SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
É a energia que determinado objeto ou partícula
eletrizado adquire quando colocado na presença de
                um campo elétrico.


                     K = 9.109 (constante do meio)
                     Q = Carga geradora do campo
                          q = carga de prova
                             d = distância
Para mover um corpo carregado em região de campo elétrico, é
preciso dar energia a esse corpo – ENERGIA POTENCIAL
ELÉTRICA!




                       Campo Elétrico
+       qq q q q q q q
    A      FF F F F F F F   B
                           
+       + ++++++
         +
+
É a capacidade que um corpo energizado tem de
 realizar trabalho, ou seja, atrair ou repelir outras cargas
                          elétricas.

É a medida associada ao nível de energia potencial de um
              ponto de um campo elétrico.

Ao tomarmos uma carga de prova q e a coloquemos em um
 ponto P de um campo elétrico. Ela adquire uma energia
  associada ao quanto pré-disposta ela está a entrar em
    movimento a partir unicamente do campo que está
                 interagindo com ela.
A    Catodo

B   Revestimento
      condutivo        Feixe de
                   E
                       elétrons
C    Ânodo
                        Máscara
     Tela de       F   de sombra
D    fósforo
Na situação mostrada , vimos que uma carga
   positiva tende a se deslocar para a direita .
Neste caso , o Trabalho ( e a DDP ) são positivos:
                       logo,

                    V VA       B



      A        q                   B
 +                 F       d
                                  
 +             +
 +
A carga              tende a se deslocar dos
pontos de          para os de       potencial



                   V VA     B


     +          qq q q q q q q
            A      FF F F F F F F   B
                                   
     +          + ++++++
                 +
     +
A carga        tende a se deslocar dos
  pontos de    para o      potencial




              V VB        A


         A           -q -q-q-q-q
                      -q       -q   B
     +        FF F F F FF
                                   
     +               -- - - - --
     +
Q
    A       q               B
                        F
+           +



                k   Q
                    0

        V
                    d
Q
                P
    d
+

        k   Q
            0

    V
            d
V = Potencial
Epe = Energia Potencial Elétrica
 K = 9.109 (constante do meio)
Q = Carga geradora do campo
      q = carga de prova
         d = distância
Chama-se assim a diferença entre o potencial elétrico de dois
pontos do espaço. Dizemos que a diferença de potencial é que
promove a movimentação de cargas elétricas no espaço.




São fontes de diferença de potencial: pilhas, baterias, etc.
 Uma voltagem comum de 110v significa que para
cada 1C de carga que atravessar os terminais da
tomada serão entregues 110J de Energia


 A DDP independe do caminho escolhido para
ir de A até B (a força elétrica é conservativa )



         A                             B
    +
                                     
    +
    +
É fácil mostrar que , num campo uniforme a
voltagem é dada por :




           +   A            B-
           +                 -
           +                 -
                             -
           +
           +        E        -


                    d
Observe :   V        12V
                               AB

            V A V B 12V         V A V B 12V
+
    A                B-
                      -
                                13   = 1 + 12V
+
+                     -
                      -
+
+                     -         32   = 20 + 12V
                                67   = 55 + 12V
                                12   = 0 + 12V

        +        -
        Bateria12V
O              é uma                        . No caso de haver
 várias cargas, basta somar o potencial estabelecido por cada
                       uma no ponto P.
      O sinal de cada carga DEVE SER usado na fórmula.

                             P




                   d1       d2      d3


          +                                   +
          Q1
                             -                Q3

                             Q2
Potencial elétrico
Potencial elétrico

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 11 associação de resistores
Aula 11   associação de resistoresAula 11   associação de resistores
Aula 11 associação de resistores
Montenegro Física
 
Energia Mecanica
Energia MecanicaEnergia Mecanica
Energia Mecanica
andrezaocom
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
fisicaatual
 
Trabalho e Energia
Trabalho e Energia Trabalho e Energia
Trabalho e Energia
fisicaatual
 

Mais procurados (20)

Potencial Elétrico - Conteúdo vinculado ao blog http://fisicanoenem.blog...
Potencial Elétrico - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisicanoenem.blog...Potencial Elétrico - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisicanoenem.blog...
Potencial Elétrico - Conteúdo vinculado ao blog http://fisicanoenem.blog...
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Aula 11 associação de resistores
Aula 11   associação de resistoresAula 11   associação de resistores
Aula 11 associação de resistores
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Leis de ohm
Leis de ohmLeis de ohm
Leis de ohm
 
corrente eletrica
corrente eletricacorrente eletrica
corrente eletrica
 
Corrente elétrica Fisica
Corrente elétrica FisicaCorrente elétrica Fisica
Corrente elétrica Fisica
 
Lei de coulomb
Lei de coulombLei de coulomb
Lei de coulomb
 
Energia Mecanica
Energia MecanicaEnergia Mecanica
Energia Mecanica
 
Campo eletrico
Campo eletricoCampo eletrico
Campo eletrico
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Resistores
ResistoresResistores
Resistores
 
Força elétrica
Força elétricaForça elétrica
Força elétrica
 
Slides eletrostatica
Slides eletrostaticaSlides eletrostatica
Slides eletrostatica
 
Processos de eletrização
Processos de eletrizaçãoProcessos de eletrização
Processos de eletrização
 
Potencia e energia eletrica
Potencia  e   energia eletricaPotencia  e   energia eletrica
Potencia e energia eletrica
 
Eletrodinâmica
EletrodinâmicaEletrodinâmica
Eletrodinâmica
 
Trabalho e Energia
Trabalho e Energia Trabalho e Energia
Trabalho e Energia
 

Destaque

Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
fisicaatual
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
fisicaatual
 
Aula potencial elet
Aula potencial eletAula potencial elet
Aula potencial elet
EuclidesPiR2
 
Circuito - Nicole, Cury, Roberta, Sophia
Circuito - Nicole, Cury, Roberta, SophiaCircuito - Nicole, Cury, Roberta, Sophia
Circuito - Nicole, Cury, Roberta, Sophia
Escola Santi
 
Voltimetros 2
Voltimetros 2Voltimetros 2
Voltimetros 2
rseclen_b
 
Corrente Resistores
Corrente ResistoresCorrente Resistores
Corrente Resistores
bruninhablc
 
Condutores eletricos
Condutores eletricosCondutores eletricos
Condutores eletricos
isl07
 

Destaque (19)

Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
 
3° ano(potencial elétrico) física
3° ano(potencial elétrico) física3° ano(potencial elétrico) física
3° ano(potencial elétrico) física
 
Trabalho de física - potencial elétrico
Trabalho de física - potencial elétricoTrabalho de física - potencial elétrico
Trabalho de física - potencial elétrico
 
Aula potencial elet
Aula potencial eletAula potencial elet
Aula potencial elet
 
Unidade ii física 13
Unidade ii física 13Unidade ii física 13
Unidade ii física 13
 
Circuito - Nicole, Cury, Roberta, Sophia
Circuito - Nicole, Cury, Roberta, SophiaCircuito - Nicole, Cury, Roberta, Sophia
Circuito - Nicole, Cury, Roberta, Sophia
 
Voltimetros 2
Voltimetros 2Voltimetros 2
Voltimetros 2
 
Cargas puntiformes lei de coulomb
Cargas puntiformes   lei de coulombCargas puntiformes   lei de coulomb
Cargas puntiformes lei de coulomb
 
ELETRICIDADE BÁSICA - POTÊNCIA ELÉTRICA
ELETRICIDADE BÁSICA - POTÊNCIA ELÉTRICAELETRICIDADE BÁSICA - POTÊNCIA ELÉTRICA
ELETRICIDADE BÁSICA - POTÊNCIA ELÉTRICA
 
Fisica experimental 2
Fisica experimental  2Fisica experimental  2
Fisica experimental 2
 
trabalho sobre isolantes elétricos
trabalho sobre isolantes elétricostrabalho sobre isolantes elétricos
trabalho sobre isolantes elétricos
 
Voltímetro
VoltímetroVoltímetro
Voltímetro
 
Trabalho e potência
Trabalho e potênciaTrabalho e potência
Trabalho e potência
 
Energia e Potência Eléctrica
Energia e Potência EléctricaEnergia e Potência Eléctrica
Energia e Potência Eléctrica
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
 
Corrente Resistores
Corrente ResistoresCorrente Resistores
Corrente Resistores
 
07 potencia elétrica
07  potencia elétrica07  potencia elétrica
07 potencia elétrica
 
Condutores eletricos
Condutores eletricosCondutores eletricos
Condutores eletricos
 

Semelhante a Potencial elétrico

Eletrostatica campo
Eletrostatica campoEletrostatica campo
Eletrostatica campo
con_seguir
 
Eletrostatica aula sonorizadas
Eletrostatica   aula  sonorizadasEletrostatica   aula  sonorizadas
Eletrostatica aula sonorizadas
Adriano Capilupe
 

Semelhante a Potencial elétrico (20)

asdecaDDP.ppt
asdecaDDP.pptasdecaDDP.ppt
asdecaDDP.ppt
 
Eletrostatica campo
Eletrostatica campoEletrostatica campo
Eletrostatica campo
 
Campo eletrico 3ano 2011
Campo eletrico 3ano 2011Campo eletrico 3ano 2011
Campo eletrico 3ano 2011
 
Eletrostatica parte 2
Eletrostatica parte 2Eletrostatica parte 2
Eletrostatica parte 2
 
Campo elétrico 2016
Campo elétrico 2016Campo elétrico 2016
Campo elétrico 2016
 
Revisao
RevisaoRevisao
Revisao
 
Campo elétrico.pdf
Campo elétrico.pdfCampo elétrico.pdf
Campo elétrico.pdf
 
Revisao
RevisaoRevisao
Revisao
 
potencial elétrico.
potencial elétrico.potencial elétrico.
potencial elétrico.
 
AUDEF
AUDEFAUDEF
AUDEF
 
1234528
12345281234528
1234528
 
Capacitores
CapacitoresCapacitores
Capacitores
 
Trabalho e força
Trabalho e forçaTrabalho e força
Trabalho e força
 
Fórmulas de Eletrostática
Fórmulas de EletrostáticaFórmulas de Eletrostática
Fórmulas de Eletrostática
 
Campo Elétrico - Conteúdo vinculado ao blog http://fisicanoenem.blogspot...
Campo Elétrico - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisicanoenem.blogspot...Campo Elétrico - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisicanoenem.blogspot...
Campo Elétrico - Conteúdo vinculado ao blog http://fisicanoenem.blogspot...
 
eletrosttica.pptxccccccccccccccccccccccc
eletrosttica.pptxccccccccccccccccccccccceletrosttica.pptxccccccccccccccccccccccc
eletrosttica.pptxccccccccccccccccccccccc
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Eletrostatica aula sonorizadas
Eletrostatica   aula  sonorizadasEletrostatica   aula  sonorizadas
Eletrostatica aula sonorizadas
 
Sa1 eo-14-15
Sa1 eo-14-15Sa1 eo-14-15
Sa1 eo-14-15
 

Mais de Wellington Sampaio

Lista 1 termometria - dilatação
Lista 1   termometria - dilataçãoLista 1   termometria - dilatação
Lista 1 termometria - dilatação
Wellington Sampaio
 
Lista de exercícios 8° ano 2° sem
Lista de exercícios 8° ano 2° semLista de exercícios 8° ano 2° sem
Lista de exercícios 8° ano 2° sem
Wellington Sampaio
 
Para Sara, Raquel, Lia e para todas as crianças
Para Sara, Raquel, Lia e para todas as criançasPara Sara, Raquel, Lia e para todas as crianças
Para Sara, Raquel, Lia e para todas as crianças
Wellington Sampaio
 
Mecânica e termometria 8° ano
Mecânica e termometria 8° anoMecânica e termometria 8° ano
Mecânica e termometria 8° ano
Wellington Sampaio
 

Mais de Wellington Sampaio (20)

Cartilha Inércia e a Primeira Lei de Newton
Cartilha Inércia e a Primeira Lei de NewtonCartilha Inércia e a Primeira Lei de Newton
Cartilha Inércia e a Primeira Lei de Newton
 
Astrobiologia
AstrobiologiaAstrobiologia
Astrobiologia
 
Nos ombros dos gigantes mágicos
Nos ombros dos gigantes mágicosNos ombros dos gigantes mágicos
Nos ombros dos gigantes mágicos
 
Via Láctea
Via LácteaVia Láctea
Via Láctea
 
Almanaque socioambiental 2008
Almanaque socioambiental 2008Almanaque socioambiental 2008
Almanaque socioambiental 2008
 
Lista 1 termometria - dilatação
Lista 1   termometria - dilataçãoLista 1   termometria - dilatação
Lista 1 termometria - dilatação
 
Fenômenos Ondulatórios
Fenômenos OndulatóriosFenômenos Ondulatórios
Fenômenos Ondulatórios
 
Espelhos
EspelhosEspelhos
Espelhos
 
Óptica da Visão e Lentes
Óptica da Visão e LentesÓptica da Visão e Lentes
Óptica da Visão e Lentes
 
Fenômenos Ópticos
Fenômenos ÓpticosFenômenos Ópticos
Fenômenos Ópticos
 
Exercícios 8° ano REC
Exercícios 8° ano RECExercícios 8° ano REC
Exercícios 8° ano REC
 
Mudança de fase
Mudança de faseMudança de fase
Mudança de fase
 
Lista de Exercícios
Lista de ExercíciosLista de Exercícios
Lista de Exercícios
 
Lista de exercícios 8° ano 2° sem
Lista de exercícios 8° ano 2° semLista de exercícios 8° ano 2° sem
Lista de exercícios 8° ano 2° sem
 
Sociedade de consumo
Sociedade de consumoSociedade de consumo
Sociedade de consumo
 
Circuitos elétricos
Circuitos elétricosCircuitos elétricos
Circuitos elétricos
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Para Sara, Raquel, Lia e para todas as crianças
Para Sara, Raquel, Lia e para todas as criançasPara Sara, Raquel, Lia e para todas as crianças
Para Sara, Raquel, Lia e para todas as crianças
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 
Mecânica e termometria 8° ano
Mecânica e termometria 8° anoMecânica e termometria 8° ano
Mecânica e termometria 8° ano
 

Último

Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 

Último (20)

"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 

Potencial elétrico

  • 1.
  • 2.
  • 3. É a energia que determinado objeto ou partícula eletrizado adquire quando colocado na presença de um campo elétrico. K = 9.109 (constante do meio) Q = Carga geradora do campo q = carga de prova d = distância
  • 4. Para mover um corpo carregado em região de campo elétrico, é preciso dar energia a esse corpo – ENERGIA POTENCIAL ELÉTRICA! Campo Elétrico
  • 5. + qq q q q q q q A FF F F F F F F B   + + ++++++ + +
  • 6. É a capacidade que um corpo energizado tem de realizar trabalho, ou seja, atrair ou repelir outras cargas elétricas. É a medida associada ao nível de energia potencial de um ponto de um campo elétrico. Ao tomarmos uma carga de prova q e a coloquemos em um ponto P de um campo elétrico. Ela adquire uma energia associada ao quanto pré-disposta ela está a entrar em movimento a partir unicamente do campo que está interagindo com ela.
  • 7.
  • 8. A Catodo B Revestimento condutivo Feixe de E elétrons C Ânodo Máscara Tela de F de sombra D fósforo
  • 9.
  • 10. Na situação mostrada , vimos que uma carga positiva tende a se deslocar para a direita . Neste caso , o Trabalho ( e a DDP ) são positivos: logo, V VA B A q B + F d   + + +
  • 11. A carga tende a se deslocar dos pontos de para os de potencial V VA B + qq q q q q q q A FF F F F F F F B   + + ++++++ + +
  • 12. A carga tende a se deslocar dos pontos de para o potencial V VB A A -q -q-q-q-q -q -q B + FF F F F FF   + -- - - - -- +
  • 13. Q A q B F + + k Q 0 V d
  • 14. Q P d + k Q 0 V d
  • 15. V = Potencial Epe = Energia Potencial Elétrica K = 9.109 (constante do meio) Q = Carga geradora do campo q = carga de prova d = distância
  • 16. Chama-se assim a diferença entre o potencial elétrico de dois pontos do espaço. Dizemos que a diferença de potencial é que promove a movimentação de cargas elétricas no espaço. São fontes de diferença de potencial: pilhas, baterias, etc.
  • 17.  Uma voltagem comum de 110v significa que para cada 1C de carga que atravessar os terminais da tomada serão entregues 110J de Energia  A DDP independe do caminho escolhido para ir de A até B (a força elétrica é conservativa ) A B +   + +
  • 18. É fácil mostrar que , num campo uniforme a voltagem é dada por : + A B- + - + - - + + E - d
  • 19. Observe : V 12V AB V A V B 12V V A V B 12V + A B- - 13 = 1 + 12V + + - - + + - 32 = 20 + 12V 67 = 55 + 12V 12 = 0 + 12V + - Bateria12V
  • 20. O é uma . No caso de haver várias cargas, basta somar o potencial estabelecido por cada uma no ponto P. O sinal de cada carga DEVE SER usado na fórmula. P d1 d2 d3 + + Q1 - Q3 Q2