SlideShare uma empresa Scribd logo
ESCOLA ESTADUAL BRASILIANO BRAZ 
Língua Portuguesa – 3º Perdão - Prof. Renato Oliveira 
3º BIMESTRE - DATA: 22/09/2014 
NOME: ....................................................................................... Nº: ........... 
TIPO 1 
“A publicidade deve ser mais responsável” 
Texto 01 
Entrevista: Beth Carmona 
A tevê na mira 
Coordenadora da 4ª Cúpula Mundial de 
Mídia para Crianças e Adolescentes, Beth 
Carmona diz que a programação do Brasil 
é liberal 
Aziz Filho e Liana Melo 
O Rio de Janeiro vai 
sediar, de 19 a 23 de abril, a 
4ª Cúpula Mundial de Mídia 
para Crianças e 
Adolescentes. Durante 
quatro dias, a programação 
de televisão do mundo 
inteiro será discutida à 
exaustão por 
pesquisadores, 
educadores, publicitários 
e professores de várias 
partes do mundo. Eles vão 
se reunir na imponente sede da Escola Naval, 
na ilha de Villegagnon, centro do Rio. Aumentar a qualidade da 
programação dos programas infantis e juvenis é a principal 
preocupação desta 4ª Cúpula, que elegeu o tema “Mídia de 
todos, mídia para todos” para permear as discussões. 
A coordenadora é Beth Carmona, uma paulistana de 
voz suave que há um ano trocou os Jardins pelo Leblon, no Rio, 
com a missão de presidir a Rede Brasil (que congrega as TVEs 
do Rio e do Maranhão, além das Rádios MEC AM e FM do Rio e 
de Brasília) e ampliar o compromisso social da tevê pública no 
País, atraindo patrocínios. Beth foi um dos destaques da 
geração que fez da TV Cultura, de São Paulo, um canal com 
programação competitiva e índices de audiência de grandes 
canais. 
ISTOÉ - O que deve mudar na programação dessa 4ª Cúpula 
por ocorrer num país do Hemisfério Sul? 
Beth Carmona – Dependendo do lugar onde a Cúpula 
acontece, há uma preponderância dos temas que mobilizam o 
continente. Na última reunião, que ocorreu na Grécia (as outras 
foram na Austrália e na Inglaterra), houve certa similaridade com 
a discussão que estamos tendo no Brasil porque a Grécia se 
identifica com os países menos desenvolvidos. Foi nesse 
encontro, em 2001, que a América Latina, a África e a Ásia 
defenderam uma mesa-redonda batizada de “Mídia de todos, 
mídia para todos”, que virou o tema da 4ª Cúpula. 
ISTOÉ- Esse tema pode envolver países ricos e pobres? 
Beth - A globalização mudou o eixo da discussão. Se, por um 
lado, ela liberou o acesso, por outro fechou muitas portas porque 
os conglomerados ficaram ainda mais poderosos. O marco da 
mudança foi o 11 de setembro e, mais recentemente, o 11 de 
março, em Madri. A sociedade mudou sua visão de mundo, 
passou a querer formar gente com melhor cabeça, para se 
proteger mais. As pessoas desejam uma sociedade mais 
equilibrada e nisso a mídia tem um papel fundamental. A 
questão da tolerância é superpresente nos programas infantis 
europeus. Há uma série em que uma menina americana é 
levada para viver em um país muçulmano e vice-versa. O Brasil 
não faz nada disso. Estamos muito atrasados. 
ISTOÉ - Qual é o maior desafio para as tevês educativas? 
Beth - A situação mudou com as tevês por assinatura. Elas só 
alcançam uns 10% da população, mas mudaram a concorrência 
com os canais infantis 24 horas. Pesquisas indicam que, 
quando tem opção, a criança sempre escolhe a programação 
infantil. Ainda há os canais comunitários e os universitários. O 
espectro da programação aumentou e o mercado se dividiu. 
Acredito que seja possível fazer uma tevê educativa se houver 
boa vontade dos empresários. 
ISTOÉ - A sra. concorda com os que consideram a televisão a 
maior responsável pelo aumento da violência? 
Beth - A tevê exerce uma forte influência, mas não é a única 
culpada. É ruim quando a televisão exagera, carrega nas tintas. 
O desenho japonês Power Rangers é um exemplo. As pessoas 
estão andando na rua e de repente aparece um monstro. Esse 
tipo de coisa tira o parâmetro da realidade, cria medo, susto, em 
um contexto impossível demais. 
A tevê, a novela, os programas policiais criam uma situação 
complexa de exacerbação das situações e você fica com medo 
de sair na rua. 
ISTOÉ- Mas isso produz o medo, não necessariamente a 
violência. 
Beth - A sociedade americana está se armando pelo medo. O 
Michael Moore diz que, ao incutir o medo, a mídia incita a 
violência. Nós estamos muito mal na parte regulatória, não 
temos muita regra. Quem tem a concessão tem a concessão e 
pronto. Os limites, os deveres, o uso, tudo é mito livre. 
ISTOÉ - É possível regular sem censurar? 
Beth - Claro que sim. Há países com marcos regulatórios bem 
interessantes. Eles não se limitam a dizer o que não pode, mas 
estimulam o que pode e estabelecem limites, horários, coisas 
mínimas. A gente sabe que autorregulação não funciona. O 
governo deve ter uma política regulatória e deve haver uma 
sociedade que desligue os canais, pressione. A publicidade 
precisa ser mais consciente. Se o anunciante é orientado a não 
botar dinheiro no que é ruim, tudo muda. 
ISTOÉ - A mídia tem sido criticada pelo comportamento social, 
muita liberalidade, muitas cenas quentes nas novelas. A sra. 
concorda com as críticas?
Beth- Realmente o Brasil é muito liberal. Em outros países, as 
pessoas se escandalizam com o que vemos em horário livre 
aqui. Na Europa ou nos Estados Unidos, não seria possível 
veicular muitas coisas. Somos um pouco responsáveis pela 
perda da infância precoce, pela erotização, por adiantar temas 
que não deveriam estar na preocupação das crianças. Mas, já 
que isso existe, deveria ser feito com mais responsabilidade 
QUESTÃO 01 
As características apresentadas nas alternativas abaixo 
permitem reconhecer o texto como do gênero entrevista, 
EXCETO: 
a) Apresenta, abaixo do título, um resumo das informações 
mais importantes (lead). 
b) Aparece em portadores destinados a circular dentro de um 
segmento social restrito. 
c) Estrutura-se com alternância dos turnos de fala dos 
interlocutores. 
d) Inicia-se com uma série de informações relativas ao 
assunto e à pessoa entrevistada. 
QUESTÃO 02 
A entrevista acontece normalmente numa situação de linguagem 
oral, por isso é comum encontrarem-se nela traços de 
coloquialidade. Todas as alternativas abaixo comprovam essa 
afirmativa, EXCETO: 
a) “Esse tipo de coisa tira o parâmetro da realidade, cria 
medo...” 
b) “A globalização mudou o eixo da discussão.” 
c) “Quem tem a concessão tem a concessão e pronto.” 
d) “A gente sabe que autorregulação não funciona.” 
QUESTÃO 03 
De acordo com o texto, todas as alternativas apontam possível 
solução para a melhoria da qualidade da programação da TV, 
EXCETO: 
a) Conscientizar o anunciante a não investir em programas 
ruins. 
b) Convencer os empresários da necessidade de tornar a 
programação mais educativa. 
c) Exercer a sociedade o seu poder de pressão ao desligar 
os canais. 
d) Incentivar as emissoras a criar mecanismo próprio de 
regulamentação 
QUESTÃO 04 
Todas as alternativas abaixo contêm cada uma, um fragmento 
do texto e, à frente, a sua interpretação. Analise-os e marque 
aquela em que NÃO se faz uma interpretação correta: 
a) “O marco da mudança foi o 11 de setembro e, mais 
recentemente, o 11 de março, em Madri.” (Datas em que o 
terrorismo assombrou o mundo com os ataques ao World 
Trade Center e ao metrô de Madri, respectivamente.) 
b) “..as tevês por assinatura. Elas só alcançam uns 10% da 
população, mas mudaram a concorrência com os canais 
infantis 24 horas.” (Apesar de pequena parte da população 
ter acesso às tevês por assinatura, elas influenciaram a 
programação infantil dos canais 24 horas.) 
c) “Quem tem a concessão tem a concessão e pronto.” 
(Depois que se consegue autorização para operar um canal 
de TV, a preocupação é fazer uma programação de 
qualidade para ganhar audiência da concorrência). 
d) “O Michael Moore diz que, ao incutir o medo, a mídia incita 
a violência.” (O cineasta faz alusão ao fato de, por medo, a 
pessoa reagir agressivamente como forma de defesa.) 
QUESTÃO 05 
O tema da 4ª Cúpula Mundial de Mídia para Crianças e 
Adolescentes é “Mídia de todos, mídia para todos.” 
Marque a alternativa que NÃO se relaciona com esse tema: 
a) Os programas que exibem culturas diversificadas se 
restringem a divulgar o exotismo de certas regiões. 
b) Os países pobres propuseram esse tema durante uma 
reunião que ocorreu na Grécia. 
c) A tevê brasileira precisa aperfeiçoar a sua programação 
para atender ao que propõe a 4ª Cúpula. 
d) O foco da discussão, depois dos atentados, passou a ser a 
formação de uma sociedade mais equilibrada. 
QUESTÃO 06 
Assinale a alternativa incorreta quanto aos princípios básicos 
divulgados pelos participantes da Semana de Arte Moderna: 
a) Manutenção da temática poética simbolista e parnasiana; 
b) Desejo de expressão livre e tendência para transmitir, sem 
os embelezamentos tradicionais dos academicismos, a 
emoção e a realidade do país; 
c) Rejeição dos padrões portugueses, buscando uma 
expressão mais coloquial, próxima do falar brasileiro; 
d) Valorização do prosaico e do humour, que, em todas as 
suas gamas, lavou e purificou a atmosfera sobrecarregada 
pelos acadêmicos. 
. 
QUESTÃO 07 
Faça a associação correta: 
Movimentos: 
Verde-Amarelo Pau-Brasil Antropofagia. 
A B C 
Objetivos: 
1 – Revalorização do primitivismo, da cultura indígena enraizada 
no Brasil antes mesmo dos portugueses chegarem aqui. 
2 – Valorização do Nacional e crença de que o Brasil seria um 
lugar em que foi possível a síntese de todas as raças. 
3 – Deglutição da consciência europeia depositada nos 
brasileiros. 
a) A – 3, B – 2, C-1. 
b) A – 2, B – 1, C-3. 
c) A – 1, B – 2, C-3. 
d) A – 1, B – 3, C-2. 
TEXTO II : A culinária nacional ficaria empobrecida, e sua 
individualidade profundamente afetada, se acabasse com 
os quitutes de origem indígena: eles dão um gosto à 
alimentação brasileira que nem os pratos de origem 
lusitana nem os manjares africanos jamais substituíram. 
Mas salienta o que foi nas cozinhas das casas-grandes 
que muitos desses quitutes perderam o ranço regional, o 
exclusivismo caboclo, para se abrasileirarem. Revista Superinteressante 
QUESTÃO 08 
Mas saliento que foi nas cozinhas das casas-grandes que 
muitos desses quitutes perderam o ranço regional, o 
exclusivismo caboclo, para se abrasileirarem. 
Em relação ao verbo salientar, o trecho destacado funciona 
como 
a) Aposto. 
b) Objeto indireto. 
c) Objeto direto. 
d) Complemento nominal.
QUESTÃO 09 
As frases abaixo foram classificadas corretamente 
entre parênteses, EXCETO: 
a) Briguei com meu amigo, porque ele 
desarrumou todo meu quarto. (explicativa) 
b) Estavam famintos, precisavam, pois, de um 
pouco de comida. (conclusiva) 
c) Ele estuda muito e não consegue passar na 
prova. (adversativa) 
d) Nós fomos precisos, mas também pacientes. 
(adversativa) 
QUESTÃO 10 
Tenho a 
impressão 
de que a 
época dos 
canivetes era 
melhor ! 
No excerto “ Tenho a impressão de que a é época dos 
canivetes era melhor”, a oração posta em destaque 
deve ser classificada como 
a) Oração Subordinada Substantiva Subjetiva 
b) Oração Subordinada Substantiva Completiva 
nominal 
c) Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta 
d) Oração Subordinada Substantiva Predicativa

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Prova de setembro 2009 reformulação
Prova de setembro 2009 reformulaçãoProva de setembro 2009 reformulação
Prova de setembro 2009 reformulação
Andre Somar
 
Av 9 ano 2012 comentada
Av 9 ano 2012 comentadaAv 9 ano 2012 comentada
Av 9 ano 2012 comentada
Eliasdelimaneto Educação
 
APLICATIVO FLINK SAMPA - AGÊNCIA KHAMAI
APLICATIVO FLINK SAMPA - AGÊNCIA KHAMAIAPLICATIVO FLINK SAMPA - AGÊNCIA KHAMAI
APLICATIVO FLINK SAMPA - AGÊNCIA KHAMAI
CURSO DE PP NA ZUMBI DOS PALMARES
 
18 formas para_voce_comecar_um_texto
18 formas para_voce_comecar_um_texto18 formas para_voce_comecar_um_texto
18 formas para_voce_comecar_um_texto
Maria das Dores Justo
 
Prova Enem 2016 - Caderno Amarelo - Segundo dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016  - Caderno Amarelo - Segundo dia/Segunda aplicaçãoProva Enem 2016  - Caderno Amarelo - Segundo dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016 - Caderno Amarelo - Segundo dia/Segunda aplicação
Enem Te Conto
 
Conclusão
ConclusãoConclusão
Conclusão
Cynthia Funchal
 
18 formas de começar um texto
18 formas de começar um texto18 formas de começar um texto
18 formas de começar um texto
Fabio Dos Santos
 
7 ano caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef
7 ano   caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef7 ano   caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef
7 ano caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef
Alex Santos
 
APOSTILA SEE/PE - PROFESSOR - CONCURSO PÚBLICO 2016 - PARTE COMUM A TODOS OS ...
APOSTILA SEE/PE - PROFESSOR - CONCURSO PÚBLICO 2016 - PARTE COMUM A TODOS OS ...APOSTILA SEE/PE - PROFESSOR - CONCURSO PÚBLICO 2016 - PARTE COMUM A TODOS OS ...
APOSTILA SEE/PE - PROFESSOR - CONCURSO PÚBLICO 2016 - PARTE COMUM A TODOS OS ...
Valdeci Correia
 
Cultura digital e Educação
Cultura digital e EducaçãoCultura digital e Educação
Cultura digital e Educação
Elizabeth Fantauzzi
 
redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa
Luciene Gomes
 
Argumentação
ArgumentaçãoArgumentação
Argumentação
Cynthia Funchal
 
Introdução e conclusão
Introdução e conclusãoIntrodução e conclusão
Introdução e conclusão
Jana Kirschner
 
JL- Entrevista - Sampaio da Nóvoa
JL- Entrevista - Sampaio da NóvoaJL- Entrevista - Sampaio da Nóvoa
JL- Entrevista - Sampaio da Nóvoa
Bibliotecas Infante D. Henrique
 
Introdução - Dissertação Argumentativa
Introdução - Dissertação ArgumentativaIntrodução - Dissertação Argumentativa
Introdução - Dissertação Argumentativa
Cynthia Funchal
 
Enem -ciclo_1_-_prova_ii_-_resoluções
Enem  -ciclo_1_-_prova_ii_-_resoluçõesEnem  -ciclo_1_-_prova_ii_-_resoluções
Enem -ciclo_1_-_prova_ii_-_resoluções
Ronan Borba
 

Mais procurados (16)

Prova de setembro 2009 reformulação
Prova de setembro 2009 reformulaçãoProva de setembro 2009 reformulação
Prova de setembro 2009 reformulação
 
Av 9 ano 2012 comentada
Av 9 ano 2012 comentadaAv 9 ano 2012 comentada
Av 9 ano 2012 comentada
 
APLICATIVO FLINK SAMPA - AGÊNCIA KHAMAI
APLICATIVO FLINK SAMPA - AGÊNCIA KHAMAIAPLICATIVO FLINK SAMPA - AGÊNCIA KHAMAI
APLICATIVO FLINK SAMPA - AGÊNCIA KHAMAI
 
18 formas para_voce_comecar_um_texto
18 formas para_voce_comecar_um_texto18 formas para_voce_comecar_um_texto
18 formas para_voce_comecar_um_texto
 
Prova Enem 2016 - Caderno Amarelo - Segundo dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016  - Caderno Amarelo - Segundo dia/Segunda aplicaçãoProva Enem 2016  - Caderno Amarelo - Segundo dia/Segunda aplicação
Prova Enem 2016 - Caderno Amarelo - Segundo dia/Segunda aplicação
 
Conclusão
ConclusãoConclusão
Conclusão
 
18 formas de começar um texto
18 formas de começar um texto18 formas de começar um texto
18 formas de começar um texto
 
7 ano caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef
7 ano   caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef7 ano   caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef
7 ano caderno do aluno - volume 1 - 7 ano ef
 
APOSTILA SEE/PE - PROFESSOR - CONCURSO PÚBLICO 2016 - PARTE COMUM A TODOS OS ...
APOSTILA SEE/PE - PROFESSOR - CONCURSO PÚBLICO 2016 - PARTE COMUM A TODOS OS ...APOSTILA SEE/PE - PROFESSOR - CONCURSO PÚBLICO 2016 - PARTE COMUM A TODOS OS ...
APOSTILA SEE/PE - PROFESSOR - CONCURSO PÚBLICO 2016 - PARTE COMUM A TODOS OS ...
 
Cultura digital e Educação
Cultura digital e EducaçãoCultura digital e Educação
Cultura digital e Educação
 
redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa
 
Argumentação
ArgumentaçãoArgumentação
Argumentação
 
Introdução e conclusão
Introdução e conclusãoIntrodução e conclusão
Introdução e conclusão
 
JL- Entrevista - Sampaio da Nóvoa
JL- Entrevista - Sampaio da NóvoaJL- Entrevista - Sampaio da Nóvoa
JL- Entrevista - Sampaio da Nóvoa
 
Introdução - Dissertação Argumentativa
Introdução - Dissertação ArgumentativaIntrodução - Dissertação Argumentativa
Introdução - Dissertação Argumentativa
 
Enem -ciclo_1_-_prova_ii_-_resoluções
Enem  -ciclo_1_-_prova_ii_-_resoluçõesEnem  -ciclo_1_-_prova_ii_-_resoluções
Enem -ciclo_1_-_prova_ii_-_resoluções
 

Destaque

Atividades interdisciplinar de interpretação e.religioso, soc, portugues
Atividades interdisciplinar de interpretação e.religioso, soc, portuguesAtividades interdisciplinar de interpretação e.religioso, soc, portugues
Atividades interdisciplinar de interpretação e.religioso, soc, portugues
Atividades Diversas Cláudia
 
Interpretaçoes interdisciplinares port, soc, filos, e.relig. geo. hist.
Interpretaçoes interdisciplinares port, soc, filos, e.relig. geo. hist.Interpretaçoes interdisciplinares port, soc, filos, e.relig. geo. hist.
Interpretaçoes interdisciplinares port, soc, filos, e.relig. geo. hist.
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividade copa 2014 matematica 8
Atividade copa 2014 matematica 8Atividade copa 2014 matematica 8
Atividade copa 2014 matematica 8
Atividades Diversas Cláudia
 
Eleicoes america do sul
Eleicoes america do sulEleicoes america do sul
Eleicoes america do sul
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividades sobre timidez
Atividades sobre timidezAtividades sobre timidez
Atividades sobre timidez
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividades sexting. redes de comunicação
Atividades sexting. redes de comunicaçãoAtividades sexting. redes de comunicação
Atividades sexting. redes de comunicação
Atividades Diversas Cláudia
 
Olimpíadas no brasil 2016
Olimpíadas no brasil 2016Olimpíadas no brasil 2016
Olimpíadas no brasil 2016
Atividades Diversas Cláudia
 
Politica norte americana
Politica norte americanaPolitica norte americana
Politica norte americana
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividade copa 2014 matematica 7
Atividade copa 2014 matematica 7Atividade copa 2014 matematica 7
Atividade copa 2014 matematica 7
Atividades Diversas Cláudia
 
Português bondade - tipo 02
Português   bondade - tipo 02Português   bondade - tipo 02
Português bondade - tipo 02
Renato Rodrigues
 
Ciências da natureza e suas tecnologias em
Ciências da natureza e suas tecnologias   emCiências da natureza e suas tecnologias   em
Ciências da natureza e suas tecnologias em
Atividades Diversas Cláudia
 
Avaliaçãoport 9 ano (1)
Avaliaçãoport 9 ano (1)Avaliaçãoport 9 ano (1)
Avaliaçãoport 9 ano (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Português esperança - tipo 02
Português   esperança - tipo 02Português   esperança - tipo 02
Português esperança - tipo 02
Renato Rodrigues
 
Getulio vargas interpretação
Getulio vargas interpretaçãoGetulio vargas interpretação
Getulio vargas interpretação
Atividades Diversas Cláudia
 
Direitos do leitor (1)
Direitos do leitor (1)Direitos do leitor (1)
Direitos do leitor (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Diagnostica arte 9 ano (1)
Diagnostica arte 9 ano (1)Diagnostica arte 9 ano (1)
Diagnostica arte 9 ano (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Frases copa do mundo atividades (1)
Frases copa do mundo atividades (1)Frases copa do mundo atividades (1)
Frases copa do mundo atividades (1)
Atividades Diversas Cláudia
 
Interpretação escola de qualidade (1)
Interpretação escola de qualidade (1)Interpretação escola de qualidade (1)
Interpretação escola de qualidade (1)
Atividades Diversas Cláudia
 

Destaque (20)

Poluição sonora
Poluição sonoraPoluição sonora
Poluição sonora
 
Atividades interdisciplinar de interpretação e.religioso, soc, portugues
Atividades interdisciplinar de interpretação e.religioso, soc, portuguesAtividades interdisciplinar de interpretação e.religioso, soc, portugues
Atividades interdisciplinar de interpretação e.religioso, soc, portugues
 
Interpretaçoes interdisciplinares port, soc, filos, e.relig. geo. hist.
Interpretaçoes interdisciplinares port, soc, filos, e.relig. geo. hist.Interpretaçoes interdisciplinares port, soc, filos, e.relig. geo. hist.
Interpretaçoes interdisciplinares port, soc, filos, e.relig. geo. hist.
 
Atividade copa 2014 matematica 8
Atividade copa 2014 matematica 8Atividade copa 2014 matematica 8
Atividade copa 2014 matematica 8
 
Eleicoes america do sul
Eleicoes america do sulEleicoes america do sul
Eleicoes america do sul
 
Atividades sobre timidez
Atividades sobre timidezAtividades sobre timidez
Atividades sobre timidez
 
Atividades sexting. redes de comunicação
Atividades sexting. redes de comunicaçãoAtividades sexting. redes de comunicação
Atividades sexting. redes de comunicação
 
Olimpíadas no brasil 2016
Olimpíadas no brasil 2016Olimpíadas no brasil 2016
Olimpíadas no brasil 2016
 
Politica norte americana
Politica norte americanaPolitica norte americana
Politica norte americana
 
Atividade copa 2014 matematica 7
Atividade copa 2014 matematica 7Atividade copa 2014 matematica 7
Atividade copa 2014 matematica 7
 
Português bondade - tipo 02
Português   bondade - tipo 02Português   bondade - tipo 02
Português bondade - tipo 02
 
Ciências da natureza e suas tecnologias em
Ciências da natureza e suas tecnologias   emCiências da natureza e suas tecnologias   em
Ciências da natureza e suas tecnologias em
 
Avaliaçãoport 9 ano (1)
Avaliaçãoport 9 ano (1)Avaliaçãoport 9 ano (1)
Avaliaçãoport 9 ano (1)
 
Português esperança - tipo 02
Português   esperança - tipo 02Português   esperança - tipo 02
Português esperança - tipo 02
 
Getulio vargas interpretação
Getulio vargas interpretaçãoGetulio vargas interpretação
Getulio vargas interpretação
 
Atividade copa 2014 matematica 6
Atividade copa 2014 matematica 6Atividade copa 2014 matematica 6
Atividade copa 2014 matematica 6
 
Direitos do leitor (1)
Direitos do leitor (1)Direitos do leitor (1)
Direitos do leitor (1)
 
Diagnostica arte 9 ano (1)
Diagnostica arte 9 ano (1)Diagnostica arte 9 ano (1)
Diagnostica arte 9 ano (1)
 
Frases copa do mundo atividades (1)
Frases copa do mundo atividades (1)Frases copa do mundo atividades (1)
Frases copa do mundo atividades (1)
 
Interpretação escola de qualidade (1)
Interpretação escola de qualidade (1)Interpretação escola de qualidade (1)
Interpretação escola de qualidade (1)
 

Semelhante a Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 01

ATÉ QUE PONTO A MÍDIA BRASILEIRA MANIPULA A SOCIEDADE?
ATÉ QUE PONTO A MÍDIA BRASILEIRA MANIPULA A SOCIEDADE?ATÉ QUE PONTO A MÍDIA BRASILEIRA MANIPULA A SOCIEDADE?
ATÉ QUE PONTO A MÍDIA BRASILEIRA MANIPULA A SOCIEDADE?
Ciro Lopes
 
Aula de Redação nº 13
Aula de Redação nº 13Aula de Redação nº 13
Aula de Redação nº 13
João Mendonça
 
Dissertação organização e apresentação da tese
Dissertação organização e apresentação da teseDissertação organização e apresentação da tese
Dissertação organização e apresentação da tese
marlospg
 
A sociedade ocupa a tv
A sociedade ocupa a tvA sociedade ocupa a tv
A sociedade ocupa a tv
Matheus Sampaio
 
Confecom Botucatu LíGia Qualidade Na MíDia
Confecom Botucatu LíGia Qualidade Na MíDiaConfecom Botucatu LíGia Qualidade Na MíDia
Confecom Botucatu LíGia Qualidade Na MíDia
Lígia Beatriz
 
Monografia Tv Final
Monografia Tv FinalMonografia Tv Final
Monografia Tv Final
Young & Rubicam
 
Rosavrecchi importância social da tv
Rosavrecchi  importância social da tvRosavrecchi  importância social da tv
Rosavrecchi importância social da tv
Rosângela Aparecida Vrecchi
 
AV3 - 6 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2
AV3 - 6 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2     AV3 - 6 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2
AV3 - 6 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2
Cíntia Dal Bello
 
Mídias na educação tv e video 04
Mídias na educação tv e video 04Mídias na educação tv e video 04
Mídias na educação tv e video 04
elaniasf
 
Importância Social da TV
Importância  Social da TVImportância  Social da TV
Importância Social da TV
Rosângela Aparecida Vrecchi
 
Heloiza Matos em defesa da tv publica final
Heloiza Matos em defesa da tv publica finalHeloiza Matos em defesa da tv publica final
Heloiza Matos em defesa da tv publica final
COMPOL - Grupo de Pesquisa Comunicação Pública e Política
 
ACULTURAÇÃO DA TELEVISÃO
ACULTURAÇÃO DA TELEVISÃOACULTURAÇÃO DA TELEVISÃO
ACULTURAÇÃO DA TELEVISÃO
RuiMelo33
 
Como iniciar um texto
Como iniciar um textoComo iniciar um texto
Como iniciar um texto
Aninha Terçariol
 
ProduçãO De VíDeo I Sociedade Civil Part1
ProduçãO De VíDeo I Sociedade Civil Part1ProduçãO De VíDeo I Sociedade Civil Part1
ProduçãO De VíDeo I Sociedade Civil Part1
Nuno Granada
 
BBB 2012
BBB  2012BBB  2012
BBB 2012
BLOG's REI
 
Bbb 2012
Bbb 2012Bbb 2012
O Reverso Da MíDia Ou A Era Da Insensatez
O Reverso Da MíDia Ou A Era Da InsensatezO Reverso Da MíDia Ou A Era Da Insensatez
O Reverso Da MíDia Ou A Era Da Insensatez
HOME
 
27042010 grupo 03 tr22 vania toledo
27042010 grupo 03 tr22 vania toledo27042010 grupo 03 tr22 vania toledo
27042010 grupo 03 tr22 vania toledo
Isabel Santos
 
O que você não deve fazer em uma dissertação (Granatic)
O que você não deve fazer em uma dissertação (Granatic)O que você não deve fazer em uma dissertação (Granatic)
O que você não deve fazer em uma dissertação (Granatic)
Seduc/AM
 
Os Males da Mídia
Os Males da MídiaOs Males da Mídia

Semelhante a Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 01 (20)

ATÉ QUE PONTO A MÍDIA BRASILEIRA MANIPULA A SOCIEDADE?
ATÉ QUE PONTO A MÍDIA BRASILEIRA MANIPULA A SOCIEDADE?ATÉ QUE PONTO A MÍDIA BRASILEIRA MANIPULA A SOCIEDADE?
ATÉ QUE PONTO A MÍDIA BRASILEIRA MANIPULA A SOCIEDADE?
 
Aula de Redação nº 13
Aula de Redação nº 13Aula de Redação nº 13
Aula de Redação nº 13
 
Dissertação organização e apresentação da tese
Dissertação organização e apresentação da teseDissertação organização e apresentação da tese
Dissertação organização e apresentação da tese
 
A sociedade ocupa a tv
A sociedade ocupa a tvA sociedade ocupa a tv
A sociedade ocupa a tv
 
Confecom Botucatu LíGia Qualidade Na MíDia
Confecom Botucatu LíGia Qualidade Na MíDiaConfecom Botucatu LíGia Qualidade Na MíDia
Confecom Botucatu LíGia Qualidade Na MíDia
 
Monografia Tv Final
Monografia Tv FinalMonografia Tv Final
Monografia Tv Final
 
Rosavrecchi importância social da tv
Rosavrecchi  importância social da tvRosavrecchi  importância social da tv
Rosavrecchi importância social da tv
 
AV3 - 6 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2
AV3 - 6 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2     AV3 - 6 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2
AV3 - 6 sem - ROTEIRO DE ESTUDOS - 2014/2
 
Mídias na educação tv e video 04
Mídias na educação tv e video 04Mídias na educação tv e video 04
Mídias na educação tv e video 04
 
Importância Social da TV
Importância  Social da TVImportância  Social da TV
Importância Social da TV
 
Heloiza Matos em defesa da tv publica final
Heloiza Matos em defesa da tv publica finalHeloiza Matos em defesa da tv publica final
Heloiza Matos em defesa da tv publica final
 
ACULTURAÇÃO DA TELEVISÃO
ACULTURAÇÃO DA TELEVISÃOACULTURAÇÃO DA TELEVISÃO
ACULTURAÇÃO DA TELEVISÃO
 
Como iniciar um texto
Como iniciar um textoComo iniciar um texto
Como iniciar um texto
 
ProduçãO De VíDeo I Sociedade Civil Part1
ProduçãO De VíDeo I Sociedade Civil Part1ProduçãO De VíDeo I Sociedade Civil Part1
ProduçãO De VíDeo I Sociedade Civil Part1
 
BBB 2012
BBB  2012BBB  2012
BBB 2012
 
Bbb 2012
Bbb 2012Bbb 2012
Bbb 2012
 
O Reverso Da MíDia Ou A Era Da Insensatez
O Reverso Da MíDia Ou A Era Da InsensatezO Reverso Da MíDia Ou A Era Da Insensatez
O Reverso Da MíDia Ou A Era Da Insensatez
 
27042010 grupo 03 tr22 vania toledo
27042010 grupo 03 tr22 vania toledo27042010 grupo 03 tr22 vania toledo
27042010 grupo 03 tr22 vania toledo
 
O que você não deve fazer em uma dissertação (Granatic)
O que você não deve fazer em uma dissertação (Granatic)O que você não deve fazer em uma dissertação (Granatic)
O que você não deve fazer em uma dissertação (Granatic)
 
Os Males da Mídia
Os Males da MídiaOs Males da Mídia
Os Males da Mídia
 

Mais de Renato Rodrigues

Gabaritos 3º p - 4º
Gabaritos   3º p - 4ºGabaritos   3º p - 4º
Gabaritos 3º p - 4º
Renato Rodrigues
 
Gabaritos 2º h - 4º
Gabaritos   2º h - 4ºGabaritos   2º h - 4º
Gabaritos 2º h - 4º
Renato Rodrigues
 
Gabaritos 1º esperança - 4º
Gabaritos   1º esperança - 4ºGabaritos   1º esperança - 4º
Gabaritos 1º esperança - 4º
Renato Rodrigues
 
Gabaritos 4º bimestre - bondade
Gabaritos   4º bimestre - bondadeGabaritos   4º bimestre - bondade
Gabaritos 4º bimestre - bondade
Renato Rodrigues
 
Português esperança - tipo 01
Português   esperança - tipo 01Português   esperança - tipo 01
Português esperança - tipo 01
Renato Rodrigues
 
Português esperança - tipo 03
Português   esperança - tipo 03Português   esperança - tipo 03
Português esperança - tipo 03
Renato Rodrigues
 
Português 2º humildade -tipo 03
Português   2º humildade -tipo 03Português   2º humildade -tipo 03
Português 2º humildade -tipo 03
Renato Rodrigues
 
Português 2º humildade -tipo 02
Português   2º humildade -tipo 02Português   2º humildade -tipo 02
Português 2º humildade -tipo 02
Renato Rodrigues
 
Português 2º humildade -tipo 01
Português   2º humildade -tipo 01Português   2º humildade -tipo 01
Português 2º humildade -tipo 01
Renato Rodrigues
 
Proposta de redação
Proposta de redaçãoProposta de redação
Proposta de redação
Renato Rodrigues
 
Proposta de redação
Proposta de redaçãoProposta de redação
Proposta de redação
Renato Rodrigues
 
Português bondade - tipo 01
Português   bondade - tipo 01Português   bondade - tipo 01
Português bondade - tipo 01
Renato Rodrigues
 
Português bondade - tipo 03
Português   bondade - tipo 03Português   bondade - tipo 03
Português bondade - tipo 03
Renato Rodrigues
 
Proposta de redação
Proposta de redaçãoProposta de redação
Proposta de redação
Renato Rodrigues
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
Renato Rodrigues
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
Renato Rodrigues
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
Renato Rodrigues
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
Renato Rodrigues
 
Oracao subordinada adjetiva e adverbial
Oracao subordinada adjetiva e adverbialOracao subordinada adjetiva e adverbial
Oracao subordinada adjetiva e adverbial
Renato Rodrigues
 
Roteiro de estudo 2º ano
Roteiro de estudo   2º anoRoteiro de estudo   2º ano
Roteiro de estudo 2º ano
Renato Rodrigues
 

Mais de Renato Rodrigues (20)

Gabaritos 3º p - 4º
Gabaritos   3º p - 4ºGabaritos   3º p - 4º
Gabaritos 3º p - 4º
 
Gabaritos 2º h - 4º
Gabaritos   2º h - 4ºGabaritos   2º h - 4º
Gabaritos 2º h - 4º
 
Gabaritos 1º esperança - 4º
Gabaritos   1º esperança - 4ºGabaritos   1º esperança - 4º
Gabaritos 1º esperança - 4º
 
Gabaritos 4º bimestre - bondade
Gabaritos   4º bimestre - bondadeGabaritos   4º bimestre - bondade
Gabaritos 4º bimestre - bondade
 
Português esperança - tipo 01
Português   esperança - tipo 01Português   esperança - tipo 01
Português esperança - tipo 01
 
Português esperança - tipo 03
Português   esperança - tipo 03Português   esperança - tipo 03
Português esperança - tipo 03
 
Português 2º humildade -tipo 03
Português   2º humildade -tipo 03Português   2º humildade -tipo 03
Português 2º humildade -tipo 03
 
Português 2º humildade -tipo 02
Português   2º humildade -tipo 02Português   2º humildade -tipo 02
Português 2º humildade -tipo 02
 
Português 2º humildade -tipo 01
Português   2º humildade -tipo 01Português   2º humildade -tipo 01
Português 2º humildade -tipo 01
 
Proposta de redação
Proposta de redaçãoProposta de redação
Proposta de redação
 
Proposta de redação
Proposta de redaçãoProposta de redação
Proposta de redação
 
Português bondade - tipo 01
Português   bondade - tipo 01Português   bondade - tipo 01
Português bondade - tipo 01
 
Português bondade - tipo 03
Português   bondade - tipo 03Português   bondade - tipo 03
Português bondade - tipo 03
 
Proposta de redação
Proposta de redaçãoProposta de redação
Proposta de redação
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 
Oracao subordinada adjetiva e adverbial
Oracao subordinada adjetiva e adverbialOracao subordinada adjetiva e adverbial
Oracao subordinada adjetiva e adverbial
 
Roteiro de estudo 2º ano
Roteiro de estudo   2º anoRoteiro de estudo   2º ano
Roteiro de estudo 2º ano
 

Último

OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 

Português renato - 3º perdão - 3 b -tipo 01

  • 1. ESCOLA ESTADUAL BRASILIANO BRAZ Língua Portuguesa – 3º Perdão - Prof. Renato Oliveira 3º BIMESTRE - DATA: 22/09/2014 NOME: ....................................................................................... Nº: ........... TIPO 1 “A publicidade deve ser mais responsável” Texto 01 Entrevista: Beth Carmona A tevê na mira Coordenadora da 4ª Cúpula Mundial de Mídia para Crianças e Adolescentes, Beth Carmona diz que a programação do Brasil é liberal Aziz Filho e Liana Melo O Rio de Janeiro vai sediar, de 19 a 23 de abril, a 4ª Cúpula Mundial de Mídia para Crianças e Adolescentes. Durante quatro dias, a programação de televisão do mundo inteiro será discutida à exaustão por pesquisadores, educadores, publicitários e professores de várias partes do mundo. Eles vão se reunir na imponente sede da Escola Naval, na ilha de Villegagnon, centro do Rio. Aumentar a qualidade da programação dos programas infantis e juvenis é a principal preocupação desta 4ª Cúpula, que elegeu o tema “Mídia de todos, mídia para todos” para permear as discussões. A coordenadora é Beth Carmona, uma paulistana de voz suave que há um ano trocou os Jardins pelo Leblon, no Rio, com a missão de presidir a Rede Brasil (que congrega as TVEs do Rio e do Maranhão, além das Rádios MEC AM e FM do Rio e de Brasília) e ampliar o compromisso social da tevê pública no País, atraindo patrocínios. Beth foi um dos destaques da geração que fez da TV Cultura, de São Paulo, um canal com programação competitiva e índices de audiência de grandes canais. ISTOÉ - O que deve mudar na programação dessa 4ª Cúpula por ocorrer num país do Hemisfério Sul? Beth Carmona – Dependendo do lugar onde a Cúpula acontece, há uma preponderância dos temas que mobilizam o continente. Na última reunião, que ocorreu na Grécia (as outras foram na Austrália e na Inglaterra), houve certa similaridade com a discussão que estamos tendo no Brasil porque a Grécia se identifica com os países menos desenvolvidos. Foi nesse encontro, em 2001, que a América Latina, a África e a Ásia defenderam uma mesa-redonda batizada de “Mídia de todos, mídia para todos”, que virou o tema da 4ª Cúpula. ISTOÉ- Esse tema pode envolver países ricos e pobres? Beth - A globalização mudou o eixo da discussão. Se, por um lado, ela liberou o acesso, por outro fechou muitas portas porque os conglomerados ficaram ainda mais poderosos. O marco da mudança foi o 11 de setembro e, mais recentemente, o 11 de março, em Madri. A sociedade mudou sua visão de mundo, passou a querer formar gente com melhor cabeça, para se proteger mais. As pessoas desejam uma sociedade mais equilibrada e nisso a mídia tem um papel fundamental. A questão da tolerância é superpresente nos programas infantis europeus. Há uma série em que uma menina americana é levada para viver em um país muçulmano e vice-versa. O Brasil não faz nada disso. Estamos muito atrasados. ISTOÉ - Qual é o maior desafio para as tevês educativas? Beth - A situação mudou com as tevês por assinatura. Elas só alcançam uns 10% da população, mas mudaram a concorrência com os canais infantis 24 horas. Pesquisas indicam que, quando tem opção, a criança sempre escolhe a programação infantil. Ainda há os canais comunitários e os universitários. O espectro da programação aumentou e o mercado se dividiu. Acredito que seja possível fazer uma tevê educativa se houver boa vontade dos empresários. ISTOÉ - A sra. concorda com os que consideram a televisão a maior responsável pelo aumento da violência? Beth - A tevê exerce uma forte influência, mas não é a única culpada. É ruim quando a televisão exagera, carrega nas tintas. O desenho japonês Power Rangers é um exemplo. As pessoas estão andando na rua e de repente aparece um monstro. Esse tipo de coisa tira o parâmetro da realidade, cria medo, susto, em um contexto impossível demais. A tevê, a novela, os programas policiais criam uma situação complexa de exacerbação das situações e você fica com medo de sair na rua. ISTOÉ- Mas isso produz o medo, não necessariamente a violência. Beth - A sociedade americana está se armando pelo medo. O Michael Moore diz que, ao incutir o medo, a mídia incita a violência. Nós estamos muito mal na parte regulatória, não temos muita regra. Quem tem a concessão tem a concessão e pronto. Os limites, os deveres, o uso, tudo é mito livre. ISTOÉ - É possível regular sem censurar? Beth - Claro que sim. Há países com marcos regulatórios bem interessantes. Eles não se limitam a dizer o que não pode, mas estimulam o que pode e estabelecem limites, horários, coisas mínimas. A gente sabe que autorregulação não funciona. O governo deve ter uma política regulatória e deve haver uma sociedade que desligue os canais, pressione. A publicidade precisa ser mais consciente. Se o anunciante é orientado a não botar dinheiro no que é ruim, tudo muda. ISTOÉ - A mídia tem sido criticada pelo comportamento social, muita liberalidade, muitas cenas quentes nas novelas. A sra. concorda com as críticas?
  • 2. Beth- Realmente o Brasil é muito liberal. Em outros países, as pessoas se escandalizam com o que vemos em horário livre aqui. Na Europa ou nos Estados Unidos, não seria possível veicular muitas coisas. Somos um pouco responsáveis pela perda da infância precoce, pela erotização, por adiantar temas que não deveriam estar na preocupação das crianças. Mas, já que isso existe, deveria ser feito com mais responsabilidade QUESTÃO 01 As características apresentadas nas alternativas abaixo permitem reconhecer o texto como do gênero entrevista, EXCETO: a) Apresenta, abaixo do título, um resumo das informações mais importantes (lead). b) Aparece em portadores destinados a circular dentro de um segmento social restrito. c) Estrutura-se com alternância dos turnos de fala dos interlocutores. d) Inicia-se com uma série de informações relativas ao assunto e à pessoa entrevistada. QUESTÃO 02 A entrevista acontece normalmente numa situação de linguagem oral, por isso é comum encontrarem-se nela traços de coloquialidade. Todas as alternativas abaixo comprovam essa afirmativa, EXCETO: a) “Esse tipo de coisa tira o parâmetro da realidade, cria medo...” b) “A globalização mudou o eixo da discussão.” c) “Quem tem a concessão tem a concessão e pronto.” d) “A gente sabe que autorregulação não funciona.” QUESTÃO 03 De acordo com o texto, todas as alternativas apontam possível solução para a melhoria da qualidade da programação da TV, EXCETO: a) Conscientizar o anunciante a não investir em programas ruins. b) Convencer os empresários da necessidade de tornar a programação mais educativa. c) Exercer a sociedade o seu poder de pressão ao desligar os canais. d) Incentivar as emissoras a criar mecanismo próprio de regulamentação QUESTÃO 04 Todas as alternativas abaixo contêm cada uma, um fragmento do texto e, à frente, a sua interpretação. Analise-os e marque aquela em que NÃO se faz uma interpretação correta: a) “O marco da mudança foi o 11 de setembro e, mais recentemente, o 11 de março, em Madri.” (Datas em que o terrorismo assombrou o mundo com os ataques ao World Trade Center e ao metrô de Madri, respectivamente.) b) “..as tevês por assinatura. Elas só alcançam uns 10% da população, mas mudaram a concorrência com os canais infantis 24 horas.” (Apesar de pequena parte da população ter acesso às tevês por assinatura, elas influenciaram a programação infantil dos canais 24 horas.) c) “Quem tem a concessão tem a concessão e pronto.” (Depois que se consegue autorização para operar um canal de TV, a preocupação é fazer uma programação de qualidade para ganhar audiência da concorrência). d) “O Michael Moore diz que, ao incutir o medo, a mídia incita a violência.” (O cineasta faz alusão ao fato de, por medo, a pessoa reagir agressivamente como forma de defesa.) QUESTÃO 05 O tema da 4ª Cúpula Mundial de Mídia para Crianças e Adolescentes é “Mídia de todos, mídia para todos.” Marque a alternativa que NÃO se relaciona com esse tema: a) Os programas que exibem culturas diversificadas se restringem a divulgar o exotismo de certas regiões. b) Os países pobres propuseram esse tema durante uma reunião que ocorreu na Grécia. c) A tevê brasileira precisa aperfeiçoar a sua programação para atender ao que propõe a 4ª Cúpula. d) O foco da discussão, depois dos atentados, passou a ser a formação de uma sociedade mais equilibrada. QUESTÃO 06 Assinale a alternativa incorreta quanto aos princípios básicos divulgados pelos participantes da Semana de Arte Moderna: a) Manutenção da temática poética simbolista e parnasiana; b) Desejo de expressão livre e tendência para transmitir, sem os embelezamentos tradicionais dos academicismos, a emoção e a realidade do país; c) Rejeição dos padrões portugueses, buscando uma expressão mais coloquial, próxima do falar brasileiro; d) Valorização do prosaico e do humour, que, em todas as suas gamas, lavou e purificou a atmosfera sobrecarregada pelos acadêmicos. . QUESTÃO 07 Faça a associação correta: Movimentos: Verde-Amarelo Pau-Brasil Antropofagia. A B C Objetivos: 1 – Revalorização do primitivismo, da cultura indígena enraizada no Brasil antes mesmo dos portugueses chegarem aqui. 2 – Valorização do Nacional e crença de que o Brasil seria um lugar em que foi possível a síntese de todas as raças. 3 – Deglutição da consciência europeia depositada nos brasileiros. a) A – 3, B – 2, C-1. b) A – 2, B – 1, C-3. c) A – 1, B – 2, C-3. d) A – 1, B – 3, C-2. TEXTO II : A culinária nacional ficaria empobrecida, e sua individualidade profundamente afetada, se acabasse com os quitutes de origem indígena: eles dão um gosto à alimentação brasileira que nem os pratos de origem lusitana nem os manjares africanos jamais substituíram. Mas salienta o que foi nas cozinhas das casas-grandes que muitos desses quitutes perderam o ranço regional, o exclusivismo caboclo, para se abrasileirarem. Revista Superinteressante QUESTÃO 08 Mas saliento que foi nas cozinhas das casas-grandes que muitos desses quitutes perderam o ranço regional, o exclusivismo caboclo, para se abrasileirarem. Em relação ao verbo salientar, o trecho destacado funciona como a) Aposto. b) Objeto indireto. c) Objeto direto. d) Complemento nominal.
  • 3. QUESTÃO 09 As frases abaixo foram classificadas corretamente entre parênteses, EXCETO: a) Briguei com meu amigo, porque ele desarrumou todo meu quarto. (explicativa) b) Estavam famintos, precisavam, pois, de um pouco de comida. (conclusiva) c) Ele estuda muito e não consegue passar na prova. (adversativa) d) Nós fomos precisos, mas também pacientes. (adversativa) QUESTÃO 10 Tenho a impressão de que a época dos canivetes era melhor ! No excerto “ Tenho a impressão de que a é época dos canivetes era melhor”, a oração posta em destaque deve ser classificada como a) Oração Subordinada Substantiva Subjetiva b) Oração Subordinada Substantiva Completiva nominal c) Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta d) Oração Subordinada Substantiva Predicativa