SlideShare uma empresa Scribd logo
”eu sinto através da cor”




                                         História e Cultura das Artes
A.Dérain, Retrato de Matisse - 1905      Bruna Zegre nº6 12ºF
Pintor francês, Henri Matisse nasceu em 1869
no Norte de França. Abandonou os estudos de
Direito para se dedicar à Pintura, tornando-se
aluno de Gustave Moreau na Escola de Belas-
Artes de Paris.

Em 1908 já adquirira uma reputação
internacional e os seus quadros eram expostos
na Alemanha. A exposição de Nova Iorque em
1913, apresentando a arte moderna, incluía
13 trabalhos de Matisse. Neste período criou
quadros que vieram a ser reconhecidos como
as obras-primas do século XX.

O seu estilo tornou-se muito versátil,
incluindo trabalhos austeramente geométricos
e exuberantemente decorativos. As viagens
ao Norte de África, Itália, Espanha e Taiti
acrescentaram cores mais ricas e imagens e
padrões exóticos.
                                                 Auto-retrato
Numa primeira fase, Matisse mostrava-se como
procedente directo de Cézanne, em busca do
equilíbrio das massas, mas outras influências,
como as de Gauguin e Van Gogh, levaram-no a
tratar a cor como elemento de composição.


Dos pintores fauvistas, que exploraram o
sensualismo das cores fortes, ele foi o único a
evoluir para o equilíbrio entre a cor e o traço
em composições planas, sem profundidade.


Foi também escultor e ilustrador

Entre 1948 e 1951 dedicou-se à criação
arquitectónica e à decoração interior da capela
do Rosário em Saint-Paul, perto de Vence, no
sul da França. O autor considerou-a a sua
melhor obra, e nela emprenhou todos os
detalhes, dos vitrais ao mobiliário, voltado para
uma concepção mais mística das formas,
embora nos rabiscos florais predomine uma
linha sinuosa.                                      Matisse em 20 de Maio de
                                                             1933.
Henri Matisse morreu em Nice, França,
em 3 de Novembro de 1954.
O Fauvismo, movimento principalmente francês, tem como características marcantes a
simplificação das formas, o primado das cores, e uma elevada redução do nível de
graduação das cores utilizadas nas obras.
Os seus temas eram leves, retratando emoções e a alegria de viver e não tendo intenção
crítica.
A cor passou a ser utilizada para delimitar planos, criando a perspectiva e modelando o
volume. Tornou-se também totalmente independente do real, já que não era importante a
concordância das cores com objecto representado, e sendo responsável pela expressividade
das obras
Características da pintura:

• Pincelada violenta, espontânea e definitiva;   • Pintura por manchas largas, formando
                                                 grandes planos;
•Ausência de ar livre;
                                                 • Autonomização completa do real.
• Colorido feroz, pretendendo a sensação
 física da cor que é subjectiva, não
correspondendo à realidade;

•Uso exclusivo das cores puras, como saem
dos tubos;
Matisse, apelidado o mestre da cor, dedicou toda a sua vida e todos os
  seus esforços a trabalhar a cor.




     O retrato da Risca verde, 1905         Mulher com chapéu, 1905
Odalisca, Matisse




                    “Alegria de viver”, Matisse
O pontilhismo inspirou-lhe cores mais fortes e arrojadas e dessa
técnica surgiu o fauvismo
A arte do pintor francês Matisse baseia-se num método que, segundo ele próprio,
consiste em abordar separadamente cada elemento da obra - desenho, cor, composição
- e juntá-los numa síntese, quot;sem que a expressividade de um deles seja diminuída pela
presença dos outrosquot;. Abandonou assim a perspectiva, as técnicas do desenho e o efeito
de claro-escuro para tratar a cor como valor em si mesma.




      Natureza-Morta Azul, 1907

                                                         A Cigana, 1906
Harmonia em vermelho,1908
Harmonia em Vermelho
quot;Harmonia em vermelhoquot; (1908) é uma das mais expressivas pinturas de
interiores de casas do artista francês Henri Matisse. É uma composição
surpreendente de cores primárias que dominam este quadro. O artista
utilizou a cor mais como meio de expressão do que de descrição e
desrespeitou deliberadamente as regras convencionais de desenho e
perspectiva.
Toda a superfície está harmonizada num padrão unificado e vibrante de
cor pura. A toalha da mesa funde-se com a parede, e as formas foram
completamente aplanadas, distorcidas e simplificadas – inclusive a figura
feminina que põe a mesa. Isso realça o tom lírico das formas ornamentais
e das cores contrastantes.

É um dos temas mais característicos do autor, onde sobressaem os padrões
decorativos. A linguagem é plana, as cores são alegres, vivas e brilhantes,
perfeitamente harmonizadas, não simulando profundidade, em total respeito
pela bidimensionalidade da tela.

Esta obra encontra-se no Museu do Hermitage, em São Petersburgo.
No fim da vida, a paixão pelo desenho e pela cor resultou nos guaches em
recortes.




      O Tobogã (1943)                         O Palhaço (1943)
A Lagoa (1944)




                 Nu azul (1952)
A tristeza do rei (1952) terá sido a sua última realização, o adeus à vida, às
coisas do mundo que o rodeia e a tudo o que lhe era querido, reunindo tudo nesta
obra derradeira como que para se fazer enterrar com ela, à maneira dos faraós
do antigo Egipto. O rei, vestido de negro com uma viola na mão, seria o próprio
Matisse.
Henri Matisse
Henri Matisse
Henri Matisse
Henri Matisse

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Amadeo Souza Cardoso
Amadeo Souza CardosoAmadeo Souza Cardoso
Amadeo Souza Cardoso
AVEZUDES
 
A Arte
A ArteA Arte
A arquitectura do ferro
A arquitectura do ferroA arquitectura do ferro
A arquitectura do ferro
becresforte
 
Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
Michele Pó
 
O Impressionismo
O ImpressionismoO Impressionismo
O Impressionismo
Jorge Almeida
 
Naturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na PinturaNaturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na Pintura
Carlos Pinheiro
 
História do conceito de arte
História do conceito de arteHistória do conceito de arte
História do conceito de arte
Cristiano Canguçu
 
Arte - Surrealismo
Arte - SurrealismoArte - Surrealismo
Arte - Surrealismo
Nathália Rodrigues
 
Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"
mila braga
 
Henri matisse, matilde 2
Henri matisse, matilde 2Henri matisse, matilde 2
Henri matisse, matilde 2
ceufaias
 
Naturalismo, realismo
Naturalismo, realismo Naturalismo, realismo
Naturalismo, realismo
Ana Barreiros
 
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e RealismoMódulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Carla Freitas
 
História da Arte: Realismo
História da Arte: RealismoHistória da Arte: Realismo
História da Arte: Realismo
Raphael Lanzillotte
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
Miguel Fonseca
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
Inês Filipa
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
Ana Barreiros
 
Nós, de Cesário Verde
Nós, de Cesário VerdeNós, de Cesário Verde
Nós, de Cesário Verde
Dina Baptista
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
Carla Teixeira
 
A Geração de Orpheu
A Geração de OrpheuA Geração de Orpheu
A Geração de Orpheu
complementoindirecto
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
Michele Pó
 

Mais procurados (20)

Amadeo Souza Cardoso
Amadeo Souza CardosoAmadeo Souza Cardoso
Amadeo Souza Cardoso
 
A Arte
A ArteA Arte
A Arte
 
A arquitectura do ferro
A arquitectura do ferroA arquitectura do ferro
A arquitectura do ferro
 
Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
 
O Impressionismo
O ImpressionismoO Impressionismo
O Impressionismo
 
Naturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na PinturaNaturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na Pintura
 
História do conceito de arte
História do conceito de arteHistória do conceito de arte
História do conceito de arte
 
Arte - Surrealismo
Arte - SurrealismoArte - Surrealismo
Arte - Surrealismo
 
Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"Leitura obra "O Grito"
Leitura obra "O Grito"
 
Henri matisse, matilde 2
Henri matisse, matilde 2Henri matisse, matilde 2
Henri matisse, matilde 2
 
Naturalismo, realismo
Naturalismo, realismo Naturalismo, realismo
Naturalismo, realismo
 
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e RealismoMódulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
 
História da Arte: Realismo
História da Arte: RealismoHistória da Arte: Realismo
História da Arte: Realismo
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Nós, de Cesário Verde
Nós, de Cesário VerdeNós, de Cesário Verde
Nós, de Cesário Verde
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
A Geração de Orpheu
A Geração de OrpheuA Geração de Orpheu
A Geração de Orpheu
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 

Semelhante a Henri Matisse

Fat(2)
Fat(2)Fat(2)
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
Andre Amaral
 
Impressoes Impressionistas
Impressoes ImpressionistasImpressoes Impressionistas
Impressoes Impressionistas
Raquel Mendes
 
Fovismo aula 7 ano - 2013
Fovismo   aula 7 ano - 2013Fovismo   aula 7 ano - 2013
Fovismo aula 7 ano - 2013
Michele Wilbert
 
O CONSTRUTIVISMO RUSSO E O ABSTRACIONISMO
O CONSTRUTIVISMO RUSSO E O ABSTRACIONISMOO CONSTRUTIVISMO RUSSO E O ABSTRACIONISMO
O CONSTRUTIVISMO RUSSO E O ABSTRACIONISMO
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
Apresentação sobre Impressionismo
Apresentação sobre ImpressionismoApresentação sobre Impressionismo
Apresentação sobre Impressionismo
C111atiusca
 
Impressionismo e a arte do final do século XIX
Impressionismo e a arte do final do século XIXImpressionismo e a arte do final do século XIX
Impressionismo e a arte do final do século XIX
Walace Cestari
 
Impressionismo e Pos impressionismo.pptx
Impressionismo e Pos impressionismo.pptxImpressionismo e Pos impressionismo.pptx
Impressionismo e Pos impressionismo.pptx
Nome Sobrenome
 
A arte da 1ª metade do séc beatriz
A arte da 1ª metade do séc   beatrizA arte da 1ª metade do séc   beatriz
A arte da 1ª metade do séc beatriz
Bioquinha
 
Arte_123ano_HistoriaArteCultura_Vanguardas_Roberto.ppt
Arte_123ano_HistoriaArteCultura_Vanguardas_Roberto.pptArte_123ano_HistoriaArteCultura_Vanguardas_Roberto.ppt
Arte_123ano_HistoriaArteCultura_Vanguardas_Roberto.ppt
fabricioaugusto24
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
Jomara Lopes
 
Matisse Fovismo
Matisse FovismoMatisse Fovismo
Matisse Fovismo
ricardo cardoso
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
Andrea Dressler
 
21.pós impressionismo
21.pós impressionismo21.pós impressionismo
21.pós impressionismo
Isabella Silva
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ana Barreiros
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
Junior Onildo
 
Posimpressionismo.2 novo
Posimpressionismo.2 novoPosimpressionismo.2 novo
Posimpressionismo.2 novo
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Impressionismo e Pós-Impressionismo
Impressionismo e Pós-ImpressionismoImpressionismo e Pós-Impressionismo
Impressionismo e Pós-Impressionismo
camilagarciaia
 
Fauvismo aula do Layo
Fauvismo aula do LayoFauvismo aula do Layo
Fauvismo aula do Layo
Layo Bulhão
 
Análise de van gogh
Análise de van goghAnálise de van gogh
Análise de van gogh
Lua Modanez
 

Semelhante a Henri Matisse (20)

Fat(2)
Fat(2)Fat(2)
Fat(2)
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
Impressoes Impressionistas
Impressoes ImpressionistasImpressoes Impressionistas
Impressoes Impressionistas
 
Fovismo aula 7 ano - 2013
Fovismo   aula 7 ano - 2013Fovismo   aula 7 ano - 2013
Fovismo aula 7 ano - 2013
 
O CONSTRUTIVISMO RUSSO E O ABSTRACIONISMO
O CONSTRUTIVISMO RUSSO E O ABSTRACIONISMOO CONSTRUTIVISMO RUSSO E O ABSTRACIONISMO
O CONSTRUTIVISMO RUSSO E O ABSTRACIONISMO
 
Apresentação sobre Impressionismo
Apresentação sobre ImpressionismoApresentação sobre Impressionismo
Apresentação sobre Impressionismo
 
Impressionismo e a arte do final do século XIX
Impressionismo e a arte do final do século XIXImpressionismo e a arte do final do século XIX
Impressionismo e a arte do final do século XIX
 
Impressionismo e Pos impressionismo.pptx
Impressionismo e Pos impressionismo.pptxImpressionismo e Pos impressionismo.pptx
Impressionismo e Pos impressionismo.pptx
 
A arte da 1ª metade do séc beatriz
A arte da 1ª metade do séc   beatrizA arte da 1ª metade do séc   beatriz
A arte da 1ª metade do séc beatriz
 
Arte_123ano_HistoriaArteCultura_Vanguardas_Roberto.ppt
Arte_123ano_HistoriaArteCultura_Vanguardas_Roberto.pptArte_123ano_HistoriaArteCultura_Vanguardas_Roberto.ppt
Arte_123ano_HistoriaArteCultura_Vanguardas_Roberto.ppt
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
Matisse Fovismo
Matisse FovismoMatisse Fovismo
Matisse Fovismo
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
21.pós impressionismo
21.pós impressionismo21.pós impressionismo
21.pós impressionismo
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 2"
 
Fauvismo
FauvismoFauvismo
Fauvismo
 
Posimpressionismo.2 novo
Posimpressionismo.2 novoPosimpressionismo.2 novo
Posimpressionismo.2 novo
 
Impressionismo e Pós-Impressionismo
Impressionismo e Pós-ImpressionismoImpressionismo e Pós-Impressionismo
Impressionismo e Pós-Impressionismo
 
Fauvismo aula do Layo
Fauvismo aula do LayoFauvismo aula do Layo
Fauvismo aula do Layo
 
Análise de van gogh
Análise de van goghAnálise de van gogh
Análise de van gogh
 

Mais de hcaslides

Alphonse Mucha
Alphonse MuchaAlphonse Mucha
Alphonse Mucha
hcaslides
 
Literatura do Romantismo e Pré Rafaelitas
Literatura do Romantismo e Pré RafaelitasLiteratura do Romantismo e Pré Rafaelitas
Literatura do Romantismo e Pré Rafaelitas
hcaslides
 
Michelangelo Merisi da Caravaggio
Michelangelo Merisi da CaravaggioMichelangelo Merisi da Caravaggio
Michelangelo Merisi da Caravaggio
hcaslides
 
Picasso
PicassoPicasso
Picasso
hcaslides
 
Frank Lloyd Wright
Frank Lloyd WrightFrank Lloyd Wright
Frank Lloyd Wright
hcaslides
 
Degas
DegasDegas
Degas
hcaslides
 
Neoclassicismo Nos Estados Unidos Da América
Neoclassicismo Nos Estados Unidos Da AméricaNeoclassicismo Nos Estados Unidos Da América
Neoclassicismo Nos Estados Unidos Da América
hcaslides
 
Gian Lorenzo Bernini 2
Gian Lorenzo Bernini 2Gian Lorenzo Bernini 2
Gian Lorenzo Bernini 2
hcaslides
 
Arte Barroca Arquitectura
Arte Barroca ArquitecturaArte Barroca Arquitectura
Arte Barroca Arquitectura
hcaslides
 
1ª Grande Exposição de Londres
1ª Grande Exposição de Londres1ª Grande Exposição de Londres
1ª Grande Exposição de Londres
hcaslides
 
Rococó - Artes Decorativas
Rococó - Artes DecorativasRococó - Artes Decorativas
Rococó - Artes Decorativas
hcaslides
 
Le Corbusier - Villa Savoye
Le Corbusier - Villa SavoyeLe Corbusier - Villa Savoye
Le Corbusier - Villa Savoye
hcaslides
 
Zurbaran
ZurbaranZurbaran
Zurbaran
hcaslides
 
Campo Pequeno
Campo PequenoCampo Pequeno
Campo Pequeno
hcaslides
 
Baixa Pombalina
Baixa PombalinaBaixa Pombalina
Baixa Pombalina
hcaslides
 
Antoni Placid Gaudí I Cornet
Antoni Placid Gaudí I CornetAntoni Placid Gaudí I Cornet
Antoni Placid Gaudí I Cornet
hcaslides
 
Panteão de Paris
Panteão de ParisPanteão de Paris
Panteão de Paris
hcaslides
 
Victor Horta
Victor HortaVictor Horta
Victor Horta
hcaslides
 
Palácio da Pena
Palácio da PenaPalácio da Pena
Palácio da Pena
hcaslides
 
Walter Gropius - Bauhaus
Walter Gropius - BauhausWalter Gropius - Bauhaus
Walter Gropius - Bauhaus
hcaslides
 

Mais de hcaslides (20)

Alphonse Mucha
Alphonse MuchaAlphonse Mucha
Alphonse Mucha
 
Literatura do Romantismo e Pré Rafaelitas
Literatura do Romantismo e Pré RafaelitasLiteratura do Romantismo e Pré Rafaelitas
Literatura do Romantismo e Pré Rafaelitas
 
Michelangelo Merisi da Caravaggio
Michelangelo Merisi da CaravaggioMichelangelo Merisi da Caravaggio
Michelangelo Merisi da Caravaggio
 
Picasso
PicassoPicasso
Picasso
 
Frank Lloyd Wright
Frank Lloyd WrightFrank Lloyd Wright
Frank Lloyd Wright
 
Degas
DegasDegas
Degas
 
Neoclassicismo Nos Estados Unidos Da América
Neoclassicismo Nos Estados Unidos Da AméricaNeoclassicismo Nos Estados Unidos Da América
Neoclassicismo Nos Estados Unidos Da América
 
Gian Lorenzo Bernini 2
Gian Lorenzo Bernini 2Gian Lorenzo Bernini 2
Gian Lorenzo Bernini 2
 
Arte Barroca Arquitectura
Arte Barroca ArquitecturaArte Barroca Arquitectura
Arte Barroca Arquitectura
 
1ª Grande Exposição de Londres
1ª Grande Exposição de Londres1ª Grande Exposição de Londres
1ª Grande Exposição de Londres
 
Rococó - Artes Decorativas
Rococó - Artes DecorativasRococó - Artes Decorativas
Rococó - Artes Decorativas
 
Le Corbusier - Villa Savoye
Le Corbusier - Villa SavoyeLe Corbusier - Villa Savoye
Le Corbusier - Villa Savoye
 
Zurbaran
ZurbaranZurbaran
Zurbaran
 
Campo Pequeno
Campo PequenoCampo Pequeno
Campo Pequeno
 
Baixa Pombalina
Baixa PombalinaBaixa Pombalina
Baixa Pombalina
 
Antoni Placid Gaudí I Cornet
Antoni Placid Gaudí I CornetAntoni Placid Gaudí I Cornet
Antoni Placid Gaudí I Cornet
 
Panteão de Paris
Panteão de ParisPanteão de Paris
Panteão de Paris
 
Victor Horta
Victor HortaVictor Horta
Victor Horta
 
Palácio da Pena
Palácio da PenaPalácio da Pena
Palácio da Pena
 
Walter Gropius - Bauhaus
Walter Gropius - BauhausWalter Gropius - Bauhaus
Walter Gropius - Bauhaus
 

Último

Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 

Henri Matisse

  • 1. ”eu sinto através da cor” História e Cultura das Artes A.Dérain, Retrato de Matisse - 1905 Bruna Zegre nº6 12ºF
  • 2. Pintor francês, Henri Matisse nasceu em 1869 no Norte de França. Abandonou os estudos de Direito para se dedicar à Pintura, tornando-se aluno de Gustave Moreau na Escola de Belas- Artes de Paris. Em 1908 já adquirira uma reputação internacional e os seus quadros eram expostos na Alemanha. A exposição de Nova Iorque em 1913, apresentando a arte moderna, incluía 13 trabalhos de Matisse. Neste período criou quadros que vieram a ser reconhecidos como as obras-primas do século XX. O seu estilo tornou-se muito versátil, incluindo trabalhos austeramente geométricos e exuberantemente decorativos. As viagens ao Norte de África, Itália, Espanha e Taiti acrescentaram cores mais ricas e imagens e padrões exóticos. Auto-retrato
  • 3. Numa primeira fase, Matisse mostrava-se como procedente directo de Cézanne, em busca do equilíbrio das massas, mas outras influências, como as de Gauguin e Van Gogh, levaram-no a tratar a cor como elemento de composição. Dos pintores fauvistas, que exploraram o sensualismo das cores fortes, ele foi o único a evoluir para o equilíbrio entre a cor e o traço em composições planas, sem profundidade. Foi também escultor e ilustrador Entre 1948 e 1951 dedicou-se à criação arquitectónica e à decoração interior da capela do Rosário em Saint-Paul, perto de Vence, no sul da França. O autor considerou-a a sua melhor obra, e nela emprenhou todos os detalhes, dos vitrais ao mobiliário, voltado para uma concepção mais mística das formas, embora nos rabiscos florais predomine uma linha sinuosa. Matisse em 20 de Maio de 1933. Henri Matisse morreu em Nice, França, em 3 de Novembro de 1954.
  • 4. O Fauvismo, movimento principalmente francês, tem como características marcantes a simplificação das formas, o primado das cores, e uma elevada redução do nível de graduação das cores utilizadas nas obras. Os seus temas eram leves, retratando emoções e a alegria de viver e não tendo intenção crítica. A cor passou a ser utilizada para delimitar planos, criando a perspectiva e modelando o volume. Tornou-se também totalmente independente do real, já que não era importante a concordância das cores com objecto representado, e sendo responsável pela expressividade das obras Características da pintura: • Pincelada violenta, espontânea e definitiva; • Pintura por manchas largas, formando grandes planos; •Ausência de ar livre; • Autonomização completa do real. • Colorido feroz, pretendendo a sensação física da cor que é subjectiva, não correspondendo à realidade; •Uso exclusivo das cores puras, como saem dos tubos;
  • 5. Matisse, apelidado o mestre da cor, dedicou toda a sua vida e todos os seus esforços a trabalhar a cor. O retrato da Risca verde, 1905 Mulher com chapéu, 1905
  • 6. Odalisca, Matisse “Alegria de viver”, Matisse
  • 7. O pontilhismo inspirou-lhe cores mais fortes e arrojadas e dessa técnica surgiu o fauvismo
  • 8. A arte do pintor francês Matisse baseia-se num método que, segundo ele próprio, consiste em abordar separadamente cada elemento da obra - desenho, cor, composição - e juntá-los numa síntese, quot;sem que a expressividade de um deles seja diminuída pela presença dos outrosquot;. Abandonou assim a perspectiva, as técnicas do desenho e o efeito de claro-escuro para tratar a cor como valor em si mesma. Natureza-Morta Azul, 1907 A Cigana, 1906
  • 10. Harmonia em Vermelho quot;Harmonia em vermelhoquot; (1908) é uma das mais expressivas pinturas de interiores de casas do artista francês Henri Matisse. É uma composição surpreendente de cores primárias que dominam este quadro. O artista utilizou a cor mais como meio de expressão do que de descrição e desrespeitou deliberadamente as regras convencionais de desenho e perspectiva. Toda a superfície está harmonizada num padrão unificado e vibrante de cor pura. A toalha da mesa funde-se com a parede, e as formas foram completamente aplanadas, distorcidas e simplificadas – inclusive a figura feminina que põe a mesa. Isso realça o tom lírico das formas ornamentais e das cores contrastantes. É um dos temas mais característicos do autor, onde sobressaem os padrões decorativos. A linguagem é plana, as cores são alegres, vivas e brilhantes, perfeitamente harmonizadas, não simulando profundidade, em total respeito pela bidimensionalidade da tela. Esta obra encontra-se no Museu do Hermitage, em São Petersburgo.
  • 11. No fim da vida, a paixão pelo desenho e pela cor resultou nos guaches em recortes. O Tobogã (1943) O Palhaço (1943)
  • 12. A Lagoa (1944) Nu azul (1952)
  • 13. A tristeza do rei (1952) terá sido a sua última realização, o adeus à vida, às coisas do mundo que o rodeia e a tudo o que lhe era querido, reunindo tudo nesta obra derradeira como que para se fazer enterrar com ela, à maneira dos faraós do antigo Egipto. O rei, vestido de negro com uma viola na mão, seria o próprio Matisse.