SlideShare uma empresa Scribd logo
Química
Professor: Elder Costa
“Fazendo a Química reagir com
você”
O Que é Química?
Química é uma Ciência
Experimental que estuda
a estrutura, composição
e a transformação da
matéria.
O Método Científico
OBSERVAÇÕES
EXPERIÊNCIAS
LEIS
EXPERIMENTAIS
HIPÓTESES
TEORIAS &
MODELOS

CIÊNCIA:

é o conjunto de
atividades que visam observar,
experimentar, explicar e relacionar
os fenômenos da natureza, criando
leis, teorias e modelos cada vez
mais gerais, que nos permitam
prever e controlar os fenômenos
futuros.

Tecnologia: é a ciência aplicada
ESTRUTURA DA MATÉRIA
A matéria é formada por moléculas, que
por sua vez são formadas por partículas
minúsculas chamadas de átomos.
Elementos Químicos
Átomos
Nome

Símbolo

Natureza

Ferro

Fe

Fe3O4

Cálcio

Ca

CaCO3

Prata

Ag (Argentum)

Ag

Oxigênio

O

O2
Átomos & Moléculas
H

+

H

H H
H

H

+

H

+

Átomos

O

H
O

Moléculas
Sistemas Materiais

Substância Pura

Simples

Composta

Mistura

Homogênea

Heterogênea
Substâncias Puras

SIMPLES

COMPOSTA
MISTURAS
AR

HOMOGÊNEA
solução

ÁGUA + AREIA

HETEROGÊNEA
CLASSIFICAÇÃO
DA MATÉRIA
SISTEMAS
HOMOGÊNEOS

SUBSTÂNCIAS
PURAS

MISTURAS DE
UMA FASE

SISTEMAS
HETEROGÊNEOS

MISTURAS DE
MAIS DE UMA
FASE

SUBSTÂNCIAS
EM MUDANÇA
DE ESTADO
OUTROS CONCEITOS

 ATOMICIDADE
 VARIEDADE ALOTRÓPICA
 FENÔMENOS (Transformações):
QUÍMICOS E FÍSICOS
ATOMICIDADE
Atomicidade

Substâncias

Monoatômica

He, Ne, Ar, Kr

Diatômica

H2, N2, HCl, CO

Tetratômica

P4 (fósforo branco)

Indeterminada

P(verm), C(graf), metais

 Atomicidade se refere ao número de átomos
que compõem uma substância
VARIEDADE ALOTRÓPICA
 Variação na arrumação dos átomos

C(grafite)

estrutura amorfa

C(diamante)

estrutura cristalina

 Variação na atomicidade

O2 (Oxigênio)

O3 (Ozônio)
FENÔMENO QUÍMICO
Combustão do álcool etílico
H3C- CH2- OH + 3O2 → 2CO2 + 3H2O

Reagentes

Produtos

 O fenômeno químico transforma
a natureza íntima da matéria.
FENÔMENO FÍSICO
Estados físicos da matéria
SUBLIMAÇÃO

FUSÃO

SOLIDIFICAÇÃO

SÓLIDO
GASOSO

VAPORIZAÇÃO

CONDENSAÇÃO

LÍQUIDO

 O fenômeno físico não altera a natureza da matéria
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1. Considere os sistemas a seguir, em que os átomos
são representados por esferas:
I

II

III

IV

Determine onde encontramos:
a) Substância pura; b) Mistura; c) Somente substância simples;
d) Somente substância composta.

Considere apenas o sistema III, determine:

a) O número de átomos presentes; b) O número de elementos
químicos; c) O número de moléculas; d) O número de substâncias;
e) O número de substâncias binárias; f) O número de substâncias
diatômicas.
2. Considere o sistema representado abaixo.
Pode-se descrever o sistema em questão
como constituido por:
a) Três fases e um componente.
b) Duas fases e dois componentes.
c) Três fases e dois componentes.
d) Três fases e três componentes.
3. Os diferentes tipos de matéria podem ser
classificados em dois grupos:
Substâncias puras e misturas. As substâncias puras podem
ser simples e compostas. Considerando esse modo de
classificação, pode-se afirmar:
(01) O ar atmosférico é uma substância pura .
(02) A água é uma substância simples.
(04) O sangue é uma mistura.
(08) Uma solução de açúcar é uma mistura
(16) O oxigênio e o ozônio são substâncias distintas, embora
constituídas por átomos de um mesmo elemento.
(32) A matéria que contém três tipos de moléculas é uma
substância composta.
(64) A matéria que contém apenas um tipo de molécula é uma
substância simples, mesmo que cada molécula seja formada por
dois átomos diferentes.
4. Observe os seguintes fatos:
I – Uma pedra de naftalina deixada no armário.
II – Uma vasilha com água deixada no freezer.
III – Uma vasilha com água deixada no fogo.
IV – O derretimento de um pedaço de chumbo quando
aquecido.
Nestes fatos estão relacionados corretamente os seguintes
fenômenos:
a) I – sublimação, II – solidificação, III – vaporização, IV – fusão.
b) I – sublimação, II – solidificação, III – fusão, IV –vaporização.
c) I – fusão, II – sublimação, III –vaporização, IV – solidificação.
d) I – vaporização, II- solidificação, III – fusão, IV – sublimação.
e) I – vaporização, II – sublimação, II –fusão, IV – solidificação.
5. Qual dos fenômenos a seguir não
envolve reações químicas?
a) Fusão de gelo.
b) Digestão de alimentos.
c) Combustão.
d) Queima de vela.
e) Explosão de dinamite.
PROPRIEDADES DA MATÉRIA

 PROPRIEDADES GERAIS
 PROPRIEDADES FUNCIONAIS
 PROPRIEDADES ESPECÍFICAS:
PROPRIEDADES GERAIS
 Massa
 Volume
 Inércia
 impenetrabilidade
 Dureza

As propriedades gerais são comuns a
todos os materiais.
PROPRIEDADES FUNCIONAIS
 Hidrocarbonetos são inflamáveis.
 Os ácidos têm sabor azedo.
 Os sais fundidos conduzem corrente elétrica.

As propriedades funcionais são aquelas
apresentadas por um grupo de substâncias,
chamado função química .
PROPRIEDADES
ESPECÍFICAS
 Ponto de Fusão / Solidificação
 Ponto de Ebulição / Liquefação
 Densidade ou Massa Específica
 Coeficiente de Solubilidade
As propriedades específicas caracterizam cada
tipo de substância .
Ponto de Fusão / Solidificação
 Ponto de Fusão é a temperatura
em que uma substância muda do
estado sólido para o estado líquido.
Ponto de Solidificação
corresponde ao processo inverso,
embora as temperaturas sejam
equivalentes.
Obs. O PF e o PS são obtidos em uma dada pressão, quando
esta não é citada, considera-se a pressão atmosférica
Ponto de Ebulição / Liquefação
 Ponto de Ebulição é a temperatura
em que uma substância muda do
estado líquido para o estado gasoso.
Ponto de liquefação corresponde
ao processo inverso, embora as
temperaturas sejam equivalentes.
Obs. O PE e o PL são obtidos em uma dada pressão, quando
esta não é citada, considera-se a pressão atmosférica
Curva de Aquecimento
da água
T°C
G
LeG

100

L
SeL
0
- 20

S

tempo
Curva de Resfriamento
da água
T°C
G
100

LeG

L
SeL
0
- 20

tempo

S
Curvas de Misturas Comuns

Aquecimento

Resfriamento
Curvas de Misturas Eutéticas

PF

PS

Aquecimento

Resfriamento
Curvas de Misturas Azeotrópicas

PE

PL

Aquecimento

Resfriamento
Influência da Pressão
P
>P

T

>T

 Quanto maior a pressão maior o Ponto de Ebulição
Influência da Altitude
>A⇒ <P⇒ <T

A⇒ P⇒ T

 Quanto maior a Altitude menor o Ponto de Ebulição
Densidade
 Densidade é a relação da massa
pelo volume de uma substância a
uma dada Temperatura e Pressão:
d=m/V
Influência da Temperatura
V2
V1

T

>T

> T ⇒ > V ⇒ < densidade
Influência da Pressão
P
>P

> P ⇒ < V ⇒ > densidade
Influência do Estado Físico
da Substância

sólido

>

líquido

> gasoso

Aumento do volume

A DENSIDADE é maior quanto maior o estado de
agregação da matéria
Exceções a Regra
• Água líquida é mais densa
que o gelo.
• Prata, Ferro e Bismuto,
todos diminuem de volume
quando fundidos, portanto
fase líquida mais densa.
Transformação de Unidades
 Unidade de massa

T

Kg
X 103

g
X 103

mg
X 103

 Unidade de Volume

KL

L

mL

µL

m3

dm3

cm3

mm3

X 103

X 103

X 103
Exercícios de fixação:
1) Dada a tabela:
PF

PE

– 63°C

61°C

Fenol

43°C

182°C

Cloro

– 101°C

Clorofórmio

– 34,5°C

Determine o estado físico de cada substância
nas condições ambientes ( 25°C e 1 atm).
Clorofórmio →
Fenol →
Cloro →
Exercícios de fixação:
2) Com relação ao gráfico, indique as proposições verdadeiras:
T°C
+ 85

+ 20
+ 10
0

10

25

35

50 tempo (min)

(01) O gráfico representa o aquecimento de substância pura.
(02) O ponto de fusão da substância é
85°C.
(04) O ponto de solidificação da
substância é 20°C.
(08) Na temperatura
ambiente (25°C) a substância é sólida.
(16) Entre 35 e 50
minutos (intervalo DE) a substância forma um
sistema bifásico.
(32) Se o
gráfico dado mostrasse apenas o intervalo AD, referente ao
aquecimento de um sólido, nada poderíamos afirmar sobre a pureza
do mesmo.
Exercícios de fixação:
3) O gráfico está representando a ebulição de duas amostras, iguais ou
diferentes, em experiências distintas realizadas cada uma a pressão
constante. As quais foram realizadas em sistemas abertos.
T°C
T1

B
A

T2

tempo (min)

(01) Se a amostra A e B forem idênticas, então a pressão é diferente para
cada experiência.
(02) Se a pressão é a mesma, então A e B poderão ser amostras
idênticas em quantidades diferentes.
(04) A e B são substâncias puras.
(08) A e B podem ser misturas.
(16) Se A e B são amostras idênticas, A foi
realizada numa pressão maior que B.
(32) Se A e B são amostras idênticas, A foi
realizada numa altitude menor que B.
(64) B pode ser uma substância pura
Exercícios de fixação:
4) Responda a essa questão considerando três frascos
contendo massas iguais de líquidos diferentes, A, B
e C, cujos valores de densidade em g/mL são
respectivamente: 0,8; 1,0; 1,2.
I

A alternativa que indica cada frasco com
seu respectivo líquido é:
a) I – A, II – B, III – C.

II

b) I – A, II – C, III – B.
c) I – B, II – C, III – A.

III

d) I – B, II – A, III – C.
e) I – C, II – B, III – A.
Exercícios de fixação:
5) (UFMG) As figuras abaixo representam densímetros como os
usados em postos de gasolina. O primeiro contém etanol puro
(d = 0,8g/cm3). Dos dois restantes, um está cheio de etanol e
água e o outro gasolina (d = 0,7g/cm3), não estão
necessariamente nessa ordem. Com base nessas informações,
pode-se afirmar corretamente que:

I

II

a) A densidade da bola preta é maior que 1g/cm3
b) A densidade da bola branca é menor que 0,8
g/cm3.
c) A mistura no densímetro II, tem densidade
menor que 0,8g/cm3.
d) A mistura no densímetro III, contém água.

III

e) As duas bolas apresentam densidade menores
que 0,7g/cm3.
Exercícios de fixação:
6) Uma torneira defeituosa goteja a cada 36
segundos. Sabendo-se que cada gota de
água pesa 0,25g, quanto tempo levará para
encher uma lata de 0,01 m3 ?
Coeficiente de
Solubilidade - CS
 Em geral é considerada como sendo
a massa em gramas possível de ser
solubilizada em 100 g de água, em uma
dada Temperatura e pressão.
Obs. Quando a temperatura / pressão não
são indicadas, considera-se a temperatura
de 25°C e pressão de 1 atm.
SOLUÇÕES
Misturas Homogêneas
• CS do NaCl a 0°C = 35,7 g / 100g de H2O
• CS do NaCl a 25°C = 42,0 g / 100g de H2O
200 g de NaCl

357 g de NaCl

400 g de NaCl

1L de água
a 0°C

1L de água
a 0°C

1L de água
a 0°C

insaturada

Saturada

Saturada com
corpo de fundo
SOLUÇÃO
SUPERSATURADA
400 g de NaCl

1L de água
a 0°C

1L de água
a 25°C

1L de água
a 0°C
Supersaturada

• A concentração na solução final está
acima do CS do NaCl a 0°C.
CURVAS DE SOLUBILIDADE
CS
(g/100g de água)

Comportamento
normal

CS1

Comportamento
anormal
T1

T°C
Exercícios de fixação:
1) A 18°C a solubilidade de uma substância X é
de 60g/100mL de água. Nessa temperatura
150g de X foram misturados em 200mL de
água . O sistema obtido é:
a) Heterogêneo com uma fase.
b) Homogêneo com duas fases.
c) Uma solução aquosa com corpo de fundo.
d) Heterogêneo com três substâncias.
e) Apenas uma solução aquosa.
Exercícios de fixação:
2) 160g de uma solução saturada de
sacarose (C12H22O11) a 30°C é resfriada a
0°C. Qual a massa de açúcar
cristalizada?
Dados:
Temperatura
°C

CS da sacarose
(g/ 100g de água)

0°

180

30°

220
Exercícios de fixação:
Para responder às questões 3) e 4) considere o
gráfico e as informações apresentadas:

CS do KNO3
(g/100g de água)

120
100

20°C

80
60

Solução aquosa
de KNO3

40
20
0
0

10 20

30 40 50 60
Temperatura °C

100g
de KNO3

100g
de
água
Exercícios de fixação:
3) Essa mistura heterogênea, inicialmente a
20°C, é aquecida até 60°C. Dessa forma:
a) A solução aquosa torna-se insaturada.
b) A solução aquosa torna-se saturada e
restam 5g de corpo de fundo.
c) A solução aquosa continua saturada,
sem corpo de fundo.
d) A solução aquosa continua saturada e
restam 20g de corpo de fundo.
e) A massa de KNO3 dissolvida triplica.
Exercícios de fixação:
4) Uma maneira conveniente para se recuperar
todo o KNO3 do sistema e obter o sal sólido e
puro é:
a) Evaporar toda água, por aquecimento.
b) Agitar a mistura e depois filtrá-la.
c) Decantar a solução sobrenadante.
d) Resfriar a mistura a 0°C.
e) Aquecer a mistura a 40°C
ANÁLISE IMEDIATA
 Definição: processos de separação de uma
mistura nos seus constituintes.
 Classificação dos processos:
Mecânicos: separações que não envolvem
transformações físicas ou químicas.
Físicos: processos que envolvem mudanças
de estados físicos das substâncias.
Normalmente indicados nas separações de
misturas homogêneas.
ANÁLISE IMEDIATA
 Misturas Heterogêneas:
Sólido/sólido
Sólido/líquido
Sólido/gás
Líquido/líquido
 Misturas Homogêneas:
sólido/sólido
sólido/líquido
Separação de Misturas
Heterogêneas
Sistemas Sólido/sólido:
 Catação
 Peneiração ou Tamisação
 Ventilação
 Levigação
 Separação Magnética
 Dissolução Fracionada
 Flotação
 Fusão Fracionada
Separação de Misturas Heterogêneas
Sistemas Sólido/líquido:
 Filtração
 Decantação

Sistemas
Líquido/líquido:
 Decantação

 Centrifugação
 Cristalização Fracionada
Sistemas Sólido/gás:
 Filtração
 Decantação
 Câmara de Poeira
Separação de Misturas Homogêneas
Sistemas Sólido/sólido:

Sistemas gás/gás:

 Fusão Fracionada

Liquefação Fracionada

Sistemas Sólido/líquido:
 Evaporação
 Destilação Simples
Sistemas Líquido/líquido:
 Destilação Fracionada
Sistemas Líquido/gás:
 Aquecimento
 Despressurização
Materiais comuns de Laboratório
 Tubo de Ensaio

 Funil de Büchner

 Béquer

 Kitassato

 Erlenmeyer

 Proveta

 Balão de Fundo Chato

 Pipeta Volumétrica

 Balão Volumétrico

 Pipeta Graduada

 Balão de Destilação
 Condensador
 Funil de Decantação
 Funil de Filtração
 Funil Liso
Materiais comuns de Laboratório
 Bureta

 Garras

 Dessecador

 Tripé de Ferro

 Vidro de Relógio

 Tela de Amianto

 Almofariz e Pistilo

 Bastão de Vidro

 Cápsula de Evaporação

 Frasco de Reagente

 Cadinho de Porcelana
 Cadinho de Platina
 Piscete
 Espátula
 Suporte de Ferro

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Propriedades da matéria (1)
Propriedades da matéria (1)Propriedades da matéria (1)
Propriedades da matéria (1)
santanaciencias
 
Introduçao ao estudo da química
Introduçao ao estudo da químicaIntroduçao ao estudo da química
Introduçao ao estudo da química
V
 
Propriedades da matéria
Propriedades da matériaPropriedades da matéria
Propriedades da matéria
matheusrl98
 
Ligações covalentes
Ligações covalentesLigações covalentes
Ligações covalentes
Augusto Sérgio Costa Souza
 
Materiais e Substâncias
Materiais e SubstânciasMateriais e Substâncias
Materiais e Substâncias
João Lopes
 
Propriedades da Matéria - Química
Propriedades da Matéria - QuímicaPropriedades da Matéria - Química
Propriedades da Matéria - Química
Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
Substâncias químicas
Substâncias químicasSubstâncias químicas
Substâncias químicas
Mariana Rosa
 
MM, MA, mol, volume
MM, MA, mol, volumeMM, MA, mol, volume
MM, MA, mol, volume
Karol Maia
 
Substância e mistura 9º ano
Substância e mistura 9º anoSubstância e mistura 9º ano
Substância e mistura 9º ano
Karla Almeida
 
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Adrianne Mendonça
 
Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEs
Thiago
 
Propriedades gerais da materia
Propriedades gerais da materiaPropriedades gerais da materia
Propriedades gerais da materia
Lucas Mariano da Cunha e Silva
 
Aula 1 Elementos SubstâNcias E Misturas2
Aula 1   Elementos SubstâNcias E Misturas2Aula 1   Elementos SubstâNcias E Misturas2
Aula 1 Elementos SubstâNcias E Misturas2
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
Funções químicas
Funções químicasFunções químicas
Funções químicas
João Paulo Luna
 
Propriedades dos materiais 6 ano
Propriedades dos materiais 6 anoPropriedades dos materiais 6 ano
Propriedades dos materiais 6 ano
Rosimeire Carlos Peixoto
 
Leis ponderais
Leis ponderaisLeis ponderais
Slide - Aula teórica densidade
Slide - Aula teórica densidadeSlide - Aula teórica densidade
Slide - Aula teórica densidade
Dibiela
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
João Paulo Luna
 
Transformação da Materia
Transformação da MateriaTransformação da Materia
Transformação da Materia
Pedro Monteiro
 
Matéria e energia (Aula 1 e 2)
Matéria e energia (Aula 1 e 2) Matéria e energia (Aula 1 e 2)
Matéria e energia (Aula 1 e 2)
João Paulo Luna
 

Mais procurados (20)

Propriedades da matéria (1)
Propriedades da matéria (1)Propriedades da matéria (1)
Propriedades da matéria (1)
 
Introduçao ao estudo da química
Introduçao ao estudo da químicaIntroduçao ao estudo da química
Introduçao ao estudo da química
 
Propriedades da matéria
Propriedades da matériaPropriedades da matéria
Propriedades da matéria
 
Ligações covalentes
Ligações covalentesLigações covalentes
Ligações covalentes
 
Materiais e Substâncias
Materiais e SubstânciasMateriais e Substâncias
Materiais e Substâncias
 
Propriedades da Matéria - Química
Propriedades da Matéria - QuímicaPropriedades da Matéria - Química
Propriedades da Matéria - Química
 
Substâncias químicas
Substâncias químicasSubstâncias químicas
Substâncias químicas
 
MM, MA, mol, volume
MM, MA, mol, volumeMM, MA, mol, volume
MM, MA, mol, volume
 
Substância e mistura 9º ano
Substância e mistura 9º anoSubstância e mistura 9º ano
Substância e mistura 9º ano
 
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS Nomenclatura dos COMPOSTOS  ORGÂNICOS
Nomenclatura dos COMPOSTOS ORGÂNICOS
 
Quimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEsQuimica SoluçõEs
Quimica SoluçõEs
 
Propriedades gerais da materia
Propriedades gerais da materiaPropriedades gerais da materia
Propriedades gerais da materia
 
Aula 1 Elementos SubstâNcias E Misturas2
Aula 1   Elementos SubstâNcias E Misturas2Aula 1   Elementos SubstâNcias E Misturas2
Aula 1 Elementos SubstâNcias E Misturas2
 
Funções químicas
Funções químicasFunções químicas
Funções químicas
 
Propriedades dos materiais 6 ano
Propriedades dos materiais 6 anoPropriedades dos materiais 6 ano
Propriedades dos materiais 6 ano
 
Leis ponderais
Leis ponderaisLeis ponderais
Leis ponderais
 
Slide - Aula teórica densidade
Slide - Aula teórica densidadeSlide - Aula teórica densidade
Slide - Aula teórica densidade
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
Transformação da Materia
Transformação da MateriaTransformação da Materia
Transformação da Materia
 
Matéria e energia (Aula 1 e 2)
Matéria e energia (Aula 1 e 2) Matéria e energia (Aula 1 e 2)
Matéria e energia (Aula 1 e 2)
 

Destaque

power point de química professor Vinicius
power point de química professor Vinicius power point de química professor Vinicius
power point de química professor Vinicius
Fortunato Fortunato
 
3623429 quimica-pre vestibular-impacto-introducao-a-quimica-organica-exercicios
3623429 quimica-pre vestibular-impacto-introducao-a-quimica-organica-exercicios3623429 quimica-pre vestibular-impacto-introducao-a-quimica-organica-exercicios
3623429 quimica-pre vestibular-impacto-introducao-a-quimica-organica-exercicios
Mirla Gessica
 
Revisão coltec 2016
Revisão coltec 2016Revisão coltec 2016
Revisão coltec 2016
profNICODEMOS
 
Curso preparatório para concurso bombeiros mg 2016v2
Curso preparatório para concurso bombeiros mg 2016v2Curso preparatório para concurso bombeiros mg 2016v2
Curso preparatório para concurso bombeiros mg 2016v2
profNICODEMOS
 
Estados de agregação da matéria
Estados de agregação da matériaEstados de agregação da matéria
Estados de agregação da matéria
Marcos Franco
 
Misturas Homogêneas e Heterogêneas
Misturas Homogêneas e HeterogêneasMisturas Homogêneas e Heterogêneas
Misturas Homogêneas e Heterogêneas
Igor Santos
 
Mudanças de estado 6ºano
Mudanças de estado 6ºanoMudanças de estado 6ºano
Mudanças de estado 6ºano
giovannimusetti
 
Densidade conceitos
Densidade conceitosDensidade conceitos
Densidade conceitos
Marques Valdo
 
Pressão atmosférica
Pressão atmosféricaPressão atmosférica
Pressão atmosférica
eufisica
 
Temperatura
TemperaturaTemperatura
2. classificação da matéria
2. classificação da matéria2. classificação da matéria
2. classificação da matéria
Rebeca Vale
 
4. transformações da matéria
4. transformações da matéria4. transformações da matéria
4. transformações da matéria
Rebeca Vale
 
Soluções e Misturas
Soluções e MisturasSoluções e Misturas
Soluções e Misturas
elsacsvrs
 
La quimica-y-sus-ramas
La quimica-y-sus-ramasLa quimica-y-sus-ramas
La quimica-y-sus-ramas
albeirotovar
 
Diapositivas De Quimica
Diapositivas De QuimicaDiapositivas De Quimica
Diapositivas De Quimica
rosaelenaa
 
QuíMica Y Sus Ramas
QuíMica Y Sus RamasQuíMica Y Sus Ramas
QuíMica Y Sus Ramas
jebicasanova
 
Aulas de Química Carlinho - Slides.‏
Aulas de Química Carlinho - Slides.‏Aulas de Química Carlinho - Slides.‏
Aulas de Química Carlinho - Slides.‏
Daniele Lino
 
Meditation power point
Meditation power pointMeditation power point
Meditation power point
gman721
 
Quimica
QuimicaQuimica
Quimica i presentacion power point
Quimica i presentacion power pointQuimica i presentacion power point
Quimica i presentacion power point
margreth99
 

Destaque (20)

power point de química professor Vinicius
power point de química professor Vinicius power point de química professor Vinicius
power point de química professor Vinicius
 
3623429 quimica-pre vestibular-impacto-introducao-a-quimica-organica-exercicios
3623429 quimica-pre vestibular-impacto-introducao-a-quimica-organica-exercicios3623429 quimica-pre vestibular-impacto-introducao-a-quimica-organica-exercicios
3623429 quimica-pre vestibular-impacto-introducao-a-quimica-organica-exercicios
 
Revisão coltec 2016
Revisão coltec 2016Revisão coltec 2016
Revisão coltec 2016
 
Curso preparatório para concurso bombeiros mg 2016v2
Curso preparatório para concurso bombeiros mg 2016v2Curso preparatório para concurso bombeiros mg 2016v2
Curso preparatório para concurso bombeiros mg 2016v2
 
Estados de agregação da matéria
Estados de agregação da matériaEstados de agregação da matéria
Estados de agregação da matéria
 
Misturas Homogêneas e Heterogêneas
Misturas Homogêneas e HeterogêneasMisturas Homogêneas e Heterogêneas
Misturas Homogêneas e Heterogêneas
 
Mudanças de estado 6ºano
Mudanças de estado 6ºanoMudanças de estado 6ºano
Mudanças de estado 6ºano
 
Densidade conceitos
Densidade conceitosDensidade conceitos
Densidade conceitos
 
Pressão atmosférica
Pressão atmosféricaPressão atmosférica
Pressão atmosférica
 
Temperatura
TemperaturaTemperatura
Temperatura
 
2. classificação da matéria
2. classificação da matéria2. classificação da matéria
2. classificação da matéria
 
4. transformações da matéria
4. transformações da matéria4. transformações da matéria
4. transformações da matéria
 
Soluções e Misturas
Soluções e MisturasSoluções e Misturas
Soluções e Misturas
 
La quimica-y-sus-ramas
La quimica-y-sus-ramasLa quimica-y-sus-ramas
La quimica-y-sus-ramas
 
Diapositivas De Quimica
Diapositivas De QuimicaDiapositivas De Quimica
Diapositivas De Quimica
 
QuíMica Y Sus Ramas
QuíMica Y Sus RamasQuíMica Y Sus Ramas
QuíMica Y Sus Ramas
 
Aulas de Química Carlinho - Slides.‏
Aulas de Química Carlinho - Slides.‏Aulas de Química Carlinho - Slides.‏
Aulas de Química Carlinho - Slides.‏
 
Meditation power point
Meditation power pointMeditation power point
Meditation power point
 
Quimica
QuimicaQuimica
Quimica
 
Quimica i presentacion power point
Quimica i presentacion power pointQuimica i presentacion power point
Quimica i presentacion power point
 

Semelhante a Introdução à química

Introdução à quimica
Introdução à quimicaIntrodução à quimica
Introdução à quimica
Estude Mais
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
UNIP
 
121
121121
Introdução - Química
Introdução - QuímicaIntrodução - Química
Introdução - Química
Nai Mariano
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
Nai Mariano
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
Nai Mariano
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
Mateus Miranda
 
Introducao a quimica 1º ano
Introducao a quimica 1º anoIntroducao a quimica 1º ano
Introducao a quimica 1º ano
Hugo Cruz Rangel
 
Substacncias puras-e-misturas-parte-1
Substacncias puras-e-misturas-parte-1Substacncias puras-e-misturas-parte-1
Substacncias puras-e-misturas-parte-1
Andrea Marli Dos Santos
 
Conceitos Químicos 1 - completo.ppt
Conceitos Químicos 1 - completo.pptConceitos Químicos 1 - completo.ppt
Conceitos Químicos 1 - completo.ppt
EinsteinMariano
 
INTRODUCAO-QUIMICA .ppt
INTRODUCAO-QUIMICA .pptINTRODUCAO-QUIMICA .ppt
INTRODUCAO-QUIMICA .ppt
Valquiria Ferreira
 
1ª lista química - revisão geral - uno
1ª lista   química - revisão geral - uno1ª lista   química - revisão geral - uno
1ª lista química - revisão geral - uno
Oswaldo Stanziola
 
Exercícios rec. (1)
Exercícios rec. (1)Exercícios rec. (1)
Exercícios rec. (1)
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Aula 02 - Estequiometria.pptx
Aula 02 - Estequiometria.pptxAula 02 - Estequiometria.pptx
Aula 02 - Estequiometria.pptx
JosBorges56
 
Exercíciosfundamentais propriedades xconstituição
Exercíciosfundamentais propriedades xconstituiçãoExercíciosfundamentais propriedades xconstituição
Exercíciosfundamentais propriedades xconstituição
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
01.docx
01.docx01.docx
Propriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicasPropriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicas
guest787ebb4
 
Propriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicasPropriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicas
SESI 422 - Americana
 
Material do 1º plantão de química v2
Material do 1º plantão de química v2Material do 1º plantão de química v2
Material do 1º plantão de química v2
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 
Ômega - Módulo 1.pdf
Ômega - Módulo 1.pdfÔmega - Módulo 1.pdf
Ômega - Módulo 1.pdf
AderitoCavele
 

Semelhante a Introdução à química (20)

Introdução à quimica
Introdução à quimicaIntrodução à quimica
Introdução à quimica
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
 
121
121121
121
 
Introdução - Química
Introdução - QuímicaIntrodução - Química
Introdução - Química
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
 
Introducao a quimica 1º ano
Introducao a quimica 1º anoIntroducao a quimica 1º ano
Introducao a quimica 1º ano
 
Substacncias puras-e-misturas-parte-1
Substacncias puras-e-misturas-parte-1Substacncias puras-e-misturas-parte-1
Substacncias puras-e-misturas-parte-1
 
Conceitos Químicos 1 - completo.ppt
Conceitos Químicos 1 - completo.pptConceitos Químicos 1 - completo.ppt
Conceitos Químicos 1 - completo.ppt
 
INTRODUCAO-QUIMICA .ppt
INTRODUCAO-QUIMICA .pptINTRODUCAO-QUIMICA .ppt
INTRODUCAO-QUIMICA .ppt
 
1ª lista química - revisão geral - uno
1ª lista   química - revisão geral - uno1ª lista   química - revisão geral - uno
1ª lista química - revisão geral - uno
 
Exercícios rec. (1)
Exercícios rec. (1)Exercícios rec. (1)
Exercícios rec. (1)
 
Aula 02 - Estequiometria.pptx
Aula 02 - Estequiometria.pptxAula 02 - Estequiometria.pptx
Aula 02 - Estequiometria.pptx
 
Exercíciosfundamentais propriedades xconstituição
Exercíciosfundamentais propriedades xconstituiçãoExercíciosfundamentais propriedades xconstituição
Exercíciosfundamentais propriedades xconstituição
 
01.docx
01.docx01.docx
01.docx
 
Propriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicasPropriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicas
 
Propriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicasPropriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicas
 
Material do 1º plantão de química v2
Material do 1º plantão de química v2Material do 1º plantão de química v2
Material do 1º plantão de química v2
 
Ômega - Módulo 1.pdf
Ômega - Módulo 1.pdfÔmega - Módulo 1.pdf
Ômega - Módulo 1.pdf
 

Mais de Escola Modelo de Iguatu

Apostila Modelo no Ar
Apostila Modelo no ArApostila Modelo no Ar
Apostila Modelo no Ar
Escola Modelo de Iguatu
 
Era JK
Era JKEra JK
Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2
Escola Modelo de Iguatu
 
Globalização e os Blocos Econômicos
Globalização e os Blocos EconômicosGlobalização e os Blocos Econômicos
Globalização e os Blocos Econômicos
Escola Modelo de Iguatu
 
Formação Territorial
Formação TerritorialFormação Territorial
Formação Territorial
Escola Modelo de Iguatu
 
Era Vargas - Parte II
Era Vargas - Parte IIEra Vargas - Parte II
Era Vargas - Parte II
Escola Modelo de Iguatu
 
Desastre ambiental atualidades
Desastre ambiental   atualidadesDesastre ambiental   atualidades
Desastre ambiental atualidades
Escola Modelo de Iguatu
 
Aula - China
Aula - ChinaAula - China
3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha
3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha
3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha
Escola Modelo de Iguatu
 
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Escola Modelo de Iguatu
 
Separação de Misturas
Separação de MisturasSeparação de Misturas
Separação de Misturas
Escola Modelo de Iguatu
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
Escola Modelo de Iguatu
 
Leis ponderais
Leis ponderais Leis ponderais
Leis ponderais
Escola Modelo de Iguatu
 
Função oxigenadas e nitrogenadas
Função oxigenadas e nitrogenadasFunção oxigenadas e nitrogenadas
Função oxigenadas e nitrogenadas
Escola Modelo de Iguatu
 
Coloides
ColoidesColoides
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
Escola Modelo de Iguatu
 
Números complexos I – Gabarito
Números complexos I – GabaritoNúmeros complexos I – Gabarito
Números complexos I – Gabarito
Escola Modelo de Iguatu
 
Números complexos
Números complexosNúmeros complexos
Números complexos
Escola Modelo de Iguatu
 
Vetores
VetoresVetores
Processo de Eletrização [Aula 01]
Processo de Eletrização [Aula 01]Processo de Eletrização [Aula 01]
Processo de Eletrização [Aula 01]
Escola Modelo de Iguatu
 

Mais de Escola Modelo de Iguatu (20)

Apostila Modelo no Ar
Apostila Modelo no ArApostila Modelo no Ar
Apostila Modelo no Ar
 
Era JK
Era JKEra JK
Era JK
 
Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2
 
Globalização e os Blocos Econômicos
Globalização e os Blocos EconômicosGlobalização e os Blocos Econômicos
Globalização e os Blocos Econômicos
 
Formação Territorial
Formação TerritorialFormação Territorial
Formação Territorial
 
Era Vargas - Parte II
Era Vargas - Parte IIEra Vargas - Parte II
Era Vargas - Parte II
 
Desastre ambiental atualidades
Desastre ambiental   atualidadesDesastre ambiental   atualidades
Desastre ambiental atualidades
 
Aula - China
Aula - ChinaAula - China
Aula - China
 
3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha
3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha
3° Ano - Aula 16 - 19 - Brasil República / República Velha
 
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
Independência do Brasil - Aula 1,2 e 3
 
Separação de Misturas
Separação de MisturasSeparação de Misturas
Separação de Misturas
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
 
Leis ponderais
Leis ponderais Leis ponderais
Leis ponderais
 
Função oxigenadas e nitrogenadas
Função oxigenadas e nitrogenadasFunção oxigenadas e nitrogenadas
Função oxigenadas e nitrogenadas
 
Coloides
ColoidesColoides
Coloides
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 
Números complexos I – Gabarito
Números complexos I – GabaritoNúmeros complexos I – Gabarito
Números complexos I – Gabarito
 
Números complexos
Números complexosNúmeros complexos
Números complexos
 
Vetores
VetoresVetores
Vetores
 
Processo de Eletrização [Aula 01]
Processo de Eletrização [Aula 01]Processo de Eletrização [Aula 01]
Processo de Eletrização [Aula 01]
 

Último

1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
Faga1939
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
Daniel273024
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 

Introdução à química

  • 1. Química Professor: Elder Costa “Fazendo a Química reagir com você”
  • 2. O Que é Química? Química é uma Ciência Experimental que estuda a estrutura, composição e a transformação da matéria.
  • 3. O Método Científico OBSERVAÇÕES EXPERIÊNCIAS LEIS EXPERIMENTAIS HIPÓTESES TEORIAS & MODELOS CIÊNCIA: é o conjunto de atividades que visam observar, experimentar, explicar e relacionar os fenômenos da natureza, criando leis, teorias e modelos cada vez mais gerais, que nos permitam prever e controlar os fenômenos futuros. Tecnologia: é a ciência aplicada
  • 4. ESTRUTURA DA MATÉRIA A matéria é formada por moléculas, que por sua vez são formadas por partículas minúsculas chamadas de átomos.
  • 6. Átomos & Moléculas H + H H H H H + H + Átomos O H O Moléculas
  • 10. CLASSIFICAÇÃO DA MATÉRIA SISTEMAS HOMOGÊNEOS SUBSTÂNCIAS PURAS MISTURAS DE UMA FASE SISTEMAS HETEROGÊNEOS MISTURAS DE MAIS DE UMA FASE SUBSTÂNCIAS EM MUDANÇA DE ESTADO
  • 11. OUTROS CONCEITOS  ATOMICIDADE  VARIEDADE ALOTRÓPICA  FENÔMENOS (Transformações): QUÍMICOS E FÍSICOS
  • 12. ATOMICIDADE Atomicidade Substâncias Monoatômica He, Ne, Ar, Kr Diatômica H2, N2, HCl, CO Tetratômica P4 (fósforo branco) Indeterminada P(verm), C(graf), metais  Atomicidade se refere ao número de átomos que compõem uma substância
  • 13. VARIEDADE ALOTRÓPICA  Variação na arrumação dos átomos C(grafite) estrutura amorfa C(diamante) estrutura cristalina  Variação na atomicidade O2 (Oxigênio) O3 (Ozônio)
  • 14. FENÔMENO QUÍMICO Combustão do álcool etílico H3C- CH2- OH + 3O2 → 2CO2 + 3H2O Reagentes Produtos  O fenômeno químico transforma a natureza íntima da matéria.
  • 15. FENÔMENO FÍSICO Estados físicos da matéria SUBLIMAÇÃO FUSÃO SOLIDIFICAÇÃO SÓLIDO GASOSO VAPORIZAÇÃO CONDENSAÇÃO LÍQUIDO  O fenômeno físico não altera a natureza da matéria
  • 16. EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 1. Considere os sistemas a seguir, em que os átomos são representados por esferas: I II III IV Determine onde encontramos: a) Substância pura; b) Mistura; c) Somente substância simples; d) Somente substância composta. Considere apenas o sistema III, determine: a) O número de átomos presentes; b) O número de elementos químicos; c) O número de moléculas; d) O número de substâncias; e) O número de substâncias binárias; f) O número de substâncias diatômicas.
  • 17. 2. Considere o sistema representado abaixo. Pode-se descrever o sistema em questão como constituido por: a) Três fases e um componente. b) Duas fases e dois componentes. c) Três fases e dois componentes. d) Três fases e três componentes.
  • 18. 3. Os diferentes tipos de matéria podem ser classificados em dois grupos: Substâncias puras e misturas. As substâncias puras podem ser simples e compostas. Considerando esse modo de classificação, pode-se afirmar: (01) O ar atmosférico é uma substância pura . (02) A água é uma substância simples. (04) O sangue é uma mistura. (08) Uma solução de açúcar é uma mistura (16) O oxigênio e o ozônio são substâncias distintas, embora constituídas por átomos de um mesmo elemento. (32) A matéria que contém três tipos de moléculas é uma substância composta. (64) A matéria que contém apenas um tipo de molécula é uma substância simples, mesmo que cada molécula seja formada por dois átomos diferentes.
  • 19. 4. Observe os seguintes fatos: I – Uma pedra de naftalina deixada no armário. II – Uma vasilha com água deixada no freezer. III – Uma vasilha com água deixada no fogo. IV – O derretimento de um pedaço de chumbo quando aquecido. Nestes fatos estão relacionados corretamente os seguintes fenômenos: a) I – sublimação, II – solidificação, III – vaporização, IV – fusão. b) I – sublimação, II – solidificação, III – fusão, IV –vaporização. c) I – fusão, II – sublimação, III –vaporização, IV – solidificação. d) I – vaporização, II- solidificação, III – fusão, IV – sublimação. e) I – vaporização, II – sublimação, II –fusão, IV – solidificação.
  • 20. 5. Qual dos fenômenos a seguir não envolve reações químicas? a) Fusão de gelo. b) Digestão de alimentos. c) Combustão. d) Queima de vela. e) Explosão de dinamite.
  • 21. PROPRIEDADES DA MATÉRIA  PROPRIEDADES GERAIS  PROPRIEDADES FUNCIONAIS  PROPRIEDADES ESPECÍFICAS:
  • 22. PROPRIEDADES GERAIS  Massa  Volume  Inércia  impenetrabilidade  Dureza As propriedades gerais são comuns a todos os materiais.
  • 23. PROPRIEDADES FUNCIONAIS  Hidrocarbonetos são inflamáveis.  Os ácidos têm sabor azedo.  Os sais fundidos conduzem corrente elétrica. As propriedades funcionais são aquelas apresentadas por um grupo de substâncias, chamado função química .
  • 24. PROPRIEDADES ESPECÍFICAS  Ponto de Fusão / Solidificação  Ponto de Ebulição / Liquefação  Densidade ou Massa Específica  Coeficiente de Solubilidade As propriedades específicas caracterizam cada tipo de substância .
  • 25. Ponto de Fusão / Solidificação  Ponto de Fusão é a temperatura em que uma substância muda do estado sólido para o estado líquido. Ponto de Solidificação corresponde ao processo inverso, embora as temperaturas sejam equivalentes. Obs. O PF e o PS são obtidos em uma dada pressão, quando esta não é citada, considera-se a pressão atmosférica
  • 26. Ponto de Ebulição / Liquefação  Ponto de Ebulição é a temperatura em que uma substância muda do estado líquido para o estado gasoso. Ponto de liquefação corresponde ao processo inverso, embora as temperaturas sejam equivalentes. Obs. O PE e o PL são obtidos em uma dada pressão, quando esta não é citada, considera-se a pressão atmosférica
  • 27. Curva de Aquecimento da água T°C G LeG 100 L SeL 0 - 20 S tempo
  • 28. Curva de Resfriamento da água T°C G 100 LeG L SeL 0 - 20 tempo S
  • 29. Curvas de Misturas Comuns Aquecimento Resfriamento
  • 30. Curvas de Misturas Eutéticas PF PS Aquecimento Resfriamento
  • 31. Curvas de Misturas Azeotrópicas PE PL Aquecimento Resfriamento
  • 32. Influência da Pressão P >P T >T  Quanto maior a pressão maior o Ponto de Ebulição
  • 33. Influência da Altitude >A⇒ <P⇒ <T A⇒ P⇒ T  Quanto maior a Altitude menor o Ponto de Ebulição
  • 34. Densidade  Densidade é a relação da massa pelo volume de uma substância a uma dada Temperatura e Pressão: d=m/V
  • 35. Influência da Temperatura V2 V1 T >T > T ⇒ > V ⇒ < densidade
  • 36. Influência da Pressão P >P > P ⇒ < V ⇒ > densidade
  • 37. Influência do Estado Físico da Substância sólido > líquido > gasoso Aumento do volume A DENSIDADE é maior quanto maior o estado de agregação da matéria
  • 38. Exceções a Regra • Água líquida é mais densa que o gelo. • Prata, Ferro e Bismuto, todos diminuem de volume quando fundidos, portanto fase líquida mais densa.
  • 39. Transformação de Unidades  Unidade de massa T Kg X 103 g X 103 mg X 103  Unidade de Volume KL L mL µL m3 dm3 cm3 mm3 X 103 X 103 X 103
  • 40. Exercícios de fixação: 1) Dada a tabela: PF PE – 63°C 61°C Fenol 43°C 182°C Cloro – 101°C Clorofórmio – 34,5°C Determine o estado físico de cada substância nas condições ambientes ( 25°C e 1 atm). Clorofórmio → Fenol → Cloro →
  • 41. Exercícios de fixação: 2) Com relação ao gráfico, indique as proposições verdadeiras: T°C + 85 + 20 + 10 0 10 25 35 50 tempo (min) (01) O gráfico representa o aquecimento de substância pura. (02) O ponto de fusão da substância é 85°C. (04) O ponto de solidificação da substância é 20°C. (08) Na temperatura ambiente (25°C) a substância é sólida. (16) Entre 35 e 50 minutos (intervalo DE) a substância forma um sistema bifásico. (32) Se o gráfico dado mostrasse apenas o intervalo AD, referente ao aquecimento de um sólido, nada poderíamos afirmar sobre a pureza do mesmo.
  • 42. Exercícios de fixação: 3) O gráfico está representando a ebulição de duas amostras, iguais ou diferentes, em experiências distintas realizadas cada uma a pressão constante. As quais foram realizadas em sistemas abertos. T°C T1 B A T2 tempo (min) (01) Se a amostra A e B forem idênticas, então a pressão é diferente para cada experiência. (02) Se a pressão é a mesma, então A e B poderão ser amostras idênticas em quantidades diferentes. (04) A e B são substâncias puras. (08) A e B podem ser misturas. (16) Se A e B são amostras idênticas, A foi realizada numa pressão maior que B. (32) Se A e B são amostras idênticas, A foi realizada numa altitude menor que B. (64) B pode ser uma substância pura
  • 43. Exercícios de fixação: 4) Responda a essa questão considerando três frascos contendo massas iguais de líquidos diferentes, A, B e C, cujos valores de densidade em g/mL são respectivamente: 0,8; 1,0; 1,2. I A alternativa que indica cada frasco com seu respectivo líquido é: a) I – A, II – B, III – C. II b) I – A, II – C, III – B. c) I – B, II – C, III – A. III d) I – B, II – A, III – C. e) I – C, II – B, III – A.
  • 44. Exercícios de fixação: 5) (UFMG) As figuras abaixo representam densímetros como os usados em postos de gasolina. O primeiro contém etanol puro (d = 0,8g/cm3). Dos dois restantes, um está cheio de etanol e água e o outro gasolina (d = 0,7g/cm3), não estão necessariamente nessa ordem. Com base nessas informações, pode-se afirmar corretamente que: I II a) A densidade da bola preta é maior que 1g/cm3 b) A densidade da bola branca é menor que 0,8 g/cm3. c) A mistura no densímetro II, tem densidade menor que 0,8g/cm3. d) A mistura no densímetro III, contém água. III e) As duas bolas apresentam densidade menores que 0,7g/cm3.
  • 45. Exercícios de fixação: 6) Uma torneira defeituosa goteja a cada 36 segundos. Sabendo-se que cada gota de água pesa 0,25g, quanto tempo levará para encher uma lata de 0,01 m3 ?
  • 46. Coeficiente de Solubilidade - CS  Em geral é considerada como sendo a massa em gramas possível de ser solubilizada em 100 g de água, em uma dada Temperatura e pressão. Obs. Quando a temperatura / pressão não são indicadas, considera-se a temperatura de 25°C e pressão de 1 atm.
  • 47. SOLUÇÕES Misturas Homogêneas • CS do NaCl a 0°C = 35,7 g / 100g de H2O • CS do NaCl a 25°C = 42,0 g / 100g de H2O 200 g de NaCl 357 g de NaCl 400 g de NaCl 1L de água a 0°C 1L de água a 0°C 1L de água a 0°C insaturada Saturada Saturada com corpo de fundo
  • 48. SOLUÇÃO SUPERSATURADA 400 g de NaCl 1L de água a 0°C 1L de água a 25°C 1L de água a 0°C Supersaturada • A concentração na solução final está acima do CS do NaCl a 0°C.
  • 49. CURVAS DE SOLUBILIDADE CS (g/100g de água) Comportamento normal CS1 Comportamento anormal T1 T°C
  • 50. Exercícios de fixação: 1) A 18°C a solubilidade de uma substância X é de 60g/100mL de água. Nessa temperatura 150g de X foram misturados em 200mL de água . O sistema obtido é: a) Heterogêneo com uma fase. b) Homogêneo com duas fases. c) Uma solução aquosa com corpo de fundo. d) Heterogêneo com três substâncias. e) Apenas uma solução aquosa.
  • 51. Exercícios de fixação: 2) 160g de uma solução saturada de sacarose (C12H22O11) a 30°C é resfriada a 0°C. Qual a massa de açúcar cristalizada? Dados: Temperatura °C CS da sacarose (g/ 100g de água) 0° 180 30° 220
  • 52. Exercícios de fixação: Para responder às questões 3) e 4) considere o gráfico e as informações apresentadas: CS do KNO3 (g/100g de água) 120 100 20°C 80 60 Solução aquosa de KNO3 40 20 0 0 10 20 30 40 50 60 Temperatura °C 100g de KNO3 100g de água
  • 53. Exercícios de fixação: 3) Essa mistura heterogênea, inicialmente a 20°C, é aquecida até 60°C. Dessa forma: a) A solução aquosa torna-se insaturada. b) A solução aquosa torna-se saturada e restam 5g de corpo de fundo. c) A solução aquosa continua saturada, sem corpo de fundo. d) A solução aquosa continua saturada e restam 20g de corpo de fundo. e) A massa de KNO3 dissolvida triplica.
  • 54. Exercícios de fixação: 4) Uma maneira conveniente para se recuperar todo o KNO3 do sistema e obter o sal sólido e puro é: a) Evaporar toda água, por aquecimento. b) Agitar a mistura e depois filtrá-la. c) Decantar a solução sobrenadante. d) Resfriar a mistura a 0°C. e) Aquecer a mistura a 40°C
  • 55. ANÁLISE IMEDIATA  Definição: processos de separação de uma mistura nos seus constituintes.  Classificação dos processos: Mecânicos: separações que não envolvem transformações físicas ou químicas. Físicos: processos que envolvem mudanças de estados físicos das substâncias. Normalmente indicados nas separações de misturas homogêneas.
  • 56. ANÁLISE IMEDIATA  Misturas Heterogêneas: Sólido/sólido Sólido/líquido Sólido/gás Líquido/líquido  Misturas Homogêneas: sólido/sólido sólido/líquido
  • 57. Separação de Misturas Heterogêneas Sistemas Sólido/sólido:  Catação  Peneiração ou Tamisação  Ventilação  Levigação  Separação Magnética  Dissolução Fracionada  Flotação  Fusão Fracionada
  • 58. Separação de Misturas Heterogêneas Sistemas Sólido/líquido:  Filtração  Decantação Sistemas Líquido/líquido:  Decantação  Centrifugação  Cristalização Fracionada Sistemas Sólido/gás:  Filtração  Decantação  Câmara de Poeira
  • 59. Separação de Misturas Homogêneas Sistemas Sólido/sólido: Sistemas gás/gás:  Fusão Fracionada Liquefação Fracionada Sistemas Sólido/líquido:  Evaporação  Destilação Simples Sistemas Líquido/líquido:  Destilação Fracionada Sistemas Líquido/gás:  Aquecimento  Despressurização
  • 60. Materiais comuns de Laboratório  Tubo de Ensaio  Funil de Büchner  Béquer  Kitassato  Erlenmeyer  Proveta  Balão de Fundo Chato  Pipeta Volumétrica  Balão Volumétrico  Pipeta Graduada  Balão de Destilação  Condensador  Funil de Decantação  Funil de Filtração  Funil Liso
  • 61. Materiais comuns de Laboratório  Bureta  Garras  Dessecador  Tripé de Ferro  Vidro de Relógio  Tela de Amianto  Almofariz e Pistilo  Bastão de Vidro  Cápsula de Evaporação  Frasco de Reagente  Cadinho de Porcelana  Cadinho de Platina  Piscete  Espátula  Suporte de Ferro