O Expressionismo
“ Nesta época de grande luta pela nova arte nós brigamos como “selvagens” não organizados contra um antigo poder organizad...
O Expressionismo, na verdade, é um fenômeno europeu com dois centros distintos: o movimento francês dos fauves (“feras”) e...
O movimento dos fauves e o Die Brücke se formaram simultaneamente em 1905 e desembocaram respectivamente no Cubismo na Fra...
Literalmente,  expressão é o contrário de impressão.  A impressão é um movimento do exterior para o interior: é a realidad...
O distanciamento da figuratividade e a imitação das artes primitivas. Características Gerais Utilização de cores fortes pa...
Preferência pelo patético, trágico e sombrio. O artista vive não apenas o drama do homem, mas também da sociedade. Deforma...
Técnica e materiais Técnica violenta: o pincel ou espátula vai e vem, fazendo e refazendo, empastando ou provocando explos...
EDVARD MUNCH  1º artista do século XX que conseguiu dar às cores um valor simbólico e subjetivo (longe das representações ...
A Figura humana não apresenta suas linhas reais, mas contorce-se sob o efeito de suas emoções. Separação, 1896. Munch.
O Grito,1893. Têmpera s/ prancha, 83,5x66 cm. Munch-museet, Oslo  Expressão? Para entender as características da pintura e...
Uma das obras mais importantes do movimento expressionista. No quadro há uma figura andrógina (não é possível afirmar se é...
A distorção da figura que grita - ou que abafa com as mãos o grito da natureza -, sobre a qual paira a imagem da morte, af...
A Ponte e O Cavaleiro Azul Dois grupos são diretamente identificados com o expressionismo: "A ponte" (Die Brücke...
DIE BRÜCKE (A PONTE) Aparece em Dresden, Alemanha, em 1905 para organizar um movimento em prol de uma pintura dramática, p...
Os membros do "A ponte" eram mais envolvidos com questões políticas e mais agressivos em seus trabalhos. Faziam ...
Iniciam uma pesquisa em sentido não-figurativo, se opondo a orientação menos engajada na problemática social, apresentando...
"Outono na Bavária", de Vassili Kandinski, (1908).  Em "O cavaleiro Azul" (que mais tarde terá seus de...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A arte como expressão expressionismo

15.264 visualizações

Publicada em

Arte como expressão, expressionismo alemão, aula para Ensimo Médio.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

A arte como expressão expressionismo

  1. 1. O Expressionismo
  2. 2. “ Nesta época de grande luta pela nova arte nós brigamos como “selvagens” não organizados contra um antigo poder organizado. A luta parece desigual; mas em assuntos espirituais não vence o número, e sim a força das ideias. As armas temidas dos “selvagens” são as suas ideias novas; elas matam melhor que aço e quebram o que era considerado inquebrável.” Franz Marc Melancolia 1891. Óleo s/ tela, 73x100,5 cm. Munch-museet, Oslo A pintura expressionista é dramática, subjetiva e expressa os sentimentos humanos.
  3. 3. O Expressionismo, na verdade, é um fenômeno europeu com dois centros distintos: o movimento francês dos fauves (“feras”) e o movimento alemão Die Brücke (“a ponte”). Morte em Helm 1983. Óleo s/ tela, 100x120,5 cm. Munch-museet, Oslo. Torna-se uma corrente artística que, pela deformação ou exagero das figuras, buscava a expressão dos sentimentos e emoções do autor. Este movimento surgiu como reação aos modelos dominantes nas artes européias desde o Renascimento, particularmente nas ultrapassadas academias de Belas-Artes. Comumente chamada de expressionista é a arte alemã do inicio do século XX.
  4. 4. O movimento dos fauves e o Die Brücke se formaram simultaneamente em 1905 e desembocaram respectivamente no Cubismo na França (1908) e na corrente Der blaue Reiter (“o cavaleiro azul”) na Alemanha (1911). Cavalos vermelho e azul , de Franz Marc , 1912. A origem comum é a tendência antiimpressionista que se gera no cerne do próprio Impressionismo, deixando de lado o seu caráter essencialmente sensorial, e que se manifesta no final do século XIX com Toulouse-Lautrec, Gauguin, Van Gogh, Munch e Ensor.
  5. 5. Literalmente, expressão é o contrário de impressão. A impressão é um movimento do exterior para o interior: é a realidade (objeto) que se imprime na consciência (sujeito). A expressão é um movimento inverso, do interior para o exterior: é o sujeito que por si imprime o objeto.
  6. 6. O distanciamento da figuratividade e a imitação das artes primitivas. Características Gerais Utilização de cores fortes para dar forma plástica ao AMOR, AO CIÚME, AO MEDO, À SOLIDÃO, À MISÉRIA HUMANA, À PROTITUIÇÃO. Pesquisa no domínio psicológico. Deforma-se a figura para ressaltar o sentimento. Expressava os sentimentos humanos, a preocupação com os problemas da sociedade moderna e o pessimismo em relação ao mundo. Predominância dos valores emocionais sobre os intelectuais.
  7. 7. Preferência pelo patético, trágico e sombrio. O artista vive não apenas o drama do homem, mas também da sociedade. Deformação da imagem visual e cores resplandecentes, vibrantes, fundidas ou separadas. O pintor recusa o aprendizado técnico e pinta conforme as exigências de sua sensibilidade. O pincel (ou a espátula) vai e vem, fazendo e refazendo, empastando ou provocando explosões.
  8. 8. Técnica e materiais Técnica violenta: o pincel ou espátula vai e vem, fazendo e refazendo, empastando ou provocando explosões; Uso de traços fortes e cores vibrantes, fundidas ou separadas; Dinamismo improvisado, inesperado; Pasta grossa e áspera; Preferência pelo trágico e sombrio, cruel, comovente. Auto retrato no Inferno,1893. Óleo s/ tela, 82x65,5 cm. Munch-museet, Oslo.
  9. 9. EDVARD MUNCH 1º artista do século XX que conseguiu dar às cores um valor simbólico e subjetivo (longe das representações realistas). Rejeita cenas interiores pacíficas (comuns na época). A DOR e o TRÁGICO permeiam seus quadros. A Mãe Morta 1893. Óleo s/ tela, 73x94,5 cm. Munch-museet, Oslo.
  10. 10. A Figura humana não apresenta suas linhas reais, mas contorce-se sob o efeito de suas emoções. Separação, 1896. Munch.
  11. 11. O Grito,1893. Têmpera s/ prancha, 83,5x66 cm. Munch-museet, Oslo Expressão? Para entender as características da pintura expressionista, sua história e os sentimentos expressados pelos quadros, observe a figura ao lado e responda a estas questões: Quem é a pessoa retratada? Homem? Mulher? Por que grita? Onde está? Quais sensações e sentimentos a figura provoca em você? Como o artista representou o céu?
  12. 12. Uma das obras mais importantes do movimento expressionista. No quadro há uma figura andrógina (não é possível afirmar se é homem ou mulher), num momento de desespero e angústia. Ao fundo, está a doca de Oslofjord (em Oslo, Noruega) durante o pôr-do-sol. "O Grito" Conseguir expressar toda essa angústia por meio de pinceladas, com fundo distorcido e cores "irreais" são algumas características do expressionismo. Relembrando: esse movimento teve força principalmente na Alemanha, no início do século 20. Pretendia realizar uma pintura dramática, angustiante, com sensações dolorosas sobre o destino do homem.
  13. 13. A distorção da figura que grita - ou que abafa com as mãos o grito da natureza -, sobre a qual paira a imagem da morte, afasta qualquer idéia de beleza. Reproduzida dois anos depois em litografia - fornece uma chave privilegiada para termos acesso ao seu universo. A pessoa de aspecto fantasmático em primeiro plano, define um foco que arrasta todo o cenário. As linhas deformadas da figura expandem-se pelo entorno, que participa da angústia do grito, emitido por ela própria, segundo algumas leituras, ou pela natureza. De acordo com Munch em texto escrito para o quadro, publicado na Revue Blanche, em 1895: "Tornei-me consciente do infinito e vasto grito da natureza".
  14. 14. A Ponte e O Cavaleiro Azul Dois grupos são diretamente identificados com o expressionismo: "A ponte" (Die Brücke, em alemão), em Dresden (1905-1913), e "O cavaleiro azul" (Der Blaue Reiter, também no mesmo idioma), em Munique (1911-1914).
  15. 15. DIE BRÜCKE (A PONTE) Aparece em Dresden, Alemanha, em 1905 para organizar um movimento em prol de uma pintura dramática, patética, angustiante, com sensações dolorosas sobre o destino do homem. Este grupo procura estabelecer uma ponte entre o visível e o invisível. O objetivo do grupo era ter liberdade de movimento e de vida, em oposição aos velhos e bem estabelecidos poderes.
  16. 16. Os membros do "A ponte" eram mais envolvidos com questões políticas e mais agressivos em seus trabalhos. Faziam parte do grupo, dentre outros, Ernst Ludwig Kirchner e Emil Nolde. Banhistas em Moritzburg 1909, retrabalhado em 1926. Óleo sobre tela, 151,1 x 199,7, Tate Gallery Escreveu Kirchner num manifesto de 1906: "Estão conosco todos aqueles que, diretamente e sem dissimulação, expressam aquilo que os impele a criar."
  17. 17. Iniciam uma pesquisa em sentido não-figurativo, se opondo a orientação menos engajada na problemática social, apresentando uma imagem atrozmente verdadeira da sociedade alemã do pós-guerra, sem os véus idealistas e mistificadores da "boa" pintura ou literatura. BLAUE REITER ( O CAVALEIRO AZUL)
  18. 18. "Outono na Bavária", de Vassili Kandinski, (1908). Em "O cavaleiro Azul" (que mais tarde terá seus desdobramentos na Bauhaus e no abstracionismo) encontramos artistas voltados, inicialmente, à espiritualidade. Seus principais membros são Vassili Kandinski, Paul Klee e August Macke.

×