SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 53
Baixar para ler offline
Projetos Escolares
Tornando a Prática Pedagógica Significativa
Adilson Motta
Projetos Escolares
Tornando a Prática Pedagógica Significativa
 1-A Transversalidade em Sala de Aula
(Trabalhando Temas Sociais)
 Leitura e Escrita
PRIMEIRO MUTIRÃO DE LEITURA
 PROJETO CANÇÃO
A PARTIR DAS LETRAS DAS CANÇÕES TRABALHAR: História da
Música, da MPB, Bossa Nova, Forro, Axé, Funk, Hap, Pop, Jazz,
Sertaneja, Olodum e outros ritmos que marcaram décadas.
 Jornal na Escola
 Projeto Interdisciplinar de Resgate Sócio Histórico,
Geográfico e Cultural de Povoados e Municípios
PARAUAPEBAS
2010
TEMA: A Transversalidade em Sala de Aula
(Trabalhando Temas Sociais)
O que são temas transversais? Os temas transversais são temas de urgência
social que perpassam no dia-a-dia da vida social do aluno, da escola, da
família, da sociedade; enfim, do país, estados e municípios. O caminho mais
seguro de construirmos uma sociedade cidadã é no espaço escolar através de
nossa prática pedagógica, comprometida com a realidade, que é abordada nos
temas transversais. E para que a escola não se torne apenas um espaço de
reprodução, mas também de transformação é necessário o engajamento ou, a
ação política dos educadores. E os temas transversais são portas abertas para
que isto aconteça.
Eixo Temático: Oralidade, discursividade e produção textual dentro dos
temas abordados.
JUSTIFICATIVA: Trabalhar os temas transversais em sala de aula é tornar a
educação significativa e comprometida com as práticas sociais. Existe
diversos meios para chegar-se ao mesmo fim, mas o único e mais eficiente
caminho para chegar ao porto seguro da cidadania em sala de aula, não
permitindo que o alunado se torne alienado é construir a partir da escola uma
sociedade cidadã é através dos leques temáticos que se abrem à luz dos temas
transversais. Isto não significa que o professor vá trabalhar apenas conteúdos
atitudinais em prejuízos aos conceituais. Para isto, o professor há de planejar
e saber fazer o “endosamento” numa prática que se desdobra em ensinar
conceitos e desenvolver atitudes no que toca os temas trabalhados.
CONTEÚDO:
OBJETIVO
 Trabalhar os Temas Transversais ao longo do ano letivo com a
finalidade de CULMINAR na II –Feira Cultural da Escola
Alegria do Saber.
ESTRATÉGIA
I- Fazer levantamento dos temas transversais através de pesquisas em internet,
revistas, jornais, etc. Temas como:
* Ética;
* Pluralidade Cultural;
* Meio Ambiente (lixo, poluição e doenças causadas pelo..., reciclagem)
* Súde;
* Orientação Sexual (DSTs)
Conceitual: São os conteúdos “sistemáticos”
trabalhados nas aulas durante o ano letivo como:
*Português: Substantivo, verbo, preposição... etc
*Matemática: porcentagem, regra de três, proporção,
etc.
Atitudinal: (Temas Sociais): Que visam
conscientizar, informar e formar e desenvolver
atitudes na vida do aluno. Como:
* Ética;
* Pluralidade Cultural;
* Meio Ambiente (lixo, poluição e doenças causadas
pelo..., reciclagem)
* Súde;
* Orientação Sexual (DSTs)
* Temas Locais;
*Drogas;
* Prostituição;
* Violência;
* Política e Cidadania;
*Solidariedade
* Temas Locais;
*Drogas;
* Prostituição;
* Violência;
* Política e Cidadania;
*Solidariedade
HÁ DUAS ALTERNATIVAS PARA DESENVOLVER O TRABALHO:
a)- A cada mês será trabalhado um ou mais temas em comum com todas as
disciplinas guardando-se todos os trabalhos para uma exposição geral no final
do ano letivo na II-Feira Cultural.
b) Utilizar o espaço de tempo do quarto bimestre para trabalhar todos esses
temas, os quais serão distribuídos nas diferentes disciplinas; que culminará
para a realização maior: “A II Feira Cultural da Escola Alegria do Saber”
CULMINÃNCIA
II Feira Cultural Cultural de Vila Sanção “Trabalhando Temas Sociais em Sala de Aula”
que foi realizada em dezembro de 2009.
SUGESTÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO:
5ª Série: Disciplina: Religião
Valores (ética e cidadania, religiosidade (e histórico das igrejas) religião.
6ª Série: Disciplina: Geografia
Meio ambiente; Queimadas, efeito estufa, poluição, água potável.
7ª Série B: Disciplina: Ciências
Saúde, doenças (causas e prevenção), saneamento básico, orientação sexual DSTs, aids.
7ª Série A. Disciplina: Português com cícera
Cultura brasileira, Folclore, norte, nordeste, sul, sudeste.
8ª Série. Disciplina: Português.
Tipos de drogas e suas conseqüências, Violência, corrupção, Prostituição (uma peça
teatral).
EJA -3ª E 4ª - Disciplina: Arte
Riquezas naturais do Brasil, Companhia Vale do Rio Doce.
Divide a turma em 3 equipes onde cada uma desenvolverá suas temáticas
(apresentação em sala de aula preparando para a exposição no dia da Feira).
A partir dos conteúdos temáticos trabalhados, estabelecer o estudo da sistematização
gramatical . Conseqüentemente estará havendo formação de consciência nos conteúdos
trabalhados.
Ex. DROGAS SISTEMATIZAÇÃO GRAMATICAL
Atitudinal Conceitual
-temas -substantivo, verbo, etc
Projeto Mutirão de Leitura
PRIMEIRO MUTIRÃO DE LEITURA
Parauapebas – PA
Primeiro Mutirão de Leitura
Justificativa
O primeiro “Mutirão de Leitura” na Escola, tem por finalidade envolver a comunidade
como um todo, desenvolvendo assim um Processo de Interação Social entre família e
escola . Eis aí algumas razões:
 Ampliar a visão de mundo e inserir o leitor na cultura letrada;
 Estimular o desejo de outras leituras;
 Possibilitar a vivência de emoções, o exercício da fantasia e da imaginação
aproximando escola e comunidade para o “ato da leitura” .
Estratégias
 Divulgação do primeiro mutirão de leitura na escola envolvendo professores, alunos
e comunidade.
 Organização de um mural enfatizando aspectos temáticos da leitura em sua
diversidade.
 Elaboração de convites para famílias;
 Ornamentação e organização do ambiente;
 Apresentação de pequenas peças e jograis envolvendo os alunos.
Recurso Didático
 Papel 40, papel cartão, cartazes, livros, mesas, cadeiras.
Recurso Humano
 Professores, alunos, coordenadores, e diretor.
Considerações Finais
Que esse evento venha despertar o interesse e o gosto pela leitura dos nossos alunos e
comunidade, levando-os a terem contato e conhecimento da diversidade textual (isto é,
dos gêneros diversos que perpassam o mundo contexto e espaço sala/de aula).
PLANEJAMENTO 8ª SÉRIE
CANÇÃO:
A PARTIR DAS LETRAS DAS CANÇÕES TRABALHAR:
A) DISCURSIVIDADE E INTERPRETAÇÃO (COMENTÁRIOS);
B) PERÍODO SIMPLES E COMPOSTO;
C) IDENTIFICAR AS FIGURAS DE LINGUAGEM NAS LETRAS DE MÚSICAS;
D) TRABALHAR O TEXTO DISSERTATIVO A PARTIR DAS MÚSICAS (A TROPICÁLIA)+
E) DIFERENCIAÇÃO CRÍTICA A PARTIR DE CADA PERÍODO DOS MOVIMENTOS DA
MÚSICA – A EVOLUÇÃO DA MÚSICA N HISTÓRIA.
F) A PARTIR DA CANÇÃO PRODUZIR NARRATIVAS.
CULMINÂNCIA:
ATRAVÉS DE PAINEL:
- EXPOSIÇÃO DE LETRA DE MÚSICAS;
- APRESENTAÇÃO CANTADA; (E INGLÊS);
- PARÓDIA;
- BIOGRAFIA DOS CANTORES; HISTÓRIA DA MÚSICA NO BRASIL;
- BIOGRAFIA DOS MOVIMENTOS DA MÚSICA.
NO CONTEÚDO:
 GÊNERO POEMA (VERSO, ESTROFE, RIMA) E A RELAÇÃO COM A MÚSICA.
 FIGURAS DE LINGUAGEM; TRABALHAR NAS MÚSICAS E POEMAS.
 TEORIA LITERÁRIA;
 VARIEDADE LINGÜÍSTICA;
 TEXTO DISSERTATIVO;
 PERÍODO SIMPLES E COMPOSTO;
 ORAÇÕES SUBORDINADAS E COORDENADAS.
PLANEJAMENTO 7ª SÉRIE
 ELEMENTOS DE COESÃO TEXTUAL;
 FRASE, PERÍODO, ORAÇÃO.
 TIPOS DE CONTO
APRESENTAÇÃO DO GÊNERO CONTO
 LEITURA PELO PROFESSOR E PELO ALUNO (SILENCIOSA E ORAL);
 RODA DE LEITURA EM DUPLA PARA COMENTÁRIO E DEBATE;
 PRODUÇÃO TEXTUAL: ELEGER COM OS ALUNOS 2 AUTORES PARA TRABALHAR
NOS 4 GRUPOS.
 COLETÂNEA DE CONTOS PARA APRESENTAÇÃO PELOS ALUNOS;
 PESQUISA, LEITURA E SELEÇÃO DE CONTOS VARIADOS PARA ORGANIZAÇÃO
DE UMA COLETÂNEA (PARA SALA DE LEITURA).
PRODUÇÃO TEXTUAL:
 RECONTO, INFERIR, MODIFICAR A HISTÓRIA; MODIFICAR O FOCO NARRATIVO
DE 1ª PARA 2ª PESSOA OU VICE-VERSA.
 IDENTIFICAR ELEMENTOS DA NARRATIVA E FIGURAS DE LINGUAGEM;
 TRABALHAR EM EQUIPE A DIVERSIDADE DE CONOS: REALISTA, FICCIONAL, DE
FADAS, DE ASSOMBRAÇÃO MARAVILHOSO E FANTÁSTICO.
 PRODUZIR NARRATIVAS A PARTIR DE LETRAS DE MÚSICAS.
,
 A PARTIR DE IMAGENS PRODUZIR NARRATIVAS E TRABALHAR A CORREÇÃO
COLETIVA E INDIVIDUAL.
CARTA MISTERIOSA - DINÂMICA
1- FAÇA UMA CARTA PARA UM AMIGO CUJO NOME DEVE SER CITADO EM
CÓDIGO ( NOME DE ANIMAL, FRUTA OU ÁRVORE),
2- NA CARTA DESCREVA O LUGAR ONDE VOCÊ MORA, O QUE EXISTE, COMO
VIVEM AS PESSOAS E COMO SE DIVERTEM.
3- FAÇA UMA DESCRIÇÃO SUA (REMETENTE) DO QUE GOSTA, TC...,
4- NO FINAL DA CARTA, AO INVÉS DE COLOCAR SEU NOME, COLOQUE UM NOME
CÓDIGO – FRUTA, ANIMAL, ÁRVORE... E TERMINA COM A FRASE: “QUEM SOU
EU?”.
AO TERMINAR, O PROFESSOR RECEBE AS CARTAS E TROCAS ENTRE ALUNOS
DIFERENTES PARA LER E A TURMA ADIVINHAR QUEM É O PERSONAGEM “FRUTA,
ANIMAL, PLANTA”...
Aula inaugural – Apresentação
Faça uma produção textual na qual você irá se identificar a
partir do comando abaixo. Em seguida, troca as fichas
preenchidas com o colega, o qual fará uma produção escrita em
3ª pessoa para ser apresentado para a turma.
A- NOME:-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
B- NOME DO PAI E MÃE:--------------------------------------------------------------------------------------------
C- É DESCENDENTE DE QUAL ESTADO? (ONDE NESCEU?)..............................................................
D- HÁ QUANTO TEMPO MORA AQUI NA REGIÃO? ............................................................................
E- FALE DAS COISAS QUE VOCÊ GOSTA DE FAZER:-----------------------------------------------------
F- QUAL SEU ESPORTE PREFERIDO? .....................................................................................................
G- QUAL O TTIPO DE MÚSICA PREFERIDA?.........................................................................................
H- TIPO DE COMIDA QUE VOCÊ MAIS GOSTA:....................................................................................
J- QUER DEIXAR ALGUMA MENSAGEM OU FRASE PARA OS COLEGAS?.........................................................
A- NOME:-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
B- NOME DO PAI E MÃE:---------------------------------------------------------------------------------------------
C- É DESCENDENTE DE QUAL ESTADO? (ONDE NESCEU?)..............................................................
D- HÁ QUANTO TEMPO MORA AQUI NA REGIÃO? ............................................................................
E- FALE DAS COISAS QUE VOCÊ GOSTA DE FAZER:-----------------------------------------------------
F- QUAL SEU ESPORTE PREFERIDO? ......................................................................................................
G- QUAL O TTIPO DE MÚSICA PREFERIDA?...........................................................................................
H- TIPO DE COMIDA QUE VOCÊ MAIS GOSTA:..............................................................................
J- QUER DEIXAR ALGUMA MENSAGEM OU FRASE PARA OS COLEGAS?.........................................................
A- NOME:-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
B- NOME DO PAI E MÃE:---------------------------------------------------------------------------------------------
C- É DESCENDENTE DE QUAL ESTADO? (ONDE NESCEU?)..............................................................
D- HÁ QUANTO TEMPO MORA AQUI NA REGIÃO? ............................................................................
E- FALE DAS COISAS QUE VOCÊ GOSTA DE FAZER:-----------------------------------------------------
F- QUAL SEU ESPORTE PREFERIDO? ......................................................................................................
G- QUAL O TTIPO DE MÚSICA PREFERIDA?..........................................................................................
H- TIPO DE COMIDA QUE VOCÊ MAIS GOSTA:.....................................................................................
J- QUER DEIXAR ALGUMA MENSAGEM OU FRASE PARA OS COLEGAS?.
Essa atividade é recomendada no início do ano letivo, onde servirá de instrumento para que os alunos se
conheçam melhor.
Contrato Didático
O presente contrato didático é a expressão da vontade geral dos alunos da 7ª e 8ª
série. Desrespeitá-lo é contrariar aquilo que todos decidiram em comum acordo e
que está contido nos itens a seguir; definindo-se como atitude desrespeitosa e
antiética.
1 – Evitar conversas paralelas ( de assuntos não condizentes com o teor da aula).
2- Respeitar os professores e colegas de classe.
3- Evitar palavrões em sala de aula e não usar alcunhas (apelidos) quando se referir aos
colegas.
4- Ser pontual e participativo nas aulas, contribuindo para a ordem - para que haja um
melhor aproveitamento no processo ensino-aprendizagem.
5- Não interromper o professor no momento da explicação, exceto quando tratar de assunto
inerente à aula;.
6- Não jogar lixo no chão, nem riscar parede nem o quadro magnético.
7- Não sentar em cima das mesas.
8- Tratar educadamente os colegas.
9- Não pegar as coisas alheias sem a permissão dos donos.
10- Não se retirar durante as aulas sem a permissão do professor.
11- Contribuir com a organização da sala.
12- Contribuir nos eventos e ações promovidas com fins de angariar recursos para a festa
de formatura.
13- Não namorar no espaço escolar nem sentar “nas pernas”.
14- Não riscar os cadernos dos colegas sem permissão.
Relatoras ........................................................................
Este diagnóstico foi construído em sala de aula sob a regência do Profº Adilson Motta em
Parauapebas, Pará.
Momento Literário: Comunicação e expressão
Escola:...................................................................
Objetivo: Desenvolver a autonomia de leitura, comunicação e expressão e
despertar a criatividade interdisciplinar nas múltiplas funções da linguagem.
Profº Adilson Motta
MOMENTO LITERÁRIO
SALA DE LEITURA 5ª E 6ª SÉRIE
SÉRIE:......... GÊNEROS LITERÁRIOS:...........................................................
ALUNO:...................................................................................................................
TÍTULO:..................................................................................................................
Meta: Ilustração (painel), recontagem e apresentação livre.
...................................... .........................................................
...................................... ........................................................
...................................... ........................................................
...................................... .........................................................
...................................... ........................................................
...................................... ........................................................
...................................... .........................................................
...................................... ........................................................
...................................... ........................................................
...................................... .........................................................
...................................... ........................................................
...................................... ........................................................
...................................... .........................................................
...................................... ........................................................
...................................... .........................................................
...................................... ........................................................
...................................... ........................................................
...................................... .........................................................
...................................... ........................................................
...................................... ........................................................
...................................... .........................................................
...................................... ........................................................
...................................... ........................................................
FOLCLORE BRASILEIRO = FOLCLORE DO NORTE:
LENDAS E FÁBULAS
DATA DE CULMINÂNCIA:........./........./............. .
Interdisciplina entre Língua Portuguesa e Artes.
Língua Portuguesa: Os alunos contam oralmente.
Em Artes: Fazem os desenhos representativos. Em cartolinas para
exposição. Em duplas ou de 3 alunos.
Seminário Interdisciplinar
Português e Artes
Valorização da Linguagem Verbal e Não-Verbal
Professores e Coordenadora idealizadores:
 Adilson Motta
 Cícera Rodrigues.
Obs.: Este projeto foi apresentado em dezembro de 2008, nas 7ª e 8ª série, na Escola
Alegria do Saber, em PARAUAPEBAS
PARAUAPEBAS, 26/11/2008
1- Identificação
O projeto envolverá, de forma interdisciplinar, as linguagens (teatro, música,
artes visuais – como desenho, pinturas, assim como produção textual a partir
de gravuras apresentadas pelos discentes), com a finalidade de socialização e
intercâmbio em sala de aula nas disciplinas de Artes e Português sob
orientação dos professores Adilson e Cícera. Valendo como uma das notas
para o bimestre corrente.
 Público alvo: Alunos de 5ª a 8ª série e Ensino Médio.
 Destinatário: Toda comunidade escolar.
 Foi trabalhado durante o 4º bimestre – em 2008.
 Local: Escola Alegria do Saber.
 Duração da Culminância: 4 h/aulas.
Justificativa:
Os alunos na maioria das vezes apresentam dificuldades de leitura,
interpretação de textos e texto/mundo, e dificuldades ortográficas na escrita.
Considerando que a linguagem é uma das características predominantes no
processo de comunicação e interação entre os sujeitos. Este projeto pretende
atender as dificuldades enfrentadas no cotidiano escolar dos alunos de 5ª A 8ª
série do Ensino Fundamental e ensino médio nas disciplinas de Arte e Língua
Portuguesa. Trabalhar interdisciplinarmente, de forma dinâmica os conteúdos
da grade curricular a fim de que desperte no aluno o interesse pela leitura e
escrita como instrumento para sanar as dificuldades por este enfrentadas no
decurso de sua vida escolar (quanto a questão ortográfica e produção textual).
Além de desmistificar o estudo da disciplina Artes na escola, já que as
linguagens (teatro, música e artes visuais) permeiam todas as áreas de
conhecimento. Faz-se necessário então, despertar no professor e no educando
essa real sensibilidade de importância.
No transcorrer do projeto serão lidas obras literárias como: o pagador de
promessas, A Divina Comédia, e outras de acordo com a conveniência da
escola literária em foco que está sendo trabalhada.
Como resultado do projeto, espera-se que os alunos façam adaptações das
obras produzindo material artístico como peças teatrais, telas, músicas,
colagens, painel fotográfico para exposição e outros.
Recursos
Livros de literatura, revistas, vídeos, cartolinas, pincel, tinta e fita adesiva.
Relatório da apresentação do Projeto
O Projeto Interdisciplinar Português e Artes: Valorização da Linguagem
Verbal e Não-verbal nasce a partir do projeto Ortográfico: Erros e acertos,
cujo início foi em 7 de outubro de 2008.
Partindo do pressuposto de que escrever corretamente é muito mais
fruto de ler e escrever sempre e consultar constantemente o dicionário do que
do estudo “gramatiqueiro” isolado de e fragmentado de regras, o que, na
maioria das vezes são difíceis de memorizar, - é que desenvolvemos nesse
projeto uma dimensão voltada para a leitura e a escrita, ou seja, párea o ato de
ler e escrever, dentro do afirmativo de renomados escritores e especialistas:
“só se aprende a escrever, escrevendo,
a ler, lendo”.
Gramática internalizada
E para desenvolvê-lo, sem o risco de nos determos no “mero regrismo
lingüístico”, (sem deixar de lado certas sistematizações), demos maior
relevância à leitura de livros, e assistimos vídeos, a partir dos quais foram
feitas produções textuais com reescrita e correções coletiva em classe. No
tocante à obra apresentada, foi abordada a Escola Literária na qual esta se
contempla, as figuras de linguagens e de pensamento presentes na obra.
Abriu-se no final da apresentação um espaço para perguntas e respostas
quanto a obra apresentada pelos alunos da série “convidada”.
A 8ª série apresentou a obra A divina comédia para os alunos convidados (a
7ª série), em cujo momento, além de exposições de cartazes sobre a obra, estes
também abriram um espaço para perguntas e respostas sobre a obra
apresentada aos alunos da 8ª série – cuja iniciativa ou esquema metodológico
serviu de intercâmbio ou socialização de conhecimentos entre as classes/ e
noutro modo pode ser trabalhado numa perspectiva de apresentação aos alunos
da escola.
No ensino Médio, além de ser enfocado estudo das escolas literárias, pode-se
ressaltar as características, contexto, autores e obras - assim como seus
aspectos presentes na obra.
Professor Adilson Motta
PROJETO –RIQUEZAS LITERÁRIAS
OBJETIVO: Pretende-se com este trabalho, fazer um resgate da literatura
local contemplada no folclore em Parauapebas além de conhecer sobre as
especificidade dos gêneros estudados durante o ano letivo na disciplina de
Língua Portuguesa.
Folclore
A palavra FOLCLORE é de origem inglesa sendo composta por FOLK: que quer dizer
POVO e LORE: Que significa SABEDORIA.
O conjunto de lendas, contos, mitos, crendices, cantiga, histórias, danças, festas,
conhecimentos etc, que fazem partes da vida e da sabedoria de um povo, conservados pela
tradição popular, é chamado de folclore ou cultura popular. Quando estudamos o folclore
de um povo, conhecemos seu modo de pensar, agir e sentir. Dentro do folclore está
contemplando a literatura oral, mãe e origem da literatura letrada.
O folclore é tido como uma verdadeira fonte para criar literatura. A literatura,
seja local, regional, nacional ou a universal buscara nos relatos de casos,
experiências, crendice, fábulas e contos populares subsídios e amparo para a
construção da literatura letrada. É o que se observa na trajetória da literatura
universal de William Shakeaspeare que muitas vezes baseava-se em lendas e
histórias contadas oralmente para criar suas peças teatrais; e Charles Perrault,
para escrever seus contos infantis.
É o que fizemos em Vila Sanção, resgatamos as histórias (contos, causos e contos), piadas e
anedotas que só existiam na oralidade, sendo faladas pelo povo da localidade; e a partir de
então, foi dado um corpo escrito, ou seja: saindo do oral e entrando para a literatura escrita.
COMO FOI DESENVOLVIDO O PROJETO RIQUEZAS
LITERÁRIAS
Desde o início do ano letivo, o professor de Língua Portuguesa Adilson formulou um
projeto e nos apresentou e aceitamos o desafio. O projeto demandava uma prática que
envolvia todos os professores da Escola Alegria do Saber no que se conhece por
Interdisciplina, ou seja, um projeto, cujo sucesso e realização dependia do envolvimento
das demais disciplinas do ensino fundamental.
A importância deste trabalho se contempla nos PCN (2000 p. 46-47):
Os conteúdos dos temas transversais, assim como as práticas
pedagógicas organizadas em função da sua aprendizagem podem,
contextualizar significativamente a aprendizagem da língua, fazendo
com que o trabalho se reverta em produções de interesse do convívio,
escolar e da comunidade.
Foram realizadas pesquisas de campo, resgatando a cultura local como lendas, poesias,
contos de assombração; e pesquisas histórico-geográficas do povoado através de moradores
antigos, entre outras, que foram fontes oficiais. O nosso trabalho se preocupou em tornar
escrito às histórias e estórias que compõe o fundamento folclórico, histórico e geográfico de
Vila Sanção.
A medida que as pesquisas iam sendo desenvolvidas, o professor Adilson ia fazendo
correções coletivas em sala de aula com os alunos.
Leitura e Escrita
I – Projeto de Recuperação Paralela de alunos com deficiência
em ortografia (escrita), leitura e Produção textual
II- O aluno como agente de produção
(E um projeto exemplar)
III- Seminário de leitura na escola
Autoria: Profº Adilson Motta
Escola Alegria do Saber
Parauapebas -2009
Introdução
Sendo um problema que desafia educadores, incomoda e envergonha educandos e
às vezes até poderia ser a chance de um emprego, a dificuldade de produção textual que
anda num paralelo ao problema da leitura e de ortografia é sem dúvida um entrave não só
em língua portuguesa, mas para o avanço de compreensão e percepção nas demais
disciplinas. Nesse caso, língua portuguesa é tida como carro-chefe ou a disciplina eixo das
disciplinas. Estes problemas são vistos, quando pegamos uma redação, especialmente entre
as séries de 5ª a 8ª do Fundamental maior; na qual a dificuldade de produção textual
(através de idéias restritas), os erros ortográficos, as incoerências e coesão textual são
visíveis.
SEMINÁRIO DE LEITURA NA ESCOLA
Muitas são as possibilidades de se fazer um seminário de leitura na escola. O processo
desenvolvido na prática da aqui proposta se dá no seguinte procedimento abaixo:
I. Opta-se pelo processo de leitura compartilhado reunindo os grupos de alunos em
torno de quatro - para uma melhor percepção do nível, grau e desenvoltura em
que se encontra o aluno-leitor quando, em grupos, fazerem a leitura de um
determinado texto que será único e exclusivamente daquele grupo,
acompanhado pelos demais.
- Os demais alunos acompanham para desenvolverem as atividades grupais em
torno do texto lido (com socialização de respostas) e questionamento do texto.
II. Escolhe-se na classe 5 alunos (bons) inclusive o professor para participarem do
corpo jurado que irão avaliar o desempenho da leitura dos colegas e darem a
devida nota (considerando de 1 a 100; no fluir da leitura) pautando os itens
abaixo:
 pontuação,
 Dicção (emissão de voz perfeita,
 Clareza na leitura.
O objetivo desta prática neste Seminário é detectar o Melhor aluno leitor da sala e
dá-lo o reconhecimento pelo esforço e assiduidade na prática de leituras. Isto
conseqüentemente irá instigar ou estimular os demais alunos da classe a
desenvolverem mais a prática.
Só se aprende ler, lendo.
Só se aprende escrever, escrevendo.
Pela leitura perpassa todas as habilidades e competências disciplinares; pois a medida que o
aluno melhora seu nível de leitor, todas as disciplinas irão repercutir positivamente,
inclusive uma melhor aceleração de percepção no ato de ler.
SEMINÁRIO DE LEITURA NA ESCOLA SÉRIE: 8ª
NOME DOS ALUNOS TÍTULO DO TEXTO conceito
I – Projeto de Recuperação Paralela de alunos com deficiência em ortografia (escrita),
leitura e Produção textual
A leitura e a escrita são as duas ferramentas indispensáveis para a formação do
grande leitor, possíveis futuro escritor e excelente profissional. O contínuo contato com
essas duas práticas possibilitam resolver as deficiências ortográficas de leitura e produção
textual. Acrescentando-se é claro, pesquisas vocabulares em dicionários que darão a mente
os ingredientes indispensáveis através das palavras conhecidas e seu semantismo, que
tornarão fértil e produtiva.
“Um vocabulário limitado põe barreira ao pensamento dos homens”.
Enterrar ou resolver o problema? Tá em nossas mãos
O verdadeiro educador escolhe a segunda opção. Deparei-me com uma situação
inerente em sala de aula em meados de 2006, quando corrigia a produção textual de um dos
alunos em revisão coletiva e um dos alunos contou-me que queria saber a fórmula
atitudinal para sanar os problemas de ortografia e deficiências em produção textual que este
apresentava desde séries anteriores e que persistiam; pois cursava a 8ª série, e existiam
muitos outros em situações similares.
Questionei-o sobre as antecedentes situações em sala de aula em anos anteriores
e este me falou que as produções textuais anteriores eram simplesmente frisadas e
destacadas no texto e entregues de volta sem uma devida correção coletiva que despertasse
nesses, a consciência do erro e a definição do conserto a ser feito. Isso significa que,
guardando os textos, estariam também guardando os erros ortográficos e a situação
estanque do problema.
Dicas para leitura e reescrita
a) Os alunos lêem histórias em sala de aula (de início: histórias curtas) – e em seguida:
eu releio ditando até três parágrafos para correção e revisão em sala de aula
(trocando os cadernos , e eles mesmos marcando e corrigindo os erros dos colegas.
(em grupo de até duas pessoas). Competição para saber quem comete menos erros
ortográficos).
Recomendado para 5ª e 6ª série.
b) O aluno ler um texto, reflete sobre ele e reescreve em suas próprias palavras.
Obs.: Os textos mais adequados para essa prática são histórias, contos, crônicas,
romances, peça teatral, poemas (interpretação) piadas, fábulas e similares. (7ª/8ª).
c) Usar resumos de obras (já existentes) e biografias dos respectivos autores - e
repasso para que os alunos comentem em suas palavras o sentido (da obra e vida do
autor). E remeter a visão crítica da obra para um significado de mundo atual.
Ou ler com entonação os textos: resumo e biografia/ e fazer comentários críticos da
obra. RECOMENDADO PARA 7ª A 8ª SÉRIE.
II - O aluno como agente produtor de conhecimento
É triste ver uma escola onde o aluno é visto apenas como agente reprodutor de
conhecimentos e idéias. Como alguém que apenas interpreta o que os autores dizem; como
se esses alunos não tivessem a possibilidade, a capacidade e direito de também ser co-auto,
autor e ou produtor de conhecimento.
Além de lhe comprometer a formação, implica-lhe também na questão cidadania.
É lógico que você possa estar se perguntando o que esse fato tenha a ver com cidadania.
Pois bem, procurarei responder nas possíveis palavras: É grande a possibilidade de que um
indivíduo passivo e reprodutor nas páginas venha a se tornar passivo e reprodutor nos
capítulos da realidade social que o cerca. E nesse sentido, Paulo Freire (2003, p. 13),
estabelecendo essa relação palavra-mundo diz que a leitura do mundo precede a leitura da
palavra. Ou seja, linguagem e realidade se prendem dinamicamente.
“...ensinar não é transferir conhecimentos, mas criar as possibilidades para sua produção
ou a sua construção.” (idem 1997)
Aescola só constrói cidadãos quando estes não só reproduzam, mas também produza
significados, interfira no(s) texto(s), crie, amplie e ressignifique à vida nos textos,
transformando-os em contextos.
“Subestimar os alunos em suas capacidades e habilidades é uma forma podar-lhes a
chance de crescerem como sujeitos capazes”. Adilson Motta/2006.
III - SEMINÁRIO DE LEITURA NA ESCOLA
Profº Adilson Motta
Dividir a sala em grupo de 5 alunos; cada grupo vai se encarregar de ler, interpretar e
socializar as respostas com os demais grupos.
Os grupos vão:
a) Explicar o gênero e suas características e remetê-las no texto usando painel (papel
madeira, cartolina etc.);
b) Fazer paródia, dramatização ou desenvolver produção dentro do gênero proposto;
c) Apresentam concurso de leitura dinâmica. Onde será avaliado:
I- Tempo gasto para desenvolver a leitura, e quantas palavras lidas;
II- A qualidade da leitura (presença de entonação, pontuação, etc)
III- Comentando com as próprias palavras a história lida, recontando.
Obs: Dou aos alunos o material de suporte necessário para desenvolverem o trabalho.
Final de semana: convida a comunidade para assistir e presenciar os trabalhos dos alunos.
8ª série: só poemas Obs.: divide cada grupo em quatro grupos
7ª série: só cordel Para 2º Bimestre.
Fazerem exposição de seus trabalhos.
TRABALHANDO COM FILME (S) –novelas, peças teatrais, contos, etc
Assiste até 70% de um filme e definir que os alunos dêem um final diferente.
Quando terminarem a tarefa, assistiremos o restante para saber qual o real
final que o autor deu ao filme.
Em seguida, ver o final nos relatos de cada aluno. Isto é uma forma de
instigar a criatividade.
IV - PRÁTICA DE LEITURA EM SALA DE AULA
“EU SOU CIDADÃO – AMIGO DA LEITURA”
Não existe identidade melhor do que as palavras de uma pessoa. Seja quando ela fala num
discurso livre de leitura ou presa à prática da leitura.
Segundo Câmara JR. (1975, p.268-269), a entonação, a pronúncia, a escolha
vocabular, a preferência por determinadas construções frasais, os mecanismos morfológicos
que lhe são peculiares podem servir de índices que identifiquem:
a) o país ou a região de que se origina;
b) o grupo social de que faz parte (seu grau de instrução, sua faixa etária, seu nível
socioeconômico, sua atividade profissional);
c) a situação (formal ou informal) em que se encontra.
Quando o homem fala ele revela:
 Seu nível cultural e intelectual;
 O grau de desenvolvimento e as deficiências do leitor.
I – O professor dá 5 minutos para que os alunos façam uma leitura silenciosa para em
seguidas chamar alguém para ler na frente com voz alta e entonação para todos. No final
da leitura os alunos vão dar a nota do aluno leitor considerando:
 O uso adequado das pontuações na leitura;
 Dicção no momento da leitura e velocidade com adequação.
 Bom desenvolvimento na leitura.
 E colocações sobre o texto que vai ler como:
-Nome do autor,
-título,
-comentário sobre o texto após a leitura.
Observação: CADA ITEM CITADO IRÁ VALER 2,5 PONTOS. O LIVRO A SER
ADOTADO POR EXCELÊNCIA: PORTUGUÊS NA PONTA DA LÍNGUA.
Os alunos vão ser ao mesmo tempo: leitor e jurado.
Ao término da leitura, o aluno vai:
I- Dizer o título;
II- Falar quem é o autor e alguns comentários sobre (o referido);
III- Dizer a que gênero pertence o texto;
IV- Comentários ou interpretação sobre o texto lido;
V- Dá sua auto-avaliação;
No final do processo o aluno vai receber o título de aluno nota 10 na classe pelo desempenho na leitura / Ou Título de Cidadão Leitor da
Respectiva Sala.
V- Interferindo na história e dando novo enfoque ou recontando
em 3ª pessoa.
Produção textual - através de reescrita, onde o aluno mudar o enredo da
história e reconta-la em 1ª pessoa (como se ele estivesse contando para um
colega.
Obs.: Haverá alteração nos verbos. Pois antes estava em 3ª pessoa. Ex.:
Texto do Moisés (aluno).
VI-Dando um final diferente à história:
Ler toda a história e interpretá-la. Enfocar o final e determinar que os alunos
reescrevam-na dando um novo final. Isto irá atiçar a criatividade e dar a eles a
oportunidade de também se sentirem autores ou co-autores.
VII-CONCURSO DE PIADAS
a) Ver conceito no livro didático para em seguida piadas exemplares.
b) Determinar o concurso de piadas. As melhores vão para a produção da cartilha do
projeto. Quem melhor contar com gestos, acenos, etc. Entregando trabalho escrito.
VIII- JORNAL NA ESCOLA
Trabalhar os textos jornalísticos e informativos.
 Jornal escrito e
 Televisivo (através de fantoches...)
 Fazer exposição e mural das atividades.
Veja esquema abaixo para o projeto de jornal na escola - onde é indispensável a
participação do Grêmio Estudantil.
Projeto: Jornal na Escola
Nome do Jornal:
Jornal Folha do Saber
Promotores: Alunos da Escola
Produção & Desenvolvimento: Será desenvolvido em
interação entre as classes das diferentes séries.
Colaboradores e Orientadores: Professores da Escola e
Coordenação
PARAUAPEBAS – 2011
Jornal
O Jornal é um dos veículos de comunicação mais importantes da atualidade.
Comporta vários textos: literários, persuasivos ou informativos.
Os textos literários aparecem nos cadernos de literatura, entretenimento ou
mesmo no primeiro caderno; os persuasivos, ao longo de todo jornal e no
caderno de classificados. Os textos informativos (notícias, reportagens) são a
matéria-prima do jornal.
PROPOSTA DE TRABALHO EM GRUPO
Confecção de um jornal mural
Etc...
Textos que deverão compor o jornal:
a) Notícia sobre um acontecimento nacional;
b) Notícia sobre um acontecimento internacional;
c) Reportagem sobre um acontecimento local;
d) Texto literário (crônica);
e) Texto persuasivo(propaganda, classificados);
f) Tira, cartuns ou charges.
O textos deverão ser organizados em uma folha de papel-metro, que será afixada na sala de
aula. Não esquecer de dar um nome ao jornal.
Jornal Mural
---------------------------------------------
---------------------------------------------
--------------------------------------------
---------------
---------------
---------------
---------------
---------------
---------------
---------------
---------------
---------------
---------
==========
---------------------------------------------
---------------------------------------------
---------------------------------------------
---------------------------------------------
---------------------------------------------
---------------------------------------------
---------------------------------------------
--=
-------------
-------------
-------------
-------------
------------
Estrutura de um Jornal:
Capa: Resumo das principais notícias do Jornal
Ex.:
Informação cultural
Florestas – espécies
Desflorestamento e reflorestamento
IBAMA- FUNÇÃO
TELEFONE PARA DENÚNCIA
População Indígena
Espécies de animais da região
Rios, lagos, etc
Áreas de preservação ambiental - APA
As notícias narradas, fotos e argumentos, entrevistas, etc.
As notícias narradas, fotos e argumentos, entrevistas, etc.
Diversão,
Lazer,
Turismo,
Pessoas importantes,
Casas comerciais (Bar do Nilson, etc
Pessoas importantes
Diversão,
Lazer,
Turismo,
Pessoas importantes,
Casas comerciais (Bar do Nilson, etc
Pessoas importantes
Povoado e Região
O quer está sendo feito,
Perspectivas,
Projetos,
Garotas na região
Personagens importantes na região... Etc.
Sessão - polícia, etc
Painel
Dicas de Saúde,
Carta doleitor
Piadas
Poemas, etc
Dica de trânsito
Dicas para o consumidor
Advertências
Curiosidades,
H´oróscopo
SEÇÃO – CURIOSIDADES CULTURAIS
-Você sabia...
-curiosidades;
-Arremeter as pesquisas escolares;
-Todos os tipos de gêneros e textos exemplares
com esclarecimento;
- Espaço da opinião estudantil;
- Propaganda;
- Entrevista;
- Mensagens;
- Correio da escola;
- Correio do Jornal da escola;
PROPOSTA: EDIÇÃO MENSAL
Universidade Estadual do Pará – UFPA
Centro de Educação Ambiental de Parauapebas – CEAP
Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais – IBAMA
Prefeitura Municipal de Parauapebas – PMP
Curso: Educação Ambiental e Cidadania
Modulo IV
Assunto: Relatório do Projeto Água na Vila Sansão.
Autores: Deromildes Carvalho Rodrigues
Jocineide Maria C. Costa Pinto
Keylson Martins Silva.
Parauapebas – Pará – Brasil
2008.
Relatório
No dia quinze, de setembro de dois mil e oito, demos inicio as aulas teóricas sobre
nosso projeto a ser desenvolvido na escola que trabalhamos, sito E. M. E. F. Alegria do
Saber, na zona Rural de Parauapebas, na localidade denominada de Vila Sansão, onde
existe uma população aproximadamente 1.150 habitantes.
A referida escola apoiou naquilo que nos foi possível, como televisão, vídeos,
cópias, materiais didáticos, lanches e outros. Participaram do projeto água, alunos de TR,
5ª, 6ª 7ª e 8ª séries, educação infantil. O projeto foi desenvolvido pelo turno noturno, para
que assim não houvesse perdas para quem queria participar.
Explanação a professora Jocineide explicou o porquê desse projeto. A seguir o
professor Keylson explicou sobre a agenda 21 na Eco 92 e a causa de sua criação . Outros
temas como: Origem da água, fórmula da água, ciclo da água na natureza e seu estado
físico. Foram divididos em partes pelos professores Jocineide, Keylson e Deromildes, onde
cada um participou, elaborando, explicando e desenvolvendo atividades em grupos. Que
foram as seguintes:
O que você sabe?
 De onde vem a água que sua família utiliza?
 Qual a diferença entre a água do mar e a água dos rios e lagos?
 Pense sobre os usos da água em seu dia-a-dia e responda. Que usos são mais importantes
para você?
 Há desperdícios ou falta de água na sua casa? Por que isso acontece?
 Entreviste pessoas mais velhas e pergunte-lhes o motivo pelo qual se consome muito mais
água do que há anos atrás.
Convidamos como palestrante o professor Ednahilton que ministra aulas de
ciências físicas e biológicas. Que falou sobre a água em nossas vidas, perigo no planeta
água, consciência sobre a água na Vila Sansão. Para que os alunos não ficassem cansados
demais com a palestra, colocamos um vídeo sobre o rio amazonas. Daí tiramos os cuidados
que devemos ter com nossos mananciais. A seguir foi mostrados fotos e pesquisas de vários
tipos de poços para captações de água, foi distribuídos cópias desse material com os
participantes.
A discussão da noite com os participantes.
Distribuição da letra da música “Planeta água”. Onde foi discutido com cada equipe
sobre varias formas em que se apresenta a água e também quando ela provoca o prejuízo.
As equipes formadas pelos grupos foram selecionadas através de figuras
geométricas como: quadrado, retângulo, triângulo, círculo, cone, cilindro, sendo cinco de
cada figura e assim, sem haver escolha e sim por opção de figuras formou-se os grupos.
Os grupos desenharam e colocaram no mural o que se relatou e explicou nas aulas
teóricas e no ultimo momento que foi no dia dezenove do mesmo mês e ano.
Deu-se inicio às aulas praticas do projeto água na nossa localidade Vila Sansão no
dia vinte e dois de setembro de dois mil e oito, pelo turno matutino precisamente as oito e
trinta horas, com os participantes da primeira etapa.
O referido projeto se desenvolveu a partir de aulas teóricas e práticas, com a
finalidade de conscientizar a comunidade local sobre a conservação da água para qualidade
de vida das pessoas.
Para realizar as pesquisas de campos, distribuímos para os participantes do curso
materiais que facilitasse a percepção de que a água estava pura ou impura, onde pedimos
que cada equipe trouxesse seu material como: Alface, vidro, gases, lâmina, para que assim
se analisassem cada amostra de água coletada.
A primeira pesquisa foi realizada no rio conhecido pela população como cebozinho
com três coletas, porém em lugares diferentes para fazer análise e comparações, sendo que
o mesmo encontra-se com um grande nível de poluição.
A segunda visita aconteceu na cachoeira do Rio Azul (Odilon), onde alunos e
professores fizeram coletas de lixo, pois a mesma é lugar de lazer.
A terceira visita foi na caixa d”água e no poço que abastece a população de Vila
Sansão, que não possui nenhum tipo de tratamento.
A quarta visita foi na represa “Irmã Lidinalva e Cazuza e 5ª coleta na cachoeira do
Paulão.
Encerramos com exposições dos trabalhos feitos por cada equipe e experiências,
cartazes, murais e fotos, filme com participação dos professores, Deromildes, Jocineide e
Keylson.
Esperamos com esse projeto nossos alunos e comunidade analise, faça uma reflexão
e questione a importância e a valorização da água ao meio.
Pois o homem, sendo ser inerentemente social, visto que se constitui a partir das
ações conjugadas com outros homens, necessita de refletir e questionar a sociedade que
habita, mas que nem sempre atua. A vida social repleta der relações contraditórias que
muitas vezes são identidade de um ser. Assim foi importante nosso projeto para propiciar
reflexão, discussão para aquisição de novas atitudes para a construção de uma comunidade
melhor desenvolvida e oportunizar nossos alunos a construção da identidade campesina,
com consciência e ações, sobre água de Vila Sansão.
Encerramos com o tema
 Os impactos sobre as águas.
 Poluição ambiental. Característica da água na nossa localidade.
 Poluição orgânica, física e química.
O processo de poluição dos rios da Vila Sansão deve-se a quantidade de alimentos
lançados nas águas, tipos de resíduos e dejetos agrícolas e especialmente os pecuários, a
matéria fecal contém microorganismo patogênicos. Relatamos e explicamos o que
pesquisamos em relação à Vila. Perguntamos aos participantes o que fazer? E como fazer?
Ouvimos várias alternativas, eles falaram que não é só fato de conscientizar e sim de ação,
começar agir logo de imediato, pois todos falam de conscientização é só quando vão querer
descruzar os braços será quando não houver mais água?
Foi uma semana bem proveitosa de ação e reflexão, chegamos ao final da primeira
etapa.
Aqui registramos nossa primeira semana em fotos e a seguir vieram as aulas práticas
pelos rios, cachoeiras, represas e lagos da Vila Sansão.
Este projeto ÁGUA EM VILA SANÇÃO foi desenvolvido por Jocineide, Keilson e
Deromildes.
Projeto Interdisciplinar de Resgate
Sócio Histórico, Geográfico e Cultural
de Povoados e Municípios
Autor: Professor Adilson Motta
Modelo usado para resgatar, além de pesquisas escritas já
existentes o histórico e geografia e cultura nos municípios de
Bom Jardim, Parauapebas e por último, no povoado
Vila Sanção
PROJETO INTERDISCIPLINAR
Parauapebas, PA2012
JUSTIFICATIVA
Fazer integração entre as disciplinas de Português, História e Geografia, Arte e
Matemática para desenvolverum trabalho interdisciplinar a fim de elaborar uma cartilha ou
livro ilustrado (a) a partir das pesquisas e trabalhos dos alunos. Onde os mesmos serão os
pesquisadores e criadores;a escola e comunidade (povoados e municípios), o espaço de
pesquisa.
A importância deste trabalho se contempla nos PCN (2000 p. 46-47):
Os conteúdos dos temas transversais, assim comoas práticas
pedagógicas organizadas em função da sua aprendizagem podem,
contextualizar significativamente a aprendizagem da língua, fazendo
com que o trabalho se reverta em produções de interesse do convívio,
escolar e da comunidade.
 Desenvolver um trabalho integrado e interdisciplinar da história,
geografia e cultura do PovoadoVila Sanção.
 Elaborar uma cartilha ou livro ilustrada/o a partir das pesquisas e
trabalhos dos alunos.
 Desenvolver o conhecimento, a valorização resgate e a divulgação da
cultura local;
 Identificar os costumes e tradições.
FORMULAÇÃO DO PROBLEMA
 O que vocês sabem sobre a cultura, as crenças e os rituais religiosos de
nosso povoado, município?
 E sobre as artes, festas, literatura (poemas, poesias, contos e causos,
lendas e mitos?).
 O que você conhece sobre a história e geografia do município ou
povoado Vila Sanção?
GEOGRAFIA & ESTUDOS AMAZÔNICOS
-Descrição geográfica do povoado,
-Mapa das ruas com pontos públicos.
-Aspecto populacional de Vila Sansão
-Distância para sede (Parauapebas),
-Descrição da estrada,
-Existe população indígena nas imediações do povoado? Qual? Quantos
habitantes indígenas? E a cultura indígena?
- Quantidade de casas e infra-estrutura (luz elétrica, água encanada).
HISTÓRIA
-Pesquisar aspectos históricos do povoado,
-Primeiro morador, se mora aqui (e foto), e como foi...
- 1º líder político
- Atual líder político.
- Religiões predominantes(1º líder)
- Religiões Afro (macumba, umbanda e ou candomblé)
- Conflitos agrários
- Como foram os primeiros dias na história dopovoado?
PORTUGUÊS
Fazer um levantamento da literatura local (a literatura nasce da oralidade; o
povo tem muitas histórias a contar através):
- Lendas,
- Contos de assombração / causos
- Fábulas,
- Cordel
- Poemas (povo e alunos – escolha dos melhores)
- Crendices populares
- Provérbios
- Crônicas (8ª séries)
- Piadas
CIÊNCIAS
-Índice de analfabetismo pleno e funcional de Vila Sanção.
-Quantos e quais os prédios públicos no povoado (mercado, posto de saúde,
escolas).
-Estrutura da escola.
- Séries oferecidas.
- Aspecto econômico (número de comércio, bares, etc).
- Plantas nativas/ extrativismo da região
- Animais e frutas da região
- Rios e lagos.
Desenvolver estudo sobre o meio ambiente do povoado (na localidade centro e
adjacências) e comentar sobre os projetos existentes na região / Salobo e
áreade preservação ambiental.
ARTES
Resgate ao folclore local, manifestações culturais,
Pratos típicos da região. Costumes e tradições da região. Organizar
cartazescom textos e fotos.
Exposição de artesanatos da região.
E Riquezas naturais
Montar uma pequena peça teatral ou fazeruma apresentação de uma
brincadeira folclórica/ danças típicas e festas tradicionais.
MATEMÁTICA
Digitação e elaboração de gráficos do resultado das pesquisas.
ENTREVISTAS UTILIZADAS COMO
RECURSOS NAS PESQUISAS
QUESTIONÁRIO DE ENTREVISTA (Especialmente para antigos moradores
/primeiros)
1- Qual seu nome completo?
1. Quando chegou aqui? De onde veio?
2. Porque saiu do lugar onde morava? E por que motivo escolheu morar aqui?
3. Já havia moradores na localidade onde é hoje Vila Sanção?
4. Comente sobre os primeiros dias no povoado Vila Sanção.
5. Como era o ambiente quando chegou? Fale alguma coisa sobre a vegetação e o solo da
região.
6. Na área havia tribos, qual o nome e como era o relacionamento entre moradores e
índios?
7. Na época que chegou havia demarcações de terras? Como aconteciam essas
demarcações?
8. Você sabe se houve conflitos pelas terras na área? (Com o Nilson e Odilon)
9. Fale alguma coisa de como viviam, as dificuldades, como eram enfrentadas?
6. Você lembra se havia na área animais silvestres? Você conhecia algum. Fale alguma
1. Em que trabalhava? E como era esse trabalho?
2. O que era cultivado, como eram comercializados esses produtos?
3. Essa produção cobria as necessidades da família?
4. Que instrumento era usado, e qual a técnica praticada pelos trabalhadores na roça?
5. Além da agricultura havia outras atividades econômicas desenvolvidas na
comunidade? Qual?
coisa sobre esses assuntos.
7. Você tem conhecimento se haviam caçadores na área, eram moradores da
localidade? E qual a finalidade dessas caças?
8. O que você sabe sobre os rios da região (Parauapebas e azul e outros)? Qual a sua
utilidade para as famílias?
9. Você se lembra quais as espécies de peixes existentes nos riachos e rios da região?
10. E como era feita a pesca? Que instrumento utilizava?
11. Havia alguma igreja? Qual?
12. Em relação às festividades do ano, como no período do ano junino, fim do ano
(natal), ano novo o que você fala sobre isso?
13. Havia escola? Onde funcionava?
14. O que você sabe sobre o comércio na comunidade, quais alimentos eram
comprados?
15. Qual a sua lembrança sobre a estrada como era feita a comunicação entre povoado e
localidades vizinhas?
16. Você se lembra como as pessoas faziam para se comunicarem
17-Você tem conhecimento da importância do extrativismo para as famílias no povoado?
Quais os produtos extrativos da região? com os parentes distantes?
18- Haviam representantes de partido político no povoado? Quem eram?
19-Existia delegacia? Quem era o delegado
Entrevista a ser realizada nas residências
Nome:................................................................ Idade:.................................
Quantos filhos?................... Idade por seqüência....................................................................
Profissão:...........................................................
Se agricultor: Usa agro tóxicos? ( ) sim não ( )
Que tipo de produção? R:......................................................................................................
Tipo da casa:
( ) tábua ( ) taipa ( ) alvenaria =tijolo ( ) palha
Tipo de cobertura da residência:
( ) telha ( ) palha ( ) laje
Tipo de piso da residência:
(cimento ( )cerâmica ( ) batido –no chão
Possui:
( ) água encanada ( ) energia elétrica
Possuifossa anti-séptica (vaso sanitário)
( ) sim ( ) não
Em relação o lixo/ como é feita a coleta?
( ) queimado ( ) jogado ao ar livre ( ) enterrado
Condições da moradia
( )próprio ( ) alugado ( ) financiado ( ) cedido
Recebe benefícios do governo? Qual?
( ) bolsa escola ( ) PETI ( ) Aposentadoria
Outro especificar:.............................................................................................
Quando foi instalado a energia elétrica, água e telefones em vila Sanção?
R:................................................................................................................................................
...................................................................................................................................................
ENTREVISTA COM (REPRESENTANTESE OU LÍDER POLÍTICO) DA REGIÃO.
Entrevistado:......................................................... Idade................
1- Comente sobre o processo de distribuição agrária no povoado Vila Sanção no
princípio de sua história.
2- Qual a sua contribuição na formação do povoado Vila Sanção?
DESCOBRINDO NOSSAS ORIGENS
Para alunos e comunidade em geral responderem este questionário.
Nome:......................................................... Idade.............
Composição da população de Vila Sanção por Estados de origem.
a) É descendente ou natural de qual Estado?
( ) Pará ( ) Maranhão Piauí ( ) Ceará ( ) Mato grosso
( ) Amazonas
Outro/ Citar: ...........................................................
Escola Alegria do Saber
Público alvo:Professores e alunos (É uma forma de socialização de trabalho e
experiências)
Local do evento: Escola Alegria do Saber
Data: Novembro
IFEIRA CULTURAL – VILA SANÇÃO
PROJETO – RIQUEZAS LITERÁRIAS
OBJETIVO: Pretende-se comeste trabalho, fazer um resgate da literatura
local contemplada no folclore do povoado Vila Sanção.
Resgate Folclóricono Povoado Vila Sanção
A palavra FOLCLORE é de origem inglesa sendo composta por FOLK:
que quer dizer POVO eLORE: Que significa SABEDORIA.
O conjunto de lendas, contos, mitos, crendices, cantiga, histórias, danças,
festas, conhecimentos etc, que fazem partes da vida e da sabedoria de uns
povos, conservados pela tradição popular, é chamado de folclore ou cultura
popular. Quando estudamos o folclore de um povo, conhecemos seu modo de
pensar, agir e sentir. Dentro do folclore está contemplando a literatura oral,
mãe e origem da literatura letrada.
O folclore é tido como uma verdadeira fonte para criar literatura. A
literatura, seja local, regional, nacional ou a universal busca(-ra) nos relatos de
casos, experiências, crendice, fábulas e contos populares subsídios e amparo
para a construção da literatura letrada. É o que se observa na trajetória da
literatura universal de William Shakeaspeare que muitas vezes baseava-se em
lendas e estórias e histórias contadas oralmente para criar suas peças teatrais;e
Charles Perrault, para escrever seus contos infantis e os irmãos Green que da
mesma forma, resgataram estórias que entraram para a literatura universal e
atravessaram séculos, encontrando-se até hoje vivas na memória universal de
nossos jovens e adultos. Histórias como:Branca de Neve e os sete anões e
muitas outras bastante conhecidas no mundo inteiro.
É o que fizemos em Vila Sanção, resgatamos as estórias (contos, causos,
poesias, piadas e anedotas) que só existiam na oralidade,sendo faladas pelo
povo da localidade; e a partir de então, foi dado um corpo escrito, ou seja:
saindo do oral e entrando para a literatura escrita.
ESTRATÉGIAS DE APRESENTAÇÃO DO TRABALHO
Após o resgate cultural, foi dado forma escrita aos contos, poemas, piadas e
anedotas (pois estes encontravam-se apenas no nível oral) e traçamos as
seguintes estratégias para a apresentação do projeto:
 Treinamos a sistematização de apresentação do trabalho, possibilitando
a estes, autonomiade apresentação para o dia da Feira Cultural.
 Os diversos gêneros foram distribuídos entre grupos de alunos com
definições conceituais seguidos dos respectivos textos que serão por
eles apresentados.
 Será espalhado na sala de “Riquezas Literárias” cartazes e painéiscom
os textos produzidos e resgatados pelos alunos da escola.
RECURSOS MATERIAIS
Cartolina, fotografias, papel madeira, pesquisas realizadas pelos alunos
sobminha orientação (Profº Adilson Motta).
AVALIAÇÃO
*Interação e participação dos alunosna apresentação e exposição do trabalho.
* participação e apresentação ao público.
PONTO DE OBSERVAÇÃO
Analisar se o público alvo (comunidade em geral)assimilou as informações
fornecidas na feira.
ESPAÇO RESERVADO PARASISTEMATIZAÇÃO DO TRABALHO
INTERDISCIPLINAR - RIQUEZAS LITERÁRIAS – MODELO
EXEMPLAR.
Registro do Seminário Interdisciplinar realizado em 06/12/2006 - que resultou na
divulgação e exposição do 1º livro de Vila Sanção (Histórico, Geografia e Cultura). Todas
as salas da escola Alegria do Saber foram contempladas com eixos temáticos abordados
pelos alunos (sob a coordenação dos professores) em apresentação e exposição da cultura e
arte local.
Abertura do Seminário. Depoimentos de pioneiros. Uma das salas em apresentação
Turma da Profª Cícera com peças teatrais e exposição de minérios. Professora Florisa com
confecção e apresentação de artesanato.
06/12/2006
Alunos da Escola produzindo artesanato para apresentação em Seminário. Que
resultou na elaboração de um livro histórico, geográfico e cultural da
comunidade.
Participação da
Comunidade na
apresentação do
Seminário.
Relatório de prática pedagógica desenvolvida pelos
professores envolvidos no Projeto Interdisciplinar:
História:Na disciplina de história elabora-se questionário
inerente às informações que se deseja para que os alunos façam a
pesquisa de campo, cujos resultados irão contribuir para construir
o corpo textual dos relatos históricos do povoado ou município em
estudo. E dados fotográficos.
Português:Desenvolveu-se na disciplina de Língua Portuguesa o resgate
do folclore local ou regional através de contos de assombração, causos,
poemas e poesias produzidas pelos alunos, cujo processo de correção passou
desenvolveu-se de modo coletivo em sala de aula com os alunos.
Informática:O professor de informática engajou-se no Projeto
Interdisciplinar fazendo com que os alunos digitassem os textos coletados e
os produzidos por eles durante as aulas.
Arte: A partir dos textos resgatados e produzidos na disciplina de
Português, a professora (o) de arte encarregou os alunos de fazerem a
representação através de desenhoscorrespondentes aos textos. Em resumo:os
desenhos ou gravuras por eles desenvolvidos foram utilizados para ilustrar os
textos contos/literários.
Matemática:O professor de matemática, utilizando-se do resultado das
pesquisas desenvolvidas pelos alunos (em outras disciplinas) e a partir dos
dados coletados, trabalhou e ensinou gráficos aos alunos de 5ª série e a
partir da aprendizagem, a construção dos gráficos com os dados da pesquisa.
Estudos Amazônicos ou regionais:A disciplina de Estudos
Amazônicos dividiu-se em duas partes (dois professores):
 O primeiro ficou encarregado de desenvolver pesquisassobre o lixo,
impacto ambiental, doenças causadas pelo lixo, importância da
reciclagem do lixo e produção de artesanatos a partir do lixo
reciclado.
 Outro professor(a) ficou encarregado de trabalhar as riquezas naturais
da região, fazendo coletas e pesquisas sobre os itens das riquezas
naturais como: importância e valor econômico. E dados fotográficos.
Religião: Na disciplina de religião são desenvolvidas pesquisasresgatando o histórico
da religião no povoado (ou município), assim como dados fotográficos.
PROJETO
RECREIO NOTA 10
Objetivo: Tornar o momento da recreação um momento dinâmico de
diversão e lazer na escola com culminância de apresentação semanal no pátio
da escola em socialização com os demais colegas.
Estratégia: no transcorrer do bimestre cada professor ficará encarregado de
uma apresentação por turma dentro de uma abordagem livremente escolhida
ou dentro dos conteúdos trabalhados (de preferência). E ficará responsável
pela organização e apresentação dos trabalhos com seus alunos.
Abordagem: Música, danças, peça teatral, apresentação de fantoches,
recital de poesia, sarau cultural, exposição de arte da turma, pequenas
amostras e experimentos, etc.
=======================================================
PROJETO: TEMAS TRANSVERSAIS
TEMA: VIOLÊNCIA NÃO! DROGAS JAMAIS!
APRESENTAÇÃO EM FORMA DE SEMINÁRIO
JUSTIFICATIVA:
É importante que os nossos jovens conheçam e percebam as causas e
efeitos das drogas que estão inseridas no cotidiano de nossa comunidade.
Considerando o exposto, propor desenvolver um trabalho de parceria
para uma sociedade mais justa e respeitada.
CONTEÚDO:
 Textos informativos;
 Poemas;
 Músicas (paródia);
 Dramatização
 Cordel
ORIENTAÇÃO DIDÁTICA:
 Pesquisar os diferentes tipos de drogas presentes na
sociedade. Fonte de pesquisa: escola (biblioteca) ou em
internet.
 Discutir proposta de ação das novas gerações sobre o
uso das drogas e violência em nossa sociedade.
 Elaborar um caderno de informações coletadas sobre o
tema em discussões.
Etapas previstas:
Lançamento do projeto: .........../.........../................
Leitura dos textos............/............../.......................
Dramatização de alguns............./.........../..............
Conclusão do projeto e culminância:.........../.........../...........
CULMINÂNCIA
 Seminário apresentado à comunidade, com o tema: Violência Não!
Drogas Jamais!
A comunidade de Vila Sanção, em Parauapebas vivia uma situação delicada
de drogas e jovens se deixando envolver. No entanto, após a realização desse
seminário, reduziu-se bastante o número de jovens drogados e as situações de
risco na comunidade. As autoridades que participaram deste projeto deram
mais atenção ao povoado.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação pesquisa qualitativa secad
Apresentação pesquisa qualitativa secadApresentação pesquisa qualitativa secad
Apresentação pesquisa qualitativa secadMaicon Alentejo
 
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013Edgar De Lima Barbosa
 
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013Edgar De Lima Barbosa
 
Projeto de leitura_na_escola_do_campo
Projeto de leitura_na_escola_do_campoProjeto de leitura_na_escola_do_campo
Projeto de leitura_na_escola_do_campoClaudio Pessoa
 
Sequência didática pré história
Sequência didática pré históriaSequência didática pré história
Sequência didática pré históriaMariaHelenaPassos
 
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos Documentos escritos/não escritos ...
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos  Documentos escritos/não escritos ...MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos  Documentos escritos/não escritos ...
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos Documentos escritos/não escritos ...profamiriamnavarro
 
Sequencia didatica escola_do_campo
Sequencia didatica escola_do_campoSequencia didatica escola_do_campo
Sequencia didatica escola_do_campoClaudio Pessoa
 
Sequencia didatica de historia
Sequencia didatica de historiaSequencia didatica de historia
Sequencia didatica de historiaUyaraPortugal
 
Projeto Conhecendo nossa história, valorizando nossas raízes
Projeto Conhecendo nossa história, valorizando nossas raízesProjeto Conhecendo nossa história, valorizando nossas raízes
Projeto Conhecendo nossa história, valorizando nossas raízesRafael Costa
 
Projeto meu lugar no mundo
Projeto meu lugar no mundoProjeto meu lugar no mundo
Projeto meu lugar no mundonagili
 
A arte no processo de alfabetização e letramento
A arte no processo de alfabetização e letramentoA arte no processo de alfabetização e letramento
A arte no processo de alfabetização e letramentoProfessoratete
 
Projeto diversidade
Projeto diversidadeProjeto diversidade
Projeto diversidadeMarly Correa
 
Pnaic pauta resumida-3ª formação
Pnaic pauta resumida-3ª formaçãoPnaic pauta resumida-3ª formação
Pnaic pauta resumida-3ª formaçãoFatima Lima
 
MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História
MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História  MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História
MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História profamiriamnavarro
 
Meu plano-anual-cidadão-do-futuro
Meu plano-anual-cidadão-do-futuroMeu plano-anual-cidadão-do-futuro
Meu plano-anual-cidadão-do-futuroIsaias Rodrigues
 

Mais procurados (20)

Apresentação pesquisa qualitativa secad
Apresentação pesquisa qualitativa secadApresentação pesquisa qualitativa secad
Apresentação pesquisa qualitativa secad
 
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
 
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013Projeto feira do connhecimento  nioaque 2013
Projeto feira do connhecimento nioaque 2013
 
Projeto "RESGATANDO RAIZES"
Projeto "RESGATANDO RAIZES"Projeto "RESGATANDO RAIZES"
Projeto "RESGATANDO RAIZES"
 
Projeto de leitura_na_escola_do_campo
Projeto de leitura_na_escola_do_campoProjeto de leitura_na_escola_do_campo
Projeto de leitura_na_escola_do_campo
 
Sequência didática pré história
Sequência didática pré históriaSequência didática pré história
Sequência didática pré história
 
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos Documentos escritos/não escritos ...
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos  Documentos escritos/não escritos ...MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos  Documentos escritos/não escritos ...
MPEHG AULA 4: Usos didáticos de documentos Documentos escritos/não escritos ...
 
Sequencia didatica escola_do_campo
Sequencia didatica escola_do_campoSequencia didatica escola_do_campo
Sequencia didatica escola_do_campo
 
Fabiane
FabianeFabiane
Fabiane
 
Sequencia didatica de historia
Sequencia didatica de historiaSequencia didatica de historia
Sequencia didatica de historia
 
Projeto Conhecendo nossa história, valorizando nossas raízes
Projeto Conhecendo nossa história, valorizando nossas raízesProjeto Conhecendo nossa história, valorizando nossas raízes
Projeto Conhecendo nossa história, valorizando nossas raízes
 
Projeto folclore
Projeto folcloreProjeto folclore
Projeto folclore
 
Projeto jornal escolar
Projeto jornal escolarProjeto jornal escolar
Projeto jornal escolar
 
Projeto meu lugar no mundo
Projeto meu lugar no mundoProjeto meu lugar no mundo
Projeto meu lugar no mundo
 
A arte no processo de alfabetização e letramento
A arte no processo de alfabetização e letramentoA arte no processo de alfabetização e letramento
A arte no processo de alfabetização e letramento
 
Projeto diversidade
Projeto diversidadeProjeto diversidade
Projeto diversidade
 
Ot cht oficial (2)
Ot cht oficial (2)Ot cht oficial (2)
Ot cht oficial (2)
 
Pnaic pauta resumida-3ª formação
Pnaic pauta resumida-3ª formaçãoPnaic pauta resumida-3ª formação
Pnaic pauta resumida-3ª formação
 
MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História
MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História  MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História
MPEHG AULA 5: Planejamento e avaliação em História
 
Meu plano-anual-cidadão-do-futuro
Meu plano-anual-cidadão-do-futuroMeu plano-anual-cidadão-do-futuro
Meu plano-anual-cidadão-do-futuro
 

Destaque

Projetos escolar 2012
Projetos escolar 2012Projetos escolar 2012
Projetos escolar 2012claudiadno12
 
Esboco do projeto de intervencao educacional nova versão
Esboco do projeto de intervencao educacional  nova versãoEsboco do projeto de intervencao educacional  nova versão
Esboco do projeto de intervencao educacional nova versãoClaudemirarocha
 
Planejamento 4º ano
Planejamento 4º anoPlanejamento 4º ano
Planejamento 4º anosilvinha331
 
Apresentação projeto viajando pela leitura.
Apresentação  projeto viajando pela leitura.Apresentação  projeto viajando pela leitura.
Apresentação projeto viajando pela leitura.blogjl
 
Contrato didático professor
Contrato didático professorContrato didático professor
Contrato didático professorNaysa Taboada
 
Revelaciones de la mente
Revelaciones de la menteRevelaciones de la mente
Revelaciones de la menteMariano Parisí
 
Apresentação oleoquímica indústria sec. educação marília
Apresentação oleoquímica indústria sec. educação maríliaApresentação oleoquímica indústria sec. educação marília
Apresentação oleoquímica indústria sec. educação maríliaRosemary Batista
 
Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Concurso de redação "Lixo eletrônico"Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Concurso de redação "Lixo eletrônico"Rosemary Batista
 
Edital de convocação para projeto de extensão e associados da Escola Modelo d...
Edital de convocação para projeto de extensão e associados da Escola Modelo d...Edital de convocação para projeto de extensão e associados da Escola Modelo d...
Edital de convocação para projeto de extensão e associados da Escola Modelo d...JedaiasNunes
 
PSI2594 - Projeto de Formatura - Escola Politecnica da Usp - LabTeX : Interfa...
PSI2594 - Projeto de Formatura - Escola Politecnica da Usp - LabTeX : Interfa...PSI2594 - Projeto de Formatura - Escola Politecnica da Usp - LabTeX : Interfa...
PSI2594 - Projeto de Formatura - Escola Politecnica da Usp - LabTeX : Interfa...Fernando José Capeletto Neto
 
Contrato didático
Contrato didáticoContrato didático
Contrato didáticoweleslima
 
Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2
Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2
Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2leilarosana
 
Atividadel Social - Contação de História
Atividadel Social - Contação de HistóriaAtividadel Social - Contação de História
Atividadel Social - Contação de HistóriaÉrica Dias
 
Relatório de Atividades 2014
Relatório de Atividades 2014Relatório de Atividades 2014
Relatório de Atividades 2014FETAEP
 
39626842 modelo-de-roteiro-de-plano-de-midia
39626842 modelo-de-roteiro-de-plano-de-midia39626842 modelo-de-roteiro-de-plano-de-midia
39626842 modelo-de-roteiro-de-plano-de-midiaRafael Lacerda
 

Destaque (20)

Projetos escolar 2012
Projetos escolar 2012Projetos escolar 2012
Projetos escolar 2012
 
Relatório da Bahia ! Trabalho de Feira de História e Geografia
Relatório da Bahia ! Trabalho de Feira de História e GeografiaRelatório da Bahia ! Trabalho de Feira de História e Geografia
Relatório da Bahia ! Trabalho de Feira de História e Geografia
 
Esboco do projeto de intervencao educacional nova versão
Esboco do projeto de intervencao educacional  nova versãoEsboco do projeto de intervencao educacional  nova versão
Esboco do projeto de intervencao educacional nova versão
 
Planejamento 4º ano
Planejamento 4º anoPlanejamento 4º ano
Planejamento 4º ano
 
Contrato DidáTico
Contrato DidáTicoContrato DidáTico
Contrato DidáTico
 
Apresentação projeto viajando pela leitura.
Apresentação  projeto viajando pela leitura.Apresentação  projeto viajando pela leitura.
Apresentação projeto viajando pela leitura.
 
O que são projetos?
O que são projetos?O que são projetos?
O que são projetos?
 
Projeto de artes
Projeto de artesProjeto de artes
Projeto de artes
 
Contrato didático professor
Contrato didático professorContrato didático professor
Contrato didático professor
 
Revelaciones de la mente
Revelaciones de la menteRevelaciones de la mente
Revelaciones de la mente
 
Apresentação oleoquímica indústria sec. educação marília
Apresentação oleoquímica indústria sec. educação maríliaApresentação oleoquímica indústria sec. educação marília
Apresentação oleoquímica indústria sec. educação marília
 
Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Concurso de redação "Lixo eletrônico"Concurso de redação "Lixo eletrônico"
Concurso de redação "Lixo eletrônico"
 
Edital de convocação para projeto de extensão e associados da Escola Modelo d...
Edital de convocação para projeto de extensão e associados da Escola Modelo d...Edital de convocação para projeto de extensão e associados da Escola Modelo d...
Edital de convocação para projeto de extensão e associados da Escola Modelo d...
 
PSI2594 - Projeto de Formatura - Escola Politecnica da Usp - LabTeX : Interfa...
PSI2594 - Projeto de Formatura - Escola Politecnica da Usp - LabTeX : Interfa...PSI2594 - Projeto de Formatura - Escola Politecnica da Usp - LabTeX : Interfa...
PSI2594 - Projeto de Formatura - Escola Politecnica da Usp - LabTeX : Interfa...
 
Contrato didático
Contrato didáticoContrato didático
Contrato didático
 
Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2
Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2
Projeto recursos naturais de minha cidade ciências2
 
Atividadel Social - Contação de História
Atividadel Social - Contação de HistóriaAtividadel Social - Contação de História
Atividadel Social - Contação de História
 
Relatório de Atividades 2014
Relatório de Atividades 2014Relatório de Atividades 2014
Relatório de Atividades 2014
 
39626842 modelo-de-roteiro-de-plano-de-midia
39626842 modelo-de-roteiro-de-plano-de-midia39626842 modelo-de-roteiro-de-plano-de-midia
39626842 modelo-de-roteiro-de-plano-de-midia
 
Sabonete em pétalas
Sabonete em pétalasSabonete em pétalas
Sabonete em pétalas
 

Semelhante a Projetos Escolares (Adilson Motta)

habilidades desenvolvidas no maternal
habilidades desenvolvidas no maternalhabilidades desenvolvidas no maternal
habilidades desenvolvidas no maternalrobertatamoai
 
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa1 copia
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa1   copiaPacto nacional pela alfabetização na idade certa1   copia
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa1 copiaMario Fernando
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade culturalValeria Rios
 
Modelo de projeto em Diversidade
Modelo de projeto em DiversidadeModelo de projeto em Diversidade
Modelo de projeto em DiversidadeNonata50
 
Jornal do juraci marchioni 10 - 11 - 2014
Jornal do juraci marchioni   10 - 11 - 2014Jornal do juraci marchioni   10 - 11 - 2014
Jornal do juraci marchioni 10 - 11 - 2014semecti
 
Guia de aprendizagem 2ºbimestre copia
Guia de aprendizagem 2ºbimestre   copiaGuia de aprendizagem 2ºbimestre   copia
Guia de aprendizagem 2ºbimestre copiaEduardo Oliveira
 
Planejamento 3º ano ( 2ª série )
Planejamento   3º ano ( 2ª série )Planejamento   3º ano ( 2ª série )
Planejamento 3º ano ( 2ª série )silvinha331
 
Plano de Ensino 1º ano - Anos Iniciais
Plano de Ensino 1º ano - Anos Iniciais Plano de Ensino 1º ano - Anos Iniciais
Plano de Ensino 1º ano - Anos Iniciais LOCIMAR MASSALAI
 
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - COMPONENTES CURRICULARES E CONTEÚDOS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - COMPONENTES CURRICULARES E CONTEÚDOSSEQUÊNCIA DIDÁTICA - COMPONENTES CURRICULARES E CONTEÚDOS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - COMPONENTES CURRICULARES E CONTEÚDOSeducacaodetodos
 
1º bimestre todas as disciplinas
1º bimestre todas as disciplinas1º bimestre todas as disciplinas
1º bimestre todas as disciplinasjosivaldopassos
 
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineideApresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineideFernando
 
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineideApresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineideFernando
 

Semelhante a Projetos Escolares (Adilson Motta) (20)

Projeto Ler Bem
Projeto Ler BemProjeto Ler Bem
Projeto Ler Bem
 
habilidades desenvolvidas no maternal
habilidades desenvolvidas no maternalhabilidades desenvolvidas no maternal
habilidades desenvolvidas no maternal
 
Trab licoes rio_grande
Trab licoes rio_grandeTrab licoes rio_grande
Trab licoes rio_grande
 
4º ano
4º ano4º ano
4º ano
 
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa1 copia
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa1   copiaPacto nacional pela alfabetização na idade certa1   copia
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa1 copia
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade cultural
 
plano1ano-Vasconcelos.pdf
plano1ano-Vasconcelos.pdfplano1ano-Vasconcelos.pdf
plano1ano-Vasconcelos.pdf
 
Projeto 2012
Projeto 2012Projeto 2012
Projeto 2012
 
Modelo de projeto em Diversidade
Modelo de projeto em DiversidadeModelo de projeto em Diversidade
Modelo de projeto em Diversidade
 
Jornal do juraci marchioni 10 - 11 - 2014
Jornal do juraci marchioni   10 - 11 - 2014Jornal do juraci marchioni   10 - 11 - 2014
Jornal do juraci marchioni 10 - 11 - 2014
 
Diretrizes Educação Infantil: Música
Diretrizes Educação Infantil: MúsicaDiretrizes Educação Infantil: Música
Diretrizes Educação Infantil: Música
 
Diretrizes ed infantil_musica
Diretrizes ed infantil_musicaDiretrizes ed infantil_musica
Diretrizes ed infantil_musica
 
PROFESSOR-PORTUGUES-9º-ANO.pdf
PROFESSOR-PORTUGUES-9º-ANO.pdfPROFESSOR-PORTUGUES-9º-ANO.pdf
PROFESSOR-PORTUGUES-9º-ANO.pdf
 
Guia de aprendizagem 2ºbimestre copia
Guia de aprendizagem 2ºbimestre   copiaGuia de aprendizagem 2ºbimestre   copia
Guia de aprendizagem 2ºbimestre copia
 
Planejamento 3º ano ( 2ª série )
Planejamento   3º ano ( 2ª série )Planejamento   3º ano ( 2ª série )
Planejamento 3º ano ( 2ª série )
 
Plano de Ensino 1º ano - Anos Iniciais
Plano de Ensino 1º ano - Anos Iniciais Plano de Ensino 1º ano - Anos Iniciais
Plano de Ensino 1º ano - Anos Iniciais
 
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - COMPONENTES CURRICULARES E CONTEÚDOS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - COMPONENTES CURRICULARES E CONTEÚDOSSEQUÊNCIA DIDÁTICA - COMPONENTES CURRICULARES E CONTEÚDOS
SEQUÊNCIA DIDÁTICA - COMPONENTES CURRICULARES E CONTEÚDOS
 
1º bimestre todas as disciplinas
1º bimestre todas as disciplinas1º bimestre todas as disciplinas
1º bimestre todas as disciplinas
 
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineideApresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
 
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineideApresentação fernandosilvinhaemarineide
Apresentação fernandosilvinhaemarineide
 

Mais de Adilson P Motta Motta

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PROJETO POEMA
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PROJETO POEMACRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PROJETO POEMA
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PROJETO POEMAAdilson P Motta Motta
 
A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA INGLESA POR MEIO...
A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA INGLESA POR MEIO...A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA INGLESA POR MEIO...
A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA INGLESA POR MEIO...Adilson P Motta Motta
 
UM ESTUDO SOBRE A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA ...
UM ESTUDO SOBRE A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA ...UM ESTUDO SOBRE A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA ...
UM ESTUDO SOBRE A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA ...Adilson P Motta Motta
 
As várias faces do ópio do Povo.pdf
As várias faces do ópio do Povo.pdfAs várias faces do ópio do Povo.pdf
As várias faces do ópio do Povo.pdfAdilson P Motta Motta
 
pdf MONTANDO UMA REDACAO - PASSO A PASSO.pdf
pdf MONTANDO UMA REDACAO - PASSO A PASSO.pdfpdf MONTANDO UMA REDACAO - PASSO A PASSO.pdf
pdf MONTANDO UMA REDACAO - PASSO A PASSO.pdfAdilson P Motta Motta
 
Projeto Escolar - História de Bom Jardim-MA.pdf
Projeto Escolar - História de Bom Jardim-MA.pdfProjeto Escolar - História de Bom Jardim-MA.pdf
Projeto Escolar - História de Bom Jardim-MA.pdfAdilson P Motta Motta
 
LEI ORGÂNICA DE BOM JARDIM-MA 2020.pdf
LEI ORGÂNICA DE BOM JARDIM-MA 2020.pdfLEI ORGÂNICA DE BOM JARDIM-MA 2020.pdf
LEI ORGÂNICA DE BOM JARDIM-MA 2020.pdfAdilson P Motta Motta
 
DESAFIOS DAS ESCOLA MULTISSERIADAS EM BOM JARDIM-MA..pdf
DESAFIOS DAS ESCOLA MULTISSERIADAS EM BOM JARDIM-MA..pdfDESAFIOS DAS ESCOLA MULTISSERIADAS EM BOM JARDIM-MA..pdf
DESAFIOS DAS ESCOLA MULTISSERIADAS EM BOM JARDIM-MA..pdfAdilson P Motta Motta
 
INTERPRETAÇÃO TEXTUAL INGLÊS SÓ ENEM
INTERPRETAÇÃO TEXTUAL INGLÊS  SÓ ENEMINTERPRETAÇÃO TEXTUAL INGLÊS  SÓ ENEM
INTERPRETAÇÃO TEXTUAL INGLÊS SÓ ENEMAdilson P Motta Motta
 
LEI ORGANICA DE BOM JARDIM-MA. 2022 - ATUALIZADA.pdf
LEI ORGANICA DE BOM JARDIM-MA. 2022 - ATUALIZADA.pdfLEI ORGANICA DE BOM JARDIM-MA. 2022 - ATUALIZADA.pdf
LEI ORGANICA DE BOM JARDIM-MA. 2022 - ATUALIZADA.pdfAdilson P Motta Motta
 
VALE -PRIVATIZAÇÃO A SAÍDA OU O FUNDO DO POÇO.pptx
VALE -PRIVATIZAÇÃO A SAÍDA OU O FUNDO DO POÇO.pptxVALE -PRIVATIZAÇÃO A SAÍDA OU O FUNDO DO POÇO.pptx
VALE -PRIVATIZAÇÃO A SAÍDA OU O FUNDO DO POÇO.pptxAdilson P Motta Motta
 
01- LINGUAGEM INDÍGENA 5 PRIMEIRAS PÁGINAS.pdf
01-  LINGUAGEM INDÍGENA 5 PRIMEIRAS PÁGINAS.pdf01-  LINGUAGEM INDÍGENA 5 PRIMEIRAS PÁGINAS.pdf
01- LINGUAGEM INDÍGENA 5 PRIMEIRAS PÁGINAS.pdfAdilson P Motta Motta
 
Regimento do conselho municipal de educação bom j ardim - ma
Regimento do conselho municipal de educação   bom j ardim - maRegimento do conselho municipal de educação   bom j ardim - ma
Regimento do conselho municipal de educação bom j ardim - maAdilson P Motta Motta
 
Projeto programa educacao ambiental. bom jardim ma
Projeto programa educacao ambiental. bom jardim  maProjeto programa educacao ambiental. bom jardim  ma
Projeto programa educacao ambiental. bom jardim maAdilson P Motta Motta
 
1º Plano Decenal de Educação de Bom Jardim MA. 2003-2013
1º Plano Decenal de Educação de Bom Jardim  MA. 2003-20131º Plano Decenal de Educação de Bom Jardim  MA. 2003-2013
1º Plano Decenal de Educação de Bom Jardim MA. 2003-2013Adilson P Motta Motta
 

Mais de Adilson P Motta Motta (20)

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PROJETO POEMA
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PROJETO POEMACRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PROJETO POEMA
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO - PROJETO POEMA
 
A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA INGLESA POR MEIO...
A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA INGLESA POR MEIO...A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA INGLESA POR MEIO...
A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA INGLESA POR MEIO...
 
UM ESTUDO SOBRE A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA ...
UM ESTUDO SOBRE A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA ...UM ESTUDO SOBRE A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA ...
UM ESTUDO SOBRE A LEITURA E O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DE VOCABULÁRIO DE LÍNGUA ...
 
As várias faces do ópio do Povo.pdf
As várias faces do ópio do Povo.pdfAs várias faces do ópio do Povo.pdf
As várias faces do ópio do Povo.pdf
 
pdf MONTANDO UMA REDACAO - PASSO A PASSO.pdf
pdf MONTANDO UMA REDACAO - PASSO A PASSO.pdfpdf MONTANDO UMA REDACAO - PASSO A PASSO.pdf
pdf MONTANDO UMA REDACAO - PASSO A PASSO.pdf
 
Projeto Escolar - História de Bom Jardim-MA.pdf
Projeto Escolar - História de Bom Jardim-MA.pdfProjeto Escolar - História de Bom Jardim-MA.pdf
Projeto Escolar - História de Bom Jardim-MA.pdf
 
LEI ORGÂNICA DE BOM JARDIM-MA 2020.pdf
LEI ORGÂNICA DE BOM JARDIM-MA 2020.pdfLEI ORGÂNICA DE BOM JARDIM-MA 2020.pdf
LEI ORGÂNICA DE BOM JARDIM-MA 2020.pdf
 
DESAFIOS DAS ESCOLA MULTISSERIADAS EM BOM JARDIM-MA..pdf
DESAFIOS DAS ESCOLA MULTISSERIADAS EM BOM JARDIM-MA..pdfDESAFIOS DAS ESCOLA MULTISSERIADAS EM BOM JARDIM-MA..pdf
DESAFIOS DAS ESCOLA MULTISSERIADAS EM BOM JARDIM-MA..pdf
 
INTERPRETAÇÃO TEXTUAL INGLÊS SÓ ENEM
INTERPRETAÇÃO TEXTUAL INGLÊS  SÓ ENEMINTERPRETAÇÃO TEXTUAL INGLÊS  SÓ ENEM
INTERPRETAÇÃO TEXTUAL INGLÊS SÓ ENEM
 
LEI ORGANICA DE BOM JARDIM-MA. 2022 - ATUALIZADA.pdf
LEI ORGANICA DE BOM JARDIM-MA. 2022 - ATUALIZADA.pdfLEI ORGANICA DE BOM JARDIM-MA. 2022 - ATUALIZADA.pdf
LEI ORGANICA DE BOM JARDIM-MA. 2022 - ATUALIZADA.pdf
 
VALE -PRIVATIZAÇÃO A SAÍDA OU O FUNDO DO POÇO.pptx
VALE -PRIVATIZAÇÃO A SAÍDA OU O FUNDO DO POÇO.pptxVALE -PRIVATIZAÇÃO A SAÍDA OU O FUNDO DO POÇO.pptx
VALE -PRIVATIZAÇÃO A SAÍDA OU O FUNDO DO POÇO.pptx
 
01- LINGUAGEM INDÍGENA 5 PRIMEIRAS PÁGINAS.pdf
01-  LINGUAGEM INDÍGENA 5 PRIMEIRAS PÁGINAS.pdf01-  LINGUAGEM INDÍGENA 5 PRIMEIRAS PÁGINAS.pdf
01- LINGUAGEM INDÍGENA 5 PRIMEIRAS PÁGINAS.pdf
 
DICIONÁRIO TUPI - PORTUGUES.pdf
DICIONÁRIO TUPI - PORTUGUES.pdfDICIONÁRIO TUPI - PORTUGUES.pdf
DICIONÁRIO TUPI - PORTUGUES.pdf
 
A gramática do texto.ppt
A gramática do texto.pptA gramática do texto.ppt
A gramática do texto.ppt
 
A importância de falar inglês.ppt
A importância de falar inglês.pptA importância de falar inglês.ppt
A importância de falar inglês.ppt
 
Breve Resumo - Novo Ensino Médio
Breve Resumo -  Novo Ensino MédioBreve Resumo -  Novo Ensino Médio
Breve Resumo - Novo Ensino Médio
 
Frases à cidadania
Frases à cidadaniaFrases à cidadania
Frases à cidadania
 
Regimento do conselho municipal de educação bom j ardim - ma
Regimento do conselho municipal de educação   bom j ardim - maRegimento do conselho municipal de educação   bom j ardim - ma
Regimento do conselho municipal de educação bom j ardim - ma
 
Projeto programa educacao ambiental. bom jardim ma
Projeto programa educacao ambiental. bom jardim  maProjeto programa educacao ambiental. bom jardim  ma
Projeto programa educacao ambiental. bom jardim ma
 
1º Plano Decenal de Educação de Bom Jardim MA. 2003-2013
1º Plano Decenal de Educação de Bom Jardim  MA. 2003-20131º Plano Decenal de Educação de Bom Jardim  MA. 2003-2013
1º Plano Decenal de Educação de Bom Jardim MA. 2003-2013
 

Último

o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 

Último (20)

o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 

Projetos Escolares (Adilson Motta)

  • 1. Projetos Escolares Tornando a Prática Pedagógica Significativa Adilson Motta
  • 2. Projetos Escolares Tornando a Prática Pedagógica Significativa  1-A Transversalidade em Sala de Aula (Trabalhando Temas Sociais)  Leitura e Escrita PRIMEIRO MUTIRÃO DE LEITURA  PROJETO CANÇÃO A PARTIR DAS LETRAS DAS CANÇÕES TRABALHAR: História da Música, da MPB, Bossa Nova, Forro, Axé, Funk, Hap, Pop, Jazz, Sertaneja, Olodum e outros ritmos que marcaram décadas.  Jornal na Escola  Projeto Interdisciplinar de Resgate Sócio Histórico, Geográfico e Cultural de Povoados e Municípios PARAUAPEBAS 2010
  • 3. TEMA: A Transversalidade em Sala de Aula (Trabalhando Temas Sociais) O que são temas transversais? Os temas transversais são temas de urgência social que perpassam no dia-a-dia da vida social do aluno, da escola, da família, da sociedade; enfim, do país, estados e municípios. O caminho mais seguro de construirmos uma sociedade cidadã é no espaço escolar através de nossa prática pedagógica, comprometida com a realidade, que é abordada nos temas transversais. E para que a escola não se torne apenas um espaço de reprodução, mas também de transformação é necessário o engajamento ou, a ação política dos educadores. E os temas transversais são portas abertas para que isto aconteça. Eixo Temático: Oralidade, discursividade e produção textual dentro dos temas abordados. JUSTIFICATIVA: Trabalhar os temas transversais em sala de aula é tornar a educação significativa e comprometida com as práticas sociais. Existe diversos meios para chegar-se ao mesmo fim, mas o único e mais eficiente caminho para chegar ao porto seguro da cidadania em sala de aula, não permitindo que o alunado se torne alienado é construir a partir da escola uma sociedade cidadã é através dos leques temáticos que se abrem à luz dos temas transversais. Isto não significa que o professor vá trabalhar apenas conteúdos atitudinais em prejuízos aos conceituais. Para isto, o professor há de planejar e saber fazer o “endosamento” numa prática que se desdobra em ensinar conceitos e desenvolver atitudes no que toca os temas trabalhados.
  • 4. CONTEÚDO: OBJETIVO  Trabalhar os Temas Transversais ao longo do ano letivo com a finalidade de CULMINAR na II –Feira Cultural da Escola Alegria do Saber. ESTRATÉGIA I- Fazer levantamento dos temas transversais através de pesquisas em internet, revistas, jornais, etc. Temas como: * Ética; * Pluralidade Cultural; * Meio Ambiente (lixo, poluição e doenças causadas pelo..., reciclagem) * Súde; * Orientação Sexual (DSTs) Conceitual: São os conteúdos “sistemáticos” trabalhados nas aulas durante o ano letivo como: *Português: Substantivo, verbo, preposição... etc *Matemática: porcentagem, regra de três, proporção, etc. Atitudinal: (Temas Sociais): Que visam conscientizar, informar e formar e desenvolver atitudes na vida do aluno. Como: * Ética; * Pluralidade Cultural; * Meio Ambiente (lixo, poluição e doenças causadas pelo..., reciclagem) * Súde; * Orientação Sexual (DSTs) * Temas Locais; *Drogas; * Prostituição; * Violência; * Política e Cidadania; *Solidariedade
  • 5. * Temas Locais; *Drogas; * Prostituição; * Violência; * Política e Cidadania; *Solidariedade HÁ DUAS ALTERNATIVAS PARA DESENVOLVER O TRABALHO: a)- A cada mês será trabalhado um ou mais temas em comum com todas as disciplinas guardando-se todos os trabalhos para uma exposição geral no final do ano letivo na II-Feira Cultural. b) Utilizar o espaço de tempo do quarto bimestre para trabalhar todos esses temas, os quais serão distribuídos nas diferentes disciplinas; que culminará para a realização maior: “A II Feira Cultural da Escola Alegria do Saber” CULMINÃNCIA II Feira Cultural Cultural de Vila Sanção “Trabalhando Temas Sociais em Sala de Aula” que foi realizada em dezembro de 2009. SUGESTÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO: 5ª Série: Disciplina: Religião Valores (ética e cidadania, religiosidade (e histórico das igrejas) religião. 6ª Série: Disciplina: Geografia Meio ambiente; Queimadas, efeito estufa, poluição, água potável. 7ª Série B: Disciplina: Ciências Saúde, doenças (causas e prevenção), saneamento básico, orientação sexual DSTs, aids. 7ª Série A. Disciplina: Português com cícera Cultura brasileira, Folclore, norte, nordeste, sul, sudeste.
  • 6. 8ª Série. Disciplina: Português. Tipos de drogas e suas conseqüências, Violência, corrupção, Prostituição (uma peça teatral). EJA -3ª E 4ª - Disciplina: Arte Riquezas naturais do Brasil, Companhia Vale do Rio Doce. Divide a turma em 3 equipes onde cada uma desenvolverá suas temáticas (apresentação em sala de aula preparando para a exposição no dia da Feira). A partir dos conteúdos temáticos trabalhados, estabelecer o estudo da sistematização gramatical . Conseqüentemente estará havendo formação de consciência nos conteúdos trabalhados. Ex. DROGAS SISTEMATIZAÇÃO GRAMATICAL Atitudinal Conceitual -temas -substantivo, verbo, etc
  • 7. Projeto Mutirão de Leitura PRIMEIRO MUTIRÃO DE LEITURA Parauapebas – PA
  • 8. Primeiro Mutirão de Leitura Justificativa O primeiro “Mutirão de Leitura” na Escola, tem por finalidade envolver a comunidade como um todo, desenvolvendo assim um Processo de Interação Social entre família e escola . Eis aí algumas razões:  Ampliar a visão de mundo e inserir o leitor na cultura letrada;  Estimular o desejo de outras leituras;  Possibilitar a vivência de emoções, o exercício da fantasia e da imaginação aproximando escola e comunidade para o “ato da leitura” . Estratégias  Divulgação do primeiro mutirão de leitura na escola envolvendo professores, alunos e comunidade.  Organização de um mural enfatizando aspectos temáticos da leitura em sua diversidade.  Elaboração de convites para famílias;  Ornamentação e organização do ambiente;  Apresentação de pequenas peças e jograis envolvendo os alunos. Recurso Didático  Papel 40, papel cartão, cartazes, livros, mesas, cadeiras. Recurso Humano  Professores, alunos, coordenadores, e diretor. Considerações Finais Que esse evento venha despertar o interesse e o gosto pela leitura dos nossos alunos e comunidade, levando-os a terem contato e conhecimento da diversidade textual (isto é, dos gêneros diversos que perpassam o mundo contexto e espaço sala/de aula).
  • 9. PLANEJAMENTO 8ª SÉRIE CANÇÃO: A PARTIR DAS LETRAS DAS CANÇÕES TRABALHAR: A) DISCURSIVIDADE E INTERPRETAÇÃO (COMENTÁRIOS); B) PERÍODO SIMPLES E COMPOSTO; C) IDENTIFICAR AS FIGURAS DE LINGUAGEM NAS LETRAS DE MÚSICAS; D) TRABALHAR O TEXTO DISSERTATIVO A PARTIR DAS MÚSICAS (A TROPICÁLIA)+ E) DIFERENCIAÇÃO CRÍTICA A PARTIR DE CADA PERÍODO DOS MOVIMENTOS DA MÚSICA – A EVOLUÇÃO DA MÚSICA N HISTÓRIA. F) A PARTIR DA CANÇÃO PRODUZIR NARRATIVAS. CULMINÂNCIA: ATRAVÉS DE PAINEL: - EXPOSIÇÃO DE LETRA DE MÚSICAS; - APRESENTAÇÃO CANTADA; (E INGLÊS); - PARÓDIA; - BIOGRAFIA DOS CANTORES; HISTÓRIA DA MÚSICA NO BRASIL; - BIOGRAFIA DOS MOVIMENTOS DA MÚSICA. NO CONTEÚDO:  GÊNERO POEMA (VERSO, ESTROFE, RIMA) E A RELAÇÃO COM A MÚSICA.  FIGURAS DE LINGUAGEM; TRABALHAR NAS MÚSICAS E POEMAS.  TEORIA LITERÁRIA;  VARIEDADE LINGÜÍSTICA;  TEXTO DISSERTATIVO;  PERÍODO SIMPLES E COMPOSTO;  ORAÇÕES SUBORDINADAS E COORDENADAS. PLANEJAMENTO 7ª SÉRIE  ELEMENTOS DE COESÃO TEXTUAL;  FRASE, PERÍODO, ORAÇÃO.  TIPOS DE CONTO APRESENTAÇÃO DO GÊNERO CONTO  LEITURA PELO PROFESSOR E PELO ALUNO (SILENCIOSA E ORAL);  RODA DE LEITURA EM DUPLA PARA COMENTÁRIO E DEBATE;  PRODUÇÃO TEXTUAL: ELEGER COM OS ALUNOS 2 AUTORES PARA TRABALHAR NOS 4 GRUPOS.
  • 10.  COLETÂNEA DE CONTOS PARA APRESENTAÇÃO PELOS ALUNOS;  PESQUISA, LEITURA E SELEÇÃO DE CONTOS VARIADOS PARA ORGANIZAÇÃO DE UMA COLETÂNEA (PARA SALA DE LEITURA). PRODUÇÃO TEXTUAL:  RECONTO, INFERIR, MODIFICAR A HISTÓRIA; MODIFICAR O FOCO NARRATIVO DE 1ª PARA 2ª PESSOA OU VICE-VERSA.  IDENTIFICAR ELEMENTOS DA NARRATIVA E FIGURAS DE LINGUAGEM;  TRABALHAR EM EQUIPE A DIVERSIDADE DE CONOS: REALISTA, FICCIONAL, DE FADAS, DE ASSOMBRAÇÃO MARAVILHOSO E FANTÁSTICO.  PRODUZIR NARRATIVAS A PARTIR DE LETRAS DE MÚSICAS. ,  A PARTIR DE IMAGENS PRODUZIR NARRATIVAS E TRABALHAR A CORREÇÃO COLETIVA E INDIVIDUAL. CARTA MISTERIOSA - DINÂMICA 1- FAÇA UMA CARTA PARA UM AMIGO CUJO NOME DEVE SER CITADO EM CÓDIGO ( NOME DE ANIMAL, FRUTA OU ÁRVORE), 2- NA CARTA DESCREVA O LUGAR ONDE VOCÊ MORA, O QUE EXISTE, COMO VIVEM AS PESSOAS E COMO SE DIVERTEM. 3- FAÇA UMA DESCRIÇÃO SUA (REMETENTE) DO QUE GOSTA, TC..., 4- NO FINAL DA CARTA, AO INVÉS DE COLOCAR SEU NOME, COLOQUE UM NOME CÓDIGO – FRUTA, ANIMAL, ÁRVORE... E TERMINA COM A FRASE: “QUEM SOU EU?”. AO TERMINAR, O PROFESSOR RECEBE AS CARTAS E TROCAS ENTRE ALUNOS DIFERENTES PARA LER E A TURMA ADIVINHAR QUEM É O PERSONAGEM “FRUTA, ANIMAL, PLANTA”...
  • 11. Aula inaugural – Apresentação Faça uma produção textual na qual você irá se identificar a partir do comando abaixo. Em seguida, troca as fichas preenchidas com o colega, o qual fará uma produção escrita em 3ª pessoa para ser apresentado para a turma. A- NOME:----------------------------------------------------------------------------------------------------------------- B- NOME DO PAI E MÃE:-------------------------------------------------------------------------------------------- C- É DESCENDENTE DE QUAL ESTADO? (ONDE NESCEU?).............................................................. D- HÁ QUANTO TEMPO MORA AQUI NA REGIÃO? ............................................................................ E- FALE DAS COISAS QUE VOCÊ GOSTA DE FAZER:----------------------------------------------------- F- QUAL SEU ESPORTE PREFERIDO? ..................................................................................................... G- QUAL O TTIPO DE MÚSICA PREFERIDA?......................................................................................... H- TIPO DE COMIDA QUE VOCÊ MAIS GOSTA:.................................................................................... J- QUER DEIXAR ALGUMA MENSAGEM OU FRASE PARA OS COLEGAS?......................................................... A- NOME:----------------------------------------------------------------------------------------------------------------- B- NOME DO PAI E MÃE:--------------------------------------------------------------------------------------------- C- É DESCENDENTE DE QUAL ESTADO? (ONDE NESCEU?).............................................................. D- HÁ QUANTO TEMPO MORA AQUI NA REGIÃO? ............................................................................ E- FALE DAS COISAS QUE VOCÊ GOSTA DE FAZER:----------------------------------------------------- F- QUAL SEU ESPORTE PREFERIDO? ...................................................................................................... G- QUAL O TTIPO DE MÚSICA PREFERIDA?........................................................................................... H- TIPO DE COMIDA QUE VOCÊ MAIS GOSTA:.............................................................................. J- QUER DEIXAR ALGUMA MENSAGEM OU FRASE PARA OS COLEGAS?......................................................... A- NOME:----------------------------------------------------------------------------------------------------------------- B- NOME DO PAI E MÃE:--------------------------------------------------------------------------------------------- C- É DESCENDENTE DE QUAL ESTADO? (ONDE NESCEU?).............................................................. D- HÁ QUANTO TEMPO MORA AQUI NA REGIÃO? ............................................................................ E- FALE DAS COISAS QUE VOCÊ GOSTA DE FAZER:----------------------------------------------------- F- QUAL SEU ESPORTE PREFERIDO? ...................................................................................................... G- QUAL O TTIPO DE MÚSICA PREFERIDA?.......................................................................................... H- TIPO DE COMIDA QUE VOCÊ MAIS GOSTA:..................................................................................... J- QUER DEIXAR ALGUMA MENSAGEM OU FRASE PARA OS COLEGAS?. Essa atividade é recomendada no início do ano letivo, onde servirá de instrumento para que os alunos se conheçam melhor.
  • 12. Contrato Didático O presente contrato didático é a expressão da vontade geral dos alunos da 7ª e 8ª série. Desrespeitá-lo é contrariar aquilo que todos decidiram em comum acordo e que está contido nos itens a seguir; definindo-se como atitude desrespeitosa e antiética. 1 – Evitar conversas paralelas ( de assuntos não condizentes com o teor da aula). 2- Respeitar os professores e colegas de classe. 3- Evitar palavrões em sala de aula e não usar alcunhas (apelidos) quando se referir aos colegas. 4- Ser pontual e participativo nas aulas, contribuindo para a ordem - para que haja um melhor aproveitamento no processo ensino-aprendizagem. 5- Não interromper o professor no momento da explicação, exceto quando tratar de assunto inerente à aula;. 6- Não jogar lixo no chão, nem riscar parede nem o quadro magnético. 7- Não sentar em cima das mesas. 8- Tratar educadamente os colegas. 9- Não pegar as coisas alheias sem a permissão dos donos. 10- Não se retirar durante as aulas sem a permissão do professor. 11- Contribuir com a organização da sala. 12- Contribuir nos eventos e ações promovidas com fins de angariar recursos para a festa de formatura. 13- Não namorar no espaço escolar nem sentar “nas pernas”. 14- Não riscar os cadernos dos colegas sem permissão. Relatoras ........................................................................ Este diagnóstico foi construído em sala de aula sob a regência do Profº Adilson Motta em Parauapebas, Pará.
  • 13. Momento Literário: Comunicação e expressão Escola:................................................................... Objetivo: Desenvolver a autonomia de leitura, comunicação e expressão e despertar a criatividade interdisciplinar nas múltiplas funções da linguagem. Profº Adilson Motta
  • 14. MOMENTO LITERÁRIO SALA DE LEITURA 5ª E 6ª SÉRIE SÉRIE:......... GÊNEROS LITERÁRIOS:........................................................... ALUNO:................................................................................................................... TÍTULO:.................................................................................................................. Meta: Ilustração (painel), recontagem e apresentação livre. ...................................... ......................................................... ...................................... ........................................................ ...................................... ........................................................ ...................................... ......................................................... ...................................... ........................................................ ...................................... ........................................................ ...................................... ......................................................... ...................................... ........................................................ ...................................... ........................................................ ...................................... ......................................................... ...................................... ........................................................ ...................................... ........................................................ ...................................... ......................................................... ...................................... ........................................................ ...................................... ......................................................... ...................................... ........................................................ ...................................... ........................................................ ...................................... ......................................................... ...................................... ........................................................ ...................................... ........................................................ ...................................... ......................................................... ...................................... ........................................................
  • 15. ...................................... ........................................................ FOLCLORE BRASILEIRO = FOLCLORE DO NORTE: LENDAS E FÁBULAS DATA DE CULMINÂNCIA:........./........./............. . Interdisciplina entre Língua Portuguesa e Artes. Língua Portuguesa: Os alunos contam oralmente. Em Artes: Fazem os desenhos representativos. Em cartolinas para exposição. Em duplas ou de 3 alunos.
  • 16. Seminário Interdisciplinar Português e Artes Valorização da Linguagem Verbal e Não-Verbal Professores e Coordenadora idealizadores:  Adilson Motta  Cícera Rodrigues. Obs.: Este projeto foi apresentado em dezembro de 2008, nas 7ª e 8ª série, na Escola Alegria do Saber, em PARAUAPEBAS
  • 17. PARAUAPEBAS, 26/11/2008 1- Identificação O projeto envolverá, de forma interdisciplinar, as linguagens (teatro, música, artes visuais – como desenho, pinturas, assim como produção textual a partir de gravuras apresentadas pelos discentes), com a finalidade de socialização e intercâmbio em sala de aula nas disciplinas de Artes e Português sob orientação dos professores Adilson e Cícera. Valendo como uma das notas para o bimestre corrente.  Público alvo: Alunos de 5ª a 8ª série e Ensino Médio.  Destinatário: Toda comunidade escolar.  Foi trabalhado durante o 4º bimestre – em 2008.  Local: Escola Alegria do Saber.  Duração da Culminância: 4 h/aulas. Justificativa: Os alunos na maioria das vezes apresentam dificuldades de leitura, interpretação de textos e texto/mundo, e dificuldades ortográficas na escrita. Considerando que a linguagem é uma das características predominantes no processo de comunicação e interação entre os sujeitos. Este projeto pretende atender as dificuldades enfrentadas no cotidiano escolar dos alunos de 5ª A 8ª série do Ensino Fundamental e ensino médio nas disciplinas de Arte e Língua Portuguesa. Trabalhar interdisciplinarmente, de forma dinâmica os conteúdos da grade curricular a fim de que desperte no aluno o interesse pela leitura e escrita como instrumento para sanar as dificuldades por este enfrentadas no decurso de sua vida escolar (quanto a questão ortográfica e produção textual). Além de desmistificar o estudo da disciplina Artes na escola, já que as linguagens (teatro, música e artes visuais) permeiam todas as áreas de conhecimento. Faz-se necessário então, despertar no professor e no educando essa real sensibilidade de importância. No transcorrer do projeto serão lidas obras literárias como: o pagador de promessas, A Divina Comédia, e outras de acordo com a conveniência da escola literária em foco que está sendo trabalhada.
  • 18. Como resultado do projeto, espera-se que os alunos façam adaptações das obras produzindo material artístico como peças teatrais, telas, músicas, colagens, painel fotográfico para exposição e outros. Recursos Livros de literatura, revistas, vídeos, cartolinas, pincel, tinta e fita adesiva. Relatório da apresentação do Projeto O Projeto Interdisciplinar Português e Artes: Valorização da Linguagem Verbal e Não-verbal nasce a partir do projeto Ortográfico: Erros e acertos, cujo início foi em 7 de outubro de 2008. Partindo do pressuposto de que escrever corretamente é muito mais fruto de ler e escrever sempre e consultar constantemente o dicionário do que do estudo “gramatiqueiro” isolado de e fragmentado de regras, o que, na maioria das vezes são difíceis de memorizar, - é que desenvolvemos nesse projeto uma dimensão voltada para a leitura e a escrita, ou seja, párea o ato de ler e escrever, dentro do afirmativo de renomados escritores e especialistas: “só se aprende a escrever, escrevendo, a ler, lendo”. Gramática internalizada E para desenvolvê-lo, sem o risco de nos determos no “mero regrismo lingüístico”, (sem deixar de lado certas sistematizações), demos maior relevância à leitura de livros, e assistimos vídeos, a partir dos quais foram feitas produções textuais com reescrita e correções coletiva em classe. No tocante à obra apresentada, foi abordada a Escola Literária na qual esta se contempla, as figuras de linguagens e de pensamento presentes na obra. Abriu-se no final da apresentação um espaço para perguntas e respostas quanto a obra apresentada pelos alunos da série “convidada”. A 8ª série apresentou a obra A divina comédia para os alunos convidados (a 7ª série), em cujo momento, além de exposições de cartazes sobre a obra, estes também abriram um espaço para perguntas e respostas sobre a obra
  • 19. apresentada aos alunos da 8ª série – cuja iniciativa ou esquema metodológico serviu de intercâmbio ou socialização de conhecimentos entre as classes/ e noutro modo pode ser trabalhado numa perspectiva de apresentação aos alunos da escola. No ensino Médio, além de ser enfocado estudo das escolas literárias, pode-se ressaltar as características, contexto, autores e obras - assim como seus aspectos presentes na obra. Professor Adilson Motta PROJETO –RIQUEZAS LITERÁRIAS OBJETIVO: Pretende-se com este trabalho, fazer um resgate da literatura local contemplada no folclore em Parauapebas além de conhecer sobre as especificidade dos gêneros estudados durante o ano letivo na disciplina de Língua Portuguesa. Folclore A palavra FOLCLORE é de origem inglesa sendo composta por FOLK: que quer dizer POVO e LORE: Que significa SABEDORIA. O conjunto de lendas, contos, mitos, crendices, cantiga, histórias, danças, festas, conhecimentos etc, que fazem partes da vida e da sabedoria de um povo, conservados pela tradição popular, é chamado de folclore ou cultura popular. Quando estudamos o folclore de um povo, conhecemos seu modo de pensar, agir e sentir. Dentro do folclore está contemplando a literatura oral, mãe e origem da literatura letrada. O folclore é tido como uma verdadeira fonte para criar literatura. A literatura, seja local, regional, nacional ou a universal buscara nos relatos de casos, experiências, crendice, fábulas e contos populares subsídios e amparo para a
  • 20. construção da literatura letrada. É o que se observa na trajetória da literatura universal de William Shakeaspeare que muitas vezes baseava-se em lendas e histórias contadas oralmente para criar suas peças teatrais; e Charles Perrault, para escrever seus contos infantis. É o que fizemos em Vila Sanção, resgatamos as histórias (contos, causos e contos), piadas e anedotas que só existiam na oralidade, sendo faladas pelo povo da localidade; e a partir de então, foi dado um corpo escrito, ou seja: saindo do oral e entrando para a literatura escrita. COMO FOI DESENVOLVIDO O PROJETO RIQUEZAS LITERÁRIAS Desde o início do ano letivo, o professor de Língua Portuguesa Adilson formulou um projeto e nos apresentou e aceitamos o desafio. O projeto demandava uma prática que envolvia todos os professores da Escola Alegria do Saber no que se conhece por Interdisciplina, ou seja, um projeto, cujo sucesso e realização dependia do envolvimento das demais disciplinas do ensino fundamental. A importância deste trabalho se contempla nos PCN (2000 p. 46-47): Os conteúdos dos temas transversais, assim como as práticas pedagógicas organizadas em função da sua aprendizagem podem, contextualizar significativamente a aprendizagem da língua, fazendo com que o trabalho se reverta em produções de interesse do convívio, escolar e da comunidade. Foram realizadas pesquisas de campo, resgatando a cultura local como lendas, poesias, contos de assombração; e pesquisas histórico-geográficas do povoado através de moradores antigos, entre outras, que foram fontes oficiais. O nosso trabalho se preocupou em tornar escrito às histórias e estórias que compõe o fundamento folclórico, histórico e geográfico de Vila Sanção. A medida que as pesquisas iam sendo desenvolvidas, o professor Adilson ia fazendo correções coletivas em sala de aula com os alunos.
  • 21. Leitura e Escrita I – Projeto de Recuperação Paralela de alunos com deficiência em ortografia (escrita), leitura e Produção textual II- O aluno como agente de produção (E um projeto exemplar) III- Seminário de leitura na escola Autoria: Profº Adilson Motta Escola Alegria do Saber Parauapebas -2009
  • 22. Introdução Sendo um problema que desafia educadores, incomoda e envergonha educandos e às vezes até poderia ser a chance de um emprego, a dificuldade de produção textual que anda num paralelo ao problema da leitura e de ortografia é sem dúvida um entrave não só em língua portuguesa, mas para o avanço de compreensão e percepção nas demais disciplinas. Nesse caso, língua portuguesa é tida como carro-chefe ou a disciplina eixo das disciplinas. Estes problemas são vistos, quando pegamos uma redação, especialmente entre as séries de 5ª a 8ª do Fundamental maior; na qual a dificuldade de produção textual (através de idéias restritas), os erros ortográficos, as incoerências e coesão textual são visíveis.
  • 23. SEMINÁRIO DE LEITURA NA ESCOLA Muitas são as possibilidades de se fazer um seminário de leitura na escola. O processo desenvolvido na prática da aqui proposta se dá no seguinte procedimento abaixo: I. Opta-se pelo processo de leitura compartilhado reunindo os grupos de alunos em torno de quatro - para uma melhor percepção do nível, grau e desenvoltura em que se encontra o aluno-leitor quando, em grupos, fazerem a leitura de um determinado texto que será único e exclusivamente daquele grupo, acompanhado pelos demais. - Os demais alunos acompanham para desenvolverem as atividades grupais em torno do texto lido (com socialização de respostas) e questionamento do texto. II. Escolhe-se na classe 5 alunos (bons) inclusive o professor para participarem do corpo jurado que irão avaliar o desempenho da leitura dos colegas e darem a devida nota (considerando de 1 a 100; no fluir da leitura) pautando os itens abaixo:  pontuação,  Dicção (emissão de voz perfeita,  Clareza na leitura. O objetivo desta prática neste Seminário é detectar o Melhor aluno leitor da sala e dá-lo o reconhecimento pelo esforço e assiduidade na prática de leituras. Isto conseqüentemente irá instigar ou estimular os demais alunos da classe a desenvolverem mais a prática. Só se aprende ler, lendo. Só se aprende escrever, escrevendo. Pela leitura perpassa todas as habilidades e competências disciplinares; pois a medida que o aluno melhora seu nível de leitor, todas as disciplinas irão repercutir positivamente, inclusive uma melhor aceleração de percepção no ato de ler.
  • 24. SEMINÁRIO DE LEITURA NA ESCOLA SÉRIE: 8ª NOME DOS ALUNOS TÍTULO DO TEXTO conceito
  • 25. I – Projeto de Recuperação Paralela de alunos com deficiência em ortografia (escrita), leitura e Produção textual A leitura e a escrita são as duas ferramentas indispensáveis para a formação do grande leitor, possíveis futuro escritor e excelente profissional. O contínuo contato com essas duas práticas possibilitam resolver as deficiências ortográficas de leitura e produção textual. Acrescentando-se é claro, pesquisas vocabulares em dicionários que darão a mente os ingredientes indispensáveis através das palavras conhecidas e seu semantismo, que tornarão fértil e produtiva. “Um vocabulário limitado põe barreira ao pensamento dos homens”. Enterrar ou resolver o problema? Tá em nossas mãos O verdadeiro educador escolhe a segunda opção. Deparei-me com uma situação inerente em sala de aula em meados de 2006, quando corrigia a produção textual de um dos alunos em revisão coletiva e um dos alunos contou-me que queria saber a fórmula atitudinal para sanar os problemas de ortografia e deficiências em produção textual que este apresentava desde séries anteriores e que persistiam; pois cursava a 8ª série, e existiam muitos outros em situações similares. Questionei-o sobre as antecedentes situações em sala de aula em anos anteriores e este me falou que as produções textuais anteriores eram simplesmente frisadas e destacadas no texto e entregues de volta sem uma devida correção coletiva que despertasse nesses, a consciência do erro e a definição do conserto a ser feito. Isso significa que, guardando os textos, estariam também guardando os erros ortográficos e a situação estanque do problema. Dicas para leitura e reescrita a) Os alunos lêem histórias em sala de aula (de início: histórias curtas) – e em seguida: eu releio ditando até três parágrafos para correção e revisão em sala de aula (trocando os cadernos , e eles mesmos marcando e corrigindo os erros dos colegas. (em grupo de até duas pessoas). Competição para saber quem comete menos erros ortográficos). Recomendado para 5ª e 6ª série. b) O aluno ler um texto, reflete sobre ele e reescreve em suas próprias palavras. Obs.: Os textos mais adequados para essa prática são histórias, contos, crônicas, romances, peça teatral, poemas (interpretação) piadas, fábulas e similares. (7ª/8ª).
  • 26. c) Usar resumos de obras (já existentes) e biografias dos respectivos autores - e repasso para que os alunos comentem em suas palavras o sentido (da obra e vida do autor). E remeter a visão crítica da obra para um significado de mundo atual. Ou ler com entonação os textos: resumo e biografia/ e fazer comentários críticos da obra. RECOMENDADO PARA 7ª A 8ª SÉRIE. II - O aluno como agente produtor de conhecimento É triste ver uma escola onde o aluno é visto apenas como agente reprodutor de conhecimentos e idéias. Como alguém que apenas interpreta o que os autores dizem; como se esses alunos não tivessem a possibilidade, a capacidade e direito de também ser co-auto, autor e ou produtor de conhecimento. Além de lhe comprometer a formação, implica-lhe também na questão cidadania. É lógico que você possa estar se perguntando o que esse fato tenha a ver com cidadania. Pois bem, procurarei responder nas possíveis palavras: É grande a possibilidade de que um indivíduo passivo e reprodutor nas páginas venha a se tornar passivo e reprodutor nos capítulos da realidade social que o cerca. E nesse sentido, Paulo Freire (2003, p. 13), estabelecendo essa relação palavra-mundo diz que a leitura do mundo precede a leitura da palavra. Ou seja, linguagem e realidade se prendem dinamicamente. “...ensinar não é transferir conhecimentos, mas criar as possibilidades para sua produção ou a sua construção.” (idem 1997) Aescola só constrói cidadãos quando estes não só reproduzam, mas também produza significados, interfira no(s) texto(s), crie, amplie e ressignifique à vida nos textos, transformando-os em contextos. “Subestimar os alunos em suas capacidades e habilidades é uma forma podar-lhes a chance de crescerem como sujeitos capazes”. Adilson Motta/2006.
  • 27. III - SEMINÁRIO DE LEITURA NA ESCOLA Profº Adilson Motta Dividir a sala em grupo de 5 alunos; cada grupo vai se encarregar de ler, interpretar e socializar as respostas com os demais grupos. Os grupos vão: a) Explicar o gênero e suas características e remetê-las no texto usando painel (papel madeira, cartolina etc.); b) Fazer paródia, dramatização ou desenvolver produção dentro do gênero proposto; c) Apresentam concurso de leitura dinâmica. Onde será avaliado: I- Tempo gasto para desenvolver a leitura, e quantas palavras lidas; II- A qualidade da leitura (presença de entonação, pontuação, etc) III- Comentando com as próprias palavras a história lida, recontando. Obs: Dou aos alunos o material de suporte necessário para desenvolverem o trabalho. Final de semana: convida a comunidade para assistir e presenciar os trabalhos dos alunos. 8ª série: só poemas Obs.: divide cada grupo em quatro grupos 7ª série: só cordel Para 2º Bimestre. Fazerem exposição de seus trabalhos. TRABALHANDO COM FILME (S) –novelas, peças teatrais, contos, etc Assiste até 70% de um filme e definir que os alunos dêem um final diferente. Quando terminarem a tarefa, assistiremos o restante para saber qual o real final que o autor deu ao filme. Em seguida, ver o final nos relatos de cada aluno. Isto é uma forma de instigar a criatividade.
  • 28. IV - PRÁTICA DE LEITURA EM SALA DE AULA “EU SOU CIDADÃO – AMIGO DA LEITURA” Não existe identidade melhor do que as palavras de uma pessoa. Seja quando ela fala num discurso livre de leitura ou presa à prática da leitura. Segundo Câmara JR. (1975, p.268-269), a entonação, a pronúncia, a escolha vocabular, a preferência por determinadas construções frasais, os mecanismos morfológicos que lhe são peculiares podem servir de índices que identifiquem: a) o país ou a região de que se origina; b) o grupo social de que faz parte (seu grau de instrução, sua faixa etária, seu nível socioeconômico, sua atividade profissional); c) a situação (formal ou informal) em que se encontra. Quando o homem fala ele revela:  Seu nível cultural e intelectual;  O grau de desenvolvimento e as deficiências do leitor. I – O professor dá 5 minutos para que os alunos façam uma leitura silenciosa para em seguidas chamar alguém para ler na frente com voz alta e entonação para todos. No final da leitura os alunos vão dar a nota do aluno leitor considerando:  O uso adequado das pontuações na leitura;  Dicção no momento da leitura e velocidade com adequação.  Bom desenvolvimento na leitura.  E colocações sobre o texto que vai ler como: -Nome do autor, -título, -comentário sobre o texto após a leitura. Observação: CADA ITEM CITADO IRÁ VALER 2,5 PONTOS. O LIVRO A SER ADOTADO POR EXCELÊNCIA: PORTUGUÊS NA PONTA DA LÍNGUA. Os alunos vão ser ao mesmo tempo: leitor e jurado. Ao término da leitura, o aluno vai: I- Dizer o título; II- Falar quem é o autor e alguns comentários sobre (o referido); III- Dizer a que gênero pertence o texto; IV- Comentários ou interpretação sobre o texto lido; V- Dá sua auto-avaliação; No final do processo o aluno vai receber o título de aluno nota 10 na classe pelo desempenho na leitura / Ou Título de Cidadão Leitor da Respectiva Sala.
  • 29. V- Interferindo na história e dando novo enfoque ou recontando em 3ª pessoa. Produção textual - através de reescrita, onde o aluno mudar o enredo da história e reconta-la em 1ª pessoa (como se ele estivesse contando para um colega. Obs.: Haverá alteração nos verbos. Pois antes estava em 3ª pessoa. Ex.: Texto do Moisés (aluno). VI-Dando um final diferente à história: Ler toda a história e interpretá-la. Enfocar o final e determinar que os alunos reescrevam-na dando um novo final. Isto irá atiçar a criatividade e dar a eles a oportunidade de também se sentirem autores ou co-autores. VII-CONCURSO DE PIADAS a) Ver conceito no livro didático para em seguida piadas exemplares. b) Determinar o concurso de piadas. As melhores vão para a produção da cartilha do projeto. Quem melhor contar com gestos, acenos, etc. Entregando trabalho escrito. VIII- JORNAL NA ESCOLA Trabalhar os textos jornalísticos e informativos.  Jornal escrito e  Televisivo (através de fantoches...)  Fazer exposição e mural das atividades. Veja esquema abaixo para o projeto de jornal na escola - onde é indispensável a participação do Grêmio Estudantil.
  • 30. Projeto: Jornal na Escola Nome do Jornal: Jornal Folha do Saber Promotores: Alunos da Escola Produção & Desenvolvimento: Será desenvolvido em interação entre as classes das diferentes séries. Colaboradores e Orientadores: Professores da Escola e Coordenação PARAUAPEBAS – 2011
  • 31. Jornal O Jornal é um dos veículos de comunicação mais importantes da atualidade. Comporta vários textos: literários, persuasivos ou informativos. Os textos literários aparecem nos cadernos de literatura, entretenimento ou mesmo no primeiro caderno; os persuasivos, ao longo de todo jornal e no caderno de classificados. Os textos informativos (notícias, reportagens) são a matéria-prima do jornal. PROPOSTA DE TRABALHO EM GRUPO Confecção de um jornal mural Etc... Textos que deverão compor o jornal: a) Notícia sobre um acontecimento nacional; b) Notícia sobre um acontecimento internacional; c) Reportagem sobre um acontecimento local; d) Texto literário (crônica); e) Texto persuasivo(propaganda, classificados); f) Tira, cartuns ou charges. O textos deverão ser organizados em uma folha de papel-metro, que será afixada na sala de aula. Não esquecer de dar um nome ao jornal. Jornal Mural --------------------------------------------- --------------------------------------------- -------------------------------------------- --------------- --------------- --------------- --------------- --------------- --------------- --------------- --------------- --------------- --------- ========== --------------------------------------------- --------------------------------------------- --------------------------------------------- --------------------------------------------- --------------------------------------------- --------------------------------------------- --------------------------------------------- --= ------------- ------------- ------------- ------------- ------------
  • 32. Estrutura de um Jornal: Capa: Resumo das principais notícias do Jornal Ex.: Informação cultural Florestas – espécies Desflorestamento e reflorestamento IBAMA- FUNÇÃO TELEFONE PARA DENÚNCIA População Indígena Espécies de animais da região Rios, lagos, etc Áreas de preservação ambiental - APA
  • 33. As notícias narradas, fotos e argumentos, entrevistas, etc. As notícias narradas, fotos e argumentos, entrevistas, etc. Diversão, Lazer, Turismo, Pessoas importantes, Casas comerciais (Bar do Nilson, etc Pessoas importantes Diversão, Lazer, Turismo, Pessoas importantes, Casas comerciais (Bar do Nilson, etc Pessoas importantes Povoado e Região O quer está sendo feito, Perspectivas, Projetos, Garotas na região Personagens importantes na região... Etc. Sessão - polícia, etc
  • 34. Painel Dicas de Saúde, Carta doleitor Piadas Poemas, etc Dica de trânsito Dicas para o consumidor Advertências Curiosidades, H´oróscopo SEÇÃO – CURIOSIDADES CULTURAIS -Você sabia... -curiosidades; -Arremeter as pesquisas escolares; -Todos os tipos de gêneros e textos exemplares com esclarecimento; - Espaço da opinião estudantil; - Propaganda; - Entrevista; - Mensagens; - Correio da escola; - Correio do Jornal da escola; PROPOSTA: EDIÇÃO MENSAL
  • 35. Universidade Estadual do Pará – UFPA Centro de Educação Ambiental de Parauapebas – CEAP Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais – IBAMA Prefeitura Municipal de Parauapebas – PMP Curso: Educação Ambiental e Cidadania Modulo IV Assunto: Relatório do Projeto Água na Vila Sansão. Autores: Deromildes Carvalho Rodrigues Jocineide Maria C. Costa Pinto Keylson Martins Silva. Parauapebas – Pará – Brasil 2008.
  • 36. Relatório No dia quinze, de setembro de dois mil e oito, demos inicio as aulas teóricas sobre nosso projeto a ser desenvolvido na escola que trabalhamos, sito E. M. E. F. Alegria do Saber, na zona Rural de Parauapebas, na localidade denominada de Vila Sansão, onde existe uma população aproximadamente 1.150 habitantes. A referida escola apoiou naquilo que nos foi possível, como televisão, vídeos, cópias, materiais didáticos, lanches e outros. Participaram do projeto água, alunos de TR, 5ª, 6ª 7ª e 8ª séries, educação infantil. O projeto foi desenvolvido pelo turno noturno, para que assim não houvesse perdas para quem queria participar. Explanação a professora Jocineide explicou o porquê desse projeto. A seguir o professor Keylson explicou sobre a agenda 21 na Eco 92 e a causa de sua criação . Outros temas como: Origem da água, fórmula da água, ciclo da água na natureza e seu estado físico. Foram divididos em partes pelos professores Jocineide, Keylson e Deromildes, onde cada um participou, elaborando, explicando e desenvolvendo atividades em grupos. Que foram as seguintes: O que você sabe?  De onde vem a água que sua família utiliza?  Qual a diferença entre a água do mar e a água dos rios e lagos?  Pense sobre os usos da água em seu dia-a-dia e responda. Que usos são mais importantes para você?  Há desperdícios ou falta de água na sua casa? Por que isso acontece?  Entreviste pessoas mais velhas e pergunte-lhes o motivo pelo qual se consome muito mais água do que há anos atrás. Convidamos como palestrante o professor Ednahilton que ministra aulas de ciências físicas e biológicas. Que falou sobre a água em nossas vidas, perigo no planeta água, consciência sobre a água na Vila Sansão. Para que os alunos não ficassem cansados demais com a palestra, colocamos um vídeo sobre o rio amazonas. Daí tiramos os cuidados que devemos ter com nossos mananciais. A seguir foi mostrados fotos e pesquisas de vários tipos de poços para captações de água, foi distribuídos cópias desse material com os participantes. A discussão da noite com os participantes. Distribuição da letra da música “Planeta água”. Onde foi discutido com cada equipe sobre varias formas em que se apresenta a água e também quando ela provoca o prejuízo. As equipes formadas pelos grupos foram selecionadas através de figuras geométricas como: quadrado, retângulo, triângulo, círculo, cone, cilindro, sendo cinco de cada figura e assim, sem haver escolha e sim por opção de figuras formou-se os grupos. Os grupos desenharam e colocaram no mural o que se relatou e explicou nas aulas teóricas e no ultimo momento que foi no dia dezenove do mesmo mês e ano. Deu-se inicio às aulas praticas do projeto água na nossa localidade Vila Sansão no dia vinte e dois de setembro de dois mil e oito, pelo turno matutino precisamente as oito e trinta horas, com os participantes da primeira etapa. O referido projeto se desenvolveu a partir de aulas teóricas e práticas, com a finalidade de conscientizar a comunidade local sobre a conservação da água para qualidade de vida das pessoas.
  • 37. Para realizar as pesquisas de campos, distribuímos para os participantes do curso materiais que facilitasse a percepção de que a água estava pura ou impura, onde pedimos que cada equipe trouxesse seu material como: Alface, vidro, gases, lâmina, para que assim se analisassem cada amostra de água coletada. A primeira pesquisa foi realizada no rio conhecido pela população como cebozinho com três coletas, porém em lugares diferentes para fazer análise e comparações, sendo que o mesmo encontra-se com um grande nível de poluição. A segunda visita aconteceu na cachoeira do Rio Azul (Odilon), onde alunos e professores fizeram coletas de lixo, pois a mesma é lugar de lazer. A terceira visita foi na caixa d”água e no poço que abastece a população de Vila Sansão, que não possui nenhum tipo de tratamento. A quarta visita foi na represa “Irmã Lidinalva e Cazuza e 5ª coleta na cachoeira do Paulão. Encerramos com exposições dos trabalhos feitos por cada equipe e experiências, cartazes, murais e fotos, filme com participação dos professores, Deromildes, Jocineide e Keylson. Esperamos com esse projeto nossos alunos e comunidade analise, faça uma reflexão e questione a importância e a valorização da água ao meio. Pois o homem, sendo ser inerentemente social, visto que se constitui a partir das ações conjugadas com outros homens, necessita de refletir e questionar a sociedade que habita, mas que nem sempre atua. A vida social repleta der relações contraditórias que muitas vezes são identidade de um ser. Assim foi importante nosso projeto para propiciar reflexão, discussão para aquisição de novas atitudes para a construção de uma comunidade melhor desenvolvida e oportunizar nossos alunos a construção da identidade campesina, com consciência e ações, sobre água de Vila Sansão.
  • 38. Encerramos com o tema  Os impactos sobre as águas.  Poluição ambiental. Característica da água na nossa localidade.  Poluição orgânica, física e química. O processo de poluição dos rios da Vila Sansão deve-se a quantidade de alimentos lançados nas águas, tipos de resíduos e dejetos agrícolas e especialmente os pecuários, a matéria fecal contém microorganismo patogênicos. Relatamos e explicamos o que pesquisamos em relação à Vila. Perguntamos aos participantes o que fazer? E como fazer? Ouvimos várias alternativas, eles falaram que não é só fato de conscientizar e sim de ação, começar agir logo de imediato, pois todos falam de conscientização é só quando vão querer descruzar os braços será quando não houver mais água? Foi uma semana bem proveitosa de ação e reflexão, chegamos ao final da primeira etapa. Aqui registramos nossa primeira semana em fotos e a seguir vieram as aulas práticas pelos rios, cachoeiras, represas e lagos da Vila Sansão. Este projeto ÁGUA EM VILA SANÇÃO foi desenvolvido por Jocineide, Keilson e Deromildes.
  • 39. Projeto Interdisciplinar de Resgate Sócio Histórico, Geográfico e Cultural de Povoados e Municípios Autor: Professor Adilson Motta Modelo usado para resgatar, além de pesquisas escritas já existentes o histórico e geografia e cultura nos municípios de Bom Jardim, Parauapebas e por último, no povoado Vila Sanção PROJETO INTERDISCIPLINAR Parauapebas, PA2012
  • 40. JUSTIFICATIVA Fazer integração entre as disciplinas de Português, História e Geografia, Arte e Matemática para desenvolverum trabalho interdisciplinar a fim de elaborar uma cartilha ou livro ilustrado (a) a partir das pesquisas e trabalhos dos alunos. Onde os mesmos serão os pesquisadores e criadores;a escola e comunidade (povoados e municípios), o espaço de pesquisa. A importância deste trabalho se contempla nos PCN (2000 p. 46-47): Os conteúdos dos temas transversais, assim comoas práticas pedagógicas organizadas em função da sua aprendizagem podem, contextualizar significativamente a aprendizagem da língua, fazendo com que o trabalho se reverta em produções de interesse do convívio, escolar e da comunidade.  Desenvolver um trabalho integrado e interdisciplinar da história, geografia e cultura do PovoadoVila Sanção.  Elaborar uma cartilha ou livro ilustrada/o a partir das pesquisas e trabalhos dos alunos.  Desenvolver o conhecimento, a valorização resgate e a divulgação da cultura local;  Identificar os costumes e tradições. FORMULAÇÃO DO PROBLEMA  O que vocês sabem sobre a cultura, as crenças e os rituais religiosos de nosso povoado, município?  E sobre as artes, festas, literatura (poemas, poesias, contos e causos, lendas e mitos?).  O que você conhece sobre a história e geografia do município ou povoado Vila Sanção? GEOGRAFIA & ESTUDOS AMAZÔNICOS -Descrição geográfica do povoado, -Mapa das ruas com pontos públicos. -Aspecto populacional de Vila Sansão -Distância para sede (Parauapebas), -Descrição da estrada,
  • 41. -Existe população indígena nas imediações do povoado? Qual? Quantos habitantes indígenas? E a cultura indígena? - Quantidade de casas e infra-estrutura (luz elétrica, água encanada). HISTÓRIA -Pesquisar aspectos históricos do povoado, -Primeiro morador, se mora aqui (e foto), e como foi... - 1º líder político - Atual líder político. - Religiões predominantes(1º líder) - Religiões Afro (macumba, umbanda e ou candomblé) - Conflitos agrários - Como foram os primeiros dias na história dopovoado? PORTUGUÊS Fazer um levantamento da literatura local (a literatura nasce da oralidade; o povo tem muitas histórias a contar através): - Lendas, - Contos de assombração / causos - Fábulas, - Cordel - Poemas (povo e alunos – escolha dos melhores) - Crendices populares - Provérbios - Crônicas (8ª séries) - Piadas CIÊNCIAS -Índice de analfabetismo pleno e funcional de Vila Sanção. -Quantos e quais os prédios públicos no povoado (mercado, posto de saúde, escolas). -Estrutura da escola. - Séries oferecidas. - Aspecto econômico (número de comércio, bares, etc). - Plantas nativas/ extrativismo da região - Animais e frutas da região - Rios e lagos.
  • 42. Desenvolver estudo sobre o meio ambiente do povoado (na localidade centro e adjacências) e comentar sobre os projetos existentes na região / Salobo e áreade preservação ambiental. ARTES Resgate ao folclore local, manifestações culturais, Pratos típicos da região. Costumes e tradições da região. Organizar cartazescom textos e fotos. Exposição de artesanatos da região. E Riquezas naturais Montar uma pequena peça teatral ou fazeruma apresentação de uma brincadeira folclórica/ danças típicas e festas tradicionais. MATEMÁTICA Digitação e elaboração de gráficos do resultado das pesquisas.
  • 43. ENTREVISTAS UTILIZADAS COMO RECURSOS NAS PESQUISAS QUESTIONÁRIO DE ENTREVISTA (Especialmente para antigos moradores /primeiros) 1- Qual seu nome completo? 1. Quando chegou aqui? De onde veio? 2. Porque saiu do lugar onde morava? E por que motivo escolheu morar aqui? 3. Já havia moradores na localidade onde é hoje Vila Sanção? 4. Comente sobre os primeiros dias no povoado Vila Sanção. 5. Como era o ambiente quando chegou? Fale alguma coisa sobre a vegetação e o solo da região. 6. Na área havia tribos, qual o nome e como era o relacionamento entre moradores e índios? 7. Na época que chegou havia demarcações de terras? Como aconteciam essas demarcações? 8. Você sabe se houve conflitos pelas terras na área? (Com o Nilson e Odilon) 9. Fale alguma coisa de como viviam, as dificuldades, como eram enfrentadas? 6. Você lembra se havia na área animais silvestres? Você conhecia algum. Fale alguma 1. Em que trabalhava? E como era esse trabalho? 2. O que era cultivado, como eram comercializados esses produtos? 3. Essa produção cobria as necessidades da família? 4. Que instrumento era usado, e qual a técnica praticada pelos trabalhadores na roça? 5. Além da agricultura havia outras atividades econômicas desenvolvidas na comunidade? Qual?
  • 44. coisa sobre esses assuntos. 7. Você tem conhecimento se haviam caçadores na área, eram moradores da localidade? E qual a finalidade dessas caças? 8. O que você sabe sobre os rios da região (Parauapebas e azul e outros)? Qual a sua utilidade para as famílias? 9. Você se lembra quais as espécies de peixes existentes nos riachos e rios da região? 10. E como era feita a pesca? Que instrumento utilizava? 11. Havia alguma igreja? Qual? 12. Em relação às festividades do ano, como no período do ano junino, fim do ano (natal), ano novo o que você fala sobre isso? 13. Havia escola? Onde funcionava? 14. O que você sabe sobre o comércio na comunidade, quais alimentos eram comprados? 15. Qual a sua lembrança sobre a estrada como era feita a comunicação entre povoado e localidades vizinhas? 16. Você se lembra como as pessoas faziam para se comunicarem 17-Você tem conhecimento da importância do extrativismo para as famílias no povoado? Quais os produtos extrativos da região? com os parentes distantes? 18- Haviam representantes de partido político no povoado? Quem eram? 19-Existia delegacia? Quem era o delegado
  • 45. Entrevista a ser realizada nas residências Nome:................................................................ Idade:................................. Quantos filhos?................... Idade por seqüência.................................................................... Profissão:........................................................... Se agricultor: Usa agro tóxicos? ( ) sim não ( ) Que tipo de produção? R:...................................................................................................... Tipo da casa: ( ) tábua ( ) taipa ( ) alvenaria =tijolo ( ) palha Tipo de cobertura da residência: ( ) telha ( ) palha ( ) laje Tipo de piso da residência: (cimento ( )cerâmica ( ) batido –no chão Possui: ( ) água encanada ( ) energia elétrica Possuifossa anti-séptica (vaso sanitário) ( ) sim ( ) não Em relação o lixo/ como é feita a coleta? ( ) queimado ( ) jogado ao ar livre ( ) enterrado Condições da moradia ( )próprio ( ) alugado ( ) financiado ( ) cedido Recebe benefícios do governo? Qual? ( ) bolsa escola ( ) PETI ( ) Aposentadoria Outro especificar:............................................................................................. Quando foi instalado a energia elétrica, água e telefones em vila Sanção? R:................................................................................................................................................ ................................................................................................................................................... ENTREVISTA COM (REPRESENTANTESE OU LÍDER POLÍTICO) DA REGIÃO. Entrevistado:......................................................... Idade................ 1- Comente sobre o processo de distribuição agrária no povoado Vila Sanção no princípio de sua história. 2- Qual a sua contribuição na formação do povoado Vila Sanção?
  • 46. DESCOBRINDO NOSSAS ORIGENS Para alunos e comunidade em geral responderem este questionário. Nome:......................................................... Idade............. Composição da população de Vila Sanção por Estados de origem. a) É descendente ou natural de qual Estado? ( ) Pará ( ) Maranhão Piauí ( ) Ceará ( ) Mato grosso ( ) Amazonas Outro/ Citar: ........................................................... Escola Alegria do Saber Público alvo:Professores e alunos (É uma forma de socialização de trabalho e experiências) Local do evento: Escola Alegria do Saber Data: Novembro
  • 47. IFEIRA CULTURAL – VILA SANÇÃO PROJETO – RIQUEZAS LITERÁRIAS OBJETIVO: Pretende-se comeste trabalho, fazer um resgate da literatura local contemplada no folclore do povoado Vila Sanção. Resgate Folclóricono Povoado Vila Sanção A palavra FOLCLORE é de origem inglesa sendo composta por FOLK: que quer dizer POVO eLORE: Que significa SABEDORIA. O conjunto de lendas, contos, mitos, crendices, cantiga, histórias, danças, festas, conhecimentos etc, que fazem partes da vida e da sabedoria de uns povos, conservados pela tradição popular, é chamado de folclore ou cultura popular. Quando estudamos o folclore de um povo, conhecemos seu modo de pensar, agir e sentir. Dentro do folclore está contemplando a literatura oral, mãe e origem da literatura letrada. O folclore é tido como uma verdadeira fonte para criar literatura. A literatura, seja local, regional, nacional ou a universal busca(-ra) nos relatos de casos, experiências, crendice, fábulas e contos populares subsídios e amparo para a construção da literatura letrada. É o que se observa na trajetória da literatura universal de William Shakeaspeare que muitas vezes baseava-se em lendas e estórias e histórias contadas oralmente para criar suas peças teatrais;e Charles Perrault, para escrever seus contos infantis e os irmãos Green que da mesma forma, resgataram estórias que entraram para a literatura universal e atravessaram séculos, encontrando-se até hoje vivas na memória universal de nossos jovens e adultos. Histórias como:Branca de Neve e os sete anões e muitas outras bastante conhecidas no mundo inteiro. É o que fizemos em Vila Sanção, resgatamos as estórias (contos, causos, poesias, piadas e anedotas) que só existiam na oralidade,sendo faladas pelo povo da localidade; e a partir de então, foi dado um corpo escrito, ou seja: saindo do oral e entrando para a literatura escrita.
  • 48. ESTRATÉGIAS DE APRESENTAÇÃO DO TRABALHO Após o resgate cultural, foi dado forma escrita aos contos, poemas, piadas e anedotas (pois estes encontravam-se apenas no nível oral) e traçamos as seguintes estratégias para a apresentação do projeto:  Treinamos a sistematização de apresentação do trabalho, possibilitando a estes, autonomiade apresentação para o dia da Feira Cultural.  Os diversos gêneros foram distribuídos entre grupos de alunos com definições conceituais seguidos dos respectivos textos que serão por eles apresentados.  Será espalhado na sala de “Riquezas Literárias” cartazes e painéiscom os textos produzidos e resgatados pelos alunos da escola. RECURSOS MATERIAIS Cartolina, fotografias, papel madeira, pesquisas realizadas pelos alunos sobminha orientação (Profº Adilson Motta). AVALIAÇÃO *Interação e participação dos alunosna apresentação e exposição do trabalho. * participação e apresentação ao público. PONTO DE OBSERVAÇÃO Analisar se o público alvo (comunidade em geral)assimilou as informações fornecidas na feira.
  • 49. ESPAÇO RESERVADO PARASISTEMATIZAÇÃO DO TRABALHO INTERDISCIPLINAR - RIQUEZAS LITERÁRIAS – MODELO EXEMPLAR. Registro do Seminário Interdisciplinar realizado em 06/12/2006 - que resultou na divulgação e exposição do 1º livro de Vila Sanção (Histórico, Geografia e Cultura). Todas as salas da escola Alegria do Saber foram contempladas com eixos temáticos abordados pelos alunos (sob a coordenação dos professores) em apresentação e exposição da cultura e arte local. Abertura do Seminário. Depoimentos de pioneiros. Uma das salas em apresentação Turma da Profª Cícera com peças teatrais e exposição de minérios. Professora Florisa com confecção e apresentação de artesanato. 06/12/2006 Alunos da Escola produzindo artesanato para apresentação em Seminário. Que resultou na elaboração de um livro histórico, geográfico e cultural da comunidade. Participação da Comunidade na apresentação do Seminário.
  • 50. Relatório de prática pedagógica desenvolvida pelos professores envolvidos no Projeto Interdisciplinar: História:Na disciplina de história elabora-se questionário inerente às informações que se deseja para que os alunos façam a pesquisa de campo, cujos resultados irão contribuir para construir o corpo textual dos relatos históricos do povoado ou município em estudo. E dados fotográficos. Português:Desenvolveu-se na disciplina de Língua Portuguesa o resgate do folclore local ou regional através de contos de assombração, causos, poemas e poesias produzidas pelos alunos, cujo processo de correção passou desenvolveu-se de modo coletivo em sala de aula com os alunos. Informática:O professor de informática engajou-se no Projeto Interdisciplinar fazendo com que os alunos digitassem os textos coletados e os produzidos por eles durante as aulas. Arte: A partir dos textos resgatados e produzidos na disciplina de Português, a professora (o) de arte encarregou os alunos de fazerem a representação através de desenhoscorrespondentes aos textos. Em resumo:os desenhos ou gravuras por eles desenvolvidos foram utilizados para ilustrar os textos contos/literários. Matemática:O professor de matemática, utilizando-se do resultado das pesquisas desenvolvidas pelos alunos (em outras disciplinas) e a partir dos dados coletados, trabalhou e ensinou gráficos aos alunos de 5ª série e a partir da aprendizagem, a construção dos gráficos com os dados da pesquisa. Estudos Amazônicos ou regionais:A disciplina de Estudos Amazônicos dividiu-se em duas partes (dois professores):  O primeiro ficou encarregado de desenvolver pesquisassobre o lixo, impacto ambiental, doenças causadas pelo lixo, importância da reciclagem do lixo e produção de artesanatos a partir do lixo reciclado.  Outro professor(a) ficou encarregado de trabalhar as riquezas naturais da região, fazendo coletas e pesquisas sobre os itens das riquezas naturais como: importância e valor econômico. E dados fotográficos. Religião: Na disciplina de religião são desenvolvidas pesquisasresgatando o histórico da religião no povoado (ou município), assim como dados fotográficos.
  • 51. PROJETO RECREIO NOTA 10 Objetivo: Tornar o momento da recreação um momento dinâmico de diversão e lazer na escola com culminância de apresentação semanal no pátio da escola em socialização com os demais colegas. Estratégia: no transcorrer do bimestre cada professor ficará encarregado de uma apresentação por turma dentro de uma abordagem livremente escolhida ou dentro dos conteúdos trabalhados (de preferência). E ficará responsável pela organização e apresentação dos trabalhos com seus alunos. Abordagem: Música, danças, peça teatral, apresentação de fantoches, recital de poesia, sarau cultural, exposição de arte da turma, pequenas amostras e experimentos, etc. =======================================================
  • 52. PROJETO: TEMAS TRANSVERSAIS TEMA: VIOLÊNCIA NÃO! DROGAS JAMAIS! APRESENTAÇÃO EM FORMA DE SEMINÁRIO JUSTIFICATIVA: É importante que os nossos jovens conheçam e percebam as causas e efeitos das drogas que estão inseridas no cotidiano de nossa comunidade. Considerando o exposto, propor desenvolver um trabalho de parceria para uma sociedade mais justa e respeitada. CONTEÚDO:  Textos informativos;  Poemas;  Músicas (paródia);  Dramatização  Cordel ORIENTAÇÃO DIDÁTICA:
  • 53.  Pesquisar os diferentes tipos de drogas presentes na sociedade. Fonte de pesquisa: escola (biblioteca) ou em internet.  Discutir proposta de ação das novas gerações sobre o uso das drogas e violência em nossa sociedade.  Elaborar um caderno de informações coletadas sobre o tema em discussões. Etapas previstas: Lançamento do projeto: .........../.........../................ Leitura dos textos............/............../....................... Dramatização de alguns............./.........../.............. Conclusão do projeto e culminância:.........../.........../........... CULMINÂNCIA  Seminário apresentado à comunidade, com o tema: Violência Não! Drogas Jamais! A comunidade de Vila Sanção, em Parauapebas vivia uma situação delicada de drogas e jovens se deixando envolver. No entanto, após a realização desse seminário, reduziu-se bastante o número de jovens drogados e as situações de risco na comunidade. As autoridades que participaram deste projeto deram mais atenção ao povoado.