SlideShare uma empresa Scribd logo
Relatório de Reflexão Crítica
Cursos de Formação Contínua de Professores
1 – IDENTIFICAÇÃO AÇÃO
Designação da ação INTEGRAÇÃO DE FERRAMENTAS DIGITAIS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM
INCLUSIVO
Nome do formador Drª. Ana Paula Rocha
2 – IDENTIFICAÇÃO FORMANDO
Nome do formando Manuel Francisco Batista Sequeira
Escola Agrupamento de Escolas Daniel Sampaio
Nível Ensino 2º Ciclo
Grupo Recrutamento 910
Situação profissional Contratado
Email manuel.sequeira.1972@gmail.com
3 – REFLEXÃO CRÍTICA
3.1 – MOTIVOS DE INTERESSE NA AÇÃO DE FORMAÇÃO
(RAZÕES JUSTIFICATIVAS PARA FREQUENTAREM A FORMAÇÃO)
Os motivos que me levaram a realizar esta ação de formação, foram vários.
Primeiramente procurei esta formação pelo tema tratado, (Ferramentas Digitais), cada vez mais o ensino
caminha para uma exigência a olhos vistos, torna mais atrativo para os nossos alunos, uma aula em que se
utilize ferramentas digitais, não os podemos limitar a realizar as suas tarefas sempre por o livro ou fichas de
trabalho. Os professores de hoje, têm cada vez mais de se prepararem para poderem dar resposta a essa
mudança. Ter aprendido a preparar aulas utilizando essas ferramentas, foi sem duvida uma mais valia para o
processo de ensino-aprendizagem.
Também por ser uma formação à distância, assim facilita mais o gerir o nosso tempo para realizar essa
formação, normalmente é nos dada uma tarefa que se poderá concluir durante a semana, se fosse presencial
era impossível ter frequentado esta formação.
Depois o sistema que obriga os professores contratados hoje em dia a realizarem formações, como por
exemplo os critérios de seleção, pontua o professor, atribuindo uma percentagem a quem realiza formações.
3 – REFLEXÃO CRÍTICA
3.2 – APRECIAÇÃO CRÍTICA DAS VERTENTES TEÓRICAS E PRÁTICAS DA AÇÃO
(IDENTIFICAÇÃO DAS TEMÁTICAS ABORDADAS E DAS METODOLOGIAS
UTILIZADAS; REFERÊNCIA CRÍTICA AOS CONTRIBUTOS DA FORMAÇÃO PARA O
DESEMPENHO PROFISSIONAL)
Esta formação esteve ao nível do que era por mim esperado. Especialmente a vertente prática e de exploração
das ferramentas trabalhadas durante a semana. O processo da escolha das mesmas também foi surpreendente
pela positiva, essa limitação obrigou-nos a escolher não de uma forma aleatória, mas sim obrigacionista na
forma do jogo do galo.
Verifiquei que as ferramentas trabalhadas, são certamente uma mais valia para trabalhar com os alunos e na
preparação de aulas.
São todas muito atrativas e utilizadas pelos docentes, ajudam a valorizar as aulas teóricas.
No meu caso que tenho várias áreas de ensino, vou utiliza-las nas minhas futuras aulas.
Relatório de Reflexão Crítica
Cursos de Formação Contínua de Professores
3 – REFLEXÃO CRÍTICA
3.3 – CONCLUSÕES
O tema tratado por mim e a minha colega Márcia, foi a comunicação alternativa e também
a inclusão. Tentámos ao longo dos trabalhos, retratar algumas das nossas rotinas, tanto na prática
como teoricamente.
Ao longo dos trabalhos, definimos a Comunicação, nomeadamente como, necessidade, pela
qual o papel que desempenha na sociedade e na própria escola. Mas existem indivíduos que não
conseguem comunicar e outros o fazem com muitas dificuldades.
Abordamos também os tipos de Linguagem e seu desenvolvimento, assim como as fases de
aquisição da mesma. Existem perturbações na linguagem que impedem os indivíduos de
comunicarem normalmente e exprimirem os seus sentimentos de forma nítida. Cada aluno no seu
percurso escolar, depara-se com dificuldades em serem incluídos no processo ensino –
aprendizagem.
As posições assumidas ao longo da história, (desde a exclusão ao atual momento de uma
escola inclusiva) relativamente à forma de encararmos a pessoa deficiente, achamos que hoje a
deficiência não deve ser tomada isoladamente como obstáculo ou impedimento que impossibilite o
pleno desenvolvimento das potencialidades da pessoa humana.
Por isso se tentou demonstrar que é possível esses alunos terem a segunda oportunidade
de comunicar.
A criança com défice na comunicação e com multideficiência, merece uma atenção especial
por parte de todos os elementos intervenientes no processo educativo, quer sejam os pais,
professores, médicos ou os diversos técnicos que com ela se relacionem. Para isso tem sido
fundamental, a evolução do conceito de intervenção precoce e aplicação de programas ao nível da
comunicação aumentativa e alternativa que vai influenciar a avaliação, passando a dirigir-se não só à
criança mas também à família e aos contextos onde estas estão inseridas.
Para concluir, esta formação foi para mim uma mais valia, porque fiquei a conhecer as
ferramentas digitais por mim trabalhadas, vou aproveitar no futuro esta mais valia para tornar as
aulas ou apoios mais atrativos para os alunos.
Relatório de Reflexão Crítica
Cursos de Formação Contínua de Professores
4 – BIBLIOGRAFIA
Declaração de Salamanca (1994, artº. 7º)
TETZCHNER, S.V., MARTINSEN, H. (2000). Introdução à Comunicação Aumentativa e Alternativa. Porto:
Porto Editora.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Vânia Canteiro
 
Relatório formação-plataforma moodle-1
Relatório formação-plataforma moodle-1Relatório formação-plataforma moodle-1
Relatório formação-plataforma moodle-1
fatimaneves28
 
relatorio-critico-auto-avaliacao
 relatorio-critico-auto-avaliacao relatorio-critico-auto-avaliacao
relatorio-critico-auto-avaliacao
7f14_15
 
Relatório final oficina de formação isabel ricardo
Relatório final  oficina de formação isabel ricardoRelatório final  oficina de formação isabel ricardo
Relatório final oficina de formação isabel ricardo
João Alves Ribeiro Ferreira
 
Nomes coletivos.doc
Nomes coletivos.docNomes coletivos.doc
Nomes coletivos.doc
Elza Melo
 
ReflexãO Individual Ana Santos
ReflexãO Individual   Ana SantosReflexãO Individual   Ana Santos
ReflexãO Individual Ana Santos
AnaSAnaO
 
Auto Avaliação Docente 2018
Auto Avaliação Docente 2018Auto Avaliação Docente 2018
Auto Avaliação Docente 2018
SalaAmarelaJIGradil
 
Reflexão crítica fátima pedro
Reflexão crítica   fátima pedroReflexão crítica   fátima pedro
Reflexão crítica fátima pedro
Fatimapedro
 
Retrato físico e psicológico
Retrato físico e psicológico Retrato físico e psicológico
Retrato físico e psicológico
João Manuel
 
2º ata reunião encarregados de educação
2º ata   reunião  encarregados de educação2º ata   reunião  encarregados de educação
2º ata reunião encarregados de educação
Maria José Pires Fernandes
 
Grelha de Observação dos Alunos na Atividade
Grelha de Observação dos Alunos na AtividadeGrelha de Observação dos Alunos na Atividade
Grelha de Observação dos Alunos na Atividade
Luisa Lamas
 
Auto avaliação
Auto avaliaçãoAuto avaliação
Auto avaliação
Ana Monteiro
 
Observação sala de aula pedro reis
Observação sala de aula pedro reisObservação sala de aula pedro reis
Observação sala de aula pedro reis
sitedcoeste
 
Reflexão final e pessoal
Reflexão final e pessoalReflexão final e pessoal
Reflexão final e pessoal
Anaigreja
 
Relatorio de Auto-avaliacao Docente
Relatorio de Auto-avaliacao DocenteRelatorio de Auto-avaliacao Docente
Relatorio de Auto-avaliacao Docente
Henrique Santos
 
A estrutura da carta
A estrutura da cartaA estrutura da carta
A estrutura da carta
gifamiliar
 
Registo avali.3º ano nova
Registo avali.3º ano novaRegisto avali.3º ano nova
Registo avali.3º ano nova
mariacarmcorreia
 
Texto dramático - características
Texto dramático - característicasTexto dramático - características
Texto dramático - características
Lurdes Augusto
 
Descrição física e psicológica
Descrição física e psicológicaDescrição física e psicológica
Descrição física e psicológica
Ensinar Português Andaluzia
 

Mais procurados (20)

Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
Relatór reflexcrític.vaniacanteiro
 
Relatório formação-plataforma moodle-1
Relatório formação-plataforma moodle-1Relatório formação-plataforma moodle-1
Relatório formação-plataforma moodle-1
 
relatorio-critico-auto-avaliacao
 relatorio-critico-auto-avaliacao relatorio-critico-auto-avaliacao
relatorio-critico-auto-avaliacao
 
Relatório final oficina de formação isabel ricardo
Relatório final  oficina de formação isabel ricardoRelatório final  oficina de formação isabel ricardo
Relatório final oficina de formação isabel ricardo
 
Nomes coletivos.doc
Nomes coletivos.docNomes coletivos.doc
Nomes coletivos.doc
 
ReflexãO Individual Ana Santos
ReflexãO Individual   Ana SantosReflexãO Individual   Ana Santos
ReflexãO Individual Ana Santos
 
Auto Avaliação Docente 2018
Auto Avaliação Docente 2018Auto Avaliação Docente 2018
Auto Avaliação Docente 2018
 
Reflexão crítica fátima pedro
Reflexão crítica   fátima pedroReflexão crítica   fátima pedro
Reflexão crítica fátima pedro
 
Retrato físico e psicológico
Retrato físico e psicológico Retrato físico e psicológico
Retrato físico e psicológico
 
2º ata reunião encarregados de educação
2º ata   reunião  encarregados de educação2º ata   reunião  encarregados de educação
2º ata reunião encarregados de educação
 
Grelha de Observação dos Alunos na Atividade
Grelha de Observação dos Alunos na AtividadeGrelha de Observação dos Alunos na Atividade
Grelha de Observação dos Alunos na Atividade
 
Auto avaliação
Auto avaliaçãoAuto avaliação
Auto avaliação
 
Mapa qzp
Mapa qzpMapa qzp
Mapa qzp
 
Observação sala de aula pedro reis
Observação sala de aula pedro reisObservação sala de aula pedro reis
Observação sala de aula pedro reis
 
Reflexão final e pessoal
Reflexão final e pessoalReflexão final e pessoal
Reflexão final e pessoal
 
Relatorio de Auto-avaliacao Docente
Relatorio de Auto-avaliacao DocenteRelatorio de Auto-avaliacao Docente
Relatorio de Auto-avaliacao Docente
 
A estrutura da carta
A estrutura da cartaA estrutura da carta
A estrutura da carta
 
Registo avali.3º ano nova
Registo avali.3º ano novaRegisto avali.3º ano nova
Registo avali.3º ano nova
 
Texto dramático - características
Texto dramático - característicasTexto dramático - características
Texto dramático - características
 
Descrição física e psicológica
Descrição física e psicológicaDescrição física e psicológica
Descrição física e psicológica
 

Semelhante a Relatório final reflexão critica

Métodos de Ensino e Aprendizagem
Métodos de Ensino e AprendizagemMétodos de Ensino e Aprendizagem
Métodos de Ensino e Aprendizagem
Joao Papelo
 
Slides módulo 4
Slides módulo 4Slides módulo 4
Slides módulo 4
Isabel Grazina
 
Grupo de Referencia Pirassununga
Grupo de Referencia PirassunungaGrupo de Referencia Pirassununga
Grupo de Referencia Pirassununga
camilaperez25
 
Seminário
SeminárioSeminário
Seminário
Juciara Brito
 
Artigo metodologia no ensino da educação superior
Artigo metodologia no ensino da educação superiorArtigo metodologia no ensino da educação superior
Artigo metodologia no ensino da educação superior
R D
 
Relatorio auto avaliacao_filipe pires
Relatorio auto avaliacao_filipe piresRelatorio auto avaliacao_filipe pires
Relatorio auto avaliacao_filipe pires
Escola Básica e Secundária Professor Reynaldo dos Santos
 
Relatór reflexcrític.nome marcos
Relatór reflexcrític.nome marcosRelatór reflexcrític.nome marcos
Relatór reflexcrític.nome marcos
Marcos Pereira
 
Metodologias Ativas como proposta estratégica para a o desenvolvimento de apr...
Metodologias Ativas como proposta estratégica para a o desenvolvimento de apr...Metodologias Ativas como proposta estratégica para a o desenvolvimento de apr...
Metodologias Ativas como proposta estratégica para a o desenvolvimento de apr...
LindsaiSantosAmaralB
 
Ivanildo tcc especialização
Ivanildo tcc especializaçãoIvanildo tcc especialização
Ivanildo tcc especialização
ivanildopontinha
 
Ação formação continuada profatendimentoespecializado giovanar_oliveira
Ação formação continuada profatendimentoespecializado giovanar_oliveiraAção formação continuada profatendimentoespecializado giovanar_oliveira
Ação formação continuada profatendimentoespecializado giovanar_oliveira
Samira Tavares
 
66-122-1-SM.pdf
66-122-1-SM.pdf66-122-1-SM.pdf
66-122-1-SM.pdf
Deisy Bezerra
 
Stcd texto1 s3_forum3
Stcd texto1 s3_forum3Stcd texto1 s3_forum3
Stcd texto1 s3_forum3
Marcelo Gomes
 
Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)
Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)
Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)
pereyras
 
Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)
Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)
Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)
pereyras
 
Ensino com pesquisa
Ensino com pesquisaEnsino com pesquisa
Taxonomia de Bloom
Taxonomia de BloomTaxonomia de Bloom
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
jairdeoliveirajunior
 
Técnica docente tbl texto em português
Técnica docente tbl texto em portuguêsTécnica docente tbl texto em português
Técnica docente tbl texto em português
Izabel Almeida Alves
 
Ciclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De Educadores
Ciclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De EducadoresCiclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De Educadores
Ciclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De Educadores
Micheline Alves
 
Ciclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De Educadores
Ciclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De EducadoresCiclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De Educadores
Ciclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De Educadores
Micheline Alves
 

Semelhante a Relatório final reflexão critica (20)

Métodos de Ensino e Aprendizagem
Métodos de Ensino e AprendizagemMétodos de Ensino e Aprendizagem
Métodos de Ensino e Aprendizagem
 
Slides módulo 4
Slides módulo 4Slides módulo 4
Slides módulo 4
 
Grupo de Referencia Pirassununga
Grupo de Referencia PirassunungaGrupo de Referencia Pirassununga
Grupo de Referencia Pirassununga
 
Seminário
SeminárioSeminário
Seminário
 
Artigo metodologia no ensino da educação superior
Artigo metodologia no ensino da educação superiorArtigo metodologia no ensino da educação superior
Artigo metodologia no ensino da educação superior
 
Relatorio auto avaliacao_filipe pires
Relatorio auto avaliacao_filipe piresRelatorio auto avaliacao_filipe pires
Relatorio auto avaliacao_filipe pires
 
Relatór reflexcrític.nome marcos
Relatór reflexcrític.nome marcosRelatór reflexcrític.nome marcos
Relatór reflexcrític.nome marcos
 
Metodologias Ativas como proposta estratégica para a o desenvolvimento de apr...
Metodologias Ativas como proposta estratégica para a o desenvolvimento de apr...Metodologias Ativas como proposta estratégica para a o desenvolvimento de apr...
Metodologias Ativas como proposta estratégica para a o desenvolvimento de apr...
 
Ivanildo tcc especialização
Ivanildo tcc especializaçãoIvanildo tcc especialização
Ivanildo tcc especialização
 
Ação formação continuada profatendimentoespecializado giovanar_oliveira
Ação formação continuada profatendimentoespecializado giovanar_oliveiraAção formação continuada profatendimentoespecializado giovanar_oliveira
Ação formação continuada profatendimentoespecializado giovanar_oliveira
 
66-122-1-SM.pdf
66-122-1-SM.pdf66-122-1-SM.pdf
66-122-1-SM.pdf
 
Stcd texto1 s3_forum3
Stcd texto1 s3_forum3Stcd texto1 s3_forum3
Stcd texto1 s3_forum3
 
Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)
Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)
Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)
 
Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)
Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)
Folha # participação dos alunos nos processos de avaliação (1)
 
Ensino com pesquisa
Ensino com pesquisaEnsino com pesquisa
Ensino com pesquisa
 
Taxonomia de Bloom
Taxonomia de BloomTaxonomia de Bloom
Taxonomia de Bloom
 
didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3didatica no ensino superios 3
didatica no ensino superios 3
 
Técnica docente tbl texto em português
Técnica docente tbl texto em portuguêsTécnica docente tbl texto em português
Técnica docente tbl texto em português
 
Ciclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De Educadores
Ciclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De EducadoresCiclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De Educadores
Ciclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De Educadores
 
Ciclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De Educadores
Ciclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De EducadoresCiclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De Educadores
Ciclos De Desenvolvimento Humano E FormaçãO De Educadores
 

Mais de Manuel Sequeira

Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3
Manuel Sequeira
 
Reflex%c3%a3o%20cr%c3%a dtica%20m%c3%b3dulo%203
Reflex%c3%a3o%20cr%c3%a dtica%20m%c3%b3dulo%203Reflex%c3%a3o%20cr%c3%a dtica%20m%c3%b3dulo%203
Reflex%c3%a3o%20cr%c3%a dtica%20m%c3%b3dulo%203
Manuel Sequeira
 
Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3
Manuel Sequeira
 
Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3
Manuel Sequeira
 
Relexão crítica ao trabalho do módulo 2
Relexão crítica ao trabalho do módulo 2Relexão crítica ao trabalho do módulo 2
Relexão crítica ao trabalho do módulo 2
Manuel Sequeira
 
Módulo 2
Módulo 2Módulo 2
Módulo 2
Manuel Sequeira
 
Módulo 2 blendspace
Módulo 2 blendspaceMódulo 2 blendspace
Módulo 2 blendspace
Manuel Sequeira
 
1ª abordagem reflexiva sobre o módulo 1 e a ferramenta escolhida
1ª abordagem reflexiva sobre o módulo 1 e a ferramenta escolhida1ª abordagem reflexiva sobre o módulo 1 e a ferramenta escolhida
1ª abordagem reflexiva sobre o módulo 1 e a ferramenta escolhida
Manuel Sequeira
 
Questionário vark
Questionário varkQuestionário vark
Questionário vark
Manuel Sequeira
 

Mais de Manuel Sequeira (9)

Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3
 
Reflex%c3%a3o%20cr%c3%a dtica%20m%c3%b3dulo%203
Reflex%c3%a3o%20cr%c3%a dtica%20m%c3%b3dulo%203Reflex%c3%a3o%20cr%c3%a dtica%20m%c3%b3dulo%203
Reflex%c3%a3o%20cr%c3%a dtica%20m%c3%b3dulo%203
 
Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3
 
Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3Reflexão crítica módulo 3
Reflexão crítica módulo 3
 
Relexão crítica ao trabalho do módulo 2
Relexão crítica ao trabalho do módulo 2Relexão crítica ao trabalho do módulo 2
Relexão crítica ao trabalho do módulo 2
 
Módulo 2
Módulo 2Módulo 2
Módulo 2
 
Módulo 2 blendspace
Módulo 2 blendspaceMódulo 2 blendspace
Módulo 2 blendspace
 
1ª abordagem reflexiva sobre o módulo 1 e a ferramenta escolhida
1ª abordagem reflexiva sobre o módulo 1 e a ferramenta escolhida1ª abordagem reflexiva sobre o módulo 1 e a ferramenta escolhida
1ª abordagem reflexiva sobre o módulo 1 e a ferramenta escolhida
 
Questionário vark
Questionário varkQuestionário vark
Questionário vark
 

Último

Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 

Relatório final reflexão critica

  • 1. Relatório de Reflexão Crítica Cursos de Formação Contínua de Professores 1 – IDENTIFICAÇÃO AÇÃO Designação da ação INTEGRAÇÃO DE FERRAMENTAS DIGITAIS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM INCLUSIVO Nome do formador Drª. Ana Paula Rocha 2 – IDENTIFICAÇÃO FORMANDO Nome do formando Manuel Francisco Batista Sequeira Escola Agrupamento de Escolas Daniel Sampaio Nível Ensino 2º Ciclo Grupo Recrutamento 910 Situação profissional Contratado Email manuel.sequeira.1972@gmail.com 3 – REFLEXÃO CRÍTICA 3.1 – MOTIVOS DE INTERESSE NA AÇÃO DE FORMAÇÃO (RAZÕES JUSTIFICATIVAS PARA FREQUENTAREM A FORMAÇÃO) Os motivos que me levaram a realizar esta ação de formação, foram vários. Primeiramente procurei esta formação pelo tema tratado, (Ferramentas Digitais), cada vez mais o ensino caminha para uma exigência a olhos vistos, torna mais atrativo para os nossos alunos, uma aula em que se utilize ferramentas digitais, não os podemos limitar a realizar as suas tarefas sempre por o livro ou fichas de trabalho. Os professores de hoje, têm cada vez mais de se prepararem para poderem dar resposta a essa mudança. Ter aprendido a preparar aulas utilizando essas ferramentas, foi sem duvida uma mais valia para o processo de ensino-aprendizagem. Também por ser uma formação à distância, assim facilita mais o gerir o nosso tempo para realizar essa formação, normalmente é nos dada uma tarefa que se poderá concluir durante a semana, se fosse presencial era impossível ter frequentado esta formação. Depois o sistema que obriga os professores contratados hoje em dia a realizarem formações, como por exemplo os critérios de seleção, pontua o professor, atribuindo uma percentagem a quem realiza formações. 3 – REFLEXÃO CRÍTICA 3.2 – APRECIAÇÃO CRÍTICA DAS VERTENTES TEÓRICAS E PRÁTICAS DA AÇÃO (IDENTIFICAÇÃO DAS TEMÁTICAS ABORDADAS E DAS METODOLOGIAS UTILIZADAS; REFERÊNCIA CRÍTICA AOS CONTRIBUTOS DA FORMAÇÃO PARA O DESEMPENHO PROFISSIONAL) Esta formação esteve ao nível do que era por mim esperado. Especialmente a vertente prática e de exploração das ferramentas trabalhadas durante a semana. O processo da escolha das mesmas também foi surpreendente pela positiva, essa limitação obrigou-nos a escolher não de uma forma aleatória, mas sim obrigacionista na forma do jogo do galo. Verifiquei que as ferramentas trabalhadas, são certamente uma mais valia para trabalhar com os alunos e na preparação de aulas. São todas muito atrativas e utilizadas pelos docentes, ajudam a valorizar as aulas teóricas. No meu caso que tenho várias áreas de ensino, vou utiliza-las nas minhas futuras aulas.
  • 2. Relatório de Reflexão Crítica Cursos de Formação Contínua de Professores 3 – REFLEXÃO CRÍTICA 3.3 – CONCLUSÕES O tema tratado por mim e a minha colega Márcia, foi a comunicação alternativa e também a inclusão. Tentámos ao longo dos trabalhos, retratar algumas das nossas rotinas, tanto na prática como teoricamente. Ao longo dos trabalhos, definimos a Comunicação, nomeadamente como, necessidade, pela qual o papel que desempenha na sociedade e na própria escola. Mas existem indivíduos que não conseguem comunicar e outros o fazem com muitas dificuldades. Abordamos também os tipos de Linguagem e seu desenvolvimento, assim como as fases de aquisição da mesma. Existem perturbações na linguagem que impedem os indivíduos de comunicarem normalmente e exprimirem os seus sentimentos de forma nítida. Cada aluno no seu percurso escolar, depara-se com dificuldades em serem incluídos no processo ensino – aprendizagem. As posições assumidas ao longo da história, (desde a exclusão ao atual momento de uma escola inclusiva) relativamente à forma de encararmos a pessoa deficiente, achamos que hoje a deficiência não deve ser tomada isoladamente como obstáculo ou impedimento que impossibilite o pleno desenvolvimento das potencialidades da pessoa humana. Por isso se tentou demonstrar que é possível esses alunos terem a segunda oportunidade de comunicar. A criança com défice na comunicação e com multideficiência, merece uma atenção especial por parte de todos os elementos intervenientes no processo educativo, quer sejam os pais, professores, médicos ou os diversos técnicos que com ela se relacionem. Para isso tem sido fundamental, a evolução do conceito de intervenção precoce e aplicação de programas ao nível da comunicação aumentativa e alternativa que vai influenciar a avaliação, passando a dirigir-se não só à criança mas também à família e aos contextos onde estas estão inseridas. Para concluir, esta formação foi para mim uma mais valia, porque fiquei a conhecer as ferramentas digitais por mim trabalhadas, vou aproveitar no futuro esta mais valia para tornar as aulas ou apoios mais atrativos para os alunos.
  • 3. Relatório de Reflexão Crítica Cursos de Formação Contínua de Professores 4 – BIBLIOGRAFIA Declaração de Salamanca (1994, artº. 7º) TETZCHNER, S.V., MARTINSEN, H. (2000). Introdução à Comunicação Aumentativa e Alternativa. Porto: Porto Editora.