SlideShare uma empresa Scribd logo
O Que é Química?

     Química é uma Ciência
     Experimental que estuda
     a estrutura, composição
     e a transformação da
     matéria.
ESTRUTURA DA MATÉRIA

A matéria é formada por moléculas, que
por sua vez são formadas por partículas
minúsculas chamadas de átomos.
Elementos Químicos
            Átomos
 Nome        Símbolo       Natureza
 Ferro          Fe          Fe3O4
 Cálcio         Ca          CaCO3
 Prata     Ag (Argentum)     Ag
Oxigênio        O             O2
Átomos & Moléculas


        H       +       H         H H


                                 H       H
H   +       H       +       O        O

        Átomos                  Moléculas
Sistemas Materiais



   Substância Pura                   Mistura



Simples     Composta      Homogênea      Heterogênea
Substâncias Puras




SIMPLES        COMPOSTA
MISTURAS

  AR              ÁGUA + AREIA




HOMOGÊNEA         HETEROGÊNEA
  solução
CLASSIFICAÇÃO
                  DA MATÉRIA

        SISTEMAS                   SISTEMAS
      HOMOGÊNEOS                 HETEROGÊNEOS



SUBSTÂNCIAS   MISTURAS DE   MISTURAS DE   SUBSTÂNCIAS
   PURAS       UMA FASE     MAIS DE UMA   EM MUDANÇA
                               FASE        DE ESTADO
OUTROS CONCEITOS


 ATOMICIDADE
 VARIEDADE ALOTRÓPICA
 FENÔMENOS (Transformações):
  QUÍMICOS E FÍSICOS
ATOMICIDADE
      Atomicidade         Substâncias

      Monoatômica        He, Ne, Ar, Kr

       Diatômica         H2, N2, HCl, CO

      Tetratômica      P4 (fósforo branco)

     Indeterminada     P(verm), C(graf), metais

 Atomicidade se refere ao número de átomos
      que compõem uma substância
VARIEDADE ALOTRÓPICA
 Variação na arrumação dos átomos
   C(grafite)          C(diamante)




 Variação na atomicidade

   O2 (Oxigênio)            O3 (Ozônio)
FENÔMENO QUÍMICO

    Combustão do álcool etílico

H3C- CH2- OH + 3O2 → 2CO2 + 3H2O

  Reagentes               Produtos

  O fenômeno químico transforma
   a natureza íntima da matéria.
FENÔMENO FÍSICO
          Estados físicos da matéria
                      SUBLIMAÇÃO




              FUSÃO                  VAPORIZAÇÃO




           SOLIDIFICAÇÃO           CONDENSAÇÃO



SÓLIDO                     LÍQUIDO
GASOSO
  O fenômeno físico não altera a natureza da matéria
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1. Considere os sistemas a seguir, em que os átomos
   são representados por esferas:
   I               II              III            IV




Determine onde encontramos:
  a) Substância pura; b) Mistura; c) Somente substância simples;
d) Somente substância composta.
Considere apenas o sistema III, determine:
    a) O número de átomos presentes; b) O número de elementos
químicos; c) O número de moléculas; d) O número de substâncias;
e) O número de substâncias binárias; f) O número de substâncias
diatômicas.
2. Considere o sistema representado abaixo.
   Pode-se descrever o sistema em questão
   como constituido por:


 a) Três fases e um componente.
 b) Duas fases e dois componentes.
 c) Três fases e dois componentes.
 d) Três fases e três componentes.
3. Os diferentes tipos de matéria podem ser
   classificados em dois grupos:
   Substâncias puras e misturas. As substâncias puras podem
   ser simples e compostas. Considerando esse modo de
   classificação, pode-se afirmar:
(01) O ar atmosférico é uma substância pura .
(02) A água é uma substância simples.
(04) O sangue é uma mistura.
(08) Uma solução de açúcar é uma mistura
(16) O oxigênio e o ozônio são substâncias distintas, embora
constituídas por átomos de um mesmo elemento.
(32) A matéria que contém três tipos de moléculas é uma
substância composta.
(64) A matéria que contém apenas um tipo de molécula é uma
substância simples, mesmo que cada molécula seja formada por
dois átomos diferentes.
4. Observe os seguintes fatos:
  I – Uma pedra de naftalina deixada no armário.
  II – Uma vasilha com água deixada no freezer.
  III – Uma vasilha com água deixada no fogo.
  IV – O derretimento de um pedaço de chumbo quando
  aquecido.
  Nestes fatos estão relacionados corretamente os seguintes
  fenômenos:

a) I – sublimação, II – solidificação, III – vaporização, IV – fusão.
 b) I – sublimação, II – solidificação, III – fusão, IV –vaporização.
c) I – fusão, II – sublimação, III –vaporização, IV – solidificação.
d) I – vaporização, II- solidificação, III – fusão, IV – sublimação.
 e) I – vaporização, II – sublimação, II –fusão, IV – solidificação.
5. Qual dos fenômenos a seguir não
envolve reações químicas?

a) Fusão de gelo.
b) Digestão de alimentos.
c) Combustão.
d) Queima de vela.
e) Explosão de dinamite.
PROPRIEDADES DA MATÉRIA



 PROPRIEDADES GERAIS
 PROPRIEDADES FUNCIONAIS
 PROPRIEDADES ESPECÍFICAS:
PROPRIEDADES GERAIS

 Massa
 Volume
 Inércia
 impenetrabilidade




As propriedades gerais são comuns a
todos os materiais.
PROPRIEDADES
             ESPECÍFICAS

  Ponto de Fusão / Solidificação
  Ponto de Ebulição / Liquefação
  Densidade ou Massa Específica
  Coeficiente de Solubilidade

As propriedades específicas caracterizam cada
             tipo de substância .
Ponto de Fusão / Solidificação


 Ponto de Fusão é a temperatura
em que uma substância muda do
estado sólido para o estado líquido.
Ponto de Solidificação
corresponde ao processo inverso,
embora as temperaturas sejam
equivalentes.
Obs. O PF e o PS são obtidos em uma dada pressão, quando
esta não é citada, considera-se a pressão atmosférica
Ponto de Ebulição / Liquefação


 Ponto de Ebulição é a temperatura
em que uma substância muda do
estado líquido para o estado gasoso.
Ponto de liquefação corresponde
ao processo inverso, embora as
temperaturas sejam equivalentes.

Obs. O PE e o PL são obtidos em uma dada pressão, quando
esta não é citada, considera-se a pressão atmosférica
Curva de Aquecimento
                 da água
T°C


                           G
                     LeG
100



                 L

           SeL
 0                             tempo
       S
- 20
Curva de Resfriamento
                 da água
 T°C

       G
           LeG
100



                 L

                     SeL
  0                        tempo
                           S
- 20
Curvas de Misturas Comuns




Aquecimento      Resfriamento
Curvas de Misturas Eutéticas




PF                  PS




     Aquecimento         Resfriamento
Curvas de Misturas Azeotrópicas




PE                    PL




       Aquecimento         Resfriamento
Influência da Pressão
            P
                                        >P




           T                          >T

 Quanto maior a pressão maior o Ponto de Ebulição
Influência da Altitude
                      >A⇒ <P⇒ <T




                                 A⇒ P⇒ T




 Quanto maior a Altitude menor o Ponto de Ebulição
Densidade


 Densidade é a relação da massa
pelo volume de uma substância a
uma dada Temperatura e Pressão:
           d=m/V
Influência da Temperatura

                               V2

              V1




     T                    >T

     > T ⇒ > V ⇒ < densidade
Influência da Pressão

  P
                            >P




  > P ⇒ < V ⇒ > densidade
Influência do Estado Físico
       da Substância



     sólido   >    líquido    > gasoso
              Aumento do volume

A DENSIDADE é maior quanto maior o estado de
          agregação da matéria
Exceções a Regra

• Água líquida é mais densa
que o gelo.
• Prata, Ferro e Bismuto,
todos diminuem de volume
quando fundidos, portanto
fase líquida mais densa.
Exercícios de fixação:
1) Dada a tabela:

                      PF          PE
   Clorofórmio      – 63°C       61°C
   Fenol              43°C      182°C
   Cloro            – 101°C    – 34,5°C

   Determine o estado físico de cada substância
   nas condições ambientes ( 25°C e 1 atm).
   Clorofórmio →
   Fenol →
   Cloro →
Exercícios de fixação:
2) Com relação ao gráfico, indique as proposições verdadeiras:
                 T°C
                 + 85




                 + 20

                 + 10

                        0   10   25   35   50 tempo (min)

  (01) O gráfico representa o aquecimento de substância pura.
                               (02) O ponto de fusão da substância é
  85°C.                                (04) O ponto de solidificação da
  substância é 20°C.                         (08) Na temperatura
  ambiente (25°C) a substância é sólida.             (16) Entre 35 e 50
  minutos (intervalo DE) a substância forma um       sistema bifásico.
                                                              (32) Se o
  gráfico dado mostrasse apenas o intervalo AD, referente ao
  aquecimento de um sólido, nada poderíamos afirmar sobre a pureza
  do mesmo.
Exercícios de fixação:
3) O gráfico está representando a ebulição de duas amostras, iguais ou
    diferentes, em experiências distintas realizadas cada uma a pressão
    constante. As quais foram realizadas em sistemas abertos.
                    T°C                   B

                                          A
                     T1
                     T2



                                     tempo (min)

(01) Se a amostra A e B forem idênticas, então a pressão é diferente para
cada experiência.
       (02) Se a pressão é a mesma, então A e B poderão ser amostras
idênticas em quantidades diferentes.
                 (04) A e B são substâncias puras.
                         (08) A e B podem ser misturas.
                            (16) Se A e B são amostras idênticas, A foi
realizada numa pressão maior que B.
                                  (32) Se A e B são amostras idênticas, A foi
realizada numa altitude menor que B.
                                         (64) B pode ser uma substância pura
Exercícios de fixação:
4) Responda a essa questão considerando três frascos
   contendo massas iguais de líquidos diferentes, A, B
   e C, cujos valores de densidade em g/mL são
   respectivamente: 0,8; 1,0; 1,2.

          A alternativa que indica cada frasco com
I            seu respectivo líquido é:
          a) I – A, II – B, III – C.
II        b) I – A, II – C, III – B.
          c) I – B, II – C, III – A.
III       d) I – B, II – A, III – C.
          e) I – C, II – B, III – A.
ANÁLISE IMEDIATA
 Misturas Heterogêneas:
       Sólido/sólido

  Sólido/líquido
            Sólido/gás

  Líquido/líquido
 Misturas Homogêneas:

  sólido/sólido

  sólido/líquido
Separação de Misturas
         Heterogêneas
Sistemas Sólido/sólido:
 Catação
 Peneiração ou Tamisação
 Ventilação
 Levigação
 Separação Magnética
 Dissolução Fracionada
 Flotação
 Fusão Fracionada
Separação de Misturas Heterogêneas
  Sistemas Sólido/líquido:   Sistemas
   Filtração                Líquido/líquido:
                              Decantação
   Decantação
   Centrifugação
   Cristalização Fracionada
  Sistemas Sólido/gás:
   Filtração
   Decantação
   Câmara de Poeira
Separação de Misturas Homogêneas
 Sistemas Sólido/sólido:     Sistemas gás/gás:
  Fusão Fracionada          Liquefação Fracionada
 Sistemas Sólido/líquido:
  Evaporação
  Destilação Simples
 Sistemas Líquido/líquido:
  Destilação Fracionada
 Sistemas Líquido/gás:
  Aquecimento
  Despressurização
Materiais comuns de Laboratório
 Tubo de Ensaio          Funil de Büchner
 Béquer                  Kitassato
 Erlenmeyer              Proveta
 Balão de Fundo Chato    Pipeta Volumétrica
 Balão Volumétrico       Pipeta Graduada
 Balão de Destilação
 Condensador
 Funil de Decantação
 Funil de Filtração
 Funil Liso
Materiais comuns de Laboratório
 Bureta                   Garras
 Dessecador               Tripé de Ferro
 Vidro de Relógio         Tela de Amianto
 Almofariz e Pistilo      Bastão de Vidro
 Cápsula de Evaporação    Frasco de Reagente
 Cadinho de Porcelana
 Cadinho de Platina
 Piscete
 Espátula
 Suporte de Ferro

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivosClassificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
silfig
 
Sistema digestivo histologia
Sistema digestivo histologiaSistema digestivo histologia
Sistema digestivo histologia
Michael Nunes
 
Princípios de física radiológica
Princípios de física radiológicaPrincípios de física radiológica
Princípios de física radiológica
grtalves
 
Princípios de taxonomia
Princípios de taxonomiaPrincípios de taxonomia
Princípios de taxonomia
Universidade Federal do Oeste Pará
 
Apresentação - PapoVet Cardiologia
Apresentação - PapoVet CardiologiaApresentação - PapoVet Cardiologia
Apresentação - PapoVet Cardiologia
Instituto Qualittas de Pós Graduação
 
P E T: POSITRON EMISSION TOMOGRAPHY - Conteúdo vinculado ao blog http:/...
P E T: POSITRON EMISSION TOMOGRAPHY - Conteúdo vinculado ao blog      http:/...P E T: POSITRON EMISSION TOMOGRAPHY - Conteúdo vinculado ao blog      http:/...
P E T: POSITRON EMISSION TOMOGRAPHY - Conteúdo vinculado ao blog http:/...
Rodrigo Penna
 
Avaliação diagnóstica 7º ano
Avaliação diagnóstica   7º anoAvaliação diagnóstica   7º ano
Avaliação diagnóstica 7º ano
Atividades Diversas Cláudia
 
Infecções do Sistema Nervoso Central
Infecções do Sistema Nervoso CentralInfecções do Sistema Nervoso Central
Infecções do Sistema Nervoso Central
marianagusmao39
 
Patologia Geral: Aula 01 2009 - Introdução
Patologia Geral: Aula 01 2009 - IntroduçãoPatologia Geral: Aula 01 2009 - Introdução
Patologia Geral: Aula 01 2009 - Introdução
UFPEL
 
Sequencia didatica origem da vida_
Sequencia didatica origem da vida_Sequencia didatica origem da vida_
Sequencia didatica origem da vida_
Marta Durão Nunes
 
Histologia - Lâminas Laboratoriais
Histologia - Lâminas LaboratoriaisHistologia - Lâminas Laboratoriais
Histologia - Lâminas Laboratoriais
Eduardo Egisto
 
Composição química da célula
Composição química da célulaComposição química da célula
Composição química da célula
MARCIAMP
 
Fisiologia animal
Fisiologia animal Fisiologia animal
Fisiologia animal
Marília Gomes
 
Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01
Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01
Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01
Pedro Souza
 
I M U N O F L U O R E S C E N C I A
I M U N O F L U O R E S C E N C I AI M U N O F L U O R E S C E N C I A
I M U N O F L U O R E S C E N C I A
LABIMUNO UFBA
 
Sucessão Ecológica
Sucessão EcológicaSucessão Ecológica
Sucessão Ecológica
Carlos Priante
 
A célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaA célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vida
Leonardo Alves
 
Diagnóstico de Doenças Infecciosas e Parasitárias
Diagnóstico de Doenças Infecciosas e ParasitáriasDiagnóstico de Doenças Infecciosas e Parasitárias
Diagnóstico de Doenças Infecciosas e Parasitárias
Messias Miranda
 
Relações Ecológicas
Relações EcológicasRelações Ecológicas
Relações Ecológicas
Evandro Batista
 
Sistema excretor
Sistema excretorSistema excretor
Sistema excretor
Marcia Regina
 

Mais procurados (20)

Classificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivosClassificação dos seres vivos
Classificação dos seres vivos
 
Sistema digestivo histologia
Sistema digestivo histologiaSistema digestivo histologia
Sistema digestivo histologia
 
Princípios de física radiológica
Princípios de física radiológicaPrincípios de física radiológica
Princípios de física radiológica
 
Princípios de taxonomia
Princípios de taxonomiaPrincípios de taxonomia
Princípios de taxonomia
 
Apresentação - PapoVet Cardiologia
Apresentação - PapoVet CardiologiaApresentação - PapoVet Cardiologia
Apresentação - PapoVet Cardiologia
 
P E T: POSITRON EMISSION TOMOGRAPHY - Conteúdo vinculado ao blog http:/...
P E T: POSITRON EMISSION TOMOGRAPHY - Conteúdo vinculado ao blog      http:/...P E T: POSITRON EMISSION TOMOGRAPHY - Conteúdo vinculado ao blog      http:/...
P E T: POSITRON EMISSION TOMOGRAPHY - Conteúdo vinculado ao blog http:/...
 
Avaliação diagnóstica 7º ano
Avaliação diagnóstica   7º anoAvaliação diagnóstica   7º ano
Avaliação diagnóstica 7º ano
 
Infecções do Sistema Nervoso Central
Infecções do Sistema Nervoso CentralInfecções do Sistema Nervoso Central
Infecções do Sistema Nervoso Central
 
Patologia Geral: Aula 01 2009 - Introdução
Patologia Geral: Aula 01 2009 - IntroduçãoPatologia Geral: Aula 01 2009 - Introdução
Patologia Geral: Aula 01 2009 - Introdução
 
Sequencia didatica origem da vida_
Sequencia didatica origem da vida_Sequencia didatica origem da vida_
Sequencia didatica origem da vida_
 
Histologia - Lâminas Laboratoriais
Histologia - Lâminas LaboratoriaisHistologia - Lâminas Laboratoriais
Histologia - Lâminas Laboratoriais
 
Composição química da célula
Composição química da célulaComposição química da célula
Composição química da célula
 
Fisiologia animal
Fisiologia animal Fisiologia animal
Fisiologia animal
 
Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01
Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01
Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01
 
I M U N O F L U O R E S C E N C I A
I M U N O F L U O R E S C E N C I AI M U N O F L U O R E S C E N C I A
I M U N O F L U O R E S C E N C I A
 
Sucessão Ecológica
Sucessão EcológicaSucessão Ecológica
Sucessão Ecológica
 
A célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vidaA célula - unidade básica da vida
A célula - unidade básica da vida
 
Diagnóstico de Doenças Infecciosas e Parasitárias
Diagnóstico de Doenças Infecciosas e ParasitáriasDiagnóstico de Doenças Infecciosas e Parasitárias
Diagnóstico de Doenças Infecciosas e Parasitárias
 
Relações Ecológicas
Relações EcológicasRelações Ecológicas
Relações Ecológicas
 
Sistema excretor
Sistema excretorSistema excretor
Sistema excretor
 

Destaque

Aula murialdo 2
Aula murialdo 2Aula murialdo 2
Aula murialdo 2
Nai Mariano
 
Aula Funções Inorgânicas
Aula Funções InorgânicasAula Funções Inorgânicas
Aula Funções Inorgânicas
Nai Mariano
 
Aula tabela[1]
Aula tabela[1]Aula tabela[1]
Aula tabela[1]
Nai Mariano
 
Aula calculos quimicos positivo
Aula calculos quimicos positivoAula calculos quimicos positivo
Aula calculos quimicos positivo
Nai Mariano
 
Aula - Grandezas Químicas
Aula - Grandezas Químicas Aula - Grandezas Químicas
Aula - Grandezas Químicas
Nai Mariano
 
Quimica radioatividade
Quimica radioatividadeQuimica radioatividade
Quimica radioatividade
mnmaill
 
Radioatividade - profª Nília
Radioatividade - profª NíliaRadioatividade - profª Nília
Radioatividade - profª Nília
ProfªThaiza Montine
 
Aula radioatividade
Aula radioatividadeAula radioatividade
Aula radioatividade
Nai Mariano
 

Destaque (8)

Aula murialdo 2
Aula murialdo 2Aula murialdo 2
Aula murialdo 2
 
Aula Funções Inorgânicas
Aula Funções InorgânicasAula Funções Inorgânicas
Aula Funções Inorgânicas
 
Aula tabela[1]
Aula tabela[1]Aula tabela[1]
Aula tabela[1]
 
Aula calculos quimicos positivo
Aula calculos quimicos positivoAula calculos quimicos positivo
Aula calculos quimicos positivo
 
Aula - Grandezas Químicas
Aula - Grandezas Químicas Aula - Grandezas Químicas
Aula - Grandezas Químicas
 
Quimica radioatividade
Quimica radioatividadeQuimica radioatividade
Quimica radioatividade
 
Radioatividade - profª Nília
Radioatividade - profª NíliaRadioatividade - profª Nília
Radioatividade - profª Nília
 
Aula radioatividade
Aula radioatividadeAula radioatividade
Aula radioatividade
 

Semelhante a Introducao quimica

Introdução - Química
Introdução - QuímicaIntrodução - Química
Introdução - Química
Nai Mariano
 
121
121121
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
Mateus Miranda
 
Transformação da Materia
Transformação da MateriaTransformação da Materia
Transformação da Materia
Pedro Monteiro
 
Introdução à quimica
Introdução à quimicaIntrodução à quimica
Introdução à quimica
Estude Mais
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
UNIP
 
Propriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicasPropriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicas
guest787ebb4
 
Propriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicasPropriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicas
SESI 422 - Americana
 
Introdução à química
Introdução à químicaIntrodução à química
Introdução à química
Escola Modelo de Iguatu
 
Introducao a quimica 1º ano
Introducao a quimica 1º anoIntroducao a quimica 1º ano
Introducao a quimica 1º ano
Hugo Cruz Rangel
 
Substacncias puras-e-misturas-parte-1
Substacncias puras-e-misturas-parte-1Substacncias puras-e-misturas-parte-1
Substacncias puras-e-misturas-parte-1
Andrea Marli Dos Santos
 
Aulas 1 2 e 3 - progressao ext noite - 2016
Aulas 1 2 e 3 - progressao ext noite - 2016Aulas 1 2 e 3 - progressao ext noite - 2016
Aulas 1 2 e 3 - progressao ext noite - 2016
paulomigoto
 
122
122122
Propriedades específicas da matéria
Propriedades específicas  da matériaPropriedades específicas  da matéria
Propriedades específicas da matéria
Elinne Lima
 
Estudo da Matéria
Estudo da MatériaEstudo da Matéria
Estudo da Matéria
acessoriaem21ma
 
Misturas e substâncias puras
 Misturas e substâncias puras Misturas e substâncias puras
Misturas e substâncias puras
samuelr81
 
Introducao ao estudo da_quimica
Introducao ao estudo da_quimicaIntroducao ao estudo da_quimica
Introducao ao estudo da_quimica
Colégio Academos
 
Conceitos Químicos 1 - completo.ppt
Conceitos Químicos 1 - completo.pptConceitos Químicos 1 - completo.ppt
Conceitos Químicos 1 - completo.ppt
EinsteinMariano
 
Revisão 1ano
Revisão 1anoRevisão 1ano
Revisão 1ano
borisnunes
 
substancias e misturas-
substancias e misturas- substancias e misturas-
substancias e misturas-
Dahia Monteiro Carrino Suave
 

Semelhante a Introducao quimica (20)

Introdução - Química
Introdução - QuímicaIntrodução - Química
Introdução - Química
 
121
121121
121
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
 
Transformação da Materia
Transformação da MateriaTransformação da Materia
Transformação da Materia
 
Introdução à quimica
Introdução à quimicaIntrodução à quimica
Introdução à quimica
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
 
Propriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicasPropriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicas
 
Propriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicasPropriedades QuíMicas
Propriedades QuíMicas
 
Introdução à química
Introdução à químicaIntrodução à química
Introdução à química
 
Introducao a quimica 1º ano
Introducao a quimica 1º anoIntroducao a quimica 1º ano
Introducao a quimica 1º ano
 
Substacncias puras-e-misturas-parte-1
Substacncias puras-e-misturas-parte-1Substacncias puras-e-misturas-parte-1
Substacncias puras-e-misturas-parte-1
 
Aulas 1 2 e 3 - progressao ext noite - 2016
Aulas 1 2 e 3 - progressao ext noite - 2016Aulas 1 2 e 3 - progressao ext noite - 2016
Aulas 1 2 e 3 - progressao ext noite - 2016
 
122
122122
122
 
Propriedades específicas da matéria
Propriedades específicas  da matériaPropriedades específicas  da matéria
Propriedades específicas da matéria
 
Estudo da Matéria
Estudo da MatériaEstudo da Matéria
Estudo da Matéria
 
Misturas e substâncias puras
 Misturas e substâncias puras Misturas e substâncias puras
Misturas e substâncias puras
 
Introducao ao estudo da_quimica
Introducao ao estudo da_quimicaIntroducao ao estudo da_quimica
Introducao ao estudo da_quimica
 
Conceitos Químicos 1 - completo.ppt
Conceitos Químicos 1 - completo.pptConceitos Químicos 1 - completo.ppt
Conceitos Químicos 1 - completo.ppt
 
Revisão 1ano
Revisão 1anoRevisão 1ano
Revisão 1ano
 
substancias e misturas-
substancias e misturas- substancias e misturas-
substancias e misturas-
 

Mais de Nai Mariano

Lista grandezas químicas e estequiometria
Lista grandezas químicas e estequiometriaLista grandezas químicas e estequiometria
Lista grandezas químicas e estequiometria
Nai Mariano
 
Lista de exercícios estrutura atômica
Lista de exercícios estrutura atômicaLista de exercícios estrutura atômica
Lista de exercícios estrutura atômica
Nai Mariano
 
Lista de materiais de química
Lista de materiais de químicaLista de materiais de química
Lista de materiais de química
Nai Mariano
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
Nai Mariano
 
Isomeria Cis-Trans e Óptica
Isomeria Cis-Trans e ÓpticaIsomeria Cis-Trans e Óptica
Isomeria Cis-Trans e Óptica
Nai Mariano
 
Cinética
CinéticaCinética
Cinética
Nai Mariano
 
Aula de Esquiometria Prof Kamil
Aula de Esquiometria Prof KamilAula de Esquiometria Prof Kamil
Aula de Esquiometria Prof Kamil
Nai Mariano
 
Aula sobre Grandezas Químicas!
Aula sobre Grandezas Químicas!Aula sobre Grandezas Químicas!
Aula sobre Grandezas Químicas!
Nai Mariano
 
Reações inorgânicas
Reações inorgânicas Reações inorgânicas
Reações inorgânicas
Nai Mariano
 
Aula funções inorgânicas e exercícios Positivo
Aula funções inorgânicas e exercícios PositivoAula funções inorgânicas e exercícios Positivo
Aula funções inorgânicas e exercícios Positivo
Nai Mariano
 
Aula funções inorgnicas e exercicios ibb
Aula funções inorgnicas e exercicios ibbAula funções inorgnicas e exercicios ibb
Aula funções inorgnicas e exercicios ibb
Nai Mariano
 
Forças intermoleculares
Forças intermolecularesForças intermoleculares
Forças intermoleculares
Nai Mariano
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
Nai Mariano
 
Aula tabela
Aula tabelaAula tabela
Aula tabela
Nai Mariano
 
Aula Modelos Atômicos!!!
Aula Modelos Atômicos!!!Aula Modelos Atômicos!!!
Aula Modelos Atômicos!!!
Nai Mariano
 
Aula modelos atômicos
Aula modelos atômicosAula modelos atômicos
Aula modelos atômicos
Nai Mariano
 
Primeiro Ano - Propriedades da matéria
Primeiro Ano - Propriedades da matériaPrimeiro Ano - Propriedades da matéria
Primeiro Ano - Propriedades da matéria
Nai Mariano
 

Mais de Nai Mariano (17)

Lista grandezas químicas e estequiometria
Lista grandezas químicas e estequiometriaLista grandezas químicas e estequiometria
Lista grandezas químicas e estequiometria
 
Lista de exercícios estrutura atômica
Lista de exercícios estrutura atômicaLista de exercícios estrutura atômica
Lista de exercícios estrutura atômica
 
Lista de materiais de química
Lista de materiais de químicaLista de materiais de química
Lista de materiais de química
 
Introducao quimica
Introducao quimicaIntroducao quimica
Introducao quimica
 
Isomeria Cis-Trans e Óptica
Isomeria Cis-Trans e ÓpticaIsomeria Cis-Trans e Óptica
Isomeria Cis-Trans e Óptica
 
Cinética
CinéticaCinética
Cinética
 
Aula de Esquiometria Prof Kamil
Aula de Esquiometria Prof KamilAula de Esquiometria Prof Kamil
Aula de Esquiometria Prof Kamil
 
Aula sobre Grandezas Químicas!
Aula sobre Grandezas Químicas!Aula sobre Grandezas Químicas!
Aula sobre Grandezas Químicas!
 
Reações inorgânicas
Reações inorgânicas Reações inorgânicas
Reações inorgânicas
 
Aula funções inorgânicas e exercícios Positivo
Aula funções inorgânicas e exercícios PositivoAula funções inorgânicas e exercícios Positivo
Aula funções inorgânicas e exercícios Positivo
 
Aula funções inorgnicas e exercicios ibb
Aula funções inorgnicas e exercicios ibbAula funções inorgnicas e exercicios ibb
Aula funções inorgnicas e exercicios ibb
 
Forças intermoleculares
Forças intermolecularesForças intermoleculares
Forças intermoleculares
 
Ligações químicas
Ligações químicasLigações químicas
Ligações químicas
 
Aula tabela
Aula tabelaAula tabela
Aula tabela
 
Aula Modelos Atômicos!!!
Aula Modelos Atômicos!!!Aula Modelos Atômicos!!!
Aula Modelos Atômicos!!!
 
Aula modelos atômicos
Aula modelos atômicosAula modelos atômicos
Aula modelos atômicos
 
Primeiro Ano - Propriedades da matéria
Primeiro Ano - Propriedades da matériaPrimeiro Ano - Propriedades da matéria
Primeiro Ano - Propriedades da matéria
 

Introducao quimica

  • 1. O Que é Química? Química é uma Ciência Experimental que estuda a estrutura, composição e a transformação da matéria.
  • 2. ESTRUTURA DA MATÉRIA A matéria é formada por moléculas, que por sua vez são formadas por partículas minúsculas chamadas de átomos.
  • 3. Elementos Químicos Átomos Nome Símbolo Natureza Ferro Fe Fe3O4 Cálcio Ca CaCO3 Prata Ag (Argentum) Ag Oxigênio O O2
  • 4. Átomos & Moléculas H + H H H H H H + H + O O Átomos Moléculas
  • 5. Sistemas Materiais Substância Pura Mistura Simples Composta Homogênea Heterogênea
  • 7. MISTURAS AR ÁGUA + AREIA HOMOGÊNEA HETEROGÊNEA solução
  • 8. CLASSIFICAÇÃO DA MATÉRIA SISTEMAS SISTEMAS HOMOGÊNEOS HETEROGÊNEOS SUBSTÂNCIAS MISTURAS DE MISTURAS DE SUBSTÂNCIAS PURAS UMA FASE MAIS DE UMA EM MUDANÇA FASE DE ESTADO
  • 9.
  • 10. OUTROS CONCEITOS  ATOMICIDADE  VARIEDADE ALOTRÓPICA  FENÔMENOS (Transformações): QUÍMICOS E FÍSICOS
  • 11. ATOMICIDADE Atomicidade Substâncias Monoatômica He, Ne, Ar, Kr Diatômica H2, N2, HCl, CO Tetratômica P4 (fósforo branco) Indeterminada P(verm), C(graf), metais  Atomicidade se refere ao número de átomos que compõem uma substância
  • 12. VARIEDADE ALOTRÓPICA  Variação na arrumação dos átomos C(grafite) C(diamante)  Variação na atomicidade O2 (Oxigênio) O3 (Ozônio)
  • 13. FENÔMENO QUÍMICO Combustão do álcool etílico H3C- CH2- OH + 3O2 → 2CO2 + 3H2O Reagentes Produtos  O fenômeno químico transforma a natureza íntima da matéria.
  • 14. FENÔMENO FÍSICO Estados físicos da matéria SUBLIMAÇÃO FUSÃO VAPORIZAÇÃO SOLIDIFICAÇÃO CONDENSAÇÃO SÓLIDO LÍQUIDO GASOSO  O fenômeno físico não altera a natureza da matéria
  • 15. EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 1. Considere os sistemas a seguir, em que os átomos são representados por esferas: I II III IV Determine onde encontramos: a) Substância pura; b) Mistura; c) Somente substância simples; d) Somente substância composta. Considere apenas o sistema III, determine: a) O número de átomos presentes; b) O número de elementos químicos; c) O número de moléculas; d) O número de substâncias; e) O número de substâncias binárias; f) O número de substâncias diatômicas.
  • 16. 2. Considere o sistema representado abaixo. Pode-se descrever o sistema em questão como constituido por: a) Três fases e um componente. b) Duas fases e dois componentes. c) Três fases e dois componentes. d) Três fases e três componentes.
  • 17. 3. Os diferentes tipos de matéria podem ser classificados em dois grupos: Substâncias puras e misturas. As substâncias puras podem ser simples e compostas. Considerando esse modo de classificação, pode-se afirmar: (01) O ar atmosférico é uma substância pura . (02) A água é uma substância simples. (04) O sangue é uma mistura. (08) Uma solução de açúcar é uma mistura (16) O oxigênio e o ozônio são substâncias distintas, embora constituídas por átomos de um mesmo elemento. (32) A matéria que contém três tipos de moléculas é uma substância composta. (64) A matéria que contém apenas um tipo de molécula é uma substância simples, mesmo que cada molécula seja formada por dois átomos diferentes.
  • 18. 4. Observe os seguintes fatos: I – Uma pedra de naftalina deixada no armário. II – Uma vasilha com água deixada no freezer. III – Uma vasilha com água deixada no fogo. IV – O derretimento de um pedaço de chumbo quando aquecido. Nestes fatos estão relacionados corretamente os seguintes fenômenos: a) I – sublimação, II – solidificação, III – vaporização, IV – fusão. b) I – sublimação, II – solidificação, III – fusão, IV –vaporização. c) I – fusão, II – sublimação, III –vaporização, IV – solidificação. d) I – vaporização, II- solidificação, III – fusão, IV – sublimação. e) I – vaporização, II – sublimação, II –fusão, IV – solidificação.
  • 19. 5. Qual dos fenômenos a seguir não envolve reações químicas? a) Fusão de gelo. b) Digestão de alimentos. c) Combustão. d) Queima de vela. e) Explosão de dinamite.
  • 20. PROPRIEDADES DA MATÉRIA  PROPRIEDADES GERAIS  PROPRIEDADES FUNCIONAIS  PROPRIEDADES ESPECÍFICAS:
  • 21. PROPRIEDADES GERAIS  Massa  Volume  Inércia  impenetrabilidade As propriedades gerais são comuns a todos os materiais.
  • 22. PROPRIEDADES ESPECÍFICAS  Ponto de Fusão / Solidificação  Ponto de Ebulição / Liquefação  Densidade ou Massa Específica  Coeficiente de Solubilidade As propriedades específicas caracterizam cada tipo de substância .
  • 23. Ponto de Fusão / Solidificação  Ponto de Fusão é a temperatura em que uma substância muda do estado sólido para o estado líquido. Ponto de Solidificação corresponde ao processo inverso, embora as temperaturas sejam equivalentes. Obs. O PF e o PS são obtidos em uma dada pressão, quando esta não é citada, considera-se a pressão atmosférica
  • 24. Ponto de Ebulição / Liquefação  Ponto de Ebulição é a temperatura em que uma substância muda do estado líquido para o estado gasoso. Ponto de liquefação corresponde ao processo inverso, embora as temperaturas sejam equivalentes. Obs. O PE e o PL são obtidos em uma dada pressão, quando esta não é citada, considera-se a pressão atmosférica
  • 25. Curva de Aquecimento da água T°C G LeG 100 L SeL 0 tempo S - 20
  • 26. Curva de Resfriamento da água T°C G LeG 100 L SeL 0 tempo S - 20
  • 27. Curvas de Misturas Comuns Aquecimento Resfriamento
  • 28. Curvas de Misturas Eutéticas PF PS Aquecimento Resfriamento
  • 29. Curvas de Misturas Azeotrópicas PE PL Aquecimento Resfriamento
  • 30. Influência da Pressão P >P T >T  Quanto maior a pressão maior o Ponto de Ebulição
  • 31. Influência da Altitude >A⇒ <P⇒ <T A⇒ P⇒ T  Quanto maior a Altitude menor o Ponto de Ebulição
  • 32. Densidade  Densidade é a relação da massa pelo volume de uma substância a uma dada Temperatura e Pressão: d=m/V
  • 33. Influência da Temperatura V2 V1 T >T > T ⇒ > V ⇒ < densidade
  • 34. Influência da Pressão P >P > P ⇒ < V ⇒ > densidade
  • 35. Influência do Estado Físico da Substância sólido > líquido > gasoso Aumento do volume A DENSIDADE é maior quanto maior o estado de agregação da matéria
  • 36. Exceções a Regra • Água líquida é mais densa que o gelo. • Prata, Ferro e Bismuto, todos diminuem de volume quando fundidos, portanto fase líquida mais densa.
  • 37. Exercícios de fixação: 1) Dada a tabela: PF PE Clorofórmio – 63°C 61°C Fenol 43°C 182°C Cloro – 101°C – 34,5°C Determine o estado físico de cada substância nas condições ambientes ( 25°C e 1 atm). Clorofórmio → Fenol → Cloro →
  • 38. Exercícios de fixação: 2) Com relação ao gráfico, indique as proposições verdadeiras: T°C + 85 + 20 + 10 0 10 25 35 50 tempo (min) (01) O gráfico representa o aquecimento de substância pura. (02) O ponto de fusão da substância é 85°C. (04) O ponto de solidificação da substância é 20°C. (08) Na temperatura ambiente (25°C) a substância é sólida. (16) Entre 35 e 50 minutos (intervalo DE) a substância forma um sistema bifásico. (32) Se o gráfico dado mostrasse apenas o intervalo AD, referente ao aquecimento de um sólido, nada poderíamos afirmar sobre a pureza do mesmo.
  • 39. Exercícios de fixação: 3) O gráfico está representando a ebulição de duas amostras, iguais ou diferentes, em experiências distintas realizadas cada uma a pressão constante. As quais foram realizadas em sistemas abertos. T°C B A T1 T2 tempo (min) (01) Se a amostra A e B forem idênticas, então a pressão é diferente para cada experiência. (02) Se a pressão é a mesma, então A e B poderão ser amostras idênticas em quantidades diferentes. (04) A e B são substâncias puras. (08) A e B podem ser misturas. (16) Se A e B são amostras idênticas, A foi realizada numa pressão maior que B. (32) Se A e B são amostras idênticas, A foi realizada numa altitude menor que B. (64) B pode ser uma substância pura
  • 40. Exercícios de fixação: 4) Responda a essa questão considerando três frascos contendo massas iguais de líquidos diferentes, A, B e C, cujos valores de densidade em g/mL são respectivamente: 0,8; 1,0; 1,2. A alternativa que indica cada frasco com I seu respectivo líquido é: a) I – A, II – B, III – C. II b) I – A, II – C, III – B. c) I – B, II – C, III – A. III d) I – B, II – A, III – C. e) I – C, II – B, III – A.
  • 41. ANÁLISE IMEDIATA  Misturas Heterogêneas: Sólido/sólido Sólido/líquido Sólido/gás Líquido/líquido  Misturas Homogêneas: sólido/sólido sólido/líquido
  • 42. Separação de Misturas Heterogêneas Sistemas Sólido/sólido:  Catação  Peneiração ou Tamisação  Ventilação  Levigação  Separação Magnética  Dissolução Fracionada  Flotação  Fusão Fracionada
  • 43. Separação de Misturas Heterogêneas Sistemas Sólido/líquido: Sistemas  Filtração Líquido/líquido:  Decantação  Decantação  Centrifugação  Cristalização Fracionada Sistemas Sólido/gás:  Filtração  Decantação  Câmara de Poeira
  • 44. Separação de Misturas Homogêneas Sistemas Sólido/sólido: Sistemas gás/gás:  Fusão Fracionada Liquefação Fracionada Sistemas Sólido/líquido:  Evaporação  Destilação Simples Sistemas Líquido/líquido:  Destilação Fracionada Sistemas Líquido/gás:  Aquecimento  Despressurização
  • 45. Materiais comuns de Laboratório  Tubo de Ensaio  Funil de Büchner  Béquer  Kitassato  Erlenmeyer  Proveta  Balão de Fundo Chato  Pipeta Volumétrica  Balão Volumétrico  Pipeta Graduada  Balão de Destilação  Condensador  Funil de Decantação  Funil de Filtração  Funil Liso
  • 46. Materiais comuns de Laboratório  Bureta  Garras  Dessecador  Tripé de Ferro  Vidro de Relógio  Tela de Amianto  Almofariz e Pistilo  Bastão de Vidro  Cápsula de Evaporação  Frasco de Reagente  Cadinho de Porcelana  Cadinho de Platina  Piscete  Espátula  Suporte de Ferro