SlideShare uma empresa Scribd logo
MAIS CULTURA NAS ESCOLAS 
Informações 
O MAIS CULTURA NAS ESCOLAS é uma iniciativa interministerial firmada entre os Mi- nistérios da Cultura e da Educação, que tem por finalidade fomentar ações que promovam o encon- tro entre experiências culturais e artísticas em curso na comunidade local e o projeto pedagógico de es- colas públicas contempladas com os Programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador em 2011. 
Esta será uma ação conjunta entre as esco- las, artistas e/ou entidades culturais e pontos de cultura com o objetivo de aproximar as práticas culturais, do fazer pedagógico das escolas. 
As atividades contempladas deverão desenvolver processos artísticos e culturais contí- nuos, podendo ser realizadas dentro do espaço escolar, de acordo com a disponibilidade da esco- la, ou fora dele, sob orientação pedagógica da escola. Deverão contribuir para a promoção e re- conhecimento de territórios educativos, valorizando o diálogo entre saberes comunitários e esco- lares. Devem também procurar integrar espaços escolares com espaços culturais diversos, equi- pamentos públicos, centros culturais, bibliotecas públicas, pontos de cultura, praças, parques, museus e cinemas. 
DADOS DA INICIATIVA CULTURAL PARCEIRA 
PARCEIRO - MAIS CULTURA - PF (EEEFM MACHADO DE ASSIS): 
Mariana Pereira Soares - 351.508.072-49 
- Professora com vasta experiência em trabalhos voltados para alunos de escolas de peri- feria; já trabalhou com o Programa Segundo Tempo assim que foi implantado; desenvolveu di- versos projetos nas escolas por onde passou e deixou sua marca como pioneira em diversas ativi- dades culturais de várias áreas desde a esportiva, artística e ensino de sala de aula de forma di- nâmica e produtiva; por isso a escolha da mesma para dirigir o projeto na Escola Machado de Assis escolhida por unanimidade pela escola. 
Histórico de Atuação 
1 – PROJETO VIAJANDO E CONHECENDO OS PONTOS TURÍSTICOS E HISTÓ- RICOS DO ESTADO DE RONDÔNIA: Este projeto fará com que os alunos desenvolvam a atitude de trabalhar em grupo. Para isso, organizarão de folhetos informativos com a apresenta- ção dos pontos turísticos e históricos do estado de Rondônia e explanação das descobertas e in- venções, utilizando as informações adquiridas nas várias etapas do projeto. 
PLANO DE ATIVIDADE CULTURAL 
Descrição do Plano de Atividade Cultural 
Eixo Temático: Educação Museal 
- Atividades de identificação, pesquisa, seleção, coleta, preservação, registro, exposição e divulgação de objetos, expressões culturais materiais e imateriais e de valorização do meio- ambiente e dos saberes da comunidade, bem como a utilização de ferramentas educacionais para a interpretação e difusão do patrimônio cultural; práticas museais que possibilitam à comunidade escolar e territórios educativos experimentarem situações de ensino/aprendizagem relacionadas à
fruição da memória e à construção da cidadania cultural; museus escolares como espaços dialó- gicos que permitem a interdisciplinaridade de diferentes áreas do conhecimento ligadas à reali- dade escolar e ao seu entorno. 
Objetivo Geral e Específicos: 
- Oportunizar aos educandos a conhecer a pluralidade do patrimônio sociocultural de Rondônia, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, tra- duzindo os conhecimentos sobre a pessoa, a sociedade, a economia, as práticas sociais e culturais em condutas de indagação, análise, problematização e protagonismo diante de situações novas, problemas ou questões da vida pessoal, social, política, econômica e cultural. 
- Aplicar as tecnologias das ciências humanas e sociais da escola no trabalho e em outros contextos relevantes, para a vida dos educandos, bem como proporcionar-lhes a consciência ne- cessária que possibilita ações de transformação e aperfeiçoamento da realidade social, efetivando a construção da cidadania real. 
- Propiciar aos alunos conhecimentos e visitas a pontos turísticos ou de relevância para o desenvolvimento do estado, bem como observarem os sítios históricos e as atividades culturais que os colocam em contato com os temas e processos históricos e culturais explorados nas disci- plinas em curso. 
- Ampliar os conhecimentos da produção literária, artística e cultural do Estado e do País através da visita ao Museu da Estrada de Ferro e à Casa Ivan Marrocos, além de explorar e apre- ciar as composições literárias dos alunos de todo o Estado cujo tema está voltado para o centená- rio da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. 
- Promover ações no sentido de despertar o senso latente dos participantes da excursão re- lacionado ao desenvolvimento de uma visão ecológica, à responsabilidade e respeito ao patrimô- nio histórico-cultural. 
- Vivenciar os componentes artísticos, históricos e culturais dos pontos visitados, de tal maneira que haja uma conscientização pela preservação, conservação, contribuição e o despertar do senso crítico-educativo da compreensão de nossa história. 
- Vivenciar o contato com povo de outra língua para despertar o interesse pela Língua Espanhola e perceber a importância do MERCOSUL como meio de integração regional. 
Justificativa: 
- O estudo teórico da Arte, da Cultura, da Literatura, da História e da Geografia de Ron- dônia através das disciplinas da grade curricular dos Ensinos Fundamental e Médio exige a práti- ca concomitante recomendada pelos PCN’s. Portanto, considerando-se o contexto socioeconômi- co-cultural no qual nossos educandos estão inseridos, faz-se necessário oportunizar-lhes esta possibilidade de vivenciarem os conteúdos trabalhados em sala de aula durante o período letivo através de abordagem em ambientes não escolares. Sabendo-se que o processo pedagógico ado- tado em nossa Instituição Educacional implica em um trabalho interdisciplinar voltado para as necessidades de aprendizagem contextualizada, as disciplinas de Cultura Regional, Literatura, História e Geografia de Rondônia enfocarão o estudo sobre a história, a sociedade, o patrimônio histórico, a cultura e a literatura do Estado, ministradas em consonância com as disciplinas de Língua Portuguesa e História, que desenvolverão estudos para a produção de poemas sobre a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, além dos aspectos da linguagem e o registro das ações con- cluídas; a Biologia, que tratará sobre as questões ambientais; a Química e a Física, que se ocupa- rão da tecnologia que impulsiona o desenvolvimento do Estado; a Matemática, que analisará
dados coletados referentes às pesquisas realizadas; a Educação Física e Arte, que observarão aspectos da arquitetura, dança entre outros aspectos passíveis de observação. 
Metodologia 
O que será desenvolvido: 
- Elaboração e aprovação do projeto; 
- Início das atividades teóricas para construção do conhecimento; 
- Apresentação de cronograma da excursão; 
- Apresentação de filmes sobre a História e Geografia do Estado; 
- Pesquisa bibliográfica sobre os temas a serem abordados; 
- Palestras sobre desenvolvimento portuário, industrial e setorial do Estado; 
- Vídeos e palestras sobre a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré; 
- Leitura e estudo das obras de autores participantes da Fliro; 
- Produção de Poemas, objetivando participação no Concurso de Poesias sobre a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré; 
- Estudo sobre os variados aspectos culturais do Estado; 
- Estudo sobre a produção fotográfica, de vídeos com a Telessala e LIE; 
- Estudo sobre produção de documentário; 
Como será desenvolvido: 
- Debate sobre os conhecimentos teóricos adquiridos; 
- Excursão pelo Estado conforme programação; 
- Relatórios fotográficos e escritos da excursão, conforme anexo I; 
- Socialização pelos alunos com fotos, filmagens e relatórios, sobre o aprendizado do co- nhecimento real com a comunidade escolar; 
- Avaliação por disciplina sobre o resultado da ação. 
- Produção de Documentário sobre a Excursão; 
- Divulgação através da mídia do Documentário produzido; 
Como a comunidade escolar (pais, alunos, professores e funcionários da escola) será integrada ao projeto: 
Envolvimento deverá ser: 
- Equipe gestora, administrativa e pedagógica; 
- Professores; 
- Alunos; 
- Parceiros/Colaboradores; Voluntários; 
- Pais dos alunos; 
Haverá envolvimento da comunidade local (moradores, estabelecimentos comerciais, espaços públicos, espaços coletivos diversos que se encontram entorno da escola) com o proje- to? Sim; 
Como será este envolvimento? 
- As despesas com alimentação serão custeadas através da doação de voluntários amigos da escola e pelos próprios pais e alunos; 
- A hospedagem será em escolas cedidas através de contato posterior ou na sede do Sinte- ro em Porto Velho; 
- As despesas com transporte serão custeadas pela CRE – Coordenadoria Regional de Educação através da SEDUC – Secretaria Estadual de Educação em parceria;
Qual a relação entre o projeto proposto e o projeto político pedagógico da escola: 
Durante o trajeto cada Professor acompanhará grupos de alunos pelos quais ficará res- ponsável; no entanto as explanações a respeito dos assuntos pertinentes em cada visita aos locais determinados serão para todos os excursionistas conforme agenda interdisciplinar para socializa- ção e posterior sistematização dos registros. Os alunos excursionistas serão selecionados pelos professores que acompanharão a excursão dentre as turmas inscritas no Projeto considerando-se o grau de interesse e desempenho no decorrer das atividades teóricas, observando-se a distribui- ção das vagas equitativamente a começar pelo EMR, EMC, EMEJA e EFR a depender das vagas no ônibus disponibilizado; 
Haverá produto ao final desta parceria entre a escola e a iniciativa parceira? (exposi- ção, vídeo, peça teatral, etc.)? Sim; 
Descreva o produto: 
- Produção de Documentário em Vídeo sobre o Roteiro da viagem em todos os seus as- pectos e divulgação através de DVD (para suporte aos alunos e outras escolas nas disciplinas pertinentes, principalmente como subsídio para Cultura Regional, História e Geografia de Ron- dônia), das redes sociais, canais virtuais de vídeo (you tube e videolog), blog da escola, etc. 
- Elaboração de Portfólio; 
Estimativa de Pessoas Envolvidas: 
- Estudantes: 40 
- Professores: 10 
- Familiares: 25 
- Pessoas da Comunidade: 15 
- Total: 90 
Resultados Esperados: 
Ao final do Projeto os alunos serão ainda avaliados quanto à apresentação dos resultados à comunidade escolar através de relatórios, exposição fotográfica, filmagens, estatísticas, depoi- mentos, produções textuais, produção de documentário, etc. 
Cronograma de Ação: 
2014 
2015 
Out 
Nov 
Dez 
Fev 
Mar 
Abr 
Mai 
Jun 
Ago 
Set 
- Apresentação do Projeto aos envolvidos; 
- Divulgação do Projeto à Comunidade; 
- Início das Pesquisas; 
- Continuidade das Pesqui- sas; 
- Encontros para sistemati- zação das pesquisas; 
- Organização da Excursão; 
- Realização da Excursão; 
- Sistematiza- ção dos dados coletados du- rante a excur- são; 
- Apresentação dos resultados à comunidade; 
Previsão Orçamentária: 
Total do Orçamento: 21.000,00 
Aquisição de Materiais de Consumo: 3.000,00 
Contratação de serviços culturais necessários às atividades artísticas e pedagógicas: 3.000,00 
Contratação de serviços diversos: 2.000,00 
Locação de instrumentos, transporte, equipamentos: 10.000,00 
Aquisição de materiais permanentes e equipamentos: 2.500,00
Saldo do Orçamento: 500,00 
Avaliação do MEC 
Descrição: 
Bom plano de reconhecimento e valorização da história e patrimônio cultural do estado. No plano de atividade cultural há a informação que o transporte para as viagens de campo será custeado pela Coordenadoria Regional de Educação através da SEDUC – Secretaria Estadual de Educação, no entanto, no orçamento há uma previsão elevada para transporte e equipamentos. Rever o valor desta rubrica e, se for o caso, realocar valores para outras rubricas, com o objetivo de aprimorar o plano. 
Conceito: A 
O que são os conceitos A/B/ C? 
Planos de Atividade Culturais avaliados com o conceito A são aqueles que atendem e/ ou superam objetivos do Mais Cultura nas Escolas, considerados no processo de seleção, a saber: diálogo entre experiência do(a) parceiro(a) cultural e Plano de Atividade apresentado; aprofun- damento em relação às propostas já desenvolvidas por meio dos programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador (SEB-MEC); valorização de práticas artísticas e culturais não hegemôni- cas ou não predominantes, embora representativas da realidade do território em que a escola está inserida; valorização de práticas artísticas e culturais não hegemônicas ou não predominantes na cultura de massas (por exemplo, repertório musical não presente e/ ou que não recebe destaque nos meios de comunicação em massa); aprofundamento do repertório cultural da comunidade escolar, em especial abrangendo outros atores além de estudantes, docentes, por exemplo. 
Planos de Atividade Culturais avaliados com o conceito B são aqueles que atendem crité- rios considerados indispensáveis no processo de seleção, a saber: algum nível de aprofundamen- to em relação às propostas já desenvolvidas por meio dos programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador (SEB-MEC); indicação de repertórios e/ ou práticas artísticas e culturais que apresentem potencial significativo, seja em relação à ampliação do repertório cultural da comu- nidade escolar, seja em relação à experimentação nas práticas pedagógicas da escola; Planos de Atividades Culturais priorizados em função de acordo com parceria MinC/MDS. 
Planos de Atividades Culturais avaliados com C são aqueles que não atendem critérios considerados indispensáveis no processo de seleção, a saber: não apresentam aprofundamento em relação às propostas já desenvolvidas por meio dos programas Mais Educação e Ensino Mé- dio Inovador (SEB-MEC); apresentam parceiros(as) culturais cuja experiência é incompatível com Plano de Atividade apresentado. 
TERMO DE PARCERIA 
- A iniciativa cultural parceiro(a) MARIANA PEREIRA SOARES domicilia- do(a)/situado(a) à Avenida 1º de Maio, número 4787, cidade Vilhena-RO, inscrito(a) no CPF sob o nº 351.508.072-49 , declara estabelecer parceria com a EEEFM MACHADO DE ASSIS, códi- go do INEP 11033487 cujo endereço é AV TIRADENTES, número 265, cidade Vilhena-RO, para realização do plano de atividade cultural apresentado ao Programa Mais Cultura nas Esco- las. 
( X ) LEMOS E CONCORDAMOS 
Responsável pela Unidade Executora: Ronildo do Nascimento
Orientações Gerais para Execução dos Recursos e Desenvolvimento dos Planos de Atividades Culturais 
- O repasse dos recursos do Mais Cultura nas Escolas para as escolas cujos Planos de Atividades Culturais foram selecionados, começou em maio de 2014, e estão sendo efetuados por meio de depósito na conta do PDDE/ Qualidade - Ação Mais Cultura nas Escolas. Conforme define a Resolução FNDE/ PDDE n° 10 de 18/04/2013, o FNDE realizará a abertura da mesma. Os repasses podem ser acompanha- dos por meio do endereço www.fnde.gov.br, no ícone “Sistema de Consulta à Liberação de Recursos dos Programas do FNDE”. Conforme definido pela Resolução FNDE/PDDE n° 5 de 31/03/2014, os repasses do ano exercício de 2014 serão efetuados em 2 (duas) parcelas. 
- As observações da Avaliação MEC/MinC deverão ser consideradas no replanejamento do Plano de Atividades, em alguns casos também durante o desenvolvimento do mesmo. Salienta-se que agentes públicos na ativa e entidades públicas não podem receber recursos do PDDE/ FNDE, sob risco de impe- dimento da vinculação da escola e/ ou da administração pública local, ao PDDE/ FNDE. Os cronogramas de execução deverão ser revistos. Recomenda-se replanejamento e inicio imediato das atividades, uma vez disponibilizada a primeira parcela recursos para desenvolvimento dos Planos de Atividades. Durante a execução do Plano de Atividade Cultural é indispensável que as escolas atualizem o uso dos recursos repassados por meio da aba “Monitoramento”, que será disponibilizada em breve no módulo “Mais Cultu- ra” do SIMEC. Caso necessário, as atividades poderão ser estendidas ao próximo ano letivo, contudo, deve-se atentar às normas PDDE/ FNDE para uso dos recursos no ano exercício em que foram repassa- dos, sob pena de redução dos mesmos no ano seguinte. Desse modo, recomenda-se que o replanejamento dos das atividades considere meios de fazer uso dos recursos, acordando e, se possível, adianto compras e possíveis pagamentos de serviços tão logo os recursos seja disponibilizados, sem prejuízo de atendimento as regras PDDE/ FNDE para uso dos mesmos (Resolução PDDE/ FNDE n° 10 de 18/04/2013). 
Sobre alterações no Plano de Atividade Cultural e uso dos recursos 
As alterações nos Planos de Atividade Culturais, assim como a escolha da iniciativa cultural par- ceira, devem manter estreita relação com o Plano original aprovado, registrado no SIMEC, observados atentamente indicações expressas na aba “Avaliação”. 
Uma vez ajustado o cronograma de atividades, sugere-se relacionar gastos previstos para realiza- ção das primeiras etapas do Plano de Atividade, considerando as observações da aba “Avaliação”, assim como possíveis destinações de recursos indicadas na “Apresentação”, item 1 do presente Manual. É in- dispensável que os gastos dos recursos sejam informados ao longo da execução, na aba “Monitoramento” no módulo Mais Cultura do SIMEC, facilitando assim a liberação da segunda parcela.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

PLANO DE EXECUÇÃO PEDAGÓGICA E FINANCEIRA – Projeto Excelência
PLANO DE EXECUÇÃO PEDAGÓGICA E FINANCEIRA – Projeto Excelência    PLANO DE EXECUÇÃO PEDAGÓGICA E FINANCEIRA – Projeto Excelência
PLANO DE EXECUÇÃO PEDAGÓGICA E FINANCEIRA – Projeto Excelência
LOCIMAR MASSALAI
 
Bourlegat educação e preservação patrimonial e arqueológica no desenvolvime...
Bourlegat   educação e preservação patrimonial e arqueológica no desenvolvime...Bourlegat   educação e preservação patrimonial e arqueológica no desenvolvime...
Bourlegat educação e preservação patrimonial e arqueológica no desenvolvime...
Diogo Cardoso
 
Prinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na Escola
Prinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na EscolaPrinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na Escola
Prinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na Escola
Seduc MT
 
MEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
MEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVAMEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
MEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
Pedagogiapibid
 
Projeto ra (1) edvirges
Projeto ra (1) edvirgesProjeto ra (1) edvirges
Projeto ra (1) edvirges
Elena Roque Almeida
 
Projeto folclore
Projeto folcloreProjeto folclore
Projeto folclore
Daniela Trindade
 
Manifestoportuguese brazil
Manifestoportuguese brazilManifestoportuguese brazil
Manifestoportuguese brazil
alexandranuneslopes
 
MEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
MEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVAMEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
MEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
Pedagogiapibid
 
17463213 cartografia
17463213 cartografia17463213 cartografia
17463213 cartografia
Carla Sena
 
População, cidades globais e cultura urbana
População, cidades globais e cultura urbanaPopulação, cidades globais e cultura urbana
População, cidades globais e cultura urbana
rafabriciogeo
 
População, cidades globais e cultura urbana
População, cidades globais e cultura urbanaPopulação, cidades globais e cultura urbana
População, cidades globais e cultura urbana
rafabriciogeo
 
Plano de Ensino do 3º ano do Ensino Fundamental
Plano de Ensino do 3º ano do Ensino Fundamental Plano de Ensino do 3º ano do Ensino Fundamental
Plano de Ensino do 3º ano do Ensino Fundamental
LOCIMAR MASSALAI
 
Projeto eja cultural sre carangola
Projeto eja cultural   sre carangolaProjeto eja cultural   sre carangola
Projeto eja cultural sre carangola
Fabiola Oliveira
 
Projeto Vila Monumento
Projeto Vila MonumentoProjeto Vila Monumento
Projeto Vila Monumento
helenadepaula
 
DIRETRIZES EDUCACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO ÍNDIGENA
DIRETRIZES EDUCACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO ÍNDIGENADIRETRIZES EDUCACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO ÍNDIGENA
DIRETRIZES EDUCACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO ÍNDIGENA
Joel Soares
 
Relato Educação Indígena Professora Eunice- Cefapro-Sinop-MT
Relato Educação Indígena Professora Eunice- Cefapro-Sinop-MTRelato Educação Indígena Professora Eunice- Cefapro-Sinop-MT
Relato Educação Indígena Professora Eunice- Cefapro-Sinop-MT
Sara Cristina
 
Projeto Diversidade Cultural - Prof. Iria Rejane
Projeto Diversidade Cultural - Prof. Iria RejaneProjeto Diversidade Cultural - Prof. Iria Rejane
Projeto Diversidade Cultural - Prof. Iria Rejane
Alexandre da Rosa
 
Atividade 2.10
Atividade 2.10Atividade 2.10
Atividade 2.10
carol_barbosa
 
Projeto Cultura Afro Brasileira - Prof. Maria Lucinda
Projeto Cultura Afro Brasileira - Prof. Maria LucindaProjeto Cultura Afro Brasileira - Prof. Maria Lucinda
Projeto Cultura Afro Brasileira - Prof. Maria Lucinda
Alexandre da Rosa
 
História local: Entre o ensino e a pesquisa
História local: Entre o ensino e a pesquisaHistória local: Entre o ensino e a pesquisa
História local: Entre o ensino e a pesquisa
Paulo Alexandre
 

Mais procurados (20)

PLANO DE EXECUÇÃO PEDAGÓGICA E FINANCEIRA – Projeto Excelência
PLANO DE EXECUÇÃO PEDAGÓGICA E FINANCEIRA – Projeto Excelência    PLANO DE EXECUÇÃO PEDAGÓGICA E FINANCEIRA – Projeto Excelência
PLANO DE EXECUÇÃO PEDAGÓGICA E FINANCEIRA – Projeto Excelência
 
Bourlegat educação e preservação patrimonial e arqueológica no desenvolvime...
Bourlegat   educação e preservação patrimonial e arqueológica no desenvolvime...Bourlegat   educação e preservação patrimonial e arqueológica no desenvolvime...
Bourlegat educação e preservação patrimonial e arqueológica no desenvolvime...
 
Prinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na Escola
Prinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na EscolaPrinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na Escola
Prinart. Projeto Interdisciplinar de Arte na Escola
 
MEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
MEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVAMEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
MEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
 
Projeto ra (1) edvirges
Projeto ra (1) edvirgesProjeto ra (1) edvirges
Projeto ra (1) edvirges
 
Projeto folclore
Projeto folcloreProjeto folclore
Projeto folclore
 
Manifestoportuguese brazil
Manifestoportuguese brazilManifestoportuguese brazil
Manifestoportuguese brazil
 
MEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
MEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVAMEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
MEMÓRIA E PATRIMÔNIO HISTÓRICO: ALAVANCAS PARA UMA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA
 
17463213 cartografia
17463213 cartografia17463213 cartografia
17463213 cartografia
 
População, cidades globais e cultura urbana
População, cidades globais e cultura urbanaPopulação, cidades globais e cultura urbana
População, cidades globais e cultura urbana
 
População, cidades globais e cultura urbana
População, cidades globais e cultura urbanaPopulação, cidades globais e cultura urbana
População, cidades globais e cultura urbana
 
Plano de Ensino do 3º ano do Ensino Fundamental
Plano de Ensino do 3º ano do Ensino Fundamental Plano de Ensino do 3º ano do Ensino Fundamental
Plano de Ensino do 3º ano do Ensino Fundamental
 
Projeto eja cultural sre carangola
Projeto eja cultural   sre carangolaProjeto eja cultural   sre carangola
Projeto eja cultural sre carangola
 
Projeto Vila Monumento
Projeto Vila MonumentoProjeto Vila Monumento
Projeto Vila Monumento
 
DIRETRIZES EDUCACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO ÍNDIGENA
DIRETRIZES EDUCACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO ÍNDIGENADIRETRIZES EDUCACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO ÍNDIGENA
DIRETRIZES EDUCACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO ÍNDIGENA
 
Relato Educação Indígena Professora Eunice- Cefapro-Sinop-MT
Relato Educação Indígena Professora Eunice- Cefapro-Sinop-MTRelato Educação Indígena Professora Eunice- Cefapro-Sinop-MT
Relato Educação Indígena Professora Eunice- Cefapro-Sinop-MT
 
Projeto Diversidade Cultural - Prof. Iria Rejane
Projeto Diversidade Cultural - Prof. Iria RejaneProjeto Diversidade Cultural - Prof. Iria Rejane
Projeto Diversidade Cultural - Prof. Iria Rejane
 
Atividade 2.10
Atividade 2.10Atividade 2.10
Atividade 2.10
 
Projeto Cultura Afro Brasileira - Prof. Maria Lucinda
Projeto Cultura Afro Brasileira - Prof. Maria LucindaProjeto Cultura Afro Brasileira - Prof. Maria Lucinda
Projeto Cultura Afro Brasileira - Prof. Maria Lucinda
 
História local: Entre o ensino e a pesquisa
História local: Entre o ensino e a pesquisaHistória local: Entre o ensino e a pesquisa
História local: Entre o ensino e a pesquisa
 

Destaque

Redação: Combatendo a dengue
Redação: Combatendo a dengueRedação: Combatendo a dengue
Redação: Combatendo a dengue
IEE Wilcam
 
Regras de ouro da sabedoria popular
Regras de ouro da sabedoria popularRegras de ouro da sabedoria popular
Regras de ouro da sabedoria popular
IEE Wilcam
 
Celebração Litúrgica - 49º Dia Mundial das Comunicações/2015
Celebração Litúrgica - 49º Dia Mundial das Comunicações/2015Celebração Litúrgica - 49º Dia Mundial das Comunicações/2015
Celebração Litúrgica - 49º Dia Mundial das Comunicações/2015
IEE Wilcam
 
Missa do Dia Mundial das Comunicações Sociais 2015/Ascensão do Senhor
Missa do Dia Mundial das Comunicações Sociais 2015/Ascensão do SenhorMissa do Dia Mundial das Comunicações Sociais 2015/Ascensão do Senhor
Missa do Dia Mundial das Comunicações Sociais 2015/Ascensão do Senhor
IEE Wilcam
 
Missa do 1º Domingo da Quaresma - ANO B (Slides)
Missa do 1º Domingo da Quaresma - ANO B (Slides)Missa do 1º Domingo da Quaresma - ANO B (Slides)
Missa do 1º Domingo da Quaresma - ANO B (Slides)
IEE Wilcam
 
Estatuto do Conselho Escolar
Estatuto do Conselho EscolarEstatuto do Conselho Escolar
Estatuto do Conselho Escolar
IEE Wilcam
 
Cartilha sobre formação de Grêmio Estudantil
Cartilha sobre formação de Grêmio EstudantilCartilha sobre formação de Grêmio Estudantil
Cartilha sobre formação de Grêmio Estudantil
IEE Wilcam
 
Caderno novo do conselho escolar
Caderno novo do conselho escolarCaderno novo do conselho escolar
Caderno novo do conselho escolar
Daniela F Almenara
 

Destaque (8)

Redação: Combatendo a dengue
Redação: Combatendo a dengueRedação: Combatendo a dengue
Redação: Combatendo a dengue
 
Regras de ouro da sabedoria popular
Regras de ouro da sabedoria popularRegras de ouro da sabedoria popular
Regras de ouro da sabedoria popular
 
Celebração Litúrgica - 49º Dia Mundial das Comunicações/2015
Celebração Litúrgica - 49º Dia Mundial das Comunicações/2015Celebração Litúrgica - 49º Dia Mundial das Comunicações/2015
Celebração Litúrgica - 49º Dia Mundial das Comunicações/2015
 
Missa do Dia Mundial das Comunicações Sociais 2015/Ascensão do Senhor
Missa do Dia Mundial das Comunicações Sociais 2015/Ascensão do SenhorMissa do Dia Mundial das Comunicações Sociais 2015/Ascensão do Senhor
Missa do Dia Mundial das Comunicações Sociais 2015/Ascensão do Senhor
 
Missa do 1º Domingo da Quaresma - ANO B (Slides)
Missa do 1º Domingo da Quaresma - ANO B (Slides)Missa do 1º Domingo da Quaresma - ANO B (Slides)
Missa do 1º Domingo da Quaresma - ANO B (Slides)
 
Estatuto do Conselho Escolar
Estatuto do Conselho EscolarEstatuto do Conselho Escolar
Estatuto do Conselho Escolar
 
Cartilha sobre formação de Grêmio Estudantil
Cartilha sobre formação de Grêmio EstudantilCartilha sobre formação de Grêmio Estudantil
Cartilha sobre formação de Grêmio Estudantil
 
Caderno novo do conselho escolar
Caderno novo do conselho escolarCaderno novo do conselho escolar
Caderno novo do conselho escolar
 

Semelhante a Programa Mais Cultura nas Escolas

Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
Edgar De Lima Barbosa
 
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
Edgar De Lima Barbosa
 
Manual programa mais cultura nas escolas
Manual programa mais cultura nas escolasManual programa mais cultura nas escolas
Manual programa mais cultura nas escolas
GILCELIO S SANTOS
 
Manual Mais Cultura 2013
Manual Mais Cultura 2013Manual Mais Cultura 2013
Manual Mais Cultura 2013
Apeoesp Vale Do Ribeira
 
Pp mais cult 18 04 2013
Pp mais cult 18 04 2013Pp mais cult 18 04 2013
Pp mais cult 18 04 2013
Orlando Lopes
 
Escola municipal ramiro noronha
Escola municipal ramiro noronhaEscola municipal ramiro noronha
Escola municipal ramiro noronha
Ramiro Noronha
 
Projeto de Literatura e Redação
Projeto de Literatura e RedaçãoProjeto de Literatura e Redação
Projeto de Literatura e Redação
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 
Inf historia 2
Inf historia 2Inf historia 2
Inf historia 2
Izaac Erder
 
Educar pela Cidade: Memória e Patrimônio Cultural e Ambiental
Educar pela Cidade: Memória e  Patrimônio Cultural e AmbientalEducar pela Cidade: Memória e  Patrimônio Cultural e Ambiental
Educar pela Cidade: Memória e Patrimônio Cultural e Ambiental
Kelly Freitas
 
Projeto do Curso Redes de Aprendizagem
Projeto do Curso Redes de AprendizagemProjeto do Curso Redes de Aprendizagem
Projeto do Curso Redes de Aprendizagem
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DO MARANHÃO
 
TRABALHANDO O FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TRABALHANDO O  FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTILTRABALHANDO O  FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TRABALHANDO O FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Fernando Pissuto
 
MEMÓRIA, CULTURA CAMPONESA E CARTOGRAFIA SOCIAL.docx.pdf
MEMÓRIA, CULTURA CAMPONESA E CARTOGRAFIA SOCIAL.docx.pdfMEMÓRIA, CULTURA CAMPONESA E CARTOGRAFIA SOCIAL.docx.pdf
MEMÓRIA, CULTURA CAMPONESA E CARTOGRAFIA SOCIAL.docx.pdf
MARCELACARNEIROGOMES
 
Projeto resgate da diversidade cultural 2017
Projeto resgate da diversidade cultural 2017Projeto resgate da diversidade cultural 2017
Projeto resgate da diversidade cultural 2017
josane menezes sanches
 
ORIENTACOES CURRICULARES ARTES
ORIENTACOES CURRICULARES ARTESORIENTACOES CURRICULARES ARTES
ORIENTACOES CURRICULARES ARTES
Jayme Sousa
 
Planejamento de aula - receitas de famílias - patrimônio cultural
Planejamento de aula - receitas de famílias - patrimônio culturalPlanejamento de aula - receitas de famílias - patrimônio cultural
Planejamento de aula - receitas de famílias - patrimônio cultural
Dirce Cristiane Camilotti
 
Atividades de Enriquecimento Curricular 2023_2024.pdf
Atividades de Enriquecimento Curricular 2023_2024.pdfAtividades de Enriquecimento Curricular 2023_2024.pdf
Atividades de Enriquecimento Curricular 2023_2024.pdf
lucar2010
 
Modelo de resumo
Modelo de resumoModelo de resumo
Modelo de resumo
PotenzaWD
 
Projeto arte e cultura de coxim
Projeto arte e cultura de coximProjeto arte e cultura de coxim
Projeto arte e cultura de coxim
JaneteNTE2013
 
Projeto arte e cultura de coxim
Projeto arte e cultura de coximProjeto arte e cultura de coxim
Projeto arte e cultura de coxim
JaneteNTE2013
 
Com o objetivo de contribuir para a formação integral de nossas crianças e jo...
Com o objetivo de contribuir para a formação integral de nossas crianças e jo...Com o objetivo de contribuir para a formação integral de nossas crianças e jo...
Com o objetivo de contribuir para a formação integral de nossas crianças e jo...
EDNALVAREZENDE
 

Semelhante a Programa Mais Cultura nas Escolas (20)

Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
 
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
 
Manual programa mais cultura nas escolas
Manual programa mais cultura nas escolasManual programa mais cultura nas escolas
Manual programa mais cultura nas escolas
 
Manual Mais Cultura 2013
Manual Mais Cultura 2013Manual Mais Cultura 2013
Manual Mais Cultura 2013
 
Pp mais cult 18 04 2013
Pp mais cult 18 04 2013Pp mais cult 18 04 2013
Pp mais cult 18 04 2013
 
Escola municipal ramiro noronha
Escola municipal ramiro noronhaEscola municipal ramiro noronha
Escola municipal ramiro noronha
 
Projeto de Literatura e Redação
Projeto de Literatura e RedaçãoProjeto de Literatura e Redação
Projeto de Literatura e Redação
 
Inf historia 2
Inf historia 2Inf historia 2
Inf historia 2
 
Educar pela Cidade: Memória e Patrimônio Cultural e Ambiental
Educar pela Cidade: Memória e  Patrimônio Cultural e AmbientalEducar pela Cidade: Memória e  Patrimônio Cultural e Ambiental
Educar pela Cidade: Memória e Patrimônio Cultural e Ambiental
 
Projeto do Curso Redes de Aprendizagem
Projeto do Curso Redes de AprendizagemProjeto do Curso Redes de Aprendizagem
Projeto do Curso Redes de Aprendizagem
 
TRABALHANDO O FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TRABALHANDO O  FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTILTRABALHANDO O  FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
TRABALHANDO O FOLCLORE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
MEMÓRIA, CULTURA CAMPONESA E CARTOGRAFIA SOCIAL.docx.pdf
MEMÓRIA, CULTURA CAMPONESA E CARTOGRAFIA SOCIAL.docx.pdfMEMÓRIA, CULTURA CAMPONESA E CARTOGRAFIA SOCIAL.docx.pdf
MEMÓRIA, CULTURA CAMPONESA E CARTOGRAFIA SOCIAL.docx.pdf
 
Projeto resgate da diversidade cultural 2017
Projeto resgate da diversidade cultural 2017Projeto resgate da diversidade cultural 2017
Projeto resgate da diversidade cultural 2017
 
ORIENTACOES CURRICULARES ARTES
ORIENTACOES CURRICULARES ARTESORIENTACOES CURRICULARES ARTES
ORIENTACOES CURRICULARES ARTES
 
Planejamento de aula - receitas de famílias - patrimônio cultural
Planejamento de aula - receitas de famílias - patrimônio culturalPlanejamento de aula - receitas de famílias - patrimônio cultural
Planejamento de aula - receitas de famílias - patrimônio cultural
 
Atividades de Enriquecimento Curricular 2023_2024.pdf
Atividades de Enriquecimento Curricular 2023_2024.pdfAtividades de Enriquecimento Curricular 2023_2024.pdf
Atividades de Enriquecimento Curricular 2023_2024.pdf
 
Modelo de resumo
Modelo de resumoModelo de resumo
Modelo de resumo
 
Projeto arte e cultura de coxim
Projeto arte e cultura de coximProjeto arte e cultura de coxim
Projeto arte e cultura de coxim
 
Projeto arte e cultura de coxim
Projeto arte e cultura de coximProjeto arte e cultura de coxim
Projeto arte e cultura de coxim
 
Com o objetivo de contribuir para a formação integral de nossas crianças e jo...
Com o objetivo de contribuir para a formação integral de nossas crianças e jo...Com o objetivo de contribuir para a formação integral de nossas crianças e jo...
Com o objetivo de contribuir para a formação integral de nossas crianças e jo...
 

Mais de IEE Wilcam

Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr CarrascoObra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
IEE Wilcam
 
Do verso à prosa - Releitura - Terezinha de Jesus
Do verso à prosa - Releitura - Terezinha de JesusDo verso à prosa - Releitura - Terezinha de Jesus
Do verso à prosa - Releitura - Terezinha de Jesus
IEE Wilcam
 
Uma prosa bichada
Uma prosa bichadaUma prosa bichada
Uma prosa bichada
IEE Wilcam
 
Ficha de inscrição para mais cultura
Ficha de inscrição para mais culturaFicha de inscrição para mais cultura
Ficha de inscrição para mais cultura
IEE Wilcam
 
Autorização para inscrição no mais cultura
Autorização para inscrição no mais culturaAutorização para inscrição no mais cultura
Autorização para inscrição no mais cultura
IEE Wilcam
 
Ficha para cadastro de moradores de bairro
Ficha para cadastro de moradores de bairroFicha para cadastro de moradores de bairro
Ficha para cadastro de moradores de bairro
IEE Wilcam
 
Projeto de Iniciativa Popular para a Reforma do Sistema Político
Projeto de Iniciativa Popular para a Reforma do Sistema PolíticoProjeto de Iniciativa Popular para a Reforma do Sistema Político
Projeto de Iniciativa Popular para a Reforma do Sistema Político
IEE Wilcam
 
Cartilha dos direitos e deveres na educação
Cartilha dos direitos e deveres na educaçãoCartilha dos direitos e deveres na educação
Cartilha dos direitos e deveres na educação
IEE Wilcam
 
Termo de orientação, advertência, responsabilidade e compromisso
Termo de orientação, advertência, responsabilidade e compromissoTermo de orientação, advertência, responsabilidade e compromisso
Termo de orientação, advertência, responsabilidade e compromisso
IEE Wilcam
 
Lei Complementar nº 420
Lei Complementar nº 420Lei Complementar nº 420
Lei Complementar nº 420
IEE Wilcam
 
Lei contra o Assédio Moral no Serviço Público
Lei contra o Assédio Moral no Serviço PúblicoLei contra o Assédio Moral no Serviço Público
Lei contra o Assédio Moral no Serviço Público
IEE Wilcam
 
Manual do Servidor Público
Manual do Servidor PúblicoManual do Servidor Público
Manual do Servidor Público
IEE Wilcam
 
Termo de Responsabilidade dos Pais
Termo de Responsabilidade dos PaisTermo de Responsabilidade dos Pais
Termo de Responsabilidade dos Pais
IEE Wilcam
 
Emblemas Machadianos
Emblemas MachadianosEmblemas Machadianos
Emblemas Machadianos
IEE Wilcam
 
Normativas da Escola Machado de Assis
Normativas da Escola Machado de AssisNormativas da Escola Machado de Assis
Normativas da Escola Machado de Assis
IEE Wilcam
 
Termo de Advertência Escolar 2012
Termo de Advertência Escolar 2012Termo de Advertência Escolar 2012
Termo de Advertência Escolar 2012
IEE Wilcam
 

Mais de IEE Wilcam (16)

Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr CarrascoObra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
 
Do verso à prosa - Releitura - Terezinha de Jesus
Do verso à prosa - Releitura - Terezinha de JesusDo verso à prosa - Releitura - Terezinha de Jesus
Do verso à prosa - Releitura - Terezinha de Jesus
 
Uma prosa bichada
Uma prosa bichadaUma prosa bichada
Uma prosa bichada
 
Ficha de inscrição para mais cultura
Ficha de inscrição para mais culturaFicha de inscrição para mais cultura
Ficha de inscrição para mais cultura
 
Autorização para inscrição no mais cultura
Autorização para inscrição no mais culturaAutorização para inscrição no mais cultura
Autorização para inscrição no mais cultura
 
Ficha para cadastro de moradores de bairro
Ficha para cadastro de moradores de bairroFicha para cadastro de moradores de bairro
Ficha para cadastro de moradores de bairro
 
Projeto de Iniciativa Popular para a Reforma do Sistema Político
Projeto de Iniciativa Popular para a Reforma do Sistema PolíticoProjeto de Iniciativa Popular para a Reforma do Sistema Político
Projeto de Iniciativa Popular para a Reforma do Sistema Político
 
Cartilha dos direitos e deveres na educação
Cartilha dos direitos e deveres na educaçãoCartilha dos direitos e deveres na educação
Cartilha dos direitos e deveres na educação
 
Termo de orientação, advertência, responsabilidade e compromisso
Termo de orientação, advertência, responsabilidade e compromissoTermo de orientação, advertência, responsabilidade e compromisso
Termo de orientação, advertência, responsabilidade e compromisso
 
Lei Complementar nº 420
Lei Complementar nº 420Lei Complementar nº 420
Lei Complementar nº 420
 
Lei contra o Assédio Moral no Serviço Público
Lei contra o Assédio Moral no Serviço PúblicoLei contra o Assédio Moral no Serviço Público
Lei contra o Assédio Moral no Serviço Público
 
Manual do Servidor Público
Manual do Servidor PúblicoManual do Servidor Público
Manual do Servidor Público
 
Termo de Responsabilidade dos Pais
Termo de Responsabilidade dos PaisTermo de Responsabilidade dos Pais
Termo de Responsabilidade dos Pais
 
Emblemas Machadianos
Emblemas MachadianosEmblemas Machadianos
Emblemas Machadianos
 
Normativas da Escola Machado de Assis
Normativas da Escola Machado de AssisNormativas da Escola Machado de Assis
Normativas da Escola Machado de Assis
 
Termo de Advertência Escolar 2012
Termo de Advertência Escolar 2012Termo de Advertência Escolar 2012
Termo de Advertência Escolar 2012
 

Último

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 

Programa Mais Cultura nas Escolas

  • 1. MAIS CULTURA NAS ESCOLAS Informações O MAIS CULTURA NAS ESCOLAS é uma iniciativa interministerial firmada entre os Mi- nistérios da Cultura e da Educação, que tem por finalidade fomentar ações que promovam o encon- tro entre experiências culturais e artísticas em curso na comunidade local e o projeto pedagógico de es- colas públicas contempladas com os Programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador em 2011. Esta será uma ação conjunta entre as esco- las, artistas e/ou entidades culturais e pontos de cultura com o objetivo de aproximar as práticas culturais, do fazer pedagógico das escolas. As atividades contempladas deverão desenvolver processos artísticos e culturais contí- nuos, podendo ser realizadas dentro do espaço escolar, de acordo com a disponibilidade da esco- la, ou fora dele, sob orientação pedagógica da escola. Deverão contribuir para a promoção e re- conhecimento de territórios educativos, valorizando o diálogo entre saberes comunitários e esco- lares. Devem também procurar integrar espaços escolares com espaços culturais diversos, equi- pamentos públicos, centros culturais, bibliotecas públicas, pontos de cultura, praças, parques, museus e cinemas. DADOS DA INICIATIVA CULTURAL PARCEIRA PARCEIRO - MAIS CULTURA - PF (EEEFM MACHADO DE ASSIS): Mariana Pereira Soares - 351.508.072-49 - Professora com vasta experiência em trabalhos voltados para alunos de escolas de peri- feria; já trabalhou com o Programa Segundo Tempo assim que foi implantado; desenvolveu di- versos projetos nas escolas por onde passou e deixou sua marca como pioneira em diversas ativi- dades culturais de várias áreas desde a esportiva, artística e ensino de sala de aula de forma di- nâmica e produtiva; por isso a escolha da mesma para dirigir o projeto na Escola Machado de Assis escolhida por unanimidade pela escola. Histórico de Atuação 1 – PROJETO VIAJANDO E CONHECENDO OS PONTOS TURÍSTICOS E HISTÓ- RICOS DO ESTADO DE RONDÔNIA: Este projeto fará com que os alunos desenvolvam a atitude de trabalhar em grupo. Para isso, organizarão de folhetos informativos com a apresenta- ção dos pontos turísticos e históricos do estado de Rondônia e explanação das descobertas e in- venções, utilizando as informações adquiridas nas várias etapas do projeto. PLANO DE ATIVIDADE CULTURAL Descrição do Plano de Atividade Cultural Eixo Temático: Educação Museal - Atividades de identificação, pesquisa, seleção, coleta, preservação, registro, exposição e divulgação de objetos, expressões culturais materiais e imateriais e de valorização do meio- ambiente e dos saberes da comunidade, bem como a utilização de ferramentas educacionais para a interpretação e difusão do patrimônio cultural; práticas museais que possibilitam à comunidade escolar e territórios educativos experimentarem situações de ensino/aprendizagem relacionadas à
  • 2. fruição da memória e à construção da cidadania cultural; museus escolares como espaços dialó- gicos que permitem a interdisciplinaridade de diferentes áreas do conhecimento ligadas à reali- dade escolar e ao seu entorno. Objetivo Geral e Específicos: - Oportunizar aos educandos a conhecer a pluralidade do patrimônio sociocultural de Rondônia, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, tra- duzindo os conhecimentos sobre a pessoa, a sociedade, a economia, as práticas sociais e culturais em condutas de indagação, análise, problematização e protagonismo diante de situações novas, problemas ou questões da vida pessoal, social, política, econômica e cultural. - Aplicar as tecnologias das ciências humanas e sociais da escola no trabalho e em outros contextos relevantes, para a vida dos educandos, bem como proporcionar-lhes a consciência ne- cessária que possibilita ações de transformação e aperfeiçoamento da realidade social, efetivando a construção da cidadania real. - Propiciar aos alunos conhecimentos e visitas a pontos turísticos ou de relevância para o desenvolvimento do estado, bem como observarem os sítios históricos e as atividades culturais que os colocam em contato com os temas e processos históricos e culturais explorados nas disci- plinas em curso. - Ampliar os conhecimentos da produção literária, artística e cultural do Estado e do País através da visita ao Museu da Estrada de Ferro e à Casa Ivan Marrocos, além de explorar e apre- ciar as composições literárias dos alunos de todo o Estado cujo tema está voltado para o centená- rio da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. - Promover ações no sentido de despertar o senso latente dos participantes da excursão re- lacionado ao desenvolvimento de uma visão ecológica, à responsabilidade e respeito ao patrimô- nio histórico-cultural. - Vivenciar os componentes artísticos, históricos e culturais dos pontos visitados, de tal maneira que haja uma conscientização pela preservação, conservação, contribuição e o despertar do senso crítico-educativo da compreensão de nossa história. - Vivenciar o contato com povo de outra língua para despertar o interesse pela Língua Espanhola e perceber a importância do MERCOSUL como meio de integração regional. Justificativa: - O estudo teórico da Arte, da Cultura, da Literatura, da História e da Geografia de Ron- dônia através das disciplinas da grade curricular dos Ensinos Fundamental e Médio exige a práti- ca concomitante recomendada pelos PCN’s. Portanto, considerando-se o contexto socioeconômi- co-cultural no qual nossos educandos estão inseridos, faz-se necessário oportunizar-lhes esta possibilidade de vivenciarem os conteúdos trabalhados em sala de aula durante o período letivo através de abordagem em ambientes não escolares. Sabendo-se que o processo pedagógico ado- tado em nossa Instituição Educacional implica em um trabalho interdisciplinar voltado para as necessidades de aprendizagem contextualizada, as disciplinas de Cultura Regional, Literatura, História e Geografia de Rondônia enfocarão o estudo sobre a história, a sociedade, o patrimônio histórico, a cultura e a literatura do Estado, ministradas em consonância com as disciplinas de Língua Portuguesa e História, que desenvolverão estudos para a produção de poemas sobre a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, além dos aspectos da linguagem e o registro das ações con- cluídas; a Biologia, que tratará sobre as questões ambientais; a Química e a Física, que se ocupa- rão da tecnologia que impulsiona o desenvolvimento do Estado; a Matemática, que analisará
  • 3. dados coletados referentes às pesquisas realizadas; a Educação Física e Arte, que observarão aspectos da arquitetura, dança entre outros aspectos passíveis de observação. Metodologia O que será desenvolvido: - Elaboração e aprovação do projeto; - Início das atividades teóricas para construção do conhecimento; - Apresentação de cronograma da excursão; - Apresentação de filmes sobre a História e Geografia do Estado; - Pesquisa bibliográfica sobre os temas a serem abordados; - Palestras sobre desenvolvimento portuário, industrial e setorial do Estado; - Vídeos e palestras sobre a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré; - Leitura e estudo das obras de autores participantes da Fliro; - Produção de Poemas, objetivando participação no Concurso de Poesias sobre a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré; - Estudo sobre os variados aspectos culturais do Estado; - Estudo sobre a produção fotográfica, de vídeos com a Telessala e LIE; - Estudo sobre produção de documentário; Como será desenvolvido: - Debate sobre os conhecimentos teóricos adquiridos; - Excursão pelo Estado conforme programação; - Relatórios fotográficos e escritos da excursão, conforme anexo I; - Socialização pelos alunos com fotos, filmagens e relatórios, sobre o aprendizado do co- nhecimento real com a comunidade escolar; - Avaliação por disciplina sobre o resultado da ação. - Produção de Documentário sobre a Excursão; - Divulgação através da mídia do Documentário produzido; Como a comunidade escolar (pais, alunos, professores e funcionários da escola) será integrada ao projeto: Envolvimento deverá ser: - Equipe gestora, administrativa e pedagógica; - Professores; - Alunos; - Parceiros/Colaboradores; Voluntários; - Pais dos alunos; Haverá envolvimento da comunidade local (moradores, estabelecimentos comerciais, espaços públicos, espaços coletivos diversos que se encontram entorno da escola) com o proje- to? Sim; Como será este envolvimento? - As despesas com alimentação serão custeadas através da doação de voluntários amigos da escola e pelos próprios pais e alunos; - A hospedagem será em escolas cedidas através de contato posterior ou na sede do Sinte- ro em Porto Velho; - As despesas com transporte serão custeadas pela CRE – Coordenadoria Regional de Educação através da SEDUC – Secretaria Estadual de Educação em parceria;
  • 4. Qual a relação entre o projeto proposto e o projeto político pedagógico da escola: Durante o trajeto cada Professor acompanhará grupos de alunos pelos quais ficará res- ponsável; no entanto as explanações a respeito dos assuntos pertinentes em cada visita aos locais determinados serão para todos os excursionistas conforme agenda interdisciplinar para socializa- ção e posterior sistematização dos registros. Os alunos excursionistas serão selecionados pelos professores que acompanharão a excursão dentre as turmas inscritas no Projeto considerando-se o grau de interesse e desempenho no decorrer das atividades teóricas, observando-se a distribui- ção das vagas equitativamente a começar pelo EMR, EMC, EMEJA e EFR a depender das vagas no ônibus disponibilizado; Haverá produto ao final desta parceria entre a escola e a iniciativa parceira? (exposi- ção, vídeo, peça teatral, etc.)? Sim; Descreva o produto: - Produção de Documentário em Vídeo sobre o Roteiro da viagem em todos os seus as- pectos e divulgação através de DVD (para suporte aos alunos e outras escolas nas disciplinas pertinentes, principalmente como subsídio para Cultura Regional, História e Geografia de Ron- dônia), das redes sociais, canais virtuais de vídeo (you tube e videolog), blog da escola, etc. - Elaboração de Portfólio; Estimativa de Pessoas Envolvidas: - Estudantes: 40 - Professores: 10 - Familiares: 25 - Pessoas da Comunidade: 15 - Total: 90 Resultados Esperados: Ao final do Projeto os alunos serão ainda avaliados quanto à apresentação dos resultados à comunidade escolar através de relatórios, exposição fotográfica, filmagens, estatísticas, depoi- mentos, produções textuais, produção de documentário, etc. Cronograma de Ação: 2014 2015 Out Nov Dez Fev Mar Abr Mai Jun Ago Set - Apresentação do Projeto aos envolvidos; - Divulgação do Projeto à Comunidade; - Início das Pesquisas; - Continuidade das Pesqui- sas; - Encontros para sistemati- zação das pesquisas; - Organização da Excursão; - Realização da Excursão; - Sistematiza- ção dos dados coletados du- rante a excur- são; - Apresentação dos resultados à comunidade; Previsão Orçamentária: Total do Orçamento: 21.000,00 Aquisição de Materiais de Consumo: 3.000,00 Contratação de serviços culturais necessários às atividades artísticas e pedagógicas: 3.000,00 Contratação de serviços diversos: 2.000,00 Locação de instrumentos, transporte, equipamentos: 10.000,00 Aquisição de materiais permanentes e equipamentos: 2.500,00
  • 5. Saldo do Orçamento: 500,00 Avaliação do MEC Descrição: Bom plano de reconhecimento e valorização da história e patrimônio cultural do estado. No plano de atividade cultural há a informação que o transporte para as viagens de campo será custeado pela Coordenadoria Regional de Educação através da SEDUC – Secretaria Estadual de Educação, no entanto, no orçamento há uma previsão elevada para transporte e equipamentos. Rever o valor desta rubrica e, se for o caso, realocar valores para outras rubricas, com o objetivo de aprimorar o plano. Conceito: A O que são os conceitos A/B/ C? Planos de Atividade Culturais avaliados com o conceito A são aqueles que atendem e/ ou superam objetivos do Mais Cultura nas Escolas, considerados no processo de seleção, a saber: diálogo entre experiência do(a) parceiro(a) cultural e Plano de Atividade apresentado; aprofun- damento em relação às propostas já desenvolvidas por meio dos programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador (SEB-MEC); valorização de práticas artísticas e culturais não hegemôni- cas ou não predominantes, embora representativas da realidade do território em que a escola está inserida; valorização de práticas artísticas e culturais não hegemônicas ou não predominantes na cultura de massas (por exemplo, repertório musical não presente e/ ou que não recebe destaque nos meios de comunicação em massa); aprofundamento do repertório cultural da comunidade escolar, em especial abrangendo outros atores além de estudantes, docentes, por exemplo. Planos de Atividade Culturais avaliados com o conceito B são aqueles que atendem crité- rios considerados indispensáveis no processo de seleção, a saber: algum nível de aprofundamen- to em relação às propostas já desenvolvidas por meio dos programas Mais Educação e Ensino Médio Inovador (SEB-MEC); indicação de repertórios e/ ou práticas artísticas e culturais que apresentem potencial significativo, seja em relação à ampliação do repertório cultural da comu- nidade escolar, seja em relação à experimentação nas práticas pedagógicas da escola; Planos de Atividades Culturais priorizados em função de acordo com parceria MinC/MDS. Planos de Atividades Culturais avaliados com C são aqueles que não atendem critérios considerados indispensáveis no processo de seleção, a saber: não apresentam aprofundamento em relação às propostas já desenvolvidas por meio dos programas Mais Educação e Ensino Mé- dio Inovador (SEB-MEC); apresentam parceiros(as) culturais cuja experiência é incompatível com Plano de Atividade apresentado. TERMO DE PARCERIA - A iniciativa cultural parceiro(a) MARIANA PEREIRA SOARES domicilia- do(a)/situado(a) à Avenida 1º de Maio, número 4787, cidade Vilhena-RO, inscrito(a) no CPF sob o nº 351.508.072-49 , declara estabelecer parceria com a EEEFM MACHADO DE ASSIS, códi- go do INEP 11033487 cujo endereço é AV TIRADENTES, número 265, cidade Vilhena-RO, para realização do plano de atividade cultural apresentado ao Programa Mais Cultura nas Esco- las. ( X ) LEMOS E CONCORDAMOS Responsável pela Unidade Executora: Ronildo do Nascimento
  • 6. Orientações Gerais para Execução dos Recursos e Desenvolvimento dos Planos de Atividades Culturais - O repasse dos recursos do Mais Cultura nas Escolas para as escolas cujos Planos de Atividades Culturais foram selecionados, começou em maio de 2014, e estão sendo efetuados por meio de depósito na conta do PDDE/ Qualidade - Ação Mais Cultura nas Escolas. Conforme define a Resolução FNDE/ PDDE n° 10 de 18/04/2013, o FNDE realizará a abertura da mesma. Os repasses podem ser acompanha- dos por meio do endereço www.fnde.gov.br, no ícone “Sistema de Consulta à Liberação de Recursos dos Programas do FNDE”. Conforme definido pela Resolução FNDE/PDDE n° 5 de 31/03/2014, os repasses do ano exercício de 2014 serão efetuados em 2 (duas) parcelas. - As observações da Avaliação MEC/MinC deverão ser consideradas no replanejamento do Plano de Atividades, em alguns casos também durante o desenvolvimento do mesmo. Salienta-se que agentes públicos na ativa e entidades públicas não podem receber recursos do PDDE/ FNDE, sob risco de impe- dimento da vinculação da escola e/ ou da administração pública local, ao PDDE/ FNDE. Os cronogramas de execução deverão ser revistos. Recomenda-se replanejamento e inicio imediato das atividades, uma vez disponibilizada a primeira parcela recursos para desenvolvimento dos Planos de Atividades. Durante a execução do Plano de Atividade Cultural é indispensável que as escolas atualizem o uso dos recursos repassados por meio da aba “Monitoramento”, que será disponibilizada em breve no módulo “Mais Cultu- ra” do SIMEC. Caso necessário, as atividades poderão ser estendidas ao próximo ano letivo, contudo, deve-se atentar às normas PDDE/ FNDE para uso dos recursos no ano exercício em que foram repassa- dos, sob pena de redução dos mesmos no ano seguinte. Desse modo, recomenda-se que o replanejamento dos das atividades considere meios de fazer uso dos recursos, acordando e, se possível, adianto compras e possíveis pagamentos de serviços tão logo os recursos seja disponibilizados, sem prejuízo de atendimento as regras PDDE/ FNDE para uso dos mesmos (Resolução PDDE/ FNDE n° 10 de 18/04/2013). Sobre alterações no Plano de Atividade Cultural e uso dos recursos As alterações nos Planos de Atividade Culturais, assim como a escolha da iniciativa cultural par- ceira, devem manter estreita relação com o Plano original aprovado, registrado no SIMEC, observados atentamente indicações expressas na aba “Avaliação”. Uma vez ajustado o cronograma de atividades, sugere-se relacionar gastos previstos para realiza- ção das primeiras etapas do Plano de Atividade, considerando as observações da aba “Avaliação”, assim como possíveis destinações de recursos indicadas na “Apresentação”, item 1 do presente Manual. É in- dispensável que os gastos dos recursos sejam informados ao longo da execução, na aba “Monitoramento” no módulo Mais Cultura do SIMEC, facilitando assim a liberação da segunda parcela.