SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 6
ROMANTISMO 
Características gerais do movimento romântico 
 Supervalorização do amor 
 Idealização da figura feminina 
 Predomínio da imaginação, do sonho, do isolamento 
 Criação do mito do herói belo, honesto, corajoso, invencível 
 Ênfase no sentimento, na emoção, na sensibilidade 
 Medievalismo, nacionalismo 
 Mistura de gêneros literários 
 Criação do “drama” e do “romance”
As gerações do 
Romantismo Brasileiro 
Tradicionalmente são 
apontadas três gerações de 
escritores românticos. Essa 
divisão, contudo, engloba 
principalmente os autores de 
poesia. Os romancistas não 
se enquadram muito bem 
nessa divisão, uma vez que 
suas obras podem 
apresentar traços de mais de 
uma geração. 
PRIMEIRA GERAÇÃO: 
Nacionalista, indianista e religiosa. 
Nela se destacam Gonçalves Dias e Gonçalves 
de Magalhães. 
SEGUNDA GERAÇÃO: 
Marcada pelo “mal do século”, 
apresenta egocentrismo exacerbado, 
pessimismo, satanismo e atração pela 
morte. Seus principais representantes são 
Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, 
Fagundes Varela e Junqueira Freire. 
TERCEIRA GERAÇÃO: 
Formada pelo grupo condoreiro, desenvolve 
uma poesia de cunho político e social. A 
maior expressão desse grupo é Castro Alves.
REALISMO 
VISÃO DE MUNDO: SOCIETÁRIA E CIENTIFICISTA 
 Objetividade: embasa a observação e análise da sociedade. 
 Racionalismo: a razão é fundamental na observação e 
interpretação da realidade. 
 Materialismo: a verdade está na matéria e não na idealização. 
 Contemporaneidade: preocupação com o presente e não com o 
passado. 
 Insatisfação: inadaptação à realidade circundante; traço de 
continuidade em relação ao Romantismo.
REALISMO: CONCEITOS 
 O Realismo fixa-se na realidade do homem em sociedade e seus problemas 
cotidianos. O foco de atenção é a realidade social, e não apenas o indivíduo. 
 Ruptura com alguns traços românticos: ao invés de subjetivismo, 
objetividade; ao invés de emoção, a razão, no lugar de indivíduo isolado, a 
sociedade . 
 A finalidade artística é a representação da realidade. 
 Detalhismo na descrição dos fatos e do comportamento humano. 
 Narrativa lenta, crônica da vida das personagens. 
 Análise psicológica do comportamento. 
 Incorporação do cotidiano à literatura.
NATURALISMO: CONCEITOS 
 Condicionamento social e hereditário do comportamento. 
 Aprofundamento de alguns traços realistas. 
 Cientificismo baseado nas idéias deterministas de Taine, na teoria evolucionista de 
Darwin e no positivismo defendido por Comte. 
 Preferência por ambientação da narrativa em tipos populares, do submundo social. 
 Linearidade narrativa, com predominância do foco narrativo em 3a. pessoa do 
discurso. 
 Crítica às instituições: clero, casamento, sexualidade, sociedade exploradora da força 
do trabalho operário, preconceito racial. 
 Didatismo. 
 Zoomorfização das personagens. 
Os vizinhos de Luís assomaram à janela atraídos pelo grosseiro canto dos africanos; o 
cortiço inteiro agitou-se; as lavadeiras abandonaram as tinas e os coradouros e vieram 
ruidosamente ao portão da estalagem, com os braços nus, saias arrepolhadas no 
quadril, mostrando pernas sem meias e grossos pés metidos em tamancos... O homem 
da venda acudiu em camisa de meia, o peito muito cabeludo aparecendo... Todos 
falavam ao mesmo tempo. (O homem – Aluísio de Azevedo)
NATURALISMO: CONCEITOS 
 Especialmente, a mulher é apresentada como presa fácil dos instintos e das 
necessidades fisiológicas. 
 O amor passa a ser tratado como instinto, sujeito às contradições humanas, às 
necessidades fisiológicas e ao jogo de interesses sociais e econômicos. 
 Os tipos femininos criados pelo Realismo e Naturalismo dão sinais de fragilidade, 
inconstância,debilidade de caráter. 
Era Magdá. Estranho abalo punha-lhe nos sentidos aquela escandalosa exibição de cama em 
pleno ar livre. Vendo-a, como a viu, publicamente armada e feita, afigurava-se-lhe ter 
defronte dos olhos um altar que se trazia de longe, para acruenta e religiosa cerimônia do 
desfloramento de uma virgem. Havia alguma coisa de pagão e bárbaro em tudo aquilo; 
alguma coisa que a levava de rastros, puxada pelos cabelos, para a vermelha 
sensualidade dos seus delírios... 
No meio daquela áspera gente do trabalho, gente de honestidade feroz, a figura da tal D. 
Helena destacava-se mais do que uma nódoa de lama no meio de uma camisa de algodão 
lavado. Mal acabou de jantar, foi para casa vomitar as tripas, que estômagos daqueles já 
não resistem à forte comida dos que se levantam antes do sol e trabalham doze horas por 
dia. 
(O homem – Aluísio de Azevedo)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Literatura - Naturalismo
Literatura - NaturalismoLiteratura - Naturalismo
Literatura - NaturalismoNAPNE
 
Romantismo contexto historico caracteristicas
Romantismo contexto historico caracteristicasRomantismo contexto historico caracteristicas
Romantismo contexto historico caracteristicasSirlene Rosa Santos
 
Características do Romantismo
Características do RomantismoCaracterísticas do Romantismo
Características do RomantismoAnabela Fernandes
 
Romantismo Parte 1
Romantismo   Parte 1Romantismo   Parte 1
Romantismo Parte 1guestc1495d6
 
Realismo naturalismo revisão
Realismo naturalismo revisãoRealismo naturalismo revisão
Realismo naturalismo revisãoClaudia Lazarini
 
Romantismo no Brasil
Romantismo no BrasilRomantismo no Brasil
Romantismo no BrasilCrisBiagio
 
História e Literatura: Um diálogo Possível
História e Literatura: Um diálogo PossívelHistória e Literatura: Um diálogo Possível
História e Literatura: Um diálogo PossívelElaine Souza
 
Características do Romantismo e Romance Romântico
Características do Romantismo e Romance RomânticoCaracterísticas do Romantismo e Romance Romântico
Características do Romantismo e Romance RomânticoThiago Rodrigues
 
O movimento romântico
O movimento românticoO movimento romântico
O movimento românticoCarolina Gomes
 
Realismo e Naturalismo
Realismo  e NaturalismoRealismo  e Naturalismo
Realismo e NaturalismoCrisBiagio
 
Realismo e naturalismo
Realismo e naturalismoRealismo e naturalismo
Realismo e naturalismoPaula Rubato
 
Revisão realismo e naturalismo
Revisão realismo e naturalismoRevisão realismo e naturalismo
Revisão realismo e naturalismoIvana Mayrink
 

Mais procurados (19)

Realismo 2 ano
Realismo 2 anoRealismo 2 ano
Realismo 2 ano
 
Literatura - Naturalismo
Literatura - NaturalismoLiteratura - Naturalismo
Literatura - Naturalismo
 
Romantismo contexto historico caracteristicas
Romantismo contexto historico caracteristicasRomantismo contexto historico caracteristicas
Romantismo contexto historico caracteristicas
 
Características do Romantismo
Características do RomantismoCaracterísticas do Romantismo
Características do Romantismo
 
Romantismo Parte 1
Romantismo   Parte 1Romantismo   Parte 1
Romantismo Parte 1
 
Realismo naturalismo revisão
Realismo naturalismo revisãoRealismo naturalismo revisão
Realismo naturalismo revisão
 
Romantismo no Brasil
Romantismo no BrasilRomantismo no Brasil
Romantismo no Brasil
 
História e Literatura: Um diálogo Possível
História e Literatura: Um diálogo PossívelHistória e Literatura: Um diálogo Possível
História e Literatura: Um diálogo Possível
 
Características do Romantismo e Romance Romântico
Características do Romantismo e Romance RomânticoCaracterísticas do Romantismo e Romance Romântico
Características do Romantismo e Romance Romântico
 
Romantismo,realismo
Romantismo,realismoRomantismo,realismo
Romantismo,realismo
 
O movimento romântico
O movimento românticoO movimento romântico
O movimento romântico
 
Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)
 
Realismo e Naturalismo
Realismo  e NaturalismoRealismo  e Naturalismo
Realismo e Naturalismo
 
Romantismo em Portugal
Romantismo em PortugalRomantismo em Portugal
Romantismo em Portugal
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Romantismo prosa
 
Naturalismo...
Naturalismo...Naturalismo...
Naturalismo...
 
Realismo e naturalismo
Realismo e naturalismoRealismo e naturalismo
Realismo e naturalismo
 
Revisão realismo e naturalismo
Revisão realismo e naturalismoRevisão realismo e naturalismo
Revisão realismo e naturalismo
 
O Romantismo
O RomantismoO Romantismo
O Romantismo
 

Semelhante a Realismo e naturalismo

Literatura: Primeira Geração Romântica Brasileira
Literatura: Primeira Geração Romântica BrasileiraLiteratura: Primeira Geração Romântica Brasileira
Literatura: Primeira Geração Romântica BrasileiraIngrit Silva Sampaio
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).pptANDRESSASILVADESOUSA
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptAliceEmanuelladeOliv
 
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.pptrealismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.pptCarlos100coliCoimbra
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptLeandroBolivar1
 
O ROMANTISMO BRASILEIRO - MOVIMENTO LITERARIO
O ROMANTISMO BRASILEIRO - MOVIMENTO LITERARIOO ROMANTISMO BRASILEIRO - MOVIMENTO LITERARIO
O ROMANTISMO BRASILEIRO - MOVIMENTO LITERARIOCntiaAleixo
 
O retrato real da sociedade burguesa no século XIX pela percepção do Movimen...
O retrato real da sociedade burguesa  no século XIX pela percepção do Movimen...O retrato real da sociedade burguesa  no século XIX pela percepção do Movimen...
O retrato real da sociedade burguesa no século XIX pela percepção do Movimen...Doutora em Linguística Aplicada pela PUC-SP
 
O Realismo E O Simbolismo
O Realismo E O SimbolismoO Realismo E O Simbolismo
O Realismo E O SimbolismoBeatriz Dias
 
Slide realismo naturalismo 09 ago 13
Slide realismo  naturalismo 09 ago 13Slide realismo  naturalismo 09 ago 13
Slide realismo naturalismo 09 ago 13Ajudar Pessoas
 
Realismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaRealismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaCynthia Funchal
 
Revisando o romantismo 03
Revisando o romantismo 03Revisando o romantismo 03
Revisando o romantismo 03ma.no.el.ne.ves
 
Trabalho de língua portuguesa
Trabalho de língua portuguesaTrabalho de língua portuguesa
Trabalho de língua portuguesaRonaldo Mesquita
 

Semelhante a Realismo e naturalismo (20)

Romantismo,realismo
Romantismo,realismoRomantismo,realismo
Romantismo,realismo
 
REALISMO E NATURALISMO
REALISMO E NATURALISMOREALISMO E NATURALISMO
REALISMO E NATURALISMO
 
Literatura: Primeira Geração Romântica Brasileira
Literatura: Primeira Geração Romântica BrasileiraLiteratura: Primeira Geração Romântica Brasileira
Literatura: Primeira Geração Romântica Brasileira
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie (1).ppt
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
 
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.pptrealismo-naturalismo resumo slides.ppt
realismo-naturalismo resumo slides.ppt
 
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.pptrealismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
realismo-naturalismo-2c2aa-sc3a9rie.ppt
 
O ROMANTISMO BRASILEIRO - MOVIMENTO LITERARIO
O ROMANTISMO BRASILEIRO - MOVIMENTO LITERARIOO ROMANTISMO BRASILEIRO - MOVIMENTO LITERARIO
O ROMANTISMO BRASILEIRO - MOVIMENTO LITERARIO
 
Romantismo,realismo
Romantismo,realismoRomantismo,realismo
Romantismo,realismo
 
O retrato real da sociedade burguesa no século XIX pela percepção do Movimen...
O retrato real da sociedade burguesa  no século XIX pela percepção do Movimen...O retrato real da sociedade burguesa  no século XIX pela percepção do Movimen...
O retrato real da sociedade burguesa no século XIX pela percepção do Movimen...
 
Diversos aspectos dos romances brasileiros
Diversos aspectos dos romances brasileirosDiversos aspectos dos romances brasileiros
Diversos aspectos dos romances brasileiros
 
Romantismo 1
Romantismo 1Romantismo 1
Romantismo 1
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
O Realismo E O Simbolismo
O Realismo E O SimbolismoO Realismo E O Simbolismo
O Realismo E O Simbolismo
 
Segundo leila
Segundo leilaSegundo leila
Segundo leila
 
Slide realismo naturalismo 09 ago 13
Slide realismo  naturalismo 09 ago 13Slide realismo  naturalismo 09 ago 13
Slide realismo naturalismo 09 ago 13
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Realismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - LiteraturaRealismo e Naturalismo - Literatura
Realismo e Naturalismo - Literatura
 
Revisando o romantismo 03
Revisando o romantismo 03Revisando o romantismo 03
Revisando o romantismo 03
 
Trabalho de língua portuguesa
Trabalho de língua portuguesaTrabalho de língua portuguesa
Trabalho de língua portuguesa
 

Mais de Renato Rodrigues

Gabaritos 1º esperança - 4º
Gabaritos   1º esperança - 4ºGabaritos   1º esperança - 4º
Gabaritos 1º esperança - 4ºRenato Rodrigues
 
Gabaritos 4º bimestre - bondade
Gabaritos   4º bimestre - bondadeGabaritos   4º bimestre - bondade
Gabaritos 4º bimestre - bondadeRenato Rodrigues
 
Português esperança - tipo 02
Português   esperança - tipo 02Português   esperança - tipo 02
Português esperança - tipo 02Renato Rodrigues
 
Português esperança - tipo 01
Português   esperança - tipo 01Português   esperança - tipo 01
Português esperança - tipo 01Renato Rodrigues
 
Português esperança - tipo 03
Português   esperança - tipo 03Português   esperança - tipo 03
Português esperança - tipo 03Renato Rodrigues
 
Português 2º humildade -tipo 03
Português   2º humildade -tipo 03Português   2º humildade -tipo 03
Português 2º humildade -tipo 03Renato Rodrigues
 
Português 2º humildade -tipo 02
Português   2º humildade -tipo 02Português   2º humildade -tipo 02
Português 2º humildade -tipo 02Renato Rodrigues
 
Português 2º humildade -tipo 01
Português   2º humildade -tipo 01Português   2º humildade -tipo 01
Português 2º humildade -tipo 01Renato Rodrigues
 
Português bondade - tipo 02
Português   bondade - tipo 02Português   bondade - tipo 02
Português bondade - tipo 02Renato Rodrigues
 
Português bondade - tipo 01
Português   bondade - tipo 01Português   bondade - tipo 01
Português bondade - tipo 01Renato Rodrigues
 
Português bondade - tipo 03
Português   bondade - tipo 03Português   bondade - tipo 03
Português bondade - tipo 03Renato Rodrigues
 
Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 02
Português   renato -  3º perdão - 3 b -tipo 02Português   renato -  3º perdão - 3 b -tipo 02
Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 02Renato Rodrigues
 
Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 03
Português   renato -  3º perdão - 3 b -tipo 03Português   renato -  3º perdão - 3 b -tipo 03
Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 03Renato Rodrigues
 
Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 01
Português   renato -  3º perdão - 3 b -tipo 01Português   renato -  3º perdão - 3 b -tipo 01
Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 01Renato Rodrigues
 

Mais de Renato Rodrigues (20)

Gabaritos 3º p - 4º
Gabaritos   3º p - 4ºGabaritos   3º p - 4º
Gabaritos 3º p - 4º
 
Gabaritos 2º h - 4º
Gabaritos   2º h - 4ºGabaritos   2º h - 4º
Gabaritos 2º h - 4º
 
Gabaritos 1º esperança - 4º
Gabaritos   1º esperança - 4ºGabaritos   1º esperança - 4º
Gabaritos 1º esperança - 4º
 
Gabaritos 4º bimestre - bondade
Gabaritos   4º bimestre - bondadeGabaritos   4º bimestre - bondade
Gabaritos 4º bimestre - bondade
 
Português esperança - tipo 02
Português   esperança - tipo 02Português   esperança - tipo 02
Português esperança - tipo 02
 
Português esperança - tipo 01
Português   esperança - tipo 01Português   esperança - tipo 01
Português esperança - tipo 01
 
Português esperança - tipo 03
Português   esperança - tipo 03Português   esperança - tipo 03
Português esperança - tipo 03
 
Português 2º humildade -tipo 03
Português   2º humildade -tipo 03Português   2º humildade -tipo 03
Português 2º humildade -tipo 03
 
Português 2º humildade -tipo 02
Português   2º humildade -tipo 02Português   2º humildade -tipo 02
Português 2º humildade -tipo 02
 
Português 2º humildade -tipo 01
Português   2º humildade -tipo 01Português   2º humildade -tipo 01
Português 2º humildade -tipo 01
 
Proposta de redação
Proposta de redaçãoProposta de redação
Proposta de redação
 
Proposta de redação
Proposta de redaçãoProposta de redação
Proposta de redação
 
Português bondade - tipo 02
Português   bondade - tipo 02Português   bondade - tipo 02
Português bondade - tipo 02
 
Português bondade - tipo 01
Português   bondade - tipo 01Português   bondade - tipo 01
Português bondade - tipo 01
 
Português bondade - tipo 03
Português   bondade - tipo 03Português   bondade - tipo 03
Português bondade - tipo 03
 
Proposta de redação
Proposta de redaçãoProposta de redação
Proposta de redação
 
Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 02
Português   renato -  3º perdão - 3 b -tipo 02Português   renato -  3º perdão - 3 b -tipo 02
Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 02
 
Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 03
Português   renato -  3º perdão - 3 b -tipo 03Português   renato -  3º perdão - 3 b -tipo 03
Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 03
 
Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 01
Português   renato -  3º perdão - 3 b -tipo 01Português   renato -  3º perdão - 3 b -tipo 01
Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 01
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 

Último

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 

Último (20)

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 

Realismo e naturalismo

  • 1. ROMANTISMO Características gerais do movimento romântico  Supervalorização do amor  Idealização da figura feminina  Predomínio da imaginação, do sonho, do isolamento  Criação do mito do herói belo, honesto, corajoso, invencível  Ênfase no sentimento, na emoção, na sensibilidade  Medievalismo, nacionalismo  Mistura de gêneros literários  Criação do “drama” e do “romance”
  • 2. As gerações do Romantismo Brasileiro Tradicionalmente são apontadas três gerações de escritores românticos. Essa divisão, contudo, engloba principalmente os autores de poesia. Os romancistas não se enquadram muito bem nessa divisão, uma vez que suas obras podem apresentar traços de mais de uma geração. PRIMEIRA GERAÇÃO: Nacionalista, indianista e religiosa. Nela se destacam Gonçalves Dias e Gonçalves de Magalhães. SEGUNDA GERAÇÃO: Marcada pelo “mal do século”, apresenta egocentrismo exacerbado, pessimismo, satanismo e atração pela morte. Seus principais representantes são Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, Fagundes Varela e Junqueira Freire. TERCEIRA GERAÇÃO: Formada pelo grupo condoreiro, desenvolve uma poesia de cunho político e social. A maior expressão desse grupo é Castro Alves.
  • 3. REALISMO VISÃO DE MUNDO: SOCIETÁRIA E CIENTIFICISTA  Objetividade: embasa a observação e análise da sociedade.  Racionalismo: a razão é fundamental na observação e interpretação da realidade.  Materialismo: a verdade está na matéria e não na idealização.  Contemporaneidade: preocupação com o presente e não com o passado.  Insatisfação: inadaptação à realidade circundante; traço de continuidade em relação ao Romantismo.
  • 4. REALISMO: CONCEITOS  O Realismo fixa-se na realidade do homem em sociedade e seus problemas cotidianos. O foco de atenção é a realidade social, e não apenas o indivíduo.  Ruptura com alguns traços românticos: ao invés de subjetivismo, objetividade; ao invés de emoção, a razão, no lugar de indivíduo isolado, a sociedade .  A finalidade artística é a representação da realidade.  Detalhismo na descrição dos fatos e do comportamento humano.  Narrativa lenta, crônica da vida das personagens.  Análise psicológica do comportamento.  Incorporação do cotidiano à literatura.
  • 5. NATURALISMO: CONCEITOS  Condicionamento social e hereditário do comportamento.  Aprofundamento de alguns traços realistas.  Cientificismo baseado nas idéias deterministas de Taine, na teoria evolucionista de Darwin e no positivismo defendido por Comte.  Preferência por ambientação da narrativa em tipos populares, do submundo social.  Linearidade narrativa, com predominância do foco narrativo em 3a. pessoa do discurso.  Crítica às instituições: clero, casamento, sexualidade, sociedade exploradora da força do trabalho operário, preconceito racial.  Didatismo.  Zoomorfização das personagens. Os vizinhos de Luís assomaram à janela atraídos pelo grosseiro canto dos africanos; o cortiço inteiro agitou-se; as lavadeiras abandonaram as tinas e os coradouros e vieram ruidosamente ao portão da estalagem, com os braços nus, saias arrepolhadas no quadril, mostrando pernas sem meias e grossos pés metidos em tamancos... O homem da venda acudiu em camisa de meia, o peito muito cabeludo aparecendo... Todos falavam ao mesmo tempo. (O homem – Aluísio de Azevedo)
  • 6. NATURALISMO: CONCEITOS  Especialmente, a mulher é apresentada como presa fácil dos instintos e das necessidades fisiológicas.  O amor passa a ser tratado como instinto, sujeito às contradições humanas, às necessidades fisiológicas e ao jogo de interesses sociais e econômicos.  Os tipos femininos criados pelo Realismo e Naturalismo dão sinais de fragilidade, inconstância,debilidade de caráter. Era Magdá. Estranho abalo punha-lhe nos sentidos aquela escandalosa exibição de cama em pleno ar livre. Vendo-a, como a viu, publicamente armada e feita, afigurava-se-lhe ter defronte dos olhos um altar que se trazia de longe, para acruenta e religiosa cerimônia do desfloramento de uma virgem. Havia alguma coisa de pagão e bárbaro em tudo aquilo; alguma coisa que a levava de rastros, puxada pelos cabelos, para a vermelha sensualidade dos seus delírios... No meio daquela áspera gente do trabalho, gente de honestidade feroz, a figura da tal D. Helena destacava-se mais do que uma nódoa de lama no meio de uma camisa de algodão lavado. Mal acabou de jantar, foi para casa vomitar as tripas, que estômagos daqueles já não resistem à forte comida dos que se levantam antes do sol e trabalham doze horas por dia. (O homem – Aluísio de Azevedo)