SlideShare uma empresa Scribd logo
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós



                                     Os MAIAS
                       INTRIGA Central: História da família Maia

                                         Intriga principal: Carlos da Maia e Maria Eduarda
                                         Intriga secundária: Pedro da Maia e Maria Monforte
                                                       Intriga central


                     EPISÓDIOS DA VIDA ROMÂNTICA retrata o
                       Portugal da segunda metade século XIX
                                              CRÓNICA DE COSTUMES




                                           Edição seguida: Edição, Livros do Brasil (2006) de acordo com a 1ª ed. 1888.
                                                                                                                    1
                                          www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós



                    A crónica de costumes e a intriga principal
              Episódios                                                                            EPISÓDIO DA   O SARAU
                                         O JANTAR AS CORRIDAS
               da vida                                        O JANTAR DOS                         CORNETA DO LITERÁRIO DO
                                         DO HOTEL     NO
                                                              GOUVARINHOS                          DIABO E A   TEATRO DA
              romântica                  CENTRAL HIPÓDROMO
                                                                                                      TARDE     TRINDADE




                                           Carlos vê
                                                             Carlos
                Os Maias                      Mª                                 Carlos     Ega é
                                                            procura                                   Revelação
                                           Eduarda                             declara-se cúmplice
                                                            em vão                                   da relação
                                             pela                                 a Mª    na relação
                                                               Mª                                    incestuosa
                                           primeira                             Eduarda amorosa
                                                            Eduarda
                                              vez


                Passeio final de Ega e Carlos                                        Portugal decadente e ocioso
                 “Falhámos a vida, menino”                                           Fracasso pessoal e profissional

                                                                                                                        2
                                            www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós



                                            A crónica de costumes
     EPISÓDIO                                                             TEMA(S)
     Jantar e serão em Santa Olávia (cap. III) Educação (modelos educacionais)
     Jantar do Hotel Central (cap. VI)                                    Política, economia, literatura
                                                                          (Romantismo vs Realismo)
     Corridas do Hipódromo (cap. X)                                       Atraso do país; imitação pindérica e
                                                                          parola do estrangeiro
     Jantar dos Gouvarinhos (cap. XII)                                    Mediocridade intelectual da
                                                                          aristocracia lisboeta.
     Episódio do jornal “A tarde” (cap. XV)                               Jornalismo corrupto e sensacionalista
     Sarau no Teatro da Trindade (cap. XVI)                               Música, retórica e Literatura: atraso
                                                                          cultural do pais
     Passeio de Ega e Carlos (cap. XVIII)                                 Ociosidade e decadência



                                                                                                                   3
                                         www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós




                                 O Título: Os MAIAS
                  História da família Maia ao longo de três gerações

               1ª Geração - Afonso da Maia                                  Nascido antes do século, vítima de
                   (Maria Eduarda Runa)                                            Portugal absolutista


                 2ª Geração - Pedro da Maia                              Representante da fase de instauração
                      (Maria Monforte)                                             do Liberalismo

                3ª Geração - Carlos da Maia                                Representante da queda dos ideais
                      (Maria Eduarda)                                                  liberais




                                                                                                                   4
                                         www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós



                      Intriga secundária (2ªgeração) Pedro da Maia e Mª Monforte
    . A hereditariedade; a educação tradicional, Conservadora; o meio envolvente (Lisboa
    sentimental, boémia, pervertida pelas leituras)
    . Encontro fortuito com Mª Monforte

                                           PAIXÃO
    . Pedro procura um encontro com Mª Monforte
    . Encontro através de Alencar / Melo

                                                  ELEMENTO DE OPOSIÇÃO:
                                               a negreira (oposição real de Afonso)
    . Encontros e casamento
    . Vida de casados: viagem ao estrangeiro, vida social em Arroios, nascimento dos filhos
    . Retardamento do encontro com Afonso

                             ELEMENTO DESENCADEADOR DO DRAMA:
                                              o napolitano
    . Infidelidade e fuga de Mª Monforte – reação de Pedro

                                  O Suicídio – Solução romântica
    . Regresso de Pedro ao Ramalhete, diálogo com Afonso e suicídio de Pedro
    . Motivação para a morte de Afonso.
                                                                                                                   5
                                         www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós


                                               Intriga Principal (3ª geração)
                              Uma história de amor (incestuosa) com dimensão de tragédia

                                             Carlos da Maia e Mª Eduarda
              . A educação segundo o modelo britânico; os ideias e os projetos
     adiados;          . Encontro fortuito com Mª Eduarda.
                                            PAIXÃO - Desafio
     . Carlos procura um encontro com Mª Eduarda
     . Encontro através de Dâmaso (indireto)

                                           ELEMENTO DE OPOSIÇÃO - Peripécias
                                           a amante (oposição potencial de Afonso)
     . Encontros e relações.
     . Vida de relações: viagem ao estrangeiro e casamento adiado, vida social na Toca.
     . Retardamento por causa de Afonso

              ELEMENTO DESENCADEADOR DA TRAGÉDIA - Reconhecimento
                                            Guimarães
     . Descoberta do incesto – reações de Carlos.
                                                               Catástrofe
     . Encontro de Carlos com Afonso, mudo - Morte física de Afonso.
     . Partida de Maria Eduarda – Morte psicológica de Carlos e Maria Eduarda
                                                                                                                   6
                                         www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós



                                Carlos da Maia e Mª Eduarda – Elementos trágicos
    . O tema do incesto: tal como na tragédia de Édipo Rei de Sófocles, o tema torna
    o desenlace inevitável e a impossibilidade de qualquer solução pacífica.

    . A grandeza das personagens: Carlos e Maria Eduarda são (como os heróis
    da tragédia clássica) indivíduos que se destacam daqueles que os rodeiam pelo seu
    caráter superior e excecional.

    . A força do destino:
    Aviso de Vilaça: “eram sempre fatais aos Maias as paredes do Ramalhete”
    Escolha do nome de Carlos Eduardo: “um tal nome parecia-lhe conter todo o
    destino de amores e façanhas”
    Referência de Ega quando afirma que Carlos e a mulher que há de ser sua
    estão: “ambos insensivelmente, irresistivelmente, fatalmente marchando um para o
    outro”
    Quando Carlos descobre o nome de Maria Eduarda: “Maria Eduarda, Carlos
    Eduardo… Havia uma similitude nos seus nomes. Quem sabe se não pressagiava a
    concordância dos seus destinos.”
    Justificações de Carlos “o avô nunca compreenderia os motivos complicados,
    fatais, iniludíveis que o tinham arrastado para Maria Eduarda”               7
                                         www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós



                                Carlos da Maia e Mª Eduarda – Elementos trágicos

    . Os Presságios
    . Diante da conversa com Ega e Carlos, Afonso “afastou-se todo dobrado sobre a
    bengala, vencido enfim por aquele implacável destino …”
    . A descrição do jardim do Ramalhete (Cap.I): a estátua de Vénus, o cedro e o
    pinheiro a envelhecerem juntos; o ramo de girassóis; os móveis do escritório de Afonso
    cobertos de panos brancos…;
    . O sonho de Carlos no final do Hotel Central (Cap.VI);
    . Os três lírios brancos que murchavam num vaso do Japão em casa de Maria
    Eduarda (Cap.XI);
    . Os indícios presentes no quarto de Maria Eduarda nos Olivais- Toca: “os amores
    de Vénus e Marte”, “a cabeça degolada”, “uma enorme coruja”;
    . Na primeira noite passada com Carlos, “os olhos de Maria Eduarda pendiam-se
    outra vez na escuridão – como recebendo dela o presságio de um futuro onde tudo
    seria confuso e escuro também” (Cap. XI)
    . Maria Eduarda reconhece semelhanças entre Carlos e a sua mãe “Sabes tu com
    quem te pareces às vezes? É extraordinário mas é verdade. Pareces-me com a
    minha mãe.”;

                                                                                                                   8
                                         www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós



                                          Os Maias– Elementos Cromáticos
    Amarelo (predomina na consumação do amor – na toca e no quiosque);

    • Vermelho (paixão e destruição);
    Camélia que Pedro ostenta na lapela na primeira aparição pública com Maria
    Monforte (cap.I);
    A sombrinha vermelha de Maria Monforte (cap.I)
    O leque que Maria Eduarda abre no primeiro encontro com Carlos (cap.XI);
    A decoração da sala da casa de Maria Eduarda na Rua de S. Francisco (cap. XI);
    O nome da Toca que Maria Eduarda sugere pintado “em letras vermelhas”

    • Preto (conotado com morte e luto)
    O negro do véu de Maria Eduarda aquando da sua 1ª aparição;
    A sombra negra do vulto de Alencar no sonho de Carlos com Maria Eduarda, no
    dia em que a vê pela 1ª vez. (cap.VI)

    Maria Monforte e Maria Eduarda conjugam o vermelho (leque negro [negro
    conotado com morte e luto] pintado com flores vermelhas, sombrinha
    escarlate) com o amarelo/dourado (cabelos de ouro), pelo que, tanto
    simbolizam a vida como a morte, o divino e o humano.
                                                                                                                   9
                                         www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós



                                          Os Maias– Elementos Simbólicos
    Apesar do tom realista , Os Maias estão povoados de símbolos cuja compreensão
    enriquece a leitura. Alguns desses símbolos funcionam como indícios (conforme
    evidenciado anteriormente) da tragédia amorosa, aos quais se acrescentam ainda a
    Toca (esconderijo de amores proibidos) e o cofre que Maria Monforte entregou a
    Guimarães (materialização do destino). Outros como representação da decadência
    nacional:

    . O Ramalhete: está simbolicamente ligado à decadência moral do Portugal da
    Regeneração;

    . O passeio final de Carlos e Ega: por Lisboa nos finais de 1886 (cap. XVIII): a
    glória do passado, o olhar triste sobre a inercia presente de um país sem futuro ou
    sem estímulos para construir o futuro.


                                                                            (consultar fotocópia de apoio: O Simbolismo n’Os Maias)




                                                                                                                            10
                                         www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós



O passeio final de Carlos e Ega por                                                           PORTUGAL PASSADO
Lisboa nos finais de 1886                                                                             (Camões)
                                                                                                      contrasta
                        CAMÕES E                                                              Com o PORTUGAL DO
                          CHIADO                        estagnação e                                PRESENTE
                        (nostalgia e                     ociosidade
                                                                                         (liberalismo frustrado, crise de
                        decadência)                                                             identidade nacional)
                                                                                        Monumento aos Restauradores
                           PELA                          Importação                     símbolo da renovação nacional
                          AVENIDA                         cultural;                                   contrasta
                        (frustração)                         Falta                         com a nova geração, ociosa,
                                                        da identidade                   exibicionista, a imitar sem estilo
                                                          nacional                           o que vem do estrangeiro
                         PELA                           Saudosismo                          BAIRRO DO ALTO DA
                        AVENIDA                          inoperante                          CIDADE/CASTELO
                     (autenticidade)                                                   símbolos do Portugal absolutista
                                                                                               anterior a 1820

                                                         Destruição                          RAMALHETE EM RUÍNA
                      RAMALHETE                           e morte
                                                                                            Reflexo de Lisboa/Portugal

                                                                                                                         11
                                         www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós




                                                    O Tempo n’Os Maias

     . O tempo da História (cronológico) – ação central: 1875-1887;

     . O tempo Histórico: reporta-se a factos inerentes à história nacional e
     universal;

     . O tempo Psicológico: tempo do sonho, da ilusão, dos projetos e das
     emoções.

     . O tempo do discurso – as alterações de ordem temporal dos factos –
     anacronias – e as mudanças de ritmo narrativo são frequentes:
             A ordem temporal: analepses, prolepses e elipses,
             A isocronia – cena dialogada (tentativa de conceder ao tempo do
     discurso uma duração semelhante à do tempo da história)



                                                                                                                   12
                                         www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
Dina Baptista | www.sebentadigital.com
EB 2,3/S de Vale de Cambra
2011/2012

| Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós




                                                                                Fontes Consultadas

                                                        COSTA, José R., Eça de Queirós, Os Maias em
                                                        análise – Antologia comentada, Porto Editora, 2005.
                                                        FERNANDES, António, Augusto, A Síntese em
                                                        Esquema - Análise Textual (Ensino Secundário),
                                                        Edições Asa, s/d.
                                                        JACINTO, Conceição e LANÇA, Gabriela, Análise da
                                                        Obra Os Maias, Eça de Queirós – Ensino
                                                        Secundário, Porto Editora, 2006.
                                                        PINTO, Elisa Costa; FONSECA, Paula e BAPTISTA,
                                                        Plural 11, Lisboa Editora, 2011.




                                                                                                                   13
                                         www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os maias a intriga
Os maias   a intrigaOs maias   a intriga
Os maias a intriga
margaridafelisberto
 
Personagens tipo - Os Maias
Personagens tipo - Os MaiasPersonagens tipo - Os Maias
Personagens tipo - Os Maias
Gabriel Santos
 
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI. Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Rita Magalhães
 
Os Maias - Jantar no Hotel Central
Os Maias - Jantar no Hotel CentralOs Maias - Jantar no Hotel Central
Os Maias - Jantar no Hotel Central
Dina Baptista
 
Os Maias - análise
Os Maias - análise Os Maias - análise
Os Maias - análise
nanasimao
 
Os maias personagens
Os maias personagensOs maias personagens
Os maias personagens
Fátima Teixeira Kika
 
Os Maias - Capítulo III
Os Maias - Capítulo IIIOs Maias - Capítulo III
Os Maias - Capítulo III
António Fernandes
 
AMOR DE PERDIÇÃO - SINTESE
AMOR DE PERDIÇÃO - SINTESE AMOR DE PERDIÇÃO - SINTESE
AMOR DE PERDIÇÃO - SINTESE
RafaCabelo
 
49461743-A-Farsa-de-Ines-Pereira-analise.pdf
49461743-A-Farsa-de-Ines-Pereira-analise.pdf49461743-A-Farsa-de-Ines-Pereira-analise.pdf
49461743-A-Farsa-de-Ines-Pereira-analise.pdf
MarianaAlmeida674808
 
Memorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estiloMemorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estilo
FilipaFonseca
 
Episodios maias
Episodios maiasEpisodios maias
Episodios maias
ameliapadrao
 
João da Ega
João da EgaJoão da Ega
João da Ega
Tomás Pinto
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
Helena Coutinho
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
António Fernandes
 
A Evolução do Ramalhete - Os Maias
A Evolução do Ramalhete - Os MaiasA Evolução do Ramalhete - Os Maias
A Evolução do Ramalhete - Os Maias
mauro dinis
 
Frei Luís de Sousa- Resumo das cenas
Frei Luís de Sousa- Resumo das cenasFrei Luís de Sousa- Resumo das cenas
Frei Luís de Sousa- Resumo das cenas
Nome Sobrenome
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
Paula Oliveira Cruz
 
Frei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematizaçãoFrei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematização
António Fernandes
 
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no HipódromoMaias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
Pedro Oliveira
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Lurdes Augusto
 

Mais procurados (20)

Os maias a intriga
Os maias   a intrigaOs maias   a intriga
Os maias a intriga
 
Personagens tipo - Os Maias
Personagens tipo - Os MaiasPersonagens tipo - Os Maias
Personagens tipo - Os Maias
 
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI. Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
 
Os Maias - Jantar no Hotel Central
Os Maias - Jantar no Hotel CentralOs Maias - Jantar no Hotel Central
Os Maias - Jantar no Hotel Central
 
Os Maias - análise
Os Maias - análise Os Maias - análise
Os Maias - análise
 
Os maias personagens
Os maias personagensOs maias personagens
Os maias personagens
 
Os Maias - Capítulo III
Os Maias - Capítulo IIIOs Maias - Capítulo III
Os Maias - Capítulo III
 
AMOR DE PERDIÇÃO - SINTESE
AMOR DE PERDIÇÃO - SINTESE AMOR DE PERDIÇÃO - SINTESE
AMOR DE PERDIÇÃO - SINTESE
 
49461743-A-Farsa-de-Ines-Pereira-analise.pdf
49461743-A-Farsa-de-Ines-Pereira-analise.pdf49461743-A-Farsa-de-Ines-Pereira-analise.pdf
49461743-A-Farsa-de-Ines-Pereira-analise.pdf
 
Memorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estiloMemorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estilo
 
Episodios maias
Episodios maiasEpisodios maias
Episodios maias
 
João da Ega
João da EgaJoão da Ega
João da Ega
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
 
A Evolução do Ramalhete - Os Maias
A Evolução do Ramalhete - Os MaiasA Evolução do Ramalhete - Os Maias
A Evolução do Ramalhete - Os Maias
 
Frei Luís de Sousa- Resumo das cenas
Frei Luís de Sousa- Resumo das cenasFrei Luís de Sousa- Resumo das cenas
Frei Luís de Sousa- Resumo das cenas
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 
Frei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematizaçãoFrei Luís de Sousa - sistematização
Frei Luís de Sousa - sistematização
 
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no HipódromoMaias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de Sousa
 

Semelhante a Os Maias_ sistematizacao

Os Maias, capítulos I a IV
Os Maias, capítulos I a IVOs Maias, capítulos I a IV
Os Maias, capítulos I a IV
Dina Baptista
 
Narrativa e estilo n' Os Maias
Narrativa e estilo n' Os MaiasNarrativa e estilo n' Os Maias
Narrativa e estilo n' Os Maias
Dina Baptista
 
Jantar no Hotel Central
Jantar no Hotel CentralJantar no Hotel Central
Jantar no Hotel Central
Dina Baptista
 
Os Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicosOs Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicos
António Fernandes
 
Escolas Finisseculares
Escolas FinissecularesEscolas Finisseculares
Escolas Finisseculares
Antónia Mancha
 
Contos do séculoXX | neo-realismo
Contos do séculoXX | neo-realismoContos do séculoXX | neo-realismo
Contos do séculoXX | neo-realismo
Dina Baptista
 
Os maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analiseOs maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analise
keve semedo
 
Capítulos V a VI d' Os Maias
Capítulos V a VI d' Os MaiasCapítulos V a VI d' Os Maias
Capítulos V a VI d' Os Maias
Dina Baptista
 
Programa da disciplina de Português 12º ano
Programa da disciplina de Português 12º anoPrograma da disciplina de Português 12º ano
Programa da disciplina de Português 12º ano
Dina Baptista
 
Plano anual de_leituras_7ano-final
Plano anual de_leituras_7ano-finalPlano anual de_leituras_7ano-final
Plano anual de_leituras_7ano-final
Luis Martins
 
Renascimento e Epopeia
Renascimento e EpopeiaRenascimento e Epopeia
Renascimento e Epopeia
Dina Baptista
 
Lista novidades 3 ºperíodo 2010-2011
Lista   novidades 3 ºperíodo 2010-2011Lista   novidades 3 ºperíodo 2010-2011
Lista novidades 3 ºperíodo 2010-2011
malex86
 
Lista novidades 3 ºperíodo 2010-2011
Lista   novidades 3 ºperíodo 2010-2011Lista   novidades 3 ºperíodo 2010-2011
Lista novidades 3 ºperíodo 2010-2011
malex86
 
Quadro si..
Quadro si..Quadro si..
Quadro si..
Raquel Tavares
 
Autores presentes na Feira do Livro
Autores presentes na Feira do LivroAutores presentes na Feira do Livro
Autores presentes na Feira do Livro
martamedeiros
 
Memorial do Convento, de José Saramago
Memorial do Convento, de José SaramagoMemorial do Convento, de José Saramago
Memorial do Convento, de José Saramago
Dina Baptista
 
Fundo documental PAA BE gilvicente
Fundo documental PAA BE gilvicenteFundo documental PAA BE gilvicente
Fundo documental PAA BE gilvicente
Biblioteca Gil Vicente
 
Lusíadas: Visão Global
Lusíadas: Visão GlobalLusíadas: Visão Global
Lusíadas: Visão Global
Dina Baptista
 
Maias estrutura1 (1)
Maias estrutura1 (1)Maias estrutura1 (1)
Maias estrutura1 (1)
apfandradeg
 
Leitura de imagem
Leitura de imagemLeitura de imagem
Leitura de imagem
Dina Baptista
 

Semelhante a Os Maias_ sistematizacao (20)

Os Maias, capítulos I a IV
Os Maias, capítulos I a IVOs Maias, capítulos I a IV
Os Maias, capítulos I a IV
 
Narrativa e estilo n' Os Maias
Narrativa e estilo n' Os MaiasNarrativa e estilo n' Os Maias
Narrativa e estilo n' Os Maias
 
Jantar no Hotel Central
Jantar no Hotel CentralJantar no Hotel Central
Jantar no Hotel Central
 
Os Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicosOs Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicos
 
Escolas Finisseculares
Escolas FinissecularesEscolas Finisseculares
Escolas Finisseculares
 
Contos do séculoXX | neo-realismo
Contos do séculoXX | neo-realismoContos do séculoXX | neo-realismo
Contos do séculoXX | neo-realismo
 
Os maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analiseOs maias-resumo-e-analise
Os maias-resumo-e-analise
 
Capítulos V a VI d' Os Maias
Capítulos V a VI d' Os MaiasCapítulos V a VI d' Os Maias
Capítulos V a VI d' Os Maias
 
Programa da disciplina de Português 12º ano
Programa da disciplina de Português 12º anoPrograma da disciplina de Português 12º ano
Programa da disciplina de Português 12º ano
 
Plano anual de_leituras_7ano-final
Plano anual de_leituras_7ano-finalPlano anual de_leituras_7ano-final
Plano anual de_leituras_7ano-final
 
Renascimento e Epopeia
Renascimento e EpopeiaRenascimento e Epopeia
Renascimento e Epopeia
 
Lista novidades 3 ºperíodo 2010-2011
Lista   novidades 3 ºperíodo 2010-2011Lista   novidades 3 ºperíodo 2010-2011
Lista novidades 3 ºperíodo 2010-2011
 
Lista novidades 3 ºperíodo 2010-2011
Lista   novidades 3 ºperíodo 2010-2011Lista   novidades 3 ºperíodo 2010-2011
Lista novidades 3 ºperíodo 2010-2011
 
Quadro si..
Quadro si..Quadro si..
Quadro si..
 
Autores presentes na Feira do Livro
Autores presentes na Feira do LivroAutores presentes na Feira do Livro
Autores presentes na Feira do Livro
 
Memorial do Convento, de José Saramago
Memorial do Convento, de José SaramagoMemorial do Convento, de José Saramago
Memorial do Convento, de José Saramago
 
Fundo documental PAA BE gilvicente
Fundo documental PAA BE gilvicenteFundo documental PAA BE gilvicente
Fundo documental PAA BE gilvicente
 
Lusíadas: Visão Global
Lusíadas: Visão GlobalLusíadas: Visão Global
Lusíadas: Visão Global
 
Maias estrutura1 (1)
Maias estrutura1 (1)Maias estrutura1 (1)
Maias estrutura1 (1)
 
Leitura de imagem
Leitura de imagemLeitura de imagem
Leitura de imagem
 

Mais de Dina Baptista

Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi
Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi
Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi
Dina Baptista
 
O ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitais
O ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitaisO ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitais
O ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitais
Dina Baptista
 
Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...
Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...
Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...
Dina Baptista
 
REPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊS
REPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊSREPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊS
REPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊS
Dina Baptista
 
A importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficaz
A importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficazA importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficaz
A importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficaz
Dina Baptista
 
Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)
Dina Baptista
 
Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)
Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)
Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)
Dina Baptista
 
Análise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel CentralAnálise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel Central
Dina Baptista
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-Sistematização
Dina Baptista
 
Repreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particularesRepreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particulares
Dina Baptista
 
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e IIISermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Dina Baptista
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Dina Baptista
 
Manuel Alegre
Manuel AlegreManuel Alegre
Manuel Alegre
Dina Baptista
 
Poesia do século XX- 4
Poesia do século XX- 4Poesia do século XX- 4
Poesia do século XX- 4
Dina Baptista
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade   Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
Dina Baptista
 
Mário Cesariny de Vasconcelos
Mário Cesariny de VasconcelosMário Cesariny de Vasconcelos
Mário Cesariny de Vasconcelos
Dina Baptista
 
José Ary dos Santos
José Ary dos SantosJosé Ary dos Santos
José Ary dos Santos
Dina Baptista
 
Eugénio de Andrade
Eugénio de AndradeEugénio de Andrade
Eugénio de Andrade
Dina Baptista
 
Poesia do Séc.XX - 3
Poesia do Séc.XX - 3Poesia do Séc.XX - 3
Poesia do Séc.XX - 3
Dina Baptista
 
Jose Regio
Jose RegioJose Regio
Jose Regio
Dina Baptista
 

Mais de Dina Baptista (20)

Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi
Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi
Projeto de leitura (12.º ano) - O Conto "Mortos à mesa" de António Tabucchi
 
O ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitais
O ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitaisO ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitais
O ensino da língua portuguesa e o desafio dos géneros textuais digitais
 
Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...
Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...
Uma nova perspetiva do conto: o Storytelling na estratégia da comunicação emp...
 
REPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊS
REPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊSREPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊS
REPENSAR AS TÉCNICAS E METODOLOGIAS DO ENSINO DO PORTUGUÊS
 
A importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficaz
A importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficazA importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficaz
A importância do conteúdo na web: para uma estratégia comunicacional eficaz
 
Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)Camões Lírico (10.ºano/Português)
Camões Lírico (10.ºano/Português)
 
Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)
Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)
Textos de caráter autobiograficos (M1 - 10.ºano/Português)
 
Análise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel CentralAnálise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel Central
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-Sistematização
 
Repreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particularesRepreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particulares
 
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e IIISermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
 
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os LusíadasGigante Adamastor, d'Os Lusíadas
Gigante Adamastor, d'Os Lusíadas
 
Manuel Alegre
Manuel AlegreManuel Alegre
Manuel Alegre
 
Poesia do século XX- 4
Poesia do século XX- 4Poesia do século XX- 4
Poesia do século XX- 4
 
Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade   Carlos Drummond de Andrade
Carlos Drummond de Andrade
 
Mário Cesariny de Vasconcelos
Mário Cesariny de VasconcelosMário Cesariny de Vasconcelos
Mário Cesariny de Vasconcelos
 
José Ary dos Santos
José Ary dos SantosJosé Ary dos Santos
José Ary dos Santos
 
Eugénio de Andrade
Eugénio de AndradeEugénio de Andrade
Eugénio de Andrade
 
Poesia do Séc.XX - 3
Poesia do Séc.XX - 3Poesia do Séc.XX - 3
Poesia do Séc.XX - 3
 
Jose Regio
Jose RegioJose Regio
Jose Regio
 

Último

APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 

Último (20)

APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 

Os Maias_ sistematizacao

  • 1. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós Os MAIAS INTRIGA Central: História da família Maia Intriga principal: Carlos da Maia e Maria Eduarda Intriga secundária: Pedro da Maia e Maria Monforte Intriga central EPISÓDIOS DA VIDA ROMÂNTICA retrata o Portugal da segunda metade século XIX CRÓNICA DE COSTUMES Edição seguida: Edição, Livros do Brasil (2006) de acordo com a 1ª ed. 1888. 1 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
  • 2. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós A crónica de costumes e a intriga principal Episódios EPISÓDIO DA O SARAU O JANTAR AS CORRIDAS da vida O JANTAR DOS CORNETA DO LITERÁRIO DO DO HOTEL NO GOUVARINHOS DIABO E A TEATRO DA romântica CENTRAL HIPÓDROMO TARDE TRINDADE Carlos vê Carlos Os Maias Mª Carlos Ega é procura Revelação Eduarda declara-se cúmplice em vão da relação pela a Mª na relação Mª incestuosa primeira Eduarda amorosa Eduarda vez Passeio final de Ega e Carlos Portugal decadente e ocioso “Falhámos a vida, menino” Fracasso pessoal e profissional 2 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
  • 3. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós A crónica de costumes EPISÓDIO TEMA(S) Jantar e serão em Santa Olávia (cap. III) Educação (modelos educacionais) Jantar do Hotel Central (cap. VI) Política, economia, literatura (Romantismo vs Realismo) Corridas do Hipódromo (cap. X) Atraso do país; imitação pindérica e parola do estrangeiro Jantar dos Gouvarinhos (cap. XII) Mediocridade intelectual da aristocracia lisboeta. Episódio do jornal “A tarde” (cap. XV) Jornalismo corrupto e sensacionalista Sarau no Teatro da Trindade (cap. XVI) Música, retórica e Literatura: atraso cultural do pais Passeio de Ega e Carlos (cap. XVIII) Ociosidade e decadência 3 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
  • 4. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós O Título: Os MAIAS História da família Maia ao longo de três gerações 1ª Geração - Afonso da Maia Nascido antes do século, vítima de (Maria Eduarda Runa) Portugal absolutista 2ª Geração - Pedro da Maia Representante da fase de instauração (Maria Monforte) do Liberalismo 3ª Geração - Carlos da Maia Representante da queda dos ideais (Maria Eduarda) liberais 4 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
  • 5. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós Intriga secundária (2ªgeração) Pedro da Maia e Mª Monforte . A hereditariedade; a educação tradicional, Conservadora; o meio envolvente (Lisboa sentimental, boémia, pervertida pelas leituras) . Encontro fortuito com Mª Monforte PAIXÃO . Pedro procura um encontro com Mª Monforte . Encontro através de Alencar / Melo ELEMENTO DE OPOSIÇÃO: a negreira (oposição real de Afonso) . Encontros e casamento . Vida de casados: viagem ao estrangeiro, vida social em Arroios, nascimento dos filhos . Retardamento do encontro com Afonso ELEMENTO DESENCADEADOR DO DRAMA: o napolitano . Infidelidade e fuga de Mª Monforte – reação de Pedro O Suicídio – Solução romântica . Regresso de Pedro ao Ramalhete, diálogo com Afonso e suicídio de Pedro . Motivação para a morte de Afonso. 5 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
  • 6. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós Intriga Principal (3ª geração) Uma história de amor (incestuosa) com dimensão de tragédia Carlos da Maia e Mª Eduarda . A educação segundo o modelo britânico; os ideias e os projetos adiados; . Encontro fortuito com Mª Eduarda. PAIXÃO - Desafio . Carlos procura um encontro com Mª Eduarda . Encontro através de Dâmaso (indireto) ELEMENTO DE OPOSIÇÃO - Peripécias a amante (oposição potencial de Afonso) . Encontros e relações. . Vida de relações: viagem ao estrangeiro e casamento adiado, vida social na Toca. . Retardamento por causa de Afonso ELEMENTO DESENCADEADOR DA TRAGÉDIA - Reconhecimento Guimarães . Descoberta do incesto – reações de Carlos. Catástrofe . Encontro de Carlos com Afonso, mudo - Morte física de Afonso. . Partida de Maria Eduarda – Morte psicológica de Carlos e Maria Eduarda 6 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
  • 7. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós Carlos da Maia e Mª Eduarda – Elementos trágicos . O tema do incesto: tal como na tragédia de Édipo Rei de Sófocles, o tema torna o desenlace inevitável e a impossibilidade de qualquer solução pacífica. . A grandeza das personagens: Carlos e Maria Eduarda são (como os heróis da tragédia clássica) indivíduos que se destacam daqueles que os rodeiam pelo seu caráter superior e excecional. . A força do destino: Aviso de Vilaça: “eram sempre fatais aos Maias as paredes do Ramalhete” Escolha do nome de Carlos Eduardo: “um tal nome parecia-lhe conter todo o destino de amores e façanhas” Referência de Ega quando afirma que Carlos e a mulher que há de ser sua estão: “ambos insensivelmente, irresistivelmente, fatalmente marchando um para o outro” Quando Carlos descobre o nome de Maria Eduarda: “Maria Eduarda, Carlos Eduardo… Havia uma similitude nos seus nomes. Quem sabe se não pressagiava a concordância dos seus destinos.” Justificações de Carlos “o avô nunca compreenderia os motivos complicados, fatais, iniludíveis que o tinham arrastado para Maria Eduarda” 7 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
  • 8. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós Carlos da Maia e Mª Eduarda – Elementos trágicos . Os Presságios . Diante da conversa com Ega e Carlos, Afonso “afastou-se todo dobrado sobre a bengala, vencido enfim por aquele implacável destino …” . A descrição do jardim do Ramalhete (Cap.I): a estátua de Vénus, o cedro e o pinheiro a envelhecerem juntos; o ramo de girassóis; os móveis do escritório de Afonso cobertos de panos brancos…; . O sonho de Carlos no final do Hotel Central (Cap.VI); . Os três lírios brancos que murchavam num vaso do Japão em casa de Maria Eduarda (Cap.XI); . Os indícios presentes no quarto de Maria Eduarda nos Olivais- Toca: “os amores de Vénus e Marte”, “a cabeça degolada”, “uma enorme coruja”; . Na primeira noite passada com Carlos, “os olhos de Maria Eduarda pendiam-se outra vez na escuridão – como recebendo dela o presságio de um futuro onde tudo seria confuso e escuro também” (Cap. XI) . Maria Eduarda reconhece semelhanças entre Carlos e a sua mãe “Sabes tu com quem te pareces às vezes? É extraordinário mas é verdade. Pareces-me com a minha mãe.”; 8 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
  • 9. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós Os Maias– Elementos Cromáticos Amarelo (predomina na consumação do amor – na toca e no quiosque); • Vermelho (paixão e destruição); Camélia que Pedro ostenta na lapela na primeira aparição pública com Maria Monforte (cap.I); A sombrinha vermelha de Maria Monforte (cap.I) O leque que Maria Eduarda abre no primeiro encontro com Carlos (cap.XI); A decoração da sala da casa de Maria Eduarda na Rua de S. Francisco (cap. XI); O nome da Toca que Maria Eduarda sugere pintado “em letras vermelhas” • Preto (conotado com morte e luto) O negro do véu de Maria Eduarda aquando da sua 1ª aparição; A sombra negra do vulto de Alencar no sonho de Carlos com Maria Eduarda, no dia em que a vê pela 1ª vez. (cap.VI) Maria Monforte e Maria Eduarda conjugam o vermelho (leque negro [negro conotado com morte e luto] pintado com flores vermelhas, sombrinha escarlate) com o amarelo/dourado (cabelos de ouro), pelo que, tanto simbolizam a vida como a morte, o divino e o humano. 9 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
  • 10. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós Os Maias– Elementos Simbólicos Apesar do tom realista , Os Maias estão povoados de símbolos cuja compreensão enriquece a leitura. Alguns desses símbolos funcionam como indícios (conforme evidenciado anteriormente) da tragédia amorosa, aos quais se acrescentam ainda a Toca (esconderijo de amores proibidos) e o cofre que Maria Monforte entregou a Guimarães (materialização do destino). Outros como representação da decadência nacional: . O Ramalhete: está simbolicamente ligado à decadência moral do Portugal da Regeneração; . O passeio final de Carlos e Ega: por Lisboa nos finais de 1886 (cap. XVIII): a glória do passado, o olhar triste sobre a inercia presente de um país sem futuro ou sem estímulos para construir o futuro. (consultar fotocópia de apoio: O Simbolismo n’Os Maias) 10 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
  • 11. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós O passeio final de Carlos e Ega por PORTUGAL PASSADO Lisboa nos finais de 1886 (Camões) contrasta CAMÕES E Com o PORTUGAL DO CHIADO estagnação e PRESENTE (nostalgia e ociosidade (liberalismo frustrado, crise de decadência) identidade nacional) Monumento aos Restauradores PELA Importação símbolo da renovação nacional AVENIDA cultural; contrasta (frustração) Falta com a nova geração, ociosa, da identidade exibicionista, a imitar sem estilo nacional o que vem do estrangeiro PELA Saudosismo BAIRRO DO ALTO DA AVENIDA inoperante CIDADE/CASTELO (autenticidade) símbolos do Portugal absolutista anterior a 1820 Destruição RAMALHETE EM RUÍNA RAMALHETE e morte Reflexo de Lisboa/Portugal 11 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
  • 12. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós O Tempo n’Os Maias . O tempo da História (cronológico) – ação central: 1875-1887; . O tempo Histórico: reporta-se a factos inerentes à história nacional e universal; . O tempo Psicológico: tempo do sonho, da ilusão, dos projetos e das emoções. . O tempo do discurso – as alterações de ordem temporal dos factos – anacronias – e as mudanças de ritmo narrativo são frequentes: A ordem temporal: analepses, prolepses e elipses, A isocronia – cena dialogada (tentativa de conceder ao tempo do discurso uma duração semelhante à do tempo da história) 12 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista
  • 13. Dina Baptista | www.sebentadigital.com EB 2,3/S de Vale de Cambra 2011/2012 | Português – 11º ano | Os Maias, de Eça de Queirós Fontes Consultadas COSTA, José R., Eça de Queirós, Os Maias em análise – Antologia comentada, Porto Editora, 2005. FERNANDES, António, Augusto, A Síntese em Esquema - Análise Textual (Ensino Secundário), Edições Asa, s/d. JACINTO, Conceição e LANÇA, Gabriela, Análise da Obra Os Maias, Eça de Queirós – Ensino Secundário, Porto Editora, 2006. PINTO, Elisa Costa; FONSECA, Paula e BAPTISTA, Plural 11, Lisboa Editora, 2011. 13 www.sebentadigital.com | Português 11ºano | A professora: Dina Baptista