SlideShare uma empresa Scribd logo
Minicurso:
Minicurso:
"Primeiros Socorros: Em casos
de Crises de Pânico"
PROF. DR. CAIO MAXIMINO
DOCÉREBRO
EM MARABÁ
IX SEMANA
O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
Ataques de pânico são fenômenos comuns, mesmo em pessoas que não
são diagnosticadas com transtorno de pânico ou outros transtornos de
ansiedade. Podem ser muito angustiantes para quem está vivenciando um
ataque, mas também são limitados no tempo, e existem estratégias para
ajudar a pessoa a lidar com a experiência. Nesse minicurso, discutiremos
algumas das estratégias que você pode aplicar se encontrar alguém que
esteja tendo um ataque de pânico.
Resumo
IX Semana do Cérebro de Marabá
Programa
O que é um ataque de pânico?
04 Comunicação
12
O que fazer?
06 Estratégias de
enfrentamento
13
Incerteza
07
Grounding
14
Apoio emocional
09
Referências e
perguntas
16
Segurança da pessoa
08
Após o encerramento
15
Recusa
11
"Um episódio discreto de medo ou apreensão intensos acompanhado pelo início rápido e
simultâneo de vários sintomas característicos. Esses sintomas podem incluir, entre outros,
palpitações ou aumento da frequência cardíaca, sudorese, tremores, sensação de falta de
ar, sensação de asfixia, dor no peito, náusea ou desconforto abdominal, sensação de
tontura ou vertigem, calafrios ou ondas de calor, formigamento ou falta de sensibilidade
nas extremidades (ou seja, parestesia), despersonalização ou desrealização, medo de
perder o controle ou enlouquecer e medo de morte iminente. Os ataques de pânico podem
surgir do nada ou ser desencadeados por situações específicas"
O que é um ataque
de pânico?
2023
IX Semana do Cérebro de Marabá
Slide04 de 16
DOCÉREBRO
EM MARABÁ
IX SEMANA
O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
Os sintomas de um ataque de pânico podem diferir de pessoa para pessoa, e de
ocasião para ocasião.
A duração de um ataque de pânico também pode diferir de uma pessoa para outra, e
de uma ocasião para outra, ainda que os sintomas comumente atinjam um pico dentro
de alguns minutos
A maioria dos ataques de pânico dura entre 5 a 20 minutos, e eles podem encerrar
tão rapidamente quanto iniciem.
É possível vivenciar mais de um ataque de pânico em sequência.
Situacional vs. inesperado
Após vivenciar um ataque de pânico, uma pessoa pode sentir-se esgotada e exausta.
Os efeitos físicos e emocionais que se seguem a um ataque de pânico podem durar
algumas horas.
2023
IX Semana do Cérebro de Marabá
Slide 05 de 16
DOCÉREBRO
EM MARABÁ
IX SEMANA
O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
IDENTIFIQUE-SE
Perguntar se a pessoa sabe o que está
acontecendo
Perguntar se a pessoa já teve um ataque de
pânico no passado
Se a pessoa parecer desorientada ou
confusa, TRANQUILIZE-A de que ela está
segura
Perguntas simples, respostas não-verbais
O que devo fazer se eu
achar que alguém pode
estar tendo um ataque de
pânico?
Slide 06 de 16
Foto de SHVETS production no Pexels: https://www.pexels.com/pt-
br/foto/casaco-com-capuz-cartas-letras-solitario-8410834/
DOCÉREBRO
EM MARABÁ
IX SEMANA
O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
DOCÉREBRO
EM MARABÁ
IX SEMANA
O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
E se eu não tiver certeza se alguém está
tendo um ataque de pânico?
01 03
02 04
Os sintomas de pânico podem se assemelhar aos
sintomas de um ataque cardíaco ou outra condição
médica.
Se a pessoa não tiver tido um ataque de pânico antes, e
não achar que está tendo um agora, você devem seguir
as diretrizes de primeiros socorros físicos.
Pergunta à pessoa se seus sintomas estão relacionados
a um problema médico, ou verifique pulseiras, pingentes,
ou tatuagens
Ligue para os serviços de emergência se estiver
preocupado que possa haver uma razão médica para os
sintomas da pessoa, ou se ela perder a consciência ou
parecer estar tendo graves dificuldades para respirar.
Slide 07 de 16
Encorajar a se deslocar a um espaço seguro
Não impeça o que ela está fazendo, a menos que
isso coloque outras pessoas em risco
Se em algum momento você precisar sair, tente
encontrar outra pessoa que possa acompanhar a
pessoa.
Considere a segurança da pessoa
Segurança
Slide 08 de 16
DOCÉREBRO
EM MARABÁ
IX SEMANA
O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
Tranquilizando a
pessoa em ataque de
pânico
Reafirmar que está lá para
ajudar a superar o que está
se passando
Validar os sentimentos
Não há nada do que se envergonhar
Perguntar qual a melhor maneira de
ajudar
Reafirmação Validação
Slide 09 de 16
2023
IX Semana do Cérebro de Marabá
Reconhecer que esta experiência é desconfortável,
aterrorizante e estressante.
Reconhecer que seu terror parece muito real para essa
pessoa.
Fale com a pessoa de maneira reconfortante, mas
confiante.
Dê algum espaço, para que a pessoa não se sinta
sufocada. Tente criar um espaço ao seu redor, se houver
outras pessoas presentes.
Remova qualquer coisa que obviamente esteja causando
angústia à pessoa.
Se existem pessoas presentes que não estão ajudando ou
sendo respeitosas, ou estão causando desconforto à
pessoa, peça-as que saiam.
Apoio emocional
Slide 10 de 16
Não minimize ou ignore o ataque de pânico que a
pessoa está vivenciando.
Não minimize os sintomas ou o que a pessoa está
vivenciando, p. ex., falando “não entre em pânico”,
“você está exagerando”, “não há nada com o que
se preocupar”, “só se acalme”.
Não critique a pessoa por ter um ataque de pânico
ou por seu comportamento durante o ataque de
pânico.
Não expresse pena em relação à pessoa.
Não sobrecarregue a pessoa com muita conversa
porque isso pode aumentar seu nível de pânico.
Somente faça perguntas que orientem a melhor
forma de ajudá-la.
Não pressione a pessoa a explicar o que causou o
ataque de pânico. A pessoa pode não estar ciente
da causa.
Não agarre, segure, ou contenha a pessoa, e não a
toque sem sua permissão.
DOCÉREBRO
EM MARABÁ
IX SEMANA
O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
Recusa
Se a pessoa não quiser conversar, respeite
sua decisão.
Se a pessoa parecer pouco amigável ou
rude, tente não levar para o lado pessoal.
Se a pessoa recusar sua ajuda, ou quiser
lidar com o ataque de pânico por conta
própria, respeite seu desejo.
Pergunte à pessoa se existe outra pessoa
para quem ela gostaria de ligar para pedir
ajuda.
Slide 11 de 16
DOCÉREBRO
EM MARABÁ
IX SEMANA
O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
Comunicação
01 03
02
Tom calmo Termos de apoio
Frases curtas
Tente se manter em calma e evite se absorver pelo
pânico
Fale com a pessoa de maneira positiva e com termos
de apoio
Fale clara e lentamente usando frases curtas, e seja
paciente com a pessoa
Slide 12 de 16
DOCÉREBRO
EM MARABÁ
IX SEMANA
O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
Se a pessoa estiver usando estratégias de enfrentamento que estão
funcionando para ela, encoraje-a a continuar usando-as.
Depois que a pessoa se engajou com essas estratégias de
enfrentamento, assegure-a que ela está fazendo um bom trabalho.
É importante não pressionar a pessoa a fazer algo que ela não quer
fazer.
Estratégias de
enfrentamento
Slide 13 de 16
Grounding
Slide 14 de 16
Respiração 4-7-8
Pranayama
Alternar narinas
Encoraje a pessoa a tentar desacelerar sua respiração gradualmente
através de inspirações lentas e constantes. Você pode ajudar a pessoa
a controlar sua respiração demonstrando e falando com ela como se
faz.
Técnica 54321 - estimulação sensorial para trazer ao momento
presente
02
Pergunte à pessoa se ela sabe onde pode buscar ajuda
e aconselhamento. Se a pessoa não souber, você pode
oferecer algumas sugestões.
01
Depois que o ataque de pânico passou, verifique se a
pessoa sente-se confortável em ficar sozinha antes de
você ir embora.
03
Encoraje a pessoa a se consultar com seu médico ou
com um profissional de saúde apropriado se tiver
ataques de pânico no futuro, se disser que seus ataques
são recorrentes, ou se tiver que mudar de vida para
prevenir a ocorrência de ataques de pânico
O que fazer após o
ataque de pânico?
Slide 15 de 16
Gergö Hadlaczky, Sebastian Hökby, Anahit Mkrtchian, Vladimir Carli & Danuta Wasserman (2014). Mental
Health First Aid is an effective public health intervention for improving knowledge, attitudes, and behaviour:
A meta-analysis. International Review of Psychiatry, 26:4, 467-475, DOI: 10.3109/09540261.2014.924910
Kathryn J. Chalmers, Alyssia Rossetto, Nicola J. Reavley, Anthony F. Jorm, Betty A. Kitchener, Claire M. Kelly,
Amy J. Morgan, Kathy S. Bond & Fairlie A. Cottrill (2022). Redevelopment of mental health first aid
guidelines for supporting someone experiencing a panic attack: a Delphi study. BMC Psychology, 10: 136,
DOI: 10.1186/s40359-022-00843-3
Referências
Slide 16 de 16
DOCÉREBRO
EM MARABÁ
IX SEMANA
O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Psicologia das emergências
Psicologia das emergências Psicologia das emergências
Psicologia das emergências
Waleska Medeiros de Souza
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
dpoiati
 
Teste de atenção concentrada rio vigilante
Teste de atenção concentrada   rio vigilanteTeste de atenção concentrada   rio vigilante
Teste de atenção concentrada rio vigilante
Rio Vigilante
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
Michely Blank
 
Liderança Emocional
Liderança EmocionalLiderança Emocional
Liderança Emocional
Silviany Melo
 
Palestra saúde mental e qualidade de vida
Palestra saúde mental e qualidade de vidaPalestra saúde mental e qualidade de vida
Palestra saúde mental e qualidade de vida
Fernando R. G. Paolini
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
Alinebrauna Brauna
 
saude mental
saude mental saude mental
saude mental
IsabeldaCosta5
 
Amamentação
AmamentaçãoAmamentação
Amamentação
Cleidenisia Daiana
 
Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
blogped1
 
Depressao diagnostico e tratamento
Depressao diagnostico e tratamentoDepressao diagnostico e tratamento
Depressao diagnostico e tratamento
Cosmo Palasio
 
Como cuidar da minha saúde mental?
Como cuidar da minha saúde mental?Como cuidar da minha saúde mental?
Como cuidar da minha saúde mental?
Vida Mental Consultoria de Saúde Mental e Nutricional
 
Alcoolismo
AlcoolismoAlcoolismo
Proatividade
ProatividadeProatividade
Proatividade
Talita Aquino
 
25 Frases Inspiradoras de Augusto Cury
25 Frases Inspiradoras de Augusto Cury25 Frases Inspiradoras de Augusto Cury
25 Frases Inspiradoras de Augusto Cury
Universodosnegocios
 
Saúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalhoSaúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalho
Oficina Psicologia
 
Trabalho Em Equipe
Trabalho Em EquipeTrabalho Em Equipe
Trabalho Em Equipe
aavbatista
 
Palestra Inteligência Emocional
Palestra Inteligência EmocionalPalestra Inteligência Emocional
Palestra Inteligência Emocional
Edson Salgado Ávella
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
Andressa Macena
 
Mitos e verdades - setembro amarelo
Mitos e verdades  -  setembro amareloMitos e verdades  -  setembro amarelo
Mitos e verdades - setembro amarelo
Ministério Público de Santa Catarina
 

Mais procurados (20)

Psicologia das emergências
Psicologia das emergências Psicologia das emergências
Psicologia das emergências
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
 
Teste de atenção concentrada rio vigilante
Teste de atenção concentrada   rio vigilanteTeste de atenção concentrada   rio vigilante
Teste de atenção concentrada rio vigilante
 
Aleitamento materno
Aleitamento maternoAleitamento materno
Aleitamento materno
 
Liderança Emocional
Liderança EmocionalLiderança Emocional
Liderança Emocional
 
Palestra saúde mental e qualidade de vida
Palestra saúde mental e qualidade de vidaPalestra saúde mental e qualidade de vida
Palestra saúde mental e qualidade de vida
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
 
saude mental
saude mental saude mental
saude mental
 
Amamentação
AmamentaçãoAmamentação
Amamentação
 
Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
 
Depressao diagnostico e tratamento
Depressao diagnostico e tratamentoDepressao diagnostico e tratamento
Depressao diagnostico e tratamento
 
Como cuidar da minha saúde mental?
Como cuidar da minha saúde mental?Como cuidar da minha saúde mental?
Como cuidar da minha saúde mental?
 
Alcoolismo
AlcoolismoAlcoolismo
Alcoolismo
 
Proatividade
ProatividadeProatividade
Proatividade
 
25 Frases Inspiradoras de Augusto Cury
25 Frases Inspiradoras de Augusto Cury25 Frases Inspiradoras de Augusto Cury
25 Frases Inspiradoras de Augusto Cury
 
Saúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalhoSaúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalho
 
Trabalho Em Equipe
Trabalho Em EquipeTrabalho Em Equipe
Trabalho Em Equipe
 
Palestra Inteligência Emocional
Palestra Inteligência EmocionalPalestra Inteligência Emocional
Palestra Inteligência Emocional
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
Mitos e verdades - setembro amarelo
Mitos e verdades  -  setembro amareloMitos e verdades  -  setembro amarelo
Mitos e verdades - setembro amarelo
 

Semelhante a Minicurso "Primeiros socorros: Em caso de ataque de pânico"

Transtorno de pânico ou fobias? Como lidar
Transtorno de pânico ou fobias? Como lidarTranstorno de pânico ou fobias? Como lidar
Transtorno de pânico ou fobias? Como lidar
Anissis Ramos
 
Dominarsuas emocoes
Dominarsuas emocoesDominarsuas emocoes
Dominarsuas emocoes
Tony Ferrande
 
Como dominar as suas emoções
Como dominar as suas emoçõesComo dominar as suas emoções
Como dominar as suas emoções
Emanuel Francisco
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
Cristiane Thiel
 
Fobias específicas intervenção
Fobias específicas   intervençãoFobias específicas   intervenção
Fobias específicas intervenção
Rosalina Fialho
 
Sindrome do pânico
Sindrome do pânicoSindrome do pânico
Sindrome do pânico
Jessica Gonçalves
 
Como dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroy
Como dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroyComo dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroy
Como dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroy
Januário Zacarias
 
ANSIEDADE.pptx
ANSIEDADE.pptxANSIEDADE.pptx
ANSIEDADE.pptx
Rafaella Cristine
 
aula 6 - sindrome do panico.ppt
aula 6 -  sindrome do panico.pptaula 6 -  sindrome do panico.ppt
aula 6 - sindrome do panico.ppt
talaBarbosaMachado1
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Apoio Emocional
Apoio EmocionalApoio Emocional
Apoio Emocional
RichardLahoz3
 
Ataque e Síndrome de Pânico na Atualidade .pdf
Ataque e Síndrome de Pânico na Atualidade .pdfAtaque e Síndrome de Pânico na Atualidade .pdf
Ataque e Síndrome de Pânico na Atualidade .pdf
Pastor Robson Colaço
 
DESVENDANDO OS MITOS DA ANDIEDADE: VERDADES CRUCIAIS PARA SUA SAÚDE MENTAL
DESVENDANDO OS MITOS DA ANDIEDADE: VERDADES CRUCIAIS PARA SUA SAÚDE MENTALDESVENDANDO OS MITOS DA ANDIEDADE: VERDADES CRUCIAIS PARA SUA SAÚDE MENTAL
DESVENDANDO OS MITOS DA ANDIEDADE: VERDADES CRUCIAIS PARA SUA SAÚDE MENTAL
EGUINALDO ELEOTERIO
 
Sensorimonitor ocd slide
Sensorimonitor ocd slideSensorimonitor ocd slide
Sensorimonitor ocd slide
FruitsPunchSamurai1
 
Psicologia infantil 2013 trabalo de grupo
Psicologia infantil 2013 trabalo de grupoPsicologia infantil 2013 trabalo de grupo
Psicologia infantil 2013 trabalo de grupo
fergwen
 
Resiliência2
Resiliência2Resiliência2
Resiliência2
pr_afsalbergaria
 
Aula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátrica
Aula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátricaAula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátrica
Aula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátrica
Claudio Viegas
 
02 as emocoes no panico
02 as emocoes no panico02 as emocoes no panico
02 as emocoes no panico
Graça Martins
 
As emocoes no panico
As emocoes no panicoAs emocoes no panico
As emocoes no panico
Graça Martins
 
terapia cognitiva comportamental apresentação
terapia cognitiva comportamental apresentaçãoterapia cognitiva comportamental apresentação
terapia cognitiva comportamental apresentação
MarliaRodrigues39
 

Semelhante a Minicurso "Primeiros socorros: Em caso de ataque de pânico" (20)

Transtorno de pânico ou fobias? Como lidar
Transtorno de pânico ou fobias? Como lidarTranstorno de pânico ou fobias? Como lidar
Transtorno de pânico ou fobias? Como lidar
 
Dominarsuas emocoes
Dominarsuas emocoesDominarsuas emocoes
Dominarsuas emocoes
 
Como dominar as suas emoções
Como dominar as suas emoçõesComo dominar as suas emoções
Como dominar as suas emoções
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
Fobias específicas intervenção
Fobias específicas   intervençãoFobias específicas   intervenção
Fobias específicas intervenção
 
Sindrome do pânico
Sindrome do pânicoSindrome do pânico
Sindrome do pânico
 
Como dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroy
Como dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroyComo dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroy
Como dominar as suas emoçses e torná las positivas - chrisitan h. godefroy
 
ANSIEDADE.pptx
ANSIEDADE.pptxANSIEDADE.pptx
ANSIEDADE.pptx
 
aula 6 - sindrome do panico.ppt
aula 6 -  sindrome do panico.pptaula 6 -  sindrome do panico.ppt
aula 6 - sindrome do panico.ppt
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
Apoio Emocional
Apoio EmocionalApoio Emocional
Apoio Emocional
 
Ataque e Síndrome de Pânico na Atualidade .pdf
Ataque e Síndrome de Pânico na Atualidade .pdfAtaque e Síndrome de Pânico na Atualidade .pdf
Ataque e Síndrome de Pânico na Atualidade .pdf
 
DESVENDANDO OS MITOS DA ANDIEDADE: VERDADES CRUCIAIS PARA SUA SAÚDE MENTAL
DESVENDANDO OS MITOS DA ANDIEDADE: VERDADES CRUCIAIS PARA SUA SAÚDE MENTALDESVENDANDO OS MITOS DA ANDIEDADE: VERDADES CRUCIAIS PARA SUA SAÚDE MENTAL
DESVENDANDO OS MITOS DA ANDIEDADE: VERDADES CRUCIAIS PARA SUA SAÚDE MENTAL
 
Sensorimonitor ocd slide
Sensorimonitor ocd slideSensorimonitor ocd slide
Sensorimonitor ocd slide
 
Psicologia infantil 2013 trabalo de grupo
Psicologia infantil 2013 trabalo de grupoPsicologia infantil 2013 trabalo de grupo
Psicologia infantil 2013 trabalo de grupo
 
Resiliência2
Resiliência2Resiliência2
Resiliência2
 
Aula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátrica
Aula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátricaAula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátrica
Aula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátrica
 
02 as emocoes no panico
02 as emocoes no panico02 as emocoes no panico
02 as emocoes no panico
 
As emocoes no panico
As emocoes no panicoAs emocoes no panico
As emocoes no panico
 
terapia cognitiva comportamental apresentação
terapia cognitiva comportamental apresentaçãoterapia cognitiva comportamental apresentação
terapia cognitiva comportamental apresentação
 

Mais de Caio Maximino

Papel de receptores 5-HT2CL en la socialidad del pez cebra
Papel de receptores 5-HT2CL en la socialidad del pez cebraPapel de receptores 5-HT2CL en la socialidad del pez cebra
Papel de receptores 5-HT2CL en la socialidad del pez cebra
Caio Maximino
 
Efectos de fluoxetina sobre la agresión del pez cebra dependiente del fenotipo
Efectos de fluoxetina sobre la agresión del pez cebra dependiente del fenotipoEfectos de fluoxetina sobre la agresión del pez cebra dependiente del fenotipo
Efectos de fluoxetina sobre la agresión del pez cebra dependiente del fenotipo
Caio Maximino
 
Impacto del pez cebra en biología y neurociencias
Impacto del pez cebra en biología y neurocienciasImpacto del pez cebra en biología y neurociencias
Impacto del pez cebra en biología y neurociencias
Caio Maximino
 
El pez cebra en el estudio de psicofarmacos
El pez cebra en el estudio de psicofarmacosEl pez cebra en el estudio de psicofarmacos
El pez cebra en el estudio de psicofarmacos
Caio Maximino
 
A cerebralização do sofrimento psíquico
A cerebralização do sofrimento psíquicoA cerebralização do sofrimento psíquico
A cerebralização do sofrimento psíquico
Caio Maximino
 
Human physiological response in perspective: Focus on the capitalocene
Human physiological response in perspective: Focus on the capitaloceneHuman physiological response in perspective: Focus on the capitalocene
Human physiological response in perspective: Focus on the capitalocene
Caio Maximino
 
Vertebrate stress mechanisms under change
Vertebrate stress mechanisms under changeVertebrate stress mechanisms under change
Vertebrate stress mechanisms under change
Caio Maximino
 
The nervous system: an evolutionary approach
The nervous system: an evolutionary approachThe nervous system: an evolutionary approach
The nervous system: an evolutionary approach
Caio Maximino
 
O monstruoso do capital: Ansiedades culturais e subjetividade
O monstruoso do capital: Ansiedades culturais e subjetividadeO monstruoso do capital: Ansiedades culturais e subjetividade
O monstruoso do capital: Ansiedades culturais e subjetividade
Caio Maximino
 
Por um cérebro histórico-cultural: Uma introdução à neurociência crítica
Por um cérebro histórico-cultural: Uma introdução à neurociência críticaPor um cérebro histórico-cultural: Uma introdução à neurociência crítica
Por um cérebro histórico-cultural: Uma introdução à neurociência crítica
Caio Maximino
 
Genética dos transtornos mentais: Cultura, genética e epigenética em uma pers...
Genética dos transtornos mentais: Cultura, genética e epigenética em uma pers...Genética dos transtornos mentais: Cultura, genética e epigenética em uma pers...
Genética dos transtornos mentais: Cultura, genética e epigenética em uma pers...
Caio Maximino
 
Métodos quantitativos na pesquisa em educação e ensino
Métodos quantitativos na pesquisa em educação e ensinoMétodos quantitativos na pesquisa em educação e ensino
Métodos quantitativos na pesquisa em educação e ensino
Caio Maximino
 
Aula 2: Um pouco de filosofia da ciência
Aula 2: Um pouco de filosofia da ciênciaAula 2: Um pouco de filosofia da ciência
Aula 2: Um pouco de filosofia da ciência
Caio Maximino
 
Inferência estatística nas ciências experimentais
Inferência estatística nas ciências experimentaisInferência estatística nas ciências experimentais
Inferência estatística nas ciências experimentais
Caio Maximino
 
Aprendizagem baseada em problemas: Adaptações ao ensino remoto
Aprendizagem baseada em problemas: Adaptações ao ensino remotoAprendizagem baseada em problemas: Adaptações ao ensino remoto
Aprendizagem baseada em problemas: Adaptações ao ensino remoto
Caio Maximino
 
A importância das práticas corporais para a saúde mental
A importância das práticas corporais para a saúde mentalA importância das práticas corporais para a saúde mental
A importância das práticas corporais para a saúde mental
Caio Maximino
 
Transtornos do neurodesenvolvimento
Transtornos do neurodesenvolvimentoTranstornos do neurodesenvolvimento
Transtornos do neurodesenvolvimento
Caio Maximino
 
Evidências científicas de eficácia em farmacoterapia
Evidências científicas de eficácia em farmacoterapiaEvidências científicas de eficácia em farmacoterapia
Evidências científicas de eficácia em farmacoterapia
Caio Maximino
 
Transtornos alimentares
Transtornos alimentaresTranstornos alimentares
Transtornos alimentares
Caio Maximino
 
Journal club: "Contextual fear learning and memory differ between stress copi...
Journal club: "Contextual fear learning and memory differ between stress copi...Journal club: "Contextual fear learning and memory differ between stress copi...
Journal club: "Contextual fear learning and memory differ between stress copi...
Caio Maximino
 

Mais de Caio Maximino (20)

Papel de receptores 5-HT2CL en la socialidad del pez cebra
Papel de receptores 5-HT2CL en la socialidad del pez cebraPapel de receptores 5-HT2CL en la socialidad del pez cebra
Papel de receptores 5-HT2CL en la socialidad del pez cebra
 
Efectos de fluoxetina sobre la agresión del pez cebra dependiente del fenotipo
Efectos de fluoxetina sobre la agresión del pez cebra dependiente del fenotipoEfectos de fluoxetina sobre la agresión del pez cebra dependiente del fenotipo
Efectos de fluoxetina sobre la agresión del pez cebra dependiente del fenotipo
 
Impacto del pez cebra en biología y neurociencias
Impacto del pez cebra en biología y neurocienciasImpacto del pez cebra en biología y neurociencias
Impacto del pez cebra en biología y neurociencias
 
El pez cebra en el estudio de psicofarmacos
El pez cebra en el estudio de psicofarmacosEl pez cebra en el estudio de psicofarmacos
El pez cebra en el estudio de psicofarmacos
 
A cerebralização do sofrimento psíquico
A cerebralização do sofrimento psíquicoA cerebralização do sofrimento psíquico
A cerebralização do sofrimento psíquico
 
Human physiological response in perspective: Focus on the capitalocene
Human physiological response in perspective: Focus on the capitaloceneHuman physiological response in perspective: Focus on the capitalocene
Human physiological response in perspective: Focus on the capitalocene
 
Vertebrate stress mechanisms under change
Vertebrate stress mechanisms under changeVertebrate stress mechanisms under change
Vertebrate stress mechanisms under change
 
The nervous system: an evolutionary approach
The nervous system: an evolutionary approachThe nervous system: an evolutionary approach
The nervous system: an evolutionary approach
 
O monstruoso do capital: Ansiedades culturais e subjetividade
O monstruoso do capital: Ansiedades culturais e subjetividadeO monstruoso do capital: Ansiedades culturais e subjetividade
O monstruoso do capital: Ansiedades culturais e subjetividade
 
Por um cérebro histórico-cultural: Uma introdução à neurociência crítica
Por um cérebro histórico-cultural: Uma introdução à neurociência críticaPor um cérebro histórico-cultural: Uma introdução à neurociência crítica
Por um cérebro histórico-cultural: Uma introdução à neurociência crítica
 
Genética dos transtornos mentais: Cultura, genética e epigenética em uma pers...
Genética dos transtornos mentais: Cultura, genética e epigenética em uma pers...Genética dos transtornos mentais: Cultura, genética e epigenética em uma pers...
Genética dos transtornos mentais: Cultura, genética e epigenética em uma pers...
 
Métodos quantitativos na pesquisa em educação e ensino
Métodos quantitativos na pesquisa em educação e ensinoMétodos quantitativos na pesquisa em educação e ensino
Métodos quantitativos na pesquisa em educação e ensino
 
Aula 2: Um pouco de filosofia da ciência
Aula 2: Um pouco de filosofia da ciênciaAula 2: Um pouco de filosofia da ciência
Aula 2: Um pouco de filosofia da ciência
 
Inferência estatística nas ciências experimentais
Inferência estatística nas ciências experimentaisInferência estatística nas ciências experimentais
Inferência estatística nas ciências experimentais
 
Aprendizagem baseada em problemas: Adaptações ao ensino remoto
Aprendizagem baseada em problemas: Adaptações ao ensino remotoAprendizagem baseada em problemas: Adaptações ao ensino remoto
Aprendizagem baseada em problemas: Adaptações ao ensino remoto
 
A importância das práticas corporais para a saúde mental
A importância das práticas corporais para a saúde mentalA importância das práticas corporais para a saúde mental
A importância das práticas corporais para a saúde mental
 
Transtornos do neurodesenvolvimento
Transtornos do neurodesenvolvimentoTranstornos do neurodesenvolvimento
Transtornos do neurodesenvolvimento
 
Evidências científicas de eficácia em farmacoterapia
Evidências científicas de eficácia em farmacoterapiaEvidências científicas de eficácia em farmacoterapia
Evidências científicas de eficácia em farmacoterapia
 
Transtornos alimentares
Transtornos alimentaresTranstornos alimentares
Transtornos alimentares
 
Journal club: "Contextual fear learning and memory differ between stress copi...
Journal club: "Contextual fear learning and memory differ between stress copi...Journal club: "Contextual fear learning and memory differ between stress copi...
Journal club: "Contextual fear learning and memory differ between stress copi...
 

Último

Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
rickriordan
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
AmaroAlmeidaChimbala
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
DelcioVumbuca
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
Luiz Henrique Pimentel Novais Silva
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
CatieleAlmeida1
 

Último (8)

Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
 
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
A DISSOLUÇÃO DO COMPLEXO DE ÉDIPO (1924)
 
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do TrabalhoApostila Gerência de Riscos PDF   voltado para Segurança do Trabalho
Apostila Gerência de Riscos PDF voltado para Segurança do Trabalho
 

Minicurso "Primeiros socorros: Em caso de ataque de pânico"

  • 1. Minicurso: Minicurso: "Primeiros Socorros: Em casos de Crises de Pânico" PROF. DR. CAIO MAXIMINO DOCÉREBRO EM MARABÁ IX SEMANA O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
  • 2. Ataques de pânico são fenômenos comuns, mesmo em pessoas que não são diagnosticadas com transtorno de pânico ou outros transtornos de ansiedade. Podem ser muito angustiantes para quem está vivenciando um ataque, mas também são limitados no tempo, e existem estratégias para ajudar a pessoa a lidar com a experiência. Nesse minicurso, discutiremos algumas das estratégias que você pode aplicar se encontrar alguém que esteja tendo um ataque de pânico. Resumo IX Semana do Cérebro de Marabá
  • 3. Programa O que é um ataque de pânico? 04 Comunicação 12 O que fazer? 06 Estratégias de enfrentamento 13 Incerteza 07 Grounding 14 Apoio emocional 09 Referências e perguntas 16 Segurança da pessoa 08 Após o encerramento 15 Recusa 11
  • 4. "Um episódio discreto de medo ou apreensão intensos acompanhado pelo início rápido e simultâneo de vários sintomas característicos. Esses sintomas podem incluir, entre outros, palpitações ou aumento da frequência cardíaca, sudorese, tremores, sensação de falta de ar, sensação de asfixia, dor no peito, náusea ou desconforto abdominal, sensação de tontura ou vertigem, calafrios ou ondas de calor, formigamento ou falta de sensibilidade nas extremidades (ou seja, parestesia), despersonalização ou desrealização, medo de perder o controle ou enlouquecer e medo de morte iminente. Os ataques de pânico podem surgir do nada ou ser desencadeados por situações específicas" O que é um ataque de pânico? 2023 IX Semana do Cérebro de Marabá Slide04 de 16 DOCÉREBRO EM MARABÁ IX SEMANA O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
  • 5. Os sintomas de um ataque de pânico podem diferir de pessoa para pessoa, e de ocasião para ocasião. A duração de um ataque de pânico também pode diferir de uma pessoa para outra, e de uma ocasião para outra, ainda que os sintomas comumente atinjam um pico dentro de alguns minutos A maioria dos ataques de pânico dura entre 5 a 20 minutos, e eles podem encerrar tão rapidamente quanto iniciem. É possível vivenciar mais de um ataque de pânico em sequência. Situacional vs. inesperado Após vivenciar um ataque de pânico, uma pessoa pode sentir-se esgotada e exausta. Os efeitos físicos e emocionais que se seguem a um ataque de pânico podem durar algumas horas. 2023 IX Semana do Cérebro de Marabá Slide 05 de 16 DOCÉREBRO EM MARABÁ IX SEMANA O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
  • 6. IDENTIFIQUE-SE Perguntar se a pessoa sabe o que está acontecendo Perguntar se a pessoa já teve um ataque de pânico no passado Se a pessoa parecer desorientada ou confusa, TRANQUILIZE-A de que ela está segura Perguntas simples, respostas não-verbais O que devo fazer se eu achar que alguém pode estar tendo um ataque de pânico? Slide 06 de 16 Foto de SHVETS production no Pexels: https://www.pexels.com/pt- br/foto/casaco-com-capuz-cartas-letras-solitario-8410834/ DOCÉREBRO EM MARABÁ IX SEMANA O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
  • 7. DOCÉREBRO EM MARABÁ IX SEMANA O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A E se eu não tiver certeza se alguém está tendo um ataque de pânico? 01 03 02 04 Os sintomas de pânico podem se assemelhar aos sintomas de um ataque cardíaco ou outra condição médica. Se a pessoa não tiver tido um ataque de pânico antes, e não achar que está tendo um agora, você devem seguir as diretrizes de primeiros socorros físicos. Pergunta à pessoa se seus sintomas estão relacionados a um problema médico, ou verifique pulseiras, pingentes, ou tatuagens Ligue para os serviços de emergência se estiver preocupado que possa haver uma razão médica para os sintomas da pessoa, ou se ela perder a consciência ou parecer estar tendo graves dificuldades para respirar. Slide 07 de 16
  • 8. Encorajar a se deslocar a um espaço seguro Não impeça o que ela está fazendo, a menos que isso coloque outras pessoas em risco Se em algum momento você precisar sair, tente encontrar outra pessoa que possa acompanhar a pessoa. Considere a segurança da pessoa Segurança Slide 08 de 16 DOCÉREBRO EM MARABÁ IX SEMANA O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
  • 9. Tranquilizando a pessoa em ataque de pânico Reafirmar que está lá para ajudar a superar o que está se passando Validar os sentimentos Não há nada do que se envergonhar Perguntar qual a melhor maneira de ajudar Reafirmação Validação Slide 09 de 16 2023 IX Semana do Cérebro de Marabá
  • 10. Reconhecer que esta experiência é desconfortável, aterrorizante e estressante. Reconhecer que seu terror parece muito real para essa pessoa. Fale com a pessoa de maneira reconfortante, mas confiante. Dê algum espaço, para que a pessoa não se sinta sufocada. Tente criar um espaço ao seu redor, se houver outras pessoas presentes. Remova qualquer coisa que obviamente esteja causando angústia à pessoa. Se existem pessoas presentes que não estão ajudando ou sendo respeitosas, ou estão causando desconforto à pessoa, peça-as que saiam. Apoio emocional Slide 10 de 16 Não minimize ou ignore o ataque de pânico que a pessoa está vivenciando. Não minimize os sintomas ou o que a pessoa está vivenciando, p. ex., falando “não entre em pânico”, “você está exagerando”, “não há nada com o que se preocupar”, “só se acalme”. Não critique a pessoa por ter um ataque de pânico ou por seu comportamento durante o ataque de pânico. Não expresse pena em relação à pessoa. Não sobrecarregue a pessoa com muita conversa porque isso pode aumentar seu nível de pânico. Somente faça perguntas que orientem a melhor forma de ajudá-la. Não pressione a pessoa a explicar o que causou o ataque de pânico. A pessoa pode não estar ciente da causa. Não agarre, segure, ou contenha a pessoa, e não a toque sem sua permissão. DOCÉREBRO EM MARABÁ IX SEMANA O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
  • 11. Recusa Se a pessoa não quiser conversar, respeite sua decisão. Se a pessoa parecer pouco amigável ou rude, tente não levar para o lado pessoal. Se a pessoa recusar sua ajuda, ou quiser lidar com o ataque de pânico por conta própria, respeite seu desejo. Pergunte à pessoa se existe outra pessoa para quem ela gostaria de ligar para pedir ajuda. Slide 11 de 16 DOCÉREBRO EM MARABÁ IX SEMANA O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
  • 12. Comunicação 01 03 02 Tom calmo Termos de apoio Frases curtas Tente se manter em calma e evite se absorver pelo pânico Fale com a pessoa de maneira positiva e com termos de apoio Fale clara e lentamente usando frases curtas, e seja paciente com a pessoa Slide 12 de 16 DOCÉREBRO EM MARABÁ IX SEMANA O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A
  • 13. Se a pessoa estiver usando estratégias de enfrentamento que estão funcionando para ela, encoraje-a a continuar usando-as. Depois que a pessoa se engajou com essas estratégias de enfrentamento, assegure-a que ela está fazendo um bom trabalho. É importante não pressionar a pessoa a fazer algo que ela não quer fazer. Estratégias de enfrentamento Slide 13 de 16
  • 14. Grounding Slide 14 de 16 Respiração 4-7-8 Pranayama Alternar narinas Encoraje a pessoa a tentar desacelerar sua respiração gradualmente através de inspirações lentas e constantes. Você pode ajudar a pessoa a controlar sua respiração demonstrando e falando com ela como se faz. Técnica 54321 - estimulação sensorial para trazer ao momento presente
  • 15. 02 Pergunte à pessoa se ela sabe onde pode buscar ajuda e aconselhamento. Se a pessoa não souber, você pode oferecer algumas sugestões. 01 Depois que o ataque de pânico passou, verifique se a pessoa sente-se confortável em ficar sozinha antes de você ir embora. 03 Encoraje a pessoa a se consultar com seu médico ou com um profissional de saúde apropriado se tiver ataques de pânico no futuro, se disser que seus ataques são recorrentes, ou se tiver que mudar de vida para prevenir a ocorrência de ataques de pânico O que fazer após o ataque de pânico? Slide 15 de 16
  • 16. Gergö Hadlaczky, Sebastian Hökby, Anahit Mkrtchian, Vladimir Carli & Danuta Wasserman (2014). Mental Health First Aid is an effective public health intervention for improving knowledge, attitudes, and behaviour: A meta-analysis. International Review of Psychiatry, 26:4, 467-475, DOI: 10.3109/09540261.2014.924910 Kathryn J. Chalmers, Alyssia Rossetto, Nicola J. Reavley, Anthony F. Jorm, Betty A. Kitchener, Claire M. Kelly, Amy J. Morgan, Kathy S. Bond & Fairlie A. Cottrill (2022). Redevelopment of mental health first aid guidelines for supporting someone experiencing a panic attack: a Delphi study. BMC Psychology, 10: 136, DOI: 10.1186/s40359-022-00843-3 Referências Slide 16 de 16 DOCÉREBRO EM MARABÁ IX SEMANA O C U L T I V O D A R E S I L I Ê N C I A