SlideShare uma empresa Scribd logo
Filosofia e ÉticaPensamentos  Filosóficos Medieval
 Introdução
 Pensamento Filosófico Medieval
 Antonieta ( I d.c. - VII d.c.)
 Mal ( VIII d.c. - XIV d.c.)
 Renascença ( XIV d.c. - XVI d.c.)
Influencias Filosóficas
 Filosofia Cristã
  A igreja
 Patrística
 Santo Agostinho Hipone (354-439 d. c.)
Escolástica
 São Thomás  Aquino (1224-1274  d. c.)
 Breve resumo da idade media
 Antiga
 Clássica
 Tardia  Pensamento Filosóficos MedievalDurante um certo tempo, no final da Idade Antiga e início da Idade Média baixa, a Igreja oferecia uma certa resistência ao ensino e propagação da filosofia grega por achá-la herética. Porém, com a difusão das obras de Platão e Aristóteles, não foi mais possível ignorar a herança intelectual grega. A partir da aceitação da cultura pagã (filosofia), o ensino na Idade Média passou a contar com temas vinculados do saber profano à teologia sustentada na autoridade da revelação.
 Antonieta ( I d.c. - VII d.c.)É um períodoque se caracterizapeloresultado dos esforços dos apóstolos (João e Paulo) e dos primeiros Padres daIgrejaparaconciliar a nova religião com o pensamentofilosóficomaiscorrentedaépoca entre osgregos e osromanos. Não obstante, tomoucomotarefa a defesadafécristã, frente as diversascríticasadvindas de valoresteóricos e morais dos “antigos”.
 Mal ( VIII d.c. - XIV d.c.)Período bastanteinfluenciadopelopensamentosocrático e platônico (conhecidoaquicomoneoplatonismo, vindodafilosofia de Plotino). Ocupou-se emdiscutir e problematizarQuestõesUniversais. É nesseperíodoque o pensamentocristão firma-se como "FilosofiaCristã", quemaistarde se tornateologia.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula de filosofia antiga, tema: Santo Agostinho de Hipona
Aula de filosofia antiga, tema: Santo Agostinho de HiponaAula de filosofia antiga, tema: Santo Agostinho de Hipona
Aula de filosofia antiga, tema: Santo Agostinho de Hipona
Leandro Nazareth Souto
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: SofistasAula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Leandro Nazareth Souto
 
Sócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e AristótelesSócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e Aristóteles
Bruno Carrasco
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
Janimara
 
Aula 06 filosofia escolástica
Aula 06   filosofia escolásticaAula 06   filosofia escolástica
Aula 06 filosofia escolástica
Elizeu Nascimento Silva
 
Platão e Aristóteles
Platão e AristótelesPlatão e Aristóteles
Platão e Aristóteles
Tércio De Santana
 
Racionalismo x Empirismo
Racionalismo x EmpirismoRacionalismo x Empirismo
Racionalismo x Empirismo
Leonardo Leitão
 
Filosofia medieval slide
Filosofia medieval slideFilosofia medieval slide
Filosofia medieval slide
Alexandre Misturini
 
O que é Filosofia?
O que é Filosofia?O que é Filosofia?
O que é Filosofia?
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Teoria do conhecimento
Teoria do conhecimentoTeoria do conhecimento
Teoria do conhecimento
Estude Mais
 
O surgimento da filosofia
O surgimento da filosofiaO surgimento da filosofia
O surgimento da filosofia
Alison Nunes
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
Erica Frau
 
O que é conhecimento - filosofia
O que é conhecimento - filosofiaO que é conhecimento - filosofia
O que é conhecimento - filosofia
Marcelo Avila
 
Período helenístico
Período helenísticoPeríodo helenístico
Período helenístico
Juliana Corvino de Araújo
 
Racionalismo e Empirismo
Racionalismo e EmpirismoRacionalismo e Empirismo
Racionalismo e Empirismo
lipexleal
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
José Aristides Silva Gamito
 
Platão
PlatãoPlatão
Kant
KantKant
Filosofia clássica
Filosofia clássicaFilosofia clássica
Filosofia clássica
Helena Morita
 
A filosofia iluminista
A filosofia iluministaA filosofia iluminista
A filosofia iluminista
Jonathan Leite Alves Santos
 

Mais procurados (20)

Aula de filosofia antiga, tema: Santo Agostinho de Hipona
Aula de filosofia antiga, tema: Santo Agostinho de HiponaAula de filosofia antiga, tema: Santo Agostinho de Hipona
Aula de filosofia antiga, tema: Santo Agostinho de Hipona
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: SofistasAula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
 
Sócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e AristótelesSócrates, Platão e Aristóteles
Sócrates, Platão e Aristóteles
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
Aula 06 filosofia escolástica
Aula 06   filosofia escolásticaAula 06   filosofia escolástica
Aula 06 filosofia escolástica
 
Platão e Aristóteles
Platão e AristótelesPlatão e Aristóteles
Platão e Aristóteles
 
Racionalismo x Empirismo
Racionalismo x EmpirismoRacionalismo x Empirismo
Racionalismo x Empirismo
 
Filosofia medieval slide
Filosofia medieval slideFilosofia medieval slide
Filosofia medieval slide
 
O que é Filosofia?
O que é Filosofia?O que é Filosofia?
O que é Filosofia?
 
Teoria do conhecimento
Teoria do conhecimentoTeoria do conhecimento
Teoria do conhecimento
 
O surgimento da filosofia
O surgimento da filosofiaO surgimento da filosofia
O surgimento da filosofia
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
 
O que é conhecimento - filosofia
O que é conhecimento - filosofiaO que é conhecimento - filosofia
O que é conhecimento - filosofia
 
Período helenístico
Período helenísticoPeríodo helenístico
Período helenístico
 
Racionalismo e Empirismo
Racionalismo e EmpirismoRacionalismo e Empirismo
Racionalismo e Empirismo
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Platão
PlatãoPlatão
Platão
 
Kant
KantKant
Kant
 
Filosofia clássica
Filosofia clássicaFilosofia clássica
Filosofia clássica
 
A filosofia iluminista
A filosofia iluministaA filosofia iluminista
A filosofia iluminista
 

Destaque

Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
Alexandre Misturini
 
ComparaçãO Entre A Vida Medieval E A Renascentista 2
ComparaçãO Entre A Vida Medieval E A Renascentista 2ComparaçãO Entre A Vida Medieval E A Renascentista 2
ComparaçãO Entre A Vida Medieval E A Renascentista 2
Sílvia Mendonça
 
Filosofia: pós socráticos, cristianismo e idade Média
Filosofia: pós socráticos, cristianismo e idade MédiaFilosofia: pós socráticos, cristianismo e idade Média
Filosofia: pós socráticos, cristianismo e idade Média
Luci Bonini
 
A ética na idade media
A ética na idade mediaA ética na idade media
A ética na idade media
Harrison Sodre Melônio
 
Recrutamento e Seleção da Maia LTDA.
Recrutamento e Seleção da Maia LTDA.Recrutamento e Seleção da Maia LTDA.
Recrutamento e Seleção da Maia LTDA.
Marco Coghi
 
O mito da caverna
O mito da cavernaO mito da caverna
O mito da caverna
Claus Jensen
 
ansmaniotto
ansmaniottoansmaniotto
ansmaniotto
Marco Coghi
 
Valores na antiguidade, na idade média e na atualidade
Valores na antiguidade, na idade média e na atualidadeValores na antiguidade, na idade média e na atualidade
Valores na antiguidade, na idade média e na atualidade
antoniopedropinheiro
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Texto alegoria da caverna
Texto alegoria da cavernaTexto alegoria da caverna
Texto alegoria da caverna
Pedro Almeida
 
Aristóteles e sua relação com o direito.
Aristóteles e sua relação com o direito.Aristóteles e sua relação com o direito.
Aristóteles e sua relação com o direito.
André Marques
 
Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Trabalho de filosofia - Francine, Allana, Matheus Ferraz, João Victor 1°V1
Trabalho de filosofia - Francine, Allana, Matheus Ferraz, João Victor 1°V1Trabalho de filosofia - Francine, Allana, Matheus Ferraz, João Victor 1°V1
Trabalho de filosofia - Francine, Allana, Matheus Ferraz, João Victor 1°V1
Filosofia
 
O bem e o mal
O bem e o malO bem e o mal
O bem e o mal
Ponte de Luz ASEC
 
Filósofos pré socráticos
Filósofos pré socráticosFilósofos pré socráticos
Introdução ao pensamento filosófico karl jaspers
Introdução ao pensamento filosófico   karl jaspersIntrodução ao pensamento filosófico   karl jaspers
Introdução ao pensamento filosófico karl jaspers
Funvic - Fundação de Ensino de Mococa
 
Ética: Ciência prática de uma teoria das virtudes. Excerto do livro "redescob...
Ética: Ciência prática de uma teoria das virtudes. Excerto do livro "redescob...Ética: Ciência prática de uma teoria das virtudes. Excerto do livro "redescob...
Ética: Ciência prática de uma teoria das virtudes. Excerto do livro "redescob...
Monika Picanço
 
1º anos (filosofia) Capitulo III Os Mitos
1º anos (filosofia) Capitulo III  Os Mitos1º anos (filosofia) Capitulo III  Os Mitos
1º anos (filosofia) Capitulo III Os Mitos
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Existencialismo - Terceiro Ano
Existencialismo - Terceiro AnoExistencialismo - Terceiro Ano
Existencialismo - Terceiro Ano
Victor França
 
Dialética e idealismo
Dialética e idealismoDialética e idealismo
Dialética e idealismo
Colégio Tiradentes III
 

Destaque (20)

Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
ComparaçãO Entre A Vida Medieval E A Renascentista 2
ComparaçãO Entre A Vida Medieval E A Renascentista 2ComparaçãO Entre A Vida Medieval E A Renascentista 2
ComparaçãO Entre A Vida Medieval E A Renascentista 2
 
Filosofia: pós socráticos, cristianismo e idade Média
Filosofia: pós socráticos, cristianismo e idade MédiaFilosofia: pós socráticos, cristianismo e idade Média
Filosofia: pós socráticos, cristianismo e idade Média
 
A ética na idade media
A ética na idade mediaA ética na idade media
A ética na idade media
 
Recrutamento e Seleção da Maia LTDA.
Recrutamento e Seleção da Maia LTDA.Recrutamento e Seleção da Maia LTDA.
Recrutamento e Seleção da Maia LTDA.
 
O mito da caverna
O mito da cavernaO mito da caverna
O mito da caverna
 
ansmaniotto
ansmaniottoansmaniotto
ansmaniotto
 
Valores na antiguidade, na idade média e na atualidade
Valores na antiguidade, na idade média e na atualidadeValores na antiguidade, na idade média e na atualidade
Valores na antiguidade, na idade média e na atualidade
 
Aula 5
Aula 5Aula 5
Aula 5
 
Texto alegoria da caverna
Texto alegoria da cavernaTexto alegoria da caverna
Texto alegoria da caverna
 
Aristóteles e sua relação com o direito.
Aristóteles e sua relação com o direito.Aristóteles e sua relação com o direito.
Aristóteles e sua relação com o direito.
 
Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.
Filosofia Moderna - Prof.Altair Aguilar.
 
Trabalho de filosofia - Francine, Allana, Matheus Ferraz, João Victor 1°V1
Trabalho de filosofia - Francine, Allana, Matheus Ferraz, João Victor 1°V1Trabalho de filosofia - Francine, Allana, Matheus Ferraz, João Victor 1°V1
Trabalho de filosofia - Francine, Allana, Matheus Ferraz, João Victor 1°V1
 
O bem e o mal
O bem e o malO bem e o mal
O bem e o mal
 
Filósofos pré socráticos
Filósofos pré socráticosFilósofos pré socráticos
Filósofos pré socráticos
 
Introdução ao pensamento filosófico karl jaspers
Introdução ao pensamento filosófico   karl jaspersIntrodução ao pensamento filosófico   karl jaspers
Introdução ao pensamento filosófico karl jaspers
 
Ética: Ciência prática de uma teoria das virtudes. Excerto do livro "redescob...
Ética: Ciência prática de uma teoria das virtudes. Excerto do livro "redescob...Ética: Ciência prática de uma teoria das virtudes. Excerto do livro "redescob...
Ética: Ciência prática de uma teoria das virtudes. Excerto do livro "redescob...
 
1º anos (filosofia) Capitulo III Os Mitos
1º anos (filosofia) Capitulo III  Os Mitos1º anos (filosofia) Capitulo III  Os Mitos
1º anos (filosofia) Capitulo III Os Mitos
 
Existencialismo - Terceiro Ano
Existencialismo - Terceiro AnoExistencialismo - Terceiro Ano
Existencialismo - Terceiro Ano
 
Dialética e idealismo
Dialética e idealismoDialética e idealismo
Dialética e idealismo
 

Semelhante a Pensamentos filosóficos medieval

Universidade de cuiab3
Universidade de cuiab3Universidade de cuiab3
Universidade de cuiab3
ostozao
 
05 a 08 aula períodos da historia da filosofia ocidental
05 a 08 aula   períodos da historia da filosofia ocidental05 a 08 aula   períodos da historia da filosofia ocidental
05 a 08 aula períodos da historia da filosofia ocidental
Mara Rodrigues Pires
 
1ª série filosofia medieval-
1ª série   filosofia medieval-1ª série   filosofia medieval-
1ª série filosofia medieval-
Jorge Marcos Oliveira
 
1ª série filosofia medieval-
1ª série   filosofia medieval-1ª série   filosofia medieval-
1ª série filosofia medieval-
Jorge Marcos Oliveira
 
Filosofia - Patristica
Filosofia - PatristicaFilosofia - Patristica
Filosofia - Patristica
André Raqjr
 
Introducao ao estudo_da_psicologia
Introducao ao estudo_da_psicologiaIntroducao ao estudo_da_psicologia
Introducao ao estudo_da_psicologia
Ailton Adriano
 
Filosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tpFilosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tp
Alexandre Misturini
 
A filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedrais
A filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedraisA filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedrais
A filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedrais
Brigitte Guminiak
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
Agostinhofilho
 
Filosofiamedieval 130322112129-phpapp02
Filosofiamedieval 130322112129-phpapp02Filosofiamedieval 130322112129-phpapp02
Filosofiamedieval 130322112129-phpapp02
Thais Madureira
 
Revisão Geral da História da Filosofia
Revisão Geral da História da FilosofiaRevisão Geral da História da Filosofia
Revisão Geral da História da Filosofia
Alan
 
Filosofia na-idade-média giorgia 23m
Filosofia na-idade-média giorgia 23mFilosofia na-idade-média giorgia 23m
Filosofia na-idade-média giorgia 23m
Alexandre Misturini
 
4 bimestre filosofia medieval
4 bimestre   filosofia medieval4 bimestre   filosofia medieval
4 bimestre filosofia medieval
Péricles Penuel
 
Gustavo 23 filo
Gustavo 23 filoGustavo 23 filo
Gustavo 23 filo
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
Alexandre Misturini
 
Filosofia medieval raiana 27 np
Filosofia medieval raiana 27 npFilosofia medieval raiana 27 np
Filosofia medieval raiana 27 np
Alexandre Misturini
 
O suicídio ótica tomista/kotora
O suicídio ótica tomista/kotoraO suicídio ótica tomista/kotora
O suicídio ótica tomista/kotora
PequenoTigre
 
[Resumex Já Entendi] Filosofia Idade Média
[Resumex Já Entendi] Filosofia Idade Média[Resumex Já Entendi] Filosofia Idade Média
[Resumex Já Entendi] Filosofia Idade Média
Já Entendi
 
Antropologia (Slide)[1][1][1]
Antropologia (Slide)[1][1][1]Antropologia (Slide)[1][1][1]
Antropologia (Slide)[1][1][1]
Dell Sales
 
Introdução a filosofia
Introdução a filosofiaIntrodução a filosofia
Introdução a filosofia
Atividades Diversas Cláudia
 

Semelhante a Pensamentos filosóficos medieval (20)

Universidade de cuiab3
Universidade de cuiab3Universidade de cuiab3
Universidade de cuiab3
 
05 a 08 aula períodos da historia da filosofia ocidental
05 a 08 aula   períodos da historia da filosofia ocidental05 a 08 aula   períodos da historia da filosofia ocidental
05 a 08 aula períodos da historia da filosofia ocidental
 
1ª série filosofia medieval-
1ª série   filosofia medieval-1ª série   filosofia medieval-
1ª série filosofia medieval-
 
1ª série filosofia medieval-
1ª série   filosofia medieval-1ª série   filosofia medieval-
1ª série filosofia medieval-
 
Filosofia - Patristica
Filosofia - PatristicaFilosofia - Patristica
Filosofia - Patristica
 
Introducao ao estudo_da_psicologia
Introducao ao estudo_da_psicologiaIntroducao ao estudo_da_psicologia
Introducao ao estudo_da_psicologia
 
Filosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tpFilosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tp
 
A filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedrais
A filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedraisA filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedrais
A filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedrais
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
Filosofiamedieval 130322112129-phpapp02
Filosofiamedieval 130322112129-phpapp02Filosofiamedieval 130322112129-phpapp02
Filosofiamedieval 130322112129-phpapp02
 
Revisão Geral da História da Filosofia
Revisão Geral da História da FilosofiaRevisão Geral da História da Filosofia
Revisão Geral da História da Filosofia
 
Filosofia na-idade-média giorgia 23m
Filosofia na-idade-média giorgia 23mFilosofia na-idade-média giorgia 23m
Filosofia na-idade-média giorgia 23m
 
4 bimestre filosofia medieval
4 bimestre   filosofia medieval4 bimestre   filosofia medieval
4 bimestre filosofia medieval
 
Gustavo 23 filo
Gustavo 23 filoGustavo 23 filo
Gustavo 23 filo
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
Filosofia medieval raiana 27 np
Filosofia medieval raiana 27 npFilosofia medieval raiana 27 np
Filosofia medieval raiana 27 np
 
O suicídio ótica tomista/kotora
O suicídio ótica tomista/kotoraO suicídio ótica tomista/kotora
O suicídio ótica tomista/kotora
 
[Resumex Já Entendi] Filosofia Idade Média
[Resumex Já Entendi] Filosofia Idade Média[Resumex Já Entendi] Filosofia Idade Média
[Resumex Já Entendi] Filosofia Idade Média
 
Antropologia (Slide)[1][1][1]
Antropologia (Slide)[1][1][1]Antropologia (Slide)[1][1][1]
Antropologia (Slide)[1][1][1]
 
Introdução a filosofia
Introdução a filosofiaIntrodução a filosofia
Introdução a filosofia
 

Mais de Clínica Evolução vida

Técnicas de relaxamento
Técnicas de relaxamentoTécnicas de relaxamento
Técnicas de relaxamento
Clínica Evolução vida
 
Motivação na mídia
Motivação na mídiaMotivação na mídia
Motivação na mídia
Clínica Evolução vida
 
Cultura organizacional e o psicólogo
Cultura organizacional e o psicólogoCultura organizacional e o psicólogo
Cultura organizacional e o psicólogo
Clínica Evolução vida
 
Teorias da personalidade
Teorias da personalidadeTeorias da personalidade
Teorias da personalidade
Clínica Evolução vida
 
Fenomenologia e a psicologia
Fenomenologia e a psicologiaFenomenologia e a psicologia
Fenomenologia e a psicologia
Clínica Evolução vida
 
Existencial - Humanista
Existencial - HumanistaExistencial - Humanista
Existencial - Humanista
Clínica Evolução vida
 
Reforma rivadávia e joão luiz
Reforma rivadávia e joão luizReforma rivadávia e joão luiz
Reforma rivadávia e joão luiz
Clínica Evolução vida
 

Mais de Clínica Evolução vida (7)

Técnicas de relaxamento
Técnicas de relaxamentoTécnicas de relaxamento
Técnicas de relaxamento
 
Motivação na mídia
Motivação na mídiaMotivação na mídia
Motivação na mídia
 
Cultura organizacional e o psicólogo
Cultura organizacional e o psicólogoCultura organizacional e o psicólogo
Cultura organizacional e o psicólogo
 
Teorias da personalidade
Teorias da personalidadeTeorias da personalidade
Teorias da personalidade
 
Fenomenologia e a psicologia
Fenomenologia e a psicologiaFenomenologia e a psicologia
Fenomenologia e a psicologia
 
Existencial - Humanista
Existencial - HumanistaExistencial - Humanista
Existencial - Humanista
 
Reforma rivadávia e joão luiz
Reforma rivadávia e joão luizReforma rivadávia e joão luiz
Reforma rivadávia e joão luiz
 

Último

Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 

Último (20)

Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 

Pensamentos filosóficos medieval

  • 1. Filosofia e ÉticaPensamentos Filosóficos Medieval
  • 4. Antonieta ( I d.c. - VII d.c.)
  • 5. Mal ( VIII d.c. - XIV d.c.)
  • 6. Renascença ( XIV d.c. - XVI d.c.)
  • 9. A igreja
  • 11. Santo Agostinho Hipone (354-439 d. c.)
  • 13. São Thomás Aquino (1224-1274 d. c.)
  • 14. Breve resumo da idade media
  • 17. Tardia Pensamento Filosóficos MedievalDurante um certo tempo, no final da Idade Antiga e início da Idade Média baixa, a Igreja oferecia uma certa resistência ao ensino e propagação da filosofia grega por achá-la herética. Porém, com a difusão das obras de Platão e Aristóteles, não foi mais possível ignorar a herança intelectual grega. A partir da aceitação da cultura pagã (filosofia), o ensino na Idade Média passou a contar com temas vinculados do saber profano à teologia sustentada na autoridade da revelação.
  • 18. Antonieta ( I d.c. - VII d.c.)É um períodoque se caracterizapeloresultado dos esforços dos apóstolos (João e Paulo) e dos primeiros Padres daIgrejaparaconciliar a nova religião com o pensamentofilosóficomaiscorrentedaépoca entre osgregos e osromanos. Não obstante, tomoucomotarefa a defesadafécristã, frente as diversascríticasadvindas de valoresteóricos e morais dos “antigos”.
  • 19. Mal ( VIII d.c. - XIV d.c.)Período bastanteinfluenciadopelopensamentosocrático e platônico (conhecidoaquicomoneoplatonismo, vindodafilosofia de Plotino). Ocupou-se emdiscutir e problematizarQuestõesUniversais. É nesseperíodoque o pensamentocristão firma-se como "FilosofiaCristã", quemaistarde se tornateologia.
  • 20. Renascença ( XIV d.c. - XVI d.c.)É marcada pela descoberta de obras de Platão desconhecidas na Idade Média e novas obras de Aristóteles, ainda temos a recuperação de trabalhos de grandes autores e artistas gregos e romanos. São três as linhas de pensamento: Neoplatonismo e Hermetismo; Pensamentos florentinos e por fim o Antropocentrismo iniciático (homem dono do seu destino).Foi um período marcado por uma efervescência teórica prática, alimentada principalmente por descobertas marítimas e crises politico-culturais que culminaram em profundas críticas à Igreja Católica, que evoluíram para Reforma Protestante (a Igreja Católica responde com a Contra-Reforma e com a Inquisição).
  • 23. Platão - (427-347 a.C.)
  • 24. Aristóteles - (384-322 a.C) Filosofia CristãÉ marcada pela descoberta de obras de Platão desconhecidas na Idade Média e novas obras de Aristóteles, ainda temos a recuperação de trabalhos de grandes autores e artistas gregos e romanos. São três as linhas de pensamento: Neoplatonismo e Hermetismo; Pensamentos florentinos e por fim o Antropocentrismo iniciático (homem dono do seu destino).Foi um período marcado por uma efervescência teórica prática, alimentada principalmente por descobertas marítimas e crises politico-culturais que culminaram em profundas críticas à Igreja Católica, que evoluíram para Reforma Protestante (a Igreja Católica responde com a Contra-Reforma e com a Inquisição).
  • 25. A igreja
  • 28. ImpactosDurante a Idade Média (século V ao XV) a Igreja Católica conquistou e manteve grande poder. Possuía muitos terrenos (poder econômico), influenciava nas decisões políticas dos reinos (poder político), interferia na elaboração das leis (poder jurídico) e estabelecia padrões de comportamento moral para a sociedade (poder social). Como religião única e oficial, a Igreja Católica não permitia opiniões e posições contrárias aos seus dogmas (verdades incontestáveis). Aqueles que desrespeitavam ou questionavam as decisões da Igreja eram perseguidos e punidos. Na Idade Média, a Igreja Católica criou o Tribunal do Santo Ofício (Inquisição) no século XIII, para combater os hereges (contrários à religião católica). A Inquisição prendeu, torturou e mandou para a fogueira milhares de pessoas que não seguiam às ordens da Igreja.
  • 29. Neste sentido, a filosofia medieval ficou dividida entre as verdades profanas, constituída pela doutrina de Aristóteles, e as verdades cristãs, contidas nas sagradas escrituras e nas interpretações autorizadas dos textossacros. Foi neste contexto que surgiu a Patrística.
  • 30. Patrística A Patrística do século II é caracterizada pelo encontro da filosofia grega com o cristianismo. Onde teve a primeira elaboração filosófica dos conteúdos do cristianismo pelos Padres da Igreja. Nesse período, a questão central reside na necessidade de conciliação da exigências da razão humana com a revelação divina. A partir do século v, a filosofia se separa da teologia, porém as duas mantêm relações, podendo-se afirmar que a filosofia é um instrumento a serviço da teologia. A patrística precede e prepara a escolástica, e sua principal característica reside no seu caráter apologético: é preciso defender os ideais cristãos perante os pagãos e convertê-los.Presencia-se também a retomada da filosofia platônica, pelo principal representante do período, Santo Agostinho, bem como do Neoplatonismo
  • 31. Santo Agostinho Hipona (354-430 d.C.)Agostinho de Hipona foi o maior expoente da Patrística. Nasceu em Fagasta, na África, em 13/11/354, filho de um pagão e de uma cristã fervorosa, Mônica, depois, canonizada santa pela Igreja. A filosofia agostiniana se funda a partir da tríade: fé, esperança e amor, onde o sujeito do conhecimento está pronto para conhecer Deus, se for iluminado por Ele, pois, como no âmbito da física as coisas devem ser iluminadas pela luz do sol para serem conhecidas, o mesmo ocorre com relação às coisas divinas, pois Deus é o Sol que os ilumina. Agostinho encontra na filosofia a felicidade, passando a utilizá-la comoinstrumento em favor da fé, de onde tira a máxima: “Entender para crer e crer para entender.”
  • 33. É uma corrente filosófica nascida na Europa da idade média, q dominou o pensamento dos cristãos entre os séculos XI e XIV e teve como principal teólogo italiano São Tomais de Aquino.
  • 34. Basicamente, a questão chave que vai atravessar todo pensamento escolástico é a harmonização de duas esferas: a fé e a razão. São thomás Aquino (1224-1274 d. c.)Célebre filósofo e teólogo medieval, o italiano Aquino procurou harmonizar a doutrina aristotélica com a doutrina cristã e defendeu a existência de um acordo entre a fé e a razão. Em sua obra “Suma Teológica”, Aquino desenvolve cinco argumentos que seriam as provas da existência de Deus. Mostra também elementos de sua filosofia moral. Ele e Aristóteles acreditavam que a felicidade humana é o objetivo de todos nesta vida. Para Aquino, a felicidade deveria ser alcançada de uma forma moral. Ele define quatro virtudes essenciais para alcançarmos a bondade moral: prudência, justiça, força e temperança(. . .)“Ninguém pode nesta vida ter satisfeitas as suas aspirações, porque nunca um bem criado sacia as aspirações humanas de felicidade".
  • 35. Caça as Bruxas:Foi uma perseguição religiosa e social que começou no final da Idade Média  e atingiu seu apogeu na Idade Moderna  . Antigas religiões pagãs e matriarcais eram tidas como satânicas. Mulheres eram queimadas em fogueira sob o menor pretexto. Um tipo de paranóia social.A Fogueira:A execução na fogueira tem uma longa história como forma de punir a traição ao rei, heresia e casos de bruxaria principalmente nos tempos da Inquisição. Na idade média era comum serem executados na fogueira vários condenados simultaneamente. Actualmente ainda se registra a prática deste método de execução em países como a Índia e o Quénia bem como no continente africano.
  • 36. O fim da era MedievalEsse período iniciou com a queda do Império Romano e terminou aproximadamente no meio do Século XV. Determinar o fim da Era medieval e o início da Renascença.Filosofia Medieval
  • 37. Analise filosófica - O Nome da Rosa
  • 38. São Agostinho e São Tomás25 /05/2011Alunos:Andreza Di LucciaDartcleia MouraDeboraRievrsJéssica de RodriguesKassiane SouzaMarina TavaresVinicius da GamaProfo Mestre Obertal Xavier Ribeiro