SlideShare uma empresa Scribd logo
Lição nº 67                      09.01.2013
                 SUMÁRIO:
  Síntese sobre o conto tradicional.
  Audição e interpretação do            conto
tradicional “As bocas do mundo”.



              O conto tradicional

          Origem do conto tradicional

  O conto tradicional começou por ser um relato
simples de situações imaginárias, destinado a
ocupar tempos de lazer. Muitos dos contos
tradicionais foram transmitidos oralmente até
que alguns escritores, como por exemplo
Teófilo Braga e Ataíde de Oliveira, os
recolheram junto do povo e os registaram por
escrito.
  Não se conhece o autor dos contos
tradicionais. Estes fazem parte do património
cultural de um povo. Histórias de reis, rainhas,
bruxas, monstros e outros seres fantásticos
ainda hoje continuam a ser contados, levando
os seus ouvintes para mundos imaginários.

      Características do conto tradicional

   Proveniente da tradição oral, apresenta
linguagem simples, que todos compreendem,
num registo coloquial (como se fosse oral).
   É uma narrativa pouco extensa e o
narrador é não participante.
   Tem um enredo (história) e uma
estrutura simples (introdução, desenvolvimento
e conclusão).
   Quase não há marcas de espaço e de
tempo e quando há são muito vagas.
   Apresenta poucas personagens e quase
nunca têm nome.
   Muitos contos apresentam sempre a
mesma fórmula inicial (“Era uma vez…”) e final
(“… e foram felizes para sempre.”)
   Alguns contos pretendem transmitir um
ensinamento ou uma moralidade, tal como as
fábulas.
Exemplos de contos tradicionais portugueses:
- O caldo de pedra
- O velho, o rapaz e o burro
- As orelhas do abade
- Frei João Sem Cuidados


           PRONOMES INDEFINIDOS

Correção da Pág. 62

6. O negociante viu uns macacos em cima da
árvore. Todos tinham um barrete na cabeça.
Alguns gesticulavam, outros riam e muitos
faziam momices.

6.1 – Todos, Alguns, outros e muitos referem-se
a que grupo nominal?
R: Referem-se ao grupo nominal os macacos.

6.2 – Aquelas palavras dão indicações exatas
sobre os macacos de que se fala?
R: Não, por isso são pronomes indefinidos.
TPC para quinta-feira (amanhã):
Ler o conto da página 63 e responder (exercícios
1 e 2).
Ficha de trabalho sobre os pronomes
indefinidos (consultar a página 236).

TPC para sexta-feira – Passar para o caderno
diário os apontamentos sobre o Conto
Tradicional. Consultar o blogue:
http://oplanetadaleitura.blogspot.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalhos sobre a obra de alexandre perafita
Trabalhos sobre a obra de alexandre perafitaTrabalhos sobre a obra de alexandre perafita
Trabalhos sobre a obra de alexandre perafita
Biblioteca Soares Dos Reis
 
O Conto Tradicional
O Conto TradicionalO Conto Tradicional
O Conto Tradicional
Vanda Marques
 
Texto Tradicional
Texto TradicionalTexto Tradicional
Texto Tradicional
Lurdes Augusto
 
Textos De TradiçãO Oral
Textos De TradiçãO OralTextos De TradiçãO Oral
Textos De TradiçãO Oral
Ana Lúcia Freilão Água
 
conto tradicional-popular
 conto tradicional-popular conto tradicional-popular
conto tradicional-popular
sesal
 
Literatura tradicional oral
Literatura tradicional oralLiteratura tradicional oral
Literaturaoraletradicionaltipologia
LiteraturaoraletradicionaltipologiaLiteraturaoraletradicionaltipologia
Literaturaoraletradicionaltipologia
armindaalmeida
 
CONTO O PATINHO FEIO
CONTO O PATINHO FEIOCONTO O PATINHO FEIO
CONTO O PATINHO FEIO
Neureli Batista de Souza
 
Apresentação contos de grimm
Apresentação contos de grimmApresentação contos de grimm
Apresentação contos de grimm
odetefernandes
 
Ficha biográfica de Maria Alberta Menéres
Ficha biográfica de Maria Alberta MenéresFicha biográfica de Maria Alberta Menéres
Ficha biográfica de Maria Alberta Menéres
e- Arquivo
 
Ppt tradição-oral
Ppt tradição-oralPpt tradição-oral
Ppt tradição-oral
Cristina Fontes
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel
Lidiane Lima
 
Corrida De Vassouras
Corrida De VassourasCorrida De Vassouras
Corrida De Vassouras
maria baltazar
 
Literatura tradicional
Literatura tradicionalLiteratura tradicional
Literatura tradicional
Fernanda Monteiro
 
OT Sabores da Leitura 25fev
OT Sabores da Leitura 25fevOT Sabores da Leitura 25fev
OT Sabores da Leitura 25fev
Claudia Elisabete Silva
 
Conto Popular Aa Ii
Conto Popular Aa IiConto Popular Aa Ii
Conto Popular Aa Ii
armindaalmeida
 
2.literatura oral e_tradicional_tipologia
2.literatura oral e_tradicional_tipologia2.literatura oral e_tradicional_tipologia
2.literatura oral e_tradicional_tipologia
Helena Coutinho
 
Quem conta um conto aumenta um ponto port.
Quem conta um conto aumenta um ponto port.Quem conta um conto aumenta um ponto port.
Quem conta um conto aumenta um ponto port.
Angela Fernandes
 
O grito da gaivota3
O grito da gaivota3O grito da gaivota3
O grito da gaivota3
Joana Costa
 

Mais procurados (19)

Trabalhos sobre a obra de alexandre perafita
Trabalhos sobre a obra de alexandre perafitaTrabalhos sobre a obra de alexandre perafita
Trabalhos sobre a obra de alexandre perafita
 
O Conto Tradicional
O Conto TradicionalO Conto Tradicional
O Conto Tradicional
 
Texto Tradicional
Texto TradicionalTexto Tradicional
Texto Tradicional
 
Textos De TradiçãO Oral
Textos De TradiçãO OralTextos De TradiçãO Oral
Textos De TradiçãO Oral
 
conto tradicional-popular
 conto tradicional-popular conto tradicional-popular
conto tradicional-popular
 
Literatura tradicional oral
Literatura tradicional oralLiteratura tradicional oral
Literatura tradicional oral
 
Literaturaoraletradicionaltipologia
LiteraturaoraletradicionaltipologiaLiteraturaoraletradicionaltipologia
Literaturaoraletradicionaltipologia
 
CONTO O PATINHO FEIO
CONTO O PATINHO FEIOCONTO O PATINHO FEIO
CONTO O PATINHO FEIO
 
Apresentação contos de grimm
Apresentação contos de grimmApresentação contos de grimm
Apresentação contos de grimm
 
Ficha biográfica de Maria Alberta Menéres
Ficha biográfica de Maria Alberta MenéresFicha biográfica de Maria Alberta Menéres
Ficha biográfica de Maria Alberta Menéres
 
Ppt tradição-oral
Ppt tradição-oralPpt tradição-oral
Ppt tradição-oral
 
Literatura de cordel
Literatura de cordelLiteratura de cordel
Literatura de cordel
 
Corrida De Vassouras
Corrida De VassourasCorrida De Vassouras
Corrida De Vassouras
 
Literatura tradicional
Literatura tradicionalLiteratura tradicional
Literatura tradicional
 
OT Sabores da Leitura 25fev
OT Sabores da Leitura 25fevOT Sabores da Leitura 25fev
OT Sabores da Leitura 25fev
 
Conto Popular Aa Ii
Conto Popular Aa IiConto Popular Aa Ii
Conto Popular Aa Ii
 
2.literatura oral e_tradicional_tipologia
2.literatura oral e_tradicional_tipologia2.literatura oral e_tradicional_tipologia
2.literatura oral e_tradicional_tipologia
 
Quem conta um conto aumenta um ponto port.
Quem conta um conto aumenta um ponto port.Quem conta um conto aumenta um ponto port.
Quem conta um conto aumenta um ponto port.
 
O grito da gaivota3
O grito da gaivota3O grito da gaivota3
O grito da gaivota3
 

Semelhante a Lição nº 67

Lição nº 82
Lição nº 82Lição nº 82
Lição nº 82
Sílvia Baltazar
 
O conto popular
O conto popularO conto popular
O conto popular
John Vic
 
Sagarana, Guimarães Rosa
Sagarana, Guimarães RosaSagarana, Guimarães Rosa
Sagarana, Guimarães Rosa
marleiart
 
CORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
CORDEL_APRESENTACAO.pdfcccccccccccccccccccCORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
CORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
IedaGoethe
 
Leitura e conhecimento no espaço da biblioteca escolar
Leitura e conhecimento no espaço da biblioteca escolarLeitura e conhecimento no espaço da biblioteca escolar
Leitura e conhecimento no espaço da biblioteca escolar
Ana Paula Cecato
 
Modernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães Rosa
Modernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães RosaModernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães Rosa
Modernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães Rosa
Tamara Amaral
 
ApresentaçãOcontos Tradic
ApresentaçãOcontos TradicApresentaçãOcontos Tradic
ApresentaçãOcontos Tradic
MARIA NOGUE
 
PNL - AquisiçõEs 20092010
PNL - AquisiçõEs 20092010PNL - AquisiçõEs 20092010
PNL - AquisiçõEs 20092010
Paula Morgado
 
Contos de fadas aula final
Contos de fadas   aula finalContos de fadas   aula final
Contos de fadas aula final
Junior Nunes
 
Cordel - a origem nas feiras medievais
Cordel - a origem nas feiras medievaisCordel - a origem nas feiras medievais
Cordel - a origem nas feiras medievais
nextfiocruzbsm
 
Til
TilTil
Til
TilTil
Poeira eudes leite
Poeira eudes leitePoeira eudes leite
Poeira eudes leite
Aline Sesti Cerutti
 
Trovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismoTrovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismo
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
Samiures
 
UFU 2013_A volta do marido pródigo
UFU 2013_A volta do marido pródigoUFU 2013_A volta do marido pródigo
UFU 2013_A volta do marido pródigo
José Ricardo Lima
 
Til
TilTil
Literatura infantil eli 2013 1
Literatura infantil eli 2013 1Literatura infantil eli 2013 1
Literatura infantil eli 2013 1
rosanafpontes
 
Apresentação 5ª replicação
Apresentação 5ª replicaçãoApresentação 5ª replicação
Apresentação 5ª replicação
guest7905a57
 
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.AlbertTrabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
Doug Petrova
 

Semelhante a Lição nº 67 (20)

Lição nº 82
Lição nº 82Lição nº 82
Lição nº 82
 
O conto popular
O conto popularO conto popular
O conto popular
 
Sagarana, Guimarães Rosa
Sagarana, Guimarães RosaSagarana, Guimarães Rosa
Sagarana, Guimarães Rosa
 
CORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
CORDEL_APRESENTACAO.pdfcccccccccccccccccccCORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
CORDEL_APRESENTACAO.pdfccccccccccccccccccc
 
Leitura e conhecimento no espaço da biblioteca escolar
Leitura e conhecimento no espaço da biblioteca escolarLeitura e conhecimento no espaço da biblioteca escolar
Leitura e conhecimento no espaço da biblioteca escolar
 
Modernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães Rosa
Modernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães RosaModernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães Rosa
Modernismo geração de 45: Clarice Lispector e Guimarães Rosa
 
ApresentaçãOcontos Tradic
ApresentaçãOcontos TradicApresentaçãOcontos Tradic
ApresentaçãOcontos Tradic
 
PNL - AquisiçõEs 20092010
PNL - AquisiçõEs 20092010PNL - AquisiçõEs 20092010
PNL - AquisiçõEs 20092010
 
Contos de fadas aula final
Contos de fadas   aula finalContos de fadas   aula final
Contos de fadas aula final
 
Cordel - a origem nas feiras medievais
Cordel - a origem nas feiras medievaisCordel - a origem nas feiras medievais
Cordel - a origem nas feiras medievais
 
Til
TilTil
Til
 
Til
TilTil
Til
 
Poeira eudes leite
Poeira eudes leitePoeira eudes leite
Poeira eudes leite
 
Trovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismoTrovadorismo e humanismo
Trovadorismo e humanismo
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
UFU 2013_A volta do marido pródigo
UFU 2013_A volta do marido pródigoUFU 2013_A volta do marido pródigo
UFU 2013_A volta do marido pródigo
 
Til
TilTil
Til
 
Literatura infantil eli 2013 1
Literatura infantil eli 2013 1Literatura infantil eli 2013 1
Literatura infantil eli 2013 1
 
Apresentação 5ª replicação
Apresentação 5ª replicaçãoApresentação 5ª replicação
Apresentação 5ª replicação
 
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.AlbertTrabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
Trabalho de didática - Fábulas by Doug.Albert
 

Mais de Sílvia Baltazar

Facto e opinião
Facto e opiniãoFacto e opinião
Facto e opinião
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 83
Lição nº 83Lição nº 83
Lição nº 83
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 81
Lição nº 81Lição nº 81
Lição nº 81
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 78, 79 e 80
Lição nº 78, 79 e  80Lição nº 78, 79 e  80
Lição nº 78, 79 e 80
Sílvia Baltazar
 
Fábulas
FábulasFábulas
Lição nº 77
Lição nº 77Lição nº 77
Lição nº 77
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 76
Lição nº 76Lição nº 76
Lição nº 76
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 74
Lição nº 74Lição nº 74
Lição nº 74
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 73
Lição nº 73Lição nº 73
Lição nº 73
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 72
Lição nº 72Lição nº 72
Lição nº 72
Sílvia Baltazar
 
Ficha sobre os quantificadores1
Ficha sobre os quantificadores1Ficha sobre os quantificadores1
Ficha sobre os quantificadores1
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 71
Lição nº 71Lição nº 71
Lição nº 71
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 69 e 70
Lição nº 69 e 70Lição nº 69 e 70
Lição nº 69 e 70
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 68
Lição nº 68Lição nº 68
Lição nº 68
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 68
Lição nº 68Lição nº 68
Lição nº 68
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 66
Lição nº 66Lição nº 66
Lição nº 66
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 65
Lição nº 65Lição nº 65
Lição nº 65
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 64
Lição nº 64Lição nº 64
Lição nº 64
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 58
Lição nº 58Lição nº 58
Lição nº 58
Sílvia Baltazar
 
Lição nº 57
Lição nº 57Lição nº 57
Lição nº 57
Sílvia Baltazar
 

Mais de Sílvia Baltazar (20)

Facto e opinião
Facto e opiniãoFacto e opinião
Facto e opinião
 
Lição nº 83
Lição nº 83Lição nº 83
Lição nº 83
 
Lição nº 81
Lição nº 81Lição nº 81
Lição nº 81
 
Lição nº 78, 79 e 80
Lição nº 78, 79 e  80Lição nº 78, 79 e  80
Lição nº 78, 79 e 80
 
Fábulas
FábulasFábulas
Fábulas
 
Lição nº 77
Lição nº 77Lição nº 77
Lição nº 77
 
Lição nº 76
Lição nº 76Lição nº 76
Lição nº 76
 
Lição nº 74
Lição nº 74Lição nº 74
Lição nº 74
 
Lição nº 73
Lição nº 73Lição nº 73
Lição nº 73
 
Lição nº 72
Lição nº 72Lição nº 72
Lição nº 72
 
Ficha sobre os quantificadores1
Ficha sobre os quantificadores1Ficha sobre os quantificadores1
Ficha sobre os quantificadores1
 
Lição nº 71
Lição nº 71Lição nº 71
Lição nº 71
 
Lição nº 69 e 70
Lição nº 69 e 70Lição nº 69 e 70
Lição nº 69 e 70
 
Lição nº 68
Lição nº 68Lição nº 68
Lição nº 68
 
Lição nº 68
Lição nº 68Lição nº 68
Lição nº 68
 
Lição nº 66
Lição nº 66Lição nº 66
Lição nº 66
 
Lição nº 65
Lição nº 65Lição nº 65
Lição nº 65
 
Lição nº 64
Lição nº 64Lição nº 64
Lição nº 64
 
Lição nº 58
Lição nº 58Lição nº 58
Lição nº 58
 
Lição nº 57
Lição nº 57Lição nº 57
Lição nº 57
 

Último

Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 

Último (20)

Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 

Lição nº 67

  • 1. Lição nº 67 09.01.2013 SUMÁRIO: Síntese sobre o conto tradicional. Audição e interpretação do conto tradicional “As bocas do mundo”. O conto tradicional Origem do conto tradicional O conto tradicional começou por ser um relato simples de situações imaginárias, destinado a ocupar tempos de lazer. Muitos dos contos tradicionais foram transmitidos oralmente até que alguns escritores, como por exemplo Teófilo Braga e Ataíde de Oliveira, os recolheram junto do povo e os registaram por escrito. Não se conhece o autor dos contos tradicionais. Estes fazem parte do património cultural de um povo. Histórias de reis, rainhas,
  • 2. bruxas, monstros e outros seres fantásticos ainda hoje continuam a ser contados, levando os seus ouvintes para mundos imaginários. Características do conto tradicional  Proveniente da tradição oral, apresenta linguagem simples, que todos compreendem, num registo coloquial (como se fosse oral).  É uma narrativa pouco extensa e o narrador é não participante.  Tem um enredo (história) e uma estrutura simples (introdução, desenvolvimento e conclusão).  Quase não há marcas de espaço e de tempo e quando há são muito vagas.  Apresenta poucas personagens e quase nunca têm nome.  Muitos contos apresentam sempre a mesma fórmula inicial (“Era uma vez…”) e final (“… e foram felizes para sempre.”)  Alguns contos pretendem transmitir um ensinamento ou uma moralidade, tal como as fábulas.
  • 3. Exemplos de contos tradicionais portugueses: - O caldo de pedra - O velho, o rapaz e o burro - As orelhas do abade - Frei João Sem Cuidados PRONOMES INDEFINIDOS Correção da Pág. 62 6. O negociante viu uns macacos em cima da árvore. Todos tinham um barrete na cabeça. Alguns gesticulavam, outros riam e muitos faziam momices. 6.1 – Todos, Alguns, outros e muitos referem-se a que grupo nominal? R: Referem-se ao grupo nominal os macacos. 6.2 – Aquelas palavras dão indicações exatas sobre os macacos de que se fala? R: Não, por isso são pronomes indefinidos.
  • 4. TPC para quinta-feira (amanhã): Ler o conto da página 63 e responder (exercícios 1 e 2). Ficha de trabalho sobre os pronomes indefinidos (consultar a página 236). TPC para sexta-feira – Passar para o caderno diário os apontamentos sobre o Conto Tradicional. Consultar o blogue: http://oplanetadaleitura.blogspot.com