SlideShare uma empresa Scribd logo
INDICADORES DE QUALIDADE
NA EDUCAÇÃO INFANTIL
O que são indicadores?
Indicadores são sinais que revelam aspectos
de determinada realidade e que podem
qualificar algo.
Este documento pretende ser um
instrumento que ajude os coletivos – equipes e
comunidade – das instituições de educação
infantil a encontrar seu próprio caminho na
direção de práticas educativas que respeitem os
direitos fundamentais das crianças e ajudem a
construir uma sociedade mais democrática.
Compreendendo seus pontos fortes e
fracos, a instituição de educação infantil
pode intervir para melhorar sua qualidade,
de acordo com suas condições, definindo
suas prioridades e traçando um caminho a
seguir na construção de um trabalho
pedagógico e social significativo.
Este instrumento foi elaborado com base em
aspectos fundamentais para a qualidade da
instituição de educação infantil, aqui expressos
em dimensões dessa qualidade:
1 – Planejamento Institucional;
2– Multiplicidade de experiências e linguagens;
3 – Interações;
4 – Promoção da saúde;
5 – Espaços, Materiais e Mobiliários;
6– Formação e condições de trabalho das
professoras e demais profissionais;
7– Cooperação e troca com as famílias e
participação na rede de proteção social.
As dimensões podem ser constatadas por
meio de indicadores. Cada indicador, por sua
vez, é avaliado após o grupo responder a
uma série de perguntas. As respostas a
essas perguntas permitem à comunidade
avaliar a qualidade da instituição de
educação infantil quanto àquele indicador.
Para facilitar a avaliação, sugere-se que as
pessoas atribuam cores aos indicadores. As
cores simbolizam a avaliação que é feita:
❖ Caso o grupo avalie que essas ações, atitudes
ou situações existem e estão consolidadas na
instituição de educação infantil, deverá atribuir a
elas a cor verde, indicando que o processo de
melhoria da qualidade já está num bom
caminho.
❖Se, na instituição de educação infantil essas
atitudes, práticas ou situações ocorrem de vez
em quando, mas não estão consolidadas, o
grupo lhe atribuirá a cor amarela, o que indica
que elas merecem cuidado e atenção.
❖Caso o grupo avalie que essas atitudes,
situações ou ações não existem na instituição
de educação infantil, atribuirá a elas a cor
vermelha. A situação é grave e merece
providências imediatas.
Avaliação sincera ajuda a resolver problemas.
É importante lembrar que os indicadores que
receberam a cor vermelha ou amarela sinalizam
prioridades de ação. Assim, é fundamental que a
avaliação seja fiel. Se algo é vermelho e o grupo
diz que é verde, não ajuda, apenas dificulta que a
ação coletiva ocorra para mudar aquela situação.
Com isso, toda a comunidade sai perdendo,
principalmente as crianças.
1ª Dimensão: Planejamento Institucional
A creche, a pré-escola e os centros de educação infantil
são instituições educativas destinadas a promover o
desenvolvimento integral das crianças até seis anos de idade.
São espaços de formação também para os integrantes da
equipe responsável e para as famílias. Para que o trabalho
realizado tenha condições de obter bons resultados, é muito
importante que todos tenham clareza a respeito dos objetivos
da instituição e atuem conjuntamente de forma construtiva.
Para orientar as atividades desenvolvidas, a equipe da
instituição de educação infantil deve contar com uma proposta
pedagógica em forma de documento, discutida e elaborada por
todos, a partir do conhecimento da realidade daquela
comunidade, mencionando os objetivos que se quer atingir com
as crianças e os principais meios para alcançá-los.
A proposta pedagógica não deve ser
apenas um documento que se guarda na
prateleira. Ao contrário, deve ser um
instrumento de trabalho, periodicamente revisto,
com base nas experiências vividas na
instituição, nas avaliações do trabalho
desenvolvido e nos novos desafios que surgem.
Para isso, é muito importante que as diversas
atividades desenvolvidas com as crianças sejam
registradas e documentadas, de forma a permitir
a troca de informações dentro da equipe,
acompanhamento dos progressos realizados
pelas crianças e comunicação com as famílias.
Para elaborar a proposta
pedagógica, a equipe de uma instituição
de educação infantil deve se atualizar
sobre as orientações legais vigentes e
sobre os conhecimentos já acumulados a
respeito da educação infantil. Livros,
revistas, materiais acessíveis pela
internet, entre outros recursos, são
importantes subsídios para fundamentar o
planejamento do trabalho pedagógico, a
formação em serviço e o relacionamento
com as famílias.
Indicador 1.1 Proposta Pedagógica
Consolidada:
1. A instituição tem uma proposta pedagógica
em forma de documento, conhecida por todos?
2. A proposta pedagógica foi elaborada e é
periodicamente atualizada com a participação
das professoras, demais profissionais e famílias,
considerando os interesses das crianças?
1.1.3 A proposta pedagógica estabelece
diretrizes para valorizar as diferenças e
combater a discriminação entre brancos, negros
e indígenas, homens e mulheres e pessoas com
deficiências?
Indicador 1.2 Planejamento,
acompanhamento e avaliação
1.2.1 As professoras planejam e avaliam as
atividades, selecionam materiais e organizam os
ambientes periodicamente?
2. As professoras organizam o tempo e as
atividades de modo a permitir que as crianças
brinquem todos os dias, na maior parte do
tempo, tanto nas áreas externas quanto
internas?
3. As professoras auxiliam as crianças na
transição de uma atividade a outra de modo que
isso se dê de forma tranquila?
4. A equipe da instituição conta com apoio da
Secretaria Municipal de Educação para
supervisionar e avaliar o desempenho da
instituição?
1.2.5 Na prática de planejamento e
avaliação, criam-se condições para que as
crianças também possam manifestar suas
opiniões?
Indicador 1.3 – Registro da prática
pedagógica.
1.3.1 Cada professora faz registros sobre as
brincadeiras, vivências, produções e
aprendizagens de cada criança e do grupo?
1.3.2 A instituição possui
documentação organizada sobre as
crianças, como ficha de matrícula, cópia
da certidão de nascimento, cartão de
vacinação e histórico de saúde?
2ª Dimensão: Multiplicidade de
experiências e linguagens.
O educador italiano Loris Malaguzzi escreveu uma
poesia sobre “As cem linguagens da criança”. Nela, ele nos
fala das cem maneiras diferentes de a criança pensar, sentir,
falar, inventar, sonhar... Mas, diz a poesia, os adultos roubam
noventa e nove dessas cem linguagens das crianças. Na
avaliação de uma instituição de educação infantil, devemos
perguntar: o trabalho educativo procura desenvolver e ampliar
as diversas formas de a criança conhecer o mundo e se
expressar? As rotinas e as práticas adotadas favorecem essa
multiplicidade ou, ao contrário, como sugere o poeta, roubam
a possibilidade de a criança desenvolver todas as suas
potencialidade?
Em seu desenvolvimento, a criança
vai construindo sua autonomia: cada etapa
percorrida abre inúmeras possibilidades de
expressão e atuação. Assim acontece
quando o bebê aprende a reconhecer rostos
e vozes de pessoas próximas, quando a
criança pequena começa a engatinhar e
explorar o ambiente, quando dá os primeiros
passos, quando desenvolve a fala e amplia
seu vocabulário, quando aprende novas
brincadeiras, quando consegue se alimentar
sozinha, quando observa imagens de um
livro infantil, quando escuta histórias, quando
se olha no espelho e assim por diante.
A instituição de educação infantil
deve estar organizada de forma a favorecer e
valorizar essa autonomia da criança. Para
isso, os ambientes e os materiais devem
estar dispostos de forma que as crianças
possam fazer escolhas, desenvolvendo
atividades individualmente, em pequenos
grupos ou em um grupo maior. As
professoras devem atuar de maneira a
incentivar essa busca de autonomia, sem
deixar de estar atentas para interagir e apoiar
as crianças nesse processo.
As professoras devem planejar
atividades variadas, disponibilizando os
espaços e os materiais necessários, de
forma a sugerir diferentes possibilidades
de expressão, de brincadeiras, de
aprendizagens, de explorações, de
conhecimentos, de interação. A
observação e a escuta são importantes
para sugerir novas atividades a serem
propostas, assim como ajustes no
planejamento e troca de experiências na
equipe.
Indicador 2.1 Crianças
construindo sua autonomia:
2.1.1 As professoras apóiam as
crianças na conquista da autonomia para
a realização dos cuidados diários (segurar
a mamadeira, alcançar objetos, tirar as
sandálias, lavar as mãos, usar o sanitário,
etc.)?
2. As professoras incentivam as
crianças a escolher brincadeiras,
brinquedos e materiais?
3. As professoras, na organização das
atividades e do tempo, oferecem
simultaneamente um conjunto de
atividades diferentes que podem ser
escolhidas pela criança de acordo com
sua preferência?
Indicador 2.2 Crianças relacionando-se com o
ambiente natural e social.
2.2.1 As professoras cotidianamente
destinam momentos, organizam o espaço e
disponibilizam materiais para que as crianças
engatinhem, rolem, corram, sentem-se, subam
obstáculos, pulem, empurrem, agarrem objetos
de diferentes formas e espessuras e assim
vivenciam desafios corporais?
2. As professoras possibilitam contato e
brincadeiras das crianças com animais e com
elementos da natureza como água, areia, terra,
pedras, argila, plantas, folhas e sementes?
3. A instituição leva as crianças a conhecer
e a explorar, de forma planejada, os
diferentes espaços naturais, culturais e de
lazer da sua localidade?
4. As professoras realizam atividades com
as crianças nas quais os saberes das
famílias são considerados e valorizados?
5. As professoras criam oportunidades para
que o contato das crianças com a
quantificação e a classificação das coisas e
dos seres vivos seja feito por meio de jogos,
histórias, situações concretas e
significativas?
Indicador 2.3 Crianças tendo experiências
agradáveis e saudáveis com o próprio corpo.
1. As professoras ensinam as crianças a
cuidar de si mesmas e do próprio corpo?
2. As professoras atendem de imediato as
crianças em suas necessidades fisiológicas,
com aceitação e acolhimento?
Questão que se refere a bebês e
crianças pequenas?
2.3.3 A instituição considera o ritmo
da criança na retirada das fraldas e no
aprendizado do controle do xixi e do
cocô?
Indicador 2.4 Crianças expressando-se por
meio de diferentes linguagens plásticas,
simbólicas, musicais e corporais.
1. As professoras propõem às crianças
brincadeiras com sons, ritmos e
melodias com a voz e oferecem
instrumentos musicais e outros objetos
sonoros?
2. As professoras possibilitam que as
crianças ouçam e cantem diferentes
tipos de músicas?
3. As professoras incentivam as
crianças a produzir pinturas, desenhos,
esculturas, com materiais diversos e
adequados à faixa etária?
4. As professoras realizam com as
crianças brincadeiras que exploram gestos,
canções, recitações de poemas, parlendas?
5. As professoras organizam espaços,
materiais e atividades para as brincadeiras de
faz de conta?
6. As professoras promovem a participação
das crianças com deficiência em todas as
atividades do cotidiano?
Indicador 2.5 Crianças tendo experiências
agradáveis, variadas e estimulantes com a
linguagem oral e escrita.
1. As professoras lêem livros diariamente,
de diferentes gêneros, para as crianças?
2. As professoras contam histórias,
diariamente, para as crianças?
3. As professoras incentivam as
crianças a manusear livros, revistas e
outros textos?
4. As professoras criam oportunidades
prazerosas para o contato das crianças
com a palavra escrita?
5. As crianças são incentivadas a
“produzir textos” mesmo sem saber ler e
escrever?
Questão que se refere a bebês e
crianças pequenas:
2.5.6 As professoras e demais
profissionais adotam a prática de conversar
com os bebês e crianças pequenas
mantendo-se no mesmo nível do olhar da
criança, em diferentes situações, inclusive
nos momentos de cuidados diários?
Questão que se refere apenas a
crianças de 4 até 6 anos:
2.5.7 As professoras incentivam as
crianças maiores, individualmente ou em
grupos, a contar e recontar histórias e a
narrar situações?
Indicador 2.6 Crianças reconhecendo suas
identidades e valorizando as diferenças e a
cooperação.
2.6.1 A instituição disponibiliza materiais e
oportunidades variadas (histórias orais,
brinquedos, móbiles, fotografias – inclusive
das crianças, livros, revistas, cartazes, etc.)
que contemplam meninos e meninas,
brancos, negros e indígenas e pessoas com
deficiências?
2.6.2. A instituição combate o uso de
apelidos e comentários pejorativos,
discriminatórios e preconceituosos, sejam
eles empregados por adultos ou crianças?
2.6.3 As professoras utilizam situações
cotidianas organizadas e inesperadas para
que as crianças se ajudem mutuamente e
compartilhem responsabilidades e
conhecimentos em grupo (organizar
brinquedos, guardar objetos, ajudar o
colega a superar alguma dificuldade,
compartilhar brinquedos, etc.)?
3ª Dimensão: Interações.
A instituição de educação infantil é
habitada por um grupo de adultos e por um grupo de
crianças. É, portanto, um espaço coletivo de
convivência, onde acontecem interações entre
crianças, entre crianças e adultos e entre adultos.
Sendo uma instituição educacional, essas interações
devem ser formadoras, no sentido de que devem ser
baseadas nos valores sociais que fundamentam sua
proposta pedagógica. A cidadania, a cooperação, o
respeito às diferenças e o cuidado com o outro são
aprendidos na vivência cotidiana. Por isso, não
podemos esperar que as crianças desenvolvam
essas atitudes se os adultos não as demonstram em
sua forma de atuar na instituição, com as crianças,
os colegas e as famílias.
As interações entre crianças
devem ser observadas pelas professoras,
que precisam interferir sempre que
situações com maior grau de conflito
ocorram. Os adultos não devem deixar de
fazer uma intervenção segura e cuidadosa
quando se deparam com expressões de
racismo, de preconceito, agressões físicas
e verbais entre crianças. Por outro lado, as
relações de cooperação e amizade infantil
devem ser incentivadas e valorizadas.
Muitas vezes, rotinas herdadas do
passado, adotadas de forma rígida,
representam um desrespeito ao direito e à
dignidade das crianças. É preciso que os
adultos estejam atentos para modificar
aquelas práticas que tolhem as
oportunidades de desenvolvimento
infantil. Favorecer interações humanas
positivas e enriquecedoras deve ser uma
meta prioritária de toda instituição
educacional.
Indicador 3.1 Respeito à dignidade das
crianças:
3.1.1 A instituição combate e intervém
imediatamente quando ocorrem práticas dos
adultos que desrespeitam a integridade das
crianças (castigos, beliscões, tapas, prática de
colocá-las no cantinho para “pensar”, gritos,
comentários que humilham as crianças,
xingamentos ou manifestações de raiva devido
a cocô e xixi, etc.)?
3.1.2 Quando há conflitos entre as
crianças ou situações em que uma criança
faz uso de apelidos ou brincadeiras que
humilham outra criança, as professoras e
demais profissionais intervém?
3.2. Respeito ao ritmo das crianças.
1. As professoras organizam as
atividades de modo que crianças não
sejam forçadas a longos períodos de
espera?
2. As crianças podem dormir ou
repousar, ir ao banheiro ou beber água
quando necessitam?
Questão que se refere apenas a
bebês e crianças pequenas:
3.2.3 Ao longo do dia, as professoras
realizam atividades com os bebês e
crianças pequenas em diferentes lugares e
ambientes?
Indicador 3.3 Respeito à identidade,
desejos e interesses das crianças.
1. As professoras e demais profissionais
chamam as crianças pelos seus nomes?
2. A instituição observa e atende aos
interesses e necessidades das crianças que
são recém-chegadas, estão mudando de
grupo ou se desligando da instituição?
3. As professoras ajudam as crianças a
manifestar os seus sentimentos (alegria,
tristeza, raiva, ciúme, decepção, etc.) e a
perceber os sentimentos dos colegas e
dos adultos?
4. As crianças com deficiência recebem
atendimento educacional especializado –
AEE quando necessitam?
Questões que se referem apenas a
bebês e crianças pequenas:
5. As professoras e demais profissionais
carregam os bebês e crianças pequenas no colo ao
longo do dia, propiciando interação, acolhimento e
afetividade?
6. As professoras observam como os bebês e as
crianças pequenas se comunicam pelo olhar, pelo
corpo, pelo choro e verbalizações, a fim de
compreender seus interesses e planejar o cotidiano?
Indicador 3.4 Respeito às ideias,
conquistas e produções das crianças.
1. As professoras e demais profissionais
acolhem as propostas, invenções e
descobertas das crianças incorporando-as
como parte da programação sempre que
possível?
2. As professoras reconhecem e elogiam as
crianças diante de suas conquistas?
3.As produções infantis estão
expostas nas salas de atividades e
ambientes da instituição?
4.As professoras organizam junto com as
crianças exposições abertas aos
familiares e à comunidade?
Indicador 3.5 Interação entre crianças e
crianças.
1. As professoras organizam diariamente
espaços, brincadeiras e materiais que promovem
oportunidades de interação entre as crianças da
mesma faixa etária?
2. As professoras organizam periodicamente
espaços, brincadeiras e materiais que promovem
oportunidades de interação entre crianças de
faixas etárias diferentes?
3.5.3 As professoras organizam
espaços, brincadeiras e materiais
acessíveis de modo a favorecer a
interação entre as crianças com
deficiência e as demais crianças?
A atenção à saúde das crianças é um
aspecto muito importante do trabalho em
instituições de educação infantil. As práticas
cotidianas precisam assegurar a prevenção
de acidentes, os cuidados com a higiene e
uma alimentação saudável, condições para
um bom desenvolvimento infantil nessa faixa
etária até seis anos de idade.
4ª Dimensão: Promoção da Saúde
A responsabilidade da instituição de
educação infantil nesses aspectos é muito
grande. É desejável que a equipe conte com
uma competente orientação sobre as condutas
adequadas para cada grupo de idade. E que
tenha também um bom contato com os
serviços de saúde mais próximos, além de
manter abertos os canais de comunicação com
as famílias para melhor atuar em relação a
problemas de saúde que possam ocorrer com
as crianças e para se informar sobre as
necessidades individuais que elas apresentam.
Indicador 4.1 Responsabilidade
pela alimentação saudável das
crianças:
4.1.1 A instituição dispõe de um
cardápio nutricional variado e rico que
atenda às necessidades das crianças,
inclusive daquelas que necessitam de
dietas especiais?
Questões que se referem a bebês e
crianças pequenas:
2. As professoras seguem um programa
da instituição para a retirada da
mamadeira e a introdução de alimentos
sólidos (frutas, verduras, etc.)?
3. A instituição possibilita o acesso ao leite
materno?
Indicador 4.2 Limpeza, salubridade e
conforto.
1. As salas de atividades e demais
ambientes internos e externos são
agradáveis?
2. O lixo é retirado diariamente dos
ambientes internos e externos?
4.2.3 São tomados os cuidados
necessários com a limpeza e com a
higiene nos momentos de troca de
fraldas e uso dos sanitários (lixeiras
com pedal e tampa, retirada das fraldas
sujas do ambiente imediatamente após
as trocas, higiene das mãos)?
Indicador 4.3 Segurança
1. As tomadas elétricas estão colocadas
no alto das paredes e possuem tampas
protetoras seguras?
2. O botijão de gás atende às
especificações de segurança e fica em
ambiente externo protegido?
3. Produtos de limpeza, medicamentos e
substâncias tóxicas são devidamente
acondicionados e mantidos fora do alcance das
crianças?
4. A instituição protege todos os pontos
potencialmente perigosos do prédio para garantir a
circulação segura das crianças e evitar acidentes?
5. A instituição tem procedimentos,
preestabelecidos e conhecidos por todos, que
devem ser tomados em caso de acidentes?
5ª Dimensão: Espaços, materiais e
mobiliários.
Os ambientes físicos da instituição de
educação infantil devem refletir uma concepção de
educação e cuidado respeitosa das necessidades de
desenvolvimento das crianças, em todos seus
aspectos: físico, afetivo, cognitivo e criativo. Espaços
internos limpos, bem iluminados e arejados, com visão
ampla do exterior, seguros e aconchegantes, revelam
a importância conferida às múltiplas necessidades das
crianças e dos adultos que com elas trabalham;
espaços externos bem cuidados, com jardim e áreas
para brincadeiras e jogos, indicam a atenção ao
contato com a natureza e à necessidade das crianças
de correr, pular, jogar bola, brincar com areia e água,
entre outras atividades.
O mobiliário deve ser planejado
para o tamanho dos bebês e de crianças
pequenas: é preciso que os adultos
reflitam sobre a altura da visão das
crianças, sobre sua capacidade de
alcançar e usar os diversos materiais,
arrumando os espaços de forma a
incentivar a autonomia infantil. Os
aspectos de segurança e higiene são
muito importantes, mas a preocupação
com eles não deve impedir as
explorações e iniciativas infantis.
Os bebês e crianças pequenas
precisam ter espaços adequados para se
mover, brincar no chão, engatinhar,
ensaiar os primeiros passos e explorar o
ambiente. Brinquedos adequados à sua
idade devem estar ao seu alcance sempre
que estão acordados. Necessitam
também contar com estímulos visuais de
cores e formas variadas, renovados
periodicamente.
Para propor atividades interessantes e
diversificadas às crianças, as professoras
precisam ter à disposição materiais, brinquedos
e livros infantis em quantidade suficiente. É
preciso atentar não só para a existência desses
materiais na instituição, mas principalmente
para o fato de eles estarem acessíveis às
crianças e seu uso previsto nas atividades
diárias. Além disso, a forma de apresentá-los às
crianças, como são guardados e conservados,
se podem ser substituídos quando danificados,
são aspectos relevantes para demonstrar a
qualidade do trabalho de cuidar e educar
desenvolvido na instituição.
Os espaços devem também
proporcionar o registro e a divulgação dos
projetos educativos desenvolvidos e das
produções infantis. Desenhos, fotos,
objetos em três dimensões, materiais
escritos e imagens de manifestações da
expressão infantil estimulam as trocas e
novas iniciativas, demonstram resultados
do trabalho realizado e constituem um
acervo precioso da instituição.
Indicador 5.1 Espaços e mobiliários
que favorecem as experiências das
crianças:
5.1.1 Há espaço organizado para a leitura,
como biblioteca ou cantinho de leitura,
equipado com estantes, livros, revistas e
outros materiais acessíveis às crianças e em
quantidade suficiente?
2. As janelas ficam numa altura que permita
às crianças a visão do espaço externo?
3. Os espaços e equipamentos são
acessíveis para acolher as crianças com
deficiência de acordo com o Decreto-Lei n.º
5.296/2004?
4. Há bebedouros, vasos sanitários, pias e
chuveiros em número suficiente e acessíveis
às crianças?
5. A instituição disponibiliza nas salas
espelhos seguros e na altura das crianças para
que possam brincar e observar a própria
imagem diariamente?
6. Há mobiliários e equipamentos
acessíveis para crianças com deficiência?
Questão que se refere apenas a bebês e
crianças pequenas:
7. A instituição prevê móveis firmes para que
os bebês e crianças pequenas possam se
apoiar ao tentar ficar de pé sozinhos?
Indicador 5.2 Materiais variados e
acessíveis às crianças:
1. Há diversos tipos de livros e outros
materiais de leitura em quantidade suficiente?
2. Há brinquedos que respondam aos interesses
das crianças em quantidade suficiente e para
diversos usos (de faz de conta, para o espaço
externo, materiais não estruturados, de encaixe, de
abrir/fechar, de andar, de empurrar, etc.)?
3. Há instrumentos musicais em
quantidade suficiente?
4. Há na instituição, ao longo de todo o ano
e em quantidade suficiente, materiais
pedagógicos diversos para desenhar, pintar,
modelar, construir objetos tridimensionais
(barro, argila, massinha), escrever,
experimentar?
5. Há material individual de higiene, de
qualidade e em quantidade suficiente, guardado
em locais adequados (sabonetes, fraldas,
escovas de dentes e outros itens)?
6. Há brinquedos, móbiles, livros,
materiais pedagógicos e audiovisuais que
incentivam o conhecimento e o respeito
às diferenças entre brancos, negros,
indígenas e pessoas com deficiência?
7. Há livros e outros materiais de leitura,
brinquedos, materiais pedagógicos e
audiovisuais adequados às necessidades
das crianças com deficiência?
Questão que se refere apenas a
bebês e crianças pequenas:
5.2.8 Há objetos e brinquedos de
diferentes materiais em quantidade suficiente
e adequados às necessidades dos bebês e
crianças pequenas (explorar texturas, sons,
formas e pesos, morder, puxar, por e retirar,
empilhar, abrir e fechar, ligar e desligar,
encaixar, empurrar, etc.)?
Indicador 5.3 Espaços, materiais e mobiliários
para responder aos interesses e necessidades
dos adultos:
5.3.1 Há espaço que permite o descanso e
o trabalho individual ou coletivo da equipe que
seja confortável, silencioso, com mobiliário
adequado para adultos e separado dos
espaços das crianças (para reuniões,
estudos, momentos de formação e
planejamento)?
2. Há banheiro de uso exclusivo dos
profissionais, com chuveiro, pia e vaso
sanitário?
3. Há espaços especialmente planejados
para recepção e acolhimento dos familiares?
Questão que se refere apenas a
bebês e crianças pequenas:
5.3.4 Há fraldário/mesa/bancada na altura
adequada ao adulto para troca de fraldas dos
bebês e crianças pequenas, com segurança?
6ª Dimensão: Formação e condições de
trabalho das professoras e demais
profissionais.
Um dos fatores que mais influem na
qualidade da educação é a qualificação dos
profissionais que trabalham com as crianças.
Professoras bem formadas, com salários dignos,
que contam com o apoio da direção, da
coordenação pedagógica e dos demais profissionais
– trabalhando em equipe, refletindo e procurando
aprimorar constantemente suas práticas – são
fundamentais na construção de instituições de
educação infantil de qualidade.
Esse trabalho, que carrega consigo
tanta responsabilidade, precisa ser valorizado
na instituição e na comunidade. Na instituição é
preciso que as condições de trabalho sejam
compatíveis com as múltiplas tarefas envolvidas
no cuidado e na educação das crianças até seis
anos de idade. Na comunidade, é desejável que
se estabeleçam canais de diálogo e
comunicação que levem as famílias e demais
interessados a conhecer e melhor entender o
alcance do trabalho educativo que é
desenvolvido com as crianças e o papel
desempenhado pelas professoras e demais
profissionais na instituição.
Por sua vez, na relação com as
famílias, da mesma forma que na atuação
com as crianças e colegas, as professoras
e todos que trabalham na instituição de
educação infantil devem assumir uma
postura profissional, fazendo transparecer
em suas atitudes a identidade de pessoas
cientes da relevância social do trabalho
que realizam.
Indicador 6.1 Formação inicial
das professoras:
1. As professoras têm, no mínimo, a
habilitação em nível médio na modalidade
normal?
2. As professoras são formadas em
Pedagogia?
6.2 Formação Continuada
6.2.1 A instituição possui um programa
de formação continuada que possibilita que
as professoras planejem, avaliem,
aprimorem seus registros e reorientem suas
práticas?
2. A formação continuada atualiza
conhecimentos, promovendo a leitura e a
discussão de pesquisas e estudos sobre a
infância e sobre as práticas de educação
infantil?
3. As professoras são orientadas e
apoiadas na inclusão de crianças com
deficiência?
4. Os momentos formativos estão incluídos
na jornada de trabalho remunerada dos
profissionais?
6.2.5 A formação continuada promove
conhecimento e discussão sobre as
diferenças humanas?
6.2.6 As professoras conhecem os livros
acessíveis para crianças com deficiência?
Indicador 6.3 Condições de trabalho
adequadas
6.3.1 Há no mínimo uma professora para
cada agrupamento de:
- 6 a 8 crianças até 2 anos?
- 15 crianças até 3 anos?
- 20 crianças de 4 até 6 anos?
2. As professoras são remuneradas, no
mínimo, de acordo com o piso salarial
nacional do magistério?
3. A instituição conhece e
implementa procedimentos que visam
prevenir problemas de saúde das
professoras e demais profissionais?
7ª Dimensão: Cooperação e troca com as
famílias e participação na rede de proteção
social.
A presença, entre familiares e
profissionais da educação, do sentimento de
estar em um lugar que acolhe é fundamental
para garantir uma educação infantil de
qualidade. E esse sentimento, naturalmente
percebido e compartilhado pelas crianças,
somente pode ser fruto do respeito, da
alegria, da amizade, da consideração entre
todos.
A instituição de educação infantil é um
espaço de vivências, experiências, aprendizagens.
Nela, as crianças se socializam, brincam e
convivem com a diversidade humana. A
convivência com essa diversidade é enriquecida
quando os familiares acompanham as vivências e
as produções das crianças. Estando aberta a essa
participação, a instituição de educação infantil
aumenta a possibilidade de fazer um bom
trabalho, uma vez que permite a troca de
conhecimento entre familiares e profissionais em
relação a cada uma das crianças. Assim, família e
instituição de educação infantil terão melhores
elementos para apoiar as crianças nas suas
vivências, saberão mais sobre suas
potencialidades, seus gostos, suas dificuldades.
Isso, sem dúvida, contribui para aprimorar o
processo de “cuidar e educar”.
Os responsáveis por garantir os
direitos das crianças não são somente a
instituição de educação infantil e a família,
razão pela qual é muito importante que as
instituições de educação infantil participem da
chamada Rede de Proteção aos Direitos das
Crianças. Trata-se de se articular aos demais
serviços públicos, de saúde, de defesa dos
direitos, etc., com a finalidade de contribuir
para que a sociedade brasileira consiga fazer
com que todas as crianças sejam, de fato,
sujeitos de direitos, conforme estabelece o
Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
Indicador 7.1 Respeito e
acolhimento.
7.1.1 Os familiares sentem-se bem
recebidos, acolhidos e tratados com
respeito na instituição, inclusive em seu
contato inicial?
2. As professoras e demais
profissionais sentem-se respeitadas/os
pelos familiares?
3. Reuniões e entrevistas com os
familiares são realizadas em horários
adequados à participação das famílias?
4. O horário de funcionamento e o
calendário da instituição atendem às
necessidades das famílias?
5. As professoras e demais profissionais
conhecem os familiares das crianças (seus
nomes, onde trabalham, sua religião, onde
moram, se as crianças têm irmãos)?
6. Há critérios para matrícula das
crianças, amplamente discutidos com a
comunidade?
7. Os familiares das crianças com
deficiência são bem acolhidos e conhecem o
direito de seus filhos à educação?
Indicador 7.2 Garantia do direito das famílias
de acompanhar as vivências e produções das
crianças.
7.2.1 Há reuniões com os familiares pelo
menos três vezes por ano para apresentar
planejamentos, discutir e avaliar as
vivências e produções das crianças?
2. Os familiares recebem relatórios
sobre as aprendizagens, vivências e
produções das crianças, pelo menos duas
vezes ao ano?
3. Familiares de crianças novatas são
auxiliados e encorajados a ficar na instituição
até que as mesmas se sintam seguras?
7.2.4 Em caso de atendimento à
população do campo e ribeirinha,
quilombolas, indígenas, a instituição respeita
a identidade dessas populações, seus
saberes e suas necessidades específicas?
Indicador 7.3 Participação da instituição na
rede de proteção dos direitos das crianças.
1. A instituição acompanha a frequência das
crianças e investiga as razões das faltas?
2. A instituição encaminha ao Conselho
Tutelar os casos de crianças com sinais de
negligência, violência doméstica, exploração
sexual e trabalho infantil?
3. A instituição comunica os casos de
doenças infecciosas às famílias e ao Sistema
de Saúde?
4. A instituição encaminha para a sala de
recursos multifuncionais as crianças com
deficiência que necessitam de atendimento
educacional especializado?
5. A Secretaria Municipal de Educação
informa as instituições de educação infantil
sobre os serviços de educação especial
existentes?
Discussão em grupos para o
fechamento dos indicadores.
Para se definir a cor de um indicador, é preciso
discutir no grupo. Se houver muitas perguntas que
receberam a cor amarela, o mais correto será
atribuir a cor amarela ou vermelha ao indicador que
envolve aquelas perguntas. Se houver muitas
perguntas coloridas de vermelho, atribuir a cor
vermelha. Se a maioria for verde, então o indicador
também poderá receber a cor verde. Mas o grupo
pode achar que uma pergunta que recebeu
vermelho trata de um assunto muito importante,
então, apontar na justificativa das cores dos
indicadores.
Discussão em grupo:
Os participantes serão divididos em sete
grupos, de acordo com o número na
mensagem;
Cada grupo irá fazer o fechamento de uma
dimensão, discutindo as cores a serem
atribuídas a cada indicador e justificando por
escrito a escolha;
Cada grupo irá apresentar o resultado para
apreciação de todos, para em conjunto definir
a cor final de cada dimensão.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx

O educador como gestor de espaços educacionais
O educador como gestor de espaços educacionais O educador como gestor de espaços educacionais
O educador como gestor de espaços educacionais
Ateliê Giramundo
 
Planejamento na educação infantil
Planejamento na educação infantilPlanejamento na educação infantil
Planejamento na educação infantil
Paula Spadoni
 
Educar momentos com os professores.. .pdf
Educar momentos com os professores.. .pdfEducar momentos com os professores.. .pdf
Educar momentos com os professores.. .pdf
LucianaAlves773996
 
Projeto: Habilidades de vida na escola
Projeto: Habilidades de vida na escolaProjeto: Habilidades de vida na escola
Projeto: Habilidades de vida na escola
Patricia Bampi
 
Adoleta professor
Adoleta professorAdoleta professor
Adoleta professor
Elaine Chica
 
4 planejamento
4   planejamento4   planejamento
4 planejamento
Yona Rolc
 
slaide cooperacao.pptx
slaide cooperacao.pptxslaide cooperacao.pptx
slaide cooperacao.pptx
Marcos Joaquim
 
BNCC-educacao-infantil-interativo.pdf
BNCC-educacao-infantil-interativo.pdfBNCC-educacao-infantil-interativo.pdf
BNCC-educacao-infantil-interativo.pdf
JhuGuimaraesNeves
 
Orientações professor
 Orientações professor Orientações professor
Orientações professor
gabriellehdasilva
 
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Educação Infantil
 
Projecto Curricular
Projecto CurricularProjecto Curricular
Projecto Curricular
Traquinas em Linha, lda
 
Slides proinfantil claudia e elaine
Slides proinfantil claudia e elaineSlides proinfantil claudia e elaine
Slides proinfantil claudia e elaine
Educação Infantil
 
O que a creche pode ensinar
O que a creche pode ensinarO que a creche pode ensinar
O que a creche pode ensinar
gracabt2011
 
29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação
SimoneHelenDrumond
 
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberesTrabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
SimoneHelenDrumond
 
Proposta curricular
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
RebecaRuan
 
Educação de Crianças em Creches - Grupo União
Educação de Crianças em Creches - Grupo UniãoEducação de Crianças em Creches - Grupo União
Educação de Crianças em Creches - Grupo União
grupouniao
 
O educador no cotidiano das crianças: organizador e problematizador
O educador no cotidiano das crianças: organizador e problematizadorO educador no cotidiano das crianças: organizador e problematizador
O educador no cotidiano das crianças: organizador e problematizador
Ateliê Giramundo
 
Qual o significado da avaliação de crianças nas creches e pré-escolas Jussara...
Qual o significado da avaliação de crianças nas creches e pré-escolas Jussara...Qual o significado da avaliação de crianças nas creches e pré-escolas Jussara...
Qual o significado da avaliação de crianças nas creches e pré-escolas Jussara...
RYCSEIXAS2
 
Projeto diario de classe ed. infantil uyara assunção - Timon
Projeto diario de classe ed. infantil   uyara assunção - TimonProjeto diario de classe ed. infantil   uyara assunção - Timon
Projeto diario de classe ed. infantil uyara assunção - Timon
Uyara Santana Assunção
 

Semelhante a indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx (20)

O educador como gestor de espaços educacionais
O educador como gestor de espaços educacionais O educador como gestor de espaços educacionais
O educador como gestor de espaços educacionais
 
Planejamento na educação infantil
Planejamento na educação infantilPlanejamento na educação infantil
Planejamento na educação infantil
 
Educar momentos com os professores.. .pdf
Educar momentos com os professores.. .pdfEducar momentos com os professores.. .pdf
Educar momentos com os professores.. .pdf
 
Projeto: Habilidades de vida na escola
Projeto: Habilidades de vida na escolaProjeto: Habilidades de vida na escola
Projeto: Habilidades de vida na escola
 
Adoleta professor
Adoleta professorAdoleta professor
Adoleta professor
 
4 planejamento
4   planejamento4   planejamento
4 planejamento
 
slaide cooperacao.pptx
slaide cooperacao.pptxslaide cooperacao.pptx
slaide cooperacao.pptx
 
BNCC-educacao-infantil-interativo.pdf
BNCC-educacao-infantil-interativo.pdfBNCC-educacao-infantil-interativo.pdf
BNCC-educacao-infantil-interativo.pdf
 
Orientações professor
 Orientações professor Orientações professor
Orientações professor
 
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
Slide "As especificidades da ação pedagógica com bebês" Pós Graduação
 
Projecto Curricular
Projecto CurricularProjecto Curricular
Projecto Curricular
 
Slides proinfantil claudia e elaine
Slides proinfantil claudia e elaineSlides proinfantil claudia e elaine
Slides proinfantil claudia e elaine
 
O que a creche pode ensinar
O que a creche pode ensinarO que a creche pode ensinar
O que a creche pode ensinar
 
29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação
 
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberesTrabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
 
Proposta curricular
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
 
Educação de Crianças em Creches - Grupo União
Educação de Crianças em Creches - Grupo UniãoEducação de Crianças em Creches - Grupo União
Educação de Crianças em Creches - Grupo União
 
O educador no cotidiano das crianças: organizador e problematizador
O educador no cotidiano das crianças: organizador e problematizadorO educador no cotidiano das crianças: organizador e problematizador
O educador no cotidiano das crianças: organizador e problematizador
 
Qual o significado da avaliação de crianças nas creches e pré-escolas Jussara...
Qual o significado da avaliação de crianças nas creches e pré-escolas Jussara...Qual o significado da avaliação de crianças nas creches e pré-escolas Jussara...
Qual o significado da avaliação de crianças nas creches e pré-escolas Jussara...
 
Projeto diario de classe ed. infantil uyara assunção - Timon
Projeto diario de classe ed. infantil   uyara assunção - TimonProjeto diario de classe ed. infantil   uyara assunção - Timon
Projeto diario de classe ed. infantil uyara assunção - Timon
 

Mais de ValquiriaFernandesOl2

Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx
Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptxAnálise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx
Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptxppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
Rose Piaget 1 (1).pdf
Rose Piaget 1 (1).pdfRose Piaget 1 (1).pdf
Rose Piaget 1 (1).pdf
ValquiriaFernandesOl2
 
Psicomotricidade Relacional 2.ppt
Psicomotricidade Relacional 2.pptPsicomotricidade Relacional 2.ppt
Psicomotricidade Relacional 2.ppt
ValquiriaFernandesOl2
 
Aula I.pptx
Aula I.pptxAula I.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptxA sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptxFormação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
ValquiriaFernandesOl2
 
Análise do Desenho Infantil.pptx
Análise do Desenho Infantil.pptxAnálise do Desenho Infantil.pptx
Análise do Desenho Infantil.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptxSLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).pptppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ValquiriaFernandesOl2
 
Deficiência Auditiva.ppt
Deficiência Auditiva.pptDeficiência Auditiva.ppt
Deficiência Auditiva.ppt
ValquiriaFernandesOl2
 
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdfEDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
ValquiriaFernandesOl2
 
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.pptAula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
ValquiriaFernandesOl2
 

Mais de ValquiriaFernandesOl2 (15)

Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx
Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptxAnálise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx
Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx
 
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptxppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
 
Rose Piaget 1 (1).pdf
Rose Piaget 1 (1).pdfRose Piaget 1 (1).pdf
Rose Piaget 1 (1).pdf
 
Psicomotricidade Relacional 2.ppt
Psicomotricidade Relacional 2.pptPsicomotricidade Relacional 2.ppt
Psicomotricidade Relacional 2.ppt
 
Aula I.pptx
Aula I.pptxAula I.pptx
Aula I.pptx
 
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptxA sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
 
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptxFormação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
 
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
 
Análise do Desenho Infantil.pptx
Análise do Desenho Infantil.pptxAnálise do Desenho Infantil.pptx
Análise do Desenho Infantil.pptx
 
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptxSLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
 
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).pptppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
 
Deficiência Auditiva.ppt
Deficiência Auditiva.pptDeficiência Auditiva.ppt
Deficiência Auditiva.ppt
 
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdfEDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
 
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
 
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.pptAula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
 

Último

UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
davidreyes364666
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdfCopia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
Copia de cartilla de portugués 1 2024.pdf
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 

indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx

  • 1. INDICADORES DE QUALIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
  • 2. O que são indicadores? Indicadores são sinais que revelam aspectos de determinada realidade e que podem qualificar algo. Este documento pretende ser um instrumento que ajude os coletivos – equipes e comunidade – das instituições de educação infantil a encontrar seu próprio caminho na direção de práticas educativas que respeitem os direitos fundamentais das crianças e ajudem a construir uma sociedade mais democrática.
  • 3. Compreendendo seus pontos fortes e fracos, a instituição de educação infantil pode intervir para melhorar sua qualidade, de acordo com suas condições, definindo suas prioridades e traçando um caminho a seguir na construção de um trabalho pedagógico e social significativo.
  • 4. Este instrumento foi elaborado com base em aspectos fundamentais para a qualidade da instituição de educação infantil, aqui expressos em dimensões dessa qualidade: 1 – Planejamento Institucional; 2– Multiplicidade de experiências e linguagens; 3 – Interações; 4 – Promoção da saúde; 5 – Espaços, Materiais e Mobiliários; 6– Formação e condições de trabalho das professoras e demais profissionais; 7– Cooperação e troca com as famílias e participação na rede de proteção social.
  • 5. As dimensões podem ser constatadas por meio de indicadores. Cada indicador, por sua vez, é avaliado após o grupo responder a uma série de perguntas. As respostas a essas perguntas permitem à comunidade avaliar a qualidade da instituição de educação infantil quanto àquele indicador. Para facilitar a avaliação, sugere-se que as pessoas atribuam cores aos indicadores. As cores simbolizam a avaliação que é feita:
  • 6. ❖ Caso o grupo avalie que essas ações, atitudes ou situações existem e estão consolidadas na instituição de educação infantil, deverá atribuir a elas a cor verde, indicando que o processo de melhoria da qualidade já está num bom caminho. ❖Se, na instituição de educação infantil essas atitudes, práticas ou situações ocorrem de vez em quando, mas não estão consolidadas, o grupo lhe atribuirá a cor amarela, o que indica que elas merecem cuidado e atenção. ❖Caso o grupo avalie que essas atitudes, situações ou ações não existem na instituição de educação infantil, atribuirá a elas a cor vermelha. A situação é grave e merece providências imediatas.
  • 7. Avaliação sincera ajuda a resolver problemas. É importante lembrar que os indicadores que receberam a cor vermelha ou amarela sinalizam prioridades de ação. Assim, é fundamental que a avaliação seja fiel. Se algo é vermelho e o grupo diz que é verde, não ajuda, apenas dificulta que a ação coletiva ocorra para mudar aquela situação. Com isso, toda a comunidade sai perdendo, principalmente as crianças.
  • 8. 1ª Dimensão: Planejamento Institucional A creche, a pré-escola e os centros de educação infantil são instituições educativas destinadas a promover o desenvolvimento integral das crianças até seis anos de idade. São espaços de formação também para os integrantes da equipe responsável e para as famílias. Para que o trabalho realizado tenha condições de obter bons resultados, é muito importante que todos tenham clareza a respeito dos objetivos da instituição e atuem conjuntamente de forma construtiva. Para orientar as atividades desenvolvidas, a equipe da instituição de educação infantil deve contar com uma proposta pedagógica em forma de documento, discutida e elaborada por todos, a partir do conhecimento da realidade daquela comunidade, mencionando os objetivos que se quer atingir com as crianças e os principais meios para alcançá-los.
  • 9. A proposta pedagógica não deve ser apenas um documento que se guarda na prateleira. Ao contrário, deve ser um instrumento de trabalho, periodicamente revisto, com base nas experiências vividas na instituição, nas avaliações do trabalho desenvolvido e nos novos desafios que surgem. Para isso, é muito importante que as diversas atividades desenvolvidas com as crianças sejam registradas e documentadas, de forma a permitir a troca de informações dentro da equipe, acompanhamento dos progressos realizados pelas crianças e comunicação com as famílias.
  • 10. Para elaborar a proposta pedagógica, a equipe de uma instituição de educação infantil deve se atualizar sobre as orientações legais vigentes e sobre os conhecimentos já acumulados a respeito da educação infantil. Livros, revistas, materiais acessíveis pela internet, entre outros recursos, são importantes subsídios para fundamentar o planejamento do trabalho pedagógico, a formação em serviço e o relacionamento com as famílias.
  • 11. Indicador 1.1 Proposta Pedagógica Consolidada: 1. A instituição tem uma proposta pedagógica em forma de documento, conhecida por todos? 2. A proposta pedagógica foi elaborada e é periodicamente atualizada com a participação das professoras, demais profissionais e famílias, considerando os interesses das crianças?
  • 12. 1.1.3 A proposta pedagógica estabelece diretrizes para valorizar as diferenças e combater a discriminação entre brancos, negros e indígenas, homens e mulheres e pessoas com deficiências? Indicador 1.2 Planejamento, acompanhamento e avaliação 1.2.1 As professoras planejam e avaliam as atividades, selecionam materiais e organizam os ambientes periodicamente?
  • 13. 2. As professoras organizam o tempo e as atividades de modo a permitir que as crianças brinquem todos os dias, na maior parte do tempo, tanto nas áreas externas quanto internas? 3. As professoras auxiliam as crianças na transição de uma atividade a outra de modo que isso se dê de forma tranquila? 4. A equipe da instituição conta com apoio da Secretaria Municipal de Educação para supervisionar e avaliar o desempenho da instituição?
  • 14. 1.2.5 Na prática de planejamento e avaliação, criam-se condições para que as crianças também possam manifestar suas opiniões? Indicador 1.3 – Registro da prática pedagógica. 1.3.1 Cada professora faz registros sobre as brincadeiras, vivências, produções e aprendizagens de cada criança e do grupo?
  • 15. 1.3.2 A instituição possui documentação organizada sobre as crianças, como ficha de matrícula, cópia da certidão de nascimento, cartão de vacinação e histórico de saúde?
  • 16. 2ª Dimensão: Multiplicidade de experiências e linguagens. O educador italiano Loris Malaguzzi escreveu uma poesia sobre “As cem linguagens da criança”. Nela, ele nos fala das cem maneiras diferentes de a criança pensar, sentir, falar, inventar, sonhar... Mas, diz a poesia, os adultos roubam noventa e nove dessas cem linguagens das crianças. Na avaliação de uma instituição de educação infantil, devemos perguntar: o trabalho educativo procura desenvolver e ampliar as diversas formas de a criança conhecer o mundo e se expressar? As rotinas e as práticas adotadas favorecem essa multiplicidade ou, ao contrário, como sugere o poeta, roubam a possibilidade de a criança desenvolver todas as suas potencialidade?
  • 17. Em seu desenvolvimento, a criança vai construindo sua autonomia: cada etapa percorrida abre inúmeras possibilidades de expressão e atuação. Assim acontece quando o bebê aprende a reconhecer rostos e vozes de pessoas próximas, quando a criança pequena começa a engatinhar e explorar o ambiente, quando dá os primeiros passos, quando desenvolve a fala e amplia seu vocabulário, quando aprende novas brincadeiras, quando consegue se alimentar sozinha, quando observa imagens de um livro infantil, quando escuta histórias, quando se olha no espelho e assim por diante.
  • 18. A instituição de educação infantil deve estar organizada de forma a favorecer e valorizar essa autonomia da criança. Para isso, os ambientes e os materiais devem estar dispostos de forma que as crianças possam fazer escolhas, desenvolvendo atividades individualmente, em pequenos grupos ou em um grupo maior. As professoras devem atuar de maneira a incentivar essa busca de autonomia, sem deixar de estar atentas para interagir e apoiar as crianças nesse processo.
  • 19. As professoras devem planejar atividades variadas, disponibilizando os espaços e os materiais necessários, de forma a sugerir diferentes possibilidades de expressão, de brincadeiras, de aprendizagens, de explorações, de conhecimentos, de interação. A observação e a escuta são importantes para sugerir novas atividades a serem propostas, assim como ajustes no planejamento e troca de experiências na equipe.
  • 20. Indicador 2.1 Crianças construindo sua autonomia: 2.1.1 As professoras apóiam as crianças na conquista da autonomia para a realização dos cuidados diários (segurar a mamadeira, alcançar objetos, tirar as sandálias, lavar as mãos, usar o sanitário, etc.)?
  • 21. 2. As professoras incentivam as crianças a escolher brincadeiras, brinquedos e materiais? 3. As professoras, na organização das atividades e do tempo, oferecem simultaneamente um conjunto de atividades diferentes que podem ser escolhidas pela criança de acordo com sua preferência?
  • 22. Indicador 2.2 Crianças relacionando-se com o ambiente natural e social. 2.2.1 As professoras cotidianamente destinam momentos, organizam o espaço e disponibilizam materiais para que as crianças engatinhem, rolem, corram, sentem-se, subam obstáculos, pulem, empurrem, agarrem objetos de diferentes formas e espessuras e assim vivenciam desafios corporais?
  • 23. 2. As professoras possibilitam contato e brincadeiras das crianças com animais e com elementos da natureza como água, areia, terra, pedras, argila, plantas, folhas e sementes? 3. A instituição leva as crianças a conhecer e a explorar, de forma planejada, os diferentes espaços naturais, culturais e de lazer da sua localidade?
  • 24. 4. As professoras realizam atividades com as crianças nas quais os saberes das famílias são considerados e valorizados? 5. As professoras criam oportunidades para que o contato das crianças com a quantificação e a classificação das coisas e dos seres vivos seja feito por meio de jogos, histórias, situações concretas e significativas?
  • 25. Indicador 2.3 Crianças tendo experiências agradáveis e saudáveis com o próprio corpo. 1. As professoras ensinam as crianças a cuidar de si mesmas e do próprio corpo? 2. As professoras atendem de imediato as crianças em suas necessidades fisiológicas, com aceitação e acolhimento?
  • 26. Questão que se refere a bebês e crianças pequenas? 2.3.3 A instituição considera o ritmo da criança na retirada das fraldas e no aprendizado do controle do xixi e do cocô?
  • 27. Indicador 2.4 Crianças expressando-se por meio de diferentes linguagens plásticas, simbólicas, musicais e corporais. 1. As professoras propõem às crianças brincadeiras com sons, ritmos e melodias com a voz e oferecem instrumentos musicais e outros objetos sonoros? 2. As professoras possibilitam que as crianças ouçam e cantem diferentes tipos de músicas?
  • 28. 3. As professoras incentivam as crianças a produzir pinturas, desenhos, esculturas, com materiais diversos e adequados à faixa etária? 4. As professoras realizam com as crianças brincadeiras que exploram gestos, canções, recitações de poemas, parlendas?
  • 29. 5. As professoras organizam espaços, materiais e atividades para as brincadeiras de faz de conta? 6. As professoras promovem a participação das crianças com deficiência em todas as atividades do cotidiano?
  • 30. Indicador 2.5 Crianças tendo experiências agradáveis, variadas e estimulantes com a linguagem oral e escrita. 1. As professoras lêem livros diariamente, de diferentes gêneros, para as crianças? 2. As professoras contam histórias, diariamente, para as crianças?
  • 31. 3. As professoras incentivam as crianças a manusear livros, revistas e outros textos? 4. As professoras criam oportunidades prazerosas para o contato das crianças com a palavra escrita? 5. As crianças são incentivadas a “produzir textos” mesmo sem saber ler e escrever?
  • 32. Questão que se refere a bebês e crianças pequenas: 2.5.6 As professoras e demais profissionais adotam a prática de conversar com os bebês e crianças pequenas mantendo-se no mesmo nível do olhar da criança, em diferentes situações, inclusive nos momentos de cuidados diários?
  • 33. Questão que se refere apenas a crianças de 4 até 6 anos: 2.5.7 As professoras incentivam as crianças maiores, individualmente ou em grupos, a contar e recontar histórias e a narrar situações?
  • 34. Indicador 2.6 Crianças reconhecendo suas identidades e valorizando as diferenças e a cooperação. 2.6.1 A instituição disponibiliza materiais e oportunidades variadas (histórias orais, brinquedos, móbiles, fotografias – inclusive das crianças, livros, revistas, cartazes, etc.) que contemplam meninos e meninas, brancos, negros e indígenas e pessoas com deficiências?
  • 35. 2.6.2. A instituição combate o uso de apelidos e comentários pejorativos, discriminatórios e preconceituosos, sejam eles empregados por adultos ou crianças? 2.6.3 As professoras utilizam situações cotidianas organizadas e inesperadas para que as crianças se ajudem mutuamente e compartilhem responsabilidades e conhecimentos em grupo (organizar brinquedos, guardar objetos, ajudar o colega a superar alguma dificuldade, compartilhar brinquedos, etc.)?
  • 36. 3ª Dimensão: Interações. A instituição de educação infantil é habitada por um grupo de adultos e por um grupo de crianças. É, portanto, um espaço coletivo de convivência, onde acontecem interações entre crianças, entre crianças e adultos e entre adultos. Sendo uma instituição educacional, essas interações devem ser formadoras, no sentido de que devem ser baseadas nos valores sociais que fundamentam sua proposta pedagógica. A cidadania, a cooperação, o respeito às diferenças e o cuidado com o outro são aprendidos na vivência cotidiana. Por isso, não podemos esperar que as crianças desenvolvam essas atitudes se os adultos não as demonstram em sua forma de atuar na instituição, com as crianças, os colegas e as famílias.
  • 37. As interações entre crianças devem ser observadas pelas professoras, que precisam interferir sempre que situações com maior grau de conflito ocorram. Os adultos não devem deixar de fazer uma intervenção segura e cuidadosa quando se deparam com expressões de racismo, de preconceito, agressões físicas e verbais entre crianças. Por outro lado, as relações de cooperação e amizade infantil devem ser incentivadas e valorizadas.
  • 38. Muitas vezes, rotinas herdadas do passado, adotadas de forma rígida, representam um desrespeito ao direito e à dignidade das crianças. É preciso que os adultos estejam atentos para modificar aquelas práticas que tolhem as oportunidades de desenvolvimento infantil. Favorecer interações humanas positivas e enriquecedoras deve ser uma meta prioritária de toda instituição educacional.
  • 39. Indicador 3.1 Respeito à dignidade das crianças: 3.1.1 A instituição combate e intervém imediatamente quando ocorrem práticas dos adultos que desrespeitam a integridade das crianças (castigos, beliscões, tapas, prática de colocá-las no cantinho para “pensar”, gritos, comentários que humilham as crianças, xingamentos ou manifestações de raiva devido a cocô e xixi, etc.)?
  • 40. 3.1.2 Quando há conflitos entre as crianças ou situações em que uma criança faz uso de apelidos ou brincadeiras que humilham outra criança, as professoras e demais profissionais intervém?
  • 41. 3.2. Respeito ao ritmo das crianças. 1. As professoras organizam as atividades de modo que crianças não sejam forçadas a longos períodos de espera? 2. As crianças podem dormir ou repousar, ir ao banheiro ou beber água quando necessitam?
  • 42. Questão que se refere apenas a bebês e crianças pequenas: 3.2.3 Ao longo do dia, as professoras realizam atividades com os bebês e crianças pequenas em diferentes lugares e ambientes?
  • 43. Indicador 3.3 Respeito à identidade, desejos e interesses das crianças. 1. As professoras e demais profissionais chamam as crianças pelos seus nomes? 2. A instituição observa e atende aos interesses e necessidades das crianças que são recém-chegadas, estão mudando de grupo ou se desligando da instituição?
  • 44. 3. As professoras ajudam as crianças a manifestar os seus sentimentos (alegria, tristeza, raiva, ciúme, decepção, etc.) e a perceber os sentimentos dos colegas e dos adultos? 4. As crianças com deficiência recebem atendimento educacional especializado – AEE quando necessitam?
  • 45. Questões que se referem apenas a bebês e crianças pequenas: 5. As professoras e demais profissionais carregam os bebês e crianças pequenas no colo ao longo do dia, propiciando interação, acolhimento e afetividade? 6. As professoras observam como os bebês e as crianças pequenas se comunicam pelo olhar, pelo corpo, pelo choro e verbalizações, a fim de compreender seus interesses e planejar o cotidiano?
  • 46. Indicador 3.4 Respeito às ideias, conquistas e produções das crianças. 1. As professoras e demais profissionais acolhem as propostas, invenções e descobertas das crianças incorporando-as como parte da programação sempre que possível? 2. As professoras reconhecem e elogiam as crianças diante de suas conquistas?
  • 47. 3.As produções infantis estão expostas nas salas de atividades e ambientes da instituição? 4.As professoras organizam junto com as crianças exposições abertas aos familiares e à comunidade?
  • 48. Indicador 3.5 Interação entre crianças e crianças. 1. As professoras organizam diariamente espaços, brincadeiras e materiais que promovem oportunidades de interação entre as crianças da mesma faixa etária? 2. As professoras organizam periodicamente espaços, brincadeiras e materiais que promovem oportunidades de interação entre crianças de faixas etárias diferentes?
  • 49. 3.5.3 As professoras organizam espaços, brincadeiras e materiais acessíveis de modo a favorecer a interação entre as crianças com deficiência e as demais crianças?
  • 50. A atenção à saúde das crianças é um aspecto muito importante do trabalho em instituições de educação infantil. As práticas cotidianas precisam assegurar a prevenção de acidentes, os cuidados com a higiene e uma alimentação saudável, condições para um bom desenvolvimento infantil nessa faixa etária até seis anos de idade. 4ª Dimensão: Promoção da Saúde
  • 51. A responsabilidade da instituição de educação infantil nesses aspectos é muito grande. É desejável que a equipe conte com uma competente orientação sobre as condutas adequadas para cada grupo de idade. E que tenha também um bom contato com os serviços de saúde mais próximos, além de manter abertos os canais de comunicação com as famílias para melhor atuar em relação a problemas de saúde que possam ocorrer com as crianças e para se informar sobre as necessidades individuais que elas apresentam.
  • 52. Indicador 4.1 Responsabilidade pela alimentação saudável das crianças: 4.1.1 A instituição dispõe de um cardápio nutricional variado e rico que atenda às necessidades das crianças, inclusive daquelas que necessitam de dietas especiais?
  • 53. Questões que se referem a bebês e crianças pequenas: 2. As professoras seguem um programa da instituição para a retirada da mamadeira e a introdução de alimentos sólidos (frutas, verduras, etc.)? 3. A instituição possibilita o acesso ao leite materno?
  • 54. Indicador 4.2 Limpeza, salubridade e conforto. 1. As salas de atividades e demais ambientes internos e externos são agradáveis? 2. O lixo é retirado diariamente dos ambientes internos e externos?
  • 55. 4.2.3 São tomados os cuidados necessários com a limpeza e com a higiene nos momentos de troca de fraldas e uso dos sanitários (lixeiras com pedal e tampa, retirada das fraldas sujas do ambiente imediatamente após as trocas, higiene das mãos)?
  • 56. Indicador 4.3 Segurança 1. As tomadas elétricas estão colocadas no alto das paredes e possuem tampas protetoras seguras? 2. O botijão de gás atende às especificações de segurança e fica em ambiente externo protegido?
  • 57. 3. Produtos de limpeza, medicamentos e substâncias tóxicas são devidamente acondicionados e mantidos fora do alcance das crianças? 4. A instituição protege todos os pontos potencialmente perigosos do prédio para garantir a circulação segura das crianças e evitar acidentes? 5. A instituição tem procedimentos, preestabelecidos e conhecidos por todos, que devem ser tomados em caso de acidentes?
  • 58. 5ª Dimensão: Espaços, materiais e mobiliários. Os ambientes físicos da instituição de educação infantil devem refletir uma concepção de educação e cuidado respeitosa das necessidades de desenvolvimento das crianças, em todos seus aspectos: físico, afetivo, cognitivo e criativo. Espaços internos limpos, bem iluminados e arejados, com visão ampla do exterior, seguros e aconchegantes, revelam a importância conferida às múltiplas necessidades das crianças e dos adultos que com elas trabalham; espaços externos bem cuidados, com jardim e áreas para brincadeiras e jogos, indicam a atenção ao contato com a natureza e à necessidade das crianças de correr, pular, jogar bola, brincar com areia e água, entre outras atividades.
  • 59. O mobiliário deve ser planejado para o tamanho dos bebês e de crianças pequenas: é preciso que os adultos reflitam sobre a altura da visão das crianças, sobre sua capacidade de alcançar e usar os diversos materiais, arrumando os espaços de forma a incentivar a autonomia infantil. Os aspectos de segurança e higiene são muito importantes, mas a preocupação com eles não deve impedir as explorações e iniciativas infantis.
  • 60. Os bebês e crianças pequenas precisam ter espaços adequados para se mover, brincar no chão, engatinhar, ensaiar os primeiros passos e explorar o ambiente. Brinquedos adequados à sua idade devem estar ao seu alcance sempre que estão acordados. Necessitam também contar com estímulos visuais de cores e formas variadas, renovados periodicamente.
  • 61. Para propor atividades interessantes e diversificadas às crianças, as professoras precisam ter à disposição materiais, brinquedos e livros infantis em quantidade suficiente. É preciso atentar não só para a existência desses materiais na instituição, mas principalmente para o fato de eles estarem acessíveis às crianças e seu uso previsto nas atividades diárias. Além disso, a forma de apresentá-los às crianças, como são guardados e conservados, se podem ser substituídos quando danificados, são aspectos relevantes para demonstrar a qualidade do trabalho de cuidar e educar desenvolvido na instituição.
  • 62. Os espaços devem também proporcionar o registro e a divulgação dos projetos educativos desenvolvidos e das produções infantis. Desenhos, fotos, objetos em três dimensões, materiais escritos e imagens de manifestações da expressão infantil estimulam as trocas e novas iniciativas, demonstram resultados do trabalho realizado e constituem um acervo precioso da instituição.
  • 63. Indicador 5.1 Espaços e mobiliários que favorecem as experiências das crianças: 5.1.1 Há espaço organizado para a leitura, como biblioteca ou cantinho de leitura, equipado com estantes, livros, revistas e outros materiais acessíveis às crianças e em quantidade suficiente?
  • 64. 2. As janelas ficam numa altura que permita às crianças a visão do espaço externo? 3. Os espaços e equipamentos são acessíveis para acolher as crianças com deficiência de acordo com o Decreto-Lei n.º 5.296/2004? 4. Há bebedouros, vasos sanitários, pias e chuveiros em número suficiente e acessíveis às crianças?
  • 65. 5. A instituição disponibiliza nas salas espelhos seguros e na altura das crianças para que possam brincar e observar a própria imagem diariamente? 6. Há mobiliários e equipamentos acessíveis para crianças com deficiência? Questão que se refere apenas a bebês e crianças pequenas: 7. A instituição prevê móveis firmes para que os bebês e crianças pequenas possam se apoiar ao tentar ficar de pé sozinhos?
  • 66. Indicador 5.2 Materiais variados e acessíveis às crianças: 1. Há diversos tipos de livros e outros materiais de leitura em quantidade suficiente? 2. Há brinquedos que respondam aos interesses das crianças em quantidade suficiente e para diversos usos (de faz de conta, para o espaço externo, materiais não estruturados, de encaixe, de abrir/fechar, de andar, de empurrar, etc.)?
  • 67. 3. Há instrumentos musicais em quantidade suficiente? 4. Há na instituição, ao longo de todo o ano e em quantidade suficiente, materiais pedagógicos diversos para desenhar, pintar, modelar, construir objetos tridimensionais (barro, argila, massinha), escrever, experimentar? 5. Há material individual de higiene, de qualidade e em quantidade suficiente, guardado em locais adequados (sabonetes, fraldas, escovas de dentes e outros itens)?
  • 68. 6. Há brinquedos, móbiles, livros, materiais pedagógicos e audiovisuais que incentivam o conhecimento e o respeito às diferenças entre brancos, negros, indígenas e pessoas com deficiência? 7. Há livros e outros materiais de leitura, brinquedos, materiais pedagógicos e audiovisuais adequados às necessidades das crianças com deficiência?
  • 69. Questão que se refere apenas a bebês e crianças pequenas: 5.2.8 Há objetos e brinquedos de diferentes materiais em quantidade suficiente e adequados às necessidades dos bebês e crianças pequenas (explorar texturas, sons, formas e pesos, morder, puxar, por e retirar, empilhar, abrir e fechar, ligar e desligar, encaixar, empurrar, etc.)?
  • 70. Indicador 5.3 Espaços, materiais e mobiliários para responder aos interesses e necessidades dos adultos: 5.3.1 Há espaço que permite o descanso e o trabalho individual ou coletivo da equipe que seja confortável, silencioso, com mobiliário adequado para adultos e separado dos espaços das crianças (para reuniões, estudos, momentos de formação e planejamento)?
  • 71. 2. Há banheiro de uso exclusivo dos profissionais, com chuveiro, pia e vaso sanitário? 3. Há espaços especialmente planejados para recepção e acolhimento dos familiares?
  • 72. Questão que se refere apenas a bebês e crianças pequenas: 5.3.4 Há fraldário/mesa/bancada na altura adequada ao adulto para troca de fraldas dos bebês e crianças pequenas, com segurança?
  • 73. 6ª Dimensão: Formação e condições de trabalho das professoras e demais profissionais. Um dos fatores que mais influem na qualidade da educação é a qualificação dos profissionais que trabalham com as crianças. Professoras bem formadas, com salários dignos, que contam com o apoio da direção, da coordenação pedagógica e dos demais profissionais – trabalhando em equipe, refletindo e procurando aprimorar constantemente suas práticas – são fundamentais na construção de instituições de educação infantil de qualidade.
  • 74. Esse trabalho, que carrega consigo tanta responsabilidade, precisa ser valorizado na instituição e na comunidade. Na instituição é preciso que as condições de trabalho sejam compatíveis com as múltiplas tarefas envolvidas no cuidado e na educação das crianças até seis anos de idade. Na comunidade, é desejável que se estabeleçam canais de diálogo e comunicação que levem as famílias e demais interessados a conhecer e melhor entender o alcance do trabalho educativo que é desenvolvido com as crianças e o papel desempenhado pelas professoras e demais profissionais na instituição.
  • 75. Por sua vez, na relação com as famílias, da mesma forma que na atuação com as crianças e colegas, as professoras e todos que trabalham na instituição de educação infantil devem assumir uma postura profissional, fazendo transparecer em suas atitudes a identidade de pessoas cientes da relevância social do trabalho que realizam.
  • 76. Indicador 6.1 Formação inicial das professoras: 1. As professoras têm, no mínimo, a habilitação em nível médio na modalidade normal? 2. As professoras são formadas em Pedagogia?
  • 77. 6.2 Formação Continuada 6.2.1 A instituição possui um programa de formação continuada que possibilita que as professoras planejem, avaliem, aprimorem seus registros e reorientem suas práticas?
  • 78. 2. A formação continuada atualiza conhecimentos, promovendo a leitura e a discussão de pesquisas e estudos sobre a infância e sobre as práticas de educação infantil? 3. As professoras são orientadas e apoiadas na inclusão de crianças com deficiência? 4. Os momentos formativos estão incluídos na jornada de trabalho remunerada dos profissionais?
  • 79. 6.2.5 A formação continuada promove conhecimento e discussão sobre as diferenças humanas? 6.2.6 As professoras conhecem os livros acessíveis para crianças com deficiência?
  • 80. Indicador 6.3 Condições de trabalho adequadas 6.3.1 Há no mínimo uma professora para cada agrupamento de: - 6 a 8 crianças até 2 anos? - 15 crianças até 3 anos? - 20 crianças de 4 até 6 anos?
  • 81. 2. As professoras são remuneradas, no mínimo, de acordo com o piso salarial nacional do magistério? 3. A instituição conhece e implementa procedimentos que visam prevenir problemas de saúde das professoras e demais profissionais?
  • 82. 7ª Dimensão: Cooperação e troca com as famílias e participação na rede de proteção social. A presença, entre familiares e profissionais da educação, do sentimento de estar em um lugar que acolhe é fundamental para garantir uma educação infantil de qualidade. E esse sentimento, naturalmente percebido e compartilhado pelas crianças, somente pode ser fruto do respeito, da alegria, da amizade, da consideração entre todos.
  • 83. A instituição de educação infantil é um espaço de vivências, experiências, aprendizagens. Nela, as crianças se socializam, brincam e convivem com a diversidade humana. A convivência com essa diversidade é enriquecida quando os familiares acompanham as vivências e as produções das crianças. Estando aberta a essa participação, a instituição de educação infantil aumenta a possibilidade de fazer um bom trabalho, uma vez que permite a troca de conhecimento entre familiares e profissionais em relação a cada uma das crianças. Assim, família e instituição de educação infantil terão melhores elementos para apoiar as crianças nas suas vivências, saberão mais sobre suas potencialidades, seus gostos, suas dificuldades. Isso, sem dúvida, contribui para aprimorar o processo de “cuidar e educar”.
  • 84. Os responsáveis por garantir os direitos das crianças não são somente a instituição de educação infantil e a família, razão pela qual é muito importante que as instituições de educação infantil participem da chamada Rede de Proteção aos Direitos das Crianças. Trata-se de se articular aos demais serviços públicos, de saúde, de defesa dos direitos, etc., com a finalidade de contribuir para que a sociedade brasileira consiga fazer com que todas as crianças sejam, de fato, sujeitos de direitos, conforme estabelece o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
  • 85. Indicador 7.1 Respeito e acolhimento. 7.1.1 Os familiares sentem-se bem recebidos, acolhidos e tratados com respeito na instituição, inclusive em seu contato inicial?
  • 86. 2. As professoras e demais profissionais sentem-se respeitadas/os pelos familiares? 3. Reuniões e entrevistas com os familiares são realizadas em horários adequados à participação das famílias?
  • 87. 4. O horário de funcionamento e o calendário da instituição atendem às necessidades das famílias? 5. As professoras e demais profissionais conhecem os familiares das crianças (seus nomes, onde trabalham, sua religião, onde moram, se as crianças têm irmãos)?
  • 88. 6. Há critérios para matrícula das crianças, amplamente discutidos com a comunidade? 7. Os familiares das crianças com deficiência são bem acolhidos e conhecem o direito de seus filhos à educação?
  • 89. Indicador 7.2 Garantia do direito das famílias de acompanhar as vivências e produções das crianças. 7.2.1 Há reuniões com os familiares pelo menos três vezes por ano para apresentar planejamentos, discutir e avaliar as vivências e produções das crianças?
  • 90. 2. Os familiares recebem relatórios sobre as aprendizagens, vivências e produções das crianças, pelo menos duas vezes ao ano? 3. Familiares de crianças novatas são auxiliados e encorajados a ficar na instituição até que as mesmas se sintam seguras?
  • 91. 7.2.4 Em caso de atendimento à população do campo e ribeirinha, quilombolas, indígenas, a instituição respeita a identidade dessas populações, seus saberes e suas necessidades específicas?
  • 92. Indicador 7.3 Participação da instituição na rede de proteção dos direitos das crianças. 1. A instituição acompanha a frequência das crianças e investiga as razões das faltas? 2. A instituição encaminha ao Conselho Tutelar os casos de crianças com sinais de negligência, violência doméstica, exploração sexual e trabalho infantil?
  • 93. 3. A instituição comunica os casos de doenças infecciosas às famílias e ao Sistema de Saúde? 4. A instituição encaminha para a sala de recursos multifuncionais as crianças com deficiência que necessitam de atendimento educacional especializado? 5. A Secretaria Municipal de Educação informa as instituições de educação infantil sobre os serviços de educação especial existentes?
  • 94. Discussão em grupos para o fechamento dos indicadores. Para se definir a cor de um indicador, é preciso discutir no grupo. Se houver muitas perguntas que receberam a cor amarela, o mais correto será atribuir a cor amarela ou vermelha ao indicador que envolve aquelas perguntas. Se houver muitas perguntas coloridas de vermelho, atribuir a cor vermelha. Se a maioria for verde, então o indicador também poderá receber a cor verde. Mas o grupo pode achar que uma pergunta que recebeu vermelho trata de um assunto muito importante, então, apontar na justificativa das cores dos indicadores.
  • 95. Discussão em grupo: Os participantes serão divididos em sete grupos, de acordo com o número na mensagem; Cada grupo irá fazer o fechamento de uma dimensão, discutindo as cores a serem atribuídas a cada indicador e justificando por escrito a escolha; Cada grupo irá apresentar o resultado para apreciação de todos, para em conjunto definir a cor final de cada dimensão.