SlideShare uma empresa Scribd logo
Adolf
Hitler
Louco ou com uma lucidez que poucos podiam
entender? Hitler cometia atrocidades a procura
de uma raça na qual nem ele mesmo pertencia ,
sábio , inteligente , mas seu nome esta marcado
na historia como um dos maiores vilões que a
historia já viu , como seria a historia sem Adolf
Hitler um tirano que todos aprenderam a odiar
....Neste trabalho quero mostra a face de Hitler
sua historia , sua loucura e seu maior feito “A
segunda Guerra Mundial”,o nazismo e suas
formas de governo .
Adolf Hitler, considerado por muitos
como um dos maiores vilões da história,
nasceu em 20 de abril de 1889. Seu pai
chamava-se Alois Hitler e era um
inspetor de alfândega da cidade de
Braunau, Áustria.
 O sonho de Hitler era ser artista
O ditador teve uma adolescência muito sofrida. Em setembro de
1900, aos 11 anos, ingressou na Realschule de Linz, uma escola
secundária que formava rapazes para a carreira comercial ou
técnica. “De modo algum desejava me tornar um funcionário
público. Um dia, tive certeza de que seria pintor, um artista... Meu
pai ficou perplexo, mas logo se recuperou... ‘Artista, não, jamais
enquanto eu viver!’”, assim escreveu Hitler em seu livro Mein
kampf. Aos 16 anos, após a morte do pai, Alois Hitler, Adolf se
mudou para Linz com sua mãe, irmã e tia e consagrou “toda a vida
à arte”. Ele fazia esboços, pintava, projetava museus, uma ponte
sobre o rio Danúbio, teatros e até mesmo a completa
reconstrução de Linz. Fez também, por um tempo, algumas aulas
de piano. Além disso, frequentava concertos, teatros, um clube de
música, outro de livro e um museu de cera.
 Hitler escrevia poemas
Aos 15 anos, Adolf passava a maior parte do
tempo desenhando, pintando e lendo. Nessa
época, morava numa casa de família em
Steyr, na Áustria, onde ficava a escola que
então frequentava. Escreveu também, com
essa idade, um poema um tanto quanto
incoerente.
 As pessoas ali se sentam numa casa ventilada
Enchendo-se de cerveja e vinho
Comendo e bebendo em êxtase
(-) então de quatro.
Ali escalam os altos picos das montanhas
(-) com as faces cheias de orgulho
E caem como acrobatas em cambalhotas
E não podem se equilibrar
Então, tristes, voltam para casa
E em calma esquecem o tempo
Então ele vê (-), sua esposa, pobre homem,
Que lhe cura as feridas com uma boa sova.
*(O poema estava ilustrado com o desenho de uma
mulher robusta surrando o marido.)
Durante a guerra de trincheiras, em 1915, o
ditador escreveu:
Frequentemente sigo em noites frias
Ao Carvalho de Odim no calmo bosque
Tecendo com negra magia uma união
A Lua traça runas com seu feitiço
E sua mágica fórmula humilha
Os que se enchem de orgulho à luz do dia!
Forjam suas espadas em fulgurante aço – mas,
em vez de lutar,
Congelam como estalagmites
Assim se distinguem as almas – as falsas das
verdadeiras
Penetro um ninho de palavras
E distribuo dádivas aos bons e aos justos
E minhas mágicas palavras lhe trazem bênçãos
e riquezas!

Muitos sabem que Adolf Hitler tinha uma relação muito forte com sua
mãe. Mas o primeiro amor dele, de fato, foi Stefanie (ou Stephanie)
Isak, uma jovem loira e alta que vivia no mesmo subúrbio de Linz. O
sobrenome dela indicava que fosse judia, mas isso não o
incomodava.
O menino apaixonado de 17 anos dedicou a ela uma série de poemas
românticos e, na compania de seu melhor amigo, Gustl Kubizek,
ficava todos os dias esperando Stefanie passar na rua, que
infelizmente estava sempre sob o olhar atento da mãe.
Hitler confessou a Gustl que, para fugir com ela, seria capaz de
sequestrá-la. E como a moça o ignorava, Adolf planejou suicídio nas
águas do rio Danúbio, levando-a consigo. Stefanie, que
possivelmente nunca conversou com Hitler, acabou se casando com
um soldado, o tenente Jasten.
 Quando a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) teve início, Hitler
tentou entrar para o exército austríaco, mas foi rejeitado. Em
seguida, ele conseguiu se alistar no exército alemão. Inclusive,
devido à sua bravura, ele chegou a ganhar a Cruz de Ferro. Mas,
depois do fim da guerra, como tantos outros, ele também não
conseguiu arrumar emprego. A Alemanha do pós-guerra passava
por uma transformação social e o colapso da monarquia e da
economia tornaram o terreno fértil para o crescimento de
filosofias extremistas, que iam do comunismo ao nacionalismo.
Nessa época, Hitler viajou para Munique, onde se tornou um dos
primeiros membros do Partido Nacional Socialista dos
Trabalhadores Alemães – abreviado como Nazista.

A depressão econômica mundial,
iniciada em 1929, tornou possível aos
nazistas fazer avanços políticos em
meio ao descontente eleitorado
alemão. Aos poucos, eles passaram a
ser reconhecidos como um legítimo
partido político, e Hitler, que era um
orador brilhante, começou a se
destacar e receber vários apoios. Em
1933, o Partido Nazista era tão
poderoso que o presidente Paul von
Hindenburg (1847-1934) viu-se forçado
a apontar Adolf Hitler como chanceler
da Alemanha. Imediatamente ele
começou a se valer de sua nova
posição para derrubar Hindenburg e
assumir o controle ditatorial da
Alemanha. Ele decidira também
rearmar militarmente a Alemanha e
reafirmar seus interesses territoriais na
Europa.
Em março de 1938, Hitler anexou a
Áustria, tornando-a parte da Alemanha. E
um ano depois, em março de 1939, suas
tropas tomaram o controle da
Tchecoslováquia. Embora Inglaterra e
França tenham se oposto abertamente à
investida alemã, elas não tomaram
nenhuma iniciativa para tentar evitar
uma guerra. Em 24 de agosto de 1939, a
Alemanha assinou um pacto de não-
agressão com a União Soviética. E no dia
1 de setembro, desferiu um ataque em
grande escala sobre a Polônia. No dia 3
de setembro, Inglaterra e França
declararam que o estado de guerra já se
constituíra por dois dias. Era o início da
Segunda Guerra Mundial (1939-1945).
Os dois primeiros anos de guerra foram
marcados por grandes sucessos militares das
forças alemãs. A França caiu em questão de
semanas em 1940, e, embora a Inglaterra não
tenha chegado a ser invadida, seu poder
militar na Europa era totalmente nulo. A
dominação total de Hitler na Europa durou de
1941 a 1944, quando os aliados anglo-
americanos tomaram bases importantes na
França e na Itália e os exércitos soviéticos
forçaram os alemães a recuar do leste
europeu. No início de 1945, os alemães
estavam defendendo desesperadamente seu
próprio território e, em 7 de maio, a guerra
estava acabada.
O espírito de Hitler entre 1939 e 1942
tinha sido o de um invencível otimismo.
Seus planos eram para um Império
Germânico, ou Reich, na Europa, que
durasse mil anos. Para realizar seu sonho
de um Reich racialmente puro, o ditador
criou uma rede de crematórios para a
execução em massa de judeus, ciganos e
outros povos considerados por ele
"indesejáveis". Entre 1943 e 1945, Hitler
foi se tornando uma pessoa cada vez
mais deprimida e irritada. Ele passou
também a se envolver com crenças
ocultas e acreditar que uma forma de
magia negra, combinada com misteriosas
armas secretas, poderia salvar a
Alemanha da derrota.
 A verdadeira abertura do “segundo front” se arrastou
até junho de 1944, quando o exército vermelho passa
a perseguir as tropas alemãs além da fronteira russa
até dentro da Alemanha. A 30 de abril de 1945, o
Reichstag é tomado pelo ExércitoVermelho, (tendo à
frente o general Zhukov, presente também na batalha
por Stalingrado, poucos anos antes) que conquista de
fato a cidade, muito à frente de americanos e
britânicos. Essa "primazia irá implicar na implantação
das “esferas de influência”, embrião da famosa
cortina de ferro que prevaleceria durante toda a
guerra fria, separando política e ideologicamente a
Europa durante 45 anos.
 No dia 29 de abril, deu-se a reunião final.O GeneralWeidling, governador
militar de Berlim, e comandante da LVI Panzer Corps, ainda aventou a
possibilidade de uma escapada pelas linhas soviéticas, mas Hitler o
dissuadiu. Não tinham nem tropas, nem equipamento, nem munições,
para qualquer tipo de operação. Era ficar e morrer!
 O Führer então despediu-se formalmente das pessoas mais próximas
que ainda o seguiam até aquele momento. Pressentindo o suicídio, os
que estavam no bunker reagiram de uma maneira inesperada. Muitos,
após colocarem discos na vitrola, puseram-se a dançar e alegremente,
confraternizaram com os demais, como se um esmagador peso,
repentinamente, tivesse sido removido de cima deles. O fascínio de
feiticeiro que Hitler exercera sobre eles cessara como que por encanto.
Depois do almoço, no dia 30 de abril, trancou-
se com Eva Braun nos seus aposentos. Ouviu-
se apenas um tiro. Quando lá penetraram
encontraram-no com a cabeça estraçalhada à
bala e com a pistola caída no colo. Em frente a
ele, em languidez de morta, estava Eva Braun,
sem nenhum ferimento visível. Ela ingerira
cianureto, um poderosíssimo veneno. Eram
15:30 horas! Rapidamente os dois corpos,
envolvidos num encerado, foram removidos
para o pátio e, com o auxilio de 180 litros de
gasolina que os embeberam, formaram,
incendiados, uma vigorosa pira. Ao redor
deles, uma silenciosa saudação fascista
prestou-lhes a homenagem derradeira.
 Eva era a segunda filha de um professor da Escola de Artes e
Ofícios de Simbach, próximo ao rio Inn, perto de Branau,
cidade natal de Adolf Hitler. Seu pai Fitz Braun, a havia enviado
à um colégio católico, e ao terminar seus estudos obteve um
emprego de vendedora na loja de aparelhos fotográficos de
Heinrich Hoffman, o fotógrafo pessoal do Führer.
 A partir de 1930, Eva trabalhou naquele emprego com sua irmã
Gretel, que anos depois se casaria com o ajudante de Himmler,
Fegelein. Ali ela conheceu Hitler. Segundo Hoffman, a mais
nova das duas irmãs Braun tinha uma linda silhueta, uns olhos
azuis admiráveis, vestia-se bem e possuía uma tenacidade
surpreendente e uma astúcia tipicamente feminina. A partir de
então se iniciou aquela relação pseudo-conjugal.
Para o assistente-de-câmera do
Führer, Heinz Linge, era uma
mulher que ganhava as simpatias
por sua extremada modéstia.
Mantinha-se sempre ao seu lado, e
tentava fazer com que Hitler
esquecesse, embora fosse por
alguns momentos, suas
preocupações, e durante os anos
da guerra só utilizou sua influência
sobre o Führer em contadas
ocasiões.
Na tarde do dia 28 de Abril, Hitler
chamou uma de suas secretárias,
para ditar-la sua última vontade.
Expôs seu desejo de contrair
imediato matrimônio com Eva
Braun e a decisão de ambos de
morrer no "bunker" para não cair
nas mãos do inimigo. Gobbels fez
vir um funcionário do Registro
Civil, que militava nas filas da
"Volkssturn" e que se chamava
Wagner.
Ao término da simples cerimônia,
os noivos assinaram o registro de
matrimônio. Ela começou a
escrever seu nome "Eva B...",
sorriu, riscou o escrito e pôs "Eva
Hitler".
 Os Nazistas não colocavam as mãos nos mortos, até para isso eles usavam os próprios
prisioneiros. Essas pessoas, que tinham que arrancar os dentes de ouro dos falecidos,
tirar roupas e preparar os corpos, eram chamados de Sonderkommando. E como
sabiam muito dos acontecimentos no campo de concentração, eles eram mortos de
tempo em tempo, sendo substituídos por outros prisioneiros, que tinham como
primeira tarefa se livrar do corpo de quem estava naquela posição antes.
 Os Nazistas, apesar de serem repugnantes, eram competentes. Eles
construíram um dos sistemas mais eficientes de transporte do
mundo, levando judeus de um campo para o outro, separando
famílias e conhecidos para evitar problemas. Só que eles não se
preocupavam com segurança ou algo assim, as pessoas eram jogadas
dentro dos trens e esquecidas.Tanto que uma vez, após uma viagem
de 18 dias, todos os transportados foram encontrados mortos, mais
de 200 corpos dentro de um vagão que mal comportava 50.
Segundo relato de pessoas que ficaram em
campos de concentração, os Nazistas faziam
sabão com a gordura dos mortos, para serem
usados pelos prisioneiros vivos.
Muitos documentos das maldades
Nazistas foram perdidos, mas sabe-
se que eles mergulhavam pessoas
em água gelada para entender
melhor a hipotermia, injetavam tinta
nos olhos dos prisioneiros e venenos
em suas veias (apenas para ver se
eram bons), produtos químicos eram
enfiados goela a abaixo dos judeus,
operações eram feitas sem anestesia
e todo tipo de atrocidade.
Uma pessoa com uma mente completamente louca, Hitler foi rejeitado por diversas
vezes , não sabia lidar com o sentimento de rejeição teve uma adolescência
difícil mas nada pode se justificar as maldades que esses ditador fazia com as
pessoas , ele sonha em um mundo com pessoas com raças puras , na qual nem
ele mesmo pertencia , Hitler com toda sua arrogância mesmo assim conseguia
aliados.
Uma guerra que destruiu famílias , crianças, foram mortas por que um louco tinha
um sonhos e matava todos que achava que eram”indesejados “.
Hitler foi um grande vilão para historia , mas com sua inteligência , sabedoria , e
maldade , soube marca a historia. Um homem que morreu odiado , e até hoje
todos aprendemos a odiar, uma pessoa que julgava raças , culturas e pessoas .
Realmente um monstro que torturava, matava , pelo simples fato das pessoas
serem que realmente eram.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O fascismo italiano
O fascismo italianoO fascismo italiano
O fascismo italiano
Susana Simões
 
Holocausto
HolocaustoHolocausto
Holocausto
Rui Neto
 
O Nazismo
O NazismoO Nazismo
O Nazismo
Jorge Almeida
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Janaína Tavares
 
A 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra MundialA 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra Mundial
Sílvia Mendonça
 
O nazismo[1]
O nazismo[1]O nazismo[1]
O nazismo[1]
Ana Barreiros
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
Ana Barreiros
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
edna2
 
Fascismo e nazismo
Fascismo e nazismoFascismo e nazismo
Fascismo e nazismo
Fabiana Tonsis
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Elaine Bogo Pavani
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Douglas Barraqui
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
Daniel Alves Bronstrup
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
Joana Melo
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
eiprofessor
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Alan
 
9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial
Janaína Bindá
 
Fim da União Soviética
Fim da União SoviéticaFim da União Soviética
Fim da União Soviética
Valéria Shoujofan
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Elaine Bogo Pavani
 
Princípios do nazismo
Princípios do nazismoPrincípios do nazismo
Princípios do nazismo
Susana Simões
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
Fatima Freitas
 

Mais procurados (20)

O fascismo italiano
O fascismo italianoO fascismo italiano
O fascismo italiano
 
Holocausto
HolocaustoHolocausto
Holocausto
 
O Nazismo
O NazismoO Nazismo
O Nazismo
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
A 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra MundialA 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra Mundial
 
O nazismo[1]
O nazismo[1]O nazismo[1]
O nazismo[1]
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Fascismo e nazismo
Fascismo e nazismoFascismo e nazismo
Fascismo e nazismo
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial9º ano - Segunda guerra mundial
9º ano - Segunda guerra mundial
 
Fim da União Soviética
Fim da União SoviéticaFim da União Soviética
Fim da União Soviética
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Princípios do nazismo
Princípios do nazismoPrincípios do nazismo
Princípios do nazismo
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 

Destaque

Resumo - História de Adolf Hitler
Resumo - História de Adolf HitlerResumo - História de Adolf Hitler
Resumo - História de Adolf Hitler
Vítor Soares
 
Adolf Hitler
Adolf HitlerAdolf Hitler
Adolf Hitler
Mateus Ferraz
 
Adolf hitler[1]
Adolf hitler[1]Adolf hitler[1]
Adolf hitler[1]
Ana Barreiros
 
Adolf Hitler
Adolf HitlerAdolf Hitler
Adolf Hitler
Sílvia Mendonça
 
Adolf hitler
Adolf hitlerAdolf hitler
Adolf hitler
MatheusAdrik
 
Adolf Hitler: Nazi.
Adolf  Hitler: Nazi.Adolf  Hitler: Nazi.
Adolf Hitler: Nazi.
fruitloopsarekewl
 
Biografía adolfo hitler
Biografía adolfo hitlerBiografía adolfo hitler
Biografía adolfo hitler
ANIBAL1987
 

Destaque (7)

Resumo - História de Adolf Hitler
Resumo - História de Adolf HitlerResumo - História de Adolf Hitler
Resumo - História de Adolf Hitler
 
Adolf Hitler
Adolf HitlerAdolf Hitler
Adolf Hitler
 
Adolf hitler[1]
Adolf hitler[1]Adolf hitler[1]
Adolf hitler[1]
 
Adolf Hitler
Adolf HitlerAdolf Hitler
Adolf Hitler
 
Adolf hitler
Adolf hitlerAdolf hitler
Adolf hitler
 
Adolf Hitler: Nazi.
Adolf  Hitler: Nazi.Adolf  Hitler: Nazi.
Adolf Hitler: Nazi.
 
Biografía adolfo hitler
Biografía adolfo hitlerBiografía adolfo hitler
Biografía adolfo hitler
 

Semelhante a Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar

.
..
Hitler - Prof. Altair Aguilar
Hitler - Prof. Altair AguilarHitler - Prof. Altair Aguilar
Hitler - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Hitler
HitlerHitler
Hitler
Pedro Pires
 
.
..
Nazismo - 2.docx
Nazismo - 2.docxNazismo - 2.docx
Nazismo - 2.docx
EduardoGomes340723
 
.
..
.
..
Livro - Minha Luta - Mein Kampf - Adolf Hitler
Livro - Minha Luta - Mein Kampf - Adolf HitlerLivro - Minha Luta - Mein Kampf - Adolf Hitler
Livro - Minha Luta - Mein Kampf - Adolf Hitler
kinakij594
 
Lideranca estrategica
Lideranca estrategicaLideranca estrategica
Lideranca estrategica
Cristiano William
 
Hitler
HitlerHitler
Hitler
EMEFEzequiel
 
5.a república de weimar
5.a república de weimar5.a república de weimar
5.a república de weimar
22leozao
 
ana carolini e nathalia, 3m3 - g1
ana carolini e nathalia, 3m3 - g1ana carolini e nathalia, 3m3 - g1
ana carolini e nathalia, 3m3 - g1
carolinis2
 
Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.
Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.
Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Resenha do filme olga belle apresentaçâo
Resenha do filme olga   belle apresentaçâoResenha do filme olga   belle apresentaçâo
Resenha do filme olga belle apresentaçâo
Daniele Moura
 
Graziella e Juliana 9°b
Graziella e Juliana 9°bGraziella e Juliana 9°b
Graziella e Juliana 9°b
Debora Deorio
 
Minha Luta - Adolf Hitler
Minha Luta - Adolf HitlerMinha Luta - Adolf Hitler
Minha Luta - Adolf Hitler
mvsm3
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Norberto Correa
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Norberto Correa
 
Nteha12 filme hist
Nteha12 filme histNteha12 filme hist
Nteha12 filme hist
BeatrizSantos567
 
Segunda Guerra Mundial - Trabalho
Segunda Guerra Mundial - TrabalhoSegunda Guerra Mundial - Trabalho
Segunda Guerra Mundial - Trabalho
Ana Julia Siteneski
 

Semelhante a Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar (20)

.
..
.
 
Hitler - Prof. Altair Aguilar
Hitler - Prof. Altair AguilarHitler - Prof. Altair Aguilar
Hitler - Prof. Altair Aguilar
 
Hitler
HitlerHitler
Hitler
 
.
..
.
 
Nazismo - 2.docx
Nazismo - 2.docxNazismo - 2.docx
Nazismo - 2.docx
 
.
..
.
 
.
..
.
 
Livro - Minha Luta - Mein Kampf - Adolf Hitler
Livro - Minha Luta - Mein Kampf - Adolf HitlerLivro - Minha Luta - Mein Kampf - Adolf Hitler
Livro - Minha Luta - Mein Kampf - Adolf Hitler
 
Lideranca estrategica
Lideranca estrategicaLideranca estrategica
Lideranca estrategica
 
Hitler
HitlerHitler
Hitler
 
5.a república de weimar
5.a república de weimar5.a república de weimar
5.a república de weimar
 
ana carolini e nathalia, 3m3 - g1
ana carolini e nathalia, 3m3 - g1ana carolini e nathalia, 3m3 - g1
ana carolini e nathalia, 3m3 - g1
 
Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.
Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.
Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.
 
Resenha do filme olga belle apresentaçâo
Resenha do filme olga   belle apresentaçâoResenha do filme olga   belle apresentaçâo
Resenha do filme olga belle apresentaçâo
 
Graziella e Juliana 9°b
Graziella e Juliana 9°bGraziella e Juliana 9°b
Graziella e Juliana 9°b
 
Minha Luta - Adolf Hitler
Minha Luta - Adolf HitlerMinha Luta - Adolf Hitler
Minha Luta - Adolf Hitler
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Nteha12 filme hist
Nteha12 filme histNteha12 filme hist
Nteha12 filme hist
 
Segunda Guerra Mundial - Trabalho
Segunda Guerra Mundial - TrabalhoSegunda Guerra Mundial - Trabalho
Segunda Guerra Mundial - Trabalho
 

Mais de Altair Moisés Aguilar

Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair AguilarMartinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair AguilarOliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair AguilarOs Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair AguilarDinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair AguilarCalvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair AguilarA independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair AguilarGuerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair AguilarRevolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair AguilarCausas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair AguilarEstados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair AguilarOs Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução  Francesa - Prof. Altair AguilarRevolução  Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair AguilarDiscurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair AguilarCampos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia  - Prof. Altair AguilarGuerra de Tróia  - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair AguilarAlemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Futebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair AguilarFutebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair AguilarBabilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair AguilarIslamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair AguilarDitadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 

Mais de Altair Moisés Aguilar (20)

Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair AguilarMartinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
 
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair AguilarOliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
 
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair AguilarOs Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
 
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair AguilarDinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
 
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair AguilarCalvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
 
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair AguilarA independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
 
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair AguilarGuerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
 
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair AguilarRevolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
 
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair AguilarCausas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
 
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair AguilarEstados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
 
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair AguilarOs Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
 
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução  Francesa - Prof. Altair AguilarRevolução  Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
 
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair AguilarDiscurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
 
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair AguilarCampos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
 
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia  - Prof. Altair AguilarGuerra de Tróia  - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
 
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair AguilarAlemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
 
Futebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair AguilarFutebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair Aguilar
 
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair AguilarBabilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
 
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair AguilarIslamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
 
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair AguilarDitadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Ditadura Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
 

Último

OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 

Último (20)

OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 

Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar

  • 2. Louco ou com uma lucidez que poucos podiam entender? Hitler cometia atrocidades a procura de uma raça na qual nem ele mesmo pertencia , sábio , inteligente , mas seu nome esta marcado na historia como um dos maiores vilões que a historia já viu , como seria a historia sem Adolf Hitler um tirano que todos aprenderam a odiar ....Neste trabalho quero mostra a face de Hitler sua historia , sua loucura e seu maior feito “A segunda Guerra Mundial”,o nazismo e suas formas de governo .
  • 3. Adolf Hitler, considerado por muitos como um dos maiores vilões da história, nasceu em 20 de abril de 1889. Seu pai chamava-se Alois Hitler e era um inspetor de alfândega da cidade de Braunau, Áustria.
  • 4.  O sonho de Hitler era ser artista O ditador teve uma adolescência muito sofrida. Em setembro de 1900, aos 11 anos, ingressou na Realschule de Linz, uma escola secundária que formava rapazes para a carreira comercial ou técnica. “De modo algum desejava me tornar um funcionário público. Um dia, tive certeza de que seria pintor, um artista... Meu pai ficou perplexo, mas logo se recuperou... ‘Artista, não, jamais enquanto eu viver!’”, assim escreveu Hitler em seu livro Mein kampf. Aos 16 anos, após a morte do pai, Alois Hitler, Adolf se mudou para Linz com sua mãe, irmã e tia e consagrou “toda a vida à arte”. Ele fazia esboços, pintava, projetava museus, uma ponte sobre o rio Danúbio, teatros e até mesmo a completa reconstrução de Linz. Fez também, por um tempo, algumas aulas de piano. Além disso, frequentava concertos, teatros, um clube de música, outro de livro e um museu de cera.
  • 5.  Hitler escrevia poemas Aos 15 anos, Adolf passava a maior parte do tempo desenhando, pintando e lendo. Nessa época, morava numa casa de família em Steyr, na Áustria, onde ficava a escola que então frequentava. Escreveu também, com essa idade, um poema um tanto quanto incoerente.
  • 6.  As pessoas ali se sentam numa casa ventilada Enchendo-se de cerveja e vinho Comendo e bebendo em êxtase (-) então de quatro. Ali escalam os altos picos das montanhas (-) com as faces cheias de orgulho E caem como acrobatas em cambalhotas E não podem se equilibrar Então, tristes, voltam para casa E em calma esquecem o tempo Então ele vê (-), sua esposa, pobre homem, Que lhe cura as feridas com uma boa sova. *(O poema estava ilustrado com o desenho de uma mulher robusta surrando o marido.)
  • 7. Durante a guerra de trincheiras, em 1915, o ditador escreveu: Frequentemente sigo em noites frias Ao Carvalho de Odim no calmo bosque Tecendo com negra magia uma união A Lua traça runas com seu feitiço E sua mágica fórmula humilha Os que se enchem de orgulho à luz do dia! Forjam suas espadas em fulgurante aço – mas, em vez de lutar, Congelam como estalagmites Assim se distinguem as almas – as falsas das verdadeiras Penetro um ninho de palavras E distribuo dádivas aos bons e aos justos E minhas mágicas palavras lhe trazem bênçãos e riquezas!
  • 8.  Muitos sabem que Adolf Hitler tinha uma relação muito forte com sua mãe. Mas o primeiro amor dele, de fato, foi Stefanie (ou Stephanie) Isak, uma jovem loira e alta que vivia no mesmo subúrbio de Linz. O sobrenome dela indicava que fosse judia, mas isso não o incomodava. O menino apaixonado de 17 anos dedicou a ela uma série de poemas românticos e, na compania de seu melhor amigo, Gustl Kubizek, ficava todos os dias esperando Stefanie passar na rua, que infelizmente estava sempre sob o olhar atento da mãe. Hitler confessou a Gustl que, para fugir com ela, seria capaz de sequestrá-la. E como a moça o ignorava, Adolf planejou suicídio nas águas do rio Danúbio, levando-a consigo. Stefanie, que possivelmente nunca conversou com Hitler, acabou se casando com um soldado, o tenente Jasten.
  • 9.  Quando a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) teve início, Hitler tentou entrar para o exército austríaco, mas foi rejeitado. Em seguida, ele conseguiu se alistar no exército alemão. Inclusive, devido à sua bravura, ele chegou a ganhar a Cruz de Ferro. Mas, depois do fim da guerra, como tantos outros, ele também não conseguiu arrumar emprego. A Alemanha do pós-guerra passava por uma transformação social e o colapso da monarquia e da economia tornaram o terreno fértil para o crescimento de filosofias extremistas, que iam do comunismo ao nacionalismo. Nessa época, Hitler viajou para Munique, onde se tornou um dos primeiros membros do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães – abreviado como Nazista. 
  • 10. A depressão econômica mundial, iniciada em 1929, tornou possível aos nazistas fazer avanços políticos em meio ao descontente eleitorado alemão. Aos poucos, eles passaram a ser reconhecidos como um legítimo partido político, e Hitler, que era um orador brilhante, começou a se destacar e receber vários apoios. Em 1933, o Partido Nazista era tão poderoso que o presidente Paul von Hindenburg (1847-1934) viu-se forçado a apontar Adolf Hitler como chanceler da Alemanha. Imediatamente ele começou a se valer de sua nova posição para derrubar Hindenburg e assumir o controle ditatorial da Alemanha. Ele decidira também rearmar militarmente a Alemanha e reafirmar seus interesses territoriais na Europa. Em março de 1938, Hitler anexou a Áustria, tornando-a parte da Alemanha. E um ano depois, em março de 1939, suas tropas tomaram o controle da Tchecoslováquia. Embora Inglaterra e França tenham se oposto abertamente à investida alemã, elas não tomaram nenhuma iniciativa para tentar evitar uma guerra. Em 24 de agosto de 1939, a Alemanha assinou um pacto de não- agressão com a União Soviética. E no dia 1 de setembro, desferiu um ataque em grande escala sobre a Polônia. No dia 3 de setembro, Inglaterra e França declararam que o estado de guerra já se constituíra por dois dias. Era o início da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).
  • 11. Os dois primeiros anos de guerra foram marcados por grandes sucessos militares das forças alemãs. A França caiu em questão de semanas em 1940, e, embora a Inglaterra não tenha chegado a ser invadida, seu poder militar na Europa era totalmente nulo. A dominação total de Hitler na Europa durou de 1941 a 1944, quando os aliados anglo- americanos tomaram bases importantes na França e na Itália e os exércitos soviéticos forçaram os alemães a recuar do leste europeu. No início de 1945, os alemães estavam defendendo desesperadamente seu próprio território e, em 7 de maio, a guerra estava acabada.
  • 12. O espírito de Hitler entre 1939 e 1942 tinha sido o de um invencível otimismo. Seus planos eram para um Império Germânico, ou Reich, na Europa, que durasse mil anos. Para realizar seu sonho de um Reich racialmente puro, o ditador criou uma rede de crematórios para a execução em massa de judeus, ciganos e outros povos considerados por ele "indesejáveis". Entre 1943 e 1945, Hitler foi se tornando uma pessoa cada vez mais deprimida e irritada. Ele passou também a se envolver com crenças ocultas e acreditar que uma forma de magia negra, combinada com misteriosas armas secretas, poderia salvar a Alemanha da derrota.
  • 13.  A verdadeira abertura do “segundo front” se arrastou até junho de 1944, quando o exército vermelho passa a perseguir as tropas alemãs além da fronteira russa até dentro da Alemanha. A 30 de abril de 1945, o Reichstag é tomado pelo ExércitoVermelho, (tendo à frente o general Zhukov, presente também na batalha por Stalingrado, poucos anos antes) que conquista de fato a cidade, muito à frente de americanos e britânicos. Essa "primazia irá implicar na implantação das “esferas de influência”, embrião da famosa cortina de ferro que prevaleceria durante toda a guerra fria, separando política e ideologicamente a Europa durante 45 anos.
  • 14.  No dia 29 de abril, deu-se a reunião final.O GeneralWeidling, governador militar de Berlim, e comandante da LVI Panzer Corps, ainda aventou a possibilidade de uma escapada pelas linhas soviéticas, mas Hitler o dissuadiu. Não tinham nem tropas, nem equipamento, nem munições, para qualquer tipo de operação. Era ficar e morrer!  O Führer então despediu-se formalmente das pessoas mais próximas que ainda o seguiam até aquele momento. Pressentindo o suicídio, os que estavam no bunker reagiram de uma maneira inesperada. Muitos, após colocarem discos na vitrola, puseram-se a dançar e alegremente, confraternizaram com os demais, como se um esmagador peso, repentinamente, tivesse sido removido de cima deles. O fascínio de feiticeiro que Hitler exercera sobre eles cessara como que por encanto.
  • 15. Depois do almoço, no dia 30 de abril, trancou- se com Eva Braun nos seus aposentos. Ouviu- se apenas um tiro. Quando lá penetraram encontraram-no com a cabeça estraçalhada à bala e com a pistola caída no colo. Em frente a ele, em languidez de morta, estava Eva Braun, sem nenhum ferimento visível. Ela ingerira cianureto, um poderosíssimo veneno. Eram 15:30 horas! Rapidamente os dois corpos, envolvidos num encerado, foram removidos para o pátio e, com o auxilio de 180 litros de gasolina que os embeberam, formaram, incendiados, uma vigorosa pira. Ao redor deles, uma silenciosa saudação fascista prestou-lhes a homenagem derradeira.
  • 16.  Eva era a segunda filha de um professor da Escola de Artes e Ofícios de Simbach, próximo ao rio Inn, perto de Branau, cidade natal de Adolf Hitler. Seu pai Fitz Braun, a havia enviado à um colégio católico, e ao terminar seus estudos obteve um emprego de vendedora na loja de aparelhos fotográficos de Heinrich Hoffman, o fotógrafo pessoal do Führer.  A partir de 1930, Eva trabalhou naquele emprego com sua irmã Gretel, que anos depois se casaria com o ajudante de Himmler, Fegelein. Ali ela conheceu Hitler. Segundo Hoffman, a mais nova das duas irmãs Braun tinha uma linda silhueta, uns olhos azuis admiráveis, vestia-se bem e possuía uma tenacidade surpreendente e uma astúcia tipicamente feminina. A partir de então se iniciou aquela relação pseudo-conjugal.
  • 17. Para o assistente-de-câmera do Führer, Heinz Linge, era uma mulher que ganhava as simpatias por sua extremada modéstia. Mantinha-se sempre ao seu lado, e tentava fazer com que Hitler esquecesse, embora fosse por alguns momentos, suas preocupações, e durante os anos da guerra só utilizou sua influência sobre o Führer em contadas ocasiões. Na tarde do dia 28 de Abril, Hitler chamou uma de suas secretárias, para ditar-la sua última vontade. Expôs seu desejo de contrair imediato matrimônio com Eva Braun e a decisão de ambos de morrer no "bunker" para não cair nas mãos do inimigo. Gobbels fez vir um funcionário do Registro Civil, que militava nas filas da "Volkssturn" e que se chamava Wagner. Ao término da simples cerimônia, os noivos assinaram o registro de matrimônio. Ela começou a escrever seu nome "Eva B...", sorriu, riscou o escrito e pôs "Eva Hitler".
  • 18.  Os Nazistas não colocavam as mãos nos mortos, até para isso eles usavam os próprios prisioneiros. Essas pessoas, que tinham que arrancar os dentes de ouro dos falecidos, tirar roupas e preparar os corpos, eram chamados de Sonderkommando. E como sabiam muito dos acontecimentos no campo de concentração, eles eram mortos de tempo em tempo, sendo substituídos por outros prisioneiros, que tinham como primeira tarefa se livrar do corpo de quem estava naquela posição antes.  Os Nazistas, apesar de serem repugnantes, eram competentes. Eles construíram um dos sistemas mais eficientes de transporte do mundo, levando judeus de um campo para o outro, separando famílias e conhecidos para evitar problemas. Só que eles não se preocupavam com segurança ou algo assim, as pessoas eram jogadas dentro dos trens e esquecidas.Tanto que uma vez, após uma viagem de 18 dias, todos os transportados foram encontrados mortos, mais de 200 corpos dentro de um vagão que mal comportava 50.
  • 19. Segundo relato de pessoas que ficaram em campos de concentração, os Nazistas faziam sabão com a gordura dos mortos, para serem usados pelos prisioneiros vivos.
  • 20. Muitos documentos das maldades Nazistas foram perdidos, mas sabe- se que eles mergulhavam pessoas em água gelada para entender melhor a hipotermia, injetavam tinta nos olhos dos prisioneiros e venenos em suas veias (apenas para ver se eram bons), produtos químicos eram enfiados goela a abaixo dos judeus, operações eram feitas sem anestesia e todo tipo de atrocidade.
  • 21. Uma pessoa com uma mente completamente louca, Hitler foi rejeitado por diversas vezes , não sabia lidar com o sentimento de rejeição teve uma adolescência difícil mas nada pode se justificar as maldades que esses ditador fazia com as pessoas , ele sonha em um mundo com pessoas com raças puras , na qual nem ele mesmo pertencia , Hitler com toda sua arrogância mesmo assim conseguia aliados. Uma guerra que destruiu famílias , crianças, foram mortas por que um louco tinha um sonhos e matava todos que achava que eram”indesejados “. Hitler foi um grande vilão para historia , mas com sua inteligência , sabedoria , e maldade , soube marca a historia. Um homem que morreu odiado , e até hoje todos aprendemos a odiar, uma pessoa que julgava raças , culturas e pessoas . Realmente um monstro que torturava, matava , pelo simples fato das pessoas serem que realmente eram.