SlideShare uma empresa Scribd logo
PSICOMOTRICIDADE
Profa. Esp. Valquíria Fernandes Oliveira
O que é Psicomotricidade?
“Ciência que tem como objeto de estudo o homem
através do seu corpo em movimento e em relação
ao seu mundo interno e externo, bem como suas
possibilidades de perceber, atuar, agir com o outro,
com os objetos e consigo mesmo. Portanto, é um
termo empregado para uma concepção de
movimento organizado e integrado, em função das
experiências vividas pelo sujeito cuja ação é
resultante de sua individualidade, sua linguagem e
sua socialização.”
Sociedade Brasileira de Psicomotricidade
Objetivos gerais da psicomotricidade
Controlar o corpo como um todo;
Coordenar movimentos para realizar ações;
Equilibrar-se nas diversas posturas e atitudes;
Reconhecer a posição dos objetos no espaço;
Situar-se no tempo, promovendo seu próprio ritmo;
Manter ritmo respiratório fisiológico;
Ter sentido de direção;
Adaptar-se às condições de espaço que o meio lhe oferece;
Interagir com os outros
Apresentar boa aceitação pessoal e equilíbrio emocional
PSICOMOTRICIDADE -
WALLON
PSICOMOTRICIDADE -
PIAGET
PSICOMOTRICIDADE –
LE BOULCH
PSICOMOTRICIDADE –
VÍTOR DA FONSECA
Elementos da Psicomotricidade
Esquema
Corporal
Imagem Corporal
Tonicidade
Equilíbrio
Coordenação Motora
Ampla e fina
Lateralidade
Orientação espaço
temporal
Funções Básicas da
Psicomotricidade
Respiração
Relaxamento
Equilíbrio Emocional
Percepção
Aprendizagem
Atenção
Consciência Corporal
Fatores geradores de
Perturbação Psicomotora
Dificuldade intelectual
Atraso no DNPM
Meios de intervenção psicomotora
Música – Sons que podem ser produzidos com seu corpo, com a voz e com
objetos. O som depende do movimento e não existe na ausência dele.
Cores – As cores influenciam as nossas atitudes e sentimentos.
Dança - Através do movimento corporal proposto pela dança estamos
explorando a linguagem através da qual o ser humano expressa sensações,
emoções, pensamentos e sentimentos com o seu corpo, integrando assim
às outras linguagens expressivas como a fala, o desenho e a escrita.
Dramatização – Incentivamos a imaginação e criatividade, através da
troca de papéis proporcionada pelo drama podemos viver e reviver
experiências marcantes de grande conteúdo emocional, assim como
facilitamos o jogo motor global durante a imitação e representação de
um personagem.
Literatura – Viajamos em nossas histórias, um novo mundo nos é proposto
quando somos capazes de vivenciar contos de fadas, estórias de terror ou
fantásticas ficções.
Meios de intervenção psicomotora
Artes Plásticas – Atividades que tem em comum a objetivação da
representação visual do domínio figurativo a partir da transformação da
matéria (argila, cola, papéis, gravuras...).
Relaxamento – Dentre as diversas técnicas, podemos contar com o
controle respiratório, visualização mental, atividade muscular
regulada, contração/descontração, mobilização passiva, massagem e
alongamento global.
Meios de intervenção psicomotora
Jogo/Dinâmica – É o conjunto de operações coexistentes e interativas,
integrado por estímulos da realidade e da fantasia. É provedor da
sensação contínua de exploração e descoberta. Através do jogo existe, o
encontro do ritual de gestos e atitudes, prazer, divertindo, liberdade e
totalidade.
Apresentação – São apropriadas para “quebrar o gelo”, facilitando o
entrosamento.
Entrosamento – Ajudam as pessoas a se relacionarem e se conhecerem.
Reflexão e aprofundamento – servem para expressarmos e refletimos
sobre um tema ou problema relacionado com o propósito do encontro.
Sensibilização – Quando se quer abrir um instante para que diferentes
olhares voltem-se para o mesmo enfoque.
Desafios – Possibilitam aguçar a imaginar, a criatividade, a testar os
limites e a estimular a quebra das barreiras.
PSICOMOTRICIDADE
RELACIONAL
Psicomotricidade Relacional
É indispensável em todo o processo educativo um espaço e um
tempo para a criança brincar e, assim se desenvolver, melhor se
comunicar e se revelar.
No brincar a criança constrói um espaço de experimentação, de
transição entre o mundo interno e externo.
A psicomotricidade pode ser apresentada a criança
como uma série de exercícios a serem cumpridos com
seriedade ou como situações lúdicas, onde ela se
desenvolverá como uma brincadeira, de forma
prazeroza, e estará desenvolvendo igualmente sua
potencialidade psicomotora.
Psicomotricidade Relacional
Brincar é Metafórico
A Criança atribui a função ao objeto lúdico sem compromisso com a
realidade;
O brinquedo estimula a representação da realidade;
Através da brincadeira, a criança se apropria de conhecimentos que
possibilitarão sua ação sobre o meio em que se encontram;
O mundo do brinquedo é o mundo da ilusão, do imaginário, o fantástico
mundo da fantasia.
A criança se inicia no meio adulto por meio da brincadeira e pode
antever seus papeis e valores futuros
Psicomotricidade Relacional
Brincar Especial
“ Se ajudarmos a utilizar as habilidades que tem, não importa quão limitada
ela seja, ela será capaz de aprender enquanto brinca”
* Levar a brincadeira até ela;
* Oferecer diversidade de atividades, prestando atenção em suas
preferências. Respeitar a vontade da criança;
* A criança deve atuar e não ser apenas expectadora, ter tempo para agir e
interagir, permitindo que ela explore na sua velocidade;
* Tudo que puder fazer sozinha, não faça por ela. Tudo que ela não puder
fazer sozinha, faça com ela;
* Ofereça atividades desafiadoras que não reforcem o fracasso. Escolha
brinquedos compatíveis ao desenvolvimento da criança;
* Esteja atento ao nível de tolerância e de sua habilidade de concentrar-se;
* Observe e avalie a posição do brincar. Use direções simples e frases
curtas.;
“É no brincar, e tão somente no brincar,
que a criança ou adulto é capaz de ser criativo
e de usar toda a sua personalidade,
e é apenas sendo criativo que o indivíduo descobre o eu”
Winnicott
A todos muito
obrigado, e boa
sorte !!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vygotsky
VygotskyVygotsky
Vygotsky
Elcielle .
 
Adultez e envelhecimento2
Adultez e envelhecimento2Adultez e envelhecimento2
Adultez e envelhecimento2
Viviane Pasqualeto
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
ruibraz
 
1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento
Claudinéia da Silva de Oliveira
 
IntroduçãO Psicomotricidade Unesp
IntroduçãO Psicomotricidade UnespIntroduçãO Psicomotricidade Unesp
IntroduçãO Psicomotricidade Unesp
mariosouzza
 
Desenvolvimento Humano: Adulto e Idoso
Desenvolvimento Humano: Adulto e IdosoDesenvolvimento Humano: Adulto e Idoso
Desenvolvimento Humano: Adulto e Idoso
Renata Inácio
 
Henri Wallon e sua teoria
Henri Wallon e sua teoriaHenri Wallon e sua teoria
Henri Wallon e sua teoria
Thiago de Almeida
 
8.teorias psicogeneticas
8.teorias psicogeneticas8.teorias psicogeneticas
8.teorias psicogeneticas
Ulisses Vakirtzis
 
Teoria Comportamental
Teoria  ComportamentalTeoria  Comportamental
Teoria Comportamental
psicologiaisecensa
 
Cognição
CogniçãoCognição
Cognição
Rafael Savi
 
Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011
Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011
Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011
Unip e Uniplan
 
Piaget completo
Piaget completoPiaget completo
Piaget completo
Camila Munari
 
Estruturas organizacionais
Estruturas organizacionaisEstruturas organizacionais
Estruturas organizacionais
Universidade Pedagogica
 
Aula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de Aprendizagem
Aula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de AprendizagemAula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de Aprendizagem
Aula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de Aprendizagem
Fernando S. S. Barbosa
 
Cognição social (slides da aula)
Cognição social (slides da aula)Cognição social (slides da aula)
Cognição social (slides da aula)
Adalene Sales
 
Jean piaget
Jean piagetJean piaget
Interação Social
Interação SocialInteração Social
Interação Social
Ana Antunes
 
Vygostky e a formação de conceitos martha kohl
Vygostky e a formação de conceitos   martha kohlVygostky e a formação de conceitos   martha kohl
Vygostky e a formação de conceitos martha kohl
Ernane Oliveira
 
Introdução ao estudo de psicologia de grupos
Introdução ao estudo de psicologia de gruposIntrodução ao estudo de psicologia de grupos
Introdução ao estudo de psicologia de grupos
Claudson Cerqueira Santana
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Débora Silveira
 

Mais procurados (20)

Vygotsky
VygotskyVygotsky
Vygotsky
 
Adultez e envelhecimento2
Adultez e envelhecimento2Adultez e envelhecimento2
Adultez e envelhecimento2
 
Psicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimentoPsicologia do desenvolvimento
Psicologia do desenvolvimento
 
1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento1. teorias do desenvolvimento
1. teorias do desenvolvimento
 
IntroduçãO Psicomotricidade Unesp
IntroduçãO Psicomotricidade UnespIntroduçãO Psicomotricidade Unesp
IntroduçãO Psicomotricidade Unesp
 
Desenvolvimento Humano: Adulto e Idoso
Desenvolvimento Humano: Adulto e IdosoDesenvolvimento Humano: Adulto e Idoso
Desenvolvimento Humano: Adulto e Idoso
 
Henri Wallon e sua teoria
Henri Wallon e sua teoriaHenri Wallon e sua teoria
Henri Wallon e sua teoria
 
8.teorias psicogeneticas
8.teorias psicogeneticas8.teorias psicogeneticas
8.teorias psicogeneticas
 
Teoria Comportamental
Teoria  ComportamentalTeoria  Comportamental
Teoria Comportamental
 
Cognição
CogniçãoCognição
Cognição
 
Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011
Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011
Modelos de liderança 2a aula - 17/02/2011
 
Piaget completo
Piaget completoPiaget completo
Piaget completo
 
Estruturas organizacionais
Estruturas organizacionaisEstruturas organizacionais
Estruturas organizacionais
 
Aula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de Aprendizagem
Aula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de AprendizagemAula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de Aprendizagem
Aula 1 - Introdução à Neurociência, Aprendizagem e Problemas de Aprendizagem
 
Cognição social (slides da aula)
Cognição social (slides da aula)Cognição social (slides da aula)
Cognição social (slides da aula)
 
Jean piaget
Jean piagetJean piaget
Jean piaget
 
Interação Social
Interação SocialInteração Social
Interação Social
 
Vygostky e a formação de conceitos martha kohl
Vygostky e a formação de conceitos   martha kohlVygostky e a formação de conceitos   martha kohl
Vygostky e a formação de conceitos martha kohl
 
Introdução ao estudo de psicologia de grupos
Introdução ao estudo de psicologia de gruposIntrodução ao estudo de psicologia de grupos
Introdução ao estudo de psicologia de grupos
 
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagemPsicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
Psicologia do desenvolvimento e da aprendizagem
 

Semelhante a Psicomotricidade Relacional 2.ppt

13ARTIGO PSICOMOTRICIDADE.pdf
13ARTIGO PSICOMOTRICIDADE.pdf13ARTIGO PSICOMOTRICIDADE.pdf
13ARTIGO PSICOMOTRICIDADE.pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdfARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdfARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
SimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdfARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
SimoneHelenDrumond
 
Metodologia do Ensino de Artes - parte II
Metodologia do Ensino de Artes - parte IIMetodologia do Ensino de Artes - parte II
Metodologia do Ensino de Artes - parte II
Ana Guimaraes
 
6.psicomotricidade texto1
6.psicomotricidade texto16.psicomotricidade texto1
6.psicomotricidade texto1
Jane Silva
 
a_psicologia_ou_as_psicologias.ppt
a_psicologia_ou_as_psicologias.ppta_psicologia_ou_as_psicologias.ppt
a_psicologia_ou_as_psicologias.ppt
DanielleCorreia12
 
Estudo dirigido
Estudo dirigidoEstudo dirigido
Estudo dirigido
Maura Fernandes Pereira
 
A brincadeira e o desenvolvimento da imaginação e da criatividade
A brincadeira e o desenvolvimento da imaginação e da criatividadeA brincadeira e o desenvolvimento da imaginação e da criatividade
A brincadeira e o desenvolvimento da imaginação e da criatividade
Maria Bárbara Floriano
 
Dialnet o brincar-umapercepcao-3694660
Dialnet o brincar-umapercepcao-3694660Dialnet o brincar-umapercepcao-3694660
Dialnet o brincar-umapercepcao-3694660
Leandro (Inpes-Uscs)
 
S3 teorias da_aprendizagem
S3 teorias da_aprendizagemS3 teorias da_aprendizagem
S3 teorias da_aprendizagem
Reginaldo Nobrega
 
Introdução à Psicologia: Elementos e Ciência
Introdução à Psicologia: Elementos e CiênciaIntrodução à Psicologia: Elementos e Ciência
Introdução à Psicologia: Elementos e Ciência
Edgard Lombardi
 
Rev03 04
Rev03 04Rev03 04
Tecendo o amanhã
Tecendo o amanhãTecendo o amanhã
Slide Ana Bock 1.pdf
Slide Ana Bock 1.pdfSlide Ana Bock 1.pdf
Slide Ana Bock 1.pdf
Andrea Nogueira
 
Slide Ana Bock 1.pdf
Slide Ana Bock 1.pdfSlide Ana Bock 1.pdf
Slide Ana Bock 1.pdf
Andrea Nogueira
 
O AUTISMO E A ESTIMULAÇÃO SENSORIAL: UM OLHAR PSICOMOTOR
O AUTISMO E A ESTIMULAÇÃO SENSORIAL: UM OLHAR PSICOMOTORO AUTISMO E A ESTIMULAÇÃO SENSORIAL: UM OLHAR PSICOMOTOR
O AUTISMO E A ESTIMULAÇÃO SENSORIAL: UM OLHAR PSICOMOTOR
Raphaela Marques
 
Psicologia da educação 25.06.11
Psicologia da educação 25.06.11Psicologia da educação 25.06.11
Psicologia da educação 25.06.11
Ana Lucia Gouveia
 
Ludicidade psicomotricidade-e-o-imaginário-infantil-4
Ludicidade psicomotricidade-e-o-imaginário-infantil-4Ludicidade psicomotricidade-e-o-imaginário-infantil-4
Ludicidade psicomotricidade-e-o-imaginário-infantil-4
Thaise Sonária
 
Jean piaget trabalho de grupo
Jean piaget   trabalho de grupoJean piaget   trabalho de grupo
Jean piaget trabalho de grupo
9iulian0
 

Semelhante a Psicomotricidade Relacional 2.ppt (20)

13ARTIGO PSICOMOTRICIDADE.pdf
13ARTIGO PSICOMOTRICIDADE.pdf13ARTIGO PSICOMOTRICIDADE.pdf
13ARTIGO PSICOMOTRICIDADE.pdf
 
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdfARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
 
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdfARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
 
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdfARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
ARTIGO 4 PSICOMOTRICIDADE .pdf
 
Metodologia do Ensino de Artes - parte II
Metodologia do Ensino de Artes - parte IIMetodologia do Ensino de Artes - parte II
Metodologia do Ensino de Artes - parte II
 
6.psicomotricidade texto1
6.psicomotricidade texto16.psicomotricidade texto1
6.psicomotricidade texto1
 
a_psicologia_ou_as_psicologias.ppt
a_psicologia_ou_as_psicologias.ppta_psicologia_ou_as_psicologias.ppt
a_psicologia_ou_as_psicologias.ppt
 
Estudo dirigido
Estudo dirigidoEstudo dirigido
Estudo dirigido
 
A brincadeira e o desenvolvimento da imaginação e da criatividade
A brincadeira e o desenvolvimento da imaginação e da criatividadeA brincadeira e o desenvolvimento da imaginação e da criatividade
A brincadeira e o desenvolvimento da imaginação e da criatividade
 
Dialnet o brincar-umapercepcao-3694660
Dialnet o brincar-umapercepcao-3694660Dialnet o brincar-umapercepcao-3694660
Dialnet o brincar-umapercepcao-3694660
 
S3 teorias da_aprendizagem
S3 teorias da_aprendizagemS3 teorias da_aprendizagem
S3 teorias da_aprendizagem
 
Introdução à Psicologia: Elementos e Ciência
Introdução à Psicologia: Elementos e CiênciaIntrodução à Psicologia: Elementos e Ciência
Introdução à Psicologia: Elementos e Ciência
 
Rev03 04
Rev03 04Rev03 04
Rev03 04
 
Tecendo o amanhã
Tecendo o amanhãTecendo o amanhã
Tecendo o amanhã
 
Slide Ana Bock 1.pdf
Slide Ana Bock 1.pdfSlide Ana Bock 1.pdf
Slide Ana Bock 1.pdf
 
Slide Ana Bock 1.pdf
Slide Ana Bock 1.pdfSlide Ana Bock 1.pdf
Slide Ana Bock 1.pdf
 
O AUTISMO E A ESTIMULAÇÃO SENSORIAL: UM OLHAR PSICOMOTOR
O AUTISMO E A ESTIMULAÇÃO SENSORIAL: UM OLHAR PSICOMOTORO AUTISMO E A ESTIMULAÇÃO SENSORIAL: UM OLHAR PSICOMOTOR
O AUTISMO E A ESTIMULAÇÃO SENSORIAL: UM OLHAR PSICOMOTOR
 
Psicologia da educação 25.06.11
Psicologia da educação 25.06.11Psicologia da educação 25.06.11
Psicologia da educação 25.06.11
 
Ludicidade psicomotricidade-e-o-imaginário-infantil-4
Ludicidade psicomotricidade-e-o-imaginário-infantil-4Ludicidade psicomotricidade-e-o-imaginário-infantil-4
Ludicidade psicomotricidade-e-o-imaginário-infantil-4
 
Jean piaget trabalho de grupo
Jean piaget   trabalho de grupoJean piaget   trabalho de grupo
Jean piaget trabalho de grupo
 

Mais de ValquiriaFernandesOl2

Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx
Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptxAnálise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx
Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx
indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptxindicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx
indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptxppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
Rose Piaget 1 (1).pdf
Rose Piaget 1 (1).pdfRose Piaget 1 (1).pdf
Rose Piaget 1 (1).pdf
ValquiriaFernandesOl2
 
Aula I.pptx
Aula I.pptxAula I.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptxA sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptxFormação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
ValquiriaFernandesOl2
 
Análise do Desenho Infantil.pptx
Análise do Desenho Infantil.pptxAnálise do Desenho Infantil.pptx
Análise do Desenho Infantil.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptxSLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).pptppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ValquiriaFernandesOl2
 
Deficiência Auditiva.ppt
Deficiência Auditiva.pptDeficiência Auditiva.ppt
Deficiência Auditiva.ppt
ValquiriaFernandesOl2
 
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdfEDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
ValquiriaFernandesOl2
 
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.pptAula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
ValquiriaFernandesOl2
 

Mais de ValquiriaFernandesOl2 (15)

Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx
Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptxAnálise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx
Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx
 
indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx
indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptxindicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx
indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx
 
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptxppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
 
Rose Piaget 1 (1).pdf
Rose Piaget 1 (1).pdfRose Piaget 1 (1).pdf
Rose Piaget 1 (1).pdf
 
Aula I.pptx
Aula I.pptxAula I.pptx
Aula I.pptx
 
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptxA sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
 
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptxFormação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
 
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
 
Análise do Desenho Infantil.pptx
Análise do Desenho Infantil.pptxAnálise do Desenho Infantil.pptx
Análise do Desenho Infantil.pptx
 
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptxSLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
 
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).pptppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
 
Deficiência Auditiva.ppt
Deficiência Auditiva.pptDeficiência Auditiva.ppt
Deficiência Auditiva.ppt
 
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdfEDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
 
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
 
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.pptAula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
 

Último

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
DeuzinhaAzevedo
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmenteeducação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
educação inclusiva na atualidade como ela se estabelece atualmente
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 

Psicomotricidade Relacional 2.ppt

  • 2. O que é Psicomotricidade? “Ciência que tem como objeto de estudo o homem através do seu corpo em movimento e em relação ao seu mundo interno e externo, bem como suas possibilidades de perceber, atuar, agir com o outro, com os objetos e consigo mesmo. Portanto, é um termo empregado para uma concepção de movimento organizado e integrado, em função das experiências vividas pelo sujeito cuja ação é resultante de sua individualidade, sua linguagem e sua socialização.” Sociedade Brasileira de Psicomotricidade
  • 3. Objetivos gerais da psicomotricidade Controlar o corpo como um todo; Coordenar movimentos para realizar ações; Equilibrar-se nas diversas posturas e atitudes; Reconhecer a posição dos objetos no espaço; Situar-se no tempo, promovendo seu próprio ritmo; Manter ritmo respiratório fisiológico; Ter sentido de direção; Adaptar-se às condições de espaço que o meio lhe oferece; Interagir com os outros Apresentar boa aceitação pessoal e equilíbrio emocional
  • 8.
  • 9. Elementos da Psicomotricidade Esquema Corporal Imagem Corporal Tonicidade Equilíbrio Coordenação Motora Ampla e fina Lateralidade Orientação espaço temporal
  • 10. Funções Básicas da Psicomotricidade Respiração Relaxamento Equilíbrio Emocional Percepção Aprendizagem Atenção Consciência Corporal
  • 11. Fatores geradores de Perturbação Psicomotora Dificuldade intelectual Atraso no DNPM
  • 12. Meios de intervenção psicomotora Música – Sons que podem ser produzidos com seu corpo, com a voz e com objetos. O som depende do movimento e não existe na ausência dele. Cores – As cores influenciam as nossas atitudes e sentimentos. Dança - Através do movimento corporal proposto pela dança estamos explorando a linguagem através da qual o ser humano expressa sensações, emoções, pensamentos e sentimentos com o seu corpo, integrando assim às outras linguagens expressivas como a fala, o desenho e a escrita. Dramatização – Incentivamos a imaginação e criatividade, através da troca de papéis proporcionada pelo drama podemos viver e reviver experiências marcantes de grande conteúdo emocional, assim como facilitamos o jogo motor global durante a imitação e representação de um personagem.
  • 13. Literatura – Viajamos em nossas histórias, um novo mundo nos é proposto quando somos capazes de vivenciar contos de fadas, estórias de terror ou fantásticas ficções. Meios de intervenção psicomotora Artes Plásticas – Atividades que tem em comum a objetivação da representação visual do domínio figurativo a partir da transformação da matéria (argila, cola, papéis, gravuras...). Relaxamento – Dentre as diversas técnicas, podemos contar com o controle respiratório, visualização mental, atividade muscular regulada, contração/descontração, mobilização passiva, massagem e alongamento global.
  • 14. Meios de intervenção psicomotora Jogo/Dinâmica – É o conjunto de operações coexistentes e interativas, integrado por estímulos da realidade e da fantasia. É provedor da sensação contínua de exploração e descoberta. Através do jogo existe, o encontro do ritual de gestos e atitudes, prazer, divertindo, liberdade e totalidade. Apresentação – São apropriadas para “quebrar o gelo”, facilitando o entrosamento. Entrosamento – Ajudam as pessoas a se relacionarem e se conhecerem. Reflexão e aprofundamento – servem para expressarmos e refletimos sobre um tema ou problema relacionado com o propósito do encontro. Sensibilização – Quando se quer abrir um instante para que diferentes olhares voltem-se para o mesmo enfoque. Desafios – Possibilitam aguçar a imaginar, a criatividade, a testar os limites e a estimular a quebra das barreiras.
  • 15.
  • 17. Psicomotricidade Relacional É indispensável em todo o processo educativo um espaço e um tempo para a criança brincar e, assim se desenvolver, melhor se comunicar e se revelar. No brincar a criança constrói um espaço de experimentação, de transição entre o mundo interno e externo. A psicomotricidade pode ser apresentada a criança como uma série de exercícios a serem cumpridos com seriedade ou como situações lúdicas, onde ela se desenvolverá como uma brincadeira, de forma prazeroza, e estará desenvolvendo igualmente sua potencialidade psicomotora.
  • 18. Psicomotricidade Relacional Brincar é Metafórico A Criança atribui a função ao objeto lúdico sem compromisso com a realidade; O brinquedo estimula a representação da realidade; Através da brincadeira, a criança se apropria de conhecimentos que possibilitarão sua ação sobre o meio em que se encontram; O mundo do brinquedo é o mundo da ilusão, do imaginário, o fantástico mundo da fantasia. A criança se inicia no meio adulto por meio da brincadeira e pode antever seus papeis e valores futuros
  • 19. Psicomotricidade Relacional Brincar Especial “ Se ajudarmos a utilizar as habilidades que tem, não importa quão limitada ela seja, ela será capaz de aprender enquanto brinca” * Levar a brincadeira até ela; * Oferecer diversidade de atividades, prestando atenção em suas preferências. Respeitar a vontade da criança; * A criança deve atuar e não ser apenas expectadora, ter tempo para agir e interagir, permitindo que ela explore na sua velocidade; * Tudo que puder fazer sozinha, não faça por ela. Tudo que ela não puder fazer sozinha, faça com ela; * Ofereça atividades desafiadoras que não reforcem o fracasso. Escolha brinquedos compatíveis ao desenvolvimento da criança; * Esteja atento ao nível de tolerância e de sua habilidade de concentrar-se; * Observe e avalie a posição do brincar. Use direções simples e frases curtas.;
  • 20. “É no brincar, e tão somente no brincar, que a criança ou adulto é capaz de ser criativo e de usar toda a sua personalidade, e é apenas sendo criativo que o indivíduo descobre o eu” Winnicott A todos muito obrigado, e boa sorte !!!