SlideShare uma empresa Scribd logo
A GUERRA DAS DUAS ROSAS NASCEU DE UMA
LONGA DISPUTA ENTRE DUAS DINASTIAS:
• OS LANCASTER, QUE DETINHAM A COROA REAL
E UM BRASÃO COM UMA ROSAVERMELHA;
• E OSYORK, ASPIRANTESAO PODER, QUE
TRAZIAM CONSIGO UMA ROSA BRANCA – PELO
TRONO INGLÊS.
AS DUAS FAMÍLIASADVERSÁRIAS ERAM
DESCENDENTES DOS PLANTAGENETA.
ESTES CONFLITOS DURARAM PELO MENOS
TRINTA ANOS, DESDOBRANDO-SE EM LUTAS
ISOLADAS, ESPECIALMENTE EM 1455 E EM 1485,
ESTENDENDO-SEAO LONGO DOS GOVERNOS DE
HENRIQUEVI, EDUARDO IV E RICARDO III.
RICARDO III
ESTA CONFLAGRAÇÃO FOI DESENCADEADA NO
SEIO DE PROPRIETÁRIOS FEUDAIS INGLESES, NA
DEFESA DETERRAS DAS QUAIS SEVIRAM
DESAPOSSADOS DURANTE A GUERRA DOS CEM
ANOS, PERPETRADA CONTRA A FRANÇA.
TENDO ESTE CENÁRIO COMO FUNDO, AS
GUERRAS DESPERTAM ENTRE DOIS RAMOS
FAMILIARESQUE NUTREM O DESEJO DE
CONQUISTAR OTRONO DA INGLATERRA – O DE
EDMUNDO BEAUFORT, DUQUE DE SOMERSET, DA
FAMÍLIA DE LANCASTER, E O DE RICARDO
PLANTAGENETA, DUQUE DEYORK;
UM REIVINDICANDO OS DIREITOS DE HENRIQUE IV
E DA RAINHA MARGARIDA DE ANJOU; O OUTRO
APOIANDO HENRIQUEVI DE LANCASTER,
SUBMETIDO A PERIÓDICAS CRISES DE LOUCURA.
EM MEIOA UM CONTEXTO CONTURBADO,
PRINCIPALMENTE PARA OS LANCASTER, SOB O
REINADO DE UM SOBERANO INSANO, MARCADO
TAMBÉM PELOS REVESES SOFRIDOS PELOS
INGLESES DIANTE DO PODERIO BÉLICO FRANCÊS
NA ETAPA FINAL DA GUERRA DOS CEMANOS,
RICARDO, DUQUE DEYORK, AVANÇA RUMO A
LONDRES COM UM EXÉRCITO DETRÊS MIL
HOMENS.
ELEVENCE OS SOLDADOS REAIS E, EM 1455,
APRISIONA O REI HENRIQUEVI. INICIA-SE,ASSIM,
A GUERRA DAS DUAS ROSAS.
DEPOIS DE DUASVITÓRIAS, NA BATALHA DE
SAINTALBANS, EM 1455, E NA DE NORTHAMPTON,
EM 1460, RICARDO DEYORK É MORTO NA
BATALHA DEWAKEFIELD, DEFLAGRADA NESTE
MESMO ANO.
EDUARDO IV, DO RAMO DOSYORK, CHEGA AO
PODER UM ANO DEPOIS, NA BATALHA DE
TOWTON, MAS É DEPOIS, EM SETEMBRO DE 1470,
ATRAIÇOADO PELOS NOBRES DO PARLAMENTO,
DESCONTENTES COM SUA PERFORMANCE, E NÃO
TEM OUTRA OPÇÃO SENÃO DEPOSITAR O CETRO
NOVAMENTE NAS MÃOS DE HENRIQUEVI,
EVENTO QUE É MARCADO PELA SEGMENTAÇÃO
DA CASA DOSYORK, POIS O PRÓPRIO IRMÃO DE
EDUARDO, O DUQUE DE CLARENCE, UNIRA-SE
AOS LANCASTER PARA DERROTAR EDUARDO IV.
EDUARDO IV
NA BATALHA SEGUINTE, A DE BARNET, EDUARDO
IV, RECONCILIADO COM O IRMÃO, DERROTA O REI
E SEUS ALIADOS, MATA O SOBERANO E SEU
FILHO, E NOVAMENTEASSUME OTRONO.
ELE REINA ATÉ 1483, QUANDO, AO MORRER,TEM
SEUTRONO USURPADO PELO IRMÃO MAIS NOVO,
RICARDO, DUQUE DE GLOUCESTER, QUE
SUPOSTAMENTE MANDA MATAR SEUS
SOBRINHOS E CONQUISTA O PODER, COM O
TÍTULO DE RICARDO III.
É ENTÃO QUE OS LANCASTER DECIDEM INSTALAR
NOTRONO HENRIQUETUDOR, QUE MAISTARDE
SERÁ CONHECIDO COMO HENRIQUEVII.
HENRIQUEVII
A GUERRATEM SEU FIM EM 1485, COM A DERROTA
DE RICARDO III NA BATALHA DE BOSWORTH,
LOGOAPÓS A CHEGADA DE HENRIQUETUDOR,
RECÉM-VINDO DA BRETANHA.
COM A MORTE DE RICARDO NO ÚLTIMO
CONFLITO, E O ASSASSINATO DETODOS OS
ADVERSÁRIOS DO NOVO REI, ELE CONTRAI
MATRIMÔNIO COM A FILHA DE EDUARDO IV,
ELIZABETH DEYORK, PARA MELHOR UNIR AS
FAMÍLIAS RIVAIS, FORTALECENDO SEU PODER.
TEM INÍCIOASSIM A DINASTIATUDOR, QUE
REINARÁ DE 1485 A 1603, SOB UM REGIME
ABSOLUTISTA INSTITUÍDO POR HENRIQUEVII.
OS NOBRES, NESTA ÉPOCA, JÁ NÃOTÊM MAIS
FORÇAS PARA RESISTIR AO NOVO MONARCA,
PERMITINDO ASSIM QUE ELE REINE SOBERANO
NA INGLATERRA, SEM MAIORES CONTESTAÇÕES.
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Fatima Freitas
 
Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
Imperialismo e industrialização - 9º Ano
Imperialismo e industrialização - 9º AnoImperialismo e industrialização - 9º Ano
Imperialismo e industrialização - 9º Ano
Italo Colares
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
josepinho
 
A Idade Média
A Idade MédiaA Idade Média
A Idade Média
Gisele Finatti Baraglio
 
Feudalismo (476-1453)
Feudalismo (476-1453)Feudalismo (476-1453)
Feudalismo (476-1453)
Munis Pedro
 
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Nefer19
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
catlencunha
 
A Revolução Inglesa
A Revolução InglesaA Revolução Inglesa
A Revolução Inglesa
Paulo Alexandre
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
A queda do império romano
A queda do império romanoA queda do império romano
A queda do império romano
cattonia
 
Guerra dos cem anos
Guerra dos cem anosGuerra dos cem anos
Guerra dos cem anos
João Marcelo
 
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
João Lima
 
Cruzadas
CruzadasCruzadas
Cruzadas
dmflores21
 
Colonização da América
Colonização da AméricaColonização da América
Colonização da América
Claudenilson da Silva
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade média
Dirair
 
O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)
Nefer19
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
Aulas de História
 

Mais procurados (20)

Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Antigo Regime
Antigo RegimeAntigo Regime
Antigo Regime
 
Imperialismo e industrialização - 9º Ano
Imperialismo e industrialização - 9º AnoImperialismo e industrialização - 9º Ano
Imperialismo e industrialização - 9º Ano
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 
A Idade Média
A Idade MédiaA Idade Média
A Idade Média
 
Feudalismo (476-1453)
Feudalismo (476-1453)Feudalismo (476-1453)
Feudalismo (476-1453)
 
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
Monarquias nacionais, Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2018)
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
A Revolução Inglesa
A Revolução InglesaA Revolução Inglesa
A Revolução Inglesa
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
A queda do império romano
A queda do império romanoA queda do império romano
A queda do império romano
 
Guerra dos cem anos
Guerra dos cem anosGuerra dos cem anos
Guerra dos cem anos
 
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
Absolutismo e Mercantilismo - 7º Ano (2016)
 
O Renascimento
O RenascimentoO Renascimento
O Renascimento
 
Cruzadas
CruzadasCruzadas
Cruzadas
 
Colonização da América
Colonização da AméricaColonização da América
Colonização da América
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade média
 
O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)O Renascimento - 7º Ano (2017)
O Renascimento - 7º Ano (2017)
 
Feudalismo
FeudalismoFeudalismo
Feudalismo
 

Destaque

Guerra Civil Inglesa
Guerra Civil Inglesa Guerra Civil Inglesa
Guerra Civil Inglesa
Thiago Bro
 
O absolutismo na inglaterra
O absolutismo na inglaterraO absolutismo na inglaterra
O absolutismo na inglaterra
historiando
 
Absolutismo inglês
Absolutismo inglêsAbsolutismo inglês
Absolutismo inglês
Eveline de Melo
 
Guerra Civil Inglesa - Iluminismo
Guerra Civil Inglesa - IluminismoGuerra Civil Inglesa - Iluminismo
Guerra Civil Inglesa - Iluminismo
Thiago Bro
 
Revolução Puritana
Revolução PuritanaRevolução Puritana
Revolução Puritana
Leonardo Caputo
 
A revolução puritana e a revolução gloriosa
A revolução puritana e a revolução gloriosaA revolução puritana e a revolução gloriosa
A revolução puritana e a revolução gloriosa
Glauce Marques
 
Revolução inglesa (Revolução Puritana)
Revolução inglesa (Revolução Puritana)Revolução inglesa (Revolução Puritana)
Revolução inglesa (Revolução Puritana)
AleckVictor
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Douglas Barraqui
 
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair AguilarDinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Carta magna
Carta magnaCarta magna
Carta magna
Margarita Castillo
 
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair AguilarIslamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
King Richard III Presentation
King Richard III PresentationKing Richard III Presentation
King Richard III Presentation
Matt Wilkinson
 
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf  Hitler _ Prof.Altair AguilarAdolf  Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
O absolutismo na inglaterra
O absolutismo na inglaterraO absolutismo na inglaterra
O absolutismo na inglaterra
Nelia Salles Nantes
 
Historia da Revolução dos Farrapos
Historia da Revolução dos FarraposHistoria da Revolução dos Farrapos
Historia da Revolução dos Farrapos
Thaís Bozz
 
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair AguilarDiscurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Guerra dos farrapos
Guerra dos farraposGuerra dos farrapos
Guerra dos farrapos
mahhhluiza
 
Revolução farroupilha
Revolução farroupilhaRevolução farroupilha
Revolução farroupilha
Jaqueline Sarges
 
Guerra Dos Farrapos
Guerra Dos FarraposGuerra Dos Farrapos
Guerra Dos Farrapos
ecsette
 

Destaque (20)

Guerra Civil Inglesa
Guerra Civil Inglesa Guerra Civil Inglesa
Guerra Civil Inglesa
 
O absolutismo na inglaterra
O absolutismo na inglaterraO absolutismo na inglaterra
O absolutismo na inglaterra
 
Absolutismo inglês
Absolutismo inglêsAbsolutismo inglês
Absolutismo inglês
 
Guerra Civil Inglesa - Iluminismo
Guerra Civil Inglesa - IluminismoGuerra Civil Inglesa - Iluminismo
Guerra Civil Inglesa - Iluminismo
 
Revolução Puritana
Revolução PuritanaRevolução Puritana
Revolução Puritana
 
A revolução puritana e a revolução gloriosa
A revolução puritana e a revolução gloriosaA revolução puritana e a revolução gloriosa
A revolução puritana e a revolução gloriosa
 
Revolução inglesa (Revolução Puritana)
Revolução inglesa (Revolução Puritana)Revolução inglesa (Revolução Puritana)
Revolução inglesa (Revolução Puritana)
 
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução IndustrialDas Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
Das Revoluções Inglesa à Revolução Industrial
 
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair AguilarDinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
 
Shakespeare ricardo-iii
Shakespeare ricardo-iiiShakespeare ricardo-iii
Shakespeare ricardo-iii
 
Carta magna
Carta magnaCarta magna
Carta magna
 
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair AguilarIslamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
 
King Richard III Presentation
King Richard III PresentationKing Richard III Presentation
King Richard III Presentation
 
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf  Hitler _ Prof.Altair AguilarAdolf  Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
 
O absolutismo na inglaterra
O absolutismo na inglaterraO absolutismo na inglaterra
O absolutismo na inglaterra
 
Historia da Revolução dos Farrapos
Historia da Revolução dos FarraposHistoria da Revolução dos Farrapos
Historia da Revolução dos Farrapos
 
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair AguilarDiscurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
 
Guerra dos farrapos
Guerra dos farraposGuerra dos farrapos
Guerra dos farrapos
 
Revolução farroupilha
Revolução farroupilhaRevolução farroupilha
Revolução farroupilha
 
Guerra Dos Farrapos
Guerra Dos FarraposGuerra Dos Farrapos
Guerra Dos Farrapos
 

Semelhante a Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar

HistóRia De Portugal
HistóRia De PortugalHistóRia De Portugal
HistóRia De Portugal
apresentacao2008
 
História de portugal2
História de portugal2História de portugal2
História de portugal2
EB Foros de Amora
 
Portugal no século xiv
Portugal no século xivPortugal no século xiv
Portugal no século xiv
Cátia Botelho
 
O Absolutismo Inglês - 8o ano
O Absolutismo Inglês - 8o anoO Absolutismo Inglês - 8o ano
O Absolutismo Inglês - 8o ano
Lucas Degiovani
 
7 arevoluode1383-85
7 arevoluode1383-857 arevoluode1383-85
7 arevoluode1383-85
R C
 
1.ª Dinastia
1.ª Dinastia1.ª Dinastia
1.ª Dinastia
Helena Rocha
 
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIVConcelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Cátia Botelho
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
Ana Paiva
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
Ana Paiva
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
Ana Paiva
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
Ana Paiva
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
Ana Paiva
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
Ana Paiva
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
Ana Paiva
 
O contexto sócio-cultural de Pedro & Inês
O contexto sócio-cultural de Pedro & InêsO contexto sócio-cultural de Pedro & Inês
O contexto sócio-cultural de Pedro & Inês
Gonçalo Silva
 
Peste negra 2
Peste negra 2Peste negra 2
Peste negra 2
Carla Teixeira
 
A Revolução de 1383 / 85
A Revolução de 1383 / 85A Revolução de 1383 / 85
A Revolução de 1383 / 85
guesta5baa8
 
Criação de uma identidade nacional CEF B9
Criação de uma identidade nacional CEF B9Criação de uma identidade nacional CEF B9
Criação de uma identidade nacional CEF B9
profribeiro
 
Reis de Portugal 4ª Dinastia
Reis de Portugal 4ª DinastiaReis de Portugal 4ª Dinastia
Reis de Portugal 4ª Dinastia
khistoria
 
Dinastia de bragança (1815 – 1822)
Dinastia de bragança   (1815 – 1822)Dinastia de bragança   (1815 – 1822)
Dinastia de bragança (1815 – 1822)
Laís Maíne
 

Semelhante a Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar (20)

HistóRia De Portugal
HistóRia De PortugalHistóRia De Portugal
HistóRia De Portugal
 
História de portugal2
História de portugal2História de portugal2
História de portugal2
 
Portugal no século xiv
Portugal no século xivPortugal no século xiv
Portugal no século xiv
 
O Absolutismo Inglês - 8o ano
O Absolutismo Inglês - 8o anoO Absolutismo Inglês - 8o ano
O Absolutismo Inglês - 8o ano
 
7 arevoluode1383-85
7 arevoluode1383-857 arevoluode1383-85
7 arevoluode1383-85
 
1.ª Dinastia
1.ª Dinastia1.ª Dinastia
1.ª Dinastia
 
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIVConcelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
 
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história pptD. pedro i e d. inês de castro   trabalho de grupo de história ppt
D. pedro i e d. inês de castro trabalho de grupo de história ppt
 
O contexto sócio-cultural de Pedro & Inês
O contexto sócio-cultural de Pedro & InêsO contexto sócio-cultural de Pedro & Inês
O contexto sócio-cultural de Pedro & Inês
 
Peste negra 2
Peste negra 2Peste negra 2
Peste negra 2
 
A Revolução de 1383 / 85
A Revolução de 1383 / 85A Revolução de 1383 / 85
A Revolução de 1383 / 85
 
Criação de uma identidade nacional CEF B9
Criação de uma identidade nacional CEF B9Criação de uma identidade nacional CEF B9
Criação de uma identidade nacional CEF B9
 
Reis de Portugal 4ª Dinastia
Reis de Portugal 4ª DinastiaReis de Portugal 4ª Dinastia
Reis de Portugal 4ª Dinastia
 
Dinastia de bragança (1815 – 1822)
Dinastia de bragança   (1815 – 1822)Dinastia de bragança   (1815 – 1822)
Dinastia de bragança (1815 – 1822)
 

Mais de Altair Moisés Aguilar

Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair AguilarMartinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair AguilarOliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair AguilarOs Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair AguilarCalvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair AguilarA independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair AguilarRevolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair AguilarCausas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair AguilarEstados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair AguilarOs Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução  Francesa - Prof. Altair AguilarRevolução  Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair AguilarCampos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia  - Prof. Altair AguilarGuerra de Tróia  - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair AguilarAlemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Futebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair AguilarFutebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair AguilarBabilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair AguilarDitadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Operação Tempestade no Deserto - Prof. Altair Aguilar
Operação Tempestade no Deserto - Prof. Altair AguilarOperação Tempestade no Deserto - Prof. Altair Aguilar
Operação Tempestade no Deserto - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Adolf  Hitler - Prof. Altair AguilarAdolf  Hitler - Prof. Altair Aguilar
Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Subcultura Gótica - Prof. Altair Aguilar
Subcultura Gótica - Prof. Altair AguilarSubcultura Gótica - Prof. Altair Aguilar
Subcultura Gótica - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Kant - Prof. Altair Aguilar
Kant  - Prof. Altair AguilarKant  - Prof. Altair Aguilar
Kant - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 

Mais de Altair Moisés Aguilar (20)

Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair AguilarMartinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
 
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair AguilarOliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
 
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair AguilarOs Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
 
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair AguilarCalvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
 
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair AguilarA independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
 
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair AguilarRevolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
 
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair AguilarCausas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
 
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair AguilarEstados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
 
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair AguilarOs Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
 
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução  Francesa - Prof. Altair AguilarRevolução  Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
 
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair AguilarCampos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
 
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia  - Prof. Altair AguilarGuerra de Tróia  - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
 
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair AguilarAlemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
 
Futebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair AguilarFutebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair Aguilar
 
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair AguilarBabilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
 
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair AguilarDitadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
 
Operação Tempestade no Deserto - Prof. Altair Aguilar
Operação Tempestade no Deserto - Prof. Altair AguilarOperação Tempestade no Deserto - Prof. Altair Aguilar
Operação Tempestade no Deserto - Prof. Altair Aguilar
 
Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Adolf  Hitler - Prof. Altair AguilarAdolf  Hitler - Prof. Altair Aguilar
Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
 
Subcultura Gótica - Prof. Altair Aguilar
Subcultura Gótica - Prof. Altair AguilarSubcultura Gótica - Prof. Altair Aguilar
Subcultura Gótica - Prof. Altair Aguilar
 
Kant - Prof. Altair Aguilar
Kant  - Prof. Altair AguilarKant  - Prof. Altair Aguilar
Kant - Prof. Altair Aguilar
 

Último

A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 

Último (20)

A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 

Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar

  • 1.
  • 2. A GUERRA DAS DUAS ROSAS NASCEU DE UMA LONGA DISPUTA ENTRE DUAS DINASTIAS: • OS LANCASTER, QUE DETINHAM A COROA REAL E UM BRASÃO COM UMA ROSAVERMELHA; • E OSYORK, ASPIRANTESAO PODER, QUE TRAZIAM CONSIGO UMA ROSA BRANCA – PELO TRONO INGLÊS.
  • 3. AS DUAS FAMÍLIASADVERSÁRIAS ERAM DESCENDENTES DOS PLANTAGENETA. ESTES CONFLITOS DURARAM PELO MENOS TRINTA ANOS, DESDOBRANDO-SE EM LUTAS ISOLADAS, ESPECIALMENTE EM 1455 E EM 1485, ESTENDENDO-SEAO LONGO DOS GOVERNOS DE HENRIQUEVI, EDUARDO IV E RICARDO III.
  • 5. ESTA CONFLAGRAÇÃO FOI DESENCADEADA NO SEIO DE PROPRIETÁRIOS FEUDAIS INGLESES, NA DEFESA DETERRAS DAS QUAIS SEVIRAM DESAPOSSADOS DURANTE A GUERRA DOS CEM ANOS, PERPETRADA CONTRA A FRANÇA.
  • 6. TENDO ESTE CENÁRIO COMO FUNDO, AS GUERRAS DESPERTAM ENTRE DOIS RAMOS FAMILIARESQUE NUTREM O DESEJO DE CONQUISTAR OTRONO DA INGLATERRA – O DE EDMUNDO BEAUFORT, DUQUE DE SOMERSET, DA FAMÍLIA DE LANCASTER, E O DE RICARDO PLANTAGENETA, DUQUE DEYORK;
  • 7. UM REIVINDICANDO OS DIREITOS DE HENRIQUE IV E DA RAINHA MARGARIDA DE ANJOU; O OUTRO APOIANDO HENRIQUEVI DE LANCASTER, SUBMETIDO A PERIÓDICAS CRISES DE LOUCURA.
  • 8. EM MEIOA UM CONTEXTO CONTURBADO, PRINCIPALMENTE PARA OS LANCASTER, SOB O REINADO DE UM SOBERANO INSANO, MARCADO TAMBÉM PELOS REVESES SOFRIDOS PELOS INGLESES DIANTE DO PODERIO BÉLICO FRANCÊS NA ETAPA FINAL DA GUERRA DOS CEMANOS, RICARDO, DUQUE DEYORK, AVANÇA RUMO A LONDRES COM UM EXÉRCITO DETRÊS MIL HOMENS. ELEVENCE OS SOLDADOS REAIS E, EM 1455, APRISIONA O REI HENRIQUEVI. INICIA-SE,ASSIM, A GUERRA DAS DUAS ROSAS.
  • 9. DEPOIS DE DUASVITÓRIAS, NA BATALHA DE SAINTALBANS, EM 1455, E NA DE NORTHAMPTON, EM 1460, RICARDO DEYORK É MORTO NA BATALHA DEWAKEFIELD, DEFLAGRADA NESTE MESMO ANO.
  • 10. EDUARDO IV, DO RAMO DOSYORK, CHEGA AO PODER UM ANO DEPOIS, NA BATALHA DE TOWTON, MAS É DEPOIS, EM SETEMBRO DE 1470, ATRAIÇOADO PELOS NOBRES DO PARLAMENTO, DESCONTENTES COM SUA PERFORMANCE, E NÃO TEM OUTRA OPÇÃO SENÃO DEPOSITAR O CETRO NOVAMENTE NAS MÃOS DE HENRIQUEVI, EVENTO QUE É MARCADO PELA SEGMENTAÇÃO DA CASA DOSYORK, POIS O PRÓPRIO IRMÃO DE EDUARDO, O DUQUE DE CLARENCE, UNIRA-SE AOS LANCASTER PARA DERROTAR EDUARDO IV.
  • 12. NA BATALHA SEGUINTE, A DE BARNET, EDUARDO IV, RECONCILIADO COM O IRMÃO, DERROTA O REI E SEUS ALIADOS, MATA O SOBERANO E SEU FILHO, E NOVAMENTEASSUME OTRONO.
  • 13. ELE REINA ATÉ 1483, QUANDO, AO MORRER,TEM SEUTRONO USURPADO PELO IRMÃO MAIS NOVO, RICARDO, DUQUE DE GLOUCESTER, QUE SUPOSTAMENTE MANDA MATAR SEUS SOBRINHOS E CONQUISTA O PODER, COM O TÍTULO DE RICARDO III.
  • 14. É ENTÃO QUE OS LANCASTER DECIDEM INSTALAR NOTRONO HENRIQUETUDOR, QUE MAISTARDE SERÁ CONHECIDO COMO HENRIQUEVII.
  • 16. A GUERRATEM SEU FIM EM 1485, COM A DERROTA DE RICARDO III NA BATALHA DE BOSWORTH, LOGOAPÓS A CHEGADA DE HENRIQUETUDOR, RECÉM-VINDO DA BRETANHA.
  • 17. COM A MORTE DE RICARDO NO ÚLTIMO CONFLITO, E O ASSASSINATO DETODOS OS ADVERSÁRIOS DO NOVO REI, ELE CONTRAI MATRIMÔNIO COM A FILHA DE EDUARDO IV, ELIZABETH DEYORK, PARA MELHOR UNIR AS FAMÍLIAS RIVAIS, FORTALECENDO SEU PODER.
  • 18.
  • 19. TEM INÍCIOASSIM A DINASTIATUDOR, QUE REINARÁ DE 1485 A 1603, SOB UM REGIME ABSOLUTISTA INSTITUÍDO POR HENRIQUEVII.
  • 20. OS NOBRES, NESTA ÉPOCA, JÁ NÃOTÊM MAIS FORÇAS PARA RESISTIR AO NOVO MONARCA, PERMITINDO ASSIM QUE ELE REINE SOBERANO NA INGLATERRA, SEM MAIORES CONTESTAÇÕES.