SlideShare uma empresa Scribd logo
FICHA DE TRABALHO                                ANO LECTIVO 2010/2011


                                    LÍNGUA PORTUGUESA
                                                7.º Ano
                  LITERATURA TRADICIONAL/ORAL/POPULAR

   NOME:                                                                                     N.º


1. Lê atentamente os seguintes textos e, recordando o que foi dito nas aulas e com a ajuda do teu
manual de Língua Portuguesa, completa os espaços de forma adequada.


                                    Literatura tradicional/oral/popular

A expressão “literatura tradicional/oral/popular” designa um conjunto vasto de contos populares, provérbios,
________________, jogos de palavras, lendas, ________________, contos de fadas, quadras e romances
populares que circulam ________________ de geração em geração e fazem parte do património cultural de
um determinado povo ou comunidade. A este tipo de textos subjazem duas grandes funções: por um lado, o
________________, por outro, a transmissão de um conjunto de ensinamentos morais. A transmissão
destes textos dá origem à produção de variantes, pois cada emissor, tendo sido já um receptor, altera o
discurso que ouviu, acrescentando ou ________________ pormenores.



                           Provérbios, contos tradicionais, lendas e fábulas

Provérbio – O provérbio é uma frase geralmente ______________________, sintética, que encerra uma
moral, um ________________ que se pretende transmitir, para ser seguido nas situações do dia-a-dia. Para
ser memorizado mais facilmente, o provérbio apresenta uma linguagem ______________________ e pode
conter rima interior.


Conto tradicional – O conto tradicional caracteriza-se pelo reduzido número de personagens, cuja
caracterização é vaga e estereotipada, pela redução e imprecisão das referências espaciais e temporais, e
pela simplificação da acção, que obedece, normalmente, a três momentos: ______________________,
______________________ e ______________________. O conto tradicional tem, simultaneamente, uma
função educativa e de entretenimento.


Lenda – A lenda designa uma narrativa que relata um facto de natureza ________________, ao qual o povo
acrescentou elementos ________________, às vezes sobrenaturais. Podemos ter vários tipos de lendas, de
acordo com as personagens, finalidades ou acção: lendas ________________, etiológicas, históricas, de
entidades mitológicas, etc.


Fábula – A fábula designa uma narrativa curta, em ________________ ou em verso, cujas personagens
são ________________ ou objectos inanimados que se comportam e falam como seres humanos. Tal como
os provérbios, os contos tradicionais e as lendas, a fábula também transmite um ensinamento
________________, possuindo assim uma importante função didáctica.




imp. 751.10-0                                                                                            1/3
FICHA DE TRABALHO                                ANO LECTIVO 2010/2011


Correcção

                                    Literatura tradicional/oral/popular

A expressão “literatura tradicional/oral/popular” designa um conjunto vasto de contos populares, provérbios,
lengalengas, jogos de palavras, lendas fábulas, contos de fadas, quadras e romances populares que
circulam oralmente de geração em geração e fazem parte do património cultural de um determinado povo
ou comunidade. A este tipo de textos subjazem duas grandes funções: por um lado, o entretenimento, por
outro, a transmissão de um conjunto de ensinamentos morais. A transmissão destes textos dá origem à
produção de variantes, pois cada emissor, tendo sido já um receptor, altera o discurso que ouviu,
acrescentando ou alterando pormenores.



                            Provérbios, contos tradicionais, lendas e fábulas

Provérbio – O provérbio é uma frase geralmente curta, sintética, que encerra uma moral, um ensinamento
que se pretende transmitir, para ser seguido nas situações do dia-a-dia. Para ser memorizado mais
facilmente, o provérbio apresenta uma linguagem simples e pode conter rima interior.


Conto tradicional – O conto tradicional caracteriza-se pelo reduzido número de personagens, cuja
caracterização é vaga e estereotipada, pela redução e imprecisão das referências espaciais e temporais, e
pela simplificação da acção, que obedece, normalmente, a três momentos: introdução, desenvolvimento e
conclusão. O conto tradicional tem, simultaneamente, uma função educativa e de entretenimento.


Lenda – A lenda designa uma narrativa que relata um facto de natureza real, ao qual o povo acrescentou
elementos fantásticos, às vezes sobrenaturais. Podemos ter vários tipos de lendas, de acordo com as
personagens, finalidades ou acção: lendas religiosas, etiológicas, históricas, de entidades mitológicas, etc.


Fábula – A fábula designa uma narrativa curta, em prosa ou em verso, cujas personagens são animais ou
objectos inanimados que se comportam e falam como seres humanos. Tal como os provérbios, os contos
tradicionais e as lendas, a fábula também transmite um ensinamento moral, possuindo assim uma
importante função didáctica.


                                    Sugestão de actividades de grupo


Lê com atenção cada uma das sugestões feitas e, com os teus colegas de grupo, selecciona aquela que
mais gostarias de realizar.

1. Recolha de lendas locais
Procura saber se a origem do nome do lugar onde moras está associada a alguma lenda(s). Regista-a(s).

2. Recolha de lendas e provérbios
Água, ar, terra e fogo – são estes os quatro elementos que, no princípio do mundo, participaram na
ordenação do Universo. Recolhe lendas e provérbios que revelem a força dos quatro elementos da
Natureza na tradição popular.

3. Relação personagem/estatuto moral na fábula
Selecciona um conjunto de dois ou três animais presentes em muitas fábulas. Indica o estatuto moral de
cada uma dessas personagens nos diferentes textos em que aparecem e regista as conclusões a que
chegaste.

4. Brincar com os provérbios.
À semelhança dos exemplos abaixo apresentados, elabora uma lista de cerca de vinte provérbios criados a
partir de provérbios originais.

Ex. Deitar cedo e cedo erguer só se tiver mesmo de ser.
    Diz-me com quem andas, dir-te-ei se vou contigo.
imp. 751.10-0                                                                                             2/3
FICHA DE TRABALHO                   ANO LECTIVO 2010/2011


    Quem feio ama, cego é.
    Há males que vêm para pior.
    Quem ri por último é de raciocínio lento.




                                                  O Grupo Disciplinar de Língua Portuguesa




imp. 751.10-0                                                                                3/3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Deixis pessoal temporal_espacial
Deixis pessoal temporal_espacialDeixis pessoal temporal_espacial
Deixis pessoal temporal_espacial
EconomicSintese
 
Processos fonologicos
Processos fonologicosProcessos fonologicos
Processos fonologicos
ameliapadrao
 
Estrutura da Notícia
Estrutura da NotíciaEstrutura da Notícia
Estrutura da Notícia
sextoD
 
Conectores
ConectoresConectores
Conectores
lauraneves
 
Figuras de estilo
Figuras de estiloFiguras de estilo
Figuras de estilo
Luís Sérgio
 
Resumo e Síntese
Resumo e SínteseResumo e Síntese
Resumo e Síntese
Vanda Sousa
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
I.Braz Slideshares
 
Conectores discurso
Conectores discursoConectores discurso
Conectores discurso
sofiax
 
Relação entre as palavras
Relação entre as palavrasRelação entre as palavras
Relação entre as palavras
nelsonalves70
 
Estrutura mensagem
Estrutura mensagemEstrutura mensagem
Estrutura mensagem
ameliapadrao
 
Resumo galinha Virgilio Ferreia
Resumo galinha Virgilio FerreiaResumo galinha Virgilio Ferreia
Resumo galinha Virgilio Ferreia
Mafalda Rebello de Andrade Moura Soares
 
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Rosalina Simão Nunes
 
Os nomes comuns, próprios e colectivos
Os nomes comuns, próprios e colectivosOs nomes comuns, próprios e colectivos
Os nomes comuns, próprios e colectivos
becevadeira
 
Invocação e Dedicarória
Invocação e DedicaróriaInvocação e Dedicarória
Invocação e Dedicarória
Paula Oliveira Cruz
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumo
colegiomb
 
O meu pé de laranja lima
O meu pé de laranja limaO meu pé de laranja lima
O meu pé de laranja lima
Margarida Lobo
 
Texto expositivo argumentativo
Texto expositivo argumentativoTexto expositivo argumentativo
Texto expositivo argumentativo
quintaldasletras
 
O que é notícia
O que é notíciaO que é notícia
O que é notícia
Cláudia
 
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Debora_Marques
 
Recursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercíciosRecursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercícios
Fernanda Monteiro
 

Mais procurados (20)

Deixis pessoal temporal_espacial
Deixis pessoal temporal_espacialDeixis pessoal temporal_espacial
Deixis pessoal temporal_espacial
 
Processos fonologicos
Processos fonologicosProcessos fonologicos
Processos fonologicos
 
Estrutura da Notícia
Estrutura da NotíciaEstrutura da Notícia
Estrutura da Notícia
 
Conectores
ConectoresConectores
Conectores
 
Figuras de estilo
Figuras de estiloFiguras de estilo
Figuras de estilo
 
Resumo e Síntese
Resumo e SínteseResumo e Síntese
Resumo e Síntese
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
 
Conectores discurso
Conectores discursoConectores discurso
Conectores discurso
 
Relação entre as palavras
Relação entre as palavrasRelação entre as palavras
Relação entre as palavras
 
Estrutura mensagem
Estrutura mensagemEstrutura mensagem
Estrutura mensagem
 
Resumo galinha Virgilio Ferreia
Resumo galinha Virgilio FerreiaResumo galinha Virgilio Ferreia
Resumo galinha Virgilio Ferreia
 
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
Orações subordinadas substantivas e adjetivas - Apresentação de conteúdos (SU...
 
Os nomes comuns, próprios e colectivos
Os nomes comuns, próprios e colectivosOs nomes comuns, próprios e colectivos
Os nomes comuns, próprios e colectivos
 
Invocação e Dedicarória
Invocação e DedicaróriaInvocação e Dedicarória
Invocação e Dedicarória
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumo
 
O meu pé de laranja lima
O meu pé de laranja limaO meu pé de laranja lima
O meu pé de laranja lima
 
Texto expositivo argumentativo
Texto expositivo argumentativoTexto expositivo argumentativo
Texto expositivo argumentativo
 
O que é notícia
O que é notíciaO que é notícia
O que é notícia
 
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
 
Recursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercíciosRecursos expressivos com exercícios
Recursos expressivos com exercícios
 

Destaque

Textos De TradiçãO Oral
Textos De TradiçãO OralTextos De TradiçãO Oral
Textos De TradiçãO Oral
Ana Lúcia Freilão Água
 
Tradição oral portuguesa
Tradição oral portuguesaTradição oral portuguesa
Tradição oral portuguesa
Vanda Pereira Bregieiro
 
Rabo do gato
Rabo do gatoRabo do gato
Rabo do gato
anavilhena1996
 
Textos da Tradição Oral na Alfabetização
Textos da Tradição Oral na AlfabetizaçãoTextos da Tradição Oral na Alfabetização
Textos da Tradição Oral na Alfabetização
Licaraujo
 
Lp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilhaLp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilha
Central Didática
 
2.literatura oral e_tradicional_tipologia
2.literatura oral e_tradicional_tipologia2.literatura oral e_tradicional_tipologia
2.literatura oral e_tradicional_tipologia
Helena Coutinho
 
Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha
Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilhaSequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha
Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha
Roseli Aparecida Tavares
 
A estrutura da carta
A estrutura da cartaA estrutura da carta
A estrutura da carta
gifamiliar
 
Matemática_caderno de atividades pedagógicas 1º ano
Matemática_caderno de atividades pedagógicas  1º anoMatemática_caderno de atividades pedagógicas  1º ano
Matemática_caderno de atividades pedagógicas 1º ano
Isa ...
 

Destaque (9)

Textos De TradiçãO Oral
Textos De TradiçãO OralTextos De TradiçãO Oral
Textos De TradiçãO Oral
 
Tradição oral portuguesa
Tradição oral portuguesaTradição oral portuguesa
Tradição oral portuguesa
 
Rabo do gato
Rabo do gatoRabo do gato
Rabo do gato
 
Textos da Tradição Oral na Alfabetização
Textos da Tradição Oral na AlfabetizaçãoTextos da Tradição Oral na Alfabetização
Textos da Tradição Oral na Alfabetização
 
Lp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilhaLp teste diag princesa e ervilha
Lp teste diag princesa e ervilha
 
2.literatura oral e_tradicional_tipologia
2.literatura oral e_tradicional_tipologia2.literatura oral e_tradicional_tipologia
2.literatura oral e_tradicional_tipologia
 
Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha
Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilhaSequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha
Sequencia didatica a_princesa_e_a_ervilha
 
A estrutura da carta
A estrutura da cartaA estrutura da carta
A estrutura da carta
 
Matemática_caderno de atividades pedagógicas 1º ano
Matemática_caderno de atividades pedagógicas  1º anoMatemática_caderno de atividades pedagógicas  1º ano
Matemática_caderno de atividades pedagógicas 1º ano
 

Semelhante a Literatura oral e tradicional

Texto Tradicional
Texto TradicionalTexto Tradicional
Texto Tradicional
Lurdes Augusto
 
Fi literatura oral_tradicional
Fi literatura oral_tradicionalFi literatura oral_tradicional
Fi literatura oral_tradicional
armindaalmeida
 
Conviver português
Conviver portuguêsConviver português
Conviver português
Editora Moderna
 
Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.
Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.
Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.
Dinapaes
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
Maria De Lourdes Ramos
 
Texto narativo trabalho
Texto narativo trabalhoTexto narativo trabalho
Texto narativo trabalho
Escola Superior de Jornalismo Manica
 
LITERATURA TRADICIONAL
LITERATURA TRADICIONALLITERATURA TRADICIONAL
LITERATURA TRADICIONAL
professoraIsabel
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 3 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 3 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 3 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 3 ANO 1 BIMESTRE.pdf
LUCASAUGUSTONASCENTE
 
Literatura Surda
Literatura SurdaLiteratura Surda
Literatura Surda
asustecnologia
 
Formacao paic
Formacao paicFormacao paic
Formacao paic
Milbrasil
 
Esopo bilbiografia, fábula, importância lingua
Esopo bilbiografia, fábula, importância linguaEsopo bilbiografia, fábula, importância lingua
Esopo bilbiografia, fábula, importância lingua
Jomari
 
Volume xvi 2006
Volume xvi 2006Volume xvi 2006
Volume xvi 2006
estevaofernandes
 
Literatura Oral E Tradicional
Literatura Oral E TradicionalLiteratura Oral E Tradicional
Literatura Oral E Tradicional
Isabel Couto
 
Caderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernos
Caderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernosCaderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernos
Caderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernos
valdirnicioli1
 
L. INGLESA_1ªsérie_PTD_2º TRI.docx
L. INGLESA_1ªsérie_PTD_2º TRI.docxL. INGLESA_1ªsérie_PTD_2º TRI.docx
L. INGLESA_1ªsérie_PTD_2º TRI.docx
Danieli2019
 
FORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDA
FORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDAFORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDA
FORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDA
weleslima
 
PARLENDAS.pdf
PARLENDAS.pdfPARLENDAS.pdf
PARLENDAS.pdf
LUCIANESANTOLINUHRVI1
 
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médioFunções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
dasmargensaocentro
 
A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira P...
A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira  P...A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira  P...
A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira P...
tatiana ribeiro do nascimento
 
Plano de-aula-lpo2-02sqa01
Plano de-aula-lpo2-02sqa01Plano de-aula-lpo2-02sqa01
Plano de-aula-lpo2-02sqa01
Simone Dantas
 

Semelhante a Literatura oral e tradicional (20)

Texto Tradicional
Texto TradicionalTexto Tradicional
Texto Tradicional
 
Fi literatura oral_tradicional
Fi literatura oral_tradicionalFi literatura oral_tradicional
Fi literatura oral_tradicional
 
Conviver português
Conviver portuguêsConviver português
Conviver português
 
Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.
Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.
Projeto Reescrevendo Fábulas e Lendas: Pequenos Leitores, Futuros Escritores.
 
Funções da linguagem
Funções da linguagemFunções da linguagem
Funções da linguagem
 
Texto narativo trabalho
Texto narativo trabalhoTexto narativo trabalho
Texto narativo trabalho
 
LITERATURA TRADICIONAL
LITERATURA TRADICIONALLITERATURA TRADICIONAL
LITERATURA TRADICIONAL
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 3 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 3 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 3 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 3 ANO 1 BIMESTRE.pdf
 
Literatura Surda
Literatura SurdaLiteratura Surda
Literatura Surda
 
Formacao paic
Formacao paicFormacao paic
Formacao paic
 
Esopo bilbiografia, fábula, importância lingua
Esopo bilbiografia, fábula, importância linguaEsopo bilbiografia, fábula, importância lingua
Esopo bilbiografia, fábula, importância lingua
 
Volume xvi 2006
Volume xvi 2006Volume xvi 2006
Volume xvi 2006
 
Literatura Oral E Tradicional
Literatura Oral E TradicionalLiteratura Oral E Tradicional
Literatura Oral E Tradicional
 
Caderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernos
Caderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernosCaderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernos
Caderno de apoio a pratica pedagogica contos classicos mitologicos e modernos
 
L. INGLESA_1ªsérie_PTD_2º TRI.docx
L. INGLESA_1ªsérie_PTD_2º TRI.docxL. INGLESA_1ªsérie_PTD_2º TRI.docx
L. INGLESA_1ªsérie_PTD_2º TRI.docx
 
FORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDA
FORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDAFORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDA
FORMAÇÃO DO SEGUNDO CICLO NO MUNICÍPIO DE PONTES E LACERDA
 
PARLENDAS.pdf
PARLENDAS.pdfPARLENDAS.pdf
PARLENDAS.pdf
 
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médioFunções da Linguagem para alunos de ensino médio
Funções da Linguagem para alunos de ensino médio
 
A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira P...
A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira  P...A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira  P...
A variação Linguística na Obra Dona Guidinha do Poço,de Manuel de Oliveira P...
 
Plano de-aula-lpo2-02sqa01
Plano de-aula-lpo2-02sqa01Plano de-aula-lpo2-02sqa01
Plano de-aula-lpo2-02sqa01
 

Mais de Célia Gonçalves

Analise os lusiadas 1
Analise os lusiadas 1Analise os lusiadas 1
Analise os lusiadas 1
Célia Gonçalves
 
Resumo como fazer
Resumo como fazerResumo como fazer
Resumo como fazer
Célia Gonçalves
 
Nomes ficha informativa
Nomes ficha informativaNomes ficha informativa
Nomes ficha informativa
Célia Gonçalves
 
Ficha dos determinantes e pronomes possessivos
Ficha dos determinantes e pronomes possessivosFicha dos determinantes e pronomes possessivos
Ficha dos determinantes e pronomes possessivos
Célia Gonçalves
 
Exercícios determinantes pronomes e quantificadores
Exercícios determinantes pronomes e quantificadoresExercícios determinantes pronomes e quantificadores
Exercícios determinantes pronomes e quantificadores
Célia Gonçalves
 
Exercícios advérbios dt
Exercícios advérbios dtExercícios advérbios dt
Exercícios advérbios dt
Célia Gonçalves
 
Advérbio sistematização
Advérbio sistematizaçãoAdvérbio sistematização
Advérbio sistematização
Célia Gonçalves
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
Célia Gonçalves
 
Grupos constituintes
Grupos constituintesGrupos constituintes
Grupos constituintes
Célia Gonçalves
 
O grupo verbal
O grupo verbalO grupo verbal
O grupo verbal
Célia Gonçalves
 
O grupo nominal
O grupo nominalO grupo nominal
O grupo nominal
Célia Gonçalves
 
O grupo adverbial
O grupo adverbialO grupo adverbial
O grupo adverbial
Célia Gonçalves
 
O grupo adjectival
O grupo adjectivalO grupo adjectival
O grupo adjectival
Célia Gonçalves
 
Formação de palavras 7 1
Formação de palavras 7 1Formação de palavras 7 1
Formação de palavras 7 1
Célia Gonçalves
 
Hiperonímia e hiponímia
Hiperonímia e hiponímiaHiperonímia e hiponímia
Hiperonímia e hiponímia
Célia Gonçalves
 

Mais de Célia Gonçalves (15)

Analise os lusiadas 1
Analise os lusiadas 1Analise os lusiadas 1
Analise os lusiadas 1
 
Resumo como fazer
Resumo como fazerResumo como fazer
Resumo como fazer
 
Nomes ficha informativa
Nomes ficha informativaNomes ficha informativa
Nomes ficha informativa
 
Ficha dos determinantes e pronomes possessivos
Ficha dos determinantes e pronomes possessivosFicha dos determinantes e pronomes possessivos
Ficha dos determinantes e pronomes possessivos
 
Exercícios determinantes pronomes e quantificadores
Exercícios determinantes pronomes e quantificadoresExercícios determinantes pronomes e quantificadores
Exercícios determinantes pronomes e quantificadores
 
Exercícios advérbios dt
Exercícios advérbios dtExercícios advérbios dt
Exercícios advérbios dt
 
Advérbio sistematização
Advérbio sistematizaçãoAdvérbio sistematização
Advérbio sistematização
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Grupos constituintes
Grupos constituintesGrupos constituintes
Grupos constituintes
 
O grupo verbal
O grupo verbalO grupo verbal
O grupo verbal
 
O grupo nominal
O grupo nominalO grupo nominal
O grupo nominal
 
O grupo adverbial
O grupo adverbialO grupo adverbial
O grupo adverbial
 
O grupo adjectival
O grupo adjectivalO grupo adjectival
O grupo adjectival
 
Formação de palavras 7 1
Formação de palavras 7 1Formação de palavras 7 1
Formação de palavras 7 1
 
Hiperonímia e hiponímia
Hiperonímia e hiponímiaHiperonímia e hiponímia
Hiperonímia e hiponímia
 

Último

VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 

Último (20)

VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 

Literatura oral e tradicional

  • 1. FICHA DE TRABALHO ANO LECTIVO 2010/2011 LÍNGUA PORTUGUESA 7.º Ano LITERATURA TRADICIONAL/ORAL/POPULAR NOME: N.º 1. Lê atentamente os seguintes textos e, recordando o que foi dito nas aulas e com a ajuda do teu manual de Língua Portuguesa, completa os espaços de forma adequada. Literatura tradicional/oral/popular A expressão “literatura tradicional/oral/popular” designa um conjunto vasto de contos populares, provérbios, ________________, jogos de palavras, lendas, ________________, contos de fadas, quadras e romances populares que circulam ________________ de geração em geração e fazem parte do património cultural de um determinado povo ou comunidade. A este tipo de textos subjazem duas grandes funções: por um lado, o ________________, por outro, a transmissão de um conjunto de ensinamentos morais. A transmissão destes textos dá origem à produção de variantes, pois cada emissor, tendo sido já um receptor, altera o discurso que ouviu, acrescentando ou ________________ pormenores. Provérbios, contos tradicionais, lendas e fábulas Provérbio – O provérbio é uma frase geralmente ______________________, sintética, que encerra uma moral, um ________________ que se pretende transmitir, para ser seguido nas situações do dia-a-dia. Para ser memorizado mais facilmente, o provérbio apresenta uma linguagem ______________________ e pode conter rima interior. Conto tradicional – O conto tradicional caracteriza-se pelo reduzido número de personagens, cuja caracterização é vaga e estereotipada, pela redução e imprecisão das referências espaciais e temporais, e pela simplificação da acção, que obedece, normalmente, a três momentos: ______________________, ______________________ e ______________________. O conto tradicional tem, simultaneamente, uma função educativa e de entretenimento. Lenda – A lenda designa uma narrativa que relata um facto de natureza ________________, ao qual o povo acrescentou elementos ________________, às vezes sobrenaturais. Podemos ter vários tipos de lendas, de acordo com as personagens, finalidades ou acção: lendas ________________, etiológicas, históricas, de entidades mitológicas, etc. Fábula – A fábula designa uma narrativa curta, em ________________ ou em verso, cujas personagens são ________________ ou objectos inanimados que se comportam e falam como seres humanos. Tal como os provérbios, os contos tradicionais e as lendas, a fábula também transmite um ensinamento ________________, possuindo assim uma importante função didáctica. imp. 751.10-0 1/3
  • 2. FICHA DE TRABALHO ANO LECTIVO 2010/2011 Correcção Literatura tradicional/oral/popular A expressão “literatura tradicional/oral/popular” designa um conjunto vasto de contos populares, provérbios, lengalengas, jogos de palavras, lendas fábulas, contos de fadas, quadras e romances populares que circulam oralmente de geração em geração e fazem parte do património cultural de um determinado povo ou comunidade. A este tipo de textos subjazem duas grandes funções: por um lado, o entretenimento, por outro, a transmissão de um conjunto de ensinamentos morais. A transmissão destes textos dá origem à produção de variantes, pois cada emissor, tendo sido já um receptor, altera o discurso que ouviu, acrescentando ou alterando pormenores. Provérbios, contos tradicionais, lendas e fábulas Provérbio – O provérbio é uma frase geralmente curta, sintética, que encerra uma moral, um ensinamento que se pretende transmitir, para ser seguido nas situações do dia-a-dia. Para ser memorizado mais facilmente, o provérbio apresenta uma linguagem simples e pode conter rima interior. Conto tradicional – O conto tradicional caracteriza-se pelo reduzido número de personagens, cuja caracterização é vaga e estereotipada, pela redução e imprecisão das referências espaciais e temporais, e pela simplificação da acção, que obedece, normalmente, a três momentos: introdução, desenvolvimento e conclusão. O conto tradicional tem, simultaneamente, uma função educativa e de entretenimento. Lenda – A lenda designa uma narrativa que relata um facto de natureza real, ao qual o povo acrescentou elementos fantásticos, às vezes sobrenaturais. Podemos ter vários tipos de lendas, de acordo com as personagens, finalidades ou acção: lendas religiosas, etiológicas, históricas, de entidades mitológicas, etc. Fábula – A fábula designa uma narrativa curta, em prosa ou em verso, cujas personagens são animais ou objectos inanimados que se comportam e falam como seres humanos. Tal como os provérbios, os contos tradicionais e as lendas, a fábula também transmite um ensinamento moral, possuindo assim uma importante função didáctica. Sugestão de actividades de grupo Lê com atenção cada uma das sugestões feitas e, com os teus colegas de grupo, selecciona aquela que mais gostarias de realizar. 1. Recolha de lendas locais Procura saber se a origem do nome do lugar onde moras está associada a alguma lenda(s). Regista-a(s). 2. Recolha de lendas e provérbios Água, ar, terra e fogo – são estes os quatro elementos que, no princípio do mundo, participaram na ordenação do Universo. Recolhe lendas e provérbios que revelem a força dos quatro elementos da Natureza na tradição popular. 3. Relação personagem/estatuto moral na fábula Selecciona um conjunto de dois ou três animais presentes em muitas fábulas. Indica o estatuto moral de cada uma dessas personagens nos diferentes textos em que aparecem e regista as conclusões a que chegaste. 4. Brincar com os provérbios. À semelhança dos exemplos abaixo apresentados, elabora uma lista de cerca de vinte provérbios criados a partir de provérbios originais. Ex. Deitar cedo e cedo erguer só se tiver mesmo de ser. Diz-me com quem andas, dir-te-ei se vou contigo. imp. 751.10-0 2/3
  • 3. FICHA DE TRABALHO ANO LECTIVO 2010/2011 Quem feio ama, cego é. Há males que vêm para pior. Quem ri por último é de raciocínio lento. O Grupo Disciplinar de Língua Portuguesa imp. 751.10-0 3/3