SlideShare uma empresa Scribd logo
O ILUMINISMO

     Chamamos de Iluminismo o movimento cultural que se desenvolveu na
Inglaterra, Holanda e França nos séculos XVII e XVIII. Nessa época, o
desenvolvimento intelectual, que vinha ocorrendo desde o Renascimento, deu
origem a ideias de liberdade política e econômica, defendidas pela burguesia.
     Os filósofos e economistas que difundiam essas ideias julgavam-se
propagadores da luz e do conhecimento, sendo, por isso, chamados de
iluministas. O Iluminismo trouxe inúmeras mudanças à sociedade europeia.
O precursor deste movimento foi o matemático francês René Descartes (1596-1650),
considerado o pai do racionalismo, que recomendava:




                      “para se chegar à verdade, duvide de tudo, mesmo das coisas
                      aparentemente verdadeiras. A partir da dúvida racional pode-se
                      Alcançar a compreensão do mundo, e mesmo de Deus”

                      “Penso, logo existo”

                                                                       René Descartes
                                                              em “Discurso do método”
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

 Pode-se dizer que o Iluminismo tem suas raízes no Renascimento cultural e
científico iniciado na Baixa Idade Média.
 Valorização da razão, considerada o mais importante instrumento para se alcançar
qualquer tipo de conhecimento;
 valorização do questionamento, da investigação e da experiência como forma de
conhecimento tanto da natureza quanto da sociedade, política ou econômica;
 crença nas leis naturais , normas da natureza que regem todas as transformações
que ocorrem no comportamento humano, nas sociedades e na natureza;
 crença nos direitos naturais, que todos os indivíduos possuem em relação à vida,
à liberdade, à posse de bens materiais;
 crítica ao absolutismo, ao mercantilismo e aos privilégios da nobreza e do clero;
 defesa da liberdade política e econômica e da igualdade de todos perante a lei;
 crítica à Igreja, embora não se excluí-se a crença em Deus
PRINCIPAIS TEÓRICOS ILUMINISTAS

John Lock (1632-1704)
OBRA: Ensaio acerca do entendimento humano
TEORIA: Empirismo / Jusnaturalismo
 DIREITOS NATURAIS
               • vida               UNIVERSAIS
               • Liberdade              E
               • Propriedade      INALIENÁVEIS


 BASE: Liberalismo Jurídico
• Os homens formavam sociedade e instituíam um governo para que este lhe
garantisse alguns direitos como: a felicidade, a vida e a propriedade; e, caso este
governo não atenda a estas necessidades naturais o povo poderia exigir a
substituição do governante

• Todos os indvíduos nascem iguais, sem valores, ou ideias preconcebidas.
Barão de Montesquieu (1689-1755)
OBRA: “O Espírito das leis”
TEORIA: separação dos poderes
 DIREITOS NATURAIS
               • Legislativo        AUTÔNOMOS
               • Executivo              E
               • Judiciário         HARMÔNICOS


 BASE: Liberalismo Político

• cada setor do governo deveria agir como um freio para o outro;
• defendia a posição de que somente as pessoas de boa renda poderiam ter
direitos políticos, ou seja, direito de votar e candidatar-se a cargos públicos;
Voltaire: Francis Marie Arouet (1694-1778)
OBRA: “Tratado sobre a tolerância”
TEORIA:
   • Crítica irônica ao Antigo Regime
   • Crítica à intolerância religiosa
   • Defesa da liberdade de expressão

                    “Posso discordar de tuas palavras,
              mas defenderei até a morte o direito de dizê-las”


• era a favor de uma monarquia esclarecida, na qual o governante fizesse
reformas influenciado pelas ideias iluministas.
OS ECONOMISTAS

FISIOCRATAS
AUTORES:
       - François Quesnay (1694-1774)
        OBRA: “Tableau Economique” (1758)
        - Anne Robert Jacques Turgot (1727-1781)
        (ministro de finanças de Luiz XVI)

TEORIA:
       - A economia é uma ciência natural;
       - Leis econômicas = leis naturais
       - Não dependem da vontade/intervenção humana
• A economia seria regulada por leis naturais, sendo desnecessária a intervenção
do Estado.
• O princípio “Laissez faire, laissez passer” (Deixe fazer, deixe pensar) era
defendido pelos fisiocratas, onde pregavam o ideal da liberdade.
• Os fisiocratas influenciaram na formação de uma corrente chamada Liberalismo
econômico.
Adam Smith (1723-1790)
OBRA: “Uma investigação sobre a natureza e a causa da riqueza das nações”
TEORIA:
         - Economia = ciência natural
         - LEI GERAL: Oferta e procura
         - Metáfora da “mão invisível”.
 BASE: Liberalismo Econômico e Escola de Economia Clássica

• Nem agricultura, como queriam os fisiocratas; nem o comércio, como defendiam
os mercantilistas; o trabalho era a fonte da riqueza.
Jean Jacques Rousseau (1712-1778)
OBRA: “Do contrato social”
TEORIA: Contratualismo

         - Qual a origem da desigualdade entre os homens?
RESPOSTA: uma sociedade que molda os homens (tábula rasa) na defesa da
propriedade privada, causando o conflito entre os proprietários e os não-
proprietários.

SOLUÇÃO: um novo contrato social com:
         - Democracia
         - Educação Universal
         - Fim da propriedade privada
• Criticou a burguesia e a propriedade privada;

• considerava os homens bons por natureza e capazes de viver em harmonia, não
fosse alguns terem se apoderado da terra, dando origem à desigualdade e aos
conflitos sociais;

•Propunha um governo no qual o povo participasse politicamente e a vontade da
maioria determinasse as decisões políticas.
ENCICLOPEDISTAS

AUTORES:
         - Denis Diderot (1713-1783)
         - Jean le Rond d’Alembert (1717-1783)
 OBRA: Encyclopédie, ou dictionnaire raisonné des sciences, des arts et des
métiers.

TEORIA: Divulgar o conhecimento iluminista através da Enciclopédia
O ILUMINISMO E A RELIGIÃO

 Até a crença deveria ser racionalizada;
 para encontrar Deus, bastaria levar vida piedosa e virtuosa;
 para muitos iluministas a Igreja tornava-se indispensável.
O DESPOTISMO ESCLARECIDO
CONCEITO: reformas de moderação do Estado a partir dos princípios iluministas

 EXEMPLOS:

  • José II (Áustria: 1780-1790)        • José I (Portugal: 1750-1777)
  • Catarina (Rússia: 1762-1796)        • Carlos II (Espanha: 1716-1788)
  • Frederico II (Prússia: 1712-1786)

 Surgiu em países da Europa essencialmente agrícolas;
 Os soberanos destes países, apoiados pela burguesia e em parte da
aristrocracia, explicavam seu poder absoluto não pela “origem divina”, mas
como resultado de necessidades sociais.
 Governavam em nome da razão e pretendiam construir a prosperidade de
seus Estados.
Prússia: Frederico II
• organizou militarmente a Prússia;
• expandiu o território do país;
• estimulou o desenvolvimento industrial;
• incentivou a educação

Rússia: Catarina, a Grande
• incentivou a cultura
• promoveu transformações sociais baseadas nas ideias iluministas.
PRINCIPAIS DESPOSTAS ESCLARECIDOS

Portugal: Marquês de Pombal (ministro de D. José I)
• aumentou o controle do Estado sobre a economia;
• incentivou o comércio e as manufaturas;
• expulsou os jesuítas de Portugal e de suas colônias.

Austria: José II
• estimulou o desenvolvimento das manufaturas e da agricultura.
• libertou os servos de várias regiões do país;
• desenvolveu a educação;
• taxou as propriedades da nobreza e do clero

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O Estado Moderno
O Estado ModernoO Estado Moderno
O Estado Moderno
Aulas de História
 
Filosofia contemporânea
Filosofia contemporâneaFilosofia contemporânea
Filosofia contemporânea
Lucas Sousa
 
Os pré-socráticos
Os pré-socráticosOs pré-socráticos
Os pré-socráticos
João Paulo Rodrigues
 
Islamismo
IslamismoIslamismo
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
harlissoncarvalho
 
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Janayna Lira
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
isameucci
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
Modernos estados nacionais
Modernos estados nacionaisModernos estados nacionais
Modernos estados nacionais
Eduard Henry
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideias
Italo Colares
 
Aula sobre o iluminismo.
Aula sobre o iluminismo.Aula sobre o iluminismo.
Aula sobre o iluminismo.
Dênis Ribas
 
Política antiga e medieval aula - 3º ano
Política antiga e medieval   aula  - 3º anoPolítica antiga e medieval   aula  - 3º ano
Política antiga e medieval aula - 3º ano
José Antonio Ferreira da Silva
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
joana71
 
Etnocentrismo
EtnocentrismoEtnocentrismo
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
MarceloFreitas
 
2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.
Daniel Alves Bronstrup
 
A mineração no brasil colonial
A mineração no brasil colonialA mineração no brasil colonial
A mineração no brasil colonial
Marilia Pimentel
 
Filosofia 02 - Sócrates, Platão e Aristóteles
Filosofia 02 - Sócrates, Platão e  AristótelesFilosofia 02 - Sócrates, Platão e  Aristóteles
Filosofia 02 - Sócrates, Platão e Aristóteles
Diego Bian Filo Moreira
 
Aula02 - Metafísica
Aula02 - MetafísicaAula02 - Metafísica
Aula02 - Metafísica
William Ananias
 

Mais procurados (20)

O Estado Moderno
O Estado ModernoO Estado Moderno
O Estado Moderno
 
Filosofia contemporânea
Filosofia contemporâneaFilosofia contemporânea
Filosofia contemporânea
 
Os pré-socráticos
Os pré-socráticosOs pré-socráticos
Os pré-socráticos
 
Islamismo
IslamismoIslamismo
Islamismo
 
Imperialismo
ImperialismoImperialismo
Imperialismo
 
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
Modernos estados nacionais
Modernos estados nacionaisModernos estados nacionais
Modernos estados nacionais
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideias
 
Aula sobre o iluminismo.
Aula sobre o iluminismo.Aula sobre o iluminismo.
Aula sobre o iluminismo.
 
Política antiga e medieval aula - 3º ano
Política antiga e medieval   aula  - 3º anoPolítica antiga e medieval   aula  - 3º ano
Política antiga e medieval aula - 3º ano
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Etnocentrismo
EtnocentrismoEtnocentrismo
Etnocentrismo
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.
 
A mineração no brasil colonial
A mineração no brasil colonialA mineração no brasil colonial
A mineração no brasil colonial
 
Filosofia 02 - Sócrates, Platão e Aristóteles
Filosofia 02 - Sócrates, Platão e  AristótelesFilosofia 02 - Sócrates, Platão e  Aristóteles
Filosofia 02 - Sócrates, Platão e Aristóteles
 
Aula02 - Metafísica
Aula02 - MetafísicaAula02 - Metafísica
Aula02 - Metafísica
 

Semelhante a Resumo o iluminismo

Iluminismo 2012
Iluminismo 2012Iluminismo 2012
Iluminismo 2012
ProfessoresColeguium
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Alessandra Pereira
 
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIIIIdeias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
eduardodemiranda
 
ILUMINISMO
ILUMINISMOILUMINISMO
ILUMINISMO
Nívia Sales
 
liberalismo e nacionaismo 1.ppt
liberalismo e nacionaismo 1.pptliberalismo e nacionaismo 1.ppt
liberalismo e nacionaismo 1.ppt
FakeDaKbM
 
2 iluminismo e despotismo
2   iluminismo e despotismo2   iluminismo e despotismo
2 iluminismo e despotismo
Marilia Pimentel
 
Iluminismo2
Iluminismo2Iluminismo2
Iluminismo2
maida marciano
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
historiando
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecidoIluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
Mozão Fraga
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
dmflores21
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
Fatima Freitas
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Rev científica sec xvii e iluminismo
Rev científica sec xvii e iluminismoRev científica sec xvii e iluminismo
Rev científica sec xvii e iluminismo
harlissoncarvalho
 
Revisahistória o iluminismo
Revisahistória o iluminismoRevisahistória o iluminismo
Revisahistória o iluminismo
Marília Pimentel
 
Iluminismo e despotismo
Iluminismo e  despotismoIluminismo e  despotismo
Iluminismo e despotismo
Blendo Widston
 
O iiLUMINISMO
O iiLUMINISMOO iiLUMINISMO
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
Iluminismo(lutero)
Iluminismo(lutero)Iluminismo(lutero)
Iluminismo(lutero)
eunamahcado
 
ILUMINISMO.pptx
ILUMINISMO.pptxILUMINISMO.pptx
ILUMINISMO.pptx
CamilaBiondi3
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo

Semelhante a Resumo o iluminismo (20)

Iluminismo 2012
Iluminismo 2012Iluminismo 2012
Iluminismo 2012
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIIIIdeias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
 
ILUMINISMO
ILUMINISMOILUMINISMO
ILUMINISMO
 
liberalismo e nacionaismo 1.ppt
liberalismo e nacionaismo 1.pptliberalismo e nacionaismo 1.ppt
liberalismo e nacionaismo 1.ppt
 
2 iluminismo e despotismo
2   iluminismo e despotismo2   iluminismo e despotismo
2 iluminismo e despotismo
 
Iluminismo2
Iluminismo2Iluminismo2
Iluminismo2
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecidoIluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Rev científica sec xvii e iluminismo
Rev científica sec xvii e iluminismoRev científica sec xvii e iluminismo
Rev científica sec xvii e iluminismo
 
Revisahistória o iluminismo
Revisahistória o iluminismoRevisahistória o iluminismo
Revisahistória o iluminismo
 
Iluminismo e despotismo
Iluminismo e  despotismoIluminismo e  despotismo
Iluminismo e despotismo
 
O iiLUMINISMO
O iiLUMINISMOO iiLUMINISMO
O iiLUMINISMO
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
 
Iluminismo(lutero)
Iluminismo(lutero)Iluminismo(lutero)
Iluminismo(lutero)
 
ILUMINISMO.pptx
ILUMINISMO.pptxILUMINISMO.pptx
ILUMINISMO.pptx
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 

Mais de Claudenilson da Silva

Resumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesasResumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesas
Claudenilson da Silva
 
Resumo china e índia
Resumo   china e índiaResumo   china e índia
Resumo china e índia
Claudenilson da Silva
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
Claudenilson da Silva
 
BRASIL COLÔNIA - PARTE I
BRASIL COLÔNIA - PARTE IBRASIL COLÔNIA - PARTE I
BRASIL COLÔNIA - PARTE I
Claudenilson da Silva
 
Resumo processo de independência do brasil
Resumo   processo de independência do brasilResumo   processo de independência do brasil
Resumo processo de independência do brasil
Claudenilson da Silva
 
Colonização da América
Colonização da AméricaColonização da América
Colonização da América
Claudenilson da Silva
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
Claudenilson da Silva
 
América Précolombiana
América PrécolombianaAmérica Précolombiana
América Précolombiana
Claudenilson da Silva
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
Claudenilson da Silva
 
Resumo era napoleonica
Resumo   era napoleonicaResumo   era napoleonica
Resumo era napoleonica
Claudenilson da Silva
 
Resumo reforma protestante
Resumo   reforma protestanteResumo   reforma protestante
Resumo reforma protestante
Claudenilson da Silva
 
Resumo mercantilismo e expansão marítima
Resumo   mercantilismo e expansão marítimaResumo   mercantilismo e expansão marítima
Resumo mercantilismo e expansão marítima
Claudenilson da Silva
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
Claudenilson da Silva
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Claudenilson da Silva
 
Resumo absolutismo monárquico
Resumo   absolutismo monárquicoResumo   absolutismo monárquico
Resumo absolutismo monárquico
Claudenilson da Silva
 
Resumo revoluçoes inglesas
Resumo   revoluçoes inglesasResumo   revoluçoes inglesas
Resumo revoluçoes inglesas
Claudenilson da Silva
 
Resumo baixa idade media
Resumo baixa idade mediaResumo baixa idade media
Resumo baixa idade media
Claudenilson da Silva
 
Resumo grécia antiga
Resumo  grécia antigaResumo  grécia antiga
Resumo grécia antiga
Claudenilson da Silva
 
Resumo egito antigo
Resumo   egito antigoResumo   egito antigo
Resumo egito antigo
Claudenilson da Silva
 
Resumo alta idade média
Resumo   alta idade médiaResumo   alta idade média
Resumo alta idade média
Claudenilson da Silva
 

Mais de Claudenilson da Silva (20)

Resumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesasResumo revoluoesinglesas
Resumo revoluoesinglesas
 
Resumo china e índia
Resumo   china e índiaResumo   china e índia
Resumo china e índia
 
Primeiro Reinado
Primeiro ReinadoPrimeiro Reinado
Primeiro Reinado
 
BRASIL COLÔNIA - PARTE I
BRASIL COLÔNIA - PARTE IBRASIL COLÔNIA - PARTE I
BRASIL COLÔNIA - PARTE I
 
Resumo processo de independência do brasil
Resumo   processo de independência do brasilResumo   processo de independência do brasil
Resumo processo de independência do brasil
 
Colonização da América
Colonização da AméricaColonização da América
Colonização da América
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
América Précolombiana
América PrécolombianaAmérica Précolombiana
América Précolombiana
 
Revolução Americana
Revolução AmericanaRevolução Americana
Revolução Americana
 
Resumo era napoleonica
Resumo   era napoleonicaResumo   era napoleonica
Resumo era napoleonica
 
Resumo reforma protestante
Resumo   reforma protestanteResumo   reforma protestante
Resumo reforma protestante
 
Resumo mercantilismo e expansão marítima
Resumo   mercantilismo e expansão marítimaResumo   mercantilismo e expansão marítima
Resumo mercantilismo e expansão marítima
 
Renascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e CientíficoRenascimento Cultural e Científico
Renascimento Cultural e Científico
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Resumo absolutismo monárquico
Resumo   absolutismo monárquicoResumo   absolutismo monárquico
Resumo absolutismo monárquico
 
Resumo revoluçoes inglesas
Resumo   revoluçoes inglesasResumo   revoluçoes inglesas
Resumo revoluçoes inglesas
 
Resumo baixa idade media
Resumo baixa idade mediaResumo baixa idade media
Resumo baixa idade media
 
Resumo grécia antiga
Resumo  grécia antigaResumo  grécia antiga
Resumo grécia antiga
 
Resumo egito antigo
Resumo   egito antigoResumo   egito antigo
Resumo egito antigo
 
Resumo alta idade média
Resumo   alta idade médiaResumo   alta idade média
Resumo alta idade média
 

Último

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 

Resumo o iluminismo

  • 1. O ILUMINISMO Chamamos de Iluminismo o movimento cultural que se desenvolveu na Inglaterra, Holanda e França nos séculos XVII e XVIII. Nessa época, o desenvolvimento intelectual, que vinha ocorrendo desde o Renascimento, deu origem a ideias de liberdade política e econômica, defendidas pela burguesia. Os filósofos e economistas que difundiam essas ideias julgavam-se propagadores da luz e do conhecimento, sendo, por isso, chamados de iluministas. O Iluminismo trouxe inúmeras mudanças à sociedade europeia.
  • 2. O precursor deste movimento foi o matemático francês René Descartes (1596-1650), considerado o pai do racionalismo, que recomendava: “para se chegar à verdade, duvide de tudo, mesmo das coisas aparentemente verdadeiras. A partir da dúvida racional pode-se Alcançar a compreensão do mundo, e mesmo de Deus” “Penso, logo existo” René Descartes em “Discurso do método”
  • 3. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS  Pode-se dizer que o Iluminismo tem suas raízes no Renascimento cultural e científico iniciado na Baixa Idade Média.  Valorização da razão, considerada o mais importante instrumento para se alcançar qualquer tipo de conhecimento;  valorização do questionamento, da investigação e da experiência como forma de conhecimento tanto da natureza quanto da sociedade, política ou econômica;  crença nas leis naturais , normas da natureza que regem todas as transformações que ocorrem no comportamento humano, nas sociedades e na natureza;  crença nos direitos naturais, que todos os indivíduos possuem em relação à vida, à liberdade, à posse de bens materiais;  crítica ao absolutismo, ao mercantilismo e aos privilégios da nobreza e do clero;  defesa da liberdade política e econômica e da igualdade de todos perante a lei;  crítica à Igreja, embora não se excluí-se a crença em Deus
  • 4. PRINCIPAIS TEÓRICOS ILUMINISTAS John Lock (1632-1704) OBRA: Ensaio acerca do entendimento humano TEORIA: Empirismo / Jusnaturalismo  DIREITOS NATURAIS • vida UNIVERSAIS • Liberdade E • Propriedade INALIENÁVEIS  BASE: Liberalismo Jurídico
  • 5. • Os homens formavam sociedade e instituíam um governo para que este lhe garantisse alguns direitos como: a felicidade, a vida e a propriedade; e, caso este governo não atenda a estas necessidades naturais o povo poderia exigir a substituição do governante • Todos os indvíduos nascem iguais, sem valores, ou ideias preconcebidas.
  • 6. Barão de Montesquieu (1689-1755) OBRA: “O Espírito das leis” TEORIA: separação dos poderes  DIREITOS NATURAIS • Legislativo AUTÔNOMOS • Executivo E • Judiciário HARMÔNICOS  BASE: Liberalismo Político • cada setor do governo deveria agir como um freio para o outro; • defendia a posição de que somente as pessoas de boa renda poderiam ter direitos políticos, ou seja, direito de votar e candidatar-se a cargos públicos;
  • 7. Voltaire: Francis Marie Arouet (1694-1778) OBRA: “Tratado sobre a tolerância” TEORIA: • Crítica irônica ao Antigo Regime • Crítica à intolerância religiosa • Defesa da liberdade de expressão “Posso discordar de tuas palavras, mas defenderei até a morte o direito de dizê-las” • era a favor de uma monarquia esclarecida, na qual o governante fizesse reformas influenciado pelas ideias iluministas.
  • 8. OS ECONOMISTAS FISIOCRATAS AUTORES: - François Quesnay (1694-1774) OBRA: “Tableau Economique” (1758) - Anne Robert Jacques Turgot (1727-1781) (ministro de finanças de Luiz XVI) TEORIA: - A economia é uma ciência natural; - Leis econômicas = leis naturais - Não dependem da vontade/intervenção humana
  • 9. • A economia seria regulada por leis naturais, sendo desnecessária a intervenção do Estado. • O princípio “Laissez faire, laissez passer” (Deixe fazer, deixe pensar) era defendido pelos fisiocratas, onde pregavam o ideal da liberdade. • Os fisiocratas influenciaram na formação de uma corrente chamada Liberalismo econômico.
  • 10. Adam Smith (1723-1790) OBRA: “Uma investigação sobre a natureza e a causa da riqueza das nações” TEORIA: - Economia = ciência natural - LEI GERAL: Oferta e procura - Metáfora da “mão invisível”.  BASE: Liberalismo Econômico e Escola de Economia Clássica • Nem agricultura, como queriam os fisiocratas; nem o comércio, como defendiam os mercantilistas; o trabalho era a fonte da riqueza.
  • 11. Jean Jacques Rousseau (1712-1778) OBRA: “Do contrato social” TEORIA: Contratualismo - Qual a origem da desigualdade entre os homens? RESPOSTA: uma sociedade que molda os homens (tábula rasa) na defesa da propriedade privada, causando o conflito entre os proprietários e os não- proprietários. SOLUÇÃO: um novo contrato social com: - Democracia - Educação Universal - Fim da propriedade privada
  • 12. • Criticou a burguesia e a propriedade privada; • considerava os homens bons por natureza e capazes de viver em harmonia, não fosse alguns terem se apoderado da terra, dando origem à desigualdade e aos conflitos sociais; •Propunha um governo no qual o povo participasse politicamente e a vontade da maioria determinasse as decisões políticas.
  • 13. ENCICLOPEDISTAS AUTORES: - Denis Diderot (1713-1783) - Jean le Rond d’Alembert (1717-1783)  OBRA: Encyclopédie, ou dictionnaire raisonné des sciences, des arts et des métiers. TEORIA: Divulgar o conhecimento iluminista através da Enciclopédia
  • 14. O ILUMINISMO E A RELIGIÃO  Até a crença deveria ser racionalizada;  para encontrar Deus, bastaria levar vida piedosa e virtuosa;  para muitos iluministas a Igreja tornava-se indispensável.
  • 15. O DESPOTISMO ESCLARECIDO CONCEITO: reformas de moderação do Estado a partir dos princípios iluministas  EXEMPLOS: • José II (Áustria: 1780-1790) • José I (Portugal: 1750-1777) • Catarina (Rússia: 1762-1796) • Carlos II (Espanha: 1716-1788) • Frederico II (Prússia: 1712-1786)  Surgiu em países da Europa essencialmente agrícolas;  Os soberanos destes países, apoiados pela burguesia e em parte da aristrocracia, explicavam seu poder absoluto não pela “origem divina”, mas como resultado de necessidades sociais.  Governavam em nome da razão e pretendiam construir a prosperidade de seus Estados.
  • 16. Prússia: Frederico II • organizou militarmente a Prússia; • expandiu o território do país; • estimulou o desenvolvimento industrial; • incentivou a educação Rússia: Catarina, a Grande • incentivou a cultura • promoveu transformações sociais baseadas nas ideias iluministas.
  • 17. PRINCIPAIS DESPOSTAS ESCLARECIDOS Portugal: Marquês de Pombal (ministro de D. José I) • aumentou o controle do Estado sobre a economia; • incentivou o comércio e as manufaturas; • expulsou os jesuítas de Portugal e de suas colônias. Austria: José II • estimulou o desenvolvimento das manufaturas e da agricultura. • libertou os servos de várias regiões do país; • desenvolveu a educação; • taxou as propriedades da nobreza e do clero