SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
Expressionismo
Trabalho elaborado por:
Inês Carreira, 12ºC, nº10
O Expressionismo - Definição
Entre as vanguardas artísticas europeias do início do século XX, o expressionismo foi uma das mais
notórias. A arte expressionista teve seu desenvolvimento principal na Alemanha, não se restringindo
apenas às artes plásticas. Os expressionistas procuravam representar o seu próprio mundo interior, uma
"expressão" dos seus próprios sentimentos, emoções e perspectivas do mundo.
A pincelada usada é forte e agressiva, carregada de simbolismo. Esta ruptura com a geração anterior fez
com que o expressionismo fosse considerado “arte moderna” nos primeiros anos do século XX. O
expressionismo implicou um novo conceito da arte que era entendida como uma forma de captar a
existência, de refletir em imagens o substrato que subjaz sob a realidade aparente. O expressionismo
defendia a liberdade individual, a primazia da subjetividade, o irracionalismo, o arrebatamento e os temas
proibidos (o excitante, diabólico, sexual, fantástico ou perverso).
Tirol (1914), de Franz
Marc.
O Expressionismo - As suas raízes
O Expressionismo foi referido pela primeira vez no catálogo da
XXII Exposição da Secessão de Berlim em 1911, que reunia
obras de artistas alemães e franceses. O expressionismo
aparece como uma reação ao impressionismo, criticando a sua
objetividade. Ao contrário dos impressionistas, que procuravam
no espaço da tela transmitir uma "impressão" do mundo à sua
volta, os expressionistas procuravam representar os seu
próprios sentimentos ganhando a necessidade de expressarem
o seu mundo interior.
Este movimento artístico desenvolveu-se principalmente na
Alemanha, especificamente no período após a Primeira Guerra
Mundial, sendo um importante instrumento para a realização de
denúncias sociais, especialmente em um momento que,
politicamente, os valores humanos eram o que menos
importava.
“Mãe ajoelhada com criança” (1907), de Paula
Modersohn-Becker.
Principais autores do expressionismo
-Edvard Munch (1863-1944) -Vincent Van Gogh (1853-1890) - Ernst Ludwig Kirchner (1880-1938)
“Puberty”,
1894.
“Quarto
em
Arles”
“Marcella”,
1910
Principais autores do expressionismo
-Franz Marc (1880-1916) -August Macke (1887-114) -Otto Muller (1874-1930)
“Pequeno
Cavalo
Azul”.
“Woman
in a Green
Jacket”,
1913.
“Three
women in
the forest”
Principais autores do expressionismo
- Amedeo Modigliani (1884-1920) -Tivadar Kosztka Csontváry (1853-1919) -Otto Dix (1891-1969)
“Le Grand
Nu”.
“The Solitary
Cedar”
“Portrait of
the
Journalist
Sylvia von
Harden”,
1926.
O Expressionismo - Características
➔ Utilização de cores vivas em pinceladas bem marcadas (vermelhos, amarelos e verdes ácidos) em
contraste com tons sombrios, preto e castanho.
➔ Distorção linear (traços espessos e descuidados que procuram representar algo).
➔ Técnica violenta: o pincel ou espátula vai e vem,fazendo e refazendo, empastando ou provocando
explosões de sentimentos. (simplificação das formas).
Edvard munch, “anxiety” (1894). “Criança sentada” (1906) de
Erich Heckel.
“Dança em Redor do Bezerro
Dourado” (Emil Nolde, 1910).
O Expressionismo - Características
➔ Preferência pelo absurdo, trágico e sombrio. O artista vive não apenas o drama do homem, mas
também da sociedade.
➔ Não pretende representar o real, mas sim a forma como o artista observa essa realidade.
➔ Manchas largas de cor e contornos delineados a preto. (efeito de cloisonismo)
"O ginete circense" (1913), de
Ernst Ludwig Kirchner.
Erich Heckel, “House in Dangast”,
1908.
Ernst Ludwig Kirchner, “The Blue
Girl in the Sun”, 1910.
O Expressionismo - Características
➔ A representação de ambientes urbanos era a temática mais usada neste movimento principalmente
actos considerados marginais e pouco aceites (circo, prostituição, cabaré, nudismo).
➔ A crítica presente em algumas obras deste movimento é maioritariamente dirigida à sociedade
burguesa.
➔ Valoriza a emoção e o artista, procura criar de uma forma livre, pura e autêntica.
“Índio e Mulher”, 1910 - Max
Pechstein.
“Dança da vida”, 1899 - Edvard Munch . Otto Mueller, “Liebespaar”
1919.
O Expressionismo - Características
(Influências primitivas)
Outro das características da arte expressionista
foi a influência da arte primitiva, especialmente
a de África e Oceania. As vanguardas artísticas
encontraram na arte primitiva uma maior
liberdade de expressão, originalidade, novas
formas e materiais, uma nova concepção do
volume e da cor, bem como uma maior
transcendência do objeto, pois nestas culturas
não eram simples obras de arte, mas tinham
uma finalidade religiosa, mágica, totêmica,
votiva, santuária.
Emil Nolde - “São
Symeon e as mulheres”
(1915)
“Máscaras natureza
morta”, 1911 - Emil
Nolde.
Movimentos: A ponte e o cavaleiro azul
O Expressionismo alemão está associado a dois grupos informais de artistas: grupo Die Brücke (A
Ponte), de Dresden e o grupo de artistas de Munique intitulado Der Blaue Reiter (O Cavaleiro Azul).
A Ponte:
Aparece em Dresden, Alemanha, em 1905 para organizar um movimento em prol de uma pintura
dramática, patética, angustiante, com sensações dolorosas sobre o destino do homem. Este grupo
procura estabelecer uma ponte entre o visível e o invisível.
Pintores:
➔ Ernst Ludwig Kirchner
➔ Fritz Bleyl
➔ Erich Heckel
➔ Karl Schmidt-Rottluff
➔ Max Pechstein
➔ Otto Mueller
A ponte (Die Brücke): Pinturas dos
membros
Auto-retrato - Erich Heckel.“Banhistas em Moritzburg” 1909, de
Ernst Ludwig Kirchner.
Karl Schmidt-Rottluff, “Boote am
Wasser” (Boote im Hafen), 1913.
“Sentada desnuda”, 1909, Max Pechstein.
“Duas garotas na erva”
(1926), de Otto Mueller Emil Nolde, “Crucificação”, 1912
O Cavaleiro azul (Der Blaue Reiter)
Grupo formado em 1911 de inspiração expressionista que se opunha ao cubismo. Pretendia ver a
Natureza e o Homem a partir das emoções, sensações e sentimentos individuais, mas com um sentido
universal, para a construção de uma arte pessoal, assente na necessidade interior.
O grupo dissolveu-se com o início da Primeira Guerra Mundial, em 1914.
Pintores:
➔ Wassily Kandinsky
➔ Alexej Von Jawlensky
➔ Franz Marc
➔ August Macke
➔ Paul Klee
O Cavaleiro azul (Der Blaue Reiter): Pinturas dos
membros
“Mountain
landscape with
church”,
Wassily
Kandinsky .
“Cabeça da mulher”
por Alexej
Georgewitsch Von
Jawlensky.
“The yellow
cow”, 1911 by
Franz Marc.
August Macke
“Meninas sob
árvores”, 1914.
Análise de obras:
O Grito
➔ Nome da obra: O Grito (Skrik)
➔ Autor: Edvard Munch
➔ Data de execução: 1893
➔ Onde se encontra: A série tem quatro pinturas
conhecidas, duas na posse do Museu Munch, em
Oslo, outra na Galeria Nacional de Oslo e outra em
coleção particular.
O que representa?
Esta obra é uma das mais marcantes do movimento
expressionista que representa um ser androginia no
momento de profundo desespero e angústia (expressado
através de um grito) que se enquadra com o sentimento do
artista, que durante a sua vida enfrentou vários problemas
Análise de obras:
O Grito
Características do expressionismo presentes neste quadro:
➔ É possível ver ao fundo um céu de cores quentes
(vermelho, laranja, amarelo), em oposição ao rio em azul,
que sobe acima do horizonte e ao ser da imagem (cores
frias e sombrias), característica do expressionismo. (onde o
que interessa para o artista é a expressão das suas ideias e
não um retrato da realidade).
➔ A pintura expressiva e violenta do expressionismo é visível
neste quadro (explosão de sentimentos) assim como a
redução das formas (não sendo possível ver nada em
concreto apesar de sabermos o que está representado no
quadro).
➔ As manchas de cor delineadas a preto estão também
presentes em outras obras do expressionismo, assim como
a preferência do autor pelo angustiante e pelo sombrio
Galeria Nacional da Noruega
em Oslo.
Análise de obras:
A noite estrelada
➔ Nome da obra: A noite estrelada (De sterrennacht).
➔ Autor: Vincent van Gogh.
➔ Data de execução: 1889.
➔ Onde se encontra: na coleção permanente do
Museu de Arte Moderna de Nova York.
O que representa?
O artista de origem holandesa fazia parte da escola pós-
impressionista e criou a obra quando tinha 37 anos, obra
esta que foi um precursor e principal representante do
movimento expressionista. Observa-se uma paisagem
que faz uma metamorfose de elementos reais com as
memórias de Van Gogh, como uma típica igreja da
Holanda.
Análise de obras:
A noite estrelada
Características do expressionismo presentes neste quadro:
➔ É visível o contraste entre as cores quentes
(amarelos e laranjas das estrelas) e as cores frias e
sombrias (o preto da igreja e os tons azulados do céu
e da povoação).
➔ O objetivo do artista é representar a paisagem que
imagina da maneira como a vê e não de uma forma
realista.
➔ É notável a distorção linear (as formas não estão
desenhadas ao pormenor) e a técnica violenta.
➔ É possível observar o contraste entre a calma da
pequena vila representada e o caos celestial o que
demonstra as explosões emotivas de Van Gogh, e
mais uma vez, a importância das emoções presente
The Museum of Modern Art.
Análise de obras:
Cena de rua em
Berlim
➔ Nome da obra: Cena de rua em Berlim
➔ Autor: Ernst Ludwig Kirchner
➔ Data de execução: 1913-1914
➔ Onde se encontra: Neue Galerie, Nova York, Estados Unidos.
O que representa?
Berlim era considerado uma das maiores e mais vibrantes cidades
da época, este retrato mostra uma rua da cidade vista pelo olhar de
um passante solitário (provavelmente o próprio artista) que está
fisicamente perto mas emocionalmente distante das personagens
do quadro. O quadro representa como é hábito no expressionismo
hábitos considerados marginais, sendo as duas mulheres do meio
Análise de obras:
Cena de rua em
Berlim
Características do expressionismo presentes neste quadro:
➔ A obra caricata expressa a revolta do pintor diante de uma
sociedade decadente e com uma moral totalmente distorcida
à qual não se quer entregar (crítica social muito presente em
obras expressionistas).
➔ Representa um ambiente urbano, isto é outro traço comum do
movimento presente neste quadro que integra inclusive a
marginalização.
➔ É possível notar as pinceladas soltas que não procuram
perfeccionismo mas sim a criação de uma forma pura e
autêntica que representa a forma como o autor vê o mundo.
Arquitetura expressionista
A arquitetura expressionista desenvolveu-se
na Europa no início do séc. XX em paralelo às
artes visuais. Foi caracterizada por utilização
de novos materiais, inovação formal e volumes
extremamente incomuns, algumas vezes
inspirados nas formas biomórficas naturais,
algumas vezes por uma nova técnica oferecida
pela grande produção de tijolos, aço e
especialmente vidros.
Primava ainda pela efusão lírica, pela
dissolução das normas clássicas de
composição, pela exploração da plasticidade
do concreto. Temos ainda a distorção, o
anamorfismo e a monumentalidade (sobretudo
em alguns edifícios alemães).
Torre Einstein.
Potsdam, 1917-21.
Erich Medelsohn.
Chilehaus.
Hamburgo,
1923. Fritz
Höger
Escultura expressionista
Esta escultura não teve um selo estilístico comum, sendo o produto individual de vários artistas que
refletiram na sua obra quer a temática quer a distorção formal próprias do expressionismo.
➔ Destaca-se Ernst Barlach com obras caricaturescas e utilizando o volume, profundeza e o
movimento. Desenvolveu principalmente duas temáticas, uma era a popular (cenas quotidianas) e
outra era baseada na angústia, medo e terror (depois da guerra). Ele não procurava imitar a
realidade, mas sim criar uma nova realidade.
➔ Destaca-se também Wilhelm Lehmbruck que usa nas suas obras uma enorme carga emocional,
transpondo o sentimento e a sensibilidade melancólica para as suas obras.
O espírito
guerreiro (1928),
de Ernst Barlach,
Gethsemanekirch
em Berlim.
O homem
caído (1915-
16), de
Wilhelm
Lehmbruck.
Literatura expressionista
A literatura expressionista assim como a pintura tem
uma forte carga emocional, representa temas como o
amor, o medo, o delírio etc. O escritor apresenta a
realidade do seu ponto de vista interior, expressando
sentimentos e emoções mais do que impressões
sensitivas. Já não se limita a expor a realidade, não se
analisam causas nem fatos, mas o autor procura a
essência das coisas de forma a mostrar a sua
particular visão. Assim tal como na pintura, o autor
expõe a realidade escondida, dolorosa e marginal
renunciando à prisão que é o mundo visível. Os
principais precursores da literatura expressionista
foram Georg Büchner, Frank Wedekind e o sueco
August Strindberg
Georg
Büchner.
Frank
Wedekind.
Expressionismo na música
A música ocupou um lugar importante para os
defensores deste movimento pois era vista como uma
comunicação feita entre indivíduos através da alma. A
música expressionista procurou a invenção de uma nova
linguagem musical, onde as notas fluem livremente
conforme o estado do autor.
Arnold Schonberg e Alban Berg são duas figuras
marcantes do expressionismo na música. A música
expressionista em estilo atonal é caracterizada por
harmonias extremamente dissonantes; melodias
frenéticas, desconjuntadas, incluindo grandes saltos;
contrastes violentos e explosivos, com os instrumentos
tocando asperamente nos extremos de seus registros.
Arnold
Schonberg.
Alban
Berg.
Expressionismo no cinema
O cinema expressionista alemão impôs na
produção um estilo subjetivista, que oferecia em
imagens uma deformação expressiva da
realidade, traduzida em termos dramáticos
mediante a distorção de cenários, maquilhagens,
assim como a conseguinte re-criação de
atmosferas terroríficas ou, pelo menos,
inquietantes. Assim como na pintura, o
expressionismo no cinema também teve
preferência por temáticas sombrias como o terror
e a fantasia, incorporou também a expressividade
emocional e a distorção do real.
O Gabinete
do .Doutor
Caligari por
Robert
Wiene.
Nosferatu,
o Vampiro
dirigido por
Friedrich
Wilhelm
Murnau.
O Golem,
Como Ele
Veio ao
Mundo por
Paul
Wegener,
Carl Boese
The Cat
and the
Canary
por
Paul
Leni.
Conclusão
Resumindo, expressionismo é um movimento artístico surgido na Alemanha no séc. XX que revolucionou
o estereótipo de arte que existia até então, começou pela pintura mas expandiu-se a muitos outros
campos como a música, cinema, arquitetura, escultura e literatura. Vincent Van Gogh e Edvard Munch
foram grandes impulsionadores e inspirações dentro deste tipo de arte.
Este movimento é caracterizado por, ao contrário do impressionismo, representar o “eu interior” ou
“mundo interior” do autor, valorizando as emoções, sentimentos e a visão que têm sobre o mundo. É um
tipo de arte carregada de expressividade que não pretende representar a realidade mas sim a nossa
visão e retrata-la de forma pura e autêntica.
Separação,1896
Edvard Munch.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Movimento Expressionismo
Movimento ExpressionismoMovimento Expressionismo
Movimento Expressionismo
 
A arte nova
A arte novaA arte nova
A arte nova
 
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
História da Cultura e das Artes - 12.º ano - Módulo 9
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
As grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xxAs grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xx
 
Vanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slidesVanguardas europeias slides
Vanguardas europeias slides
 
Pintura e escultura do romantismo
Pintura e escultura do romantismoPintura e escultura do romantismo
Pintura e escultura do romantismo
 
Arte Século XX
Arte Século XXArte Século XX
Arte Século XX
 
Primeira metade do século XX
Primeira metade do século XXPrimeira metade do século XX
Primeira metade do século XX
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Cubismo
CubismoCubismo
Cubismo
 
A arte nova
A arte novaA arte nova
A arte nova
 
Pop Art
Pop ArtPop Art
Pop Art
 
Trabalho expressionismo
Trabalho expressionismoTrabalho expressionismo
Trabalho expressionismo
 
Pós - Impressionismo
Pós - ImpressionismoPós - Impressionismo
Pós - Impressionismo
 
Modernismo em Portugal
Modernismo em PortugalModernismo em Portugal
Modernismo em Portugal
 
Arte abstrata
Arte abstrataArte abstrata
Arte abstrata
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 

Semelhante a Expressionismo alemão

Expressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoExpressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoMichele Pó
 
As grandes tendências da pintura do séc. xx
As grandes tendências da pintura do séc. xxAs grandes tendências da pintura do séc. xx
As grandes tendências da pintura do séc. xxTânia Correia
 
Ismos arte moderna- CBG
Ismos  arte moderna- CBGIsmos  arte moderna- CBG
Ismos arte moderna- CBGAline Raposo
 
História da Arte: Expressionismo
História da Arte: ExpressionismoHistória da Arte: Expressionismo
História da Arte: ExpressionismoRaphael Lanzillotte
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte modernaLú Carvalho
 
Expressionismo - Uma Linguagem Modernista
Expressionismo - Uma Linguagem ModernistaExpressionismo - Uma Linguagem Modernista
Expressionismo - Uma Linguagem ModernistaKelly Ziinha
 
História da arte ii profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
História da arte ii   profª sônia pardim (11) movimentos de arte modernaHistória da arte ii   profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
História da arte ii profª sônia pardim (11) movimentos de arte modernaSafra Brasileira
 
1o termos _at2_expressionismo
1o termos _at2_expressionismo1o termos _at2_expressionismo
1o termos _at2_expressionismoantoniofabiogomes
 
97753484 atividade-de-artes-expressionismo
97753484 atividade-de-artes-expressionismo97753484 atividade-de-artes-expressionismo
97753484 atividade-de-artes-expressionismoPedro Alcantara
 
Módulo 9 arte
Módulo 9   arteMódulo 9   arte
Módulo 9 artecattonia
 
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018CLEBER LUIS DAMACENO
 
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneoRevisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneoCLEBER LUIS DAMACENO
 
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoApresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoGabriel Ferraciolli
 
Arte abstrata 2º ano médio Novo Colégio
Arte abstrata 2º ano médio Novo ColégioArte abstrata 2º ano médio Novo Colégio
Arte abstrata 2º ano médio Novo ColégioCLEBER LUIS DAMACENO
 
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte ModernaHistória da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte ModernaAndrea Dressler
 

Semelhante a Expressionismo alemão (20)

Expressionismo Alemão
Expressionismo AlemãoExpressionismo Alemão
Expressionismo Alemão
 
HCA grupo A
HCA   grupo AHCA   grupo A
HCA grupo A
 
As grandes tendências da pintura do séc. xx
As grandes tendências da pintura do séc. xxAs grandes tendências da pintura do séc. xx
As grandes tendências da pintura do séc. xx
 
Arte
ArteArte
Arte
 
23 arte abstrata 2020
23 arte abstrata 202023 arte abstrata 2020
23 arte abstrata 2020
 
Ismos arte moderna- CBG
Ismos  arte moderna- CBGIsmos  arte moderna- CBG
Ismos arte moderna- CBG
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
A Arte e a Ciência no Séc.XX
A Arte e a Ciência no Séc.XXA Arte e a Ciência no Séc.XX
A Arte e a Ciência no Séc.XX
 
História da Arte: Expressionismo
História da Arte: ExpressionismoHistória da Arte: Expressionismo
História da Arte: Expressionismo
 
História da arte arte moderna
História da arte   arte modernaHistória da arte   arte moderna
História da arte arte moderna
 
Expressionismo - Uma Linguagem Modernista
Expressionismo - Uma Linguagem ModernistaExpressionismo - Uma Linguagem Modernista
Expressionismo - Uma Linguagem Modernista
 
História da arte ii profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
História da arte ii   profª sônia pardim (11) movimentos de arte modernaHistória da arte ii   profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
História da arte ii profª sônia pardim (11) movimentos de arte moderna
 
1o termos _at2_expressionismo
1o termos _at2_expressionismo1o termos _at2_expressionismo
1o termos _at2_expressionismo
 
97753484 atividade-de-artes-expressionismo
97753484 atividade-de-artes-expressionismo97753484 atividade-de-artes-expressionismo
97753484 atividade-de-artes-expressionismo
 
Módulo 9 arte
Módulo 9   arteMódulo 9   arte
Módulo 9 arte
 
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
Aula História da Arte / Cursinho Novo Colégio 2018
 
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneoRevisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
Revisão para o Enem 2018 / Do moderno ao contemporâneo
 
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e AbstracionismoApresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
Apresentação de História da Arte - G5 - Fovismo, Cubismo e Abstracionismo
 
Arte abstrata 2º ano médio Novo Colégio
Arte abstrata 2º ano médio Novo ColégioArte abstrata 2º ano médio Novo Colégio
Arte abstrata 2º ano médio Novo Colégio
 
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte ModernaHistória da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
História da arte - Os ismos - Movimentos da Arte Moderna
 

Expressionismo alemão

  • 2. O Expressionismo - Definição Entre as vanguardas artísticas europeias do início do século XX, o expressionismo foi uma das mais notórias. A arte expressionista teve seu desenvolvimento principal na Alemanha, não se restringindo apenas às artes plásticas. Os expressionistas procuravam representar o seu próprio mundo interior, uma "expressão" dos seus próprios sentimentos, emoções e perspectivas do mundo. A pincelada usada é forte e agressiva, carregada de simbolismo. Esta ruptura com a geração anterior fez com que o expressionismo fosse considerado “arte moderna” nos primeiros anos do século XX. O expressionismo implicou um novo conceito da arte que era entendida como uma forma de captar a existência, de refletir em imagens o substrato que subjaz sob a realidade aparente. O expressionismo defendia a liberdade individual, a primazia da subjetividade, o irracionalismo, o arrebatamento e os temas proibidos (o excitante, diabólico, sexual, fantástico ou perverso). Tirol (1914), de Franz Marc.
  • 3. O Expressionismo - As suas raízes O Expressionismo foi referido pela primeira vez no catálogo da XXII Exposição da Secessão de Berlim em 1911, que reunia obras de artistas alemães e franceses. O expressionismo aparece como uma reação ao impressionismo, criticando a sua objetividade. Ao contrário dos impressionistas, que procuravam no espaço da tela transmitir uma "impressão" do mundo à sua volta, os expressionistas procuravam representar os seu próprios sentimentos ganhando a necessidade de expressarem o seu mundo interior. Este movimento artístico desenvolveu-se principalmente na Alemanha, especificamente no período após a Primeira Guerra Mundial, sendo um importante instrumento para a realização de denúncias sociais, especialmente em um momento que, politicamente, os valores humanos eram o que menos importava. “Mãe ajoelhada com criança” (1907), de Paula Modersohn-Becker.
  • 4. Principais autores do expressionismo -Edvard Munch (1863-1944) -Vincent Van Gogh (1853-1890) - Ernst Ludwig Kirchner (1880-1938) “Puberty”, 1894. “Quarto em Arles” “Marcella”, 1910
  • 5. Principais autores do expressionismo -Franz Marc (1880-1916) -August Macke (1887-114) -Otto Muller (1874-1930) “Pequeno Cavalo Azul”. “Woman in a Green Jacket”, 1913. “Three women in the forest”
  • 6. Principais autores do expressionismo - Amedeo Modigliani (1884-1920) -Tivadar Kosztka Csontváry (1853-1919) -Otto Dix (1891-1969) “Le Grand Nu”. “The Solitary Cedar” “Portrait of the Journalist Sylvia von Harden”, 1926.
  • 7. O Expressionismo - Características ➔ Utilização de cores vivas em pinceladas bem marcadas (vermelhos, amarelos e verdes ácidos) em contraste com tons sombrios, preto e castanho. ➔ Distorção linear (traços espessos e descuidados que procuram representar algo). ➔ Técnica violenta: o pincel ou espátula vai e vem,fazendo e refazendo, empastando ou provocando explosões de sentimentos. (simplificação das formas). Edvard munch, “anxiety” (1894). “Criança sentada” (1906) de Erich Heckel. “Dança em Redor do Bezerro Dourado” (Emil Nolde, 1910).
  • 8. O Expressionismo - Características ➔ Preferência pelo absurdo, trágico e sombrio. O artista vive não apenas o drama do homem, mas também da sociedade. ➔ Não pretende representar o real, mas sim a forma como o artista observa essa realidade. ➔ Manchas largas de cor e contornos delineados a preto. (efeito de cloisonismo) "O ginete circense" (1913), de Ernst Ludwig Kirchner. Erich Heckel, “House in Dangast”, 1908. Ernst Ludwig Kirchner, “The Blue Girl in the Sun”, 1910.
  • 9. O Expressionismo - Características ➔ A representação de ambientes urbanos era a temática mais usada neste movimento principalmente actos considerados marginais e pouco aceites (circo, prostituição, cabaré, nudismo). ➔ A crítica presente em algumas obras deste movimento é maioritariamente dirigida à sociedade burguesa. ➔ Valoriza a emoção e o artista, procura criar de uma forma livre, pura e autêntica. “Índio e Mulher”, 1910 - Max Pechstein. “Dança da vida”, 1899 - Edvard Munch . Otto Mueller, “Liebespaar” 1919.
  • 10. O Expressionismo - Características (Influências primitivas) Outro das características da arte expressionista foi a influência da arte primitiva, especialmente a de África e Oceania. As vanguardas artísticas encontraram na arte primitiva uma maior liberdade de expressão, originalidade, novas formas e materiais, uma nova concepção do volume e da cor, bem como uma maior transcendência do objeto, pois nestas culturas não eram simples obras de arte, mas tinham uma finalidade religiosa, mágica, totêmica, votiva, santuária. Emil Nolde - “São Symeon e as mulheres” (1915) “Máscaras natureza morta”, 1911 - Emil Nolde.
  • 11. Movimentos: A ponte e o cavaleiro azul O Expressionismo alemão está associado a dois grupos informais de artistas: grupo Die Brücke (A Ponte), de Dresden e o grupo de artistas de Munique intitulado Der Blaue Reiter (O Cavaleiro Azul). A Ponte: Aparece em Dresden, Alemanha, em 1905 para organizar um movimento em prol de uma pintura dramática, patética, angustiante, com sensações dolorosas sobre o destino do homem. Este grupo procura estabelecer uma ponte entre o visível e o invisível. Pintores: ➔ Ernst Ludwig Kirchner ➔ Fritz Bleyl ➔ Erich Heckel ➔ Karl Schmidt-Rottluff ➔ Max Pechstein ➔ Otto Mueller
  • 12. A ponte (Die Brücke): Pinturas dos membros Auto-retrato - Erich Heckel.“Banhistas em Moritzburg” 1909, de Ernst Ludwig Kirchner. Karl Schmidt-Rottluff, “Boote am Wasser” (Boote im Hafen), 1913. “Sentada desnuda”, 1909, Max Pechstein. “Duas garotas na erva” (1926), de Otto Mueller Emil Nolde, “Crucificação”, 1912
  • 13. O Cavaleiro azul (Der Blaue Reiter) Grupo formado em 1911 de inspiração expressionista que se opunha ao cubismo. Pretendia ver a Natureza e o Homem a partir das emoções, sensações e sentimentos individuais, mas com um sentido universal, para a construção de uma arte pessoal, assente na necessidade interior. O grupo dissolveu-se com o início da Primeira Guerra Mundial, em 1914. Pintores: ➔ Wassily Kandinsky ➔ Alexej Von Jawlensky ➔ Franz Marc ➔ August Macke ➔ Paul Klee
  • 14. O Cavaleiro azul (Der Blaue Reiter): Pinturas dos membros “Mountain landscape with church”, Wassily Kandinsky . “Cabeça da mulher” por Alexej Georgewitsch Von Jawlensky. “The yellow cow”, 1911 by Franz Marc. August Macke “Meninas sob árvores”, 1914.
  • 15. Análise de obras: O Grito ➔ Nome da obra: O Grito (Skrik) ➔ Autor: Edvard Munch ➔ Data de execução: 1893 ➔ Onde se encontra: A série tem quatro pinturas conhecidas, duas na posse do Museu Munch, em Oslo, outra na Galeria Nacional de Oslo e outra em coleção particular. O que representa? Esta obra é uma das mais marcantes do movimento expressionista que representa um ser androginia no momento de profundo desespero e angústia (expressado através de um grito) que se enquadra com o sentimento do artista, que durante a sua vida enfrentou vários problemas
  • 16. Análise de obras: O Grito Características do expressionismo presentes neste quadro: ➔ É possível ver ao fundo um céu de cores quentes (vermelho, laranja, amarelo), em oposição ao rio em azul, que sobe acima do horizonte e ao ser da imagem (cores frias e sombrias), característica do expressionismo. (onde o que interessa para o artista é a expressão das suas ideias e não um retrato da realidade). ➔ A pintura expressiva e violenta do expressionismo é visível neste quadro (explosão de sentimentos) assim como a redução das formas (não sendo possível ver nada em concreto apesar de sabermos o que está representado no quadro). ➔ As manchas de cor delineadas a preto estão também presentes em outras obras do expressionismo, assim como a preferência do autor pelo angustiante e pelo sombrio Galeria Nacional da Noruega em Oslo.
  • 17. Análise de obras: A noite estrelada ➔ Nome da obra: A noite estrelada (De sterrennacht). ➔ Autor: Vincent van Gogh. ➔ Data de execução: 1889. ➔ Onde se encontra: na coleção permanente do Museu de Arte Moderna de Nova York. O que representa? O artista de origem holandesa fazia parte da escola pós- impressionista e criou a obra quando tinha 37 anos, obra esta que foi um precursor e principal representante do movimento expressionista. Observa-se uma paisagem que faz uma metamorfose de elementos reais com as memórias de Van Gogh, como uma típica igreja da Holanda.
  • 18. Análise de obras: A noite estrelada Características do expressionismo presentes neste quadro: ➔ É visível o contraste entre as cores quentes (amarelos e laranjas das estrelas) e as cores frias e sombrias (o preto da igreja e os tons azulados do céu e da povoação). ➔ O objetivo do artista é representar a paisagem que imagina da maneira como a vê e não de uma forma realista. ➔ É notável a distorção linear (as formas não estão desenhadas ao pormenor) e a técnica violenta. ➔ É possível observar o contraste entre a calma da pequena vila representada e o caos celestial o que demonstra as explosões emotivas de Van Gogh, e mais uma vez, a importância das emoções presente The Museum of Modern Art.
  • 19. Análise de obras: Cena de rua em Berlim ➔ Nome da obra: Cena de rua em Berlim ➔ Autor: Ernst Ludwig Kirchner ➔ Data de execução: 1913-1914 ➔ Onde se encontra: Neue Galerie, Nova York, Estados Unidos. O que representa? Berlim era considerado uma das maiores e mais vibrantes cidades da época, este retrato mostra uma rua da cidade vista pelo olhar de um passante solitário (provavelmente o próprio artista) que está fisicamente perto mas emocionalmente distante das personagens do quadro. O quadro representa como é hábito no expressionismo hábitos considerados marginais, sendo as duas mulheres do meio
  • 20. Análise de obras: Cena de rua em Berlim Características do expressionismo presentes neste quadro: ➔ A obra caricata expressa a revolta do pintor diante de uma sociedade decadente e com uma moral totalmente distorcida à qual não se quer entregar (crítica social muito presente em obras expressionistas). ➔ Representa um ambiente urbano, isto é outro traço comum do movimento presente neste quadro que integra inclusive a marginalização. ➔ É possível notar as pinceladas soltas que não procuram perfeccionismo mas sim a criação de uma forma pura e autêntica que representa a forma como o autor vê o mundo.
  • 21. Arquitetura expressionista A arquitetura expressionista desenvolveu-se na Europa no início do séc. XX em paralelo às artes visuais. Foi caracterizada por utilização de novos materiais, inovação formal e volumes extremamente incomuns, algumas vezes inspirados nas formas biomórficas naturais, algumas vezes por uma nova técnica oferecida pela grande produção de tijolos, aço e especialmente vidros. Primava ainda pela efusão lírica, pela dissolução das normas clássicas de composição, pela exploração da plasticidade do concreto. Temos ainda a distorção, o anamorfismo e a monumentalidade (sobretudo em alguns edifícios alemães). Torre Einstein. Potsdam, 1917-21. Erich Medelsohn. Chilehaus. Hamburgo, 1923. Fritz Höger
  • 22. Escultura expressionista Esta escultura não teve um selo estilístico comum, sendo o produto individual de vários artistas que refletiram na sua obra quer a temática quer a distorção formal próprias do expressionismo. ➔ Destaca-se Ernst Barlach com obras caricaturescas e utilizando o volume, profundeza e o movimento. Desenvolveu principalmente duas temáticas, uma era a popular (cenas quotidianas) e outra era baseada na angústia, medo e terror (depois da guerra). Ele não procurava imitar a realidade, mas sim criar uma nova realidade. ➔ Destaca-se também Wilhelm Lehmbruck que usa nas suas obras uma enorme carga emocional, transpondo o sentimento e a sensibilidade melancólica para as suas obras. O espírito guerreiro (1928), de Ernst Barlach, Gethsemanekirch em Berlim. O homem caído (1915- 16), de Wilhelm Lehmbruck.
  • 23. Literatura expressionista A literatura expressionista assim como a pintura tem uma forte carga emocional, representa temas como o amor, o medo, o delírio etc. O escritor apresenta a realidade do seu ponto de vista interior, expressando sentimentos e emoções mais do que impressões sensitivas. Já não se limita a expor a realidade, não se analisam causas nem fatos, mas o autor procura a essência das coisas de forma a mostrar a sua particular visão. Assim tal como na pintura, o autor expõe a realidade escondida, dolorosa e marginal renunciando à prisão que é o mundo visível. Os principais precursores da literatura expressionista foram Georg Büchner, Frank Wedekind e o sueco August Strindberg Georg Büchner. Frank Wedekind.
  • 24. Expressionismo na música A música ocupou um lugar importante para os defensores deste movimento pois era vista como uma comunicação feita entre indivíduos através da alma. A música expressionista procurou a invenção de uma nova linguagem musical, onde as notas fluem livremente conforme o estado do autor. Arnold Schonberg e Alban Berg são duas figuras marcantes do expressionismo na música. A música expressionista em estilo atonal é caracterizada por harmonias extremamente dissonantes; melodias frenéticas, desconjuntadas, incluindo grandes saltos; contrastes violentos e explosivos, com os instrumentos tocando asperamente nos extremos de seus registros. Arnold Schonberg. Alban Berg.
  • 25. Expressionismo no cinema O cinema expressionista alemão impôs na produção um estilo subjetivista, que oferecia em imagens uma deformação expressiva da realidade, traduzida em termos dramáticos mediante a distorção de cenários, maquilhagens, assim como a conseguinte re-criação de atmosferas terroríficas ou, pelo menos, inquietantes. Assim como na pintura, o expressionismo no cinema também teve preferência por temáticas sombrias como o terror e a fantasia, incorporou também a expressividade emocional e a distorção do real. O Gabinete do .Doutor Caligari por Robert Wiene. Nosferatu, o Vampiro dirigido por Friedrich Wilhelm Murnau. O Golem, Como Ele Veio ao Mundo por Paul Wegener, Carl Boese The Cat and the Canary por Paul Leni.
  • 26. Conclusão Resumindo, expressionismo é um movimento artístico surgido na Alemanha no séc. XX que revolucionou o estereótipo de arte que existia até então, começou pela pintura mas expandiu-se a muitos outros campos como a música, cinema, arquitetura, escultura e literatura. Vincent Van Gogh e Edvard Munch foram grandes impulsionadores e inspirações dentro deste tipo de arte. Este movimento é caracterizado por, ao contrário do impressionismo, representar o “eu interior” ou “mundo interior” do autor, valorizando as emoções, sentimentos e a visão que têm sobre o mundo. É um tipo de arte carregada de expressividade que não pretende representar a realidade mas sim a nossa visão e retrata-la de forma pura e autêntica. Separação,1896 Edvard Munch.