e problemáticas
existentes no espaço escolar, propondo a turma levantar hipóteses e fazer entrevistas com
os membros pertencentes a comunidade escolar com o objetivo de produzir um
minidocumentário.
O trabalho seria feito em pequenos grupos de no máximo 4 estudantes, tendo
atenção na distribuição dos estudantes com celulares mais modernos entre os grupos.
Após elaborarem as hipóteses, as estudantes construiriam um plano de execução
das entrevistas, dialogando com estudos sobre os problemas recorrentes no abandono
escolar, e também, planejariam os critérios do crivo da seleção dos materiais a serem
editados para a finalização em formato de documentário.
Durante a etapa de execução, aconteceriam momentos de reelaboração do
planejamento, dialogando com a prática das entrevistas, trocando experiências em sala de
aula com os outros grupos e também, assistindo mini documentários para obter referências
de trabalhos semelhantes aos que eles objetivam produzir.
Após a produção de conteúdo, aprenderíamos a editar com aplicativos de edição de
vídeo disponíveis gratuitamente na internet, e no final, como parte da conclusão do trabalho,
faríamos uma exibição dos minidocumentários para toda a comunidade escolar.
Essa prática pedagógica trabalharia com a transversalidade dos conhecimentos,
trazendo discussões sobre questões sociais e culturais que coexistem dentro do espaço
escolar, podendo colocar todos em um lugar de reflexividade sobre o local que ocupam
diariamente, e também produziria um processo de ressignificação do celular como
ferramenta de pesquisa e produção de conteúdo. Além disso, essa metodologia proporciona
colocar o estudante no centro do desenvolvimento e planejamento do trabalho, elaborando a
pesquisa sobre o espaço de forma criativa que explicita a existência do conhecimento
científico em todas as partes da sociedade.
13
6 PLANOS DE AULA
Incluir os 2 (dois) planos de aula elaborados para as atividades de regência,
conforme estipulado no Plano de Trabalho.
Plano de Aula
Identificação Disciplina Português, Sociologia
Série 8° ano
Turma C
Período manhã
Conteúdo  Redação: elaboração de roteiros de entrevista e de roteiros de
documentário
 História da Educação no Brasil: construção de subsídios para
análise e reflexão em torno da vida escolar de gerações
predecessoras
 Audiovisual e documentários: compreensão da linguagem
audiovisual, da metodologia de trabalho com câmera de fotografia e
gravação, captação de audio e edição de vídeos
Objetivos Objetivo Geral:
 Mobilizar os estudantes em torno das problemáticas escolares,
ressignificando o espaço escolar e aprendizagem por meio de
ferramentas tecnológicas de uso cotidiano.
Objetivo Específico:
 Elaborar um percurso de trabalho que propulsione o desempenho
da autonomia das estudantes no percurso da aprendizagem,
conjuntamente com o trabalho em grupo.
 Mobilizar conhecimentos transversais em que possam relacionar e
reconhecer os conceitos e reflexões em torno dos problemas
escolares, constituindo uma ponte entre conhecimentos científicos e
questões do cotidiano.
 Mobilizar uma nova relação com os celulares no espaço de sala de
aula, colocando-o como ferramenta para a uma contínua
organização e produção de conteúdo e pesquisa por parte das
estudantes.
 Mobilizar o debate em torno do uso de celulares em sala de aula e o
abandono escolar, proporcionando condições das estudantes
organizarem as formas de uso de suas próprias ferramentes em
dialoga com a comunidade escolar.
Metodologia  Utilizaremos a sequência didática para construir um percurso de
aprendizagem que seja dinâmico, possibilite que as estudantes
14
sejam protagonistas do trabalho, mas que as professoras tenham
condições de orientar o trabalho com base em uma proposta
disparadora.
 O trabalho será feito em cinco (5) etapas:
1) Contextualização: levantamento das leituras sobre a atual
situação da escola; verificação da condição das outras escolas da
região; levantamento de hipóteses e exploração das mesmas;
2) Planejamento: A sala de aula será separada em grupos de 4
estudantes, sendo distribuídos de acordo com a quantidade de
celulares capazes para o trabalho. Após esse momento, os grupos
deverão traçar um plano de organização para a produção do
minidocumentário.
3) Realização: A partir do planejamento, os grupos deverão ir a
campo, entrevistando membros da comunidade escolar e familiares
quando estiverem em suas casas. Retornando na outra aula para
compartilhar as experiências, reavaliar o planejamento e dar
continuidade.
4) Sistematização, avaliação e produção: Após uma ampla coleta de
dados e entrevistas, cada grupo irá selecionar as melhores
entrevistas e trechos. Para isso, assistiremos alguns
minidocumentários para tomarmos como base a forma de edição,
podendo avaliar oque foi coletado e produzir a edição do vídeo.
5) Exibição: Na última fase, após todos os minidocumentários terem
sido produzidos e finalizados, será feita uma exibição dos
minodocumentários para a sala de aula e posteriormente para toda
a comunidade escolar.
Recursos  Celulares das estudantes
 1 Datashow e 1 notebook
Avaliação  1) Avaliação por três crivos:
a) Trabalho em grupo
b) Estudo e levantamento de dados
c) Resultado final do minidoc
 1.1) Atividades:
a) O planejamento do percurso de trabalho construído pelo grupo
será entregue e avaliado
b) Ao longo da execução acontecerá um segundo momento de
planejamento onde serão avaliados o estudo que fundamenta a
pesquisa e a coerência com os dados levantados
c) O resultado final do minidoc será a avaliação finalidades
 1.2) Critérios:
a) Participação individual e de grupo
b) Qualidade da organização e coerência dos dados com as
entrevistas
c) A criatividade no trabalho audiovisual e a qualidade da
roteirização
Referências VIVIAN, Carolina Deprá. & PAULY, Evaldo Luis. O uso de celular como
15
recurso pedagógico na construção de um documentário: Fala Sério!.
Revista Digital da CVA. v.7, n°27, Fev. 2012.
PEDROSA, Leyberson Lelis Chaves. Na mão dos Jovens: modalidades
do uso de celular para a produção de vídeos no contexto de uma
escola pública. Dissertação: Programa de Pós-Graduação da Faculdade
de Comunicação. UnB. Brasília-DF, 2012.
Plano de Aula
Identificação Disciplina História e ciências
Série 8° ano
Turma B
Período manhã
Conteúdo  Redação: elaboração de roteiros de entrevista e de roteiros de
documentário.
 História da cidade, do bairro e da família e a natureza: trabalhando
com a memória de gerações e sua relação com o meio ambiente.
 Audiovisual e documentários: compreensão da linguagem
audiovisual, da metodologia de trabalho com câmera de fotografia e
gravação, captação de áudio e edição de vídeos.
Objetivos Objetivo Geral:
 Mobilizar os estudantes, por meio de um percurso de aprendizagem
que faz uso de ferramentas tecnológicas de uso cotidiano, em torno
da compreensão sobre a História Ambiental, ressignificando a leitura
da realidade e de sua ação como agente histórico, conjuntamente
com a constatação da relação histórica de seus familiares com as
transformações da relação humana com a natureza e seus usos
cotidianos.
Objetivo Específico:
 Elaborar um percurso de trabalho que propulsione o desempenho
da autonomia das estudantes no percurso da aprendizagem,
conjuntamente com o trabalho em grupo.
 Mobilizar conhecimentos transversais em que possam relacionar e
reconhecer os conceitos e reflexões em torno dos problemas
escolares, constituindo uma ponte entre conhecimentos científicos e
questões do cotidiano.
 Mobilizar uma nova relação com os celulares no espaço de sala de
aula, colocando-o como ferramenta para a uma contínua
organização e produção de conteúdo e pesquisa por parte das
estudantes.
 Mobilizar o debate em torno do uso de celulares em sala de aula e a
capacidade de gerar conhecimento a partir do seio familiar,
16
proporcionando condições das estudantes organizarem as formas
de uso de suas próprias ferramentas em dialogo com a comunidade.
Metodologia  Utilizaremos a sequência didática para construir um percurso de
aprendizagem que seja dinâmico, possibilite que as estudantes
sejam protagonistas do trabalho, mas que as professoras tenham
condições de orientar o trabalho com base em uma proposta
disparadora.
 O trabalho será feito em cinco (5) etapas:
1) Contextualização: levantamento das leituras sobre a atual
situação da escola; verificação da condição das outras escolas da
região; levantamento de hipóteses e exploração das mesmas;
2) Planejamento: A sala de aula será separada em grupos de 4
estudantes, sendo distribuídos de acordo com a quantidade de
celulares capazes para o trabalho. Após esse momento, os grupos
deverão traçar um plano de organização para a produção do
minidocumentário.
3) Realização: A partir do planejamento, os grupos deverão ir a
campo, entrevistando membros de sua família e moradores do
bairro em que moram. Retornando na outra aula para compartilhar
as experiências, reavaliar o planejamento e dar continuidade.
4) Sistematização, avaliação e produção: Após uma ampla coleta de
dados e entrevistas, cada grupo irá selecionar as melhores
entrevistas e trechos. Para isso, assistiremos alguns
minidocumentários para tomarmos como base a forma de edição,
podendo avaliar oque foi coletado e produzir a edição do vídeo.
5) Exibição: Na última fase, após todos os minidocumentários terem
sido produzidos e finalizados, será feita uma exibição dos
minodocumentários para a sala de aula e posteriormente para toda
a comunidade escolar.
Recursos  Celulares das estudantes
 1 Datashow e 1 notebook
Avaliação  A avaliação por três crivos:
1) Trabalho em grupo
2) Estudo e levantamento de dados
3) Resultado final do minidoc
Referências VIVIAN, Carolina Deprá. & PAULY, Evaldo Luis. O uso de celular como
recurso pedagógico na construção de um documentário: Fala Sério!.
Revista Digital da CVA. v.7, n°27, Fev. 2012.
PEDROSA, Leyberson Lelis Chaves. Na mão dos Jovens: modalidades
do uso de celular para a produção de vídeos no contexto de uma
escola pública. Dissertação: Programa de Pós-Graduação da Faculdade
de Comunicação. UnB. Brasília-DF, 2012.
17
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Apresentar as considerações finais, com comentários decorrentes de
reflexões acerca das atividades do estágio realizado no semestre, conforme Plano
de Trabalho disponível no Plano de Trabalho. Relatar as contribuições do estágio
para você, estagiário (pessoal e profissionalmente). A conclusão é o momento em
que você descreve as suas impressões fundamentadas nas atividades realizadas.
Dessa forma, deve-se expressar com clareza e precisão as conclusões observadas
no decorrer de todas as etapas do estágio.
A experiência de estágio fazendo uso do Plano de Trabalho produziu uma
diversidade de reflexões e compreensões que enriqueceram a minha capacidade de análise
sobre a escola e sobre a prática docente. A leitura de textos teóricos alimentou uma
necessidade de compreensão sobre conceitos e referências que cercam as novas
concepções educacionais, tal como a Transdisciplinaridade e Transversalidade.
O contato com os vídeos foi de grande valia, por proporcionar o contato com
professoras de diversas formações e perspectivas, discutindo documentos fundamentais
para a organização escolar, tal como a BNCC e o PPP, relacionando-os a prática docente e
ao cotidiano escolar. A interconexão do Planto de Trabalho, que direcionou as discussões
em torno dos TCT’s até o Plano de Aula, também foi extremamente enriquecedor,
constituindo condições de elaborar um percurso fundamentado de prática docente
inovadora.
O desenvolvimento do Plano de Aula tornou-se a parte mais rica, tal como o
resultado de todo o percurso trilhado pelo Plano de Trabalho, podendo servir de orientação
para outras práticas inovadoras dentro de sala de aula e nos próximos estágios que ainda
virão.
Dessa forma, posso considerar que o trabalho condensado no relatório torna-se uma
ferramenta de exploração, tal como uma bussola, permitindo que ao longo do tempo que
me resta na graduação possam os estágios serem cada vez mais ricos e exploratórios, e
que minha prática docente posso ter condições de expandir nos mais amplos caminhos que
a Pedagogia pode oferecer.
18
REFERÊNCIAS
Apresentar as referências citadas nos textos construídos para o relatório. Citar
apenas as referências utilizadas, seguindo, por exemplo, os modelos a seguir:
BRASIL. Temas contemporâneos Transversais na BNCC:Propostas de Práticas de
Implementação. Ministério da Educação. 2019
PEDROSA, Leyberson Lelis Chaves. Na mão dos Jovens: modalidades do uso de
celular para a produção de vídeos no contexto de uma escola pública. Dissertação:
Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação. UnB. Brasília-DF, 2012.
THIESEN, Juares da Silva. A interdisciplinaridade como um movimento articulador
no processo ensino-aprendizagem. Rev. Bras. Educ. [online]. 2008, vol.13, n.39,
pp.545-554. ISSN 1809-449X.
VIVIAN, Carolina Deprá. & PAULY, Evaldo Luis. O uso de celular como recurso
pedagógico na construção de um documentário: Fala Sério!. Revista Digital da CVA.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

PPP 2013 e 2014 da escola pr francisco paz
PPP 2013 e 2014 da escola pr francisco pazPPP 2013 e 2014 da escola pr francisco paz
PPP 2013 e 2014 da escola pr francisco pazVeronica Mesquita
 
Mec construindo a escola cidadã
Mec   construindo a escola cidadãMec   construindo a escola cidadã
Mec construindo a escola cidadãMario Lucio Silva
 
Projeto Político Pedagógico - EEPAM
Projeto Político Pedagógico - EEPAM Projeto Político Pedagógico - EEPAM
Projeto Político Pedagógico - EEPAM orientadoresemeepam
 
Caderno de Orientações Pedagógicas - Geografia - RCRO
Caderno de Orientações Pedagógicas - Geografia - RCROCaderno de Orientações Pedagógicas - Geografia - RCRO
Caderno de Orientações Pedagógicas - Geografia - RCROLOCIMAR MASSALAI
 
Regulação da Educação: Lei de Bases do Sistema Educativo, Docente: Professor...
Regulação da Educação: Lei de Bases  do Sistema Educativo, Docente: Professor...Regulação da Educação: Lei de Bases  do Sistema Educativo, Docente: Professor...
Regulação da Educação: Lei de Bases do Sistema Educativo, Docente: Professor...A. Rui Teixeira Santos
 
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira Camargos
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira CamargosProjeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira Camargos
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira CamargosPaula Tannus
 
PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCOLA CORNÉLIA 2014-2015
PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCOLA CORNÉLIA 2014-2015PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCOLA CORNÉLIA 2014-2015
PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCOLA CORNÉLIA 2014-2015Antônio Fernandes
 
Projeto político pedagógico 2011
Projeto político pedagógico 2011Projeto político pedagógico 2011
Projeto político pedagógico 2011proinfoalda
 
Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...
Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...
Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...Cejar Ribeiro
 
Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola professora Dinare Feitosa
Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola  professora Dinare Feitosa Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola  professora Dinare Feitosa
Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola professora Dinare Feitosa Adilson P Motta Motta
 
CURRÍCULO ESCOLAR - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
CURRÍCULO ESCOLAR - SIMULADO COM 50 QUESTÕESCURRÍCULO ESCOLAR - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
CURRÍCULO ESCOLAR - SIMULADO COM 50 QUESTÕESValdeci Correia
 
Projeto Político Pedagógico 2013
Projeto Político Pedagógico 2013 Projeto Político Pedagógico 2013
Projeto Político Pedagógico 2013 Vera Mln Silva
 

Mais procurados (20)

PPP 2013 e 2014 da escola pr francisco paz
PPP 2013 e 2014 da escola pr francisco pazPPP 2013 e 2014 da escola pr francisco paz
PPP 2013 e 2014 da escola pr francisco paz
 
Mec construindo a escola cidadã
Mec   construindo a escola cidadãMec   construindo a escola cidadã
Mec construindo a escola cidadã
 
Proposta pedagógica 2011
Proposta pedagógica 2011Proposta pedagógica 2011
Proposta pedagógica 2011
 
Projeto Político Pedagógico - EEPAM
Projeto Político Pedagógico - EEPAM Projeto Político Pedagógico - EEPAM
Projeto Político Pedagógico - EEPAM
 
PPP 2014 EEB Martinho de Haro
PPP 2014 EEB Martinho de HaroPPP 2014 EEB Martinho de Haro
PPP 2014 EEB Martinho de Haro
 
Caderno de Orientações Pedagógicas - Geografia - RCRO
Caderno de Orientações Pedagógicas - Geografia - RCROCaderno de Orientações Pedagógicas - Geografia - RCRO
Caderno de Orientações Pedagógicas - Geografia - RCRO
 
Regulação da Educação: Lei de Bases do Sistema Educativo, Docente: Professor...
Regulação da Educação: Lei de Bases  do Sistema Educativo, Docente: Professor...Regulação da Educação: Lei de Bases  do Sistema Educativo, Docente: Professor...
Regulação da Educação: Lei de Bases do Sistema Educativo, Docente: Professor...
 
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira Camargos
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira CamargosProjeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira Camargos
Projeto Político Pedagógico da Escola Municipal Joaquim Teixeira Camargos
 
PCN EM AÇÃO
PCN EM AÇÃOPCN EM AÇÃO
PCN EM AÇÃO
 
Proposta pedagógica 2016
Proposta pedagógica 2016Proposta pedagógica 2016
Proposta pedagógica 2016
 
PPP 2021
PPP 2021PPP 2021
PPP 2021
 
Atps pedagogia 2011 - 1 semestre
Atps   pedagogia 2011 - 1 semestreAtps   pedagogia 2011 - 1 semestre
Atps pedagogia 2011 - 1 semestre
 
PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCOLA CORNÉLIA 2014-2015
PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCOLA CORNÉLIA 2014-2015PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCOLA CORNÉLIA 2014-2015
PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCOLA CORNÉLIA 2014-2015
 
Projeto político pedagógico 2011
Projeto político pedagógico 2011Projeto político pedagógico 2011
Projeto político pedagógico 2011
 
Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...
Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...
Projeto Político Pedagógico da Escola Estadual Cel. José Alves Ribeiro de Aqu...
 
Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola professora Dinare Feitosa
Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola  professora Dinare Feitosa Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola  professora Dinare Feitosa
Projeto Político Pedagógico (PPP) Escola professora Dinare Feitosa
 
CURRÍCULO ESCOLAR - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
CURRÍCULO ESCOLAR - SIMULADO COM 50 QUESTÕESCURRÍCULO ESCOLAR - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
CURRÍCULO ESCOLAR - SIMULADO COM 50 QUESTÕES
 
CBC História do EM
CBC História do EMCBC História do EM
CBC História do EM
 
Professores iniciantes
Professores iniciantesProfessores iniciantes
Professores iniciantes
 
Projeto Político Pedagógico 2013
Projeto Político Pedagógico 2013 Projeto Político Pedagógico 2013
Projeto Político Pedagógico 2013
 

Semelhante a Relatorio estagio fundamental noemia

Ensino m+ëdio (1)
Ensino m+ëdio (1)Ensino m+ëdio (1)
Ensino m+ëdio (1)afermartins
 
Projeto de ensino; escritores da ciência.2010
Projeto de ensino; escritores da ciência.2010Projeto de ensino; escritores da ciência.2010
Projeto de ensino; escritores da ciência.2010Abraão Matos
 
Educação integral otp
Educação integral   otpEducação integral   otp
Educação integral otpJorci Ponce
 
A organização do trabalho docente
A organização do trabalho docenteA organização do trabalho docente
A organização do trabalho docenteDoralice Martins
 
O curriculo e a educação ambiental
O curriculo e a educação ambientalO curriculo e a educação ambiental
O curriculo e a educação ambientalSara Cristina
 
PROJETO LIFE/UEL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CRÍTICA INICIAL COM O USO DAS NTIC
PROJETO LIFE/UEL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CRÍTICA INICIAL COM O USO DAS NTICPROJETO LIFE/UEL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CRÍTICA INICIAL COM O USO DAS NTIC
PROJETO LIFE/UEL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CRÍTICA INICIAL COM O USO DAS NTICProfessorPrincipiante
 
Considerações do ensino politécnico
Considerações do ensino politécnicoConsiderações do ensino politécnico
Considerações do ensino politécnicoSUPORTE EDUCACIONAL
 
EDUCAÇÃO EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES APOSTILA 1.pdf
EDUCAÇÃO EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES APOSTILA 1.pdfEDUCAÇÃO EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES APOSTILA 1.pdf
EDUCAÇÃO EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES APOSTILA 1.pdf4444444444ada
 
Orientacoes pedagogicas adesao_execucao_proemi1
Orientacoes pedagogicas adesao_execucao_proemi1Orientacoes pedagogicas adesao_execucao_proemi1
Orientacoes pedagogicas adesao_execucao_proemi1Jo Angel
 
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...OZILDO1
 
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...OZILDO1
 
Importância da avaliação das instituições e cursos do ensino superior em cabo...
Importância da avaliação das instituições e cursos do ensino superior em cabo...Importância da avaliação das instituições e cursos do ensino superior em cabo...
Importância da avaliação das instituições e cursos do ensino superior em cabo...Bartolomeu Varela
 

Semelhante a Relatorio estagio fundamental noemia (20)

Ensino m+ëdio (1)
Ensino m+ëdio (1)Ensino m+ëdio (1)
Ensino m+ëdio (1)
 
Projeto de tcc
Projeto de tccProjeto de tcc
Projeto de tcc
 
Projeto de ensino; escritores da ciência.2010
Projeto de ensino; escritores da ciência.2010Projeto de ensino; escritores da ciência.2010
Projeto de ensino; escritores da ciência.2010
 
Educação integral otp
Educação integral   otpEducação integral   otp
Educação integral otp
 
A organização do trabalho docente
A organização do trabalho docenteA organização do trabalho docente
A organização do trabalho docente
 
O curriculo e a educação ambiental
O curriculo e a educação ambientalO curriculo e a educação ambiental
O curriculo e a educação ambiental
 
PROJETO LIFE/UEL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CRÍTICA INICIAL COM O USO DAS NTIC
PROJETO LIFE/UEL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CRÍTICA INICIAL COM O USO DAS NTICPROJETO LIFE/UEL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CRÍTICA INICIAL COM O USO DAS NTIC
PROJETO LIFE/UEL: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CRÍTICA INICIAL COM O USO DAS NTIC
 
Politico
PoliticoPolitico
Politico
 
Considerações do ensino politécnico
Considerações do ensino politécnicoConsiderações do ensino politécnico
Considerações do ensino politécnico
 
EDUCAÇÃO EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES APOSTILA 1.pdf
EDUCAÇÃO EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES APOSTILA 1.pdfEDUCAÇÃO EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES APOSTILA 1.pdf
EDUCAÇÃO EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES APOSTILA 1.pdf
 
Orientacoes pedagogicas adesao_execucao_proemi1
Orientacoes pedagogicas adesao_execucao_proemi1Orientacoes pedagogicas adesao_execucao_proemi1
Orientacoes pedagogicas adesao_execucao_proemi1
 
Inovações curriculares
Inovações curricularesInovações curriculares
Inovações curriculares
 
Relatorio 3º Periodo 2011-2012
Relatorio 3º Periodo 2011-2012Relatorio 3º Periodo 2011-2012
Relatorio 3º Periodo 2011-2012
 
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
 
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
A importância do projeto político pedagógico no desenvolvimento das ações da ...
 
Importância da avaliação das instituições e cursos do ensino superior em cabo...
Importância da avaliação das instituições e cursos do ensino superior em cabo...Importância da avaliação das instituições e cursos do ensino superior em cabo...
Importância da avaliação das instituições e cursos do ensino superior em cabo...
 
Ppp 1
Ppp 1Ppp 1
Ppp 1
 
Os ciclos da escola plural
Os ciclos da escola pluralOs ciclos da escola plural
Os ciclos da escola plural
 
Portifolio
PortifolioPortifolio
Portifolio
 
Nilvânia Estagio 03.doc
Nilvânia Estagio 03.docNilvânia Estagio 03.doc
Nilvânia Estagio 03.doc
 

Mais de Claudio Oliveira

Mais de Claudio Oliveira (20)

Participação como membro OAB\Jabaquara
Participação  como  membro  OAB\JabaquaraParticipação  como  membro  OAB\Jabaquara
Participação como membro OAB\Jabaquara
 
Historico escolar anhanguera
Historico escolar  anhangueraHistorico escolar  anhanguera
Historico escolar anhanguera
 
Certificado de Conclusão de Pedagogia
Certificado  de  Conclusão    de PedagogiaCertificado  de  Conclusão    de Pedagogia
Certificado de Conclusão de Pedagogia
 
Tcc (2)
Tcc (2)Tcc (2)
Tcc (2)
 
Tcc (3)
Tcc (3)Tcc (3)
Tcc (3)
 
Certificado dreito
Certificado  dreitoCertificado  dreito
Certificado dreito
 
Planejamento 5 ANO 4 SERIE
Planejamento  5 ANO 4 SERIEPlanejamento  5 ANO 4 SERIE
Planejamento 5 ANO 4 SERIE
 
Carta amorim
Carta  amorimCarta  amorim
Carta amorim
 
Empresa juntos venceremos
Empresa juntos venceremosEmpresa juntos venceremos
Empresa juntos venceremos
 
Empresa justino pereira
Empresa justino pereiraEmpresa justino pereira
Empresa justino pereira
 
Nacional
NacionalNacional
Nacional
 
Proposta comercial vf voto legal - maio 2018
Proposta comercial vf  voto legal - maio 2018Proposta comercial vf  voto legal - maio 2018
Proposta comercial vf voto legal - maio 2018
 
Proposta eleicao aberta pt estado sp
Proposta eleicao aberta   pt estado spProposta eleicao aberta   pt estado sp
Proposta eleicao aberta pt estado sp
 
Ed pdv seu certificado
Ed pdv seu certificadoEd pdv seu certificado
Ed pdv seu certificado
 
Livro
LivroLivro
Livro
 
Cartilha direitos
Cartilha direitosCartilha direitos
Cartilha direitos
 
Ppid apresentacao da_disciplina
Ppid apresentacao da_disciplinaPpid apresentacao da_disciplina
Ppid apresentacao da_disciplina
 
Novos espaços de_atuacao_do_educador_com_as_tecnologias[624]
Novos espaços de_atuacao_do_educador_com_as_tecnologias[624]Novos espaços de_atuacao_do_educador_com_as_tecnologias[624]
Novos espaços de_atuacao_do_educador_com_as_tecnologias[624]
 
Livro unidade
Livro unidadeLivro unidade
Livro unidade
 
Apresentação aula tecnologias_educação_aula1
Apresentação aula tecnologias_educação_aula1Apresentação aula tecnologias_educação_aula1
Apresentação aula tecnologias_educação_aula1
 

Último

Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docCarolineWaitman
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 

Último (20)

Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 

Relatorio estagio fundamental noemia

  • 1. NOEMIA BENTO DE OLIVEIRA RELATÓRIO DO ESTÁGIO ENSINO FUNDAMENTAL CENTRO UNIVERSITÁRIO ANHANGUERA PEDAGOGIA São Paulo 2020
  • 2. São Paulo 2020 RELATÓRIO DO ESTÁGIO ENSINO FUNDAMENTAL Relatório apresentado à Centro Universitário Anhanguera, como requisito parcial para o aproveitamento da disciplina de Estágio dos anos finais do Ensino Fundamental de Pedagogia. NOEMIA BENTO DE OLIVEIRA
  • 3. SUMÁRIO 1 LEITURAS OBRIGATÓRIAS ..........................................................................................4 2 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP) ..............................................................6 3 ABORDAGEM DOS TEMAS TRANSVERSAIS CONTEMPORÂNEOS DA BNCC..................................................................................................................................8 4 ATUAÇÃO DO PROFESSOR E SUA INTER-RELAÇÃO COM A EQUIPE ADMINISTRATIVA E PEDAGÓGICA ......................................................................... 10 5 CONHECER METODOLOGIAS ATIVAS COM USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS ......................................................................................................................... 12 6 PLANOS DE AULA........................................................................................................ 13 CONSIDERAÇÕES FINAIS ................................................................................................ 17 REFERÊNCIAS ..................................................................................................................... 18
  • 4. 3 INTRODUÇÃO Neste item, você deve apresentar, de forma clara, o objetivo do material, ou seja, a apresentação dos resultados do estágio realizado no semestre, conforme Plano de Trabalho. Neste espaço, deve constar uma apresentação detalhada dos resultados obtidos pelo acadêmico. O presente relatório tem como objetivo sistematizar a experiência feita por intermédio do Plano de Trabalho, constando sete (7) etapas de trabalho e elaboração textual, tendo como base vídeos e textos fornecidos pelo documento anteriormente citado. A experiência de estágio em meio a uma pandemia tornou-se rica, por constituir-se por meio do trabalho intelectual e reflexivo, buscando visualizar e compreender as dinâmicas existentes no espaço escolar e as condições inovadoras para construir praticas pedagógicas condizentes com o tempo presente. Portanto, por meio desse relatório busca-se expressar o desempenho e o desenvolvimento produzido por meio do trabalho, e as percepções geradas por meio das leituras e debates, constituindo um documento que não apenas servirá para atender as necessidades formativas da faculdade, mas também como documento de consulta para os próximos anos em que poderia exercer minha profissão.
  • 5. 4 1 LEITURAS OBRIGATÓRIAS Incluir o texto elaborado com base nas leituras obrigatórias, conforme estipulado Plano de Trabalho. A História da Educação demonstra que ao longo de seu percurso, foram produzidas uma diversidade de rupturas epistemológicas, teóricas e metodológicas, que produziram uma imensidade de novos campos a serem explorados, praticados e discutidos pelos especialistas e professores das áreas que concernem a educação. No caso, Thiesen (2008), em seu texto “A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo de aprendizagem”, explora justamente uma dessas rupturas, que assim como o mesmo autor expõe, é produto dos debates construtivistas que fizeram a crítica aos formatos positivistas que germinaram a ciência moderna. A formação da ciência na modernidade foi sendo construída dentro de lutas em torno da legitimidade do discurso da verdade, constituindo correntes que forjaram hegemonia durante um período, que posteriormente foram derrotadas por suas predecessoras, tal como o próprio positivismo pelo materialismo histórico. Porém, mesmo que exista tal derrota e uma outra hegemonia seja posta, a base que forjou a nova ciência ainda pertence a antiga, cabendo aos cientistas participantes do tempo presente fazerem a crítica necessária para manter a ciência em movimento, rompendo com suas raízes limitantes e mantendo as bases que possibilitam a transformação e o surgimento de novas leituras de mundo. Essa leitura sobre a ciência se tornou possível apenas por meio de uma dessas correntes hegemônicas, que em nosso tempo presente disputa a legitimidade com outras anteriores e novas que passam a surgir: o construtivismo. A perspectiva epistemológica que permite compreender a realidade como um produto das relações sociais, logo, como uma expressão das lutas sociais que construíram essa leitura de mundo – portanto, não é um produto da natureza -, afeta diretamente as práticas docentes e a leitura da práxis educativa, por conta dessa forma de análise, toda a relação no espaço social é produto social, assim como todos presentes na sala de aula. Essa leitura de mundo constrói uma profunda de necessidade de refletir sobre os conteúdos que são objeto de aprendizagem e a relação de todos os agentes envolvidos com esse objeto, pois todas as expressões e leituras sobre o mesmo também são produto das ideias dominantes que conquistaram o pódio em meio as lutas sociais. Dentro disso, a concepção de transdisciplinaridade avança no sentido de romper com as noções positivistas que perduram na prática escolar e quebrar as paredes que separam os conhecimentos dentro das disciplinas, indo além da interdisciplinaridade. O
  • 6. 5 documento dos TCT’s explicita justamente uma das iniciativas que caminham nesse sentido, constituindo outras leituras sobre os problemas sociais que conjuram uma diversidade de olhares disciplinares da ciência contemporânea, algo que na realidade acontece dentro de campos acadêmicos, como é o caso da própria Pedagogia que relaciona as Humanidades e Biológicas para trabalhar com o Ensino de Ciências, ou mesmo no que tange a discussão da Educação Infantil, que dialoga entre a Psicologia, Sociologia e História para compreender a infância e seus padrões sociais. Portanto, podemos compreender a partir de Thiensen (2008), que a práxis pedagógica alimentada por uma noção transdisciplinar, tem amplas condições de elaborar novas práticas pedagógicas por meio de construção de plataformas pedagógicas que expandem a percepção dos educadores, assim como propõe o documento dos TCT’s.
  • 7. 6 2 PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP) Incluir as perguntas e respostas com base no Projeto Político Pedagógico (PPP), conforme estipulado no Plano de Trabalho. 1. O que é o PPP e qual a importância desse documento para o ambiente escolar? O Projeto Político Pedagógico é um documento que orienta as ações pedagógicas na escola por um viés cidadão e político, definindo os princípios basilares dos projetos e práticas pedagógicas no espaço escolar, por conta de se tratar de uma ação democrática, o PPP deve ser construído coletivamente, tendo papel ativo de toda a comunidade escolar interessada e influenciada por suas ações. Por meio dele, toda a comunidade escolar pode participar ativamente da construção e elaboração de projetos, fazer contínuas avaliações do percurso elaborado no documento e exigir o cumprimento dos princípios e objetivos, servindo também como um documento de defesa de um projeto de escola democrática. 2. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento normativo que define as aprendizagens essenciais que todos os alunos devem se apropriar na educação básica. Sendo assim, todas as escolas devem organizar seu currículo a partir desse documento. Com base na leitura que você realizou, como as competências gerais da Educação Básica se inter-relacionam com o PPP? Conforme o PPP1, as competências gerais ofertadas pela BNCC constituem as condições para a formulação e direcionamento do PPP e seus projetos específicos, tanto as práticas pedagógicas tradicionais de sala de aula, quanto às práticas pedagógicas complementares, que orientam ao trabalho de campo e pesquisas no setor de informática. Portanto, a relação entre os documentos é umbilical, onde ambos se retroalimentam na construção de uma escola plural e democrática. 3. A avaliação da aprendizagem é um elemento crucial no processo de ensino e de aprendizagem, visto que oportuniza indícios dos avanços escolares e dos pontos que precisam ser aperfeiçoados. Com base na leitura que você realizou do PPP, de que modo a escola apresenta o processo de avaliação? No âmbito do PPP1, a diretriz dos processos avaliativos escolares são diferentes, de acordo com o período de aprendizagem. Na Educação Infantil ao 1° do Ensino Fundamental, os critérios avaliativos são qualitativos, sendo baseados principalmente na observação e
  • 8. 7 acompanhamento do processo de aprendizado de cada aluno. No período que cobre do 2° ano do Ensino Fundamental ao Ensino Médio, são utilizados mecanismos qualitativos e quantitativos, como a observação e instrumentos avaliativos utilizados com os estudantes. No PPP é estipulado um programa de pontuação dividida em três semestres (1°-30,0; 2°- 35,0; 3°-35). A distribuição das avaliações no Plano explicitam uma objetivação do processo avaliativo com uma base mínima comum, colocando a porcentagem máxima do total dos pontos que cada avaliação deve ter, para que dessa forma, os estudantes possam ter o máximo de oportunidades possíveis adquirir os pontos necessários, demonstrando também claramente uma ampla variabilidade de tipos de avaliação. Além disso, o PPP explicita a existência de uma diversidade de dispositivos de segurança na relação professor-estudante, que objetivam basilar por meio de normatizações do processo avaliativo e de suas variáveis, como é o caso da Avaliação Individual Especial e Avaliação Individual de Recuperação.
  • 9. 8 3 ABORDAGEM DOS TEMAS TRANSVERSAIS CONTEMPORÂNEOS DA BNCC Incluir as perguntas e respostas com base na análise do Guia Prático dos Temas Contemporâneos Transversais - TCTs, conforme estipulado no Plano de Trabalho. 1. Como podemos entender o termo Transversalidade? O termo é definido como um conceito que orienta um trabalho pedagógico multisetorial, rompendo com as barreiras disciplinares, elaborando uma leitura diversificada da realidade, que ao ser direcionada para uma ampla diversidade de questões sociais, possibilita uma formação integral do estudante enquanto ser humano. 2. Qual a importância de se trabalhar com os TCTs na escola? Os TCT’s possibilitam uma aprendizagem que direcione os conhecimentos fragmentados em disciplinas específicas para uma leitura ampla de problemas sociais, tais como os exemplificados no Modelo 1, que abrangem questões da área de ciências, geográfia e ciências sociais, aplicando uma discussão ampla sobre os efeitos das catastrofes climáticas sobre as populações das regiões afetadas, produzindo migrações em massa. Essa forma de análise é fundamental para a formação de uma intelectualidade capaz de capturar os problemas reais, que diferentemente de como é retratado no aprendizado setorizado, tem por necessidade fazer uso de uma mutiplicidade de raciocínios para apreender a complexidade social. 3. Dos TCTs listados, quais podem ser trabalhados de forma transversal no seu curso de graduação? O Projeto Pedagógico de Diversidade Cultural poderia ser muito importante para a formação no curso de Pedagogia, principalmente por abordar questões viscerais no ambito do processo de aprendizagem relacional, que aborda a existência social e suas nuances culturais, tanto quanto étnicas, religiosas, políticas e etc. Esse TCT poderia abranger uma prática pedagógica que dialogue e incentiva a valorização da diferença cultural, constituindo condições para trabalhar com o respeito e apreciação da cultura do outro. 4. O Guia apresenta uma metodologia de trabalho para o desenvolvimento dos TCTs, baseado em quatro pilares. Quais são estes pilares? Comente sua perspectiva sobre essa metodologia. De acordo com o Guia, a metodologia de trabalho se fundamenta nos quatro pilares: 1) Problematização da realidade; 2) Superação da concepção fragmentada do
  • 10. 9 conhecimento por uma visão sistêmica; 3) Integração da habilidade e competências curriculares à resolução de problemas; 4) Promoção de um processo educativo continuado de conhecimento como uma construção coletiva. Essa metodologia se aproxima de uma prática científica de trabalho, que se organiza por dentro das disciplinas, rompe com suas barreiras e constrói novas pontes, produzindo novos conhecimentos, novas metodologias e teorias de análise sobre a realidade. Portanto, essa proposta tem condições de constituir uma cultura de trabalho acadêmico, potencializando e impulsionando uma intensa inovação da formação e do trabalho científico pós-formação.
  • 11. 10 4 ATUAÇÃO DO PROFESSOR E SUA INTER-RELAÇÃO COM A EQUIPE ADMINISTRATIVA E PEDAGÓGICA Incluir as perguntas e respostas com base nos vídeos, conforme estipulado no Plano de Trabalho. 1a). Por que a BNCC não pode ser o único documento orientador do planejamento docente? A BNCC foi construída para ser uma base geral, que construísse um fio condutor comum para todo o país, possibilitando que cada estado e cidade pudesse toma-lo como base para construir seus próprios currículos e projetos. Dessa forma, a BNCC é a base fundamental do currículo nacional que não determina o processo de aprendizagem, mas inspira e fundamenta os outros documentos que organizam a educação dentro de cada território e regionalidade, produzindo uma educação plural, porém, organizada nacionalmente. 1b). Quais outros documentos deverão ser considerados? De acordo com o vídeo de Keila Boni, podemos considerar o currículo do estado e da cidade, o PPP, a LDB e a Constituição Federal, como documentos que orientam o trabalho pedagógico, por serem documentos que trabalham as competências sociais e culturais, acabam por verificar e afirmar as possibilidades e os direitos pedagógicos do trabalho docente, ampliando seu horizonte de trabalho com base no Estado Democrático de Direito. No caso, cada documento tem sua especificidade e funcionalidade, como é o caso do PPP, que possibilita ter uma percepção maior sobre o território e a comunidade em que a escola está inserida, e também nos permite tomar conhecimento sobre o funcionamento da escola, seu histórico e sua comunidade, ao mesmo tempo em que pode construir projetos pautados nos princípios deliberados no projeto. E do outro lado, podemos verificar a LDB e a Constituição, que podem ser considerados documentos legais, que regulamentam uma diversidade de práticas, e que por isso mesmo, servem também para regulamentar, controlar e legitimar uma diversidade de práticas e posturas pedagógicas por parte do educador, do estudante, da família e da equipe pedagógica. Portanto, essa relação dialógica dos documentos legais do campo pedagógico possibilita uma prática coesa e legitimada perante todos os participantes, resguardando todos os envolvidos por meio de todas as determinações jurídicas e culturais. 2) Exemplifique de que maneira a equipe pedagógica poderá orientar o professor tendo como referência a utilização do Projeto Político Pedagógico e da Proposta Curricular.
  • 12. 11 A equipe pedagógica tem a função de analisar a comunidade escolar; compreendendo as especificidades dos estudantes, como suas trajetórias e dinamicas familiares; compreendendo a formação dos professores e suas concepções pedagógicas, para que possam dialogar com uma leitura pedagógica em comum, e para isso, torna-se necessário utilizar como base o PPP e a Proposta Curricular vigente na instituição de ensino. Portanto, a análise da realidade empírica em dialogo com a base teórica da formação pedagógica, constrói uma relação triangular com os documentos orientadores da escola e pavimenta um caminho para ser trilhado pela comunidade escolar em meio as diversas contradições sociais e culturais emergentes, que são típicas de uma instituição tão plural quanto a escola. 3) No que se refere às atribuições da equipe administrativa, descreva a importância da relação da direção com a equipe pedagógica para a qualidade dos processos educativos no contexto escolar. De acordo com Okçana Batini, para que a equipe administrativa tenha condições concretas de transformação da realidade escolar, deve construir um plano de ação organizado por meio do trabalho de rede com todas os órgãos colegiados e agrupamentos organizativos de setores da comunidade escolar, construindo um trabalho baseado por meio do princípio democrático. E por meio desse trabalho de rede, torna-se possível compreender as diversas percepções existentes em torno do mesmo ponto, não apenas entre setores, mas também dentro dos próprios setores e suas divergências. Portanto, a construção de um plano de ação elaborado por meio de um trabalho em rede, possibilita as condições da mediação de conflitos e da elaboração de projetos escolares construídos entre toda a comunidade, podendo também aplicar a verba escolar nos planos coletivos.
  • 13. 12 5 CONHECER METODOLOGIAS ATIVAS COM USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS Incluir o texto com a solução da situação-problema com base em metodologias ativas e uso de tecnologias digitais, conforme estipulado no Plano de Trabalho. Para resolver o problema apresentado no texto, a metodologia da Sequência Didática oferece os mecanismos mais interessantes, por possibilitar um trabalho de elaboração e organização diante de uma problemática a ser refletida e solucionada. Conforme as informações expostas no texto, a escola sofre de um processo de abandono escolar e um excessivo uso de celular por parte dos alunos: dentro da proposta de trabalho, o primeiro torna-se o problema de investigação e o segundo a ferramenta de produção de conteúdo. A sequência didática colocar no cerne discussão as questões e problemáticas existentes no espaço escolar, propondo a turma levantar hipóteses e fazer entrevistas com os membros pertencentes a comunidade escolar com o objetivo de produzir um minidocumentário. O trabalho seria feito em pequenos grupos de no máximo 4 estudantes, tendo atenção na distribuição dos estudantes com celulares mais modernos entre os grupos. Após elaborarem as hipóteses, as estudantes construiriam um plano de execução das entrevistas, dialogando com estudos sobre os problemas recorrentes no abandono escolar, e também, planejariam os critérios do crivo da seleção dos materiais a serem editados para a finalização em formato de documentário. Durante a etapa de execução, aconteceriam momentos de reelaboração do planejamento, dialogando com a prática das entrevistas, trocando experiências em sala de aula com os outros grupos e também, assistindo mini documentários para obter referências de trabalhos semelhantes aos que eles objetivam produzir. Após a produção de conteúdo, aprenderíamos a editar com aplicativos de edição de vídeo disponíveis gratuitamente na internet, e no final, como parte da conclusão do trabalho, faríamos uma exibição dos minidocumentários para toda a comunidade escolar. Essa prática pedagógica trabalharia com a transversalidade dos conhecimentos, trazendo discussões sobre questões sociais e culturais que coexistem dentro do espaço escolar, podendo colocar todos em um lugar de reflexividade sobre o local que ocupam diariamente, e também produziria um processo de ressignificação do celular como ferramenta de pesquisa e produção de conteúdo. Além disso, essa metodologia proporciona colocar o estudante no centro do desenvolvimento e planejamento do trabalho, elaborando a pesquisa sobre o espaço de forma criativa que explicita a existência do conhecimento científico em todas as partes da sociedade.
  • 14. 13 6 PLANOS DE AULA Incluir os 2 (dois) planos de aula elaborados para as atividades de regência, conforme estipulado no Plano de Trabalho. Plano de Aula Identificação Disciplina Português, Sociologia Série 8° ano Turma C Período manhã Conteúdo  Redação: elaboração de roteiros de entrevista e de roteiros de documentário  História da Educação no Brasil: construção de subsídios para análise e reflexão em torno da vida escolar de gerações predecessoras  Audiovisual e documentários: compreensão da linguagem audiovisual, da metodologia de trabalho com câmera de fotografia e gravação, captação de audio e edição de vídeos Objetivos Objetivo Geral:  Mobilizar os estudantes em torno das problemáticas escolares, ressignificando o espaço escolar e aprendizagem por meio de ferramentas tecnológicas de uso cotidiano. Objetivo Específico:  Elaborar um percurso de trabalho que propulsione o desempenho da autonomia das estudantes no percurso da aprendizagem, conjuntamente com o trabalho em grupo.  Mobilizar conhecimentos transversais em que possam relacionar e reconhecer os conceitos e reflexões em torno dos problemas escolares, constituindo uma ponte entre conhecimentos científicos e questões do cotidiano.  Mobilizar uma nova relação com os celulares no espaço de sala de aula, colocando-o como ferramenta para a uma contínua organização e produção de conteúdo e pesquisa por parte das estudantes.  Mobilizar o debate em torno do uso de celulares em sala de aula e o abandono escolar, proporcionando condições das estudantes organizarem as formas de uso de suas próprias ferramentes em dialoga com a comunidade escolar. Metodologia  Utilizaremos a sequência didática para construir um percurso de aprendizagem que seja dinâmico, possibilite que as estudantes
  • 15. 14 sejam protagonistas do trabalho, mas que as professoras tenham condições de orientar o trabalho com base em uma proposta disparadora.  O trabalho será feito em cinco (5) etapas: 1) Contextualização: levantamento das leituras sobre a atual situação da escola; verificação da condição das outras escolas da região; levantamento de hipóteses e exploração das mesmas; 2) Planejamento: A sala de aula será separada em grupos de 4 estudantes, sendo distribuídos de acordo com a quantidade de celulares capazes para o trabalho. Após esse momento, os grupos deverão traçar um plano de organização para a produção do minidocumentário. 3) Realização: A partir do planejamento, os grupos deverão ir a campo, entrevistando membros da comunidade escolar e familiares quando estiverem em suas casas. Retornando na outra aula para compartilhar as experiências, reavaliar o planejamento e dar continuidade. 4) Sistematização, avaliação e produção: Após uma ampla coleta de dados e entrevistas, cada grupo irá selecionar as melhores entrevistas e trechos. Para isso, assistiremos alguns minidocumentários para tomarmos como base a forma de edição, podendo avaliar oque foi coletado e produzir a edição do vídeo. 5) Exibição: Na última fase, após todos os minidocumentários terem sido produzidos e finalizados, será feita uma exibição dos minodocumentários para a sala de aula e posteriormente para toda a comunidade escolar. Recursos  Celulares das estudantes  1 Datashow e 1 notebook Avaliação  1) Avaliação por três crivos: a) Trabalho em grupo b) Estudo e levantamento de dados c) Resultado final do minidoc  1.1) Atividades: a) O planejamento do percurso de trabalho construído pelo grupo será entregue e avaliado b) Ao longo da execução acontecerá um segundo momento de planejamento onde serão avaliados o estudo que fundamenta a pesquisa e a coerência com os dados levantados c) O resultado final do minidoc será a avaliação finalidades  1.2) Critérios: a) Participação individual e de grupo b) Qualidade da organização e coerência dos dados com as entrevistas c) A criatividade no trabalho audiovisual e a qualidade da roteirização Referências VIVIAN, Carolina Deprá. & PAULY, Evaldo Luis. O uso de celular como
  • 16. 15 recurso pedagógico na construção de um documentário: Fala Sério!. Revista Digital da CVA. v.7, n°27, Fev. 2012. PEDROSA, Leyberson Lelis Chaves. Na mão dos Jovens: modalidades do uso de celular para a produção de vídeos no contexto de uma escola pública. Dissertação: Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação. UnB. Brasília-DF, 2012. Plano de Aula Identificação Disciplina História e ciências Série 8° ano Turma B Período manhã Conteúdo  Redação: elaboração de roteiros de entrevista e de roteiros de documentário.  História da cidade, do bairro e da família e a natureza: trabalhando com a memória de gerações e sua relação com o meio ambiente.  Audiovisual e documentários: compreensão da linguagem audiovisual, da metodologia de trabalho com câmera de fotografia e gravação, captação de áudio e edição de vídeos. Objetivos Objetivo Geral:  Mobilizar os estudantes, por meio de um percurso de aprendizagem que faz uso de ferramentas tecnológicas de uso cotidiano, em torno da compreensão sobre a História Ambiental, ressignificando a leitura da realidade e de sua ação como agente histórico, conjuntamente com a constatação da relação histórica de seus familiares com as transformações da relação humana com a natureza e seus usos cotidianos. Objetivo Específico:  Elaborar um percurso de trabalho que propulsione o desempenho da autonomia das estudantes no percurso da aprendizagem, conjuntamente com o trabalho em grupo.  Mobilizar conhecimentos transversais em que possam relacionar e reconhecer os conceitos e reflexões em torno dos problemas escolares, constituindo uma ponte entre conhecimentos científicos e questões do cotidiano.  Mobilizar uma nova relação com os celulares no espaço de sala de aula, colocando-o como ferramenta para a uma contínua organização e produção de conteúdo e pesquisa por parte das estudantes.  Mobilizar o debate em torno do uso de celulares em sala de aula e a capacidade de gerar conhecimento a partir do seio familiar,
  • 17. 16 proporcionando condições das estudantes organizarem as formas de uso de suas próprias ferramentas em dialogo com a comunidade. Metodologia  Utilizaremos a sequência didática para construir um percurso de aprendizagem que seja dinâmico, possibilite que as estudantes sejam protagonistas do trabalho, mas que as professoras tenham condições de orientar o trabalho com base em uma proposta disparadora.  O trabalho será feito em cinco (5) etapas: 1) Contextualização: levantamento das leituras sobre a atual situação da escola; verificação da condição das outras escolas da região; levantamento de hipóteses e exploração das mesmas; 2) Planejamento: A sala de aula será separada em grupos de 4 estudantes, sendo distribuídos de acordo com a quantidade de celulares capazes para o trabalho. Após esse momento, os grupos deverão traçar um plano de organização para a produção do minidocumentário. 3) Realização: A partir do planejamento, os grupos deverão ir a campo, entrevistando membros de sua família e moradores do bairro em que moram. Retornando na outra aula para compartilhar as experiências, reavaliar o planejamento e dar continuidade. 4) Sistematização, avaliação e produção: Após uma ampla coleta de dados e entrevistas, cada grupo irá selecionar as melhores entrevistas e trechos. Para isso, assistiremos alguns minidocumentários para tomarmos como base a forma de edição, podendo avaliar oque foi coletado e produzir a edição do vídeo. 5) Exibição: Na última fase, após todos os minidocumentários terem sido produzidos e finalizados, será feita uma exibição dos minodocumentários para a sala de aula e posteriormente para toda a comunidade escolar. Recursos  Celulares das estudantes  1 Datashow e 1 notebook Avaliação  A avaliação por três crivos: 1) Trabalho em grupo 2) Estudo e levantamento de dados 3) Resultado final do minidoc Referências VIVIAN, Carolina Deprá. & PAULY, Evaldo Luis. O uso de celular como recurso pedagógico na construção de um documentário: Fala Sério!. Revista Digital da CVA. v.7, n°27, Fev. 2012. PEDROSA, Leyberson Lelis Chaves. Na mão dos Jovens: modalidades do uso de celular para a produção de vídeos no contexto de uma escola pública. Dissertação: Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação. UnB. Brasília-DF, 2012.
  • 18. 17 CONSIDERAÇÕES FINAIS Apresentar as considerações finais, com comentários decorrentes de reflexões acerca das atividades do estágio realizado no semestre, conforme Plano de Trabalho disponível no Plano de Trabalho. Relatar as contribuições do estágio para você, estagiário (pessoal e profissionalmente). A conclusão é o momento em que você descreve as suas impressões fundamentadas nas atividades realizadas. Dessa forma, deve-se expressar com clareza e precisão as conclusões observadas no decorrer de todas as etapas do estágio. A experiência de estágio fazendo uso do Plano de Trabalho produziu uma diversidade de reflexões e compreensões que enriqueceram a minha capacidade de análise sobre a escola e sobre a prática docente. A leitura de textos teóricos alimentou uma necessidade de compreensão sobre conceitos e referências que cercam as novas concepções educacionais, tal como a Transdisciplinaridade e Transversalidade. O contato com os vídeos foi de grande valia, por proporcionar o contato com professoras de diversas formações e perspectivas, discutindo documentos fundamentais para a organização escolar, tal como a BNCC e o PPP, relacionando-os a prática docente e ao cotidiano escolar. A interconexão do Planto de Trabalho, que direcionou as discussões em torno dos TCT’s até o Plano de Aula, também foi extremamente enriquecedor, constituindo condições de elaborar um percurso fundamentado de prática docente inovadora. O desenvolvimento do Plano de Aula tornou-se a parte mais rica, tal como o resultado de todo o percurso trilhado pelo Plano de Trabalho, podendo servir de orientação para outras práticas inovadoras dentro de sala de aula e nos próximos estágios que ainda virão. Dessa forma, posso considerar que o trabalho condensado no relatório torna-se uma ferramenta de exploração, tal como uma bussola, permitindo que ao longo do tempo que me resta na graduação possam os estágios serem cada vez mais ricos e exploratórios, e que minha prática docente posso ter condições de expandir nos mais amplos caminhos que a Pedagogia pode oferecer.
  • 19. 18 REFERÊNCIAS Apresentar as referências citadas nos textos construídos para o relatório. Citar apenas as referências utilizadas, seguindo, por exemplo, os modelos a seguir: BRASIL. Temas contemporâneos Transversais na BNCC:Propostas de Práticas de Implementação. Ministério da Educação. 2019 PEDROSA, Leyberson Lelis Chaves. Na mão dos Jovens: modalidades do uso de celular para a produção de vídeos no contexto de uma escola pública. Dissertação: Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação. UnB. Brasília-DF, 2012. THIESEN, Juares da Silva. A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo ensino-aprendizagem. Rev. Bras. Educ. [online]. 2008, vol.13, n.39, pp.545-554. ISSN 1809-449X. VIVIAN, Carolina Deprá. & PAULY, Evaldo Luis. O uso de celular como recurso pedagógico na construção de um documentário: Fala Sério!. Revista Digital da CVA.